Você está na página 1de 18

22

Escola Abrangência Aspectos Características


Literária Históricos

Entre 1870 e O Naturalismo As principais


1893 em Portugal tem características do
início na década naturalismo em
de 1875 com a Portugal são:
publicação da -Objetividade e
obra de “O Crime Materialismo
do Padre Amaro” -Cientificismo e
(1875) de Eça de Determinismo
Queirós. -Positivismo e
Embora ele seja Darwinismo
mais citado como -Linguagem simples
escritor realista, a e coloquial
obra de Eça -Descrições
Naturalismo abrange diversas minuciosas
em Portugal características do -Realidade e
naturalismo. denúncia social
Além de ter sido -Temas polêmicos
um movimento -Leis na natureza
literário, o -Paisagens rurais
naturalismo teve -Instinto humano
grande influência -Homem como
nas artes plásticas produto biológico
e no teatro. -Personagens
É, portanto, uma marginalizados
tendência estética, -Negação dos
que muitas vezes aspectos
está unida ao românticos
realismo, ou seja,
pode ser
considerada uma
ramificação deste.

Tem como marco Sua chegada as -Linguagem


inicial a terras tupiniquins coloquial
publicação do se deu no final do -Observação da
romance “O século XIX. Os realidade
Mulato” em 1881 escritores -Retrato objetivo da
do escritor brasileiros sociedade
Naturalismo no maranhense abordaram a -Evolucionismo,
Brasil Aluísio de realidade social cientificismo e
Azevedo. brasileira, positivismo
destacando a vida
23

nos cortiços, o -Descrição de


preconceito, a ambientes e
diferenciação personagens
social, entre -Problemas
outras questões e humanos e sociais
temas.
Teve início na O marco -Rejeição ao
França, no final do Simbolismo cientificismo,
do século XIX em Portugal é a materialismo e
publicação da racionalismo
obra Oaristos (189 -Manifestações
0), livro de metafísicas e
poemas de espirituais;
Eugênio de -Negação ao
Simbolismo Castro. naturalismo;
O movimento -Exaltação à
em Portugal
literário, contudo, realidade subjetiva;
já influenciava -Sublimação
Portugal a partir Subjetivismo;
das revistas -Uso de Sinestesias
acadêmicas "Os e aliterações
Insubmissos" e Musicalidade;
"Boêmia Nova"
que tinham entre
seus
colaboradores os
autores Eugênio
de Castro e
Antônio Nobre.
O Simbolismo
prolonga-se até a
Proclamação da
República, em
1910, sob a
influência da nova
realidade política.
O fim do
movimento ocorre,
porém, em 1915,
no meio da
Primeira Guerra
Mundial, o marco
cronológico do
Modernismo em
Portugal.
24

O simbolismo Surgiu em 1893 -Não-racionalidade


no Brasil surge trazendo em suas -Subjetivismo,
em 1893, com a obras temas do individualismo e
publicação de sentimento imaginação
"Missal" e humano como -Espiritualidade e
"Broquéis", de sensibilidade, transcendentalidade
Simbolismo no Cruz e Souza, espiritualidade, -Subconsciente e
Brasil considerado o misticismo, inconsciente
maior religiosidade, -Musicalidade e
representante do morte, a solidão e misticismo
movimento no o amor.
país, ao lado de
Alphonsus de
Guimarães.

Teve início em Vale lembrar que o -Linguagem objetiva


1838 e foi até parnasianismo foi e impessoal
1919 um movimento -Descrição visual
literário, -Estilo ornado e
especialmente culto
poético, com -Preocupação com
origens no século a estética
XIX, na França. -Perfeição formal
Oposto aos ideais -Metrificação e
românticos, ele versificação
surge numa época -Preciosismo
de profundas (palavras e rimas
transformações da raras)
sociedade -Espírito científico
europeia com o -Temas da
Parnasianismo avanço realidade cotidiana
tecnológico, -Valorização dos
em Portugal
descobertas temas clássicos
científicas e a -Preferência pelas
revolução formas poéticas
industrial inglesa. fixas (soneto)
Os poetas
parnasianos
franceses que
mais se
destacaram foram:
Théophile Gautier
(1811-1872),
Leconte de Lisle
(1818-1894),
Théodore de
Banville (1823-
25

1891) e José Maria


de Heredia (1842-
1905)

Parnasianismo Teve como Esta escola -Arte pela arte


no Brasil marco inicial a nasceu em meio -Objetivismo e
publicação da ao contexto da universalismo
obra "Fanfarras", abolição da -Cientificismo e
de Teófilo Dias, escravatura, positivismo
em 1882 da proclamação da -Temas baseados
república no Brasil na realidade
e do fim do regime (objetos e
militar, sendo paisagens), fatos
todos esses fatos históricos, mitologia
ligados à grega e cultura
liberdade, à clássica
mudança, -Busca da perfeição
exercendo -Sacralidade e o
influência direta culto à forma
sobre as obras -Preocupação com
parnasianas. a estética,
metrificação,
versificação
-Utilização de rimas
ricas e palavras
raras
-Preferência por
estruturas fixas
(soneto)
-Descrição visual
bem detalhada

Autores do Naturalismo

Júlio César Ribeiro Vaughan nasceu em 10 de abril de 1845 na cidade de


Sabará (Minas Gerais). Estudou no Colégio Baependiano e posteriormente na
Escola Militar, mas não concluiu já que abandonou para dedicar-se ao magistério
livre. Faleceu em São Paulo em 1890 com Tuberculose. Sua carreira foi bem
promissora em São Paulo como professor, jornalista e escritor. Fez parte da
Academia Paulista de Letras, funda e dirige o jornal O Sorocabano, como escritor
foi muito polêmico. Uma de suas maiores polêmicas foi o livro A carne, que
inicialmente escandalizou a sociedade, o livro em seu contexto mostra indícios
claros de brutal escravidão, o divórcio, amores livres do catolicismo, o novo papel
da mulher na sociedade e uma obra bem característica do naturalismo.
26

Obras:
● O Padre Belchior de Pontes
● A Carne
● Cartas sertanejas
● Assassinatos na Rua Morgue
● Uma polêmica Célebre
Trecho de uma obra:

‘’Uma tarde, achando-se


só em sua sala, Lenita sentiu-se
tomada de uma languidez
deliciosa, sentou-se
na rede, fechou os olhos e entregou-se
à modorra branda que
produzia o balanço.’’

Aluísio Tancredo Gonçalves de Azevedo nasceu em 14 de abril de 1857 em


São Luís (MA). Aluísio ingressou na Academia Imperial de Belas Artes no Rio de
Janeiro quando terminou os estudos no Liceu de Maranhão, Durante a época
em que viveu na cidade carioca começou a trabalhar sob encomenda. Viveu
durante muitos anos, cerca de quinze, através de suas publicações. Por este
motivo, sua obra literária é vasta e de valores diferenciados, O autor morreu em
Buenos Aires quando exercia o cargo de agente consular nesta cidade, em 21
de janeiro de 1913.
Obras :
● O mulato
● O cortiço
● O coruja
● Casa de pensão
● O homem
Trecho de uma obra :
27

"E seu tipo baixote, socado, de cabelos à escovinha, a barba sempre por fazer,
ia e vinha de pedreira para a venda, da venda para as hortas e ao capinzal,
sempre em mangas de camisa, tamancos, sem meias, olhando para todos os
lados, com o seu eterno ar de cobiça, apoderando-se, com os olhos, de tudo
aquilo de que ele não podia apoderar-se logo com as unhas".

Emília Bandeira de Mello foi uma das únicas representantes femininas da


estética naturalista da literatura em nosso país. Primeiro abraçou a escrita por
prazer, depois pela necessidade financeira. E o fez com tanta propriedade que,
ao morrer em 1910, era a colunista mais bem paga do periódico O País. Foi uma
das escritoras pioneiras na luta pela educação da mulher e por seu valor na vida
laboral. Não teve receios naquela época em ser a favor do divórcio. Apesar disso,
não se mobilizou em relação ao sufrágio feminino. Sua obra mais famosa é A
luta, livro de estética naturalista que foi publicado pela H. Garnier em 1911.
Anteriormente fora publicado em folhetim pelo Jornal do Comércio em 1909.

Obras:
● Gradações
● Um drama na roça
● Almas complexas
● A luta
● Crônicas

Trecho de uma obra:


‘’Casava-se a Celina, filha mais velha da D. Adozinda Ferreira, quarentona bem
conservada, e todo o velho e pequeno hotel familiar para convalescentes: Aos
belos ares! debruçado à beira do morro de Santa Teresa, como a mirar a
esplêndida vista da cidade, em baixo, aparecia rejuvenescido e embelezado pela
abundância de festões de flores e galhadas verdes, com que o iam enfeitando
alegremente algumas criadas vestidas com garridice espaventosa, rindo com os
hóspedes mais íntimos que as ajudavam.’’
Autores do Simbolismo
João da Cruz e Sousa nasceu em 24 de novembro de 1861, em Florianópolis
(SC). Era filho de ex-escravos ficou sob a proteção dos antigos proprietários de
seus pais, após receberem alforria. Por este motivo, recebeu uma educação
exemplar no Liceu Provincial de Santa Catarina. Além disso, o sobrenome Sousa
é advindo do ex patrão, o marechal Guilherme Xavier de Sousa, o que demonstra
o afeto do mesmo para com os pais do futuro autor. Seus textos eram carregados
de erotismo misticismo; apresentavam uma visão trágica da vida. Cruz e Sousa
faleceu aos 36 anos, em 19 de março de 1898, vítima do
28

agravamento no quadro de tuberculose.

Obras:
● Tropos e Fantasias
● Missal e Broquéis
● Evocações
● Faróis
● Últimos Sonetos

Trecho de uma obra :


‘’Mais claro e fino do que as finas pratas
o som da tua voz deliciava…
Na dolência velada das sonatas
como um perfume a tudo perfumava.’’

Eugênio de Castro foi um poeta e autor dramático, nascido a 4 de março de


1869, em Coimbra, e falecido a 17 de agosto de 1944, na mesma cidade.
Formado pela Faculdade de Letras de Coimbra, aí viria a desempenhar funções
docentes e diretivas. É ainda durante os estudos académicos que funda, em
1889, com João Menezes e Francisco Bastos, a revista Os Insubmissos, criada
com um intuito deliberado de rivalizar com a revista académica Boémia Nova ,
recém lançada por Alberto de Oliveira e António Nobre. Na polémica entre as
duas publicações serão colocadas questões de versificação (o problema da
cesura do alexandrino) que, se não têm a ver diretamente com o Simbolismo,
contribuirão para uma nova consciência da linguagem poética, afim das
premissas daquele movimento, cuja emergência é usual datar-se de 1890, data
da publicação do volume poético Oaristos de Eugénio de Castro.

Obras:
● Tropos e Fantasias
● Missal e Broquéis
● Evocações
● Faróis
● Últimos Sonetos
29

Trecho de uma obra :


‘’Na messe, que enlourece, estremece a quermesse...
O sol, o celestial girassol, esmorece...
E as cantilenas de serenos sons amenos
Fogem fluidas, fluindo à fina flor dos fenos…
As estrelas em seus halos
Brilham com brilhos sinistros...
Cornamusas e crotalos,
Cítolas, cítaras, sistros,
Soam suaves, sonolentos,
Sonolentos e suaves, ‘’

Autores do Parnasianismo
Antônio Mariano Alberto de Oliveira nasceu em Palmital de Saquarema, Rio
de Janeiro, em abril de 1857. Seus primeiros estudos foram realizados em escola
pública. Formou-se em Farmácia em 1884, freqüentou o curso de Medicina, no
qual conheceu Olavo Bilac, porém, ambos abandonaram a faculdade. Alberto de
Oliveira seguiu sua carreira de farmacêutico e casou-se,
em 1889, com Maria da Glória Moreira, com quem teve um filho. Seu primeiro
livro “Canções Românticas” é um compilado de poesias, publicado em 1878, com
propriedades ainda românticas, porém, com indícios de temática parnasiana. O
Parnasianismo esteve intrínseco em suas obras a partir das novas publicações,
o que o levou a ser considerado o mestre desta estética literária. O estilo
parnasiano regozijava-se na estrutura descritiva e na exaltação da forma rígida
oriunda da Antiguidade Clássica no culto da “arte pela arte”.
Obras:
● Canções românticas ,
● Meridionais ,
● Sonetos e poemas ,
● Versos e rimas .
30

Trecho de uma obra :


‘’Estranho mimo aquele vaso! Vio,
Casualmente, uma vez , de um perfumado
Contador sobre o mármore luzidio,
Entre um leque e o começo de um bordado.
Fino artista chinês, enamorado,
Nele pusera o coração doentio
Em rubras flores de um sutil lavrado,
Na tinta ardente, de um calor sombrio.
Mas, talvez por contraste à desventura,
Quem o sabe?... de um velho mandarim
Também lá estava a singular figura.
Que arte em pintá-la!
A gente acaso vendo-a,
Sentia um não sei quê com aquele chim
De olhos cortados à feição de amêndoa .’’
Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac nasceu em dezembro de 1865 no
Rio de Janeiro. Incentivado pelo pai cursou Medicina, mas abandonou o curso
no último ano. Iniciou o curso de Direito em São Paulo, contudo, foi outra
faculdade que não conseguiu finalizar. A partir de então, o escritor dedicou-se
ao jornalismo e à literatura. Bilac teve uma vida voltada à participação na vida
política, o que não o influenciou na subjetividade de sua literatura. Em sua
militância, iniciou campanhas cívicas a favor da alfabetização e serviço militar
obrigatório. Viveu uma vida solitária de muitas viagens à Europa, o que
possivelmente o fez refletir sobre a realidade sócio-política do Brasil, ao
comparar as transformações entre os países. O poeta faleceu em dezembro,
dois dias depois de completar 53 anos, em 1918 na sua cidade natal.
Obras:
● Via Láctea ,
● Sarças de fogo ,
● Alma inquieta ,
● O Caçador de esmeraldas ,
● Tarde .
Trecho de uma obra :
31

"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo


Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las,
muita vez desperto,
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E ao vir do Sol, saudoso e em pranto
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Têm o que dizem, quando estão contigo?"
E eu vos direi: "Amai para entende-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."
32

ESCOLA ABRANGÊNCIA ASPECTOS PRINCIPAIS


LITERÁRIA HISTÓRICOS CARACTERÍSTICOS
NA EUROPA Liberdade de criação e
expressão;
Teve início na Começou a
Individualismo;
Europa no final constituir-se naValorização das
do século XVIII, Inglaterra a sociedade emoções;
Terminando em industrial. Passou-se Nacionalismo;
1881 bruscamente doEscapismo / fuga da
sistema doméstico ao realidade;
sistema fabril dePessimismo;
produção, livre-
Valorização da natureza;
iniciativa, o Religiosidade;
Individualismo Idealismo.
econômico e o
liberalismo político, GERAÇÕES
estimulando também o
ROMANTISMO nacionalismo 1° GERAÇÃO
Índio como
NO BRASIL herói. Figura do “bom
selvagem”;
Teve início em Exaltação de nossas
1808, com a chegada paisagens naturais e de
da família real. É a nossa pátria;
primeira escola literária
do Brasil que assume 2° GERAÇÃO
maior Individualismo /
O sentimento Egocentrismo;
nacionalista passa a Morte como refúgio;
ser expresso na arte, Idealização do amor
ressaltando perfeito;
principalmente a figura Pessimismo;
do índio Saudade da infância.

EM PORTUGAL 3°GERAÇÃO
Abordagem das
Em Portugal o questões sociais,
Romantismo surgiu em principalmente
meio a uma grande acerca da abolição da
agitação política. Em escravatura;
1808 a corte de D. João Linguagem enfática;
VI se transfere para o Defesa dos escravos;
Brasil, Erotismo;
ameaçada pelas tropas
de Napoleão
Bonaparte.
33

NA EUROPA. Realidade como


fundamento;
Antirromântico, que Temas do cotidiano,
agora a subjetividade egoísmo, adultério;
era substituída pela Destaque da classe
clareza e objetividade, trabalhadora nas obras;
O amor exposto em sua Verossimilhança, ou seja,
forma real, com suas aproximação da
imperfeições e realidade;
Peripécias. Descrição, análise e
crítica da socidade;
Ausência do heroísmo e
EM PORTUGAL da melancolia tipicamente
românticos;
Em Portugal, o Fiel retratação das
Realismo teve início em personagens, excesso
1865, em meio à de
Questão Coimbrã e às detalhes;
O Realismo Conferências do Objetividade;
surgiu na Europa, Cassino, sendo essa Mulher, amor e
mais última a que realmente sentimentos tratados de
precisamente na consolidou as forma real, não mais
França, no final características idealizada;
REALISMO do século XIX. Realistas em Portugal. Personagens analisadas
terminou em 1893 psicologicamente;
NO BRASIL Enredo em 3ª pessoa
onisciente, imparcial e
No Brasil o impessoal. Visão
Realismo foi instituído generalizada.
entre 1850, a partir da
decadência da
economia açucareira, e
1881, com a
publicação das obras
“Memórias Póstumas
de Brás
Cubas”, do principal
nome do Realismo
brasileiro Machado de
Assis, e “O Mulato”, de
Aluísio de Azevedo,
considerada
Naturalista.
34

Autores do Romantismo
Almeida Garrett (1799-1854): Nasceu na cidade do Porto (Portugal) em
1799 e morreu em 1854, na cidade de Lisboa. Seus romances possuíam um
forte caráter dramático. Participou também da política, escrevendo sobre este
tema. Produziu textos históricos, críticos e diplomáticos. Possuía um talento
flexível para escrever, imprimindo em suas obras uma notável individualidade,
elegância e originalidade.
Embora tenha se dedicado a vários gêneros literários, foi na poesia e no
teatro que mais ganhou destaque. Suas obras “Camões” e “Frei Luis de Sousa”
ganharam grande importância no mundo literário. Até os dias atuais é um dos
escritores, do século XIX, mais lidos em Portugal.
Principais obras:
Camões
Dona Branca
Flores sem fruto
Folhas caídas
Viagens na minha terra
O Arco de Santana
Catão
Um Auto de Gil Vicente
O Alfageme de Santarém
Frei Luís de Sousa
Trecho de obra:
Esta é a ditosa pátria minha amada,
À qual se o céu me dá que eu sem perigo
Torne com esta empresa já acabada.
Acabe-se esta luz ali comigo .
Lusíadas
Saudade! gosto amargo de infelizes,
Delicioso pungir de acerbo espinho,
Que me estás repassando o íntimo peito
Com dor que os seios d’alma dilacera,
Mas dor que tem prazeres Saudade!
35

Misterioso númen, que aviventas


Corações que estalaram, e gotejam
Não já sangue de vida, mas delgado
Soro de estanques lágrimas Saudade!
Mavioso nome que tão meigo soas
Nos lusitanos lábios, não sabido
Das orgulhosas bocas dos Sicambros
Destas alheias terras Oh
Saudade!
Mágico númen que transportas a alma
Do amigo ausente ao solitário amigo,
Do vago amante à amada
Alexandre Herculano (1810-1787)
Alexandre nasceu em Lisboa no dia 28 de março de 1810 e atuou em sua
vida como historiador, jornalista, romancista e poeta. Ele estudou lógica, latim e
retórica no Palácio das Necessidades e, um pouco mais tarde, estudou
matemática, na Academia da Marinha Real, com a intenção de seguir a carreira
comercial, contudo foi na literatura que se destacou.
Os temas que predominavam nas suas obras eram as origens de
Portugal, pois ele era fascinado com a história do seu país. Chegou a travar
polêmica com o clero em busca de liberalidades para a sociedade portuguesa,
mas mesmo com as discórdias não chegou a ter grandes problemas com as suas
publicações.
Principais obras:
A Voz do Profeta
A Harpa do Crente
Poesias
O Fronteiro de África ou três noites aziagas
Os Infantes em Ceuta
O Pároco de Aldeia (1825) – 1851
O Galego: Vida, ditos e feitos de Lázaro To
O Bobo
O Monasticon
Eurico, o Presbítero: Época Visigótica
36

O Monge de Cister; Época de D. João I


Lendas e narrativas
O Alcaide de Santarém
Arras por Foro de Espanha
O Castelo de Faria
A Abóbada
Destruição de Áuria: Lendas Espanholas
Trecho de obra:
Tíbio o sol entre as nuvens do ocidente,
Já lá se inclina ao mar. Grave e solene
Vai a hora da tarde! O oeste passa
Mudo nos troncos da alameda antiga,
Que à voz da Primavera os gomos brota:
O oeste passa mudo, e cruza o átrio
Pontiagudo do templo, edificado
Por mãos duras de avós, em monumento
De uma herança de fé que nos legaram,
A nós seus netos, homens de alto esforço,
Que nos rimos da herança, e que insultamos
A Cruz e o templo e a crença de outras eras;
Nós, homens fortes, servos de tiranos,
Que sabemos tão bem rojar seus ferros
Sem nos queixar, menosprezando a Pátria
E a liberdade, e o combater por ela.

Autores do Realismo

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839 no Rio de


Janeiro e morreu na mesma cidade em 1908. Mestiço e de origem humilde (tinha
apenas o primário), alcançou alta posição como funcionário público e ganhou o
respeito e consideração das pessoas numa época difícil (a escravidão no Brasil).
Casou-se em 1869 com uma portuguesa chamada Carolina Xavier, que foi sua
companheira até a morte e que muito o estimulou na carreira literária. Nunca
37

tiveram filhos e após a morte da esposa, Machado de Assis viveu seus últimos
dias mergulhado em tristeza e solidão.
Obras:
● “Quincas Borba”
● “Dom Casmurro”
● “Esaú e Jacó”
● “Memorial de Aires”.
Trecho de uma obra :
" Mas o livro é enfadonho, cheira a sepulcro, traz certa contração cadavérica;
vício grave, e aliás ínfimo, porque o maior defeito deste livro és tu, leitor…’’

Aluísio Tancredo Gonçalves de Azevedo nasceu em 14 de abril de 1857 em


São Luís (MA). Aluísio ingressou na Academia Imperial de Belas Artes no Rio de
Janeiro quando terminou os estudos no Liceu de Maranhão, Durante a época
em que viveu na cidade carioca começou a trabalhar sob encomenda. Viveu
durante muitos anos, cerca de quinze, através de suas publicações. Por este
motivo, sua obra literária é vasta e de valores diferenciados, O autor morreu em
Buenos Aires quando exercia o cargo de agente consular nesta cidade, em 21
de janeiro de 1913.
Obras:
● O mulato
● O cortiço
● O coruja
● Casa de pensão
● O homem
Trecho de uma obra :
"E seu tipo baixote, socado, de cabelos à escovinha, a barba sempre por fazer,
ia e vinha de pedreira para a venda, da venda para as hortas e ao capinzal,
sempre em mangas de camisa, tamancos, sem meias, olhando para todos os
lados, com o seu eterno ar de cobiça, apoderando-se, com os olhos, de tudo
aquilo de que ele não podia apoderar-se logo com as unhas".
Eçá de Queirós nasceu em Portugal e estudou Direito na Universidade de
Coimbra, seguindo os passos do pai, por lá, conheceu o também escritor Antero
de Quental e começou a publicar seus textos na revista “Gazeta de Portugal”.
Durante o curso, teve relação com o grupo “Escola de Coimbra”, que apresentou
o realismo à Portugal Formado em 1866, passou a atuar como advogado e
jornalista em Lisboa. Chegou a criar uma publicação, a “Revista de Portugal”.
38

Trabalhou também em diferentes periódicos, como “Gazeta de Portugal”, “Diário


Ilustrado”, “Diário de notícias” e “Correspondência de Portugal”. O escritor ainda
foi cônsul de Portugal em Havana, Newcastle, Bristol e Paris, onde permaneceu
até a sua morte em 1900.
Obras :
● O Primo Basílio
● Os Maias
● As Cidades e as Serras
Trecho de uma obra :
“– A verdade, meus senhores, é que os estrangeiros invejam-nos...
E o que vou a dizer não é para lisonjear a vossas senhorias: mas enquanto neste
país houver sacerdotes respeitáveis como vossas senhorias, Portugal há de
manter com dignidade o seu lugar na Europa! Porque a fé, meus senhores, é a
base da ordem! ‘’
Raul Pompeia (1863-1895) nasceu na cidade de Angra dos Reis, no Rio de
Janeiro, e estudou na capital federal, graduando-se em Direito na Faculdade de
Recife. Era um abolicionista de temperamento forte, o que garantiu muitas
inimizades. Em 1880, lançou sua primeira obra intitulada “Uma Tragédia no
Amazonas”. Passou a trabalhar como jornalista, escrevendo contos e crônicas,
mas levava uma vida boêmia e desregrada. Sua fama como escritor só
deslanchou após o lançamento do livro “O Ateneu”. Em 1985, foi demitido de seu
trabalho na Biblioteca Nacional e cometeu suicídio no escritório de sua casa,
naquele mesmo ano.

Principais obras:
● Uma Tragédia no Amazonas (1880);
● O Ateneu (1888);
● Canções sem Metro (1883).

Trecho de uma obra :


“Aqui suspendo a crônica das saudades. Saudades verdadeiramente? Pura
recordações, saudades talvez se ponderarmos que o tempo é a ocasião
passageira dos fatos, mas sobretudo – o funeral para sempre das horas.”
39

Referências:
DIANA, Daniela. Parnasianismo no Brasil: literatura brasileira. [S.l.: s.n.], 2016. 01
p. Disponível em:<https://www.todamateria.com.br/parnasianismo-no-brasil/>. Acesso
em: 10 jun. 2017.

DIANA, Daniela. Parnasianismo: Características e Contexto Histórico.


Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/parnasianismo-caracteristicas-e-
contexto-historico/>. Acesso em: 10 jun. 2017.
A ENCICLOPEDIA LIVRE, Wikipedia . Almeida Garrett. Disponível
em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Almeida_Garret>. Acesso em: 10 jun. 2017.
http://bemvin.org/jlio-ribeiro-jlio-csar-ribeiro-vaughan.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandre_Herculano

http://brasilescola.uol.com.br/literatura/olavo-bilac.htm

https://www.todamateria.com.br/naturalismo-em-portugal/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Naturalismo_em_Portugal

https://www.todamateria.com.br/naturalismo-no-brasil/

https://www.todamateria.com.br/simbolismo-no-brasil/

https://www.todamateria.com.br/simbolismo-caracteristicas-e-contexto-historico/

https://www.todamateria.com.br/simbolismo-em-portugal/

https://www.todamateria.com.br/simbolismo-caracteristicas-e-contexto-historico/

Interesses relacionados