Você está na página 1de 48

SIMULADO ENEM 2020 - VOLUME 2 - PROVA I

01 - 16 - 31 -
LINGUAGENS, CÓDIGOS
E SUAS TECNOLOGIAS

02 - 17 - 32 -
03 - 18 - 33 -
04 - 19 - 34 -
05 - 20 - 35 -
06 - 21 - 36 -
07 - 22 - 37 -
08 - 23 - 38 -
09 - 24 - 39 -
10 - 25 - 40 -
11 - 26 - 41 -
12 - 27 - 42 -
13 - 28 - 43 -
14 - 29 - 44 -
15 - 30 - 45 -
E SUAS TECNOLOGIAS
CIÊNCIAS HUMANAS

46 - 61 - 76 -
47 - 62 - 77 -
48 - 63 - 78 -
49 - 64 - 79 -
50 - 65 - 80 -
51 - 66 - 81 -
52 - 67 - 82 -
53 - 68 - 83 -
54 - 69 - 84 -
55 - 70 - 85 -
56 - 71 - 86 -
57 - 72 - 87 -
58 - 73 - 88 -
59 - 74 - 89 -
60 - 75 - 90 -
LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
Questões de 01 a 45

Questões de 01 a 05 (opção inglês)

QUESTÃO 01 ZLSJ

As tirinhas da série Itchy Feet retratam, de forma cômica, situações vivenciadas por viajantes. Na tirinha anterior, o autor
busca satirizar o(a)
A. comportamento de turistas provenientes de nações desenvolvidas, os quais tendem a considerar exóticos os hábitos
culturais de outros países.
B. desinteresse de alguns viajantes pelas práticas religiosas dos países que visitam, optando por ignorar seus templos
e outros locais de adoração.
C. displicência típica de alguns turistas com seus objetos de valor, os quais são deixados sem supervisão, mesmo em
países onde roubos são comuns.
D. substituição paulatina das câmeras digitais, antes muito comuns entre viajantes, por celulares com câmera, que são
menores e mais fáceis de carregar.
E. diminuição gradual do entusiasmo de turistas que começam suas viagens registrando todos os detalhes, mas,
eventualmente, perdem o interesse.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 1


Alternativa E A publicidade tem como objetivo não só divulgar empresas,
produtos ou serviços, mas também persuadir o público a aderir
Resolução:
a uma ideia ou comportamento. Nessa campanha, o leitor
A) Não existem elementos textuais que indicam que o autor é incentivado a
da tirinha tenha o objetivo de satirizar o comportamento de
A. dirigir conforme os limites de velocidade permitidos.
turistas provenientes de nações desenvolvidas. De fato,
B. telefonar para os parentes em caso de defeitos no veículo.
a personagem com a câmera mostra-se entusiasmada
no primeiro quadrinho, fotografando tudo, o que sugere C. respeitar a proibição do uso de telefone celular ao volante.
um certo encantamento com o novo e o exótico. Contudo, D. utilizar o serviço de motorista do estabelecimento.
isso, por si só, não é suficiente para sustentar a afirmação E. evitar a combinação de bebida alcoólica e direção.
contida no item. Alternativa E
B) No segundo quadrinho, a personagem com a câmera Resolução:
recusa a sugestão de fotografar um templo. Contudo,
A) A expressão “go beyond your limit” não tem a ver com
a justificava dada por ela não é falta de interesse pelas limite de velocidade, mas sim com a quantidade de álcool
práticas religiosas locais, mas sim o fato de já ter ingerida. Não há, portanto, nenhum elemento textual que
fotografado outros quinhentos templos idênticos, o que sustente a afirmativa da alternativa A.
faz com que aquele já não seja mais tão especial: “Well, B) A publicidade convoca o leitor a ligar para casa em caso
I’ve already got about 500 photos of other magnificent de embriaguez, e não em caso de defeito no veículo. Logo,
temples just like it”. Portanto, a alternativa está incorreta. a alternativa está incorreta.
C) Não existe nenhuma referência no texto à necessidade
C) No terceiro quadrinho, a personagem da direita afirma
de se respeitar a proibição ao uso de celular ao volante.
não saber onde está sua câmera. Isso, contudo, não é A expressão “Phone home” significa “Ligue para casa” e
um indicador de que ele seja displicente, mas sim de que não tem nenhuma relação com a afirmação contida na
ele perdeu o interesse em tirar fotos. Por conseguinte, alternativa. Portanto, a alternativa está incorreta.
não é correto dizer que o autor busca satirizar, com a D) Não existe, nessa publicidade, a oferta de qualquer tipo
de serviço de motorista. O que se sugere é que pessoas
tirinha, a displicência típica de alguns turistas com seus que tenham bebido demais liguem para casa em vez de
objetos de valor. voltar dirigindo. Portanto, a alternativa está incorreta.
D) O fato de que uma das personagens está com uma E) A alternativa está correta: a frase “If you go beyond your
câmera nos dois primeiros quadrinhos, mas não no limit, please don’t drive” pode ser traduzida como: “Se
passar do limite, por favor, não dirija”. Trata-se, portanto,
terceiro, não indica uma substituição paulatina dessa de um pedido para que o leitor evite combinar álcool e
ferramenta por celulares, muito menos uma sátira autoral direção, conforme propõe a alternativa E.
desse fenômeno. Isso apenas ilustra a perda gradual do
QUESTÃO 03 4JGC
entusiasmo da personagem. Portanto, a alternativa está
incorreta. Success is counted sweetest
Success is counted sweetest
E) No primeiro quadrinho, a personagem com a câmera
By those who never succeed.
deseja fotografar tudo, desde a grama até o banco local.
To comprehend a nectar
No segundo, ela já se mostra menos animada, recusando-se
Requires sorest need.
a fotografar um templo. Por fim, no terceiro quadrinho,
a personagem está com a câmera guardada, indicando Not one of all the purple Host
que não deseja fotografar nada. Portanto, o que o autor Who took the Flag today
satiriza é justamente a diminuição gradual do entusiasmo Can tell the definition
de alguns turistas. Logo, a alternativa E é a correta. So clear of Victory

QUESTÃO 02 MH74
As he defeated – dying –
On whose forbidden ear
The distant strains of triumph
Burst agonized and clear!
DICKINSON, E. Disponível em: <http://www.poetryfoundation.org>.
Acesso em: 18 mar. 2016.

Emily Elizabeth Dickinson foi uma poetisa americana cujos


poemas aparentam simplicidade, mas, na verdade, descrevem
complicadas verdades psicológicas. No poema “Success is
counted sweetest”, a autora afirma que as pessoas tendem a
A. comemorar o sucesso alheio com mais entusiasmo.
B. buscar o sentido da vida nos momentos de dificuldade.
C. reclamar dos percalços que encontram em seu caminho.
D. desejar de forma mais aguda aquilo que nunca possuíram.
Disponível em: <http://moviefone.tumblr.com/>.
Acesso em: 16 abr. 2015.
E. vangloriar-se de seus triunfos e envergonhar-se de seus
fracassos.

LCT – PROVA I – PÁGINA 2 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


Alternativa D Alternativa B
Resolução: Para determinar a resposta à questão, podemos Resolução:
nos basear nos dois primeiros versos do poema: “Success
A) Não existe nenhuma evidência textual que nos permita
is counted sweetest / By those who never succeed”
(O sucesso é considerado mais doce / por aqueles que nunca afirmar que a crítica feita por Adichie seja direcionada
foram bem-sucedidos), isto é, as pessoas valorizam mais apenas à cultura nigeriana. Antes, trata-se de uma
aquilo que nunca possuíram. Com base nisso, é possível denúncia da condição da mulher no mundo. Portanto,
determinar que a alternativa correta é a D. a alternativa está incorreta.
A alternativa A está incorreta porque não se fala exatamente B) Esta alternativa está correta. Em todo o excerto, a autora
de comemorar o sucesso alheio, mas sim de saber dar a ele
compara exigências que são impostas às mulheres, mas não
o devido valor, justamente por não o possuir.
aos homens. Trechos que comprovam isso são: “But why do
As alternativas B e C, por sua vez, não encontram respaldo
we teach girls to aspire to marriage, but we don’t teach boys
no texto. Em nenhuma passagem do poema se faz qualquer
referência à busca pelo sentido da vida ou às reclamações to do the same?” e “Our society teaches a woman at a certain
que as pessoas fazem contra os percalços em seu caminho. age who is unmarried to see it as a deep personal failure.
Logo, os itens estão incorretos. While a man at a certain age who is unmarried has not quite
Por fim, a alternativa E está incorreta porque distorce aquilo come around to making his pick”.
que diz o texto. No poema, o eu lírico afirma que ninguém C) A autora não faz nenhuma menção à imposição do
que faça parte de um exército (“Host”) vitorioso poderá
casamento a meninas menores de idade. O que ela de
dar uma definição tão clara da vitória quanto quem por ele
foi derrotado. Portanto, não se trata de vangloriar-se dos fato crítica é o fato de a sociedade impor o casamento
próprios triunfos e envergonhar-se dos fracassos, mas sim como uma meta de vida para as mulheres, mas não para
de dar valor àquilo que não se tem, mas que se deseja. os homens, conforme se lê em: “But why do we teach
girls to aspire to marriage, but we don’t teach boys to do
QUESTÃO 04 CØ8X
the same?”.
We teach girls to shrink themselves, to make
D) A crítica de Adichie não é exatamente contra o
themselves smaller.
espírito competitivo feminino, mas sim ao fato de que
We say to girls: You can have ambition, but not too much.
a sociedade direciona esse espírito à competição
You should aim to be successful but not too successful,
otherwise you will threaten the man. If you are the breadwinner por homens. A autora chega até mesmo a dizer que
in your relationship with a man, pretend that you are not, seria bom se ensinássemos as garotas a competirem
especially in public, otherwise you will emasculate him. entre si por empregos ou outros feitos do tipo:
[…] Because I am female, I’m expected to aspire to “We raise girls to see each other as competitors –
marriage. I am expected to make my life choices always not for jobs or accomplishments, which in my opinion can
keeping in mind that marriage is the most important. Marriage be a good thing [...]”. Portanto, a alternativa está incorreta.
can be a good thing, a source of joy, love, and mutual support.
E) Dado que o discurso da autora argumenta pela equidade
But why do we teach girls to aspire to marriage, but we don’t
teach boys to do the same? entre homens e mulheres, pode-se dizer que ele é,
[…] Our society teaches a woman at a certain age who indiretamente, favorável ao direito da mulher de trabalhar
is unmarried to see it as a deep personal failure. While a man fora e de ser a provedora do lar. Contudo, a escritora
at a certain age who is unmarried has not quite come around não defende esse direito diretamente. O que ela faz é
to making his pick. afirmar que a sociedade espera que uma mulher que
[…] We raise girls to see each other as competitors – not sustenta o seu lar não declare isso em público, para
for jobs or accomplishments, which in my opinion can be a não afligir a masculinidade de seu marido: “If you are
good thing – but for the attention of men. the breadwinner in your relationship with a man, pretend
ADICHIE, C. N. We should all be feminists. Nova Iorque: that you are not, especially in public, otherwise you will
Vintage Books, 2014. [Fragmento]
emasculate him”.
Chimamanda Ngozi Adichie é uma escritora nigeriana que
explora, em suas obras, temas como feminismo, racismo, QUESTÃO 05 5BJO
intolerância, religião e política, entre vários outros. Nesse
excerto de seu discurso, a autora Formation
A. condena alguns hábitos culturais de seu país de origem My daddy Alabama
com os quais não concorda. My mama Louisiana
B. denuncia o modo díspar com que são tratados homens You mix that negro with that Creole, make a Texas-bama
e mulheres na sociedade.
C. declara sua oposição à imposição do casamento a I like my baby hair with baby hair and afros
meninas menores de idade. I like my negro nose with Jackson 5 nostrils
D. critica o espírito competitivo que as mulheres nutrem I earned all this money but they never take the country out me
umas contra as outras.
I got hot sauce in my bag… swag
E. defende o direito da mulher de trabalhar fora e de ser Disponível em: <http://www.beyonce.com/track/>.
a provedora do lar. Acesso em: 20 out. 2016. [Fragmento]

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 3


A música “Formation” foi lançada pela cantora Beyoncé no ano
de 2016. Por meio do uso de termos e expressões como Creole,
afros, negro nose e hot sauce, além da referência aos estados
do Alabama e da Luisiana, a artista busca, nessa canção,
A. refrear o ódio racial nos Estados Unidos.
B. enaltecer as suas raízes afro-americanas.
C. revisitar a história dos negros em seu país.
D. mostrar a diversidade étnica estadunidense.
E. reproduzir o discurso racista do qual foi vítima.
Alternativa B
Resolução:
A) Os termos destacados no enunciado não evidenciam uma
busca por refrear o embate racial nos EUA. Na verdade,
a artista apropriou-se de palavras com forte carga racial
como forma de subverter o discurso racista. Portanto, a
alternativa está incorreta.
B) A alternativa está correta. Na primeira estrofe do excerto,
a busca da autora por evidenciar suas origens negras fica
clara por meio dos substantivos daddy (papai) e mama
(mamãe); da referência ao Alabama e à Luisiana, que
são estados americanos majoritariamente compostos por
negros; e das palavras negro e Creole (“crioulo”, termo
usado para descrever os descendentes de colonos e
escravos da Luisiana francófona). Na segunda estrofe, a
autora ainda deixa claro o orgulho que tem dessas raízes:
“I like my baby [...] with [...] afros / I like my negro nose [...]
/ [...] they never take the country out me”.
C) Embora a cantora celebre suas raízes afro-americanas,
não existem elementos textuais que sustentam a
afirmação de que ela busca revisitar a história dos negros
nos EUA. Trata-se de uma celebração dos traços físicos
e da cultura, mas não necessariamente da história. Logo,
a alternativa está incorreta.
D) Beyoncé não menciona nenhuma outra etnia em sua
música senão a negra. Portanto, não é possível afirmar
que ela esteja mostrando a diversidade étnica de seu país.
A alternativa está, assim, incorreta.
E) A artista de fato reproduz algumas palavras que, quando
utilizadas por não negros, podem ser ofensivas. Contudo,
o que é necessário fazer é determinar com qual objetivo ela
utiliza os termos destacados no enunciado. O objetivo não é
reproduzir o discurso racista por si só, mas sim subvertê-lo,
e, com isso, celebrar sua cultura e sua raça. Logo,
a alternativa está incorreta.

LCT – PROVA I – PÁGINA 4 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
Questões de 01 a 45

Questões de 01 a 05 (opção espanhol)

QUESTÃO 01 H7G1

LINIERS, R. Disponível em: <http://www.porliniers.com>. Acesso em: 27 out. 2016.

A tirinha do argentino Liniers faz uma crítica ao(à)


A. ausência de tempo das pessoas que trabalham muito.
B. uso das redes sociais para reencontrar os amigos distantes.
C. falta de interesse das pessoas em buscar informação nas redes sociais.
D. excesso de tempo que possuem as pessoas que não utilizam as redes sociais.
E. sociedade contemporânea, que prioriza as relações virtuais em detrimento das pessoais.
Alternativa E
Resolução: A alternativa correta é a E, pois a tirinha critica o uso excessivo das redes sociais e o crescente desenvolvimento de
relações virtuais em detrimento de relações reais, não virtuais. Isso pode ser percebido na tirinha por meio do estranhamento do
primeiro personagem diante do amigo que não usa redes sociais. A alternativa A é incorreta porque, com base na tirinha, não se pode
afirmar que o artista julga o excesso de trabalho e a falta de tempo das pessoas. A alternativa B é incorreta porque não há nenhuma
ponderação sobre o uso das redes sociais para reencontrar amigos distantes. As alternativas C e D são incorretas, uma vez que, na
tirinha, há uma crítica ao uso excessivo das redes sociais e ao tempo desperdiçado nelas.

QUESTÃO 02 BKEZ

Julieta
Película: Julieta
Dirección y guion: Pedro Almodóvar
País: España
Año: 2015
Duración: 95 min
Género: Drama
[…]
Calificación por edades: No recomendada para menores de 12 años
Julieta vive en Madrid con su hija Antía. Las dos sufren en silencio la pérdida de Xoan, padre de Antía y marido de Julieta.
Pero el dolor a veces no une a las personas sino que las separa. Cuando Antía cumple dieciocho años abandona a su madre,
sin una palabra de explicación. Julieta la busca por todos los medios, pero lo único que descubre es lo poco que sabe de su hija.
La película habla de la lucha de la madre para sobrevivir a la incertidumbre. Habla también del destino, del complejo de culpa
y de ese misterio insondable que nos hace abandonar a las personas que amamos, borrándolas de nuestra vida como si
nunca hubieran significado nada, como si no hubieran existido.
Disponível em: <http://www.labutaca.net>. Acesso em: 27 out. 2016 (Adaptação).

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 5


De acordo com a sinopse, o filme do diretor espanhol Pedro C. promover a doação de órgãos diminui os esforços dos
Almodóvar que trabalham em favor da causa.
A. aborda a questão das relações afetivas entre marido e D. assinar um documento oficial garante o consentimento
mulher. de doação de órgãos após a morte.
E. existe um estoque de órgãos como coração, rins,
B. procura mostrar a luta de mães que tiveram seus filhos
fígado e pulmão disponíveis para doação.
desaparecidos.
Alternativa D
C. classifica-se como uma comédia, gênero bastante
explorado pelo diretor. Resolução: A alternativa correta é a D, pois o texto-base
D. é recomendada para crianças e adolescentes por informa que é necessário assinar um documento oficial para
possuir classificação livre. consentir com a doação de órgãos e tecidos após a morte.
E. trata do complexo de culpa e da obscuridade em torno A alternativa A é incorreta, pois há mais de 20 mil pessoas na
do abandono de entes queridos. fila por transplantes em geral, sendo o mais solicitado o de rim.
A alternativa B é incorreta porque a OMS (Organização Mundial
Alternativa E
da Saúde) estabeleceu uma data comemorativa do Dia Mundial
Resolução: A alternativa correta é a E. Um dos aspectos do Doador de Órgãos e Tecidos, mas as doações podem ser
abordados pelo filme é o complexo de culpa diante do feitas a qualquer momento. A alternativa C é incorreta porque o
abandono das pessoas que amamos, como é possível texto afirma que promover a doação de órgãos soma esforços
verificar nas últimas linhas do texto-base. A alternativa A é aos que trabalham por essa causa. A alternativa E é incorreta
incorreta porque o filme não aborda as relações conjugais, porque há mais de 20 mil pessoas aguardando na fila de
mas sim a relação entre mãe e filha. A alternativa B é transplante, o que torna incoerente a afirmação de que há um
incorreta porque a filha de Julieta não está desaparecida, banco com órgãos disponíveis para doação.
e sim fugiu de casa. A alternativa C é incorreta porque,
segundo o texto, o gênero do filme é drama, não comédia. QUESTÃO 04 BWB9

A alternativa D é incorreta porque o filme não é recomendado Novelas al dictado


para menores de 12 anos. Álvaro Pombo ni escribe a mano ni aporrea un teclado. Él
dicta. “Dicto todo lo que se me va ocurriendo y eso forma un bloque.
QUESTÃO 03 1T4B
Lo leo, lo corrijo, lo vuelvo a leer, me lo leen. Es un mundo
Riñon, el órgano que más esperan los mexicanos para de la viva voz. Yo cuento las cosas. Para una novela
trasplante habitualmente dicto 300 páginas y después de esas se
quitan 50 o las que sean. La gracia es quitar. Y el ordenador
En el marco del Día Mundial del Donador de Órganos y es más cómodo para quitar y poner. Los calcos ya son
Tejidos, la Secretaría de Salud dio a conocer que en México historia”. Siempre trabaja por las tardes. El autor de Contra
hay más de 20 mil personas en espera de recibir un trasplante natura o Donde las mujeres se levanta temprano. Emplea
y el riñon es el más solicitado. las mañanas en leer. “Leo los periódicos con gran atención
Esta conmemoración fue establecida por la Organización y preparo un poco lo que voy a hacer por la tarde”. A
Mundial de la Salud (OMS) en Ginebra, Suiza, y tiene como mediodía se da un paseo. “La artrosis me ha martirizado y
objetivo difundir y promover la donación de órganos y tejidos me ha inmovilizado mucho. Yo antes podía andar y andar.
para trasplantes, y sumar los esfuerzos de quienes trabajan Ahora, que soy más lento y cojitranco, me siento más”. Está
en el mundo a favor de esta causa. escribiendo un libro de poemas al que llama El barrio. “Yo
soy muy de barrio, de este barrio (Argüelles). Se ha vuelto
Detalla que el Centro Nacional de Trasplantes y la Ley totalmente mestizo, se ha llenado de tailandeses y negros.
General de Salud ofrecen como alternativa para donar la Es estupendo”.
firma de un documento oficial de la donación donde se
Disponível em: <http://www.elmundo.es/>. Acesso em: 18 nov. 2015.
manifiesta el consentimiento de las personas cuya voluntad,
después de la vida, es ceder sus órganos o tejidos para que Para o espanhol Álvaro Pombo, em seu ofício de escritor, o
sean utilizados con fines terapéuticos. que mais lhe agrada é
[...] A. andar à tarde pelas ruas do bairro onde mora.
Agrega que los órganos que pueden ser trasplantados B. retirar trechos dos romances ditados por ele.
son el corazón, riñones, hígado, páncreas y pulmón, mientras C. conviver com os mestiços do bairro onde vive.
que entre los tejidos están la médula ósea, córneas, piel, D. ler atenciosamente os jornais pelas manhãs.
hueso, válvulas cardíacas, cartílago, tendones, arterias y E. ditar as histórias para escrever um romance.
venas.
Alternativa B
Disponível em: <http://www.eluniversal.com.mx>. Acesso em: 27 out.
2016. [Fragmento] Resolução: A alternativa correta é a B, como podemos
A respeito da doação de órgãos no México, a notícia informa verificar no trecho “La gracia es quitar”, no qual o autor
que afirma que sua parte favorita ao escrever um romance é
A. há mais de 20 mil pessoas na fila por um transplante retirar partes dele. As afirmações das demais alternativas
de rim nesse país. dizem respeito às atividades realizadas pelo escritor, porém
B. há uma data exclusiva, estabelecida pela OMS, para a que mais lhe agrada, segundo ele mesmo, é a citada na
realizar as doações de órgãos. alternativa B.

LCT – PROVA I – PÁGINA 6 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


QUESTÃO 05 6WI1

Qué es Ni Una Menos


Ni Una Menos es un grito colectivo contra la violencia
machista. Surgió de la necesidad de decir “basta de
femicidios”, porque en Argentina cada 30 horas asesinan a
una mujer solo por ser mujer. La convocatoria nació de un
grupo de periodistas, activistas, artistas, pero creció cuando
la sociedad la hizo suya y la convirtió en una campaña
colectiva. A Ni Una Menos se sumaron a miles de personas,
cientos de organizaciones en todo el país, escuelas,
militantes de todos los partidos políticos. Porque el pedido
es urgente y el cambio es posible, Ni Una Menos se instaló
en la agenda pública y política.
El 03 de junio de 2015, en la Plaza del Congreso, en
Buenos Aires y en cientos de plazas de toda Argentina una
multitud de voces, identidades y banderas demostraron que
Ni Una Menos no es el fin de nada sino el comienzo de un
camino nuevo. Sumate.
Disponível em: <http://niunamenos.com.ar>. Acesso em: 27 out. 2016.
O texto informativo apresenta o movimento feminista Ni Una
Menos. De acordo com o texto,
A. o coletivo foi um reflexo de manifestações ocorridas na
América Latina.
B. a campanha representa um grito coletivo contra a
violência de gênero.
C. a convocatória nasceu da iniciativa de políticos do
congresso argentino.
D. as mulheres possuem direitos semelhantes aos dos
homens na Argentina.
E. os crimes contra a mulher ocorrem com pouca
frequência no país rio-platense.
Alternativa B
Resolução: A alternativa correta é a B, como pode ser
confirmado na primeira linha do texto: “Ni Una Menos es un
grito colectivo contra la violencia machista.” As alternativas
A e C são incorretas, pois o movimento surgiu de um grupo
de jornalistas, ativistas e artistas em combate à violência de
gênero na Argentina, conquistando grande adesão social.
A alternativa D é incorreta porque o texto-base não discorre
explicitamente sobre os direitos de homens e de mulheres
na Argentina, tendo seu foco direcionado à apresentação do
movimento Ni Una Menos. Por fim, a alternativa E é incorreta,
porque, no texto, afirma-se que o movimento surgiu diante da
necessidade urgente de combate ao feminicídio na Argentina,
país onde, a cada 30 horas, uma mulher é assassinada por
motivos machistas.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 7


QUESTÃO 06 884Y D.

Disponível em: <https://revistavelha.wordpress.com/>.


Acesso em: 06 dez. 2016.

E.

Disponível em: <http://creativelife.cz/>. Acesso em: 16 dez. 2016


(Adaptação).

É comum, em publicidades ou propagandas, o uso de recursos


verbo-visuais para gerar reflexão ou humor. A figura de
linguagem identificada no anúncio anterior também é vista em:

A.
Disponível em: <http://antesqueanaturezamorra.blogspot.com.br/>.
Acesso em: 31 out. 2016.

Alternativa E
Resolução: No texto-base, a figura de linguagem empregada
é a metáfora, já que um peixe, animal conhecido por seu mau
cheiro, toma o lugar da língua, indicando o mau hálito de
pessoas que não mascam o chiclete anunciado, ou apenas
Disponível em : <http://adsoftheworld.com/>. Acesso em: 14 nov. 2016. que o chiclete resolve essa condição. A resposta correta a
essa questão é a alternativa E, pois a metáfora é a figura
B. de linguagem responsável pela construção de sentido da
propaganda, pois é estabelecida uma comparação implícita,
em que duas árvores representam os pulmões de uma pessoa,
sendo essa simbologia complementada pelos dizeres: “Quer
continuar a respirar? Comece a preservar.” A alternativa A
está incorreta, pois, na propaganda, a figura responsável
pela construção de sentido é a hipérbole, estabelecida por
meio do exagero ao retratar um binóculo com capacidade de
aproximação de imagem tão eficiente a ponto de fazer parecer
Disponível em: <http://image.slidesharecdn.com/>. que o animal visualizado – uma equidna – está preso à lente.
Acesso em: 31 out. 2016. A alternativa B está incorreta porque, na propaganda, a figura
C. responsável pela construção de sentido é a elipse, construída
a partir da supressão da expressão “é surpreendente”, a qual
destaca o fato de o iogurte oferecido não possuir lactose.
A alternativa C está incorreta, pois a figura de linguagem
responsável pela atribuição de sentido na propaganda
é a comparação, pois estabelece-se, de modo explícito
linguisticamente – com o uso dos conectivos “tão / quanto” –,
uma equiparação da bala com as brincadeiras de criança.
A alternativa D está incorreta porque, na propaganda, a figura de
linguagem responsável pela atribuição de sentido é a catacrese,
Disponível em: <http://pt.slideshare.net/>. Acesso em: 31 out. 2016. identificada na expressão “boca da mata”.

LCT – PROVA I – PÁGINA 8 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


QUESTÃO 07 47EX De acordo com o texto, o que tornou possível o surgimento
Roteiros e patrimônios tão incríveis que sua viagem do jazz na cidade de Nova Orleans foi o
também será histórica. A. comportamento tolerante dos ex-colonizadores, que
Disponível em: <https://www.mg.gov.br/>. Acesso em: 07 dez. 2016. permitiam aos escravos expressar sua cultura e credo.
B. pioneirismo cultural dos habitantes, que influenciavam
A palavra “que”, presente no texto publicitário do governo de os hábitos até mesmo dos colonizadores vindos de
Minas Gerais, está a serviço da coesão do texto. As ideias Paris.
que essa conjunção traz combinadas são
C. medo de uma morte prematura por parte dos escravos,
A. adição e comparação. que almejavam ser lembrados por meio da arte.
B. conclusão e explicação. D. número elevado de zonas boêmias, que funcionavam
C. causa e adição. como antro da prostituição, mas também da criação
artística.
D. consequência e causa.
E. Mardi Gras, que oferecia grandes oportunidades aos
E. explicação e adição. artistas locais de mostrar seus trabalhos.
Alternativa D Alternativa A
Resolução: A conjunção “que” usada após “tão” traz Resolução: Logo no início do segundo parágrafo, é afirmado
sentido de consequência. A ideia que se infere do texto, que os antigos colonizadores de Nova Orleans toleravam
portanto, é que a consequência de os roteiros e patrimônios a religião e as manifestações culturais dos escravos.
serem incríveis é a viagem ser histórica. Também pode-se Esse traço sociocultural se manteve, sendo a fagulha para
depreender que o fato de os roteiros e patrimônios serem o desenvolvimento do jazz, originário das comunidades
incríveis é a causa de a viagem ser histórica, como em “Sua afrodescendentes. Portanto, a alternativa correta é a A.
viagem será histórica porque os roteiros e patrimônios são Já a alternativa B está incorreta porque influenciar outras
incríveis”. Nesse caso, a intenção é afirmar que a viagem sociedades culturais não era um objetivo dos artistas, ou
será marcante, entrando para a história. A alternativa correta, mesmo das pessoas que cantavam durante o trabalho ou
dessa forma, é a D. As demais alternativas estão incorretas nas igrejas da cidade, ainda que 100 anos depois isso tenha
porque a conjunção “que” não soma duas ideias equivalentes ocorrido, como mencionado no texto. A alternativa C está
(adição), não estabelece um paralelo (comparação) nem incorreta porque os escravos não tinham medo da morte
aponta o desfecho de um raciocínio (conclusão) ou o prematura ou pretensão de ser lembrados no futuro; seu
esclarece (explicação). canto era parte de rituais religiosos ou funcionava como
forma de distração durante as ostensivas horas de trabalho.
QUESTÃO 08 YB9Z A alternativa D está incorreta porque o texto-base não
menciona manifestações artísticas em zonas licenciosas da
A pátria de trompetes cidade. A alternativa E também está incorreta porque o Mardi
Nova Orleans, no estado americano da Louisiana, era Gras não é citado como o evento em que floresciam talentos
no século XIX o que Paris só viria a ser mais de 100 anos artísticos na cidade, ainda que fosse uma festa bastante
depois: uma festa. [...] tradicional.

Dos antigos colonizadores, Nova Orleans herdara a


QUESTÃO 09 UCAH
tolerância católica a manifestações dos escravos – bem
diferente do resto do país, protestante. Aos domingos, os Como se não bastasse não entendermos as letras
das receitas médicas, é possível ouvir palavras que nem
escravos podiam exibir suas danças e cantos em Congo
sabemos de onde vieram durante uma consulta. E você não
Square. Desde o século XVIII, ainda sob o domínio dos
está sozinho nessa situação. Dependendo do médico, fica
franceses, o carnaval, chamado de Mardi Gras, era bem difícil entender tudo o que ele diz. Mas, em qualquer
tradicionalíssimo. Um jornal de 1838 revelava a nova mania circunstância, na dúvida, pergunte! Nada de ficar com
de trompetes e cornetas que tomava conta da cidade. vergonha. É da sua saúde que estamos falando. [...]
Nova Orleans tinha tanta fama de licenciosidade que um Por mais que essa ferramenta possa ser útil, nem
bairro foi criado em 1897, Storyville, para abrigar a zona de sempre os dados encontrados se aplicam a seu caso
meretrício. [...] específico. A ideia inicial das idas tanto ao pronto-socorro
A musicalidade da cidade não se restringia aos trompetes quanto em uma visita a um especialista é que você saia de
e atingia as camadas mais miseráveis da população. lá com todas as questões sanadas. Afinal, todos os médicos
Os escravos se esqueciam da expectativa de 36 anos são treinados para isso!
entoando as chamadas canções de trabalho, as canções Cláudia Vasconcellos, professora da Faculdade de
religiosas de fé ou de lamentação e um tipo de interação Medicina de Petrópolis (FMP), conta que “esse processo
se inicia com o estudante de Medicina entendendo o novo
aprendido nas igrejas, o “chamado e resposta”, em que o
termo e, a partir daí, ele deve fazer uma tradução para que
pastor conclamava, e os fiéis respondiam. De uma fusão
qualquer paciente possa compreendê-lo”. Cláudia lembra
dos elementos musicais africanos com o som de bandas que essas traduções são também exploradas durante as
militares e a tradição erudita europeia, ensinada a colonos aulas de semiologia – que é a parte da Medicina relacionada
e créoles (os filhos livres dos antigos colonos europeus com ao estudo de sinais e sintomas de patologias –, em que o
suas amantes negras), nasciam os embriões de um gênero futuro médico aprende a fazer a história com o paciente
musical que tornaria a vida dos negros de lá mais feliz. e examiná-lo.
SEBBA, J. Aventuras na História. São Paulo, ano 6, n. 62, p. 37-38, Disponível em: <http://revistavivasaude.uol.com.br>.
set. 2008. [Fragmento] Acesso em: 29 jul. 2016. [Fragmento]

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 9


Baseando-se no texto, pode haver, na comunicação No texto de Manuel Bandeira, a iminência da morte é
entre médico e paciente, um problema de compreensão encarada de forma debochada pelo eu lírico, no entanto
relacionado à eufemismos são empregados para se referir a ela. O uso
A. informatividade, pois o uso da linguagem médica faz dessa figura de linguagem no poema se justifica pelo(a)
com que o paciente não receba ideias inéditas durante A. apelo estético do autor, que preferiu uma expressão
a comunicação.
mais longa para caracterizar a morte.
B. aceitabilidade, visto que o paciente que não tem
B. convocatória por parte do autor para que os leitores
conhecimento de termos da área da saúde pode ter
reflitam sobre a efemeridade da vida.
dificuldade de entender as informações.
C. coerência, haja vista que é inadequado que os C. necessidade do autor de sensibilizar seu leitor ao tratar
pacientes busquem uma consulta médica sem o de tema tão controverso na literatura.
conhecimento de determinadas palavras. D. desconforto do eu lírico pela morte, ainda que demonstre
D. intencionalidade, porque o médico que utiliza o alguma proximidade dela em sua abordagem.
“mediquês” tem o objetivo de poupar o paciente de E. comparação que o eu lírico faz entre a morte e a
notícias desagradáveis sobre a sua saúde. passagem do tempo, vista na dicotomia dia / noite.
E. situacionalidade, já que, em uma consulta, é coerente Alternativa D
utilizar o “mediquês” quando faltam palavras que
Resolução: Eufemismos são empregados para atenuar o
substituam termos médicos.
uso de uma palavra ou expressão que possa, por qualquer
Alternativa B motivo, causar um impacto no ouvinte além ou aquém
Resolução: O texto fala sobre a dificuldade de alguns pacientes do pretendido pelo enunciador. Sendo a morte um tema
compreenderem a linguagem utilizada pelos médicos e sobre polêmico no dia a dia, causando medo em muitas pessoas,
a orientação recebida pelos estudantes de Medicina para e também no eu lírico de Manuel Bandeira, o autor se refere
evitarem a falta de comunicação entre médico e paciente. a essa temática por meio de vocábulos que a suavizem,
Deve-se então identificar qual fator textual contribui para essa como “indesejada” e “iniludível”. O fato de a voz poética
falta de comunicabilidade. A alternativa B está correta, pois, apresentar alguma proximidade e aceitação em relação
a aceitabilidade indica que se espera do paciente a busca à morte, porém, não a impede de usar um eufemismo,
de conhecimentos prévios sobre o assunto para fazer as dado o temor natural dos seres humanos pelo fim da vida,
inferências necessárias à compreensão das informações. como visto no terceiro verso do poema: “Talvez eu tenha
Assim, o paciente que não conhecer alguns termos médicos medo.”. Portanto, a alternativa correta é a D. A alternativa
pode ter dificuldades para compreender a mensagem. Por A está incorreta porque o emprego do eufemismo não
isso, no texto é indicado que o paciente esclareça todas as se deu pelo fato de o autor escolher um termo maior ou
dúvidas com o médico. A alternativa A está incorreta, pois o fator menor, já que a necessidade de suavizar a morte tem
informatividade não é inerente ao texto, e sim definido de acordo relação direta com a temática do texto. A alternativa B
com o conhecimento de mundo e nível de interesse do receptor. está incorreta porque não há convocatória por parte do eu
A alternativa C está incorreta, pois a falta de conhecimento de lírico, apenas uma reflexão quanto ao tema. A alternativa
determinadas palavras não deve ser impedimento para que C está incorreta porque o autor não busca sensibilizar
o paciente procure um médico. A alternativa D está incorreta, seus leitores nem é a morte tema controverso na arte da
porque não há indícios no texto que mostrem que os médicos literatura, sendo abordado por diferentes autores em todas
utilizam uma linguagem técnica com a intenção proposital as épocas. Sobre as alternativas de A a C também deve ser
de que o paciente não compreenda o que está sendo dito. acrescentado que podem ser invalidadas porque relacionam
A alternativa E está incorreta, pois a situacionalidade está o uso do eufemismo ao autor do texto, que deve ser separado
relacionada à adequação do texto à situação de fala. Para do eu lírico no poema. Por fim, E está incorreta porque a
isso, os médicos são treinados para falar de maneira que os dicotomia dia / noite presente no poema representa o início e
pacientes compreendam. o fim da vida, o nascimento e a morte, a juventude e a velhice,
e não é expressa por eufemismos, mas por uma metáfora;
QUESTÃO 10 IYTX além disso, a comparação é uma figura de linguagem usada
com outro fim.
Consoada
Quando a indesejada das gentes chegar QUESTÃO 11 VEML
(Não sei se dura ou caroável),
Talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
– Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta,
Com cada coisa em seu lugar.
BANDEIRA, M. Consoada. In: Poesia completa e prosa.
Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2009. Disponível em: <http://www.soportugues.com.br>. Acesso em: 01 nov. 2016.

LCT – PROVA I – PÁGINA 10 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


A placa apresenta erro de acentuação na palavra “proibido”. E. Eu não sei
De acordo com a norma-padrão da língua, a inadequação Se vem de Deus
justifica-se porque o(a) Do céu ficar azul
A. vocábulo classifica-se como proparoxítono. Ou virá
Dos olhos teus
B. hiato nas vogais “o” e “i” não é tônico.
Essa cor
C. vogal tônica no ditongo “proi” é o “o”.
Que azuleja o dia...
D. sílaba tônica dessa palavra é “-do”. Disponível em: <https://www.vagalume.com.br>.
Acesso em: 12 dez. 2016.
E. acento diferencial não é necessário.
Alternativa B Alternativa C
Resolução: Na palavra “proibido”, há um hiato nas vogais Resolução: A questão traz o trecho da música “Todo azul do
“o” e “i”, no entanto, por não ser tônico, não deve acentuado, mar”. Nela, a palavra “azul” exerce a função de substantivo em
como é o caso de “proíbo”. Portanto, a alternativa correta é todas as ocorrências, pois, no contexto em que está inserida,
a B. A alternativa A está incorreta porque o vocábulo não é ela é tratada como um ser, e não como a cor que caracteriza
proparoxítono, mas paroxítono. C, porque não há ditongo em algum objeto (adjetivo). Deve-se, então, identificar qual das
“proibido”. D, porque a sílaba tônica é “bi”, uma vez que a alternativas apresenta o uso da palavra “azul” equivalente ao
palavra é paroxítona, e não oxítona. Por fim, a alternativa E trecho de Venturini, ou seja, em qual das músicas a palavra
está incorreta porque não há um caso de acento diferencial. é usada como substantivo. A alternativa correta é a C,
pois “azul” não está caracterizando substantivos. No verso
“E o céu perder o azul”, a palavra “azul” é acompanhada
QUESTÃO 12 9ØN5
por um artigo, característica dos substantivos. No verso
Todo azul do mar “Buscar ali um cheiro de azul”, o cheiro é de alguma coisa.
“De azul”, embora seja uma locução adjetiva, apresenta a
Daria pra beber todo azul do mar
palavra “azul” com significado equivalente ao emprego na
Foi quando mergulhei no azul do mar
música de Venturini, já que essa expressão é formada pela
Onda que vem do azul, todo azul do mar junção de uma preposição (de) e de um substantivo (azul).
VENTURINI, F.; BASTOS, R. Todo azul do mar. In: Flávio Venturini. A alternativa A está incorreta, pois “azul” está caracterizando
Ao vivo. LP. Som Livre, 1991. [Fragmento]
o substantivo “trem”, portanto a palavra é um adjetivo.
Uma mesma palavra pode pertencer a classes gramaticais A alternativa B também traz a palavra “azul” como
distintas, dependendo do contexto da frase em que está adjetivo nas duas ocorrências, pois, na música, o sonho
é azul, e “azul da cor do mar” é a reiteração dessa cor.
inserida. O trecho de música que apresenta o uso da palavra
A alternativa D está incorreta porque “azul” caracteriza o
“azul” equivalente a seu uso na canção anterior é:
amor e o mar. Por fim, a alternativa E está incorreta porque
A. Você pega o trem azul “azul” caracteriza o céu.
O sol na cabeça
O sol pega o trem azul QUESTÃO 13 NDVV

Você na cabeça Meu povo preste atenção


O sol na cabeça O que agora vou contar
Disponível em: <http://www.letras.com.br>. Acesso em: 12 dez. 2016. De um homem muito valente

B. Mas quem sofre sempre tem que procurar Que morava num lugar –
Pelo menos vir a achar Até o próprio governo
Razão para viver Tinha medo de o cercar
Ver na vida algum motivo pra sonhar
Ter um sonho todo azul O seu nome era Vilela
Azul da cor do mar Do Sertão pernambucano,
Disponível em: <http://www.timmaia.com.br>. Acesso em: 12 dez. 2016. E ele desde pequenino
Que tinha o gênio tirano:
C. Se acaso anoitecer
Só com dez anos de idade
E o céu perder o azul
Vilela mata o seu mano
Entre o mar e o entardecer
Alga marinha, vá na maresia
Os dois estavam brincando
Buscar ali um cheiro de azul
Na véspera de São João.
Disponível em: <http://www.djavan.com.br>. Acesso em: 12 dez. 2016.
Vilela mais o seu mano
D. E esse amor é azul Tiveram uma discussão –
Como o mar azul Só por causa de um cachimbo
Como no coração Vilela mata o seu irmão.
Uma doce ilusão
ATHAYDE, J. M. História do Valente Vilela. Ceará: José Bernardo da
Disponível em: <http://www.letras.com.br>. Acesso em: 12 dez. 2016. Silva, 1975. [Fragmento]

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 11


O texto de João Martins Athayde é um exemplar da literatura Embora sua história no Brasil date do século XIX, somente
de cordel, tipicamente nordestina. Uma característica desse nas últimas décadas o rúgbi tem se disseminado pelo
gênero identificada no texto é a país, conquistando adeptos de todas as idades. O projeto
A. banalização da violência para retratar a difícil realidade desenvolvido na cidade catarinense de Criciúma busca
difundir a prática do rúgbi, mas também tem a finalidade de
dos sertanejos.
A. incorporar esse esporte como uma prática de prestígio
B. incorporação da literatura como meio para alertar os
perante a sociedade.
leitores sobre um criminoso.
B. aperfeiçoar as táticas empregadas pela equipe local
C. caracterização de Vilela num texto que tem como fim
durante os treinamentos.
biografar figuras importantes.
C. associar esse esporte a uma manifestação corporal
D. reação de protesto do cordelista contra o governo, que
necessária a um grupo social.
nada faz para prender Vilela.
D. levar às pessoas que praticam atividades físicas uma
E. apresentação da personagem Vilela como um temido nova opção de lazer.
herói do Sertão pernambucano.
E. conquistar a mesma estima associada ao futebol como
Alternativa E esporte olímpico.
Resolução: No texto do cordelista João Martins Athayde, Alternativa C
infere-se que Vilela é um homem temido por todos por
Resolução: Na fala do jogador Daniel Xavier, estão expostos
causa de seu comportamento violento, no entanto, ainda os objetivos do projeto Viva Rugby: “Nossa intenção com
assim ele não é descrito pelo eu lírico como um bandido o projeto é tornar a modalidade conhecida, já que está se
ou vilão, como indicado por sua principal característica, popularizando país afora. Além disso, queremos propagar
a valentia. É comum na literatura de cordel a presença de valores importantes como respeito, amor ao próximo e
figuras ambíguas, regidas pelo temor causado por crimes disciplina”. Partindo daí, infere-se que o rúgbi é entendido
cometidos e pela admiração popular ao combater as pelos membros do projeto como uma manifestação corporal
injustiças da vida sertaneja, como Lampião, Maria Bonita necessária a um grupo social por causa de seus princípios
e Antônio Conselheiro. Nesse sentido, a alternativa E éticos comunitários. Portando, a alternativa C é a correta.
descreve bem o gênero. A alternativa A está incorreta porque As alternativas A e E estão incorretas porque não se fala no
a violência não é tratada no texto de forma corriqueira, mas texto sobre elevar o prestígio desse esporte no país, mas
sim com temor pelas personagens, que condenam Vilela sobre popularizá-lo. A alternativa B está incorreta porque não
e desejam que ele seja preso. B, porque não é intenção é objetivo do projeto treinar o time da cidade de Criciúma;
do cordelista alertar a população sobre um criminoso, da mesma forma, o projeto também não visa oferecer apenas
mas apenas recontar uma história de caráter fantasioso, uma nova opção de lazer aos cidadãos, mas sim difundir e
em que não se pode atestar a veracidade dos fatos. profissionalizar o rúgbi, o que invalida a alternativa D.
C, porque não é objetivo da literatura de cordel biografar
figuras da sociedade, mas sim recontar relatos orais em QUESTÃO 15 K43W

que as personagens enfrentam dilemas na resolução Capítulo III


de problemáticas; além disso, a caracterização de
Um criado trouxe o café. Rubião pegou na xícara e,
personagens está presente em diversos – senão em todos – enquanto lhe deitava açúcar, ia disfarçadamente mirando
gêneros literários. D, porque o cordelista, como narrador do a bandeja, que era de prata lavrada. Prata, ouro, eram os
relato, não se pronuncia quanto ao fato de o governo não metais que amava de coração; não gostava de bronze,
conseguir prender Vilela, assumindo uma postura neutra. mas o amigo Palha disse-lhe que era matéria de preço, e
assim se explica este par de figuras que aqui está na sala:
QUESTÃO 14 3ZEZ um Mefistófeles e um Fausto. Tivesse, porém, de escolher,
O projeto Viva Rugby, que visa divulgar o esporte escolheria a bandeja, – primor de argentaria, execução fina
e apresentar os valores da modalidade, esteve nessa e acabada. O criado esperava teso e sério. Era espanhol; e
sexta-feira, 14, na Satc. O atleta Daniel Xavier, da Seleção não foi sem resistência que Rubião o aceitou das mãos de
Brasileira, conversou com os estudantes sobre a prática que Cristiano; por mais que lhe dissesse que estava acostumado
vem crescendo no Brasil. aos seus crioulos de Minas, e não queria línguas estrangeiras
em casa, o amigo Palha insistiu, demonstrando-lhe a
O jogador falou com os estudantes durante palestra onde
necessidade de ter criados brancos. Rubião cedeu com
apresentou o esporte e a trajetória do rúgbi como esporte
pena. O seu bom pajem, que ele queria pôr na sala, como
olímpico. “Nossa intenção com o projeto é tornar a modalidade um pedaço da província, nem o pôde deixar na cozinha, onde
conhecida, já que está se popularizando país afora. Além reinava um francês, Jean; foi degradado a outros serviços.
disso, queremos propagar valores importantes como respeito,
ASSIS, M. Quincas Borba. In: Obra completa. V.1. Rio de Janeiro:
amor ao próximo e disciplina”, destacou o atleta. Nova Aguilar, 1993. [Fragmento]

Além de visitar a Satc, o projeto desenvolvido pelo Quincas Borba situa-se entre as obras-primas do autor
Criciúma Rugby Clube esteve no bairro da Juventude. Os e da literatura brasileira. No fragmento apresentado,
treinos da equipe criciumense ocorrem nos campos da Satc. a peculiaridade do texto que garante a universalização
Disponível em: <http://www.portalsatc.com>. Acesso em: 28 out. 2016. de sua abordagem reside

LCT – PROVA I – PÁGINA 12 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


A. no conflito entre o passado pobre e o presente rico, E. reprodução da fala de um morador da cidade do interior,
que simboliza o triunfo da aparência sobre a essência. indicada pela marca de regionalismo.
B. no sentimento de nostalgia do passado devido Alternativa A
à substituição da mão de obra escrava pela dos Resolução: O poema de Drummond “Cidadezinha qualquer”
imigrantes. apresenta um retrato da vida em uma pequena cidade.
C. na referência a Fausto e Mefistófeles, que representam O autor utiliza elementos que ajudam a construir a atmosfera
o desejo de eternização de Rubião. de tranquilidade característica desses locais. No texto,
a repetição do advérbio “devagar” transmite a ideia de
D. na admiração dos metais por parte de Rubião, que calmaria, da monotonia do dia a dia de uma cidade do interior,
metaforicamente representam a durabilidade dos bens onde a rotina se desenvolve de maneira lenta e repetitiva.
produzidos pelo trabalho. A alternativa correta, portanto, é a A. A alternativa B está
E. na resistência de Rubião aos criados estrangeiros, que incorreta, pois a paisagem natural apresentada não é única
reproduz o sentimento de xenofobia. nas cidades pequenas do interior, que podem apresentar
também paisagens urbanas, como visto nas imagens da
Alternativa A
casa, da janela. A alternativa C está incorreta, pois o uso dos
Resolução: A relutância de Pedro Rubião em aceitar as substantivos não se limita à apresentação dos habitantes da
sugestões de seu amigo Cristiano Palha mostra o conflito cidade. A alternativa D está incorreta, pois o artigo “um” não
que vive o protagonista do romance de Machado de Assis. tem a função de quantificar os habitantes da cidade, mas sim
Rubião sente-se incomodado por ter de tomar atitudes para a de indefinir quem são eles. A alternativa E também está
aparentar ser alguém importante e que siga as tendências incorreta, pois embora a variante regional seja um elemento
comportamentais da alta sociedade. Como consequência, marcante nas cidades do interior, o verso final do poema não
pensa estar deixando de ser quem era quando levava uma retrata a paisagem, visto que o regionalismo não faz parte
vida humilde em Minas Gerais. Esse conflito entre o passado da paisagem visualizada pelo eu lírico.
comedido e o presente próspero do protagonista universalizam
QUESTÃO 17 MQ32
Quincas Borba, já que é um sentimento comum a pessoas de
muitos lugares e épocas, causando aproximação em leitores de “Se a minha vida não vale, que produzam sem mim.”
diferentes perfis. A alternativa correta, então, é a A. As demais A frase no cartaz de uma manifestante nas ruas de
alternativas tratam temas incomuns a toda a humanidade ou Buenos Aires, em 19 de outubro [2016], expressa um ponto
apontam sentimentos que não podem ser inferidos do texto, de inflexão nos protestos contra a violência sofrida pelas
por isso estão incorretas. mulheres. Não são apenas mulheres no lado de dentro
das ruas, mas mulheres fora da produção. Ao relacionar
QUESTÃO 16 TL7W corpos violados com corpos que se recusam a produzir, pela
declaração de greve geral, o potencial de questionamento e
Cidadezinha qualquer de rebelião amplia-se. Não é uma fagulha, mas um incêndio.
Casas entre bananeiras Este não é um outubro qualquer no campo dos feminismos.
mulheres entre laranjeiras BRUM, E. Disponível em: <http://brasil.elpais.com>.
Acesso em: 08 nov. 2016. [Fragmento]
pomar amor cantar.
O texto debate as manifestações de mulheres ao redor
Um homem vai devagar. do mundo, em especial na Argentina. Sobre o excerto,
depreende-se que explicita, principalmente,
Um cachorro vai devagar.
A. a crítica à precária situação das mulheres empregadas. 
Um burro vai devagar.
B. o menosprezo governamental às mulheres que
Devagar... as janelas olham.
reivindicam.
Eta vida besta, meu Deus.
C. o incentivo à greve pelo aumento da violência contra
ANDRADE, C. D. Antologia poética. 12. ed. Rio de Janeiro:
José Olympio, 1978.
mulheres.
D. a ampliação dos motes e das reivindicações de
Para retratar a paisagem de uma cidade, o autor utiliza protestos feministas.
elementos que reforçam as características interioranas
E. o aprofundamento da crise social das mulheres que
encontradas nesse lugar. Entre esses recursos, destaca-se a
não produzem.
A. repetição do advérbio “devagar”, que dá a ideia de
Alternativa D
mesmice, rotina comum de quem vive no interior.
Resolução: O texto mostra que as reivindicações feministas
B. representação da paisagem natural, única imagem
estão indo além do protesto contra a violência que as
presente nos ambientes desse tipo de cidade.
mulheres sofrem. Um dos motes das manifestantes em
C. enumeração de substantivos, que representam os Buenos Aires era o fato de as mulheres serem importantes
pacatos habitantes de uma cidade do interior. para economia do país, já que também produzem
D. reiteração do uso do artigo, que indica a quantidade por meio de seu trabalho, constituindo-se assim novo
reduzida de habitantes de pequenas cidades. argumento para o tratamento igualitário na sociedade.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 13


Portanto, vê-se a ampliação das questões feministas, o que A notícia e o cartaz tratam da adoção de cachorros. Quanto
torna correta a alternativa D. A alternativa A está incorreta à abordagem, o texto II apresenta um posicionamento que
porque o trecho não critica a situação vivenciada por A. invalida o texto I, pois, se aumentam as adoções, as
mulheres que estão empregadas, mas mostra que uma greve campanhas tornam-se desnecessárias.
geral de mulheres afetaria substancialmente a economia. B. desvirtua o texto I, pois é uma campanha de iniciativa
A alternativa B está incorreta porque a autora mostra privada, visando, portanto, ao lucro.
a insatisfação das mulheres com o posicionamento de C. reforça o texto I, pois, bem como a notícia, o cartaz tem
toda a sociedade, não somente do governo; além disso, o objetivo de promover mais adoções.
nada no texto denota um menosprezo governamental D. completa o texto I, pois o fato noticiado somente se legitima
tangível. A alternativa C está incorreta porque a autora não pela exposição do cartaz.
conclama seus leitores a protestar nem demonstra apoio E. apoia o texto I, pois a adoção de animais tende a
às reivindicações; ela mostra um novo ponto insurgente no aumentar por meio de campanhas.
feminismo, buscando apontar sua pertinência. A alternativa E
Alternativa E
está incorreta porque o texto não indica a existência de
Resolução: A relação existente entre ambos os textos é
crise de mulheres desempregadas, mas mostra que,
de apoio, visto que o cartaz promove uma feira de adoção
se as mulheres empregadas se rebelassem e parassem de
a ser realizada, enquanto a notícia informa a respeito de
produzir, então surgiria uma crise.
uma campanha bem-sucedida realizada pela Prefeitura
de Piraquara, no Paraná. Assim, infere-se que, havendo
QUESTÃO 18 VTGV
campanhas, o ato de adotar animais também se tornará
TEXTO I frequente, portanto a alternativa correta é a E. A alternativa
A está incorreta porque o cartaz não invalida a notícia, já que
Books de cachorros resgatados fazem o número de
as adoções aumentaram na cidade de Piraquara, ao passo
adoções aumentar
que a campanha visa atingir os habitantes de São Bernardo
Uma iniciativa simples impulsionou a adoção de do Campo, em São Paulo; além disso, o aumento das
cachorros resgatados pela Prefeitura de Piraquara, na adoções não dispensa a existência de campanhas com esse
Região Metropolitana de Curitiba. O setor de comunicação objetivo, sendo estas o principal meio de divulgação para as
da administração municipal se mobilizou para fazer uma pessoas encontrarem um animal de estimação para adotar.
campanha diferente: alguns dos cães ganharam um ensaio A alternativa B está incorreta porque a campanha promovida
fotográfico. pelo shopping não busca lucro, mas sim que as pessoas
adquiram um animal sem ter de comprá-lo. A alternativa C
Os dois books foram postados na página da prefeitura no está incorreta porque nenhum dos textos tem o objetivo de
Facebook e repercutiram rapidamente. O primeiro, divulgado promover mais adoções: a notícia tem caráter informativo e
em fevereiro, teve quase dez mil compartilhamentos e quatro relata um acontecimento; o cartaz divulga uma campanha
mil curtidas, além de centenas de comentários, mais de 500. que se realizará num shopping de São Bernardo do Campo. A
O interesse pela adoção foi tão grande que a administração alternativa D está incorreta porque os acontecimentos por trás
municipal decidiu fazer uma campanha de adoção logo dos textos (o aumento da adoção em Piraquara, no texto I;
depois do lançamento do ensaio fotográfico na rede social. e a campanha promovida pelo shopping, no texto II) não se
KANIAK, T. Disponível em: <http://g1.globo.com/>.
relacionam diretamente, sendo, portanto, independentes.
Acesso em: 31 out. 2016. [Fragmento adaptado]
QUESTÃO 19 2IU1
TEXTO II
Fora da ordem
Em 1588, o engenheiro militar italiano Agostinho Romelli
publicou Le Diverse er Artficiose Machine, no qual descrevia
uma máquina de ler livros. Montada para girar verticalmente,
como uma roda de hamster, a invenção permitia que o leitor
fosse de um texto ao outro sem se levantar de sua cadeira.
Hoje podemos alternar entre documentos com muito mais
facilidade – um clique no mouse é suficiente para acessarmos
imagens, textos, vídeos e sons instantaneamente. Para
isso, usamos o computador, e principalmente a Internet –
tecnologias que não estavam disponíveis no Renascimento,
época em que Romelli viveu.
BERCITTO, D. Revista Língua Portuguesa, ano II, n. 14.

O inventor italiano antecipou, no século XVI, um dos princípios


definidores do hipertexto: a quebra de linearidade na leitura
e a possibilidade de acesso ao texto conforme o interesse
Campanha realizada pelo shopping Golden Square, em do leitor. Além de ser característica essencial da Internet, do
São Bernardo do Campo. ponto de vista da produção do texto, a hipertextualidade se
Disponível em: <http://www.abcdoabc.com.br/>. Acesso em: 31 out. 2016. manifesta também em textos impressos, como

LCT – PROVA I – PÁGINA 14 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


A. dicionários, pois a forma do texto dá liberdade de A alternativa B está incorreta porque as ideias de vir para
acesso à informação. depois ir embora não são contrastantes; “vem” é usado
B. documentários, pois o autor faz uma seleção dos fatos como forma para se chamar o interlocutor. A alternativa C
e das imagens. está incorreta porque não há fusão de sensações em “Ainda
C. relatos pessoais, pois o narrador apresenta sua tem o seu perfume pela casa”, apenas a indicação de que
percepção dos fatos. o cheiro da pessoa permanece no recinto. A alternativa E
está incorreta porque a menção ao livro Dentro da noite
D. editoriais, pois o editorialista faz uma abordagem
veloz, do poeta Ferreira Gullar, não apresenta prosopopeia
detalhada dos fatos.
ou personificação; a atribuição da característica “veloz” ao
E. romances românticos, pois os eventos ocorrem em substantivo “noite” denota a rápida passagem do tempo.
diversos cenários.
Alternativa A QUESTÃO 21 Ø3NB
Resolução: Entre os gêneros textuais mencionados nas
Alguns episódios que reforçam a sina de agosto,
alternativas, somente o dicionário atende aos pré-requisitos o mês do cachorro louco
do hipertexto, já que os leitores podem ler a definição dos
verbetes que quiserem, quando quiserem e na ordem que A história brasileira deu sua contribuição para reforçar
quiserem. Portanto, a alternativa correta é a A. As demais a crendice em torno do “mês do desgosto”, mas sua origem
alternativas apresentam gêneros cuja construção se dá vem, como boa parte das coisas boas e ruins da pátria,
somente por parte de seus autores, o que impede os leitores de Portugal.
de romperem a linearidade da leitura e de acessarem o texto Segundo o folclorista Mário Souto Maior, as mulheres
de acordo com seu interesse. portuguesas não casavam em agosto porque este era o mês
preferido para os navios deixarem o país em busca de novos
QUESTÃO 20 21T3 territórios para o reino.

Vambora Como casar neste mês significava ficar sem lua de


Entre por essa porta agora mel ou mesmo viúva logo após o matrimônio, cunhou-se a
e diga que me adora expressão: “Casar em agosto traz desgosto”. A superstição
Você tem meia hora veio para a colônia e persiste em várias regiões do país
pra mudar a minha vida (os destemidos que ousam contrariá-la podem, inclusive,
Vem vambora conseguir bons descontos).
que o que você demora Em seu Dicionário do Folclore Brasileiro, Câmara Cascudo
é o que o tempo leva define agosto como “o mês das desgraças e das infelicidades”
nos países latinos.
Ainda tem o seu perfume pela casa VISEU, R. Disponível em: <http://ahistoriacomoelafoi.blogfolha.uol.
ainda tem você na sala com.br>. Acesso em: 27 out. 2016. [Fragmento]

porque meu coração dispara Ao longo do texto, que trata do misticismo que cerca o mês
quando tem o seu cheiro de agosto, muitos substantivos que carregam conotações
dentro de um livro negativas são usados para traçar a origem da crença de
Dentro da noite veloz que esse período do ano é cercado de maus agouros.
CALCANHOTO, A. Vambora. In: Adriana Calcanhoto. Maritmo. CD. No entanto, outros vocábulos são empregados com acepção
Sony Music, 1998. [Fragmento]
positiva no texto, como é o caso de
Em textos literários, é recorrente o uso de figuras de A. “sina”.
linguagem para a expressão de ideias. Na letra da canção, B. “cachorro”.
a autora emprega a figura de linguagem
C. “contribuição”.
A. metonímia, em “você tem meia hora”.
D. “pátria”.
B. antítese, em “Vem vambora”.
E. “territórios”.
C. sinestesia, em “Ainda tem o seu perfume pela casa”.
Alternativa C
D. metáfora, em “porque meu coração dispara”.
Resolução: Das palavras mencionadas nas alternativas,
E. prosopopeia, em “Dentro da noite veloz”.
apenas “contribuição” carrega sentido positivo, conforme
Alternativa D a definição do Dicionário Caldas Aulete: “Participação
Resolução: Entre as alternativas propostas, a correta é a D, colaborativa numa atividade, na fundação, elaboração,
já que em “porque meu coração dispara” vê-se o verbo construção ou resolução de algo etc.” Dessa forma,
“disparar” empregado num contexto diferente de seu sentido a alternativa correta é a C, já que, de acordo com o texto,
denotativo, expandindo seu significado. Na acepção da a história brasileira ajudou a reforçar a crendice do mês de
letra, por meio de uma metáfora, é indicado que o coração agosto. Entre as demais alternativas, “sina” carrega valor
do eu lírico bate muito rápido por causa das exaltações negativo (de acordo com o mesmo dicionário: “Fatalidade
amorosas, diferentemente de “correr ou pôr-se a correr”, ou predestinação a que qualquer pessoa está supostamente
o sentido denotativo desse verbo. A alternativa A está incorreta sujeita.”); “cachorro” vem acompanhada do adjetivo “louco”;
porque não há metonímia em “você tem meia hora”, já que e “pátria” e “territórios” foram empregados de forma neutra,
os termos são usados em seu contexto semântico regular. não carregando juízo de valor algum do autor.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 15


QUESTÃO 22 5FZN O texto anterior é informativo, por isso sua abordagem é
A curiosidade de um ouvinte belo-horizontino foi objetiva, estruturada em relatos hierarquizados pelo nível de
despertada após escutar o slogan de uma estação de rádio importância dentro do contexto. Com base nisso, a autora
de sua cidade natal. Ele pensou, então, que haveria duas privilegia a informação de que o
possibilidades de escrita, grafadas a seguir: A. estudo das múmias deve ser feito por especialistas
I. Alvorada, 94,9 FM. Você sabe por que ouve. para que elas não se deteriorem.
II. Alvorada, 94,9 FM. Você sabe, porque ouve. B. museu usou recursos tecnológicos atuais para estudar
uma múmia sem degradá-la.
A diferença na escrita das palavras em destaque implica à
interpretação dos slogans C. sarcófago encontrado pertenceu a uma personagem
de relativo destaque na sociedade egípcia.
A. duplicidade de sentidos, pois o texto I exprime a ideia
de “razão”, e o II a de explicação. D. contato do ar com achados arqueológicos pode
desgastar ou até destruir relíquias milenares.
B. ideia de consequência de um fato no texto I, e noção
de causa no texto II. E. tempo por que ficou lacrada a urna funerária depois de
descoberta denota sua conservação.
C. incoerência, posto que os pronomes relativos nos
textos I e II estão mal-empregados. Alternativa B
D. redundância, já que existe certeza do informado nos Resolução: O título da notícia aponta qual é a informação
dois textos. mais importante que o texto carrega. Dessa forma, a
tecnologia usada pelo museu para estudar a múmia é o foco
E. semelhança de sentido, mas classificações
no texto. Portanto, a alternativa correta é a B. As demais
morfológicas diferentes.
alternativas são factíveis e estão de acordo com o texto,
Alternativa A no entanto nenhuma delas traz a principal informação que a
Resolução: A frase ouvida no rádio pode ser interpretada de autora leva aos leitores da revista, por isso estão incorretas.
duas maneiras diferentes, dependendo de como transcrita.
Em “Você sabe por que ouve”, o “por que” é equivalente QUESTÃO 24 LDNC
a “motivo pelo qual”, impondo uma razão para a ação de Guardar
ouvir, ou seja, os ouvintes sabem o motivo de ouvir à rádio.
Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Já em “Você sabe, porque ouve”, o “porque” é uma conjunção
coordenativa explicativa, equivalendo-se a “pois”, ou seja, Em cofre não se guarda coisa alguma.
a explicação de o ouvinte saber das coisas do mundo é o fato Em cofre perde-se a coisa à vista.
de ele ouvir à rádio. A alternativa A, portanto, está correta. Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por admirá-la,
A alternativa B está incorreta porque interpreta erroneamente isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
os “porquês” em ambas as frases. C, porque sequer foram
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela, isto
empregados pronomes relativos; na primeira frase o “que”
é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela, isto é, estar
é um pronome indefinido, e na segunda o “porque” é uma
por ela ou ser por ela.
conjunção. D e E estão incorretas, porque, como exposto,
os sentidos das frases são diferentes, além disso, pode-se Por isso melhor se guarda o voo de um pássaro
afirmar que há redundância apenas na primeira frase, em Do que um pássaro sem voos.
que o ouvinte já saberia de antemão a razão de ouvir à Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica, por
rádio. isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
QUESTÃO 23 VUHC
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Múmia de 3 mil anos passa por tomografia Guarde o que quer que guarda um poema:
Como estudar uma múmia de quase 3 mil anos dentro Por isso o lance do poema:
de um sarcófago, quando só o fato de abrir o invólucro,
Por guardar-se o que se quer guardar.
colocando-a em contato com o ar, pode transformar em pó
MACHADO, G. In: MORICONI, I. (org.). Os cem melhores poemas
os restos conservados por milênios? Aliando a tecnologia
brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.
médica com estudos arqueológicos, o Museu Oriental da
Universidade de Chicago conseguiu obter uma imagem A memória é um importante recurso do patrimônio cultural de
tridimensional da múmia Meresamun sem violar seu sarcófago. uma nação. Ela está presente nas lembranças do passado
Pesquisadores supõem que Meresamun foi sacerdotisa e no acervo cultural de um povo. Ao tratar o fazer poético
de um templo de Tebas em 800 a.C. Sua urna funerária é como uma das maneiras de se guardar o que se quer, o texto
decorada com elaboradas pinturas e está em ótimo estado A. ressalta a importância dos estudos históricos para a
de conservação. Por isso, depois de descoberta, passou construção da memória social de um povo.
80 anos lacrada. Segundo os cientistas da universidade,
com as informações obtidas no exame será possível estudar B. valoriza as lembranças individuais em detrimento das
como Meresamun vivia, e continuar deixando-a descansar narrativas populares ou coletivas.
em paz dentro de seu sarcófago. C. reforça a capacidade da literatura em promover a
BETING, G. História viva. São Paulo, ano 6, n. 66, p. 13, abril. 2009. subjetividade e os valores humanos.

LCT – PROVA I – PÁGINA 16 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


D. destaca a importância de reservar o texto literário B. oposição da crença e fé europeias em relação à
àqueles que possuem maior repertório cultural. religiosidade africana.
E. revela a superioridade da escrita poética como forma C. festividade de origem negra, envolvendo dança e
ideal de preservação da memória cultural. instrumentos musicais.
Alternativa C D. diversidade dos idiomas africanos em relação àqueles
Resolução: No texto, os versos “Por isso se escreve, falados na Europa.
por isso se diz, por isso se publica, por / isso se declara E. participação de negros em rituais conhecidos como de
e declama um poema: / Para guardá-lo: / Para que ele, origem portuguesa.
por sua vez, guarde o que guarda:” comprovam o valor da
literatura de promover, exaltar a subjetividade e os valores Alternativa C
humanos. Isso significa dizer que, de acordo com o eu lírico, Resolução: Na letra, versos como “Hoje tem festa no terreiro”,
um poema é a melhor forma de se guardar uma sensação, “Já levo atabaque” e “Iaô entrou na roda de zambar bonito”
uma lembrança, um momento, pois as palavras usadas ali empregam termos que retomam a cultura africana num
preservam o mesmo sentimento experienciado no ato da ambiente festivo de dança e música, portanto a alternativa
escrita. A alternativa correta, portanto, é a C. As alternativas correta é a C. A alternativa A está incorreta porque a letra fala
A e E estão incorretas porque o texto não fala do ato de da festividade africana manifestada no Brasil, o que se opõe
guardar os eventos históricos de um povo ou sua memória
à dificuldade de inserção do negro social e culturalmente
cultural, mas sim as memórias individuais, os momentos
no país; ainda que os obstáculos enfrentados sejam reais,
especiais para cada uma das pessoas. Na alternativa B,
não é esse o tema de “Pacutiguibê Iaô”. A alternativa B está
a incorreção está em afirmar que o fazer poético sobrepõe-se
às narrativas populares ou coletivas, já que isso não pode incorreta porque a letra não descreve europeus com atitude
ser inferido do texto, que se limita a mostrar o impacto que de enfrentamento à religiosidade africana. A alternativa D
causa um poema. Finalmente, a alternativa D está incorreta está incorreta porque há o enaltecimento da cultura e dos
porque o poema não permite a interpretação de que o texto idiomas africanos sem oposição às línguas europeias. E a
literário deve ser reservado à elite cultural; ao contrário, ele alternativa E está incorreta porque os rituais a que o autor
deve ser produzido por qualquer pessoa que queira “guardar se refere não são de origem europeia.
o que quer que guarda um poema:”.
QUESTÃO 26 EE8M
QUESTÃO 25 7V7U

Pacutiguibê Iaô
Pacutiguibê macumba Iaê!
Pacutiguibê macumba Iaô!

Hoje tem festa no terreiro


De Maria Cotia DAHMER, André. Disponível em: <http://www.malvados.com.br/>.
Acesso em: 10 dez. 2014.
Pois hoje é dois de fevereiro
Para felicidade minha A tirinha aborda uma prática recorrente na contemporaneidade:
a utilização das redes sociais virtuais. A fala do terceiro
Hoje eu vou me mandar
quadrinho contém uma crítica à(ao)
É pra lá
A. democratização dos aparatos virtuais na
Já levo atabaque contemporaneidade.
Afinado enfeitado inteiro B. existência da escravidão em tempos remotos.
Já levo zamba minha nêga
C. possibilidade de escravos terem acesso às redes
Um batuque pro sinhô sociais.
Já levo a fita rubro-negra D. tempo disponibilizado na utilização das redes virtuais.
Pra ofertar pra Iaô
E. tempo gasto pelos escravos na construção das
pirâmides.
Iaô chegou pra comemorar
Alternativa D
Iaô entrou na roda de zambar bonito
Resolução: A personagem da tirinha infere que se existisse
Iaô chegou do mar
Internet no tempo da construção das pirâmides, elas
RIBAS, M. Pacutiguibê Iaô. In: Marku Ribas. Underground. LP.
Copacabana, 1973. [Fragmento] nunca terminariam de ser construídas pelos escravos, que
trabalhariam pouco por acessar muito o Facebook. Para a
Uma nação é formada por aspectos sociais, econômicos interpretação correta do texto, é necessário contextualizar
e políticos, que estão diretamente relacionados às formas o conteúdo da tirinha com o fato de que, atualmente,
de expressão e à língua. A canção de Marku Ribas trata da muitas pessoas apresentam baixo nível de concentração
cultura afrodescendente, empregando versos que destacam a ou dedicação em suas atividades diárias, como estudo
A. dificuldade do negro de se inserir social e culturalmente e trabalho, por causa do acesso exacerbado à Internet
hoje no Brasil. e às redes sociais. Portanto, a alternativa correta é a D.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 17


A alternativa A está incorreta porque a crítica do autor não se A alternativa C está incorreta porque o fato de as
volta para o fato de todas as camadas da população de hoje personagens não responderem à pergunta não aponta a
terem acesso à Internet, mas sim ao fato de como pessoas complexidade de se encontrar respostas para questões
de todas as camadas a utilizam de forma exagerada; para subjetivas, ainda que a dificuldade em respondê-las
aproximar o Egito Antigo ao leitor, ele faz uma analogia, em seja real para muitas pessoas. Além disso, a tirinha
que os trabalhadores são os escravos. B, porque o autor não trata de assuntos intangíveis ao conhecimento.
problematiza o uso da Internet, não lançando olhar crítico A alternativa E está incorreta porque o comportamento das
à existência da escravidão no Egito Antigo. C, porque,
personagens denota antes hipocrisia que ignorância: elas
como explicado, o autor não critica a inclusão digital, mas o
giram o pescoço, fazendo, simbolicamente, rodeios para
comportamento inadequado de muitos usuários das redes
responder à pergunta; e, no último quadrinho, o rapaz afirma
sociais. Por fim, a alternativa E está incorreta porque o autor
ter medo, mesmo sem saber do que se trata.
critica o tempo que supostamente os escravos despenderiam
no celular, acarretando atraso na construção das pirâmides; QUESTÃO 28 7NØK
ainda que haja relação de causa e consequência entre
esses eventos, deve-se perceber que a crítica não foca
o tempo de construção das pirâmides, mas aquele gasto
nas redes sociais.

QUESTÃO 27 QDWF

BROWNE, D. Disponível em: <http://planetatirinhas.wordpress.com>.


Acesso em: 22 dez. 2016.

Na tirinha, as personagens dialogam, até que, no último


quadrinho, algo inesperado acontece. A atitude da
personagem principal revela, supostamente, sua intenção
de demonstrar a
GALHARDO. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br>. Acesso
em: 14 nov. 2016. A. sabedoria dos anciãos.

Com frequência, as tirinhas servem-se de poucos elementos B. esperteza dos adultos.


composicionais para despertar reflexões sobre a vida C. negligência dos jovens.
humana. Nesse sentido, os recursos verbo-visuais no texto D. humildade das crianças.
anterior apontam, simbolicamente, a
E. determinação dos pais.
A. condição das pessoas com deficiência.
B. dúvida existencial de muitas pessoas. Alternativa B
C. complexidade de questionamentos abstratos. Resolução: De acordo com a definição do Dicionário
D. hipocrisia nos julgamentos dos indivíduos. Michaelis para os termos empregados nas alternativas,
E. ignorância do sujeito sobre sua condição. vê-se que “esperteza” pode denotar “habilidade maliciosa”.
Alternativa D Como Hagar é um adulto e visa ensinar a Hamlet, seu
Resolução: A tirinha começa lançando uma pergunta aos filho, a suposta malícia necessária para se encarar a vida,
leitores: “Afinal, o que é um pescoçudo?”. Do segundo ao a resposta correta é a B. A alternativa A está incorreta porque
quarto quadrinho, três personagens surgem para respondê-la, a personagem de Hagar não representa um ancião; além
no entanto nenhum deles sabe a resposta (e um deles diz
disso, ainda que um dos significados de “sabedoria” seja
ter medo), ainda que tenham como característica física o
pescoço alongado. Pela atitude arredia das personagens, “habilidade de enganar ou dissimular”, quando associada a
que afirmam não saber o que é um pescoçudo, mesmo pessoas mais velhas, denota “acúmulo de conhecimentos
o sendo, infere-se que o autor da tirinha faz uma crítica sobre assuntos diversos”. A alternativa C está incorreta
à hipocrisia que muitas pessoas demonstram ao julgar porque Hamlet não se comporta com “falta de vigilância;
o próximo, embora apresentem a mesma característica
descuido, desídia, desleixo”, mesmo que essas possam ser
ou comportamento. Pode-se chegar a essa interpretação
características atribuídas aos jovens pelo senso comum;
mesmo que não se conheça o termo “pescoçudo”, pois a
relação entre textos visuais e verbais na tirinha induzem ele foi antes ingênuo que negligente. A alternativa D está
os leitores a isso. A alternativa correta, portanto, é a D. incorreta porque Hamlet não apresenta “demonstração
A alternativa A está incorreta porque o texto não leva o leitor de respeito, de submissão aos superiores”; além do mais,
a refletir sobre a condição de pessoas deficientes, já que, Hagar busca apontar uma característica de si mesmo,
no universo criado pelo autor, ter o pescoço demasiadamente
não de seu filho. Por fim, a atitude de Hagar não mostra
longo não é deficiência. A alternativa B está incorreta porque
a indagação no primeiro quadrinho não corresponde a Hamlet “qualidade do que é inabalável; ânimo, firmeza,
a uma dúvida existencial, mas a um questionamento denodo”, já que se vê um pai, numa brincadeira, enganando
simbolicamente respondido pelo próprio autor do texto. o filho, por isso a alternativa E está incorreta.

LCT – PROVA I – PÁGINA 18 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


QUESTÃO 29 VZ98 QUESTÃO 30 FTZ2

O mundo se tornava fascista. Num mundo assim, Fechado após ser destruído durante um incêndio no fim
que futuro nos reservariam? Provavelmente não havia do ano passado [2015], o Museu da Língua Portuguesa fará
lugar para nós, éramos fantasmas, rolaríamos de cárcere exposições itinerantes do seu acervo no estado de São Paulo
em cárcere, findaríamos num campo de concentração. em 2016. A mostra de “Estação da Língua” será aberta no dia
Nenhuma utilidade representávamos na ordem nova. 4 de março, em Araraquara, interior paulista, e depois passará
Se nos largassem, vagaríamos tristes, inofensivos por outras cidades durante o ano, como Pirassununga.
e desocupados, farrapos vivos, velhos prematuros; O fogo destruiu parte do prédio da Estação da Luz, onde
desejaríamos enlouquecer, recolher-nos ao hospício ou funciona o Museu da Língua Portuguesa, região central da
ter coragem de amarrar uma corda ao pescoço e dar o capital paulista, em 21 de dezembro.
mergulho decisivo. Essas ideias, repetidas, vexavam-me; Segundo a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a
tanto me embrenhara nelas que me sentia inteiramente exposição itinerante em 2016 seguirá o conceito central do Museu
perdido. Afligia-me especialmente supor que não me seria da Língua Portuguesa, propondo interatividade e tecnologia como
possível nunca mais trabalhar; arrastando-me em ociosidade veículos para apresentar o idioma ao público, nos seus mais
obrigatória, dependeria dos outros, indigno e servil. variados sotaques e evoluções. Como o acervo do museu é digital,
RAMOS, G. Memórias do cárcere. São Paulo: José Olympio, 1953. ele pode ser aplicado e adaptado para outros espaços.
Disponível em: <http://g1.globo.com/>. Acesso em: 14 nov. 2016.
Graciliano Ramos apresenta um relato sobre sua prisão [Fragmento]
durante o Estado Novo, no qual narra as situações com que Segundo a notícia, o Museu da Língua Portuguesa destaca-se
se deparou naquele período. No fragmento apresentado, o ao preservar o patrimônio linguístico nacional sobretudo por
autor
A. oferecer interatividade efetiva ao público que o visita.
A. denuncia o modo como o Brasil que surgia tratava os
B. possibilitar a flexibilidade e a segurança de seu acervo.
cidadãos com ideologias contrárias à Ditadura.
C. promover o acesso à investigação dos variados sotaques.
B. expõe, com a menção a assassinatos ou suicídios,
uma constante sensação de que a morte se aproxima. D. retratar cronologicamente a evolução do português
brasileiro.
C. afirma que os presos eram inúteis e loucos, sem
E. simbolizar a identidade brasileira por meio da língua
condições dignas de trabalhar e sustentar a si mesmos.
padrão.
D. faz uma equiparação das pessoas que se encontram
Alternativa B
em cárcere, seja em cadeias, seja em hospícios.
E. reflete sobre os sentimentos de perdição e ócio Resolução: No último parágrafo da notícia, é afirmado que o
causados por sua incapacidade de trabalhar na cadeia. acervo do museu é digital, podendo ser exposto em diferentes
espaços. O texto visa destacar esse aspecto, apontando ser
Alternativa A
este o responsável por manter o museu funcionando de maneira
Resolução: A questão apresenta um trecho da obra
itinerante, já que o incêndio destruiu parte do prédio da Estação
Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos. Nela, o autor
da Luz. A alternativa correta, portanto, é a B. A alternativa A
revela como foi o período em que esteve preso por ser
está incorreta porque, ainda que as exposições itinerantes
acusado de estar envolvido com o Partido Comunista.
ofereçam interatividade, a notícia não ressalta esse fato, já que,
A obra é um relato de sofrimento e humilhações que
marcaram os presos políticos da ditadura Vargas. Portanto, anteriormente, na Estação da Luz, o museu também era interativo.
deve-se relacionar o fragmento com a intenção manifestada O foco da notícia é mostrar que o Museu da Língua Portuguesa
pelo autor ao escrever suas memórias e percepções acerca pode funcionar independentemente de seu prédio original.
da experiência vivida. A alternativa A está correta, pois o autor As alternativas C e D estão incorretas porque os variados sotaques
condena o tratamento dado aos presos, que não teriam mais da Língua Portuguesa, com sua consequente investigação por
função na nova sociedade que se instaurava. A alternativa B parte dos visitantes e pesquisadores, e a exibição da evolução
está incorreta, pois o autor se refere à morte com um possível do Português brasileiro também configuram um aspecto anterior
refúgio final, já que não suportaria viver no cárcere; ainda, o ao incêndio, não sendo a inovação proposta pela Secretaria da
autor não menciona medo do suicídio, de assassinato ou de Cultura do Estado de São Paulo. Por fim, a alternativa E está
outro tipo de morte física, apenas intelectual. A alternativa C incorreta porque o texto não fala de língua padrão representando
está incorreta, pois em momento algum é afirmado que os a identidade brasileira; na realidade, isso entraria em conflito com
presos são inúteis e loucos, mas que, nessa nova condição o estudo da língua, que deve respeitar todas as suas variações,
e situação do país, eles desejariam enlouquecer; além disso, mesmo que não sigam a norma estabelecida como padrão.
o autor confessa sentir-se aflito com a possibilidade de
não poder trabalhar novamente e de perder sua dignidade. QUESTÃO 31 UXL7

A alternativa D está incorreta, pois no trecho apresentado “Ler para uma criança é uma atitude transformadora. Por
o autor não compara o cárcere em prisões à reclusão em meio da leitura, a criança desenvolve a criatividade e adquire
hospícios, mas conclui que estar louco ou morto é melhor que cultura, conhecimento e valores”, afirma a educadora Ana
estar preso. A alternativa E está incorreta, pois o sentimento Teberoski, professora da Universidade de Barcelona e uma das
de perdição e ócio é decorrente da total privação de liberdade pesquisadoras mais respeitadas quando o tema é alfabetização.
do autor; além disso, uma vez preso, ele não é incapaz de FLEURY, Y. Disponível em: <http://www.curtamais.com.br>.
Acesso em: 07 dez. 2016.
trabalhar, mas impedido de tal.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 19


Quanto mais cedo a leitura começar, melhor será para a Alternativa A
criança, de acordo com a pesquisadora entrevistada na Resolução: Na canção, o eu lírico fala sobre o que ele e seu par
reportagem. Nessa reflexão, sua fala apoia-se em querem na relação amorosa que vivem. Os versos desdobram-se
A. permitir o contato com um mundo completamente formando o sentido do todo e possibilitando a interpretação.
desconhecido. Deve-se, então, identificar qual figura de linguagem predomina
na letra. A alternativa A está correta, porque durante todo o texto
B. apontar para os pais quais são os interesses futuros as palavras usadas expressam oposição de ideias. De um
de seu filho. lado, uma pessoa quer comício (que pode ser compreendido
C. ampliar o potencial de descobertas e a compreensão como politização), do outro, a outra pessoa quer flíper-vídeo
da ética pela criança. (um videogame, que pode ser compreendido na música como
alienação); de um lado romance (calmaria), do outro, rock’ n’ roll
D. buscar o contato com o multiculturalismo para o futuro (agito); de um lado a Lua (noite), do outro, Sol (dia); etc.
leitor. Os versos não são constituídos de palavras antônimas, mas
E. aumentar logo cedo as chances de uma alfabetização de ideias contrárias. A alternativa B está incorreta, pois as
eficiente. palavras não foram usadas com o objetivo de amenizar o
discurso do interlocutor. Não há razão para seu uso, pois o que
Alternativa C
está sendo dito na música não é algo agressivo, grosseiro ou
Resolução: A educadora Ana Teberoski afirma que a desagradável a ponto de precisar ser dito de um modo mais
leitura desenvolve a criatividade na criança, que adquire brando. A alternativa C também é incorreta, pois, embora as
cultura, conhecimento e valores, portanto seu potencial vontades estejam sendo conotativamente representadas pelas
de descobertas e senso ético são ampliados. A alternativa palavras, não é a metáfora que constrói o sentido do texto,
correta, então, é a C. As demais alternativas trazem e sim a relação antagônica do par. A alternativa D está incorreta,
afirmações factíveis, e que indicam benefícios da leitura pois não existe metonímia no texto, isto é, não há a substituição
de uma palavra que representa uma parte pelo todo, nem
para crianças, porém nenhuma delas pode ser extraída da
relações de semelhança entre elas. A alternativa E também
fala da pesquisadora, portanto estão incorretas.
está incorreta, porque as oposições não são absurdas, mas
QUESTÃO 32 Z2QM contradições possíveis.

O quereres QUESTÃO 33 TFXG

Ah! Bruta flor do querer Arrumação


Ah! Bruta flor, bruta flor Josefina sai cá fora e vem vê
olha os fôrro ramiado vai chovê
Onde queres comício, flíper-vídeo vai trimina riduzi toda a criação
E onde queres romance, rock ‘n’ roll das banda da lá do ri Gavião
Onde queres a Lua, eu sou o Sol chiquêra prá cá já ronca a truvão
Onde a pura natura, o inseticídio Futuca a tuia, pega o catadô 
Onde queres mistério, eu sou a luz Vamo plantá feijão no pó
E onde queres um canto, o mundo inteiro Mãe Purdença inda num culheu o ai
Onde queres quaresma, fevereiro o ai rôxo essa lavora tardâ
E onde queres coqueiro, eu sou obus
diligença pega panicum balai
VELOSO, C. O quereres. In: Caetano Veloso. Totalmente demais. LP. vai cum tua irmã, vai num pulo só
Phillips Records, 1986. [Fragmento]
vai colhê o ai, ai da tua avó
Caetano Veloso utiliza na canção figuras de linguagem para [...]
falar da expectativa que pessoas afetivamente envolvidas MELO, E. F. Arrumação. In: Elomar. Na quadrada das águas perdidas.
têm uma da outra. Para construir o sentido do texto, LP. Seminário Música de Agora na Bahia, 1978.
a principal figura de linguagem presente no trecho é o(a)
A letra da canção manifesta aspectos do repertório linguístico
A. antítese, porque existe uma relação de sentidos opostos e cultural do Brasil. Para expressar melhor esse repertório o
entre as palavras para reforçar a ideia das diferenças compositor faz uso de vários recursos, como a(o)
enfrentadas pelo par. A. adoção de uma ordem cronológica na narrativa,
B. eufemismo, pois são utilizados termos que amenizam a impedindo, assim, a construção de sentido da letra da
situação problemática que envolve a expectativa de um canção.
em relação ao outro. B. citação de vários elementos típicos da paisagem
urbana para expressar a cultura regional brasileira.
C. metáfora, porque as palavras permitem inúmeras
possibilidades de leitura, construindo uma comparação C. emprego da norma-padrão da Língua Portuguesa para
garantir a expressão cultural do tema retratado pela
implícita entre as pessoas.
canção.
D. metonímia, porque há termos empregados no lugar de
D. omissão de alguns elementos da narrativa, como o
outros, com proximidade de ideias, representando as uso de personagens para retratar vários aspectos da
diferenças do par. cultura brasileira.
E. paradoxo, pois as combinações de ideias expressas E. utilização de expressões regionais que, embora
pelas palavras são inconcebíveis, sugerindo a possam inicialmente dificultar o entendimento, não
incompatibilidade entre as pessoas. impedem a construção de sentido da canção.

LCT – PROVA I – PÁGINA 20 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


Alternativa E QUESTÃO 35 DJ9M

Resolução: Na letra de “Arrumação”, o autor emprega Como as novas gerações vão expandir a energia solar
elementos de um dialeto regional para manifestar a cultura
O Greenpeace Brasil e a NESsT Brasil lançaram um
nacional. As expressões escolhidas por ele, no entanto, não desafio: convocar universitários de todo o país para trazerem
prejudicam a compreensão dos ouvintes, que conseguem suas ideias de como democratizar a energia solar. O concurso
perceber a história relatada, ainda que um ou outro termo Desafio Solar para Negócios Sociais teve mais de 250 inscrições
possa lhes ser desconhecido. A alternativa correta é a E, e mostrou que há muitos jovens com boas ideias por aí.
portanto. As alternativas A e D estão incorretas porque Ao longo de cinco meses, grupos selecionados participaram
a ordem cronológica do relato ou a omissão de alguns de seminários, palestras e mentorias com profissionais do
elementos da narrativa não são identificados como parte do mercado. Assim, eles receberam informações valiosas para
repertório linguístico cultural do Brasil. B, porque não há na conseguir tirar suas ideias do papel.
letra menção a aspectos urbanos, somente rurais; mesmo se Segundo Rodrigo Sauaia, presidente executivo da
houvesse, ainda assim, apenas a citação desses elementos Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (ABSOLAR),
não representaria o rico repertório linguístico do Brasil. é muito importante ouvir esses jovens e incentivá-los, ainda
Por fim, a alternativa C está incorreta porque a linguagem mais quando o interesse é por uma fonte limpa e renovável
empregada pelo eu lírico na canção é informal, não se de energia.
adequando, portanto, à norma-padrão; além disso, a riqueza Disponível em: <http://www.greenpeace.org>.
linguística do Brasil está nos muitos dialetos existentes. Acesso em: 26 out. 2016. [Fragmento]

QUESTÃO 34 KJQO Quando lançou o concurso em busca de soluções de


expansão do uso de energia solar, a organização do desafio
Tá faltando eu visou
Preciso me curtir bem mais A. divulgar as boas ideias sustentáveis das instituições.
É pena que só olho pros lados B. chamar a atenção das universidades para o problema.
Se a alma quer um banho de sais
O corpo quer me ver apaixonado C. avaliar o desempenho dos futuros profissionais da área.
D. buscar investimentos em diversos eventos acadêmicos.
O medo aguça a atração E. convidar os jovens a contribuir com propostas
A solidão na pele arde atualizadas.
Espero que quando eu me ver Alternativa E
E acordar não seja tarde
Resolução: O primeiro período do texto expõe o objetivo do
LEÃO, F. Tá faltando eu. In: Gusttavo Lima. Buteco do Gusttavo. CD.
concurso: ouvir ideias de jovens de todo o país para uma
Som Livre, 2015. [Fragmento]
melhor disseminação da energia solar, o que está de acordo
Em letras de músicas, a linguagem informal é usada para com a alternativa E. A alternativa A está incorreta porque não
aproximar a canção dos ouvintes. No entanto, ao se analisar é um objetivo das instituições divulgar suas ideias, mas sim
o texto pelo viés da norma-padrão, inadequações podem ser trabalhar naquelas criadas pelos universitários. A alternativa
identificadas, como visto no(a) B está incorreta porque não se pretende sensibilizar as
A. colocação do pronome “me” no primeiro verso. universidades brasileiras; o projeto está para além disso,
B. ausência de um artigo indefinido antes de “pena”. buscando soluções para a expansão da energia solar.
A alternativa C está incorreta porque o projeto não é obrigatório
C. uso da preposição que antecede “atração”.
a todos os estudantes, não se configurando, portanto, como
D. conjugação do verbo “ver” na segunda estrofe. método avaliativo de desempenho profissional. A alternativa
E. emprego do advérbio de negação após o verbo. D também está incorreta porque as organizações envolvidas
Alternativa D no projeto não o criaram para atrair novos investimentos;
os eventos acadêmicos serviram para informar e instruir os
Resolução: No verso “Espero que quando eu me ver”,
universitários participantes.
há uma inadequação quanto ao uso do verbo “ver”. Sua
conjugação na primeira pessoa do singular do futuro do QUESTÃO 36 6VP1

subjuntivo é “vir”, portanto o verso reescrito pela norma-


-padrão fica: “Espero que quando eu me vir”. Assim sendo,
a alternativa correta é a D. A alternativa A está incorreta porque
o pronome oblíquo átono “me” pode vir em posição proclítica
antes de verbos no infinitivo. A alternativa B está incorreta
porque o artigo indefinido “um” não é obrigatório na expressão
“É pena”. A alternativa C está incorreta porque o vocábulo
“a”, antes de “atração”, é um artigo definido feminino, que
determina o substantivo. A alternativa E está incorreta porque
o advérbio de negação “não” está ligado ao verbo “seja” em
uma oração diferente da qual se encontra o verbo “acordar”. Disponível em: <http://www.alwaysbrasil.com.br>. Acesso em: 27 out. 2016.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 21


Textos publicitários exploram diferentes recursos para o Com um objetivo marcadamente irônico, Machado de Assis
convencimento do público-alvo. A mensagem transmitida publicou essa crônica poucos dias depois da abolição da
pelo anúncio anterior estrutura-se pela confluência do texto escravatura no Brasil. O discurso e a atitude do “dono” de
verbal com o texto não verbal, uma vez que o(a) Pancrácio, que o alforria para contratá-lo como assalariado,
A. corte na frase e o chute na caixa refutam papéis sociais são os elementos que sustentam a ironia do texto.
atribuídos à mulher. A fala que melhor revela a hipocrisia desse personagem é:
B. produto anunciado cessa os limites sociais historicamente A. “Toda a história desta lei de 13 de maio estava por mim
impostos ao gênero feminino. prevista, tanto que na segunda-feira, antes mesmo dos
C. radicalismo de movimentos feministas do século XXI é debates, tratei de alforriar um molecote que tinha.”
enaltecido pelo anunciante. B. “Tu és livre, podes ir para onde quiseres. Aqui tens
D. estampa da camiseta denota que o produto anunciado casa amiga, já conhecida, e tens mais um ordenado.”
tem respaldo científico. C. “Um ordenado pequeno, mas que há de crescer.
E. igualdade de gêneros torna-se tangível com a existência Tudo cresce neste mundo: tu cresceste imensamente.
e a venda do produto. Quando nasceste eras um pirralho deste tamanho;
Alternativa A hoje estás mais alto que eu.”

Resolução: A frase escrita na caixa representa um lugar D. “Pequeno ordenado, repito, uns seis mil-réis: mas é de
comum que visa limitar o papel social da mulher na grão em grão que a galinha enche o seu papo. Tu vales
sociedade. O fato de a menina ter riscado a frase e aparecer muito mais que uma galinha.”
chutando a caixa indica um posicionamento que refuta tal E. “Pois seis mil-réis. No fim de um ano, se andares bem,
lugar comum, portanto A é a alternativa correta. A alternativa conta com oito. Oito ou sete.”
B está incorreta porque não é o absorvente que cessa as Alternativa C
imposições sociais, mas sim o comportamento da garota.
Resolução: No trecho “Um ordenado pequeno, mas que há de
A alternativa C está incorreta porque o anunciante não se
crescer. Tudo cresce neste mundo: tu cresceste imensamente.
posiciona a respeito de movimentos feministas, limitando-se
apenas a apoiar igualdades sociais para ambos os gêneros. Quando nasceste eras um pirralho deste tamanho; hoje estás
A alternativa D está incorreta porque a estampa da camiseta mais alto que eu.”, identifica-se ironia vinda do narrador quando
da menina tem, na verdade, o objetivo de contrariar os limites este afirma que o salário de Pancrácio crescerá como um bebê
impostos ao gênero feminino, mostrando que mulheres, além cresce até se tornar adulto. A quantia paga a ele é pouca,
de corajosas, também se interessam por ciência, assunto e o trabalhador recém-liberto não conseguirá juntar dinheiro
normalmente associado a homens. Por fim, a alternativa para tornar-se, de fato, um homem livre, independente; além
E está incorreta porque não será o produto anunciado o disso, é improvável que, com o passar dos anos, o valor pago
responsável por pregar a igualdade de gêneros. aumente. A atitude do narrador é hipócrita, portanto, porque ele
QUESTÃO 37 A5V4
mesmo sabe que o que está dizendo não é verdade e que está
apenas abusando da ingenuidade de Pancrácio. Dessa forma,
Crônica da abolição a alternativa correta é a C. As demais alternativas estão
[...] Toda a história desta lei de 13 de maio estava por mim incorretas porque os trechos não apresentam ironia ou hipocrisia
prevista, tanto que na segunda-feira, antes mesmo dos debates, por parte do narrador. Em A, B e E, veem-se declarações de
tratei de alforriar um molecote que tinha. [...] sentido denotativo, sem tom hipócrita ou irônico, já que é dito
Disse-lhe com rara franqueza: o que de fato se pretende dizer, sem falsidade. Na alternativa
– Tu és livre, podes ir para onde quiseres. Aqui tens casa amiga, D, também não se vê ironia ou hipocrisia na fala do narrador,
já conhecida, e tens mais um ordenado, um ordenado que... pois, por meio de uma metáfora e de uma comparação, ele faz
– Oh! meu senhô! Fico. uma declaração positiva sobre Pancrácio.
– Um ordenado pequeno, mas que há de crescer. Tudo QUESTÃO 38 ØY7C
cresce neste mundo: tu cresceste imensamente. Quando
– Aí, beleza? Você joga bola?
nasceste eras um pirralho deste tamanho; hoje estás mais alto
– Jogo.
que eu. Deixa ver; olha, és mais alto quatro dedos...
– A gente tá precisando de um lateral direito pra
– Artura não qué dizê nada, não, senhô... completar o time da turma, tá afim?
– Pequeno ordenado, repito, uns seis mil-réis: mas é de – Tô dentro.
grão em grão que a galinha enche o seu papo. Tu vales muito – Aí, gente, fechamos o time! Qual é seu nome?
mais que uma galinha. – É Léo.
– Eu vaio um galo, sim, senhô. – Vem pra cá, Léo! Chega mais! – chamou um outro garoto.
– Justamente. Pois seis mil-réis. No fim de um ano, se REBOUÇAS, T. Ela disse, ele disse. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

andares bem, conta com oito. Oito ou sete. Por causa de influências históricas, sociais, regionais, entre
Pancrácio aceitou tudo: aceitou até um peteleco que lhe dei outras, a variação linguística do Brasil é rica e retrata a
no dia seguinte, por me não escovar bem as botas; efeitos da diversidade de seu povo. No trecho apresentado, à procura
liberdade. Mas eu expliquei-lhe que o peteleco, sendo um impulso de mais um jogador de futebol, um garoto convida Léo para
natural, não podia anular o direito civil adquirido por um título completar o time. A linguagem utilizada
que lhe dei. Ele continuava livre, eu de mau humor; eram dois
A. pertence à variedade culta da língua e está adequada
estados naturais, quase divinos. Tudo compreendeu o meu bom
ao contexto, pois os garotos acabaram de se conhecer.
Pancrácio: daí para cá, tenho-lhe despedido alguns pontapés.
B. representa o modo de falar dos garotos daquela idade,
MACHADO DE ASSIS. Crônica da abolição.
Disponível em: <http://portal.mec.gov.br>. Acesso em: 07 ago. de 2014. pois a informalidade é comum nesse grupo de falantes.

LCT – PROVA I – PÁGINA 22 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


C. está em desacordo com o contexto, pois a informalidade Em um país territorialmente tão grande como o Brasil, é
do ambiente pede que a linguagem seja coloquial. impossível não haver variedade linguística. Sobre essa
D. reforça a ideia de como os jovens se expressam mal, diversidade exposta no texto, conclui-se que
pois esse modo de falar não condiz com a norma-padrão. A. as influências de outras culturas no país contribuíram
E. dificulta a compreensão dos garotos, pois as abreviações para que a Língua Portuguesa alcançasse todos os
das palavras e o uso de gírias são inadequados. falantes do território brasileiro.
B. os sotaques interferem na compreensão e na qualidade
Alternativa B
da Língua Portuguesa, apesar de esta ser falada de
Resolução: Um diálogo entre dois garotos exemplifica a norte a sul do país.
variedade linguística presente na fala das pessoas. É importante C. as outras línguas, embora plenamente usadas, são
lembrar que a relação entre fala e contexto é o que define o bom irrelevantes, visto que a maioria da população usa a
uso da língua. Dessa forma, deve-se relacionar a fala à situação Língua Portuguesa.
em que as personagens estão inseridas. A alternativa B é a D. as línguas faladas pela minoria são desvalorizadas pela
correta, pois a linguagem utilizada, com expressões coloquiais, população geral, que sabe muito pouco ou nada sobre
representa o modo de falar dos jovens. Além disso, o contexto a existência e a importância delas.
em que estão inseridos (ambiente informal e descontraído) E. os portugueses esforçaram-se para que a Língua
os desobriga a utilizar a norma-padrão. A alternativa A está Portuguesa dominasse o Brasil por considerarem
incorreta, pois os garotos não estão falando de acordo com a inferiores as outras línguas.
variedade culta. Na conversa, termos como “tá afim” e “tô dentro” Alternativa D
não pertencem à norma-padrão da língua. A alternativa C
Resolução: O texto fala sobre a diversidade linguística do
está incorreta, porque a linguagem não está em desacordo
Brasil, que, embora tenha a Língua Portuguesa como oficial,
com o contexto, visto que a coloquialidade pode estar inserida
também possui várias outras línguas que são amplamente
em contexto informal. A alternativa D também está incorreta,
utilizadas, como as indígenas. Deve-se interpretar o texto
pois falar de maneira coloquial não significa se expressar mal.
Para aquele momento, a linguagem, embora fuja à norma- observando sua organização e objetivo, que é esclarecer que
-padrão, estava sendo utilizada adequadamente. Além disso, essa diversidade se configura como importante patrimônio
é equivocado afirmar que a variedade linguística, seja qual nacional a ser preservado, pois revela a identidade e a
for, interfira na qualidade da Língua Portuguesa. A alternativa memória do povo brasileiro. A alternativa D é a correta, pois
E está incorreta porque as palavras “tá” e “tô” e as gírias o texto afirma que esse patrimônio ainda é desconhecido
“tá afim” e “chega mais”, além de serem adequadas para o por grande parte da população brasileira. Desse modo,
contexto, não dificultam a compreensão dos garotos, já que é possível afirmar que essas línguas não são valorizadas.
essa é normalmente a forma como os jovens comunicam-se A alternativa A está incorreta, pois, de acordo com o texto,
em seu grupo. a Língua Portuguesa alcançou todo território brasileiro por
causa da imposição dos portugueses, e não pela contribuição
QUESTÃO 39 WYS4
de outras culturas. A alternativa B está incorreta porque,
O Brasil figura entre os países de maior diversidade
linguística. Estima-se que, atualmente, são faladas mais de apesar de existirem muitos sotaques regionais, a Língua
200 línguas. A partir dos dados levantados pelo Censo IBGE Portuguesa é plenamente inteligível em todo o país, de norte
de 2010, especialistas calculam a existência de pelo menos a sul. A alternativa C está incorreta porque a diversidade
170 línguas ainda faladas por populações indígenas. linguística é considerada um patrimônio cultural brasileiro,
Embora não contabilizadas pelo Censo, pesquisas na ou seja, é reconhecida pela sua importância, mesmo sendo
área de linguística também apontam para outras línguas
a Língua Portuguesa a mais utilizada no país. A alternativa E,
historicamente “situadas” e amplamente utilizadas no
por fim, está incorreta, pois os portugueses esforçaram-se
Brasil, além das indígenas: línguas de imigração, de sinais,
de comunidades afro-brasileiras e línguas crioulas. Esse para introduzir a Língua Portuguesa em todo o Brasil não
patrimônio cultural é desconhecido ou mesmo ignorado por considerarem as outras línguas inferiores, e sim porque
por grande parte da população brasileira. queriam dominar e ocupar o território.
A historiografia do país demonstra que foi necessário
QUESTÃO 40 M8W6
considerável esforço do colonizador português em impor
sua língua pátria em um território tão extenso. Trata-se HABITUE-SE A INDICAR NO RECIBO DO SEU TELEGRAMA A HORA EM QUE
de um fenômeno político e cultural relevante o fato de, O RECEBER. COM ESSA PROVIDÊNCIA, AUXILIARÁ O DEPARTAMENTO NA
na atualidade, a Língua Portuguesa ser a língua oficial e FISCALIZAÇÃO DA ENTREGA DOS TELEGRAMAS
plenamente inteligível de norte a sul do país, apesar das = CONFIRMO MINHA PRESENÇA JANTAR DIA TRES VG QUANDO TEREI
SEMPRE RENOVADO PRAZER ABRACAR VELHOS ET PREZADOS AMIGOS
especificidades e da grande diversidade dos chamados PRESTIGIOSO PT CORDIALMENTE =
“sotaques” regionais. Esse empreendimento relacionado à
TEXTO ASSINATURA

imposição da Língua Portuguesa foi adotado enquanto uma


das estratégias de dominação, ocupação e demarcação
das fronteiras do território nacional, sucessivamente, em
praticamente todos os períodos e regimes políticos. Da
Colônia ao Império, da República ao Estado Novo e daí
em diante.
GARCIA, M. V. C. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br>. Disponível em: <http://www.anosdourados.blog.br>.
Acesso em: 27 out. 2016 (Adaptação).
Acesso em: 21 out. 2016. [Fragmento]

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 23


O telégrafo foi um meio de comunicação popular no Brasil A. identifica semelhança sonora entre o substantivo “oceano”
ao longo dos séculos XIX e XX. Um dos gêneros textuais e a desinência número-pessoal de “amo”.
decorrentes dele era o telegrama, correspondência social B. associa uma ideia de ação ao substantivo concreto
caracterizada pela pronta-entrega e por seu texto curto, “água”, inserindo-o entre dois pronomes pessoais.
já que a cobrança era feita por palavra. A necessidade de
C. percebe a semelhança de som nos vocábulos terminados
compor um texto simples inovou a língua, como comprovado, em “r”, empregando-os todos como verbos.
no texto anterior, pela
D. impõe noção de experiência no lugar de ação ao utilizar
A. dispensa de todos os sinais diacríticos. o verbo “viver” como um substantivo.
B. supressão de preposições e conjunções. E. trabalha a ambiguidade apresentada pelo vocábulo
C. omissão do sujeito em todas as orações. “por”, sendo tanto um verbo como uma preposição.
D. utilização de abreviações em termos longos. Alternativa A
E. ausência de marcadores de pausa na escrita. Resolução: O substantivo “oceano”, no texto, é empregado
Alternativa B como verbo conjugado na primeira pessoa do singular do
presente do indicativo: “eu oceano”. O vocábulo que rima
Resolução: A principal inovação na língua identificada no
com “oceano” é “amo”, verbo “amar” conjugado na primeira
texto-base é a supressão de preposições e conjunções pessoa do singular do presente do indicativo. Dessa forma,
na articulação de palavras ou orações. Isso se dava para por notar a semelhança sonora entre esses vocábulos,
economizar dinheiro, uma vez que a cobrança do telegrama o autor estruturou a rima dos versos em que aparecem,
era feita por palavra. Dessa forma, preposições e conjunções portanto a alternativa A é a correta. B está incorreta porque
não eram usadas quando a ideia pretendida pelo emissor não é atribuída ação a “água”, que não é verbo, embora
estava subentendida. A alternativa correta, então, é a B. esteja na composição do verbo “desaguar”; além disso, o fato
A alternativa A está incorreta porque a dispensa dos sinais de esse substantivo estar entre pronomes não tem relação
diacríticos – acentos e cedilha – não aponta inovação com a classe gramatical a que pertence. A alternativa C está
na língua trazida pelo telegrama, pois já eram postas em incorreta porque nem todos os vocábulos terminados em “r” no
prática anteriormente em textos informais, como bilhetes, trecho são verbos, já que “dor” é substantivo. A alternativa D
por exemplo; além disso, esses sinais não eram usados nos está incorreta porque “viver” é empregado, no texto, como
telegramas por uma limitação dos aparelhos de telegrafia. verbo, não como substantivo. Por fim, a alternativa E está
A alternativa C está incorreta porque a omissão do sujeito incorreta porque não há duplo sentido no vocábulo “por”,
também já existia previamente ao uso do telegrama, sendo que é uma preposição, já que há o acento diferencial na
um recurso da Língua Portuguesa, uma vez que é possível grafia do verbo “pôr”.
identificar o sujeito pelas desinências do verbo. A alternativa D
QUESTÃO 42 MI2R
também está incorreta porque no texto apresentado não há
abreviações de termos longos; “vg” é “vírgula”, “pt” é “ponto-final”, Linha de frente
e “et” é uma adaptação da conjunção aditiva “e” a fim de O nó da tua orelha ainda dói em mim
que não seja confundida com o verbo “ser” conjugado E Cebolinha mandou avisar
na terceira pessoa do singular do modo indicativo, “é”. Quando a “fleguesa” chegar
Por fim, a alternativa E está incorreta porque no texto há Muitos pãezinhos há de degustar
sim marcadores de pausa: a vírgula e o ponto-final são
representados, respectivamente, por “vg” e “pt”. Magali faz a cadência da situação
É que essa padaria nunca vendeu pão
QUESTÃO 41 5KQ9
E tudo que é de ruim sempre cai pra cá
Oceano Tem pouca gente na fronteira, então é só chegar
Vem me fazer feliz
Porque eu te amo O dinheiro vem pra confundir o amor
Você deságua em mim O santo pesado que tá sem andor
Na turma da Mônica do asfalto
E eu oceano
Cascão é rei do morro e a chapa esquenta fácil
Esqueço que amar
É quase uma dor
Quem tá na linha de frente
Não pode amarelar
Só sei O sorriso inocente
Viver Das crianças de lá
Se for
Disponível em: <http://www.letras.com.br>. Acesso em: 20 out. 2016.
Por você
DJAVAN. Oceano. In: Djavan. Djavan. LP. Luanda Edições Musicais, O rapper Criolo evidencia, em seu discurso, a preocupação
1989. [Fragmento]
com o povo brasileiro, levando para suas canções a realidade
No texto da canção, como recurso estrutural, o autor muda a das periferias. Em “Linha de frente”, o cantor refere-se à
classe gramatical de um dos vocábulos. Essa estratégia implica Turma da Mônica, conhecida história em quadrinhos de
subjetividade temática, demonstrando que o compositor Mauricio de Sousa, para

LCT – PROVA I – PÁGINA 24 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


A. denunciar o trabalho infantil presente nas favelas QUESTÃO 43 KWN5

brasileiras, em que crianças se sujeitam a empregos O meu nirvana


no comércio local em troca de um salário ínfimo, pois
No alheamento da obscura forma humana,
estão na linha de frente do sustento da família.
De que, pensando, me desencarcero,
B. refletir sobre o abandono das crianças de periferia,
Foi que eu, num grito de emoção, sincero
que vivem ociosas, observando o movimento da rua
Encontrei, afinal, o meu nirvana!
e do comércio sem fregueses, e conscientes de sua
condição, sem dinheiro e assistência.
Nessa manumissão schopenhauereana,
C. falar da realidade das crianças envolvidas com o tráfico
Onde a vida do humano aspecto fero
no Brasil, que utilizam os comércios de fachada para a
Se desarraiga, eu, feito força, impero
venda de drogas, as quais entram facilmente no país
Na imanência da ideia soberana!
porque as fronteiras são pouco vigiadas.
D. homenagear as personagens, fazendo uma menção
Destruída a sensação que oriunda fora
ao seu papel de representantes das crianças, tanto
do morro quanto dos grandes centros, mesmo sendo Do tato – ínfima antena aferidora

essas realidades tão diferentes. Destas tegumentárias mãos plebeias –

E. mostrar como a realidade das crianças da periferia é


difícil, pois, como há policiamento na fronteira, o que Gozo o prazer, que os anos não carcomem,
há de pior na sociedade vai para lá, afastando-as das De haver trocado a minha forma de homem
pessoas que evitam frequentar esses locais. Pela imortalidade das ideias
Alternativa C ANJOS, A. O meu nirvana. In: Eu e outras poesias. 3. ed. São Paulo:
Livraria Martins Fontes Editora, 2011.
Resolução: A questão apresenta a música “Linha de frente”,
No soneto de Augusto dos Anjos, o eu lírico reflete acerca
do cantor e compositor Criolo, cujo discurso está muito
de sua imortalidade como poeta. O gênero literário em que
ligado à situação do povo pobre, dos moradores de favelas esse poema se enquadra é o lírico, pois a voz poética
e periferias do Brasil. Deve-se atentar para a utilização da
A. usa da confluência de tempos, espaços, ações e vozes
figura de linguagem metáfora, que dá a uma palavra uma na construção do texto.
nova significação em sentido conotativo. No caso da música,
B. busca homenagear o autor Schopenhauer por meio de
ele utiliza a imagem da Turma da Mônica para retratar linguagem grandiloquente.
a realidade das crianças brasileiras que vivem em situação C. dá vazão à sua subjetividade num texto em que
de vulnerabilidade social. A alternativa C é a correta, pois prevalecem rima e musicalidade.
o autor fala sobre a realidade vivida pelas crianças no tráfico. D. trabalha uma temática cotidiana numa ordem sequencial
Na música, a padaria serve de fachada para um ponto de e progressiva de tempo.
venda de drogas (os “pãezinhos” que os fregueses vão E. narra seus grandes feitos, citando o autor Schopenhauer,
degustar). Outro indício importante sobre o tráfico está no aqui visto como o herói.
trecho “Tem pouca gente na fronteira, então é só chegar”, Alternativa C
que mostra que as fronteiras do Brasil são mal vigiadas, Resolução: O enunciado da questão afirma que o texto de
o que facilita a entrada de drogas no país. A alternativa A Augusto dos Anjos enquadra-se no gênero literário lírico.
está incorreta, pois, embora haja uma referência a um tipo de Partindo daí, deve-se buscar a justificativa de tal afirmação.
trabalho, este não é no comércio. A padaria citada na música Como no texto o autor expõe impressões sobre si mesmo e o
não existe de fato, servindo apenas de fachada para a ação mundo que o cerca, confirma-se a existência de subjetividade;
por fim, tratando-se de um poema estruturado num soneto,
de criminosos (“É que essa padaria nunca vendeu pão”).
vê-se que os versos rimam, criando a musicalidade natural
Além disso, “linha de frente” não significa a responsabilidade ao gênero lírico. Portanto, a alternativa correta é a C.
pelo sustento da família, mas relaciona-se às brigadas A alternativa A descreve o gênero épico, mais especificamente
policiais que vão enfrentar manifestações nas favelas. os textos em prosa, como romance ou conto. B descreve uma
A alternativa B está incorreta, pois, como citado anteriormente, elegia, que se enquadra no gênero lírico, no entanto o texto
a música não fala sobre o comércio. A alternativa D está de Augusto dos Anjos é um soneto e não visa homenagear o
autor alemão. D está incorreta porque, como a alternativa A,
incorreta, pois a intenção não é homenagear a Turma da
descreve os textos em prosa do gênero épico; além
Mônica, e sim usar sua imagem para retratar as crianças
disso, não há, no soneto em questão, temas cotidianos
do tráfico. Por fim, a alternativa E está incorreta, pois, como apresentados em ordem cronológica. Por fim, a alternativa
especificado, a fronteira refere-se às regiões de divisa do E está incorreta porque o gênero que apresenta os grandes
país, não à entrada da favela. feitos de um herói é o épico, mais especificamente a epopeia.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 25


QUESTÃO 44 YQ7Ø QUESTÃO 45 EWTP

Disponível em: <www.ivancabral.com>. Acesso em: 27 fev. 2012.

O efeito de sentido da charge é provocado pela combinação


de informações visuais e recursos linguísticos. No contexto Disponível em: <http://www.ebah.com.br>. Acesso em: 08 nov. 2016.
da ilustração, a frase proferida recorre à
A linguagem publicitária visa atrair vendas para o produto que
A. polissemia, ou seja, aos múltiplos sentidos da expressão anuncia usufruindo de recursos linguísticos e expressivos
“rede social” para transmitir a ideia que pretende veicular. variados. A forma e o vocabulário apresentados no texto,
B. ironia para conferir um novo significado ao termo que divulga um jornal impresso, têm como objetivo
“outra coisa”. A. alertar os leitores sobre o problema da comunicação
C. homonímia para opor, a partir do advérbio de lugar, o no país, apresentando como solução o uso de termos
espaço da população pobre e o espaço da população coloquiais na publicação.
rica. B. esclarecer que os jornalistas preferem a linguagem
D. personificação para opor o mundo real pobre ao mundo informal por não causar polêmicas ou distorções na
virtual rico. intenção discursiva.
E. antonímia para comparar a rede mundial de C. convidar o leitor a ler o periódico, já que neste é
computadores com a rede caseira de descanso da empregada uma linguagem acessível e popular para
família. relatar os fatos acontecidos.
Alternativa A D. demonstrar que a informalidade, juntamente com os
Resolução: O humor da charge advém da polissemia da regionalismos, também é tema de notícias, mesmo
expressão “rede social”. Uma rede social, pelos paradigmas aparentando não ser.
socioculturais do século XXI, é uma estrutura social formada por E. divulgar que a “língua da gente” é a informal, embora
pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos haja normas e convenções em textos de outros jornais
de relações; no entanto, a personagem na charge, associando em circulação.
o termo à sua realidade – uma família humilde, com muitos Alternativa C
filhos, e sem acesso à Internet –, usa uma outra acepção da
palavra “rede”: leito composto por um tecido resistente que Resolução: Quando emprega termos coloquiais e regionais
geralmente é pendurado em paredes ou troncos de árvores. no anúncio, com o texto saindo de uma ilustração da boca
Além disso, o termo “social” é empregado pelo pai da família porque de uma pessoa, o jornal busca conquistar o leitor mostrando
a rede é usada por muitas pessoas ao mesmo tempo, inferindo que fala a mesma língua que ele, ou seja, usa uma linguagem
até mesmo que esse seja o único lugar disponível para a família acessível, com palavras que estão na “boca do povo”.
dormir. Da polissemia usada para provocar humor o chargista
A alternativa C, dessa forma, está correta. A alternativa A
faz uma dura crítica à desigual distribuição de renda no Brasil.
está incorreta porque o anúncio não sugere haver problema
A alternativa correta, portanto, é a A. A alternativa B está incorreta
de comunicação nem propõe medidas que o resolvam.
porque o termo com dois significados no texto é “rede social”;
Alternativa B está incorreta porque o anúncio também não
além disso, a duplicidade de sentido é não decorrente de ironia
levanta o posicionamento dos jornalistas a respeito de qual
alguma. C, porque não é o termo com valor de advérbio de lugar
linguagem eles preferem usar. A alternativa D está incorreta
(“aqui em casa”) que opõe ricos e pobres, mas toda a confluência
porque a linguagem informal do jornal anunciado não é tema
do texto verbo-visual na tirinha; além disso, o caso de homonímia
de uma notícia, mas o meio escolhido pelo veículo para
ocorre na palavra “rede”. Por fim, D e E estão incorretas porque
levar os fatos a seus leitores. Por fim, a alternativa E está
não há no texto ocorrências de personificação, já que nenhum
incorreta porque, mais uma vez, nem os jornalistas nem o
objeto inanimado recebe atributos de ser humano; ou antonímia,
jornal demonstram juízo de valor a respeito das linguagens
pois a rede de computadores e a rede de descanso não são
formal ou informal; o que fazem é usar de coloquialismos
comparadas entre si, e, caso fossem, não seria por meio de
para atrair um público-alvo determinado.
antonímia, mas de comparação.

LCT – PROVA I – PÁGINA 26 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


6PJX
INSTRUÇÕES PARA A REDAÇÃO
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de
linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.
4. Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:
4.1. tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo considerada “texto insuficiente”.
4.2. fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo.
4.3. apresentar parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.
4.4. apresentar nome, assinatura, rubrica ou outras formas de identificação no espaço destinado ao texto.
TEXTOS MOTIVADORES
TEXTO I TEXTO III

O atual conceito de família valoriza a dignidade da pessoa Composição das famílias brasileiras
2000 2010
humana, no momento em que tutela o afeto como o ponto Casal sem filhos
13%
central, o próprio coração de uma legítima família. A família 17,7%

é um vínculo de afeto e é protegida constitucionalmente, Casal sem filhos e com parentes


1,9%
considerada como a base da sociedade. A diversidade sexual 2,5%
Casal com filhos
com a sua pluralidade afetiva deve ser compreendida como
56,4%
um elemento de integração social. 49,4%
Casal com filhos e com parentes
SENA, M. T. C. Novas formas de família. Disponível em: 7,2%
5,5%
<http://ambito-juridico.com.br>. Acesso em: 14 nov. 2016.
Mulher sem cônjuge com filhos
11,6%
TEXTO II 12,2%

O projeto de lei 6 583 / 13 [Estatuto da Família], de autoria Mulher sem cônjuge com filhos e com parentes
3,7%
do deputado Anderson Ferreira (PR-PE), [...] apresenta, 4%
Homem sem cônjuge com filhos
logo no artigo 2º, a definição de família: “define-se entidade 1,5%
1,8%

Reprodução / Fonte: IBGE


familiar como o núcleo social formado a partir da união entre
Homem sem cônjuge com filhos e com parentes
um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união 0,4%
0,6%
estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos Outros
4,2%
pais e seus descendentes.” 6,3%
Disponível em: <http://g1.globo.com>. Acesso em: 06 dez. 2016.
A proposta está de acordo com o que diz a Constituição
Federal de 1988, mas vai de encontro a uma decisão do TEXTO IV

Supremo Tribunal Federal brasileiro de 2011. [...] Neste [...] De acordo com o IBGE, que elaborou o estudo
ano, ministros do STF reconheceram por unanimidade Estatísticas de Gênero, em 2000, as mulheres chefiavam

a união entre pessoas do mesmo sexo como família, 24,9% dos 44,8 milhões de domicílios particulares.
Em 2010, 38,7% dos 57,3 milhões de domicílios registrados
igualando direitos e deveres de casais heterossexuais e
já eram comandados por mulheres. Segundo a Secretaria
homossexuais. E, em 2013, o CNJ (Conselho Nacional de
de Políticas para as Mulheres (SPM), em mais de 42%
Justiça) regulamentou a união homoafetiva por meio de
destes lares, a mulher vive com os filhos, sem marido ou
resolução que obriga os cartórios a realizar o casamento
companheiro. Neste cenário de dificuldades e desafios, elas
civil entre pessoas do mesmo sexo. conquistaram muito, mas é preciso avançar mais. [...]
Disponível em: <http://noticias.uol.com.br>. Acesso em: 14 nov. 2016. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br>. Acesso em: 14 nov. 2016.
[Fragmento] [Fragmento]

PROPOSTA DE REDAÇÃO
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação,
redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da Língua Portuguesa sobre o tema
“Pluralidade familiar no Brasil: desafios e perspectivas”, apresentando proposta de intervenção que respeite
os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para
defesa de seu ponto de vista.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 LCT – PROVA I – PÁGINA 27


A proposta de redação orienta-se por uma temática geral:
PLURALIDADE FAMILIAR NO BRASIL: DESAFIOS E PERSPECTIVAS
Toda a coletânea apresenta informações referentes a esse tema e, de modo geral, também oferece elementos para que os
alunos consigam problematizar seu enfoque. A proposição de um título não é obrigatória na redação do Enem. No entanto,
caso os alunos optem por colocar um título, a correção deve penalizar apenas aqueles alunos que colocaram o tema como
título (em contexto algum o TEMA deve ser usado como TÍTULO).
Itens de correção de acordo com a grade Enem:
I. Item destinado à avaliação da composição linguística do texto (uso da norma-padrão). Para isso, são considerados os
aspectos de domínio gramatical explorados na estruturação do raciocínio: uso de concordância verbo-nominal, acentuação
gráfica, ortografia, variedade vocabular, pontuação, entre outros recursos que, caso sejam mal utilizados, devem ser
penalizados. Vale ressaltar que o aspecto linguístico deve ser considerado em função do conteúdo do texto. Desse modo,
se o texto for claro, mas apresentar algumas falhas gramaticais, estas devem ser penalizadas de forma moderada ou não
devem ser penalizadas (caso não haja prejuízos para o conjunto textual).
• Número máximo de erros linguísticos para obtenção de nota total nessa competência: dois erros (acima disso, penalizar
na correção). ATENÇÃO: este item é avaliado em consonância com o item IV.
II. Na compreensão do tema, os alunos devem explorar as variadas composições familiares no Brasil. Para isso, é interessante
que se contextualize, inicialmente, a diversidade na constituição dos núcleos familiares brasileiros contemporâneos e a
complexidade prática de se definir um conceito de família. Com relação ao cumprimento do objetivo, os alunos devem perceber
a necessidade de criar um enfoque problematizador do tema (desafios e perspectivas), já que é solicitada a criação de uma
proposta de intervenção. Desse modo, os alunos podem propor uma tese de raciocínio relacionada, por exemplo, às tensões
sociais e jurídicas derivadas do entendimento restrito do pluralismo familiar, dando especial destaque ao contexto de discriminação
e luta por direitos de certos modelos que fogem à família tradicional, como os núcleos homoafetivos ou monoparentais.
• Sinalizar, na correção, existência ou ausência da tese de raciocínio. Caso não haja TESE no texto dos alunos, este
item deve ser penalizado com maior rigor (nota mínima ou ZERO). Penalizar também a presença de trechos mais longos
que escapem às tipologias argumentativa e expositiva (como os de cunho narrativo). ATENÇÃO: este item é avaliado em
consonância com o item III.
III. Com relação à terceira habilidade avaliada, domínio da estrutura textual argumentativa, os alunos devem confirmar ou
discutir sua tese por meio de estratégias argumentativas diversificadas, com certo grau de ineditismo e autoria, procurando
fugir, ao menos parcialmente, de uma abordagem atrelada ao senso comum. No caso desta proposta, os alunos podem utilizar,
por exemplo, alusões históricas que ajudem a discutir a inevitável expansão do conceito de família (a desconstrução da família
patriarcal pelas conquistas feministas e dos grupos LGBTs é uma possibilidade), definições (o conceito jurídico moderno de
família, como pessoas que convivem sob o mesmo lar, com laços afetivos e não necessariamente consanguíneos, é um
caminho possível), dados concretos (como as estatísticas do IBGE, no texto IV, de que quase 40% dos lares brasileiros são
de famílias monoparentais lideradas por mulheres, ou mesmo a menção à problemática tramitação do Estatuto da Família
no Congresso Nacional). Em sua problematização, os alunos podem enfocar, especialmente, as famílias homoafetivas e as
dificuldades que vivenciam na conquista efetiva de seus direitos (resistência de certos setores conservadores da sociedade,
apesar das garantias legais; maior burocracia no processo de adoção e registro de seus filhos, etc.), assim como as famílias
monoparentais lideradas por mulheres (pensar no preconceito e abandono que as mães solteiras ainda enfrentam, aliados à
dificuldade jurídica para reconhecimento da paternidade, por exemplo).
• A ausência de problematização do enfoque deve ser penalizada (nota igual ou inferior a 50%). ATENÇÃO: este item deve
ser avaliado em conexão com o item II, para que não haja penalização dupla dos mesmos problemas.
IV. Na quarta habilidade, domínio da estrutura linguístico-semântica, os alunos devem demonstrar uso coerente de
sequências discursivas, especialmente no que diz respeito às cadeias coesivas construídas no texto, com o auxílio de
determinadas ferramentas da norma-padrão (pontuação, uso correto de conectores, etc.). As relações coesivas devem ser
avaliadas entre as sentenças e entre os parágrafos.
• ATENÇÃO: este item deve ser avaliado em conexão com o item I, para que não haja penalização dupla dos mesmos
problemas.
V. Na quinta habilidade avaliada, proposta de intervenção, os alunos devem propor algumas estratégias para tentar solucionar
as situações-problema apresentadas ao longo do texto. Este item é muito importante na prática de redação do Enem, portanto
deve haver detalhamento e variedade nas propostas apresentadas. Os alunos podem, por exemplo, propor que ONGs que
militam pela causa homoafetiva mobilizem a sociedade civil para exercer uma pressão popular contrária à aprovação do
Estatuto da Família ou a qualquer outro instrumento jurídico que contribua para a diferenciação dos núcleos familiares.
Também é viável que escolas e universidades, órgãos midiáticos e instituições religiosas contribuam para a discussão em
defesa do respeito à pluralidade familiar, à parte de convicções ideológicas. Pode-se, além disso, mencionar a necessidade
de um maior aporte financeiro, jurídico e emocional às famílias monoparentais de baixa renda por meio de políticas públicas
ou de projetos sociais voluntários.
• A intervenção proposta pelos alunos deve estar em conformidade com a tese e a argumentação desenvolvidas ao
longo do texto. Do contrário, deve haver penalização.

LCT – PROVA I – PÁGINA 28 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS QUESTÃO 47 QRZD

Questões de 46 a 90

QUESTÃO 46 81KV

Assim formou-se a Liga de Delos, com Atenas


encarregando-se de garantir a proteção das cidades que
dela faziam parte mediante um tributo destinado a financiar
a constituição e o funcionamento da frota.
MARITAIN, J. A filosofia da natureza. São Paulo: Edições Loyola. p. 27.

A Liga de Delos, importante instrumento na luta contra os


persas, assumiu dimensão distinta da destacada no texto,
na medida em que os(as)
A. cidades gregas propunham um papel agressivo na
busca da formação de um império.
B. pitonisas de Delfos profetizaram a ameaça proveniente
Disponível em: <http://www.italiamedievale.org>. Acesso em: 19 out. 2016.
da Guerra do Peloponeso.
A imagem retrata figuras femininas do século XIV na defesa
C. espartanos compreenderam o papel militar decisivo
de um castelo. Essa representação questiona a
dos povos de origem dória.
A. versão de que as mulheres eram consideradas inferiores
D. gregos foram invadidos pelas tropas militares pelos homens medievais.
macedônicas de Alexandre, o Grande. B. definição tradicional de sociedade estamental justificada
E. recursos arrecadados foram desviados para os ideologicamente pela Igreja.
interesses exclusivos da pólis ateniense. C. concepção de que as mulheres tinham papéis sociais
ligados ao trabalho doméstico.
Alternativa E D. interpretação historiográfica que limita aos homens a
Resolução: participação nos combates.
E. visão que restringe os papéis sociais exercidos pelas
A) As cidades gregas formaram a Liga de Delos com a mulheres no Período Medieval.
finalidade de garantir a defesa de seus territórios, não de Alternativa E
atacar outros povos e formar um império. Resolução:

B) O domínio ateniense provocou insatisfação não apenas A) Apesar de as mulheres exercerem variados papéis sociais,
além do tradicional papel doméstico, os homens medievais
das cidades que compunham a Liga de Delos, mas
consideravam-se superiores a elas. Portanto, a imagem não
também das cidades aristocráticas do Peloponeso, que problematiza essa versão histórica, isto é, combatendo ou
não se alinhavam com Atenas. Esse fato deu origem à Liga não, as mulheres eram consideradas inferiores na sociedade
do Peloponeso, ou seja, uma aliança entre essas cidades- medieval.
-estados insatisfeitas, sob a liderança de Esparta. B) As mulheres da Idade Média foram realmente muito
Portanto, essa alteração sugerida pelo enunciado não se diferentes da tradicional imagem difundida pela Igreja ou pela
literatura, e que se perpetuou ao longo dos tempos. Contudo,
relaciona a profecias, mas a problemas internos.
apesar da possibilidade de participarem de combates,
C) A dimensão da Liga de Delos foi alterada por questões a organização estamental da sociedade medieval, que era
internas, como os abusos que a pólis ateniense foi justificada pela Igreja, não pode ser negada, sobretudo
acusada de cometer, não pelos interesses espartanos. porque essa divisão tradicional não se relaciona à questão
de gênero, mas sim aos grupos sociais (clero, nobreza e
D) O s gregos foram invadidos pelas tropas militares trabalhadores).
macedônicas após o enfraquecimento das poleis gregas, C) As mulheres medievais exerciam papéis sociais ligados ao
provocado pela longa Guerra do Peloponeso. Logo, esse trabalho doméstico, seja como filhas, esposas ou mães,
fato não se relaciona aos problemas internos da Liga de de modo que a participação nos combates não anula o
Delos. exercício de outras funções.
D) N ão existe uma interpretação historiográfica que
E) A Liga de Delos enfrentou problemas em decorrência
desconsidera a participação das mulheres nos
do questionamento das cidades aliadas sobre o uso do combates, apesar de esse universo ser composto
tesouro da Liga em benefício de Atenas. Desse modo, predominantemente pelos homens. Um exemplo
o objetivo firmado entre as poleis não foi cumprido, clássico da História é a participação da guerreira Joana
assumindo, assim, uma dimensão diferente. D’Arc na Guerra dos Cem Anos (1337-1453).

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 29


E) Ao longo dos tempos, foram reproduzidos estereótipos QUESTÃO 49 644X
acerca da figura feminina na Idade Média, que se limita a As três viagens de que Américo [Vespúcio] participou,
associá-la ao papel doméstico e de mãe, completamente
realizadas entre 1499 e 1503, tiveram o mérito de invalidar
submissa ao homem. Entretanto, a historiografia atual
Colombo. Depois delas, ficou claro que as novas terras
destaca que as condições da mulher no plano social podiam
[compunham] um continente desconhecido. Mesmo sem
ter muitas variações, isto é, a História rechaça qualquer
generalização. Além das mulheres guerreiras retratadas ter sido responsável direto por essa descoberta, Américo foi
na imagem, temos diversos exemplos do papel feminino recebido na Corte como autoridade na matéria.
medieval que extrapolam o campo doméstico: mulheres GOMES, P. F. Américo antes da América.
Disponível em: <http://www.revistadehistoria.com.br>.
artesãs, pintoras, parteiras, cabeleireiras, artistas, rainhas,
Acesso em: 23 out. 2015.
entre outros papéis. Pode-se ainda destacar que muitas
esposas, na ausência do marido (como no caso das No contexto da Expansão Marítima, o continente que
Cruzadas), tornavam-se responsáveis pela administração os europeus encontraram recebeu o nome de América,
das propriedades. em homenagem ao florentino Américo Vespúcio, mesmo
Colombo tendo sido o primeiro europeu a desembarcar
QUESTÃO 48 W55F oficialmente na região. Essa homenagem está relacionada
Talvez não haja melhor lugar para se observar o com o fato de que Américo Vespúcio
impacto inicial da queda das taxas de fertilidade da Europa A. invalidou a “descoberta” de Colombo, uma vez que
nas últimas décadas que a zona rural alemã, um problema o florentino realizou mais viagens que o navegante
com implicações assustadoras para a economia e a psique genovês.
do continente. B. possuía mais conhecimentos geográficos do que
[...] Colombo, pois aquele se apoiava na cartografia do
Em seu censo mais recente [2013], a Alemanha geógrafo grego Ptolomeu.
descobriu que havia perdido 1,5 milhão de habitantes. C. refutou, por meio de relatos detalhados, a tese de
Segundo especialistas, em 2060, a população do país poderá Colombo, o qual acreditava ter chegado ao Extremo
ter encolhido outros 19%, chegando a cerca de 66 milhões. Oriente.
Disponível em: <http://economia.estadao.com.br>. D. estudou em Florença, fato que lhe conferiu legitimidade,
Acesso em: 01 dez. 2015 (Adaptação).
pois a cidade era considerada uma referência em
Entre as medidas adotadas por alguns países europeus para assuntos náuticos.
evitar a grande escassez de mão de obra, destacam-se o(a) E. promoveu uma conquista bem-sucedida da América
A. redução do tempo de permanência dos trabalhadores do Sul, ao contrário de Colombo, que fracassou nesse
em atividade. intento.
B. contenção do fluxo migratório proveniente de países Alternativa C
mais pobres. Resolução: Após três viagens ao “novo mundo”, entre 1499
e 1503, Américo Vespúcio, por meio de relatos detalhados,
C. limitação do número de mulheres no mercado de trabalho.
refutou a tese de Colombo, que afirmava ter chegado ao
D. estímulo à natalidade por meio de subsídios financeiros
Extremo Oriente. Os apontamentos feitos por Vespúcio
aos pais.
renderam-lhe o reconhecimento na Corte como autoridade
E. geração de emprego para a população ativa em na matéria, e, em sua homenagem, o “novo continente” foi
idade adulta. batizado de América, o que torna correta a alternativa C.
Alternativa D Entretanto, contrariamente ao que afirma a alternativa A,
Resolução: Os países europeus têm taxas de natalidade o apontamento de Vespúcio não invalidou a “descoberta” de
insuficientes para manter o mesmo nível populacional. Colombo, pois ela foi fundamental para as viagens posteriores,
que reconheceriam as terras encontradas como pertencentes
A Alemanha tem a menor taxa de natalidade do mundo,
a um continente até então desconhecido e para a própria
o que despertou preocupações de escassez de mão de obra
colonização da América. Além disso, Colombo teria feito
e prejuízo à economia nacional. Para evitar isso, o país tem
quatro viagens às novas terras, enquanto Vespúcio teria feito
políticas governamentais de estímulo ao aumento da taxa
apenas três, o que corrobora para invalidar a alternativa A.
de fecundidade com subsídios aos pais.
Apesar de ter constatado a “descoberta” de um “novo
A alternativa A está incorreta, pois a tendência em países continente”, Vespúcio não empreendeu de fato um processo
com envelhecimento populacional é o prolongamento da de conquista da América do Sul, e Colombo, em suas
idade de aposentadoria. A alternativa B está incorreta, viagens, não alcançou as terras correspondentes à região
pois a chegada de jovens imigrantes é uma maneira de meridional do continente americano, o que vai de encontro à
preencher as lacunas no mercado de trabalho. A alternativa C alternativa E. Por fim, não há dados históricos ou informações
está incorreta porque, nesse caso, é necessário a inserção no texto que permitam afirmar que Vespúcio, por se apoiar
de mais mulheres na População Economicamente Ativa. na cartografia de Ptolomeu, possuía mais conhecimentos
A alternativa E está incorreta, pois a geração de emprego geográficos do que Colombo nem que o fato de ter estudado
para a população ativa em idade adulta não é uma medida em Florença conferia ao florentino legitimidade, o que torna
para evitar a grande escassez de mão de obra. inválidas as alternativas B e D.

CH – PROVA I – PÁGINA 30 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


QUESTÃO 50 HOT4 A América foi o continente das novas províncias: Novas
Eternos moradores do luzente Castela, Galiza, Granada, Espanha, [...]. Realmente [...], as
Estelífero polo, e claro assento, sociedades constituídas pelos europeus diferenciavam-se
Se do grande valor da forte gente sensivelmente das de seus países.
De luso não perdeis o pensamento, CORVISIER, A. História Moderna. São Paulo: Difel, 1980. p. 256.
[Fragmento]
Deveis de ter sabido claramente,
Como é dos fados grandes certo intento, A expectativa inicial dos europeus, de que a América era
Que por ela se esqueçam os humanos um território virgem onde poderiam reproduzir fielmente
De assírios, persas, gregos e romanos. sua própria civilização, não se concretizou. Um aspecto que
CAMÕES, L. Os Lusíadas. Disponível em: <http://www.dominiopublico. corrobora essa originalidade da sociedade colonial que se
gov.br>. Acesso em: 23 nov. 2016. [Fragmento]
constituiu na América Espanhola foi a
Um argumento baseado no trecho do poema épico de Camões A. adoção de aspectos da cultura nativa pelos colonos.
e outro fundamentado pela atual Historiografia, que buscam B. adesão do catolicismo por parte da população ameríndia.
justificar o pioneirismo português nas viagens ultramarinas,
C. rejeição dos valores europeus pelos povos nativos.
são, respectivamente:
D. miscigenação entre colonos e nativos incentivada
A. Capacidade técnica dos cosmógrafos / Financiamento
pela Coroa.
dos grupos mercantis.
E. imposição de critérios elitistas de organização social.
B. Heroísmo de figuras públicas / Domínio português da
navegação de cabotagem. Alternativa A

C. Vocação marítima do povo português / Vasta experiência Resolução:


dos navegadores. A) O contato entre os colonos europeus e a população nativa
D. Posição geográfica de Portugal / Desenvolvimento das promoveu um forte intercâmbio cultural entre esses povos.
ciências da navegação. Apesar da imposição dos valores espanhóis à América,
os colonos também receberam influência da cultura
E. Surgimento de novos instrumentos náuticos / Fundação
local, promovendo, assim, a formação de uma sociedade
da Escola de Sagres.
original, diferente daquela projetada pelos dominadores.
Alternativa C
B) A adesão do catolicismo pela população nativa fazia
Resolução: Para a solução desta questão, o aluno precisa parte do projeto espanhol de “transplantar” para a
não apenas compreender o trecho do poema de Luis de América a sua civilização. Logo, esse fator não se
Camões como estar atento às interpretações acerca dos
relaciona ao fracasso desse projeto.
motivos que garantiram a primazia portuguesa na conquista
dos mares durante a Expansão Marítima. Por isso, não basta C) A pesar de a resistência indígena estar presente
que o aluno perceba que o texto-base sugere que tais feitos durante todo o processo de conquista e de colonização
estariam intrinsicamente ligados a uma espécie de vocação, da América, ela não foi capaz de superar a extrema
que condicionava o destino de todo o povo português, mas violência que marcou esse processo. Essa violência do
também saber reconhecer razões tradicionalmente postas dominador foi responsável pela imposição da cultura
como fundamentais para a concretização daquele projeto, europeia, que hoje se manifesta nas línguas oficiais dos
como a importância da posição geográfica ou a atuação de países latino-americanos, na forte religiosidade cristã,
grandes personagens, como D. Henrique, por muito tempo nos hábitos alimentares, entre outros aspectos impostos.
tratado como o principal responsável por esse acontecimento.
D) A miscigenação entre os colonos e nativos existiu, mas
Sendo assim, a única alternativa correta é a C, que apresenta
não foi incentivada pela Coroa. Se esse incentivo oficial
a principal justificativa utilizada pelo poeta – uma espécie de
tivesse ocorrido, seria uma contradição ao projeto de
vocação marítima portuguesa –, além da razão que, atualmente,
“transplantar” para a América a sua civilização.
a Historiografia trata como a mais plausível para justificar
o sucesso português: o conhecimento dos cosmógrafos e, E) A imposição de critérios elitistas de organização social
especialmente, a experiência de navegadores que, muitas vezes, fazia parte do projeto espanhol, logo esse fator não se
não eram capazes de interpretar as cartas e os instrumentos de relaciona ao fracasso desse projeto.
orientação náutica desenvolvidos naquela época.
QUESTÃO 52 U6AU
QUESTÃO 51 AG3M
O conceito de lugar sempre esteve presente na análise
[...] Os europeus pensaram que a América lhes geográfica, sofrendo amplas considerações em diferentes
estava destinada. De início, o Novo Mundo constituiu um épocas. Por muito tempo, a Geografia tratou o lugar como
país de sonho, o Eldorado, e de aventuras. O sonho se
uma expressão do espaço geográfico sob uma dimensão
desfez depressa, a aventura permaneceu durante muito
pontual (localização espacial absoluta). Para ultrapassar
tempo a regra. A rápida derrocada dos impérios indígenas
esta ideia, a discussão de lugar tem sido realizada sob duas
deu aos europeus a impressão de que se encontravam
diante de uma natureza virgem que poderiam modelar. acepções: lugar e experiência e lugar e singularidade.
Como a América oferecia menos obstáculos e mais GIOMETTI, S.; PITTON, S. E.; ORTIGOZA, S. A. G. Leitura do
espaço geográfico através das categorias: lugar, paisagem e território.
interesses que a África, projetaram transplantar para Disponível em: <http://www.acervodigital.unesp.br>.
essa região sua civilização e engrandecer sua pátria. Acesso em: 05 dez. 2016 (Adaptação).

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 31


A Geografia, como ciência social, utiliza, em sua análise, um Alternativa D
conjunto de categorias que expressam sua identidade, ao Resolução:
discutir a ação humana no ato de ocupar, modificar e modelar A) O texto-base mostra que as revoltas escravistas da
a superfície terrestre. Dessa forma, a análise do lugar como Antiguidade “degeneraram em verdadeiras guerras civis”;
experiência pessoal caracteriza-se principalmente pela logo, elas foram capazes de desestabilizar a ordem
A. valorização da afetividade em relação ao ambiente. política, por isso, muitas vezes, os escravos envolvidos
nas revoltas serviam de “massa de manobra aos políticos
B. definição do espaço como realidade socialmente
ambiciosos”.
construída.
B) Geralmente, as lutas escravistas da Antiguidade contavam
C. interpretação da noção coletiva da análise espacial. com a participação de outros grupos sociais, como
D. inserção da noção de território como algo particular. camponeses e trabalhadores urbanos pobres. Além disso,
o texto-base evidencia que o grande problema dessas
E. redução dos limites entre tudo que é público e individual.
revoltas era a falta de um programa político próprio.
Alternativa A
C) O texto-base não discute sobre conquistas de alforrias, mas
Resolução: Deve-se completar o enunciado com um sobre as limitações das revoltas escravistas em relação
aspecto fundamental da categoria lugar. Essa característica ao combate da ordem escravista vigente. Além disso, era
corresponde à alternativa A, que apresenta a importância da comum, nesse contexto, as pessoas escravizadas obterem
experiência pessoal de cada um na definição de lugar – um a liberdade.
espaço vivenciado pelos seres humanos e relacionado aos
D) O texto-base destaca que as lutas escravistas da Antiguidade
significados e à afetividade. A alternativa B está incorreta,
foram incapazes “de ameaçar verdadeiramente a ordem
pois diz respeito à produção do espaço. A alternativa C estabelecida (escravista)”, afirmando, ainda, que os escravos
também está incorreta, pois o enunciado cita a experiência que se envolveram nesses conflitos “não apresentavam um
pessoal, e não a experiência grupal de espaço. A alternativa programa político próprio”. Essas informações evidenciam
D está incorreta porque a noção de território é diferente da que as revoltas eram limitadas por não apresentarem uma
de lugar. A alternativa E está incorreta, pois não se relaciona organização capaz de alterar a estrutura social vigente, ou,
à caracterização de lugar. ao menos, uma proposta para isso.
E) Apesar de o texto-base discutir a limitação das revoltas
QUESTÃO 53 QZAM
escravistas, em razão de elas não conseguirem combater
Uma das revoltas de escravos mais conhecida é a ordem escravista, não se pode afirmar que sejam
a de Espártaco, ocorrida no ano 70, a partir da fuga insignificantes historicamente. Em outros aspectos,
de um grupo de gladiadores na Campânia [...]. Outras elas tiveram grande importância no mundo antigo.
revoltas igualmente famosas foram as da Sicília de
136 a 133 [...]. Estes dois movimentos, não obstante QUESTÃO 54 8C9D

terem provocado, pelas suas dimensões, o pânico [Tom] Standage, editor de conteúdo do site da
entre os romanos, não foram capazes de ameaçar revista britânica The Economist, afirma que redes sociais
verdadeiramente a ordem estabelecida (escravista) [...]. como Facebook, Twitter e Tumblr podem ser as últimas
É deste ângulo que também deve ser abordada a encarnações de uma prática que começou por volta do ano
participação dos escravos urbanos nas lutas políticas entre 51 a.C., na Roma Antiga.
os cidadãos durante o último século da República; lutas que, O autor relata como Cícero usava um escravo,
como se sabe, degeneraram em verdadeiras guerras civis. que posteriormente tornou-se seu escriba, para redigir
Os escravos que se envolveram nestes conflitos na verdade mensagens em rolos de papiro que eram enviados a uma
serviam de massa de manobra aos políticos ambiciosos e espécie de rede de contatos. Essas pessoas, por sua
vez, copiavam seu texto, acrescentavam seus próprios
não apresentavam um programa político próprio.
comentários e repassavam adiante.
FLORENZANO, M. B. O mundo antigo: economia e sociedade.
São Paulo: Brasiliense, 1982. p. 75-77. Disponível em: <https://noticias.terra.com.br>.
Acesso em: 18 out. 2016. [Fragmento adaptado]
Os exemplos mencionados no texto evidenciam que as lutas
Os meios de comunicação foram fundamentais para a
escravistas ocorridas em Roma, na Antiguidade, foram
construção da vida social na Roma Antiga, cujos cidadãos
A. incapazes de desestabilizar a ordem política dos
governos romanos. A. compartilhavam mensagens com pessoas de outros
países, da mesma forma como se faz atualmente.
B. fragilizadas pelo distanciamento dos demais grupos
sociais subalternos. B. foram os precursores do uso das atuais redes sociais,
C. ineficientes em relação às conquistas de alforrias de utilizando-as para se comunicar com seus escravos.
pessoas escravizadas. C. faziam uso de ferramentas de interação social por meio
D. limitadas pela falta de uma proposta alternativa à das quais compartilhavam mensagens entre si.
estrutura social vigente. D. redigiam mensagens em rolos de papiro, considerados
E. irrelevantes historicamente pela incapacidade de encarnações das redes sociais utilizadas nos dias
combater o escravismo. de hoje.

CH – PROVA I – PÁGINA 32 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


E. usavam meios de comunicação similares aos atuais A alternativa B está incorreta, pois refere-se a um perfil
para enviar mensagens às suas redes de contatos. topográfico, que é encontrado na carta topográfica, e não no
Alternativa C mapa político. A alternativa C está incorreta, pois descreve
as funções e características da carta. A alternativa D está
Resolução: Apesar de Tom Standage comparar as redes
incorreta, pois a representação de uma superfície esférica
de comunicação desenvolvidas na Roma Antiga às mais
em um plano sempre possuirá alguma distorção, seja no
hodiernas redes sociais, ele não afirma que os antigos
romanos foram de fato os precursores do uso, tampouco que ângulo, na forma ou na distância.
suas ferramentas de interação eram similares, por exemplo,
ao Facebook, ao Twitter ou ao Tumblr, invalidando, assim, QUESTÃO 56 H71J

as alternativas B e E. Ele também não diz que a forma TEXTO I


como os romanos compartilhavam mensagens era a mesma Nosso mundo acaba de descobrir um outro, não
utilizada atualmente, o que torna a alternativa A incorreta. menos povoado e organizado que o nosso. Os que o
Por fim, o editor não diz que os antigos rolos de papiro eram subjugaram usavam coletes de uma pele luminosa e
encarnações das redes sociais utilizadas nos dias de hoje, dura e armas cortantes e resplandecentes para quem,
invalidando, assim, a alternativa D. Mas ele relata que as pelo milagre da luz de um espelho ou de uma faca, iam
atuais redes sociais podem ser encarnações das antigas trocando uma grande riqueza em ouro e pérolas. Quantas
ferramentas usadas pelos romanos para compartilhar cidades arrasadas, quantas nações exterminadas,
mensagens entre si, o que torna a alternativa C correta. quantos milhões de povos passados a fio de espada:
vitórias mecânicas.
QUESTÃO 55 OZ2N
ENSAIOS. Tradução de Rosemary Costhek Abílio.
Mapa é a representação no plano, normalmente em São Paulo: Martins Fontes, 2000/2001.
escala pequena, dos aspectos geográficos, naturais,
culturais e artificiais de uma área tomada na superfície de TEXTO II
uma figura planetária, delimitada por elementos físicos,
Assim, não pense que foram tirados o poder, os bens e
político-administrativos e destinada aos mais variados usos, a liberdade dos indígenas, e sim que Deus lhes concedeu
temáticos, culturais e ilustrativos. a graça de pertencerem aos espanhóis, que os tornaram
IBGE. Noções de cartografia. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. cristãos e que os tratam e os consideram exatamente
Acesso em: 28 out. 2016 (Adaptação).
como digo.
Considerando os aspectos de elaboração de um mapa GÓMARA, F. L. História general de las Índias: coletânea
político, a finalidade de sua construção reside no fato de de documentos para a história da América. São Paulo: CENP, 1978.

ele ser Os textos apresentam visões diferentes em relação à


A. aplicado em trabalhos de fotointerpretação e atualização conquista e à colonização da América pelos espanhóis.
de cartas topográficas já existentes devido a seu caráter Isso acontece porque os autores dão foco, respectivamente,
minucioso. A. às vitórias mecânicas e às injustiças sociais.
B. útil na compreensão da correspondência entre B. à aculturação indígena e às prerrogativas religiosas.
dimensões verticais e horizontais, pois retrata elementos C. à imposição cultural e ao extermínio em massa.
espaciais tridimensionalmente.
D. ao humanismo e ao poder militar.
C. destinado à verificação precisa de curtas distâncias, E. à dominação militar e ao eurocentrismo.
direções e localização de pontos e áreas, uma vez que
Alternativa E
prioriza a descrição de detalhes.
Resolução:
D. eficiente na exata transposição de uma superfície
A) O texto II não apresenta foco nas injustiças sociais, mas
esférica para uma superfície plana, visto que a técnica
procura justificar a dominação espanhola por meio de uma
cartográfica dispensa distorções.
concepção eurocêntrica.
E. capaz de demonstrar com clareza aspectos
B) O texto I destaca a violência e o domínio militar exercidos
selecionados de um espaço delimitado, pois estabelece
pelos espanhóis em relação aos povos da América, isto é,
uma abordagem que utiliza a generalização.
seu foco não é a aculturação indígena, que também foi
Alternativa E uma marca desse processo.
Resolução: A alternativa E é a correta. Um mapa consiste C) O texto I destaca a violência e o domínio militar exercidos
em uma representação plana de uma área delimitada por pelos espanhóis em relação aos povos da América, isto
aspectos político-administrativos ou por formações naturais é, seu foco não é a imposição cultural.
(hidrográfico, geológico, geomorfológico, etc.), geralmente D) O conceito de humanismo não se aplica explicitamente
em escala pequena, remetendo a propósitos temáticos, ao texto I, nem o poder militar é o foco do texto II, que
culturais ou ilustrativos. O mapa político indica a divisão justifica a dominação espanhola mediante prerrogativas
administrativa de países, estados, províncias e cidades, religiosas.
ou seja, ele privilegia a generalização dos elementos E) O texto I descreve o processo de dominação militar
a serem representados. A alternativa A está incorreta, espanhol sobre a América, enfatizando a truculência
pois descreve a fotografia aérea. Esta é usada na dos conquistadores. Já, no texto II, o espanhol procura
cartografia, sobretudo para levantamentos fotogramétricos, justificar a dominação sob o olhar eurocêntrico, como se
que são usualmente a base das cartas topográficas. esse processo de conquista atendesse à vontade divina.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 33


QUESTÃO 57 ITTG Kant foi um importantíssimo pensador do século XVIII que,
Nessa projeção, os paralelos e os meridianos são linhas entre muitos outros temas, refletiu sobre a questão do
retas que se cruzam formando ângulos retos. Pertence ao filosofar e que formulou uma famosa concepção acerca do
tipo chamado conforme, porque não deforma os ângulos. tema. Com base nos textos I e II, a postura própria da atitude
Em compensação, as áreas extensas ou situadas em filosófica em Kant consiste em
latitudes elevadas aparecem nos mapas com dimensões A. rejeitar os conhecimentos de outros pensadores, já que
exageradamente ampliadas. aceitá-los significa tornar-se uma cópia intelectual de outrem.
Disponível em: <http://www.ead.uepb.edu.br>. B. confiar na autoridade das experiências que levam às
Acesso em: 21 out. 2016. verdades, uma vez que o conhecimento depende da empiria.
Qual é a projeção conforme caracterizada no texto anterior? C. confirmar as tentativas filosóficas anteriores, pois são
princípios universais da razão e devem ser reconhecidas
A. Goode.
como autoridades.
B. Azimutal.
D. duvidar da possibilidade de se alcançar verdades sobre
C. Mercator. o mundo, considerando a dificuldade de se chegar a um
D. Afilática. conhecimento certo.
E. Peters. E. investigar criticamente as teorias filosóficas da História,
Alternativa C evitando a aceitação irrefletida de autoridades.

Resolução: A projeção conforme de Mercator representa Alternativa E


todos os ângulos sem deformação, embora haja grande Resolução: Kant afirma que não se deve “imitar pura e
simplesmente” as ideias de outros pensadores e exorta
distorção de áreas afastadas do Equador. Assim,
para que se faça uma crítica racional desses conhecimentos
a alternativa correta é a C. Goode (alternativa A) traz as
preestabelecidos, aplicando-se “as forças da própria
massas continentais e oceânicas descontínuas, e, para inteligência” e evitando a aceitação irrefletida de teorias
ter maior exatidão, os meridianos centrais da projeção filosóficas da História, o que não implica, necessariamente,
correspondem aos meridianos quase centrais dos continentes. a prévia rejeição desses conhecimentos, indo, assim,
Uma projeção azimutal (alternativa B) tem paralelos em ao encontro da alternativa correta E e invalidando a
círculos concêntricos e meridianos retos. Uma projeção alternativa A. De acordo com o texto II, “a razão não deve
afilática (alternativa D) não tem nenhuma das propriedades tomar nada emprestado da autoridade alheia e nem sequer
da experiência”, não sendo possível, portanto, confiar na
dos outros tipos. A projeção de Peters é equivalente, por
autoridade das experiências como forma de se alcançar
isso não pode ser conforme, o que torna a alternativa E verdades, contrariando a alternativa B. Ainda segundo Kant,
também incorreta. é preciso investigar as “tentativas filosóficas já existentes”,
para então confirmá-las ou rejeitá-las, o que torna incorreta
QUESTÃO 58 MF88 a alternativa C. Além disso, os textos não fornecem
TEXTO I informações que permitam afirmar que, para Kant, haja uma
impossibilidade de se alcançar verdades sobre o mundo,
Só é possível aprender a filosofar, ou seja, exercitar invalidando a alternativa D.
o talento da razão, fazendo-a seguir os seus princípios
universais em certas tentativas filosóficas já existentes, mas QUESTÃO 59 J6LZ
sempre reservando à razão o direito de investigar aqueles Uma turista planeja visitar Meca, na Arábia Saudita,
princípios até mesmo em suas fontes, confirmando-os ou localizada no fuso 45° L. Sua viagem tem início às 13 horas
rejeitando-os. do dia 22 de setembro, na cidade de Cuiabá, Brasil,
KANT, I. Crítica da razão pura. Tradução de Valerio Rohden e Udo B. localizada no fuso 60° O. A duração do trajeto é de 10 horas.
Moosburger. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. p. 407-408.
Considerando o percurso e o tempo de viagem, o horário de
TEXTO II chegada à cidade de Meca é às
A razão é, sem dúvida, um princípio ativo que não A. 5 horas do dia 23 de setembro. 
deve tomar nada emprestado da autoridade alheia e, em B. 6 horas do dia 23 de setembro. 
se tratando de seu uso puro, nem sequer da experiência. C. 7 horas do dia 23 de setembro. 
A indolência faz, porém, que um número muito grande de D. 13 horas do dia 23 de setembro. 
homens prefira seguir as pegadas de outrem ao invés de
E. 14 horas do dia 24 de setembro. 
empenhar as forças da própria inteligência. Homens desse
Alternativa B
jaez só podem se tornar sempre cópias de outros, e, se todos
fossem dessa espécie, o mundo permaneceria eternamente Resolução: A turista se deslocará de Cuiabá, a 60º O,
para Meca, a 45° L. Cuiabá está a oeste do Meridiano
em um só e mesmo lugar. É, por isso, de alta necessidade
de Greenwich; sendo assim, tem sua hora atrasada
e importância que a juventude não se mantenha, como em relação à Meca, que está localizada a leste.
costuma ocorrer, a imitar pura e simplesmente. As cidades estão em hemisférios diferentes, então os
KANT, I. Manual dos cursos de lógica geral. Tradução de Fausto valores das longitudes são somados: 60º + 45º = 105º.
Castilho. 2. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003. p. 155. Ao dividir esse somatório por 15º, o resultado é

CH – PROVA I – PÁGINA 34 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


7 horas. Dessa forma, a diferença horária entre QUESTÃO 61 714Ø
Cuiabá e Meca é de 7 horas a mais: 13 h + 7 h = 20 h. Os 168 espanhóis que com tanta rapidez derrotaram e
A isso acrescenta-se a duração de 10 horas da viagem:
capturaram Atahualpa também contaram com muita sorte,
20 h + 10 h = 6 h. Portanto, a turista chegará a Meca
pois tal conquista aparentemente fácil logo se transformaria
às 6 horas do dia 23 de setembro.
numa tarefa complexa, já que agora eles tinham que
QUESTÃO 60 IL8T aprender a governar o [Império Inca].
Nessa época (meados do século XX a.C.), foram STERN, S. J. Los pueblos indígenas del Peru y el desafio de la conquista
española. In: PORTUGAL, A. R. Mitos e fatos nas crônicas da conquista
chegando à região vários povos que, em ondas sucessivas, do Antigo Peru. Revista de História Unisinos, v. 20, maio 2016.
ocuparam a península. Aos poucos, fundaram dezenas de
núcleos populacionais, os “genos”, que mais tarde deram A conquista da América pelos europeus é um episódio
origem às pólis, as cidades-estados gregas. As pólis eram marcado por diversos relatos que, quase sempre, tendem
autônomas, com governos locais e leis próprias. Não havia à parcialidade. O trecho anterior considera que a conquista
um Estado grego unificado. Cada uma possuía sua própria do Império Inca pelos espanhóis resultou na
assembleia de cidadãos para debater e decidir questões
A. consolidação do poder espanhol por meio da sua
de interesse.
capacidade bélica.
As Olimpíadas [...] eram festivais religiosos que reuniam,
de quatro em quatro anos, atletas de todas as pólis para B. imposição dos valores culturais ocidentais aos nativos
homenagear os deuses do Olimpo com competições da América.
esportivas. [...] As comunidades da Hélade também C. redução populacional dos incas em virtude de guerras
compartilhavam a admiração e o fascínio pelos heróis, pelos e de doenças.
deuses e pelas batalhas narradas na Ilíada e na Odisseia,
poemas épicos atribuídos a Homero. D. criação de um desafio administrativo aos conquistadores
espanhóis.
REVISTA DESVENDANDO A HISTÓRIA. São Paulo:
Editora Escala, ano I, n. 1, p. 19. E. consagração dos envolvidos na conquista após o
A descrição contida no texto sobre aspectos da Grécia retorno à Espanha.
Clássica destaca o seguinte fato: Alternativa D
A. A presença de uma religião politeísta engendrou a Resolução: Apesar de a conquista espanhola ser marcada
descentralização política. pela superioridade bélica dos europeus, pela imposição dos
B. As competições esportivas acirravam as rivalidades valores culturais ocidentais, pela redução populacional dos
políticas das cidades-estados. incas e pela consagração dos envolvidos nesse processo,
C. O espírito guerreiro resultou no confronto expansionista o texto-base não tem como foco esses fatos, mas chama a
das pólis. atenção para a complexidade da tarefa de governar o Império
D. A diversidade cultural dos “genos” impediu a unificação Inca. Desse modo, a alternativa D é a correta, uma vez que
política. o texto-base destaca que os espanhóis tiveram de enfrentar
E. A inexistência de unidade política não impediu a o desafio de se administrar o império conquistado.
unidade cultural.
Alternativa E QUESTÃO 62 DR5Ø

Resolução: As Olimpíadas, de acordo com o texto,


“eram festivais de caráter religioso que reuniam atletas
de todas as pólis para homenagear os deuses do
Olimpo com competições esportivas”. Assim, a religião
politeísta e as competições esportivas das Olimpíadas
aproximavam, em alguma medida, as poleis, não podendo,
portanto, ser apontadas como causa, respectivamente,
da descentralização política e do acirramento das rivalidades Disponível em: <http://www.umsabadoqualquer.com>. Acesso em: 29
políticas das cidades-estados, o que invalida as alternativas dez. 2016.
A e B. Os conflitos entre as poleis, contrariamente ao que
Para a Filosofia, as perguntas apresentam-se mais
afirma a alternativa C, não resultaram do espírito guerreiro de
seus povos, mas suas origens estão ligadas às hostilidades, importantes do que as respostas obtidas. A atitude filosófica
à desconfiança entre as principais cidades-estados gregas, exemplificada na charge pela figura de Sócrates mostra-se
sobretudo Atenas e Esparta, e ao desejo de expandir seus contrária ao conhecimento
próprios regimes de governo, respectivamente, democrático A. mítico, recusando qualquer ponto de convergência
e oligárquico, que inviabilizava a unificação das poleis. entre o conhecimento mítico e o filosófico.
O texto-base ainda afirma que “as comunidades da B. dogmático, pois a sabedoria está centrada na busca
Hélade também compartilhavam a admiração e o fascínio contínua da verdade, não em sua posse.
pelos heróis, deuses e pelas batalhas narradas na Ilíada
C. científico, pois este impõe verdades que são tão
e na Odisseia, poemas atribuídos a Homero”. Portanto,
inquestionáveis quanto aquelas impostas pelo mito.
os gregos, das diferentes poleis, reconheciam os mesmos
heróis, partilhavam de uma mesma religião e participavam D. crítico, na medida em que este confia nos conhecimentos
dos Jogos Olímpicos, o que indica que, apesar de não haver adquiridos por meio da tradição sem questioná-los.
uma unidade política entre as diversas cidades-estados, E. cético, visto que este recusa a possibilidade de se
havia uma unidade cultural entre elas, o que torna correta a alcançar a verdade, defendendo a prática de suspensão
alternativa E e invalida a alternativa D. do juízo.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 35


Alternativa B
Resolução: No texto-base, a figura de Sócrates exemplifica uma atitude alinhada à corrente de pensamento filosófico
conhecida como ceticismo, que tem como pressuposto a suspeição quanto à possibilidade de se alcançar o conhecimento
verdadeiro. Daí a opção pela suspensão do juízo e pela dúvida permanente. Em oposição ao ceticismo, o dogmatismo afirma
a viabilidade de se chegar ao conhecimento verdadeiro e confiável acerca das coisas por meio da percepção do mundo.
Portanto, a resposta correta à questão é a alternativa B.
QUESTÃO 63 ØRF6

Taxa de fecundidade total e diferença relativa, segundo as Grandes Regiões (2000 / 2010)
Taxa de fecundidade total
Grandes Regiões Diferença relativa 2000 / 2010 (%)
2000 2010
Brasil 2,38 1,90 –20,1
Norte 3,16 2,47 –21,8
Nordeste 2,69 2,06 –23,4
Sudeste 2,10 1,70 –19,0
Sul 2,24 1,78 –20,6
Centro-Oeste 2,25 1,92 –14,5
IBGE. Censo Demográfico 2000 / 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 26 out. 2016.

Entre o Censo de 2000 e o de 2010, a mudança do principal indicador da dinâmica demográfica é notável. O declínio da taxa
de fecundidade foi mais expressivo na região
A. Norte, e, em 2000, esta ainda possuía taxa de fecundidade acima do nível de reposição.
B. Sudeste, e, em 2010, a taxa de fecundidade estava acima do nível de reposição em duas regiões.
C. Centro-Oeste, e, em 2000, todas as regiões estavam acima do nível de reposição.
D. Sul, e, em 2010, a fecundidade foi insuficiente para assegurar a reposição populacional.
E. Nordeste, e, em 2010, quatro regiões tinham taxas de fecundidade abaixo do nível de reposição.
Alternativa E
Resolução: O grau de dificuldade da questão relaciona-sebasicamente com a leitura e a interpretação da tabela do IBGE.
Nota-se que o maior decréscimo na taxa de fecundidade entre 2000 e 2010, expresso na tabela pela diferença relativa (%), foi
na região Nordeste. Percebe-se também que, em 2010, a taxa de fecundidade de quase todas as grandes regiões do Brasil,
inclusive a taxa total do país, com exceção do Norte, estava abaixo do nível de reposição, que é de 2,1 filhos.
QUESTÃO 64 JWFR

Diante da fraqueza do poder público e da necessidade de segurança, desenvolveram-se as relações pessoais, diretas,
sem intermediação do Estado. Estreitaram-se os laços de sangue, as relações dentro das linhagens, grupos cuja solidariedade
podia proteger melhor os indivíduos dos perigos de fora. De acordo com essa forma de pensar, a morte violenta de uma pessoa
atingia todo o grupo, o que punha em ação a faide, “a vingança dos parentes”. Ou seja, na falta de instituições públicas que
pudessem punir o agressor, os amigos e parentes da vítima faziam justiça pelas próprias mãos. Como os laços familiares
não bastavam, criaram-se laços artificiais, uns ligando homens livres entre si, outros ligando homens livres a dependentes.
Este último – relação de nobre-camponês – baseava-se na desigualdade, estabelecendo complexos vínculos econômicos,
políticos e religiosos; o senhor era um misto de protetor e propiciador.
FRANCO JÚNIOR, H. Feudalismo: uma sociedade religiosa, guerreira e camponesa. São Paulo: Moderna,1999.

A situação do poder público na sociedade medieval, retratada no texto, teve como consequência o
A. alastramento das tradições populares.
B. nascimento da desigualdade nobre-camponês.
C. fortalecimento dos poderes locais.
D. desenvolvimento da justiça social.
E. desaparecimento da figura dos reis.
Alternativa C
Resolução:
A) O texto-base não apresenta a expansão das tradições populares como consequência da fraqueza do poder público, mas sim
o fortalecimento dos laços familiares e “artificiais”, que pode ser associado à ação dos poderes locais.
B) O texto-base relata a relação nobre-camponês baseada na desigualdade, embora seja incorreto afirmar que essa
característica nasceu nesse contexto.
C) O texto-base destaca uma das características do chamado Sistema Feudal – o fortalecimento dos poderes locais, decorrente
da crescente fraqueza do poder público. De acordo com o texto, “na falta de instituições públicas que pudessem punir o
agressor, os amigos e parentes da vítima faziam justiça pelas próprias mãos”.

CH – PROVA I – PÁGINA 36 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


D) O conceito de justiça social não pode ser relacionado à QUESTÃO 66 7LØT
ideia de “justiça pelas próprias mãos” ou de “a vingança Vai, orgulhosa, querida
dos parentes”.
Mas aceita esta lição:
E) Apesar da descentralização do poder ou do enfraquecimento
No câmbio incerto da vida
do poder público, os reis continuaram a ser figuras atuantes
A libra sempre é o coração
no Período Medieval.
O amor vem por princípio, a ordem por base
QUESTÃO 65 PX65
O progresso é que deve vir por fim [...]
Queridos compatriotas, concidadãos,
ROSA, N.; BARBOSA, O. Positivismo. Disponível em:
Tendo em vista a situação criada com a formação da <https://www.letras.mus.br>. Acesso em: 24 out. 2016. [Fragmento]
Comunidade de Estados Independentes (CEI), concluo
minha atividade como presidente da União Soviética. A canção anterior demarca a influência da corrente positivista,
Tomo esta decisão por questões de princípio. [...] Impôs-se e sua letra remete ao(à)
a linha de fragmentação do país e desunião do Estado, A. questão do progresso, linear e particular de cada sociedade.
o que não posso aceitar... [...] O destino quis que, ao
B. ideia central da religião positivista, proposta por Durkheim.
me encontrar à frente do Estado, já estivesse claro
que nosso país estava doente. [...] Tudo devia mudar. C. busca por leis sociais não universais, porém regulares.
[...] Hoje estou convencido da razão histórica das D. fórmula sagrada do positivismo de Auguste Comte.
mudanças iniciadas em 1985. [...] Acabamos com a
Guerra Fria, deteve-se a corrida armamentista e a E. projeto positivista de revolução social no Brasil.
demente militarização do país que havia deformado Alternativa D
nossa economia, nossa consciência social e nossa moral.
Resolução: O texto-base consiste em um trecho da canção
Acabou-se a ameaça de uma guerra nuclear. [...] Abrimo-nos
de Noel Rosa, “Positivismo”. Nela, Noel utiliza uma frase
ao mundo, e responderam-nos com confiança, solidariedade e
respeito. Mas o antigo sistema desmoronou antes que o novo extremamente importante da teoria de Comte.
começasse a funcionar. [...] Deixo meu cargo com preocupação, Para a solução da questão, o aluno deve ter em mente
mas também com esperança, com fé em todos vocês, os principais ideais do positivismo de Comte, isto é:
na sua sabedoria e na sua força de espírito. [...] Meus as concepções de progresso, a busca por leis universais que
melhores votos a todos.
regem os fenômenos sociais e os elementos participantes
GORBATCHEV, M. Discurso de despedida. da construção do catecismo positivista.
Moscou, 25 de dezembro de 1991. In: CORTÁZAR, F. G.;
ESPINOSA, J. M. Historia del mundo actual (1945-1995). Auguste Comte foi o maior expoente do positivismo. Para
Madrid: Alianza Editorial, 1996.
o autor, a humanidade é entendida com o grande ser e
No discurso do ex-presidente da URSS, identifica-se um está fundada na “fórmula sagrada do positivismo: O amor
ponto de grande preocupação mundial durante a segunda por princípio, a ordem por base e o progresso por fim”
metade do século XX. Tal ponto é caracterizado pelo(a) (COMTE, A. Catecismo positivista. São Paulo: Abril Cultural,
A. consolidação do bloco econômico CEI e pela 1978. p. 145. Coleção Os Pensadores). Do ponto de vista
acentuação da crise na URSS. comteano, o amor deve ser o princípio das ações, sejam
B. finalização da Guerra Fria e pela instauração da elas individuais, sejam elas coletivas; a ordem tange a
hegemonia dos Estados Unidos. manutenção e a conservação daquilo que é belo e positivo;
C. desmonte do socialismo e pela implantação de uma e, por fim, o progresso consiste em corolário da apuração
economia de mercado. e do desenvolvimento da ordem. É importante lembrar
D. corrida belicista das superpotências e pela utilização também que a busca por leis universais que regem todos
de armas nucleares. os fenômenos da sociedade é característica do pensamento
E. fragmentação territorial da Rússia e pela intensificação de Auguste Comte. Portanto, a alternativa correta é a D.
migratória na Europa.
Alternativa D QUESTÃO 67 3ABJ

Resolução: O ponto de preocupação mundial durante a A primeira roupa de que a América se travestiu, aos
segunda metade do século XX, isto é, no período da Guerra olhos do europeu, foi dada por Colombo através da palavra
Fria, mencionado no discurso de renúncia de Gorbachev, Índias. Colombo pensou ter chegado às Índias, e, portanto,
o último líder da União Soviética (URSS), são a corrida
tudo o que viu correspondia a um indício capaz de comprovar
armamentista e a utilização das armas nucleares. Isso é
identificado em: “Acabamos com a Guerra Fria, deteve-se a sua hipótese [...]. Colombo se esquiva de analisar a flora
corrida armamentista e a demente militarização do país que americana, pois não podia identificá-la com a flora das
havia deformado nossa economia, nossa consciência social Índias ou das Moluscas. [...]. O seu imaginário era regido por
e nossa moral. Acabou-se a ameaça de uma guerra nuclear.” inúmeras informações, trazidas por viajantes (como Marco
A alternativa A está incorreta, pois a formação da Comunidade
Polo) que gostavam de contar suas façanhas, sem que os
dos Estados Independentes (CEI) ocorreu nos anos 1990,
com a dissolução da URSS. O desfecho da crise na URSS interlocutores estivessem interessados em pedir provas.
foi o seu término no dia seguinte à renúncia de Gorbatchev O prazer de produzir uma narração, de acordo com as suas
e o fim da Guerra Fria. Sendo assim, isso não era uma expectativas, construídas bem antes da viagem, era superior
preocupação global durante a Guerra Fria. As alternativas B,
à sua capacidade de descrever um continente desconhecido.
C e E estão incorretas pelo mesmo motivo: essas apreensões
não foram citadas pelo líder soviético. SILVA, J. T. Revista de História Brasileira. Disponível em:
<www.anpuh.org>. Acesso em: 27 out. 2016 (Adaptação).

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 37


O texto sugere uma incapacidade de Cristóvão Colombo de A. A minha liberdade termina onde começa a do outro.
descrever as terras do Novo Mundo, uma vez que, para o B. O dinheiro não escraviza, ele torna as pessoas mais
navegador genovês, a “descoberta” da América livres.
A. significava uma conquista inacreditável para o europeu C. O advogado de João está pleiteando a sua liberdade
dotado de conhecimentos limitados. condicional.
B. precisava legitimar aquilo que ele e seus D. Júnia escolheu não estudar, mesmo sabendo do risco
contemporâneos europeus imaginavam. de fracassar nas provas.
C. confrontava com o seu projeto baseado no E. Considero-me uma adolescente livre, pois meus pais
conhecimento pré-existente das novas terras. não me impedem de sair.
D. fundamentava o discurso dos viajantes acerca das Alternativa D
características das terras encontradas. Resolução: Para o pensamento filosófico, a noção de
liberdade está associada à possibilidade de o indivíduo
E. invalidava a existência do paraíso terrestre ambicionado se autodeterminar, ou seja, as ações humanas não
desde os tempos medievais. estariam sujeitas aos condicionamentos da natureza.
Alternativa B Para o filósofo existencialista francês Jean Paul Sartre,
a liberdade é uma condição da existência humana.
Resolução:
O ser humano é como ele deseja ser, e suas ações são
A) A “descoberta” da América não foi considerada “inacreditável” sempre intencionais e pautadas em escolhas conscientes.
por Colombo – que era dotado de conhecimentos A liberdade de escolha do ser humano, para Sartre, implica
revolucionários para época –, uma vez que ele idealizava a responsabilidade pelo que ele é e por sua existência.
esse território, mas sob a roupagem das Índias. Portanto, para resolução da questão, é preciso identificar,
B) A América incorporou-se ao imaginário de Colombo e entre as assertivas, aquela que estabelece uma relação entre
de outros europeus com uma série de atributos que já a liberdade de escolha e a responsabilidade revelada por essa
haviam sido delegados ao Novo Mundo muito antes do escolha. Essa relação só pode ser observada na alternativa D,
seu “descobrimento”. Desse modo, Colombo buscou sendo essa, portanto, a resposta correta à questão.
descrever as novas terras com base nos relatos medievais QUESTÃO 69 1KJW
sobre as Índias e no imaginário europeu, procurando TEXTO I
associar tudo o que via ao Oriente. No entanto, quando A exclusão das mulheres da Igreja militante tem como
ele se deparou com características que não condiziam base os mesmos fundamentos teóricos que a descartam
com o território que imaginara ter encontrado (como a da vida pública. Para alcançar plena eficácia, as orações
flora americana), preferiu não se expressar. das mulheres devem se dar no isolamento. Mosteiros e
C) O projeto de Colombo era baseado no conhecimento conventos mendicantes femininos são os locais apropriados.
pré-existente do Oriente, não das novas terras, isto é, Ai daquelas que escapam a seus muros para manifestar-se
da América. em público: acabarão, não raro, na fogueira, acusadas de heresia.
D) A flora americana é um exemplo apresentado no texto de Disponível em: <http://www2.uol.com.br>. Acesso em: 08 nov. 2016.
que a “descoberta” do continente não fundamentava os
TEXTO II
viajantes europeus, como Marco Polo.
Apesar de terem vivido numa época em que a condição
E) Para Colombo, as terras encontradas representavam o
feminina era encarada como uma carga negativa, e com
Paraíso Terrestre, apesar de esse “paraíso” apresentar
a Igreja apregoando a necessidade de enclausurar as
algumas características divergentes dos relatos que
mulheres, as monjas não se deixaram intimidar por estas
inspiraram o navegador. teorias. A clausura jamais foi respeitada, e as cistercienses
QUESTÃO 68 Ø7U3 dos séculos XII e XIII faziam ouvidos surdos às interdições e
ameaças. As frequentes saídas do mosteiro eram justificadas
O homem é não apenas como ele se concebe, mas com os motivos mais variados: a administração dos domínios
como ele quer que seja, como ele se concebe depois da senhoriais, os cuidados que exigia a gerência do patrimônio
existência, como ele se deseja após este impulso para a pessoal das religiosas, visitas a parentes, problemas de
existência; o homem não é mais que o que ele faz. [...] Mas saúde, etc.
se realmente a existência precede a essência, o homem é Disponível em: <http://periodicos.unb.br>. Acesso em: 08 nov. 2016.
[Fragmento]
responsável pelo que é. Desse modo, o primeiro passo do
existencialismo é o de pôr todo homem na posse do que ele O texto II, ao refutar as ideias expressas no texto I, indica que
é, de submetê-lo à responsabilidade total de sua existência. as mulheres que viveram na Idade Média estavam incluídas
em contextos que negavam qualquer generalização porque
SARTRE, J. P. O existencialismo é um humanismo.
3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987. (Coleção Os Pensadores). A. evidencia a exclusão das mulheres na vida pública
medieval imposta pelos homens, principalmente por
O tema da autodeterminação representa o cerne das aqueles ligados à Igreja.
discussões sobre a liberdade humana. A afirmação que B. contesta a noção de que, embora as mulheres
caracteriza a noção de liberdade, em sentido filosófico, como vivessem em uma sociedade machista, desrespeitavam
o apresentado por Sartre, é: o enclausuramento a elas imposto.

CH – PROVA I – PÁGINA 38 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


C. afirma que as mulheres que se manifestavam em A cultura religiosa descrita no texto transmite uma concepção
público acabavam na fogueira da Inquisição, geralmente diferente da tradicional sobre o processo de colonização da
acusadas de heresia. América ao sinalizar que a
D. demonstra a resistência das mulheres medievais em
A. constituição da religiosidade cristã no território
submeter-se ao controle e às regras impostas pelos
americano foi reflexo da violência dos colonizadores.
homens desse contexto.
E. apresenta o papel das mulheres na sociedade medieval, B. imposição cultural europeia provocou a eliminação das
já que, enclausuradas ou livres, dependiam da vontade antigas e tradicionais crenças nativas.
dos homens. C. adesão ao cristianismo no continente ocorreu também
Alternativa D por iniciativa dos próprios indígenas.
Resolução: O texto I reitera a premissa de que as mulheres D. transposição da cultura ibérica aos trópicos foi
medievais, coagidas pelo patriarcado e pelos dogmas
dificultada pelo sincretismo religioso praticado pelos
católicos, reduziam-se ao espaço privado, sobretudo
aquelas ligadas às instituições religiosas. Essa máxima, índios.
todavia, passa a ser questionada por meio da validação de E. adoração aos ícones católicos pelos nativos foi decorrente
documentos históricos que evidenciam que muitas delas da atuação dos missionários europeus.
não respeitavam a moral e as regras a elas impostas,
mesmo que isso pudesse gerar retaliações de toda Alternativa C
ordem, até mesmo a morte nas fogueiras da Inquisição. Resolução:
Nesse sentido, a alternativa D se apresenta correta, A) O texto-base defende que o início do culto à Virgem de
já que o texto II reflete a resistência das medievalistas aos Guadalupe pelos povos latino-americanos, especialmente
desmandos dos homens daquela época, principalmente os mexicanos, ocorreu a partir de sua aparição a um
daqueles ligados à Igreja, expressos no texto I. indígena. Em outras palavras, o texto não afirma que
essa crença foi decorrente da violência dos colonizadores.
QUESTÃO 70 SVZØ
Além disso, a imposição da cultura europeia faz parte da
Fazemos ciência com fatos, assim como construímos concepção tradicional sobre o processo de colonização
uma casa com pedras, mas uma acumulação de fatos não é da América.
ciência; assim como não é uma casa um monte de pedras. B) Além de ser incorreto afirmar que a imposição cultural
POINCARÉ, H. A ciência e a hipótese. Brasília: Editora UnB, 1984. p. 115. europeia eliminou as antigas crenças nativas, o texto-base
não tem como foco essa questão.
Uma das marcas do ser humano é a necessidade de
C) De acordo com a tradição religiosa mexicana, o culto
compreender o mundo que o rodeia. Uma dessas formas de
à Virgem de Guadalupe teria se iniciado a partir de
conhecimento é a ciência. Para que um conhecimento seja uma aparição da santa a um indígena, Juan Diego
considerado científico, ele deve basear-se em Cuauhtlatoatzin, que, a partir de então, passou a contribuir
A. argumentos sobrenaturais e na fé. com a difusão do culto a Guadalupe. Essa tradição
B. métodos empíricos e na objetividade. demonstra que a adesão ao cristianismo não ocorria só
por meio da violência, mas também mediante a iniciativa
C. experiências pessoais e na subjetividade. dos próprios nativos. Muitas vezes, essa adesão ocorria
D. crenças e na aceitação acrítica de ideias. na tentativa dos indígenas de obter melhores posições
E. interpretações sensíveis e na imaginação. sociais ou até mesmo por acreditarem na eficácia da
religião do colonizador.
Alternativa B
D) O
 sincretismo religioso não é o foco do texto-base;
Resolução: Na tentativa de compreender o mundo, a ciência além disso, apesar da ocorrência desse sincretismo
prima pela busca do conhecimento objetivo, em oposição e da permanência de práticas tradicionais nativas na
à possibilidade de conclusões subjetivas do cientista, América, aconteceu realmente uma transposição da
e utiliza métodos empíricos sistemáticos de investigação cultura ibérica, que pode ser identificada na própria
para confirmação de suas hipóteses. Portanto, a resposta religiosidade cristã dos povos latino-americanos, nos
correta à questão é a alternativa B. hábitos, na língua oficial dos países, etc.
E) A ação dos missionários foi fundamental para a imposição da
QUESTÃO 71 AGQS
cultura cristã na América colonial, no entanto o texto-base
Uma mãe para todos os povos, que sabe falar a cada não destaca esse papel dos religiosos, assim como não
cultura: é assim que ainda hoje se apresenta a Virgem de ressalta o fato de esse acontecimento fazer parte da
Guadalupe, verdadeiro eixo espiritual da América Central e versão tradicional sobre o processo de colonização.
do Sul. O seu santuário, no México, é anualmente visitado
QUESTÃO 72 RQRS
por mais de 20 milhões de peregrinos, sendo o mais
frequentado daquelas regiões. A padroeira da América Latina Queridos americanos, com grande pesar, e em
apareceu num local perto da cidade do México, entre 9 e necessário cumprimento do meu juramento presidencial,
12 de dezembro de 1531, a um índio mexicano, Juan Diego ordenei, e as Forças Aéreas americanas realizaram
Cuauhtlatoatzin, santo desde 2002. No tempo das aparições, operações militares baseadas somente no uso de armas
o México era terra de conquista, mas também de afronta à convencionais para eliminar um enorme depósito de armas
dignidade humana, porque muitas vezes os colonizadores nucleares no território de Cuba.
espanhóis não tiveram piedade dos índios.
Disponível em: <https://noticias.terra.com.br>.
Disponível em: <http://www.snpcultura.org>. Acesso em: 24 out. 2016. Acesso em: 31 out. 2016 (Adaptação).

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 39


As palavras anteriores são de um discurso que o ex-presidente Na fase artesanal, a mão de obra buscava suprir apenas as
dos Estados Unidos, John F. Kennedy, não chegou a pronunciar necessidades; era um sistema de trocas das mercadorias,
em 1962, sendo publicado em 2012 pela Biblioteca Presidencial ou de produção interna do que era preciso na família e na
John F. Kennedy, entre outros documentos inéditos dos arquivos comunidade.
pessoais do ex-presidente. Esse discurso foi escrito em um NETTO, A.; NETO, S.; HUNGER, D. Modernidade, transformações
dos momentos mais tensos da Guerra Fria, conhecido como sociais e o desenvolvimento da cultura de tempo livre do trabalho
rio-clarense. In: Efdeportes.com. Revista Digital. Buenos Aires, ano 14,
A. Revolução Cubana. n. 133, jun. 2009. Disponível em: <http://www.efdeportes.com>.
Acesso em: 29 nov. 2016 (Adaptação).
B. Crise dos Mísseis.
C. Guerra do Vietnã. A Revolução Industrial converteu os aspectos relacionados
ao modo de realizar o trabalho e de se relacionar com ele.
D. Doutrina Truman.
Desse conjunto de transformações, oriundas da alteração
E. Pacto de Varsóvia. do modo de produção, destaca-se a
Alternativa B A. racionalização do conhecimento produtivo, sistematizado
Resolução: A Crise dos Mísseis de Cuba (alternativa B) pelo aprendizado proveniente das relações familiares
é considerada a grande demonstração de força do Governo vinculadas ao trabalho.
Kennedy. Aviões de reconhecimento dos Estados Unidos (EUA)
B. institucionalização do conhecimento produtivo,
descobriram, em Cuba, mísseis soviéticos de médio alcance,
apreendido essencialmente por intermédio da prática da
em outubro de 1962. No mesmo dia, os EUA decretaram
atividade laboral do proletariado.
um bloqueio naval à ilha de Fidel Castro, exigiram que a
União Soviética (URSS) retirasse os mísseis e ameaçaram C. divisão e a racionalização da produção por meio
invadir a ilha caso o bloqueio falhasse. Nikita Kruschev, líder da absorção do conhecimento familiar e de sua
da URSS à época, cedeu à pressão dos EUA, retirou os transmissão para as atividades laborais industriais.
mísseis e aceitou a inspeção da Organização das Nações D. sistematização e a racionalização da produção,
Unidas (ONU). A Revolução Cubana de 1959 (alternativa A) transformadas em conhecimento técnico, sem que o
aconteceu com a queda do ditador Fulgêncio Batista e proletário tenha acesso ao resultado final do produto.
com a tomada de poder por Fidel Castro. A Guerra do
E. fragmentação da produção por intermédio do conhecimento
Vietnã (alternativa C) estendeu-se de 1959 a 1975, e,
do processo produtivo, que continua sendo compreendido
crendo que evitariam o avanço do comunismo, os EUA
em sua totalidade pelo proletariado.
entraram definitivamente nessa guerra, em 1965, sofrendo,
posteriormente, sua maior derrota militar pelas forças Alternativa D
comunistas do Vietnã do Norte. O antigo Vietnã do Sul Resolução: O texto-base concede informações sobre as
era apoiado pelos EUA, e o Vietnã do Norte pela URSS. transformações no mundo do trabalho após o advento da
A Doutrina Truman (alternativa D) foi um conjunto de medidas Revolução Industrial. Alteração do modo de produção, do
políticas e econômicas, em vigor a partir de 1947, com as tempo gasto para o trabalho e da relação do trabalhador com
quais os EUA assumiram o compromisso de combater o o produto final são mudanças abordadas no texto.
comunismo no mundo. O Pacto de Varsóvia (alternativa E) Para a solução da questão, o aluno deve mobilizar seus
foi uma aliança militar de países socialistas firmada em conhecimentos sobre a Revolução Industrial, assim como
1955, em oposição à Organização do Tratado do Atlântico sua compreensão sobre as alterações das relações de
Norte (OTAN). trabalho e de produção após esse período.
QUESTÃO 73 G81I A mudança do modo de produção, do feudalista para o
A conceituação de tempo liberado, livre e de lazer capitalista, alterou a forma como se produziam as coisas.
A produção tornou-se cada vez mais racionalizada e
faz parte da transformação pela qual a sociedade passa
sistematizada graças às linhas de produção, afastando
com a Revolução Industrial. Porém as mudanças não se
o trabalhador do resultado final do seu trabalho.
restringem a uma nova organização temporal da vida do No feudalismo, aprendia-se a produzir, normalmente, por meio
trabalhador, mas também são alteradas as relações do da passagem do conhecimento de geração para geração, e o
homem com sua mão de obra e com o produto produzido. trabalhador tinha a consciência de todo o processo produtivo.
[...] A busca do melhor padrão de vida das cidades No capitalismo, a produção passou a ser feita em larga escala,
impunha um preço duro. Isso é facilmente compreendido de modo que o trabalhador é responsável por uma etapa da
quando observamos as linhas de montagem e as longas produção. Assim, ele não tem consciência de todo o processo
jornadas de trabalho que não obedecem à ordem natural produtivo nem acesso ao resultado final do produto.
de trabalho e repouso. Além disso, os gestos artificiais e Analisaremos as demais alternativas:
repetitivos rompem com a relação de tempo e produto do A) A racionalização do conhecimento da produção é,
trabalho, pois esse passou a ser fragmentado e de difícil de fato, fruto da Revolução Industrial, pois, com a
compreensão. O trabalhador não é mais responsável pelo racionalização da produção, o modo de como produzir
produto, mas sim por parte dele. Podemos sugerir que, também é racionalizado por meio das chamadas “linhas
em síntese, há um tempo natural, humano, uno, integral, de produção”, por exemplo. Entretanto, tal processo não
do campo que a indústria opôs a um tempo artificial, é relacionado às atividades familiares, como o era no
feudalismo.
alienado da produção, que não se integra nem à dinâmica
familiar. [...] Trabalhar, antes da Revolução Industrial, tinha B) A institucionalização do conhecimento da produção
um significado que extrapolava os limites da produção. não se completa por meio da prática do trabalho pelo

CH – PROVA I – PÁGINA 40 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


proletariado. Sendo assim, “o ofício deixa de ser aprendido para uma análise correta, é preciso saber qual é a área
prioritariamente através da prática, pois as habilidades investigada (imagens de radar, por exemplo). A alternativa D
passam a ser envolvidas por um conhecimento teórico.” está incorreta, pois a totalidade dos dados de sensoriamento
(NETTO; NETO; HUNGER, 2009). remoto não é de livre acesso, seja pelos custos da tecnologia
C) Como dito anteriormente, a utilização do conhecimento empregada, seja por questões geopolíticas de sigilo e de
familiar para a aplicação no processo de produção era controle de informações.
característica do feudalismo. No capitalismo, suplanta-se
essa particularidade, uma vez que o trabalhador não tem QUESTÃO 75 JPHS

acesso a toda cadeia produtiva. A segunda grande revolução teve início na Grã-
E) Com a fragmentação da produção, o processo que -Bretanha em finais do século XVIII, antes de se verificar
envolve seu conhecimento também tornou-se fracionado. noutros locais da Europa, na América do Norte e noutros
Em outras palavras, o trabalhador não conhece todas continentes. Ficou conhecido como Revolução Industrial
as etapas do processo de produção do produto feito por o conjunto amplo de transformações econômicas e sociais
ele. Posteriormente, Marx desenvolverá o conceito de que acompanharam o surgimento de novos avanços
alienação para explicar o afastamento do conhecimento tecnológicos [...]. O surgimento da indústria conduziu a uma
do trabalhador do processo de produção. migração em grande escala de camponeses, que deixaram as
suas terras e se transformaram em trabalhadores industriais
QUESTÃO 74 IØHO
em fábricas, o que causou uma rápida expansão das áreas
Cientistas observam a natureza, fazem medições, urbanas e introduziu novas formas de relacionamento social.
e depois tentam aceitar ou rejeitar hipóteses referentes A Revolução Industrial mudou de forma dramática a face do
a esses fenômenos. A coleta de dados pode ocorrer mundo social, incluindo muitos dos nossos hábitos pessoais.
diretamente no campo (chamada coleta de dados in situ ou
A maior parte da comida que ingerimos e das bebidas que
in loco), ou a alguma distância remota do objeto em apreço
tomamos – o café, por exemplo, – são atualmente produzidos
(referida como sensoriamento remoto do ambiente).
por meio de meios industriais.
JENSEN, J. R. Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva
em recursos terrestres. Tradução de José Carlos Neves Epiphanio. GIDDENS, A. Sociologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian,
São José dos Campos, SP: Parêntese, 2011. p. 1. 2008. p. 6 (Adaptação).

Os avanços do sensoriamento remoto têm acompanhado O trecho destaca alguns exemplos de mudanças sociais
o desenvolvimento técnico-científico informacional. ocorridas a partir do século XVIII. Uma das consequências
Um progresso científico proporcionado por essa ferramenta que acompanharam esse processo foi o(a)
é o sucesso na A. nascimento de uma nova ciência cujo objetivo era
A. exploração da estrutura interna do planeta Terra, a começar buscar um meio para frear as mudanças inseridas por
pela crosta, a camada mais fina, o manto, a camada mais essa revolução.
espessa, e o núcleo, a maior entre as camadas. B. empreendimento acadêmico e intelectual inédito
B. obtenção de informações analógicas na coleta e na realizado para entender as causas e as consequências
interpretação de dados climáticos, em escala global, das novas relações sociais.
suficientes para suspender o uso das informações digitais. C. surgimento do proletariado, vinculado às boas
C. opção de um cientista fazer uma completa investigação condições de trabalho que eram organizadas em torno
de áreas fragmentadas, identificando o continente do qual de suas demandas.
fazem parte sem saber qual é a sua exata localização. D. modernização da agricultura, com o investimento
D. possibilidade de obtenção de quaisquer informações de novos capitais, o que provocou um êxodo urbano
necessárias à condução de pesquisas biológicas ou bastante expressivo.
sociais a baixo custo. E. declínio do capitalismo no continente europeu, assim
E. capacidade de extrair dados qualitativos de fenômenos como das crenças religiosas, morais, filosóficas e
dinâmicos, mesmo em tempo real, com a utilização de jurídicas.
dispositivos localizados a grandes distâncias da área Alternativa B
de interesse. Resolução: O texto-base demonstra algumas transformações
Alternativa E inseridas no mundo social pela Revolução Industrial.
Resolução: A alternativa E está correta, pois é possível Para a solução da questão, o aluno deve ter em mente o contexto
extrair dados qualitativos de fenômenos dinâmicos, a todo de surgimento da Sociologia, assim como as transformações
momento, mesmo com captação de sensores distantes ocorridas por meio da inserção de novas tecnologias pela
do objeto (ciclones captados por satélites, por exemplo). Revolução Industrial. Essa ciência nasce justamente para ser
A alternativa A está incorreta, pois, além das limitações específica e apta a analisar os acontecimentos do mundo social,
à exploração da estrutura interna do planeta, o manto é uma vez que, anteriormente, os fatos do domínio social eram
reconhecidamente a maior camada. A alternativa B está explicados pelas ciências naturais.
incorreta, pois a grande evolução do sensoriamento remoto Analisaremos as demais alternativas:
consiste no desenvolvimento digital, isto é, aperfeiçoando A) O nascimento de uma nova ciência refere-se à Sociologia.
o uso de imagens de radar e satélites, por exemplo, Contudo, o objetivo de criar uma ciência voltada ao estudo
associados a equipamentos analógicos (fotografias aéreas do social não era o de frear as mudanças, mas de explicá-las
em papel ou em vídeo). A alternativa C está incorreta, pois, mediante uma análise científica.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 41


C) O surgimento do proletariado é contemporâneo da QUESTÃO 77 UEC2
Revolução Industrial, porém suas condições de trabalho Toda hora eu vejo, em jornais, revistas, televisão e na
eram extremamente degradantes e baseavam-se em rua, pessoas cada vez mais “livres” de preconceitos e...
uma relação de exploração por parte da classe burguesa. E, no entanto, todas estão convencidas de que a Terra
D) A modernização da agricultura, por meio de novos gira em torno do Sol. Por quê? Pergunte a elas e elas
investimentos e tecnologias, não provocou um êxodo responderão: “Ué, Galileu provou isso há muito tempo”.
urbano, mas sim um êxodo rural, conforme demonstra Mas provou isso pra quem? O homem comum e mesmo
nós, os pejorativamente chamados intelectuais, aceitamos
o texto-base.
e pronto. [...] Mas entre Galileu – de cujas provas nunca
E) O capitalismo não entrou em declínio no período tomamos conhecimento, muito menos sabemos dizer quais
determinado, mas conseguiu sustentar melhor suas bases, são – e a realidade, que literalmente salta (gira) a nossos
dada a evolução das tecnologias e da industrialização. olhos, temos que acreditar é em nossos olhos. Nossos olhos
veem, com absoluta certeza, que o Sol nasce ali [...] e morre
QUESTÃO 76 PKW7
do outro lado.
Os produtos chamados de especiarias eram algo
FERNANDES, M. Veja, São Paulo, n. 48, p. 34, dez. 2007.
muito mais relevante e significativo nos períodos medieval
e renascentista do que podemos supor hoje em dia [...]. A crônica apresentada faz referência aos conhecimentos
Combinadas com o vinho, constituíam a bebida chamada A. epistemológico e artístico.
hipocraz, cujas virtudes agiam de forma semelhante às B. científico e do senso comum.
chamas, não só expulsando os humores corrompidos do C. estético e racional.
organismo, mas queimando-os. Essa força de comoção D. filosófico e pragmático.
dos sentidos, de choque sensorial aromático e gustativo,
E. mítico e empírico.
combatia as doenças, as fraquezas, o envelhecimento,
Alternativa B
ajudava nos partos e nos coitos e servia para afastar a
peste e os venenos. [...]. As especiarias eram, portanto, Resolução: Muitos são os modos de se conhecer o mundo e
a si mesmo, os quais dependem das ferramentas utilizadas,
[...] verdadeiras joias da saúde, pois expulsavam venenos,
sejam elas a razão ou a imaginação. O “conhecimento mítico”
demônios e maus humores.
confere significado ao mundo por meio da fé, não obedecendo
CARNEIRO, H. Um sabor de riqueza para o Ocidente. In: HISTÓRIA aos critérios da razão empírica ou científica, aproximando-se,
VIVA. Grandes temas: mar português. São Paulo: Editora Duetto,
[s.d.]. p. 80. [Fragmento]
assim, do mágico. O “conhecimento estético”, oriundo da
arte, nasce da sensibilidade interpretativa do artista, que,
Além das suas utilidades ainda hoje conhecidas, os ao transportar sua percepção de mundo para a obra, reitera
europeus, ancorados no imaginário medieval, conferiam usos a experiência vivida e aproxima o observador do concreto.
O “conhecimento filosófico” busca, com rigor, compreender
subjetivos às especiarias asiáticas, que, segundo o texto,
o mundo e o ser humano por meio de um exame crítico,
A. desempenhavam papel de condimento, já que, na sistemático e racional das ideias. O “conhecimento
Europa, os alimentos eram, em sua maioria, insossos. científico”, por sua vez, procurando compreender a natureza,
prima pela objetividade – em oposição à subjetividade
B. tinham valor medicinal, já que eram consideradas, por
do cientista – e pela racionalidade, utilizando-se de
exemplo, rejuvenescedoras e caloríferas. métodos empíricos para a confirmação de suas hipóteses.
C. significavam elemento de distinção social, pois eram Já o conhecimento adquirido pelo senso comum nasce
das tradições transmitidas pelos grupos sociais aos quais
demasiadamente valiosas, como o ouro e a prata.
pertencem os indivíduos e caracteriza-se pela ausência de
D. eram utilizadas como veneno para ratos, a fim de evitar crítica às afirmações herdadas. No texto-base apresentado,
a chegada da peste à Europa vinda do Oriente. as ações de Galileu para a compreensão dos fenômenos
astronômicos estão alinhadas, portanto, ao “conhecimento
E. serviam para conservar os alimentos, sobretudo nas
científico”, enquanto a ideia das pessoas em geral a
viagens marítimas, já que inexistiam refrigeradores. respeito do movimento dos corpos celestes está associada
Alternativa B ao conhecimento adquiro pelo senso comum. Portanto,
a resposta correta à questão é a alternativa B.
Resolução: As Grandes Navegações foram impulsionadas
pela busca de novas rotas comerciais que levassem os QUESTÃO 78 TTJZ
europeus às áreas de produção das lucrativas especiarias
asiáticas, já que, no século XV, os caminhos tradicionais
estavam sob o domínio de árabes e de italianos.
Além de suas utilidades pragmáticas, como temperar e
conservar alimentos, descritos nas alternativas A e E,
respetivamente, os europeus conferiam usos subjetivos
a esses produtos, como elemento de distinção social,
apresentado na alternativa C. No entanto, a única finalidade
descrita no texto é o valor medicinal – “combatia as doenças,
as fraquezas, o envelhecimento” –, tornando, assim, correta
a alternativa B. A alternativa D é incorreta, uma vez que o
texto-base não afirma que as especiarias eram usadas como
© WWF-Brasil.
veneno, o que também não é evidenciado historicamente.

CH – PROVA I – PÁGINA 42 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


A imagem refere-se a um conceito recente que aborda a Esse panorama só é possível devido aos processos de
atuação da sociedade sobre os recursos naturais renováveis. urbanização e de modernização da sociedade, com a
Observando a importância desse conceito para a temática inserção significativa das mulheres no mercado de trabalho
ambiental atual, o cálculo do nível de interferência antrópica associada ao planejamento familiar, que reduz ou posterga
tem o intuito de demonstrar a extensão de território a maternidade.
necessária para a
A alternativa A está incorreta, pois o Governo não garante
A. criação de reservas extrativistas. as vagas para crianças no Ensino Infantil.
B. manutenção de estilos de vida. A alternativa B está incorreta, pois as medidas de controle
C. redução do custo de produção. de doenças infecciosas e parasitárias têm sido mais
D. contenção do uso de água potável. eficientes no Sudeste do Brasil.
E. medição do uso de agrotóxicos. A alternativa D está incorreta, pois o que se observa é um
comportamento contrário em relação à maternidade.
Alternativa B
A alternativa E está incorreta, pois não corresponde ao
Resolução: A alternativa B é a correta. A questão faz
movimento posterior de envelhecimento populacional
referência ao conceito de pegada ecológica da sociedade.
descrito na situação-problema, que é caracterizado pelo
A pegada ecológica contém a quantidade de recursos
aumento da razão de dependência devido ao crescimento
naturais renováveis para sustentar o estilo de vida atual.
do número de idosos.
Fundamentalmente, tudo o que a humanidade utiliza para
viver vem da natureza, e, mais tarde, retornará para o meio QUESTÃO 80 G93J
ambiente. Em outras palavras, essa é a pegada. O fim do horário de verão, que terminou à 0h deste
As demais alternativas são incorretas, pois, apesar de domingo [21/02/2016], muda o horário de funcionamento dos
fazerem referência a questões ambientais importantes, não parques estaduais Mãe Bonifácia, Zé Bolo Flô e Massairo
correspondem ao conceito de pegada ecológica. Okamura, em Cuiabá, que volta a ser das 6h às 18h. Esse
horário estava alterado desde outubro de 2015, quando teve
QUESTÃO 79 ØO61 início o horário de verão, com os parques abrindo mais cedo
e fechando mais tarde.
Transição demográfica: a experiência brasileira
Disponível em: <http://g1.globo.com>. Acesso em: 21 out. 2016
A evolução das taxas de mortalidade, natalidade (Adaptação).
e fecundidade a partir de 1950 caracteriza o processo
de transição demográfica no Brasil. De uma população Sabendo a época do ano e quanto tempo durou o horário
de verão, qual é o motivo de os parques de Cuiabá abrirem
predominantemente jovem em um passado nem tão distante,
mais cedo e fecharem mais tarde?
observa-se, nos dias atuais, um contingente, cada vez mais
importante, de pessoas com 60 anos ou mais de idade. A. Aproveitar ao máximo os dias mais longos do ano
proporcionados pela maior incidência de radiação solar
VASCONCELOS, A. M. N; GOMES, M. M. F. (2012).
Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiologia e
no Hemisfério Sul.
serviços de saúde. Disponível em: <http://dx.doi.org>. B. Aumentar a quantidade de frequentadores do parque
Acesso em: 30 ago. 2016. [Fragmento adaptado]
na primavera – estação do ano em que os índices
Considerando o processo descrito pelo texto, uma condição pluviométricos são os mais elevados.
que propicia a mudança no perfil da população brasileira é o(a) C. Marcar o início do verão e o dia mais longo no
A. incentivo governamental à fecundidade, que garante o Hemisfério Sul e o início do inverno e o dia mais curto
pré-natal no Sistema Único de Saúde e as vagas nas no Hemisfério Norte.
escolas de Ensino Infantil. D. Dispor da luminosidade da estação do ano em que o
dia e a noite têm durações iguais tanto no Hemisfério
B. falta de controle sobre doenças infecciosas e
Norte quanto no Sul.
parasitárias que acarretam altas taxas de mortalidade,
sobretudo no Sudeste do Brasil. E. Utilizar o afélio, momento em que o planeta está mais
distante do Sol, para gerar energia nos espaços públicos.
C. urbanização e a modernização da sociedade, que
experimenta atualmente uma desaceleração do ritmo Alternativa A
de crescimento demográfico. Resolução: O horário de verão vigora na primavera e no
verão – período em que os dias passam a ser mais longos
D. gestação precoce de mulheres que privilegiam a
por causa do aumento da incidência dos raios solares no
maternidade em detrimento da inserção e permanência
Hemisfério Sul nessa época do ano (alternativa A). A estação
no mercado de trabalho.
do ano em que os índices pluviométricos são os mais elevados
E. aumento exponencial do número de jovens que se no clima tropical, típico da região de Cuiabá, é o verão,
inserem no mercado de trabalho, com a consequente e não a primavera, como diz a alternativa B. Além disso,
queda na razão de dependência. o aumento das chuvas desfavorece as visitas aos parques.
Alternativa C A mudança do horário de funcionamento dos parques não
marca o início do verão e do inverno, diferentemente do
Resolução: O texto-base ilustra a mudança de perfil
que diz a alternativa C. A duração igual do dia e da noite
demográfico brasileiro, que está em um estágio
define os equinócios de primavera e de outono, o que torna
intermediário da transição demográfica, com uma população a alternativa D incorreta. O afélio e a geração de energia
prioritariamente adulta, e que possuirá, em algumas décadas, nos espaços públicos não se associam como afirma a
um contingente populacional significativamente idoso. alternativa E.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 43


QUESTÃO 81 62B3 Alternativa E
Para concorrer com eles [portugueses], os espanhóis, Resolução: Após o fim da União Soviética, esperava-se
seguidos de perto pelos ingleses, franceses e demais, que as lutas e as guerras teriam fim ou se reduziriam
procurarão outro caminho para o Oriente; a América, com a níveis pouco significativos no panorama mundial.
que toparam nesta pesquisa, não foi para eles, a princípio, No entanto, os conflitos continuaram na forma de guerras
senão um obstáculo oposto à realização de seus planos, civis, ações terroristas relacionadas ao fundamentalismo
que devia ser contornado. Todos os esforços se orientam religioso, disputa por recursos naturais, rivalidades étnicas
então no sentido de encontrar uma passagem, cuja e nacionalismos (alternativa E). As alternativas A, B, C e D
existência se admitiu a priori. Os espanhóis [...] descobrirão associam temas que não caracterizam as guerras atuais.
o México; [...] mas a passagem não será encontrada. [...].
QUESTÃO 83 G2S5
Magalhães [...] encontrará o estreito que constituiu afinal
a famosa passagem tão procurada; mas ela se revelará TEXTO I
pouco praticável e se desprezará. [...] Enquanto isso [...] Plebiscito e referendo são consultas ao povo para decidir
as pesquisas se ativam para o norte; a iniciativa cabe aí sobre matéria de relevância para a nação em questões
aos ingleses, embora tomassem para isto o serviço de de natureza constitucional, legislativa ou administrativa.
estrangeiros [...]. Os portugueses também figurarão nessa A principal distinção entre eles é a de que o plebiscito é
exploração do Extremo Norte americano com os irmãos convocado previamente à criação do ato legislativo ou
Corte Real, que descobrirão o Labrador. Os franceses administrativo que trate do assunto em pauta, e o referendo
encarregarão o florentino Verazzano de iguais objetivos. é convocado posteriormente, cabendo ao povo ratificar ou
PRADO JÚNIOR, C. Formação do Brasil contemporâneo. rejeitar a proposta. Ambos estão previstos no art. 14 da
São Paulo: Brasiliense, 1977. p. 23. Constituição Federal e regulamentados pela Lei n. 9 709,
O texto sinaliza que a Expansão Marítima europeia teve de 18 de novembro de 1998.
como motivação o interesse Disponível em: <http://www.tse.jus.br>. Acesso em: 09 dez. 2015.

A. comercial. TEXTO II
B. político. Os Tribunos da Plebe, a princípio dois e mais tarde dez,
C. religioso. eram invioláveis. Tinham direito de poder socorrer o cidadão
D. científico. ameaçado por um magistrado e interceder ou anular atos ou
decisões que julgassem prejudiciais aos plebeus. Podiam
E. civilizatório.
reunir a assembleia da plebe e fazer votar o que tinha valor
Alternativa A de lei para os plebeus.
Resolução: O texto-base informa o interesse dos reinos KOSHIBA, L. História: origens, estruturas e processos. São Paulo:
europeus (como os espanhóis, ingleses e franceses) de Atual Editora, 2000. p. 83.
procurar “outro caminho para o Oriente” para “concorrer”
As análises dos textos e da História revelam a relação
com o Estado português, que iniciara de forma pioneira suas
de herança de práticas políticas romanas na estrutura
expedições marítimas em direção às Índias. Desse modo,
brasileira atual. Na construção de uma mentalidade cada
evidencia-se, por meio dessas palavras-chaves, o interesse
vez mais cidadã, a semelhança entre as duas experiências
econômico desses reinos, uma vez que o Oriente era
se encontra no(a)
cobiçado devido ao rentável comércio de especiarias. Já os
demais aspectos apresentados nas alternativas incorretas – A. exploração dos plebeus romanos e do povo brasileiro
político, religioso, científico e civilizatório – não podem ser contemporâneo.
identificados por meio do texto-base. B. conquista do direito de decisão em situações
consideradas polêmicas.
QUESTÃO 82 3NXM
C. superioridade incontestável do Poder Legislativo sobre
No início do século XXI, encontramo-nos num mundo em o Poder Executivo.
que as operações armadas já não estão essencialmente nas
D. restrição democrática garantida apenas aos grupos
mãos dos governos ou dos seus agentes autorizados, e as
privilegiados em cada contexto.
partes distantes não têm características, status e objetivos
em comum, exceto quanto à vontade de utilizar a violência. E. poder da coesão popular em manifestações pelos
direitos de todos.
HOBSBAWM, E. J. Globalização, democracia e terrorismo.
São Paulo: Companhia das Letras, 2007. p. 23. Alternativa B
Resolução: O texto I apresenta alguns instrumentos
Considerando a caracterização do período citado, são políticos que estão previstos na Constituição Federal e dos
motivos recorrentes dos conflitos após o fim da Guerra Fria: quais dispõe o povo brasileiro, o que lhe permite participar
A. Recursos humanos, fundamentalismo político e de processos decisórios sobre assuntos de interesse
rivalidades tribais. público. Assim, o plebiscito e o referendo, tal como os
B. Recursos energéticos, separação Igreja-Estado e Tribunos da Plebe, que, de acordo com o texto II, eram
rivalidades culturais. magistrados que atuavam em defesa dos direitos e dos
C. Recursos minerais, laicidade estatal e rivalidades interesses da plebe, correspondem à conquista do direito
esportivas. de decidir do povo em situações consideradas polêmicas
D. Recursos tecnológicos, liberdade religiosa e e revelam, portanto, uma relação de herança de práticas
rivalidades regionais. políticas romanas na estrutura brasileira atual. Logo, a única
E. Recursos naturais, fundamentalismo religioso e alternativa que apresenta semelhança entre a experiência
rivalidades étnicas. romana e a brasileira é a B.

CH – PROVA I – PÁGINA 44 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


QUESTÃO 84 8U2E Alternativa B
Resolução:
População muçulmana no mundo
A) O
 texto-base destaca a importância da prática escravista
para o desenvolvimento das artes e das ciências, não a
relacionando ao povoamento das regiões conquistadas
pelos gregos.
B) O texto-base destaca que “sem a escravidão, não haveria
o Estado grego; não haveria arte nem ciências gregas”.
Desse modo, o papel representado pela escravidão pode
ser associado à valorização da ociosidade, isto é, os
gregos, sobretudo os atenienses, consideravam o tempo
Disponível em: <http://image.slidesharecdn.com>. Acesso em: 01 nov. 2016.
livre importante para o desenvolvimento intelectual e para
o exercício de outras atividades, como as políticas.
A religião islâmica apresenta, nos últimos anos, grande C) A s pessoas escravizadas na Grécia Antiga eram,
crescimento no número de adeptos, que estão distribuídos sobretudo, prisioneiras de guerras, englobando, assim,
pelo globo de maneira heterogênea. Considerando a imagem diversos ofícios ou especialidades, não formando
anterior e pensando no objetivo de sua representação, a necessariamente mão de obra qualificada.
anamorfose foi escolhida porque expressa D) N a Antiguidade, foi comum o aproveitamento das
A. características de diversos temas simultaneamente. especialidades das pessoas escravizadas, por exemplo,
alguns escravos exerciam funções na área de ensino.
B. ausência de comprovação da veracidade dos dados.
Entretanto, não se pode afirmar que essa situação ocorria
C. negligência dos elementos básicos de um mapa. devido a uma incapacidade das pessoas livres.
D. imprecisão na definição de distâncias latitudinais. E) A escravidão foi comum na Antiguidade por diversos
E. deformações proporcionais aos dados apresentados. fatores: escassez de mão de obra, necessidade de
aumentar a produção e valorização do ócio – como
Alternativa E
no caso da Grécia apresentado. Desse modo, está
Resolução: A alternativa E é a correta. As anamorfoses incorreto associar o papel da escravidão à “indolência”
são representações gráficas simplificadas, sem escala das camadas populares, que exerciam suas atividades
cartográfica e sem os demais elementos básicos de um independente da prática escravista.
mapa. Trata-se de um registro de comunicação, e não uma
representação do mundo real. As deformidades apresentadas QUESTÃO 86 57KD

não são aleatórias, mas propositais e calculadas com Mas o início da Revolução Industrial contou também
precisão, tornando-se diretamente proporcionais à variável com o alto avanço tecnológico, que possibilitou a troca das
considerada: a população muçulmana. ferramentas e da energia humana pelas máquinas. Foi
QUESTÃO 85 HCZQ uma fase de encerramento da transição entre o feudalismo
e o capitalismo, em que o capitalismo se tornou o sistema
Sem a escravidão, não haveria o Estado grego; não
financeiro e econômico vigente, e novas relações entre
haveria arte nem ciências gregas [...]. É muito fácil estar
capital e trabalho foram impostas. A burguesia industrial
contra a escravidão [...], e manifestar a imoralidade dessa
buscava maiores lucros, com menores custos e uma
instituição. Infelizmente, porém, agir dessa maneira não
produção acelerada. Primeiramente, a revolução afetou
explica e nada nos ensina de importante sobre a origem de
a produção de bens de consumo e, depois, os bens de
semelhante instituição, as razões de sua duração e o papel
produção.
que representou na História.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. Disponível em: <http://revolucao-
ENGELS, F. A revolução na ciência de Herr Dühring. In: MARX, K.;
industrial.info>. Acesso em: 30 jan. 2017 (Adaptação).
ENGELS, F. Sobre literatura e arte. São Paulo: Global, 1979. p. 79-80
(Adaptação).
O trecho anterior descreve o período no qual foi inserida
De acordo com a análise anterior, na Grécia Antiga, o papel uma série de mudanças no mundo do trabalho, entre as
representado pela escravidão está associado à quais se destaca a
A. necessidade de garantir o povoamento das regiões A. introdução do uso de combustíveis fósseis, concedendo
conquistadas pelos gregos. dinâmica a toda a produção.
B. valorização da ociosidade como condição do B. incorporação do uso de tecnologias nucleares,
desenvolvimento intelectual. modificando o processo de produção.
C. escassez de mão de obra qualificada para a produção C. inclusão da máquina a vapor, dinamizando todo o
agrária e artesanal. processo de produção industrial.
D. deficiência do ensino das artes e das ciências praticado D. redução da divisão do trabalho social, acarretando na
pelas pessoas livres. queda do número de empregos.
E. indolência das camadas populares urbanas e rurais E. diminuição da carga horária de trabalho, fruto de
das poleis gregas. disputas entre os patrões e os empregados.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 45


Alternativa C C. desaparecimento quase completo das garantias
Resolução: O texto-base aborda as mudanças provocadas trabalhistas que protegiam os operários contra os
pelo início da Revolução Industrial, isto é, sua primeira fase, efeitos da industrialização.
e mostra a amplitude dessa transformação, que afetou de D. envolvimento das classes trabalhadoras com teorias
forma brusca o mundo ocidental, alterando as bases do sociais que pregavam a desordem e a destruição das
trabalho, do Estado e da sociedade. máquinas como forma de protesto.
Para a solução da questão, o aluno deve saber que, na E. aumento da cobrança de impostos por parte do Estado
Primeira Revolução Industrial, a introdução da máquina a para o financiamento da produção em detrimento de
vapor na produção foi a referência tecnológica fundamental. investimentos sociais.
“Na primeira fase, entre 1750 e 1800, desenvolve-se a Alternativa A
máquina a vapor, que vai substituir diretamente o trabalho Resolução: Germinal, romance de Émile Zola, aborda
humano e a tração animal; na segunda, entre 1850 e 1870, as relações de trabalho no processo de consolidação do
a eletricidade e os combustíveis fósseis passam a alimentar capitalismo. Podemos perceber, por meio da leitura do texto-
as novas máquinas; e já no século XX, após as duas grandes -base, a situação em que os trabalhadores encontravam-se
guerras, tem lugar a chamada Terceira Revolução Industrial, no processo de produção. Tal condição foi vivenciada
com o advento da energia nuclear e das tecnologias de pessoalmente por Zola, que, para escrever seu livro, chegou
informação.” (DELAZARI, F. Positivismo e Revolução a trabalhar dois meses na extração de carvão como mineiro.
Industrial. In: ______. Coleção Estudo 6V. Belo Horizonte: Para responder corretamente, o aluno deve perceber,
Bernoulli Sistema de Ensino, 2017. v. 1. p. 4). primeiramente, que o texto-base trata de uma questão recorrente
Analisaremos as demais alternativas: durante a Revolução Industrial: as péssimas condições de
trabalho. Paralelamente, deve-se recordar que a Revolução
A) A introdução do uso dos combustíveis fósseis acontece na
Industrial modificou por completo a estrutura econômica da
segunda fase da Revolução Industrial, em paralelo com a
sociedade europeia, desestruturando as bases do feudalismo.
utilização da eletricidade, ao passo que o texto-base se
refere ao início do referido processo. Com essa desestruturação, ocorre o rompimento com
as instituições sociais e com as relações produtivas que
B) A introdução das tecnologias nucleares se dá a partir da
vigoravam na sociedade pré-capitalista. Assim, o modo
Terceira Revolução Industrial, juntamente com o advento
de produção capitalista começa a se consolidar de forma
das tecnologias de informação, ao passo que o texto-base
definitiva. Em outras palavras, “o desenvolvimento do
se refere à primeira fase da Revolução Industrial. sistema capitalista, ao se constituir em torno da exploração
D) Ao contrário, houve um aumento da divisão do trabalho do trabalho assalariado, na posse da propriedade e da
social, conforme autores clássicos da Sociologia (Marx, constante criação de necessidades, rompe com a lógica
Weber e Durkheim) demonstram em suas análises. que até então dominava a vida em sociedade nos períodos
E) Os operários, na primeira fase da Revolução Industrial, pré-capitalistas [...]”. (DELAZARI, F. Positivismo e Revolução
trabalhavam de 12 a 15 horas diárias “[...] em condições Industrial. In: Coleção Estudo 6V. Belo Horizonte: Bernoulli
de trabalho precárias e por salários aviltantes [...]”. Sistema de Ensino, 2017. v. 1. p. 4). Portanto, a alternativa A
é a correta.
(MERLO; LAPIS, op. cit., p. 61).
QUESTÃO 88 9N3Q
QUESTÃO 87 K4OF

Era sempre assim que começava a conversa, cada Se cada dia cai
um tinha algo a dizer, enquanto o querosene do candeeiro Se cada dia cai, dentro de cada noite,
viciava o ar da sala já empesteada pelo cheiro de cebola frita. há um poço
[...] trabalhavam como bestas numa coisa que antes só era onde a claridade está presa.
feita pelos condenados às grilhetas, morriam ali, muito antes
há que sentar-se na beira
de ter chegado a sua hora, e tudo isso para nem sequer terem
do poço da sombra
carne no jantar. [...] aos domingos sucumbiam, exaustos.
e pescar luz caída
Os únicos prazeres eram embriagar-se e fazer filhos na
com paciência.
mulher. E ainda por cima a cerveja fazia crescer a barriga,
NERUDA, P. Disponível em: <http://www.poesiaspoemaseversos.com.br>.
e os filhos, mais tarde, renegavam os pais. Não, não, a vida Acesso em: 30 ago. 2016.
não tinha graça alguma.
ZOLA, É. Germinal. São Paulo: Martin Claret, 2001. p. 130. O poema do chileno Pablo Neruda descreve um fenômeno
diário de natureza geográfica. Nesse contexto, considerando
O processo de exclusão social que ocorre concomitantemente que a situação apresentada ocorre na cidade de Santiago,
ao desenvolvimento industrial da Europa no século XIX no Chile, o trecho “Se cada dia cai dentro de cada noite”
reflete o é interpretado, geograficamente, como uma referência ao
A. rompimento das relações produtivas e das instituições A. retorno da fase da Lua nova.
sociais que vigoravam na sociedade europeia
B. surgimento da aurora boreal.
pré-capitalista.
C. giro oeste-leste do eixo terrestre.
B. surgimento de um modo de produção que conjugava
o progresso tecnológico com a utilização de trabalho D. período do Sol da meia-noite.
escravo. E. equinócio de verão nos trópicos.

CH – PROVA I – PÁGINA 46 ENEM – VOL. 2 – 2020 BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO


Alternativa C São categorias espaciais definidas e estudadas pela
Resolução: O verso do poema descrito no enunciado da Geografia:
questão refere-se a um intervalo com ausência de luz, ou seja, A. Espaço geográfico, modificado pela ação humana;
ao período da noite. Quando o autor diz que “cada dia cai dentro lugar, relacionado à vivência afetiva; território,
de cada noite”, refere-se a um ciclo. Em outras palavras, basta estabelecido por relações de poder.
esperar, pois a luz tornará a surgir. Isso se trata do fenômeno
B. Espaço natural, delimitado por processos sociais; lugar,
de rotação terrestre – corretamente exposto na alternativa C –,
compreendido pela vivência afetiva; território, instituído
no qual o planeta realiza um giro ao redor de seu próprio eixo,
por relações de poder.
o que possibilita a existência dos dias e das noites.
C. Espaço geográfico, estabelecido pelos elementos
QUESTÃO 89 YUTP
artificiais; lugar, abrangido em um lance de vista;
Pensando nas correntes e prestes a entrar no braço território, marcado por relações de poder.
que deriva da Corrente do Golfo para o norte, lembrei-me de
D. Espaço natural, criado por elementos naturais e sociais;
um vidro de café solúvel vazio. Coloquei no vidro uma nota
lugar, percebido por um lance de vista; território,
cheia de zeros, uma bola cor rosa-choque. Anotei a posição
determinado por relações de poder.
e data: Latitude 49°49’ N, Longitude 23°49’ W. Tampei e
joguei na água. Nunca imaginei que receberia uma carta E. Espaço geográfico, apropriado por certo grupo; lugar,
com a foto de um menino norueguês, segurando a bolinha demarcado por fronteiras políticas; território, formado
e a estranha nota. por relações de poder.
KLINK, A. Parati: entre dois polos. São Paulo: Companhia das Letras, Alternativa A
1998 (Adaptação).
Resolução: Algumas das mais importantes categorias
No texto, o autor anota sua coordenada geográfica, que é espaciais, que servem como instrumento à análise espacial
A. a relação que se estabelece entre as distâncias na Geografia, são lugar, paisagem, região e território.
representadas no mapa e as distâncias reais da A alternativa A define corretamente o espaço geográfico,
superfície cartografada. o lugar e o território. Essas categorias são identificadas
B. o registro de que os paralelos são verticais e convergem no espaço geográfico, o qual resulta das relações entre
para os polos, e os meridianos são círculos imaginários, sociedade e natureza, isto é, o espaço transformado
horizontais e equidistantes. pela ação humana diferente do espaço natural em que
C. a informação de um conjunto de linhas imaginárias que predominam os elementos naturais não modificados pelo ser
permitem localizar um ponto ou acidente geográfico na humano. O lugar pode ser definido pelo vínculo afetivo entre
superfície terrestre. o sujeito e o meio em que vive. A paisagem é compreendida
D. a latitude como distância em graus entre um ponto pela visão e pelos demais sentidos. Já o território é instituído
e o Meridiano de Greenwich, e a longitude como a pelas relações de poder estabelecidas, que determinam o
distância em graus entre um ponto e o Equador. seu uso.

E. a forma de projeção cartográfica, usada para


navegação, onde os meridianos e paralelos distorcem
a superfície do planeta.
Alternativa C
Resolução: O enunciado é completado com a definição
de coordenada geográfica, constituída por paralelos
e meridianos que possibilitam o posicionamento de
qualquer ponto sobre a superfície da Terra. Sabendo disso,
a alternativa A está incorreta, pois descreve a noção de
escala. A alternativa B também está incorreta porque
a definição de paralelos e meridianos está invertida.
A alternativa D está incorreta porque a definição de longitude
e de latitude está invertida. A alternativa E está incorreta,
pois descreve a projeção cartográfica.

QUESTÃO 90 MLK2

Geografia é a ciência da organização do espaço. Logo,


os fenômenos, as relações, as categorias e as percepções
espaciais são do interesse dos geógrafos, embora não
somente deles.
KALIL, T. O vinho em Andradas (MG): sabor, paisagem, lugar, memória
e perspectivas na percepção dos produtores. Geograficidade, v. 6,
n. 2, maio 2016. Disponível em: <http://www.uff.br>.
Acesso em: 28 out. 2016.

BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO ENEM – VOL. 2 – 2020 CH – PROVA I – PÁGINA 47