Você está na página 1de 9

ESCOLA SUPERIOR POLITÉCNICA DO NAMIBE

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO AMBIENTE

ANTE-PROJECTO DO TRABALHO DO FIM DO CURSO

Desenvolvimento da Educação Ambiental em Angola numa perspectiva de


1992 áte aos dias actuais

Gertrudes Kibinda Dembe

Moçâmedes,2020
ESCOLA SUPERIOR POLITÉCNICA DO NAMIBE

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO AMBIENTE

Desenvolvimento da Educação Ambiental em Angola numa perspectiva de


1992 áte aos dias actuais

Gertrudes Kibinda Dembe

2016157072/EA/PL

Orientado por:

Moçâmedes,2020

Introdução

É indispensável um trabalho de educação em questões ambientais, dirigido tanto para as gerações


jovens, como para as gerações adultas, para construir as bases de uma opinião pública bem
informada e propiciar a conduta dos indivíduos, das empresas e das colectividades, de acordo
com o sentido de responsabilidade necessária à protecção e melhoria do ambiente em toda a sua
dimensão humana (Dias, 1993). O século passado fica marcado por avanços e recuos
significativos no que diz respeito à sensibilização da população para as questões centrais da
sustentabilidade ambiental do planeta que recebemos e que legado denominado de pegada
ecológica deixou para gerações vindouras. Nas últimas décadas, o crescimento económico e
tecnológico sem precedentes tem tido um impacto negativo na natureza e na sociedade
(UNESCO, 1976), suscitando um interesse cada vez maior pelas questões ambientais. Face à
gravidade dos problemas ambientais, e seguindo as recomendações que resultaram das
conferências internacionais organizadas pela ONU nas últimas décadas, os governos à escala
mundial têm tomado uma série de medidas, entre as quais se destaca a inclusão da Educação
Ambiental nos currículos escolares, conferindo à Escola um papel essencial na sensibilização e
educação urgente das populações. No entanto, Angola, é um dos países preocupados na
preservação do meio ambiente, e tem marcado passos na educação ambiental mas infelizmente a
maior parte dela ainda traduz- se no papel.

1.1 Situação Problemática

Sendo a Educação Ambiental o processo de formação e informação social orientado para o


desenvolvimento de consciência crítica sobre a problemática ambiental, compreendendo-se
como crítica a capacidade de captar a génese e a evolução dos problemas ambientais, tanto em
relação aos seus aspectos biofísicos, quanto sociais, políticos, económicos e culturais; o
desenvolvimento de habilidades e instrumentos tecnológicos necessários à solução dos
problemas ambientais; o desenvolvimento de atitudes que levem à participação das comunidades
na preservação do equilíbrio ambiental. Pensa- se que para uma boa qualidade de vida, uso dos
recursos naturais e desenvolvimento sustentável, uma boa relação do homem para com o meio
ambiente em Angola e nos restantes países do mundo, a chave é a Educação Ambiental, por
isso, é necessário analisar se há desenvolvimento ou não desde o ano em que foi implementada a
Lei de Base do Ambiente até nos dias actuais.

1.2 Antecedentes
Apesar de existirem poucos estudos na literatura angolana sobre a importância da Educação
Ambiental e que passos tem vindo a marcar, de modo geral várias são as obras que já têm
abordado a temática em questão:

Segundo Alfredo Mendes Panzo na sua obra Capacitação de professores para a inserção da
educação ambiental na prática docente, a Educação Ambiental (EA) é de fundamental
importância para que se possa compreender melhor tanto as inter-relações entre o homem e o
ambiente como também suas expectativas, satisfações e insatisfações, julgamentos e condutas.

O Princípio 19 da “Declaração Sobre o Ambiente Humano”, que resultou da primeira


Conferência Mundial sobre o Homem e o Meio Ambiente estabelece que é indispensável um
trabalho de Educação em questões ambientais, dirigido, seja às gerações jovens, seja aos
adultos, o qual dê a devida atenção aos setores menos privilegiados da população, a fim
de favorecer a formação de uma opinião pública bem informada e uma conduta dos
indivíduos, das empresas e das coletividades, inspirada no sentido da sua responsabilidade
com a proteção e melhoria do meio, em toda a sua dimensão humana (ONU, Estocolmo,
1972).

O estado angolano sempre se preocupou com o meio ambiente, embora com algumas decisões
menos céleres do que o desejável, sempre deteve ações que indicavam um indício naquilo que
eram as questões ligadas ao meio ambiente, pois a nível dos manuais da disciplina de ciências da
Natureza constavam ações de preservação do meio, aquelas ligadas com a água, no cuidado com
a higiene (lixo), na relação com as plantas e animais. Mas só em 1998 a Educação Ambiental foi
institucionalizada, com a aprovação e entrada em vigor da Lei de Bases do Ambiente, a Lei n.
5/98 de 19 de Junho, Juarês e Carlos (2015).

Justificativa

O tema sobre Educação Ambiental é bastante pertinente no seio social porque nenhum país ou
continente atinge objetivos satisfatórios se não presar pela preservação do meio ambiente e usar
os seus recursos de forma sustentável uma vez que dependemos dela para a nossa sobrevivência
e também no desenvolvimento económico de cada país. Ela não deve ser tratada como algo
distante do nosso cotidiano mas sim como parte das nossas vidas. Este tema servirá de análise se
realmente há a evolução e a desenvolvimento no que tange a educação ambiental em Angola
bem como despertar a preocupação de todos nós viventes deste planeta e principalmente a
população angolana, a valorizar, preservar e a cuidar melhor do meio ambiente.

1.4 Importância Social


É de extrema importância que pretende-se com este trabalho, demostrar o valor da Educação
Ambiental para que se alcance a sustentabilidade em Angola e em diferentes pontos do globo.

1.5 Importância Cientifica


Do ponto de vista científico, o estudo em caso reveste-se de grande importância, pois, servirá e
permitirá, que os estudos futuros possam utilizá-lo como instrumento e ponto referencial de
pesquisa para o desenvolvimento dos estudos sobre a Educação Ambiental em Angola.

1.6 Importância Prática


A Educação Ambiental é de fundamental importância porque em termos práticos proverá
conhecimento acerca de como preservar o ambiente e ensinará as pessoas a valorizarem mais o
mesmo contribuindo desta forma na qualidade de vida.

2-DESENHO TEÓRICO

2.1 Problema científico


De que forma a Educação ambiental tem vindo a fazer face aos problemas ambientais?

2.2 Objeto de investigação


O objecto de estudo deste trabalho é a Educação em termos ambientais

2.3 Objectivos

2.3.1 Geral:
 Descrever o desenvolvimento da educação ambiental nas diferentes décadas em Angola
desde 1992 até o ano actual;

2.3.2 Específicos:
 Argumentar sobre o desenvolvimento histórico da temática ambiental nos diferentes
pontos do globo;
 Analisar se Angola tem vindo a dar passos significativos no que toca a educação
ambiental e na preservação do meio ambiente.

2.4 HIPÓTESES

2.4.1 Hipótese Nula


A Educação Ambiental não é uma ferramenta indispensável para a mudança do comportamento
do homem para com o meio ambiente. É de igual modo não indispensável como instrumento na
solução dos problemas ambientais tanto em Angola e no resto do mundo.

2.4.2 Hipótese Alternativa


A Educação Ambiental é uma ferramenta indispensável para a mudança do comportamento do
homem para com o meio ambiente. É de igual modo indispensável como instrumento na solução
dos problemas ambientais tanto em Angola e no resto do mundo.
3- REFERENCIAL TEÓRICO
O conceito de Educação Ambiental foi definido na Conferência Intergovernamental sobre a
Educação Ambiental que teve lugar em Tbilisi na Geórgia, ex-URSS em 1977, conhecida como
a Conferência de Tbilisi. Educação Ambiental com uma dimensão dada ao conteúdo e a prática,
orientada para a resolução dos problemas concretos do meio ambiente através de enfoques
interdisciplinares, e de uma participação activa e responsável de cada indivíduo e da
colectividade (Dias, 1992, p.29). As definições são muitas, mas existem entre elas vários pontos
em comum, pois consideram que a Educação Ambiental possui, necessariamente uma visão
holística e uma abordagem integradora. A Educação Ambiental, segundo Loureiro (2004, p.21)
deve ser percebida dentro da Educação, como um processo dialógico, diálogo este, que envolve a
todos em busca da transformação.

Vários foram os eventos sobre a educação ambiental a nível internacional. A UNESCO


promoveu em Belgrado, Jugoslávia em 1975, a Carta de Belgrado (Dias 1992). Depois a
Conferência Intergovernamental de Tbilisi, na Geórgia, considerada como um dos principais
eventos sobre Educação Ambiental do Planeta. Em Agosto de 1987, teve lugar a Conferência
Internacional sobre a Educação e Formação Ambiental em Moscovo. No Rio-92 a proposta de
Tbilisi foi novamente corroborada. Isto ainda ocorreria mais duas vezes, em 1997, no mês de
Outubro no Brasil na Conferência Nacional de Educação Ambiental e em Dezembro de 1997, na
Conferência de Thessaloniki, realizada na Grécia.

Quanto a educação ambiental em Angola, é importante observar de que, segundo o Relatório do


Estado Geral do Ambiente em Angola (MINUA 2006), a face ambiental de Angola mudou
profundamente no último decénio.

As vastas áreas de florestas diminuíram consideravelmente; a vegetação de savana mudou devido


à pressão humana. Uma parte significativa das cidades costeiras do país está desestruturada
devido à deslocação das populações rurais para acidade.

4- DEFINIÇÃO DE TERMOS CHAVES


4.1 Ambiente

Ambiente: conjunto dos sistemas físicos, químicos, biológicos e suas relações e dos factores
económicos, sociais e culturais, com efeito, directo ou indirecto, mediato ou imediato, sobre os
seres vivos e a qualidade de vida dos seres humanos.

4.2 Desenvolvimento
Desenvolvimento: é toda acção ou efeito relaccionado com o proesso de crescimento, evolução
de um objecto, pessoa ou situação e uma determinada condição O acto de desnvolver resulta na
acção de estar apto para o próximo passo, direcção, indicação ou etapa superior a que se encontra
na fase actual. Por esta razão, a noção de desenvolvimento pode estar relaccionada tanto a coisas,
pessoas, situações ou fenômenos de variados tipos.

4.3 Educação

Educação: é o acto de educar, instruir, polidez, disciplinamento. No seu sentido amplo, educação
significa o meio e que hábitos, costumes e valores de uma comunidadae são transferidos de uma
geração para a geração seguinte. Ela vai se formando através de situações presenciadas e
experiências vidas por cada indivíduo ao longo da sua vida. Do latim eduations, no sentido
formal é todo proesso contínuo de formação e ensino de aprendizagem que faz parte do currículo
de estabelecimentos oficializados de ensino, sejam eles públicos ou privados.

4.4 Preservação

Acto de preservar, pôr- se ao abrigo de um mal, dano ou perigo futuro, defender, resguardar- se.

5- DESENHO METODOLÓGICO

5.1 Metodologia De Investigação


A metodologia utilizada será a pesquisa bibliográfica de livros e artigos em meios como sites e
bibliotecas, e ainda, inquerir algumas empresas que embasarão e nortearão este trabalho.

6-TAREFAS DA INVESTIGAÇÃO

 Revisão bibliográficas.
 Analisar e sondar a veracidade da informação da Educação Ambiental em Angola de
1992 até aos dias actuais.
 Colectar informações concretas.
 Descrever os resultados esperados da pesquisa sobre a Educação Ambiental.

7- MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO

7.1 Métodos teóricos

O presente trabalho visa apoiar-se nos métodos teóricos, análise e síntese que servirão de
relevância na selecção de informação bibliográficas.

7.2 Métodos Técnicos


Para este trabalho utilizar-se-á técnicas de recolha de dados, observação e análises de
documentos, conteúdos e outros registos.
8- RESULTADOS ESPERADOS
Com este estudo visa-se os resultados seguintes:

Mostrar a necessidade de melhorar na preservação do meio ambiente e na qualidade de vida dos


cidadãos angolanos ;

Compartilhar informações, percepções e sentimentos;

Despertar valores.

9- CRONOGRAMA DE ACTIVIDADES

Actividades Maio Junho Julho Agosto Setembro

Levantamento
Bibliográfico

Redacção e entrega do
anteprojecto

Aplicação do trabalho
prático

Análise de resultados

Redacção da
monografia

Revisão e entrega da
monografia
10- ORÇAMENTO

Investigador 100.000.00
Outros Investigadores
Subtotal 1 (valores estimados em Kwanza)
Materiais de Oficina Básicos Quantidade Custos Total
Resmas de Papel 3 1.500.00 4.500.00
Cartuchos de Tinta de3 4.500.00 13.500.00
Impressora
CDꞌs 3 300.00 900.00
Pen Drives 1 3.000.00 3.000.00
21.600.00
Serviços Gráficos
Fotocópias 5 2.000.00 10.000.00
Encadernação 5 10.000.00
Subtotal 3 20.000.00
PRESSUPOSTO TOTAL 141.000.00
11- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALFREDO, G. B. e JULIANA, L. C. Capacitação de professores para a inserção da educação


ambiental na prática docente

DIAS, G. F. (1992). Educação Ambiental: Princípios e Prática. São Paulo.

Dias, J. F. (1993). Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Editora Gaia;

JUARÊS, B. M., CARLOS P. C., JACINTO, A. P. P.& ELSA, M. G. M. : A história da


Educação Ambiental - um olhar sobre Angola. Instituto Superior de Ciências da Educação do
Huambo (ISCED), Angola (2015)

LOUREIRO, C. F. B. (2004) Educar, Participar e Transformar em Educação Ambiental.


Educação ambiental.

MINUA – Ministério do Urbanismo e Ambiente (2006). Programa de Investimento


Ambiental. Relatório do Estado Geral do Ambiente.

ONU, (1972), Declaração sobre o Meio Ambiente. Disponível em


http://www.defensoresdanatureza.com.br/defensores/estatuto/estatonu.html. Acesso em
10/04/2015.

UNESCO, (1975), Carta de Belgrado. Lisboa: Instituto Nacional do Ambiente.


Disponível em http://www.esac.pt/Abelho/EdAmbiental/carta_de_Belgrado.pdf . Acesso
em 24/04/2015.

Nota doNota daNota daMédia


Nº de matrícula Nome Completo
Trabalho apresentação defesa final
2016157072 Gertrudes Kibinda Dembe