Você está na página 1de 27

Disciplina: Negócio Jurídico- Teoria Geral do Direito Privado II Questões compiladas por: Isadora Lisboa

Contato: isadoralm73@hotmail.com Data: 1° Semestre de 2013 -----------------------------------------------------


-----------------------------------------------------------------------------------

1) Dados do concurso: TRT 8ª - 2011 - TRT 8ª - Juiz do Trabalho Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Em consonância com a teoria das nulidades do negócio jurídico, é CORRETO afirmar:

a) É possível o convalescimento do negócio jurídico se o erro na indicação da pessoa ou da coisa for


suprível pelo seu conteúdo e pelas circunstâncias.

b) Presumem-se em fraude contra credores os negócios ordinários praticados pelo devedor insolvente,
ainda que indispensáveis à manutenção de estabelecimento mercantil, rural, ou industrial, ou à
subsistência do devedor e de sua família.

c) O negócio jurídico simulado é anulável porque é formado a partir de uma declaração de vontade ou
de uma confissão de dívida emitida para não gerar nenhum efeito jurídico, com o fito de lesar interesse
de terceiro.

d) O falso motivo vicia a declaração de vontade, em qualquer caso, tornando anulável o negócio
jurídico.

e) No estado de perigo, ao contrário do que ocorre na lesão, o contraente, por razões essencialmente
econômicas, ou por sua evidente inexperiência, é levado, inevitavelmente, a contratar, prejudicando-se.

2) Dados do concurso: ESAF - 2010 - MTE - Auditor-Fiscal do Trabalho 2

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

A propósito do negócio jurídico, todas as assertivas abaixo são verdadeiras, exceto:

a) segundo a doutrina alemã dos pandectistas, a expressão negócio jurídico é aplicável ao ato jurídico
criador de direitos e obrigações, enquanto ato jurídico se aplica aos demais atos.

b) no silêncio de uma das partes, entende-se que ocorreu anuência, quando as circunstâncias ou os
usos o autorizarem, e for necessária declaração expressa de vontade.

c) o Código Civil de 2002 introduziu a distinção entre negócio jurídico e ato jurídico no direito pátrio,
dividindo os fatos jurídicos em negócios jurídicos, atos jurídicos lícitos e atos jurídicos ilícitos.

d) no direito brasileiro, a distinção entre negócio jurídico e ato jurídico não tinha maior significado
durante a vigência do Código Civil de 1916.
e) na interpretação dos negócios jurídicos, importa mais a intenção das partes do que o sentido literal
da linguagem, porém, quando os negócios jurídicos forem benéficos ou consistirem em renúncia,
deverão ser interpretados restritivamente.

3) Dados do concurso: TRF 1ª Região - 2002 - TRF 1ª Região - Juiz Federal Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Em face das asserções seguintes, assinale a alternativa correta:

I - todo contrato é um negócio jurídico e todo negócio jurídico é um contrato, pois em ambos existe
sempre a conjunção de vontades.

II - segundo a teoria preceptiva, o negócio jurídico é um instrumento da autonomia privada.

III - a teoria normativista do negócio jurídico foi desenvolvida sistematicamente, na Itália, por Santi-
Romano.

IV - o reconhecimento de um filho, a elaboração de um testamento e a fixação de domicílio são atos


jurídicos não-negociais.

a) todas estão corretas.

b) somente a III está correta.

c) somente a II e a IV estão corretas.

d) somente a II está correta.

4) Dados do concurso: AOCP - 2011 - Pref. Ibiporã - PR - Advogado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas.

I. No negócio jurídico celebrado com a cláusula de não valer sem instrumento público, este é da
substância do ato.

II. A manifestação de vontade subsiste ainda que o seu autor haja feito a reserva mental de não querer o
que manifestou, salvo se dela o destinatário tinha conhecimento.

III. Nas declarações de vontade se atenderá mais ao sentido literal da linguagem consubstanciada do
que à intenção.

IV. Os negócios jurídicos benéficos e a renúncia interpretam-se estritamente.


a) Apenas II e III.

b) Apenas I, II e IV.

c) Apenas I e II.

d) Apenas II e IV.

e) I, II, III e IV.

5) Dados do concurso: FCC - 2011 - TRE - PE - Analista Judiciário - Àrea Judiciária

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

Preconiza o Código Civil Brasileiro, que o instituto da lesão ocorrerá quando

a) houver declaração de vontade emanada de erro substancial que poderia ser percebido por pessoa
de diligência normal, em face das circunstâncias do negócio.

b) alguém, premido da necessidade de salvar-se de grave dano conhecido pela outra parte, assume
obrigação excessivamente onerosa.

c) alguém, premido da necessidade de salvar-se de grave dano conhecido pela outra parte, obriga a
prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta.

d) houver a transmissão gratuita de bens ou remissão de dívida, praticados por devedor já insolvente.

e) uma pessoa, sob premente necessidade, ou por inexperiência, se obriga à prestação


manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta.

6) Dados do concurso: FCC - 2009 - TJ - AP - Juiz de Direito Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

Distinguem-se a condição suspensiva, o termo inicial e o encargo porque a condição

a) se refere sempre a evento futuro e certo, enquanto o termo se refere a evento futuro e incerto,
sendo que o encargo não se vincula, na sua definição, à circunstância de ser o seu cumprimento certo ou
incerto.

b) suspensiva, enquanto não verificada, impede o exercício, mas não a aquisição do direito; o termo
inicial suspende a aquisição e o exercício do direito e o encargo nunca suspende a aquisição, nem o
exercício do direito.
c) suspensiva, enquanto não verificada, impede a aquisição e o exercício do direito; o termo inicial
suspende o exercício, mas não a aquisição do direito e o encargo tal qual a condição suspensiva, sempre
impede, enquanto não cumprido, a aquisição e o exercício do direito.

d) suspensiva, enquanto não verificada impede a aquisição do direito, mas não o seu exercício ou os
atos de sua conservação; o termo inicial suspende o exercício, mas não a aquisição do direito ou os atos
de sua conservação e o encargo sempre suspende o exercício, mas não a aquisição do direito, tal qual
ocorre com o termo inicial.

e) suspensiva, enquanto não verificada, impede a aquisição e o exercício do direito; o termo inicial
suspende o exercício, mas não a aquisição do direito e o encargo não suspende a aquisição, nem o
exercício do direito, salvo se imposto no negócio jurídico pelo disponente, como condição suspensiva.

7) Dados do concurso: FCC - 2011 - TRT 20ª - Analista Judiciário - Judiciário

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

Tício vendeu uma coleção de livros jurídicos a Cícero, sendo que, três meses depois, o comprador
descobriu que um dos livros apresentava defeito oculto e estava em branco. Nesse caso, Cícero

a) não poderá rejeitar a coleção porque já foi ultrapassado o prazo máximo de trinta dias da data da
celebração do contrato.

b) poderá rejeitar a coleção e reclamar abatimento no preço.

c) só poderá rejeitar a coleção se o alienante conhecia o vício e não avisou o comprador no ato da
venda.

d) não poderá rejeitar a coleção, porque o defeito oculto de uma das coisas vendidas em conjunto não
autoriza a rejeição de todas.

e) poderá rejeitar a coleção e pleitear indenização por perdas e danos.

8) Dados do concurso: CONSULPLAN - 2011 - CESAN - ES - Carreira Universitária - Advogado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

Analisando as afirmativas, pode-se dizer que a boa fé objetiva compreende:

I. Princípio que visa a preservação dos interesses da parte lesada por ter celebrado contrato
sabidamente relativo a objeto ilícito.

II. Regra de conduta fundada na lealdade, na confiança, na lisura, na retidão e, principalmente, na


consideração para com o interesse do todo.
III. Fonte de deveres além daqueles determinados pela vontade das partes. São os deveres laterais,
apontados pela doutrina como aqueles que impõem aos contratantes uma atitude cooperativa, que
podem decorrer de cláusula contratual, de dispositivo legal ou do princípio da boa-fé.

Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s):

a) I, II, III

b) I, III

c) I, II

d) II, III

e) I

9) Dados do concurso: FCC - 2006 - MPE - PE - Analista Ministerial - Processual

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Contratos: Contratos em Geral

Em conformidade com as disposições previstas no Código Civil relativas aos contratos, é INCORRETO:

a) Nos contratos de adesão, são nulas as cláusulas que estipulem a renúncia antecipada do aderente a
direito resultante da natureza do negócio.

b) Em todo contrato sinalagmático presume-se a existência de uma cláusula resolutiva tácita,


autorizando o lesado pelo inadimplemento a pleitear a resolução do contrato, com perdas e danos.

c) Nos contratos bilaterais, nenhum dos contratantes, antes de cumprida a sua obrigação, pode exigir o
implemento da do outro.

d) Os contratantes são obrigados a guardar, assim na conclusão do contrato, como em sua execução,
os princípios da probidade e boa-fé.

e) A resilição bilateral ou distrato é uma causa anterior à formação do contrato, que tem por fim
extinguir o ajuste em razão do inadimplemento contratual.

10) Dados do concurso: IADES - 2011 - PGE - DF - Analista Jurídico - Direito e Legislação

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Os negócios jurídicos podem ser encarados e agrupados por classes, com diversidade de regimes legais
segundo vários critérios. Em geral, consideram-se o número de declarantes, vantagens para as partes,
momento de produção dos efeitos, modo de existência, formalidades a observar, número de atos
necessários, modificações que podem produzir e modo de obtenção do resultado. Assinale a alternativa
correta sobre o tema classificação dos negócios jurídicos.

a) Os negócios onerosos são aqueles que consistem em negócios em que ao benefício auferido
experimenta um sacrifício correspondente, estes se subdividem em: comutativos e aleatórios. Nos
primeiros, a prestação de uma das partes fica condicionada a um acontecimento exterior, não havendo
um equilíbrio subjetivo, por exemplo, no contrato de compra de uma safra futura. Neste caso, o
comprador pode assumir o risco de, naquele ano, a plantação não prosperar, não vindo a produzir
absolutamente nada ou produzindo em quantidade inferior ao esperado.

b) Os negócios chamados bifrontes poderão ser onerosos ou gratuitos dependendo da intenção


perseguida pelas partes contratantes, por exemplo, um contrato de depósito que é, em princípio,
gratuito, embora nada obste seja convencionada pelas partes a remuneração do depositário. Porém,
nem todos os contratos gratuitos podem ser convertidos em onerosos por convenção das partes.

c) Segundo a doutrina tradicional, negócio jurídico bilateral sinalagmático é aquele em que não existe
reciprocidade de direitos e obrigações entre os pactuantes.

d) Quanto ao número de declarantes ou de manifestações de vontade necessária para o seu


aperfeiçoamento, os negócios jurídicos podem ser classificados em principais e acessórios.

e) Levando-se em conta o momento da produção dos efeitos, os negócios jurídicos poderão ser
classificados como intervivos aqueles que se destinam a produzir efeitos desde logo, ou seja, estando as
partes ainda vivas, servindo de exemplos, a compra e venda, a locação e o codicilo. De outra banda, dá-
se como exemplo de negócio chamado mortis causa a doação estipulada em pacto antenupcial para
depois da morte do testador, o mandato e a permuta.

11) Dados do concurso: IADES - 2011 - PGE - DF - Analista Jurídico - Direito e Legislação

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Assinale a alternativa incorreta sobre o tema negócio jurídico.

a) Condição é a cláusula que subordina o efeito do negócio jurídico a evento futuro e incerto.

b) A validade da declaração de vontade não dependerá de forma especial, senão quando a lei
expressamente a exigir.

c) Os negócios jurídicos devem ser interpretados conforme a boa-fé e os usos do lugar de sua
celebração.

d) O silêncio não importa anuência mesmo quando as circunstâncias ou os usos o autorizarem, e não
for necessária a declaração de vontade expressa.

e) Os negócios jurídicos benéficos e a renúncia interpretam-se estritamente.


12) Dados do concurso: Instituto Cidades - 2011 - DPE - AM - Defensor Público

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

O princípio da boa-fé objetiva tem importância ímpar no ordenamento jurídico pátrio, pois norteia a
interpretação dos negócios jurídicos e gera direitos acessórios. Segundo a doutrina, um dos seus
desdobramentos é o venire contra factum proprium, que significa:

a) O exercício de um comportamento contrário aos comportamentos que uma das partes vinha tendo
até aquele momento, frustrando a legítima expectativa criada na outra parte de que tais
comportamentos continuariam.

b) Redução do conteúdo obrigacional pela inatividade de uma das partes.

c) Aumento do conteúdo obrigacional em razão da inatividade de uma das partes.

d) Impossibilidade de exigir da outra parte um comportamento que também não cumpriu ou


simplesmente negligenciou.

e) Impossibilidade de exigir da outra parte o cumprimento de obrigação contratual, quando deixou de


cumprir as suas próprias obrigações contratuais.

13) Dados do concurso: ESAF - 2010 - SMF - RJ - Fiscal de Rendas

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Sobre o encargo como óbice à aquisição ou ao exercício de direito, é correto afirmar que o encargo:

a) enquanto não cumprido, configura óbice à aquisição ou ao exercício de direito.

b) enquanto não cumprido, se traduz em óbice ao exercício do direito, não à aquisição.

c) não suspende a aquisição nem o exercício do direito, salvo quando expressamente imposto no
negócio jurídico, pelo disponente, como condição suspensiva.

d) enquanto não cumprido, se traduz em óbice à aquisição, não ao exercício do direito de forma
precária.

e) enquanto não cumprido, não suspende o exercício do direito de forma precária.

14) Dados do concurso: IESES - 2011 - TJ - MA - Serviço de Notas e de Registro - Remoção

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico


Assinale a alternativa correta:

a) Não dispondo a lei em contrário, consideram-se bens dominicais os bens pertencentes às pessoas
jurídicas de direito público a que se tenha dado estrutura de direito privado.

b) É anulável o negócio jurídico concluído pelo representante em conflito de interesses com o


representado, se tal fato era ou devia ser do conhecimento de quem com aquele tratou. Segundo o
Código Civil, o prazo de decadência para pleitear-se tal anulação é de 1 ano a contar da conclusão do
negócio ou da cessação da incapacidade.

c) É nulo o negócio jurídico em que o representante, no seu interesse ou por conta de outrem, celebrar
consigo mesmo.

d) A incapacidade relativa de uma das partes, em regra, pode ser invocada pela outra em benefício
próprio, aproveitando aos cointeressados capazes.

15) Dados do concurso: IESES - 2011 - TJ - MA - Serviço de Notas e de Registro - Remoção

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Assinale a alternativa correta:

a) É anulável o negócio jurídico quando o motivo determinante, comum a ambas as partes, for ilícito.

b) O falso motivo vicia a declaração da vontade ainda que não seja expresso como razão determinante
do negócio.

c) A reserva mental subsiste à manifestação da vontade quando o destinatário dela tinha


conhecimento.

d) São nulos os negócios jurídicos, quando as declarações de vontade emanarem de erro substancial
que poderia ser percebido por pessoa de diligência normal, em face das circunstâncias do negócio.

16) Dados do concurso: TRT 8ª - 2011 - TRT 8ª - Juiz do Trabalho Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Em consonância com a teoria das nulidades do negócio jurídico, é CORRETO afirmar:

a) É possível o convalescimento do negócio jurídico se o erro na indicação da pessoa ou da coisa for


suprível pelo seu conteúdo e pelas circunstâncias.
b) Presumem-se em fraude contra credores os negócios ordinários praticados pelo devedor insolvente,
ainda que indispensáveis à manutenção de estabelecimento mercantil, rural, ou industrial, ou à
subsistência do devedor e de sua família.

c) O negócio jurídico simulado é anulável porque é formado a partir de uma declaração de vontade ou
de uma confissão de dívida emitida para não gerar nenhum efeito jurídico, com o fito de lesar interesse
de terceiro.

d) O falso motivo vicia a declaração de vontade, em qualquer caso, tornando anulável o negócio
jurídico.

e) No estado de perigo, ao contrário do que ocorre na lesão, o contraente, por razões essencialmente
econômicas, ou por sua evidente inexperiência, é levado, inevitavelmente, a contratar, prejudicando-se.

17) Dados do concurso: FMP - 2010 - TJ - AC - Oficial de Justiça

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Sobre os defeitos dos negócios jurídicos, analise as afirmativas abaixo:

I- O falso motivo só vicia a declaração de vontade quando expresso como razão determinante.

II- O dolo acidental não obriga à satisfação das perdas e danos.

III- No apreciar a coação, ter-se-ão em conta o sexo, a idade, a condição, a saúde, o temperamento do
paciente e todas as demais circunstâncias que possam influir na gravidade dela.

IV- Ocorre a lesão quando uma pessoa, sob premente necessidade, ou por inexperiência, se obriga a
prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta.

São verdadeiras as seguintes assertivas:

a) I e II.

b) II e III.

c) I, III e IV.

d) II, III e IV.

e) I, II, III e IV.

18) Dados do concurso: CESPE - 2010 - OAB - Advogado OAB 2010.1

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico


A respeito dos defeitos dos negócios jurídicos, assinale a opção correta.

a) A lesão é um defeito que surge concomitantemente à realização do negócio e enseja a sua


anulabilidade. Entretanto, permite-se a revisão contratual para evitar a anulação, aproveitando-se,
assim, o negócio.

b) Se, na celebração do negócio, uma das partes induzir a erro a outra, levando-a a concluir o negócio e
a assumir uma obrigação desproporcional à vantagem obtida pelo outro, esse negócio será nulo porque
a manifestação de vontade emana de erro essencial e escusável.

c) O dolo acidental, a despeito do qual o negócio seria realizado, embora por outro modo, acarreta a
anulação do negócio jurídico.

d) Tratando-se de negócio jurídico a título gratuito, somente se configura fraude quando a insolvência
do devedor seja notória ou haja motivo para ser conhecida, admitindo-se a anulação do negócio pelo
credor.

19)Dados do concurso: FMP - 2010 - DPE - RO - Defensor Público Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Assinale a alternativa INCORRETA.

a) Os atos jurídicos stricto sensu diferenciam-se dos negócios jurídicos, porque nos últimos é possível,
por meio de elementos acidentais do negócio jurídico, disposição sobre os efeitos do ato, enquanto nos
primeiros, não.

b) São nulos os negócios jurídicos e, também, os atos jurídicos stricto sensu, quando os defeitos na
manifestação de vontade emanarem de simulação, coação absoluta e fraude à lei imperativa.

c) O ato-fato jurídico é modalidade de fato jurídico que não pode ser invalidada.

d) O ato nulo e o ato anulável diferenciam-se, entre outras características, porque o primeiro é
conhecível ex officio, enquanto o segundo, não.

e) A lesão é causa de anulabilidade do negócio jurídico, desde que a onerosidade excessiva da


obrigação contraída seja inicial.

20) Dados do concurso: TRF 4ª Região - 2000 - TRF 4ª Região - Juiz Federal Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Assinale a afirmativa correta:


a) A especificação é anulável por vício de consentimento.

b) A infração à cláusula geral da boa-fé objetiva não é causa de nulidade dos negócios jurídicos no
ordenamento brasileiro.

c) Os atos nulos são ineficazes.

d) É nulo de pleno direito o contrato celebrado por órgão público com aquele que sofreu pena de
proibição para contratar com o Poder Público.

21) Dados do concurso: FCC - 2011 - PGE - MT - Procurador de Estado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

É nulo o negócio jurídico

a) simulado, mas subsistirá o que se dissimulou, salvo se válido for na substância ou na forma.

b) celebrado por pessoa relativamente incapaz.

c) celebrado por vício resultante de erro, dolo, coação, estado de perigo, lesão ou fraude contra
credores.

d) não revestido da forma escrita, ainda que a lei não exija tal formalidade.

e) celebrado por pessoa que, mesmo por causa transitória, não puder exprimir sua vontade.

22)Dados do concurso: FCC - 2011 - TCE - SE - Analista de Controle Externo - Coordenadoria Juríd

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

A nulidade decorrente de negócio jurídico celebrado por pessoa absolutamente incapaz

a) não pode ser alegada pelo Ministério Público.

b) convalesce pelo decurso do tempo.

c) não pode ser declarada pelo juiz de ofício.

d) pode sempre ser suprida pelo juiz a requerimento das partes.

e) não é suscetível de confirmação.

23) Dados do concurso: FGV - 2011 - OAB - IV Exame de Ordem


Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

O negócio jurídico depende da regular manifestação de vontade do agente envolvido. Nesse sentido, o
art. 138 do Código Civil dispõe que "são anuláveis os negócios jurídicos quando as declarações de
vontade emanarem de erro substancial que poderia ser percebido por pessoa de diligência normal, em
face das circunstâncias do negócio". Relativamente aos defeitos dos negócios jurídicos, assinale a
alternativa correta.

a) O falso motivo, por sua gravidade, viciará a declaração de vontade em todas as situações e, por
consequência, gerará a anulação do negócio jurídico.

b) O erro não prejudica a validade do negócio jurídico quando a pessoa, a quem a manifestação de
vontade se dirige, se oferecer para executá-la na conformidade da vontade real do manifestante.

c) O erro é substancial quando concerne à identidade ou à qualidade essencial da pessoa a quem se


refira a declaração de vontade, ainda que tenha influído nesta de modo superficial.

d) O erro de cálculo gera a anulação do negócio jurídico, uma vez que restou viciada a declaração de
vontade nele baseada.

24) Dados do concurso: CEPERJ - 2009 - PC - RJ - Delegado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

No Código Civil de 2002, a simulação é considerada hipótese de nulidade, não sendo mais disciplinada
entre as causas de anulação dos negócios, conforme estabelecia o Código Civil anterior. Assim, é correto
afirmar que:

a) Assim como no regime anterior, o Código Civil de 2002 prevê expressamente que a simulação
inocente não gera a invalidade.

b) Haverá simulação nos negócios jurídicos quando aparentarem conferir ou transmitir direitos a
pessoas diversas daquelas às quais realmente se conferem, ou transmitem, quando contiverem
declaração, confissão, condição ou cláusula não verdadeira ou, ainda, quando os instrumentos
particulares forem antedatados ou pós-datados.

c) Na simulação, bem como na reserva mental, o declarante manifesta vontade para a realização de
negócio que não deseja, mas sem o conhecimento da outra parte.

d) Para a caracterização da simulação maliciosa, exige-se a intenção de prejudicar e o efetivo prejuízo


de terceiro.

e) É nulo o negócio jurídico simulado e não subsistirá o que se dissimulou, mesmo se válido for na
substância e na forma.
25) Dados do concurso: CEPERJ - 2009 - PC - RJ - Delegado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Ao ver que sua embarcação naufragava, Mévio, avistando Caio em outro barco, prometeu-lhe quantia
vultosa para que ele o salvasse. Analisando a questão proposta, responda qual é a afirmativa correta:

a) Trata-se do defeito do negócio jurídico denominado lesão, pois, no caso em apreço, uma pessoa, sob
premente necessidade, se obriga a prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação
oposta.

b) Trata-se do defeito do negócio jurídico denominado coação, pois, no caso em apreço, uma pessoa
sob fundado temor de dano iminente e considerável à sua pessoa, emite declaração de vontade.

c) Trata-se do defeito do negócio jurídico denominado estado de perigo, pois, no caso em apreço,
alguém premido da necessidade de salvar-se de grave dano conhecido pela outra parte, assume
obrigação excessivamente onerosa.

d) Trata-se do defeito do negócio jurídico denominado onerosidade excessiva, pois, no caso em apreço,
uma pessoa assume obrigação excessivamente onerosa, com extrema vantagem para a outra pessoa.

e) No caso em apreço, pode-se afirmar que não estão presentes os defeitos do negócio jurídico
disciplinados pelo Código Civil.

26) Dados do concurso: CESPE - 2011 - EBC - Analista de Empresa de Comunicação Pública - Advoc

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

Admite-se a incidência do instituto da fraude contra credores, até mesmo nos contratos firmados com
pessoas jurídicas, quando, notória a insolvência, não seja encontrado pelo credor patrimônio suficiente
para garantir o crédito contratado, em razão da prática fraudulenta. Para anular os atos viciados, basta,
apenas, a demonstração da existência do elemento subjetivo do consilium fraudi para prejudicar os
credores.

Certo ou Errado

27) Dados do concurso: CESPE - 2011 - EBC - Analista de Empresa de Comunicação Pública - Advoc

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

O Código Civil adota fórmula expressa para definir abuso de direito, colocando-o na categoria de ato
ilícito, assim considerado quando o titular de um direito, ao exercê-lo, excede os limites manifestamente
impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes e, nessa situação, o ato
é contrário ao direito e ocasiona responsabilidade do agente pelos danos causados.

Certo ou Errado

28) Dados do concurso: IADES - 2011 - PGE - DF - Analista Jurídico - Direito e Legislação

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Os defeitos dos negócios jurídicos se classificam em vícios de consentimento - que são aqueles em que a
vontade não é expressa de maneira absolutamente livre -, e vícios sociais - em que a vontade
manifestada não tem, na realidade, a intenção pura e de boa-fé que enuncia. Assinale a alternativa
correta sobre o tema defeitos dos negócios jurídicos.

a) É de cinco anos o prazo de decadência para pleitear-se a anulação do negócio jurídico contado, no
caso do erro, dolo, fraude contra credores, estado de perigo ou lesão, do dia em que se realizou o
negócio jurídico.

b) Não serão passíveis de anulação os negócios jurídicos, quando as declarações de vontade emanarem
de erro substancial, aqueles que poderiam ser percebido por pessoa de diligência normal.

c) O vício da coação, para viciar a declaração da vontade, há de ser tal que incuta ao paciente temor de
dano iminente e considerável à sua pessoa ou à sua família, não havendo previsão legal para eventuais
danos em desfavor de bens do paciente.

d) Prescreve o Código Civil que o simples temor reverencial se equipara ao vício de coação, ou seja,
terá potência suficiente para anular o negócio jurídico.

e) O dolo do representante legal de uma das partes só obriga o representado a responder civilmente
até a importância do proveito que teve. No caso de dolo perpetrado pelo representante convencional, o
representado responderá solidariamente como ele por perdas e danos.

29) Dados do concurso: AOCP - 2011 - Pref. Ibiporã - PR - Advogado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas.

I. São anuláveis os negócios jurídicos, quando as declarações de vontade emanarem de erro substancial
que poderia ser percebido por pessoa de diligência normal, em face das circunstâncias do negócio.
II. Nos negócios jurídicos bilaterais, o silêncio intencional de uma das partes a respeito de fato ou
qualidade que a outra parte haja ignorado, constitui omissão dolosa, provando-se que sem ela o negócio
não se teria celebrado.

III. Considera-se coação a ameaça do exercício normal de um direito ou o simples temor reverencial.

IV. Configura-se lesão quando alguém, premido da necessidade de salvar-se, ou a pessoa de sua família,
de grave dano conhecido pela outra parte, assume obrigação excessivamente onerosa.

a) Apenas II e III.

b) Apenas I, II e IV.

c) Apenas I e II.

d) Apenas II e IV.

e) I, II, III e IV.

30) Dados do concurso: FMP - 2010 - DPE - RO - Defensor Público Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Observe as seguintes afirmativas:

I. O erro, na disciplina do Código Civil em vigor, é causa de anulabilidade do negócio jurídico por vício do
consentimento, mas, para que dê causa à anulabilidade o erro de uma das partes deve ser conhecido ou
conhecível pela outra parte do negócio jurídico.

II. O dolo civil, na disciplina do Código Civil em vigor, é causa de anulabilidade do negócio jurídico. No
caso, no entanto, de o dolo ser praticado por terceiro ( estranho ao negócio entre A e B ), que induz A ao
erro, não é necessário, para que o ato seja desconstituído, que B tenha ou possa ter conhecimento do
erro de A. Diferenciam-se, assim, erro e dolo, por ser o dolo ato ilícito.

III. A vis absoluta gera inexistência do ato, enquanto a vis compulsiva gera mera anulabilidade do ato.

IV. A fraude contra credores é causa de anulabilidade de negócios jurídicos gratuitos ou onerosos,
devendo, no entanto, em qualquer caso, para que se configure como tal, haver consilium fraudis entre o
insolvente e terceiro para prejudicar credores.

Pode-se dizer que

a) Apenas as alternativas I e II estão corretas.

b) Apenas as alternativas II e IV estão corretas.


c) Apenas as alternativas I e III estão corretas.

d) Apenas as alternativas II e III estão corretas.

e) Apenas as alternativas III e IV estão corretas.

31) Dados do concurso: FMP - 2010 - DPE - RO - Defensor Público Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Assinale a alternativa correta.

a) A decadência é instituto de ordem pública, cujo prazo não admite interrupções, nem suspensões.
Por esse motivo, o prazo decadencial corre contra os absolutamente incapazes.

b) Quando a decadência for estabelecida por lei é conhecível ex officio. Se for convencional, não.

c) Ações declaratórias e ações constitutivas, positivas ou negativas, são sujeitas a prazo decadencial.

d) Não corre prescrição enquanto pender condição suspensiva ou resolutiva.

e) A interrupção da prescrição, efetivada contra o devedor principal não prejudica o fiador, devendo
haver ato contra esse para a interromper.

32) Dados do concurso: Instituto Cidades - 2011 - DPE - AM - Defensor Público

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Negócio Jurídico

Dentre os defeitos do negócio jurídico, o direito elenca aqueles relacionados aos vícios de
consentimento. Desses, é correto afirmar que o erro

a) de direito é admitido no direito brasileiro para o não cumprimento do negócio, eximindo-se o


interessado do cumprimento da lei.

b) de direito sobre o motivo do negócio, é admitido e dá causa à sua anulação quando for seu motivo
principal, não afastando o cumprimento da lei.

c) de direito enquanto exceptio ignorantiae juris não afasta os efeitos da lei e do negócio em casos em
que ficar demonstrada sua existência.

d) referente à lei torna o negócio válido, mas essa lei aplicável a ele não será de cumprimento
obrigatório.

e) consubstancia exceptio ignorantiae juris, impedindo os efeitos da lei quando demonstrada a sua
ignorância no negócio jurídico.
33) Dados do concurso: ESAF - 2010 - SMF - RJ - Fiscal de Rendas

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Atos Jurídicos Ilícitos

Assinale a afirmativa correta.

a) Ao praticar um ato que tenha por objetivo encobrir outro de natureza diversa, o agente pratica uma
simulação absoluta.

b) É anulável o ato jurídico por incapacidade relativa do agente.

c) O vício de forma gera a nulidade e não a anulabilidade do ato jurídico.

d) É nulo o ato jurídico quando eivado de vício resultante de erro, dolo, coação, simulação ou fraude.

e) A desconstituição do ato jurídico pode produzir efeitos ex nunc ou ex tunc, conforme a causa
determinante da respectiva invalidade.

34) Dados do concurso: CESPE - 2011 - TCU - Auditor Federal de Controle Externo - Auditoria Go

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

As normas que estipulam os prazos prescricionais são dispositivas e, por isso, podem ser livremente
alteradas pela manifestação de vontade das partes interessadas.

Certo Errado

(errado)

35) Dados do concurso: FCC - 2011 - PGE - MT - Procurador de Estado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

NÃO corre a prescrição

a) pendendo condição resolutiva.

b) pendendo condição suspensiva.

c) contra os relativamente incapazes.

d) contra todos os ausentes do País.

e) enquanto não prolatada a respectiva sentença penal recorrível quando a ação se originar de fato que
deva ser apurado no juízo criminal.
36) Dados do concurso: FCC - 2011 - TCM - BA - Procurador do Ministério Público Especial de Conta

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Sujeita-se a prazo decadencial a ação

a) declaratória de nulidade de negócio jurídico simulado.

b) de anulação de negócio jurídico em virtude de fraude contra credores.

c) de cobrança de dívida de dinheiro.

d) de repetição de indébito.

e) que tenha por objeto declarar a existência ou a inexistência de uma relação jurídica.

37) Dados do concurso: FCC - 2011 - TCE - SE - Analista de Controle Externo - Coordenadoria Juríd

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

A respeito da prescrição e da decadência, considere:

I. A prescrição entre ascendente e descendente inicia- se na data em que o menor completar 18 anos de
idade ou cessar, por outra causa, a incapacidade.

II. É causa interruptiva da prescrição ato inequívoco, ainda que extrajudicial, que importe
reconhecimento do direito pelo devedor.

III. A decadência prevista em lei pode ser objeto de renúncia ou alteração por convenção das partes.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II.

e) I.

38) Dados do concurso: FGV - 2011 - OAB - V Exame de Ordem


Disciplina: Direito Civil | Assunto: Geral

O decurso do tempo exerce efeitos sobre as relações jurídicas. Com o propósito de suprir uma
deficiência apontada pela doutrina em relação ao Código velho, o novo Código Civil, a exemplo do
Código Civil italiano e português, define o que é prescrição e institui disciplina específica para a
decadência. Tendo em vista os preceitos do Código Civil a respeito da matéria, assinale a alternativa
correta.

a) Se a decadência resultar de convenção entre as partes, o interessado poderá alegá-la, em qualquer


grau de jurisdição, mas o juiz não poderá suprir a alegação de quem a aproveite.

b) Se um dos credores solidários constituir judicialmente o devedor em mora, tal iniciativa não
aproveitará aos demais quanto à interrupção da prescrição, nem a interrupção produzida em face do
principal devedor prejudica o fiador dele.

c) O novo Código Civil optou por conceituar o instituto da prescrição como a extinção da pretensão e
estabelece que a prescrição, em razão da sua relevância, pode ser arguida, mesmo entre os cônjuges
enquanto casados pelo regime de separação obrigatória de bens.

d) Quando uma ação se originar de fato que deva ser apurado no juízo criminal, não correrá a
prescrição até o despacho do juiz que tenha recebido ou rejeitado a denúncia ou a queixa-crime.

39) Dados do concurso: FCC - 2011 - TRT 20ª - Analista Judiciário - Judiciário

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Sobre prescrição e decadência, considere:

I. Pode ser renunciada pela parte, e só valerá, sendo feita, sem prejuízo de terceiro, depois da
consumação.

II. Não pode ser reconhecida de ofício pelo juiz.

Tais afirmativas são, dentre outras, características da

a) prescrição e da decadência convencional, respectivamente.

b) decadência legal e da prescrição, respectivamente.

c) prescrição e da decadência legal, respectivamente.

d) decadência legal.

e) prescrição.
40) Dados do concurso: FGV - 2010 - Prefeitura Angra dos Reis - RJ - Auditor Fiscal da Receita Municipal

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Assinale a alternativa correta.

a) A prescrição pode ser alegada de ofício pelo juiz, ou também pela parte a quem aproveita, em
qualquer grau de jurisdição, independentemente de seu prequestionamento.

b) A decadência pode ser legal ou convencional, sendo que ambas podem ser conhecidas de ofício pelo
juiz. O mesmo ocorre com a prescrição, que também pode ser conhecida ex officio pelo magistrado.

c) Em face do princípio da supremacia do interesse público, caso a prescrição ou a decadência


convencional beneficiem a Fazenda Pública, o juiz pode conhecê-las de ofício.

d) A prescrição iniciada contra uma pessoa continua a correr contra o seu sucessor, exceto se este for
absolutamente incapaz, ou estiver ausente do País a serviço dos entes federativos, ou se achar a serviço
das Forças Armadas em tempo de guerra.

e) A prescrição diz respeito aos direitos potestativos que, por essência, não possuem pretensão, já que
não podem ser objeto de violação. A decadência, por sua vez, refere-se aos direitos subjetivos
patrimoniais, aqueles que trazem consigo a possibilidade de que o seu titular exija determinado
comportamento de alguém.

41) Dados do concurso: FCC - 2006 - MPE - PE - Analista Ministerial - Processual

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Em matéria de prescrição, analise as seguintes proposições:

I. Aquele que for favorecido pela alegação da prescrição, pode renunciá-la durante seu curso.

II. O juiz pode suprir, de ofício, a alegação de prescrição quando favorecer, dentre outros, o menor de 16
(dezesseis) anos.

III. Havendo acordo entre as partes, os prazos prescricionais podem ser alterados pelas partes.

IV. Quando o prazo prescricional iniciou-se com o autor da herança, seu sucessor disporá apenas do
prazo faltante para exercer o direito de ação.

É correto o que consta APENAS em

a) II e IV.

b) I e III.
c) III e IV.

d) I, II e III.

e) I, II e IV.

42) Dados do concurso: FCC - 2006 - MPE - PE - Técnico Ministerial - Administrativa

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Com relação à decadência, é correto:

a) O juiz, de ofício, deve conhecer a decadência quando estabelecida por lei.

b) Não corre a decadência contra os relativamente incapazes.

c) Salvo disposição legal em contrário, as normas que interrompem a prescrição se aplicam à


decadência.

d) É válida a renúncia à decadência fixada em lei.

e) Ainda que se trate de direito patrimonial, a decadência convencional pode ser decretada de ofício.

43) Dados do concurso: AOCP - 2011 - Pref. Ibiporã - PR - Advogado

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

De acordo com o Código Civil, a pretensão de reparação civil, prescreve em

a) 1 (um) ano.

b) 2 (dois) anos.

c) 3 (três) anos.

d) 4 (quatro) anos.

e) 5 (cinco) anos.

44) Dados do concurso: CESPE - 2002 - TJ - DFT - Juiz Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Analise as proposições e indique a alternativa correta.


Proposições:

I - Não podem as partes alterar os prazos de prescrição, mas o prescribente pode renunciar a prescrição.

II - A ação de investigação de paternidade é imprescritível.

III - Não corre prescrição contra o absolutamente incapaz.

a) Todas as proposições são verdadeiras.

b) Todas as proposições são falsas.

c) Apenas uma das proposições é verdadeira.

d) Apenas uma das proposições é falsa.

45) Dados do concurso: TJ - SC - 2010 - TJ - SC - Oficial de Justiça e Avaliador

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

À luz do Código Civil, o prazo de três anos para anular as decisões da administração colegiada de uma
pessoa jurídica é considerado:

a) Preclusivo.

b) Peremptório.

c) Prescricional.

d) Prescricional intercorrente.

e) Decadencial.

46) Dados do concurso: TRT 8ª - 2011 - TRT 8ª - Juiz do Trabalho Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

NÃO prescreve em 3 (três) anos:

a) A pretensão de reparação civil.

b) A pretensão de ressarcimento de enriquecimento sem causa.

c) A pretensão de cobrança de dívidas líquidas constantes de instrumento público ou particular.


d) A pretensão relativa a alugueis de prédios urbanos ou rústicos.

e) A pretensão para receber prestações vencidas de rendas temporárias ou vitalícias.

47) Dados do concurso: TRT 23ª - 2011 - TRT 23ª - Juiz do Trabalho Substituto

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Constitui prazo decadencial

a) O prazo de um ano para ação de pretensão dos tabeliães, auxiliares da justiça, serventuários
judiciais, árbitros e peritos, pela percepção do emolumentos, custas e honorários

b) O prazo de dois anos, após a extinção do contrato de trabalho, para o empregado ingressar com
ação trabalhista contra seu ex-empregador

c) O prazo de um ano para ajuizamento de ação envolvendo pretensão do segurado contra o


segurador, ou a deste contra aquele

d) O prazo de três anos para ajuizamento de ação versando sobre a pretensão relativa a alugueis de
prédios urbanos ou rústicos

e) O prazo de dois anos para propositura de ação rescisória

48) Dados do concurso: IESES - 2011 - TJ - MA - Serviço de Notas e de Registro - Remoção

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Assinale a alternativa correta:

a) Suspende-se a prescrição o despacho do juiz, mesmo incompetente, que ordenar a citação, se o


interessado a promover no prazo e na forma da lei processual.

b) Ainda que a ação esteja pendente de evicção, o prazo prescricional continua a correr.

c) Os relativamente incapazes e as pessoas jurídicas têm ação contra os seus assistentes ou


representantes legais, que derem causa à prescrição, ou não a alegarem oportunamente.

d) Aquele que, por ação ou omissão involuntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar
dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.

49) Dados do concurso: IESES - 2011 - TJ - MA - Serviço de Notas e de Registro - Ingresso


Disciplina: Direito Civil | Assunto: Diversos

Assinale a alternativa correta:

a) Constituem ato ilícito a deterioração ou destruição da coisa alheia, ou a lesão a pessoa, a fim de
remover perigo iminente.

b) O bem de família, quer instituído pelos cônjuges ou por terceiro, constitui-se pelo registro de seu
título no Registro de Imóveis.

c) É anulável a renúncia à decadência fixada em lei.

d) Não corre a prescrição contra os relativamente incapazes.

50) Dados do concurso: Instituto Cidades - 2011 - DPE - AM - Defensor Público

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Assinale a alternativa correta:

a) Os prazos de prescrição e de decadência podem ser alterados pela vontade das partes.

b) Não corre a prescrição em face dos relativamente e absolutamente incapazes.

c) O juiz deve conhecer de ofício a decadência legal ou convencional.

d) A prescrição pode ser interrompida por qualquer interessado.

e) Aquele que cumpre obrigação prescrita tem direito à repetição de indébito, pois não há renúncia
tácita da prescrição.

51) Dados do concurso: ESAF - 2010 - MTE - Auditor-Fiscal do Trabalho 2

Disciplina: Direito Civil | Assunto: Prescrição e Decadência

Entre as principais diferenças entre prescrição e decadência aponte, nas opções a seguir, aquela que não
é verdadeira.

a) Na prescrição, o direito material extingue-se por via refl exa: perde-se o direito à ação para pleiteá-lo
e, portanto, não se consegue exercer o direito material; na decadência, perde-se o próprio direito
material, por não se ter utilizado tempestivamente da via judicial adequada para pleiteá-lo.

b) A prescrição tem origem na lei; a decadência, na lei e no negócio jurídico.

c) A prescrição é renunciável, a decadência é irrenunciável, quando fixada em lei.


d) A prescrição abrange, via de regra, direitos patrimoniais; a decadência abrange direitos patrimoniais
e não patrimoniais.

e) A prescrição não pode ser impedida, suspensa nem interrompida, exceto por disposição legal em
contrário; a decadência é passível de suspensão e interrupção.

Gabarito:

1. A

2. B

3. D

4. B

5. E

6. E

7. D

8. D

9. E

10. B

11. D

12. A

13. C

14. A

15. C

16. A

17. C

18. A

19. B

20. D
21. E

22. E

23. B

24. B

25. C

26. ERRADO

27. CERTO

28. E

29. C

30. C

31. B

32. B

33. E

34. ERRADO

35. B

36. B

37. A

38. A

39. A

40. D

41. A

42. A

43. C

44. A

45. E
46. C

47. E

48. C

49. B

50. D

51. E