Você está na página 1de 7

Questões inéditas sobre a Lei

5.553/1968
Questões inéditas sobre a
Legislação Especial para Polícia
Rodoviária Federal

Técio Pellegrino

1
duvidas@teciopellegrino.com
Chegamos a maior e mais completo material com questões inéditas sobre a

LEI Nº 5.553, DE 6 DE DEZEMBRO DE 1968.


Trata-se de uma lei muito curta (são apenas 5 artigos), por isso nosso material possui
apenas 4 questões!
Mas, ainda assim, temos quase toda a Lei transformada em assertivas de CERTO /
ERRADO!

Todas as questões estão com gabarito e comentário, fazendo referência ao respectivo


dispositivo da Lei.
Inicialmente temos a lista de questões sem gabarito nem comentários.
Após, temos um gabarito simples, de todas as questões.
E após esse gabarito, temos novamente a lista das mesmas questões, mas cada uma delas
com o seu gabarito e comentário.

Qualquer dúvida, crítica, sugestão, elogio ou boas notícias (“PASSEI PROFESSOR!”), o e-


mail para contato é contato@teciopellegrino.com (pode usar também o perfil do
Instagram @teciopellegrino ).

@teciopellegrino

2
duvidas@teciopellegrino.com
Sumário
Questões sem comentários ......................................................................................................................... 4
Gabarito ....................................................................................................................................................... 5
Questões com comentários ......................................................................................................................... 6

3
duvidas@teciopellegrino.com
LEI Nº 5.553, DE 6 DE DEZEMBRO DE 1968.

Questões sem comentários

1. A nenhuma pessoa jurídica de direito público é lícito reter qualquer documento de


identificação pessoal, ainda que apresentado por fotocópia autenticada ou pública-
forma, exceto o comprovante de naturalização e carteira de identidade de estrangeiro.

2. Quando, para a realização de determinado ato, um agente de PRF exigir a apresentação


de documento de identificação, a pessoa que fizer a exigência fará extrair, no prazo de
até 15 dias, os dados que interessarem devolvendo em seguida o documento ao seu
exibidor.

3. Quando o documento de identidade for indispensável para a entrada de pessoa em


órgãos públicos ou particulares, serão seus dados anotados no ato e devolvido o
documento imediatamente ao interessado.

4. Constitui crime a retenção de qualquer documento a que se refere a Lei 5.553/1968.

4
duvidas@teciopellegrino.com
Gabarito

1 E
2 E
3 C
4 E

5
duvidas@teciopellegrino.com
Questões com comentários

1. A nenhuma pessoa jurídica de direito público é lícito reter qualquer documento de


identificação pessoal, ainda que apresentado por fotocópia autenticada ou pública-
forma, exceto o comprovante de naturalização e carteira de identidade de estrangeiro.
Comentário:
Errada, o comprovante de naturalização e carteira de identidade de estrangeiro também
estão abrangidos por essa regra.
Art. 1º A nenhuma pessoa física, bem como a nenhuma pessoa jurídica, de direito público
ou de direito privado, é lícito reter qualquer documento de identificação pessoal, ainda
que apresentado por fotocópia autenticada ou pública-forma, inclusive comprovante de
quitação com o serviço militar, título de eleitor, carteira profissional, certidão de registro
de nascimento, certidão de casamento, comprovante de naturalização e carteira de
identidade de estrangeiro.

2. Quando, para a realização de determinado ato, um agente de PRF exigir a apresentação


de documento de identificação, a pessoa que fizer a exigência fará extrair, no prazo de
até 15 dias, os dados que interessarem devolvendo em seguida o documento ao seu
exibidor.
Comentário:
Errada, esse prazo é de 5 dias, conforme caput do art. 2º. Importante observar que
somente por ordem judicial poderá ser retido qualquer documento de identificação
pessoal além desse prazo, conforme § 1º do mesmo artigo.
Art. 2º Quando, para a realização de determinado ato, for exigida a apresentação de
documento de identificação, a pessoa que fizer a exigência fará extrair, no prazo de até 5
(cinco) dias, os dados que interessarem devolvendo em seguida o documento ao seu
exibidor.
§ 1º - Além do prazo previsto neste artigo, somente por ordem judicial poderá ser retido
qualquer documento de identificação pessoal. (Renumerado pela Lei nº 9.453, de
20/03/97)

3. Quando o documento de identidade for indispensável para a entrada de pessoa em


órgãos públicos ou particulares, serão seus dados anotados no ato e devolvido o
documento imediatamente ao interessado.
Comentário:
Correta, observe que a devolução deve ocorrer imediatamente.

6
duvidas@teciopellegrino.com
Art. 2º, § 2º - Quando o documento de identidade for indispensável para a entrada de
pessoa em órgãos públicos ou particulares, serão seus dados anotados no ato e devolvido
o documento imediatamente ao interessado. (Incluído pela Lei nº 9.453, de 20/03/97)

4. Constitui crime a retenção de qualquer documento a que se refere a Lei 5.553/1968.


Comentário:
Errada, não é crime, mas sim contravenção penal.
Art. 3º Constitui contravenção penal, punível com pena de prisão simples de 1 (um) a 3
(três) meses ou multa de NCR$ 0,50 (cinqüenta centavos) a NCR$ 3,00 (três cruzeiros
novos), a retenção de qualquer documento a que se refere esta Lei.
Parágrafo único. Quando a infração for praticada por preposto ou agente de pessoa
jurídica, considerar-se-á responsável quem houver ordenado o ato que ensejou a
retenção, a menos que haja, pelo executante, desobediência ou inobservância de ordens
ou instruções expressas, quando, então, será este o infrator.

Fim!

Mantenha a disciplina, que todo o resto chega com o tempo!


Bons estudos!

@teciopellegrino

7
duvidas@teciopellegrino.com