Você está na página 1de 36

Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP

Departamento de Engenharia de Controle e Automação e


Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Tutorial Rápido de Uso do Software de


Programação GE Fanuc Proficy Machine Edition
com o CLP GE Fanuc VersaMax

Fernando dos Santos Alves Fernandes


Técnico em Laboratório-Informática

Ouro Preto
Março/2010
Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Este tutorial foi atualizado em 08 de Março de 2010. O Laboratório de Controle e Automação citado nas
versões anteriores se chama, atualmente, Laboratório de Tecnologias Industriais.

Por: Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 2


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Sumário

1. Introdução …................................................................................................... 3

2. Configuração do Hardware …......................................................................... 4

3. Ambiente de Programação Lógica …............................................................ 17

4. Conexão com o CLP e Execução da Aplicação …........................................ 23

4.1 Configurações da porta de comunicação Ethernet .................................. 23

4.2. Comunicação e execução da aplicação de exemplo ............................... 27

5. Bibliografia …............................................................................................... 35

Por: Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 3


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

1. Introdução

Este tutorial rápido foi elaborado com o objetivo de auxiliar os alunos do curso de
Engenharia de Controle e Automação, no uso do software de programação GE Fanuc Proficy
Machine Edition com o Controlador Lógico Programável GE Fanuc VersaMax, nas aulas
práticas da disciplina Informática Industrial(CAT148), realizadas no Laboratório de
Tecnologias Industriais.
O presente não faz referências aos procedimentos de instalação do software, uma
vez que não se diferem dos da instalação da maioria dos softwares padrões e o programa foi
previamente instalado nos computadores do laboratório, estando pronto para uso na
implementação dos programas e conexão com o CLP.
Os principais procedimentos para o uso do software de programação GE Fanuc
Proficy Machine Edition também não diferem da maioria dos softwares da categoria.
Consistem basicamente em:
- criar um novo projeto, dando-lhe um nome;
- selecionar o modelo de CLP com o qual deseja trabalhar;
- configurar os modelos de fonte de energia e CPU;
- adicionar os módulos de entrada e saída analógicos e discretos correspondentes;
- configurar a maneira como será feita a comunicação física do CLP com o
microcomputador para downloads dos programas (serial/ ethernet);
- criar os programas, observando corretamente as instalações elétricas, as entradas
e saídas, para definir corretamente os endereços de memória.
Como o objetivo deste tutorial é permitir que o aluno tenha uma visão rápida e
fácil de como realizar cada procedimento, praticamente todas as possíveis telas encontradas
durante o processo de criação de um novo projeto e configuração do hardware, podem ser
visualizadas, com uma breve instrução ou legenda.

Por: Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 4


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

2. Configuração do Hardware
Após iniciar o GE Fanuc Proficy Machine Edition,

selecione a opção Machine Edition template e clique em OK para iniciar um novo projeto
com o auxílio de um assistente.

Na próxima tela, no campo Project Template,

Por: Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 5


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

selecione o modelo do CLP com o qual deseja trabalhar.

No nosso caso, iremos trabalhar com o VersaMax PLC.

Dê um nome ao projeto e clique em OK.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 6


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Aberta a tela inicial do projeto,

clique com o botão direito do mouse sobre Target1 na janela Navigator

e renomeie, por exemplo, para PLC_Labcat.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 7


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Agora, para configurar o hardware, relativo ao PLC VersaMax, expanda o item Main Rack em
Navigator. Serão exibidos a fonte e a CPU padrões para o modelo que escolhemos.

Para modificar essa configuração, conforme o modelo de fonte que de fato


estamos utilizando, clique com o botão direito do mouse sobre a PWR (IC200PWR001) e
selecione Replace Module...

A janela Module Catalog será aberta.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 8


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Selecione IC200PWR102 e clique em OK.

Uma guia com os parâmetros da fonte é exibida, conforme a figura abaixo.

Repita o mesmo procedimento para selecionar o modelo de CPU correto que estamos
utilizando (IC200CPUE05). Veja as figuras a seguir:

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 9


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Responda Sim às caixas de mensagem que surgirão.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 10


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Agora, vamos adicionar os módulos de entrada e saída. Por enquanto, vamos instalar apenas
os módulos de entrada e saída digitais.

Clique com o botão direito em Main Rack, na janela Navigator e selecione Add
Carrier/Base...

Em seguida, selecione o modelo IC200CHS022 e clique em OK.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 11


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Vamos adicionar o módulo de entrada.

Clique com o botão direito sobre a Slot1() e selecione Add Module...

Agora, na janela Module Catalog, escolha na guia Discrete Input.

O modelo de módulo de entrada que estamos utilizando é o IC200MDL240. Selecione o item


correspondente e clique em OK.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 12


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Para adicionarmos um módulo de saída digital, procedemos da mesma maneira:


primeiro adicionamos outro módulo base, IC200CHS022 e, em seguida, adicionamos o
modelo desejado (IC200MDL940), na guia Discrete Output, da janela Module Catalog,
conforme as figuras a seguir:

Adicionando uma nova base.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 13


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Slot2 ( ), representando o módulo base foi criado.

Adicionando um novo módulo.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 14


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Lista de opções de módulos de saída na guia Discrete Output.

Modelo IC200MDL940 selecionado.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 15


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Configurações de Hardware, depois da adição dos módulos de entrada e saída digitais.

Outros módulos de entrada e saída analógicos podem ser adicionados da mesma


forma descrita acima, bem como módulos adicionais, conforme a necessidade da aplicação e a
disponibilidade. Deve-se observar, no entanto, a capacidade máxima da fonte quanto ao
número de módulos que ela é capaz de alimentar simultaneamente (vide descrição do módulo
no manual do CLP).

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 16


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

3. Ambiente de Programação Lógica

O ambiente de programação lógica do sistema a ser automatizado com o CLP


assemelha-se ao de outros softwares do mercado. No Proficy Machine Edition, basta
expandir o itens Logic e Program Block na janela do Navigator e dar um clique duplo no tag
_Main. A janela exibida permite fazer a programação da lógica por meio da linguagem
Ladder. O Proficy Machine Edition permite implementar a programação lógica por meio de
outras “linguagens”, como Structured Text Blocks(ST) – Blocos de Textos, para Instrution
List (IL), mas no nosso caso, usaremos a linguagem Ladder.

A janela _MAIN é utilizada para a programação lógica em LADDER.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 17


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

A seguir a barra com as principais ferramentas de programação em Ladder e uma


breve descrição.

Cursor para seleção de objetos.

Contato normalmente aberto.

Bobina de transição positiva.

Seta uma bobina. Reseta uma bobina.

Insere uma nova linha lógica.


Insere uma linha de comentário.
Transfere a execução para outro bloco de
programação.

Insere um contador decrescente.

Insere um contador crescente.


Insere um temporizador Off-Delay
Bobina de transição positiva

Bobina Negada Insere um temporizador On-Delay

Insere uma bobina.

Contato
normalmente aberto

Variáveis podem ser criadas durante o processo de inserção dos objetos da barra
de ferramentas exibida acima, ou por meio da janela Navigator, quando selecionada a aba
Variables (veja figura abaixo). Neste tutorial, demonstramos a criação de variáveis através da
janela Navigator, por considerarmos uma maneira bastante organizada de criá-las, levando-se
em conta que o programador fez um levantamento prévio das necessidades de sua aplicação.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 18


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Através dessa janela, clicando com o botão direito, adicionamos uma nova
variável, que será nomeada e receberá um endereço referente a um elemento associado ao
CLP.

Vejamos um exemplo através da aplicação mostrada abaixo:

Para começar, selecione a aba Variable na janela Navigator.


Para criar a variável Alarme, clique com o botão direito dentro dessa janela e escolha no
menu a opção New Variable e selecione o tipo BOOL.

Mude o nome para Alarme.


Neste momento, a janela Inspector exibirá as principais propriedades da variável.
Vamos editá-las.
Faça uma descrição da variável no campo Description. Agora vamos definir um
endereço de referência. Neste caso, o alarme é acionado por uma saída do CLP.
Clique no campo Address e no botão “...”. Um assistente para referência a
endereços de memória (Reference Address Wizard) será exibido.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 19


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

No campo Memory Area, selecione a opção Q - Discrete Output e confirme.

Repita o mesmo procedimento para as outras variáveis:

Botao1 – Discrete Input


Chave – Discrete Input
Dispositivo1 – Discrete Output

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 20


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Lam_Status – Discrete Internal (uma posição na memória interna)


Lampada – Discrete Output

Note que não me referi à variável Lamp_Acesa. Esta variável não terá como
referência um novo endereço de entrada ou saída. Seu estado será definido pelo estado da
variável Lam_Status. Logo, receberá uma referência ao mesmo endereço da variável
Lam_Status, cujo procedimento será demonstrado a seguir:

Crie a variável Lamp_Acesa, conforme as outras variáveis e ative o assistente


para referência à memória, através do botão “...” no campo Address.
Para esta variável, não vamos selecionar nenhuma opção no campo Memory
Area. Queremos associar o estado da variável Lamp_Acesa ao estado da variável
Lam_Status. Portanto, selecionamos o campo Alias variable to e na lista exibida, escolhemos
Lam_Status e confirmamos.

Agora, vamos para a implementação da lógica em Ladder.


Visualizando a figura, procure reproduzir a lógica na janela _MAIN, sem se
preocupar com as associações com as variáveis. Seu diagrama em Ladder deve ficar como
ilustrado abaixo:

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 21


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Feito o diagrama, devemos associar cada elemento a um endereço de referência


interna do CLP (entrada, saída ou memória interna). Como já criamos todas as variáveis e
associamos a cada uma delas um endereço, basta relacionarmos os elementos do diagrama à
variável correspondente. Uma maneira rápida de fazê-lo é exibir a lista de variáveis na aba
Variables, selecionar, arrastar e soltar a variável desejada sobre o elemento correspondente no
diagrama.
Após associar todos os elementos às variáveis, seu diagrama deverá ficar como
ilustra a seguinte figura:

Sua primeira aplicação está pronta. Neste ponto, podemos testar o programa.
Para isso, devemos efetuar a comunicação física com o CLP, escolhendo a
interface de comunicação e fazendo as configurações necessárias. A descrição dessa tarefa é o
assunto do próximo item deste tutorial.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 22


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

4. Conexão com o CLP e Execução da Aplicação

4.1. Configurações da porta de comunicação Ethernet

Para fazermos a conexão do Proficy Machine Edition com o CLP VersaMax,


descarregar o programa em sua memória e executá-lo, precisamos definir a interface com a
qual um micro-computador com o software instalado fará a comunicação física.
O VersaMax possui três interfaces de comunicação: uma porta RS-232, uma porta
RS-485 e uma porta Ethernet. Em nosso exemplo, utilizaremos a interface Ethernet e a
comunicação direta com o micro se dará por meio de um cabo de rede padrão CAT5 (cross-
over).
As configurações de comunicação Ethernet, no Proficy Machine Edition, são
feitas através do módulo da CPU, que no nosso caso é o IC200CPUE05. Os procedimentos
são descritos e ilustrados a seguir.

Clique com botão direito do mouse e selecione a opção Properties no menu, ou dê


um duplo clique sobre o Slot 0, correspondente ao módulo da CPU, conforme mostra a figura.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 23


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

A janela mostrada abaixo será exibida.

Clique na aba Ethernet e dê um duplo clique no parâmetro IP Address:. Substitua


o endereço IP por 10.0.0.5, por exemplo (Podemos fazer uso de qualquer faixa de IP que
quisermos, uma vez que o CLP e o micro-computador não estarão ligados a nenhuma outra
rede ou dispositivo).

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 24


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Da mesma forma, precisamos configurar também a máscara de sub-rede no


parâmetro Subnet Mask: ( estamos usando 255.0.0.0, simplesmente porque é definida
automaticamente quando configuramos o micro, embora a configuração ideal fosse
255.255.255.0, já que só temos dois dispositivos conectados ) e Gateway IP Address:, que é o
endereço do micro com o qual queremos fazer a conexão ( configure para 10.0.0.1 ).
Veja a seguir como devem ficar suas configurações:

Agora, precisamos configurar as Propriedades de Protocolo TCP/IP do micro conforme


mostrado abaixo.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 25


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Uma última configuração deve ser feita no Proficy Machine Edition antes de
testar a comunicação. Selecionando o target de seu projeto (no nosso caso PLC_Labcat), a
janela Inspector exibirá uma série de atributos a ele relacionados.
O parâmetro Phisical Port define com que tipo de interface você deseja fazer a
comunicação física do CLP com outro dispositivo. Por padrão, seu valor é a porta serial
COM1.

Para utilizarmos a interface Ethernet, precisamos mudar esse valor clicando no


campo e escolhendo a opção correspondente e, informar no campo seguinte, o endereço que
selecionamos para o CLP (10.0.0.5).

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 26


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Neste momento, todas as configurações necessárias foram realizadas, restando


apenas observarmos, antes de testar a comunicação, se a configuração de hardware que
estamos utilizando (módulos de energia, módulo da CPU e módulos de entrada e saídas
analógicos e digitais) corresponde exatamente à configuração feita no software. Somente
nesta situação poderemos descarregar no CLP e executar a lógica que programamos.

4.2. Comunicação e execução da aplicação de exemplo

Nas barras de ferramentas mostradas a seguir, encontram-se as principais


ferramentas para conexão, download e execução das lógicas implementadas no Proficy
Machine Edition.
Baixa a lógica implementada inicia a execução.

Habilita/Desabilita o recurso de forçar as entradas.


Escaneia os valores de entrada uma vez.
Pausa a execução da aplicação.
Termina a execução da aplicação.
Baixa a lógica implementada inicia a execução.
Inicia a execução do programa.

Reseta a execução.

Habilita ferramentas de download e execução.


Inicia a comunicação.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 27


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

A seguir, uma série de ilustrações mostra o procedimento de conexão e execução


do nosso programa de exemplo. Forçando as entradas, podemos simular o que teremos como
resultado nas saídas.

Clique na ferramenta Online/Offline para iniciar a comunicação.

A ferramenta Toogle Online Mode habilita as ferramentas de download e


execução do programa.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 28


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Agora, faça o download para o PLC através do botão Download Active Target e
coloque o PLC em modo run com a ferramenta Start Active Target ou utilize a ferramenta
Download and Start Active Target.

Uma caixa de diálogo perguntará os itens que você quer baixar: Hardware
Configuration, Logic e Initial/Forced values. Deixe todos os itens selecionados.
Se desejar, você pode selecionar a opção Write ALL items to flash memory, para
gravar os dados na memória do CLP.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 29


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Se já baixamos algum outro projeto no CLP anteriormente, uma mensagem


surgirá informando que as configurações do programa gravado anteriormente não estão de
acordo com as que desejamos atualizar. Confirme sua intenção de sobrescrever respondendo
sim à pergunta.

Se fizemos todo os procedimento corretamente, a implementação lógica que


fizemos e as configurações de hardware estão corretas, a janela Feedback Zone exibirá uma
mensagem informando que o download está completo e não erros.

Outra maneira de termos certeza que as configurações de hardware especificadas


no Proficy Machine Edition estão correspondendo ao hardware propriamente dito é observar
o ícone da target de nosso projeto. Se o ícone não estiver verde ou estiver coberto por um X,
há algo errado com as configurações de hardware ou com a lógica. Outros status podem ser
vistos com mais detalhes através da ajuda do Proficy Machine Edition.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 30


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Finalmente, podemos colocar nosso programa para executar.

Para isso, clique Start Active Target e dê OK para a opção Outputs Enabled
(saídas habilitadas) na janela Start Controller.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 31


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

A figura a seguir mostra o estado inicial do programa em modo Run. O CLP GE


Fanuc VersaMax também precisa ser colocado em modo Run, através de uma chave
localizada no módulo da CPU.

Se quisermos testar a lógica implementada, podemos forçar o acionamento de


uma entrada e verificar qual será o resultado nas saídas do CLP. Basta clicar com o botão
direito do mouse sobre o componente associado a uma entrada, por exemplo, Botao1 e
selecionar Force ON.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 32


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Veja que a saída %Q00002 (associada a uma lâmpada) foi acionada. Além disso,
uma posição de memória foi acionada. Essa posição de memória é utilizada na linha seguinte
para acionar a saída %Q00003 (associada a um alarme).
Note que, como a variável Lamp_Status recebeu nível alto, na linha 4 a variável
Lamp_Status (também em nível alto) aciona a saída %Q00003, associada à variável Alarme.
Paralelamente, a variável Dispositivo é levada a zero.

Vamos desligar o Botao1, selecionando Force OFF.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 33


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

Os status das saídas se mantêm como antes: %Q00002 e %Q00003 ativadas.

Vamos ver o que acontece se forçarmos para nível alto a entrada relativa à
variável Chave.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 34


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

As variáveis Lâmpada é desativada e a variável Dispositivo é finalmente ativada.


Obs.: A variável Alarme deveria ser desativada também. Para corrigirmos essa
falha, devemos acrescentar na linha 5, em paralelo com as variáveis Dispositivo e Lâmpada,
um bloco “resetando” a variável Alarme.

Para parar o programa, basta dar um clique no botão Stop Active Target e dar OK
quando solicitado a desabilitar as saídas.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 35


Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
Departamento de Engenharia de Controle e Automação e
Técnicas Fundamentais - DECAT
Laboratório de Tecnologias Industriais
Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Karla Boaventura Pimenta

5. Bibliografia

GE Fanuc. Proficy Machine Edition – Getting Started . GFK-1868 – Version 5.70 – August
2007.

GE Fanuc. Proficy Logic Developer – PLC 5.90. – Getting Started Guide. GFH-1918L –
Version 5.90 – November 2008.

Fernando dos Santos Alves Fernandes – Técnico em Laboratório/Informática 36