Manual Básico do Vigilante

1

Manual Básico do Vigilante

INTRODUÇÃO

Venho por este manual básico do vigilante, passar um pouco do meu conhecimento para a conduta e informações ao vigilante, seja ele já um profissional na área para relembrar os procedimentos ou ate se aprimorar, para os novos profissionais estar adquirindo informação importante para estar fazendo o curso ou para as empresas saberem mais sobre o profissional de segurança do qual presta serviço a elas.

2

Manual Básico do Vigilante

RELAÇOES HUMANAS NO TRABALHO Para uma conduta perfeita do profissional existem três fatores importantíssimos a seguir: SAUDAÇÃO, EDUCAÇÃO E CORTESIA. SAUDAÇÃO: Constitui –se no inicio de qualquer relacionamento social entre duas pessoas, mas não deve ser com muito exagero. EDUCAÇÃO: E o principio de qualquer relacionamento, do qual deve lembrar que vem de família. CORTESIA: é a delicadeza, uma gentileza, a atitude simpática de cada um de nós. ALGUNS MANDAMENTOS PARA UM BOM CONVÍVIO SOCIAL 1. Respeitar o próximo como ser humano, sem nenhuma descrição 2. Evitar interromper a palavra de quem esta falando, espere a sua vez 3. Ao atender o telefone, procure causar boa impressão de educação e cortesia, seja breve e objetivo no atendimento, dizendo o nome da empresa bom dia boa tarde boa noite, e seu nome. 4. Procure conhecer melhor os integrantes de seu grupo. 5. Não assuma responsabilidade que não seja de seu interesse . 6. Esteja sempre de bom humor 7. Controlar suas reações agressivas 8. Possuir boa comunicação evitando gírias grosseria, e obscenas 9. Estar sempre barbeado e com o cabelo cortado e sapado engraxado 10. Manter uma excelente postura 11. Não levar para o trabalho. Os problemas pessoais 12. Não se encostar, a postura e o cartão de visita. 13. Sempre preservar o sigilo profissional, nunca comentando assuntos do local que trabalha e nem sobre a segurança com pessoas que não esteja no seu local de serviço 14. Seja sempre honesto QUALIDADE E REQUISITOS NECESSARIOS AO VIGILANTE Não e necessário que o vigilante seja bruto, grosseiro, com os funcionários e visitantes da empresa, mas sim um cartão de visita da empresa e um amigo dos funcionários, mas que essa amizade não interfira no bom serviço. O Vigilante trabalha para o sossego de todos e as atitudes do vigilante traduz tudo isso, assim nunca esqueça esses conselhos: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. ética postura coragem dignidade humildade Asseio pessoal Presteza – [agilidade]

3

Ter caneta e papel para anotar os recados 3. 2. não brinque e não utilize o mesmo de forma irregular. entusiasmo 13. Seja sempre educado. Para falar aperte o PTT 2. seriedade 15. Transmita somente o necessário 5. pela rápida comunicação. do tipo deixando a rede de rádios presa por motivos alheios. Mantenha a disciplina na rede OBS: Lembre – se que o radio não e brinquedo sua vida e dos demais pode depender dele.Manual Básico do Vigilante 8. Como utilizar: 1. caráter 12. Cuidado com o radio 4. Para ouvir solte o PTT 3. Conhecimento técnico O QUE ESPERAM DE CADA VIGILANTE LEALDADE: Para exercer um bom desempenho de qualquer atribuição INICIATIVA: Poderá atuar em diversas situações de maneira isolada ENTUSIASMO: Para que vença os obstáculos CONTROLE EMOCIONAL: Sob pressão e em diversas situações CORAGEM: Para enfrentar os riscos da profissão HONESTIDADE: Para que receba votos de confiança de seus superiores e companheiros de serviço COMUNICAÇÕES São toda forma de transmitir uma mensagem. por isso deve ser utilizado para tal. Antes de atender um telefone tenha em mente o que ira disser. Pelo telefone: 1. diga primeiro o nome da empresa seguido do seu nome de guerra e uma saudação ( BOM DIA. E essencial uma boa comunicação no local de serviço. para a segurança do pessoal de serviço e para a segurança da empresa. BOA TARDE BOA NOITE) 4. Controle emocional 11. Auto confiança 9. iniciativa 16. Fala de forma clara e pausada 6. RÁDIO E um equipamento muito utilizado na área de segurança. raciocínio 14. Respeito – educação 10. 4 . O telefone e da empresa.

Manual Básico do Vigilante CODIGOS DE COMUNICAÇÃO Para que seja feita uma comunicação clara e de fácil entender. foram criados códigos conhecidos mundialmente que é o código “Q” e o Alfanumérico” LETRA A SER A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V X Y Z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 PALAVRA-CÓDIGO ALFA BRAVO CHARLIE DELTA ECHO FOXTROT GOLF HOTEL INDIA JULIET KILO LIMA MIKE NOVEMBER OSCAR PAPA QUEBEC ROMEU SIERRA TANGO UNIFORM VICTOR EX-RAY YANKEE ZULU NEGATIVO PRIMEIRO SEGUNDO TERCEIRO QUARTO QUINTO SEXTO SETIMO OITAVO NONO PRONÚNCIA AL FA BRA VO CHAR LI DEL TA E CO FOX TROT GOLF HO TEL IN DI A YU LI ET KI LO LI MA MA IK NO VEM BER OS CAR PA PA QUE BEK RO MEO SI E RA TAN GO IU NI FORM VIC TOR EX REI IAN QUI ZU LU NEGATIVO PRIMEIRO SEGUNDO TERCEIRO QUARTO QUINTO SEXTO SETIMO OITAVO NONO 5 .

Armas pesadas: Propriamente dito.Manual Básico do Vigilante ARMAMENTO. Perfurantes 2. são armas que podem ser manejadas por um homem só. MUNIÇÃO E TIRO. Cortantes 3. Perfuro-contundentes Revolver e uma arma de fogo de fácil manejo. . mas o mais importante não é portar uma arma de fogo e sim saber como e quando usar. Contundentes 5. e no meu ponto de vista uma das mais seguras.60 ARMAS BRANCAS: São objetos utilizados para defesa ou ataque classificado como: 1. Sabendo que você e seu protegido dependeram dele. ARMAS Armas e todo meio capaz de aumentar o poder defensivo ou ofensivo do homem ARMAS DE FOGO: São instrumentos destinados a linçar um projétil a frente através da queima da carga de projeção. Armas de fogo. são armas que não podem ser manejada por um homem só. Corto-contundentes 6. Perfuro-cortantes 4. Veremos agora sobre armas de fogo (no caso o revolver. e calibre superior a . somente quando a munição e recarregada ou foi guardada de forma que pegou umidade. NOMENCLATURA DO REVOLVER 6 . 38). por que ela não causa incidente de tiro.Armas leves: Propriamente dito. sua munição e técnicas de tiro. Os dois grupos de arma de fogo: . no caso o revolver é uma ferramenta importante para o vigilante.

FUNCIONAMENTO: De repetição 4. TIPO: Arma de porte 2.Manual Básico do Vigilante MUNIÇÃO TIPOS DE PROJÉTEIS CARACTERÍSTICAS DO REVÓLVER 1. imprudência. PRINCIPIO DO FUNCIONAMENTO: Ação muscular 5. 7 . CAUSAS      Munição velha ou inadequada Arma em mau estado de conservação Tiro de retardo Ricochete Imperícia. REFRIGERAÇÃO: Contato com o ar ACIDENTES DE TIRO São fatos que envolvem a arma ou o atirador. EMPREGO: Individual 3. negligencia. havendo vitimas ou danos materiais.

desde como fazer sua empunhadura.Manual Básico do Vigilante INCIDENTES DE TIRO CAUSAS Percussor quebrado ou empenado Munição velha Espoleta saliente Câmara suja Projétil preso no cano CORREÇÃO Troca da peça Troca a munição Troca a munição Limpeza Retirar o projétil com uma vareta MANEJO COM REVÓLVER Devemos saber como manusear um revólver. municiar e desmuniciar ela e como passar ela sem segurança. MUNICIAR DESMUNICIAR 8 .

empunhadura única 2.Manual Básico do Vigilante Fundamento para o tiro de visão primaria 01) EMPUNHADURA É a forma correta de segurar a arma 1. tiro deitado 03) OLHO DIRETOR É o olho utilizado pelo atirador para fazer a pontaria 04) PONTARIA A pontaria esta dividida em duas etapas: Linha de mira: é a linha imaginaria do atirador que parte do olho diretor. 1. empunhadura para passar a arma 02) POSIÇÕES DE TIRO A posição tem que proporcionar ao atirados um equilíbrio e conforta ao atirados. tiro de joelho 3. tiro de pé 2. 9 . passa pela alça de mira e chega à massa de mira. empunhadura dupla 3. Linha de Visada: depois da tomada a linha de mira. empunhadura para inspeção 4. o atirador prolongará essa linha imaginaria até a base do alvo.

1. 10 . bebida alcoólica e drogas não combinam 07) Treine tiro em local seguro e legalizado 08) Carregue e descarregue a arma apontando para baixo e nunca na direção de pessoas 09) Caso haja falha de munição mantenha sempre a arma apontada para o alvo pelo menos por uns 30 segundos. durante o acionamento do gatinho mantenha a respiração presa pela metade. em movimentos lentos e constantes. MANUTENÇÃO DO ARMAMENTO 01) Manter a arma sempre lubrificada 02) Evitar o acumulo de óleo ou solventes 03) Manter o cano e as câmaras livres de quaisquer resíduos 04) Não guardar a arma em local com umidade 05) Limpar a arma após o tiro com solvente e lubrificante NORMAS DE SEGURANÇA COM ARMAS DE FOGO 01) Nunca apontar a arma de fogo para qualquer local ou pessoa sem necessidade e mesmo desmuniciada. UTILIZA-SE COM SERIEDADE E RESPONSABILIDADE. 06) CONTROLE DO GATILHO Acione o gatilho com o dedo indicador. 10) Não atire em local rígido do qual pode causar um ricochete 11) Sempre que receber uma arma verifique que a mesma esta descarregada 12) A manutenção de uma arma deve ser feito somente pelo armeiro qualificado 13) Evite munição velha e recarregada 14) Só manuseie armas que você conheça o funcionamento dela 15) Tome cuidado com obstruções no cano LEMBRE-SE COM ARMA NÃO SE BRINCA. O controle da respiração evita fadiga mental e cansaço visual. Ação Simples: e quando o atirador antes de disparar o tiro puxa o cão com o dedo.Manual Básico do Vigilante 05) RESPIRAÇÃO A respiração e muito importante. não só no momento do tiro como nos intervalos para atirar. deixando o gatinho mais leve. 2. 02) Mantenha a arma sempre travada e em local seguro 03) Coloque o dedo no gatinho somente na hora do tiro 04) Descarregue a arma sempre antes de qualquer limpeza 05) Guarde a arma longe do alcance de criança e de pessoas que não saibam manusear. esmagando o gatilho conforme vai encontrando pressão nela não se preocupando com o disparo. Ação Dupla: e quando o atirador ao puxar o gatilho trás o cão. 06) Arma de fogo . evitando acidentes com tiros retardo.

não consegui viver sozinho. . . . chamado de boletim de ocorrência.Participe: E todos aqueles que ajudaram de alguma forma a autor e o co-autor para que o crime ocorre-se CLASSIFICAÇÃO DO CRIME . .Policia Militar: É encarregada do policiamento ostensivo e preventivo. CRIME É todo fato típico antijurídico e punível pelo Estado. INTRODUÇÃO O homem e um ser social. POLICIA FEDERAL: Atua em todo o território nacional e somente em determinadas espécies de infrações penais de interesse da nação. serviço e instalações.Autor: E aquele que realiza a conduta descrita como crime . 11 .CONSUMADO: É aquele que reúne todos os elementos de sua definição legal.PRÓPRIO: É aquele que som pode ser cometido por determinadas pessoas. atuando somente no estado que pertence. Atribuições: . POLICIA ESTADUAL: Encontram-se organizadas na secretaria de segurança publica de cada estado.Manual Básico do Vigilante NOÇÕES ELEMENTARES DE DIREITO PENAL Objetivo: Passar conhecimento das infrações mais comum contra as pessoas e contra o patrimônio.prevenir ou reprimir crimes contra a segurança nacional e ordem política social. imprudência ou negligencia. por esse motivo ouve a necessidade de estabelecer um conjunto de normas de convivência do qual chamamos de DIEREITO.exercer a censura de diversões publica . trafico de drogas e de armas e patrulha em rodovias federais. OBS: Os municípios poderão constituir Guarda Municipais destinadas à proteção de seus bens.DOLOSO: É aquele que resulto por imperícia.Policia Civil: É responsável pela investigação dos crimes a e sua apresentação a justiça e ela que registra toda ocorrência. ou seja. crimes contra a organização do trabalho.Co-autor: E aquele que colaborou para que o crime ocorresse . conforme dispuser a lei. Órgãos policiais brasileiro 1. aéreo e de fronteira . Grau de envolvimento de pessoas: . 2. . por que dependem de condições especiais e própria da profissão do autor do delito.TENTADO: É aquele que não se concretiza por circunstância alheias a sua vontade.Policiamento marítimo.COMUM: É aquele que pode ser cometido por qualquer pessoa .

INIMPUTABILIDADE PENAL: São aqueles considerados incapazes de raciocinar com perfeição. por isso. 4.LOCAL INTERNO: Um espaço limitado por paredes e coberto. ESPECIES DE PENAS 1. É encontrado logo após. pela autoridade. vestígios e elementos necessários para a solução dos fatos. Esta cometendo a infração penal 2. não podendo. serem considerados responsável por seus atos. mas dentro do patrimônio. dentro de uma área construída 2. o que fazer. logo após. qual atitude tomar os cuidados a fazer no local. pelo ofendido ou por qualquer outra pessoa.Manual Básico do Vigilante . 12 . PRISÃO EM FRAGRANTE O código de Processo Penal (artigo 301). deverão prender quem quer que seja encontrado em fragrante delito”. TIPOS DE LOCAIS DE CRIME 1. Considera-se Fragrante Delito quem: 1. defender-se em liberdade até a sentença. LOCAL DO CRIME É a área onde ocorreu um crime de interesse policial. em situação que o faça presumir ser o autor da infração.LOCAL EXTERNO: E fora de uma área construída.AFIANÇAVEL: É aquele que permite ao acusado. objeto ou papeis que o façam presumir ser ele o autor do crime. CORPO DE DELITO Expressão de técnica do Direito Penal é usada para indicar o ato judicial que demonstra ou pelo qual se comprova a existência de um ato ou foto tido como criminoso. armas. Privativa de Liberdade: # Reclusão # Detenção # Prisão Simples 2. estabelece o seguinte: “Qualquer um do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes.INAFIANÇAVEL: É aquele que não permite ao acusado o pagamento de fiança . com instrumentos. É perseguido.Neste local podem ser encontrados provas. mediante fiança(pagando) . Restritiva de Direito # Pena de Multa TÉCNICA OPERACIONAL Abordaremos técnicas na hora da chegada a um crime. por esses motivos devemos preservar o local. Acaba de cometê-la 3.

PROVAS PESSOAIS: São as testemunhas que podem ser direta ou indireta. peso. 13 .Manual Básico do Vigilante CLASSIFICAÇÕES DOS LOCAIS DE CRIME 1. etc.. veículos. 3. nariz. olhos.. e os que não sejam. INDIRETA: E aquela que tem alguma informação que pode ajudar os peritos.INIDÔNEO: É o local que foi alterado antes da chegada dos peritos. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE OBSERVAÇÃO: O vigilante devera observar e procurar guardar em sua memória os traços físicos de pessoas. etc. modelo. RG.. cabelo. AÇÃO DO VIGILANTE NO LOCAL DE CRIME 1234Deter os suspeitos caso seja possível Socorrer possíveis vitimas Comunicar as autoridades Isolar o local (As primeiras providencias tomadas no local de crime contribuem para o sucesso das investigações) 5.. placa. marca.. idade aproximada. DESCRIÇÃO DE PESSOAS: Descrever o seu sexo. objetos. TELEFONE E ENDEREÇOS das possíveis testemunhas e mantê-las no local ate a chegada da policia 6.. altura.RELACIONADO: É o local que se interliga a outro local e que se relaciona com um crime. 2.PROVA MATERIAIS: São os objetos ou vestígios encontrados no local do crime.. sinais particulares. Saber identificar os sons produzidos no local de serviço. DESCRIÇÃO DE VEÍCULOS: Descrever. REVISTA A revista pode ser feita tanto em pessoas como em veículos. boca. etc. tipo numa fabrica os sons produzidos pela fabrica. cor. anotando: NOME. 2.Fazer o relatório OBSERVAÇÃO E DESCRIÇÃO Saber observar e muito importante para o vigilante e saber interpretar aquilo que se vê. vestuário. latarias acessórios.IDÔNIO: É o local não alterado antes da chegado dos peritos. EDUCAÇÃO DA VISTA: A iluminação do local de serviço deve ser adequada e bem posicionada EDUCAÇÃO DO OUVIDO: O ouvido e o mais auxiliar do vigilante noturno. vidros. etc. cor. porte físico.. mas o importante e evitar o constrangimento ilegal e abuso de autoridade. vestuários. PROVAS As provas podem ser materiais ou pessoais 1.Arrolar as testemunhas. devidos aos sons produzidos em melhor condição que de dia. DIRETA: E aquela que viu o fato claro.

REVISTA MINUCIOSA: . Nunca algemar 14 . quando for confirmado uma suspeita. Evitar cárcere privado 3. Evitar disparo com arma de fogo 2. Deve-se atentar para o seguinte: 1. 2. Em veículos devemos fazer o contorno no veiculo e pedimos para que o proprietário do veiculo abra porta malas. Em qualquer revista. Acaba de cometer É perseguido. . 3. O numero de vigilante devera ser maior que o numero de suspeitos. Em pessoas devera ser realizada com autorização da supervisão. REVISTA PRELIMINAR: .Em veículos. APREENSÃO FLAGRANTE DELITO O código de processo Penal.Em pessoas consiste em verificar corpo. Considere Fragrante Delito quem: 1. atento ao fator surpresa. devera dar uma volta no veiculo observando ele e os seus ocupantes. observando sempre a reação do meliante. bolsa e sacolas. deverão prender quem quer que seja encontrado em Fragrante Delito’”. ao observar alguma irregularidade.(artigo 301). É encontrado logo após com arma. 4. porta luvas.E uma revista básica. Devemos tomar cuidado para que não haja dissimulação. Assim o vigilante não deixar de esquecer a sua segurança. logo após. devera imediatamente informar a supervisão e aguardar instruções. As revistas são classificadas em preliminares e minuciosas.E uma revista mais detalhada. estabelece o seguinte: “Qualquer um do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes. rotineira.Manual Básico do Vigilante A finalidade da revista é encontrar objetos que não possam sair da empresa. . lente os tapetes e acompanhar a revista sempre. objeto ou papeis que façam presumir ser o autor do crime. e tem que ser feita em local apropriado e de preferência junto ao supervisor ou de outro vigilante. O vigilante tem que efetuar a revista de forma educada e profissional evitando aborrecimento com os funcionários e a direção da empresa. Esta cometendo a infração penal. MANEIRAS DE AGIR O vigilante tem que ser enérgico com um tom de foz firme e concreto. sem gaguejar. assim fazendo o infrator obedecer as ordem oposta pelo vigilante.

colocando nele. seja necessário tirar vigilante de seu posto.ver . e sim relatar somente o que vou visto. com o objetivo de lhe garantir a vida e evitar o agravamento das lesões existentes.sentir 3) Verificar circulação 4) Verificar grandes hemorragias 15 . ano e hora) Onde?(qual o local da ocorrência.mês. e não a sua opinião) Porque?(Apenas o acontecido) Quais as providencias tomadas? Num relatório temos que lembrar que nunca devemos colocar a nossa opinião. Manter os postos de vigilância (caso seja necessário de apoio. o armamento de serviço e suas munições e alguma ocorrência que venha a ter. PROTOCOLO:É a padronização de procedimentos de primeiros socorros para garantir ao paciente um mínimo aceitável de cuidados. supra este poste com uma ronda) 5. repartição) O que?(descrever os fatos e descrever as pessoal envolvidas) Como?(apenas relatar o que foi visto.ouvir . Coletar dados das possíveis testemunhas 8. PRIMEIROS SOCORROS CONCEITO: São medidas iniciais e imediatas aplicadas à vítima. o pessoal de serviço do dia. material do qual e de sua responsabilidade. ou seja. Comunicar o Supervisor 6. Comunicar a autoridades 7. Quando for relatar alguma ocorrência deve lembrar algumas perguntas que o ajudaram a relatar o fato:       Quando?(dia. Fazer um relatório RELATÓRIO No relatório deve descrever todos as posições do serviço bem como as ocorrências que tiver durante o serviço. ANÁLISE PRIMÁRIO: 1) Verificar inconsciência 2) Verificar respiração . as instalações. fora do ambiente hospitalar. Evitar constrangimento ilegal 9. executadas por qualquer pessoa.Manual Básico do Vigilante 4.

se não cessar comprima mais ainda. * comprima firmemente. O objetivo principal da RCP é manter as células nervosas vivas. a fim de tomar as medidas mais seguras de primeiros socorros. SUBJETIVA: Relacionar a vítima ao local do acidente para colher o máximo de dados a respeito dela. Portanto. REANIMAÇÃO CARDIO PULMONAR Se durante o atendimento constatamos que o paciente não respira e não se verifica batimento cardíaco. Se for 02 (dois) socorristas o ritmo será de: 05 ( cinco ) massagens cardíacas por 01 ( uma ) respiração boca a boca. Obs: A cada 10 (dez) ciclo deve –se verificar sinais vitais. mais chances de sobrevivência estaremos dando ao paciente. pois sem oxigênio elas morrem em poucos minutos e não se regeneram. HEMORRAGIAS E a perda aguda de sangue circulante. Faça a RCP ate a chegada do resgate.Manual Básico do Vigilante ANÁLISE SECUNDÁRIO: OBJETIVO: Fazer exame da cabeça aos pés verificando lesões existentes e sinais vitais. Para conter uma hemorragia utiliza – se de métodos chamados homostasias.). Obs: A cada 04 (quatro) ciclo deve –se verificar os sinais vitais. * cubra o ferimento com pano limpo (toalhas.  Elevação de membros  Compressão do local  Pressão digital em pontos arteriais ou venosos  Torniquete (já não é mais usado) Algumas pessoas costumam apresentar sangramentos nasais espontâneos principalmente no verão e em períodos de estiagem 16 . Mais que isso leva a hipotensão (pressão baixa) e ao choque. gazes grossas.etc. * não retire objetos incrustados. O que fazer : * coloque a vítima deitada. O volume sangüíneo de uma pessoa pode ser calculado em 7% do seu peso corporal e na criança 9%. Uma perda de sangue de até 15% do volume do total geralmente não produz nenhum sinal ou sintomas. * peça ajuda. o quanto antes iniciarmos a RCP. A RCP consiste na combinação de massagem cardíaca externa e respiração boca a boca. Neste caso devemos iniciar imediatamente a REANIMAÇÃO CARDIO PULMONAR. * proteja-se de contato com o sangue. Se for 01 (um) socorrista o ritmo será de: 15 (quinze) massagens cardíacas por 02 (dois ) respiração boca a boca. *procure manter o ferimento acima do nível do coração. então o paciente está em parada cárdio respiratório. Ela pode ser interna ou externa.

* Picos de hipertensão (pressão alta) e traumas de crânio podem causar este tipo de hemorragia. 17 . Uma contusão ou fratura de costela pode lesar uma artéria do pulmão causando hemorragia pulmonar. molhe um lenço apenas para umidificar a língua. Desta forma pessoas com história de hipertensão ou de traumatismos cranianos devem ser encaminhadas ao pronto socorro para avaliação médica É o extravasamento de sangue para o interior do corpo . contusão do tórax no volante em acidente automobilístico. Torpor (pré desmaio) Palidez Sede Aumento dos batimentos cardíacos Se ela queixar-se muito de sede.peça ajuda URGENTE -coloque a vítima deitada e eleve as pernas . Geralmente precedido de história de trauma no abdômen ou tórax.se preciso. Pode ainda haver "explosão"de órgãos ocos como estômago. como socos. uma compressão externa por um dos motivos acima citados.Manual Básico do Vigilante O que fazer : * Para estancar este tipo de hemorragia basta que façamos a compressão do lado que está sangrando por 4 a 5 minutos * Não se deve tentar "limpar" o nariz logo após estancada a hemorragia pois poderemos retirar o coágulo e ele voltará a sangrar. intestinos e bexiga. No abdômen. Ela pode tornar-se inconsciente. aplique RCP O que não fazer : Não de qualquer tipo de alimento ou bebida à vitima.monitore os sinais vitais .rins ou intestino fazendo-os sangrar internamente. etc. fígado. Sinais comuns de hemorragias internas     O que fazer: . vomitar e aspirar o alimento e/ou água. pode romper o baço.

facas. Caso contrário poderá asfixiar-se. líquido ou sólido.Manual Básico do Vigilante Não retire objetos incrustados no ferimento como gravetos. até que recupere TOTALMENTE a consciência. máquinas perigosas. fortes contrações musculares involuntárias e desordenadas em todo o corpo Quais as causas?        Epilepsia Trauma de crânio Febre alta Drogas Tumores cerebrais Choque elétrico Traumas.etc. etc. coloque-a em posição de recuperação Deixe-a descansar Queda ao chão inconsciente Salivação Contrações de alguns músculos ou o corpo todo Perda do controle da urina Respiração ruidosa As convulsões por epilepsia tendem a durar apenas alguns minutos. hastes metálicas (vergalhões.) CONVULSÕES São distúrbios elétricos cerebrais que causam perda da consciência. Como identificar uma convulsão :      O que fazer:        O que NÃO fazer :     Não tente "desenrolar a língua" da vítima Não tente imobilizar a vítima Não dê nada à vitima. etc Terminadas as contrações. que possam machucá-la Mova-a apenas se estiver próximo a escadas. Portanto não se desespere. Não jogue água no rosto da vítima Deite-a no chão Peça ajuda Proteja a cabeça da vítima com suas mãos Retire objetos próximos a vítima . 18 .

veículo que permite este transporte. DESMAIOS É a diminuição da força muscular com perda de consciência repentina fazendo com que a vítima caia ao chão. ser atropelada . gravatas. O que fazer :       Coloque a vítima deitada e eleve as pernas em 30 cm. oxigenação. Qualquer alteração no Sistema Circulatório acarretará uma dificuldade de nutrição. etc. até que recupere TOTALMENTE a consciência.. -Caso contrário poderá asfixiar-se.Manual Básico do Vigilante Passada a crise. O Sistema Circulatório tem de levar o sangue para todos os tecidos do corpo O sangue. 19 . dentre elas:    Sintomas comuns: Geralmente antes do desmaio a vítima queixa-se de fraqueza. O que NÃO FAZER : . Quando se perde muito sangue entra-se em choque. etc. etc Quando ela acordar acalme-a. falência do Sistema Circulatório. As causas de desmaios são inúmeras.chamando-a ou batendo palmas próximo ao seu rosto. Tente acordá-la. psicoemocionais. acompanhe-a o tempo todo pois poderá acidentar-se. aplique ressucitação se necessário. a vítima estará confusa e desnorteada por mais algum tempo. Verifique os sinais vitais. encaminhe-a ao um pronto socorro.. tumores cerebrais. Passe uma compressa fria pelo rosto e testa. leva nutrientes e oxigênio as células e delas remove o gás carbônico e produtos resultantes do metabolismo que sejam eliminados. A pele do paciente apresenta – se pálida.Não dê nada à vitima. líquido ou sólido. etc. O pulso e fraco ou rápido.Não jogue água no rosto da vítima. ou seja. -Não bata no rosto da vítima CHOQUE É a falência hemodinâmica.Assim sendo. Falta de alimentação (jejum). falta de ar e escurecimento da visão. Verifique as vias aéreas. úmida e fria. Afrouxe roupas.

transporte o acidentado para um Hospital. quando o osso se quebra mas a pele não é perfurada. Enrolar as pontas de um cobertor ou lençol sobre duas tábuas.Manual Básico do Vigilante Para tratar o estado de choque:    Deite a vítima com as pernas elevadas Afrouxe as roupas Mantenha a vítima aquecida FRATURAS Há dois tipos de fratura: a fechada.improvise telas com o material que estiver à mão: papelão. e 3 . acima e abaixo da fratura.imobilize o local da fratura e as articulações próximas. e a exposta. Dor intensa e impossibilidade de movimentar a região são os principais sinais de fratura. FRATURAS DE PERNA A imobilização provisória de fratura de perna deve ser feita como indicado na figura abaixo. galhos de árvore. 2 . etc. Como proceder: 1 . Fixar. com gravatas. formando uma espécie de tipóia onde repousará a perna fraturada. cabo de enxada. meias ou tiras de pano.. 20 . então. quando o osso está quebrado e a pele é rompida.

e fixar ao corpo o braço acidentado. mais curta. de cada lado do braço fraturado. 21 . As talas acolchoadas. Fixá-las com ataduras. são colocadas sobre a face anterior e posterior do antebraço. do lado interno da perna e da coxa. Na figura abaixo. Enquanto alguém puxa o pé para baixo. FRATURA DO BRAÇO Na figura abaixo. e outra. como na figura menor. Manter em tipóia o antebraço. Aplicar tala acolchoada com algodão. gravatas ou tiras de pano. vemos a imobilização provisória de fratura de antebraço. o socorrista coloca uma tábua acolchoada comprida sobre o lado externo da coxa e do tronco.Manual Básico do Vigilante FRATURA DE FÊMUR A imobilização provisória de fratura de fêmur é mostrada na figura abaixo. Colocar uma tipóia estreita para sustentar o pulso. vemos a imobilização provisória do braço (osso úmero) fraturado. que se fixam com atadura ou esparadrapo.

mais curtas. uma porta ou uma escada acolchoada. 22 . será indispensável colocá-lo sobre uma tábua. Vê-se aí as acidentadas fixadas a um bom aparelho. fixando à mesma os membros inferiores e a pelve. Para transportar o acidentado. pedaços de madeira ou similar. FRATURA DA BACIA A imobilização provisória de fratura dos ossos da pelve é feita com ligaduras circulares. FRATURA DO PESCOÇO A figura abaixo mostra a forma de imobilizar o pescoço e a cabeça em caso de fratura da coluna cervical. Podem conter pequenas talas. fácil de improvisar com duas tábuas compridas e três transversais. que se colocam bem justas desde a parte alta das coxas até a parte superior dos ossos dos quadris. Convém fazer uma ligadura alta do pescoço com toalhas dobradas.Manual Básico do Vigilante FRATURA DA COLUNA A figura ao abaixo mostra a imobilização provisória para fratura da coluna vertebral. não havendo padiola.

23 . FRATURA DO QUEIXO As 3 figuras abaixo mostram a imobilização provisória para fratura do maxilar inferior (osso móvel do queixo). (com a parte posterior mais alta do que a anterior) unido com fita adesiva e/ou amarrado com barbante.Manual Básico do Vigilante Pode-se também improvisar um colar cervical de papelão. Consiste em manter ajustado o maxilar fraturado contra o superior.

24 . químicos e radiações ionizastes. Áreas escurecidas ou esbranquiçadas. usando-se um abaixa-língua de madeira ou outra tabuinha fina ou tira de papelão resistente. devidamente amarrado com uma atadura.Manual Básico do Vigilante FRATURA DO DEDO A imobilização provisória para fratura do dedo pode ser feita como mostrado na figura abaixo. 3º grau: Todas as camadas de pelo. e formação de bolhas. QUEIMADURAS São lesões no tecido de revestimento causadas por agentes térmicos. Quanto a profundidade podem ser de: 1º grau: dor e vermelhidão local 2º grau: dor e vermelhidão local. músculo e ossos: Pouca ou ausência de dor.

CONDUTA DO SOCORRÍSTA                Retirar a vítima do local agressor ou neutralizar o agente agressor Retirar partes da roupa não queimada Não retirar as roupas aderidas no local Retirar pulseira e anéis etc. a área corporal atingida. retirar manualmente EXTENSÃO OU SEVERIDADE DA QUEIMADURA O importante na queimadura não é o seu tipo e nem o seu grau . nunca o faça correr e sim deitar no chão e se rolar. aproximadamente a 1% da superfície corporal. é compará-las com a superfície da palma da mão do acidentado.Manual Básico do Vigilante Quando houver material grudado no local da queimadura. é sim cortar em volta e levar ao medico. ou se tiver um cobertor. Uma regra prática para avaliar a extensão das queimaduras pequenas ou localizadas. Baixa : menos de 15% da superfície corporal atingida Média : entre 15 e menos de 40% da pele coberta e Alta : mais de 40% do corpo queimado. que corresponde. Se uma pessoa estiver com a roupa pegando fogo. usa-se a REGRA DOS 9% (vide figura abaixo): 25 .. envolva ela a fim de cortar o oxigênio do fogo assim apagando. ou seja. mas sim a extensão da pele queimada .. nunca tente puxar este material. Para queimaduras maiores e mais espalhadas. Se for 1º grau – banha com água fria Não passar nada no local Se for 2º grau – não furar as bolhas Cobrir com plástico estéril Se for queimadura química Retirar roupas da vítima Lavar com água ou soro Identificar agente Se for acido: lavar por 05 ( cinco ) minutos Se for alcali: lavar por 15 ( quinze ) minutos Se o alcali for seco não lavar.

4.45%=Sub-total .9% = perna direita . Todas elas podem causar sérias intoxicações pois qualquer substância pode ser tóxica. remédios em geral. tintas. certas plantas. Boca: ingestão de qualquer tipo de substância tóxica. 3. etc.9% = os 2 braços .9% = perna direita .55%(frente) + 45%(costas) = 100% da área do corpo INTOXICAÇÃO As intoxicações ocorrem pelo contato do homem com substâncias como: agrotóxicos. água sanitária. Nariz: aspiração de vapores ou gases que se desprendem da substância.9% = abdômen . 2.9% = costas . Pele: contato direto da pele com a substância.Manual Básico do Vigilante Um adulto de frente: 9% = rosto . Vias de penetração: 1.9% = abdômen . Olhos: contaminação por contato da substância. química ou natural. dependendo da dose e da maneira de usá-las. desinfetantes.9% = perna esquerda 9% = os 2 braços .1% = órgãos genitais.55%=Sub-total Agora. de costas : .9% = perna esquerda . 26 . .9% = tórax .

2 . alimento. colocar a vítima em posição lateral.Colocar o acidentado sob o chuveiro ou jato de água corrente.Se a vítima não estiver respirando. 5 . alucinações e estado de coma.Conservar o corpo da vítima aquecido. para evitar aspiração de vômito espontâneo. engolido.. para expelir os gases. sensação de queimação na boca. pela aplicação de cobertores. . Depressão respiratória. e encaminhar a vítima ao Posto Médico mais próximo.Se estiver inconsciente. no caso de ingestão ou inalação. 2 .Encaminhar a vítima rapidamente a um serviço médico. de maneira geral. Dor. c) O tóxico entrou em contato com a pele: 1 . garganta ou estômago.Conservar o corpo da vítima aquecido. para verificar se a língua está impedindo a respiração. etc. podemos observar:         Como proceder: a) O tóxico foi ingerido: 1 . queimaduras intensas com limites bem nítidos. 2 . . abrir a boca da vítima. b) O tóxico foi inalado: 1 . vômito. Hálito com odor estranho. aspirado ou entrado em contato com substâncias químicas ou plantas tóxicas. Modificação na coloração dos lábios e parte exterior da boca.Vítima consciente: . a um serviço médico. com maior ventilação. Sonolência.Encaminhar a vítima ao Posto Médico ou Hospital. enquanto tira toda a sua roupa. remover qualquer objeto da boca: dentadura. se necessário. 3 – Proceder com a RCP 4 . enrolando-o em cobertor. verificar se há respiração. Porém. torpor. Delírios.Manual Básico do Vigilante Sinais e sintomas: Variam normalmente conforme a substância tóxica e a via de penetração. rapidamente. não dê nada para ela beber.Vítima inconsciente ou em crise convulsiva: . Lesões na pele. 3 .Vestir a vítima com roupas limpas. 27 Sinais evidentes na boca ou na pele de que a vítima tenha mastigado. confusão mental.Encaminhar o acidentado.Levar a vítima imediatamente para local fresco.

Os soros comumente aplicados após a picada de cobra são os seguintes:     Cobra desconhecida = soro anti-ofídico (polivalente). 3) Aplicar compressa de gelo no local. ACIDENTE COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Em caso de picada de cobra: Não perca tempo em procurar ajuda. 3 .Encaminhar com urgência ao serviço médico. pois o tratamento deve ser feito em até 30 minutos após a picada. Colocar folhas. 2 .Manual Básico do Vigilante d) O tóxico caiu nos olhos: 1 . 28 . Cortar ou perfurar o local (ou próximo da) picada. Oferecer bebidas alcoólicas. lavar imediatamente os olhos durante 15 a 20 minutos com água corrente.Separar bem as pálpebras. 4) Transportar (em maca) a vítima ao Médico mais próximo. 1) Deitar e acalmar a vítima. Fazer uso de qualquer prática caseira que possa retardar o atendimento médico. NÃO FAZER EM HIPÓTESE NENHUMA      Torniquete ou garrote. pó de café ou qualquer substância que possa contaminar a ferida. para tratamento (aplicação do soro). o acidentado não deve locomover-se com os próprios meios. Jararaca = soro anti-botrópico ou soro anti-ofídico (polivalente). 5) Levar junto a cobra (viva ou morta) para identificação.Não tentar usar nenhum colírio. Cascavel = soro anti-crotálico ou soro anti-ofídico (polivalente). querosene ou qualquer outro líquido tóxico. 2) Lavar o local da picada apenas com água ou com água e sabão. Surucucu = soro anti-laquético ou soro anti-ofídico (polivalente).

No Brasil existem cerca de dez gêneros e acima de 50 espécies de escorpiões. Para essa espécie existe um soro anti-escorpionídico. destacando-se a espécie venenosa Tytyus serrulatus.  armadeiras (Phoneutria) .as mais venenosas. baixa rápida da temperatura do corpo. se a vítima não estiver respirando bem. de Minas Gerais.lavar o local da picada com água e sabão. cercas. Sintomas: dores fortes. 5 . Como agir. telhas e cupinzeiros.manter a vítima em repouso e calma. tijolos. principalmente se a vítima for uma criança. As espécies de cor amarela. aumento da pressão. enjôo e vômitos. do Sul até o litoral do Rio de Janeiro. pois eles são pouco agressivos e têm hábitos noturnos.acidentes muito freqüentes (75%). e  tarântulas (Lycosa) . a viúva-negra. e 6 . O seu veneno é potente.aplicar respiração artificial. PICADA DE ARANHA Os tipos de aranha que apresentam maiores perigos são:  aranha marrom (Loxosceles). 2 . ataca o sistema nervoso (neuro-tóxico) e pode matar nas primeiras 24 horas. PICADA DE ESCORPIÃO Escorpiões são encontrados geralmente nas pilhas de madeira. suor intenso.aplicar compressas frias nas primeiras horas. A mais perigosa. Este é um caso considerado severo.encaminhar a vítima ao Posto Médico ou Hospital. quatro (4) dias depois do acidente. são mais venenosas do que as de cor marrom. Sapatos e botas são ótimos esconderijos. é do gênero Latrodectus .não fazer torniquete no membro acidentado. no caso de picadas: 1 .Manual Básico do Vigilante  Coral verdadeira = soro anti-elapídico ou soro anti-ofídico (polivalente). 29 . Acidentes com escorpiões são menos freqüentes do que os com cobras. comuns em Minas Gerais. famíliaTeridiidae e que ocorre no Brasil. A foto abaixo mostra o local da picada de uma aranha marrom (Loxosceles). 4 . 3 .

que penetra pelas mucosas e pode até matar). o homem). Arraias (a picada é muito dolorosa. Vespas ou marimbondos. raramente. como as caravelas). Seguir as mesmas recomendações indicadas para as picadas de escorpiões. com dor e reação local). a oncocercose. Morcegos (os vampiros atacam os animais e. Lagartas urticantes (taturanas ou peludas. Caramujos (os Planorbídeos transmitem a Esquistossomose). Outros animais que podem provocar acidentes são:                  Abelhas (as africanas são as mais perigosas).Manual Básico do Vigilante No Brasil. Combustível 2. Formigas.a Lycosa raptoria . Baiacus (possuem veneno neurotóxico muito ativo na pele e nas vísceras). Borboletas (pelos provocam irritação nas mucosas). primeiro temos que saber como ele vai existir e se manter. e outros. provocam queimaduras). Carrapatos (provocam coceira e pequena inflamação). PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO OBJETIVO: Passar conhecimento básico de prevenção e combate a incêndio é métodos e extinção. Calor 3. Sapos (todos têm glândulas com veneno viscoso. pode até cegar).Para que haja fogo temos que ter três elementos básicos do qual formamos o triângulo do fogo. Mosquitos (especialmente os borrachudos. inoculam veneno. CONHECIMENTO BÁSICO Para saber como apagar o fogo. Lacraias ou centopéias (ao picarem. Bagres (seu ferrão serrilhado produz uma picada muito dolorosa). Besouros (as cantáridas possuem substância irritante para a pele).a Lycosa eritrognata (esta presente nos gramados da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro) e a Loxoscelis laeta . 1. Mariscos (podem provocar intoxicação ao serem ingeridos. o veneno do seu ferrão na cauda. Oxigênio 30 . age sobre o sistema circulatório). Águas-vivas (muitas são venenosas. quando se alimentam de algas tóxicas). transmitida por mosquitos. são também perigosas: a Ctenus nigriventer .

Para manter a chama é necessário que se tenha a REAÇÃO EM CADEIA que é a manutenção do colar. Etc  Liquido: Gasolina. fósforo) Origem indireta: E quando há uma fonte de calor através da propagação. óleo.etc  Gasoso: Acetileno.Manual Básico do Vigilante COMBUSTÍVEL: E todo material capaz de queimar. o fogo se extinguirá. papel. tintas. Na ausência de qualquer um desses três componentes. álcool. que são em duas origens: Origem Direta: E quando há uma fonte de calor direta de uma chama (isqueiro. gás liquefeito de petróleo (GLP) CALOR: E a fonte de energia que da o inicio do fogo. tecidos. chamas e calor. gás metano. 31 . combustível e oxigênio na quantidade ideal para manter a combustão. ferro elétrico) OXIGÊNIO: É um gás comburente que alimenta o fogo. quanto mais oxigênio maior o fogo OBS: O oxigênio e encontrado na natureza a uma porcentagem de 21% presente no ar. lente.( sol. vidro. MÉTODOS DE EXTINÇÃO DO INCÊNDIO Os métodos de extinção do incêndio visam eliminar um ou mais componentes do triângulo do fogo. Os combustíveis podem ser:  Sólido: Madeira. então fogo e o resultado da reação química (combustão) que gera luz.

líquidos inflamáveis . tecidos. ISOLAMENTO Separando o combustível dos demais componentes do fogo. CLASSIFICAÇÃO DOS INCÊNDIOS CLASSE “A” Causados pela combustão de materiais comuns e que deixam cinzas ou resíduos tais como: papel.. como na abertura de uma trilha (acero) na mata.gasolina . o fogo não passa. COMBUSTÃO ESPONTÂNEA Como evitar: Aeração dos locais de armazenamento Não abandonando resíduos em locais não apropriado. também extinguimos o fogo. por exemplo. etc.. ao retirarmos esse componente comburente (oxigênio) do triângulo.óleos vernizes .outros semelhantes CLASSE “C” Verificados em equipamentos elétricos energizados. impedimos que o oxigênio participe da reação. CLASSE “B” Causados por: . Quando o equipamento for desligado. 32 .álcool . isolando-o.Manual Básico do Vigilante RESFRIAMENTO Esse método consiste em jogarmos água no local em chamas provocando seu resfriamento e conseqüentemente eliminando o componente "calor" do triângulo do fogo ABAFAMENTO Quando abafamos o fogo. Logo. São fáceis de serem controlados e raramente se originam de combustão espontânea.querosene . impedindo que se forme o triângulo. lixos. o incêndio passa a ser classe “A”.

EXTINTOR DE PÓ QUÍMICO SECO O agente extintor pode ser o BICARBONATO DE SÓDIO ou de POTÁSSIO que recebem um tratamento para torná-los em absorvente de umidade.EXTINTOR DE GÁS CARBÔNICO (CO2) O GÁS CARBONICO é material não condutor de ENERGIA ELÉTRICA. Ao ser acionado o extintor. cobalto. GÁS CARBÔNICO e o VAPOR DE ÁGUA devido a queima do PÓ. O agente extintor forma uma nuvem de pó sobre a chama que visa a exclusão do OXIGÊNIO. posteriormente são acrescidos à nuvem. Ex: Potássio. Ex: Césio. CLASSE “E” São incêndios em materiais radioativos ou nucleares. urânio. I. oferecem o risco de explosão caso haja utilização de um extintor inadequado. alumínio. É empregado para extinguir PEQUENOS focos de fogo em líquidos inflamáveis (classe B) e em pequenos equipamentos energizados (classe C). TIPOS DE EXTINTORES DE INCÊNDIO. O mesmo atua sobre o FOGO onde este elemento (eletricidade) esta presente.Manual Básico do Vigilante CLASSE “D” São incêndios em materiais pirofolicos (metais de liga). o gás é liberado formando uma nuvem que ABAFA E RESFRIA. etc.O agente propulsor pode ser o GÁS CARBÔNICO ou NITROGÊNIO. magnésio. 33 . II. oferecendo risco de contaminação. etc.

mas existe um novo modelo de cilindro. visto que a água permanece sob pressão dentro do aparelho. O agente propulsor (propelente) é o GÁS CARBÔNICO (CO2} IV.PRESSÃO INJETADA Fixado na parte externa do aparelho está um pequeno cilindro contendo o gás propelente. OBS: Esta imagem do extintor ao lado.EXTINTOR DE ESPUMA Indicado com ótimo resultado para incêndios de classe "B" e com bom resultado para a classe "A". cuja a válvula deve ser aberta no ato da utilização do extintor. necessita apenas da abertura do registro de passagem do líquido extintor. Modo de usar: Aproxime-se com segurança do líquido em chamas. de modo que a escuma gerada cubra o líquido como uma manta.EXTINTOR DE ÁGUA .PRESSÃO PERMANENTE Não e provido de cilindro de gás propelente.Manual Básico do Vigilante III. Um processo secundário é o resfriamento (umidificação). inverta a posição do extintor (de cabeça para baixo) e dirija o jato para um anteparo. a fim de pressurizar o ambiente interno do cilindro permitindo o seu funcionamento. que atua através do resfriamento da área do material em combustão. 34 . Para funcionar. Processo de extinção: Abafamento. IV. já e proibido.EXTINTOR DE ÁGUA PRESSURIZADA . Contra-indicado para a classe "C". devido ao seu funcionamento do qual esta causando muito acidente. O elemento extintor é a água.

o extintor usado nos veículos esta com uma nova lei. "O extintor ABC atende às necessidades de todas as classes de incêndio possíveis de acontecer num 35 . painéis e tapetes). bancos.Tipos de funcionamento – Pressurizado ou pressurizável . de abril de 2004. O novo equipamento substitui o do tipo BC. que combate princípio de incêndio em materiais sólidos e elétricos e em combustíveis líquidos. os veículos produzidos no Brasil sairão de fábrica com um novo tipo de extintor.Teste hidrostático a cada 5 (cinco) anos . que não funciona em objetos sólidos (como pneus. Ele conterá pó químico ABC. é considerado um avanço pelos especialistas. mais eficiente. veja abaixo: A partir de janeiro de 2005.Função do extintor – resfriamento e abafamento Para conhecimento. aprovada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).Validade de 01 (um) ano .Manual Básico do Vigilante Veja abaixo as partes do extintor: 01) Mangueira 02) Gatilho 03) Alça de Transporte 04) Trava de Segurança 05) Manômetro 06) Câmara DETALHO DO MANÔMETRO: Veja as cores no manômetro: Vermelho: Necessita de carga Verde: Em condição de uso Branco: excesso de carga Característica dos extintores: . A mudança segue a resolução 157. utilizado hoje.

que preferiu se concentrar no lançamento de um extintor destinado exclusivamente aos caminhões MEDIDAS DE EMERGÊNCIA Caso o principio de incêndio foi percebia a tempo. presidente da AEA (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva). chefe do Agrupamento de Segurança ao Fogo do IPT. o equipamento não é obrigatório. Nos países desenvolvidos. quatro delas confirmaram que já estão se adaptando para fabricar o produto. que precisa ser recarregado anualmente depois que expira o prazo de validade. uma espécie de fertilizante. já se encontram certificadas para a fabricação do equipamento as empresas Kidde. Resil. Mocelin e Platinense. Fará da área de risco. A única exceção foi a Mangels. o novo extintor tem validade maior: cinco anos.Manual Básico do Vigilante veículo". "Existe muita dificuldade hoje em garantir a qualidade dos recondicionados". largamente utilizada nos Estados Unidos e na Europa. porém. segundo Otavio Oliva. diz Geraldo Rangel. contra três do atual. O que diferencia um do outro é a composição do pó: o atual (BC) funciona com bicarbonato de sódio. Segundo o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). começa a ser fabricada agora no país. 36 . Isole o local. chamem os bombeiros (193) e informe a situação. o que obriga a ter um extintor sempre original de fábrica. utilize o extintor de incêndio adequado a situação casso não tenha sido percebido a tempo faça o seguinte:        Acione o alarme para que todos tomem conhecimento Socorra as vitimas caso necessário Desligue a rede elétrica Evacuar o local sempre com muita alma observando a sinalização de emergência e no caso de prédio nunca utilize o elevador. É aí que mora outra vantagem do ABC: ele não receberá recarga. Mangels. afirma Oliva. Além de ser eficaz contra os três tipos possíveis de incêndio automotivo. enquanto o novo tem como base o monofosfato de amônia. "Estamos até bem atrasados em relação a outros países". Em contato com a Folha. 47. Auxiliar os bombeiros no que for possível sempre eliminando o risco de vida. 44. afirma o engenheiro José Carlos Tomina. assessor de diretoria da Abiex (associação brasileira dos fabricantes de extintores). não deixando ninguém voltar para o local de incêndio a fim de salvar objetos. O IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) de São Paulo fez testes comparativos entre os dois agentes e concluiu que a decisão é tecnicamente correta. A nova tecnologia.

MUNIÇÃO E TIRO. Procure um local mais seguro que proporcione uma melhor respiração e em caso de prédio nunca salte. Tampe todos os buracos ou entradas e abra todas as torneiras. Molhe o corpo todo.Manual Básico do Vigilante No caso de impossibilidade de sair do local:       Tente se livra de material combustível Feche as portas sem trancá-las. Chuveiros e hidrantes inundando tudo para retardar a propagação. ARMAS ARMAS DE FOGO ARMAS BRANCAS NOMENCLATURA DO REVOLVER MUNIÇÃO TIPOS DE PROJÉTEIS ACIDENTES DE TIRO INCIDENTES DE TIRO MANEJO COM REVÓLVER Fundamento para o tiro de visão primaria MANUTENÇÃO DO ARMAMENTO NORMAS DE SEGURANÇA COM ARMAS DE FOGO NOÇÕES ELEMENTARES DE DIREITO PENAL TÉCNICA OPERACIONAL APREENSÃO PRIMEIROS SOCORROS ACIDENTE COM ANIMAIS PEÇONHENTOS PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO Elaborado por Arthur Nyarady 37 . pois o socorro pode estar perto. RELAÇOES HUMANAS NO TRABALHO ALGUNS MANDAMENTOS PARA UM BOM CONVÍVIO SOCIAL QUALIDADE E REQUISITOS NECESSARIOS AO VIGILANTE O QUE ESPERAM DE CADA VIGILANTE COMUNICAÇÕES CODIGOS DE COMUNICAÇÃO ARMAMENTO.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful