Você está na página 1de 5

O comutador CA de ode DI , ou Diac para curto, é outro dispositivo

semicondutor de estado sólido, três camadas e duas junções, mas


diferentemente do transistor, o Diac não tem conexão de base,
tornando-o um dispositivo de dois terminais, rotulado A 1 e A 2 .
Os diac's são componentes eletrônicos que não oferecem controle ou
amplificação, mas atuam como um diodo de chaveamento bidirecional,
já que podem conduzir corrente a partir de qualquer polaridade de
uma fonte de tensão AC adequada.
Em nosso tutorial sobre SCR e Triacs , vimos que em aplicações de
chaveamento ON-OFF, esses dispositivos poderiam ser acionados por
circuitos simples produzindo correntes de gate de estado estável,
como mostrado.

Quando a chave S1 está aberta, a corrente da porta flui e a lâmpada


está “desligada”. Quando a chave S1 está fechada, a corrente da
porta I G flui e a SCR conduz nos meios ciclos positivos somente
quando está operando no quadrante Ι .
Lembramo-nos também que, uma vez fechado “ON”, o SCR só vai
mudar “OFF” novamente quando a sua tensão de alimentação cai
para um valor tal que a sua corrente de ânodo, I A é menor que o valor
de sua corrente de retenção, I H .
Se quisermos controlar o valor médio da corrente da lâmpada, em vez
de apenas ligá-la “ON” ou “OFF”, poderíamos aplicar um pulso curto
de corrente de porta em um ponto de disparo predefinido para permitir
que a SCR ocorra sobre parte do meio ciclo apenas. Então o valor
médio da corrente da lâmpada seria variado alterando o tempo de
atraso, T entre o início do ciclo e o ponto de disparo. Este método é
comumente conhecido como “controle de fase”.
Mas para conseguir o controle de fase, duas coisas são
necessárias. Um é um circuito de deslocamento de fase variável
(geralmente um circuito passivo RC), e dois, alguma forma de circuito
ou dispositivo de disparo que pode produzir o pulso de disparo
necessário quando a forma de onda atrasada atinge um certo
nível. Um desses dispositivos semicondutores de estado sólido
projetados para produzir esses pulsos de porta é o Diac .
O diac é construído como um transistor, mas não tem conexão de
base, permitindo que ele seja conectado a um circuito em qualquer
polaridade. Os diâmetros são usados principalmente como
dispositivos de gatilho em aplicações de controle de potência variável
porque o diac ajuda a fornecer um pulso de gatilho mais nítido e
instantâneo (em oposição a uma tensão de rampa cada vez maior)
que é usado para ligar o dispositivo de comutação principal .
O símbolo diac e as curvas características da corrente de tensão do
diac são dadas abaixo.

Símbolo Diac e IV Características

Podemos ver pelas curvas características diac IV acima que o diac


bloqueia o fluxo de corrente em ambas as direções até que a tensão
aplicada seja maior que V BR , ponto no qual a quebra do dispositivo
ocorre e o diac conduz fortemente de maneira similar ao diodo zener
passando um pulso súbito de voltagem. Este V BR ponto é chamado
tensão de ruptura ou tensão de ruptura do Diacs.
Em um diodo zener comum, a tensão através dele permaneceria
constante à medida que a corrente aumentasse. Contudo, no diac a
ação do transistor faz com que a tensão reduza enquanto a corrente
aumenta. Uma vez no estado de condução, a resistência do diac cai
para um valor muito baixo, permitindo que um valor relativamente
grande de corrente flua. Para os diâmetros mais comumente
disponíveis, como o ST2 ou o DB3, sua tensão de ruptura
normalmente varia de cerca de ± 25 a 35 volts. Classificações de
tensão de ruptura mais altas estão disponíveis, por exemplo, 40 volts
para o DB4 diac.
Esta ação dá ao diac a característica de uma resistência negativa
como mostrado acima. Como o diac é um dispositivo simétrico, ele
tem, portanto, a mesma característica tanto para tensões positivas
quanto negativas, e é essa ação de resistência negativa que torna
o Diac adequado como um dispositivo desencadeador de SCRs ou
triacs.

Aplicações Diac
Como dito acima, o diac é comumente usado como um dispositivo de
disparo de estado sólido para outros dispositivos de comutação de
semicondutores, principalmente SCRs e triacs. Os triacs são
amplamente utilizados em aplicações como dimmers de lâmpadas e
controladores de velocidade do motor e, como tal, o diac é usado em
conjunto com o triac para fornecer controle de onda completa da fonte
de CA, como mostrado.

Controle de fase AC Diac

À medida que a tensão de alimentação CA aumenta no início do ciclo,


o capacitor C é carregado através da combinação em série do resistor
fixo R1 e o potenciômetro VR 1 e a tensão em suas placas
aumenta. Quando a tensão de carga atinge a tensão de ruptura do
diac (cerca de 30 V para o ST2), o diac se decompõe e o capacitor
descarrega através do diac.
A descarga produz um pulso súbito de corrente, que dispara o triac na
condução. O ângulo de fase em que o triac é acionado pode ser
variado usando VR1 , que controla a taxa de carregamento do
capacitor. Resistor, R1 limita a corrente do gate a um valor seguro
quando o VR1 está no mínimo.
Uma vez que o triac tenha sido disparado na condução, ele é mantido
em seu estado “ON” pela corrente de carga que flui através dele,
enquanto a tensão através da combinação resistor-capacitor é limitada
pela tensão “ON” do triac e é mantida até o final do presente meio
ciclo do fornecimento de CA.
No final do meio ciclo, a tensão de alimentação cai para zero,
reduzindo a corrente através do triac abaixo de sua corrente de
retenção, I H desligando-a e o diac interrompe a condução. A tensão
de alimentação entra então no seu próximo meio ciclo, a tensão do
capacitor começa novamente a subir (desta vez na direção oposta) e o
ciclo de disparo do triac se repete novamente.

Forma de Onda de Condução Triac

Então vimos que o Diac é um dispositivo muito útil que pode ser
usado para disparar triacs e por causa de suas características de
resistência negativas, isso permite que ele ligue “ON” rapidamente
quando um certo nível de tensão aplicada é atingido. No entanto, isso
significa que sempre que quisermos usar um triac para controle de
energia AC, precisaremos de um diac separado. Felizmente para nós,
alguma faísca brilhante em algum lugar substituiu o diac e o triac
individuais por um único dispositivo de chaveamento
chamado Quadrac .

O Quadrac
O Quadrac é basicamente um Diac e um Triac fabricados juntos
dentro de um único pacote de semicondutores e, como tal, também
são conhecidos como “triacs acionados internamente”. Esse
dispositivo bidirecional é controlado por porta usando a polaridade da
tensão do terminal principal, o que significa que pode ser usado em
aplicações de controle de fase de onda completa, como controles do
aquecedor, dimmers da lâmpada e controle da velocidade do motor
CA, etc.
Como o triac, os quadracs são um dispositivo de comutação de
semicondutor de três terminais chamado MT2 para terminal principal
(geralmente o ânodo), MT1 para o terminal principal dois (geralmente
o cátodo) e G para o terminal de porta.
O quadrac está disponível em vários tipos de pacotes, dependendo de
seus requisitos de comutação de tensão e corrente, sendo o pacote
TO-220 o mais comum, pois foi projetado para ser um substituto exato
para a maioria dos dispositivos triac.O pacoteTO-220 é o mais
comum, pois é projetado para ser um substituto exato para a maioria
dos dispositivos triac.

Resumo do tutorial Diac


Neste tutorial de diac, vimos que o diac como o ST2 ou DB3 é um
dispositivo de bloqueio de tensão de dois terminais que pode conduzir
em qualquer direção. Os diâmetros possuem características de
resistência negativas que permitem que eles liguem “ON” rapidamente
quando um determinado nível de tensão aplicado é atingido.
Como o diac é um dispositivo bidirecional, quando emparelhado com a
série de triacs de chaveamento BTAxx-600A ou IRT80, ele é útil como
um dispositivo de disparo no controle de fase e circuitos gerais de CA,
como dimmers de luz e controles de velocidade do motor.
Quadracs são simplesmente triacs com um diac conectado
internamente. Tal como acontece com os triacs, os quadracs são
interruptores AC bidirecionais que são controlados por porta para
qualquer polaridade da tensão do terminal principal