Você está na página 1de 19

REVOLUÇÃO INGLESA


RESUMO
• A Revolução Inglesa é um processo histórico ocorrido na Inglaterra,

Escócia e Irlanda no século XVII e trata-se de um conjunto de guerras civis e

mudanças de regime político que marcaram a ascensão da burguesia na

Inglaterra.

• deve-se entender tal revolução não como um fato isolado da história da


Inglaterra, e sim como o culminar de movimentos que se sucedem ao longo do
século XVII contra o Absolutismo Monárquico reinante até então e conhecidos
globalmente como, revoluções Inglesas. O êxito das Revoluções Inglesas inspira o
pensamento liberal no país, sobretudo com John Locke, no final do século XVII.
No século seguinte, as ideias são levadas ao restante da Europa, sobretudo para a França,
inspirando outros movimentos.
ANTECEDENTES

As Revoluções Inglesas devem ser compreendidas a partir de diversas transformações econômicas e sociais por que passa o país no

início do século XVII, incompatíveis com a situação política vigente.

1º) Um rápido crescimento econômico-financeiro da burguesia, a partir da aceleração do modo de produção do setor manufatureiro,

conjugado com a intensificação das relações comerciais, inclusive com as colônias, durante a Idade Moderna.

2º) A afirmação da Igreja Anglicana, incorporando as antigas terras da Igreja Católica, distribuídas entre a burguesia e a "gentry"

(recente nobreza de "status" que se opunha aos pares, nobreza tradicional latifundiária, de raízes feudais e identificados com a

monarquia absolutista).
3º) Um agravamento das diferenças sociais, gerando conflitos de natureza política, pelos interesses antagônicos que se chocam. Tem-

se como exemplo, de um lado, os pares, e, de outro, diversos grupos, alguns novos, como a burguesia, a gentry, e os yeomen,

(pequenos e médios proprietários rurais) e os jornaleiros (trabalhadores rurais ou urbanos que vendem seu dia de serviço).

4º) A implantação de uma estrutura absolutista de governo, pela Dinastia dos Stuarts, no poder a partir de

1603, com os reinados de Jaime I e Carlos I. O poder centralizado, o governo autoritário e os privilégios concedidos aos pares são

incompatíveis com as reivindicações da burguesia em ascensão e dos grupos que se consideram marginalizados na sociedade. Tais

grupos clamam por mudanças e o caminho é pressionar os Stuarts através do Parlamento. Assim, observa-se uma crescente

divergência entre o Parlamento, com interesses anti-absolutistas, e o rei.


REVOLUÇÃO PURITANA E GUERRA CIVIL
• Durante o reinado de Charles I houve uma disputa acirrada entre o rei e o Parlamento.

• O monarca julgava que somente o rei deveria dirigir a nação, dispensando a ajuda das câmaras parlamentárias. Devido a esta briga,
Charles I dissolveu o Parlamento três vezes em 4 anos de reinado.

• No entanto, ele tinha o desejo de unificar as igrejas da Escócia e da Inglaterra, impondo aos escoceses o Book of Common Prayer. A
igreja da Escócia se rebela contra esta ordem e o rei decide entrar em guerra contra os opositores.

• Mas, para isso, precisava de dinheiro e este deveria ser autorizado pelo Parlamento. Seguiu-se, então, uma disputa sobre quem deveria ter
autorização para aumentar impostos: o rei que tinha o direito divino de governar? Ou o Parlamento que representava alguns setores da nação?

• Após muitas ameaças, o rei e o Parlamento organizam exércitos que se enfrentam em guerra civil e culminam na derrota do rei Charles I.
Condenado, sua morte abriu espaço para a primeira e única experiência republicana inglesa.
REVOLUÇÃO PURITANA E GUERRA CIVIL

• Carlos I
Rei da Inglaterra, Escócia e Irlanda

Retrato por Antoon van Dyck, 1636

Casa: Stuart

Escócia, 19 de novembro de 1600, Inglaterra, 30 de


janeiro de 1649

Seu reinado durou de 1625 até sua execução em janeiro


de 1649.
REPÚBLICA DE OLIVER CROMWELL

• Oliver Cromwell

1º Lorde Protetor da comunidade da Inglaterra,


Escócia e Irlanda

Período: 25 de dezembro de 1653 a 3 de


setembro de 1658

Nascimento: 25 de abril de 1599,

Morte: 3 de setembro de 1658


• Após a execução de rei Charles I, Oliver Cromwell, antigo membro do Parlamento, assume o governo
britânico. A monarquia foi abolida e, entre 1649 e 1653, o país tornou-se uma república (denominada
Commonwealth of England), mais de cem anos antes da Revolução Francesa.

• Em 1650, ele estipulou os Atos de Navegação, que determinava que os produtos ingleses deveriam ser
transportados somente por navios de bandeira inglesa. Isto dispensava navios de outra nacionalidade e
fomentava a indústria naval interna.

• Fecha o Parlamento em 1653.


manda prender e executar os chefes do Exército burguês que ele mesmo mandara formar.

• Seu filho, Richard, o sucede no governo.

• A própria burguesia pede a volta da monarquia.


PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

• Proclamação de uma República ditatorial.

• Desenvolvimento da marinha britânica.

• Vitória na guerra naval contra os holandeses.

• "Questão da Irlanda" - matança de católicos oposicionistas na Irlanda.

• Publicação do Ato de Navegação de 1651, determinando que o comércio entre a Inglaterra e as


suas colônias deve ser efetuado em barcos ingleses
RESTAURAÇÃO DA DINASTIA STUART

• Carlos II de Inglaterra

• Retrato por John Michael Wright.

• Rei da Inglaterra, Escócia e Irlanda

• Reinado: 29 de maio de 1660 a 6 de fevereiro de


1685
Restauração da Dinastia Stuart
• Os irmãos Charles e Jaime restauraram a família Stuart no trono inglês

• Com a restauração dos Stuart, os problemas religiosos e políticos não acabam.

• O rei Charles II era abertamente favorável a uma política de tolerância religiosa, mas o Parlamento,
dominado pelos protestantes era contra.

• O soberano assina leis que favorecem a Igreja Anglicana em detrimento de outras correntes do
protestantismo e da Igreja Católica.
A volta dos Stuarts é explicada, sobretudo, pelo caráter autoritário do
governo Cromwell e pelo temor das elites (nobreza e burguesia) diante
da ameaça de radicalização revolucionária proposta pelos niveladores
(Ievellers), que propunham o voto universal e a redivisão das
propriedades.
REVOLUÇÃO GLORIOSA (1688)

• • Guilherme III de Inglaterra

• Retrato por Godfrey Kneller, 1690

• Rei da Inglaterra, Escócia e Irlanda

• Príncipe de Orange e Conde de Nassau


• com a Revolução Gloriosa, Guilherme III assume o governo inglês

• Guilherme participou de várias guerras contra o poderoso rei católico Luís XIV de França em
colisão com potências europeias protestantes e católicas. Vários protestantes o consideravam um
defensor de sua fé.

• Guilherme se tornou um forte candidato ao trono inglês depois de seu casamento caso seu sogro e
tio Jaime fosse excluído da sucessão por ser católico.
• A Revolução Gloriosa encerra um período de revoluções na Inglaterra iniciado pela Revolução
Puritana.

• Religião e política estavam intimamente ligadas nesta época. A crença do indivíduo determinava a sua
posição política e por isso era tão importante definir qual seria a religião do reino e do soberano.

• Por isso, a burguesia só via com bons olhos o fortalecimento da religião protestante que defendia a
limitação do poder do monarca através do Parlamento.
• Desta maneira, o católico Jaime II sempre foi visto com desconfiança. O Parlamento conspira para
que o trono seja entregue a seu sobrinho Guilherme que havia se casado com sua filha, a princesa
Maria II.

• Jaime II foge para França. Por sua vez, Guilherme e Maria são recebidos como reis na Inglaterra.
Em seguida, é instituída a monarquia parlamentarista que limita consideravelmente o poder do
soberano no governo.
características.
• Aprovação pelo Parlamento das contas reais.

• Apenas o Parlamento cria novos impostos.

• Liberdade de imprensa.

• Autonomia do Poder Judiciário.

• Garantia das propriedades pelo Estado (exemplificando o caráter burguês do movimento).

• Católicos afastados do trono.


SIGNIFICADOS
• Queda dos Stuarts e fim definitivo do absolutismo inglês.

• 1ª Revolução Liberal que alcança êxito.

• Adoção, com a ascensão de Guilherme III, do Parlamentarismo, modelo no qual o governo se transfere do
rei para o chefe do Parlamento (1º Ministro).

• Revolução Burguesa, considerando que a classe ocupa os postos parlamentares.

• A burguesia, conquista os poderes políticos até então nas mãos de monarcas absolutistas.

• Consolidação do liberalismo político e econômico no século XVIII, conforme já mencionado.