Você está na página 1de 2

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS ANSELMO DE ANDRADE

Curso de Educação e Formação de Adultos (nível secundário) – Turma TIS 3

FICHA DE TRABALHO Nº1

Cultura, Língua e Comunicação


UFCD 2 RA 1
Aplica conhecimentos técnicos e competências interpretativas na gestão equilibrada de consumos energéticos

Aluno: Paulo Campos Professores: Alexandre Martins e Margarida Catarino

Num texto de reflexão crítica, defenda o seu ponto de vista sobre as formas
sustentáveis de poupança de energia em contexto privado, destacando os seus
contributos pessoais para a gestão equilibrada de consumos energéticos.

Nos tempos de hoje enfrentamos desafios que serão repercutidos futuramente. A nossa
sociedade ocidental (exportada mundialmente) baseia-se, nos tempos de hoje na igualdade,
então aquilo que antes só alguns podiam adquirir passou a ser uma conquista do povo; isto
ocorreu com o advento da industrialização e com o tempo deixámos de consumir apenas o
que necessitávamos e passámos a utilizar todos os recursos ao máximo, sem desejarmos a
consciência das responsabilidades.
Eu, pessoalmente, é como costumo dizer, não tenho filhos mas sou uma pessoa de bem; é
por isso que mantenho as preocupações com a sustentabilidade dos ecossistemas e habitats no
geral e em particular.
Não somos só nós, a espécie humana que tem direitos, e as pessoas estranham quando eu
afirmo que não somos mais importantes que os gafanhotos, perguntam-me se sou budista,
pelo contrário sou ateu e como a filosofia me perturba não digo que sou agnóstico.
Há uns anos guardava todos os plásticos, as garrafas, o papel; ao ver que todos os mais não
faziam qualquer caso do que está certo ou errado a não ser no que se refere a eles mesmos,
passei a fazer o mesmo que os outros; mas, talvez por ter mais respeito pelos outros
habitantes1 do planeta nunca deixei me horrorizar com os locais em que encontrava entulhos
na floresta, e eu nunca o fiz.
Mais horrorizado ainda, fico quando vejo na floresta resíduos de atividades humanas de
lazer uma vez que estes são de fácil portabilidade para qualquer local apropriado;
pessoalmente uma coisa que faço, desde que passou a ser possível é descartar os óleos nos
locais de recepção.
Além disso não cuspo para o chão… E também não decido sobre as reservas agrícolas ou
ecológicas, urbanizações ou licenciamentos uns por vezes tão fáceis quando outros são tão
difíceis.
Parece que tenho de falar de gestão equilibrada de consumos energéticos e formas
sustentáveis de poupança de energia; muito bem, é parecido com os resíduos só que a

1
Por vezes queixamo-nos de infestações de outras espécies.
energia vem numa fatura á parte, no caso dos resíduos a fatura encontra-se junto com a da
água e em Almada essa fatura se for de 40 Euros consiste em 22 de taxas referentes a
resíduos tudo incrementado em escalões de consumo mas sem escalonamento de preço;
uma modalidade que se destina a combater os ricos como eu.
Para quem legisla a partir dos gabinetes com ar condicionado, aquecimento, tem pausa
para café e tolerância de ponto, dispondo de verbas que não lhes custa a ganhar ou que são
ganhas com menos esforço que as dos outros, tudo parece tão fácil… De dizer
(mandar/exigir) aos outros que façam porque está na moda, ou talvez porque seja uma
questão de educação, consciência ou mesmo estupidez; a verdade é que eu nunca
desperdicei energia, fecho a agua para me ensaboar, fecho a torneira quando escovo os
dentes, calafeto as portas e janelas; na iluminação onde estou muito tempo seguido uso
lâmpadas economizadoras a gás (normalmente halogéneo), onde acendo por momentos e
necessito de potência instantânea uso incandescentes mas também estou a mudar para
halogéneo em formato comum.
Quando falamos de isolamentos temos que (uma das coisas que não são imaginadas
pelos dos gabinetes) ter em conta que mudar umas janelas importa o custo de umas novas
assim como o de descartar as velhas; temos vivido tempos de comprar tudo novo e o
exemplo vem vindo de cima; o problema é quando o dinheiro é do nosso.
Nos transportes também tenho poupado muito; há dez anos com 15 Euros metia 25lts de
gasóleo, agora com 30 Euros meto 20lts; estou a poupar energia! E também poupo no
estacionamento mas através do orçamento das câmaras municipais, estou a poupar espaço!
Também do imposto de circulação e do IA, estou a poupar chatices. + o seguro! Que no
nosso país sempre foi uma exorbitância.
De transportes públicos, se os preços fossem o que dizem que deviam ser, provavelmente
nesse caso é que não compensaria mesmo andar neles, aliás nesta mesma semana constatei
que já não o é, mesmo sendo somente uma pessoa que se desloque em viatura.
O que é um horror é o que desperdiçamos em comida. Temos que aprender que não é só
uma questão de desperdício, destruímos ecossistemas nuns lados para desenvolver mais
terrenos agrícolas enquanto noutros os destruímos ao impermeabilizá-los com cimento e
alcatrão.
Poupo os recursos ao encher as máquinas de lavar loiça e roupa; de secar não uso, e
desligo os aparelhos com stand by; o frigorífico fecho a porta, sempre.
A mim, além de me custar a ganhar, não sei porquê, também me custa a gastar! Os
recursos.

"Pouco se pode esperar de alguém que só se esforça quando tem a


certeza de vir a ser recompensado."
José Ortega y Gasset