Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA


LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS

Acadêmicos: João Marcelo de Medeiros Galvão e Gustavo Morais Soares


Turma: 2M456
Professor: Carlos Yuri Ferreira Silva
Data: 29/07/2019

Projeto de um gerador de clock

Introdução teórica
Em ambiente laboratorial realizamos um projeto para que o circuito integrado 555
funcionasse como um clock de um sistema digital parametrizado com frequência de
1kHz, objetivando uma determinada onda de saída.

Referencial teórico
Primeiramente, clock em sistemas digitais é um sinal digital que forma ondas
periódicas, esse sinal que determina quando eventos devem acontecer no hardware,
essencialmente o clock funciona como um metrônomo para coordenar as ações dos
circuitos digitais.
Importante também mencionar a figura do multivibrador astável ou oscilador
astável, nada mais é do que um oscilador do tipo RC (resistor e capacitor) que possui
saída astável, ou seja, é um circuito que irá apresentar saída 0 ou 1 (ligado/desligado)
e possui diversas aplicações como: contador, alarmes intermitentes,etc. Ainda existem
também outros tipos de geração de clock, como os multivibradores biestáveis e
multivibradores monoestáveis. O biestável é caracterizado por possuir dois estados
estáveis que só se alteram na presença de um impulso de entrada, dessa forma, os
dois estados podem se manter indefinidamente até que haja uma perturbação
(mudança de tensão/ruído) que ocasionará na mudança de estado. O monoestável
possui somente um estado estável e outro estado quase-instável, no qual, nesse
último, pode permanecer por um período pré-determinado T, e em seguida, volta ao
estado estável automaticamente. Dessa forma, o multivibrador monoestável gera um
pulso de saída de duração T.
É essencial citar os dispositivos TTL para os sistemas digitais, é uma classe de
circuitos digitais construídos a partir de transistores bipolares de junção BJT e
resistores. Uma das características desse dispositivo é de diminuir a quantidade de
transistores usados para se fazer uma porta lógica, os circuitos TTL trabalham com
uma tensão de 5V. Tais circuitos possuem uma grande diversidade de aplicações,
entre elas estão: circuitos de controle, computação, instrumentação; além de
possuírem uma grande gama de portas lógicas como: inversores, flip-flops,
contadores, drivers, decodificadores, etc.

Metodologia
A experiência foi feita utilizando-se uma protoboard, diversos cabos jumper,
dois resistores de igual resistência (47kohm), dois capacitores de mesma capacitância
(10nF), circuito integrado 555 e um osciloscópio. Montando o circuito na protoboard
proposto pelo projeto, consideramos no projeto que as resistências seriam de igual
valor para que os cálculos fossem simplificados.
A partir das equações dos períodos dados:

T =t l +t h (Equação 1)
t l =0,7 R1 C (Equação 2)
t h=0,7 ( R1 + R2 ) C (Equação 3)

Considerando que R1 = R2 conseguimos obter uma relação dada por: 0,001/C =


2,1R, com isso fomos capazes de escolher um valor para a resistência que
satisfizesse o valor de frequência de 1kHz para o clock do sistema digital, para tal
ocasião o valor de 47K ohm para as resistências foi acatado.

Figura 1- Resistor, circuito integrado 555 e capacitor utilizados


Figura 2- Protoboard com o circuito montado

Análise dos resultados

Os resultados podem ser evidenciados a partir do ciclo de trabalho (Duty


Cycle), no qual podemos aplicar a equação TH/TH + TL Após realização de alguns
cálculos, evidenciamos valores de TL e TH, a partir da equação 1, é de 3,29*10^-4
segs e 6,58*10^-4 segs , respectivamente. Com os dados, podemos obter o valor do
ciclo de trabalho de 66,7%, caso quiséssemos obter o valor de exatos 50% do valor de
ciclo de trabalho poderíamos diminuir a capacitância pela metade (5nF).
O gráfico de frequência obtido pelo osciloscópio mostra que o experimento foi
realizado com êxito, no osciloscópio percebe-se um pico no começo da onda, porém
provavelmente foi proveniente dos materiais utilizados na protoboard ou por falhas de
leitura, obtivemos valor de 1.04kHz para frequência e 4.72V para valor de tensão
máxima.
Figura 3-Osciloscópio mostrando gráfico de frequência gerado do circuito
montado

Conclusão
Através do experimento descrito realizado em laboratório, pudemos visualizar a
forma de onda quadrada mostrada no osciloscópio e enxergar seus fenômenos a partir
do período e frequência. Logo, com a montagem do circuito, que foi feito utilizando
circuito integrado 555, capacitores e resistores, identificamos e analisamos as
principais características de um gerador de Clock, conforme os resultados
conseguidos.