Você está na página 1de 6

Estudo da cinética da reação de decomposição da água

oxigenada catalisada por FeCl3


Felipe Luiz Queiroz Ferreira, Lívia Ribeiro de Souza
Cinética Química
UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais
Belo Horizonte, 02 de abril de 2009

Introdução

O peróxido de hidrogênio foi isolado pela primeira vez em 1918 por Loius Jacques
Thenard que reagiu peróxido de bário com ácido nítrico. Por causa de sua instabilidade,
muito pouco desse composto é encontrado na natureza.

Atualmente o peróxido de hidrogênio é produzido pela autoxidação do 2-etil-9,10-


diidroxiantraceno a 2-etilantraquinona (Fig. 1), utilizando oxigênio do ar (processo Riedl-
Pfleiderer). Em 2006 foram produzidos 2.2 milhões de toneladas de peróxido para fins
domésticos ou industriais como a produção de papel.

Figura 1 – Processo Riedl-Pfleiderer para síntese de peróxido de hidrogênio.

Objetivo

Determinar a lei cinética e a constante de velocidade da reação de decomposição da água


oxigenada catalisada por FeCl3.

Parte experimental

Colocamos 5 mL de solução de ácido sulfúrico em sete erlenmeyers. Em um erlenmeyer


colocamos 100 mL de solução de peróxido de hidrogênio e adicionamos 10 mL de solução
de cloreto férrico. O cronômetro foi acionado quando 5 mL do catalisador foram
adicionados. Aguardamos por aproximadamente 7 minutos.

Foram retiradas alíquotas de 5 mL de dois em dois minutos e adicionadas a um


erlenmeyer contendo a solução de acido sulfúrico, e então submetidas a titulação com
permanganato de potássio.

1
Resultados e discussão

A água oxigenada se decompõe lentamente de acordo com a equação:

H2O2 Æ H2O + ½ O2.

Para estudos cinéticos, o processo de decomposição é acelerado com adição de um


catalisado, por exemplo um ácido de Lewis como o cloreto férrico. A reação se processa
por um caminho alternativo com menores energias de ativação, acelerando o tempo de
decomposição do peróxido de hidrogênio, de acordo com as equações:

H2O2(aq) + FeCl3(aq) Æ [H2O2...FeCl3](aq)


amarelo forte marrom

[H2O2...FeCl3](aq) Æ H2O(l) + ½ O2(g) + FeCl3(aq)

Na presença do ácido sulfúrico a decomposição volta a se processar lentamente, pois este


reage com o complexo molecular quebrando-o, transformando o cloreto férrico em sulfato
e acidificando o meio para a titulação com permanganato de potássio é de acordo com a
reação:

2MnO4- + 6H+ + 5H2O2 Æ 2Mn2+ + 8H2O + 5O2

Para uma reação de 1°ordem temos que:

- d[H2O2]/dt = k[H2O2]
[H2O2]-1d[H2O2] = - k dt
Integrando:
ln [H2O2] = -kt + constante
constante = ln[H2O2]0

ln([H2O2]/[ H2O2]0) = -kt (lei da velocidade integrada) (1)

Onde [H2O2]0 é a concentração de peróxido no instante em que foi acrescentado o


catalisador. Conhecendo a concentração do permanganato é possível saber a concentração
do peróxido em solução.

Tendo o volume do titulante em diferentes tempos e utilizando sempre alíquotas com o


mesmo volume a lei da velocidade integrada (1) fica

ln(V/V0) = -kt (2)

onde V é o volume do titulante.

2
Podemos considerar [H2O2]/[ H2O2]0 = V/V0 pois, [H2O2]= (5/2) x [KMnO4] x V
e [H2O2]0 = (5/2) x [KMnO4] x V0 então os termos em comum se cancelam. E podemos
achar a constante de velocidade plotando o gráfico de ln(V) versus t.

Tabela 1 – Dados cinéticos da reação de decomposição do peróxido de hidrogênio, para


construção da reta de primeira ordem.

Tempo Volume ln Volume Concentração ln conc.


(s) KMnO4 (mL) KMnO4 (mL) H2O2 (mol.L-1) H2O2
405 19 2,94444 0,076 -2,57702
527 14,7 2,68785 0,0588 -2,83361
645 10,7 2,37024 0,0428 -3,15122
768 8,1 2,09186 0,0324 -3,4296
888 6,6 1,88707 0,0264 -3,63439
1010 5,3 1,66771 0,0212 -3,85375
1144 4,2 1,43508 0,0168 -4,08638

-2,4
Y=A+B* X

Parameter Value Error


-2,8 ----------------------------------------------
A -1,78408 0,06101
B -0,00206 7,55536E-5
----------------------------------------------
-3,2
R = -0,99664
ln [H2O2]

-3,6

-4,0

400 600 800 1000 1200

Tempo (s)

Gráfico 1 – Gráfico do logaritmo da concentração de peróxido de hidrogênio versus o


tempo.

3
3,0 Y=A+B*X

2,8 Parameter Value Error


------------------------------------------------
2,6 A 3,73739 0,06102
B -0,00206 7,55557E-5
2,4 ------------------------------------------------
ln VKMnO4
R = -0,99664
2,2

2,0

1,8

1,6

1,4

300 400 500 600 700 800 900 1000 1100 1200
Tempo (s)

Gráfico 2 – Gráfico do logaritmo do volume de titulante versus o tempo

Considerando que a reação seja de primeira ordem, a reta apresenta um R2= 0,99329, com
k = 0,00206s-1, em ambos os gráficos, confirmando que não faz diferença se o a reta é
construída com os valores do volume de permanganato ou com o volume de peróxido.
Pela equação da reta, A = ln[H2O2]0, portanto, a concentração do peróxido no instante t =
0s é 0,168mol.L-1, valor bem próximo da concentração original (0,16mol.L-1, erro de 5%).

O tempo de meia vida pode ser calculado pela equação t1/2 = ln2/K, logo o tempo de meia
vida é 336s.

Pressupondo que a reação seja de segunda ordem, a velocidade é proporcional ao


quadrado da concentração de peróxido:

v = k[H2O2]2

Os dados do inverso relativos a uma reação de segunda ordem são apresentados na tabela
2 e no gráfico 3.

4
Tabela 2 – Dados cinéticos da reação de decomposição do peróxido de hidrogênio, para
construção da reta de segunda ordem.

Tempo Volume Concentração


(s) KMnO4 (mL) H2O2 (mol.L-1) 1/ H2O2
405 19 0,076 13,16
527 14,7 0,0588 17
645 10,7 0,0428 23,36
768 8,1 0,0324 30,86
888 6,6 0,0264 37,88
1010 5,3 0,0212 47,17
1144 4,2 0,0168 59,52

Y=A+B*X
0,25

Param. Value Error


-------------------------------------------------
A -0,06175 0,01285
0,20
B 2,50253E-4 1,59142E-5
-------------------------------------------------
1/[H2O2]

0,15 R = 0,99004

0,10

0,05

300 400 500 600 700 800 900 1000 1100 1200

Tempo (s)

Gráfico 3 – Gráfico do inverso da concentração de peróxido de hidrogênio versus o tempo.

A reta de uma equação de segunda ordem no Gráfico 3 possui um R2=0,9802, valor menor
que o encontrado no Gráfico 1, portanto a reação é de primeira ordem.

Conclusões

A reação de decomposição do peróxido de hidrogênio é uma reação de primeira ordem,.


Com k = 0,002s-1.

Referências

- Hydrogen peroxide. Disponível em < http://en.wikipedia.org/wiki/Hydrogen_


peroxide#cite_note-HageLienke-6>, acesso em 2 de abril de 2009.

5
- Atkins, P; de Paula, J Físico-química, vol. 3.

- Miranda-Pinto. C.O.B; Souza. E; Manual de Trabalhos Práticos de Físico-Química; Editora


UFMG