Você está na página 1de 3

CURSO PROGRESSÃO

Profº Emilson Moreira


CALORIMETRIA.
3) CALOR SENSÍVEL: Calor que provoca no corpo uma variação de
temperatura.
A quantidade de calor sensível (QS) é diretamente proporcional à massa
1) CONCEITOS (m) do corpo e à variação de temperatura (T).

CALOR: forma de energia em trânsito. É a energia térmica se QS = m c ΔT


movimentando dos pontos de maior para os pontos de menor
temperatura. Onde “c” é uma constante característica do material de que é
constituído o corpo conhecida como calor específico.
CALORÍMETRO: São recipientes termicamente isolados destinados a
O CALOR ESPECÍFICO: mede a quantidade de calor necessária para
ensaios experimentais. Embora com finalidades diferentes, todas as
medidas estão fundamentadas na troca de calor e no equilíbrio térmico 1g de determinada substância variar 1°C.
efetivados num sistema termicamente isolado. Em muitos exercícios de 2°grau, a substância pura água, no estado
líquido, submetida à pressão de 1 atm tem o valor do calor específico
SISTEMA ADIABÁTICO ou ISOLADO: É todo sistema que não realiza sensível igual a 1Cal/g ºC. Quando a água encontra-se no estado sólido
trocas de calor entre o meio interno ao sistema e o meio externo. (Q = (gelo) seu calor específico é de 0,5 Cal/g ºC.
0)
Atenção: °C = K
PRINCÍPIO DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA:
“Num sistema isolado, a energia total permanece constante”. No SI Unid (c) = J/kg K , na prática, é comum o uso da unidade
Considerando um sistema isolado, onde os corpos aí presentes trocam cal/g°C.
apenas calor entre si, podemos dizer que “a quantidade de calor cedida
pelos corpos mais quentes é igual à quantidade de calor recebida pelos Em termodinâmica, o calor específico é uma característica
corpos mais frios”. fundamental de qualquer substância. Da mesma forma que a
capacidade calorífica, ele indica também uma espécie de “inércia”
Q cedida = Q recebida dessa substância em relação ao calor recebido. Se várias
substâncias diferentes receberem a mesma quantidade de calor e
não mudam de estado, aquelas que tiverem maior calor específico
Logicamente, conclui-se que a temperatura de equilíbrio térmico do sofrerão menor variação de temperatura e vice-versa.
sistema está compreendida entre a temperatura do corpo mais quente
e a temperatura do corpo mais frio. O calor específico só é constante para uma determinada
temperatura fixa.
DEFINIÇÃO DE CALORIA: Uma caloria (cal) é a quantidade de calor
necessária para elevar a temperatura de 1g de água de 1°C no intervalo Podemos calcular o valor do calor específico pela relação:
de 14,5°C a 15,5°C.
UNIDADE DE CALOR: Sendo o calor uma forma de energia sua c=C/m
unidade no sistema internacional de unidades (SI) será o Joule. 5) (EEAR 2/05) A capacidade térmica de um calorímetro vale 10cal/°C.
Entretanto, outra unidade utilizada será a caloria. Este dispositivo está inicialmente a 20°C, sendo, em seguida,
preenchido com um líquido de massa desconhecida. Admita que o calor
1Cal = 4,18J  4J específico desse líquido seja de 0,60 cal / g °C, estando tal líquido
inicialmente a 100°C, e que o equilíbrio ocorra a 80°C. Supondo que o
sistema seja exclusivamente formado pelo calorímetro e o líquido, a
1) (EEAR 1/06) Se, em um calorímetro ideal, dois ou mais corpos
massa, em gramas, desse líquido vale:
trocam calor entre si, a soma algébrica das quantidades de calor
trocadas pelos corpos, até o estabelecimento do equilíbrio térmico, é:
a) 500. b) 100. c) 60. d) 50.
a) nula.
b) maior que zero. 4) CALOR LATENTE: É o calor cedido ou recebido por um corpo que
c) menor que zero. não acarreta variação de temperatura e sim sua mudança de estado
d) igual à quantidade de calor do corpo de maior temperatura. físico.
A quantidade de calor latente (QL) é diretamente proporcional à massa
2) CAPACIDADE TÉRMICA: A capacidade térmica de um corpo (C) é (m) do corpo.
a razão entre a quantidade de calor recebido Q e a correspondente
variação de temperatura T. QL = m LF & QL = m LV
C = Q/ΔT Onde “L” é uma constante característica do material de que é
constituído o corpo conhecida como calor latente específico.
No SI, a unidade de capacidade térmica é J/K. Porém é comum utilizar O valor relativo ao calor latente específico depende da substância e de
também cal/0C. qual mudança de estado físico estamos analisando.
Para a substância pura água submetida à pressão de 1 atm o valor do
2) (EEAR 2/06) A capacidade térmica de um corpo constituído de uma
calor latente de fusão (LF) será de 80 Cal/g e o valor do calor latente de
certa substância A não depende:
vaporização (LV) será de 540 Cal/g.
a) de sua massa. c) do calor específico de A. No SI Unid (L) = J/kg, na prática, é comum o uso da unidade cal/g.
b) de seu volume.. d) de sua massa e do calor específico.
6) (EEAR 2/07) Visando montar uma experiência de calorimetria, um
3) Dois corpos sólidos receberam a mesma quantidade de calor e professor de física colocou um ebulidor elétrico (tipo “rabo quente”) para
sofreram o mesmo aumento de temperatura. Podemos concluir que os aquecer 350 ml de água. A partir do instante em que a água começou
corpos têm mesma (o): a entrar em ebulição, um cronômetro foi acionado. Após desligar o
ebulidor, verificou –se que haviam transcorrido 2 minutos, e o volume
a) capacidade térmica. c) densidade. final de água era 150 ml. Neste caso, potência do ebulidor, em W,vale:
b) massa. d) calor específico. DADOS: densidade da água = 1 g/cm3.
Calor latente de ebulição da água = 540 cal/g°C.
4) Dois corpos A e B de massas diferentes têm capacidade térmicas 1 cal = 4 J.
iguais. Logo:
a) 2500. b) 3600. c) 4300. d) 5700.
a) o de maior massa tem maior calor específico.
b) o de maior massa se aquece mais lentamente.
c) o de menor massa se aquece mais lentamente.
d) o de menor massa tem maior calor específico. EXERCÍCIOS ANTERIORES

FÍSICA www.cursoprogressao.com.br 1
7) (EEAR 1/99 "B") O calor necessário, em média, para elevar de um 18) Um corpo recebe de
grau Celsius a temperatura de um grama de uma substância, uma fonte 10.000 cal/min,
70
denomina-se calor: sem ceder calor. O gráfico
abaixo dá a temperatura 
a) latente. b) de vaporização. c) específico. d) de condensação.
do corpo em função do
8) (EEAR 2/06) A quantidade de calor que é preciso fornecer ao corpo tempo t. A capacidade
20
para que haja mudança em sua temperatura, denomina-se calor: térmica do corpo em cal/ºC
é: 0 2 t (min)
a) sensível. b) estável. c) latente. d) interno.
9) Calor latente: a) 400. b) 250. c) 40. d) 286.
a) não produz variação de energia interna. 19) A massa do corpo da questão anterior é 1000 g. O seu calor
b) produz mudança de estado. específico em cal/g0C é:
c) serve para esquentar um corpo.
d) produz variação de temperatura. a) 0,25. b) 0,04. c) 0,4. d) 0,282.

10) (EEAR 2/09) Das alternativas a seguir, aquela que explica 20) Dois corpos com diferentes são colocados num recinto adiabático
corretamente as brisas marítimas é: até atingirem o equilíbrio térmico. Não havendo mudança de estado de
agregação, o corpo que sofre a menor variação de temperatura é o de:
a) o calor específico da água é maior que o da terra.
b) o ar é mais rarefeito nas regiões litorâneas facilitando a convecção. a) maior temperatura. c) maior massa.
c) o movimento da Terra produz uma força que move o ar nas regiões b) maior calor específico. d) maior capacidade térmica.
litorâneas. 21) Dois sólidos A e B, em temperaturas diferentes, são misturados. O
d) há grande diferença entre os valores da aceleração da gravidade no equilíbrio térmico se estabelece sem que ocorra mudança de estado.
solo e na superfície do mar. Os calores específicos de A e B são iguais e a massa de a é maior que
11) (AFA 99) Colocam-se 10 g de gelo a 00C em um calorímetro de cobre com a de B. Logo, a variação de temperatura de A é:
massa 150 g e calor específico 0,093 Cal/g0C. No interior do calorímetro, há a) maior que a de B. c) igual à de B.
200g de água, cujo calor específico é 1,0 Cal/g0C. A temperatura do calorímetro b) menor que a de B. d) não dá para concluir.
e da água, antes de receber o gelo, era de 200C. Após o equilíbrio, colocam-se
55 g de um metal a 900C no interior do calorímetro. Restabelecendo o equilíbrio 22) (AFA 08/09) Um
térmico, a temperatura atingiu 250C. O calor específico do metal, em Cal/g0C, paciente, após ser medicado
é: às 10 h, apresentou o
seguinte quadro de
(Dado: calor latente do gelo = 80Cal/g). temperatura:
A temperatura desse
a) 0,21. b) 0,40. c) 0,60. d) 0,80. paciente às 11 h 30 min, em
°F, é:
12) (AFA 99) Dois líquidos A e B, com a massa de A valendo 5/4 da massa de
B, são misturados no interior de um calorímetro. Verifica-se que não há a) 104. b) 54,0. c) 98,6. d) 42,8.
mudanças de estado e que a temperatura inicial de B e a temperatura de
23) (AFA 08/09) Um estudante, querendo determinar o equivalente em
equilíbrio correspondem ao quádruplo e ao triplo, respectivamente, da
temperatura inicial de A. Desprezando-se as trocas de calor com o calorímetro água de um calorímetro, colocou em seu interior 250 g de água fria e,
aguardando um certo tempo, verificou que o conjunto alcançou o
e com o ambiente, a relação entre os calores específicos dos líquidos A e B é:
equilíbrio térmico a uma temperatura de 20 °C. Em seguida,
a) 1,25. b) 0,80. c) 0,75. d) 0,40. acrescentou ao mesmo 300 g de água morna, a 45 °C. Fechando
rapidamente o aparelho, esperou até que o equilíbrio térmico fosse
13) (AFA 98) Um cubo de gelo com massa 100g e temperatura -10 0C refeito; verificando, então, que a temperatura final era de 30 °C.
é colocado em um recipiente contendo 200ml de um líquido a 100 0C. Baseando-se nesses dados, o equivalente em água do calorímetro
Supondo-se que não há perda de calor para o meio ambiente, qual o vale, em gramas,
valor final aproximado da temperatura, em 0C, do sistema.
(Considerar calor específico em cal/g0C, do gelo = 0, 5, da água = 1 e a) 400. b) 300. c) 200. d) 100.
do líquido = 2, calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g e densidade do
24) (PUC-RS) A Geografia ensina que o clima de regiões perto do mar
líquido = 1,5 g/cm3).
caracteriza-se por uma grande estabilidade térmica, contrariamente a
a) 43. b) 53. c) 3. d) 73. regiões no interior do continente, onde a temperatura varia muito entre
o dia e a noite. Esse fenômeno é devido:
14) (AFA) A massa de 1,0kg de água, ao sofrer uma elevação de
temperatura de 5,00 C para 95,0 0C, absorve o calor de, a) à grande condutividade térmica da água.
aproximadamente: b) à pequena condutividade térmica da água.
c) à grande densidade da água.
a) 5,0 Kcal. b) 90,0 Kcal. c) 200,0 Kcal. d) 1000,0 Kcal.. d) ao grande calor específico da água.
15) Para aquecer 50 g de uma substância de 0ºC até 10ºC são 25) (F.Carlos Chagas-SP) Dois corpos X e Y recebem a mesma
necessárias 300 calorias. O calor específico da substância em cal/g0C quantidade de calor por minuto. Em 5,0 min a temperatura do corpo X
vale: aumenta 30ºC e a temperatura do corpo Y aumenta 60ºC. Não havendo
a) 30. b) 6. c) 1,66. d) 0,6. mudança de estado, pode-se afirmar corretamente que:

16) A capacidade térmica do corpo da questão anterior é, em cal/ºC, de: a) a massa de Y é o dobro da massa de X.
b) o calor específico de X é o dobro do calor específico de Y.
a) 30. c) o calor específico de Y é o dobro do calor específico de X.
b) 6. d) a capacidade térmica de X é o dobro da capacidade térmica de Y.
c) 1,66.
d) 0,6.
26) O calor sensível necessariamente;

17) Dois corpos, A e B estão inicialmente às temperaturas de 20ºC e a) produz variação de temperatura de um corpo.
80ºC, respectivamente. Postos em contato em um recinto adiabático, b) aumenta a pressão do corpo.
verifica-se que o equilíbrio térmico se estabelece a 50ºC, sem haver c) não altera a temperatura do corpo.
mudança de estado. Necessariamente, os corpos A e B têm: d) produz mudança de estado.

a) massas iguais. 27) A quantidade de calor necessária para aquecer 100 g de uma
b) calores específicos iguais. substância de calor específico 0,2 cal/gºC de 10ºC a 50ºC, sem
c) capacidades térmicas iguais mudança de estado, é:
d) volumes iguais. a) 800 cal. b) 4000 cal. c) 200 cal. d) 1000 cal.

FÍSICA
28) Fornecendo 500 cal a 200 g de uma substância, a sua temperatura
passa de 20ºC para 30ºC. O calor específico da substância em cal/g0C
vale:
a) 2,5. b) 50. c) 0,25. d) 500.
29) Para aquecermos de 0ºC até 50ºC os 2 kg de água contidos num
recipiente adiabático, devemos fornecer-lhe:
a) 100 Kcal. b) 90,0 Kcal. c) 100,0 Kcal. d) 1000 Kcal.
30) (ITA) Uma roda d’água converte em eletricidade, com uma eficiência
de 30%, a energia de 200litros de água por segundo caindo de uma
altura de 5m. A eletricidade gerada é utilizada para esquentar 50 litros
de água de 150C a 650C. O tempo aproximado que leva água para
esquentar até a temperatura desejada é:
a) quinze minutos. b) meia hora. c) uma hora. d) duas horas.
31) (AFA 06) Para intervalos de temperaturas entre 5°C e 50°C, o calor
específico (c) de uma determinada substância varia com a temperatura
(t) de acordo com a equação:
c =(1/60) t + (2/15).
Onde c é dado em cal/g°C e t em °C.
A quantidade de calor necessária para aquecer 60 g desta substância
de 10°C até 22 °C é:
a) 350 cal. b) 480 cal. c) 120 cal. d) 288 cal.
32) (AFA 03/04) Um líquido é colocado em um recipiente ocupando 75%
de seu volume. Ao
aquecer o conjunto
(líquido + recipiente)
verifica-se que o volume
da parte vazia não se
altera. A razão entre os
coeficientes de dilatação
volumétrica do material do
recipiente e do líquido

a) 0,1°C. b) 0,4°C. c) 0,8°C. d) 1,0°C.


33) Mistura-se uma certa massa de ferro a 80ºC com 100 g de água a
20ºC. A temperatura final da água certamente será:
a) 80°C. b) > 20°C. c) > 80°C. d) 50°C.
34) 200 g de água a 20ºC e 400 g de um metal a 100ºC são misturados
num calorímetro. A temperatura final é:
a) 100°C. b) > 100°C. c) < 100°C. d) < 80°C.
35) Mistura-se um corpo A, de massa 200 g, de calor específico 0,2
cal/g0C e a 60ºC, com outro corpo B, de massa 100 g, calor específico
0,1 cal/g0C e a 10ºC. A temperatura final do equilíbrio térmico é:
a) 20°C. b) 30°C. c) 40°C. d) 50°C.
36) Juntando-se 600 g de óleo a 120ºC com 1200 g de propanona a
5ºC, a temperatura do sistema, após atingido o equilíbrio térmico, é de:
Dados: calor específico do óleo C0 = 0,4 cal/g0C
calor específico da propanona Cp = 0,3 cal/g0C
a) 15°C. b) 41°C. c) 17°C. d) 51°C.
37) A capacidade térmica de 400 g de ferro é de:
Dado: O calor específico do ferro = Cferro = 0,1 cal/g0C.
a) 400 cal/g. b) 40 cal/g. c) 400 cal/°C. d) 4000 cal/°C.
38) (AFA) Derramando-se 50cm de café quente (80 0C) em um copo
3

de leite morno (400C), obtêm-se 250cm3 de café com leite a uma


temperatura aproximada de:
a) 48°C. b) 55°C. c) 60°C. d) 65°C.

39) (AFA 97) Misturando-se 1,5 kg de água a 850C com 3,0 Kg de água
a 100C, obtém-se 4,5 Kg de água à temperatura, em 0C, de:
(Calor específico da água é 1 cal/g0C.).
a) 35. b) 45. c) 55. d) 65.
40) Mergulhemos em 1000 g de água uma certa quantidade de metal
previamente aquecido até que a temperatura da água aumente de 1ºC.
O metal cedeu à água:
a) 1 cal. b) 1 Joule. c) 1Kcal. d) 1 KJ.

FÍSICA