Você está na página 1de 2

BALCÃO DE REDAÇÃO

Tema 10 – 2019 ENEM | PERÍODO DE 22 A 28 DE ABRIL

DESAFIOS DA VACINAÇÃO NO BRASIL

PROPOSTA DE REDAÇÃO Texto 2  

A partir da leitura dos textos motivadores a seguir e com base Qual a importância da hesitação vacinal na
em seus conhecimentos e reflexões, redija um texto dissertativo- queda das coberturas vacinais no Brasil?
-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa [...]
sobre o tema A importância e os desafios da vacinação no Brasil,
apresentando proposta de intervenção para o problema levantado.
Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argu-
mentos e fatos para a defesa do seu ponto de vista.

Texto 1  

Brasil é referência mundial em produção


de vacinas
A vacinação é uma das estratégias de política pública mais
eficazes para a prevenção de infecções e epidemias. O Brasil tem mais
de 36 mil salas de vacinação espalhadas por todo o país, que aplicam,
por ano, 300 milhões de imunobiológicos.
A marca coloca o país como um dos que mais oferecem vacinas
pela rede pública de saúde. E o processo de produção é referência
internacional, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde
(Opas).
Além de distribuir 25 tipos de vacinas gratuitamente, o país
ainda exporta doses para mais de 70 países, sobretudo africanos. No
Brasil, as doses são produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz e pelo
Instituto Butantan. O país já é autossuficiente na produção de insumos
imunobiológicos.
[...]
Portal Brasil. Brasília, 21 set. 2017. Disponível em:
<www.brasil.gov.br/noticias/saude/2017/09/brasil-e-referencia-mundial-
em-producao-de-vacinas>.*

www.poliedroeducacao.com.br página 1
BALCÃO DE REDAÇÃO – TEMA 10 – 2019

O levantamento Saúde Brasil 2018 [...] aponta que a prevalên-


cia do HPV no Brasil foi de 53,6%, sendo o HPV de alto risco para
o desenvolvimento de câncer presente em 35,2%. O estudo avaliou
7.693 pessoas sexualmente ativas entre 16 e 25 anos.
[...]
Mariana Tokarnia; Fábio Massalli (Ed.). Agência Brasil. Brasília,
18 fev. 2019. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/
noticia/2019-02/fake-news-sao-empecilho-para-aumento-da-vacinacao-
contra-hpv>.*

*Todos os links foram acessados em: 4 abr. 2019.

ORIENTAÇÕES PARA O ALUNO

Você poderá rascunhar sua redação previamente, no entanto o


texto definitivo a ser entregue para o professor deverá ser escrito à
tinta e possuir um limite de 8 a 30 linhas.
Lembramos ainda que sua redação deverá ser autoral e que
os textos motivadores foram apresentados apenas para despertar
[...] os seus conhecimentos sobre o tema. Portanto, é proibida a cópia
Ana Paula Sayuri Sato. Revista de Saúde Pública. São Paulo: FSP-USP. desses textos.
2018. Disponível em: <www.scielo.br/pdf/rsp/v52/pt_0034-8910- A redação poderá receber nota 0 (zero) caso: não atenda à
rsp-52-87872018052001199.pdf>.* proposta solicitada; não possua estrutura textual correspondente
à dissertativo-argumentativa; não apresente qualquer texto escrito
Texto 3   na folha de redação; apresente somente até 7 linhas de conteúdo;
e/ou apresente impropérios, desenhos e outras formas propositais
Fake News são empecilho para aumento da de anulação, como a inserção de partes deliberadamente desco-
vacinação contra HPV nectadas com o tema proposto.
As notícias falsas, chamadas fake news, são empecilho para o
aumento da cobertura vacinal do HPV, de acordo com o Ministério
da Saúde. [...] Bom trabalho!
[...] Professora Sônia Tomita Limeira
O problema das fake news não é apenas do Brasil. No início
do mês, o Centro Internacional de Pesquisas sobre o Câncer (CIIC)
vinculado à Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgou um
comunicado alertando para o problema e afirmando que a vacina
é segura e indispensável para eliminar o câncer de colo do útero.
O HPV é uma doença transmitida pelo papiloma, vírus humano
que causa cânceres e verrugas genitais, atingindo meninos e meni-
nas. A vacina só é administrada na adolescência, daí a importância
da conscientização.
[...]
De acordo com a pasta, entre 2014 e 2018, foram vacina-
das na faixa etária de 9 a 14 anos, 5,9 milhões de meninas com a
segunda dose da vacina, o que representa 49,9% do público-alvo.
Em relação à primeira dose, a cobertura vacinal nas meninas
é de 70,3%. Já entre os meninos, a cobertura é de 20,1% do
público-alvo.
[...]

www.poliedroeducacao.com.br página 2