Você está na página 1de 18

Resumo

A escolha deste tema surge devido a mudança que a sociedade vai tendo,
associado ao número elevado de animais abandonados pelas ruas da cidade, o
que por sua vez acarretam consigo diversas doenças, que afetam também as
pessoas, isto bem como a ausência de controle da população de animais
(domésticos, de estimação e sinantrópicos) pela falta de um local adequado para
para estudos e pesquisa que permitam o controlo destas enfermidades, bem como
espaços dedicados a criação dos mesmos.
Ainda, está a falta de dormitórios para os estudantes de Medicina Veterinária, o que
dificulta ainda mais a sua formação, levando até mesmo a desistência de muitos
deles principalmente aqueles provenientes de outras localidades do País.
Ante a isto, surge a necessidade de uma revitalização, da Envolvente do complexo
Hospitalar Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade José
Eduardo dos Santos (UJES), cujo objetivo principal, pauta-se em responder a
necessidade de uma maior e melhor formação dos médicos veterinários, e reduzir
o número de zoonoses. A metodologia empregada compreende três fases: Na
primeira foram feitas buscas bibliográficas usando os método Histórico lógico,
método da Indução e Dedução, método de comparação o método de análise e
Síntese; ao passo que na segunda, a considerada diagnóstica, empregaram-se os
métodos de observação da realidade, método de medição; e na terceira fez-se o
Ante-projecto, usando os métodos Sistémico estrutural e análise e síntese. Fez-se
um levantamento quantitativo através de inquéritos na população da cidade do
Huambo de modo a perceber os indicadores como; a importância dos animais na
sociedade, o número de zoonoses, a necessidade de dormitórios para os
estudantes, e outros pormenores importantes para a elaboração do projecto. Este
trabalho resultou em um documento teórico-prático, que ajudará as futuras
gerações de estudantes do curso de Arquitectura na elaboração de projectos
similares. Concluiu-se que para a elaboração do Ante-projecto da requalificação,
da Envolvente do complexo Hospitalar Veterinário da Faculdade de Medicina
Veterinária da UJES, foi fundamental fazer estudos das tendências assim como a
compreensão das normas internacionais para elaboração de projectos na área de
complexos hospitalares veterinários.
Palavras-chaves: Projecto; Ante-Projecto; Complexo Hospitalar Veterinário;
Revitalização.
Introdução
Desde que foram estabelecidos padrões de convivência coletiva, o homem
tem lutado contra as enfermidades que põem em risco a saúde dos seus animais.
Muitas das doenças que dizimaram seus rebanhos também foram responsáveis
pela morte de milhares de pessoas.
A partir do momento em que o homem começou a domesticar o animal, na
perspectiva de sarar e prevenir suas enfermidades, nasceu a Medicina Veterinária.
Os primeiros métodos de diagnóstico e prognóstico tiveram início por volta
de 4.000 anos antes de Cristo (a.C) de acordo com o papiro de Kahoun, descoberto
no Egipto, no ano de 1890, que para muitos autores, o consideram como o primeiro
tratado de Veterinária. Commented [D1]: Aqui se precisa fazer uma referencia
pra esto dados
Os códigos de Eshn Unna (1900 a.C) e de Hammurabadi (1700 a.C),
ambos da Babilônia, também já mencionavam a remuneração e as
responsabilidades atribuídas aos médicos dos animais.
Documentos produzidos por Aristóteles (384-322 a.C) também
contribuíram para o nascimento da veterinária. De acordo com pesquisadores, ele
produziu uma verdadeira enciclopédia do conhecimento humano, deixando
explícita sua condição de naturalista o que lhe valeu o crédito de fundador da
zoologia. Foi ele quem concebeu a primeira classificação do reino animal de que
todos sabemos.
Na era cristã, em meados do século VI, em Bizâncio, foi identificado um
verdadeiro tratado enciclopédico chamado HIPPIATRIKA. Compilado por diversos
autores, tratava da criação dos animais e suas doenças, contendo 420 artigos, dos
quais 121 escritos por Apsirtos, considerado o pai da Medicina Veterinária no
mundo ocidental. Entre os assuntos descritos por Apsirtos, merecem referência o
mormo, enfisema pulmonar, tétano, cólicas, fraturas, a sangria com suas indicações
e modalidades, as beberagens, os unguentos. Sua obra revela, enfim, domínio
sobre o conhecimento prevalecente na prática hipiatrica da época.
Claude Bourgelat foi o personagem principal do início das atividades
médico-veterinárias no mundo, segundo critérios científicos. Nascido no ano de
1712 em Lyon, sul da França, em uma família aristocrática (cujos ancestrais tinham
exercido importantes funções na sociedade lionesa), graduou-se em Direito pela
Universidade de Toulouse tendo desistindo da carreira e engajado na agremiação
dos Mosqueteiros. Foi equitador da Academia Equestre de Lyon durante 25 anos.
Publicou anonimamente em 1744 um livro intitulado "Nouveau Newcastle" ou
"Nouveau Traité de Cavalerie", onde atualizou os pensamentos de Newcastle
(apresentava uma nova abordagem sobre a arte equestre, obtendo grande sucesso
e notoriedade). Em 1750 Bourgelat publicou o livro "Elementos de Hipiatria” (parte
da veterinária que trata especialmente das doenças dos cavalos), pelo qual foi
nomeado correspondente da Academia de Ciências de Paris e de Berlim. Mas as
suas atividades no mundo médico-veterinário foram mais marcantes do que na
equitação. Estudou todas as obras antigas sobre manejo e anatomia animal,
sobretudo as que tratavam do cavalo.
Seu primeiro projeto em criar uma escola veterinária fracassa, por falta de
apoio das autoridades municipais de Lyon. Em 1754 conhece Henri-Léonard Bertin,
nomeado Intendente da "Generalidade de Lyon" com o qual estabelece profunda
amizade. Em 1757 Bertin assume o cargo de "Tenente general da polícia de Paris"
e Bourgelat é promovido a "Inspetor das generalidades de Lyon". Em 1759, Bertin
assume a função de "Controlador geral das finanças" do Rei Luiz XV e no ano
seguinte, Claude Bourgelat assume o posto de "Censor e inspetor da Biblioteca de
Lyon".
Em 1761, o governo de Luiz XV adota a política de lutar contra as doenças
do gado, a proteção das pastagens e ensino rural. Henri Bertin torna-se o promotor
do movimento de reforma agrária idealizado pelo Rei, propondo a criação de uma
escola veterinária o que culminou com a assinatura do Édito Real pelo rei Luiz XV,
em 04 de Agosto de 1761, que autorizava a criação de uma escola médico-
veterinária onde "se ensinará publicamente os princípios e os métodos de tratar as
doenças dos animais", que seria a primeira a entrar em funcionamento no mundo,
passando deste modo a Medicina Veterinária a ser uma profissão científica.
Somente em 19 de Fevereiro de 1762, entraria em funcionamento a Escola
para doenças dos animais domésticos, contendo 8 alunos, na qual Henri Bertin foi
o Director e dois anos depois a escola se transformou na Ecole Royale Veterinaire,
que posteriormente passou a denominar-se de Ecole Nationale Veterinaire de Lyon
(Escola Nacional de Veterinária de Lyon).
As epizootias que, em crescimento, dizimavam os rebanhos um pouco por
toda a parte, impulsionou à abertura de novas escolas de Medicina Veterinária, a
segunda em Alfort (Paris) criadas por Bourgelat e Bertin e sob orientação de
Bourgelat, em 1765,iniciando seu funcionamento em outubro de 1766 e continua
activa ate aos nossos dias , nos subúrbios de Paris.
A partir de então, outros países da Europa começaram a criar as suas
escolas. O segundo país foi a Áustria, em 1768, seguido pela Itália, em 1769,
Dinamarca, em 1773, Suécia, em 1775, Alemanha, em 1778, Hungria, em 1781,
Inglaterra, em 1791 e Espanha, em 1792. Ao final do século XVIII, eram 19 escolas
de medicina veterinária em toda a Europa.
A primeira escola de Medicina Veterinária do mundo também diplomou a
primeira Médica Veterinária em 1897, porém, era de nacionalidade russa. A
segunda Médica Veterinária diplomou-se em 1934 e esta sim era francesa.
As primeiras clínicas veterinárias para pequenos animais surgem na
metade do século XIX em algumas capitais europeias (especialmente Londres e
Paris) ocasião em que se inicia a Era Industrial e considerável melhoria da
sociedade burguesa emergente e aumento da criação doméstica de cães e gatos.
Na ocasião muitas instituições de ensino médico-veterinários passaram a
incluir em suas grades a disciplina de Clínica Médica e Cirúrgica de Cães e Gatos
assim como ambulatórios e hospitais para seu atendimento.
Observamos que a Medicina Veterinária, surge no intuito de melhorar a
saúde dos animais, tentando reduzir as moléstias ou enfermidades que os atingiam.
Segundo a Organização Mundial da saúde (OMS), define Hospital como
um local de caracter médico-social, com o objectivo de garantir assistência médica,
tanto curativa como preventiva, para a população além de ser um centro de
medicina e pesquisa.
Além da atenção especial à enfermidades, com diagnóstico, tratamento,
reabilitação e atendimento de emergências, o hospital veterinário ainda se ocupa
com a prevenção, que é o controlo de doenças infectocontagiosas, a saúde
ocupacional e a promoção à saúde. Além disso, ele desempenha um enorme papel
no desenvolvimento de pesquisas e no ensino da medicina, além de gerar
empregos em várias categorias e movimentar o complexo industrial da saúde, de
significado vital na economia
A ciência que se dedica à prevenção, controle, erradicação e tratamento
das doenças, traumatismos ou qualquer outro agravo à saúde dos animais, para
além do controle da sanidade dos produtos de origem animal para o consumo
humano, busca também assegurar a qualidade, quantidade e a segurança dos
estoques de alimentos de origem animal através do controle da saúde dos animais
e dos processos que visam obter seus produtos, e chamada de Medicina
Veterinária.
Com a compreensão pela ciência da origem e propagação de diversas
doenças, tendo como vetores animais domésticos ou silvestres, bem como para
assegurar a própria integridade física dos animais, a medicina veterinária passou a
ser importante coadjuvante nas políticas de saúde pública dos países. A
propagação de doenças epidêmicas, humanas ou animais, encontra na instalação
de barreiras veterinárias que evitam sua propagação um meio eficaz de controle.
O Veterinário é o médico responsável tanto pelo acompanhamento da
saúde dos animais domésticos e selvagens.
Ele controla a qualidade da produção dos produtos de origem animal, faz
pesquisas e controle da sanidade dos animais.
Também planeja, fiscaliza e coordena programas de defesa sanitária, e de
proteção e desenvolvimento da pecuária.
Os Médicos veterinários, são formados em instituições de ensino Superior
que leccionam a área de medicina veterinária, e para a melhoria do processo de
ensino e aprendizagem destes ela deve ter um conjunto de elementos que facilitam
a atingir tal processo.
Com a compreensão pela ciência da origem e propagação de diversas
doenças, tendo como vetores animais domésticos ou silvestres, bem como para
assegurar a própria integridade física dos animais, a medicina veterinária passou a
ser importante coadjuvante nas políticas de saúde pública dos países.
Em Angola, o conflito armado surgido depois a independência e que se
prolongou até 2002, deixou um quadro de destruição de importantes infra-
estruturas, com particular destaque para as pontes, mas fundamentalmente uma
grande desarticulação das estruturas funcionais do Estado e das empresas em
consequência do êxodo de centenas de milhares de pessoas, estrangeiras e
angolanas, que praticamente dominavam a gestão tanto pública como empresarial.
Aliada a falta de políticas que encorajaram o sector agro-pecuário a
produzir além da própria subsistência, levaram o País a tornar-se um grande
importador de alimentos. O que se pretende, agora é dar sustentação ao
crescimento diversificado da economia e trazer um significativo desenvolvimento
rural, é necessário estimular investimentos para expandir a capacidade de
produção, processamento e armazenamento, o que implica na necessidade de
criação políticas para que as acções de governo, concomitantemente com a
iniciativa privada, tornem-se efectivas.
Existe apenas uma Escola de Medicina Veterinária no país que permaneceu
fechada por muito tempo, o que causou um défice muito grande em relação ao
número de médicos veterinários no país impossibilitando um maior avanço da
economia no setor agropecuário, cujo hospital, continua fechado até aos nossos
dias, o que impossibilita uma formação integra, para os futuros médicos
veterinários, partindo do pressuposto, que o mesmo também serviria para os
estágios curriculares dos estudantes de Medicina veterinária.
Mas o mesmo, por si só, não oferece condições suficientes para a melhoria
das condições de formação dos estudantes da Faculdade Supra citada, como a
falta de um local adequado para pesquisas e experiências reais bem como virtuais
do que teoricamente se estuda, viver experiências directamente com os animais e
tantos outros elementos
Com isto a justificativa do trabalho, é a necessidade de melhoramento
das condições de formação dos estudantes de Medicina Veterinária.
Muitos são os Jovens que depois do término do ensino médio, são
obrigados a retirar-se do País, ou mesmo optarem por fazer outros cursos devido
as condições precárias de ensino, na faculdade de medicina Veterinária, o que por
sua vez provoca a existência de um número reduzido de especialistas na área de
medicina Veterinária, e os que aqui aí são formados, têm uma formação deficiente,
que com a remodelação do Complexo, Hospitalar Veterinário, resolver-se-ia este
problema.
Elevar-se-ia também a própria economia nacional por intermédio, das
pesquisas, criação e venda de vacinas para os animais, uma vez que o mesmo
contará com um centro de criação de vacinas e centro de controlo das zoonoses,
serviço este que também vai melhorar a saúde dos animais e a população no geral
Por tratar-se de uma obra de grande significado histórico e com uma
Arquitectura, exuberante, e pelo significado que o mesmo desempenha a saúde
pública elevar-se-ia a economia Nacional e provincial em particular, por intermédio
do Turismo, o que também contribuiria para o próprio desenvolvimento do bairro
onde o mesmo está localizado.
Ante a isto, a situação problemática é a ausência na cidade do Huambo
de um Complexo Hospitalar Veterinário.
Que devido a sua importância, como problema de investigação temos, a
Necessidade de um Ante–Projecto de remodelação da Envolvente do Complexo
Hospitalar Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da UJES
Objecto de investigação
Os objetos de obra que conformam a envolvente do Hospital Veterinário.
Campo de acção
Ante-projecto arquitectônico de revitalização da Envolvente do Complexo Commented [D2]: Tem que pôr a palavra arquitectônico

Hospitalar Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da UJES.


Objectivo geral
Desenhar um Ante-projecto para a remodelação da Envolvente do
Complexo Hospitalar Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da UJES.
Objectivo específicos
1-Referentes teóricos sobre hospital veterinário da faculdade de Medicina
Veterinária da UJES e conceptualização sobre revitalização.
2-Diagnosticar a Envolvente do Complexo Hospitalar Veterinário da
faculdade de Medicina Veterinária da UJES, elaborar um programa Arquitectónico
e variantes de soluções.
3-Elaborar o Ante-Projecto de revitalização da Envolvente do Complexo
Hospitalar Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da UJES.
Idea a defender
Se realizar-se um Ante-projecto de revitalização da Envolvente do
Complexo Hospitalar Veterinário da faculdade de Medicina Veterinária da UJES,
recuperar-se-ia um patrimônio na cidade bem como contribuir-se-ia para o Commented [D3]: Redactar pra que fique claro onde esta
o complexo
melhoramento no que concerne a formação dos Médico Veterinários e o aumento
e diversificação da economia nacional.
Resultado esperado
Ter um Ante-Projecto arquitectônico que permite a posterior realização do
projecto executivo.
Metodologia
Os métodos a ser utilizados são:
Métodos Teóricos:
Histórico-lógico:
Aqui serão feitas buscas bibliográficas com relação aos antecedentes históricos do
Hospital de Medicina Veterinária do Huambo e não só, como também serão feitas
pesquisas concernentes ao conceito de Complexo escolar e tudo mais que envolve
este maravilhoso tema.
Análise e Síntese:
Serão feitas a análise do tema de forma generalizada, isto é analisando as
diversas obras de Hospitais de Medicina Veterinária, pelo mundo, e outra de forma
particular, analisando o objeto em estudo, o que nos permitirá fazer uma análise
comparativa com outras obras com o mesmo tema e também construídas na
mesma época.
Realçar também que por meio destes, serão feitas sínteses das bibliografias,
pesquisadas.
Indutivo:
para a formulação teórica da proposta de ideias conceptuais, a partir do
estudo das diferentes referências teóricas que predominam. Possibilitou a
determinação e a fundamentação do anteprojeto arquitectónico proposto, desde a
transição do geral ao particular, e vice-versa.
Sistémico-estrutural:
Para a se fazer o estudo sistema estrutural, ajudando-nos, a saber devidas
intervenções a se fazer, no intuito de levar a mesma ideia para as obras a serem
propostas.
Empíricos: Sustentada fundamentalmente pela recolha de dados de forma
intensiva, e qualitativa, por intermédios de relatos históricos contados por
Observação da realidade:
Para observar, ou seja, averiguar a condição do terreno, fazendo deste
modo as variantes de análise físico ambiental; estético formal; técnico-construtivo
no terreno em estudo bem como a sua envolvente, para nos ajudar a chegar a
determinadas conclusões, no processo de conceitualização de modo a que
tenhamos uma arquitectura que se adequa com o ambiente, a envolvente bem com
as características do terreno.
Medição: Para tirar medições no terreno, bem como nas suas envolventes
de modo a caracterizar melhor o terreno, e propôr espaços com áreas pré-
estabelecidas conforme a norma a que o corresponde.
ESTRUTURA DO TRABALHO
O trabalho estará estruturado em 3 capítulos:

CAP.1- HOSPITALAR VETERINÁRIO CONCEITO. TENDÊNCIAS


ACTUAIS.
Este capítulo, tem como objetivo a definição do marco teórico e de
conceitos, que relatam sobre o concernente a hospitais veterinários, sua evolução,
bem como o estudo das tendências da arquitectura no ramo de hospitais
veterinários, a nível nacional e internacional. Para se cumprir o objectivo do mesmo
se realizará a busca bibliográfica sobre os aspectos conceituais, com enfoque à
arquitectura hospitalar, e o urbanismo. Com maior predominância neste capítulo,
serão empregues os métodos histórico-lógico e Análise e Síntese.

CAP.2- CARACTERIZAÇÃO DA ZONA EM ESTUDO ONDE SERÁ


PROPOSTO O COMPLEXO HOSPITALAR VETERINÁRIO:

O capítulo propõe como objetivo, caracterizar a zona em estudo assim


como analisar as potencialidades, restrições, regulamentação e legislação
existentes para criar critérios inicias de desenho para complexos hospitalares
veterinários. Para o alcance dos objetivos preconizados, serão feitas
essencialmente, levantamentos da zona em estudo.
Ainda no mesmo, farar-se-á estudos nos edifícios pré-existentes de modo
a saber o material utilizado quer nas fundações como também nas paredes, pilares,
vigas, etecetera. Saber o seu estado de conservação, isto envolvendo o seu ano
de construção, e a forma como foi utilizado.
Serão usados com maior predominância neste capitulo os métodos:
Sistémico estrutural, observação da realidade e medição.
CAP.3-. PROPÓSTA DO ANTE-PROJECTO ARQUITECTÓNICO DE
REVITALIZAÇÃO DO COMPLEXO HOSPITALAR
VETERINÁRIO DA UJES.

O capítulo tem como objectivo desenvolvimento da proposta do ante-


projecto arquitectonico de revitalização do complexo hospitalar veterinário da
UJES, seguindo os critérios de desenho dos objetos de obra que o constituem.

Para tal serão empregues com maior predominância os métodos de análise


e síntese; medição e sistêmico estrutural.

.
Conclusões Gerais
A Medicina Veterinária tem como principal objectivo a preservação e
promoção dos animais. Ao concretizar este objectivo, o médico veterinário
assegura a produtividade dos rebanhos, diminuindo o risco de transmissão de
doenças de caracter zoonótico ao homem e proporcionando-lhe alimento de melhor
qualidade. Implicitamente, este profissional está promovendo e preservando a
saúde humana.
Portanto Elaborar um ante projecto de remodelação do complexo hospitalar
Veterinário na cidade do Huambo, é de grande importância e Urgência, uma vez
que ajudaria na resolução do problema de melhor formação para os estudantes de
Medicina Veterinária, para que sejam capazes de responder exigências que lhes
são acometidas, resultando a uma saúde pública veterinária melhorada e ainda
recuperar-se-ia uma obra com grande significado arquitectónico na cidade do
Huambo.
Recomendações
Recomendamos a nossa instituição que utilize este projecto como objecto
de estudo, para as futuras gerações de estudantes, para dar continuidade ao tema
em estudo;
Recomendamos, para que a nossa instituição encaminhe este projecto
para as entidades de direito, no intuito de se efetivar a execução do projecto com o
propósito de melhorar as condições do complexo hospitalar veterinário.
Referência Bibliográfica
Revista Científica Eletrônica de Medecina Veterinária – ISSN: 1679-7533
ano VII- numero 2 Janeiro de 2009- períodos Semestral
Castro, Paulo César de (Gen). O Ensino Superior no Exército. Revista do
Clube Militar, ano LXXXI, n. 430, ago-set-out 2008,
Vasconcellos, J.S, Princípios de defesa Militar, Rio de Janeiro: Editora,
Biblioteca do Exército e Marinha do Brasil, 1939. Guedes, Corrêa, Prontuário de
Infantaria, Lisboa, 1934.
Caruso, Ernesto. Ponta do Calabouço - início do século XX: berço fardado
dos doutores. Revista do Clube Militar, ano LXXXI, n. 430, ago-set-out 2008.
Lilas Orlov-Pérolas das Acássias- Angola 2013, editora -Mayamba.
Tenente Zé Zullo-2018 (Fonte Oral)
Bibliografia
António Sarapinto: Formação militar: https://academiamilitar.pt/ser-
cadete/formacao-militar.html). Acessado em (05-11-2018).
Agostinho Jajão: Defesa nacional é prioridade do Brasil:
//www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdisussao/defesa-nacional/defesa-
nacional-e-prioridade-do-brasil/confira-fatos-marcantes-na-historia-das-forcas-
armadas.aspx) httpsAcessado no dia (07-11-2018)
Arnaldo Milagroso: Amex
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/politica/2018/0/5/Benguela-
Academia-) Acessado em (09-12-2018)
Lucas Salupeto: Admissão de Candidatos:
https://academiamilitar.pt/admissao/perguntas-frequentes.html)(04-10-2018)
Lilas Orlov:
https://web.facebook.com/peroladasacacias/posts/2056367964639898?
_rdc=1&_rdr Acessado no dia (05-10-2018)
Wilson Zilton: Viver Academia Militar: https://academiapremilitar.com.br.
Acessado em (20-11-2018)
Zú Tavares: 10 best military academies from around the world:
pt.ripleysbelieve.com.10/best-military-academie from around-worl-2454 acessado
em (20-11-2018)
CAPÍTULO I: HOSPITALAR VETERINÁRIO CONCEITO.
TENDÊNCIAS ACTUAIS.
Este capítulo, tem como objetivo a definição do marco teórico e de
conceitos, que relatam sobre o concernente a hospitais veterinários, sua evolução,
bem como o estudo das tendências da arquitectura no ramo de hospitais
veterinários, a nível nacional e internacional. Para se cumprir o objectivo do mesmo
se realizará a busca bibliográfica sobre os aspectos conceituais, com enfoque à
arquitectura hospitalar, e o urbanismo. Com maior predominância neste capítulo,
serão empregues os métodos histórico lógico e Análise e Síntese.

1.1. Antecedentes e história da evolução dos hospitais


veterinários, saúde pública veterinária.
As primeiras clínicas veterinárias para pequenos animais surgem na
metade do século XIX em algumas capitais européias (especialmente Londres e
Paris) ocasião em que se inicia a Era Industrial e considerável melhoria da
sociedade burguesa emergente e aumento da criação doméstica de cães e gatos.

A expressão saúde pública veterinária é utilizada para designar o marco


conceitual e a estrutura de implementação das atividades de saúde pública que
empregam conhecimentos e recursos da medicina veterinária para proteger e
melhorar a saúde humana. A saúde pública veterinária vincula a agricultura, a
saúde animal, a educação, o ambiente e a saúde humana. Seus princípios de base
estão fortemente ligados nas ciências biológicas e sociais que se encontram
amplamente difundidos na agricultura, na medicina e no meio ambiente
(ARÁMBULO, 1991).

A Medicina Veterinária surgiu em primeira instância, como uma área do


conhecimento promotora da saúde dos animais, tentando diminuir prejuízos
causados pelas enfermidades que os atingiam. No entanto, com o passar do tempo
e o surgimento da medicina veterinária preventiva, aumentou-se a luta do homem
contra as enfermidades que colocam em risco a saúde dos seus animais e as
doenças humanas adquiridas pelo estreito convívio entre eles (COSTA, 2011).
O Médico Veterinário tem seus princípios de base fortemente alicerçados
nas ciências biológicas e sociais, podendo vincular a agricultura, a saúde animal, a
educação, o ambiente e a própria saúde humana para proteger e melhorar a saúde
da população como um todo (ARÁMBULO,1991). Dessa maneira, a OMS definiu
em 1975, duas áreas distintas de atuação para os Médicos Veterinários: A primeira
relacionada às atividades que dizem respeito exclusivamente a este profissional e
a outra envolvendo as atividades que podem ser desempenhadas não só por
veterinários, mas também por médicos e demais profissionais do setor. Os objetivos
da Saúde Pública Veterinária são alcançados quando o Médico Veterinário utiliza
os seus conhecimentos para promover a saúde humana. Sendo assim, este
profissional pode desempenhar diversas funções na Saúde Pública. Por estudar as
ciências básicas, o Médico Veterinário está apto a desenvolver atividades
relacionadas à epidemiologia, ou aos laboratórios de pesquisa e instituições
especializadas na preparação e controle de produtos biológicos e de
medicamentos. Da mesma forma, os estudos em ecologia permitem que este
profissional atue nos programas de controle ambiental, em saneamento e na
preservação da fauna (BRITES NETO, 2016).

O campo de ação do médico veterinário na saúde pública é muito amplo,


atuando não somente a nível da saúde e proteção animal e ambiental, como
também na promoção da saúde humana através do combate a doenças zoonóticas
e a segurança sanitária dos produtos de origem animal (MENEZES, 2005).
Inúmeros desafios surgem a cada dia para este profissional e torna-se cada vez
mais necessária a consolidação das posições conquistadas pelo Médico
Veterinário na Saúde Pública, uma vez que este profissional, mediante seus
conhecimentos específicos, está apto a garantir o bem-estar animal e a qualidade
da saúde da população animal. O médico veterinário tem a responsabilidade de
proporcionar melhores condições ambientais, difusão de informações e orientação
à população humana quanto aos princípios básicos de saúde, sobretudo no
contexto atual do contexto de Saúde Única, que traduz a união indissociável entre
a Saúde ambiental, humana e animal

Somente em 1946 que a expressão Saúde Pública Veterinária foi utilizada


pela primeira vez em uma reunião da OMS que designou o marco conceitual e a
estrutura de implementação das atividades de Saúde Pública que aplicam os
conhecimentos e os recursos da Medicina Veterinária. Esta implementação trouxe
atribuições para este profissional, como: controle de zoonoses, higiene dos
alimentos, trabalhos laboratoriais, de biologia e atividades experimentais. Desde
então, o Médico Veterinário tem demonstrado sua capacidade e competência para
atuar nas equipes de Vigilâncias Epidemiológica, Sanitária e Ambiental.

O termo saúde pública veterinária compreende todos os esforços da


comunidade que influenciam e são influenciados pela arte e ciência médica
veterinária, aplicados à prevenção da doença, proteção da vida, e promoção do
bem-estar e eficiência do ser humano (PFUETZENREITER; ZYLBERSZTAJN,
2004). O aumento do contato entre a população humana e os animais domésticos
e silvestres ocorridos nos últimos anos em decorrência dos processos sociais e
agropecuários resultou na disseminação de agentes infecciosos e parasitários para
novos hospedeiros e ambientes, implicando em emergências de interesse nacional
ou internacional. Ressaltando a importância da atuação do médico veterinário na
saúde pública (MENEZES, 2005).

Antes de falarmos sobre outros aspectos importantes gostaria, por começar


a desmestificar o termo complexo, neste caso, ele é visto não como algo
complicado, mas sim analisado ou visto como interligação entre partes opostas, ou
seja como o próprio nome nos indica, com`` Plexo``, isto é, rede. A palavra plexo
ou rede indica interligação entre partes autônomas, com interdependência entre
elas. Cada unidade da rede, mantendo a sua autonomia ou identidade passa a ser
diferente quando dentro da rede. O todo não é igual a soma das partes, pode ser
maior, menor ou igual a soma das partes isoladas, mas certamente será diferente.

Para construirmos um sistema complexo temos de associar a idéia da


unidade de um lado com a de diversidade ou multiplicidade de outro lado.

Oferecendo ambiente adequado para a realização de aulas práticas,


estágios curriculares e extra-curriculares, programas de treinamento e
aprimoramento tanto para estudantes da graduação como para profissionais
médicos veterinários, assim como cursos técnicos práticos voltados para
capacitação imediata de profissionais voltados à pecuária e segurança alimentar.
Além da atuação em ensino, a estrutura é de relevante importância para realização
de atividades de pesquisa, prestação de serviços médico-veterinários à
comunidade em geral.