Você está na página 1de 39

Montagem, Desmontagem e Recuperação de

Elementos mecânicos
Técnicas de Desmontagem
 A desmontagem e montagem de máquinas e
equipamentos industriais faz parte das atividades dos
mecânicos de manutenção e são tarefas que exigem
muita atenção e habilidade, devendo ser
desenvolvidos com técnicas e procedimentos bem
definidos.
 Deverá ser baseada nos seguintes pontos:
• Relato do Operador;
• Histórico da máquina;
• Tipo de Operação;
• Observação dos instrumentos de controle.
Técnicas de Desmontagem
 Análise da ficha de Manutenção da máquina;
 Evitar ao máximo desmontar a máquina.
Procedimentos Prévios
 Desligar a alimentação elétrica e os circuitos elétricos;
 Estudar o procedimento de desmontagem ou o desenho
técnico;
 Isolar o local de trabalho ao redor da máquina;
 Remover elementos externos de proteção (capas,
coberturas, carenagens, raspadores, etc.);
 Limpar a máquina externamente;
Procedimentos Prévios
 Drenar todos os fluídos (óleos, líquido refrigerante,
fluído hidráulico, etc.);
 Drenar gases comprimidos e despressurizar
mangueiras;
 Remover circuitos elétricos;
 Remover cabos, fios, mangueiras, tubulações,
manípulos e alavancas;
 Calçar elementos pesados.
 Colocar desoxidantes nos parafusos pouco antes
de removê-los;
 Se não for suficiente utilizar chama de um aparelho
de solda oxiacetilênica;
 Para desapertar os parafusos, a sequência é a
mesma adotada para os apertos.
 Identificar a posição do componente na máquina
antes da sua remoção;
 Efetuar marcações;
 Remover e colocar as peças na bancada,
mantendo-as na posição correta de
funcionamento;
 Lavar as peças no lavador, usando querosene.
1. Utilizar E.P.I.;
2. Colocar as peças dentro da máquina de lavar,
contendo querosene filtrado e desodorizado;
3. Limpar as peças com pincel de cerdas duras;
4. Retirar as peças da máquina e deixar o excesso
de querosene escorrer;
5. Secar as peças usando ar-comprimido.
1. Utilizar pressão baixa;
2. Utilizar sempre óculos de proteção;
3. Não usar o jato no corpo;
4. Após a limpeza resguardar conjuntos expostos
para posterior lubrificação.
• Lote 1 – Peças reaproveitáveis, que não possuem
defeitos;
• Lote 2 – Peças com defeito com possibilidade de
recuperação;
• Lote 3 – Peças com defeitos sem possibilidade de
reaproveitamento;
• Lote 4 – Peças a serem examinadas em laboratório.
 Geralmente são acompanhadas de manuais;
 Desenhos esquematizados dos seus componentes;
 Máquinas antigas ou de procedências estrangeiras;
 Fazer croqui dos conjuntos desmontados.
 Confecção de peças;
 Substituição de elementos mecânicos;
 Substituição de elementos de fixação;
 Rasqueteamento;
 Recuperação de roscas;
 Correção de erros de projeto;
 Recuperação de chavetas.
 A montagem tem por objetivo maior a construção
de um todo, constituído por uma série de
elementos que são fabricados separadamente.
 Verificar se todos os elementos a serem
montados encontram-se perfeitamente limpos,
bem como o ferramental;
 Examinar os conjuntos a serem montados para se
ter uma ideia exata a respeito das operações a
serem executadas;
 Consultar planos ou normas de montagem;
 Examinar primeiramente a ordem de colocação
das diferentes peças antes de começar a
montagem;
 Verificar se nos diferentes elementos mecânicos a
pontos de referência;
 Evitar a penetração de impurezas nos conjuntos
montados;
 Fazer testes de funcionamento dos elementos,
conforme a montagem for sendo realizada;
 Lubrificar as peças que se movimentam para
evitar desgastes precoces.
 É efetuada sobre bancadas;
 Peças ajustadas;

 Limita-se a juntar as peças de


maneira ordenada;
 Controle de funcionamento.
 Caso não haja manual de instruções ou esquemas:
 Fazer análise detalhada dos conjuntos;
 Fazer um croqui como os elementos serão
montados;
 Anotar os nomes dos elementos a medidas que vão
sendo retirados dos conjuntos.
 Análise do Conjunto;
 Análise de cada um dos componentes em termos
de desgaste;
 Qual a gravidade da falha;
 Quais elementos podem ser aproveitados.
 Resistencia estática; ou
 condições dinâmicas do conjunto.
 Resistencia as vibrações, choques e rupturas, etc;
 Desbalanceamento;
 Desgastes provocados pelo atrito, de acordo com
as condições operacionais de trabalho;
 Escolha de material;
 Tratamentos térmicos;
 Geometria das peças.
 Análise das condições de trabalho:
 Verificação da real utilização do eixo;
 Rotações que o mesmo executa;
 Condições ambientais do meio;
 Presença eficiente de lubrificação;
 Pressões específicas, exercidas ou suportadas.
 Construção de um novo eixo:
• Usinado com sobremetal suficiente para permitir
retificação.
 Reconstituição de eixos:
• Soldagem;

• Deposição Metálica.
 Recuperação de eixos por soldagem:
• Preparação dos eixos;
• Escolha do material de adição e do processo de
soldagem;
• Procedimento de Soldagem.
 Exame da área onde se deu a ruptura;
 Eliminação do material fadigado da área de
ruptura;
 Verificação de trincas remanescentes do próprio
processo de ruptura ou fadiga;
 Usinagem para preparar as juntos.
 Efetuar a montagem de forma que as partes unidas
possam girar após a soldagem;
 Estabelecer a temperatura de preaquecimento de
acordo com o material;
 Efetuar a soldagem;

 Fazer a limpeza e efetuar a usinagem;

Obs. Caso haja empenamento, não é aconselhado o


uso de prensas.
 Tratamento térmico quando necessário.
 Deposição metálica a quente;
 Deposição metálica a frio;
 Deposição metálica por eletrólise.
 Superfícies devem estar preparadas;
 Cilindricidade e acabamento dos eixos devem estar
compatíveis com o procedimento;
 Rebaixamento prévio na superfície a ser
recuperada.
 Operações:
 Preparação das superfícies;
 Colocação do casquilho;
 Colocação de buchas;
 Rasqueteamento;
 Mancais de deslizamento exigem ajustes.
 Engrenagens quebradas ou desgastadas a melhor
solução é construir novas;
 Enxertia;
 Dentes quebrados se utiliza de soldagem (tensões
adicionais);
• Preparação das cavidades;
• Soldagem;
• Ajuste dos dentes.
 Quebra do parafuso:
 Quebra situada acima do plano da superfície
(Soldar uma extensão ou cortar uma fenda);
• Quebra situada no mesmo plano da superfície
(Usa-se extrator);
 Rosca Interna avariada:
• Cortar outra rosca com bitola acima da espanada;
• Alargar o furo e colocar nele um pino roscado
(deve ser faceado e fixado por solda ou chaveta);
• Insertos na rosca;