Você está na página 1de 4

O que você está sentindo agora?

Muito se fala sobre inteligência emocional e autoconhecimento,


mas ainda temos muita dificuldade nesta habilidade tão essencial,
como revela a pesquisa da Dr. Brené Brown, professora na Universi-
dade de Austin: quando perguntados sobre quais emoções eles
sabiam namear, a maioria dos entrevistados lembrava-se apenas de 3
emoções: alegria, tristeza e raiva.

Saber dar nomes aos nossos sentimentos é o primeiro


passo para escolher como vamos reagir a eles.

A palavra emoção em sua raiz indica a ideia de movimento. Grande


parte de nossas decisões e ações vem dessa movimentação, que pode
ser consciente ou não. Por isso compilamos 30 emoções básicas para
te ajudar a exercitar seu vocabulário emocional e sua percepção
desses movimentos que vem e vão.

Com o apoio do cartaz no final deste documento, siga nossas sugestões


nas páginas a seguir sobre como utilizar essa ferramenta ou use sua
criatividade para explorar seu universo interior.

Nós queremos nos apegar a uma sensação boa e


evitar todas as ruins, mas o ensinamento em si
contém todos os sentimentos. Ele não escolhe
um ou outro, essa é a diferença. E, de repente,
você entende que tudo é a experiência
maravilhosa da vida humana!
Pense em cada uma das 30 emoções por 2 segundos e sinta seu
coração dizer se elas se aplicam a você neste instante. Anote no
seu diário todas que se aplicam e vá observando ao longo da
semana se um padrão se forma.

Antes da sua meditação diária, escolha 3 desta lista e gaste 1 ou


2 minutos se concentrando em uma de cada vez, observando o
que elas significam para você e como elas mexem com você.
Anote suas descobertas.

Use sua criatividade para se expressar artisticamente: faça um


desenho sobre curiosidade, toque violão pensando na palavra
empolgação, fazer um bordado sobre a palavra luto. Esse tipo de
exercício pode trazer muitas coisas dolorosas à tona, é bom que
seja feito num ambiente acolhedor e seguro.

Reflita sobre como cada uma delas se mistura: será que a


vulnerabilidade que lutamos para não sentir também não está
mergulhada em sentimentos como amor, alegria? É possível que
a alegria traga junto um sentimento de medo de perder, e
acabamos evitando a alegria a todo custo?

Existe alguma emoção que você considera que nunca ou quase


nunca sente? Reflita com um pouco mais de carinho. Será que
você nunca sente raiva porque aprendeu que é errado, e acaba
fazendo pequenas vinganças, minando aos poucos toda alegria
em seus relacionamentos? Ou mesmo não aceita a ideia de sentir
inveja, e acaba fazendo comentários sabotadores que se
disfarçam de preocupação por alguém que está fazendo o que
você gostaria de fazer?
Converse com pessoas queridas sobre emoções que você
considera difíceis. Será que eles têm o mesmo entendimento que
você tem sobre o que é estar sozinho? Como eles definem
vergonha? Como eles definem gratidão?
Dica: Essa é uma boa oportunidade de se conectar com
parentes mais velhos!

Numa situação de emergência emocional, passe os olhos pela


lista para ver que palavra mais te chama a atenção. Isso pode
colocar as coisas em perspectiva e te dar ferramentas para se
comunicar com pessoas que estejam tentando te ajudar.

No trabalho, em situações difíceis, pergunte-se, "será que existe


algo nessa situação que não estou percebendo que se origina
num desses sentimentos? Será que alguém está tentando colocar
empecilhos para um projeto só porque está assustado demais
com as possíveis dificuldades que virão?"