Você está na página 1de 20

Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 • •1

PUB

PUB
1074
05 agosto 2020
Ano 20
quarta-feira
 0.75 iva incluído
Diretor: Luís Baptista-Martins
semanário

Mêda
Laboratório vai
pôr investigação
Guterres, o visionário
ao serviço do
desenvolvimento
regional que salvou as gravuras
rupestres
Colab More - Laboratório Colabo- O atual secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), e ex-primeiro-
rativo Montanhas de Investigação, ministro de Portugal, regressou a Vila Nova de Foz Côa 25 anos depois de salvar
que tem sede em Bragança, tem as gravuras do “afogamento”. António Guterres foi homenageado no Museu do
agora um polo na Mêda onde
Côa, outra consequência da suspensão da barragem do Côa, e disse que era
investigadores vão desenvolver
«evidente» a importância de preservar o património ali encontrado Pág.5
conhecimento científico que possa Foto: Luana Santos
ser usado no setor empresarial
regional _____________________ 6

Belmonte
Uma estátua
para Zeca Afonso
Escultura de Pedro Figueiredo foi
inaugurada no Largo Zeca Afonso,
na presença da ministra da Cultura.
No dia em que o cantautor faria 91
anos a homenagem dirigiu-se «ao
seu ideal humanista, à sua excelên-
cia musical, à sua generosidade e à
democracia», disse Dias Rocha __ 9

Vinhos
Quinta da Biaia
coroado no
Concurso da Beira
Interior_ ________________ 8

o
Suplement Especial Trancoso
1

nte
vendido separadame
e não pode ser
nº1074 de 05/08/2020
do jornal O Interior

das as Feira ao fim


é parte integrante Opinião
Este Suplemento

«Trancoso tem to ntinuar de semana


condições pa ra co A Feira de São Bartolome
D. Afonso III a 8
u, instituída por
de agosto de 1273
por carta
anual e a duração
de 15

ssoas e
de feira, com carácter semana antes da festa
uma

a crescer, fixar pe »
dias, a começar evento de
u, é o mais notável

Belmonte investe 600 mil euros


de S. Bartolome
da região.
origem medieval é a primeira vez,
em
Que se saiba, esta S. Bartolomeu não
Feira de
747 anos, que a

to
se realiza. não permite festas,

atrair investimen
O ano do Covid-19
nem feiras. a todos os níveis
pela
E Trancoso sofrerá anual da
relevante evento
suspensão do mais
cidade e da região. , os comerciantes
oso Até ao último momento
ipal de Tranc m a esperança
de
Câmara Munic e a autarquia mantivera
presidente da não impedisse
que o mês
ar Salvador, que a pandemia intensa

turo
vida
Entrevista a Amílc emigrantes e da

o fu
das férias, dos Mas não foi
vila medieval .

Seis obras para


regressa sse à
possível. cias, e para contra-
Apesar das contingên novo coronavírus,
do
deste ano. No total,
a autarquia riar a crise resultante fins-de-s emana de
dois
ões concluídas
no primeiro semestre ção do troço urbano da EN226, Trancoso vai ter 16 não serão
, na beneficia e 9 e 14, 15 e
r no dia 14 três
obras e intervenç
da Batalha de Trancoso e Desenvolvimento feira. Dias 7, 8 u, mas
Centro de Inovação Feira de S. Bartolome dois
Trancoso vai inaugura na monumentalização da Rotundade turismo e na construção do . Pág. 5 dias da grande
O município de euros das em setembro mercado nos próximos
1,2 milhões de renovação do posto empreitadas serão inaugura serão três dias de
investiu mais de de Animais, na últimas
do Centro de Recolha estádio municipal. Estas três fins-de-semana. de con-
na construção no excelente forma
na intervenção A opção, é uma social
ão económica e

a de mercado
Social, bem como

para valorizar Centum Cellas


tribuir para a dinamizaç repetir a festa que

Dois fins de seman


permitirá
da cidade. Não mas
milhares de pessoas,
todos os anos atrai a animação
de contribuir para
será uma forma ente quente e afirmar

celamento da
de um verão especialm localidade onde este
a única
Trancoso como de festa de

r can
alguma forma

para compe nsa


verão vai haver
e
massas. de recordações
O palco de encontro como
e compras será,
memórias, de famílias

rto lom eu em Trancoso.

Feira de São Ba
todos os anos,

Projeto de conservação e restauro da torre e do sítio arqueológico situado no Colmeal da


Torre vai incluir a construção de um centro interpretativo daquela enigmática construção
classificada como monumento nacional Pág.9
PUB
2• • Quarta-feira • 05 de agosto de 2020

Entrevista
no  fio  da  navalha

Cara
a P e r f i l
cara
Ana Pereira

António Guterres «Este prémio Vencedora do segundo prémio do concurso


internacional “Verallia Design Awards
2020”

veio provar que,


Vinte e cinco anos depois de suspender as
Idade: 21 anos
obras da barragem do Côa, António Guterres
regressou ao local que “salvou” para ser ho- Naturalidade: Penafiel (Porto)
menageado. Nas comemorações dos 10 anos
do Museu do Côa, o momento era aguardado Profissão: Estudante em Design de Equipa-

com esforço e
e o discurso não desiludiu. Guterres usou mento no IPG
as gravuras como metáfora, servindo-se da
realidade local para enquadrar o panorama in- Currículo: Licenciatura em Design de Equi-
ternacional, num discurso que fez jus ao cargo pamento e vencedora do segundo prémio

dedicação, tudo
que agora ocupa. do concurso internacional “Verallia Design
Awards 2020”

Livro preferido: “Diário de Anne Frank”

é possível»
Filme preferido: Não tem

Hobbies: Ler, caminhar e desenvolver/ tra-


balhar em projetos

Mêda P- Como surgiu a ideia de conceber


uma garrafa que representasse todo
P- O que sentiu ao ver o seu trabalho
reconhecido? Esperava ser distinguida
P- Já tinha participado nalgum con-
curso internacional?
A Mêda vai acolher um polo do Colab processo do fabrico do azeite? desta forma? R - Não, nunca tinha participado em
MORE – Laboratório Colaborativo Montanhas R - A forma surgiu a partir da ideia de R - Ver o meu trabalho ser reconhecido nenhuma prova internacional.
de Investigação que ficará sediado na Casa da uma escala de medições e de gotas de azeite. internacionalmente é muito gratificante, tanto
Cultura da Mêda. A Câmara Municipal, o MORE No lugar da escala de medições encontra-se a nível académico como pessoal, pelo que me P- E já tem propostas para o desen-
(Politécnico de Bragança) e a Fundação Côa a metade de uma gota de azeite. No lugar senti bastante realizada e grata por ter tido volvimento/ produção da sua garrafa?
Parque assinaram um protocolo de colaboração dos números vemos as pequenas gotículas uma oportunidade e uma experiência como R - Não tenho.
para a instalação do “Polo do Vale do Côa e Cen- de azeite. Nessas pequenas gotículas está esta. Não esperava que, ao inscrever-me neste
tro Interior”. Esta instalação deverá contribuir descrito o processo de confeção do azeite de concurso internacional, poderia sair dele com P- Como finalista do curso Design de
para a dinamização do tecido empresarial da uma forma diferente e divertida, ou seja, as um prémio devido à grande quantidade de Equipamento do Instituto Politécnico da
região e será determinante para o desenvolvi- azeitonas descrevem o seu próprio processo trabalhos em prova, apenas pensei que seria Guarda (IPG), quais são os seus planos
mento económico regional com base na relação de fabrico, desde a apanha das azeitonas até benéfico para o meu percurso académico futuros?
entre ciência, conhecimento e as empresas. ao momento em que o produto final chega a e para obter mais conhecimento acerca da R - Após o término do curso de Design
casa dos consumidores, começando da gota indústria vidreira. Por vezes é difícil acre- de Equipamento do Instituto Politécnico
de cima para baixo. À medida que o azeite for ditar nas nossas capacidades e este prémio da Guarda pretendo entrar no mercado de
acabando vamos poder notar em que fase se no Verallia Design Awards 2020 veio provar trabalho na minha área profissional.
encontra o processo de confeção, daí a forma que, com esforço e dedicação, tudo é possível.
ser transparente. A embalagem do projeto é Portanto, estas oportunidades são únicas e P - Como avalia o mercado de traba-
inspirada no design da própria garrafa, ou importantes e é por isso que devem ser apro- lho na área de Design nesta região?
seja, pela metade de uma gota de azeite. A veitadas ao máximo. R - Como não sou natural do distrito
pega, além de apresentar a forma da meia Guarda não consigo dizer muito acerca
gota, tem também uma ergonomia adequada do mercado de trabalho na área de
Quinta Biaia para a mão do utilizador. Design nesta região. No entanto, pelo
que sei, o Design não é muito explo-
Com seis anos de atividade, o produtor rado pelas empresas da Guarda e
figueirense da Quinta da Biaia conquistou três da Beira Interior.
medalhas de ouro no 13º Concurso de Vinhos da
Beira Interior e um dos seus néctares biológicos
foi considerado o melhor vinho da região. Um
reconhecimento que chega numa altura con-
turbada para o setor e que também premeia o
trabalho do jovem enólogo Luís Leocádio, que
desta vez foi o porta-voz da nova geração que
está a trabalhar o vinho na Beira Interior.

Mortalidade
É uma má notícia para o sistema de saúde
no distrito da Guarda, onde, em julho, se regis-
taram 1,8 óbitos por cada mil habitantes, de
acordo com dados recolhidos pelo “Público”
no sistema nacional de Vigilância da Mortali-
dade. No mês homólogo do ano anterior esse
indicador era de 1,2, o que traduz o maior
aumento de mortalidade do país. A suspensão
de exames e consultas, o medo dos utentes
recorrerem ao SNS, a população envelhecida
e o calor são alguns dos fatores que terão
contribuído para esta situação.
Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 • •3

editorial Luís Baptista-Martins


baptista-martins@ointerior.pt

Querido mês de agosto…


1
E chegou agosto! O mês das férias, da praia, das festas e romarias…
O mês das viagens, dos encontros, das famílias, do regresso dos
emigrantes, das aldeias cheias, das tradições e bailaricos, da música
pimba e da mini, dos casamentos e até dos batizados… Agosto é tudo isto.
É sempre tudo isto e muito mais.
Porém, este é um agosto diferente. É um agosto em tempo de pandemia,
de distanciamento, de máscaras e medo.
Um tempo em que todos temos receio de todos. Um tempo em que
tudo o que ocorre à nossa volta pode marcar-nos de forma avassaladora ou
mesmo destruidora, como nunca. Um tempo suspenso, em que a própria
vida ficou pendurada lá atrás, em março, quando o pânico entrou nas nossas
vidas, induzido por um vírus desconhecido e aterrador.
Enquanto entramos em agosto vemos como o mundo, exposto e trémulo,
à espera de uma vacina, continua sem saber como enfrentar o novo coronavírus.
E sim, enquanto chegam os primos do Luxemburgo e os tios de França,
os cunhados da Suíça ou os sobrinhos de Lisboa, era bom que todos seguís-
semos alerta. E estar alerta é não fazermos metade das insensatezes a que
assistimos, é sermos exigentes connosco e com os outros. Porque este é um
agosto sem festas, sem abraços e beijos. Um agosto com quarentena e um


vírus que continua à solta por aí e que nos pode apanhar a qualquer momento
ou onde menos o esperamos. Não nos podemos distrair.

2
Com a chegada de agosto
chegam os emigrantes à
fronteira e é ver as roma-
rias de políticos e marketeiros
a correrem para Vilar Formoso.
Todos os anos, a mais importan-
te fronteira terrestre portuguesa
Sábado passado, recebe no primeiro dia de agosto
todas as visitas e atenções.
enquanto os Sábado passado, enquanto
emigrantes entravam os emigrantes entravam em Por-
tugal, atropelaram-se vendedo-
em Portugal, res de banha-da-cobra, vestidos
atropelaram-se de governantes (quatro secre-
tários de Estado, para vergonha
vendedores de banha- da Nação), deputados, autarcas,
da-cobra, vestidos de jornalistas e vendedores que
opinião encheram os carros, carregados
António Ferreira
governantes (quatro de malas, de panfletos e brindes.
antonio.ferreira.adv@netvisao.pt secretários de Estado, No dia 1 de agosto, em que
se esperavam mais avisos em
para vergonha da
Não ir para fora, nem sequer cá dentro Nação)
cartazes e outdoors, tivemos ainda
mais marketeiros empoleirados
em máscaras com a cabeça dentro
Há um ano o problema era o excesso de turistas. por exemplo, o metropolitano de Lisboa passaram a ser
de cada carro que passava a assinalar cuidados e a repetirem que “vai correr tudo
O alojamento local afastava os cidadãos do centro das sítios de que se foge. A recente informação de que a
bem”. Os emigrantes, depois de 15 horas de condução, estupefactos com tanto
cidades em troca de mais lugar para turistas, os “tuk- simples respiração de alguém doente é suficiente para
folclore e em fila, seguiram sem perceber nada do que lhes era dito, porque o que
tuk” enxameavam as ruas e o português, nalgumas a transmissão do coronavírus, mesmo sem espirrar ou
ouviam era completamente diferente do que ali viam: pessoas encavalitadas umas
zonas, parecia uma língua de minorias. A exposição tossir, parece suficiente para destruir o que restava dos
nas outras sem cumprirem qualquer regra de distanciamento ou cuidado sanitário.
portuguesa ao turismo parecia excessiva, mas vinha nossos antigos hábitos e exacerbar os novos terrores.

3
dali uma parte importante do PIB. O reconhecimento Depois virá o outono e o frio. Sairemos da rua
A abertura de um local de entrega de encomendas do Ikea na Guarda
das nossas vantagens nesse campo era generalizado e para os espaços fechados das casas, das escolas e das
(e em mais uma dúzia de cidades por todo o país) formalmente não
apreciava-se a segurança, a gastronomia, o bom tempo, empresas, com riscos acrescidos de contaminação,
acrescenta nada à economia local. Mas foi a notícia mais lida de ointerior.
o nosso bom feitio. mas não para os dos hotéis e dos restaurantes. Este
pt na última semana. O entusiasmo da “chegada” da conhecida loja sueca à
Esse problema já não existe. Há hotéis que fecha- ano, perdido até agora para a indústria, em que fomos
Guarda teve um enorme impacto. Mas, e ao contrário do que fazem muitas
ram durante a fase pior da pandemia e não reabriram excluídos dos “corredores turísticos” dos ingleses e
empresas da região ou algumas autarquias quando querem promover algum
com o desconfinamento. O mesmo aconteceu com mui- de outros, vai prolongar-se por um inverno destrutivo
evento (o exemplo mais inacreditável e ignóbil foi o lançamento da marca serra
tos alojamentos locais, abrindo-se outra vez o caminho do que resta. Os preços não têm descido tanto assim,
da estrela pela CIMBSE em Lisboa, gastando muitos milhares de euros sem
ao mercado de arrendamento, e muitos restaurantes. como já repararam, e isso é prova de como as coisas
qualquer visibilidade, notoriedade ou resultados), a cadeia sueca comprou
Sucedem-se os despedimentos coletivos e as insol- estão mal. É que fecharam tantas unidades turísticas
a este jornal espaço de publicidade, porque a Ikea pretende maximizar o
vências. É verdade que apareceu muito crédito barato, que mesmo com procura diminuída não há razão para
impacto, pois sabem que é preciso promover e publicitar para ter sucesso,
com facilitação de garantias e períodos alargados de os preços baixarem.
e é preciso promover junto do mercado a que se dirigem. É importante fazer
carência, mas nada parece restaurar a confiança dos Um dia chegará a vacina e a imunidade de grupo,
publicidade em todos os formatos, suportes e em todos os locais que o or-
industriais da hotelaria e, sobretudo, da clientela. mesmo que à custa da disseminação generalizada da
çamento permita, mas os primeiros destinatários da publicidade de cada um
O problema foi e vai ser a mudança de comporta- doença. Tenho dúvidas sobre o regresso dos antigos
dos eventos ou atividades desenvolvidas por um promotor são as pessoas
mentos trazida pela pandemia, que nos tornou a todos hábitos e sobre a recuperação do turismo como um
que residem a menos de 60 quilómetros ou pouco mais de meia hora. É por
muito sensíveis aos espaços fechados dos hotéis e componente decisivo da nossa economia. Resta saber
isso que o Ikea nos compra publicidade para promover um simples ponto de
dos restaurantes e muito tementes da presença dos como substituir as empresas e os postos de trabalho
entrega de encomendas. O sucesso conquista-se pensando…
outros. Espetáculos, ruas apinhadas, praias cheias e, destruídos.

PUB
4• • Quarta-feira • 05 de agosto de 2020

Fruticultores com quebras


na produção e nas vendas
A fruticultura marca o Verão na Beira Interior. Um conjunto de caraterísticas do solo e, até então, o clima,
entregam campos verdes seguidos do colorir dos pomares
DR
Na Beira Interior há pêssegos, complicam tudo», explica a produ- ficou-se pelas cinco toneladas e
cerejas, uvas, maçãs, peras, fram- tora, que se queixa que a situação «este ano se tiver duas toneladas
boesas, mirtilos e outras tantas está «cada vez pior, porque o clima é muito». A recuperação dos pre-
frutas à escolha. A produção de muda de ano para ano». juízos tarda devido à dificuldade
frutas como o pêssego e o mirtilo Francisco Manuel, outro fru- de venda durante os dois meses
é condicionada por ser uma ativi- ticultor de Orjais, confirma que do confinamento que paralisou a
dade sazonal. Envolve azáfama o tempo já não é certo e adianta economia. O Governo anunciou
durante o verão para dar a todos que «as árvores sofrem muito com apoios para os produtores, mas
a «fruta da época». Ainda assim, estas horas de calor extremo, elas Lurdes Carapito lamenta que «não
há quem resista e persista neste não sabem como se comportar». apoiam os pequenos produtores,
trabalho, embora neste momento O produtor reduziu a produção de que são quem mais precisa». No
com algum desânimo por causa pêssego por causa do clima e agora seu caso, apesar das contrarie-
dos prejuízos causados pela intem- concentra-se mais na uva. Na sua dades, a agricultora não se resigna,
périe do final de maio. opinião, tem que haver um equilí- mas admite que «está a ser compli-
Em Orjais (Covilhã), Lurdes brio entre a temperatura máxima cado». «Disseram-nos que vem aí
Carapito produz e comercializa e a mínima: «Para termos uma boa um apoio, que até podia pedir uma
maçã, pêssego e peras de diversas produção de fruta a diferença de ajuda, por exemplo, 1.000 euros,
variedades, mas afirma que «este temperatura do dia e da noite tem mas funcionam como emprésti-
ano está a ser diferente». Afetada de ser a menor possível», explica mos e depois não pago só os 1.000
pela crise pandémica, a produ- Francisco Manuel. euros. Isso não resolve problema
tora depara-se com a diferença algum», critica Lurdes Carapito.
nas vendas, desde logo porque um Temperaturas extremas Além disso, «há muita gente
revendedor «que faz os mercados» resultam num ano de que não olha à qualidade da fruta,
levou menos de 50 caixas quando quebra na produção mas sim ao preço. Como nos hi-
antes levava duzentas por semana. permercados, levam o que é de
«Ele vende em diferentes pontos do Estamos «perante um ano de Espanha, que é mais barato», con-
país, como Algarve e Lisboa, mas quebra na produção» devido a con- stata, lembrando que «os produtos
não as conseguiu vender todas», dicionantes climatéricas porque «o que aparecem no supermercado já
lamenta Lurdes Carapito, para quem calor extremo queima a fruta», em levaram muito trabalho, não vão
esta redução «substancial» deve-se especial o pêssego e a pera, explica para lá milagrosamente».
ao facto das pessoas irem cada vez Filipe Costa, gerente da Cerfundão, «O que ganhamos é para a
menos aos mercados. «Estamos com entidade comercializadora de fru- despesa», declara a fruticultora. E
muita dificuldade em vender», afir- tas da Cova da Beira. até as expetativas que podiam ser
ma. Os fruticultores foram também Pelo terceiro ano consecutivo animadoras para o Verão devido à
afetados pelas temperaturas muito a cultivar a quinta herdada do vinda dos emigrantes dissiparam-
altas que se têm sentido: «Estas pai, Lurdes Carapito afirma ter se porque «quem passava aqui
temperaturas muito frias na floração produzido «10 toneladas de pera «Este ano se tiver duas toneladas é muito», garante Lurdes Carapito, levava quilos e quilos de fruta e
e de calor extremo na maturação no primeiro ano», já no segundo produtora de fruta em Orjais agora não. Já nem param».

Património Serra da Estrela


Empresa intermunicipal vai gerir água e
Covilhã e Fundão criam rota turística saneamento de Seia, Gouveia e Oliveira
baseada nas minas do Hospital
A Covilhã e o Fundão vão em duas fases, tendo já parte Cabeço do Pião (Fundão) e a Seia, Gouveia e Oliveira do estão agora reunidas as condições
criar uma nova rota turística a do financiamento aprovado reabilitação do antigo refeitório Hospital criaram uma empresa para que em termos operacionais
partir do património e história através do Programa Valorizar. dos mineiros, já do lado da Covil- intermunicipal para gerir o abas- se venham a concretizar todos os
da exploração mineira naqueles Segundo José Armando Serra hã, espaços onde também serão tecimento de água e o saneamento ganhos evidenciados nos vários
concelhos, num projeto que dos Reis, vereador da Câmara criados centros interpretativos. destes três concelhos. e exaustivos estudos realizados»,
inclui percursos, requalifica- da Covilhã, o projeto integra Os contratos de financia- A constituição da Águas Públi- adianta o município de Seia em co-
ções e a visitação de galerias a requalificação de algum do mento entre o Turismo de Por- cas da Serra da Estrela, assim municado enviado a O INTERIOR.
inativadas. património, bem como a criação tugal e as duas autarquias vão se designa a nova entidade, foi Entretanto, foram já aprovadas,
Denominada “Rota do Vol- de um percurso de visitação e ser assinados esta quinta-feira, escriturada na sexta-feira nos com apoios do POSEUR – Programa
frâmio e do Estanho – História interpretação, que dará a con- na Barroca Grande (Covilhã), Paços do Concelho de Seia, onde Operacional Sustentabilidade,
e Memória das Comunidades hecer a história e vivências do onde ainda funcionam as Minas ficará sediada. Trata-se de uma intervenções superiores a quatro
Mineiras”, a iniciativa implica couto mineiro, zona que abrange da Panasqueira. O prazo de ex- sociedade anónima, de capitais milhões de euros, «distribuídas
um investimento de quase um os dois concelhos. Está prevista ecução está delineado para um exclusivamente públicos, que pela melhoria e construção das
milhão de euros e avançará a requalificação da Lavaria do ano, a partir de setembro. será presidida por Carlos Alexan- redes de água e saneamento nos
drino, presidente da autarquia de três municípios». Até aqui, estes
Oliveira do Hospital, do distrito três concelhos envolvidos tinham
ULS Guarda de Coimbra. «Com a formalização uma gestão municipal no domínio

Enfermeiros reivindicam soluções legal da empresa intermunicipal da água e saneamento.

para problemas anteriores à pandemia IPG


Nova licenciatura em Desporto, Condição
O Sindicato dos Enfermeiros do desempenho, a discriminação «mais prementes» são a falta de
Portugueses (SEP) recordou na entre enfermeiros, o «roubo» enfermeiros na ULS e a presença Física e Saúde
segunda-feira, na Guarda, os do tempo de serviço com a não de profissionais que ainda não O Instituto Politécnico da que foram anunciados em junho
problemas que afetam a classe e contabilização de pontos ou usufruem do descongelamento Guarda (IPG) vai iniciar uma nova – Biotecnologia Medicinal e em
reivindicaram soluções que espe- a incorreta contabilização, a das carreiras. «Há casos de 40 e licenciatura em Desporto, Condição Mecânica e Informática Industrial.
ram desde 2018. compensação pelo risco e peno- 50 horas extraordinárias e nesta Física e Saúde no próximo ano letivo. Em qualquer dos casos, o obje-
A concentração realizada sidade da profissão, a existência unidade de saúde existe subcon- O curso vai formar profissionais tivo é o mesmo: preparar profis-
junto ao Hospital Sousa Martins de enfermeiros especialistas tratação de enfermeiros. Essa não para a área de treinos desportivos sionais em áreas inovadoras que
fez parte de uma ação realizada a fora da categoria, entre outras. é a solução. A solução passa pela e de cuidados de saúde. Após uma qualifiquem a indústria nacional e
nível nacional serviu para alertar Alfredo Gomes, do SEP, adiantou contratação de profissionais», década sem novos cursos, esta é a regional ou, neste caso, entidades
para questões como a avaliação que na Guarda os problemas defendeu o dirigente sindical. terceira licenciatura lançada em desportivas ou unidades de saúde»,
menos de um mês pelo IPG. afirma o presidente do Instituto
«Este curso vem juntar-se aos guardense, Joaquim Brigas.
Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 • •5

Economia
IKEA cria ponto de recolha na Guarda
A Guarda já tem um ponto Guarda. Desde esta terça-feira que as
Salvar as gravuras
do Côa foi «uma
de recolha IKEA, onde os clientes encomendas podem ser recolhidas,
podem levantar, por 25 euros, os nos dias úteis, entre as 9 e as 12h3o
produtos comprados online na e das 14 às 18h30. A Guarda é o 15º
multinacional sueca de mobiliário ponto de recolha da Ikea em Por-

decisão fácil»
e acessórios para a casa. tugal, existindo já em Aveiro, Beja,
O serviço funciona na empresa Castelo Branco, Coimbra, Évora,
de transportes Nobre e Marques, Guimarães, Leiria, Madeira, Ovar, São
no lote 186 da Plataforma Logística Miguel (Açores), Setúbal-Palmela,
de Iniciativa Empresarial (PLIE) da Viana do Castelo, Vila Real e Viseu. SC

Guarda
Augusto Gil em destaque
nos 80 anos do museu DR

O Museu da Guarda comemorou região através de poemas que a


80 anos de atividade na quinta- memória coletiva não esquece»,
feira com a inauguração de uma justifica o município. Na ocasião
exposição e uma palestra sobre o foram declamados textos de Augusto
poeta Augusto Gil. Gil (por Inácio Correia, Alexandre
A mostra “150 anos com Au- Gonçalves e Tiago Lopes) e foi pro-
gusto Gil” pretende celebrar os 150 ferida uma palestra sobre “Augusto
anos do nascimento do poeta, uma Gil, poeta, jornalista e republicano”, Nome de António Guterres foi atribuído ao grande auditório do Museu do Côa por ocasião dos 10 anos do equipamento
vez que o museu é, há décadas, o por Hélder Sequeira. Nessa manhã
fiel depositário do seu espólio. A abriu também ao público a mostra António Guterres, sublinhou que a decisão tomada alertar sobre a forma como a pa-
exposição pretende constituir-se “Terra d’Artes” com as obras criadas atual secretário-geral «há um quarto de século» mostra lavra identidade «tem sido muito
como «um momento de encontro pelos artistas Pedro Figueiredo, Rui da Organização das que «sermos capazes de ser os mal utilizada recentemente por
entre o passado e o presente, uma Miragaia, Pedro Amaral, Sofia Gralha, Nações Unidas (ONU), guardiões de memórias não é alguns líderes políticos em várias
oportunidade para evocar e (re) Sara Teixeira Sidney Serqueira e regressou ao local onde incompatível com o progresso». partes do mundo», que, segundo
descobrir uma das mais ilustres Sérgio Lemos no âmbito do ciclo de salvou as gravuras Também Manuel Heitor, ministro afirma, a utilizam «como um fator
figuras da cidade, que imortalizou animação de verão “Isto (não) é um do “afogamento”. 25 da Ciência, Tecnologia e Ensino Su- de divisão e de discriminação».
o seu amor pela Guarda e pela sua Festival”, promovido pela autarquia. anos após a decisão perior, saudou a «ousadia» de não Para o secretário-geral da ONU, «a
de suspender as fazer a barragem e deu destaque verdade é que a nossa identidade
obras na barragem ao aniversário da criação do seu está na nossa diversidade e estas
UBI do Côa, o antigo ministério (em 1995), efeméride gravuras são uma componente
“Spin-off” vence prémio e garante lugar primeiro-ministro diz que também foi ali assinalada. dessa diversidade».
que era «evidente» António Guterres assumiu-se O responsável destacou ainda
no World Summit Awards a importância de «emocionado» pelos sucessivos a importância das áreas da cultura
A UpHill, “spin-off” da Uni- trocínio das Nações Unidas. A em- preservar o património elogios e pela homenagem, mas e da ciência no desenvolvimento
versidade da Beira Interior (UBI), presa, que deu os primeiros passos ali encontrado. logo afirmou que «se há alguma do país. «Pensar que, sobretudo
venceu os Born from Knowledge no UBImedical, desenvolve software coisa que não merece ser home- em período de austeridade, se
(Bfk) Awards, criados pela Agên- para análise da qualidade e treino nageada» foi a decisão que tomou. poupa dinheiro poupando na ciên-
cia Nacional de Inovação (ANI) avançado para hospitais, permitindo Vinte e cinco anos depois de, «Foi uma decisão fácil, ao contrário cia ou na cultura é um erro grave
no âmbito dos World Summit às unidades de saúde melhorar a enquanto primeiro-ministro, ter do que muitos pensam. Não foi e espero que em Portugal esse
Awards Portugal, para premiar gestão da qualidade. Ao mesmo decidido parar a construção da uma decisão difícil, nem foi uma erro nunca mais seja cometido»,
ideias e projetos que nasçam do tempo, através da formação con- barragem do Côa, António Guter- decisão corajosa», admitiu o an- advertiu.
conhecimento e empresas que se tinuada, ajuda os médicos a tomar res foi homenageado, na passada tigo primeiro-ministro socialista. De acordo com a página ofi-
destaquem em atividades de inves- decisões mais eficazes para cada quinta-feira, no Museu do Côa, A sua ação em 1995 foi decisiva cial do Museu do Côa, a primeira
tigação e desenvolvimento (I&D). caso clínico, com vista a obter mel- em Vila Nova de Foz Côa com a para a preservação das gravuras rocha gravada terá sido identifi-
A distinção garante à UpHill a hores resultados e maior segurança atribuição do seu nome ao grande que hoje são Património Mundial, cada no final de 1991 pelo arque-
representação nacional no World para o paciente. Foi criada em 2016 auditório do equipamento, onde e permitiu pôr fim a uma polémica ólogo Nelson Rebanda, apesar do
Summit Awards (WSA), uma com- por Luís Patrão e Duarte Sequeira, foi colocada uma placa de xisto pública que dividia a sociedade. anúncio público só ter acontecido
petição mundial focada na inovação diplomados em Medicina pela UBI, com a sua imagem. «Recordo-me de uma sondagem três anos depois. A descoberta
digital e nos benefícios da mesma e Eduardo Freire, formado em Me- A cerimónia, realizada no âm- de opinião, feita na altura, em que provocou polémica pelo facto
para a sociedade, que tem o pa- dicina pela NOVA Medical School. bito do 10º aniversário do museu, 65 por cento dos portugueses da barragem hidroelétrica – que
reuniu governantes, representan- achavam que se devia continuar estava em andamento – obrigar à
tes da Assembleia da República, com a barragem. Naturalmente submersão do património recém-
Barco instituições de ensino superior, estavam mal-informados acerca da descoberto. A escolha era entre
Minas da Recheira já abriram ao público investigadores, autarcas e outras
figuras associadas aos projetos
verdadeira natureza destas gravu-
ras», considerou o ex-governante,
uma obra estruturante e a pre-
servação de um legado milenar.
O empreendimento turístico Sabido explicou que serão abertos da arte do Côa. O ex-governante para quem sempre foi «evidente» Após a decisão governamental
Minas da Recheira, localizado na ao público apenas os locais de foi sucessivamente elogiado pela a necessidade de preservar o pa- de cancelar a barragem, e à me-
freguesia do Barco (Covilhã), abriu «animação turística» – das minas decisão que permitiu criar o Par- trimónio natural descoberto no dida que eram descobertas novas
ao público no sábado, segundo Luís propriamente ditas – uma área que que Arqueológico do Vale do Côa e Vale do Côa. gravuras rupestres, foi criado,
Sabido, diretor técnico do espaço. «nada tem a ver com a Câmara». construir o museu, numa ocasião em 1996, o Parque Arqueológico
Recorde-se que o projeto da A componente de alojamento que envolveu muitos discursos de Gravuras do Côa «estão do Vale do Côa. Dois anos mais
Quinta das Minas da Recheira está continuará fechada até que seja reconhecimento: Bruno Navar- na nossa identidade» tarde viria o reconhecimento da
paralisado há cerca de quatro anos, resolvido o processo de licen- ro, presidente da Fundação Côa UNESCO, com a classificação dos
devido a falta de licenciamento por ciamento que está «em curso», Parque, expressou «gratidão» ao «Quando olhamos para as núcleos de gravuras como Patri-
parte da Câmara da Covilhã, que, acrescentou. Apesar da abertura ao atual secretário-geral da ONU e gravuras e pensamos nas pessoas mónio Mundial.
em 2019, alegava que o processo público, a Quinta das Minas da Re- elogiou «a lição que deu ao mun- que ao longo de milénios as fize- Atualmente o Vale do Côa tem
estava «ferido de ilegalidades». cheira ainda não está oficialmente do». Gustavo Duarte, edil de Vila ram, temos que reconhecer que identificadas mais de mil rochas
Chegou mesmo a ser anunciado inaugurada. Luís Sabido explicou Nova de Foz Côa, afirmou que sem essas pessoas estão no nosso ADN, com manifestações rupestres,
que o projeto estava cancelado que a cerimónia será agendada as gravuras o futuro do concelho estão na nossa história, na nossa dispersas por 80 sítios distintos.
por desistência dos investidores. assim que haja confirmação «de seria «risonho», mas «não era a cultura, na nossa identidade». A maioria das gravuras pertencem
Questionado por O INTERIOR agendamento» por parte de rep- mesma coisa». Já Ana Abrunhosa, Foi com este repto que António ao paleolítico, tendo cerca de 25
relativamente a este aspeto, Luís resentantes das entidades oficiais. ministra da Coesão Territorial, Guterres usou as gravuras para mil anos.
6• • Quarta-feira • 05 de agosto de 2020

Mêda acolhe polo de investigação


do Politécnico de Bragança
Laboratório Colaborativo MORE- Montanhas de Investigação, que tem sede em Bragança, tem agora um polo na Mêda
onde investigadores vão desenvolver conhecimento científico que possa ser usado no setor empresarial regional
SC
Foi assinado na Mêda, na quin- ministra da Coesão Territorial,
ta-feira, o protocolo de instalação sublinhou que são estas iniciativas
de um polo do Laboratório Co- que mostram que «o interior não
laborativo MORE - Montanhas de é só população idosa, é também
Investigação, que está sedeado em conhecimento», tendo destacado
Bragança. A cerimónia oficializou a as «coisas magníficas» que existem
colaboração entre a Câmara local, o na região. Com raízes familiares no
MORE, do Instituto Politécnico de concelho, a governante descreveu o
Bragança, e a Fundação Côa Parque projeto do novo polo científico como
que deu origem à criação do Polo «aliciante» e garantiu «que não será
do Vale do Côa e Centro Interior o último» a ser promovido nos ter-
que funcionará no edifício da bib- ritórios de baixa densidade. «Con-
lioteca da Casa da Cultura da Mêda. tinuaremos por aí abaixo», afirmou.
De acordo com Orlando Ro- Na cerimónia estiveram ainda
drigues, presidente do MORE e presentes a secretária de Estado da
do Politécnico de Bragança, o Valorização do Interior, Isabel Fer-
projeto vai trazer para a cidade do reira, e a secretária de Estado da
distrito da Guarda investigadores Ação Social, Rita Cunha Mendes. A
de «cinco recursos altamente sessão contou também com a pre-
qualificados», nomeadamente sença de vários autarcas da região,
nas áreas do património, geologia, do presidente do Instituto Politéc-
agricultura, recursos naturais, nico da Guarda, Joaquim Brigas, e
turismo e comunicação, de forma de Bruno Navarro, presidente da
a ligar o conhecimento científico Fundação Côa Parque.
ao tecido empresarial regional. O O MORE foi criado no Insti-
concelho medense foi escolhido tuto Politécnico de Bragança em
pela sua «centralidade regional», 2019 com o objetivo de «definir
justificou o responsável. Anselmo e implementar uma agenda de
Sousa, presidente do município, investigação e inovação nas zonas
destacou a importância do projeto de montanha, orientada para a
A Mêda foi escolhida pela sua «centralidade regional», segundo o presidente do MORE, Orlando Rodrigues
na medida em que permite usar criação de valor económico e so-
o conhecimento científico para Côa» – partilhada pelos quatro mover o empreendedorismo local. Superior, segundo o qual «estamos cial», segundo os responsáveis. É
«mobilizar o setor privado» e criar municípios que atualmente estão O novo polo do MORE tem a trabalhar para os jovens terem cofinanciado pelo Estado, Funda-
novas oportunidades. O autarca integrados no Parque Arqueológi- como principal função «trazer aqui mais oportunidades». «Estou ção para Ciência e Tecnologia,
aproveitou a ocasião para lançar co do Vale do Côa (Vila Nova de pessoas para esta zona», segundo certo que não faltará financia- Norte 2020, Portugal 2020 e União
o desafio de se criar, a partir desta Foz Côa, Pinhel, Mêda e Figueira de referiu Manuel Heitor, ministro mento para novas ideias», reiterou. Europeia. Já criou 24 postos de
ação, uma «Incubadora Vale do Castelo Rodrigo) – de forma a pro- da Ciência, Tecnologia e Ensino Por sua vez, Ana Abrunhosa, trabalho qualificado em Bragança.

PUB PUB

Douro superior, associação de Desenvolvimento


abertura de candidaturas

aViso N.º Norte-40-2020-43


+Co3so eMPrego – eMPrego – iNterior
e
aViso N.º Norte-40-2020-42
+Co3so eMPrego – eMPreeNDeDorisMo soCial

o anúncio de abertura de candidatura e demais informação relevante, estão disponíveis no


portal do Portugal 2020, em www.portugal2020.pt, no portal www.norte2020.pt e no site do
gal www.dourosuperior.pt, podendo ainda ser obtidos esclarecimentos junto do gal Douro
superior, associação de Desenvolvimento através do endereço geral@dourosuperior.pt ou
pelo telefone 279200730.
Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 • •7

PUB

A IKEA está mais próxima. Tanto, que já pode levantar


na Guarda tudo o que comprar online. Mas as boas
notícias não ficam por aqui: o preço do transporte
até ao Ponto de Recolha IKEA na Guarda é fixo.
Se comprar um sofá, são 25€; se comprar um sofá,
uma mesa, seis cadeiras e dois armários, também
são 25€. Ou seja, mais próxima e mais em conta.
8• • Quarta-feira • 05 de agosto de 2020

Quinta da Biaia Política

PSD diz que Governo


coroado no «esqueceu a Guarda» AR

Concurso de
Vinhos da Beira
Interior
Produtor de Figueira de Castelo Rodrigo conquistou três medalhas de
ouro e o título de melhor vinho da Beira Interior numa edição em que
foram atribuídas 17 medalhas de ouro e seis de prata A concelhia da Guarda Emergência Proteção e Socorro
LM do PSD critica o Governo por (UEPS) da GNR. «Depois da saída
promessas eleitorais «esquecidas do Regimento de Infantaria 12 da
em menos de um ano». Guarda seria o retornar de um
Em conferência de impren- verdadeiro quartel à Guarda com
sa realizada na segunda-feira, a vinda de dezenas de oficiais e
Sérgio Costa afirmou que o PS centenas de militares, cujo im-
«deixou fugir sete serviços e pacto económico na Guarda seria
obras» da cidade e que «o atual enorme», considera o social-
Governo esqueceu a Guarda». O democrata.
líder da secção social-democrata O dirigente sublinhou ainda
local considerou que a Guarda e que a aposta no turismo do
o distrito «ainda nada ganhou» interior continua «estagnada»
com a localização da Secretaria e que «o Centro Nacional de Tu-
de Estado da Ação Social. Lem- rismo nem vê-lo». Já a vinda do
brou também a promessa de Arquivo do Registo Automóvel
António Costa no comício das de Lisboa para a Guarda foi
legislativas de 2019, quando «as- «declarado morto» e a antiga
sumiu o compromisso de descon- Força Especial de Bombeiros
gelar a segunda fase do hospital foi «adivinhar para outro lado»,
da Guarda», para constatar que ironizou Sérgio Costa, que tam-
nada mudou e que «falta uma bém lembrou a transferência
estratégia de futuro para a saúde de 12 municípios do distrito do
da Guarda». Sérgio Costa também Tribunal Administrativo e Fiscal
não esquece a “migração” do de Castelo Branco para Viseu. «A
data center do SEF para o Porto Guarda está cansada de promes-
e o atraso na instalação do co- sas vãs e ocas», criticou o líder da
mando nacional da Unidade de concelhia social-democrata.

«É com a gastronomia beirã que os nossos vinhos brilham mais», disse o enólogo Luís Leocádio
O 13º Concurso de Vinhos da e seis de prata, mas podiam ter e este ano tivemos um júri com
JSD
Beira Interior consagrou a Quinta
da Biaia, um produtor de Figueira
de Castelo Rodrigo que arrecadou
sido mais. «Tínhamos mais de 50
por cento de vinhos que tinham
direito a medalha, mas, pelas
muita experiência e saber e que
foi unânime nos elogios à sua qua-
lidade», disse o responsável, para
Hugo Lopes eleito
três medalhas de ouro e foi con-
siderado o melhor vinho desta
edição com o Quinta da Biaia Single
regras, só podíamos ter 30 por
cento de premiados», revelou
Rodolfo Queirós. O presidente da
quem o grande vencedor «não é
uma surpresa». Para o ano a orga-
nização, a cargo da CVRBI, NERGA
vice-presidente DR
O covilhanense Hugo Lopes
Vineyard – Fonte da Vila Branco Comissão Vitivinícola Regional da e NERCAB, espera ter um concurso
é vice-presidente da Juventude
Síria de 2017. Beira Interior (CVRBI) disse-se «no formato normal».
Social Democrata (JSD).
Os prémios foram entregues «muito satisfeito» com esta edição, «Muito orgulhoso» estava
O líder da estrutura distri-
na sexta-feira no Solar do Vinho que deu «força e uma imagem de Luís Leocádio, enólogo da Quinta
tal de Castelo Branco, reeleito
da Beira Interior, na Guarda, tendo resiliência dos nossos produto- da Biaia, que produz vinho desde
pela terceira vez consecutiva
sido postos à prova 71 néctares res» e confirmou que os vinhos da 2014. «O nosso projeto foi muito
em março passado, foi eleito no
de 26 produtores. No final, o júri região «estão cada vez melhores». ponderado e cresceu quando
XXVI Congresso Nacional na lista
presidido por Aníbal Coutinho «A consistência dos nossos vinhos tinha que crescer. Procurou-se
de Alexandre Poço. O congresso
atribuiu 17 medalhas de ouro tem vindo a subir ano após ano sempre mais a qualidade e a di-
decorreu digitalmente no último
ferenciação do que propriamente
fim de semana de julho devido
Vinhos premiados ter vinho disponível para marcar
a diferença quando entrássemos
à pandemia da Covid-19. Nos
novos órgãos nacionais da JSD gresso nacional. A JSD guardense
à séria no mercado. Este concurso
A medalha de ouro foi para o Monte Barbo Reserva Tinto 2014; a Distrital da Guarda está rep- diz ser esta uma «representação
veio mostrar isso mesmo», disse.
o Quinta dos Termos Garrafeira Arinto Branco 2018; o Entre Vinhas resentada pelo seu presidente histórica de militantes do distrito
Para o técnico, ser eleito o melhor
Reserva Touriga Nacional Tinto 2016; o Quinta dos Termos Garrafeira Luís Soares (Manteigas) como a nível nacional».
vinho da Beira Interior aumenta
Tinto 2016; o Quinta da Biaia Single Vineyard – Fonte da Vila Biológico primeiro vogal da comissão O mesmo sucede com a Dis-
a responsabilidade para os próxi-
Tinto 2015; o Aforista Seleção Branco 2019; o Quinta da Biaia Reserva política nacional, enquanto Mar- trital de Castelo Branco, que viu
mos, «que têm que estar ao nível
Biológico Tinto 2017; o Aforista Reserva Branco 2017; o Quinta dos co Olival (Fornos de Algodres) Miguel Barroso (Castelo Branco)
deste ou ainda mais superior». E
Currais Síria Branco 2018; o Casas do Côro Reserva Branco 2018; o é um dos secretários-gerais ad- e João Diogo (Fundão) serem
como são os vinhos deste produtor
1808 Biológico Tinta Roriz e Rufete Tinto 2018; o Casas Altas Reserva juntos. Por sua vez, Tiago Gomes eleitos, respetivamente, vogal
de Figueira de Castelo Rodrigo?
do Doutor Verdelho Branco 2019; o Quinta dos Termos Reserva do (Guarda) é coordenador nacional suplente e coordenador do gabi-
«São biológicos, muito puros,
Patrão Syrah Tinto 2017; o Marquês d’Almeida Branco 2019; o Beyra do gabinete do ensino superior e nete de saúde nacional. Daniela
gastronómicos, com muita acidez
Grande Reserva Tinto 207 e o Rui Roboredo Madeira Tinta Roriz e Miguel Pinto (Almeida) assume Dias José (Proença-a-Nova) e José
e frescura e com grande potencial
Touriga Nacional Tinto 2017. a coordenação nacional do gabi- Maria Coelho (Castelo Branco)
de envelhecimento. É com a gas-
O júri atribuiu a medalha de prata ao Souvall Colheita Selecionada nete da coesão territorial. Carlos passaram a integrar o Conselho
tronomia beirã que eles brilham
Branco 2018; ao Quinta dos Currais Colheita Selecionada Fonte Cal Cunha (Celorico da Beira) e Nacional, enquanto Mário Pereira
mais», garante o responsável. A
e Arinto 2018; ao Portas d’El Rei Reserva Branco 2017; ao Quinta da Hugo Mata (Pinhel) foram eleitos (Covilhã) e Isabel Costa (Oleiros)
cerimónia de entrega dos prémios
Caldeirinha Biológico Syrah Tinto 2013; ao Entre Serras Tinto 2017 e conselheiros nacionais efetivos, são membros suplentes. Já Mafalda
contou com a presença de Bernar-
ao Quinta das Senhoras – Dona Carolina Tinto 2015. (veja fotogaleria sendo Gabriel Moreira (Aguiar da Carvalho (Belmonte) é suplente da
do Gouveia, presidente do Instituto
dos vencedores em www.ointerior.pt) Beira) suplente da mesa do con- mesa do Congresso Nacional.
da Vinha e do Vinho (IVV).
Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 • •9

Câmara
investe 600 Uma estátua para Zeca
mil euros na
valorização Afonso em Belmonte
de Centum Escultura de Pedro Figueiredo foi inaugurada no Largo Zeca Afonso, na presença da ministra
da Cultura, no dia em que o cantautor faria 91 anos
Cellas LM

A Câmara de Belmonte vai


investir cerca de 600 mil euros
na conservação e restauro da
torre de Centum Cellas, no
Colmeal da Torre, bem como na
construção de um centro inter-
pretativo daquela enigmática
construção classificada como
monumento nacional.
O projeto foi apresen-
tado à ministra da Cultura,
Graça Fonseca, no domingo, e
aguarda parecer favorável da
Comissão de Coordenação e
Desenvolvimento Regional do
Centro (CCDRC) para avançar.
Liderada pelo município, na
sequência de um protocolo
com o Ministério da Cultura/
Direção Regional de Cultura
do Centro, esta intervenção
destina-se a valorizar o sítio
arqueológico e a melhorar as
condições de acessibilidade às
ruínas, «quer em termos físicos,
quer em termos intelectuais». «O grande Zeca que todos conhecemos não viveu em Belmonte, quem andou de calções por estas ruas foi o Zezinho», disse António Dias Rocha
Para tal, será criado um centro Zeca Afonso faria 91 anos no também que «muito do seu human- Matos, no castelo. com o qual «estamos a iniciar um
de interpretação na orla do domingo, dia em que o município ismo» veio da convivência que o jo- Presente esteve também a min- arquivo do som que é património de
monumento. A torre de Centum de Belmonte inaugurou uma estátua vem José Afonso teve «no espaço de istra da Cultura, que relevou o todos e que tem que ser preservado
Cellas, de cronologia romana, em tamanho real da autoria do es- liberdade e tolerância que Belmonte «mérito cultural incomensurável» para o futuro». A partir de agora,
remonta ao século I, tendo cultor guardense Pedro Figueiredo sempre foi». Dias Rocha acredita da obra de Zeca Afonso, cujo proces- qualquer cidadão pode requerer a
sido reconstruída no século III e o Ministério da Cultura iniciou o igualmente que foi aqui que «se fez so de classificação vai avançar. No fi- classificação de património sonoro,
após sofrer um incêndio. A sua processo de classificação da sua obra homem» e, talvez, até músico. nal de uma semana particularmente acrescentou.
função permanece indefinida, fonográfica. Uma ideia partilhada pelo so- difícil, Graça Fonseca afirmou que o Por sua vez, Pedro Figueiredo
mas as investigações mais re- O povo saiu à rua para assistir à brinho, João Afonso, para quem o objetivo é «preservar este acervo disse ter sido «uma responsabi-
centes apontam para que seja homenagem, que decorreu no Largo tio Filomeno, que chegou a presidir musical importante para o país», lidade muito grande» representar
«um vestígio da pars urbana Zeca Afonso, no centro histórico da à Câmara local, teve «uma grande que «será sempre possível conhecer Zeca Afonso, falecido em fevereiro
de uma villa rural bastante ex- vila, muito próximo da casa do tio importância» na aprendizagem das e investigar com esta classificação». de 1987, dada «a força que ele
tensa», refere a autarquia. onde o cantautor viveu nos anos canções beirãs e das harmonias por «Há um conjunto muito vasto tem no país» e ser «um ícone da
«A obra vai avançar rapi- 30 do século passado enquanto os parte do futuro cantautor. «Não há de fonogramas que estão abrangidos cultura portuguesa»: «Resolvi
damente porque já temos fi- seus pais estavam em Moçambique. dúvida que a Beira Baixa está muito pelo início do processo de classifi- eternizar a imagem marcante dele
nanciamento garantido e é «O grande Zeca que todos conhece- presente nas canções de Zeca, cuja cação e que agora serão sistemati- no Coliseu de Lisboa com o cravo
uma necessidade absoluta para mos não viveu em Belmonte, quem qualidade de composição e poesia zados, catalogados e preservados, na mão numa estátua que julgo
aquele lugar enigmático. Só es- andou de calções por estas ruas foi o admiro, mas também a capacidade mas também é possível que surjam ser a primeira de corpo inteiro»,
peramos a luz verde da CCDR, Zezinho», disse António Dias Rocha. de valorizar as músicas de cariz mais fonogramas e documentos que disse o escultor. «Este é um Zeca
que será uma questão de muito Para o presidente do município, esta tradicional e popular, ele fez isso ainda não conhecemos», especificou à minha maneira. Uma escultura
pouco tempo», afirma António estátua é uma homenagem «ao seu como ninguém», garante o músico, a governante. Graça Fonseca lem- não deve ser vista logo de repente,
Dias Rocha. O presidente da ideal humanista, à sua excelência que interpretou a “Canção de Em- brou que será a primeira vez que logo à primeira, deve ser analisada,
Câmara de Belmonte espera que musical, à sua generosidade e à balar” na cerimónia e atuou à noite, o Estado português vai classificar mesmo a escultura figurativa»,
o projeto a desenvolver em Cen- democracia». O autarca considerou com Carlos Vasconcelos e Rúben uma obra fonográfica, um processo sublinhou o artista plástico.
tum Cellas esteja concluído «no
próximo Verão» e que contribua PUB
para trazer «valor acrescentado
à promoção e desenvolvimento
do concelho». Já Graça Fonseca
adiantou que a torre e a zona
envolvente estão identificados
como património «de inter-
venção prioritária» e a sua
valorização e conservação terá
uma comparticipação finan-
ceira de 475 mil euros.
LM
10 • • Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 Publicidade
PUB

Este
Santa Casa da Misericórdia da Guarda

CONVOCATÓRlA
espaço João Inácio Monteiro, na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia Geral, da Santa
Casa da Misericórdia da Guarda, convoco todos os irmãos, nos termos do art. 24.º, n.º
pode 3 e art. 25.º do Compromisso que rege esta instituição, a reunirem em Assembleia Geral
Extraordinária, a efetuar na Igreja da Misericórdia, nesta cidade, sita no Largo General
ser João de Almeida, no próximo dia 22 de Agosto de 2020, pelas 14.30 horas.
Ponto Único da Ordem de trabalhos:

seu! Apreciação e votação de uma proposta da Mesa Administrativa, no sentido de a Assembleia


Geral autorizar a constituição de hipoteca do edificio do Lar na Guarda, identificado nas
Finanças pelo artigo matricial n.º 7489 da freguesia da Guarda e registado na Conservatória
do Registo Predial da Guarda sob o n.º 4150/20140722, a favor do banco Santander Totta,
que servirá de garantia para o empréstimo que financiará a Santa Casa da Misericórdia da
Guarda, na empreitada de requalificação do mesmo Lar.
NB: Não estando presentes, à hora acima designada, a maioria legal dos irmãos, para que
a Assembleia Geral funcione, convoco desde já a mesma Assembleia Geral, para o mesmo
dia e mesmo local, meia hora mais tarde (15.00 horas), a qual decorrerá desde que estejam
presentes, pelo menos, 26 irmãos, nos termos do art. 26.º, n.º 1, do Compromisso.
A presente convocatória faz-se de acordo com o DL 10-N2020, de 13 de Março, DL 24-A/2020,
Contacte-nos! de 29 de Maio e Resolução do Conselho de Ministros n.º 40-N 2020, de 29 de Maio, devendo
Tel: 271212153 os irmãos munirem-se de máscara e devendo a Mesa Administrativa da SCMG providenciar
para garantir o distanciamento legalmente exigido dos participantes na Assembleia Geral e
o cumprimento das prescrições legais de higiene.
A AG é convocada para a Igreja da Misericórdia, por a exiguidade do Auditório do Hospital

Dra Assunção Vaz Patto da Misericórdia não reunir as condições de funcionamento de acordo com as exigências
constantes dos diplomas legais atrás mencionados.
Guarda, 31 de julho de 2020

Neurologista
O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

(João Inácio Monteiro)


Consultas de Neurologia
Medicina Desportiva
O Interior, nº 1074 de 05/08/2020

Exames: Electromiografia
Drª. Rita Lourenço e Potenciais Evocados
- Exame Médico-Desportivo CLIFIG - Rua Pedro Álvares Cabral -
(Atestado
Descontos: para
GNR, prática desportiva)
PSP, ADSE, SAMS…
Edifício Gulbenkian, s/n
-Acompanhamento Clínico do Atleta
Guarda 6300-745 Guarda

Prof. Doutor
L. Taborda Barata
Imunoalergologista
Eletromiografia membros
Asma e Doenças Alérgicas
Drª Vera Montes Vende-se
Rua Comendador Campos Melo, nº 29 – 1º Esq, Covilhã;
Tel: 275334876
- neurologista - Quinta com Casa, cerca de 12 ha
Descontos: GNR, PSP, ADSE, SAMS… à beira do rio Mondego, perto das rotundas
Cliniform, Rua Mouzinho da Silveira nº 15 R/C, Guarda; Exame para estudo do funcionamento da A25 e IP2 • Lageosa do Mondego
Tel: 271211905 dos nervos e músculos Guarda
Contactos: 966473371 • 271926638

Prof. Celso Pereira


Imuno-Alergologia
(Doenças Alérgicas)
VIDENTE
Com longos anos de experiência
Ass Graduado HU Coimbra /
Trata inveja, mau olhado, espiritual, estudos, negócios,
Oftalmologia Fac Medicina UC
empresas, amor, problemas familiares, saúde, etc.
Covilhã: Clínica Médica Serra da Estrela Sempre pronto a dar resposta aos seus problemas.
Drª Emília Cardoso Galerias de S. Silvestre - Piso 3 Telf: 960023455 Saiba tudo sobre o seu futuro e o porquê que tudo
Guarda: Clínica de Fisioterapia da Guarda corre mal em sua vida?
Consultas
Descontos: aos
GNR, PSP, sábados
ADSE, SAMS…
Av. Rainha D. Amélia, nº 6 - 271238581/96
Coimbra: 239802700; 968574777 e 918731560
Não hesite, fale com quem sabe. Tenha FÉ:
Guarda
271238451 ou 969012923
ADVOGADOS
António Ferreira, Paula Camilo
& Associados
Sociedade de Advogados, RL

Telefone: 271 213 346 • Fax: 271 082 765


e_mails:
antonio.ferreira.adv@gmail.com • paula.m.camilo@gmail.com
Rua Alves Roçadas, nº 27 A, 1º CM2
(ao lado da loja MANGO)
6300-663 Guarda

Médico António Gil Advogado ADVOGADOS


Diogo Cabrita Tel. / Fax 271 238 344
R. Dr. Lopo de Carvalho, 30-2º • 6300-700 Guarda Vitor Nascimento
Cirurgião geral
antonio.gil-5388C@adv.oa.pt Bárbara Brigas
tratamento de varizes e suas
complicações, pequenas cirurgias, Telefone: 271 086 518
hérnias, hidrocelos, vesícula Litiásica. e_mails:
Marcações : (Clínica Cembi)
vitor.nascimento-5874c@adv.oa.pt
Telef.: 271213445 barbarabrigas-4041c@adv.oa.pt
Protocolo com a Médis Rua do Encontro, nº 9 - 3º • 6300-704 Guarda
Quarta-feira • 05 de agosto de 2020 • • 11

opinião
Veríssimo Serrão,
António Godinho Gil
www.bocadeincendio.blogspot.com
opinião
João Mendes Rosa * in memoriam
Há momentos em que desapetece a existência. O próprio e rotulam de afecto ao regime salazarista, sobretudo se esses
Termidor metabolismo se descompraz numa submissão vegetativa à
ilógica da vida e sentimos, no perpassar célere de tantíssimas
estigmas partem de quem tem obrigação de ser isento. Serrão
nunca foi salazarista: eu mesmo lhe ouvi críticas violentíssi-
1. O Reino Unido colocou o seu aliado setecentenário no index. memórias, que pertencemos já a esse estado etéreo onde habi- mas ao Celibatário de Santa Comba. Enquanto estudante em
E fez bem. Eles lá sabem os números certos da COVID em terras tam agora aqueles que já não fazem parte da nossa visibilidade Coimbra, etiquetado de “perigoso” pela PIDE, o jovem Joaquim
lusitanas. Mas aposto que Costa, um mitómano da mesma farinha física. Na verdade, tenho já «do outro lado do caminho» – como Veríssimo Serrão envolveu-se activamente no MUD apoiando
de Sócrates, mas não tão imprudente, já tomou de assalto a linha diz o poema de Santo Agostinho – a maior parte daqueles que Francisco Salgado Zenha na tempestiva e bela direcção da As-
telefónica do enfermeiro Luís. Recordam-se do enfermeiro Luís perfaziam o meu melhor universo emotivo, aqueles que, apesar sociação Académica de Coimbra em 1944 e, quatro anos mais
Pitarma? Sim, aquele que livrou Boris Johnson de todo o mal, na disso, cadenceiam ainda as batidas do coração. Na desfiada tarde, esteve entre os estudantes que redigiram os famosos no-
sua convalescença, seguindo-se um louvor público que comoveu amena deste caminho paralelo a essoutro – que deverá ser vos estatutos que punham fim às ingerências não-estudantis no
a Pátria. Imaginemos o teor da conversa: incomensuravelmente mais belo – eis que uma notícia ruge mesmo órgão associativo, subscrevendo ainda o manifesto que
AC: Então ó Luís! Côl é a tua espxalidade? É verdad que fostes dentro de nós como um trovão. Suspende-nos! Interrompe apelava ao voto naquele documento. Acreditou (como muitos
praí por cósa do meu anteçor? em nós as mais elementares propriedades neurológicas: as outros, infelizmente) que Marcelo Caetano seria a solução para
LP: Está enganado, senhor Primeiro Ministro. Fui porque me pálpebras cerram-se, a face submerge, o corpo cinge-se a uma o regime, isso sim, e depois manteve-se leal ao seu amigo. Era,
apeteceu e, como sabe, ainda não voltei, apesar de o ter ouvido reactividade minimal e desejamos ficar nesse registo vegetal para ele, uma questão de princípios. A História ensina-nos bem
anunciar que o país parece o paraíso na Terra. horas a fio… que nos escaninhos dos factos há pormenores que escapam a
AC: Olha que não, Luís! Posso pdir-te um favor? Fala com o A passagem do Prof. Veríssimo Serão para “outro lado do uma análise mais normativa: recorde-se a amizade entre Primo
teu amigo Boris. Ped-lhe que tire Portugal da lista negra, salvo caminho” estava há algum tempo antevista pela ciência, mas a de Rivera e Lorca, por exemplo…
seja! Diz-lhe que pode fazer férias quando quiser num resort do poética da sua vida prometia-ma impossível. E como pio des- Seja como for, Joaquim Veríssimo Serrão não era um pre-
Algarve à sua escolha. Ele, a família, a parentela, os amigalhaços crente das leis da Física e da Química – a minha querida Profª conizador do Fascismo nem nunca apoiou as arbitrariedades do
da faculdade e, se for o caso, as amantes. Faz-lhe notar que é cos- Raquel Morgado diagnosticou-me muito cedo essa deformação regime ou qualquer acção repressiva sequer. E além do mais,
tume em Portugal dar tudo pela família quando se está no poder. (que nunca superarei aliás) – continuo a acreditar que está manteve ao longo da vida uma postura de tanta elevação que
LP: Vou surpreendê-lo. Já falei com ele. Manda dizer que ainda por aqui: sinto-o ao remexer cartas, manusear textos soube sempre cultivar as amizades sem olhar a credos ou ideias.
só aceita se o PM souber quem foi ao funeral do pai do Keynes. datilografados, fotografias. Aguardando instintivamente o toque Quando Saramago morreu fez-se o elogio das suas enor-
Está numa nota de rodapé do manual de Economia Política do do telefone e logo depois o vozear sonoro, inconfundível… mes qualidades enquanto escritor maior e criativo invulgar – eu
Prof. Martinez, que o senhor PM foi obrigado a ler quando era Recordo o mestre, o amigo, o ser humano excepcional, o próprio estive entre eles. Não se falou – e bem! – do apoiante
aluno da FDL. espírito cultíssimo, o trato de gentil-homem, o anfitrião incom- assumido do Estalinismo – que sacrificou milhares de vidas,
AC: Agoré caquele cabeça de piaçá me tramou! Vou já ligar parável das tardes escalabitanas entre montanhas de livros e como se sabe –, nem dos episódios de má memória reveladores
ó Tribunal Conchional, ó Cabrita e ó Palácio das Nechidades… montanhas de livros – a minha orografia predilecta – e a inúmera da sua inexorável vindicta durante o período revolucionário. São
2. Sou um leitor voraz de manuais de instruções. Creio gataria da sua farta biblioteca. Os convívios nos terraços pano- os tais “dois pesos e duas medidas” de que este país é vezeiro.
que desenvolvem a agilidade mental. Mas têm outra utilidade, râmicos do Hotel Mundial, em Lisboa, as sessões da Academia Veríssimo Serrão, além de historiador de primeiríssimas
digamos, inconspícua. Sendo, em primeira mão, um conjunto de Portuguesa de História… Acompanhou-me entusiasticamente águas foi, por muito que para alguns o custe aceitar, um ser
procedimentos de ordem técnica, ou operativa, podemos ir mais no Conselho Editorial dessa aventura que foi a revista de Histó- humano completo; de uma integridade admirável. E no seu
longe. Estender o conceito àquelas obras cuja única razão de ser ria, Museologia e Arqueologia que fundei em 2003 e coordenei carácter havia lugar para uma faceta talvez pouco conhecida: o
é a prescrição moral. E aí incluiríamos os códices religiosos que durante quase 13 anos (a premiada “EBVROBRIGA”) e logo a seu fino e inteligente sentido de humor. E não resisto a deixar
moldam a vida de milhões e milhões de pessoas: a Bíblia, o Corão, seguir no prefácio do meu “História Cronológica do Fundão” ao leitor este episódio que o atesta: há alguns anos, tendo eu
a Torah, os Sutras. Afinal o que são senão manuais de instruções? (2005) a apresentação pública que fez do livro, as apostilas às ido na companhia do meu filho Francisco João, este, ao brincar
Por outro lado, ainda que contenham hipérboles e alegorias, nesses minhas incursões históricas ao mundo tenebroso da Carbonária, com um desses felinos domésticos que pululavam pela sua bi-
manuais não há digressão, nem ironia, nem descrições apuradas, do Regicídio de 1908. Recordo o carinho que dispensava aos blioteca, atirou ao chão o retrato autografado do rei de Espanha.
nem pormenores indiscretos, nem tramas imprevisíveis. Isso são meus filhos, a cavaqueira multitemática, as atenções sem-fim, Perante o meu confrangimento, sossegou-me de imediato:
atributos do romance. Pelo menos, desde Sterne e Cervantes. (no as cerejas em Maio… – Deixe lá, afinal o miúdo conseguiu aquilo que muitos em
Oriente desde o “Romance do Genji”, de Murasaki Shikibu, 500 Lamento os pequenos “mas” (e terão que ser necessaria- Espanha gostariam de fazer e não conseguem: derrubar o rei!
anos antes). Por outro lado, sendo prescrições de condutas, de mente minúsculos esses “mas”) que alguns têm apensado aos
aptidões específicas, não dispensam o exemplo. Sendo utilizado, elogios a que afinal não se podem esquivar – Joaquim Veríssi- *Escritor
quase sempre, o método demonstrativo. Mas enquanto nos mo Serrão foi, sem qualquer dúvida, um dos nossos maiores
manuais convencionais o que interessa é resolver “aquele” pro- historiadores de sempre. Confrangem-me os que o rotulavam ** O autor escreve com a grafia anterior ao AO de 1990
blema, nos religiosos é preciso provar o sagrado, incentivar pelo
exemplo, criar uma narrativa com imagens poderosas, fundar a
realidade com a palavra. O que nos leva a concluir que a hierofania
não dispensa a poesia. Mas a poesia pode bem dispensar aquela.
3. Vivemos uma silly season envergonhada. Ninguém diz que vai
opinião
Observatório de Ornitorrincos
de férias. Ninguém diz o contrário. A indústria do turismo adaptou-se
ao cliente tuga. Resmas de jovens comunitários acotovelam-se em Nuno Amaral Jerónimo
bebedeiras suicidárias no Algarve. É a sua forma de ser “irreverente”. extremo.acidental@gmail.com
Paira um desejo inconfessado de que as vizinhas boas se exponham
ao sol nas suas varandas. Não há férias nem deixa de haver. Antes Durante o Verão, os jornais insistem em publicar a aplicação do famoso Questionário
pelo contrário. Como diria um piadista popularucho. À superfície, de Proust a figuras públicas e pessoas obscuras. Desagradado com o carácter muito
ninguém se move. Mas as praias parecem comboios apinhados na optimista dessas questões, o Observatório de Ornitorrincos sugere uma versão
Índia, com todos a fingirem que não estão lá. Eis um Verão trágico-
cómico. Clandestino. À espera do Sr. Hulot. contemporânea mais pessimista, intitulada:
4. A linguagem gestual dos políticos e aspirantes a políticos é
deveras sugestiva. É muito comum aparecerem retratados com os
braços cruzados. Não completamente, mas com alguma amplitude, Questionário de próstata
mantendo os braços paralelos e as mãos segurando os cotovelos. Na sua vida miserável, qual é a sua ideia de infelicidade mesmo tudo?
Sugestão dos consultores de imagem? Mimetismo? Não se sabe. plena? Como nunca alcançou nada, o que gostaria que tivesse
Qual a mensagem transmitida? Vejamos. A postura dos braços Entre a pandemia e o aquecimento global, de que é que sido a sua maior conquista?
cruzados cria conforto e distanciamento. É um sinal defensivo. ainda não tem medo? Se morresse e voltasse, consideraria poupar a humanidade
Muitas vezes associado ao frio. Também pode ser encarado como Qual é a única característica que não detesta em si mesmo? e voltar a morrer de imediato?
tentativa de autocontrolo diante de uma contrariedade. Mas é Há alguma característica, assim por alto, que aprecie nos O que mais valorizaria nos seus amigos, se os tivesse?
seguramente uma manifestação de poder, domínio da situação, outros? Quem são os seus artistas favoritos nas tardes de Domingo
em que a caixa torácica parece maior e os cotovelos para fora No balanço dos seus actos, qual foi a sua maior idiotice? da TVI?
compõem uma pose afirmativa. A insegurança e o narcisismo são Qual é o seu estado de doença mental? Quem é o seu herói da ficção, Marcelo Rebelo de Sousa
os motores silenciosos da postura. No caso dos políticos, mal Qual considera ser a imbecilidade mais sobrestimada? ou António Costa?
começam a discursar, os braços abrem-se e as mãos, paralelas Em que ocasiões lhe passa pela cabeça, mesmo que não Com que figura histórica mais se identifica, Heidi ou
ao corpo e com as palmas para dentro, incutem confiança, deter- execute, ser honesto? Abelha Maia?
minação, hubris. Nos EUA, os políticos usam um recurso cénico O que menos gosta na sua aparência, a forma ou o con- Qual é o seu maior arrependimento, ter nascido ou ainda
que não chegou à Europa. Quando chegam à tribuna onde vão teúdo? estar vivo?
discursar, esboçam cumprimentos personalizados, saudando este Que pessoa viva não desprezaria, caso as circunstâncias Como gostaria de morrer agora já neste momento?
e aquele como se fossem amigos chegados. O expediente é seguro certas se formassem? Entre todas as desgraças que lhe aconteceram, qual con-
e eficiente. Pois quebra o gelo e incute no público a ideia de que Qual a característica em homens para que mais se está sidera ser o seu maior infortúnio?
o orador se dirige a um grupo de amigos e não a uma assembleia a borrifar? Considerando as dívidas e as penhoras, qual é o bem mais
anónima. Em rigor, os políticos, mesmo quando metem os pés Qual a característica em mulheres para que mais se está valioso que julga ter?
pelas mãos, só conhecem um local seguro onde as esconder: nos a borrifar? Qual considera ser a maior profundidade da sua miséria?
bolsos dos contribuintes. Que palavras ou frases usa, nas poucas vezes que tem Qual é a sua ocupação favorita durante os dias que passa
5. Estar diante de quem estamos perto tão completamente vontade de falar? sem fazer nada?
como se fossem estranhos. Desligar do entorno, mas implicar o Quantas horas durou o maior amor da sua vida? Com essa personalidade cinzenta e apagada, qual é seu o
entorno. Ouvir com delicadeza. Rir como se fosse a primeira vez. Sendo impossível na vida real, qual o sonho em que foi estigma mais assinalável?
Imaginar sem fantasiar. Recriar cada perplexidade como se fosse mais feliz? Tem um lema de vida ou uma vida de lesma?
nossa. Dar sem medo e sem medida. Deixar que os olhos cantem Não tendo tido nunca jeito para nada, que talento mais Se Deus existisse, gostaria de o insultar pelo destino que
e a música instale as figuras do retrato. Adormecer. gostaria de ter tido? lhe traçou?
Sendo uma criatura deplorável, se pudesse mudar algu-
* O autor escreve de acordo com a antiga ortografia mas coisas em si, manteria alguma característica ou mudaria * O autor escreve de acordo com a antiga ortografia
12 • • Quarta-feira • 05 de agosto de 2020

opinião
rua da corredoura, 80 - R/C Dto - C • 6300-825 Guarda bilhete postal
Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt

DGAV – sempre!
publicidade@ointerior.pt • ointerior@ointerior.pt
dcabrita@iol.pt
Diogo Cabrita
Mortalidade
Guarda foi o distrito com maior aumento Serei conservador? Quase pela certa! Não quero manos a milhares de doenças que podem chegar dos
aos animais melhor que aos humanos, não quero ser pombos, dos coelhos, dos cães (hidatidose, leishmanio-
do número de óbitos por mil habitantes tratado num hospital onde chega o porco, a vaca ou o se), dos gatos (que nos dão toxoplasmose e bartonella
AR
legume. Não quero ter por companhia de AL dois perus henselae), das lebres (carregadas do vírus da mixo-
da Abissínia em férias no Uganda. Tenho parentes que matose), dos javalis (hoje carregados de tuberculose e
me cheguem. Eu sou o Cabrita e comigo convivem ca- de trichinella). A relação dos homens com a bicharada
bras, ovelhas, carneiros, cabrões e borregos e bodes. não é de todo uma normalidade – é uma modernidade
O bode é especial porque lança o fascínio de hircinio com contornos ideológicos. Eu posso colocar-me na
para despertar nas fêmeas o seu encanto. Um viagra luta contra os maus-tratos gratuitos e evitáveis. Mas
chamativo. Votou PAN. Já o carneiro o não tem. Votou não deixei de comer carne nessa luta, pelo que sou um
CHEGA. Como há muitos seguidores caprinos, e mui- conservador. Não gosto da agonia do peixe, mas vou
tos bajuladores ovinos a votar PS e PSD, e também há grelhando umas postas e isso faz-me um conservador.
chefes que são grandes cabras e até votam na esquerda, O que não tolero é a demagogia balofa, a ausência de
eu quero este mundo onde vivo e trabalho só para nós. princípios e de critérios nas decisões, o avanço contra
Não preciso que lá coloquem cães, cavalos, coelhos ou as instituições “à la Trump” porque sim, porque emoti-
outros encantos de estimação. vamente se decidiu atacar seculares saberes, experiência
A minha luta é contra a demagogia insana, a des- e conhecimento que nos salva vida.
truição do sistema veterinário em prol de uma ideologia Ministros histéricos podem causar mais danos
de emoções. que incendiários. Hoje estamos perante uma luta de
O máximo da demagogia existiu em teses contra os conservadores que até podem ser leitores de Karl Marx,
espaços fechados, os postigos, as janelas de atendimen- associados com outros conservadores com o Corão
No distrito da Guarda regista- a pandemia de covid-19, mas tam- to. Fizeram-se doutoramentos pelos espaços abertos, debaixo do braço, contra modernistas que não querem
ram-se em julho 1,8 óbitos por bém com os constrangimentos que amplos, fizeram-se mestrados reduzindo a importância vacinas e querem animais em livre matilha entre nós.
cada mil habitantes, de acordo esta provocou no acesso a cuidados do perdigoto e do bafo e o esquecimento de uma evidên- A Europa está a mudar com definição de esquerda e
com informação divulgada esta de saúde. A suspensão de exames e cia: pela boca matámos os indígenas aquém e além-mar. direita enterrada há muito, e onde surgem novas lutas
terça-feira pelo jornal “Público”, consultas, o próprio medo de recor- Dizimou com doenças Vasco da Gama mais que traficou. ideológicas impensáveis na maior parte dos países. O
com base em dados recolhidos no rer ao Serviço Nacional de Saúde por A virose levada no aerossol descobriu gente sem imuni- PAN é uma inexistência em inúmeros países e a sua
sistema nacional de Vigilância da parte dos utentes e ainda o calor que dade na América, na Índia, em África e matou enquanto presença e ideias levariam a decapitações em países
Mortalidade. Em julho de 2019 se tem feito sentir por todo o país, pôde. Depois vieram os génios que apagaram a peste como a Arábia Saudita, o Paquistão, etc. Sobretudo por
este número era 1,22, o que traduz associados ao envelhecimento da negra, que apoucaram a gripe, que nunca se lembram isso, não concordo com eles, mas a sua existência tem
o maior aumento de mortalidade população são alguns dos motivos do mau hálito que atormenta os balconistas. Chegaram de ser preservada e garantida, já a sua modernidade tem
do país. Apenas em Portalegre é apontados pelos especialistas. os génios do “open space” e agora: Covid! A vida é isto de ser claramente resumida ao seu real valor nacional e
registado um aumento similar, lo- No mês passado, em Portugal – ideologia de modernidade e oposição conservadora. submetida à secularidade da ciência e do conhecimen-
cal onde este indicador passou de morreram 10.390 pessoas, o valor Os modernos querem impedir a eutanásia dos ani- to dos que erradicaram a raiva em 1956, dos que nos
1,3 (em 2019) para 1,7 óbitos por mais alto em 12 anos registado no mais de estimação e agora sofrem com um problema de salvaram da toxoplasmose endémica.
mil habitantes, em julho deste ano. mês de julho. Foram mais 2137 lotação e de verbas. Os modernos querem acabar com Não nos tramem. Não deixem as Cabras e os Ovinos
De acordo com especialistas óbitos do que em igual período os veterinários como esteio condutor da saúde pública governar! Depois, mandarão os pepinos e os brócolos,
citados pelo “Público” estes números do ano anterior , o que representa e com isso aumentam os riscos de exposição dos hu- cansados das orgias dos ruminantes.
não estão apenas relacionados com um crescimento a rondar os 26%.

PUB

PORTUGAL CHAMA:
NÃO USE MAQUINARIA
NOS DIAS DE MAIOR
RISCO DE INCÊNDIO.
Todos sabemos que um grande incêndio começa, muitas vezes, com uma pequena faísca.
Por isso é essencial ter o máximo de cuidado ao trabalhar com máquinas, tanto no mato
como na floresta – desde logo ter sempre consigo um telemóvel e um extintor. É muito
importante também consultar o risco diário de incêndio já que, nos dias em que este
é máximo, é expressamente proibido o uso de motorroçadoras (excepto se possuírem fio
de nylon), corta-matos e destroçadores, nos termos da legislação em vigor. De resto, nunca
é demais relembrar, em caso de suspeita de perigo ou emergência não hesite e ligue 112.
Por si, por todos.

Saiba mais na sua Junta de Freguesia, Câmara Municipal, pelo 808 200 520
ou em portugalchama.pt.

portugalchama.pt
Especial Trancoso 1

Este Suplemento é parte integrante do jornal O Interior nº1074 de 05/08/2020 e não pode ser vendido separadamente

«Trancoso tem todas as


Opinião

Feira ao fim
condições para continuar de semana
A Feira de São Bartolomeu, instituída por
D. Afonso III a 8 de agosto de 1273 por carta

a crescer, fixar pessoas e


de feira, com carácter anual e a duração de 15
dias, a começar uma semana antes da festa
de S. Bartolomeu, é o mais notável evento de
origem medieval da região.
Que se saiba, esta é a primeira vez, em

atrair investimento»
747 anos, que a Feira de S. Bartolomeu não
se realiza.
O ano do Covid-19 não permite festas,
nem feiras.
E Trancoso sofrerá a todos os níveis pela
suspensão do mais relevante evento anual da
Entrevista a Amílcar Salvador, presidente da Câmara Municipal de Trancoso cidade e da região.
Até ao último momento, os comerciantes
e a autarquia mantiveram a esperança de

Seis obras para o futuro


que a pandemia não impedisse que o mês
das férias, dos emigrantes e da vida intensa
regressasse à vila medieval. Mas não foi
possível.
Apesar das contingências, e para contra-
O município de Trancoso vai inaugurar no dia 14 três obras e intervenções concluídas no primeiro semestre deste ano. No total, a autarquia
riar a crise resultante do novo coronavírus,
investiu mais de 1,2 milhões de euros na monumentalização da Rotunda da Batalha de Trancoso, na beneficiação do troço urbano da EN226,
Trancoso vai ter dois fins de semana de feira.
na construção do Centro de Recolha de Animais, na renovação do posto de turismo e na construção do Centro de Inovação e Desenvolvimento
Dias 7, 8 e 9 e 14, 15 e 16 não serão dias da
Social, bem como na intervenção no estádio municipal. Estas três últimas empreitadas serão inauguradas em setembro. Pág. 5
grande Feira de S. Bartolomeu, mas serão
três dias de mercado nos próximos dois fins
de semana.

Dois fins de semana de mercado


A opção, é uma excelente forma de con-
tribuir para a dinamização económica e social
da cidade. Não permitirá repetir a festa que
todos os anos atrai milhares de pessoas, mas

para compensar cancelamento da


será uma forma de contribuir para a animação
de um verão especialmente quente e afirmar
Trancoso como a única localidade onde este
verão vai haver alguma forma de festa de
massas.

Feira de São Bartolomeu O palco de encontro de recordações e


memórias, de famílias e compras será, como
todos os anos, em Trancoso.
2 Especial Trancoso

«Trancoso tem todas as condições para


fixar pessoas e atrair investimento»
Amílcar Salvador, presidente da Câmara Municipal de Trancoso

»
LM
P – Num ano sem Feira de São Bartolomeu,
a Câmara decidiu organizar dois fins de semana «O nosso
de mercados. Como vai ser? problema já não
R – É com tristeza que, pela primeira vez desde
que nos recordamos, que não se vai realizar a Feira reside na dívida
de São Bartolomeu, que é a feira franca mais antiga
do país. Foi criada em 1273 pelo rei D. Afonso III, já
consolidada
lá vão 747 anos e, provavelmente, este é o primeiro nem nessas
que não se realiza. Mas em primeiro lugar está a
saúde das pessoas, o salvar vidas e controlar esta pequenas
pandemia. Por isso apostamos apenas nos mercados ações judiciais
semanais, que voltámos a realizar desde maio, todas
as sextas-feiras. Neste caso serão três dias seguidos – ainda temos
de mercado já este fim de semana e no próximo.
à volta de
P – Além do mercado habitual, vai haver 800 mil euros
mais setores?
R – Serão mais dois: a maquinaria agrícola, para resolver.
porque os agentes manifestaram muito interesse O que nos
em participar – temos sete a oito stands inscritos; e
os automóveis. São dois setores muito importantes preocupa são
e ficarão no campo da feira, onde costumavam ficar as três obras
durante a Feira de São Bartolomeu. Entendemos
realizar este formato após reunir com a delegada da parceria
de saúde, a GNR e a proteção civil e concluímos
que os mercados têm estado a correr bem, não tem
público-privada.»
havido contaminação nem outros problemas. Aliás,
desde 12 de abril que não registámos mais nenhum
caso de Covid-19 no concelho de Trancoso porque
as pessoas também estão a cumprir as regras
definidas pela Direção-Geral da Saúde, usando a
máscara e cumprindo o distanciamento social. Isto
tem estado a correr muito bem e estes dois fins de
semana vão decorrer de forma muito semelhante ao
mercado semanal.

P – Quantos feirantes vão participar?


R – Para além da centena de feirantes que
participam habitualmente, teremos esses oito stands
Três obras inauguradas dia 14
P – A autarquia vai aproveitar o segundo fim de semana de agosto turistas que nos visitam e cujo acolhimento quisemos dignificar com o apoio
da maquinaria agrícola e uns cinco já inscritos nos
para inaugurar várias obras. Quais são e até que ponto são relevantes das Aldeias Históricas. Falta apenas instalar o mobiliário numa intervenção que
automóveis. O campo da feira vai estar composto e
haverá todas as condições sanitárias e de instalação. para Trancoso? custou cerca de 60 mil euros e será inaugurada em setembro. Tal como o Centro
R – Mesmo num ano difícil como este, a Câmara Municipal conseguiu de Inovação e Desenvolvimento Social, junto às antigas escolas primárias,
P – Os feirantes vão ter isenções ou descon- concretizar neste semestre um conjunto de obras que tínhamos anunciado a que é um equipamento para dar resposta à população sénior da cidade e para
tos nas taxas? Que medidas estão previstas? 31 de janeiro. São seis projetos que dão uma atratividade maior à cidade, três promover o envelhecimento ativo dos nossos concidadãos. Neste momento,
R – Sim. Isentar todos os feirantes do mercado dos quais vamos disponibilizar aos cidadãos no dia 14 de agosto e iremos visitar devido à pandemia, o espaço está a ser ocupado por cerca de 15 elementos
semanal foi uma das medidas que tomámos no se- os restantes, que serão inaugurados em setembro. Uma delas é a rotunda da da Força Especial de Bombeiros. Custou cerca de 200 mil euros. Finalmente,
gundo trimestre e que prolongámos em julho, agosto Batalha de Trancoso, uma homenagem a Gonçalo Vasques Coutinho, uma visitaremos ainda uma intervenção muito grande no estádio municipal, também
e setembro. É uma medida que também vigorará das nossas figuras históricas a quem não se tem dado a devida importância. realizado no âmbito do BEM, em que, para além da requalificação da bancada,
nestes fins de semana de mercado alargado. Durante Ele foi o grande herói na crise de 1383-85 e o dia da Batalha de Trancoso, dos balneários, dos muros, dos portões e de todo o exterior, construímos uma
estes seis meses também isentámos o pagamento a 29 de maio, é o nosso feriado municipal, portanto faz todo o sentido que pista de atletismo devidamente homologada pela Federação Portuguesa da
das esplanadas e das rendas das lojas comerciais de assinalemos esse acontecimento histórico numa rotunda requalificada onde modalidade, tendo sido acompanhada pela Associação de Atletismo da Guarda
que a Câmara é proprietária, assim como isentámos fica um monumento muito digno feito em granito e alusivo a Gonçalo Vasques para que cumprisse todos os requisitos. Esta obra representou um investimento
também as taxas de resíduos sólidos urbanos para Coutinho. Por coincidência, 14 de agosto é também o dia em que se comemora de cerca de 300 mil euros e obtivemos uma comparticipação muito significativa
todos os munícipes durante estes dois trimestres. a Batalha de Aljubarrota de que a Batalha de Trancoso foi precursora. A obra no âmbito do programa BEM. Gostaria ainda de lembrar que foi em fevereiro
custou-nos cerca de 50 mil euros, mas embeleza de forma imponente esta deste ano que inaugurámos uma das principais obras dos últimos anos, a Área
entrada na cidade. de Acolhimento Empresarial com 15 lotes de terreno. Tem havido uma procura
«Acreditamos muito no Vamos também inaugurar a requalificação de toda a artéria principal da muito significativa apesar do tempo que vivemos e no primeiro aviso para os
futuro de Trancoso porque cidade, entre a Rotunda da Batalha de Trancoso e a Lactovil. Hoje Trancoso dez lotes disponibilizados chegaram a concorrer seis empresários, mas, en-
tem um aspeto completamente diferente do que há meia dúzia de anos com tretanto, um deles desistiu porque tinha concorrido em nome individual e criou
temos todas as condições a requalificação da rotunda do Chafariz do Vento, com uma réplica das Portas uma empresa e outro preferiu apresentar uma candidatura com outra empresa.
para continuarmos a d’El Rey, a requalificação desta estrada que atravessa a cidade e que estava Ambos concorreram ao segundo aviso, que está a decorrer até 31 de agosto.
crescer, a fixar pessoas e a em estado deplorável, o quartel dos bombeiros, a nova rotunda da Batalha de Desses dez lotes já fizemos as escrituras do contrato promessa de compra e
Trancoso e a beneficiação do troço entre a cidade e o nó de acesso ao IP2. venda de três e estou perfeitamente convencido que os restantes irão ser todos
atrair investimento.» Foi uma intervenção muito profunda ao nível das águas pluviais, dos lancis ocupados porque há procura. Já no ano anterior tínhamos concluído o Centro
»

e passeios, dos arranjos urbanísticos junto aos dois postos de combustíveis, Escolar da Ribeirinha, outra obra importante. É um mandato em que estamos
da colocação de passadeiras e sinalética. Durou algum tempo, causámos a cumprir aquilo a que nos propusemos e estamos satisfeitos.
alguns transtornos aos trancosenses durante este último ano, mas acho que
as pessoas compreenderam e hoje a estrada tem um aspeto completamente P – Que obras tenciona fazer ou lançar até ao final deste mandato?
diferente. A empreitada rondou os 500 mil euros. R – Já decorreu o concurso público para o edifício da incubadora de
Iremos também inaugurar o Centro de Recolha de Animais, que era uma empresas Inovcast, no antigo quartel da GNR, no centro histórico, e o júri
lacuna que sentíamos no concelho. Aliás, temos um protocolo desde 2014 com já elaborou o relatório final. Houve duas empresas que concorreram com
o município da Mêda porque não tínhamos uma estrutura capaz em Trancoso, um valor inferior ao preço base do procedimento, que era de 532 mil eu-
mas já era insuficiente para as nossas necessidades. Também foi uma obra ros, e o júri está a selecionar a empresa que vai fazer a obra. Também o
comparticipada no âmbito do programa de Beneficiação de Equipamentos loteamento da Senhora da Fresta já foi entregue e assinámos o respetivo
Municipais (BEM) do Governo com cerca de 50 mil euros e o custo final rondou contrato com a empresa Samuel Augusto, da Guarda, e irá entrar em obra
os 160 mil euros. Pronto está também o posto de turismo, onde recebemos os muito em breve...
Especial Trancoso 3

continuar a crescer, Mais obras até ao final


do mandato
«É um mandato em
P – A Câmara já conseguiu avançar com a bombeiros, que teve um investimento de 1,2 milhões
que estamos a cumprir reabilitação dos Paços do Concelho? O que vai de euros, e quatro a cinco vezes mais que o Centro
aquilo a que nos acontecer?
R – Aprovámos o projeto de arquitetura e apresen-
Escolar da Ribeirinha, que custou 650 mil euros.
Sempre soubemos e denunciámos que esta parceria
propusemos e estamos támos a candidatura à Direção-Geral das Autarquias público-privada iria comprometer o futuro do concelho
Locais (DGAL), que mereceu parecer favorável. porque na altura a Câmara já estava a atingir o limite
satisfeitos.» Esta é uma obra que irá avançar nesta parte final do endividamento e a situação ficaria muito mais
do mandato. complicada com estas três obras.
P – Acha que os mercados semanais têm es- P – A Câmara foi também obrigada a suspen-
tado a correr bem do ponto de vista comercial? der os eventos programados até aqui e provavel-
P – E como está a reabilitação do Palácio P – Já fizeram alguma proposta concreta à
As pessoas têm aderido ou nota algum receio mente até ao final do ano…
Ducal? CGD para pagar?
nos vendedores e nos clientes? R – Imagine os milhões de euros que se mo-
R – O imóvel foi adquirido no final de 2015 por R – Já e iremos procurar voltar às negociações
R – Tem sido uma atividade muito importante vimentavam em Trancoso ao longo do ano! Era a
cerca de 350 mil euros e é a Universidade da Beira em breve por forma a que possamos ter uma proposta,
para a economia de Trancoso porque estamos a comemoração da batalha de Trancoso, a recriação
Interior que está a elaborar o projeto. Já temos uma pri- mas na ordem dos 5 a 6 milhões de euros, que é o
viver a maior crise das nossas vidas. Há setores das Bodas Reais, o Festival de Música no Castelo e
meira versão do futuro Museu da Cidade e queremos valor que contrapropusemos na altura fruto dessa
que levaram um corte brutal nos meses de março, a Feira de São Bartolomeu que deixamos de realizar
avançar de imediato. Creio que faz falta em Trancoso auditoria técnica.
abril e maio. Quando voltámos a abrir de forma por causa da pandemia. É uma quebra brutal e um
porque há sempre um amanhã e queremos ser dos
faseada o mercado semanal notámos que foi impacto negativo avassalador na nossa economia,
primeiros concelhos a recuperar em termos turísticos P – O que tem planeado Trancoso para o pós-
muito importante para os agentes económicos pelo que temos que ajudar os nossos comerciantes
no pós-pandemia. Este museu está a ser muito bem Covid de forma a relançar a atividade económica
locais e a sexta-feira voltou a ser um dia em que porque estão a ter muitas dificuldades.
pensado, teremos ali diversos espaços, desde o centro do concelho?
há algum movimento em Trancoso. Também temos
interpretativo da Batalha de Trancoso, um núcleo das R – Acreditamos muito no futuro de Trancoso
um espaço excelente, o que permite às pessoas P – Estes fins de semana de mercados servem
bodas reais, outro para os espólios da pintora Eduarda porque temos todas as condições para continuarmos
cumprir algum distanciamento. A Câmara tem feito também para reafirmar Trancoso como um centro
Lapa e da professora Emília Tracana. Também haverá a crescer, a fixar pessoas e a atrair investimento. Creio
um esforço muito grande para controlar um pouco importante de comércio nesta altura do ano?
uma área dedicada à arqueologia com os achados que a Câmara Municipal está a fazer aquilo que lhe
as entradas de todos os setores, quer na praça R – Sem dúvida. O mercado semanal da sexta-
recolhidos ao longo dos anos e teremos uma sala compete, que é criar condições para que os privados
municipal, quer nos campos da feira, onde há feira é dos maiores da região, é extremamente im-
polivalente com capacidade para 250 lugares que ser- se possam instalar. Estou a falar dos lotes na nova
também uma sinalética apropriada e dispensadores portante para dinamizar a economia local e por isso
virá de auditório. É um equipamento fundamental para área de acolhimento empresarial, cujo metro quadrado
de gel desinfetante. A sexta-feira já se reflete no acreditamos que, alargando a sua duração numa
que os turistas que nos visitam possam permanecer custa 2 euros, das potencialidades associadas ao pa-
comércio local. época em que temos muitos emigrantes na região,
o maior número de dias em Trancoso. trimónio, às feiras e eventos, à paisagem, à segurança
se vai gerar mais retorno e será uma alavanca para
e tranquilidade. Em Trancoso não fechou nenhum
P – Trancoso depende um pouco dessa o comércio local.
P – De que trata a musealização e valorização serviço público ou agências bancárias nos últimos
atividade... Este é também um contributo do
do castelo de Trancoso? anos, pelo contrário até criámos o Espaço do Cidadão
município para dinamizar a economia local? P – Num tempo em que quase não há turismo,
R – É uma obra apoiada pelo Turismo de Portugal em Vila Franca das Naves e o Gabinete de Apoio ao
R – É importante. Como disse, estamos a o que tem feito o município para se promover e
e estamos a intervir em três ou quatro espaços, num Emigrante, onde são atendidas 150 pessoas por mês.
atravessar uma crise brutal e temos que ir pouco atrair turistas?
investimento da ordem dos 330 mil euros. A primeira Em seis anos já repavimentámos cerca de 13 estradas
a pouco para voltar à normalidade. R – Temos que continuar a promover o nosso
fase da obra física já foi adjudicada e a parte dos municipais que estavam completamente degradadas,
património, a ter uma cidade limpa… Trancoso está
conteúdos para a Torre de Menagem, para o posto ou seja, no final do mandato praticamente todas estas
P – Está apurado o impacto económico da bem localizada, tem boas acessibilidades – estamos
de atendimento e outros espaços está em concurso vias estarão repavimentadas e sinalizadas. Já em
pandemia no concelho de Trancoso? praticamente ligados a Lisboa, Porto e Madrid por
público internacional até 20 de agosto. Continuamos Vila Franca das Naves também estamos a reabilitar
R – Temos apenas alguns indicadores, por autoestrada – e está hoje muito mais atrativa desde
também a trabalhar em Moreira da Rei com um algumas ruas e requalificar a ETAR local, obra que vai
exemplo, a nível de movimentos bancários nos a entrada do Chafariz do Vento, bem como com as
grande projeto de escavações arqueológicas na maior avançar em breve, e temos cooperado com a Adega
multibancos e de contactos com os comerciantes, repavimentações que têm sido feitas. As pessoas
necrópole de sepulturas antropomórficas da Península Cooperativa porque sabemos da sua importância em
os proprietários de restaurantes, bares e cafés e procuram Trancoso por causa do nosso património
Ibérica. Temos neste momento cerca de 15 arqueólo- termos económicos e de emprego. Iremos também
com a AENEBEIRA. Sabemos o que estão a passar histórico, de equipamentos como o Centro Interpre-
gos na envolvente da Igreja de Santa Marinha fruto de melhorar significativamente a zona industrial da sede do
com quebras da ordem dos 60 a 70 por cento ou tativo Isaac Cardoso, a Casa do Bandarra, mas tam-
protocolos com as Universidades de Coimbra e Nova concelho e temos feito uma aposta muito forte na fileira
mais na faturação. Os restaurantes, por exemplo, bém porque somos um concelho seguro e tranquilo.
de Lisboa. São trabalhos muito demorados e tenho da castanha e dos produtos agrícolas e da agropecuária.
serviam 40 a 50 refeições e hoje servem apenas
pedido alguma paciência aos habitantes de Moreira Tudo isto é importante para a nossa economia.
quatro ou cinco, o que é uma quebra terrível. Temos
de Rei porque é uma mais-valia que vamos ter em
também os dados do turismo, por exemplo, das
termos de turismo por complementar o património da P – Tem referido várias vezes o exemplo das
entradas no castelo: em junho de 2019 tínhamos
sede do concelho. agências bancárias, que contraria o que se pas-
cerca de 12 a 15 mil entradas e neste momento
sa na região e releva o dinamismo do concelho,
estamos com três a quatro mil. O mesmo acontece
P – Quando chegou à Câmara de Trancoso quantas há no concelho atualmente?
na Casa do Bandarra, no Centro Isaac Cardoso,
em 2013, uma das suas afirmações era que o R – É mais um dado que nos dá ânimo. Neste mo-
é um quarto dos visitantes que tínhamos em anos
município enfrentava uma situação financeira mento temos seis agências em Trancoso e mais duas
anteriores. Ora, esta quebra de turistas tem um
gravíssima. Qual é a situação neste momento? em Vila Franca das Naves. Há concelhos na região
reflexo muito negativo na economia local.
R – Ainda é complicada, mas ao longo destes e no país que têm apenas duas dependências, mas
seis anos, nove meses e quinze dias conseguimos temos outros indicadores. Dos 14 concelhos do distrito
«O mercado semanal da sexta-feira é fazer obra e procurámos fazer o reequilíbrio financeiro da Guarda apenas três perderam menos população
extremamente importante para dinamizar a do município porque a situação era mesmo muito que Trancoso – Seia, Guarda e Celorico da Beira –,
grave. Neste momento a dívida registada – ou seja, conforme noticiou O INTERIOR. Até em termos de
economia local e por isso acreditamos que, empréstimos bancários e dívida a terceiros – ronda os nascimento apenas Guarda, Gouveia e Seia têm mais
alargando a sua duração numa época em 5 milhões de euros, quando há seis anos era de quase
12 milhões. Há também um conjunto de ações judiciais
nascimentos do que Trancoso, o que é normal. Com
isto quero dizer que há futuro para o nosso concelho,
que temos muitos emigrantes na região, se apresentadas por empreiteiros contra a Câmara por cabendo à autarquia continuar a trabalhar para dar as
vai gerar mais retorno e será uma alavanca obras realizadas e não pagas. Temos chegado a acor-
do e estamos a liquidar essas dívidas. Em 2019, só a
melhores condições aos investidores e aos nossos
concidadãos e também reivindicar junto do Governo
para o comércio local.» dois empreiteiros pagámos 450 mil euros por obras que estes milhares de milhões de euros que o país vai
de saneamento básico e no anexo do Convento dos receber cheguem igualmente ao nosso território e às
»

Frades com mais de dez anos. Câmaras Municipais. Já seria uma ajuda muito grande
que FEF aumentasse 100 mil euros por mês para
P – Mas está otimista quanto à viabilidade cada autarquia porque as Câmaras e as Juntas de
financeira da autarquia? Freguesia têm uma capacidade de investimento muito
R – O nosso problema já não reside na dívida grande e sabem aplicar de forma rentável o dinheiro.
consolidada nem nessas pequenas ações judiciais –
ainda temos à volta de 800 mil euros para resolver. P - O que pede aos emigrantes que regressem
O que nos preocupa são as três obras da parceria a Trancoso para passar férias?
público-privada, que são a central de camionagem, R – Temos um apreço muito grande pelos nossos
o campo da feira e o Centro Cultural de Vila Franca emigrantes, que são sempre bem-vindos às suas ter-
das Naves. Queremos procurar uma solução junto da ras de origem porque trazem vida e são importantes
CGD, que reclama cerca de 9 milhões de euros, e o para a economia local. Quem vier este ano também é
município quer pagar, mas o justo valor porque, por bem-vindo, mas temos que lhes pedir algum cuidado e
exemplo, a central de camionagem foi faturada por que sigam todas as recomendações das autoridades
cerca de 3,2 milhões de euros quando uma auditoria de saúde, como o uso da máscara, o distanciamento
técnica, encomendada pela Câmara, aponta para social, a etiqueta respiratória e a higienização frequen-
900 mil euros. Basta ver que a central de camiona- te das mãos, além de evitar os ajuntamentos, porque
gem custou quase três vezes mais que o quartel dos todo o cuidado é pouco.
4 Especial Trancoso

Quebra nos Casa do Bandarra


levantamentos no e Centro Isaac
multibanco ascenderam Cardoso são
a 2,4 milhões de euros atrativos no
em abril no nordeste centro histórico
da Beira de Trancoso DR
O efeito devastador da pandemia provocou prejuízos graves na A “Casa do Bandarra” foi inaugurada em
economia regional. De acordo com a AENEBEIRA - Associação março de 2017 e desde então tem registado
uma média de 1.300 a 1.400 pessoas por mês,
Empresarial do Nordeste da Beira, em abril foram levantados no de acordo com a autarquia.
multibanco menos 2,4 milhões de euros face ao ano passado, um O espaço é inteiramente dedicado a Gonçalo
indicador que ilustra, entre outros fatores, «a perda de poder de Annes Bandarra (1500-1556), natural de Tranco-
compra» e a «falta de população» no território so, um sapateiro e profeta português, autor de
AR trovas messiânicas que ficaram posteriormente
ligadas ao sebastianismo e milenarismo portu-
guês. Inserida no projeto Rotas de Sefarad –
Valorização da Identidade Judaica Portuguesa
no Diálogo Interculturas, a Casa do Bandarra
é o primeiro centro de interpretação dinâmico,
lúdico e educativo, sem nunca esquecer a parte
científica. No piso zero o público pode encontrar
várias frases e imagens de Bandarra. No piso
superior há um vídeo sobre a vida e a obra do
profeta trancosense e uma fonoteca com duas
lendas, uma em inglês e outra em português,
com as trovas de Bandarra.
Já no logradouro a autarquia reservou para
os visitantes uma surpresa áudio – uma trova
com arranjo musical. O espaço visa preservar e
perpetuar a memória de uma personagem que
faz parte da identidade dos trancosenses e dos
portugueses, sublinha o município. «Com este
centro, queremos valorizar e divulgar o poeta,
profeta e sapateiro em todas as suas dimensões
porque há muita gente que vem a Trancoso de um edifício situado junto ao Poço do Mestre e
e quer saber mais sobre Bandarra e as suas nas proximidades da Casa do Gato Negro, cuja
trovas», sublinha Amílcar Salvador, presidente fachada apresenta representações das Portas
da autarquia. de Jerusalém e do Leão de Judá, entre outras,
A “Casa do Bandarra”, que resultou de um in- é da autoria do arquiteto Gonçalo Byrne. O
Eventos cancelados na região são um dos motivos apontados para as quebras na economia local vestimento da ordem dos 100 mil euros, fica em Centro Isaac Cardoso é um espaço de estudo,
Não é ainda possível contabilizar exatamente e produtores locais não é ainda conhecido o frente ao Centro de Interpretação Judaica Isaac reflexão e conhecimento da presença hebraica
as perdas que a Covid-19 provocou na economia universo das perdas, mas as quebras situam-se Cardoso, outro atrativo da cidade que aposta na na cidade e nas Beiras, acessível através de
regional, mas há alguns indicadores que começam «acima dos 60 por cento em todos os setores» valorização do seu passado e da sua judiaria. diversos recursos multimédia. Possui duas salas
a dar pistas sobre esse impacto. Um deles é o valor com exceção da grande distribuição, assegura o Mais antigo, este equipamento abriu ao público de exposições temporárias, a sinagoga, uma
de compras e levantamentos efetuados em caixas responsável. Na região de intervenção da AENE- em novembro de 2012 após um investimento de área museológica, um centro de documentação
multibanco que, de acordo com Tomás Martins, BEIRA houve, desde o início da pandemia, «alguns 1,2 milhões de euros. O projeto de requalificação e áreas de apoio.
DR
presidente da direção AENEBEIRA - Associação despedimentos» que foram limitados devido às
Empresarial do Nordeste da Beira, registou que- regras impostas a quem beneficia do regime de
bras abruptas face ao ano passado. “lay-off” simplificado. Tomás Martins adianta que
O responsável conta que, nos sete concelhos «cerca de 50 por cento» das empresas locais com
«a norte da A25 – Trancoso, Aguiar da Beira, contabilidade organizada e trabalhadores contra-
Figueira de Castelo Rodrigo, Almeida, Pinhel, tados recorreram a este regime para minimizar as
Fornos de Algodres e Mêda – foram levantados perdas. «Vamos viver tempos dramáticos», alerta o
menos 2,4 milhões de euros em abril face ao pe- dirigente empresarial, que se assume preocupado
ríodo homólogo do ano passado. Também neste com a subsistência do comércio local.
mês houve uma quebra de 906.671 euros nas Tomás Martins critica também o Plano de
compras efetuadas por multibanco. Em maio estes Recuperação Económica elaborado para o Go-
valores foram de menos 1 milhão e 57 mil euros verno por António Costa Silva porque «ignora
(levantados) face a 2019 e menos 546.432 euros a componente social» do comércio tradicional
em compras. Para junho ainda não há dados, – caracterizado pela proximidade –, algo que diz
mas, segundo o dirigente, «apesar de haver ser de grande importância para a subsistência dos
uma melhoria, isto não vai ser, nem de perto, negócios. O presidente da AENEBEIRA contesta
nem de longe, o que foi a realidade do último também as medidas pensadas para o interior,
ano». Tomás Martins aponta como motivos para afirmando que deveriam ir mais longe: «Era im-
estas quebras, além do confinamento, a «falta de portante ter IVA’s reduzidos numa série de bens
confiança dos consumidores», a perda de poder para fomentar a economia circular», assim como
de compra, a «falta de população» na região (so- «devia ser reduzido o valor do Pagamento Especial
bretudo visitantes), que também é consequência por Conta» para beneficiar as micro e pequenas
da «falta de eventos». empresas. «Ninguém olhou para os números»,
No que toca aos prejuízos dos empresários lamenta Tomás Martins.
Especial Trancoso 5

Seis obras para o futuro


O município de Trancoso vai inaugurar no dia 14 três obras e intervenções concluídas no primeiro Centro de Inovação e Desenvolvimento Social
semestre deste ano. No total, a autarquia investiu mais de 1,2 milhões de euros na monumen-
talização da Rotunda da Batalha de Trancoso, na beneficiação do troço urbano da EN226, na
construção do Centro de Recolha de Animais, na renovação do posto de turismo e na construção
do Centro de Inovação e Desenvolvimento Social, bem como na intervenção no estádio municipal.
Estas três últimas empreitadas serão inauguradas em setembro.

Rotunda da Batalha de Trancoso

Situado junto às antigas escolas primárias de Trancoso, o Centro de Inovação e Desenvolvimento


Social está pronto a funcionar e vai dar resposta à população sénior da cidade promovendo o seu en-
velhecimento ativo. O equipamento funcionará como centro de dia – uma lacuna na cidade – e permitirá
É a mais recente obra escultória patente no espaço público da cidade. A rotunda da Batalha de que os idosos possam ali passar o dia num espaço devidamente equipado e a custos simbólicos. O
Trancoso acolhe um monumento dedicado à célebre refrega que deixou os castelhanos “a pão e laranjas” Centro não será gerido pela autarquia, que o vai concessionar a uma IPSS local. A concretização deste
e presta homenagem a Gonçalo Vasques Coutinho, uma das figuras históricas de Trancoso «a quem projeto representou um investimento de cerca de 200 mil euros.
não se tem dado a devida importância», admite Amílcar Salvador. Segundo o presidente da autarquia,
o alcaide-mor de Trancoso foi «o grande herói na crise de 1383-85», tendo liderado e vencido a batalha Centro de Recolha de Animais
de São Marcos, como também é conhecida a peleja travada naquele planalto a 29 de maio de 1385,
dia escolhido para celebrar o feriado municipal. A sua figura, e a de todos os que lutaram ao seu lado, é
evocada num monumento imponente em granito, da autoria de Francisco Lucena, que está instalado no
centro da rotunda situada na Avenida Heróis de S. Marcos. A conceção, projeto, execução e colocação
das peças escultóricas custaram cerca de 50 mil euros.

Troço urbano da EN226

Era outra lacuna do concelho, que estava a usar o canil municipal da Mêda no âmbito de um pro-
tocolo de 2014 e que já se revelava insuficiente para as necessidades locais.
As novas instalações ficam junto ao mercado do gado e destinam-se a acolher os animais errante
que deambulam pelo concelho. O espaço implicou um investimento da ordem dos 160 mil euros, com-
participados com 50 mil euros pelo programa de Beneficiação de Equipamentos Municipais (BEM) do
Governo com cerca de 50 mil euros.
A autarquia iniciou em setembro do ano passado a requalificação do troço urbano da EN226, que
atravessa a “cidade de Bandarra” e estava bastante degradada. A empreitada consistiu na colocação Estádio municipal melhorado e com pista de atletismo
de um novo tapete entre a Rotunda da Batalha de Trancoso e a Lactovil, na melhoria da rede de águas
pluviais, dos lancis e passeios. Foram ainda realizados arranjos urbanísticos junto aos dois postos
de combustíveis, colocadas passadeiras e melhorada a sinalética. «Foi uma obra que durou algum
tempo, causámos alguns transtornos aos trancosenses durante este ano, mas acho que as pessoas
compreenderam e hoje a estrada tem um aspeto completamente diferente», considera o presidente do
município, adiantando que os trabalhos custaram cerca de 500 mil euros.

Posto de turismo renovado

Trancoso quer ser referência na prática desportiva e apostou na requalificação do estádio muni-
cipal com a melhoria da bancada, dos balneários, dos muros e dos portões. A empreitada decorreu
no âmbito do programa BEM, que contribuiu com 180 mil dos cerca de 300 mil euros aplicados
nesta intervenção. A autarquia aproveitou também a intervenção para instalar uma pista de atletismo
O posto de turismo vai surgir renovado a 14 de agosto após obras de beneficiação que represen- devidamente homologada pela Federação Portuguesa de Atletismo e com as medidas oficiais para
taram um investimento da ordem de 60 mil euros, apoiado pela associação das Aldeias Históricas de poder receber provas oficiais. Atualmente, o estádio Dr. Fernando Lopes está concessionado ao
Portugal. O objetivo é dignificar e melhorar o local de acolhimento dos turistas que chegam a Trancoso. Grupo Desportivo de Trancoso.
6 Especial Trancoso

Trancoso, um cenário de História Moreira de


Rei tem maior
necrópole de
AR

sepulturas
antropomórficas
da Península
Ibérica DR

A aldeia de Moreira de Rei (Trancoso) tem


a maior necrópole de sepulturas antropomórfi-
cas da Península Ibérica, estando a decorrer
escavações arqueológicas após a descoberta
Foi cenário de casamentos reais, berço de po- de cerca de 550 em redor da Igreja de Santa
etas e trovadores, mas também campo de batalhas Marinha.
decisivas para Portugal. Por Trancoso passaram, Os trabalhos estão a ser realizados por
ao longo dos séculos, alguns dos episódios mais um grupo de arqueólogos, que descobriram
marcantes da nossa História, concedendo-lhe um sepulturas de adultos e de crianças escavadas
papel determinante nos decisivos momentos da na rocha em redor daquele templo datado do
portugalidade. século XII e classificado como Monumento
O destino de uma nação jogou-se aqui por Nacional desde 1932. Segundo Maria do Céu
diversas vezes nesta terra de mitos e heróis, que é Ferreira, arqueóloga da autarquia, este «grande
hoje o espelho da nossa história. As primeiras refe- cemitério medieval» datará entre os séculos VIII-
rências documentadas sobre Trancoso aparecem IX e XII-XIII. A responsável admite que «ainda
no séc. X, a propósito do testamento de D. Flâmula apareçam mais» sepulturas. O seu elevado
(ou D. Chama), filha do Conde D. Rodrigo, com a número surpreendeu os arqueólogos, bem
doação do castelo e dos bens que aqui detinha. como o facto de ainda existirem no local muitos
Mas o seu passado é um verdadeiro repositório de vestígios de ossadas humanas. As escavações
acontecimentos. junto à Igreja de Santa Marinha foram iniciadas
Terra de fronteira, Trancoso iniciou o seu capítulo em agosto de 2018 e envolveram inicialmente
na história com os árabes que, em 811, conquistam A importância de D. Dinis e levou à debandada dos castelhanos, deixados “a quatro arqueólogos e uma antropóloga.
toda a região para a perderem no ano seguinte na pão e laranjas”. Um feito memorável e precursor da «Temos neste momento cerca de 15 arque-
batalha de Vale de Mouro para os cristãos. Estava O rei dá-lhe finalmente foral e determina o seu grande vitória de Aljubarrota. ólogos a trabalhar no local fruto de protocolos
traçado o fado da pequena urbe nos anos seguintes, repovoamento. O objetivo é mais tarde confirmado, Em Trancoso nasceu o “profeta-sapateiro”, Gon- com as Universidades de Coimbra e Nova de
sendo conquistada, perdida e reconquistada aos em 1217, por D. Afonso II, que concede muitos çalo Anes Bandarra, presumindo-se nos inícios do Lisboa. São trabalhos muito demorados e tenho
mouros. Fernando Magno, rei de Leão e Castela, e novos privilégios para os moradores, o mesmo séc. XVI ou mesmo em 1500. Dez anos mais tarde o pedido alguma paciência aos habitantes de Mo-
tomou Trancoso em 1033, que passou anos mais fazendo D. João I, por carta dada em Évora no ano burgo e as suas gentes são alvo de novo foral, onde reira de Rei porque é uma mais-valia que vamos
tarde, e sem explicações, para o feudo de Afonso VI de 1391. Mas a tranquilidade do burgo voltou a ser D. Manuel I concedeu maior autonomia potenciando ter em termos de turismo por complementar o
de Leão. Fernando Magno é não só o primeiro povo- interrompida no reinado de D. Sancho I, quando um a sua expansão económica e a prosperidade dos património de Trancoso», afirma o presidente
ador, mas também o reconstrutor da fortaleza, que poderoso exército leonês entrou pela Beira arrasan- habitantes. No século XVI, a praça de Trancoso era da autarquia, Amílcar Salvador. A intervenção
em 1065 passou a integrar o reino da Galiza, então do tudo à sua passagem entre Almeida e Pinhel. O uma das mais importantes do país, sendo a sua feira é da responsabilidade do município, no âmbito
governada por D. Garcia. Mais de 30 anos depois, avanço só foi travado pela resistência das praças de a mais concorrida e movimentada das Beiras. Um do projeto de requalificação do largo e da igreja,
Trancoso volta a passar de mãos ao ser entregue a Trancoso, Celorico da Beira, Linhares, Algodres e desenvolvimento que fica a dever-se à importante num investimento de 140 mil euros. O plano
D. Henrique como dote de D. Teresa. À morte deste, Guarda, culminando na batalha de Ervas Tenras. É e influente comunidade judaica, que persistiu até ao prevê o arranjo e a valorização deste património,
a sua esposa entregou a vila a Fernão Mendes, de D. Dinis quem tem lugar de destaque na história de século XVII, período de marasmo. bem como a criação de um centro de interpre-
Bragança e cunhado de D. Afonso Henriques. Os Trancoso, pois é a este monarca que fica a dever-se Durante as invasões francesas, entre 1807 e tação da necrópole no interior do monumento.
mouros regressaram em 1139, primeiro com Abul a construção das muralhas, a fundação da feira fran- 1813, a vila foi poupada e imediatamente ocupada
Hassan, rei de Badajoz, e depois com o exército ca de São Bartolomeu, a concessão de privilégios pelos aliados perante o receio de uma segunda
de Omar, que cercou a fortaleza e a conquistou especiais à povoação, que foi integrada no dote da invasão. Em março de 1808 pelo menos 19 casas
arrasando as suas muralhas. E foi este cenário de rainha D. Isabel de Aragão, com quem casou nesta albergaram as tropas e no ano seguinte o general
destruição completa que recebeu D. Afonso Henri- vila a 24 de junho de 1282. É o mesmo monarca Beresford estabeleceu em Trancoso o seu quartel-
ques, que resgatou Trancoso aos árabes. É o primeiro que, em 1306, institui uma feira mensal em Trancoso general no coração da vila, num edifício que ainda
encontro com a história portuguesa, uma vez que só que, com o decorrer do tempo, terá evoluído para o se conserva e faz esquina com a atual Rua Xavier
depois desta vitória é que o grande guerreiro usou, mercado semanal. Mais tarde a vila tomou o partido da Cunha e o Largo Dr. Eduardo Cabral. O exército
pela primeira vez, o título de Rei de Portugal. Nada do Mestre de Avis na crise de 1383-85, acabando por do general Ney entrou na vila a 16 de setembro,
que intimidasse os árabes, que regressam vinte anos ter de defrontar os castelhanos, derrotados, apesar encontrando-a quase deserta e sem víveres. Em
mais tarde e tomam a vila. Mas D. Afonso Henriques da superioridade em armas e homens, na célebre contrapartida, o general Wellesley chegou a Tran-
volta a derrotá-los em 1160, data que marca a doação batalha de S. Marcos, a 29 de maio de 1385. Foi coso no dia 19 de janeiro de 1810, sendo recebido
de Trancoso à Ordem dos Templários. uma das mais importantes da Guerra da Sucessão entusiasticamente.
AR
Especial Trancoso 7

Dois fins de semana de mercado para compensar


cancelamento da Feira de São Bartolomeu DR
A Feira de São Bartolomeu não se realiza este
ano devido à pandemia da Covid-19 e em alter-
nativa o município de Trancoso decidiu organizar
dois fins de semana de mercados.
O objetivo é contribuir para dinamizar a econo-
mia local entre esta sexta-feira e domingo e depois
de 14 a 15 de agosto. O ponto de partida é o mer-
cado das sextas-feiras e replicar a sua dinâmica e
atratividade por mais dois dias. Além da centena
de feirantes e vendedores que marcam presença
semanalmente na “cidade de Bandarra”, esta ini-
ciativa inédita e excecional contará também com
uma área dedicada à maquinaria agrícola em que
estarão representados oito stands das principais
marcas representadas no distrito da Guarda. No
campo da feira haverá também um setor reservado
aos stands de automóveis, estando inscritos cinco
concessionários e empresas de usados. Tal como no
mercado semanal, os feirantes estão isentos o paga-
mento das taxas cobradas nestes seis dias de feira.
Segundo Amílcar Salvador, o regresso fase-
ado do mercado às sextas-feiras tem sido uma
atividade «muito importante para a economia
de Trancoso» e foi «para os agentes locais». O
autarca recorda que é «dos maiores da região,
é extremamente importante para dinamizar a
economia e por isso acreditamos que, alargando
a sua duração numa época em que temos muitos
emigrantes na região, se vai gerar mais retorno e
será uma alavanca para o comércio local». O pre-
sidente trancosense acrescenta que o espaço onde Amílcar Salvador justifica que só se avançou para mercados têm estado a correr bem, não tem havido pela Direção-Geral da Saúde. Aliás, desde 12 de
se realiza é «excelente e permite que as pessoas este formato depois de reunir com a delegada de contaminação nem outros problemas porque vende- abril que não registámos mais nenhum caso de
possam cumprir algum distanciamento». De resto, saúde, a GNR e a proteção civil: «Concluímos que os dores e clientes estão a cumprir as regras emanadas Covid-19 no concelho», afirma o edil.

Isenções de taxas e Escriturados primeiros lotes da Área


tarifas prolongadas
até setembro de Acolhimento Empresarial DR
A Câmara de Trancoso prolongou até setem-
bro grande parte das 15 medidas de apoio às fa-
mílias, empresas e instituições do concelho para
minimizar os efeitos da pandemia da Covid-19.
A decisão diz respeito à manutenção das
isenções de taxas aos feirantes e vendedores
do mercado semanal e da praça municipal, bem
como do pagamento das rendas comerciais dos
imóveis que são propriedade do município (cujos
contratos tenham sido celebrados há menos de
cinco anos). Em vigor continua igualmente a
isenção das tarifas de resíduos sólidos na fatura
da água para todos os munícipes, enquanto
os estabelecimentos da restauração e bebidas
estão dispensados do pagamento das taxas de
ocupação da via pública com esplanadas até
ao final do ano. A continuidade destes apoios
destina-se a «minorar o impacto da pandemia»,
sendo que o município forneceu, em média, 30
refeições por dia a famílias carenciadas entre
março e junho. «São agregados referenciados
pelos nossos serviços de Ação Social que conti-
nuamos a acompanhar e retomaremos este apoio
em setembro», disse Amílcar Salvador.
O autarca de Trancoso recorda que em abril
o município atribuiu um apoio financeiro de 50
mil euros às IPSS do concelho para aquisição
de equipamentos de proteção individual e de
desinfeção e de 45 mil euros aos bombeiros de
Trancoso e Vila Franca das Naves. Nessa altura A Câmara de Trancoso já celebrou as escri- O preço do metro quadrado é de dois euros. as da indústria, armazenagem e logística, bem
a autarquia procedeu ainda ao pagamento de turas dos contratos promessa de compra e venda Com um total de 50 mil metros quadrados, a como de comércio e serviços. Os espaços têm
900 mil euros aos fornecedores para «ajudar na dos três primeiros lotes da Área de Acolhimento Área de Acolhimento Empresarial fica no lugar áreas entre os 1.200 e 3.000 metros quadrados.
liquidez da tesouraria» das empresas. «Além Empresarial, inaugurada em fevereiro. do Crujeiro, junto à estrada municipal que liga Já os critérios de ponderação que vão graduar
desse valor, estamos a pagar as empreitadas «Tem havido uma procura muito significativa Trancoso a Fiães. O projeto resulta de um in- as candidaturas são, por esta ordem, a criação
concluídas no prazo máximo de 30 dias. É o caso por parte dos empresários e está a decorrer vestimento de 845 mil euros, comparticipados líquida de postos de trabalho, o volume do in-
das seis obras que vamos inaugurar no dia 14, um segundo aviso até 31 de agosto», refere em 710 mil euros pelo Programa Operacional vestimento e a atividade económica a instalar. O
que estão quase todas pagas. São mais de 1,2 o presidente do município, adiantando que a Regional do Centro – Centro 2020. De acordo parque empresarial está totalmente coberto com
milhões de euros que injetamos na economia nova zona industrial tem disponíveis mais 12 com o Regulamento para a Atribuição de Lotes fibra ótica de última geração, num investimento
local», sublinha Amílcar Salvador. lotes de terreno devidamente infraestruturados. em vigor, podem concorrer empresários das áre- da Altice Portugal.
8 Especial Trancoso

Cinco roteiros para descobrir


o património de Trancoso

Trancoso disponibiliza cinco rotas e circuitos garante Amílcar Salvador. Para o presidente da Militar da Batalha de Trancoso” e liga a cidade ao de Moreira de Rei. Para concretizar os “Caminhos
culturais que divulgam o seu património monu- autarquia, esta iniciativa é «um desafio aos visitan- planalto de São Marcos, onde, a 29 de maio de Históricos de Trancoso”, o município recupe-
mental e natural, numa iniciativa que se destina a tes para que vivenciem e descubram os recantos, 1385, ocorreu a célebre batalha, precursora de rou, com o apoio da Raia Histórica, diversos
aumentar a oferta turística do concelho. a monumentalidade, a paisagem, a hospitalidade Aljubarrota, em que os portugueses infligiram uma elementos patrimoniais do período medieval,
Designados por “Caminhos Históricos de Tran- das nossas gentes, mas também a gastronomia pesada derrota ao exército castelhano. O quarto localizados no exterior da cerca amuralhada.
coso”, os circuitos estão integrados no programa trancosense». intitula-se “Legado Medieval Extra-Muros” e dá a Foram ainda elaborados desdobráveis com a
das Aldeias Históricas de Portugal e consistem O primeiro circuito, denominado “Perímetro conhecer aos visitantes, entre outros monumentos, informação necessária e que todos os monu-
num percurso pedestre e quatro culturais para os Amuralhado”, envolve todos os monumentos situ- as capelas de Santa Luzia e de Nossa Senhora da mentos da cidade estão agora sinalizados e a
quais foi criada uma imagem e sinalética próprias, ados no interior das muralhas da “cidade de Ban- Festa, as portas D´El Rei, necrópoles, a estátua ostentar placas «com uma descrição relativa a
comum a todas as Aldeias Históricas. «É a ação darra”. O segundo, com a designação de “Campo de João Tição e um caminho medieval. cada um». A autarquia investiu cerca de 50 mil
mais relevante realizada na última década em da Feira”, abrange a zona das capelas de São O quinto e último circuito chama-se “Guardiões euros na sua execução, tendo registado um
termos de promoção e de divulgação porque todos Bartolomeu, Santa Eufémia e do antigo Convento do Planalto” e é um percurso pedestre com cerca financiamento de 85 por cento do programa das
os monumentos passam a estar sinalizados», dos Frades. O terceiro roteiro chama-se “Campo de 21 quilómetros entre Trancoso e a localidade Aldeias Históricas de Portugal.

PUB