Você está na página 1de 32

ESTATÍSTICA

PROF.: WANDERSON CARVALHO


Medidas de tendências centrais:
mediana e moda

Objetivos:

• Entender como se dá a distribuição de dados em uma amostra e como


obter informações importantes do universo amostral;

• Conhecer os conceitos das medidas de tendência centrais: média


aritmética (simples e ponderada), moda e mediana de uma amostra
finita;

• Aplicar esses conceitos em diversas situações do nosso cotidiano.


Medidas de tendências centrais:
média, mediana e moda

Um pouco de história:
• A origem da palavra Estatística está associada à palavra latina STATUS (Estado).
Há indícios de que 3000 anos A.C. já se faziam censos na Babilônia, China e Egito.
Até mesmo o 4o livro do Velho Testamento faz referência a uma instrução dada a
Moisés, para que fizesse um levantamento dos homens de Israel que estivessem
aptos para guerrear.

• Seus fundamentos do ponto de vista matemático foram estabelecidos no século XVII


com o surgimento da teoria das probabilidades, devido a Pascal e Fermat,
inicialmente aplicados ao estudo dos jogos de azar.

• Atualmente, o uso de computadores modernos permite a computação e a análise de


dados estatísticos em larga escala e também tornam possíveis novos métodos antes
impraticáveis.
Estatística e organização dos dados

Como sabemos, a estatística é o ramo da Matemática que de modo geral coleta,


organiza, analisa e fornece informações quantitativas sobre uma determinada
população ou coleção de elementos.

Como quase sempre não é possível obter as informações sobre todos os elementos
da população, nos limitamos a pesquisar uma pequena parte dela, a qual
chamaremos de amostra.

Assim, a amostra representará a população e por isso deve ser formada de modo
imparcial, sem privilegiar ou diminuir nenhum de seus componentes, de modo que
as conclusões sejam imparciais e consistentes.

Ainda em relação à amostra, estudaremos as variáveis, ou seja, as características


da população representada pela amostra que queremos analisar.
Situação-problema:
Em uma turma de uma escola de Medicina, um aluno registrou o batimento
cardíaco por minuto de seus colegas, obtendo os seguintes dados:

75 76 77 78 79 80 85 88 Observe que nesta tabela, muitos


90 92 75 76 78 78 90 76 valores aparecem repetidas vezes.
78 76 90 92 75 76 77 85 Mais ainda,os dados encontram-se
85 85 88 77 77 92 90 78 dispostos de modo aleatório,
85 79 90 76 78 76 77 92 complicando uma análise mais
90 76 85 80 90 80 78 76 detalhada de seus elementos.

Assim, somos levados a produzir um tipo especial de tabela, a fim de facilitar o


entendimento e a análise dos seus dados. A esse tipo de tabela chamaremos de
distribuição de frequências.
A frequência de um valor será o número de vezes que esse valor aparece na
amostra (tabela):
Desse modo, podemos expressar os dados de acordo com a seguinte distribuição
de frequências:

Número de batimento 75 76 77 78 79 80 85 88 90 92
cardíacos por minuto
Frequência 3 9 5 7 2 3 6 2 7 4

Observamos, por exemplo, que ao todo 5 alunos da turma apresentaram 77


batimentos cardíacos por minuto.

Observamos ainda que a menor frequência cardíaca observada foi 75


batimentos por minuto e que a maior foi 92 batimentos por minuto,
correspondendo a 3 e 4 alunos, respectivamente.

Mais ainda, podemos afirmar que 76 batimentos por minuto foi a frequência
cardíaca que apareceu mais vezes na tabela.
Medidas Estatísticas
Como vimos, a distribuição de frequências é uma ferramenta que facilita a
descrição de um modo mais resumido de nossa população ou amostra e
proporciona uma primeira análise que valores de uma determinada variável em
estudo pode assumir.

Para obter uma análise mais aprofundada, podemos fazer uso de medidas que
expressam tendências de determinada característica ou valores de nossa amostra.

Desse modo, estudaremos algumas medidas de tendência central, que de modo


simplificado, trazem consigo informações do comportamento geral da população
ou amostra estudada. Assim, consideramos as seguintes medidas estatísticas:

Média Aritmética Média Aritmética Ponderada


Moda Mediana
Média Aritmética

A média aritmética, ou simplesmente média, é uma medida de tendência central


que se comporta com o ponto de equilíbrio dos valores obtidos a partir de um
conjunto de dados.

Dentre todas as medidas de tendência, talvez seja a mais popular, pois desde o
início de nossa vida escolar somos, obrigatoriamente, apresentados a ela e nos
habituamos com seu cálculo, que por ser simples é bastante utilizada no nosso
cotidiano.

Quando nossa amostra ou população apresenta uma distribuição de frequências


aproximadamente simétrica e não apresenta valores muito deslocados, isto é,
valores extremamente afastados uns dos outros, sua utilização para estimar
informações da amostra se torna mais eficiente.
Média Aritmética

Para calcular a média aritmética de dois ou mais dados numéricos, dividimos a soma
desses números pela quantidade dos números dados.

Vejamos com isso se aplica na nossa situação-problema:


Número de batimento 75 76 77 78 79 80 85 88 90 92
cardíacos por minuto
Frequência 3 9 5 7 2 3 6 2 7 4

Considerando inicialmente as freqências cardíacas que apareceram, isto é,


desconsideramos as frequências de cada uma delas.

Assim, os valores para os quais calcularemos a média aritmética serão:

75, 76, 77, 78, 79, 80, 85, 88, 90 e 92 .


Média Aritmética

Assim, podemos ver que a média aritmética, ou simplesmente a média, será dada
por:

75  76  77  78  79  80  85  88  90  92 820
Média    82 .
10 10

De modo geral, podemos dizer que na média a frequência cardíaca dos alunos da
turma foi de 82 batimentos por minuto. Isso significa dizer que se todos os
batimentos fossem iguais, esse seria o valor encontrado.

Observe ainda que o valor da média aritmética é sempre maior ou igual que
menor valor e menor ou igual que o maior valor da lista de números.
Média Aritmética Ponderada

Para calcular a média aritmética ponderada dos dados numéricos de uma tabela de
distribuição de frequências, dividimos a soma desses números, multiplicados pelas suas
respectivas frequências, pela quantidade total dos dados, isto é, pela soma de todas as
frequências.

Voltemos à nossa situação-problema:

Agora, consideramos as frequências cardíacas que apareceram na tabela de


distribuição de frequências, bem como suas respectivas frequências.
Ou seja, calculamos a média aritmética ponderada utilizando os valores dos
batimentos cardíacos que aparecem na tabela, bem como suas respectivas
frequências.
Média Aritmética Ponderada

Número de batimento 75 76 77 78 79 80 85 88 90 92
cardíacos por minuto
Frequência 3 9 5 7 2 3 6 2 7 4

Assim, temos que sua média aritmética ponderada será dada por:

75  3  76  9  77  5  78  7  79  2  80  3  85  6  88  2  90  7  92  4 3922
Média    81,7 .
395 7  23 6 2 7  4 48

Observe que este valor representa melhor os valores encontrados, pois dá a


devida contribuição de todos os valores de batimentos cardíacos presentes na
tabela.
Moda
Por definição, a moda de uma coleção de dados amostrais ou populacionais é
simplesmente o valor que aparece o maior número de vezes, isto é, aquele que
apresenta a maior frequência observada na tabela de distribuição de frequências.

Em amostras grandes ou com valores muito repetidos, há casos em que a moda não
é única, situações em que dois ou mais valores amostrais tenham ocorrido com a
mesma frequência e esta quantidade de ocorrências seja máxima.

Assim, dependendo de cada caso, podemos ter distribuições monomodais, ou


simplesmente modais, bimodais, trimodais ou ainda multimodais.
Pode acontecer ainda o caso em que todos os valores amostrais tenham
apresentado o mesmo número de ocorrências, significando que neste caso não há
moda, pois nenhum valor se destacou, configurando assim uma distribuição amodal.
Moda

Moda é o elemento (ou são os elementos) que aparece(m) com a maior frequência na
lista de todos os dados pesquisados. Ou seja, aqueles elementos que se destacam pela
maior quantidade na tabela de distribuição de frequências analisada.

Assim, vejamos nossa tabela de distribuição de frequências da situação-


-problema:

Número de batimento 75 76 77 78 79 80 85 88 90 92
cardíacos por minuto
Frequência 3 9 5 7 2 3 6 2 7 4
Observe que 76 batimentos cardíacos por minuto é o valor que mais aparece na
tabela e que sua frequência é 9.
Neste caso, dizemos 76 é a moda dessa amostra de dados estatísticos.
Moda
Agora, considerando uma outra distribuição de frequências, poderíamos obter
resultados diferentes:
Número de batimento 75 76 77 78 79 80 85 88 90 92
cardíacos por minuto
Frequência 2 4 8 7 2 8 6 2 8 4
Neste caso, temos uma distribuição trimodal com os valores de 77, 80 e 90
batimentos cardíacos por minuto.
Por outro, lado a distribuição abaixo é amodal, visto que todos os valores
apresentam a mesma frequência:

Número de batimento 75 76 77 78 79 80 85 88 90 92
cardíacos por minuto
Frequência 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5
Mediana
A mediana de uma distribuição de frequências é definida como o valor ocupante
da posição central da coleção ordenada de modo crescente ou decrescente dos
dados amostrais.
Desse modo, sua principal propriedade é dividir o conjunto das informações em
dois subconjuntos iguais com o mesmo número de elementos: os valores que são
menores ou iguais à mediana e os valores que são maiores ou iguais à mediana.
Note que se um valor for extremamente deslocado, ou seja, muito afastado dos
outros, a mediana não será influenciada por este ao contrário da média, pois por
definição é uma medida estatística vinculada à posição ocupada e não à
proximidade dos valores apresentados.
Assim, se um valor for extremamente pequeno ou grande, não influenciará no
cálculo da mediana.
Mediana

Para calcular a mediana dos dados numéricos de uma tabela de distribuição de


frequências, ordenamos estes valores de modo crescente ou decrescente, repetindo-os de
acordo com as suas respectivas frequências, e tomamos o valor que divide esta tabela
em dois grupos iguais, isto é, com a mesma quantidade de elementos.

De modo simples, se o número de elementos da amostra N for um número ímpar, ou


seja, N=2n+1, tomamos o elemento de ordem n+1.
Agora, no caso que este número de elementos é par, N=2n, tomamos a média
aritmética dos termos de ordem n e n+1.
Desse modo, a situação-problema tem 48 elementos que a compõem.
Assim, tomamos os termos de ordem 24 e 25, respectivamente dados por 79 e 79,
e calculamos sua média aritmética, obtendo assim o valor da mediana desta
amostra como sendo igual a 79.
Quando usar a média, a moda ou a mediana?

Usamos a média quando a distribuição dos dados for simétrica (ou quase) e não
apresenta valores muito deslocados, visto que é a medida de tendência central mais
popular e fácil de ser calculada.

Devemos usar a mediana quando aparecem valores deslocados na distribuição dos


dados, pois ela não é influenciada por valores extremos.

Usamos a moda quando existirem variáveis qualitativas e nominais, visto que neste
caso é a única medida de tendência central que podemos obter. Além disso, quando
queremos evidenciar o valor (ou valores) que mais aparece na distribuição de
frequências dos dados.
Exercícios Resolvidos
1. Uma fábrica do Complexo Industrial de SUAPE para estimar o número de lâmpadas
consumidas por ano, registrou o tempo de duração das lâmpadas utilizadas em dias,
obtendo a seguinte tabela:

21 25 23 28 19
a) Construa uma tabela de distribuição
23 23 20 25 21 de frequências associada a esta
tabela;
20 19 19 20 20
b) Determine a média aritmética
25 28 28 20 21 ponderada, obtendo o tempo médio
de duração de uma lâmpada;
20 19 19 25 19

c) Estime o número de lâmpadas necessárias durante um ano comercial para um


ponto de luz desta empresa.
Solução:
Inicialmente construímos uma tabela de distribição de frequências, respondendo assim o
item (a):

Duração de uma lâmpada ( em dias) 19 20 21 23 25 28

Frequência 6 6 3 3 4 3

(b) Agora, podemos então calcular o tempo médio de duração de uma lâmpada:
19  6  20  6  21 3  23  3  25  4  28  3 550
TM    22 dias .
6 633 43 25
(c) Finalmente, podemos estimar o número de lâmpadas necessárias para manter um ponto
de luz durante um ano comercial:
360 360
N   17 lâmpadas .
TM 22
Exercícios Resolvidos
2. O IBOPE pesquisou qual é o esporte preferido pelos moradores de uma certa cidade.
Para isto, entrevistou 2.500 pessoas, obtendo o seguinte resultado:

Esporte preferido Número de pessoas


Futebol 650
a) Qual é o esporte que apresenta
maior frequência nesta tabela?
Voleibol 350
Natação 420 b) E qual é o esporte que apresenta
Tênis 280 menor frequência?
Basquete 300
c) Qual o percentual da população
Boxe 220 prefere voleibol?
Corrida 280

d) Você saberia dizer qual é o esporte da moda? Justifique sua opinião!


Solução:

a) Note que o esporte que apresenta a


Esporte preferido Número de pessoas
maior popularidade nesta tabela é o
Futebol 650 futebol com a preferência de 650
Voleibol 350 pessoas.
Natação 420
b) Por outro lado, o esporte que
Tênis 280
apresenta a menor popularidade é o
Basquete 300 boxe, preferido por 220 pessoas.
Boxe 220
Corrida 280
c) O percentual da população que
prefere o voleibol é
350 7
  14%.
2500 50
d) O esporte da moda é o futebol, pois como o próprio nome
indica é a moda da tabela de frequências acima.
Exercícios Resolvidos
3. Insatisfeito com seu salário, um funcionário pesquisou nas empresas vizinhas quanto
ganhavam seus colegas que exerciam a mesma função:

a) Construa uma tabela de distribuição


1200,00 1400,00 1000,00 de frequências associada aos valores
encontrados;
1050,00 1500,00 1400,00
b) Determine o salário médio desses
1350,00 1100,00 1300,00 funcionários;

1200,00 1300,00 1400,00 c) Determine o salário modal desses


funcionários;

d) Sabendo que ele ganha R$ 1200,00, você acha que ele deve pedir aumento?
Justifique!
Solução: 1200,00 1400,00 1050,00

a) Da tabela ao lado contruímos a 1050,00 1500,00 1400,00


seguinte tabela de distribuição de
frequências associada aos salários 1350,00 1100,00 1300,00
encontrados;
1200,00 1300,00 1400,00

Salário de cargo 1050,00 1100,00 1200,00 1300,00 1350,00 1400,00 1500,00


equivalente
Frequência 2 1 2 2 1 3 1

Deste modo, temos que: 15250


b) O salário médio destes funcionários é SM   1271,reais.
00
12
c) O salário modal dos funcionários é R$ 1400,00.
d) Sim, pois o salário médio e o salário modal encontrados na vizinhança
são maiores do que o salário do funcionário.
Exercícios Resolvidos
4. No edifício em que moro foi feito um censo dos moradores e identificados os jovens
com idade entre 15 e 20 anos conforme o seguinte gráfico:

14 a) Quantos jovens residem no edifício?


12
10
8
b) Calcule a média de idade dos
6 Garotos garotos e das garotas, bem como a
Garotas
4 média de idade dos jovens;
2
0
15 16 17 18 19 20 c) Determine a idade modal das
anos anos anos anos anos anos
garotas, dos garotos e dos jovens do
edifício;

d) Calcule a idade mediana dos garotos, das garotas e dos jovens.


Matemática, 1º Ano do Ensino Médio
Medidas de tendências centrais: mediana e moda

Solução: 14
12
10
a) É fácil ver que no edifício moram 53 8
garotos e 47 garotas, totalizando 6 Garotos

100 jovens. 4
Garotas

2
b) As médias de idades 0
15 16 17 18 19 20
aproximadamente são: 19 anos é a anos anos anos anos anos anos

média de idade dos garotos,18 é a


média de idade das garotas e 18 é
a média de idade dos jovens.
c) A idade das garotas é bimodal
com valores 16 e 19 anos, dos
garotos é modal com valor de 20
anos e dos jovens é trimodal com
d) As idades medianas dos garotos, das valores 16, 19 e 20 anos.
garotas e dos jovens são todas 18 anos.
Exercícios Propostos:
1. Uma concessionária de veículos vendeu no primeiro semestre de um ano as
quantidades de automóveis indicadas no quadro abaixo:

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun

Qtd de carros vendidos 38 30 25 36 38 31

d) Tomando como referência os três


a) Qual foi o número total de carros
primeiros meses, faça uma estimativa de
vendidos no semestre?
quantos carros deveriam ter sido
vendidos no primeiro semestre.
b)Qual foi o número médio de carros
vendidos por mês?
e) Compare os resultados dos itens (a) e
(d). Por que eles não são iguais?
c) Quantos carros foram vendidos acima
Justifique!
da média no mês de maio?
Exercícios Propostos:

2. Em uma turma com 30 alunos, foram obtidas as seguintes notas em Matemática:

a) Construa uma tabela de distribuição de


2,0 3,0 4,0 3,0 4,0 5,0 frequências associada às notas dos
alunos da turma;
4,0 5,0 6,0 6,0 5,0 4,0
b) Calcule a média aritmética das notas;
6,0 7,0 5,0 3,0 4,0 8,0

7,0 5,0 2,0 9,0 9,0 9,0 c) Determine a nota mediana da turma;

10,0 2,0 9,0 7,0 10,0 8,0


d) Obtenha a nota modal desta tabela.
Exercícios Propostos:

3. (PUC-SP) A média aritmética de 100 números é igual a 40,19. Retirando-se um desses


números, a média aritmética dos 99 números restantes passará a se 40,5. O número
retirado equivale a:

a) 9,5 % d) 750%

b) 75% e) 950%

c) 95%

4. (UNICAMP-SP) A média aritmética das idades de um grupo de 120 pessoas é de 40


anos. Se a média aritmética das idades das mulheres é de 35 anos e a dos homens é de
50 anos, qual o números de pessoas de cada sexo, no grupo?
Exercícios Propostos:

5. (PUC-SP) O gráfico abaixo apresenta a distribuição de frequências das faixas salariais


numa pequena empresa:
16

Números de funcionários
14
12
10
8
6
4
2
0
500 1000 1500 2000 2500
Salários em reais

Com os dados disponíveis, pode-se concluir que a média desses salários é,


aproximadamente:
a) R$ 420,00 b) R$ 536,00 c) R$ 652,00 d) R$ 640,00 e) R$ 708,00
Respostas:

1. (a) 198 carros (b) 33 carros c) 5 carros d) 186 carros

(e) Os resultados são diferentes, pois no segundo trimestre foram vendidos mais carros
que o esperado.

Notas dos 2,0 3,0 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0
2. (a)
alunos

Frequência 3 3 5 5 3 3 2 4 2

(b) 5,7 (c) 5,0 (d) bimodal: 4,0 e 5,0

3. (e) 950% 4. 40 homens e 80 mulheres 5. (e) R$ 708,00


Referências Bibliográficas:

[1] Toledo, G. L.& Ovalle, I. I. Estatística básica, 2a edição, São Paulo: Atlas, 1986.

[2] Bolfarine, H. & Bussab, W.O. Elementos de amostragem, Edgard Blucher, 1999.

[3] Moore, D. S. A estatísitica básica e sua prática, 2a edição, São Paulo: LTC, 2005.

[4] Bussab, W. O. & Morettin, P. A. Estatística básica, 4a edição, São Paulo: Atual,
1987.

[5] Larson, R. & Fraber, B. Estatística aplicada, tradução de Cyro C. de Patarra, São
Paulo: Prentice Hall, 2004.

[6] Triola, M. F. Introdução à estatística, tradução de Alfredo A. de Farias, 7a edição, Rio


de Janeiro: LTC, 1999.