Você está na página 1de 8

AULA 1 – ESTUDO DIRIGIDO

QUATRO (4) OPERAÇÕES BÁSICAS

CONJUNTOS NUMÉRICOS

São formados por cinco (5) tipos de números:

1) Números Naturais usados naturalmente 2) Números Inteiros é uma ampliação dos


para fazer contagens, representado pela números naturais, formado por números
letra (N): naturais positivos e negativos, represen-
N = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, …}. tado pela letra (Z):
Z = {…, – 3, – 2, – 1, 0, 1, 2, 3, …}.

3) Números Racionais usados da necessi-


4) Números Reais é formado por todos os
dade de dividir quantidades, é escrito na
números citados anteriormente, em toda a
forma de fração, representado pela letra
sua forma, representado pela letra (R):
(Q):
R = {..., -2, -1, 1/2, 4, 0,32...}.
Q = {1/2, 3/4, 5/7...}.

5) Números Irracionais todos os números


que não pertencem ao conjunto dos
racionais, são aqueles que são escritos na
forma de Decimais infinitos e Raízes não
exatas, representado pela letra (I):
I = { PI = 3,14, √ 1005...}

OPERAÇÕES BÁSICAS COM NÚMEROS NATURAIS (N)


ADIÇÃO, SUBTRAÇÃO, MULTIPLICAÇÃO, DIVISÃO

1) ADIÇÃO (+): É a Soma de duas Parcelas de números naturais.

2 + 3 = 5 Regras:
a) A ordem das Parcelas não altera a Soma:
2 + 3 = 5 ou 3 + 2 = 5
Parcelas Soma
b) As Parcelas se associam de diferentes modos:
(2 + 3) + 4 = 9 ou 2 + (3 + 4) = 9
Parcela + Parcela = Soma

2) SUBTRAÇÃO (–): É a Diferença a ser calculada quando o 1º número for maior ou igual ao 2º
número.
Regras:
Minuendo a) Não possui propriedade Comutativa:
9 – 2 = 7 ≠ 2 – 9 = não pertencente a N.
5 – 2 = 3 Diferença
b) Não possui propriedade Associativa:
(10 – 6) – 4 ≠ 10 – (6 – 4)
Subtraendo
4–4 10 – 2
0 8
Minuendo – Subtraendo = Diferença
3) MULTIPLICAÇÃO (x) (.): Consiste em multiplicar sucessivas vezes um mesmo número, ou dois
números, chamados de Fatores, obtendo um resultado de nome de Produto.

2 x 5 = 10 Regras:
a) A ordem dos fatores, não altera o produto:
6 x 3 = 18 ou 3 x 6 = 18
Fatores Produto
b) Pode ser feita a associação, sem alterar o produto:
(5 x 3) x 2 ou 5 x (3 x 2)
Fatores x Fatores = Produto 15 x 2 5 x 6
30 30

c) Pode ser feita a distribuição, sem alterar o produto:


3 x (2 + 5) ou 3 x (2 + 5)
3x2 + 3x5 3 x 7
6 + 15 21
21

d) Quando se multiplica um número qualquer por (1) um, o


resultado é sempre o próprio número:
5 x 1 = 5 / 20 x 1 = 20 / 1.000 x 1 = 1.000.

e) Quando se multiplicar um número qualquer por (0) zero,


o resultado sempre será igual a (0) zero:
5 x 0 = 0 / 20 x 0 = 0 / 1.000 x 0 = 0.

4) DIVISÃO (:) (÷): Quando se divide um número natural, achando um outro número menor.

Dividendo Dividendo

15 3 Divisor 8 5 Divisor
0 5 3 1

Resto Quociente Resto Quociente

Dividendo = Divisor x Quociente Dividendo = Divisor x Quociente + Resto

Regras:
Não existe divisão por (0) zero.
0 ÷ 5 = 0 ou 5 ÷ 0 = 0.
SIMULADOS

1) Câmara de Sumaré/SP – Escriturário – VUNESP/2017


Se, numa divisão, o divisor e o quociente são iguais, e o resto é 10, sendo esse resto o maior
possível, então o dividendo é:
a) 131.
b) 121.
c) 120.
d) 110.
e) 101.

Resposta: A.
Como o resto é o maior possível e sabemos que R < d, temos que: 10 < d. Logo podemos
sugerir que d seja igual a 11.
D = 11 . 11 + R ⇾ D = 121 + 10 = 131

Dividendo

131 11 Divisor Dividendo = Divisor x Quociente + Resto


- 121 11
10

Resto Quociente
Também podemos montar a equação através do enunciado:
D = d. Q +R
d=Q
R = 10
D = d. d + 10 ⇾ D = d² + 10 ⇾ D – 10 = x². Observando as respostas, temos que o
resultado que torna a equação possível é 131 . 131 – 10 = x² ⇾ 121 = x² ⇾ x = 11

2) Concurso para Aprendiz de Marinheiro/2014


Em uma divisão entre dois números inteiros o quociente é 8, o divisor é 12 e o resto é o maior
possível, logo, o dividendo será:
a) 20
b) 96
c) 106
d) 107
e) 108
3) Concurso para Aprendiz de Marinheiro/2013
Caso se vendam 105 picolés em um primeiro dia de trabalho, no segundo dia 109 e no terceiro
dia 118. Quantos picolés ainda precisam ser vendidos para se chegar a um total de 400?
a) 48
b) 58
c) 68
d) 78
e) 88

4) (UFSBA – Técnico em Tecnologia da Informação – UFMT/2017).


O esquema abaixo representa a subtração de dois números inteiros, na qual alguns
algarismos foram substituídos pelas letras A, B, H e I.

Obtido o resultado correto, a sequência BAHIA representa o número:


(A) 69579
(B) 96756
(C) 75695
(D) 57697

Resposta: D.
Sabemos que o minuendo é maior que o subtraendo, pois temos como resultado um número
natural positivo.
Fazendo cada número temos:
8–2=H⇾H=6
A-4=3⇾A=3+4⇾A=7
3–1=2
B – A = 8, como já sabemos que A = 7; B – 7 = 8 ⇾ B = 8 – 7 = 15, sabemos que só
podemos ter número de 0 a 9, logo 15 – 10 = 5, então B = 5. Aqui neste caso o número 5 não
tem como subtrair de 7, e pede 1 “emprestado” ao do lado.
Sabemos que o I deve ser acrescido de 1, já que “emprestou” um para o lado. I – 4 = 4 ⇾
logo I = 4 + 4 = 8 , acrescido de 1 = 9.
BAHIA
57697
5) Perguntado sobre a quantidade de livros do acervo de uma biblioteca do Tribunal de Contas do
Estado da Paraíba, o funcionário responsável pelo setor, que era aficionado em matemática, deu a
seguinte resposta: “O total de livros do acervo é o resultado da adição de dois números naturais
que, no esquema abaixo, comparecem com seus algarismos substituídos por letras.”
MARRA
+MARRA
TORTA
Considerando que letras distintas correspondem a algarismos distintos, então, ao ser decifrado
corretamente, o código permitirá concluir que o total de livros do acervo dessa biblioteca é um
número:
a) menor que 70000.
b) compreendido entre 70000 e 75000.
c) compreendido entre 75000 e 80000.
d) compreendido entre 80000 e 85000.
e) maior que 85000.
Resolução: Vamos entender o enunciado. Ele simplesmente efetuou uma adição e trocou os
algarismos por letras. Letras iguais correspondem a números iguais e letras distintas
correspondem a algarismos distintos.
Olhemos inicialmente para os algarismos das unidades. Devemos descobrir um número tal que
A+A=A. Ou seja, qual é o número que somado com ele mesmo, é igual a ele mesmo? Só pode ser
o número zero. Tem-se, então, que A=0. Observe que 0 + 0 = 0 (lembre-se que o número zero é
o elemento neutro da adição). Já podemos substituir as letras A por 0.

Observe os algarismos das dezenas e das centenas. Aparentemente realizamos a mesma


operação R+R e obtemos dois resultados distintos. Isso se deve ao fato de a soma ser maior do
que 10 e somos obrigados a acrescentar uma unidade na casa das centenas. Devemos testar R
para o seguinte conjunto de valores: {5,6,7,8,9} (pois a soma deve ser maior do que 10). Será
que R = 5? Rapidamente concluímos que R não pode ser 5, pois ao efetuar R + R = 10, temos que
T = 0. Mas lembre-se que letras distintas correspondem a algarismos distintos. E como A = 0, T
não pode ser 0 e consequentemente R não pode ser 5. Será que R = 6? Vejamos o que acontece.
Lembre-se que 6 + 6 =12.
Observe o absurdo. Ao efetuarmos 6 + 6 obtemos 12. Escrevemos o algarismo das unidades 2
no resultado e “subimos 1”. Na coluna do meio devemos efetuar R + R + 1 (este 1 é aquele que
“subiu”). Temos que 6 + 6 + 1 = 13, então escrevemos o algarismo das unidades 3 e subimos 1.
Temos agora que R = 3. Absurdo, já que estávamos supondo que R = 6. Da mesma maneira,
testando R = 7 e R = 8 chegamos a absurdos parecidos com o caso R = 6. Chega-se a conclusão
de que R=9.

Desse modo, sabemos que T=8. Logo, a soma será escrita da seguinte forma:

Logo, MARRA=81980. Gabarito: D

6) Na operação de multiplicação abaixo, cada letra representa um algarismo

O valor de A+B+C é:
a) 10
b) 11
c) 12
d) 13
e) 14
Resolução: Foquemos na tabuada do 3.
3 x 1 = 3, 3 x 2 = 6, 3 x 3 = 9
3 x 4 = 12, 3 x 5 = 15, 3 x 6 = 18
3 x 7 = 21, 3 x 8 = 24, 3 x 9 = 27
Ao multiplicarmos o algarismo C pelo número 3, obtemos um número cujo algarismo das
unidades é igual a 4. Logo, C =8. Como 3 x 8 = 24, ao efetuarmos o produto do número 3 pelo
algarismo B, devemos adicionar 2 ao resultado.

O produto 3.B deverá ser um número cujo algarismo das unidades seja igual a 6, pois ao
adicionarmos 2 teremos como resultado um número cujo algarismo das unidades é igual a 8. Logo,
B=2, pois 3 x 2 = 6.

Finalmente, o número A deve ser tal que 3.A termine em 2. Portanto, A = 4.

Como A = 4, B = 2, e C = 8, temos que A + B + C = 14, ou seja (4 + 2 + 8) = 14.


Gabarito: E.
7) QUANTIDADE DE NÚMEROS EM UMA SEQUÊNCIA DE INTEIROS CONSECUTIVOS
Imagine que você precisa ler da página 354 até a página 678 de um livro. Quantas páginas
você lerá?
A maneira mais rápida de responder esta pergunta é assim:
Subtraia o maior número do menor e adicione 1. No nosso exemplo: 678 - 354 + 1 = 325.
Portanto, você lerá 325 páginas. Por que devemos adicionar 1?
Ora, quando subtraímos 678 - 354, estamos excluindo o número 354. Devemos adicionar 1
para que ele volte à nossa contagem.

8) QUANTIDADE DE ALGARISMOS EM UMA SEQUÊNCIA DE NATURAIS CONSECUTIVOS


Vamos resolver o seguinte problema. Quantos algarismos são usados para numerar de 1 a
150 todas as páginas de um livro?
a) 327
b) 339
c) 342
d) 345
e) 350
Resolução: Da página 1 até a página 9 há 9 – 1 + 1 = 9 páginas. Como cada página neste
intervalo possui 1 algarismo, são usados 9 x 1 = 9 algarismos.
Da página 10 até a página 99 são 99 – 10 + 1 = 90 páginas. Como cada página neste
intervalo possui 2 algarismos, são usados 90 x 2 = 180 algarismos.
Da página 100 até a página 150 são 150 – 100 + 1 = 51 páginas. Como cada página neste
intervalo possui 3 algarismos, são usados 51 x 3 = 153 algarismos.
Total: 9 + 180 + 153 = 342 algarismos.
Gabarito: C