Você está na página 1de 1

"Calvinismo versus Arminianismo: qual das visões está correta?

"

Resposta: O Calvinismo e o Arminianismo são dois sistemas teológicos que tentam explicar a
relação entre a soberania de Deus e a responsabilidade humana em relação à salvação. O
Calvinismo recebeu este nome por causa de John Calvin (João Calvino), teólogo francês que viveu
de 1509 a 1564. O Arminianismo recebeu este nome por causa de Jacobus Arminius, teólogo
holandês que viveu de 1560 a 1609.

Os dois sistemas podem ser resumidos em cinco pontos. O Calvinismo defende a “depravação
total”, enquanto o Arminianismo defende a “depravação parcial”. Segundo a “depravação total”,
cada aspecto da humanidade está contaminado pelo pecado, e por isso, os seres humanos são
incapazes de vir a Deus por iniciativa própria. A “depravação parcial” defende que cada aspecto da
humanidade está contaminado pelo pecado, mas não ao ponto de fazer que os homens sejam
incapazes de colocar sua fé em Deus por iniciativa própria.

O Calvinismo defende a “eleição incondicional”, enquanto o Arminianismo defende a “eleição


condicional”. A “eleição incondicional” afirma que Deus elege pessoas para a salvação baseado
inteiramente em Sua vontade, e não em nada que seja inerente à pessoa. A “eleição condicional”
afirma que Deus elege pessoas para a salvação baseado em sua pré-ciência de quem crerá em Cristo
para a salvação.

O Calvinismo defende a “expiação limitada”, e o Arminianismo defende a “expiação ilimitada”.


Este, dos cinco pontos, é o mais polêmico. A “expiação limitada” é a crença de que Jesus morreu
apenas pelos eleitos. A “expiação ilimitada” é a crença de que Jesus morreu por todos, mas que Sua
morte não tem efeito enquanto a pessoa não crê.

O Calvinismo defende a “graça irresistível” e o Arminianismo, a “graça resistível”. A “graça


irresistível” defende que quando Deus chama alguém para a salvação, esta pessoa inevitavelmente
virá para a salvação. A “graça resistível” afirma que Deus chama a todos para a salvação, mas
muitas pessoas resistem e rejeitam este chamado.

O Calvinismo defende a “perseverança dos santos”, enquanto o Arminianismo defende a “salvação


condicional”. A “perseverança dos santos” se refere ao conceito de que a pessoa que é eleita por
Deus irá perseverar em fé e nunca negará a Cristo ou se desviar Dele. A “salvação condicional” é a
visão de que um crente em Cristo pode, por seu livre arbítrio, se desviar de Cristo e, assim, perder a
salvação.

Portanto, neste debate entre Calvinismo e Arminianismo, quem está correto? É interessante notar
que na diversidade do Corpo de Cristo, há toda a sorte de mistura de Calvinismo e Arminianismo.
Há quem apóie cinco pontos do Calvinismo e cinco pontos do Arminianismo, e ao mesmo tempo,
há quem apóie apenas três pontos do Calvinismo e dois pontos do Arminianismo. Muitos crentes
chegam a um tipo de mistura das duas visões. No final, é nossa visão que os dois sistemas falham
por tentar explicar o inexplicável. Os seres humanos são incapazes de compreender totalmente um
conceito como este. Sim, Deus é absolutamente soberano e de tudo sabe. Sim, os seres humanos são
chamados a fazer uma decisão genuína a colocar sua fé em Cristo para a salvação. Estes dois fatos
parecem contraditórios para nós, mas na mente de Deus, fazem completo sentido.