Você está na página 1de 6

Pisos frios e áreas molháveis – Manta Asfáltica

Sistema Impermeabilizante especificado


DRYKOMANTAFLEX – Manta asfáltica impermeabilizante industrializada, feita a base de asfaltos
modificados com polímeros plastoméricos e estruturada com um não tecido de filamentos de
poliéster agulhado. Caracteriza-se pela sua alta resistência à tração e ao rasgamento,
características que se apresentam de forma homogênea por toda a manta, reduzindo os riscos de
falhas localizadas na impermeabilização. Manta asfáltica 4 mm – Tipo II – Atende a NBR 9952

Antes da aplicação:
 Verificar se a área está preparada conforme as recomendações da NBR 9575;
 Caimento de 1% em direção aos pontos de escoamento de água;
 Interferência e tubulações já executadas (para evitar quebras e consequentes danos a
impermeabilização);
 Deve ser previsto nos planos verticais encaixe para embutir a impermeabilização, caso o
sistema impermeabilizante assim o exija, a uma altura mínima de 20 cm acima do nível do
piso acabado ou 10 cm do nível máximo que a água possa atingir;
 Toda a instalação que tenha que ser fixada na estrutura, no nível da impermeabilização
deve possuir detalhes específicos de arremate e reforço da impermeabilização;
 Toda a tubulação que atravesse a impermeabilização deve ser fixada na estrutura e possuir
detalhes específicos e reforços da impermeabilização;
 A tubulação de hidráulica e gás que passa paralelamente sobre a área impermeabilizada
devem ser executadas sobre a impermeabilização e nunca sob a mesma. As tubulações
aparentes devem ser executadas 10 cm acima do nível do piso acabado;
 Quando houver tubulações embutidas na alvenaria, deve ser previsto proteção adequada
para a fixação da impermeabilização;
 As tubulações externas as paredes devem ser afastadas entre elas ou dos planos verticais
no mínimo 10 cm;
 As tubulações que transpassam as lajes impermeabilizadas devem ser rigidamente fixadas
a estrutura;
 Quando houver tubulações de água quente embutidas, deve ser previsto proteção
adequada destas, para a execução da impermeabilização;
 As arestas e cantos vivos das áreas a serem impermeabilizadas devem ser arredondadas
sempre que a impermeabilização requerer;
 As proteções mecânicas, bem como os pisos posteriores, devem possuir juntas de retração
e trabalho térmico preenchidos com materiais deformáveis, principalmente no encontro de
diferentes planos.
Na aplicação
 Executar a impermeabilização conforme descrito na norma NBR 9574 ou conforme
orientação do Depto. Técnico da DRYKO;
 Aplicar o DRYKOPRIMER ACQUA ou DRYKOPRIMER ECO sobre a superfície a ser
impermeabilizada e aguardar a secagem;
 Desenrolar a bobina paralelamente à primeira, independente do sistema de aplicação
adotado. Nas emendas deve-se sobrepor as bobinas no mínimo 10 cm nas laterais e 15 cm
no topo, depois enrolar a bobina e então, começar a aplicação da manta dos ralos para as
cotas mais elevadas;
 Fazer o biselamento com colher de pedreiro e maçarico ao longo das sobreposições das
mantas para um perfeito acabamento e garantia de estanqueidade;
 Executar teste de estanqueidade com lâmina d'água por 72 horas;
 Executar proteção mecânica adequada conforme especificado em projeto.
DETALHES TÉCNICOS – PISOS FRIOS E ÁREAS MOLHÁVEIS

A – Laje de concreto
B – Preparo da superfície – Limpeza, remoção de partículas soltas, regularização com espessura
mínima de 2 cm com traço 1:4 cimento e areia, adicionando emulsão adesiva DRYKOFIX CHAPISCO
na água de amassamento para maior aderência no substrato. Prever cantos arredondados ou meia
cana. Fazer caimento de 1% em direção aos pontos de escoamento de água
C – Imprimação com DRYKOPRIMER ACQUA – Aplicar uma única demão de DRYKOPRIMER ACQUA
para imprimação do substrato e aguardar a secagem.
D – Aplicação da DRYKOMANTAFLEX – Alinhar a bobina para posterior aplicação da manta com
maçarico. As sobreposições deverão ser de no mínimo 10 cm. Lembre-se de realizar o
biselamento para uma perfeita aderência. É de extrema importância a ideal preparação de todos os
detalhes da impermeabilização. Realizar o teste de estanqueidade por 72 horas.
E – Camada separadora – Colocar uma camada separadora (filme de polietileno) para proteção da
impermeabilização.
F – Proteção mecânica – Realizar proteção mecânica seguindo orientações fornecidas no projeto.
DETALHES TÉCNICOS – RALO

A – Laje de concreto
B – Preparo da superfície – Limpeza, remoção de partículas soltas. Para a execução dos arremates
é recomendável que seja criada uma depressão de, no mínimo, 1 cm ao redor do ralo. Além disso,
é importante que o produto de arremate seja aderente às paredes do tubo que constituirá o ralo.
Caso contrário, poderá ocorrer refluxo de água por debaixo da manta.
C – Imprimação com DRYKOPRIMER ACQUA – Aplicar uma única demão de DRYKOPRIMER ACQUA
para imprimação do substrato e aguardar a secagem.
D – Aplicação da DRYKOMANTAFLEX – Com o maçarico, aplicar a manta descendo cerca de 10 cm
na parte interna do ralo e deixando cerca de 10 cm para fora, que deverá ser cortado com um
estilete. Estas tiras serão coladas sobre a área imprimada.
Sobrepor um pedaço de manta em toda a extensão do ralo e cortar em forma de “pizza” a área
correspondente ao diâmetro do ralo, a qual será colada no interior do tubo. A grelha deve
obrigatoriamente ser fixada na proteção mecânica.
E – Camada separadora – Colocar uma camada separadora (filme de polietileno) para proteção da
impermeabilização.
F – Proteção mecânica – Realizar proteção mecânica seguindo orientações fornecidas no projeto.
DETALHES TÉCNICOS – TUBOS EMERGENTES

A – Laje de concreto
B – Preparo da superfície – Limpeza, remoção de partículas soltas. Para a execução dos arremates
é recomendável que seja criada uma depressão de, no mínimo, 1 cm ao redor do ralo. Além disso,
é importante que o produto de arremate seja aderente às paredes do tubo que constituirá o ralo.
Caso contrário, poderá ocorrer refluxo de água por debaixo da manta.
C – Imprimação com DRYKOPRIMER ACQUA – Aplicar uma única demão de DRYKOPRIMER ACQUA
para imprimação do substrato e aguardar a secagem.
D – Aplicação da DRYKOMANTAFLEX – Corte um pedaço de manta de 20 cm x 10 cm. Com o
estilete, faça cortes transversais, a cada 3 cm, sempre até a metade da manta. Coloque a manta
com as tiras para baixo e solde-as, fixando-as ao piso com auxílio de maçarico e colher de
pedreiro. Com estilete, corte a circunferência marcada na manta. Insira o pedaço da manta a partir
do topo da tubulação e cole-a sobre as tiras da margarida e a base, com o auxílio do maçarico.
Sempre coloque forte pressão.
E – Camada separadora – Colocar uma camada separadora (filme de polietileno) para proteção da
impermeabilização.
F – Proteção mecânica – Realizar proteção mecânica seguindo orientações fornecidas no projeto.
DETALHES TÉCNICOS – RODAPÉ DE ALVENARIA

A – Laje de concreto
B – Preparo da superfície – Limpeza, remoção de partículas soltas, regularização com espessura
mínima de 2 cm com traço 1:4 cimento e areia, adicionando emulsão adesiva DRYKOFIX CHAPISCO
na água de amassamento para maior aderência no substrato. Prever cantos arredondados ou meia
cana. Fazer um corte na alvenaria em toda a extensão da parede com altura de 20 cm e 3 cm de
profundidade para embutir a manta asfáltica.
C – Imprimação com DRYKOPRIMER ACQUA – Aplicar uma única demão de DRYKOPRIMER ACQUA
para imprimação do substrato e aguardar a secagem.
D – Aplicação da DRYKOMANTAFLEX – A DRYKOMANTAFLEX deve subir 30 cm e ficar embutida na
parede. Depois, receber argamassa estruturada
E – Camada separadora – Colocar uma camada separadora (filme de polietileno) para proteção da
impermeabilização.
F – Proteção mecânica – Realizar proteção mecânica seguindo orientações fornecidas no projeto.