Você está na página 1de 10

Resolução de Física 3 - cap 22

Halliday – v.3 – 7ª ed.

1. Notamos que o símbolo q2 é utilizado na declaração do problema para significar o valor absoluto da carga
negativa que reside o maior escudo. O esquema a seguir é para q1 = q2.

q1=q2, q1 >q2, q1<q2

2. (a) Observamos que os pontos do campo elétrico para a esquerda em ambos os pontos. Usando F = q0E e
orientando o nosso eixo x para a direita (para os pontos i direita da figura), encontramos

o que significa que a magnitude da força sobre o próton é de 6,4 × 10-18 N e sua direção (-i) é para a
esquerda.
(b) Como a discussão no § 22-2 deixa claro, a intensidade do campo é proporcional à "lotação" das linhas de
campo. Vê-se que as linhas são duas vezes mais lotado em A que em B, então podemos concluir que a EA =
2EB. Assim, EB = 20 N / C.

3. O diagrama a seguir é uma vista lateral do disco e mostra as linhas do campo acima. Perto do disco, as
linhas são perpendiculares à superfície e uma vez que o disco está uniformemente carregada, as linhas são
distribuídas uniformemente sobre a superfície. Longe do disco, as linhas são semelhantes às de um encargo
único ponto (a carga sobre o disco). Extensão de volta para o disco (as linhas pontilhadas do diagrama) que
se cruzam no centro do disco.

Se o disco for carregado positivamente, as linhas são direcionadas para fora do disco. Se o disco for
carregado negativamente, é dirigida para dentro em direção ao disco. Um conjunto semelhante de linhas está
associado com a região abaixo do disco.

4. Encontramos a magnitude de carga | q | de E = | q | / 4πε0r2:

5. Como a magnitude do campo elétrico produzido por uma carga pontual q é dada por E = | q | / 4πε 0r2,
onde r é a distância da carga até o ponto onde o campo tem E grandeza, a magnitude da carga é

6. Com x1 = 6,00 centímetros e x2 = 21,00 centímetros, o ponto médio entre as duas cargas está localizado
em x = 13,5 cm. Os valores da taxa são-q1 = q2 = - 2.00 × 10-7 C, e as magnitudes e direções dos campos
individuais são dadas por:

1
Assim, o campo elétrico é

7. Como a carga é distribuída uniformemente ao longo de uma esfera, o campo elétrico na superfície é
exatamente o mesmo que seria se a carga estavam todos no centro. Ou seja, a magnitude do campo é

onde q é a magnitude da carga total e R é o raio da esfera.

(a) A magnitude da carga total é de Ze, assim

(b) O campo é normal à superfície e uma vez que a carga é positiva, ela aponta para fora da superfície.

8. (a) A magnitude individual | E1 | e | E2 | são figurados da Eq.. 22-3, onde os sinais de valor absoluto para o
Q2 são desnecessários uma vez que esta carga é positiva. Se somarmos as magnitudes ou subtrair-los
depende se é E1 na mesma direção, ou o oposto, como E2, nos pontos de esquerda de Q1 (no eixo X) o
ponto de campos em direções opostas, mas não há possibilidade de cancelamento (zero campo líquida) uma
vez que | E1 | é maior do que em todos os lugares | E2 | nesta região. Na região entre as cargas (0 <x <L)
ambos os campos ponto para a esquerda e não há possibilidade de cancelamento. Em pontos à direita do Q2
(quando x> L), E1 aponta para a esquerda e os pontos de E2 para a direita assim que o campo líquida neste
intervalo é

Embora | q1 |> q2 existe a possibilidade de Enet = 0 uma vez que estes pontos estão mais próximos do que q2
q1. Assim, nós olhamos para o ponto zero da rede de campo na região x> L:

o que leva a

Assim, obtemos

(b) Um esboço das linhas de campo é mostrado na figura abaixo:

9. Nos pontos entre as cargas, os campos elétricos são individuais na mesma direção e não cancelar. Desde
carga q2 = - 4,00 q1 localizado em x2 = 70 centímetros tem uma magnitude maior do que q1 = 2,1 × 10-8 C

2
localizado em x1 = 20 cm, um ponto de zero campo deve ser maior do que a Q1 Q2. Ele deve estar à
esquerda de Q1.
Seja x a coordenada de P, o ponto onde o campo desaparece. Então, o campo elétrico total em P é dada por

Se o campo está a desaparecer, em seguida,

Tomando a raiz quadrada de ambos os lados, observando que | q2 | / | q1 | = 4, obtemos

Escolhendo -2,0 por coerência, o valor de x for encontrado para ser x = -30 cm.

10. Colocamos a origem do nosso sistema de coordenadas no ponto P e oriente o nosso eixo y na direção da
carga q4 =-12q (passando pelo q3 = carga q 3). O eixo x é perpendicular ao eixo y, e, portanto, passa pela
idênticas q1 = q2 = 5 q encargos.
As magnitudes individual | E1 |, | E2 |, | E3 | e | E4 | são figurados da Eq.. 22-3, onde os sinais de valor
absoluto para Q1, Q2 e Q3 são desnecessários uma vez que estas taxas são positivas (supondo q> 0).
Notamos que a contribuição de q1 q2 de que cancela (ou seja, | E1 | = | E2 |), e no campo líquido (se houver)
deve ser ao longo do eixo y, com uma magnitude igual à

que é visto como sendo zero. Um esboço das linhas de campo é mostrada abaixo:

11. A componente x do campo elétrico no centro do quadrado é dada por

Da mesma forma, o componente y do campo elétrico é

3
Assim, o campo elétrico no centro da praça é E = Eyj = (1,02 105 N / C) j.

12. Por simetria, vemos as contribuições das duas cargas q1 = q2 = + e anulam uma à outra, e nós
simplesmente usar Eq. 22-3 para calcular a magnitude do campo devido a q3 = 2 e.

(a) A magnitude do campo elétrico é

(b) Esta pontos de campo em 45,0 graus, sentido anti-horário a partir do eixo x.

13. a cancelar os componentes verticais dos campos individuais (devido a duas cargas), pela simetria.
Usando d = 3,00 m, adicionam os componentes horizontais (ambos apontando para a direção – x) para dar
uma magnitude de

(b) A rede de pontos de campo elétrico na direção-x, ou anti-horário a partir do 180o + x eixo.

14. Para que seja possível para o campo de líquido a desaparecer em algum> x 0, os dois campos individuais
(causada por Q1 e Q2) deve apontar em direções opostas para x> 0. Dada a sua localização na figura,
podemos concluir que eles são, portanto, de carga oposta. Além disso, desde o campo de pontos de rede
mais fortemente para a esquerda para o pequeno x positivo (quando está muito perto de Q2), então podemos
concluir que q2 é a carga negativa valorizado. Assim, o Q1 é uma carga positiva de valor.
Nós escrevemos cada carga como um múltiplo de algumas ξ número positivo (não determinada nesse ponto).
Como o problema afirma que o valor absoluto da sua razão, e já inferir os seus sinais, temos q1 = 4 e q2 = ξ,
ξ. Usando a Eq.. 22-3 para os campos individuais, encontramos

para pontos ao longo do eixo x positivo. Ambiente Enet = 0 em x = 20 cm (ver gráfico) leva imediatamente
para L = 20 cm.

(a) Se Enet diferenciar em relação a x e igualada a zero (a fim de encontrar onde é máxima), obtemos (depois
de uma certa simplificação) que a localização:

Notamos que o resultado de uma parte (a) não dependem do valor particular de ξ.

(b) Agora somos convidados para definir ξ = 3e, onde e = 1,60 × 10-19 C, e avaliar Enet no valor de x
(convertido em metros) encontrado no item (a). O resultado é 2,2 × 10-8 N / C.

15. O campo de cada carga tem magnitude


4
As instruções são indicadas no formato padrão a seguir. Usamos a notação do ângulo de magnitude
(conveniente se alguém está usando uma calculadora capaz vetor no modo polar) e escrever (começando
com o próton no lado esquerdo e se movendo no sentido horário) as contribuições para Enet como segue:

Isso produz 3,96 x 10-6 < -76,4° com o N / C unidade compreendida.

(a) O resultado acima mostra que a magnitude do campo elétrico é


Enet = 3,93 x 10-6 N/C

(b) Da mesma forma, a direção do Enet, é -76,4° na direção de x

16. Os líquidos componentes do campo ao longo dos eixos X e Y são

A magnitude é a raiz quadrada da soma dos elementos-quadrado. Definindo a magnitude igual a E = 2,00 x
105 N / C, em quadratura e simplificando, obtemos

Com R = 0,500 m, q1 = 2 0 0,0 × 10-6 C e Q2 = 6,00 × 10-6 C, nós podemos resolver esta expressão para θ
cos e depois tome a co-seno inverso para encontrar o ângulo. Existem duas respostas.
(a) O valor positivo do ângulo θ = 67,8 °.
(b) O valor positivo do ângulo θ = - ° 67,8.

17. A magnitude do momento de dipolo é dado por p = qd, onde q é a carga positiva do dipolo e d é a
separação das cargas. Para o dipolo descrita no problema,

O momento de dipolo é um vetor que aponta de negativo para a carga positiva.

18. De acordo com o enunciado do problema, é EACT Eq. 22-5 (com z = 5d)

e Eapprox é

A razão é, portanto,

19. Considere a figura abaixo.

5
(a) A magnitude do campo elétrico no ponto P é

Para r>> d, escrevemos [(d / 2) 2 + r2] 3/2 ≈ R3, por isso a expressão acima reduz-se

(b) Na figura, é claro que o campo elétrico no ponto P pontos na direção -j, ou -90 ° a partir do eixo x +.

20. Referindo-se a equação. 22-6, usamos a expansão binomial (ver Anexo E), mas mantendo os termos de
ordem superior que são mostrados na equação. 22-7:

Portanto, na terminologia do problema,

21. Pense no quadrupolo como composto de dois dipolos, cada uma com momento de dipolo de magnitude p =
qd. Os momentos apontam para direções opostas e produzem campos em direções opostas em pontos sobre o
eixo do quadrupolo. Considere o ponto P sobre o eixo, a uma distância z para a direita do centro do quadrupolo
e ter um campo para a direita apontando para ser positivo. Então, o campo produzido pelo dipolo direita do par
é qd/2πε0 (z - d/2)3 eo campo produzido pelo dipolo esquerda é -qd/2πε0 (z+d/2)3. Use as expansões binomial
(z - d/2)-3 ≈ z-3 - 3z-4 (-d / 2) e (z + d / 2) -3 ≈ z-3 - 3z-4 (d / 2) para obter

Seja Q = 2qd2. Em seguida,

22. Nós usamos a Eq.. 22-3, assumindo que ambas as cargas são positivas. Em P, temos

Simplificando, obtemos

6
23. (a) Usamos a notação usual para a densidade de carga linear: λ = q / L. O comprimento do arco é L = rθ se θ
expresso em radianos. Assim, L = (0,0400 m) (0,698 rad) = 0,0279 m.

Com q = -300 (1,602 × 10-19 C), obtemos λ = -1,72 x 10-15 C / m.

(b) Consideramos a mesma carga distribuída por uma área πr2 A = π (0,0200 m) 2 e obter σ = Q / A = -3,82 x
10 -14 C / m².

(c) Agora, a área é quatro vezes maior do que na parte anterior (asfera = 4πr2) e, assim, obter uma resposta que
seja um quarto tão grande:
σ = q / asfera = -9,56 x 10-15 C / m².

(d) Finalmente, consideramos que se espalham ao longo de uma mesma carga de volume r3 4π / 3 e obter a
densidade de carga ρ = carga / volume = -1,43 × 10-12 C/m3.

24. Da simetria, vemos que o campo líquida em P é o dobro da área causada pela carga superior semicircular +
q = λ ⋅ πR (e que aponta para baixo). Adaptar as etapas que levam à equação. 22-21, encontramos

(a) com r = 8,50 × 10-2 m, q = 1,50 × 10-8 C, | Enet | = 23,8 N / C.

(b) A rede de pontos de campo elétrico Enet na j-direção, ou -90 ° anti-horário a partir do eixo x +.

25. Estudar exemplo Problema 22-4, vemos que o campo avaliados no centro de curvatura, devido a uma
distribuição cobrada sobre um arco circular é dada por

ao longo do eixo de simetria

onde λ = q / rθ com θ em radianos. Neste problema, cada um carregado quarto de círculo produz um campo de
magnitude

Produzido pelos pontos positivos quarto de círculo de - 45 °, e que os pontos negativos do quarto de círculo em
45 °.

(a) A magnitude do campo de líquido é

(b) Por simetria, os pontos de campo líquido verticalmente para baixo em direção a j, ou -90 ° anti-horário a
partir do eixo x +.

26. Achamos o máximo diferenciando Eq. 22-16 e estabelecendo o resultado igual a zero.

7
o que leva a . Com R = 2,40 cm, temos z = 1,70 cm.

27. (a) A densidade de carga linear é a carga por unidade de comprimento da haste. Como a carga é distribuída
uniformemente sobre a haste,

(b) É a posição do eixo x ao longo da haste com a origem na extremidade esquerda da barra, como mostrado no
diagrama.

Deixe dx um comprimento infinitesimal de barra em x. A carga deste segmento é dq = λ dx. A carga dq pode
ser considerada como uma carga pontual. O campo elétrico que ela produz no ponto P tem apenas um
componente x e esse componente é dada por

O campo elétrico total produzido em P pela vara toda é a integral

substituindo-a q = λ L. Com q = 4,23 × 10-15 C, L = 0,0815 m e a = 0,120 m, obtemos Ex= -1,57 x 10-3

(c) O sinal negativo indica que os pontos de campo na direção-x, ou -180 ° forma horário do eixo x +.

(d) Se a é muito maior do que L, a quantidade L + um no denominador pode ser aproximada por uma expressão
e para o campo elétrico se torna

Desde a 50 m>> L = 0,0815 m, a aproximação acima aplica-se e nós temos


Ex = -1.52 x10-8 N/C , o modulo, dá positivo.

(e) Para uma partícula de carga q = -4,23 x 10 -15 o campo elétrico a uma distância a = 50 m tem uma
magnitude |Ex| = 1.52 x 10-8 N/C

28. Primeiro, precisamos de uma fórmula para o campo devido ao arco. Usamos a notação λ para a densidade
de carga, λ = Q / L. Exemplo de Problema 22-4 ilustra a abordagem mais simples para problemas de campo
arco circular. Seguindo os passos que levam à equação. 22-21, vemos que o resultado geral (para os arcos que θ
ângulo subtender) é
8
Agora, o comprimento do arco é L = rθ se θ expresso em radianos. Assim, usando, em vez de R r, obtemos

Assim, com θ = π, o problema pede a taxa Eparticle / Earc onde Eparticle é dada pela equação. 22-3. Obtemos

29. Supomos q> 0. Usando a notação λ = q / L, notamos que a carga (infinitesimal) em um elemento dx da
barra contém carga dq = λ dx. Por simetria, podemos concluir que todos os componentes do campo horizontal
(devido à dq's) cancelar e precisamos apenas de "soma" (integração), os componentes verticais. A simetria
também nos permite integrar essas contribuições somente sobre a meia haste (0 ≤ x ≤ L / 2) e, em seguida,
simplesmente o dobro do resultado. A este respeito nota-se que

Eq. (a) usando. 22-3 (com os 2 e os fatores que acabamos de discutir sin θ) é a magnitude

onde a integral pode ser avaliada por meio fundamental ou olhou no apêndice E (item # 19 na lista de integrais).
Com q = 7.81 x10-12 C , 0.145 m L = and R = 0.0600 m,
we have | E |= 12.4 N/C

(b) Como mencionado acima, os pontos do campo elétrico E na direção + y, ou 90 ° anti-horário a partir do eixo
x +.

30. Da Eq. 22-26

31. Em um ponto no eixo de um disco uniformemente carregado a uma distância z acima do centro do disco, a
magnitude do campo elétrico é

onde R é o raio do disco e σ é a densidade de carga na superfície do disco. Veja Eq. 22-26. A magnitude do
campo no centro do disco (z = 0) é Ec = σ/2ε0. Nós queremos resolver para o valor de z tal que E / Ec = 1 / 2.
Isso significa que
9
Quadratura ambos os lados, em seguida, multiplicando-os por z2 + R2, obtemos z2 = (z2 / 4) + (R2 / 4). Assim, Z2
= R2 / 3, ou . Com R = 0.600 m, temos z = 0.346 m.

32. Nós escrevemos a Eq.. 22-26 como

e note que este rácio é de 1/2 (de acordo com o gráfico mostrado na figura) quando z = 4,0 cm. Resolver este
para R obtemos

33. Nós usamos a Eq.. 22-26, observando que o disco na figura (b) é o equivalente para o disco na figura (a)
mais um disco concêntrico menor (de raio R / 2) com o valor oposto de σ. Isto é,

Onde

Nós encontramos a diferença relativa e simplificar:

, ou 28%

10