Você está na página 1de 52

FISIOTERAPIA NA

DOENÇA DE PARKINSON

Candidata:
Allen Suzane de França
ROTEIRO DA AULA

 Definição
 Epidemiologia
 Etiologia
 Fisiopatologia
 Manifestações Clínicas
 Avaliação Fisioterapêutica
 Objetivos
 Tratamento Fisioterapêutico

Fisioterapia na Doença de Parkinson 2


CONCEITO

O que é a Doença de
Parkinson?

Fisioterapia na Doença de Parkinson 3


DEFINIÇÃO

 Doença degenerativa progressiva do SNC


caracterizada por uma desordem do sistema
motor

 Morte de neurônios dopaminérgicos da


substância negra.

 Resulta em alteração do tônus, posturas


anormais e movimentos involuntários

(CARR;SHEPHERD, 2008)
Fisioterapia na Doença de Parkinson 4
DEFINIÇÃO

 Foi descrita pela primeira vez por James Parkinson em 1817


como “paralisia agitante”.

 Membro do Colégio Real de Cirurgiões, publicou sua principal


obra: “Um ensaio sobre a Paralisia Agitante”.

 Descreveu os principais sintomas da doença que posteriormente


recebeu seu nome.

Fisioterapia na Doença de Parkinson 5


EPIDEMIOLOGIA
 Segunda maior causa de doença neurodegenerativa;
 Tem distribuição universal
 Todos os grupos étnicos e classes sociais;
 Prevalência 100 a 200: 100.000;
 Afeta 1% dos maiores de 60 anos;
 No Brasil, a prevalência é de 3,3% em maiores de 65 anos.

Fisioterapia na Doença de Parkinson 6


FISIOPATOLOGIA

Fisioterapia na Doença de Parkinson 7


FISIOPATOLOGIA

 Dopamina: neurotransmissor
inibitório do corpo estriado

 Quando reduzida, ocorre predomínio


da atividade inibitória do córtex
motor.

Fisioterapia na Doença de Parkinson 8


ETIOLOGIA

 Idiopática – Multifatorial:

- Fatores tóxicos ambientais – derivados de petróleo, pesticidas


- Fatores genéticos
- Isquemia cerebral
- Trauma craniano repetitivo – lutadores

Fisioterapia na Doença de Parkinson 9


PARKINSONISMO ≠ DOENÇA DE PARKINSON

 Várias doenças com causas  É o tipo de parkinsonismo


diferentes que mais frequente
compartilham a mesma
síndrome clínica
caracterizada por
desordens do movimento

Fisioterapia na Doença de Parkinson 10


CLASSIFICAÇÃO

 Parkinsonismo primário ou idiopático:

É a Doença de Parkinson verdadeira, corresponde a 75% de


todas as formas de parkinsonismo.

 Parkinsonismo secundário:

É quando o parkinsonismo tem uma causa definida – pós-


encefalítico, medicamentoso, arteriosclerótico e tóxico.
Fisioterapia na Doença de Parkinson 11
CLASSIFICAÇÃO

 Parkinsonismo-plus:
Forma mais incapacitante de parkinsonismo, pois o processo
degenerativo não acomete apenas a substância negra, afetando
outras áreas cerebrais. A progressão costuma ser mais rápida, e as
medicações antiparkinsonianas não são tão eficazes como na DP.

 Parkinsonismo associado a outras doenças degenerativas:


Algumas doenças degenerativas podem evoluir com sinais de
parkinsonismo, como Doença de Huntington, Doença de
Hallervorden-Spatz, Distonia e Doença de Wilson
Fisioterapia na Doença de Parkinson 12
FATORES DE RISCO

 Idade
 Gênero masculino
 Residir em zona rural ou ambientes tóxicos
 Hereditariedade

Fisioterapia na Doença de Parkinson 13


DIAGNÓSTICO

Critérios
Bradicinesia

 Não existe teste diagnóstico


+
Rigidez
Ou
 É essencialmente clínico Tremor de repouso
Ou
Instabilidade postural não causada
por distúrbios visuais, vestibulares,
cerebelares ou proprioceptivos

Fisioterapia na Doença de Parkinson 14


DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

História
Demência
definida de
precoce
encefalite

Resposta
História de Tto prévio negativa ao
trauma com Sinais Levodopa
craniano neurolépti Quadro cerebelares
cos clínico
unilateral
após 3
anos

Fisioterapia na Doença de Parkinson 15


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Sintomas Iniciais – Pré-motores

 Constipação

 Déficit olfativo

 Depressão/ansiedade

Fisioterapia na Doença de Parkinson 16


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Sinais Cardinais – Sintomas motores

 Tremor em repouso (assimétrico)

 Rigidez – roda denteada

 Bradicinesia/acinesia

 Instabilidade postural
Fisioterapia na Doença de Parkinson 17
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Sintomas motores

 Hipomimia - Face em máscara


 Disartria e disfagia
 Micrografia
 Alterações no aparelho respiratório

Fisioterapia na Doença de Parkinson 18


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Sintomas motores

 Alteração do equilíbrio e da postura

 Alteração da marcha

 Incapacidade funcional

Fisioterapia na Doença de Parkinson 19


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Sintomas não -motores

 Distúrbios autonômicos:
- Sudorese excessiva/pele oleosa
- Incontinência urinária  Distúrbios neuropsiquiátricos:
- Disfunção sexual
- Hipotensão ortostática
- Anedonia
- Ansiedade e Apatia
 Distúrbios do sono: - Disfunção executiva
- Movimentos periódicos - Disfunção visuoespacial
- Insônia - Comportamentos compulsivos
- Despertar frequente
- Sonolência diurna excessiva
Fisioterapia na Doença de Parkinson 20
COMPLICAÇÕES

 Demência

 Broncopneumonia

 Alto risco de quedas

 Dor

 Úlcera de decúbito

Fisioterapia na Doença de Parkinson 21


ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR
NEUROLOGISTA

ASSISTENTE FISIOTERAPEUTA
SOCIAL

PACIENTE
FAMÍLIA
CUIDADOR TERAPEUTA
ENFERMEIRO
OCUPACIONAL

PSICÓLOGO FONOAUDIÓLOGO

Fisioterapia na Doença de Parkinson 22


ANAMNESE

 QP: O que o(a) levou a procurar ajuda?

 HDA: Como surgiu? Quando? Quais os sintomas?

 História Pregressa: TC? Encefalite? Intoxicações?


AVALIAÇÃO
 História familiar: DP? Doenças neurodegenerativas?

 Comorbidades: diabetes, HAS, demência.

 Hábitos de vida: alimentação, atividade física,


ocupação.

Fisioterapia na Doença de Parkinson 23


EXAME FÍSICO

 Inspeção global

Estado Padrão
AVALIAÇÃO Mental Postural
(MEEM – 1994)

Forma de
Locomoção

Fisioterapia na Doença de Parkinson 24


EXAME FÍSICO

 Inspeção local

Coloração da pele Edema


AVALIAÇÃO
Deformidades Trofismo

Úlcera de decúbito

Fisioterapia na Doença de Parkinson 25


EXAME FÍSICO

 Palpação
Tônus muscular – Escala de Ashworth

AVALIAÇÃO
Hipertonia
Distonia
Hipotonia

Fisioterapia na Doença de Parkinson 26


EXAME FÍSICO

Dor

ADM ativa e passiva


AVALIAÇÃO
Força muscular

Manobras deficitárias

Sensibilidade: superficial, profunda e cortical


combinada
Fisioterapia na Doença de Parkinson 27
EXAME FÍSICO

Atividade reflexa

Coordenação e equilíbrio
- Romberg
AVALIAÇÃO Funcionalidade

Marcha

Fala

Fisioterapia na Doença de Parkinson 28


EXAME FÍSICO

 Instrumentos :

Escala de Hoehn e Yahr Modificada – Estágios de


Incapacidade da DP
AVALIAÇÃO Escala de atividade de Parkinson – Problemas
funcionais nos estágios moderado e grave da DP

Escala de Equilíbrio de Berg – Avaliação do equilíbrio


de idosos
Time Up and Go test – Preditor de quedas

Fisioterapia na Doença de Parkinson 29


Qualidade de vida

Escala para qualidade de vida na DP – PDQ39

AVALIAÇÃO
FISIOTERAPÊUTICA
Escala de Depressão Geriátrica

Questionário de Qualidade de vida na DP - PDQL

Fisioterapia no AVC 30
PROGNÓSTICO

 Início do Tto
 Medicação
 Hábitos de vida
 Idade
 Comorbidades
 Participação da família

Fisioterapia na Doença de Parkinson 31


TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

 Inicialmente: Levodopa – redução da rigidez e tremor

Uso prolongado por mais de 10 anos:


- Pode acelerar degeneração
- Pode causar discinesia

 Agonistas de dopamina – estimulam os receptores dopaminérgicos


do corpo estriado.

 Anticolinérgicos – inibem a produção de acetilcolina e reduzem


tremores

Fisioterapia na Doença de Parkinson 32


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO
OBJETIVOS
 Prevenir contraturas, deformidades, úlceras de decúbito e complicações
respiratórias

 Inibir rigidez

 Fortalecer musculatura

 Ganhar ADM

 Melhorar o equilíbrio postural e a coordenação

 Melhorar a marcha

 Facilitar AVD’s
Fisioterapia na Doença de Parkinson 33
TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Alongamentos - grupos flexores

 Fortalecimento – musculatura extensora

Fisioterapia na Doença de Parkinson 34


 Intervenção: exercício resistido
progressivo
https://doi.org/10.1016/S1836-9553(13)70141-3
 Avaliação: Força muscular e medidas
de desempenho físico: TC6, Timed UP
and Go, etc.

 Resultado: Aumento da força


muscular e melhora da marcha

Fisioterapia na Doença de Parkinson 35


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Treino de transferências:

- Rolar (mudanças de decúbito)


- Sentar
- Transferência de peso
- Ficar em pé

Fisioterapia na Doença de Parkinson 36


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Método Bobath: inibir padrões anormais e estimular


padrões normais

 Exercício de Ponte

 Tapping

Fisioterapia na Doença de Parkinson 37


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Kabat:

- Cintura escapular (póstero-depressão/póstero-elevação)


- MS – primitiva - D2 (flexão-abdução-rotação externa)

Fisioterapia na Doença de Parkinson 38


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Kabat:

- MI – funcional – D1 (flexão-adução-rotação externa)


- MI – primitiva – D2 (flexão-abdução-rotação interna)

Fisioterapia na Doença de Parkinson 39


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Treino de equilíbrio e controle postural:

- Transferência de peso
- Reação de equilíbrio
- Pequenos deslocamentos – grandes deslocamentos
- Circuitos

Fisioterapia na Doença de Parkinson 40


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Treinamento funcional:

- Sentar – ficar de gato – engatinhar – ficar de joelhos – ficar de pé


- Deslocar-se, agarrar, manusear, mover, soltar

Fisioterapia na Doença de Parkinson 41


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Condutas respiratórias:

- Manobras de reexpansão pulmonar


- Cinesioterapia respiratória

Fisioterapia na Doença de Parkinson 42


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Treinamento de AVD’s:  Fazer adaptações

- Alcance  Orientar paciente e familiares


- Preensão
 Dispositivos auxiliares
- Manipulação
- Coordenação bimanual

Fisioterapia na Doença de Parkinson 43


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Treino de marcha:

- Barra paralela
- Escada de canto
- Obstáculos
- Suporte parcial de peso

Fisioterapia na Doença de Parkinson 44


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

Topics in Geriatric Rehabilitation 30(4):290 · January 2014

 Resultado:

Em relação à fadiga, a cadência, velocidade da


marcha mostrou uma diferença estatisticamente
significante entre o grupo controle e o grupo
BWSTT.
Fisioterapia na Doença de Parkinson 45
TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Realidade Virtual:

- Equilíbrio
- Coordenação
- Força muscular

Fisioterapia na Doença de Parkinson 46


Arq Neuropsiquiatr 2018;76(2):78-84

 Resultado:

Melhora significativa do equilíbrio e da capacidade


funcional

Fisioterapia na Doença de Parkinson 47


TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

 Hidroterapia

- Bad ragaz
- Halliwick
- Hidrocinesioterapia

Fisioterapia na Doença de Parkinson 48


 Resultado: Depois da FA, houve uma redução
significativa (p<0,0001) do escore total do PDQ-39,
e em todos os três estágios da DP avaliados. Essa
redução foi maior nos pacientes do estágio 3.

A FA proporcionou uma melhora na qualidade de vida


dos pacientes com doença de Parkinson

Fisioterapia na Doença de Parkinson 49


REFERÊNCIAS
 CARR, J. H; SHEPHERD, R. B. Reabilitação neurológica: otimizando o
desempenho motor. São Paulo: Manole, 2008.

 UMPHRED, D. A. Reabilitação neurológica. 5 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

 BARBOSA, M. T.; et. al. Parkinsonism and Parkinson's disease in the elderly: A
community‐based survey in Brazil (the Bambuí study). Movement Disorders. 21(6):
800-808, 2006.

 LINDQUIST, A. R. R.; et al. Progressive resistance exercise improves strength and


physical performance in people with mild to moderate Parkinson’s disease: a
systematic review Journal of Physiotherapy, 59: 7-13, 2013.

Fisioterapia na Doença de Parkinson 50


REFERÊNCIAS
 LIMONGI, J. C. P. Principais sintomas, causas e formas clínicas. In: LIMONGI, J. C. P.
Conhecendo melhor a Doença de Parkinson: Uma abordagem multidisciplinar
com orientações práticas para o dia-a-dia. São Paulo, SP: Plexus, 2001. p. 13-35.

 TAKANO, L. L.; et al. Effect of the Body Weight Support Associated to Treadmill
Approach in Parkinson Disease. Topics in Geriatric Rehabilitation, 30(4): 290-
295, 2014.

 SEVERIANO, M. I. R.; et al. Effect of virtual reality in Parkinson’s disease: a prospective


observational study. Arq Neuropsiquiatr 76(2):78-84, 2018.

 SILVA, D. M.; et al. Efeitos da fisioterapia aquática na qualidade de vida de


sujeitos com doença de Parkinson. Fisioter Pesq. 20(1):17-23, 2013.
Fisioterapia na Doença de Parkinson 51
Estudo de caso

 Paciente P. A. F., sexo masculino, 68 anos, casado, aposentado, hipertenso, com


antecedentes familiares de Doença de Parkinson (primo de 2º grau e um tio),
possui diagnóstico de Parkinson há 5 anos, fazendo tratamento com levodopa e
anticolinérgicos, chega a Clínica de Fisioterapia na UEPB apresentando
apresentando tônus rígido, tremor de repouso bilateral, força muscular reduzida,
déficit de equilíbrio estático e dinâmico, instabilidade na transferência de peso,
marcha festinante e ADM reduzida. Diante deste caso, qual o diagnóstico
cinético-funcional e o tratamento fisioterapêutico adequado para esta paciente?