Você está na página 1de 12

Relatório das Técnicas de Observação de Registro Contínuo Cursivo e Registro

Cursivo Categorizado
Atora: Isabel Maria do Nascimento

Brasília
maio de 2019
Introdução

Este trabalho foi realizado no Centro de atendimento CENFOR de Psicologia


UniCEUB (Anexo A), com o objetivo de mostrar aos alunos do curso de Psicologia como
aplicar um instrumento muito utilizado pelos psicólogos e pesquisadores denominado de
técnica de observação, realizado em três sessões, com uma criança do sexo masculino de oito
anos de idade. Foram realizadas duas sessões de: Registro Contínuo Cursivo onde a criança
foi observada em atendimento terapêutico, pelo período de 10 minutos por sessão, e
registrados todos os seus comportamentos possíveis. A terceira sessão foi de Registro
Contínuo Categorizado, onde foram analisados os comportamentos das sessões anteriores e
destacados os mais recorrentes. Esses registros foram observados por duas alunas do segundo
período do curso de psicologia, após as sessões de observação de registro categorizado, foi
analisado o índice de concordância e discordancia nas categorias observadas pelas as duas
alunas e feito o teste de fidedignidade das categorias definidas, e foi verificado que o índice
de fidedignidade dos comportamentos observados pelas duas observadoras, tiveram resultado
confiável com um índice de concordância entre 93% e 100% de assertividade.

A técnica de observação é um instrumento que vem sendo cada vez mais utilizado nas
áreas de pesquisa e da psicologia, uma vez que possibilita ao psicólogo e pesquisador extrair
informações de forma mais eficiente, o que com outras técnicas se tornariam mais difíceis ou
mesmo impossíveis. Através da técnica de observação, os psicólogos e pesquisadores têm
conseguido identificar as relações entre o comportamento do sujeito e as influências que o
ambiente pode produzir de acordo com as circunstâncias. A técnica de observação permite a
detecção e obtenção de informações muitas vezes não percebidas por outros métodos. A
observação é usada para estudar fenômenos mais complexos quando se pretende realizar uma
análise mais exploratória e descritiva de um determinado fenômeno. (Ferreira, Torrecilha,
Machado, 2012).

A observação comportamental é um instrumento de trabalho importante para os


psicólogos e pesquisadores na obtenção de dados que facilitam a compreensão do
comportamento investigado. O psicólogo clínico, escolar ou organizacional para resolver
problemas nessas áreas necessita de técnicas de observação direta e registro de
comportamento do sujeito; tanto para ele observar e registrar o que pretende modificar, como
treinar seu cliente. A observação de comportamento também é importante para outras pessoas
que possam ajudar modificar o comportamento como: os pais, educadores dentre outros.
(Fagundes, 1985)

O método de observação é aplicado para observar o sujeito e seu comportamento no


momento em que acontece, sem interferência de instrumento que possa influenciar no
resultado da ação. A observação atenta dos detalhes coloca o psicólogo ou pesquisador dentro
do cenário de forma que ele possa compreender a complexidade dos ambientes psicossociais,
ao mesmo tempo em que lhe permite uma interlocução mais competente (Zanelli, 2002).

Existe uma grande diferença entre a observação de comportamento no senso comum e


a observação cientifica. No senso comum, são observações baseadas em deduções achismo,
sem fundamentação teórica que possa apresentar a comprovação que determinado
comportamento observado em um sujeito, possa ser comprovado por outras pessoas e
apresentar o mesmo resultado ou semelhante. Segundo Fagundes, (1985).

A observação comportamental é descrita em uma linguagem científica que deve ser


objetiva, clara e exata, concisa baseada em fatos concretos, analisados e comprovados.
Mesmo sendo necessários psicólogos ou pesquisadores usarem a linguagem coloquial e a
cientifica para poder observar, descreve definir e compreender os comportamentos. O que
deve ser analisada é a ação do sujeito, e não a interpretação do observador.

Esses relatos são feitos por meio de registro contínuo cursivo, onde o psicólogo ou
pesquisador observa de forma continua com tempo determinado, todos os eventos
comportamentais do sujeito, registrando também os eventos ambientais tal qual ocorre em um
caderno de anotações, registrando todos os eventos utilizando uma linguagem cientifica.

O registro cursivo categorizado é baseado nos registros das categorias


comportamentais registradas anteriormente, o psicólogo ou pesquisador analisa os eventos
comportamentais mais recorrentes e define por categoria, o que vai ser observado e faz o
registro dessas categorias com tempo pré-determinado. Observar o comportamento humano
não é tarefa simples e fácil, exige do psicólogo ou pesquisador a aplicação de técnicas como:
percepção aguçada, interpretação e reflexão na qualidade dos eventos registrados.

Esses comportamentos observados podem ser uma observação de forma indireta, onde
se focaliza o maior número de ações do sujeito, apresentada em um determinado espaço de
tempo, já na observação direta o observador focaliza por um determinado espaço de tempo, os
comportamentos especifico.

Quando se faz a comparação dos registros observacionais, o índice de concordância ou


discordância encontrada nos registros das categorias observadas serve, para medir a
confiabilidade da técnica aplicada pelo o psicólogo ou observador.

Se esse índice for acima de 70% considera-se fidedigno, confiável, se foi menor, os
observadores vão analisar os eventos para encontrar as falhas. O ideal é que a concordância
nos eventos registrados na aplicação da técnica de observação de comportamento
categorizado, realizado pelos observadores seja igual ou maior que 70%.(Fagundes, 1989).

Essa técnica tem mostrado um resultado eficaz em pesquisas no âmbito escolar e nas
organizações, com o objetivo de detectar problemas nas relações interpessoais, nas
necessidades de treinamento, nos relacionamento com os gestores. Nas escolas as dificuldades
apresentadas na aprendizagem, às diferenças sociais e a didática utilizada pelo professor em
sala de aula entre outras. (Danna e Matos, 2011).
Método

Participante: Uma criança do sexo masculino; oito anos de idade, observada em uma
sessão de atendimento terapêutico no dia 12 de março no horário de 16h30min às 16h40min;
dia 26 de março de 2019; horário: de 16h08min às 16h18min, e no dia 02 de abril de 2019,
horário: de 16h30minmin às 16h40minmin.

Local: Essas observações foram realizadas durante uma sessão terapêutica da criança
acima citada em um dos consultórios no Centro de Atendimento a comunidade CENFOR de
psicologia UniCEUB (Anexo A) localizada no Edifício União Asa Sul de Brasília DF.
O ambiente físico com iluminação artificial favorecido por meio de lâmpadas
florescentes, a ventilação também artificial proporcionada por um aparelho de ar-
condicionado. A mobília da sala era composta por uma mesa quadrada baixa própria para
criança, feita de plástico nas cores primárias, verde, vermelho, amarelo e azul, quatro
cadeiras, também pequenas feitas de plásticos combinando com as cores da mesa; cada
cadeira em um canto da mesa. Uma caixa no chão contendo vários brinquedos, duas
poltronas pretas uma em cada canto da sala, uma lousa de cor verde, um espelho de
observação e porta.

Material: durante cada sessão foi usados uma prancheta, folhas de papel A4,
fornecidas pela instituição, um cronometro e caneta para fazer os registros.

Procedimentos: a técnica de observação foi realizada em três sessões sendo que na


primeira e na segunda sessão foi utilizada a técnica de observação de registro contínuo
cursivo, que uma técnica em que o psicólogo ou pesquisador, observa o sujeito em seu
ambiente, por um tempo determinado e ininterrupto. Ao entrar na sala de observação, foi
possível observar todos os eventos comportamentais da criança e fazer o registro dos seus
movimentos, que na técnica de observação são denominados de comportamentos. A técnica
usada para observar o atendimento dessa criança foi observação do registro contínuo cursivo,
que permite ao observador registrar de forma detalhada o maior número de eventos
comportamentais possíveis dentro de um tempo determinado.

A terceira sessão foi aplicada a técnica de registro cursivo categorizado, essa


observação é realizada com embasamento nas observações anteriores, onde são analisados os
comportamentos mais enfatizados nas observações anteriores e definidos por categorias. Para
esse relatório foram analisados os registros das duas observadoras e definido seis categorias a
serem observadas.

Após a aplicação da técnica foi feito uma analise para verificar o índice de
concordância e discordância na observação realizada pelas duas alunas foi aplicado o cálculo
de fidedignidade, no qual pode se verificou que a fidedignidade na aplicação da técnica teve
um índice de concordância positivo.

Tabela 1

Sessões de observações, técnicas de registros realizados e dias das observações.

Sessão Técnica de registro Dia da observação


1 Registro Cursivo Contínuo 12/03/2019

2 Registro Cursivo Contínuo 26/03/2019

3 Registro Cursivo Categorizado 02/04/2019


RESULTADOS/DISCUSSÃO

A seleção dos comportamentos observados, na técnica de Registro Contínuo Cursivo,


permitiu identificar seis comportamentos a serem observados, utilizando a técnica de Registro
Contínuo Categorizado. Um dos aspectos fundamentais para as definição operacional de cada
comportamento foi à constância com que eles foram manifestados nos registros observados
anteriormente.

O registro de evento é a forma de registro contínuo categorizado mais conhecido.


Após definir os comportamentos a ser observado, o observador procede a contagem
do número de vezes que o comportamento ocorre num determinado período de tempo.
É o registro da frequência do comportamento. (Mattos e Mattos, 2011 p 63).

Na primeira sessão e na segunda foram feitas a comparação dos comportamentos


idênticos, e a quantidade de vezes que foi observado por cada uma das observadoras,
realizado essa análise comparativa, foi definido cada comportamento por categoria. Na
terceira sessão, com os comportamentos já definidos por categorias, aplicou-se a técnica de
Registro Contínuo Categorizado das técnicas comportamentais definidas como: Segurar,
Sentar, Falar, Levantar, Balançar a cabeça e Sorrir.
Cada observadora de posse de uma prancheta, caneta e uma folha impressa com os
eventos comportamentais já definidos por categoria, observaram a criança em atendimento
terapêutico e aplicaram a técnica de observação de Registro Contínuo Categorizado, contando
quantas vezes cada comportamento foi emitido pela criança no tempo determinado. Após os
10 minutos de sessão se fez a contagem dos registros de cada observadora, para contar e
analisar o índice de concordância e discordância dos comportamentos observados e aplicado o
cálculo de fidedignidade para cada categoria comportamental.

O índice de Concordância, também conhecido como “índice de Fidedignidade”, pode


ser calculado para um ou vários comportamentos e, neste ultimo caso, para cada um
deles em separado ou para o conjunto deles. Pode, ainda, ser calculado para se
comparar os registros de dois observadores entre si ou, quando se usam inúmeros
observadores na mesma situação, para se comparar cada observador com os demais,
aos pares. Fagundes (1989, p 67).
Fidedignidade é, portanto, a medida da constância e precisão nos registros de um
observador. Danna e Mattos (2011). Nessa pesquisa os resultados obtidos pelas observadoras
foram comparados e verificados as concordâncias e discordâncias entre as duas. Em seguida
aplicado a formula do cálculo de fidedignidade, obteve-se um índice positivo nas categorias
comportamentais observada, nas categorias Sentar, Levantar e Sorrir o índice de
fidedignidade encontrado foi de 100%%, para as categorias Segurar, Falar e Balançar a
cabeça foram de 93,33%, um índice de concordância fidedigna bastante satisfatória para a
finalidade do objetivo desejado.
Segundo Fagundes (1989), se os índices de concordância são acima de 70%, já
podemos aceitar como confiáveis e aceitar que a aplicação da técnica de observação de
registro contínuo por categorias foi bem definida.
Tabela 2
Categorias comportamentais estabelecidas e definições operacionais de cada
Comportamento

Categorias Comportamentais Definição operacional

Segurar: Elevar as duas mãos em direção ao objeto que está sobre


a mesa, envolver com as duas mãos e retirar de cima da
mesa.
Sentar: Flexionar os joelhos em direção ao assento da cadeira ou
Do chão, até ficar com as nádegas completamente apoiadas.
Falar: Abrir e fechar a boca, movimentando os lábios para cima e
Para baixo.
Levantar: Erguer o corpo da base onde as nádegas estão apoiadas, e
Ficando com o corpo ereto.
Balançar a cabeça: Movimentar a cabeça para o lado direito e para o lado
esquerdo.
Sorrir: Erguer o lábio superior e o inferior, contrair os cantos da
boca aparecendo os dentes.__________________________

Tabela 3
Título: Frequência dos comportamentos observados e índice de fidedignidade

Frequência do Fidedignidade
Comportamento. da
Categoria Obs1 Obs 2 Observação__________________
Segurar 14 15 93,33%
Sentar 03 03 100%
Falar 24 23 93,33%
Levantar 03 03 100%
Balançar a cabeça 21 22 93,33%
Sorrir 18 18 100%
Na aplicação da técnica de observação comportamental em uma criança em
atendimento terapêutico, após as duas sessões de observação de registro contínuo cursivo, as
observadoras, analisaram os registros dos comportamentos observados na criança e definiram
as seis categorias mais recorrentes em cada sessão. Os valores de referência para registro dos
comportamentos registrados por categorias definidas, obtidas nos seis itens definidos para
realizar a técnica de observação do comportamento de Registro Cursivo Categorizado.
Apontaram que na categoria: sorrir observaram a mesma frequência de 18 comportamentos,
com um índice de fidedignidade de 100%, total concordância nos registros das duas
observadoras.
Nas outas categorias: segurar, uma registrou 14 frequência a outra 15, falar 23 e 24 e
balançar a cabeça uma registrou 21 e a outra 22, houve uma pequena diferença. Aplicado o
cálculo de fidedignidade o índice encontrado foi de 93,33%. Constatando assim que a técnica
de observação do comportamento é um método bastante eficaz, utilizado na construção de
protocolos de pesquisa para análise do comportamento humano que auxiliam psicólogos e
pesquisadores em forma de recurso visual e audiovisual, como uma técnica eficaz na coleta e
categorização dos dados comportamentais. Contribuindo no fechamento de um diagnóstico
para o acompanhamento de objetivo nos processos terapêuticos.
Referencias

Cano, D. S. & Sampaio, I. T. A., O método de observação na psicologia: considerações sobre


a produção científica, universidade Federal de Santa Catarina, interação em psicologia, 11,
2007, p.199-210.

Danna, M.F. e Mattos, M. A., Aprendendo a observar, 2.ed, edicon,2011.Sao Paulo.

Zanelli, J.C. F., profissional e atividades de trabalho: análise das necessidades identificadas
por psicólogos organizacionais, v, 1,Universidade estadual de Campinas faculdade de
educação,1992.

Motta, F. A. J. da F., Descrição, definição e registro de comportamento, ed, 6, editora Edicon,


1985,coleção observação do comportamento, 1. São Paulo-SP.

Ferreira, L. B., Torrecilha, N., Machado, S. H. S., A técnica de observação em estudos de


administração, XXXVI, encontro do ANPAD, 22a26 de setembro de 2012, Rio de Janeiro,
RJ.
DIAGRAMA

S1
111
S2
2

LEGENDA

Ar condicionado

Lousa

Mesa

Cadeira

Poltrona

Caixa de brinquedo

Espelho de observação

Porta

Terapeuta
S1
Criança
S2