Você está na página 1de 45

GUIA COMPLETO DE

HOMEOPATIA
Elaborado para qualificação
profissional

Marcelo Rigotti – Projeto Biociência, 2016


GUIA COMPLETO DE

HOMEOPATIA
GUIA COMPLETO DE

HOMEOPATIA
Elaborado para qualificação
profissional

Marcelo Rigotti – Projeto Biociência, 2016


GUIA COMPLETO DE

HOMEOPATIA
ELABORADO PARA QUALIFICAÇÃO
PROFISSIONAL E PARA A FAMÍLIA

Marcelo Rigotti
Sumário
Unidade 1. Introdução à Homeopatia. ..............................................................................................6
1.1. Definição de Homeopatia. .............................................................................................................7
1.2. Como funciona a homeopatia. .......................................................................................................8
1.2.1. A estrutura da água. .....................................................................................................10
1.3. A Homeopatia é segura? ..............................................................................................................10
1.3.1. Para quais problemas a homeopatia pode ser utilizada................................................11
1.4. O remédio homeopático. ..............................................................................................................11
1.5. Princípios da homeopatia. ............................................................................................................12
Unidade 2. As evidências clínicas da Homeopatia..........................................................................14
2.1. Principais definições. ...................................................................................................................15
2.2. Pesquisas clínicas. ........................................................................................................................15
Unidade 3. História da Homeopatia. ...............................................................................................19
3.1. Samuel Hahnemann. ....................................................................................................................20
3.2. Homeopatia no mundo. ................................................................................................................21
3.2.1. Histórico. .....................................................................................................................21
3.2.2. Renascimento no século XX........................................................................................23
3.3. Homeopatia no Brasil. .................................................................................................................24
Unidade 4. Como os remédios homeopáticos são feitos. ................................................................26
4.1. Matérias primas............................................................................................................................27
4.1.1. Fontes vegetais. ...........................................................................................................27
4.1.2. Fontes animais. ............................................................................................................29
4.1.3. Fontes minerais. ...........................................................................................................30
4.1.4. Sarcódios. ....................................................................................................................31
4.1.5. Nosódios. .....................................................................................................................31
4.1.6. Energéticos. .................................................................................................................32
4.1.7. Diluição e dinamização. ..............................................................................................32
4.2. Tintura mãe ..................................................................................................................................34
4.2.1. O estoque homeopático. ..............................................................................................34
4.2.2. Remédios feitos a partir de fontes vegetais. ................................................................35
4.3. Potenciação através da sucussão. .................................................................................................36
4.4. A potenciação por trituração. .......................................................................................................38
4.5. Qualidade .....................................................................................................................................40
Unidade 5. Métodos de dinamização .................................................... Erro! Indicador não definido.
5.1. Diluição......................................................................................... Erro! Indicador não definido.
5.1.1. A diluição centesimal de Hahnemann- CH. ................. Erro! Indicador não definido.
5.1.2. A diluição decimal de Hahnemann- DH....................... Erro! Indicador não definido.
5.1.3. As Diluições Korsakovianas - K. ................................. Erro! Indicador não definido.
5.2. Dinamização. ................................................................................ Erro! Indicador não definido.
5.3. Prova homeopática. ....................................................................... Erro! Indicador não definido.
Unidade 6. Tipos de remédios Homeopáticos ...................................... Erro! Indicador não definido.
6.1. Medicamentos clássicos ou constitucionais. ................................. Erro! Indicador não definido.
6.2. Policrestos. .................................................................................... Erro! Indicador não definido.
6.3. Isopáticos. ..................................................................................... Erro! Indicador não definido.
6.3.1. Alérgenos...................................................................... Erro! Indicador não definido.
6.3.2. Nosódios ....................................................................... Erro! Indicador não definido.
6.3.3. Sarcódios ...................................................................... Erro! Indicador não definido.
6.3.4. Nosódios e sarcodios usados como “vacinas” .............. Erro! Indicador não definido.
6.3.5. Tautopatia ..................................................................... Erro! Indicador não definido.
6.4. Maximizando os efeitos. ............................................................... Erro! Indicador não definido.
Unidade 7. A consulta a um Homeopata. ............................................. Erro! Indicador não definido.
7.1. Consulta. ....................................................................................... Erro! Indicador não definido.
7.1.1. Perfil dos pacientes. ...................................................... Erro! Indicador não definido.
7.1.2. Busca de informações. .................................................. Erro! Indicador não definido.
7.1.3. Descrevendo a personalidade do paciente. ................... Erro! Indicador não definido.
7.2. Avaliando o paciente..................................................................... Erro! Indicador não definido.
7.2.1. O corpo. ........................................................................ Erro! Indicador não definido.
7.2.2. Ambiente. ..................................................................... Erro! Indicador não definido.
7.2.3. A mente. ....................................................................... Erro! Indicador não definido.
7.2.4. Eventos da vida............................................................. Erro! Indicador não definido.
7.2.5. Organização da vida. .................................................... Erro! Indicador não definido.
Unidade 8. Princípios homeopáticos na assistência ao paciente. ....... Erro! Indicador não definido.
8.1. O paciente. .................................................................................... Erro! Indicador não definido.
8.1.1. Abordagem ao paciente. ............................................... Erro! Indicador não definido.
8.1.2. Contato inicial. ............................................................. Erro! Indicador não definido.
8.1.3. A consulta homeopática. .............................................. Erro! Indicador não definido.
8.1.4. Estilo de entrevista. ...................................................... Erro! Indicador não definido.
8.1.5. Análise de caso e seleção de remédios. ........................ Erro! Indicador não definido.
8.2. Indicações para os principais problemas de saúde. ....................... Erro! Indicador não definido.
8.2.1. O sistema nervoso......................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.2. Sistema respiratório ...................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.3. Sistema circulatório. ..................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.4. Sistema digestivo. ......................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.5. Sistema tegurmentar. .................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.6. Sistema esquelético. ..................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.7. Sistema reprodutivo. ..................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.8. Sistema imunológico. ................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.9. Sistema endócrino. ....................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.10. Sistema linfático. ........................................................ Erro! Indicador não definido.
8.2.11. Sistema muscular. ....................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.12. Sistema urinário. ......................................................... Erro! Indicador não definido.
8.2.13. Sentimentos e emoções............................................... Erro! Indicador não definido.
Unidade 9. Materia medica. .................................................................. Erro! Indicador não definido.
9.1. Nomenclatura homeopática .......................................................... Erro! Indicador não definido.
9.2. Abreviaturas dos remédios homeopáticos..................................... Erro! Indicador não definido.
9.3. Principais remédios homeopáticos ................................................ Erro! Indicador não definido.
Unidade 10. Remédios homeopáticos para os principais sintomas. ... Erro! Indicador não definido.
10.1. Cabeça e cérebro. ........................................................................ Erro! Indicador não definido.
10.2. Boca, garganta e língua. .............................................................. Erro! Indicador não definido.
10.3. Estômago e sintomas gástricos. .................................................. Erro! Indicador não definido.
10.4. Trato intestinal. ........................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.5. Abdome e fígado. ........................................................................ Erro! Indicador não definido.
10.6. Órgãos respiratórios. ................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.7. Circulação. .................................................................................. Erro! Indicador não definido.
10.8. Órgãos reprodutivos. ................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.9. Tronco, coluna e costas. .............................................................. Erro! Indicador não definido.
10.10. Olhos, orelhas e nariz. ............................................................... Erro! Indicador não definido.
10.11. Pele e glândulas......................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.12. Mente, disposição e sensibilidade. ............................................ Erro! Indicador não definido.
10.13. Dor e sensações dolorosas. ....................................................... Erro! Indicador não definido.
10.14. Sono. ......................................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.15. Aversões.................................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.16. Força vital. ................................................................................ Erro! Indicador não definido.
Glossário de Homeopatia ...................................................................... Erro! Indicador não definido.
Referências Bibliográficas ..................................................................... Erro! Indicador não definido.
Anexo 1 - Formulário de consetimento............................................................................................298

Anexo 2 - Histórico do cliente..........................................................................................................300

Anexo 3 - Questionário Homeopático..............................................................................................307


Unidade 1. Introdução à

Homeopatia

6
diluídas, que produzem sintomas
1.1. Definição de
característicos da doença em pessoas
Homeopatia. saudáveis, quando administrado em
doses maiores. O princípio básico da
Homeopatia, também conhecida como homeopatia, conhecida como a "lei dos
medicina homeopática, é um tratamento semelhantes", é "semelhante cura
que se desenvolveu na Alemanha e tem semelhante".
sido praticada em todo mundo desde o
Na homeopatia, uma premissa
início do século 19. É um sistema
fundamental é que cada pessoa tem uma
alternativo, na homeopatia os
energia chamada de força de auto cura ou
medicamentos são administrados com
resposta vital. Quando essa energia é
fins preventivos e terapêuticos.
interrompida ou desequilibrada os
Distingue-se da medicina ocidental
problemas de saúde começam a se
moderna em seu sistema de diagnóstico
desenvolver. A homeopatia visa
e de intervenção terapêutica.
estimular respostas próprias de cura pelo
organismo.

O termo homeopatia vem das palavras


gregas homeo, ou seja, semelhante e
pathos, que quer dizer doença. A
homeopatia tem uma abordagem
diferente da medicina convencional no
diagnóstico, classificação e tratamento
Este método foi desenvolvido pelo
de problemas de saúde. A homeopatia
médico alemão Samuel Christian
estimula os mecanismos e processos de
Hahnemann no final do século 18 e era
defesa do organismo de modo a prevenir
uma forma predominante de medicina na
ou tratar a doença.
Europa e Estados Unidos até o início de
1900. O tratamento em homeopatia é
individualizado (adaptado para cada
O tratamento homeopático procura
pessoa). Os homeopatas selecionam os
estimular a capacidade do corpo em
remédios de acordo com uma visão geral
curar-se, dando doses extremamente
do paciente, incluindo não só os
pequenas de substâncias altamente

7
sintomas, mas estilo de vida, estados Embora a medicação homeopática ou
emocionais e mentais, e outros fatores. remédios, como são muitas vezes
chamados, sejam frequentemente
Muitos médicos e leigos ainda fazem
fabricados a partir de materiais naturais,
muita confusão sobre o que a homeopatia
este não é um requisito da farmacopéia
realmente é. Embora muitos dos dogmas
homeopática. Defensores da teoria
filosoficos homeopáticos estejam
homeopática usam remédios para curar o
abertos ao debate, o antagonismo em
paciente, estimulando o seu próprio
relação a homeopatia é principalmente
poder de cura. Embora esta teoria,
devido a falta de informação.
pudesse ser chamado de uma cura
natural, tal cura significaria comparação
Ironicamente, o julgamento sumário da
com outras formas de medicina natural.
medicina convencional contra a
Essa imprecisão pode fazer parecer a
homeopatia deriva de um mal-entendido
homeopatia como "Natural".
sobre os princípios homeopáticos.

Cuidadosa consideração de um sistema 1.2. Como funciona a


de cura requer que se entenda o seu
método, incluindo os seus princípios e
homeopatia.
práticas clinicas. O sistema da
A homeopatia se distingue de outros
homeopatia é tão complexo e diferente
sistemas terapêuticos na forma de tratar
da medicina convencional que requer
o paciente, no tipo e na preparação do
uma reflexão cuidadosa para
remédio utilizado. O sistema
inteligentemente aceitar ou rejeitar seus
homeopático tem como fundamento a
princípios.
integralização holística do paciente e de
O equívoco mais comum tem sido a de sua realidade, tanto no adoecer, quanto
que a medicina homeopática é sinônimo no tratamento. Dessa forma, a doença é
de medicamentos naturais. Embora isso um desequilíbrio no todo que se
pareça bom, é impreciso. Mesmo que manifesta de múltiplas formas.
seja verdade, essa definição não ajuda a
Para Hahnemann, esse todo dinâmico
esckarecer o que exatamente é a
responsável pelo equilíbrio é a força ou
medicina natural.
energia vital: o atributo imaterial,
automático, inerente ao homem, que

8
coordena as funções orgânicas e psico- “ultra moleculares” trabalham é que a
emocionais integralizando-as, tornando água é capaz de armazenar informações
o homem uma unidade. relativas a substâncias com as quais
tenha estado previamente em contato.
A homeopatia é baseada em diluições
extremas seguidas de mistura em outra
solução, chamadas sucessões. O nível de
diluição é impresso no frasco do
medicamento. Na dinamização, é usado
uma solução hidro alcoólica para diluir
(frequentemente álcool a 30%) e
movimentos de - batida - contra um
anteparo semirrígido para agitação.
Chamamos este processo de agitação de
Em primeiro lugar, este conceito de
sucussão. Se uma substância é solúvel
memória da água é além do reino da
em água ou álcool etílico, puro ou
física conhecida. Ainda não se sabe se a
combinado, ela será dissolvida, na
água consegue manter a memória da
proporção de 1%, e agitada 100 vezes.
molécula por muito mais tempo do que
Em seguida, nova diluição e 100
um bilionésimo de segundos.
agitações.

Em segundo lugar, se a água pode se


Homeopatas hoje entendem o conceito
lembrar da forma do que está nela, então,
de constante de Avogadro. Eles atribuem
toda a água tem o potencial para ser
poderes de cura da homeopatia para a
homeopática. A água da torneira se
"memória da água" - o conceito de que a
movimentando através de tubos, com
água tem a capacidade de se lembrar da
seus traços de substâncias naturais
substancia original.
conhecidos por causar câncer e outras
O aspecto da homeopatia pode ser doenças, seriam terapêuticos contra estas
inexplicável para muitas pessoas, e que doenças.
os medicamentos são muitas vezes,
diluídos ao ponto em que não haverá
nenhum resquício das moléculas da
substância original. Uma das principais
propostas atuais de como essas diluições

9
1.2.1. A estrutura da 1.3. A Homeopatia é
água. segura?

Pesquisas recentes sobre ligações de A homeopatia é perfeitamente segura,


hidrogênio em água fornecem suporte isto é porque os medicamentos
para esta teoria da “memória”. O homeopáticos são feitos a partir de uma
químico suíço, Louis Rey, constatou que quantidade muito pequena do
a estrutura das ligações de hidrogênio em ingrediente ativo. Duzentos anos de
diluições homeopáticas de soluções prática, pesquisa e ensaios comprovaram
salinas é muito diferente do que em água a segurança deste sistema de saúde para
pura. Ele chegou à conclusão de que esse pessoas e animais. Os remédios
fenômeno resulta da agitação vigorosa homeopáticos foram regulamentados nos
de soluções que ocorre durante a Estados Unidos no ano de 1938 e são
sucussão. considerados seguros.

Ao contrário de alguns medicamentos


convencionais, os medicamentos
homeopáticos não causam dependência e
não tem efeitos colaterais perigosos.
Homeopatia é segura para uso em bebês,
crianças e mulheres grávidas ou
lactantes, que estão sob a supervisão de
Além disso, usando uma técnica de um profissional homeopata.
laboratório chamada espectroscopia,
outros investigadores verificaram que
diferentes medicamentos homeopáticos
e diluições diferentes do mesmo
medicamento podem ser diferenciadas
umas das outras, apesar de tudo conter
apenas água.

10
Alguns críticos da homeopatia acreditam
1.4. O remédio
que há tão pouca substância ativa numa
solução que os benefícios do tratamento homeopático.
são, provavelmente, não por causa da
substância, mas porque a pessoa está As prescrições homeopáticas são
pensando que é eficaz, ou seja, efeito produzidas baseadas na Matéria Médica
placebo. e repertórios. A matéria médica
homeopática é uma coleção de sintomas
1.3.1. Para quais e sinais relatados em experimentos que
foram causados por substancias antes da
problemas a transformação em remédio homeopático.
Essas características descrevem os
homeopatia pode ser
padrões dos sintomas associados com os
utilizada. remédios. Um repertório homeopático é
um índice de sintomas da doença que
lista os remédios associados a sintomas
específicos. Simplificando é um catálogo
completo das manifestações obtidas
através da experimentação das
Historicamente, as pessoas têm usado substancias em indivíduos
homeopatia para melhorar a saúde e aparentemente sadios e sensíveis.
tratar um grande número de doenças, tais
como alergias, dermatite atópica, artrite A homeopatia pode utilizar fontes
reumatóide e síndrome do intestino animal, vegetal, mineral e substâncias
irritável. Também tem sido utilizada para sintéticas em seus remédios, se referindo
tratar ferimentos leves, como cortes, a eles com nomes latinos. Exemplos
arranhões e tensões musculares ou como Arsenicum album (óxido de
entorses. O tratamento Homeopático não arsênico), Natrum muriaticum (cloreto
é considerado adequado para doenças, de sódio ou sal de mesa), Lachesis muta
tais como câncer, doenças do coração, (o veneno da cobra surucucu) e
infecções importantes ou emergências. Thyroidinum (hormônio da tireóide).

Mais de 4.000 substâncias de plantas,


animais, e substancias minerais foram

11
testados desde que Hahnemann Similia similibus curentur,
desenvolveu suas teorias, resultando em frequentemente traduzido como
uma matéria médica que contém mais de “semelhante cura semelhante”. Assim,
2.000 remédios. um medicamento como Coffea tosta,
feita a partir de café torrado, pode ser
utilizado para tratar insônia.

- Dose mínima. Quando Hahnemann


realizou sua principal pesquisa ele deu
doses de medicamentos para seus
pacientes, baseado na prática médica da
época. Isso muitas vezes resultou em

Alguns homeopatas também utilizam os grandes reações tóxicas e as mortes não

chamados "nosódios" (do grego nosos, eram incomuns. Então ele diluiu até que

doença) feitos a partir de produtos a substancia deixasse de ser tóxica,

doentes ou patológicos como fezes, enquanto que, ao mesmo tempo o efeito

urina, descargas respiratórias, sangue e terapêutico era mantido. Hahnemann

tecido. Os remédios homeopáticos descobriu que, como os medicamentos

preparados a partir de espécimes foram diluídos em série, com agitação

saudáveis são chamados "sarcódios". vigorosa a cada etapa, eles pareciam se


tornar cada vez mais potentes

1.5. Princípios da terapeuticamente. Ele chamou esse


efeito de processo de dinamização.
homeopatia.

Existem quatro princípios importantes


associados com a prática da homeopatia:

- Semelhante cura o semelhante.


Hahnemann acreditava que, a fim de
curar a doença, devem-se procurar
medicamentos que provoquem sintomas
- Tratamento individual. Hahnemann
similares no corpo humano saudável.
acreditava que cada paciente devia usar
Esta ideia é resumida na frase latina
um único medicamento para tratar um

12
problema de saúde. Há uma tendência - Visão geral do paciente. A abordagem
crescente dos grandes fabricantes holística do tratamento, no qual todos os
combinarem misturas de medicamentos aspectos do bem-estar do paciente são
e potências em um único produto. Estes considerados, não apenas sintomas
são conhecidos como complexos. locais isoladamente.

13
Unidade 2. As evidências

clínicas da Homeopatia

14
2.1. Principais 2.2. Pesquisas clínicas.
definições. Antes de discutir os recentes ensaios
clínicos controlados e duplo-cegos, é
- Estudos duplo-cegos referem-se a
importante fazer referência à história das
experiências em que nem o
pesquisas homeopáticas, a fim de
experimentador nem os sujeitos sabem
fornecer evidências adicionais para
se um tratamento específico foi receitado
comprovar a eficácia clínica da nano
ou foi um placebo (um medicamento
farmacologia homeopática.
falso que parece e tem gosto de
medicamento homeopático verdadeiro). A homeopatia se tornou popular na
Europa e nos Estados Unidos,
- Ensaios clínicos randomizados são
principalmente por causa dos sucessos
aqueles em que os sujeitos de uma
surpreendentes através de experiências
experiência são colocados
no tratamento de pessoas que sofreram
aleatoriamente em grupos de tratamento
com várias epidemias de doenças
ou em grupos tratados com placebo. Os
infecciosas no século 19. As taxas de
investigadores tentam colocar as pessoas
mortalidade nos hospitais homeopáticos
com características semelhantes em
por doenças como cólera, escarlatina,
igual número nos grupos de tratamento e
febre tifóide, febre amarela, pneumonia
placebo.
e outros foi de 50 a 12% menor que de
hospitais médicos convencionais
- Estudos Crossover referem-se a
(Bradford, 1900; Coulter, 1973). Estes
experiências em que metade dos
resultados consistentes e significativos
indivíduos de um estudo é dada um
não podiam ser atribuídos a um efeito
placebo, durante uma fase de um estudo
placebo.
e, em seguida, dado o remédio
homeopático durante a segunda fase,
Um grupo independente de médicos e
enquanto a outra metade começa com o
cientistas avaliou pesquisa clínica
tratamento ativo e em seguida recebem o
homeopática antes de outubro de 1995
placebo durante a segunda fase.
(Linde, 1997). Eles revisaram 186
estudos, 89 dos quais cumpriam critérios
pré-definidos para a meta-análise. Eles
descobriram que em média os doentes

15
que receberam um medicamento estatisticamente significativos (Vickers,
Homeopático tiveram 2,45 vezes mais 2007).
chances de ter experimentado um efeito
Outro grupo de pesquisa sobre o uso de
clinicamente benéfico. Ao analisar
Galphimia glauca no tratamento da febre
apenas os estudos de alta qualidade, os
do feno1 foi replicado com sucesso sete
pesquisadores descobriram que
vezes, mas esta pesquisa foi realizada
indivíduos que tomaram o medicamento
pelo mesmo grupo de pesquisadores
homeopático ainda eram 1,86 vezes mais
(Wiesenauer e Ludtke, 1996), e, até
propensos a ter melhoria da saúde, em
agora, este trabalho não foi realizado por
comparação com aqueles que receberam
outros pesquisadores.
um placebo.

Um corpo de pesquisa clínica em


Homeopatia que tem sido
consistentemente reconhecido como
produtores da mais alta qualidade em
pesquisas científicas é um grupo de
pesquisadores da Universidade de
Glasgow e Hospital Homeopático de
Glasgow. Eles realizaram estudos sobre
Quatro trabalhos científicos individuais
pessoas que sofreram de várias alergias
utilizaram ensaios clínicos de um
respiratórias (asma e rinite alérgica)
medicamento homeopático
(Taylor, et al., 2000). No total, eles
(Oscillococcinum 200C) no tratamento
trataram 253 pacientes e observaram
de doença gripal (Papp, 1998). Cada um
uma melhora em 28% naqueles que
destes ensaios foi relativamente grande
receberam um medicamento
no número de indivíduos (487, 300, 100
homeopático, em comparação com uma
e 372), e todos tiveram a mesma
melhoria de 3% em pacientes que
metodologia, placebo-controlado e
receberam um placebo. Neste estudo,
duplo-cego (dois dos três ensaios
houve uma alta probabilidade de que o
também foram randomizados). Cada um
tratamento tenha sido eficaz porque
destes estudos mostraram resultados

1
A febre do feno é um tipo de rinite alérgica, trata-se de uma alergia ao pólen de certas plantas,
especialmente as gramíneas (componentes do feno) e árvores (como bétula e aveleira).

16
havia apenas sete chances em 10.000 que comparação com as crianças que
esse resultado acontecesse por acaso. receberam um placebo.

Na Universidade do Hospital de Viena Outro estudo em 53 pacientes com


um estudo foi realizado para avaliar a fibromialgia (Bell, et al., 2004), que
influência da administração via receberam doses homeopáticas, em
sublingual de Kali bichromicum comparação com aqueles que receberam
(dicromato de potássio), na quantidade um placebo foi muito significativo. O
de 30C, na secreção traqueal fibrosa em que também é extremamente
pacientes críticos com histórico de interessante sobre este estudo é que os
tabagismo (Frass, et al., 2005). A pesquisadores descobriram que pessoas
quantidade de secreção traqueal foi em tratamento homeopático também
significativamente reduzida em obtiveram melhoras nesta doença. Esta
pacientes que receberam o medicamento evidência de benefícios clínicos e ação
homeopático. fisiológica dos medicamentos
homeopáticos em pessoas com sintomas
crônicos é uma evidência muito forte de
que estas nano doses podem ter efeitos
notáveis.

Figura 1 - Kali bichromicum

Três estudos em crianças com diarreia


também foram realizados e publicados
em revistas científicas (Jacobs, et al.,
2003). Uma meta-análise das 242
crianças que estavam envolvidas nestes
três estudos mostrou que as crianças para
as quais foram prescritas um
medicamento homeopático
Um importante estudo foi conduzido por
experimentaram uma redução altamente
uma professora de química que
significativa na duração da diarreia, em
antigamente era cética da homeopatia
(Dr. Madeleine Ennis), mas que agora

17
reconhece que estes medicamentos têm descobriram efeitos inibitórios de
efeitos significativos (Belon, et al., diluições de histamina em um tipo de
2004). Quatro laboratórios glóbulos brancos chamados basófilos.
independentes, cada um associado a uma As soluções foram feitas em laboratórios
universidade, realizou uma série de independentes, os participantes não
3.674 experimentos utilizando diluições tinham conhecimento do conteúdo das
de histamina além do número de soluções do teste e a análise dos dados
Avogadro, o que queremos dizer é que foi realizada por um bioestatístico que
nesta dose, não há moléculas restantes da não estava envolvido em qualquer outra
substância original. Os pesquisadores parte do experimento.

18
Unidade 3. História da

Homeopatia

19
uma vez que ele notou que havia outras
3.1. Samuel
substâncias e misturas de substâncias
Hahnemann. decididamente mais amargas e mais
adstringentes do que a casca da quina
A história da homeopatia começa com as que não foram eficazes no tratamento da
descobertas de seu fundador Samuel malária. Em seguida, ele descreveu a sua
Hahnemann (1755-1843). Hahnemann própria experiência, tomando repetidas
primeiro criou a palavra "homeopatia" doses desta erva até que seu corpo
("homoios" em grego significa respondesse à dose tóxica com febre,
semelhante e "pathos" significa doença) calafrios e outros sintomas semelhantes
para se referir ao princípio aos da malária. Hahnemann concluiu que
farmacológico, a lei dos semelhantes, a razão desta erva ser benéfica no
que é a sua base. Na verdade, a lei dos tratamento era porque causava sintomas
semelhantes anteriormente foi descrita semelhantes aos da doença.
por Hipócrates e Paracelso e foi utilizado
por muitas culturas, incluindo os maias,
chineses, gregos, índios americanos,
asiáticos e indianos, mas foi Hahnemann
que codificou a lei dos semelhantes em
uma ciência médica sistemática.

Primeiros comentários de Hahnemann


sobre a aplicabilidade geral da lei dos
semelhantes foram em 1789, quando ele Figura 2 - Samuel Hahnemann

traduziu um livro de William Cullen, um Hahnemann sabia ler e escrever em pelo


dos principais médicos da época. Em um menos sete idiomas, ele traduziu mais de
ponto no livro Cullen atribuiu a utilidade 20 grandes textos médicos e científicos.
da quina (Cinchona) no tratamento da Ele tinha sido o autor de um conjunto de
malária, devido às suas propriedades quatro volumes de livros chamado The
amargo e adstringente. Hahnemann Pharmaceutical Lexicon, que foi
escreveu uma nota em negrito em sua considerado um dos textos de referência
tradução, questionando a explicação de padrão para boticários e farmacêuticos
Cullen. Hahnemann afirmou que a de sua época. Ele não tinha medo de
eficácia da quina deve ser por outro fator, dizer o que pensava, mesmo que isso

20
significasse corrigir o diagnóstico de um nem sempre faziam de forma correta ou
médico muito respeitado. Ele não tinha estavam dando intencionalmente a seus
medo de questionar as verdades pacientes diferentes medicamentos. À
comumente aceitas. E tinha iniciativa medida que crescia a desconfiança dos
suficiente para buscar suas próprias boticários, ele optou por fazer seus
explicações alternativas. próprios medicamentos, um ato ilegal,
no momento, na Alemanha. Os
Depois de traduzir a obra de Cullen,
boticários então acusaram Hahnemann
Hahnemann passou os próximos seis
de descumprir a lei por fazer os
anos experimentando ativamente em si
medicamentos, foi preso em Leipzig em
mesmo, em sua família e em um grupo
1820, foi considerado culpado e forçado
pequeno mas crescente de seguidores.
a se mudar.
Em 1796, ele escreveu sobre suas
experiências com a lei dos semelhantes Ele se mudou para Kothen, onde foi
no Jornal Hufeland, uma revista médica delegada permissão especial para a
respeitada na Alemanha. prática e produção de seus próprios
Coincidentemente, em 1798, Edward medicamentos pelo Grão-Duque
Jenner descobriu o valor de dar pequenas Ferdinand, um dos muitos da realeza
doses de varíola bovina para as pessoas europeia que apoiaram a homeopatia.
em um esforço para imunizá-los contra a
varíola. Enquanto o trabalho de Jenner 3.2. Homeopatia no
era geralmente aceito na medicina mundo.
convencional, a obra de Hahnemann não
era. 3.2.1. Histórico.
É uma opção de tratamento recomendada
Hahnemann não foi muito aceito pelos
pela Organização Mundial de Saúde
boticários, porque ele recomendava o
(OMS), que divulgou documento
uso de apenas um medicamento a cada
incentivando a integração dessa e outras
vez e prescrevia apenas doses pequenas
Medicinas Tradicionais aos sistemas
de remédios. Por isso, os boticários não
nacionais de saúde. Apesar da
poderiam cobrar muito por esses
perseguição, a homeopatia continuou a
remédios. Para cada medicamento era
crescer. Não cresceu apenas porque
necessário uma preparação cuidadosa,
oferecia uma abordagem sistemática
Hahnemann descobriu que os boticários
para o tratamento de pessoas doentes,

21
mas também porque a medicina ortodoxa
foi ineficaz e até mesmo perigosa. Há um
consenso geral entre os historiadores
médicos hoje que a medicina ortodoxa
dos anos 1700 e 1800, em especial,
causaram mais mal do que bem.

A aplicação de sanguessugas era prática


comum até meados de 1800. Benjamin
Figura 3 - Sanguessugas
Rush, considerado o pai da medicina
norte-americana, afirmou que a sangria Homeopatia alcançou sua maior
foi útil em todas as doenças em geral e popularidade no século XIX. Foi
crônicas. Em torno de 41 milhões de introduzido nos Estados Unidos em 1825
sanguessugas foram importadas para a por Hans Gram Birch, um aluno de
França em 1833. Nos Estados Unidos, Hahnemann. A primeira escola na
uma empresa importou 500.000 homeopatia país foi inaugurada em 1835
sanguessugas em 1856; seu concorrente e a primeira Associação Médica
importou 300.000. Além de Nacional dos EUA foi estabelecida. Ao
derramamento de sangue e longo do século XIX, dezenas de
sanguessugas, os médicos ortodoxos instituições homeopáticas foram criadas
usavam medicamentos feitos a partir de na Europa e nos Estados Unidos. Em
mercúrio, chumbo, arsênico e várias 1900, havia 22 escolas homeopáticas e
ervas fortes para ajudar a limpar o corpo 15.000 profissionais nos Estados
da matéria que causava a doença Unidos. O relativo sucesso da
estranha. homeopatia no século XIX pode ter
levado ao abandono dos tratamentos
ineficazes e nocivos da sangria e purga,
e passaram a ser tendência em direção a
um medicamento mais eficaz e
científico. Uma das razões para o
aumento foi o seu aparente sucesso no
tratamento de pacientes de epidemias
infecciosas. Durante as epidemias do
século XIX, como a cólera, as taxas de

22
mortalidade eram muitas vezes mais
3.2.2. Renascimento no
baixas no hospital homeopático do que
em hospitais convencionais, onde o século XX.
tratamento atual era prejudicial e muitas
vezes tinham pouco ou nenhum efeito no De acordo com Paul Ulrich Unschuld, o
combate à doença. regime nazista na Alemanha ficou
fascinado com a Homeopatia e gastou
Desde a sua criação, no entanto, a
grandes somas de dinheiro para
Homeopatia foi criticada pela
investigar seus mecanismos, mas sem
comunidade científica. Sir John Forbes,
alcançar um resultado positivo.
médico da rainha Victoria, disse em
Unschuld acrescentou que a homeopatia
1843 que doses homeopáticas
nunca mais iria se consolidar nos Estados
extremamente pequenas eram
Unidos, mas continuaria profundamente
consideradas como inútil, um ataque à
enraizada no pensamento europeu.
razão humana. Oliver Wendell Holmes,
médico e escritor americano do século Nos Estados Unidos, a Food, Drug, and
XIX foi também um crítico público da Cosmetic Act (Lei de alimentos,
homeopatia e escreveu um ensaio em medicamentos e cosméticos), 1938
1842 chamado Homeopatia e Enganos (proposto por Royal Copeland, senador
Semelhantes. Em 1867, os membros da por Nova York e Homeopata)
Sociedade Francesa de Homeopatia reconheceu os remédios homeopáticos
observaram que alguns dos principais como medicamentos. Na década de
homeopatas europeus não só 1950, havia apenas 75 profissionais
abandonaram a prática de administrar exclusivamente Homeopáticos no país.
doses infinitesimais, mas já não mais a No entanto, na segunda metade da
defendiam. A última escola americana década de 1970, a homeopatia reviveu e
dedicada ao ensino da homeopatia foi a venda de remédios homeopáticos
fechada em 1920. aumentou dez vezes. Alguns homeopatas
creditam ao grego George Vithoulkas o
seu renascimento, que fez um "grande
esforço de investigação para atualizar o
cenário da Homeopatia e selecionar
teorias e práticas Homeopáticas" a partir
dessa década, mas Ernst e Singh

23
acreditavam que estava associado com o A Homeopatia é menos comum na
aparecimento do movimento da Nova América do Sul e Central do que na
Era. Qualquer que seja a razão, a Europa ou na Ásia, mas ainda bastante
indústria farmacêutica reconheceu o empregado em países como Argentina,
potencial comercial de venda dos Brasil, México, Equador e Colômbia, e
remédios Homeopáticos. está passando por um ressurgimento nos
Estados Unidos. No México existem
A Homeopatia é hoje generalizada na
duas universidades e dois hospitais de
Europa. Na Inglaterra, a Homeopatia foi
Homeopatia. Em 2000, na Argentina
formalizada pelo parlamento em 1950,
existiam médicos que praticam a
embora a família real tenha usado desde
homeopatia e cerca de 3 milhões de
a década de 1830. Existem vários
pessoas usavam remédios homeopáticos.
hospitais Homeopáticos, sendo o maior
Na Colômbia existem atualmente quatro
deles o Hospital Homeopático Real de
instituições que ensinam Homeopatia
Londres. A Alemanha tem atualmente
Unicista e cerca de 1000 médicos que
sete laboratórios, 15 hospitais
praticam a homeopatia.
homeopáticos e 8 associações. Na França
6 escolas médicas oferecem cursos de
3.3. Homeopatia no
graduação orientada para a Homeopatia,
ministrados em todas as escolas de Brasil.
farmácia e veterinária. Na Itália, há cerca
de 2.000 médicos Homeopatas e cerca de No Brasil também cerca de 2.000
20 escolas, há dois laboratórios e pelo médicos usam medicamentos
menos 84 farmácias e cinco revistas são homeopáticos e há pelo menos 10
publicadas. Mas se a Homeopatia é escolas homeopáticas. É atualmente uma
muito popular na Europa, é também na das áreas médicas e farmacêuticas que
Ásia, especialmente na Índia, Paquistão mais crescem no Brasil, devido, em
e Sri Lanka. Na Índia, há mais de 120 particular, às políticas de saúde que
escolas de medicina Homeopática e mais exigem a sua inclusão no Sistema Único
de 100.000 profissionais, e isso em parte de Saúde (Brasil, 2006, 2010).
pelo forte apoio dado por Mahatma
A homeopatia chegou ao Brasil em 1840,
Gandhi.
coube ao médico francês Benoit Jules
Mure, a prioridade de divulgar a

24
homeopatia em nosso país. Porém, foi Esta prática foi reconhecida entre as
relatado que em 1820, imigrantes especialidades médicas regulamentadas
alemães, que se situaram em colônias no em 1979, pela Associação Médica
Sul do Brasil, já a empregavam como Brasileira, em 1980 pelo Conselho
uma medicina caseira. Federal de Medicina. Em 1981, foi
criada a Associação Médica
A expansão da homeopatia no Brasil
Homeopática Brasileira (AMHB). Em
começou com a sua utilização pelos
1990 foi fundada a Associação Brasileira
espíritas, que ajudou a disseminar o
de Farmacêuticos Homeopatas (ABFH).
tratamento junto aos médicos. A partir
do século seguinte passou a ser utilizado Em maio de 2006 foi publicada a portaria
também por agricultores que compravam nº 971 do Ministério da Saúde, que
os remédios através dos mascates. Outra estabelece a Política Nacional de
forma de disseminação nesta época foi Práticas Integrativas e Complementares
através dos terreiros de umbanda, onde (PNPIC) para o SUS. Atualmente, a
os médiuns receitavam os remédios junto Homeopatia é uma opção para os
com o tratamento tradicional. usuários do SUS, uma vez que é
oferecida pela rede ambulatorial de cerca
A partir deste ponto passou a ser
de 113 do total de 5.560 municípios do
disseminada por meio de práticas
país (dados apresentados pela
beneficentes de farmacêuticos, que
Coordenação Nacional da PNPIC em
dispensavam medicamentos
outubro de 2011), que contam com 631
gratuitamente, e de médicos que
homeopatas, sobretudo nas regiões
prestavam assistência filantrópica nos
Sudeste, Centro-Oeste e Sul.
hospitais de ordens religiosas, militares
ou nos consultórios particulares.

25
Unidade 4. Como os

remédios homeopáticos são

feitos

26
toxicidade em doses para uso em
4.1. Matérias primas.
homeopatia.

Cerca de 80% dos remédios


homeopáticos são feitos a partir do
4.1.1. Fontes vegetais.
material bruto de algumas plantas: planta
Abrange fungos, cogumelos, ervas
inteira, cascas, folhas, raízes, frutos,
daninhas, ervas, folhas, flores, caules,
sementes, flores. Mineral: natural ou
cascas, raízes, sementes e também a
industrial. Animal: animal inteiro ou
planta inteira.
sarcódios (secreções de animais).
Bioterápicos (bactérias e suas toxinas) e
substâncias manufaturadas. Muito pouco
são feitos de animais ou material de
doenças. São empregados nos remédios
homeopáticos milhares de substâncias,
tais como: cebola, calêndula, maravilha,
coca, café, sabugueiro, ouro, cobre,
chumbo, ferro, mercúrio, sal do mar,
Figura 5 - Fontes vegetais
óleo, abelha, formiga vermelha, veneno
de cobra, sépia, leite. Para a preparação de tinturas-mãe e
matéria em pós, diferentes partes da
planta são usadas para diferentes
medicamentos. Por exemplo, alguns
medicamentos são preparados a partir da
planta inteira; alguns são preparados a
partir de raízes, algumas das folhas, das
flores, etc.

a) Medicamentos preparados a partir da

Figura 4 - Fontes homeopáticas


planta inteira: Acalypha indica, Aconite
napelus, Arnica montana, Atropha
Algumas em seu estado natural são
belladonna, Chamomilla, Chelidonium
extremamente perigosas para o
majus, Drosera rotundifolia, Dulcamara,
organismo. Porém, perdem toda a sua
Euphratia officinalis, Hyoscyamus niger,
Hypericum nigra, Ledum palustre,

27
Pulsatilla, Tribulus, Ruta graveolens, Berberis vulgaris, Punica granatum,
Alfalfa, Lobelia inflate, Ocimum Hamamelis virginica, Gossypium
sanctum, etc. herbaceum, etc.

b) Raízes: Artemisia vulgaris, Arum h) Folhas: Abroma augusta, Abrotanum,


triphyllum, Bryonia alba, Calotropis Cannabis indica, Ceanothus americanus,
gigantia, Aralia, Ipecacuanha, Paeonia Coca, Digitalis purpurea, Kalmia
officinalis, Rauwolfia serpentina, latifolia, Laurocerasus, Oleander, Rhus
Senega, etc (somente das raízes). Aletris toxicodendron, Tabacum, Thuja
farinose, Apocynum androsaemifolium, occidentalis, etc.
Gentiana lutea, Helonias dioica,
i) Flores: Cina, Calendula officinalis,
Leptendra viginica, Salsaparrilha, etc (a
Eupatorium perfoliatum, Grindelia
partir de raízes e rizomas). Tinospora
robusta, Absinthium, Sambucus nigra,
cordifolia (a partir de raízes e caules).
Rodhodendron, Lupulus, Cytisus
c) Haste: Rhus venenata, Sabina, scoparius, Syringa vulgaris, Crocus
Saccharum officinarum. sativa, etc.

d) Caules modificados (rizomas): j) Esporos: Lycopodium clavatum.


Caulophyllum, Cimicifuga racemosa,
k) Frutos: Agnus cactus, Crataegus
Dioscorea villosa, Filix mas, Gelsimium,
oxyacantha, Viscum album (bagas).
Helliborus niger, Hydrastis, Valeriana
Aesculus hippocastaneum, Aesculus
officinale, etc.
glabra (castanha). Terminalia chebula,
e) Bulbo: Allium cepa, Allium sativum, Apium graveolens, Capsicum, Carica
Colchicum autumnale, etc. papaya, Colocynthis (frutos semi
maduros). Cubeba, Sabal serrulata
f) Troncos: Ostrya virginiana, Quassia
(frutas secas). Ignatia amara (feijões).
amara, Santalum album, etc.
l) Sementes: Avena sativa, Carduus
g) Casca: Alstonia scholaris,
marianus, Hydnocarpus wightiana,
Azadirachta indica, Chinchona
Cocculus indica, Coffea, Nux vomica,
officinalis, Marsdenia cundurango,
Psoralia corylifolia, Schoenocaulon
Jonesia ashoka, Daphne mezereum,
officinale, etc.
Rhamnus frangula, Cinnamomum,
Prunus virginiana, Baptisia tinctoria,

28
m) Ervas: Ledum palustre, Verbascum
thapsus, etc.

n) Algas: Fucus vesiculosus,


Helminthochortos officinatrum, etc.

o) Fungos: Agaricus muscarius, Bovista


etc.

p) A partir de sucos: Aloe socotrina Figura 6 - Apis mellifica

(folhas), Anacardium orientale a) Animais inteiros: Medusa (medusa


(sementes), Ecballium elaterium, vivo), Pediculus (piolho de cabeça),
Myristica sebifera (casca vermelha), Periplaneta americana (barata), Blatta
Opium, Euphrobium (latex resinoso orientalis (barata indiana), Culex
seco), curare (Strychnos toxifera), (Mosquito), Apis melifica (abelha),
Copaiva officinalis (goma resina), etc. Cimex (percevejo), Formica (formiga),
Vespa, etc. Aranhas - Aranea avicularis,
q) Óleo: Croton tiglium (sementes),
Avicularia avicularia (tarântula), Aranea
Ricinus communis (sementes) etc.
diadema, Latrodectus hassati,
Melaleuca leucadendra (folhas e ramos),
Lactrodectus kalipo, Mactans
Calophyllum inophyllum (sementes),
lactrodectus, Tarentula cubensis,
Cinnamomum zeylanicum, Eucalyptus,
Tarantula hispana, Theridion,
Santalum álbum (madeira), etc.
escorpiões, etc. Caracóis - Helix
pomatia, Helix tosta, Asterias rubens,
4.1.2. Fontes animais. etc. Animais inteiros (seco) - Armadillo
officinarum, Cantharis (mosca), Coccus
São derivados de animais ou suas
cacti (cochonilha), Lacerta viridis
secreções ou produtos; abrangendo os
(lagarto verde), etc.
diferentes tipos de vermes, piolhos,
insetos, moscas, caranguejos, sapos, b) Diferentes partes, etc secreção de
cobras. animais: Diferentes partes – Spongia,
Corallium rubrum, badiaga (Spongilla
fluviatilis); Calcarea calcinata, Ova
tosta, Ova gallinae pellicula (conchas);
Gadus lota (a partir de espinha dorsal do

29
peixe); Gadus morrhua (a partir de
4.1.3. Fontes minerais.
vértebra cervical do peixe); Carbo
animalis (pedaço de um couro de boi);
a) Metais: Alumina (Alumínio),
Ingluvin (a partir da moela da galinha);
Argentum nit (prata), Aurum met (ouro),
Sepia (sumo de tinta), Fel tauri (vesícula
Cádmio (Cd), Cobaltum (Co), Cuprum
biliar do boi); Lecithin (a partir de
met (cobre), Ferrum met (ferro), irídio
cérebro animal ou de gema de ovo).
(Ir), Mercurius vivus (Hg), Paládio (Pd),
Platina (Pt), Plumbum met (chumbo),
c) Secreções: Orchitinum (testículo do
Stanum met (estanho), Telúrio (semi-
homem); Ophorinum (a partir de extrato
metal), Zincum met (zinco), Tálio (Th),
de ovário de vaca); Hippomanes (fluido
Vanádio (Vd), etc.
aminiotico de cavalo recem-nascidos);
Moschus (a partir de secreções secas do
almíscar do veado masculino); Morrhuae
Oleum (a partir de óleo de fígado de
bacalhau).

d) Leite e produtos lácteos - Colostrum


(a primeira parte do leite humano);
Caninum Lac (leite da cadela); Lac
Figura 7 - Mercurius vivus
defloratum (leite de vaca desnatado);
Felinum Lac (leite do gato); Lac b) Não metais: Bromo (Br), Iodium
caccinum coagulatum (a partir da (Iodum), Phosphorus (P), Sulphur (S),
coalhada de leite de vaca). etc.

e) Veneno de animais peçonhentos - c) Ácido inorgânico: Ácido bórico,


Escorpiões, Vírus apis, Lattrodectus Ácido bromídrico, Ácido muriático,
mactans, Bufo vulgaris; Ampnisboena Ácido nítrico, Ácido fosfórico, Ácido
vermicularis (venenos de serpente sulfúrico, etc.
lagarto); Crotalus, Crotalus cascavella,
Bungarus krait, Bungarus fascicatus, d) Sais inorgânicos: Baryta carb, Baryta

Elaps corallinus, Lachesis, Vipera berus, mur, Phos calc, Calc carb, Lithium carb,

Lachesis vipera (venenos de cobras Natrum sulph, Kali phos, Ammon mur,

venenosas). Ammon carb, etc.

30
e) Minerais: Anthracinum, Grafites, Thyroidinum (glândulas endócrinas
Hecla lava, Mica, Silicea, etc. inteiras de ovelhas ou bezerro), Vulpis
fel, Orchitinum (testicular), Oophorinum
f) Ácidos orgânicos: Ácido acético,
(a partir de ovários de vaca, ovelha), etc.
Ácido benzóico, Ácido salicílico, Ácido
carbólico, Ácido cítrico, Ácido fórmico,
Ácido láctico, Ácido oxálico, etc.

g) Óleos minerais: Querosene, Parafina,


Petróleo, etc.

h) Destilação de alcatrão de hulha:


Naftaleno.

i) Destilação seca da madeira: Cânfora,


Creosoto, etc.

4.1.4. Sarcódios. 4.1.5. Nosódios.

Os remédios que são preparados a partir


São produtos de glândulas animais e as
de agentes de doenças produzir (como
glândulas endócrinas e pertencem ao
bactérias ou vírus) ou partes doentes dos
reino animal. Os medicamentos são
seres humanos, animais inferiores ou
preparados a partir de glândulas
plantas.
endócrinas saudáveis ou secreções
normais de órgãos humanos e de animais
a) Doença dos seres humanos:
inferiores, as secreções são
Baccilinum (escarro tuberculoso),
principalmente hormônios. Exemplos:
Carcinosine (tecidos cancerosos);
Adrenalinum (secreção saudável
Medorrhinum (vírus da gonorrea),
produzido pelas glândulas supra-renais),
Psorinum (vírus da psoriase),
Cholesterinum, Fel Tauri, Insulina
Syphilinum (germes sifilíticos),
(hormonios pancreáticos), Pancreatinum
Tuberculinum (pus de abscesso
(pâncreas de bovino), Pepsinum (enzima
tuberculoso), Variolinum (pústulas da
digestiva pepsina, do estômago de
varíola), etc.
porco), Pituitária (parte posterior da
glândula pituitária de ovelhas),

31
b) Doença de outros animais: Ambra ímã), Magnetis polus Arcticus (pólo
grisea (produtos mórbidos de baleia), norte de um ímã), Radium, Sol (raios
Anthracinum (antraz do baço de ovinos solares).
ou bovinos afetados), Aviare (vírus da
tuberculina de frango), Hydrophobinum
(saliva de um cão raivoso),
Mallandrinum (gorduras do cavalo), etc.

c) Produtos vegetais doentes: Secale


cornutum Ergot (Claviceps purpurea),
um fungo que causa doença em cereais,
Ustilago maydis (fungo no milho).

Figura 8 - Magnetis polus Arcticus

b) A partir de recursos artificiais:


Magnetis artificialis; Raio X;
Electricitus.

4.1.7. Diluição e
dinamização.

Estas substâncias sofrem dois processos


próprios da homeopatia: diluição e
4.1.6. Energéticos. dinamização. Os medicamentos
homeopáticos são apresentados em
Medicamentos preparados a base de soluções diluídas em água destilada,
energia, disponível a partir de reações álcool, sacarose ou lactose. A quantidade
naturais e físicas. Eles são fonte de de medicamento pode ser expressa em
energia imaterial; podem ser naturais ou peso, volume ou unidade. Por exemplo:
artificiais. Os exemplos são: tabletes, glóbulos, solução
hidroalcóolica e papéis.
a) A partir de recursos naturais: Luna
(lua cheia), Magnetis poli ambão (ímã),
Magnetis polus Austrália (sul-pólo do

32
As substâncias são diluídas ou
potencializadas pela sucussão ou
triturações sucessivas, que representa o
processo de dinamização.

Figura 10 - Sucussão

Figura 9 - Glóbulos de sacarose


Estes medicamentos, quando utilizado
O pó individual é feito a partir de lactose internamente, podem ser usados na
impregnada com o remédio líquido e são forma líquida, como gotas e dose
úteis quando for utilizar um pequeno individual, ou na forma de dosagem
número de doses. Comprimidos e sólida, tais como glóbulos, comprimidos
grânulos são pequenas esferas, compactados e triturados de pastilhas.
usualmente sacarose, que se assemelham Estas formas de dosagem, através da sua
àquelas usadas em decorações de bolo. impregnação, são utilizadas como um
Os primeiros são de aproximadamente 3- veículo para as substâncias derivadas a
4 mm de diâmetro, enquanto que os partir do material fonte.
últimos são muito pequenos, cerca de 0,9
Glóbulos são esferas pequenas, brancos,
milímetros de diâmetro. Os cristais são
ligeiramente porosos, homogêneos e
sacarose e têm a aparência de açúcar
regulares, quase inodoro e com sabor
granulado. Comprimidos moles são
adocicado. São obtidos industrialmente a
comprimidos de lactose que derretem na
partir de açúcar (sacarose) ou grãos que
boca.
são mistura de sacarose e de lactose
(açúcar de leite), através de múltiplos

33
revestimentos, com pesos médios de 30 princípios ativos de plantas, este
mg, 50 mg e 70 mg. Os comprimidos procedimento pode ser usado para
inertes tem uma forma discóide e são produção de preparados homeopáticos. É
obtidas por compressão de lactose, ou mais correto se afirmar que a preparação
uma mistura de lactose e sacarose. Os de produtos (mineral, animal, vegetal ou
triturados de pastilhas são menores do químicos), que serão utilizados em
que os comprimidos compactados e são homeopatia, devam ser chamados
de forma cilíndrica, sendo preparado por preparações ou dinamizações e deixar o
moldagem num molde de lactose conceito de tintura-mãe para ser usado
comprimido. Ambos são branco, apenas em fitoterápicos (produtos de
inodoros e com um sabor ligeiramente tratamento vegetais que têm ingredientes
doce (Farmacopéia Homeopática ativos).
Brasileira, 1997).
A homeopatia não usa ingredientes
ativos para curar, mas formas de energia
4.2. Tintura mãe
obtida por diluição e sucussão.

Para entendermos melhor devemos


conhecer o conceito de dinamização, que
4.2.1. O estoque
é a preparação de uma droga pelo
homeopático.
procedimento de diluição + sucussão (no
caso de substâncias solúveis) ou diluição
O estoque homeopático é definido como
+ trituração (no caso de substâncias
uma forma de dosagem que é feita a
insolúveis).
partir de matérias-primas de origem
vegetal, animal, mineral ou química. Por
exemplo: Calcarea carbônica é uma
droga derivada da concreção calcária de
uma espécie de ostra chamada Ostrea
edulis, que contém carbonato de cálcio e
outros componentes, sendo inteiramente
diferente se fosse obtida a partir de
carbonato de cálcio fornecido pela
Figura 11 - Tintura mãe
indústria farmacêutica. Assim, um
A tintura mãe em sua definição estrita é medicamento obtido a partir de ostras
uma extração hidro-alcoólica de
34
terá características diferentes para o
4.2.2. Remédios feitos a
Calcarea carbônica descrito na Matéria
Médica Homeopática e portanto, o partir de fontes
resultado será diferente para uma pessoa
que espera o efeito homeopático.
vegetais.
Portanto, este produto de origem animal
O método recomendado para a colheita
não pode ser diluído para atingir a sua
das plantas é artesanal, dando prioridade
preparação homeopática deve primeiro
ao aspecto qualitativo sobre o
ser esmagado com os procedimentos
quantitativo. Considerando os princípios
homeopáticos, antes de ser diluído e
homeopáticos cada coisa viva que
sucussionado, o que chamamos de
carrega uma energia vital, deve ser
dinamização. Neste caso, para o
coletada da maneira menos danosa
processamento de remédios a partir de
possível, para que essa energia possa ser
animais, minerais ou químicos, por
transmitida sem sofrer alterações. A
vezes, tem que ser feito a trituração
colheita é feita geralmente durante o
homeopática. Se começarmos a partir de
período de floração, quando as plantas
um vegetal, ai sim podemos energizar
estão na sua força máxima. A porção
em soluções de álcool ou outro solvente.
cortada deve ser colocada em contato o
mais rápido possível com uma mistura de
água e álcool, para evitar desidratação.

O primeiro passo é criar o que é chamado


tintura-mãe do material bruto coletado a
partir de uma planta específica. A tintura
feita a partir de uma planta é processada
por maceração da planta inteira ou da

Figura 12 - Ostrea edulis


parte específica da planta. Em seguida,
deixa-se a tintura de molho em uma
solução de água e álcool por algum
tempo.

Esta planta macerada com mistura de


álcool 70% (70% de álcool etílico e 30%
de água) é armazenada em um local

35
escuro para evitar que a luz cause
4.3. Potenciação através
alteração nas propriedades químicas.
Esta maceração deve durar o tempo da sucussão.
suficiente para extrair completamente as
propriedades da planta para a solução de Uma gota da tintura-mãe é colocada num
água e álcool. A água absorve as frasco e, em seguida, nove gotas de um
propriedades químicas do material material diluente são adicionadas (mais
vegetal triturado ao longo do tempo. O uma vez em uma solução de álcool e
álcool é usado principalmente como um água). Esta mistura é agitada por impacto
adstringente para ajudar a retirar as (sucussão). Apenas a diluição do
substâncias da planta e como material é ineficaz para fazer os
conservante de modo que o material remédios homeopáticos. Cada diluição
vegetal não apodreça, ou seja atacada por deve ser agitada cem vezes
bactérias. violentamente com impacto a fim de se
tornar um remédio eficaz. A sucussão
pode ser tão simples como segurar o
vidro contendo a solução e bate-lo contra
um livro sobre uma mesa. Esta é a
primeira diluição ou primeira potência
(CH1). Para fazer uma potência (CH2)
deve-se usar uma parte da potência
(CH1) novamente adicionando uma
Figura 13 - Maceração parte a nove partes da solução de
Quando pronto esta mistura é filtrada do diluição (álcool e água) em um novo
material vegetal residual (celulose), frasco de vidro com uma tampa e em
deixando uma solução saturada tingida seguida, agitar novamente. Sucussão é
com as propriedades químicas da planta feita com um mínimo de 100 vezes para
de origem. Esta solução é agora chamada cada nível de diluição desde o início.
de tintura mãe. Em seguida essa solução Este processo continua até que a potência
está pronta para ser processada ou desejada (resistência) do remédio seja
potencializada. atingida.

A diluição principal é de 1 parte do


soluto para 99 partes do solvente. Logo a

36
6
concentração do soluto na solução, será é uma parte da tintura-mãe original para
de 1:100 ou 0,01 ou 10−2. Na um milhão de partes do material de
homeopatia, é conhecido por 1C, C1, diluição. Assim, apenas uma parte da
1CH ou CH1, que se lê 1ª concentração tintura-mãe original está em cada milhão
(diluição ou potência) centesimal de partes do material de diluição. Isto é o
hahnemanniana. que faz com que esse remédio seja
extremamente seguro. Essa solução não
pode toxicologicamente prejudicar
ninguém. No entanto, é eficaz, por vezes
agindo mais forte e mais rápido que as
drogas comuns. O que está acontecendo,
no entanto, não é o efeito do remédio, é
o sistema imunológico e seus processos
de energia do corpo que estão
respondendo.
Figura 14 - Dinamização ou sucussão

Quando é utilizada diluição na forma X


ou M, estas são feitas usando o mesmo
método, apenas o número de gotas é
alterado.

X = 1: 9

C = 1: 99
A diluição é tão pequena que não pode
M = 1: 999
ajudar o organismo a fazer qualquer
coisa. Ela só pode indicar ao seu corpo a
opção de mudar ou não. Está provado

4.3.1. Potências comuns que os nossos organismos produzem e se


comunicam com quantidades
e sua falta de
infinitesimais de produtos químicos e
toxicidade.
compostos orgânicos.
Potências comuns usados em remédios
homeopáticos geralmente começam em
torno de 10-6. A razão de diluição de 10-
37
porcelana, raspador, recipiente de
4.4. A potenciação por
armazenamento e um saco plástico.
trituração.
A trituração é utilizada para as 1º Passo: Comece por moagem de uma

substâncias sólidas, insolúveis, que não parte da substância com 33 partes do

podem ser maceradas. A trituração é uma açúcar do leite (lactose) no tempo de 6 -

moagem junto com a substância que está 7 minutos com o almofariz e pilão. Raspe

diluindo o material (açúcar em pó) em o pó que fica aderido nos lados do

um almofariz ou pilão. Este processo de almofariz e pilão durante 3 - 4 minutos

trituração é feito para substâncias duras de modo que este seja devolvido à

com diluição 9C. mistura e, em seguida, repita o processo


de moagem mais 6 - 7 minutos.
Hahnemann em 1989 colocou 1 gota do Novamente raspe o pó aderido nos lados
suco com a mesma quantidade de do almofariz e pilão durante 3 - 4
lactose, triturando até a milionésima. minutos de modo que seja devolvido à
Assim 1 grão foi dissolvido em partes mistura.
iguais de água e álcool, e dinamizado em
27 frascos, com 2 sucussões. A 2º Passo: Adicione outras 33 partes do

experiência mostrou que o suco parece açúcar do leite (lactose) e repita o

adquirir mais dinamização quando processo de moagem durante mais 6 - 7

triturado. minutos. Raspe o pó que fica aderido nos


lados do almofariz e pilão durante 3 - 4
minutos de modo que este seja devolvido
à mistura e, em seguida, repita o
processo de moagem por mais 6 - 7
minutos. Novamente raspe o pó aderido
nos lados do almofariz e pilão durante 3
- 4 minutos de modo que seja devolvido
à mistura.

Figura 15 - Potenciação por trituração 3º Passo: Adicionar as 33 partes finais do


açúcar do leite (lactose) para a mistura
Coletar uma parte da substância que você
do almofariz e repetir o processo de
deseja triturar, 99 partes de açúcar do
moagem durante mais 6 - 7 minutos.
leite (lactose), um almofariz e pilão de
Raspe o pó que fica aderido nos lados do

38
almofariz e pilão durante 3 - 4 minutos Limpe o almofariz, o pilão, e o raspador
de modo que este seja devolvido à para eliminar quaisquer resíduos
mistura e, em seguida, repita o processo energéticos antes de outra trituração, em
de moagem por mais 6 - 7 minutos. seguida lavar com água morna e, fervê-
Novamente raspe o pó dos lados do los por meia hora. Como precaução
almofariz e pilão durante 3 - 4 minutos extra, a ebulição pode ser acompanhada
de modo que seja devolvido à mistura. da colocação dos materais em um forno
muito quente por 30 minutos. É preciso
Estes passos 3 demoram
um total de 3 horas para transformar uma
aproximadamente 1 hora, após o que a
substância insolúvel bruta em forma de
substância deverá ter sido triturada a uma
um pó solúvel 3C por trituração. Fonte:
potência 1C.
http://homeopathyplus.com

4º Passo: Repita os passos acima mais 2


Quando partimos de um vegetal ou
vezes, utilizando uma parte do pó
animal, podemos triturá-lo, porém
previamente triturado como sua
usualmente preparamos uma tintura, isto
"substância", para produzir uma primeira
é, uma extração alcoólica da substância.
2C e, em seguida, uma potência 3C. A
Como esta tintura será diluída e dará
substância insolúvel original agora vai se
origem às dinamizações (seus - filhotes -
tornar solúvel e se dissolverá, se
), ela é chamada de tintura-mãe. A
colocado em um líquido. Coloque o pó
tintura-mãe é feita colocando-se a
em um recipiente rotulado 3C e
substância em contato com solução
armazene afastado da luz solar direta.
alcoólica de graduação adequada para
que os princípios ativos da planta sejam
Potências mais elevadas.
retirados, passando para a solução. É o
Para fazer potências superior a 3C, basta mesmo princípio das populares -
adicionar uma parte do pó 3C a 99 partes garrafadas -. Chama-se - tintura - porque
de uma mistura de água e álcool e extrai também princípios ativos
sucussionar 10 vezes para produzir uma coloridos, formando um líquido
potência 4C. Este processo de colorido. As tinturas são usadas de forma
dinamização pode ser repetido várias pura, porém para Homeopatia, são
vezes para produzir potências maiores. diluídas em soluções hidroalcoólicas e
agitadas, isto é, dinamizadas.
Limpando os materiais.

39
Os líquidos, cremes, géis, pellets, ou também os processos através dos quais
comprimidos. uma matéria-prima é transformada em
uma droga e o produto acabado até que
Os remédios homeopáticos em seus
seja utilizado pelo paciente. Uma das
produtos finais podem vir em líquidos,
funções mais importantes do controle de
cremes, géis, pellets ou na forma de
qualidae é estabelecer as especificações
comprimido. O remédio já se encontra na
para as matérias-primas, materiais de
sua forma líquida, quando processados.
embalagem, produtos intermediários e
Para cremes e géis o remédio pode ser
produtos acabados para garantir a
facilmente adicionado a qualquer creme
qualidade.
ou gel base. Pellets são feitos de sacarose
cristalizada que é o açúcar. O açúcar faz
com que o remédio homeopático fique
doce e desejável. A solução na sua forma
líquida tem de ter pelo menos 87% de
álcool, a fim de ser pulverizada sobre o
açúcar dissolvendo-o. A forma de
comprimido é mais suave e feita de
lactose (açúcar do leite) e o remédio é A qualidade depende dos materiais
compactado na forma de tablet. inertes e as técnicas empregadas para a
sua preparação. Existem duas referências
4.5. Qualidade oficiais para o preparo de medicamentos
homeopáticos, no nível industrial ou
O controle de qualidade é um
farmacêutico. Um dos documentos é a
procedimento normal para fornecer os
Farmacopeia Homeopática Brasileira,
medicamentos convencionais para os
1997, outro é o Manual de Normas
pacientes. Não é apenas um
Técnicas para Farmácia Homeopática.
procedimento de laboratório, mas

40