Você está na página 1de 8

Materiais de Construção Mecânica

Centro Universitário UNA

RELATÓRIO AULA PRÁTICA 2


Ensaio de Dureza pelo Método Rockwell

CURSO: Engenharia Mecânica


Alunos:

Professor:

1.Introdução

O ensaio de dureza Rockwell foi foi introduzido em 1922 por Rockwell, motivo
pelo qual leva o nome. Este ensaio oferece algumas vantagens bastante
significativas sobre os demais, o que o faz um tipo de ensaio de extenso uso
internacional.

A dureza Rockwell elimina o tempo necessário para a medição de qualquer


dimensão causada pela impressão, pois o valor da dureza do material é lido
diretamente na máquina de ensaio, sendo, portanto, um ensaio mais rápido e menos
sujeito a erros humanos. Além disso, utilizando-se penetradores pequenos, muitas
vezes não danificamos a peça a ser usada como corpo de prova.

O ensaio é baseado na profundidade da penetração. Além da aplicação da


carga total sobre o penetrador, existe uma carga menor, a pré-carga que é aplicada
com o objetivo de eliminar os efeitos da deformação elástica do material.

O valor da dureza Rockwell (HR), ao contrário dos valores obtidos nos demais
ensaios, é adimensional.

Os penetradores utilizados na máquina de ensaio de dureza Rockwell são do


tipo esférico (esfera de aço temperado) ou cônico (cone de diamante com 120º de
conicidade). Quando se utiliza o penetrador cônico de diamante, deve-se fazer a
leitura do resultado na escala externa do mostrador, de cor preta. Ao se usar o

1
penetrador esférico, faz-se a leitura do resultado na escala vermelha (ver Figura 1).
Nos equipamentos com mostrador digital, uma vez fixada a escala a ser usada, o
valor é dado diretamente na escala determinada.
Figura 1 - Mostrador acoplado a máquina de ensaio de dureza Rockwell.

Fonte: Acervo próprio.

Existem dois tipos de dureza Rockwell que diferem entre si pela pré-carga
empregada. A dureza Rockwell normal emprega uma pré-carga de 10 Kg e a carga
maior pode ser de 60, 100 ou 150 kgf, e a dureza Rockwell superficial, utilizam uma
pré-carga de 3 Kg e a carga maior pode ser de 15, 30 ou 45 kgf. Estes tipos de
dureza têm aplicações específicas, sendo o primeiro mais aplicado ao controle e
verificação de tratamentos térmicos, e o segundo mais apropriado ao controle de
tratamentos térmicos superficiais. As Tabelas 1 e 2 apresentam respectivamente as
condições que determinam as escalas do método normal e o método superficial.

2
Figura 2 - Escalas de dureza rockwell normal.

Fonte: Autor 2019.

Figura 3 - Escalas superficiais do método Rockwell.

Fonte: Autor 2019.

3
A profundidade que o penetrador vai atingir durante o ensaio é importante para
definir a espessura mínima do corpo de prova. De modo geral, a espessura mínima
do corpo de prova deve ser 17 vezes a profundidade atingida pelo penetrador.
Entretanto, não há meios de medir a profundidade exata atingida pelo penetrador no
ensaio de dureza Rockwell. É possível obter a medida aproximada desta
profundidade (P), a partir do valor de dureza indicado na escala da máquina de
ensaio, utilizando as fórmulas a seguir:

Penetrador de diamante:

HR normal: P = 0,002 x (100 - HR)

HR superficial: P = 0,001 x (100 - HR)

2. Objetivo

Avaliar a dureza do latão pelo método Rockwell.

3. Materiais e Métodos

3.1. Materiais

O material utilizado foi o latão liga de cobre (Cu) e zinco (Zn).

Equipamento Utilizado:

Durômetro: Rockwell normal – Pré-carga

Marca: Equilam

Modelo: EQTRB 250

Calibrado em:

Empresa de calibração:

Identificação:

4
3.2. Procedimento Experimental

Conforme procedimentos descritos na Norma ABNT - NBR 6671.

1. O penetrador é colocado em contato com a superfície da carga;


2. Aplica-se uma carga inicial;
3. Aplica-se uma carga maior conforme a escala adotada. A carga é mantida até
o ponteiro do mostrador da máquina parar;
4. A carga é removida permitindo a recuperação elástica do material, sendo
mantida a carga inicial.

4. Resultados e Discussão

Foi utilizado um corpo de prova, material latão que possui características dúctil,
resistente a impactos e um bom condutor de energia térmica e energia elétrica De
acordo com a tabela 1, para o latão foi aplicada uma pré carga para garantir um
contato firme entre o penetrador e o material ensaiado, e depois aplicamos a carga
de 150 Kgf propriamente dita.

O corpo de prova foi submetido ao ensaio de dureza por 5 vezes, onde as


impressões foram registradas em posições diferentes, mantendo a recomendação
de realizar o teste sobre a superfície plana. O valor indicado na escala do mostrador
é o valor da dureza Rockwell (ver figura 2). Este valor corresponde à profundidade
alcançada pelo penetrador, subtraídas a recuperação elástica do material, após a
retirada da carga maior, e a profundidade decorrente da aplicação da pré-carga.

5
4.1 Resultados encontrados

Figura 4 - Ensaio de dureza Rockwell por 5 vezes.

Fonte: Acervo próprio.

80 + 88 + 82,2 + 84 + 87 𝐾𝑔𝑓
𝑀é𝑑𝑖𝑎 = = 84,24 2
5 𝑚𝑚 𝑅𝑜𝑐𝑘𝑤𝑒𝑙𝑙 𝐵

Tabela 1 - Dados obtidos no ensaio Rockwell.

Carga Dureza Média


Material
(Kgf) (HR) (HR)
80
88
VC131 150 82,2 84,24
84
87
Fonte: Acervo próprio.

6
Cálculo para o desvio padrão

(80−84,24)2 +(88−84,24)2 +(82,2−84,24)2 +(84−84,24)2 +(87−84,24)2


𝑆=√ 4

S = 1,14

Cálculo de profundidade aproximada

HR normal: P = 0,002 x (100 - HR)

HR normal (Ensaio 1): P = 0,002 x (100 - 80) Δ 0,04


HR normal (Ensaio 2): P = 0,002 x (100 - 88) Δ 0,024
HR normal (Ensaio 3): P = 0,002 x (100 – 82,2) Δ 0,0356
HR normal (Ensaio 4): P = 0,002 x (100 - 84) Δ 0,032
HR normal (Ensaio 5): P = 0,002 x (100 - 87) Δ 0,026

5. Conclusão

Diante do experimento realizado concluímos que a dureza de um material pode ser


obtida através da medida de profundidade de uma impressão, realizada em um
corpo de prova. Observamos que o tempo de exposição do corpo de prova sobre a
carga interfere de forma direta na medição de dureza.

7
6. Referências Bibliográficas
1) Norma Brasileira - ABNT NBR 6671 – Jul/1981 – Materiais Metálicos –
Determinação da Dureza Rockwell
2) Ensaios Mecânicos de Materiais Metálicos – Fundamentos Teóricos e
Práticos Sérgio Augusto de Souza – Ed. Edgard Blucher Ltda – SP – 1982