Você está na página 1de 60

A civilização grega tem grande

importância na formação
cultural e política do Ocidente.
Os gregos foram os primeiros
a falar em DEMOCRACIA, o
“governo do povo”.
LOCALIZAÇÃO

GEOGRÁFICA
Concentrou-se ao sul da Península Balcânica, nas
ilhas do Mar Egeu e no litoral da Ásia Menor.
• O relevo montanhoso e o conseqüente
isolamento das localidades facilitaram a
organização de cidades-Estado
autônomas, característica marcante da
Grécia Antiga.
• A partir do século VIII a.C.
estabeleceram colônias gregas em
diversos pontos da orla do Mar
Mediterrâneo, especialmente no sul da
Itália, na região conhecida como Magna
Grécia.
Imigração indo-européia
• Cretenses: Vindos da Ilha de Creta formavam
uma civilização comercial que exerceu o domínio
sobre a Grécia Continental. Possuíam uma
sociedade matriarcal governada pelo Rei Minos.
• Aqueus: Vindos do Norte da Península Balcânica,
invadiram e dominaram os cretenses.
Estabeleceram a Talassocracia na cidade de
Micenas. Civilização Micênica.
• Entre 1500 e 1150 a.C. a civilização micênica
floresceu. Palácios monumentais aparecem a
partir do início do século XV a.C. A economia era
controlada pelo Estado.
• Também o comércio marítimo, assim como as
expedições de pilhagem desenvolvidas por
esta civilização, espalharam a cultura grega
pelo Mediterrâneo, ao mesmo tempo que
permitiram aos próprios gregos assimilarem
influências orientais.
• A influência de sua cultura estendeu-se até a
Itália e a Sardenha, o Egito e o
Mediterrâneo oriental, ainda que não tenha
havido qualquer domínio político por parte
dos gregos nessas regiões
• O mundo micênico desapareceu no século XI a.C.,
gradativamente, sem que se saiba o que ocorreu. Os
palácios deixaram de ser usados, assim como a
escrita, até que uma nova civilização, sem palácios,
viesse a surgir
• Segundo a interpretação tradicional, teria sido a
invasão dos dórios, no fim do segundo milênio, que
teria feito submergir a Grécia aquéia a partir de
1200 a.C., entre os séculos XII e XI.
• Dórios: Originários da mesma região dos aqueus,
expulsaram os Jônios e Eólios da Grécia para as
ilhas do Egeu e o litoral da Ásia menor. (Primeira
Diáspora Grega)
• Tradicionalmente, acreditava-se que os
Dórios trouxeram a decadência para a
Grécia, provocaram um colapso
comercial e cultural, o que quase levou
ao desaparecimento da escrita nessa
região.
• Mas, hoje em dia, os estudiosos
ressaltam que é justamente essa
civilização camponesa e guerreira que
irá fundar, depois, a Grécia clássica.
• Formação da cultura creto-micênica.
• Primeira Diáspora grega =invasão dórica
PERÍODO HOMÉRICO
• Fontes: Ilíada (Guerra de Tróia) e Odisséia (retorno de Ulisses ao reino
de Ítaca). Poemas atribuídos ao poeta Homero.
• A epopeia dos aqueus não tinha deixado de ser cantada,
apesar das invasões e se ia enriquecendo de episódios ao
longo do tempo.
• Como sabemos, "quem conta um conto aumenta um
ponto". Até que essas histórias foram registradas por
escrito por um personagem que hoje se sabe ser lendário,
Homero.
• As obras a ele atribuídas contam histórias de grandes
heróis gregos, como Aquiles, Agamenão — o rei de
Micenas que liderou os aqueus nessa guerra —, Menelau e
Odisseu, e troianos, como Heitor, Paris e Enéias.
• As lendas homéricas refletem tanto o mundo de reis e
guerreiros do tempo de Micenas, quanto aspectos da
própria época em que foram elaboradas, séculos depois:
são mencionados palácios, mas no centro da ação estão
os guerreiros da nova era.
• Os refugiados da primeira diáspora grega fundaram
pequenas unidades auto-suficientes baseadas no
coletivismo – os genos, ou comunidades gentílicas.

• Essas unidades eram compostas de membros de uma


mesma família, sob a chefia do pater.

• Por volta do ano 800 a.C., as disputas por terras


cultiváveis e o crescimento populacional acabaram
com o sistema gentílico.

• Alguns paters se apropriaram das melhores terras,


originando a propriedade privada, e muitas outras
famílias se dispersaram para o sul da Itália e para
outras regiões, ocasionando a segunda diáspora
grega.
A desintegração dos genos
provocou a formação das pólis e
a colonização da região
correspondente ao sul da Itália
e à ilha da Sicília,área
denominada Magna Grécia. Com
as mudanças foram reforçadas
as diferenças sociais.
PERÍODO ARCAICO
• Com o surgimento da propriedade
privada,iniciaram os conflitos entre os
grupos, e, para lidar com as constantes
crises, os proprietários de terra
passaram a formar associações, as
fatrias, que formaram as tribos, que,
por sua vez, se organizaram em demos.
• Os demos deram origem às cidades-
Estados, ou pólis – a principal
transformação do período Arcaico .
Cidades-Estados ou PÓLIS
• Cada cidade-Estado grega era um centro político,
social e religioso autônomo, com uma classe
dominante, deuses e um sistema de vida próprios.
• Na Grécia do período arcaico, a economia baseava-se na agricultura e
na criação; terras e rebanhos pertenciam a grandes proprietários, os
chefes dos clãs que diziam descender dos heróis lendários.

• Esses "nobres", conseguindo reduzir o papel do rei, tornaram-se de


fato os dirigentes das cidades. Formavam um conselho soberano e
administravam a justiça em nome de um direito tradicional pautado por
regras mantidas em segredo.

• Somente eles eram suficientemente ricos para obter cavalos, servos e


equipamentos de guerra.

• Proprietários do solo, detentores dos poderes político e judiciário,


defensores da região, os nobres eram os verdadeiros "donos" das
cidades.

• Além dos nobres, compunham a sociedade grega os escravos, os servos,


os trabalhadores agrícolas livres, os artesãos e também os pequenos
proprietários que viviam mais modestamente em seus domínios.
ATENAS
• Conhecida como a cidade exemplar da
Grécia Antiga, por sua cultura e
prosperidade econômica, Atenas, se
desenvolveu na Ática, região cercada
de montanhas. Por causa da falta de
terras férteis, os atenienses voltaram-
se para a pesca, a navegação e o
comércio marítimo.
SOCIEDADE DE ATENAS
1. Eupátridas (grandes proprietários de
terra)
2. Georgóis (pequenos proprietários)
3. Demiurgos (comerciantes)
4. Thetas (camponeses sem terra)
5. Thecnays (thetas que viviam do
artesanato)
6. Metecos (estrangeiros) e escravos.
POLÍTICA EM ATENAS
1. Eclésia (assembléia popular que
aprovava as medidas da Bulé)
2. Bulé (ou Conselho dos 400 que
elaboravam as leis a serem votadas
pela assembléia popular)
3. Arcontado (exerciam a justiça e
administração)
4. Estrategos (cuidavam do exército)
5. Helieu (tribunal de justiça popular)
• Esta expansão para a Magna Grécia levou os gregos e a
civilização grega a lugares, longínquos. A Grécia
propriamente dita viu prosperar enormemente o
desenvolvimento do comércio marítimo e do artesanato
(produção de armas, cerâmica).

• Foi introduzido o uso da moeda, algo muito importante tanto


no sentido comercial, de facilitar as trocas, como no político,
já que passaram a ser emitidas pelas cidades-estados.

• Com o surgimento de armas novas e mais baratas, os


cidadãos de classes médias e pobres puderam então também
participar da defesa das cidades. Sendo assim, passaram a
reclamar por reformas e reivindicar uma maior participação
nas decisões políticas, o que provocou muitas guerras civis.
• Como consequência desses conflitos, algumas cidades
gregas, como Atenas, atribuíram a certos homens de
boa reputação a tarefa de redigir as leis.

• Esses homens eram chamados de tiranos (ou "senhores",


em grego). Com esse procedimento, o poder da nobreza
— que antes interpretava o Direito conforme seus
interesses — finalmente conheceu limites.

• Várias cidades, por volta de 650 a 500, foram


governadas por homens autoritários que se colocavam
contra a "nobreza", dizendo-se defensores dos direitos
do povo — os tiranos — que ampliaram os direitos
políticos dos cidadãos e permitiram que os indivíduos se
desligassem do poderio dos grupos familiares.
LEGISLADORES DE ATENAS
• Drácon: redigiu as leis – até então orais -,
dificultando sua manipulação pelos eupátridas.
• Sólon: Aboliu a escravidão por dívidas, libertou
os devedores da prisão e determinou a
devolução de terras confiscadas pelos credores
eupátridas. Também dividiu a sociedade de
forma censitária em quatro classes sociais e
instituiu o princípio da isonomia (igualdade
perante a lei). Criou órgãos legislativos; a Bulé
(ou Conselho dos 400), que preparava leis, e a
Eclésia (Assembléia Popular), que as votava.
TIRANOS DE ATENAS
• Pisístrato: estabeleceu a tirania. Procurou
amenizar as diferenças sociais,
patrocinando várias obras públicas, gerando
emprego a thetas e georgóis descontentes.
• Hiparco e Hípias: filhos de Pisístrato, não
deram seguimento as reformas.
• Clístenes: Foi neste contexto que ocorreu
uma grande revolta liderada por Clístenes,
que instituiu a democracia na cidade .
DEMOCRACIA ATENIENSE
• A democracia ateniense era
formada com a participação de
cidadãos atenienses (adultos,
filhos de pai e mãe ateniense)
que correspondiam a uma
minoria, pois eram excluídos os
estrangeiros, escravos e
mulheres.
ESPARTA
Representou os valores de
austeridade, espírito cívico,
submissão total do indivíduo ao
Estado. Sociedade conservadora,
patriarcal, aristocrática, guerreira
e eugênica (não se admite defeitos
físicos nos cidadãos).
SOCIEDADE ESPARTANA
1. Espartanos: principal grupo
social e elite militar.
2. Periecos: eram pequenos
proprietários que se dedicavam
ao artesanato e ao comércio em
pequena escala.
3. Hilotas: Servos de propriedade
do Estado, sem direito políticos.
POLÍTICA EM Esparta
1. Sistema Oligárquico.
2. O governo era Diarquia (dois
Reis).
3. A Assembléia (Ápela) era
formada por espartanos com mais
de 30 anos.
4. A Ápela era responsável pela
eleição da Gerúsia e do eforato.
5. A gerúsia, formada por 28 espartanos
com mais de 60 anos, tinha atribuições
legislativas e judiciárias.
6. Os cinco éforos tinham funções
executivas.
7. Os Reis tinham funções religiosas e
militares
PERÍODO CLÁSSICO
• Esse período foi marcado por violentas lutas
dos gregos contra os povos invasores (persas)
e entre si.

• Foi considerado o apogeu da antiga civilização


grega, concentrando suas maiores realizações
culturais.
• A primeira das grandes guerras de gregos
contra persas ficou conhecida como Guerras
Médicas.(por causa dos Medos que habitavam
o Império Persa).
Guerras Médicas
• Gregos X Persas.
• Causas: imperialismo persa (expansão persa
na Ásia Menor).

• Batalha em Maratona: vitória grega.


Desfiladeiro de Termópilas: o exército
espartano comandado por Leônidas é
derrotado por Xerxes. Batalha Naval de
Salamina: os persas são derrotados. Batalha
de Platéia: Xerxes é derrotado. Paz de
Címon ou Calias: os persas se comprometiam
a abandonar o mar Egeu.
LIGA DE DELOS
GUERRA DO PELOPONESO
• A hegemonia ateniense, com a expansão de
sua influência política, foi combatida por
Esparta, que não desejava que o império de
Atenas colocasse em risco as alianças de
Esparta com outras cidades. A formação da
Liga do Peloponeso inseriu-se nesse contexto.

• Foram 28 anos de lutas, que terminaram com


a derrota ateniense. A supremacia espartana
teve curta duração, sendo seguida pelo
predomínio de Tebas e por um período de
perturbações generalizadas. As principais
cidades gregas estavam esgotadas por décadas
de guerra. Eram alvos fáceis para um inimigo
exterior: a Macedônia.
PERÍODO

HELENÍSTICO
Período caracterizado pela invasão da
Grécia pelos macedônios comandados
por Filipe II (Batalha de Queronéia).

• A política expansionista iniciada por


Filipe II teve continuidade com seu
filho e sucessor Alexandre Magno, que
consolidou a dominação da Grécia e
conquistou a Pérsia, o Egito e a
Mesopotâmia.
• Alexandre respeitou as instituições
políticas e religiosas dos povos vencidos
e promoveu casamentos entre seus
oficiais e jovens das populações locais;
ele próprio desposou uma princesa
persa.
• A fusão dos valores gregos com as
tradições das várias regiões asiáticas
conquistadas deu origem a uma nova
manifestação cultural, o helenismo.
HELENISMO

• Fusão dos elementos gregos


com as culturas locais.

• Recebeu este nome pois os


gregos chamavam a si mesmos
de helenos
Revisão
Cultura Grega
• Teatro, Filosofia e arquitetura.
• O pensamento grego tinha por
base a razão e, por isso,
supervalorizava o homem
(antropocentrismo).
RELIGIÃO Atribuição de
qualidades e
tributos humanos
• A religião grega era politeísta e antropomórfica. a Deus.
Deuses Gregos
SEMIDEUSES
HÉRCULES
• Um dos mais populares
heróis da Grécia
Antiga, que realizou
proezas de grande
perigo, os chamados
doze trabalhos de
Hércules,entre eles a
morte da Hidra, a
captura de Cérbero e
a libertação de
Prometeu.
• TESEU: QUE MATOU O Minotauro do
palácio de Creta, libertando Atenas.
• ÉDIPO: o decifrador dos segredos da esfinge,
que subjugava Tebas.