Você está na página 1de 18

DUPLICATA

HISTÓRIA
TÍTULO ESSENCIALMENTE BRASILEIRO

CÓDIGO COMERCIAL DE 1850 (art. 219)


= exigia a emissão de FATURA na venda mercantil a prazo
que era emitida em 2 vias: uma ficava com o vendedor e
outra era entregue ao comprador com a mercadoria.

1914 - Lei Orçamentária n°. 1919 criou o imposto sobre


vendas mercantis (imposto de consumo) e a
emissão de mais uma cópia da fatura para nela ser
colocada um selo no valor do imposto e devolvida
ao comprador
1923 - Decreto n. 16.041 extinguiu o imposto do selo
1923 - Decreto n. 16.189, criou a Duplicata Mercantil
LEI DE REGÊNCIA

Lei Federal n°. 5.474/68


e seu Regulamento o Decreto-Lei n°. 436/69

Resolução n°. 102/68 do Banco Central do


Brasil – Aprova os modelos e dimensões do
título
TIPOS

DUPLICATA MERCANTIL
(art. 1° Lei 5.474/68)
Representa venda de mercadorias a prazo

DUPLICATA DE SERVIÇOS
(art. 20 Lei 5.474/68)
Representa contrato de prestação de serviços
PARTICIPANTES

SACADOR (EMITENTE)
vendedor das mercadorias à prazo
ou prestador de serviços

SACADO (DEVEDOR)
comprador das mercadorias
ou contratante do serviço
REQUISITOS
I - a denominação ‘’duplicata’’, a data da emissão
e o número de ordem;
II - o número da fatura (nota fiscal);
III - a data certa do vencimento
ou a declaração de ser “a vista”;
IV - o nome e o domicilio do vendedor e do comprador;
V - a importância a pagar em algarismos e por extenso;
VI - a praça do pagamento;
VII - a cláusula “a ordem”;
VIII - declaração de aceite;
IX - assinatura do emitente
CARACTERÍSTICAS
 Exclusividade na prova de venda mercantil (art. 2°.)
 Uma duplicata não pode corresponder a mais de uma
fatura
 Nas vendas para pagamento em parcelas:
- Pode ser emitida duplicata única discriminado as
parcelas
- Pode ser emitida uma série de duplicatas, com o
mesmo número, mas acrescentando uma letra para
distinção
 Prazo de remessa para aceite = 30 dias (art. 6°)
 Prazo de devolução 10 dias (art. 7°)
 Aceite obrigatório (art. 8°)
 Aval posterior é válido (art. 12)
MOTIVOS PARA RECUSA DO ACEITE
I - avaria ou não recebimento das mercadorias,
quando não expedidas ou não entregues por sua
conta e risco;

II - vícios, defeitos e diferenças na qualidade ou na


quantidade das mercadorias, devidamente
comprovados;

III - divergência nos prazos ou nos preços ajustados.


CARACTERÍSTICAS DA DUPLICATA DE SERVIÇOS

 representa contrato de prestação de serviços (art. 20)

 pode ser emitida por empresas individuais, fundações,


sociedades simples e profissionais liberais (art. 22)

 Aceite obrigatório (art. 21)

 Registro da fatura no Cartório de Títulos e Documentos


MOTIVOS PARA RECUSA DO ACEITE
I - não correspondência com os serviços
efetivamente contratados;

II - vícios ou defeitos na qualidade dos serviços


prestados, devidamente comprovados;

III - divergência nos prazos ou nos preços


ajustados.
TIPOS DE ACEITE
ACEITE ORDINÁRIO

ACEITE POR COMUNICAÇÃO (art. 7°. § 1°)


resultante da retenção da duplicata pelo comprador e aviso

ACEITE POR PRESUNÇÃO


resulta do recebimento da mercadoria pelo comprador desde
que não tenha havido causa legal motivadora da recusa do
aceite, com ou sem a devolução do título.

A DUPLICATA NÃO ASSINADA,


MAS ACOMPANHADA DE DOCUMENTO COMPROBATÓRIO DA
ENTREGA DA MERCADORIA. (ART. 15)
DUPLICATA VIRTUAL
art. 889, § 3º do Código Civil:

“O título poderá ser emitido a partir dos caracteres


criados em computador ou meio técnico
equivalente e que constem da escrituração do
emitente, observados os requisitos mínimos
previstos neste artigo.“

Leia mais: http://jus.com.br/revista/texto/17949/aspectos-


polemicos-da-duplicata-virtual/4#ixzz2SWAOsbjZ
PROTESTO (art. 13)

 POR FALTA DE ACEITE


 POR FALTA DE DEVOLUÇÃO
 POR FALTA DE PAGAMENTO

 Pode ser tirado com a apresentação da duplicata, de


triplicata ou simples indicação (boleto) do portador
 Se não protestar por falta de aceite ou de devolução, pode
ser protestada por falta de pagamento
 Protesto na praça de pagamento
 Se não tirar o protesto em 30 dias perde ação contra os
endossantes e seus avalistas.
DO PROCESSO DE COBRANÇA (Art. 15)
(Redação dada pela Lei nº 6.458, de 1º.11.1977)

 Por AÇÃO DE EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA (art. 824 do CPC)


por ser TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL (art. 784, I do CPC.)

Inclusive :
l - de duplicata ou triplicata aceita, protestada ou não;

II - de duplicata ou triplicata não aceita, contanto que,


cumulativamente:
a) haja sido protestada;
b) esteja acompanhada de documento hábil comprobatório da
entrega e recebimento da mercadoria; e
c) o sacado não tenha, comprovadamente, recusado o aceite,
no prazo, nas condições e pelos motivos previstos nos arts.
7º e 8º desta Lei
PRESCRIÇÃO (art. 18)

l - contra o sacado e respectivos avalistas, em


3 (três) anos, contados da data do vencimento do título;

ll - contra endossante e seus avalistas, em 1 (um) ano,


contado da data do protesto; em 30 (trinta) dias se não
tirar o protesto (art. 13, § 4°)

Ill - de qualquer dos coobrigados contra os demais, em


1 (um) ano, contado da data em que haja sido
efetuado o pagamento do título
REGRAS ESPECIAIS
 TÍTULO FORMAL
forma determinada pelo BCB

 TÍTULO CAUSAL
só pode ser emitido em venda de mercadoria a prazo

 ESCRITA ESPECIAL
obrigatório o Livro de Registro de Duplicatas (art. 19)

 Emissão de TRIPLICATA por perda ou extravio (art. 23)