Você está na página 1de 19

Desenvolvimento Profissional

Propósito e Ética

Brasília-DF.
Elaboração

Eliana Gosendo
Ketty Sanches

Produção

Equipe Técnica de Avaliação, Revisão Linguística e Editoração


Sumário

APRESENTAÇÃO.................................................................................................................................. 4

ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTUDOS E PESQUISA..................................................................... 5

INTRODUÇÃO.................................................................................................................................... 7

UNIDADE IV
PROPÓSITO E ÉTICA................................................................................................................................ 9

CAPÍTULO 1
AUSÊNCIA DE PROPÓSITO, AUSÊNCIA DE SIGNIFICADO NA VIDA................................................ 9

CAPÍTULO 2
ÉTICA ..................................................................................................................................... 14

PARA (NÃO) FINALIZAR...................................................................................................................... 18

REFERÊNCIAS................................................................................................................................... 19
Apresentação

Caro aluno

A proposta editorial deste Caderno de Estudos e Pesquisa reúne elementos que se


entendem necessários para o desenvolvimento do estudo com segurança e qualidade.
Caracteriza-se pela atualidade, dinâmica e pertinência de seu conteúdo, bem como pela
interatividade e modernidade de sua estrutura formal, adequadas à metodologia da
Educação a Distância – EaD.

Pretende-se, com este material, levá-lo à reflexão e à compreensão da pluralidade


dos conhecimentos a serem oferecidos, possibilitando-lhe ampliar conceitos
específicos da área e atuar de forma competente e conscienciosa, como convém
ao profissional que busca a formação continuada para vencer os desafios que a
evolução científico-tecnológica impõe ao mundo contemporâneo.

Elaborou-se a presente publicação com a intenção de torná-la subsídio valioso, de modo


a facilitar sua caminhada na trajetória a ser percorrida tanto na vida pessoal quanto na
profissional. Utilize-a como instrumento para seu sucesso na carreira.

Conselho Editorial

4
Organização do Caderno
de Estudos e Pesquisa

Para facilitar seu estudo, os conteúdos são organizados em unidades, subdivididas em


capítulos, de forma didática, objetiva e coerente. Eles serão abordados por meio de textos
básicos, com questões para reflexão, entre outros recursos editoriais que visam tornar
sua leitura mais agradável. Ao final, serão indicadas, também, fontes de consulta para
aprofundar seus estudos com leituras e pesquisas complementares.

A seguir, apresentamos uma breve descrição dos ícones utilizados na organização dos
Cadernos de Estudos e Pesquisa.

Provocação

Textos que buscam instigar o aluno a refletir sobre determinado assunto antes
mesmo de iniciar sua leitura ou após algum trecho pertinente para o autor
conteudista.

Para refletir

Questões inseridas no decorrer do estudo a fim de que o aluno faça uma pausa e reflita
sobre o conteúdo estudado ou temas que o ajudem em seu raciocínio. É importante
que ele verifique seus conhecimentos, suas experiências e seus sentimentos. As
reflexões são o ponto de partida para a construção de suas conclusões.

Sugestão de estudo complementar

Sugestões de leituras adicionais, filmes e sites para aprofundamento do estudo,


discussões em fóruns ou encontros presenciais quando for o caso.

Atenção

Chamadas para alertar detalhes/tópicos importantes que contribuam para a


síntese/conclusão do assunto abordado.

5
Saiba mais

Informações complementares para elucidar a construção das sínteses/conclusões


sobre o assunto abordado.

Sintetizando

Trecho que busca resumir informações relevantes do conteúdo, facilitando o


entendimento pelo aluno sobre trechos mais complexos.

Para (não) finalizar

Texto integrador, ao final do módulo, que motiva o aluno a continuar a aprendizagem


ou estimula ponderações complementares sobre o módulo estudado.

6
Introdução

Por que se tornou tão importante, podemos até dizer fundamental, para a
realização das pessoas, tanto no âmbito pessoal quanto profissional, ter um
propósito claro para suas vidas?

Certamente, muitas são as razões, mas, em um mundo de desafios e mudanças


frequentes, em que os dias “voam” e parecem ter menos de 24 horas, o que nos vem
à mente é ser protagonista da própria vida. É não se deixar levar por caminhos
que você não escolheu, como: viver histórias que não são suas; trabalhar em algo sem
significado para você; viver a vida de forma autônoma, sem desejo, sem esperança, sem
entusiasmo.

Se você estiver no rumo certo, as possibilidades se abrirão para você, porque você
estará focado no que tem conexão com o seu propósito. Você saberá o que precisa para
chegar lá e não poupará esforços, porque você estará motivado para ser feliz.

Quando falamos em propósito das organizações, não estamos nos referindo aos seus
objetivos e metas. O propósito é o que a empresa quer ser além do lucro, o que ela
entrega de valor para seus colaboradores e para a sociedade. O propósito é a proposta
de valor da empresa, que engloba as suas políticas, a forma como avalia e recompensa
os colaboradores, a forma como seus valores estão presentes no dia a dia do ambiente
organizacional, a forma como seus produtos e serviços estão à serviço da sociedade e da
preservação do meio ambiente.

O segundo tema dessa unidade é Ética. Aqueles que praticam atos que são contrários à
ética, apresentam atitudes que demonstram “expectativa de impunidade e de sucesso
que ultrapassa o risco do temor, isto é, uma expectativa de que o delito compense
a eventual situação da penalidade” (CORTELLA; FILHO, 2014). A certeza de que
não sofrerão as consequências dos delitos cometidos, fortalece a cultura da Lei de
Gerson, princípio em que determinada pessoa ou empresa obtém vantagens de forma
indiscriminada, sem se importar com questões éticas ou morais. As organizações
costumam ter seus códigos de ética, que são estruturados a partir de princípios que
definem o que é certo e o que é errado fazer no ambiente organizacional. Diferente de
moral, que é um conjunto de regras aplicadas no cotidiano e usadas continuamente
por cada cidadão.

A ética está além de uma lista de coisas que podemos e que não podemos fazer.
Segundo Clovis Barros Filho “ética é a liberdade que temos de escolher como queremos

7
conviver.” Muitos acreditam que “pequenas” atitudes desonestas não ferem a ética:
tirar xerox do trabalho da faculdade na empresa, levar caneta e lápis da empresa, ficar
no facebook no horário do trabalho, dentre outras. Estes comportamentos delituosos,
se normalizam e contagiam grande parte das pessoas.

Propósito e ética são dois temas que fecham a disciplina de Desenvolvimento


Profissional, trazendo as bases para uma atuação diferenciada dos profissionais, por
meio de relações saudáveis, marcadas pelo respeito mútuo e honestidade.

Objetivos
»» Compreender a importância do propósito na vida pessoal e profissional.

»» Identificar os elementos para a construção de uma carreira com propósito.

»» Apresentar os conceitos de ética e moral.

»» Identificar os comportamentos corretos nos dilemas éticos do cotidiano.

8
PROPÓSITO E ÉTICA UNIDADE IV

CAPÍTULO 1
Ausência de propósito, ausência de
significado na vida

O que é um propósito? Qual é o seu propósito na vida? Será que saber o propósito
é importante ou apenas uma conversa de profissionais de coaching? Propósito vem
do latim proponere: pro, adiante, colocar à frente, e ponere, colocar, pôr. Propósito
significa pôr adiante, algo que vem na frente. Nunca em tempo algum se falou tanto
da importância do propósito na vida das pessoas e das empresas. Vamos discutir, a
seguir, esse tema tão falado nos dias atuais.

A importância do propósito na vida pessoal e


profissional
Você se lembra daquela cena no final do ano, quando você e seu colega de trabalho
começaram a verificar no calendário quantos feriados teriam no ano seguinte? Foi
juntando gente, e todos queriam participar da conversa. Você lembra do sentimento de
alegria e entusiasmo que tomou conta de todos? Alguns já começaram até a planejar o
que fazer, qual viagem iriam fazer com a família ou com os amigos. Cada um sonhava
o que fazer com os dias livres. Ou uma outra cena, da queixa constante de pessoas que
vivem atribuladas, com mil coisas para fazer, sem tempo para visitar os amigos, para
estar com a família, para praticar exercícios físicos, etc. Pois é, normalmente, estas
cenas estão sinalizando a falta de um propósito na vida das pessoas. Quando as pessoas
não possuem um propósito claramente definido, sujeitam-se a quaisquer situações,
pois não sabem o que querem, onde querem estar.

Contudo, definir o propósito não é tão somente definir objetivos e metas. De nada
adianta eu definir objetivos e metas se não sei qual é o alvo, o que eu quero ter ou ser,
onde quero chegar. O propósito irá te guiar para um destino, que você definiu.

9
UNIDADE IV │ PROPÓSITO E ÉTICA

Mas como definir este destino? Primeiro é preciso conhecer os nossos valores
pessoais, que direcionam nossa vida, aquilo que tem valor e significado para nós.
Os valores pessoais variam de pessoa para pessoa, em função da etapa que está
passando na vida (idade, condições financeiras e outras de contexto). Os valores
irão nos guiar nas escolhas que fazemos em nossa vida. Para que possamos definir
corretamente nosso propósito, é importante que pensemos em como fazer nossas
escolhas, o que nos dá prazer e tem significado para nós, o que nos move. Por meio
desta reflexão sobre o nosso padrão de comportamento e de decisão, poderemos
identificar o nosso propósito pessoal e profissional.

Você acha que é possível construir uma carreira com mais significado e brilho
nos olhos?

Os coachings de carreira afirmam que sim, que é possível encontrar um trabalho


que te dê vontade de levantar todos os dias com entusiasmo e construir uma
carreira de sucesso.

Para construir uma carreira de sucesso, é preciso que você conecte os seus valores,
talentos e motivações ao trabalho que é sua paixão, que te dá muita alegria em realizar.
Agregado a tudo isso, há também o estilo de vida que você deseja ter, aquele sonho
acalentado por muitos anos.

Se não temos uma direção definida, se não definimos o nosso propósito, é grande a
possibilidade de interrompermos as nossas ações, pois não sabemos aonde elas nos
levarão. Muitas vezes é esta incerteza que nos faz ter medo e nos sentirmos inseguros,
sem conseguir caminhar. A caminhada sem direção pode nos levar a caminhos que não
desejamos ou até mesmo a situações muito desagradáveis.

Encontre o seu propósito

Muitas pessoas estão aprisionadas em empregos torturantes, realizando trabalhos que


não gostam, sem nenhuma visão de crescimento e de carreira. Muitos colocam-se no
mercado de trabalho como um produto ou serviço sem valor, como uma peça de uma
enorme máquina, e passam anos e anos como seres autônomos, guiados pelo destino.
Vivem queixando-se e olhando os poucos “sortudos” que fazem o que gostam e são
bem remunerados por isso.

Você pode traçar os próximos capítulos da sua vida com mais foco, superando as
dificuldades e desafios. O ideal é delinear sua carreira muito cedo na vida. Desde a
escolha da faculdade, de uma profissão, um segmento ou empresa para se trabalhar

10
PROPÓSITO E ÉTICA │ UNIDADE IV

e até a forma de viver e ganhar dinheiro com o trabalho. Observa-se com frequência
pessoas que fizeram as “escolhas” erradas e seguem no piloto automático, esperando
o final de semana para ser feliz. Como afirma Roberto Trajan em seu livro “O velho e o
Menino”, a instigante descoberta do propósito, “...o propósito não é algo a ser definido
e sim descoberto. Para tanto, é preciso procurá-lo”.

Para te ajudar na procura do propósito, é importante que você busque se


conhecer melhor, refletir sobre os seus desejos e necessidades.

»» Onde quer chegar?

»» Qual o tipo de vida quer ter?

»» Qual tipo de mundo quer ajudar a construir?

»» Quais são seus valores?

»» O que faz você mais feliz na sua vida?

»» O que te anima?

»» Quais são seus talentos?

»» O que você faz e te dá aquela sensação de que você é incrível?

»» O que faz as outras pessoas serem gratas a você?

Refletir e responder essas questões não é tarefa fácil. Mas é assim mesmo! Não temos
o hábito de fazer este exercício de autoconhecimento. Contudo, é fundamental que
possamos identificar em nós mesmos o que nos move, para definirmos os rumos que
queremos dar à nossa vida. O propósito pessoal é um processo que vai sendo percebido,
entendido, alterado, praticado e aperfeiçoado continuamente. Então, não desanime,
vá no seu ritmo. Declare o seu propósito e sinta-se comprometido com ele.

Vamos te ajudar a pensar no seu propósito de carreira fazendo mais alguns


questionamentos. Vamos lá!

»» Em que áreas da sua vida, hoje, você tem certeza do que quer?

»» Quais são as áreas que você ainda não tem clareza do que quer?

»» Que coisas na sua vida, hoje, você gosta? (pessoas, coisas, lugares,
hábitos, rotinas, trabalhos e atividades)

11
UNIDADE IV │ PROPÓSITO E ÉTICA

»» Quais as coisas na sua vida que você quer jogar fora, descartar?

»» Quais as coisas que você ainda quer conquistar?

»» Visualize como você quer viver sua vida nos próximos anos?

Anote todas as suas respostas em um papel. Leia e releia o que você escreveu. Quando
tiver refletido sobre todos os aspectos que foram pontuados aqui, tente descrever o seu
propósito. Veja como o propósito deve ser declarado:

Tudo que eu faço é para + sua contribuição


de modo que seu impacto no mundo

Exemplo:

“Eu ajudo pessoas que desejam ser melhores líderes
a desenvolverem seus talentos
para ajudar aqueles que buscam uma vida mais realizada, próspera e livre e com isso
impactarem mais pessoas à sua volta”

Agora declare aqui o seu propósito

Quando você souber exatamente qual é o seu propósito de carreira, a tendência é que
você evolua com outra velocidade e qualidade. Não deixe que o medo da mudança
seja uma barreira e te paralise. Com isso, não estamos te incentivando a jogar tudo
para o alto, não seja precipitado. Faça um plano, prepare-se e construa uma
rede de apoio.

Agora reflita sobre quais as alternativas profissionais que usariam os seus


pontos fortes, que permitiriam a você fazer algo útil para as pessoas e para o
mundo e que estariam alinhadas aos seus valores. É a partir desta reflexão que
você irá mapear as áreas de conhecimento que gostaria de se desenvolver e o
tipo de organização você gostaria de trabalhar, ou seja, com quais organizações
você se identifica por compartilharem os mesmos valores que os seus.

A cultura e os valores organizacionais são o modo de pensar e agir compartilhados


por todas as pessoas de uma organização. Quando falamos em analisar a cultura
e os valores da organização, não estamos nos referindo à missão da empresa, mas
sim ao sentimento de pertencimento. Quais são as crenças e prioridades da empresa
e das pessoas? Como as pessoas tratam umas às outras? O propósito é o principal
direcionador e motivador do desempenho das pessoas e a satisfação com o trabalho

12
PROPÓSITO E ÉTICA │ UNIDADE IV

realizado é o combustível que faz com que as pessoas sigam e persistam na direção
definida.

O propósito expressa o sentido e o significado de todo o seu projeto de vida. Quando


a pessoa tem um propósito bem definido, as oportunidades aparecem, porque ela está
focada em tudo o que se relaciona com o seu propósito. Como você tem um parâmetro
claro, a tomada de decisão se torna mais fácil perante as oportunidades que surgem.
O desejo, a base do propósito, aciona a motivação e se contrapõe ao medo.

O propósito é, pois, o leme, que não te deixa perder o foco, e a razão de tudo.
Mas se você teve um início tortuoso, é possível fazer os ajustes e promover as
mudanças de rumo que poderão te libertar da prisão que você se encontra.
Prepare-se, estude, aprimore-se e faça realmente a diferença. Procure os
profissionais de referência e peça ajuda. Esteja comprometido com seu projeto.
Pode faltar emprego numa economia em crise, mas sempre haverá trabalho
para aqueles mais preparados.

13
CAPÍTULO 2
Ética

Em uma corrida de cross-country, o queniano Abel Mutai, medalha de ouro


nos 3000m com obstáculos, em Londres, estava a pouca distância da linha de
chegada, e, confuso com a sinalização parou para posar para fotos, pensando
que já havia cumprido a prova. Logo atrás vinha outro corredor, o espanhol Ivan
Fernández Anaya. E o que fez ele? Começou a gritar para que o queniano ficasse
atento. No entanto, o queniano não entendia que não havia ainda cruzado a
linha de chegada. O espanhol, então, o empurrou em direção à vitória.

Com a imprensa toda presente, um jornalista se indignou:

»» Jornalista: “Por que o senhor fez isso?”

»» O espanhol replicou: “Isso o que?” Ele não havia entendido a pergunta.

»» Mas o jornalista insistiu: “Mas por que o senhor fez isso? Por que o senhor
deixou o queniano ganhar?”

»» E o espanhol: “Eu não o deixei ganhar. Ele já iria ganhar!”

»» O jornalista continuou: “Mas o senhor podia ter ganho! Estava na regra,


ele não notou que não havia cruzado a linha de chegada!”

»» O espanhol, por fim: “Mas qual seria o mérito da minha vitória, qual seria
a honra do meu título se eu deixasse que ele perdesse?” E continuou: “Se
eu ganhasse desse jeito, o que iria falar para minha mãe?”

Texto adaptado de CORTELLA; FILHO (2014).

Mario Sérgio Cortella, em seu livro “Ética e vergonha na cara”, aponta, ao relatar
este caso, a questão do relativismo moral, da ética da conveniência – “se é bom para
mim, tudo bem”. Os autores do livro explicam que ética tem a ver com vergonha na
cara, com decência e a última pessoa que se quer envergonhar é a mãe. Assim, Clovis
de Barros Filho hipotetiza que se houvesse mais afetos e mais preocupação em não
desonrar pessoas que nos querem bem, possivelmente teríamos relações melhores e
uma sociedade melhor.

14
PROPÓSITO E ÉTICA │ UNIDADE IV

Ética e moral
A ética estudada é uma área da filosofia que tem como objeto de estudo o
comportamento do ser humano em relação à moral. Os códigos de ética têm por
base um conjunto de princípios morais, que determinam o que deve ou não deve ser
feito em função do que é considerado certo ou errado por determinada comunidade.
Ser ético é agir de acordo com os padrões convencionais, é não prejudicar o próximo.

A ética, portanto, está associada ao estudo dos valores morais que orientam o
comportamento humano em sociedade, enquanto que a moral, aos costumes, regras,
tabus e convenções estabelecidas por cada sociedade. A moral é o conjunto de regras
aplicadas no cotidiano e usadas continuamente por cada cidadão. Essas regras orientam
cada indivíduo, norteando as suas ações e os seus julgamentos sobre o que é moral ou
imoral, certo ou errado, bom ou mau. Na prática, os dois termos guardam semelhança
nos seus significados. Ética e moral representam a base que orienta a conduta das
pessoas, como se comportar e agir em sociedade.

Quando um mendigo te pede auxílio, você pode ajudar ou não. Não existe, na ética,
determinação para essa situação, contudo os seus valores pessoais farão com que você
reflita sobre a situação e dê a ajuda ao pedinte, ou não. Outro exemplo pode ser tirado
das situações ilícitas como roubar ou matar. Estas situações são legalmente proibidas,
sendo eticamente ilegais e, da mesma forma, não condizem com os bons valores e
costumes da sociedade, sejam quais forem as razões. Portanto, cometer atos ilícitos
como roubar e matar geram punições legais e morais.

As organizações costumam ter seus códigos de ética, que explicitam, de forma clara
e objetiva, o que é permitido ou não no ambiente de trabalho, relacionadas à ética
profissional. Quando um colaborador, por interesse de crescimento profissional,
prejudica algum colega, essa atitude é considerada ética e moralmente incorreta.
Esse colaborador não estará agindo de acordo com o código de ética profissional e seu
comportamento não condiz com o comportamento moral considerado correto pela
sociedade.

Vamos apresentar dois cases, um deles em vídeo, para te ajudar a entender melhor a
ética e os valores nas organizações.

Assista ao vídeo Ética no dia a dia, apresentado em 2013 por Paulo Cunha,
presidente da Motorola Solutions Brasil. Disponível em: <https://www.youtube.
com/watch?time_continue=120&v=l4SJUBR0FNM>. Acesso em: 29 out. 2017.

15
UNIDADE IV │ PROPÓSITO E ÉTICA

Estudo de caso sobre ética


Adaptado do site <https://profjefer.files.wordpress.com/2014/02/estudo-de-caso-
c3a9tica.pdf>.

Marcelo é um analista de sistemas pleno e trabalha há oito anos em um banco


brasileiro, sendo responsável pelo sistema de créditos. Marcelo é casado e sua esposa
teve recentemente o seu segundo filho. Numa certa manhã o gerente de Marcelo o
chama até sua sala e lhe pede para fazer uma manutenção no sistema de créditos do
banco. Essa alteração permite que certas contas possam ser bloqueadas para acesso
externo, de tal forma que elas existem e podem ser movimentadas por quem possuir a
senha das contas, mas elas não aparecem em certas situações, como em auditorias, por
exemplo. Marcelo sabe que essa alteração contraria normas do Banco Central e diz isso
a seu gerente, que lhe responde que a alteração é temporária, para dar segurança ao
banco para fazer movimentações que são importantes para resolver certos problemas
financeiros pelos quais o banco está passando. Ao se retirar, o gerente lhe diz que está
pensando em sua promoção para Analista de Sistemas Sênior e lhe pede para manter a
conversa confidencial.

Ao retornar para sua mesa, Marcelo analisa mentalmente sua situação, percebendo
que o que lhe foi solicitado é algo ilegal. Ele imagina que se não fizer o que for pedido
corre o risco de perder o emprego e, com a crise no mercado de trabalho, tem medo de
fazer sua família passar por sofrimentos.

Por outro lado, se concordar com a solicitação, pode ter uma promoção e, afinal de
contas, pode ser que seja mesmo um desvio temporário das normas legais, já que o
banco sempre foi muito sólido. Ele também imagina que se não fizer o que for pedido,
um outro colega de trabalho vai acabar fazendo e, nesse caso, como ele sabe do assunto,
pode vir a ser despedido assim mesmo.

Sua consciência, entretanto, lhe diz que essa não é a melhor maneira de resolver um
problema, que pode crescer, dar prejuízo a muitos clientes, ser descoberto pelo Banco
Central e, no fim das contas, ele pode estar envolvido por ter sido o responsável pela
mudança do sistema.

O que fazer nessa situação? Qual decisão Marcelo


deve tomar?

Dilemas éticos

Muitos de nós, certamente, já estivemos frente a dilemas éticos no nosso dia a dia, seja
em nossas atividades sociais, na faculdade, nas relações familiares, no trabalho, dentre

16
PROPÓSITO E ÉTICA │ UNIDADE IV

outros. Os dilemas éticos acontecem quando temos que tomar decisões difíceis levando
em conta os valores morais e cujas consequências podem impactar na vida de terceiros.
Por mais desafiador que pareça, decidir como agir perante esses dilemas é fato e fazer
a coisa certa é sempre o melhor caminho a ser seguido. A questão é que o raciocínio de
quem se depara com este tipo de situação nem sempre é linear, muitas justificativas são
colocadas por aqueles que tomaram esta ou aquela decisão.

17
Para (não) Finalizar

Parabéns! Você concluiu a leitura do conteúdo da última unidade de nossa disciplina!

Dê uma olhada no material em HTML dessa unidade, disponível na plataforma. Além


de fixar o conteúdo, estarão disponíveis algumas atividades e interações, e você também
poderá assistir a vídeos muito interessantes sobre o assunto.

No HTML você também poderá participar do jogo Dilemas Éticos, respondendo a


várias questões éticas do cotidiano. Veja como você se sai!

18
Referências

BABA, S. P. Propósito, a coragem de ser quem somos. Rio de Janeiro: Sextante,


2016.

CORTELLA, M. S.; FILHO, C. B. Ética e vergonha na cara! São Paulo: Papirus 7 mares,
2014.

CORTELLA, M. S., DIMENSTEIN, G., KARNAL, L.; PONDE, L. F. Verdades e


Mentiras - Ética e Democracia no Brasil. São Paulo: Papirus 7 mares, 2016.

LA TAILLE, Y. de. O sentimento de vergonha e suas relações com a moralidade.


Psicologia: Reflexão e Crítica, v15, pp. 13-25, 2002.

TRAJAN, R. O Velho e o menino, a instigante descoberta do propósito. Porto


Alegre: Buzz Editora, 2017.

19