Você está na página 1de 23

9ª TURMA - CURSO DE DESENHISTA PROJETISTA DE AR CONDICIONADO DA ABRAVA

NOÇÕES DE CÁLCULO DE
PERDA DE CARGA EM
DUTOS DE AR
Professor: Eng. Fábio Pires Takacs

Datas: 13/07/2015
Realizaç ão: Patro cin ado res:
Pressão Total

   +    + /
Onde:
 = pressão total, Pa;
 = pressão estática, Pa;
 = pressão dinâmica, Pa;
 = densidade, kg/m3;
V = velocidade na seção, m/s.
Perda de Pressão Total em Dutos
  
∆  ∆ +∆  +∆  −∆ 
= = =
Onde:variação de pressão na seção i, Pa;
∆ 

∆ = perda de pressão relativa a atrito na seção i, Pa;
∆  = perda de pressão total devido à singularidade j, Pa;
∆  = perda de pressão devida ao equipamento k, Pa;
∆  = efeito gravitacional térmico devido à chaminé r, Pa;
m = número de singularidades na seção i;
n = número de equipamentos na seção i;
 = número de chaminés na seção i;
Seção i a montante e jusante do ventilador.
Efeito Chaminé

∆  (  −)(  − )


Onde:
 = aceleração da gravidade, 9,81m/s 2;
 = densidade do ar ambiente, kg/m3;
 = densidade do ar ou gás dentro do duto, kg/m3;
 
 2 = elevação em direção do fluxo do ar, m.
Perdas por Atrito
 
∆  
Onde:
∆ = perdas por atrito, Pa;
 == comprimento
fator de atrito, adimensional;
do duto, m;
 = densidade do ar ou gás dentro do duto, kg/m ;
3

V = velocidade, m/s;
ℎ = diâmetro hidráulico, mm;
 /
Onde:
A = área da seção do duto em mm2;
P = perímetro do duto em mm.
Determinação do Fator f
  − (  + , )
 ,   
Equação de Colebrook, onde:
= rugosidade absoluta do material, mm;
ℎ = diâmetro hidráulico, mm;

Re = número de Reynolds, adimensional.

 
 
 = viscosidade cinemática, m/s
Para ar standard (densidade de 1,204 kg/m3) entre 4 e 38ºC:
, 
Observação: Condições Padrão
Ar Standard:
– Pressão: 101 325 Pa (101,325 kPa = 1,01325 bar = 1 atm =
760 mmHg).

– Temperatura: 20oC
– Densidade: 1,20 kg/m3
– Ar seco

CNTP - Condições Normais de Temperatura e Pressão:


– Temperatura: 273,15 K (0 °C)
– Pressão: 101 325 Pa (101,325 kPa = 1,01325 bar = 1 atm =
760 mmHg).
Determinação do Fator f
  ,
´  ,  + 
Se ≥0,018 então =
´  ´
Se ´<0,018 então   ,´ + ,

Equação alternativa de Colebrook, onde:


= rugosidade absoluta do material, mm;
ℎ = diâmetro hidráulico, mm;
Re = número de Reynolds, adimensional.
Rugosidade Absoluta
Material do Duto Categoria de Rugosidade
Rugosidade Absoluta (mm)
Chapa de aço limpa, PVC, alumínio Liso 0,03
Aço galvanizado com juntas Meio Liso 0,09
longitudinais a cada 1.200mm;
Aço galvanizado com juntas em
espiral.
Aço galvanizado com juntas Médio 0,15
longitudinais a cada 760mm.
Duto de fibra de vidro rígido, Meio Rugoso 0,9
revestimento em fibra de vidro (filme
de acabamento).
Duto flexível, concreto, revestimento Rugoso 3,0
em fibra de vidro (acabamento spray
do lado do ar).
Dutos Retangulares e “Giroval”
,() ,
  (+) ,
Onde:
= diâmetro circular equivalente para duto retangular com
  

mesma perda de pressão, mm;
= lados do duto retangular, mm;

,  ,
  ,
Onde:
AR = área da seção do duto giroval;
P = perímetro da seção do duto giroval.
Perdas Dinâmicas / Singularidades

 
∆      
Onde:
∆  = perda de pressão total devido à singularidade j, Pa;
C = coeficiente de perda de pressão local, adimensional;
 = pressão dinâmica, Pa;
 = densidade do ar ou gás dentro do duto, kg/m3;
V = velocidade, m/s;
Perdas Dinâmicas / Singularidades
∆   ,
Conversão de seção:

  ()
Junções e derivações:
∆  , ,  ∆  , ,

  (,)
Onde:

c
s== seção
seção do
do duto
duto comum;
direto;
b = seção do duto ramal.
Exemplos Tabelas de Coeficientes
de Perdas em Singularidades
Exemplos Tabelas de Coeficientes
de Perdas em Singularidades
A seguir alguns poucos exemplos de tabelas de coeficientes de perda em
singularidades. As geometrias e configurações disponíveis em literatura são
inúmeras. Algumas referências bibliográficas fundamentais para consulta são:
• “ASHRAE Handbook of Fundamentals”;
• “ASHRAE Duct Fitting Data Base” (disponível também como aplicativo para tablet);
• “Handbook of Hydraulic Resistance”, autor I.E. Idelchik e outros).
Exemplos Tabelas de Coeficientes
de Perdas em Singularidades
Exemplos
Tabelas de
Coeficientes
de Perdas
em
Singulari-
dades
Exemplos Tabelas de Coeficientes
de Perdas em Singularidades
Exemplos Tabelas de Coeficientes
de Perdas em Singularidades
Efeitos do Sistema sobre o
Ventilador
Efeitos do Sistema sobre o
Ventilador
Efeitos do Sistema sobre o Ventilador –
Exemplos de Tabelas de Perdas
Efeitos do Sistema sobre o Ventilador –
Exemplos de Tabelas de Perdas
 é o comprimento efetivo de duto, que é a distância
para que ocorra 100% de recuperação do perfil de
velocidades (veja “figura 11” no slide 19):
  
  4500 para 0 >13 /
e

  50 para 0 ≤13 /


Onde:
0 = velocidade no duto, m/s;
0= área do duto, mm .2
Efeitos do Sistema sobre o Ventilador –
Exemplos de Tabelas de Perdas