Você está na página 1de 13
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE Assessoria de Gestão de Resíduos PLANO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

Assessoria de Gestão de Resíduos

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PGRS Formulário para Elaboração

Este formulário deve ser completamente preenchido por um responsável técnico habilitado, conforme Lei Estadual nº 16.346/2009, e acompanhado dos seguintes documentos em formato PDF, preferencialmente pesquisável:

a) Alvará de funcionamento da empresa;

b) Licença ambiental da empresa, quando for o caso;

c) Planta baixa de implantação da área física do empreendimento, informando as áreas construída e total do terreno, e indicando a disposição de todos os ambientes e dos locais de acondicionamento dos resíduos e da ATT (Área de Transbordo Temporário);

d) Fotos legendadas de cada resíduo gerado na empresa, em arquivo Word ou Power Point, mostrando os ambientes onde o mesmo é gerado, acondicionado e armazenado antes de ser dado o destino final. Caso o fluxo correto de resíduos ainda não esteja implantado, as fotos devem registrar a situação atual e os locais que serão futuramente readequados;

e) Taxa de Análise Ambiental, com comprovante de pagamento;

f) Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do profissional responsável pela elaboração, constando responsabilidade técnica para tal, com comprovante de pagamento;

g) Comprovante de sensibilização dos colaboradores no que se refere à segregação e armazenamento dos resíduos, realizada por um responsável técnico habilitado (profissional com formação em meio ambiente) há menos de 12 meses, constando data e conteúdo abordado, bem como nome, CPF e assinatura de cada participante e do responsável pelo treinamento;

h) Procuração do responsável legal pela empresa ao responsável técnico.

i) Contratos (na íntegra, quando houver) firmados para destinação dos resíduos;

j) Licenças ambientais vigentes das empresas de transporte e de destinação final dos resíduos;

k) Notas Fiscais e outros comprovantes de coleta e destinação final de todos os resíduos, dos últimos 12 meses;

A ausência de algum dos documentos acima deve ser justificada no campo de Observações do formulário.

Em casos de denúncias ou suspeita de irregularidade, em qualquer momento a SEMA poderá solicitar à empresa a apresentação de outros documentos não listados.

Orientação para preenchimento do formulário

I. O plano deve estar completamente preenchido, conforme o formulário de orientação existente na página virtual:

II. Caso necessário, copiar a tabela e inseri-la imediatamente abaixo da primeira, sem alterar o formato original, atentando-se com a classificação dos resíduos (I, IIA ou IIB).

III. Os resíduos que voltam à cadeia produtiva interna ou cuja disposição final ocorra dentro da própria empresa devem passar pela gravimetria e ser mencionados nas tabelas.

IV. Informar os materiais recicláveis separadamente, de acordo com sua natureza (um em cada coluna). Ex:

papel/papelão, metal, plástico, vidro.

V. Nas próprias produções científicas, a classificação de vários resíduos ainda é questionável. Assim, para que haja um padrão, favor encaixar os resíduos de acordo com os exemplos mencionados em cada classe deste formulário.

VI. Os resíduos das classes IIA e IIB devem ser apresentados em litros/semana em coerência com o Decreto Municipal nº 769/2009, sendo permitido o acréscimo de outras unidades de medida e de tempo na mesma quadrícula. Na classe I e no caso de resíduos unitários de grande volume (ex: pneus), a unidade de medida e de tempo fica livre. Entende-se os casos em que a densidade de determinados resíduos é questionável; por isso, será considerado o espaço ocupado pelos resíduos em seus recipientes ou ambientes de armazenamento e não o seu peso.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS

1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

Razão social:

Nome de fantasia: NÃO CONSTA CNAE com descrição:

CNAES que serão exercidos do endereço:

4530-7/01 - Comércio por atacado de peças e acessórios para veículos automotores 4541-2/02 - Comércio por atacado de peças e acessórios para motocicletas e motonetas CNAES que NÃO serão exercidos no endereço:

2539-0/01 - Serviços de Usinagem, tornearia e Solda 3091-1/02 - Fabricação de peças e acessórios para motocicletas Estas atividades constam do objeto social da empresa, porém são exercidas por empresa terceirizada. Trata-se de operação permitida pelo fisco estadual, aonde a empresa compra a matéria prima e manda entregar diretamente na empresa terceirizada que irá fabricar as peças e enviar o produto industrializado para empresa contratante que irá vendê-las como se as tivesse produzido. Endereço completo:

(Segundo informações colhidas com proprietário)

URL do Google Maps:

E-mail:

Telefone:

CNPJ:

Alvará de funcionamento nº:

Área do terreno (m 2 ):

Área construída (m 2 ):

Licença ambiental: “Atividade dispensada”

Validade:

Dias e horários de funcionamento (informando períodos de intervalos/paradas): Segunda à Sexta (08:00h às 18:00h), com 1,5 h de almoço e Sábados (8:00h às 13:00h)

Número de pessoas envolvidas à geração de resíduos (considerar administradores, colaboradores clientes, estudantes e pessoas de frequência ou permanência eventual, discriminando cada grupo):

Administradores: 2 Pessoas, Funcionários: 5 Pessoas Permanentes, Clientes/Estudantes: 2 Pessoas, Permanência eventual: 2 Pessoas.

2. RESPONSÁVEL LEGAL PELO EMPREENDIMENTO

Nome:

CPF:

Telefone direto:

3. TÉCNICO RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO PGRS

4. CARACTERIZAÇÃO E JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO / ATIVIDADE

O objetivo do empreendimento é a industrialização e comércio de peças automotivas de motos e motonetas. A indústria de peças automotivas representa um importante setor da economia no contexto socioeconômico do Município de Londrina e região. Estas indústrias de transformação veem movimentando e impulsionando o crescimento do PIB - Produto Interno Bruto mundial por vários anos consecutivos. Esta atividade possui um ciclo de vida comercial longo uma vez que é ditado pela crescente demanda de peças para substituição e renovação. O consumismo gerado por está demanda crescente e por fatores culturais, tais como conforto, estética, escolha individual e novidade, faz com que esta indústria

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE colabore para a elevada utilização dos

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

colabore para a elevada utilização dos recursos naturais e posterior geração de resíduos, tornando necessária a discussão sobre modelos e processos de produção e consumo responsáveis.

A aplicação de tecnologias apropriadas e ecológicas, com a redução da utilização de recursos naturais, de

desperdício, da geração de resíduos e poluição, é uma ação de prioridade nessas empresas, sendo o gerenciamento de resíduos uma alternativa para minimizar impactos ambientais ocasionados por esses materiais. Deste modo, o manuseio, acondicionamento, armazenagem, coleta, transporte e destinação

final dos resíduos, devem estar fundamentados em sua classificação, para que possam ser definidos os controles necessários em todas as fases envolvidas no processo.

A reutilização, a reciclagem e a destinação correta dos materiais devem ser as opções de segundo e

terceiro níveis, quando não for possível eliminar os resíduos na fonte. A gestão ambiental é a resposta natural das organizações ao consumidor ecologicamente preocupado, também conhecido como consumidor “verde”. Nesse contexto, a aplicação de estratégias de Produção Mais Limpanas organizações permite que as mesmas se tornem mais eco eficiente, gerando melhor desempenho ambiental.

5. OBJETIVO E JUSTIFICATIVA DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

O resíduo industrial é um dos maiores responsáveis pelas agressões ao meio ambiente. Nele poderão

estar incluídos produtos químicos (cianureto, pesticidas, solventes), metais (mercúrio, cádmio, chumbo) e

solventes químicos que ameaçam os ciclos naturais onde são despejados. Estes resíduos, quando sólidos,

na maioria das vezes são amontoados e enterrados; os líquidos são despejados em rios e mares; os gases

são lançados no ar. Assim, a saúde do ambiente, e consequentemente dos seres que nele vivem, torna-se ameaçada, podendo causar grandes tragédias. Logo, devido ao acentuado crescimento de problemas ambientais relacionados com resíduos sólidos as organizações vêm buscando alternativas que atendam os

padrões dos consumidores e das legislações para minimizar os impactos ambientais, com a finalidade de melhorar o desempenho ambiental e econômico através do gerenciamento adequado dos processos aliados com o meio ambiente, onde se utilizam ferramentas contemporâneas da gestão ambiental, como o Gerenciamento de Resíduos Sólidos e a Produção mais Limpa.

O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) tende à diminuição do impacto ambiental

procedente dos produtos e processos da empresa, através da redução dos resíduos gerados e do correto tratamento e destinação final dos mesmos, de tal modo estabelece-se como uma importante ferramenta

para a correta segregação e disposição destes materiais. Além disso, a utilização de tecnologias tidas como limpas, ou seja, que geram baixa quantidade de resíduos configura-se como uma opção efetiva na redução de resíduos, uma vez que estas pregam a substituição de matérias-primas poluentes, a modernização e a otimização de processos industriais e a economia de energia. Dessa maneira, a Produção mais Limpa surge como uma estratégia ambiental preventiva e integrada, aplicada a processos, produtos e serviços para aumentar a eco eficiência e reduzir riscos ao homem e ao meio ambiente. Esta técnica pode ser implantada pelas organizações como uma estratégia gerencial que permite obter crescimento econômico, ao mesmo tempo em que, são gerenciados os impactos ambientalmente negativos oriunda do processo produtivo.

O empreendimento ainda não se encontra em funcionamento pleno, portanto, este PGRS será elaborado

com base em informações, estimativas e dados coletados na literatura correspondente. No momento não existe nenhum projeto ou previsão de ampliação, demolição ou reforma da área construída.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE 6. GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS GERADOS PELA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

6. GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS GERADOS PELA EMPRESA

A. RESÍDUOS PERIGOSOS (CLASSE I)

 

Resíduo 1

Resíduo 2

Resíduo 3

Resíduo Gerado:

     

Ex: óleo lubrificante, pilha, lâmpada, material contaminado, substância química, tinta ou borra, lodo, lama, filtros de óleo

Lâmpadas Código CONAMA (D099)

Solvente (Álcool) Código CONAMA (F105)

Pó de Lona de Freio Código CONAMA (X003)

Características do resíduo e risco ambiental, se descartado incorretamente

As alterações que ocorrem no corpo humano pela intoxicação de componentes presentes em lâmpadas são decorrentes de lesões que podem comprometer o sistema nervoso, fígado, medula óssea, vias aéreas superiores, pulmão, gengiva, pele, parede intestinal, glândulas salivares, coração e rim.

As alterações que ocorrem no corpo humano pela intoxicação pela ingestão de produtos químicos são decorrentes de lesões que podem comprometer o sistema nervoso, fígado, medula óssea, vias aéreas superiores, pulmão, gengiva, pele, parede intestinal, glândulas salivares, coração e rim.

As alterações que ocorrem no corpo humano pela intoxicação pela ingestão de produtos químicos são decorrentes de lesões que podem comprometer o sistema nervoso, fígado, medula óssea, vias aéreas superiores, pulmão, gengiva, pele, parede intestinal, glândulas salivares, coração e rim

Ponto de Geração:

Toda a área da Fabrica, Escritórios, Refeitórios, etc (Ver identificação no Mapa)

   

Ex: Refeitório,

Setor de Produção (Ver identificação no Mapa)

Setor de Produção (Ver identificação no Mapa)

administração, área

de produção

     

Volume:

     

Quantificar os

resíduos em

litros/semana

1 Unidade / Semana

3 Litros/Semana

200 Kg / Semana

ou outra

unidade/período

Acondicionamento

     

interno:

Bombas (50 Litros) Tambores em área coberta com piso impermeável

Contentor Flexível, tipo Big-Bag, com capacidade para 1 m3 em área coberta com piso impermeável

Informar o local de primeira disposição dos resíduos. Ex:

Lixeira Coberta

lixeira, caçamba.

   

Armazenamento

     

externo:

ATT Próximo ao Portão, Coberta, Piso Impermeável, com capacidade de armazenamento de 50 Unidades.

Bombas (200 Litros) Tambores em área coberta com piso impermeável

Descrever a Att. Ex:

área fechada,

Não se Aplica

coberta, piso

impermeável

   

Medidas de contenção em caso de acidente

Isolamento da área afetada

Caixa de contenção capacidade de (250 Litros)

Isolamento da área afetada

Forma de transporte interno:

 

Transporte executado com carrinhos especiais, sem esforço físico, com a utilização dos EPIs recomendados para o manuseio de produtos químicos.

Transporte executado com Empilhadeira e guinchos mecânicos, com a utilização dos EPIs recomendados para o manuseio de produtos químicos.

Descrever como o resíduo é retirado da origem e levado até a área de tratamento ou armazenamento

Transporte Manual interno feito por funcionários com utilização de EPIs segundo PPRA.

Freqüência de coleta externa (quando o resíduo sai da empresa):

1 Vez / 6 Meses

1 Vez / Mês

1 Vez / Mês

Ex: diária, a cada 2 dias, mensal

Destinação:

     

Ex: reciclagem,

coprocessamento,

Reciclagem

Reciclagem

Aterro Sanitário Industrial

incineração, aterro,

reaproveitamento

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE interno,       compostagem,

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

interno,

     

compostagem,

autoclavagem, etc.

 

Empresa responsável pelo transporte dos resíduos

 

Razão social

HT ENGENHARIA ELÉTRICA

RECITHINNER RECICLAGEM DE THINNER E SOLVENTES

R.

IBRAIM PRUDENTE DA SILVA,

3073, PQ. IND. Z. SUL, IBIPORÃ/PR

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

RUA ÁRTICO, 72 - JD. INDIANAPOLIS, LONDRINA/PR, RLO 24124 IAP

 

RLO 140794-R2 IAP

Nome de fantasia

HT ENGENHARIA ELÉTRICA

RECITHINNER RECICLAGEM DE THINNER E SOLVENTES

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

 

Empresa responsável pelo destino dos resíduos

 

Razão social

HT ENGENHARIA ELÉTRICA

RECITHINNER RECICLAGEM DE THINNER E SOLVENTES

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

RUA ÁRTICO, 72 - JD. INDIANAPOLIS, RLO 24124 IAP

R.

IBRAIM PRUDENTE DA SILVA,

3073, PQ. IND. Z. SUL, IBIPORÃ/PR

 

RLO 140794-R2 IAP

Nome de fantasia

HT ENGENHARIA ELÉTRICA

RECITHINNER RECICLAGEM DE THINNER E SOLVENTES

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

Resíduo 4

 

Resíduo 5

Resíduo 6

Resíduo Gerado:

     

Ex: óleo lubrificante, pilha, lâmpada, material contaminado, substância química, tinta ou borra, lodo, lama, filtros de óleo

Estopas Contaminadas Código CONAMA (D099)

EPI´s Usados Código CONAMA (A099)

Embalagens Metálicas

Código CONAMA (F104)

Características do resíduo e risco ambiental, se descartado incorretamente

As alterações que ocorrem no corpo humano pela intoxicação pela ingestão de produtos químicos são decorrentes de lesões que podem comprometer o sistema nervoso, fígado, medula óssea, vias aéreas superiores, pulmão, gengiva, pele, parede intestinal, glândulas salivares, coração e rim.

As alterações que ocorrem no corpo humano pela intoxicação pela ingestão de produtos químicos são decorrentes de lesões que podem comprometer o sistema nervoso, fígado, medula óssea, vias aéreas superiores, pulmão, gengiva, pele, parede intestinal, glândulas salivares, coração e rim

As alterações que ocorrem no corpo humano pela intoxicação pela ingestão de produtos químicos são decorrentes de lesões que podem comprometer o sistema nervoso, fígado, medula óssea, vias aéreas superiores, pulmão, gengiva, pele, parede intestinal, glândulas salivares, coração e rim

Ponto de Geração:

     

Ex: Refeitório,

Setor de Produção (Ver identificação no Mapa)

Setor de Produção (Ver identificação no Mapa)

Setor de Produção (Ver identificação no Mapa)

administração, área

de produção

     

Volume:

     

Quantificar os

resíduos em

litros/semana

0,5 Kg/Semana

 

30 Unidades/Semana

5 Unidades/Semana

ou outra

 

unidade/período

Acondicionamento

     

interno:

Informar o local de primeira disposição dos resíduos. Ex:

Caçamba em área coberta com piso impermeável

 

Tambores em área coberta com piso impermeável

Baias cobertas com piso impermeável

lixeira, caçamba.

 

Armazenamento

     

externo:

Descrever a Att. Ex:

Caçamba em área coberta com piso impermeável

 

Tambores em área coberta com piso impermeável

Baias cobertas com piso impermeável

área fechada,

coberta, piso

 

impermeável

   

Medidas de contenção em caso de acidente

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

Forma de transporte interno:

Transporte Manual interno feito por funcionários com utilização de EPIs segundo PPRA.

Transporte Manual interno feito por funcionários com utilização de EPIs segundo PPRA.

Transporte Manual interno feito por funcionários com utilização de EPIs segundo PPRA.

Descrever como o resíduo é retirado da origem e levado até a

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE área de tratamento ou armazenamento  

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

área de tratamento ou armazenamento

     

Freqüência de coleta externa (quando o resíduo sai da empresa):

1 Vez / 6 Meses

1 Vez / Mês

1 Vez / Mês

Ex: diária, a cada 2 dias, mensal

Destinação:

     

Ex: reciclagem,

coprocessamento,

incineração, aterro,

Aterro Sanitário Industrial

Aterro Sanitário Industrial

Reciclagem

reaproveitamento

interno,

     

compostagem,

autoclavagem, etc.

 

Empresa responsável pelo transporte dos resíduos

 

Razão social

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

FERRO VELHO BATISTA LTDA

R. FREI H. DE COIMBRA,47,VILA N.

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

S. DO DESTERRO, LONDRINA/PR, RLO 106752-R1 IAP

Nome de fantasia

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

FERRO VELHO BATISTA LTDA

 

Empresa responsável pelo destino dos resíduos

 

Razão social

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

FERRO VELHO BATISTA LTDA

R. FREI H. DE COIMBRA,47,VILA N.

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

S. DO DESTERRO, LONDRINA/PR, RLO 106752-R1 IAP

Nome de fantasia

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

FERRO VELHO BATISTA LTDA

B. RESÍDUOS NÃO-INERTES (CLASSE IIA)

 

Resíduo 1

Resíduo 2

Resíduo 3

Resíduo Gerado:

     

Ex: Orgânicos, cinza, óleo vegetal, papel, plástico, metal, lixa, gesso, madeira, rejeitos de varrição e de banheiro, tecido, embalag. longa vida

Papel e Papelão Código CONAMA (A006)

Plástico Código CONAMA (A007)

Sucata Metálica Código CONAMA (A004)

Características do resíduo e risco ambiental, se descartado incorretamente

O papel é composto de fibras de madeira e celulose. Se descartado erroneamente pode levar de 3 a 6 meses para completar seu processo de decomposição.

O plástico é composto de fibras poliméricas sintéticas. Se descartado erroneamente pode levar 400 anos para completar seu processo de decomposição

A sucata metálica, oferece risco para saúde humana como ambiente propício ao desenvolvimento de larvas do mosquito transmissor da dengue, animais peçonhentos, ratos e risco de tétano se descartadas incorretamente na natureza

Ponto de Geração:

Área de Recebimento, Expedição e Setor Administrativo. (Ver identificação no Mapa)

Área de Recebimento, Expedição e Setor Administrativo. (Ver identificação no Mapa)

 

Ex: Refeitório,

Área de Produção (Ver identificação no Mapa)

administração, área

de produção

 

Volume:

     

Quantificar os resíduos em litros/semana e, se desejar, acrescentar outra unidade/período

2,0 m3/Semana

1,5 m3/Semana

300 Kg/Semana

Acondicionamento

Baias Cobertas com piso impermeável

Baias Cobertas com piso impermeável

Baias Cobertas com piso impermeável

interno:

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE Informar o local de primeira disposição

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

Informar o local de primeira disposição dos resíduos. Ex:

     

lixeira, caçamba.

Armazenamento

     

externo:

Descrever a Att. Ex:

Baias Cobertas com piso impermeável

Baias Cobertas com piso impermeável

Baias Cobertas com piso impermeável

área fechada,

coberta, piso

     

impermeável

Medidas de contenção em caso de acidente

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

transporte interno:

     

Descrever como o resíduo é retirado da origem e levado até a área de tratamento ou armazenamento

O Manuseio e transporte interno será feito manual em fardos com no máximo 10 Kg

O Manuseio e transporte interno será feito manual em fardos com no máximo 10 Kg

Transporte executado com carrinhos especiais, sem esforço físico

Freqüência de coleta externa (quando o resíduo sai da empresa):

1 Vez / Mês

1 Vez / Mês

1 Vez / Mês

Ex: diária, a cada 2 dias, mensal

Destinação:

     

Ex: reciclagem,

coprocessamento,

incineração, aterro,

Reciclagem

Reciclagem

Reciclagem

reaproveitamento

interno,

     

compostagem,

autoclavagem, etc.

 

Empresa responsável pelo transporte dos resíduos

 

Razão social

 

EDSON LUIZ ZEQUINI ME

FERRO VELHO BATISTA LTDA

SONOCO DO BRASIL LTDA

NOITIBO,157 VILA YARA LONDRINA/PR, RLO 138861-R1 IAP

RUA CANDIDO DE ABREU, CHÁCARA 14, 511, CJ.LINDÓIA LONDRINA/PR, RLO139040-R1 IAP

R. FREI H. DE COIMBRA,47,VILA N.

S. DO DESTERRO, LONDRINA/PR, RLO 106752-R1 IAP

Nome de fantasia

SONOCO DO BRASIL LTDA

EDSON LUIZ ZEQUINI ME

FERRO VELHO BATISTA LTDA

 

Empresa responsável pelo destino dos resíduos

 

Razão social

 

EDSON LUIZ ZEQUINI ME

FERRO VELHO BATISTA LTDA

SONOCO DO BRASIL LTDA

NOITIBO,157 VILA YARA LONDRINA/PR, RLO 138861-R1 IAP

RUA CANDIDO DE ABREU, CHÁCARA 14, 511, CJ.LINDÓIA LONDRINA/PR, RLO139040-R1 IAP

R. FREI H. DE COIMBRA,47,VILA N.

S. DO DESTERRO, LONDRINA/PR, RLO 106752-R1 IAP

Nome de fantasia

SONOCO DO BRASIL LTDA

EDSON LUIZ ZEQUINI ME

FERRO VELHO BATISTA LTDA

Resíduo 4

Resíduo 5

Resíduo 6

Resíduo Gerado:

     

Ex: Orgânicos, cinza, óleo vegetal, papel, plástico, metal, lixa, gesso, madeira, rejeitos de varrição e de banheiro, tecido, embalag. longa vida

Lixas Código do CONAMA (A099)

Lixo comum ou Resíduo de Varrição

Orgânicos

Características do resíduo e risco ambiental, se descartado incorretamente

A lixa é um papel com material de superfície abrasiva composta geralmente por minerais granulados, o descarte incorreto desse material pode causar vários danos ao ser humano e ambiental.

Sólido diversificado, com baixo teor de umidade composto por aproximadamente 62% de matéria orgânica e 38% de recicláveis, incluindo plástico (19%), pape e papelão (12,7%), metais (0,46%) e outros (6%). Se descartado incorretamente pode produzir chorume que, por sua vez, poderá contaminar o solo e as águas.

Sólido, com alto teor de umidade e odor característico. Se descartado incorretamente pode produzir chorume que, por sua vez, poderá contaminar o solo e as águas. Meio de cultivo, material vegetal, pequena quantidade de solo

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE Ponto de Geração:      

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

Ponto de Geração:

     

Ex: Refeitório,

Área de Produção (Ver identificação no Mapa)

Área de Produção, Pátio (Ver identificação no Mapa)

Refeitório (Ver identificação no Mapa)

administração, área

de produção

     

Volume:

     

Quantificar os resíduos em litros/semana e, se desejar, acrescentar outra unidade/período

20 Unidades/Semana

50 Kg aproximadamente 217 Litros/semana

Aproximadamente 30 L/Semana

Acondicionamento

     

interno:

Informar o local de primeira disposição dos resíduos. Ex:

Tambores em área coberta com piso impermeável

Lixeiras com Saco de 100 L na cor preta

Lixeiras com Saco de 100 L na cor preta

lixeira, caçamba.

Armazenamento

     

externo:

Descrever a Att. Ex:

Tambores em área coberta com piso impermeável

Container de PEAD, quatro 4 rodas, fechado (1000 L), na cor marrom

Contentores de recicláveis

área fechada,

coberta, piso

impermeável

   

Medidas de contenção em caso de acidente

Isolamento da Área Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

Em caso do acondicionado se romper, deve-se varrer o local e recolher o material em um novo saco plástico.

Isolamento da Área e Recolhimento do material com EPEIs indicados

transporte interno:

     

Descrever como o resíduo é retirado da origem e levado até a área de tratamento ou armazenamento

O Manuseio e transporte interno será feito manual em fardos com no máximo 10 Kg

Funcionário terceirizado de Limpeza, com a utilização de EPIs

Funcionário terceirizado de Limpeza, com a utilização de EPIs

Freqüência de coleta externa (quando o resíduo sai da empresa):

1 Vez / Mês

1 Vez / Semana

1 Vez / Semana

Ex: diária, a cada 2 dias, mensal

Destinação:

     

Ex: reciclagem,

coprocessamento,

incineração, aterro,

Aterro Sanitário Industrial

Aterro Sanitário

Aterro Sanitário / Compostagem

reaproveitamento

interno,

     

compostagem,

autoclavagem, etc.

 

Empresa responsável pelo transporte dos resíduos

 

Razão social

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

KURICA AMBIENTAL Rod. PR445 (12637) Londrina/PR RLO 14252 IAP

ORGÂNICOS COMPOSTAGEM KURICA AMBIENTAL Rod. PR445 (12637) Londrina/PR RLO 14252 IAP

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

Nome de fantasia

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

KURICA AMBIENTAL

KURICA AMBIENTAL

 

Empresa responsável pelo destino dos resíduos

 

Razão social

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

KURICA AMBIENTAL Rod. PR445 (12637) Londrina/PR RLO 14252 IAP

ORGÂNICOS COMPOSTAGEM KURICA AMBIENTAL Rod. PR445 (12637) Londrina/PR RLO 14252 IAP

ROD. BR 262, S. FIGUEIRA 135 E 136, ASSAÍ/PR, RLO 126530-R1 IAP

Nome de fantasia

SANETRAN - SANEAMENTO AMBIENTAL LTDA

KURICA AMBIENTAL

KURICA AMBIENTAL

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE C. RESÍDUOS INERTES (CLASSE IIB)

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

C.

RESÍDUOS INERTES (CLASSE IIB)

 

Resíduo 1

Resíduo 2

Resíduo 3

Resíduo Gerado:

     

Ex: Vidro, cerâmica, concreto, areia, pneu

Vidros

Características do resíduo e risco ambiental, se descartado incorretamente

Sólido, perfurocortante Risco de acidente com pessoal que manipula este material, poluição do solo e da água. Risco de proliferação de vetores.

   

Ponto de Geração:

     

Ex: Refeitório,

Refeitório, Administração e Produção

administração, área

de produção

 

Volume:

     

Quantificar os resíduos em litros/semana e, se desejar, acrescentar outra unidade/período

3 L/Semana

Acondicionamento

     

interno:

Informar o local de primeira disposição dos resíduos. Ex:

Lixeiras

lixeira, caçamba.

Armazenamento

     

externo:

Descrever a Att. Ex:

ATT (Coberta e com Piso Impermeável)

área fechada,

coberta, piso

 

impermeável

Medidas de contenção em caso de acidente

Em caso de acidente, a vítima deverá ser levada ao P.S. mais próximo

   

Forma de transporte interno:

     

Descrever como o resíduo é retirado da origem e levado até a área de tratamento ou armazenamento

O Manuseio e transporte interno será feito manual em acos plásticos, com no máximo 10 Kg

Freqüência de coleta externa (quando o resíduo sai da empresa):

1 Vez / Semana

   

Ex: diária, a cada 2 dias, mensal

Destinação:

     

Ex: reciclagem,

coprocessamento,

incineração, aterro,

Reciclagem

reaproveitamento

interno,

 

compostagem,

autoclavagem, etc.

 

Empresa responsável pelo transporte dos resíduos

 

Razão social

REVITA VIDROS RECICLAGEM E COMÉRCIO DE VIDROS

   

RUA JABURU, 181 PARQ. WALDEMAR HAUER LONDRINA/PR

RLO 26762 IAP

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE Nome de fantasia REVITA VIDROS RECICLAGEM

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

Nome de fantasia

REVITA VIDROS RECICLAGEM

E COMÉRCIO DE VIDROS

Empresa responsável pelo destino dos resíduos

Razão social

REVITA VIDROS RECICLAGEM

E COMÉRCIO DE VIDROS

RUA JABURU, 181 PARQ. WALDEMAR HAUER LONDRINA/PR-

RLO 26762 IAP

Nome de fantasia

REVITA VIDROS RECICLAGEM

E COMÉRCIO DE VIDROS

7. AÇÕES PREVENTIVAS E CORRETIVAS A SEREM EXECUTADAS EM SITUAÇÕES DE GERENCIAMENTO INCORRETO OU ACIDENTES
7. AÇÕES
PREVENTIVAS
E
CORRETIVAS
A
SEREM
EXECUTADAS
EM
SITUAÇÕES
DE
GERENCIAMENTO INCORRETO OU ACIDENTES

A conscientização será de extrema importância, para isso é preciso disponibilizar meios para que as

pessoas possam participar com eficiência no processo. Estes meios serão palestras e campanhas de conscientização. Palestras deverão ser realizadas periodicamente com os temas consumo e produção consciente de resíduos, consequências da má destinação, importância da reciclagem, entre outros assuntos relacionados. Campanhas para o uso de canecas à copos plásticos. Campanhas para a diminuição de impressões, incentivo de impressões frente e verso e utilização de folhas impressas para rascunhos. Além da minimização da utilização do rejeito, segregando corretamente o resíduo previamente higienizado e usando com consciência o papel toalha. Ações que permitam a separação apropriada dos resíduos no momento e local de sua geração dentro do empreendimento, de acordo com as características físicas, químicas e biológicas e em função dos riscos potenciais dos materiais, possibilitando a reciclagem direta de determinados componentes e facilitando o

trabalho da triagem.

O manejo dos resíduos se realizado de forma errônea podem gerar problemas quase que imediatos para a

saúde pública, como a proliferação de insetos e outros vetores transmissores de doenças. Para evitar estes possíveis danos, foram identificados cenários de emergência e respectivas ações associadas para os principais elementos que compõe o sistema.

8. PROCEDIMENTOS VISANDO: REDUZIR A GERAÇÃO, A REUTILIZAÇÃO, A RECICLAGEM E A PERICULOSIDADE DE RESÍDUOS

Metas Da Empresa (projetadas a partir da Comissão de Resíduos):

Realizar constantemente campanhas a respeito do descarte correto de cada resíduo, visando evitar

desperdícios

Realizar treinamentos com os funcionários responsáveis pela limpeza do Câmpus no sentido de

final.

e

a

obtenção

de

um

resíduo

de

melhor

qualidade

para

sua

destinação

sensibilizá-los

quanto à

sua importância

para

o

processo,

principalmente na fase de coleta

dos

resíduos

nos

locais

onde

são

gerados

e

procedimentos

relacionados

a

acidentes.

Disseminar

e

estimular

o

uso

canecas

ou

garrafas

plásticas

para

todos

os

novos

Clientes

e

Funcionários

para

minimizar

a

geração

de

copos

descartáveis.

Instalar

secadores

para

a

secagem

de

mãos

nos

banheiros

da

fábrica

(exceto

para

os

banheiros

de

portadores

de

necessidades

especiais

e

banheiros

individuais).

Promover/estimular o reúso de papéis para rascunhos, de modo a minimizar a destinação de papel.

Revisar

projeto

e

solicitar

construção

emergencial

de

novas

ATT´S.

Realizar

capacitação/oficina

com

geradores

na

semana

de

planejamento

anualmente.

Organizar/Estimular a realização de campanhas de sensibilização sobre o sensibilização relacionadas a gestão de resíduos como por exemplo mutirões para recolhimento de resíduos fontes de vetores (pneus, embalagens, etc) de endemias.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE Ação Mês / ano Instalação e

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

Ação

Mês / ano

Instalação e identificação de todas as lixeiras necessárias

09/2019

Adequação da área de armazenamento temporário dos resíduos

12/2019

Capacitação e sensibilização dos colabores acerca das ações referentes ao PGRS

07/2020

Avaliação de todas as ações e equipamentos instalados com fins de correção de falhas

09/2020

10.

OBSERVAÇÕES

O Alvará de funcionamento não foi apresentado pois este está na dependência da aprovação deste PGRS.

11.

LEGISLAÇÃO

Lei Federal nº 12.305/2010 - Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei Federal nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, e dá outras providências.

Decreto Federal nº 7.404/2010 - Regulamenta a Lei Federal nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências.

Decreto Federal nº 96.044/1988 - Regulamenta o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos.

Instrução Normativa nº 06/2004 - Aprova as normas de erradicação da Peste Suína Clássica no Brasil.

Resolução CONAMA nº 06/1988 - Dispõe sobre a geração de resíduos nas atividades industriais.

Resolução CONAMA nº 313/2002 Revoga a Resolução CONAMA nº 06/1988 Dispõe sobre o Inventário Nacional de Resíduos Sólidos Industriais.

Resolução CONAMA nº 05/1993 - Estabelece normas relativas aos resíduos sólidos oriundos de serviços de saúde, portos, aeroportos, terminais ferroviários e rodoviários.

Resolução CONAMA nº 275/2001 - Simbologia dos Resíduos.

Resolução CONAMA nº 09/1993 - Dispõe sobre uso, reciclagem, destinação re-refino de óleos lubrificantes.

Resolução CONAMA nº 283/2001 - Dispõe sobre o tratamento e destinação final dos RSS.

Portaria MINTER nº 53/1979 - Dispõe sobre o destino e tratamento de resíduos.

Portaria INMETRO nº 221/1991- Aprova o Regulamento Técnico "Inspeção em equipamentos destinados ao transporte de produtos perigosos a granel não incluídos em outros regulamentos”.

CONTRAN nº 404 - Classifica a periculosidade das mercadorias a serem transportadas.

NBR 10004/87 - Resíduos sólidos Classificação.

NBR 10005/87 - Lixiviação de resíduos Procedimento.

NBR 10006/87 - Solubilização de resíduos Procedimento.

NBR 10007/87 - Amostragem de resíduos Procedimento.

NBR 12235/87 - Armazenamento de resíduos sólidos perigosos.

NBR 7500 - Transporte de produtos perigosos.

NBR 7501/83 - Transporte de cargas perigosas.

NBR 7503/82 - Ficha de emergência para transporte de cargas perigosas.

NBR 7504/83 - Envelope para transporte de cargas perigosas. Características e dimensões.

NBR 8285/96 - Preenchimento da ficha de emergência.

NBR 8286/87 - Emprego da simbologia para o transporte rodoviário de produtos perigosos.

NBR 11174/89 - Armazenamento de resíduos classes II (não inertes) e III (inertes).

NBR 13221/94 - Transporte de resíduos Procedimento.

NBR 13463/95 - Coleta de resíduos sólidos Classificação.

NBR 12807/93 - Resíduos de serviço de saúde Terminologia.

NBR 12809/93 - Manuseio de resíduos de serviços de saúde Procedimentos.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE • NR-25 - Resíduos industriais. •

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

NR-25 - Resíduos industriais.

NBR 12235/92 - Armazenamento de Resíduos Sólidos Perigosos.

NBR 7500/00 - Símbolos de risco e manuseio para o transporte e armazenamento de materiais.

NBR 10157/87 - Aterros de resíduos perigosos Critérios para projetos, construção e operação.

NBR 8418/83 - Apresentação de projetos de aterros de resíduos industriais perigosos.

NBR 11175/90 - Incineração de resíduos sólidos perigosos Padrões de desempenho (antiga NB

1265).

Lei Estadual nº 17.232/2012 - Estabelece diretrizes para coleta seletiva contínua de resíduos sólidos oriundos de embalagens de produtos que compõem a linha branca no âmbito do território paranaense.

Lei Estadual nº 16.346/2009 - Dispõe sobre a obrigatoriedade das empresas potencialmente poluidoras de contratarem responsável técnico em meio ambiente.

Lei Estadual nº 12.493/1999 - Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios referentes a geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos sólidos no Estado do Paraná, visando controle da poluição, da contaminação e a minimização de seus impactos ambientais e adota outras providências.

Lei Estadual nº 12.493/1999 - Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios referentes a geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos sólidos no Estado do Paraná.

Resolução SEMA nº 31/1998 - Dispõe sobre o licenciamento e/ou ambiental, autorização ambiental em âmbito de Estado do Paraná.

Resolução CONSEMMA nº 11/2006 - Regulamenta a correta destinação dos resíduos, estabelecendo a separação dos materiais recicláveis dos demais resíduos.

Decreto Municipal nº 768/2009 - Institui o Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil no Município de Londrina-PR, disciplina os transportadores de resíduos em geral e dá outras providências.

Decreto Municipal nº 769/2009 - Regulamenta a gestão dos resíduos orgânicos e rejeitos de responsabilidade pública e privada no Município de Londrina e dá outras providências.

Lei Municipal nº 10.849/2009 - Fixa normas para o licenciamento ambiental no Município de Londrina, institui taxas relativas ao licenciamento ambiental e dá outras providências.

Lei Municipal nº 11.468/2011 - Institui o Código de Posturas do Município de Londrina.

Lei Municipal nº 11.471/2012 - Institui o Código Ambiental do Município de Londrina.

12.

ASSINATURAS

Londrina, 08 de julho de 2019

RESP. TÉCNICO ELABORAÇÃO DO PGRS

RESP. PELA EMPRESA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE Planta baixa da empresa indicando a

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DO AMBIENTE

Planta baixa da empresa indicando a disposição de todos os ambientes e dos locais de acondicionamento dos resíduos e da ATT (Área de Transbordo Temporário);