Você está na página 1de 9

Disfonias Neurológicas

Bruna Pimenta Galon


Priscila Pereira Dos Reis

Prof. ª Jamile Perni Rossi


Conceitos

• Fonação: Vibração das pregas vocais.


• Voz : Fenômeno sonoro primordial que emerge da laringe e
se modifica pela ação de diversos ressonadores.
• Fala: Sons (fonação e ressonância) articulados através das
consoantes com uma elaboração fonêmica a fim de
representar um conceito.

• Disfonia: Distúrbio na voz.


• Disartria: Distúrbio da articulação da fala.
• Disartrofonia: Distúrbio na voz e na fala.
O que é Disfonia?
A disfonia pode ser definida como sendo qualquer dificuldade na emissão
vocal que impeça a produção natural da voz (vibração das pregas vocais e
ressonância). Esse impedimento pode estar relacionado com a altura, a
intensidade e a qualidade da voz.
Fatores etiológicos da disfonia
As alterações congênitas da laringe e de outras partes do trato vocal,
infecções de vias aéreas, fatores alérgicos, obstrução nasal, abuso vocal,
hábitos vocais inadequados, alterações psicoemocionais, transtornos
neurológicos, lesão ou tumor do nervo laríngeo recorrente, dentre outros,
são fatores que causam a disfonia.

Para produção vocal a laringe é o órgão essencial, juntamente com a


musculatura das costas e abdômen, caixa torácica, pulmões, faringe,
cavidade oral e nasal. Todas as estruturas são importantes na produção
vocal e podem ser responsáveis por disfunções vocais.
Alguns sintomas da disfonia
• esforço à emissão;
• dificuldade em manter a voz,
• cansaço ao falar,
• variações na freqüência fundamental habitual,
• rouquidão,
• falta de volume e projeção,
• perda da eficiência vocal e pouca resistência ao falar, entre outros...
Tipos de Disfonias
Disfonias funcionais: São aquelas que não apresentam nenhuma alteração
visível nas pregas vocais, elas são decorrentes do mal uso ou do abuso da
voz.

Disfonias organo-funcionais: São, em geral, iniciadas com uma disfonia


funcional mas tem seu diagnóstico tardio evoluindo com lesão secundária
nas pregas vocais. Por exemplo, um nódulo vocal.

Disfonias orgânicas: São aquelas que apresentam uma alteração anatômica


congênita na laringe e em outras partes do trato vocal (faringe, cavidade oral,
cavidade nasal) ou não-congênita desencadeada por doenças como
laringites, tumores, cistos, granulomas, infecções de vias aéreas, alergias etc.

Disfonias neurológicas: São aquelas causadas por transtornos neurológicos,


lesão ou tumor do nervo laríngeo recorrente.
Disfonias Neurológicas
São distúrbios vocais que acompanham lesões ou alterações no sistemas
nervoso, também chamados de transtornos motores da fala. Podem ser
classificados em dois grupos principais: disartria e dispraxia.

Disartria, são alterações de execução motora da fala e podem ocorrer por


alteração no sistema nervoso central ou periférico, produzindo desvios do
controle muscular do mecanismo da fala. Alterações motoras da
respiração, fonação, articulação, ressonância e prosódia estão presentes
na disartria.

A apraxia da fala está ligada a incapacidade de programação e execução


dos sons, envolvendo os comandos sensório-motores para a
movimentação adequada dos músculos.

As causas das disfonias neurológicas são múltiplas podendo envolver


qualquer lesão ou alteração nos componentes periféricos ou centrais do
sistema nervoso. As causas mais comuns são traumatismos, acidentes
vasculares, tumores, doenças degenerativas, distrofias musculares,
mecanismos autoimunes, infecções virais, neurotoxinas e fatores
ambientais.