Você está na página 1de 18

DIREITOS SEXUAIS E

REPRODUTIVOS
DIREITOS REPRODUTIVOS

“Os direitos reprodutivos abrangem certos direitos humanos já reconhecidos em leis


nacionais, em documentos internacionais sobre direitos humanos, em outros documentos
consensuais. Esses direitos se ancoram no reconhecimento do direito básico de todo casal e de
todo indivíduo de decidir livre e responsavelmente sobre o número, o espaçamento e a
oportunidade de ter filhos e de ter a informação e os meios de assim o fazer, e o direito de
gozar do mais elevado padrão de saúde sexual e reprodutiva. Inclui também seu direito de
tomar decisões sobre a reprodução, livre de discriminação, coerção ou violência.” (§ 7.3).
A POLÍTICA DO PLANEJAMENTO
FAMILIAR

A política do planejamento familiar vem sendo desenvolvida pelo Ministério da Saúde em parceria
com estados, municípios e sociedade civil organizada, no âmbito da atenção integral à saúde da
mulher, do homem e dos(as) adolescentes, enfatizando-se a importância de juntamente com as
ações de planejamento familiar promover-se a prevenção do HIV/Aids e das outras doenças
sexualmente transmissíveis (DST).
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007, estão as
seguintes:

1. Ampliação da oferta de métodos anticoncepcionais reversíveis no SUS:

 Disponibilização da pílula anticoncepcional de emergência na atenção básica, de modo que não fique
restrita apenas aos serviços de referência para mulheres vítimas de violência sexual.
 o DIU e o diafragma, na atual estratégia, recebem o kit complementar com os métodos
anticoncepcionais.
 Essa proposta compreende, também, a expansão do leque de opções contraceptivas, com a aquisição
do diafragma e do anticoncepcional hormonal injetável mensal.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

2. Elaboração e distribuição de manuais técnicos e de cartilhas educativas:

 Cartilhas - “Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos”


Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

3. Capacitação dos profissionais de saúde da atenção básica para assistência em planejamento


familiar:
 O Ministério da Saúde, com o objetivo de apoiar e subsidiar as capacitações dos profissionais
de saúde, elaborou, em parceria com a FEBRASGO, material sobre: Enfrentamento da
Violência e da Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, assistência em planejamento
familiar, assistência pré-natal, assistência humanizada à mulher em situação de abortamento e
no pós-abortamento, climatério, violência sexual e doméstica, urgências e emergências
obstétricas e atenção humanizada e baseada em evidências científicas ao parto e ao nascimento
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

4. Seminário para Pactuação da Política Nacional para Atenção Integral à Saúde da Mulher:

 O Seminário para Pactuação da Política Nacional para Atenção Integral à Saúde da Mulher,
dirigido às Coordenações de Saúde da Mulher estaduais, das capitais e dos municípios pólos.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

5. Atenção em reprodução humana assistida na rede SUS:

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) coordenou um grupo de trabalho para


elaboração de proposta de normatização para o funcionamento dos bancos de células e tecidos
germinativos.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

6. Ampliação do acesso à esterilização cirúrgica voluntária no SUS:

 Aumentar em todos os estados, o número de serviços credenciados para a realização de


laqueadura tubária e vasectomia, em conformidade com a Lei n.º 9.263/96, que regulamenta o
planejamento familiar.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

7. Ampliação do Programa Saúde e Prevenção nas Escolas:

 Reforçar a qualificação e a formação continuada dos professores do ensino fundamental e


médio em atividades de prevenção às DST/HIV/Aids e à gravidez precoce, prevendo, em sua
proposta inicial, a disponibilização de preservativos masculinos de 52mm a adolescentes de 13
a 24 anos, sexualmente ativos, matriculados no ensino regular da rede pública.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

8. Termo de cooperação com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres:

 Foi assinado termo de cooperação com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, que
definiu a criação de Grupo de Trabalho Interministerial sobre Saúde Sexual e Reprodutiva.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

9. Elaboração de documento sobre saúde sexual e reprodutiva para os países do Mercosul:

 Esse Documento tem como fundamentação o conceito de saúde sexual e reprodutiva como
componente dos Direitos 19 Humanos e propõe o desenvolvimento de políticas comuns que
contemplem as necessidades de mulheres e homens.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

10. Apoio e desenvolvimento de pesquisas:

 Essa Pesquisa irá apresentar dados atualizados, análises e possibilidade de estudos sobre
tendências e mudanças ocorridas nos últimos anos em relação à saúde sexual e reprodutiva.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

11. Atenção à saúde sexual e à saúde reprodutiva de adolescentes e jovens :

 A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes e de Jovens, que se encontra


em fase final de elaboração, define a saúde sexual e a saúde reprodutiva como uma das três
linhas prioritárias de ação, a partir do reconhecimento das questões de maior relevância na
atenção à saúde de adolescentes e jovens.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

12. Atenção à saúde de homens e mulheres em situação de prisão:

 Identifica-se a necessidade de acesso da população presidiária às ações de atenção à saúde,


incluindo a saúde sexual e reprodutiva. Foi instituído, pelos Ministérios da Saúde e da Justiça,
por meio da Portaria Interministerial n.º 1777, de 9 de setembro de 2003, o Plano Nacional de
Saúde no Sistema Penitenciário, que tem como objetivo prover a atenção integral à saúde da
população penitenciária brasileira.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

13. Implantação e implementação de serviços para atenção às mulheres e adolescentes vítimas de


violência sexual e doméstica e para atenção humanizada às mulheres em situação de
abortamento:

 Com relação à violência sexual e doméstica contra mulheres e adolescentes, está sendo
implementado projeto das redes integradas de atenção à violência, uma parceria entre o
Ministério da Saúde, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e a Secretaria Nacional
de Segurança Pública, do Ministério da Justiça.
Propostas e Diretrizes (2005 e 2007)

Entre as prioridades e ações propostas pelo Ministério da Saúde para o período de 2005 a 2007,
estão as seguintes:

14. Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal:

 A proposta de realização do Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal


foi lançada e consiste na execução de um conjunto de ações articuladas, das diferentes esferas
de governo, pela qualificação da atenção obstétrica e neonatal, em parceria com outros órgãos
de governo e entidades da sociedade civil organizada.
PLANEJAMENTO FAMILIAR NA PAUTA
GOVERNAMENTAL

 Entendendo o planejamento familiar como direito do(a) cidadão(ã) e dever do Estado, a política
do planejamento familiar tem sido colocada como prioridade pelo Presidente da República em
vários pronunciamentos públicos e pelo Ministério da Saúde. Além disso, a implementação
dessa política é demanda crescente da sociedade e tem sido monitorada pela sociedade civil.
 A assistência em planejamento familiar deve incluir acesso à informação e a todos os métodos e
técnicas para concepção e anticoncepção, cientificamente aceitos, e que não coloquem em risco
a vida e a saúde das pessoas, de acordo com a Lei do Planejamento Familiar, Lei n.º
9.263/1996