Você está na página 1de 2

Conteúdo teórico 2 - Os cinco Diani Budas e as cinco sabedorias.

(Adaptado pelo Lama Padma Samten desde os ensinamentos de Thrangu Rinpoche


“The Five Buddha Families” Zhysil Chokyi Ghatsal Publications 2001. Introduzida a
linguagem dos doze elos.)
a. Sabedoria do Espelho – Buda Akshobia
Quando avidia, responsividade e separatividade cessam,
surge a sabedoria do espelho como a lucidez da
inseparatividade e coemergência.
Nas relações surge a liberdade frente ao próprio conjunto da
carmas e responsividades e disso a capacidade de entender
o outro com seu contexto. Só agora o verdadeiro
acolhimento se torna possível. Neste acolhimento não há
julgamento mas há lucidez completa.
b. Sabedoria da Eqüanimidade – Buda Ratnasambava
Havendo a superação do apego a um eu (bhava e jeti), como
referencial de nossas vidas, podemos entender a igualdade
de todos os seres. Neste ponto a capacidade de
efetivamente mover-se para beneficiar os seres surge de
modo natural.
c. Sabedoria Discriminativa – Buda Amitaba
Havendo a superação da discriminação cármica, dual,
baseada em vedana, trishna, upadana, surge a sabedoria
discriminativa que torna possível a omnisciência do Buda
Sakiamuni. A visão que compreende o surgimento
condicionado de todas as coisas sem julgamento. Esta
compreensão produz o referencial, o eixo que nos permite
estruturar uma forma adequada de relação com as
manifestações cármicas do mundo.
d. Sabedoria Totalmente Abrangente – Buda Amogasidi
Pela purificação da ignorância que se manifesta no contato
sensorial com o mundo, karma primário, spasha e
shadaiatana, surge a sabedoria búdica de ajudar às pessoas
e aos alunos a seguir o caminho sem perturbar-se pela
sensorialidade ou com o que for. Sabedoria que brota da
adversidade, adversidade como caminho. É a sabedoria que
destrói a negatividade residente que perturba o caminho dos
praticantes em direção a liberação.
e. Sabedoria de Darmata – Buda Vairocana
Quando a mente Alaya-Vijnana é purificada em Darmata,
espaço básico, surge a liberação completa de todo o
conteúdo cármico dentro da espacialidade ilimitada e, daí a
operação livre de Darmata. Assim nascimento, vida,
decrepitude e morte são superados e a natureza que não
nasce e não morre é realizada. Surge a experiência do corpo
dos Budas. Temos a liberação.