P. 1
PCGuia0805-Maio

PCGuia0805-Maio

|Views: 1.761|Likes:
Publicado porRodrigo Silva

More info:

Published by: Rodrigo Silva on Apr 25, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/11/2014

pdf

text

original

EDITORIAL

PCG
Director Pedro Tróia Editor João Trigo Redacção Susana Esteves, João Pedro Faria, Carlos Marçalo, Cláudia Sargento, Luísa Dâmaso Revisão Teresa Resende Arte Hélio Falcão (Director Adjunto) e João Carlos Pinto Coelho Colaboradores Texto Susana Rodrigues, Patrícia Grilo, José Luís Porfírio, Paulo Barbosa, Artur Martins, Leonel Miranda e Ana Gonçalves Imagem João Paulo António (ilustração da capa), António Moutinho, Vitor Gordo (fotos) Secretária de Redacção Lurdes Marujo lurdesmarujo@revistas.cofina.pt Produção Gráfica Carlos Dias (Coordenador), Jorge Fernandes, José Carlos Freitas, Paulo Glória, Paulo Fernandes, Carlos Campos e Fátima Mesquita (Assistente) Circulação Madalena Carreira (Coordenadora), Jorge Gonçalves e Denise Amorim Publicidade Virgínia Melo virginiamelo@revistas.cofina.pt (Directora Comercial de Divisão) Ana Castro acastro@revistas.cofina.pt (Directora de Publicidade); Bruno Guedes brunocosta@pcguia.cofina.pt (Gestor de Conta); Daniela Correia danielacorreia@pcguia.cofina.pt (Gestor de Conta); Fátima Malaca fmalaca@revistas.cofina.pt (Coordenadora de publicidade), Rute Dias rdias@revistas.cofina.pt e Susana Fernandes susanafernandes@cofina.pt (Assistentes de Publicidade) Marketing Sónia Santos, Miguel Barreto, Susana Ventura (Assistente) Assinaturas Margarida Matos email assine@cofina.pt Linha de Apoio a Assinaturas: Sandra Sousa, Ana Pereira e Filipa Cequeira Telefone directo 213 307 77, Av. João Crisóstomo, 72, Galeria, 1069-043 Lisboa Venda de Edições Anteriores Caso pretenda adquirir números anteriores desta revista contacte o 219 253 248 ou revistasanteriores@revistas.cofina.pt Distribuição de Assinaturas JMToscano, Tel: 214 142 909/34 Pré-impressão H2M - Artes Gráficas, SA
Av. Almirante Gago Coutinho, 44-A - 1700-031 Lisboa

Vista sem problemas
do mês de Março. O facto de as pessoas terem dispendido tanto tempo para que os seus sistemas com XP ficassem estáveis e rápidos >PEDRO TRÓIA DIRECTOR TROIA@PCGUIA.COFINA.PT também tem contribuído para a resistência à mudança. Windows Vista já saiu Mas há um aspecto comum a há mais de um ano e quase todos estes utilizadores: gostavam que o XP ainda há mais gente suportasse algumas das novas a usar o XP do que o novo funcionalidades do Vista, como, sistema. Isto fica a dever-se a vários problemas que assolaram por exemplo, a busca de o Vista desde o início e que só ficheiros e a busca dentro de ficheiros e o Aero. agora vão ser resolvidos Pois bem, a PCGuia mostra-lhe com o SP1 lançado no fim nesta edição como é que se transforma um sistema Windows XP em algo muito próximo do Vista sem formatar o disco. E ainda lhe oferecemos todo o software necessário no DVD. Na revista Digital encontra um artigo sobre papercraft, a arte de usar a impressora jacto de tinta para criar kits que se montam usando apenas cola e x-acto. Pode ainda ver 10 dos melhores vídeos sobre química que andam pela Net.

O

ESTE MÊS…

Impressão Lisgráfica, Impressão e Artes Gráficas, S.A., Rua Consiglieri Pedroso, 90-Casal de Santa Leopoldina-2745-553 Queluz de Baixo Capa Printover fornecido por Sarriópapel Distribuição VASP – Soc. de Transportes e Distribuição, Lda, Complexo CREL – Bela Vista/Rua da Tascoa, 4.º Piso – Massamá – 2745 Queluz

Directora Editorial Divisão Tecnologias Cristina Magalhães

>JOÃO TRIGO
EDITOR
Edirevistas Sociedade Editorial, S.A. grupo COFINA MEDIA – SGPS, SA
JOAOTRIGO@PCGUIA.COFINA.PT

...reconfigurei a minha rede doméstica. Ainda não estou a utilizar o Home Server da Microsoft, mas instalei um novo router sem fios e melhorei a encriptação e o alcance da rede wireless. Voltei a ter algum tempo para jogar na maior das

redes, e pude defrontar jogadores de todo o Mundo em «Wolfenstein: Enemy Territory». Montei um computador novo para a minha irmã, com refrigeração a água que o auxilie nas temperaturas elevadas que aí vêm.

Conselho de Administração Paulo Fernandes (Presidente), João Borges de Oliveira, Luís Santana, Laurentina Martins e António Simões Silva Directora de Arte Sofia Lucas Directora Comercial Olga Henriques Director de Produção Avelino Soares Directora de Marketing Maria João Costa Macedo Director Comercial Online José Manuel Gomes Director de Informática Rui Taveira Director de Recursos Humanos Nuno Mariz Directora Administrativa e Financeira Alda Delgado Director de Assinaturas João F. Almeida Director de Circulação Mário Rosário Directora de Research Ondina Lourenço Sede: Administração, Redacção, Publicidade: Avenida João Crisóstomo, 72, 1069-043 LISBOA. Telf.: 21 330 77 00; Fax: 21 330 77 99 Propriedade/Editora • EDIREVISTAS - SOCIEDADE EDITORIAL, SA • Capital social: €5.915.669 • CR.C.Lx n.° 500 061 130 • Contribuinte n.° 500 061 130 • Principal accionista: COFINA, SGPS, SA (99,46%) • N.º Registo E.R.C. 119 452 • Depósito legal: 97 116/96 • Tiragem média: 52 500 exemplares

...o meu telemóvel não parou de tocar ao fim do dia (e até mesmo noite dentro). Isto porque o reposicionamento de um dos players nacionais no mercado de acesso à Internet fez com que os outros “acordassem”. Uma vez que já fui cliente de três ISP, o meu número foi

muito solicitado e sempre com o mesmo mote: «Estamos a contactá-lo no sentido de lhe dar a conhecer as fantásticas promoções que estamos a oferecer na sua área de residência.» Só é pena que o >JOÃO FARIA meu actual ISP não me ligue nenhuma JORNALISTA agora... JFARIA@PCGUIA.COFINA.PT

>SUSANA ESTEVES
JORNALISTA
SUSANAESTEVES@REVISTAS.COFINA.PT

...montei um novo media center em casa, e posso dizer que até agora não tenho nada a dizer. A minha vida ficou simplificada e o acesso a todos os conteúdos faz-se em segundos. Só agora comecei a jogar «Uncharted:

Drake’s Fortune» e estou a adorar. Esta versão masculina da Lara Croft conseguiu conquistar a minha atenção e o meu muito escasso tempo livre. Acreditem que é preciso um grande jogo para me conseguir viciar.

MAIO 2008

3

Tire o máximo do seu Computador em casa

Regulares
06 18 50 128 Notícias Entrevista Top nacional Pergunte ao especialista

96

Software
>

Soluções
68 Utilize o PC de forma eficiente

>

Guias
76 88 92 Trace a melhor estratégia de backup Personalize os botões do seu blogue Arranque com Linux a partir de uma pen USB

Hardware
>

Guias
108 Construa um servidor a partir do seu velho PC 112 Maximize o desempenho da 8800GT 118 CrossFireX vs 3-Way SLI 126 Melhore o desempenho Wi-fi com papel

Internet
>

Do XP para o Vista à borla
Use o Windows XP e aproveite de graça o que o Vista tem de melhor em termos de visual e funcionalidades
Utilize o PC de forma eficiente

Guias
52 62 66 Combata as ameaças provenientes da Internet Bloqueie anúncios online Vá mais além com o Google Mail

92

Melhore o desempenho Wi-Fi com papel

Especial
130 Adquira ou construa um PC amigo do ambiente

68

Arranque com o Linux a partir de uma pen USB

126

4

MAIO 2008

Adquira ou construa um PC amigo do ambiente

Upgrade
>

Banco de Testes
20

Hardware
Asus G70 MSI X48 Platinum e Gigabyte GA-X48T-DQ6 Sistema Quad –SLI Asus WL-700gE HP PhotoSmart D7460 iPaq 614c Business Navigator Pinnacle Showcenter 250 HD Windows Home Server Tsunami Lenovo ThinkPad X300 Pixma iP2600 Mic P530-9300

Siga os conselhos da PCGuia e poupe dezenas ou até mesmo centenas de euros por ano

34

Hardware
Acronis True Image 11 Home Panda Antivirus + Firewall 2008 Registry Mechanic 7.0 AVG Internet Security 8.0

130 142
Blog do Gato

>

Braço-de-Ferro
42

CPUs
Intel Pentium Dual-Core E2180 2 GHz Intel Core E6750 2,66 GHz AMD Phenom 9600 2,3 GHz Intel Core 2 Q9550 2,83 GHz Intel Core 2 Extreme QX9650 3GHz Intel Core 2 Extreme QX9770 3,2GHz

The Club
Pode ser uma experiência de jogo muito apelativa, mas não acabará depressa de mais?

178

Assistência técnica
140 Formação

Entretenimento
16 Lançamentos 130 Jogos The Club Conflict: Denied OPS Penumbra: Black Plague

Shopping
154 Engenhocas 158 Sugestões

5 Demos no DVD
>

Destaque
Astro Avenger Galactic Command Imperium Romanum Tale of a Hero Sins of a Solar Empire

160 166 168 170 172 174

Notícias Entrevista Case Study

Opinião
Software de Gestão

Hotspot

159

MAIO 2008

5

NOTÍCIAS
PCG

>

Techdays 2008 marca pontos
Vítor Gordo

A Microsoft investiu um milhão de euros no evento e procedeu a alguns ajustes face ao modelo apresentado em anos anteriores
Microsoft apostou este ano num Techdays mais diversificado com uma área de exposição mais alargada e aberta a um público mais vasto. «Aposta ganha», garante a multinacional, apoiada no feedback dos profissionais e parceiros. Apesar de a temática que serviu de base a todo o evento ter sido o Ambiente, as atenções focaram-se no lançamento oficial em Portugal da nova geração de produtos de plataforma para aplicações e infra-estrutura: o Windows Server 2008, o Microsoft Visual Studio 2008 e o Microsoft SQL Server 2008. O último dia do evento fechou com o lançamento do Home Server. No caso do primeiro produto, a apresentação andou à volta daqueles que foram considerados os três pilares da nova versão deste Server: a segurança, a virtualização e a Web. Em traços gerais, a Microsoft promete uma plataforma mais fácil de gerir, mais abrangente e mais completa. Seguindo o tema que esteve na base da apresentação destas soluções profissionais a nível mundial – Heroes happen here –, a companhia convidou Rui Gomes, enquanto representante do Hospital de S. Sebastião, em Santa Maria da Feira, a dar o seu testemunho acerca das mais-valias retiradas da implementação de tecnologia Microsoft (.NET Framework 3.0) ao serviço da saúde nacional. Transparência para os utilizadores

A

e satisfação das necessidades reais a nível global, a ponto de se poder dispensar a contratação de serviços em outsourcing, foram os pontos que mereceram mais atenção por parte deste responsável. «Não há parceiros tecnológicos, não há outsourcing e não há financiamento; existem sim funcionários efectivos a trabalhar na tecnologia», afirmou. De salientar que este cliente foi seleccionado pela Microsoft Portugal para figurar no «Livro dos heróis», uma publicação da Microsoft Corporation para todo o mundo, onde figuram os CIO e técnicos de informática responsáveis pelos casos práticos

Os números do Techdays
Nº final de inscritos Techdays: 1830 Nº de pessoas na sessão de abertura Techdays, dia 12: 1470 Nº de pessoas no lançamento público dos servidores, dia 11: 960 Nº de pessoas no evento paralelo da Administração Pública, dia 12: 147 Nº de pessoas no lançamento Dynamics CRM 4: 210 Nº de estudantes no Dia do Estudante (13/3): 550 Nº de parceiros patrocinadores e expositores: 40 Nº de jornalistas, fotógrafos e operadores, manhã de dia 12: 28

de clientes que mudaram a forma de estar das respectivas organizações através do recurso a sistemas de informação. Em Portugal, já foram formados mais de 250 parceiros, números dados pela companhia, na nova versão do Windows Server. Durante os últimos meses, a Microsoft tem também trabalhado com fornecedores independentes de software nacionais com vista a preparar o lançamento de uma nova linha de produtos da marca. Na lista de empresas que têm participado no programa de adopção prévia de tecnologia Microsoft estão nomes como: Altitude Software, ATX, Jurinfor, SAGE, ViaTecla, YDreams, Outsystems e Safira. O lançamento do Windows Home Server foi feito em parceria com a Tsunami, a marca nacional que vai lançar em exclusivo, nesta fase, equipamentos com esta plataforma. Estão previstos três modelos. No

entanto, as atenções estiveram centradas no Tsunami Tidal Home Server, um equipamento pequeno, que aposta na componente estética, que aloja um disco de 350 GB e que irá custar 899 euros. O evento contou ainda com uma mensagem assinada pelo Presidente da República, Cavaco Silva, com uma intervenção de António Gonçalves Henriques, director-geral da Agência Portuguesa do Ambiente, que discursou sobre o papel e a relevância das tecnologias de informação no Ambiente, e com um discurso do coordenador nacional do Plano Tecnológico, Carlos Zorrinho, que fez questão de deixar vincada a necessidade de Portugal não perder a corrida tecnológica para os restantes países europeus e manter viva a ambição de se assumir como pioneiro e não apenas como seguidor das melhores práticas.

6

MAIO 2008

NOTÍCIAS
PCG

>
>

iPhone já tem rival
Chama-se Instict, é um smartphone da Samsung e vai ser colocado no mercado com GPS e touch screen, pelo que é considerado um novo iPhone. O anúncio foi feito pela norte-americana Sprint Nextel, operadora que vai lançar o Instinct no continente norte-americano como resposta à AT&T, que por sua vez detém o exclusivo sobre o smartphone da Apple.

Blu-ray em lista de espera
desdramatizou o facto de a companhia ter perdido esta batalha, e fez saber que nos próximos tempos «não está planeada a introdução da tecnologia Blu-ray na Toshiba». A empresa vai concentrar-se na tecnologia DVD e melhorar a experiência de visualização e de edição de vídeo. «A forma como os conteúdos vão ser distribuídos vai mudar. Vamos trabalhar o formato DVD e as potencialidades que este ainda tem para oferecer, porque o próximo passo não é a distribuição física, mas o download», defendeu. João Amaral lembrou que a realidade do mercado não é o Blu-ray mas sim o DVD. Citando alguns números, este executivo adiantou que cerca de 97% dos produtos serão reprodutores de DVD e que 99% dos conteúdos serão criados para esta plataforma. «O MP3 e o DivX foram dados como mortos; hoje são os formatos áudio e vídeo os mais transaccionados na Internet», exemplificou. Os mais recentes dados da IDC colocam a marca no segundo lugar da tabela dos computadores portáteis mais vendidos em território nacional. A empresa facturou, no ano fiscal que acabou agora em Março, 114,549 milhões de euros, valor que inclui o negócio e-Escolas. João Amaral não quis indicar quais os valores exclusivamente agregados a este projecto, alegando questões concorrenciais. Indicou apenas que este é um projecto significativo em termos de volume, mas não em termos de rentabilidade. O executivo da Toshiba disse acreditar que a marca pode vir a ganhar com o crescimento do número de unidades disponibilizadas, através do e-Escolas, pela fidelização que poderá garantir. Só o ano passado a empresa ultrapassou as 200 mil unidades vendidas; cerca de 1/5 dizem respeito ao projecto e-Escolas. A estratégia da Toshiba para 2008 passa pela consolidação da liderança no mercado profissional, com o reforço da oferta de 3G e ultraportáteis e com um enfoque maior na segurança e no serviço pós-venda. Na área de consumo estão prometidos novos modelos Satélite e Qosmio. Esta linha vai sofrer inclusive um reposicionamento estratégico, devido ao abandono do HD DVD. Estas máquinas, que deverão ser lançadas em Junho, vão funcionar como plataformas de eleição para processamento de vídeo e melhoramento da qualidade DVD.

Toshiba não vai equipar as suas máquinas com esta tecnologia
A Toshiba Portugal aproveitou a conferência de imprensa onde divulgou os resultados relativos a 2007 para explicar oficialmente por que abandonou o HD DVD, e a razão pela qual o Blu-ray não irá ser contemplado pela companhia nos próximos tempos. João Amaral, director-geral da empresa, justificou o abandono da tecnologia HDDVD com o facto de os gigantes do sector terem retirado o seu apoio a esta tecnologia. «Os estúdios de cinema e o retalho preferiram associar-se ao Blu-ray, logo, a nossa guerra deixou de ter sentido». Perante a situação, a Toshiba reduziu o preço e reclassificou as drives HD DVD como DVD Super Multi que, além de todas as funcionalidades associadas, têm a vantagem de incluir alta definição. Este mesmo responsável

>

Mais de 300 mil domínios .eu em 2007
O domínio de topo europeu, .eu, comemorou o segundo aniversário com o anúncio de que em 2007 foram registados mais de 300 mil domínios. Desde o seu aparecimento foram já criados mais de 2,8 milhões sites com este domínio, o que faz dele o nono mais utilizado no mundo.

>

Cabovisão disponibiliza NetSecure
Deste Março que a Cabovisão disponibiliza de forma gratuita a todos os seus clientes de Internet o software de segurança da F-Secure. Este lançamento ocorre dois meses após o operador ter mais do duplicado algumas das suas velocidades de Internet e ter sido recentemente eleito num estudo da Anacom como o operador que disponibiliza a melhor velocidade relativa (88%) entre todos os operadores de rede fixa nacionais. Para ter acesso ao NetSecure, será necessário aceder à sua área de Cliente, no site Cabovisão, fazer o download do software e instalá-lo com a chave fornecida.

>

Redução na pirataria influencia postos de trabalho
da pirataria noutras categorias de software pode muito bem duplicar estes efeitos. Segundo o estudo conduzido pela International Data Corporation (IDC), o sector de tecnologias de informação (TI) é um dos principais motores na criação de novos empregos e um dos sectores que mais contribui para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2007, o nosso país investiu mais de 2,4 mil milhões de euros em sistemas de informação, o que representa aproximadamente 1,8% do PIB nacional. Este volume é suportado por mais de 8 mil empresas do sector de IT com cerca de 18 mil colaboradores, que contribuíram com 1,2 mil milhões de euros em impostos cobrados. A pesquisa indica que, por cada euro investido em software original, outros 1,25 euros são direccionados para serviços como a instalação, formação e manutenção do mesmo. O estudo BSA-IDC de pirataria de software apresentado em Maio de 2007 estimava que 43% do software de PC instalado em computadores pessoais de marca institucional não estaria licenciado.

Uma diminuição de 10 por cento na taxa de pirataria em Portugal criaria 400 novos empregos
Os números são do mais recente estudo BSA-IDC. Uma redução de 10 por cento na pirataria em Portugal nos próximos quatro anos seria responsável pela criação de 400 novos postos de trabalho qualificados e por 306 milhões de euros para a economia nacional. Além deste valor, o Estado Português arrecadaria 34 milhões de euros em impostos. Uma redução

>

Second Life para empresas
A IBM e a Linden Lab (responsável pelo Second Life) assinaram um acordo que visa o desenvolvimento de um mundo virtual semelhante ao de «Second Life», mas para empresas. Pretende-se assim levar a tecnologia já conhecida para criar sites semelhantes, mas mais seguros e privados, protegidos neste caso por uma firewall.

8

MAIO 2008

NOTÍCIAS
PCG

>

Penetração de banda larga aumenta em Portugal
GettyImages/ImageOne

Apesar de o acesso à Internet através desta tecnologia atingir já os 16,1%, o País mantém-se abaixo dos 20% médios da União Europeia

NA BERRA
SSD
A Samsung apresentou no IDF Spring 2008 dois novos discos SSD. Destaque para uma unidade com apenas 1,8” e 128 GB de capacidade, que mais parece uma placa PCMCIA do que propriamente um disco rígido. Uma boa novidade, depois de a Toshiba também já ter lançado no mercado um disco SSD com 128 GB de espaço em armazenamento.

Telemóveis nos aviões...
...mas com limitações. A Comissão Europeia avançou com regras que visam a harmonização das condições de arranque dos serviços de comunicações móveis pan-europeus a bordo das aeronaves. Quando os serviços estiverem disponíveis, os telemóveis dos passageiros passam a estar ligados a uma rede celular a bordo conectada a terra via satélite. Ao mesmo tempo, o sistema impedirá a ligação directa dos telefones às redes móveis terrestres no solo.

Windows XP
A Microsoft fez saber que vai continuar a disponibilizar o sistema operativo durante os próximos dois anos apenas em computadores de baixo custo. Apesar de esta decisão ser um novo adiamento do fim do XP, é ao memo tempo a reconfirmação de uma morte há muito anunciada.

Google Calendar
De acordo com os especialistas, os cibercriminosos estão a encontrar no Google Calendar uma forma de transmitirem mensagens de correio electrónico indesejadas e potencialmente perigosas. O aviso é feito pela Trend Micro. Depois de ser enviado através das imagens e dos ficheiros em anexos de e-mail, o spam foi escondido num convite para reunião do programa de agenda do motor de busca, tendo sido identificado pela empresa de segurança informática Trend Micro.

A BERRAR

A penetração de banda larga em Portugal aumentou dos 13,9 por cento para os 16,1% mas, ainda assim, mantém-se muito abaixo da média da União Europeia (UE) que anda na casa dos 20%, segundo dados revelados pela Comissão Europeia (CE). Por outro lado, o mercado português «apresenta uma das mais baixas taxas de crescimento da toda a UE». Esta entidade revelou ainda que o regulador nacional – a Anacom – terá implementado «activamente todas as políticas exigidas», embora algumas das medidas «ainda não tenham produzido efeitos». De qualquer forma, houve medidas que conduziram já a uma maior competição em termos de mercado, defende a CE, casos dos operadores alternativos «que estão a investir mais na desagregação de linhas para a disponibilização de serviços de banda larga». Por seu lado, o spin-off do operador incumbente ao nível do cabo, que aconteceu em Novembro de 2007, «deverá também trazer benefícios e maior competitividade ao mercado». O relatório apresentado pela Comissão Europeia conclui ainda que os consumidores têm vindo a escolher cada vez mais operadores alternativos ao nível dos serviços de telefonia fixa. O número de subscritores que utilizam um operador alternativo para acesso directo «é o mais alto de toda a Europa comunitária». Em Julho de 2007, eram já 23% os que utilizavam um operador alternativo que não o incumbente para acesso directo, o que, de acordo com a Comissão, acaba por ser um aumento significativo face aos 15% do último ano e à média da EU, que anda na casa dos 13,6%. Por outro lado, verifica-se também que os operadores alternativos

investem cada vez mais na infra-estrutura cabo e na desagregação das linhas. A cobertura por cabo em áreas rurais «anda na casa dos 48% e é das mais altas da União Europeia». O spin-off que se registou no operador incumbente da sua empresa de cabo levou a que passem a existir «donos separados em termos de redes de cabo e de cobre». Esta situação acabou por contribuir para «aumentar a concorrência nos mercados de rede fixa e banda larga», diz a Comissão.

Áreas a melhorar
Apesar dos avanços, segundo as regras actualmente em vigor, o operador incumbente deverá providenciar o serviço universal até 2025, excluindo assim qualquer outro operador. As autoridades portuguesas anunciaram uma consulta pública sobre esta matéria em Outubro de 2007, mas «a verdade é que ela foi adiada para

2008», pelo que a resolução desta problemática foi protelada, segundo a CE. Por outro lado, não existem directórios completos sobre todos os subscritores do serviço em Portugal. A Comissão chama ainda a atenção para o facto de as tecnologias DSL e por cabo continuarem a ser os principais meios de acesso para os consumidores (63,5% e 35,6%, respectivamente), colocando de lado a banda larga. No entanto, esta entidade acredita que a situação poderá vir a melhorar no futuro, «graças à separação das redes de cabo e de cobre e ao rápido crescimento da banda larga móvel». Uma outra situação apontada pelo relatório diz respeito ao facto de os consumidores portugueses não tirarem partido dos seus direitos de portabilidade. Na verdade, apenas 610 mil números foram portados até Outubro de 2007, sendo que este é um processo que demora, «em média, 13 dias sempre que se muda de operador móvel».

10

MAIO 2008

NOTÍCIAS
PCG

>

Futuro da Internet em debate no IP Voice Meeting 2008
Arquivo S.I.

No evento discutiram-se temas como a televisão, o vídeo móvel e a segurança
O IP Voice Meeting foi mais uma vez palco para a discussão dos assuntos relacionados com as comunicações sobre Internet que estão na ordem do dia. No entanto, enquanto que nas edições anteriores o evento se focou mais nas soluções de voz sobre IP (VoIP) e de telefonia IP, a quarta edição do IP Voice Meeting deu o passo em frente, tendo tido como mote a voz, o vídeo, o wireless e as comunicações unificadas, aquilo a que se poderia chamar “tudo sobre Internet”. De acordo com Hassen Claussen, responsável pela organização do evento, «o programa levou esta nova situação em consideração; enquanto que a manhã de ambos os dias de conferência serviu para apresentar os líderes da indústria e os carismáticos oradores principais, a tarde foi dedicada aos mercados verticais, tais como os carriers/operadores e clientes empresariais». Algo que é tradicional no IP Voice Meeting é o convite a um orador principal, não tendo necessariamente que ser um perito em VoIP, mas alguém com uma forte visão num dos vários aspectos das TI. Este ano, a escolha recaiu sobre Jon ‘Maddog’ Hall, uma lenda da Internet e o director executivo da Linux International, e uma associação de utilizadores informáticos que deseja apoiar e promover o sistema operativo Linux. Na sua intervenção, Maddog falou sobre os esforços feitos no sentido de levar a Internet às pessoas e analisou iniciativas como a One Laptop Per Child (ou um computador portátil por criança), bem como as vantagens e os problemas deste tipo de projectos. Jon ‘Maddog’ Hall sublinhou por que razão estas iniciativas 12
MAIO 2008

Hassen Claussen, responsável pela organização do IP Voice Meeting

não chegam, e referiu o que é necessário para permitir o acesso à informação por parte daqueles que são excluídos da Sociedade da Informação. O responsável da Linux International falou pela primeira vez num evento em Portugal e aproveitou esta oportunidade para conhecer os representantes da comunidade nacional de open source. No que concerne aos temas da conferência, este ano, o IP Multimedia Subsystem (IMS) teve uma atenção especial na medida em que se trata de um sistema que permite interligar diferentes plataformas, além de integrar a convergência fixo/móvel e o triple/ quad play. Os modelos de negócio e o desempenho da rede para a televisão e o vídeo móvel também provocaram um interesse especial por parte da assistência. E porque à medida que os negócios de toda a dimensão vão implementando soluções de telefonia IP, a

segurança necessária para estas novas aplicações também foi motivo de debate. «Outro ponto considerado positivo por parte dos delegados foi o facto de, mais uma vez, a organização ter sido bem sucedida ao convidar os maiores players da indústria – Cisco, Nortel, Avaya, Alcatel-Lucent, Siemens e Nokia – para falarem sobre Unified Communications e Open Communications no espírito de uma Internet Communication redefinida», salientou Hassen Claussen. Houve ainda oportunidade para ouvir em primeira-mão informação de operadores como a British Telecom e a T-Mobile, cujos responsáveis falaram sobre VoIP móvel e serviços IP. Outra aposta ganha foi a vinda de Ari Takanen, da Codenomicon, um perito em segurança e co-autor do livro «How to keep the network secure». Tal como tem vindo a acontecer nas

edições anteriores, a organização ficou muito satisfeita com o IP Voice Meeting 2008. «Mais uma vez, foi possível reunir os maiores players da indústria e cerca de trinta oradores discutiram os tópicos mais quentes das comunicações sobre Internet em várias sessões», disse Hassan Claussen. O próximo passo será incorporar tecnologias, tais como o wireless e a mobilidade, focar as novas plataformas (plataformas renovadas) e trazer o Social Media ou o Instant Messaging para este evento. «A conferência foi nomeada por mais do que uma vez como o evento de referência no ambiente das comunicações em IP em Portugal, e caminha no sentido de se tornar um verdadeiro evento de Internet. O caminho a seguir, segundo Hassan Claussen, é ter debaixo de um único tecto P2P, convergência fixo/móvel, IPv6, unified communications, QoS e wireless/mobility.

NOTÍCIAS
PCG

>

AIDigital alarga portfolio de produtos
que a empresa quer ver aumentado este ano, com a ajuda de novas representadas que trabalham o mercado de informática e electrónica. Na lista das mais recentes contratadas constam nomes como a Barkan e a Avioxx (suportes e móveis para TV, plasmas, áudio e vídeo), a T’nB (acessórios multimédia para informática, áudio, vídeo, fotografia, GPS e arquivos) e a AC Ryan (caixas para discos externos). O CEO garante que a AID não pretende competir nem com as marcas A, nem com as marcas B, mas apenas no mercado dos produtos de entrada de preço. Este mesmo responsável lembrou que se trata de um sector pautado por uma política competitiva agressiva, razão pela qual a estratégia tem de estar focada num target bem delineado e tem de existir um investimento, entre outras coisas, na imagem dos produtos e na relação qualidade/ preço. Para este executivo, o trunfo é dar sempre mais por menos, razão

A empresa representa agora mais marcas em Portugal ligadas à electrónica de consumo. O retalho continua a ser a principal meta
Televisores portáteis, câmaras de vídeo sem fios, leitores multimédia com rádio via Internet e leitores de MP3 com ecrã táctil são alguns dos novos produtos que passam a fazer parte da oferta da AIDigital, com a entrada de mais fabricantes na lista de fornecedores. A Zipy é a primeira marca desta empresa, «líder em vendas de MP3 e a segunda em MP4», garantiu o director-geral da companhia, Pedro Coelho, que avançou que, apesar de estar mais conotada com a área de leitores multimédia, a marca vai também dar nome a uma linha de equipamentos de segurança. «Este ano, vamos incorporar a área da segurança e domótica, para já, com equipamentos de vigilância; mas queremos alargar a aparelhos de detecção de fumo, a simuladores de presença, entre outros», avançou o mesmo responsável. O negócio da companhia em Portugal rendeu o ano passado quase 9 milhões de euros, um valor

Pedro Coelho, CEO da AIDigital em Portugal, e Miguel Fauró, CEO da AIDigital

pela qual considera ser importante estar atento à componente tecnológica e ao factor preço. «Queremos ter um portfolio áudio que não ultrapasse os 70 euros», frisou. A aposta para as novidades em termos de equipamentos está centrada na tecnologia wireless (Bluetooth e Wi-fi), no design e no aproveitamento do que a Internet tem para oferecer, seguindo sempre o conceito que, segundo Pedro

Coelho, pauta o modus operandi da AID: o conceito de «High Quality/ Low Cost». Na Península Ibérica, a AIDigital está presente em vários retalhistas, como o El Corte Inglés, o AKI, a Fnac, a Vobis, entre outros. Além da estratégia comercial apresentada, o mesmo director-geral avançou que 2008 vai ser também o ano da expansão do negócio para outros países, como o Brasil e a Colômbia.

>

Tom Tom faz balanço do Map Share
Antes de serem implementadas, todas essas alterações são conferidas pela Tom Tom e pelos parceiros locais. Em Janeiro de 2008, tinham sido sujeitas à aprovação da empresa cerca de 347.200 melhorias de mapas (mais de 10 mil por dia), um número bastante superior às 1548 correcções submetidas no mês do lançamento do serviço – Julho de 2007. Em conversa com Pedro Vilar de Almeida, country manager da companhia em Portugal, a PCGuia ficou a saber que a maioria das correcções tem origem na Europa e na América do Norte. A região com maior número de melhorias nos mapas é o Reino Unido, seguido dos Estados Unidos da América, Itália, Alemanha e Espanha. Portugal é o oitavo país do ranking. Neste momento, de acordo com informações da Tom Tom, dois em cada três utilizadores de equipamentos da marca partilham as suas alterações com outros utilizadores. O grupo que mais recorre ao serviço está em Inglaterra, já que 69% dos utilizadores britânicos se juntam à comunidade Map Share. Pedro Vilar de Almeida garantiu ainda que o serviço Map Share «reduziu em cerca de 80% as questões sobre mapas endereçadas ao departamento de suporte ao cliente da Tom Tom». Todos os equipamentos que a marca vai vender a partir de agora têm esta tecnologia embutida. O responsável máximo da empresa no nosso país não quis responder a questões sobre quotas de mercado ou sobre número de unidades vendidas, mas referiu que «um em cada dois equipamentos GPS vendidos em Portugal é Tom Tom». A PCGuia sabe ainda que a quota de mercado no nosso país é superior à média europeia, que se situa nos 50% (dados de 2007). No mercado norte-americano, a empresa aufere de uma quota de 25%, «um número impressionante», uma vez que se refere ao primeiro ano de actividade da empresa neste país.

O serviço de partilha e actualização de mapas conta com mais de 500 mil utilizadores
A Tom Tom apresentou os primeiros resultados da disponibilização da tecnologia Map Share. Esta tecnologia permite que os utilizadores actualizem os mapas à medida que descobrem erros ou alterações nas vias de comunicação. Lançado em Julho de 2007, o serviço está disponível nos principais produtos da empresa holandesa e pode ser utilizado em 30 países. Desde o lançamento, mais de 500 mil utilizadores já se juntaram à comunidade de partilha de informações e foi reportado até à data mais de um milhão de alterações a estradas e pontos de interesse (66 por cento de correcções e 34% de outros erros). 14
MAIO 2008

JOGOS LANÇAMENTOS
PCG

Legendary Map Pack para Halo
O novo capítulo da saga «Halo 3» está disponível para download, a partir do dia 15 de Abril, no Xbox LIVE Marketplace, por 800 pontos. O Legendary Map Pack acrescenta três novos mapas: Ghost Town, Avalanche e um terceiro ainda não revelado. O cenário do primeiro resume-se a um labirinto de passagens estreitas com vestígios de batalhas e ruínas perigosas nas imediações da outrora próspera cidade de Voi. Os muitos edifícios semidestruídos acabam por funcionar como esconderijos preciosos, mas podem, ao mesmo tempo, revelar-se armadilhas mortais. As passadeiras e escadas transformam-se em ringues de combate claustrofóbicos e os telhados em desafios estratégicos complicados. Ghost Town é um mapa de dimensão média, ideal para jogos pequenos, em Team Slayer, com definição de objectivos. O mapa Avalanche é um tributo a «Sidewinder». Está orientado para veículos e inclui alterações face ao seu antecessor. Os exteriores foram reformulados, existem novas variantes de veículos e um renovado modo de visualização do cockpit Hornet. Até ao encerramento desta edição não conseguimos ter acesso a pormenores acerca do terceiro mapa a ser incluído em Legendary Pack.
EDITORA Microsoft PLATAFORMA Xbox 360

ATV Offroad Fury 4
Corridas de motocross, buggies, motas de neve, camiões e muita adrenalina dominam as mais de 60 pistas únicas. Tudo isto está na linha de partida do «ATV Offroad Fury 4», para a PlayStation2, que apresenta nesta versão novos veículos e rotas, a função Track Editor e a conectividade da plataforma Crosstalk. O esquema do jogo é do mais simples que existe. Basta escolher uma viatura, meter pé no acelerador e disputar o primeiro lugar em algumas das pistas mais sinuosas e desafiadoras da gravidade alguma vez concebidas para corridas todo-o-terreno. Além dos troféus, os primeiros a chegar à meta recebem pontos atribuídos pelas acrobacias aéreas, nada fáceis de concretizar. Este título inclui oito modos de corrida e 70 pistas. Os eventos incluem Supercross, Rallycross, National, o evento de Freestyle, o longo Endurocross, a corrida Snowcross e uma corrida de ponto a ponto ao estilo Baja. ATV Offroad Fury oferece ainda o novo modo Story, que começa no nível amador e termina no profissional. Existe também a possibilidade de conquistar patrocínios e gastar o dinheiro a afinar a máquina. A banda sonora ajuda a criar o ambiente perfeito para este jogo. Estamos a falar de artistas como Thirty Seconds to Mars e Audioslave, e de faixas exclusivamente criadas para o «ATV Offroad Fury».
EDITORA Sony PLATAFORMA PS2

Everybody’s Golf
«Everybody’s Golf: World Tour» entrou oficialmente no mundo da PS3 e da alta definição. Depois de uma passagem pelo ténis com «Everybody’s Tennis», para a PlayStation 2, os estúdios Clap Hanz decidiram contemplar na sua estratégia os amantes de golfe. Seleccione o jogador de golfe favorito, escolha o vestuário, o taco, o caddy e o campo. A lista disponível é vasta e colorida, contemplando desde a savana africana, onde pode encontrar elefantes e girafas a correr pelos campos de golfe, até à fantástica

costa de Okinawa. Suporta jogos a quatro jogadores, oito ou até 50, nos torneios.
EDITORA Sony PLATAFORMA PS3

PlayStation 3 com novo firmware
Já está disponível para download a nova versão do firmware 2.20 da PlayStation 3. As principais novidades destinam-se aos discos Blu-ray, a algumas funcionalidades multimédia e à compatibilidade com o formato Blu-ray Profile 2.0. Na prática, este upgrade irá permitir aos detentores da consola acederem, via Web, a conteúdos extra de filmes e jogos, transaccionar ficheiros entre a PS3 e a PSP e usar esta última como controlo remoto.

Trailer de Grand Theft Auto IV em Xbox.com
Os fãs de Grand Theft Auto já podem espreitar o mais recente «Grand Theft Auto IV», que deverá chegar às lojas no final de Abril. O quarto trailer official, intitulado «Good Lord, What are You Doing?» já está disponível em Xbox.com e Xbox LIVE Marketplace. Pela primeira vez, o «Grand Theft Auto IV» irá incluir o modo multiplayer online, permitindo aos gamers jogar com mais de 10 milhões de membros da comunidade Xbox Live.

16

MAIO 2008

de pesquisa e desenvolvimento em torno do Minix. Há uma audiência fiel mas isto da fidelização é algo que demora o seu tempo a construir. PCG – Também passa por seduzir utilizadores de outros sistemas? A.T. – A minha grande esperança é que, num destes dias, haja um enorme desastre com computadores que envolva o Windows e que faça realmente estragos – um banco que é obrigado a abrir falência porque um hacker conseguiu explorar um bug do Windows e provocou danos inimagináveis. A partir desse ponto, tudo será diferente, até porque os advogados e os processos entrarão em acção. Por qualquer razão estranha, convencionou-se que se o software não funcionar a culpa não é do fabricante desse software. Suponhamos que um determinado advogado processa mesmo a Microsoft. Por que não? Pode acontecer e poderá provocar uma mudança em tudo. PCG – Acha mesmo possível que um crash possa atingir um sistema de forma irremediável, apesar de todos os planos de contingência que possam existir? A.T. – É possível sobreviver a um crash porque há sistemas de backup. Mas eu estou a referir-me a um bug no Windows, a uma vulnerabilidade que possa ser explorada por um hacker de modo a que este possa entrar no kernel e altere tudo, números de conta inclusive. O que não falta são histórias de coisas que não deviam acontecer e que acontecem. Estou a lembrar-me do colaborador aparentemente inofensivo de um banco francês que quase o levou à bancarrota há poucos meses. PCG – Está a apresentar o Minix 3. Em que é que difere das versões anteriores? A.T. – No fundo, tirámos tudo do kernel de forma a torná-lo ainda mais fiável face às versões 1 e 2. Pode-se dizer que o Minix 3 é radical face ao Minix 2. PCG – É por isso que é diferente de todos os outros microkernels? A.T. – O L4 também tem as mesmas características mas sob um enfoque

porque não sabia para onde ia. PCG – Alguma vez nutriu simpatia pelo FreeBSD? A.T. – Cheguei a pensar que o FreeBSD viria a dominar o mundo dos sistemas operativos. No entanto, foi encurralado numa batalha jurídica no início dos anos 90 pela AT&T por causa – imagine-se – do número de telefone, que era então 1800UNIX (e o Unix era da AT&T). O processo demorou entre três a quatro anos a ser resolvido e, durante esse período, o FreeBSD não se desenvolveu. Foi nesse período que o Linux cresceu. Se o processo nunca tivesse acontecido o FreeBSD tinha disparado e hoje não haveria Linux.

«Cheguei a pensar que o FreeBSD viria a dominar o mundo dos sistemas operativos»
diferente, mais centrado no tempo real e na segurança ao nível do utilizador. Nos sistemas embutidos, como é o caso dos telemóveis, tem tudo a ver com uma mistura entre fiabilidade e simplicidade. A maior parte dos telemóveis corre sobre um microkernel Symbian porque se pretende que o equipamento seja pequeno mas ao mesmo tempo fiável e apto a ser gerido. Os fabricantes vêem os problemas que o Windows implica neste ponto de vista e preferem não seguir esse caminho. Da mesma forma, uma grande parte dos sistemas militares e dos sistemas usados nos aviões são microkernels. Porque não podem falhar, ponto final. PCG – Que tendências vão marcar os próximos anos? A.T. – Em breve, teremos computadores com oito cores a correr aplicações oito vezes mais pesadas, com um desempenho real em metade do que existe agora. Estamos numa fase em que se vende a política do “mais é melhor”, mas não creio que os utilizadores pediram esta tendência e nem tão pouco a compreendem. As pessoas vão ficar com um sistema maior, mais pesado, mais lento porque são forçadas a seguir nessa direcção. PCG – Cabe a sistemas como o Minix contrariar esta tendência? A.T. – Espero que algo mais leve consiga aos poucos ir entrando no mundo dos sistemas e tomando conta das operações, à imagem daquilo que o PC fez quando tomou o lugar do mainframe, precisamente por ser mais leve e mais facilmente gerido. PCG – Há cerca de 15 anos disse que o Linux é obsoleto. Continua a dizê-lo com a mesma convicção? A.T. – O Linux tem um kernel que não pára de crescer, ao ponto de se começar a parecer com o Windows, estando a adoptar as propriedades do sistema da Microsoft. Só que, embora seja um pouco mais estável do que o Windows, a Microsoft tem um melhor sistema de controlo de qualidade. É impossível manter algo com cinco milhões de linhas no kernel. O Linux é obsoleto e digo-o com uma convicção cada vez maior. Era um sistema bastante modular que se transformou num sistema quase inflexível. Por que é que ele (Linus Torvalds) não o tornou ainda mais modular, melhor? Claramente

PCG – Com tudo isto, a Microsoft ficou com o caminho livre para desenvolver o Windows... A.T. – Sentiu-se a determinada altura a necessidade em trabalhar com um sistema gráfico, é verdade. Mas as versões 1 e 2 do Windows foram uma desgraça. A 3.x mostrou algumas melhorias também porque o hardware melhorou, apesar de ter sido um golpe de sorte – essa versão mais não é do que uma shell sobre MS-DOS. Aliás, a Microsoft vendia então MS-DOS e o Macintosh estava a sair para o mercado. Nessa altura, Bill Gates apelou a Steve Jobs para que a Apple lançasse o Macintosh de modo a correr no hardware x86, o que destruiria o mundo MS-DOS. Parece inacreditável, mas isto serviria então os interesses de Bill Gates. Acabou por se criar uma batalha interna na Apple que culminou na decisão de distribuir o Macintosh de forma proprietária. Se a Apple tivesse optado por lançar software compatível com a arquitectura x86 e o licenciasse, toda a gente o queria. Hoje, seria uma empresa de multibiolionários, o DOS e o Windows nunca teriam existido e o mais incrível é que Bill Gates queria que isso tivesse acontecido na altura. Só que a Apple decidiu em contrário. Assim, Bill Gates acabou por ficar com o seu plano B – o Windows. O resto da história já se sabe. As coisas acontecem desta forma. Nem sempre há uma estratégia bem delineada ou um plano vencedor. ■
MAIO 2008

19

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

G70
Uma máquina “especial de corrida” para jogos
ão é um portátil qualquer, e isso vê-se só ao olhar para ele. Há uma razão para todas as luzes, o look arrojado, as dimensões generosas e o preço elevado. O G70 Republic of Gamers é a máquina que o fabricante asiático projectou e construiu para os adeptos de videojogos. A ideia é ter um computador portátil que substitua a máquina que tem no escritório ou no quarto e à frente da qual passa tanto tempo, matando terroristas no «Call of Duty» ou vencendo a Grécia no «Pro Evolution». Para tal, a Asus dotou o G70 de uma plataforma gráfica invejável: duas placas gráficas 8700GT com 512 MB cada uma, ligadas num sistema SLI. Só por si, este argumento confere-lhe uma natureza de máquina para jogos, mas existem outros elementos que dão a entender claramente o posicionamento da máquina. O monitor de 17 polegadas apresenta uma resolução de 1920 x 1200 full HD 1080. O chassis é robusto e conta com alguns pormenores interessantes, como a existência de protecções de plástico para as portas USB

N

laterais, abertura para melhoria da dissipação do calor em baixo e um look arrojado que foi certamente pensado para os jogadores. Os leds azuis estão presentes nos botões multimédia e nos cinco botões de Sets especiais. O facto de ter um monitor de 17” tem vantagens e desvantagens. Por um lado, a máquina é muito pesada – pesa 4,84 kg. Neste aspecto, particular relevo para o peso do transformador, uns 0,8Kg. Se somarmos os dois equipamentos, acabamos com uns exagerados 5,76Kg. Por outro, apresenta espaço suficiente para um teclado completo (com teclas numéricas junto do cursor) e uma experiência de jogo invejável. Nos nossos testes, o sistema SLI revelou ser totalmente capaz de dar conta das exigências gráficas. Com o 3DMark, o G70 registou 3718 marks, um valor que garante poder de processamento para os títulos mais exigentes do mercado. No PCMark 2005, a máquina alcançou 6676 marks (6294 CPU, 5091 memória, 7247 gráficos e 6263 HDD). Temos PC para jogos e multimédia, portanto. Quanto a encará-lo como uma máquina verdadeiramente

portátil, a questão nem se põe, já que o peso e a autonomia de cerca de 1h 13min tiram-lhe qualquer característica de portabilidade. A existência de uma porta HDMI e de cinco portas USB e de uma firewire, bem como de um leitor de cartões de memória, reforça as opções de conectividade. Realce ainda para o painel de funções embutido no touchpad. Com ele, é possível controlar, entre outras funções, a reprodução de conteúdo multimédia, o nível de áudio ou a luminosidade do ecrã. Quando estiver a ler estas linhas, o G70 já estará disponível. Por ora, é vendido com uma licença da versão de 32 bits do Windows Vista Ultimate. No entanto, os 4 GB de memória RAM são já uma garantia para um futuro upgrade para uma versão de 64 bits, caso veja necessidade. Não há possibilidade de alterar a configuração, pelo

que as opções técnicas que aqui descrevemos são as que tem direito se comprar a máquina. A garantia internacional é de dois anos, extensível a três por 115 euros. As grandes desvantagens têm que ver com a impossibilidade de alterar a configuração a seu gosto e com o preço elevado. No entanto, reforçamos a ideia de que esta máquina foi concebida para gamers e para uma utilização muito especial. A verdadeira questão está em saber se consegue substituir plataformas de jogos desktop. Consegue. Deve ser encarada como uma máquina para outra utilização que não jogos de computador ou tarefas multimédia (ver filmes, por exemplo)? Não. Tenha em atenção este ponto quando ponderar uma possível aquisição. J.T.

PRATA

PCGuia

FABRICANTE Asus PREÇO €2799 CONTACTO 808 789 888 SITE http://pt.asus.com FICHA TÉCNICA Processador T9500 2,6 GHz, 4 GB de memória RAM, dois discos rígidos de 200 GB, duas placas gráficas EN8700GT em SLI, placa sintonizadora de TV, ecrã de 17 polegadas, drive de gravação de DVD com lightscribe, colunas Altec Lansing com subwoofer, controlo remoto, câmara web embutida, 3 portas USB 2.0, 1 porta firewire, 1 porta HDMI, 1 porta eSata, leitor de cartões de memória. Windows Vista Ultimate em Português, Asus Instant Fun
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

20

MAIO 2008

MSI X48 Platinum e Gigabyte GA-X48T-DQ6
Sim, é mais um chipset da Intel com um preço muito elevado...

PCGuia
BRONZE
GIGABYTE GA-X48T-DQ6
DISTRIBUIDOR Niposom PREÇO €269 CONTACTO 218 440 200 SITE www.giga-byte.com FICHA TÉCNICA Socket LGA 775, suporta todos os processadores Intel para LGA 775, bus até 1600 MHz, memória até 8 GB DDR3 1600 MHz, gráficos 2X PCIe x16
Qualidade/Preço Características Desempenho

M

esmo chegada a altura em que pensávamos que o conceito de redundância tinha desaparecido do mercado das motherboards, a Intel volta a dar-nos uma lição. Está a pensar no que queremos dizer exactamente? Então lembre-se do lançamento das primeiras placas para socket 775, em 2004. A principal era a 925X. Não durou muito tempo. Passou menos de um ano até aparecer a primeira 955X, deixando os leitores que compraram boards 925X com a sensação de que tinham apostado no cavalo errado... Quem adquiriu boards 925X teve todavia um prémio de consolo. Pôde ver os utilizadores que optaram pelas motherboards 955X sentiremse ainda mais infelizes. É que esse chipset mal ultrapassou os seis meses antes do lançamento do 975X. Após a apresentação deste terceiro chipset, seguiu-se um período de alguma tranquilidade e acalmia. O 975X continuou a ser a principal aposta da Intel durante dois anos e garantiu uma base sólida para upgrades a processadores durante esse tempo. Nesse contexto, foi com alguma alegria que demos as boas-vindas ao chipset X38, no último Outono. Com o suporte para velocidades de bus superiores (1,333 MHz) e para

memória DDR3, garantiu melhorias significativas em largura de banda para os processadores Quad-core da Intel. No entanto, a Intel tem uma nova surpresa para os seus clientes. O novo chipset X48 chegou de repente, mas o número de novas opções é tão reduzido que não conseguimos deixar de pensar se não teria feito mais sentido incluir essas características no X38... De qualquer forma, se o leitor está a pensar em adquirir uma motherboard Intel topo de gama, o X48 é agora a principal opção. Mesmo que ofereça pouco mais do que a garantia de ser a plataforma mais fiável para futuros upgrades ao seu sistema. Esse facto fica a dever-se principalmente ao suporte para os buses 1600 MHz e à memória DDR3 (1600 MHz). Na prática, vários fabricantes de motherboards acrescentaram este suporte aos seus produtos X38. Mas a Intel sublinha que o suporte sólido para futuros chips com bus de 1600 MHz só é garantido pelo hardware X48. Mesmo com uma frequência de 400 MHz, os chips Northbridge, tanto a MSI X48 Platinum como a Gigabyte GA-X48T-DQ6, não nos convenceram nos testes em overclocking (obtiveram 475 MHz e 450 MHz no máximo). Estes valores não são superiores aos

que conseguimos obter com uma motherboard X38, para sermos francos. No que respeita ao desempenho, a plataforma X48 não traz nada de revolucionário face à X38. Na verdade, e muito provavelmente devido a um BIOS ainda não totalmente limado, a motherboard da Gigabyte teve mesmo algumas dificuldades em encontrar a correcta frequência da memória. O CPU-Z reportou uma frequência de 1,200 MHz quando o BIOS está preparado, por defeito, para suporte a 1,333 MHz. Este facto minou até certo ponto a sua performance. Mesmo assim, é um detalhe que à partida deverá ficar solucionado com um simples flash do BIOS. PCGUIA

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

PRATA
MSI X48 PLATINUM
DISTRIBUIDOR JP Sá Couto PREÇO €249 CONTACTO 229 993 999 SITE www.msicomputer.com FICHA TÉCNICA Socket LGA 775, suporta todos os processadores Intel para LGA 775, bus até 1600 MHz, memória até 8 GB DDR3 1600 MHz, gráficos 2X PCIe x16
Qualidade/Preço Características Desempenho

PCGuia

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

SISOFT SANDRA - LARGURA DE BANDA DE MEMÓRIA
Motherboard
PLACA DE REFERÊNCIA DA INTEL COM X38 MSI X48 PLATINUM GIGABYTE GA-X48T-DQ6 7,500 7,750 8,000 8,250 MB POR SEGUNDO: QUANTO MAIOR MELHOR 8243 8055 7664 8,500

CINEBENCH R10
Motherboard
PLACA DE REFERÊNCIA DA INTEL COM X38 MSI X48 PLATINUM GIGABYTE GA-X48T-DQ6 70 72 74 76 78 FRAMES POR SEGUNDO: QUANTO MAIOR MELHOR 77fps 70fps 74fps

MAIO 2008

21

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

Sistema Quad –SLI Asus
A PCGuia foi ver se 4 é mesmo melhor do que 2

O

recente lançamento da nova geração de placas gráficas com duplo GPU da série 9xxx e do chipset 790i SLI Ultra levou-nos a pedir à Asus um kit completo composto por uma motherboard Striker II e duas placas 9800 GX2 para experimentar o primeiro sistema Quad-SLI para DirectX 10. Um sistema SLI é o que usa duas placas gráficas para distribuir a carga de processamento, por exemplo, dos gráficos de jogos, e deste modo obter melhor performance do que a que se consegue usando apenas uma única placa. Nesta ordem de ideias, Quad-SLI indica um sistema cujos gráficos são alimentados por quatro processadores. Apesar de estarmos a testar um sistema completamente novo, o conceito não o é. Em 2006, a Nvidia lançou as placas GeForce 7950 GX2, as quais infelizmente abandonou uns meses mais tarde para usar os seus recursos para suportar o novo DX 10 de uma forma conveniente. O que também não se veio a verificar. Agora volta à carga… As placas que a Asus nos fez chegar são dois exemplares finais completos e que incluem, além da placa, o CD dos drivers, o jogo «Company of Heroes: Opposing Fronts» completo, um adaptador DVI para VGA, um adaptador para ligação dos cabos de energia e um cabo S/PDIF para que possa ter áudio através da ligação HDMI da placa. A placa está completamente coberta por uma carenagem em plástico

preto. As várias ligações têm LEDs que mudam de cor consoante estão bem ou mal ligadas (verde ou vermelho). As tomadas para a ligação da placa de interligação para sistemas SLI está escondida debaixo de uma pequena tampa, o mesmo acontecendo com a entrada para o cabo S/PDIF. A Striker II é uma motherboard baseada no novo chipset da Nvidia que permite a utilização de três placas gráficas de forma a poder usar dois monitores em sistemas que usem SLI. O facto de ser necessário sincronizar as duas placas gráficas em SLI faz com que não seja possível usar dois monitores simultaneamente, mas, se adicionar mais uma placa, já o pode fazer. Tal como a primeira versão, a Striker II é uma placa dedicada a todos os que gostam de fazer qualquer tipo de overclocking. Inclui todos os comandos principais na própria placa como, por exemplo, o botão para ligar e desligar e o botão para repor o CMOS depois de um overclocking mal sucedido. O painel traseiro é retroiluminado e a placa está cheia de LEDs por todo o lado. Um elemento curioso é o facto de a Asus ter incluído um dissipador de calor para o chipset que permite a utilização a ar ou a água.

PRATA

PCGuia
levar o sistema DX10 ao limite das suas capacidades. No 3Dmark 06, o nosso sistema QuadSLI conseguiu 16100 3Dmarks, obtendo 6120 no teste Shader Model 2.0 e 8005 no teste Shader Model 3.0 No «Crysis», o nosso sistema obteve 61 frames por segundo usando a demo Single Player com todos as configurações no máximo. A mesma configuração com uma placa gráfica 8800 GTX obteve 32 frames por segundo. Se pretender construir um sistema para jogos a sério este é o caminho a seguir. O preço total, de mais de 1000 euros só para placas gráficas, pode assustar muito boa gente, mas as performances obtidas são de sonho. P.T.
FABRICANTE Asus PREÇO €206 (Striker II Extreme); €537 (cada EN9800 GX2) CONTACTO 808 789 888 SITE http://pt.asus.com FICHA TÉCNICA PLACAS GRÁFICAS: PCI Express 2.0. 2 processadores gráficos (GPU) a 600 MHz, 1 GB de RAM DDR3 a 2 GHz. Resolução máxima de 2560X1600. Duas saídas DVI, uma saída HDMI MOTHERBOARD: Motherboard para processadores Intel Socket 775 baseada no chipset 790i da Nvidia, suporta até 8 GB de RAM DDR3-2000 (velocidade máxima), inclui três slots PCI Express 16X, duas slots PCI Express 1X, duas slots PCI 2.2, seis entradas SATA internas mais duas externas, uma ficha IDE, duas entradas de rede gigabit, duas entradas firewire, 10 entradas USB, som de alta definição analógico ou digital (óptico ou coaxial), 7.1
Qualidade/Preço Características Desempenho

> Material usado
no teste
Neste teste usámos, além da motherboard Striker II da Asus, baseada no chipset 790i da Nvidia, e das duas 9800 GX2, um processador Intel Core 2 Quad 6600, 2 GB de RAM Corsair DDR3, um disco Western Digital Raptor de 74 GB. O sistema operativo é o Windows Vista Ultimate com os drivers incluídos na caixa das placas gráficas.

A instalação das placas gráficas requer um bocado de ginástica na arrumação dos cabos dentro da caixa porque são placas muito grandes e que, em certos casos, podem chegar a bater na parte da frente da caixa. Cada placa ocupa dois slots. A instalação dos drivers é muito simples; o problema foi ligar o SLI, porque o driver aceitava a mudança para SLI mas depois não a punha a funcionar. Tivemos de desinstalar os drivers e voltar ao início; à segunda tentativa já funcionou como previsto. Neste teste usámos dois programas: o 3Dmark 06 da Futuremark. Trata-se de um software de teste composto que mede as prestações dos sistemas gráficos nos mais variados modos, incluindo Shader Model 2.0, Model 3.0 e HDR. O resultado é dado em 3Dmarks, que é o resultado de uma fórmula em que também entra em conta a performance geral do sistema incluindo CPU, memória e disco. E o «Crysis V1.2», um dos jogos mais exigentes do momento que consegue

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

22

MAIO 2008

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

Windows Home Server Tsunami
A Microsoft descobriu algo que já algumas pessoas usavam tanto em forma de computador, como através de sistemas NAS: o servidor doméstico. A PCGuia experimentou uma das ofertas da JP Sá Couto neste campo

m primeiro lugar tem que se perguntar a si próprio: tenho necessidade de ter um servidor doméstico? Se tiver gigas e gigas de fotos, gigas e gigas de vídeo (descarregado ou não da Net) e mais música do aquela que consegue ouvir no espaço de uma vida, então a resposta é afirmativa. Já no início do ano passado vimos um protótipo deste sistema a funcionar em Las Vegas, no CES, aquando do lançamento do Windows Vista. Agora, passado quase um ano, é que começa a chegar ao público. O que é o Windows Home Server? É um sistema operativo baseado no Windows Server concebido para guardar ficheiros de fotos, áudio e vídeo, fazer cópias de segurança automáticas dos computadores domésticos e, por fim, fazer o envio (streaming) desses ficheiros para dispositivos capazes de os mostrar, como, por exemplo, PC, Xbox 360 ou PS3. Como o segredo destes sistemas é o espaço de armazenagem, a Microsoft tentou construir um que fosse muito versátil neste campo e que permitisse, nomeadamente, a adição de mais discos, sejam eles internos ou externos. Assim que são ligados, ficam à disposição do sistema. A gestão do espaço é feita automaticamente.

E

Para além do software principal, existe um software de cliente, que, uma vez instalado em cada computador existente numa casa, serve para executar tarefas de backup e controlo remoto. Uma das particularidades é a capacidade de acesso ao Home Server e a possibilidade de descarregar conteúdos a partir de qualquer ponto do mundo. Pode ser usado como se o utilizador estivesse em sua casa. Ao contrário de outras plataformas, o Windows Home Server será comercializado sob a forma de um pacote de software e através de licenças OEM com máquinas de vários fabricantes. Uma dessas máquinas é este pequeno computador Tsunami Home Server Tidal 1230, da JP Sá Couto. O barebone que a JP usou nesta máquina já é nosso conhecido. É

fabricado pela Aopen, tem um processador Intel Core 2 Duo T2330 a 1,6 GHz, 1 GB de RAM, disco de 320 GB e gravador de DVD. Para efeitos de demonstração de tecnologia, este sistema serve perfeitamente. Agora como servidor doméstico, levantam-se dúvidas. Não estamos a pôr em causa as capacidades de processamento, mas a expansibilidade. Por experiência, sabemos que o espaço em disco neste tipo de sistemas acaba num instante, não tanto pelas fotos, mas pelo vídeo e áudio. Se quiser fazer cópias de segurança, então nem se fala.

TSUNAMI TIDAL HOME SERVER 1230
DISTRIBUIDOR JP Sá Couto PREÇO €899 CONTACTO 229 993 999 SITE www.tsunami.pt FICHA TÉCNICA Computador baseado num processador Intel Coe 2 Duo T2330 a 1,6 GHz, 1 GB de RAM, placa gráfica onboard com memória partilhada, 320 GB de disco, gravador de DVD, rede sem fios 802.11N e rede com fios Gigabit, 4 entradas USB (2 frontais), 1 entrada firewire, entradas e saídas de áudio analógico e digital, ligação DVI para o monitor, alimentação via fonte externa. Software: Windows Home Server. CD com drivers
Qualidade/Preço Características Desempenho

PRATA

PCGuia

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

6

A única forma de expandir este computador é adicionar discos externos. É exequível, mas muito pouco prático devido à multiplicação de caixotes que vai ter à volta da máquina. Se analisarmos o sistema operativo, como já dissemos, é baseado na tecnologia de servidor da Microsoft. O desktop é muito parecido com o do XP. A única aplicação que é necessário usar é a consola de administração para definir quem é que acede ao servidor e o que é consegue ver e alterar. Para quem já usou um software de servidor, esta interface de utilização é uma versão simplificada da utilizada nas aplicações profissionais. No entanto, pode assustar os menos experientes nestas andanças. A primeira coisa a fazer é criar um utilizador, e a partir daí ficam disponíveis uma série de opções para definir as pastas partilhadas, os conteúdos, etc. Em termos de funcionamento, tudo é muito suave; o streaming funciona bastante bem. Um aspecto impressionante é a quantidade de add-ins que já existem, como, por exemplo, um que permite fazer logs das chamadas telefónicas ou outro para fazer downloads. As possibilidades são muito vastas e este sistema tem muito espaço para crescer; vamos torcer para que a Microsoft não ligue o “complicómetro”... Em relação ao computador da JP Sá Couto, não é de todo adequado para ser um servidor. Existem outras opções do mesmo fabricante muito mais adequadas e mais no espírito deste tipo de sistemas, como o Tidal Home Server 1390, com três discos de 320 GB de série e capacidades de hot swap. P.T.

24

MAIO 2008

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

iPaq 614c Business Navigator
O primeiro PDA com 3G da HP dispõe de um novo sistema de navegação
ão chegou a tempo do teste a smartphones e PDA phones que fizemos no mês passado, mas o iPaq Business Navigator apresenta-se orgulhosamente na rubrica de Banco de Testes da revista de Maio como a mais recente aposta da multinacional americana no mercado de dispositivos móveis. Tecnicamente, o PDA tem argumentos de sobra para convencer mesmo os utilizadores mais exigentes. Suporta 3G e redes sem fios 802.11b/g, dispõe de 128 MB de memória e de um slot Micro SD para expandir as capacidades de armazenamento e oferece ainda uma câmara de 3Mp para tirar fotografias ou para gravar pequenos vídeos. Além disso, conta com um receptor GPS e com a aplicação Google Maps. Muito embora este software não seja o mais indicado para navegação, a inclusão do receptor GPS permite que

N

o utilizador possa instalar software de terceiros (nDrive, por exemplo) e recorrer a ele para encontrar a melhor rota até ao seu destino. O sistema de controlo e navegação nos menus é talvez a maior novidade de hardware no iPaq. Além de uma scroll wheel lateral (utilizada com o polegar da mão esquerda), o utilizador tem à disposição uma área circular sensível ao toque (Smart Touch) colocada em cima do teclado numérico. Passando o dedo em cima dela, navega nos vários menus de uma forma semelhante ao que pode fazer com o iPod. O sistema de roda funciona bem, mas não conseguimos encontrar explicação para a não inclusão de uma tecla de activação, já que o centro do círculo de navegação é ocupado pela tecla numérica “5”. Quer isto dizer que o leitor pode recorrer ao sistema de

navegação sensível ao toque, mas tem de o abandonar quando aceder à função que seleccionou – algo que não parece fazer muito sentido. Uma outra falha tem que ver com o sistema de utilização do cartão de memória. Uma vez que o slot é interno, quando quiser inserir o cartão Micro SD terá de desligar o telefone e remover a bateria – um processo aborrecido e demorado, que não teria lugar se o slot tivesse sido colocado na parte exterior do hardware. Esta proposta está disponível pelo mesmo preço do P750 (vencedor do teste do mês passado), muito embora o equipamento da Asus seja comercializado com um cartão de 1 GB e com um bundle de software que o Business Navigator não tem. Mesmo assim, o PDA phone da HP apresentou argumentos suficientes para nos convencer. J.T.

FABRICANTE HP PREÇO €599 CONTACTO 808 201 492 SITE www.hp.pt FICHA TÉCNICA Ecrã TFT de 2,8” com 65.000 cores, teclado numérico com roda com função Smart Touch, telefonia móvel quad band GSM/GPRS/EDGE, 3G (HSDPA), Wlan 802.11b/g, navegação GPS integrada, câmara de 3.0Mp com zoom digital 4X, processador Marvell PXA270 520 MHz, 128 MB de memória RAM, 256 MB de ROM, 145 g, slot cartão Micro SD, Windows Mobile 6.0 Profissional
Qualidade/Preço Características Desempenho

PRATA

PCGuia

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

Pinnacle Showcenter 250 HD
A PCGuia experimentou a nova encarnação de um dos primeiros aparelhos receptores de streams de áudio, vídeo e fotos

H

á alguns anos, a Pinnacle ainda não fazia parte da Avid e lançou um dos primeiros receptores para streams a chegar ao mercado. Estávamos na altura em que as redes sem fios estavam a aparecer em força e o Showcenter de então utilizava uma placa de rede sem fios PCMCIA para comunicar com o PC onde estavam os conteúdos. Este sistema usava um software instalado no servidor, que era composto por dois componentes: um gestor de base de dados para catalogar e ordenar os conteúdos disponibilizados e um servidor que

fazia o stream dos conteúdos seleccionados. O tempo passou e foi lançado o Showcenter 200. A placa de rede foi incluída na motherboard do aparelho e adicionada uma porta USB 2 para possibilitar a ligação de uma drive externa. O tamanho também foi substancialmente reduzido. O software de servidor utilizado era o mesmo, mas já era compatível com o sistema de partilha de conteúdos do Windows Media Player 11. No final de 2007, a Pinnacle apresentou o Showcenter 250HD que todos pensavam que já suportaria

1080p e ligações HDMI em vez das ligações por componentes. Mas estávamos todos enganados. A Pinnacle/Avid limitou-se a redesenhar o frontal do ShowCenter 200, dar uma cor diferente à caixa de metal do aparelho e actualizar o firmware (aliás, se tiver um Showcenter 200 pode instalar o firmware do 250 HD). Este novo firmware dá mais ênfase à interligação com o Windows Media Player, permitindo ainda a utilização do software de servidor incluído nos modelos anteriores. A qualidade da imagem e som continuam a ser das melhores que já vimos num dispositivo deste tipo, só sendo utrapassada pela PS3. O software continua muito fácil de usar. No entanto, não posso deixar de pensar que estamos na presença

FABRICANTE Pinnacle PREÇO €209,99 CONTACTO 213 164 127 SITE www.pinnaclesys.com FICHA TÉCNICA Dispositivo receptor de streams A/V e fotos. Saídas A/V: SCART, componentes, vídeo composto, S-Video, RCA estéreo analógico, áudio digital óptico e coaxial. Outras ligações: Ethernet RJ-45 (100BASE-T), Wi-Fi 802.11g, 1 USB 2.0 no painel frontal. Tipos de ficheiros suportados: Áudio: Mp3, WMA, WMA Pro, WMA lossless, WMA-DRM, PCM WAV. Vídeo: Windows Media 9, WMV-DRM, MPEG-1, MPEG-2, MPEG-4 AVI, DivX, XviD. Alta definição: Windows Media 9 até 1080i, Windows Media 9 DRM até 1080i, MPEG-2 até 1080i, DivX até 1080i. Fotos: JPEG, PNG.
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

6

da mesma coisa com uma caixa diferente. Tirando o aspecto não há absolutamente nada de novo. Se já tem um Showcenter 200 não o troque por este porque fica exactamente na mesma. Se tem um dos primeiros modelos e quiser manter-se na marca, pode adquirir este Showcenter 250HD, mas talvez seja melhor pensar noutra solução mais versátil e com mais futuro. P.T.

26

MAIO 2008

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

WL-700gE
Um router sem fios com sistema NAS? Eis como funciona
e pensarmos bem no conceito, faz todo o sentido incluir um sistema de armazenamento num router sem fios. Conseguir consultar ao seu arquivo de multimédia através de uma ligação wireless e no mesmo ponto que usa para partilhar a rede doméstica é uma vantagem. Em princípio, o router está sempre ligado, pelo que o arquivo estará sempre disponível. Em outras

OURO
FABRICANTE Asus PREÇO €232 CONTACTO 808 789 888 SITE http://pt.asus.com FICHA TÉCNICA Router sem fios 802.11g com sistema NAS. Firewall NAT, servidor FTP, servidor de impressão, media server DLNA, disco de 250GB, encriptação WPA 2, cliente de gestão de downloads embutido, três portas USB, quatro portas Ethernet, suporte para RAID
Qualidade/Preço Características Desempenho

PCGuia

S

configurações, isso não acontece – imagine que tem o arquivo no PC do escritório e está a trabalhar com o portátil na sala. Neste caso, tem de ter o arquivo numa pasta partilhada e o computador do escritório ligado. Além disso, o preço que a Asus pede pelo WL-700gE parece ser muito apetecível. Repare que o router oferece uma firewall NAT, um servidor FTP, um servidor de impressão e um media server DLNA e suporte para iTunes. Além disso, suporta DynDNS. org, uma característica particularmente útil se quiser criar uma galeria de fotografias pessoais. Além disso, oferece um gestor de downloads embutido, pelo que pode desligar o computador e continuar a descarregar as torrents directamente para o disco de 250 GB que o equipamento tem

(suporta discos até 500 GB). O router suporta tecnologia de rede 802.11g e encriptação WPA e WPA2. O botão de power está no painel frontal, junto a uma porta USB com um botão de cópia que permite transferir o conteúdo do disco para um dispositivo externo sem precisar de um PC. Na parte de trás do router encontra quatro portas ethernet e mais duas portas USB para ligar impressoras ou webcams. Se ligar uma câmara ao router obtém um sistema de vigilância. Se, por outro lado, ligar um disco rígido, pode configurar um sistema de RAID em mirror – para cópias de segurança. A interface de gestão do router não é a mais intuitiva. Por vezes, torna-se confuso chegar à opção pretendida. No entanto, depois de alguns minutos,

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

9

o acesso a filtros URL, a filtros de Mac Address ou a opções de configuração de rede sem fios (entre outras) tornase mais simples. Bem vistas as coisas, a única opção que parece faltar ao WL-700gE é mesmo o modem ADSL. De resto, e para o preço que o fabricante asiático pede pelo equipamento, é uma excelente opção. J.T.

HP PhotoSmart D7460
Tem ligações para todos os gostos, mas pode melhorar em termos de qualidade de impressão

M

odelo que está na linha de outras PhotoSmart da HP, a D7460 é uma impressora fotográfica a jacto de tinta que inclui uma série de funcionalidades muito interessantes por um preço relativamente razoável. É o caso das opções de conectividade, onde se inclui não só a tradicional ligação USB 2.0, mas também uma ligação em rede Ethernet, a compatibilidade wireless via 802.11g e ainda o sempre útil leitor

de cartões compatível com a grande maioria dos formatos mais utilizados em equipamentos de imagem digital. Um dos elementos mais agradáveis nesta PhotoSmart é o seu ecrã táctil. Graças a esta capacidade, a HP libertou a D7460 de todos os botões que habitualmente rodeiam o ecrã, na medida em que neste modelo é o software que lida com todas as funções da impressora. Não é que estes botões de comando sejam inestéticos ou pouco práticos, mas pelo menos desta forma o painel

PCGuia
BRONZE

de controlo fica muito mais limpo. Deste modo, os três únicos botões disponíveis permitem imprimir, cancelar a impressão ou retirar o efeito de olhos vermelhos. Refira-se ainda que o ecrã de 3,5” é suficientemente grande para lidar com as tarefas de impressão, sobre as quais falaremos a seguir, sendo ainda muito agradável em termos de cor. A resposta aos comandos é pronta. Quanto às funções disponibilizadas no ecrã táctil, activadas quando o utilizador liga uma pen drive à porta USB frontal (que também serve de porta PictBridge) ou introduz um cartão de memória no respectivo leitor, permitem fazer quatro coisas: ver as imagens, editá-las e imprimi-las, criar álbuns fotográficos e partilhar/gravar, opção que nos direcciona para o PC, mais precisamente para o software HP Photosmart Essential 2.0 que acompanha a D7460. A partilha pode ser feita através de e-mail ou por intermédio do serviço Snapfish da HP.

FABRICANTE HP PREÇO €229 CONTACTO 808 201 492 SITE www.hp.pt FICHA TÉCNICA Impressora a jacto de tinta térmico com sistema de seis tinteiros, resolução máxima de 4800 x 1200 ppp optimizados a cores, até 33 ppm a cores, alimentação máxima de 100 folhas (dois tabuleiros dedicados – um deles para 10x15cm) e saída máxima de 50, ligações USB 2.0 (PictBridge), Ethernet e 802.11g, 462,5 x 387,3 x 172,9 mm, 8 kg
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

Resta-nos falar da qualidade de impressão. Aqui, a D7460 tem ainda que evoluir, sobretudo no que à impressão de fotografias diz respeito. No que concerne à impressão de texto, nada a apontar. Mas, caso seja um utilizador que pretende imprimir fotografias de forma mais profissional, irá reparar não só que esta HP é lenta a produzir as imagens, como também a qualidade de impressão não é a melhor face à concorrência. Porém, se o objectivo for imprimir pontualmente fotografias e utilizar a impressora mais para tarefas de texto, a D7460 não comprometerá. De sublinhar ainda que esta HP utiliza um sistema de seis tinteiros, o que permite optimizar o consumo da tinta HP Vivera. J.P.F.

28

MAIO 2008

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

Lenovo ThinkPad X300
Um excelente investimento para quem procura um portátil topo de gama dedicado ao trabalho

D

epois de termos noticiado na edição passada o lançamento do Lenovo ThinkPad X300, temos finalmente – em primeira-mão e em exclusivo em terras lusas – um teste àquele que é o mais fino e leve portátil desta classe. Os números não enganam. O X300 tem apenas 22 mm de espessura (19 mm no ponto mais fino) e um peso de 1,44 kg na configuração testada, sobre a qual falaremos mais adiante. Podemos desde já adiantar que – pasme-se – inclui uma unidade óptica de gravação no chassis. A qualidade de construção é irrepreensível. Seja qual for a forma como se pega ou o ângulo por que se observa, é um portátil sólido que nem uma rocha, mantendo o X300 bem elevados os pergaminhos herdados da IBM. Outro elemento que marca indelevelmente a marca ThinkPad é o trackpoint. Aliás, este elemento (caracterizado no X300 pela cor vermelha) fará com que muitos utilizadores deixem de lado o touchpad. O teclado é outro dos elementos que o distingue de qualquer portátil – basta premilo para notarmos a diferença. O X300 estreia um ecrã de 13,3” com uma resolução de 1440x900 que parece maior do que realmente é, permitindo, por exemplo, encostar a barra de tarefas a um dos lados, ficando o restante espaço livre

OURO
para ter aberta uma janela do programa de e-mail, uma folha de texto ou de cálculo aberta. De salientar ainda o bom contraste que apresenta, apesar de recorrer a tecnologia LED, o que contribui para um menor gasto energético. Neste capítulo há um senão: a falta de distribuição luminosa uniforme por toda a tela (nada de preocupante, mas que pode provocar uma legibilidade fraca fora do ângulo óptimo de visualização). Como seria de esperar, os gráficos são tratados onboard, neste caso, através de um chip Intel X3100. A configuração contempla um CPU ultra low voltage Intel SL7100 a 1,2 GHz e apenas 1 GB de RAM. Mesmo assim, o novo ThinkPad lida com a maior parte das tarefas que se podem executar num portátil desta natureza, e não pense que estamos a referir-nos apenas a aplicações de produtividade e escritório. Se for preciso reproduzir um DVD, o X300 não terá quaisquer problemas, apresentando até um par de colunas que fazem corar alguns portáteis orientados para ambientes multimédia. Aliás, os 3170 marks obtidos no PCMark 05 representam uma boa marca para um CPU de baixa voltagem. A unidade de disco rígido montada apresenta 64 GB de capacidade, que se resumem a aproximadamente 40 GB disponíveis após a instalação do sistema operativo e da configuração

PCGuia

do X300, o que é pouco mesmo apesar da presença de uma unidade de gravação óptica. No entanto, o facto de se tratar de um disco solid-state faz com que a sua fiabilidade aumente perante situações inesperadas, como é o caso de eventuais pancadas, e que tenha um consumo de bateria menor. As opções de conectividade são demolidoras. Para além das portas físicas – três USB 2.0, uma Gigabit Ethernet e uma VGA –, as ligações wireless estão em grande, fazendo parte do seu léxico termos como WWAN e 3G com HSDPA (inclui um SIM Vodafone), WLAN (802.11a/ g/n) e Bluetooth. O software fornecido é igualmente interessante graças à suite ThinkVantage, seguramente uma mais-valia para qualquer tipo de utilizador. A garantia de três anos é um excelente indicador de fiabilidade. Resta falar de outra característica muito importante para o X300 – a autonomia. Na configuração testada, baseada numa bateria de três células, o tempo de duração médio foi de 3h06, que aumentou para as 6h30 com a substituição da drive óptica pela unidade de energia de três células extra (a bateria de baía custa 115 euros, sendo o processo de substituição simples de executar; basta remover um parafuso na base). Neste caso, o peso sobe ligeiramente para 1,58 kg. No entanto, convém salientar

que o X300 será vendido com uma bateria de seis células pelo preço abaixo indicado, o que nos leva a supor que a Lenovo terá mesmo razão quando diz que, quando combinada com a bateria de baía, o X300 obtém uma autonomia de até dez horas. Esta bateria de seis células provocará, contudo, um ligeiro acréscimo tanto no volume como no peso. Muito mais havia que dizer mas o espaço é curto. Para terminar, urge realçar alguns aspectos negativos, tais como a falta de uma porta de replicação ou a inexistência de uma saída DVI-I (e até mesmo de uma FireWire), concessões certamente provocadas pela aposta na portabilidade. No entanto, volto a reforçar a ideia que já tinha transmitido no editorial do mês passado: Para trabalhar, não me importava nada de ter um destes. J.P.F.

FABRICANTE Lenovo PREÇO €2500 (€2630 com a bateria de baía) SITE www.lenovo.com/thinkpad/ FICHA TÉCNICA CPU Intel SL7100 a 1,2 GHz), 1 GB de RAM, disco SSD com 64 GB, ecrã LED de 13,3”, chipset gráfico Intel X3100, unidade CDRW/DVDRW, WLAN Intel 802.11agn, Vodafone WWAN, Bluetooth, Gigabit Ethernet, leitor de impressões digitais, câmara, ThinkVantage UltraNav, Secure chip, Windows Vista Business 32 bits, garantia de três anos
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

9

30

MAIO 2008

BANCO DE TESTES HARDWARE
PCG

Pixma iP2600
Analisámos a nova impressora de entrada de gama da Canon

A

gama Pixma tem um novo membro. A iP2600 apresenta como argumento mais óbvio o preço, que é de resto a característica que mais salta à vista quando olhamos para a ficha técnica da impressora. Para utilizadores que precisem somente de um auxiliar para trabalhos de impressão pontuais, 50 euros é um preço muito apetecível e adequado. A iP2600 é uma impressora fotográfica de entrada de gama. Este facto impõe algumas concessões no que respeita à utilização. Repare que não tem qualquer leitor de cartões de memória, pelo que terá de usar o seu computador como interface quando quiser imprimir aquelas imagens especiais das férias (também não tem PictBridge). As velocidades anunciadas (22

ppm a preto e 17 ppm a cores) são razoáveis dado o preço do hardware, e a qualidade de impressão é satisfatória, mesmo no modo de rascunho. No modo normal, o texto revelou por vezes fontes com pouca definição, mas, mais uma vez, para trabalhos de impressão de simples documentos, é uma opção em conta. As fotos revelaram alguma luminosidade excessiva, mas as cores são vivas e fiéis à imagem original. Para obter melhores resultados, deverá respeitar um tempo de impressão superior. Feitas as contas, não é uma má opção. É um facto que por pouco mais consegue encontrar alguns aparelhos multifunções que adicionam outras opções úteis, mas a verdade é que as limitações da

iP2600 – impostas pelo seu baixo preço – não são impeditivas da atribuição de uma boa nota. J.T.

FABRICANTECanon PREÇO €50 CONTACTO 214 704 000 SITE www.canon.pt FICHA TÉCNICA Impressora jacto de tinta com quatro tinteiros e resolução até 4800 x 1200 dpi, alimentador de 100 folhas, ligação USB REQUISITOS MÍNIMOS Windows Vista/XP SP2/2000 Profissional; Pentium II 300 MHz; 128 MB de memória RAM, 400 MB de espaço livre no disco
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

PCGuia
BRONZE

Mic P530-9300
Um portátil com características pouco vistas, tais como o SO a 64 bits ou as duas portas Power USB
ão é todos os dias que se tem em mãos um computador portátil com um sistema operativo de 64 bits instalado. O Mic P530-9300 foi-nos enviado pela Micro Máquinas, que aposta num barebone discreto mas elegante q.b., maioritariamente dominado pelo preto. Destaca-se desde logo o ecrã panorâmico de 15,4”, sobre o qual existe uma câmara com 2Mp de resolução. Na parte inferior, lamenta-se a falta do keypad numérico junto do teclado, uma solução muitas vezes incluída em portáteis com ecrãs desta dimensão, mas aplaude-se a inclusão de um leitor biométrico, uma solução capaz de pôr um ponto final na memorização de palavras-passe. De sublinhar ainda a existência de quatro comandos sensíveis ao toque junto do botão de ligar/ desligar, que permitem lançar o browser,

PCGuia
BRONZE

N

o cliente de e-mail, activar as funções WOW vídeo e WOW áudio e desligar o som. Na configuração de hardware, salientam-se o processador Intel Core 2 Duio 9300 a 2,5 GHz, os 4 GB de RAM, o disco de 320 GB e a placa gráfica dedicada Nvidia GeForce 8600GT com

512 MB de memória. Todas estas funções indiciam o tipo de utilização a que este P530 se destina – jogos, multimédia e lazer, justificados pelos 3437 marks que o portátil obteve no benchmark 3D Mark 2006. De facto, esta deverá ser a utilização típica, até porque os quase três quilos de hardware não se transportam facilmente (de salientar que a Micro Máquinas oferece a mala de transporte) e a autonomia não é das melhores. No entanto, para quem queira andar com o P530-9300 atrás é oferecida uma segunda bateria, o que lhe confere maior tempo de autonomia mas também mais peso para

DISTRIBUIDOR Micro Máquinas PREÇO €1390 CONTACTO 214 704 500 SITE www.micromaquinas.pt FICHA TÉCNICA CPU Intel T9300 a 2,5 GHz, 4 GB de RAM DDR2 800, disco rígido 320 GB SATA 2, DVD-RW, ecrã glare 15,4” WXGA 1200x800, placa Nvidia 8600GT 512Mb, webcam com 2Mp, Wi-fi (com interruptor), Bluetooth, 2x USB 2.0, 2x Power USB (1A), 1x LAN 10/100, 1x 1394, saídas VGA e SVideo, leitor de cartões SD/MMC/MS, 1x ExpressCard, leitor biométrico, Windows Vista Home Premium 64 bits, 2,9 kg. Oferta de mala e de segunda bateria
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

carregar de um lado para o outro. Tal como referimos no início, o P530-9300 vem equipado com um sistema operativo que não de 32 bits, neste caso, o Windows Vista Home Premium, o que nos remete para o busílis da questão: até que ponto é que vale a pena instalar um SO de 64 bits? À partida, é um sistema mais sólido, com melhor desempenho e mais fiável. Na prática, não se notam grandes diferenças face à versão 32 bits, havendo até um handicap importante – o menor suporte em termos de drivers. J.P.F.

32

MAIO 2008

BANCO DE TESTES SOFTWARE
PCG

Acronis True Image 11 Home
O Acronis ganhou nome no mercado de aplicações de cópias de segurança. A nossa Redacção avalia a mais recente versão do software

PRATA

PCGuia

O

Acronis True Image é um software de backup bem conhecido e continua a ser uma das poucas aplicações deste estilo em que as pessoas estão dispostas a gastar dinheiro. A versão 11 é a mais recente do pacote e conta com algumas alterações que vale a pena mencionar. O Acronis Drive Cleanser, o File Shredder e o System Clean-Up protegem a privacidade destruindo dados pessoais, limpando o sistema e garantindo que não ficam dados perdidos no disco rígido. As cópias de segurança também não foram esquecidas. Neste caso, a criação de regras de criação automática de backups foi simplificada. Quer o utilizador queira fazer uma cópia de segurança de todo o disco rígido ou de apenas alguns ficheiros, o Acronis True Image é um software muito bem pensado, que assegura a devida atenção por parte do utilizador – todo o processo de criação de backups corre em background. Mesmo assim, a nossa experiência com

esta aplicação não esteve livre de críticas.

Restauro parado
Já conhecíamos versões anteriores deste software, pelo que a tarefa de transferir os backups para um novo disco rígido deveria ter sido muito simples. Imagine a nossa surpresa quando percebemos que tal não iria acontecer. O restauro do primeiro ficheiro, que tinha cerca de 80 GB, ficou parado nos 42 por cento. Tentámos cancelar o processo e começar um novo, algo que não deu os resultados esperados. Reiniciar o Vista foi a única opção, mas mesmo com a nossa drive externa devidamente formatada encontrámo-nos com o mesmo problema. Uma rápida procura nos fóruns online da Acronis deu-nos a entender que não estávamos sozinhos na busca por uma solução para este problema. Resolvemos seguir o conselho de um representante da empresa e instalar o mais recente update ao produto (Build 8053) e os controladores actualizados.

Finalmente, resolvemos a questão. Algumas cópias de segurança mais tarde conseguimos realmente verificar que o Acronis True Image 11 está à altura das melhores aplicações. Mesmo assim a correcção do problema que mencionámos foi possível apenas e só através de procura nos fóruns e do download de uma actualização. Falhas deste tipo não deveriam verificar-se em produtos acabados de lançar no mercado.

Funções
Com o processo de criação de uma cópia de segurança a funcionar normalmente, pudemos explorar o Acronis True Image 11 e verificar que o software está cheio de funcionalidades úteis. Fazer um backup de todo o computador é uma tarefa rápida e simples – de resto, o Acronis remove automaticamente ficheiros temporários que só iriam ocupar espaço sem necessidade. A nova opção Try & Decide permite testar novo software e navegar na Internet num ambiente protegido. No fim da sessão pode decidir se quer manter ou recusar as alterações efectuadas 34
MAIO 2008

no seu sistema. É mais um nível de protecção de backups e um extra muito importante. É triste termos de constatar, porém, que o Acronis True Image 11 tem uma falha grave na versão que está a ser lançada. Esperamos sempre correcções para problemas menores após o lançamento de uma aplicação, mas quando a falha tem consequências directas nas funções principais do software, não pode deixar de ser mencionada. Além de tudo, gastámos algumas horas a tentar resolver o problema. É um facto que a software house tem a solução para a falha, mas deveria mencionar tanto o problema como a resolução de uma forma mais clara no site. PCGUIA

DISTRIBUIDOR Sector Zero PREÇO €71,27 CONTACTO 210 300 310 SITE www.sectorzero.pt REQUISITOS DE SISTEMA Windows 2000 (SP4 ou mais recente), XP (SP2) ou Vista, 256 MB de RAM, processador de 300 MHz, 300MB de espaço livre no disco
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

BANCO DE TESTES SOFTWARE
PCG

Panda Antivirus + Firewall 2008
Está mais evoluído mas ainda há trabalho a fazer
ao sistema ou serviços como o Windows Mail e o Outlook). É também em Analisar que o Panda permite fazer uma análise profunda online. Neste caso, o programa recorre ao TotalScan Pro, que poderá demorar entre cinco minutos e uma hora a fazer a busca, conforme se pretenda uma pesquisa rápida ou completa. Se optar por este serviço, terá de instalar um programa no seu computador. Outra opção útil é aquela que permite detectar vulnerabilidades. Neste menu, é mais uma vez possível aceder à estatística, bem como consultar o relatório detalhado de todos os incidentes. Quanto ao menu Definições, apenas o aconselhamos aos utilizadores mais experientes, na medida em que permite a alteração ou o ajuste das configurações de acordo com as pela activação ou instalação em computadores diferentes. Há ainda a possibilidade de obter suporte técnico por correio electrónico; no entanto, o Panda aconselha sempre a visualização das FAQ antes de o fazer. Caso não se encontre uma solução, basta clicar em Seguinte e introduzir na janela apresentada o e-mail, o País de origem e a descrição do problema. No menu Serviços encontra-se ainda um útil assistente de criação de disco de emergência, que deverá ser usado para fazer o PC arrancar num ambiente limpo após este ter sido infectado. Não deixa de ser curioso que o programa ainda solicite ao utilizador que recorra a disquetes ou a um CD/ DVD. Tendo em conta que qualquer PC doméstico tem hoje uma unidade de (re)gravação de CD, talvez fosse uma boa altura para reformular este aviso. Em suma, o Panda Antivírus + Internet 2008 é um programa interessante que apresenta como principal cartão de visita a inclusão da tecnologia TruPrevent no seu motor heurístico. Está lá tudo o que é preciso para se ter uma experiência de navegação segura. Tanto o antivírus como a firewall fazem o que têm a fazer. No entanto, continua a mostrar alguns handicaps face a produtos rivais. Por exemplo, não permite que se trabalhe com os menus do programa enquanto estiver a decorrer uma pesquisa. J.P.F.
DISTRIBUIDOR Panda Security PREÇO Desde €49,95 (12 meses) CONTACTO 219 426 800 SITE www.pcseguro.pt REQUISITOS MÍNIMOS CPU a 300 MHz, 256 MB de RAM, 230 MB de espaço livre em disco, Windows 2000/XP (32 e 64 bits)/Vista (32 e 64 bits) FICHA TÉCNICA Inclui Panda Antivírus, firewall, antispyware, antiphishing, TruPrevent, antirootkit e ainda Panda TotalScan Pro
Qualidade/Preço Características Desempenho

á está disponível o Panda Antivírus + Firewall 2008, um software que permite a protecção contra vírus, spyware e hackers e que pode ser instalado em três computadores. Devemos começar por salientar que são várias as formas de adquirir este programa. Apesar de termos recebido a tradicional caixa, recomendamos que o faça via Internet, através do link http:// www.pcseguro.pt/shopping/ default_Info.asp?Id=114. Desta forma, poderá consultar as várias configurações do produto, que se resumem basicamente à duração do período de subscrição (12, 24 ou 36 meses), encontrando aquela que se adequa melhor às suas necessidades – isto caso queira instalar este produto. Será que vale a pena? Vamos tentar responder a esta questão. Depois de uma instalação sem problemas, o ecrã geral – que apresenta um aspecto arrumado apesar do grafismo sem sal – coloca à disposição alguns menus gerais. Em Home, o Panda resume o estado de protecção do sistema. Um pequeno gráfico permite ver se esta é baixa, média ou alta. Poderá ainda ver a quantidade de vírus e de spyware detectada, bem como de ameaças desconhecidas 36
MAIO 2008

J

e ataques bloqueados. A consulta à estatística é outro ponto interessante e consiste num gráfico que mostra os vários tipos de ameaças e a percentagem de cada um. De salientar que é possível filtrar esta informação por

Apresenta como principal cartão de visita a inclusão da tecnologia TruPrevent no seu motor heurístico
mês, semana, dia (actual) ou num intervalo de tempo definido pelo utilizador. Mais abaixo, é possível verificar o estado de protecção contra ameaças conhecidas e desconhecidas, da firewall, do controlo do nível de protecção e Internet e da protecção contra vulnerabilidades. É também aqui que se pode verificar o estado das actualizações e subscrições do programa. A actualização pode e deve ser feita de forma automática, passível de ser definida no menu Actualizar. A segunda opção do menu geral permite fazer a análise ao sistema, mais concretamente a todo o PC, a todos os discos rígidos, a todo o correio electrónico ou a outros elementos (dispositivos de armazenamento conectados necessidades e os gostos pessoais. Entre outros elementos, dá para configurar o antivírus, a firewall, o acesso à Internet ou os avisos, entre muitos outros elementos. Finalmente, o menu Serviços dá acesso a uma série de opções entre as quais se encontra o Suporte Técnico. Este pode ser feito através de Suporte Técnico na Web, que remete para uma página em Inglês onde é possível aceder a dois tipos de ajuda: Tech Supprt e Customer Service. Na primeira opção, é possível consultar as FAQ mais gerais, existindo ainda um motor de pesquisa selectiva. Na segunda, existem mais uma vez algumas FAQ em forma de tutoriais que ajudam em questões como o descarregamento do produto e a renovação da subscrição, passando

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

6

BANCO DE TESTES SOFTWARE
PCG

Registry Mechanic 7.0
Ponha ordem no Registo do sistema operativo do seu computador
xiste uma vasta gama de soluções no mercado que permitem alterar, optimizar e limpar o sistema operativo, nomeadamente no que ao Registo diz respeito. O objectivo principal de todos estes utilitários é um só: manter o sistema operativo em forma. E para isso cada um deles promete ganhos no desempenho geral e um aumento na velocidade de execução das tarefas do dia-a-dia. Outra coisa seria difícil de imaginar. Afinal de contas, quem é que compraria um software que prometesse piorar a condição geral do PC? Agora na sua versão 7.0, e sendo um dos mais populares programas nesta área, o Registry Mechanic deveria constituir de alguma forma uma oferta refinada. De facto, o Registo de um PC não é algo que deva ser deixado nas mãos de qualquer utilitário mal desenvolvido. Na pior das hipóteses, o leitor poderia ficar com o computador intocável tal a dimensão dos estragos. Felizmente, o Registry Mechanic actua rapidamente e permite demonstrar que não só é bem construído como também é possível confiar nele enquanto utilitário para lidar com o Registo. A aplicação apresenta uma interface adequada e atraente, expondo de uma forma apelativa

OURO

PCGuia

E

as funções na janela principal (pesquisar o Registo, compactar o Registo e optimizar o sistema). É sempre bom ter à mão uma aplicação que permita afinar o Registo. Isto porque, em determinada altura, passa a acumular uma grande quantidade de lixo. Por exemplo, de cada vez que se instala ou remove uma aplicação, é muito provável que fique um qualquer tipo de resíduo informático no Registo, como são os casos das chaves perdidas. Como tal, ter um Registo maior do que o desejável é uma consequência natural de uma utilização normal do PC. Foi com naturalidade que o Registry Mechanic descobriu que a nossa máquina de testes tinha um total de 355 problemas por resolver. Após a pesquisa, o programa revelou todos os detalhes das irregularidades detectadas no coração do sistema operativo, categorizando-as por temas, tais como extensões de ficheiros ou DLL partilhados, sendo exibidos por prioridade (elevada, média ou baixa). O directório relevante onde o problema é detectado também é exibido. Uma vez terminada a exploração das imperfeições, curá-las é tão simples quanto clicar em Repair. Alguns segundos depois, supostamente todas as falhas

detectadas são solucionadas – e no nosso teste foram mesmo, pois voltámos a correr uma pesquisa e obtivemos não 355 mas zero problemas. Este é um dado a reter, uma vez que já usámos programas semelhantes e raro foi aquele que conseguiu resolver tamanha quantidade de problemas logo à primeira tentativa. Qualquer mecânico de automóveis com uma reputação a defender deverá ser capaz de fazer mais do que simplesmente arranjar o problema que lhe for apresentado. Ora, o mesmo se passa com este software. Depois de ter pesquisado e reparado o Registo, o programa oferecenos um pouco mais, permitindo melhorar o desempenho do sistema ao remover espaços vazios e entradas redundantes. Quando o utilizador opta por esta solução, o Registry Mechanic volta a fazer uma pesquisa. No final, exibe o resultado – no nosso caso, conseguiu libertar 1 MB. Para além de tudo isto, o Registry Mechanic pode ficar a funcionar em plano de fundo, exibindo um ícone na área de notificação do sistema. Deste modo, é capaz de monitorizar tudo o que se passa no sistema operativo, avisando o utilizador sempre que ocorra

alguma tentativa de modificação do Registo. Apesar de esta característica não ser capaz de lhe ensinar alguma coisa de grande valor nem tão pouco de permitir diagnosticar potenciais problemas assim que eles acontecem, é muito bem-vinda num programa desta natureza e é sem dúvida alguma mais um ponto em seu favor. É certo que não podemos dizer que sentimos um ganho substancial no PC em termos de desempenho depois de termos instalado e executado este programa, mas também estaríamos a mentir se disséssemos que o sistema operativo não ficou mais estável depois de termos usado o Registry Mechanic 7.0. Melhor ainda, o preço mínimo (o qual apresentamos nesta análise) inclui o licenciamento para três máquinas. PCGUIA

EDITOR PC Tools PREÇO €29,95 (download) SITE www.pctools.com REQUISITOS DE SISTEMA Windows 95/98/ Me/NT 4.0/2000/Professional/XP/Vista, CPU Intel 486 (ou melhor), 168 MB de RAM, 7 MB de espaço em disco
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

9

38

MAIO 2008

BANCO DE TESTES SOFTWARE
PCG

AVG Internet Security 8.0
Nova interface, mais ferramentas. E quanto à protecção?
sta é uma daquelas análises em que o espaço que temos disponível simplesmente não chega. Tentamos pois fazer valer uma das máximas do jornalismo: ser conciso e colocar as ideias fulcrais no mínimo espaço possível. É que a nova versão do AVG tem realmente muitas alterações face aos produtos anteriores. As mais notórias dizem respeito à interface, que foi totalmente redesenhada, apresenta uma nova organização dos componentes e um layout completamente diferente. O ecrã principal conta agora com ícones para os diferentes módulos de protecção do seu computador, como sejam o antivírus, o antispyware, a firewall ou a aplicação de update da suite. Na tentativa de simplificar o acesso aos programas, a AVG parece ter dado, a partir deste menu, pouca liberdade ao utilizador. No painel do lado esquerdo, pouco mais é possível fazer do que pedir actualizações ou iniciar o processo de scanning do computador. Para aceder às opções avançadas, o leitor terá de recorrer à barra de menus, colocada no topo da janela

PCGuia
BRONZE

E

– também ela redesenhada. A instalação é simples e baseia-se num assistente de sete passos. Se estiver a instalar a suite a partir do CD, terá de desinstalar primeiro a aplicação de segurança que estiver a usar – mesmo que seja o AVG 7.5 ou a versão gratuita do AVG. Após a instalação, o programa pede ao utilizador que gaste algum tempo a configurar alguns dos componentes chave de protecção, como a firewall. Neste processo, poderá definir

que são potencialmente perigosos, dando ao cibernauta a hipótese de continuar a navegação ou de a cancelar. Infelizmente, em alguns casos não é dada informação específica sobre a ameaça, mas

O Internet Security 8.0 conseguiu bloquear com eficácia ficheiros nocivos provenientes de anexos de mensagens de e-mail
que programas têm acesso à Internet e que aplicações devem ser bloqueadas na sua tentativa de aceder à maior das redes. Entre as principais novidades do Internet Security está o Linkscanner, uma aplicação que foi embutida no software AVG após a aquisição da Exploit Prevention Labs. Com este programa, o browser assinala sites uma explicação genérica acerca da sua natureza. O Internet Security 8.0 conseguiu bloquear com eficácia ficheiros nocivos provenientes de anexos de mensagens de e-mail, de downloads de aplicações P2P ou de transferências de ficheiros em programas de instant messaging. Durante o processo de verificação de ameaças na máquina, verificámos que o motor de busca foi em determinados momentos responsável por um consumo exagerado dos recursos do sistema. No entanto, a aplicação tem uma barra que permite aumentar ou diminuir a velocidade do scan, e desta forma aumentar ou reduzir o consumo de recursos de sistema. Nas definições automáticas, o processo demorou 33 minutos e 47 segundos. Quando pedimos um scan mais rápido, o processo ficou concluído em 21 minutos e 42 segundos, mas o consumo de recursos aumentou

consideravelmente. No processo mais lento, o scan acabou em 40 minutos e 40 segundos. As ameaças foram quase todas identificadas e removidas, muito embora tenhamos verificado algumas dificuldades na identificação de sites de phishing. Neste aspecto particular, a suite dá mais importância ao que consegue bloquear no e-mail, através do antispam. No que concerne à eficácia da protecção, pouco há a dizer. O LinkScanner é um extra importante mas não parece ser um argumento decisivo no momento da compra. Por vezes, os avisos de potenciais ameaças que a suite faculta ao utilizador tornam-se intrusivos. O suporte técnico gratuito em Portugal (por telefone, e-mail ou acesso remoto) é uma mais-valia óbvia. As versões de dois anos de subscrição são claramente as opções mais vantajosas, quando comparadas com as restantes ofertas no mercado. J.T.
DISTRIBUIDOR Microplus PREÇO €54,43 (1 licença, 1 ano de subscrição); €84,68 (1 licença, 2 anos); €72,58 (3 computadores, 1 ano); €101,62 (3 computadores, 2 anos) CONTACTO 229 477 000 SITE www.avg.pt REQUISITOS MÍNIMOS Windows 2000, Windows XP, Windows Vista FICHA TÉCNICA Suite de segurança com antivírus, anti-spyware, anti-rootkit, firewall, anti-spam, HTTP scanner, AVG Active SurfShield, AVGSearchShield, System tools
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

40

MAIO 2008

BRAÇO-DE-FERRO PROCESSADORES
PCG

Guia completo

para CPU
Os processadores Quad-core da Intel e da AMD já estão disponíveis. A PCGuia avalia os novos modelos e investiga se ainda vale a pena recorrer a chips com dois cores
PCGUIA

O

ano 2007 foi complicado para a AMD. Durante muito tempo os seus processadores Dual-core foram cilindrados pela eficácia dos chips Core 2 da Intel. Para piorar as coisas, a AMD não tinha qualquer oferta no segmento Quad-core. Diga-se o que se disser sobre os benefícios dos processadores de quatro núcleos para PC, a verdade é que a Intel aproveitou esse facto para ganhar uma batalha importante no que concerne a relações públicas. Mesmo com a chegada do processador de quatro núcleos Phenom no fim de 2007, o panorama não melhorou muito para a AMD. Para começo de conversa, as velocidades de relógio anunciadas foram uma desilusão. A Intel tinha CPU de quatro núcleos no espectro dos 3 GHz, enquanto o chip Phenom mais rápido aquando do seu lançamento tinha 2,3 GHz. Como se isso não fosse suficientemente mau, a AMD revelou que todos os processadores baseados na sua arquitectura Quad-core K10 estavam vulneráveis a um bug de hardware. Quando sujeitos a tarefas específicas com elevadas necessidades de processamento, os 42
MAIO 2008

chips podiam ficar “pendurados”. A solução passou por alterações no BIOS. No entanto, o compromisso é óbvio: de acordo com a AMD os processadores com este problema oferecem 10 por cento menos de performance. Não são exactamente boas notícias dadas as baixas velocidades de relógio dos processadores da AMD. No geral, fica a ideia de que

A primeira empresa é muito maior que a AMD e dispõe de capacidades de pesquisa e desenvolvimento muito para lá do que a AMD pode auferir. Por outras palavras, não é simplesmente realista esperar que a AMD consiga bater os melhores processadores da Intel em todas as batalhas. Conseguir produzir chips que façam frente aos CPU da Intel

Conseguir produzir chips que façam frente aos CPU da Intel é uma vitória para a AMD
o Phenom foi lançado antes de estar realmente pronto por uma empresa sob pressão. Mas será que pensar isto é justo? Parte do problema deve-se às expectativas muito elevadas que a AMD criou sobre si mesma com o sucesso do Athlon 64. Com este processador multinacional venceu a Intel na corrida para os 64 bits – um facto comentado inúmeras vezes pela indústria. é, para sermos francos, só por si uma vitória para a AMD. É este o verdadeiro contexto em que o processador Phenom deve ser avaliado. É verdade que não consegue competir em performance pura com os processadores mais rápidos da Intel mas também não é essa a ideia. A verdadeira questão é saber se o Phenom consegue estabelecer uma posição sólida no mercado de gama média de processadores Quad-core. Afinal, é nesse espectro que a maioria dos utilizadores procura componentes. Queremos acrescentar um último comentário ao Phenom. Para este

A questão Phenom
A realidade porém é que existe uma enorme diferença entre a AMD e a Intel no que concerne à dimensão e aos recursos.

teste recebemos um processador de 2,6 GHz que ainda não está disponível (provavelmente só a meio de 2008). Assim, baixamos o multiplicador do chip para simular a performance do modelo de 2,3 GHz (9600). No entanto, tenha em consideração que os resultados obtidos dizem respeito a um processador de 2,6 GHz – algo que a AMD não tem disponível em volume hoje em dia. Claro está que o debate acerca dos méritos do Phenom assume que quatro núcleos são melhores do que dois. Esta questão mereceria um dossier especial na PCGuia, mas algumas linhas vão ter que bastar. Quando falamos de suporte para multi-threading, o software não tem hardware que o acompanhe. Significa isto que a experiência de utilizador disponível com os chips Quad-core é muitas vezes desapontante. Por outro lado, muitas aplicações com exigentes níveis de processamento suportam CPU Quad-core. Não existe qualquer dúvida que os chips Quad-core são a melhor aposta para um futuro próximo. O suporte para multi-thread está, de resto, na ordem do dia. Há uma nova geração de jogos para multi-core a emergir. Como consequência, as equipas de

FRENTE-A-FRENTE: PROCESSADORES DE ENTRADA DE GAMA
Intel Pentium Dual-Core E2180 2 GHz Intel Core E6750 2,66 GHz
uma primeira análise, o E6750 parece assumir-se como o compromisso óbvio entre preço e desempenho na gama Core 2 Dual-core. Tem 4 MB de cache, uma velocidade relógio de 2,66 GHz e uma frequência de bus de 1333 MHz. Mas justifica o aumento de preço quando comparado com o E2180? Numa palavra, sim. Sem mexermos

D

ê um pouco da sua atenção a este chip. O E2180 oferece somente 2 GHz e 1 MB de cache, sofrendo ainda de um bus de somente 800 MHz. Muito pouco quando comparado com o Core 2 Extreme QX9770, com 3,2 GHz, 12 MB de cache e um bus de 1600 MHz. É engraçado que mesmo com estas características este processador ofereça resultados

muito razoáveis. Agradeça o facto de se basear na arquitectura Core 2, independentemente de ter a marca Pentium. Assim, oferece um desempenho suficiente para jogos e vídeo de alta definição. Mas o que dizer das capacidades de overclocking deste chip? Bastará mencionar que atinge 3 GHZ com o sistema de refrigeração de série e voltagens standard. Este processador oferece performance comparável a qualquer modelo Dual-core mais caro. E tudo a um preço muito competitivo.
PREÇO €72 SITE www.intel.com VEREDICTO

N

nas definições, é duas vezes mais rápido. Para sermos honestos, tem uma performance mais do que suficiente para a maioria das tarefas diárias. Mesmo os codecs de vídeo de alta definição mais exigentes como o H.264 não são ameaça. Não deixe que a tecnologia de 65 nm o desanime. Graças ao desenvolvimento sistemático da arquitectura Core 2, este chip tem invejáveis potencialidades de overclocking.

OURO

PCGuia

9

OURO

PCGuia

PREÇO €160 SITE www.intel.com VEREDICTO

9

desenvolvimento estão a ser forçadas a focar-se no desafio multi-threading. Veja por exemplo quão eficaz é o update multi-thread da Valve para o jogo «Half-Life 2». Os processadores Quad-core obtêm frame rates muito elevadas com a última versão do motor Source.

Com Quad ou sem Quad?
Se a questão Dual versus Quad se coloca tanto no campo da AMD como da Intel, existe uma outra pergunta no que concerne à plataforma. A AMD fez muito barulho com a Spider quando do lançamento do processador Phenom. Esta envolvia a ideia de que o resultado é maior do que a soma das partes – um argumento que nós percebemos e pelo qual temos toda a simpatia. Graças à aplicação de overclocking da empresa (Overdrive), o chipset da série 7 é uma escolha adequada para a grande maioria dos utilizadores. Mas será suficiente para fazer esquecer as fragilidades do componente mais importante, o CPU Phenom? No que concerne à oferta da Intel, pouco há a dizer. A companhia

oferece processadores Dualcore e Quad-core para todas as gamas de mercado. Uma das dúvidas para a qual procuramos resposta é a seguinte: valerá a pena comprar um dos últimos processadores Core 2 de 65 nm a um preço reduzido ou devemos esperar pela gama de produtos de 45 nm? No que respeita à velocidade de relógio, os CPU de 45 nm não são propriamente uma revolução. Mas esta é uma arquitectura mais eficiente no que toca a gastos energéticos – e este é um argumento muito importante. O modelo QX9770 Extreme vai conseguir atingir 4 GHz com uma ventoinha normal e com voltagens standard. Se mudar o sistema de dissipação e alterar as voltagens obtém valores significativamente acima dos 4 GHz. Dadas as dificuldades que a Intel sentiu há uns anos ao lançar chips Pentium 4 Single-core acima dos 3 GHz, este feito adquire uma maior importância. Este mês, preparámos um teste que reflecte a transição de 65 nm para 45 nm e o facto de a oferta
MAIO 2008

43

BRAÇO-DE-FERRO PROCESSADORES
PCG

da AMD ser, por hora, escassa. De seis propostas temos apenas uma da AMD.

Intel intocável
A representar a gama de processadores Dual-core do gigante norte-americano está o chip E2180, um CPU de 2 GHz com uma cache de apenas 1 MB, bem como o E6450, um modelo com um desempenho superior ao Core 2 mais rápido lançado em 2006. No segmento Quad-core, as propostas são todas de 45 nm. Ambos os chips topo de gama (Extreme) são analisados, apenas para provar que a Intel tem uma oferta inigualável neste campo. Mas também testámos um dos primeiros chips Quad-core de 45 nm, o Q9550. É um processador a 2.85 GHz com um bus de 1333 MHz. Quanto a conclusões gerais, os benchmarks não mentem. O Phenom é simplesmente muito lento (2,3 GHz) para ser relevante. Da mesma forma, salta à vista o facto de os processadores Quad-core não terem adversários no que respeita a processamento. Mas o que dizer das potencialidades de overclocking dos processadores

Um processador visto à lupa

Dual-core da Intel, que estão muito baratos? Para sermos honestos, para a maioria das pessoas e para a grande maioria das tarefas, o modelo E2180 acelerado a 3 GHz é mais do que suficiente. Uma óptima notícia para leitores

com orçamentos reduzidos. Se, no entanto, é um utilizador que não se importa de gastar mais dinheiro em informática, então as propostas Quad-core devem tomar toda a sua atenção. Estes chips apresentam uma performance que simplesmente

não se consegue obter com uma oferta Dual-core. É um facto óbvio e que fica empiricamente demonstrado, se fizer a experiência de trabalhar com um Dual-core depois de estar habituado ao desempenho sólido de um processador Quad-core. ■

FRENTE-A-FRENTE: PROCESSADORES QUAD-CORE A PREÇOS RAZOÁVEIS
AMD Phenom 9600 2,3 GHz
e quisermos simplificar as coisas, podemos dizer que existem dois caminhos para atingir melhorias de desempenho: alterar as velocidades de relógio ou desenvolver uma arquitectura que consiga processar muitas instruções num único ciclo de relógio. Infelizmente para a AMD, o Phenom não consegue fazer nem uma coisa nem outra.

Intel Core 2 Q9550 2,83 GHz
ão quatro núcleos de processamento a 2,83 GHz, com 12 MB de cache e um bus de 1333 MHz baseados na tecnologia de 45nm. Esta é a versão curta daquilo que faz realmente um excelente processador – como é o caso. Como o primeiro membro de mainstream do espectro de 45 nm da Intel, apresenta também um preço razoável.

S

Por ora, os 2,3 GHz são o melhor que a AMD tem para oferecer. Mas o verdadeiro problema é o facto de a arquitectura que está na base do Phenom não ser muito mais rápida, na prática, do que aquela que deu azo aos chips Athlon 64. Como demonstram os nossos resultados de benchmark, mesmo a correr a 2,9 GHz, o Phenom fica atrás da oferta de 2,8 GHz da Intel. A verdade é que a AMD ainda vai ter de baixar o preço deste chip para o tornar realmente competitivo, dadas as suas lacunas.
PREÇO €225 SITE www.amd.com VEREDICTO

S

É certo que vai ter brevemente a companhia do Q9450 a 2,66 GHz e do modelo Q9300 a 2,33 GHz. Mas podemos garantir-lhe que, se puder despender este valor por um processador, não vai ficar despontado. Seja quais forem as suas necessidades de processamento, ele dá conta do recado. Além disso, dispõe de uma margem para overclocking quase tão grande como o QX6950.

PCGuia
BRONZE
44
MAIO 2008

PREÇO €480 SITE www.intel.com

7

OURO

PCGuia

VEREDICTO

9

BRAÇO-DE-FERRO PROCESSADORES
PCG

Comparação da arquitectura AMD: Phenom vs. Athlon 64 no modo Single-thread forçado
Half-Life 2: Episode 2
1
CPU
ATHLON 64 2,6GHZ PHENOM 2,6GHZ 75 80 85 90 FRAMERATE: MAIS É MELHOR 76fps 86fps

3

H.264 1080p descodificação de vídeo (dois streams)
CPU
ATHLON 64 2,6GHZ PHENOM 2,6GHZ 55 60 65 70 UTILIZAÇÃO DO CPU: MENOS É MELHOR 65% 60%

Sisoft Sandra SSE floating point
CPU
ATHLON 64 2,6GHZ PHENOM 2,6GHZ ÍNDICE CPU: MAIS É MELHOR 27,009fit/s 32,632fit/s 20k 25k 30k 35k

4

Sisoft Sandra integer
2
CPU
ATHLON 64 2,6GHZ PHENOM 2,6GHZ 7.5k 8k 8.5k 9k RAM: MAIS É MELHOR 8,210MIPS 8,684MIPS

1

Selecção de socket

2

Força bruta

3

Uma questão de cache

Tradicionalmente, uma das vantagens da AMD. E continua a sê-lo hoje. O roadmap da empresa para o futuro prevê a retrocompatibilidade de chips para a plataforma AM2+.

A AMD sabe que a sua arquitectura nativa Quad-core lhe assegura vantagens palpáveis. Os CPU Quad da Intel são constituídos por um par de processadores Dual-core.

Os chips de 45 nm da Intel oferecem uma cache de 12 MB (a oferta da AMD tem 4 MB). Mas o Core 2 seria uma boa proposta mesmo com menos do que isso.

4 Quanto mais memória, melhor

Teoricamente, o suporte da Intel para memória DDR3 parece ser uma vantagem. Na prática, o controlador de memória integrado da AMD significa que a largura de banda deixa de ser um problema. E o DDR2 é muito mais barato.

FRENTE-A-FRENTE: CHIPS A PREÇOS MUITO ELEVADOS
Intel Core 2 Extreme QX9650 3GHz Intel Core 2 Extreme QX9770 3,2GHz
e quer comprar o processador mais rápido do mercado, é este QX9770. Isto, claro está, caso possa encontrá-lo à venda, algo que, aquando da redacção deste artigo, provou ser muito complicado. Se esta questão da disponibilidade já estiver resolvida quando ler este artigo,

A

relação qualidade/ preço deve ser sempre um elemento em consideração quando tem em conta este nível de preço. Neste caso, por exemplo, existe algum desequilíbrio. Um facto que fica a dever-se em parte à chegada do Q9550 (mais barato). Repare que a diferença de preço não justifica os 170 MHz a mais e o

multiplicador desbloqueado que o QX9650 oferece. De resto, a arquitectura de 45 nm é a mesma. Nos nossos testes, nem foi muito propenso a overclocking (3,5 GHz). Além disso, se pretende gastar muito dinheiro, faz sentido não parar por aqui e seguir para o modelo QX9770 – o processador mais rápido do mercado.

S

encontrará um processador com uma velocidade de relógio de 3,2 GHz e uma frequência de bus de 1600 GHz. É claramente o CPU mais rápido do planeta e as voltagens fazem com que seja ainda possível acelerá-lo mais. No entanto, a experiência de utilização não é muito diferente da do Q9550 – um modelo muito mais barato.

PCGuia
BRONZE
46
MAIO 2008

PREÇO €880 SITE www.intel.com VEREDICTO

7

PRATA

PCGuia

PREÇO €1190 SITE www.intel.com VEREDICTO

8

BRAÇO-DE-FERRO PROCESSADORES
PCG

Explicação de resultados
Todos os testes foram feitos num sistema com o Windows Vista 32Bits auxiliado por 2 GB de RAM e por uma GeForce 8800GTX. Testámos uma grande variedade de aplicações, desde software de descodificação de vídeo de alta definição até jogos e benchmarks sintéticos. Note como os chips Dual-core se comportaram quando comparados com processadores Quad-core. Para ter uma ideia melhor, também colocámos alguns números que comparam o chip Phenom e o antigo Athlon 64 no modo de núcleo único. Como seria de esperar, o Phenom não é um avanço revolucionário. Configuração
Dual-core Dual-core Quad-core Quad-core, dual-die Quad-core, dual-die Quad-core, dual-die

Benchmarks
Quando os números querem realmente dizer alguma coisa
CPU
INTEL PENTIUM DUAL-CORE E2180 INTEL CORE 2 E6750 AMD PHENOM 9600 INTEL CORE 2 Q9550 INTEL CORE EXTREME QX9650 INTEL CORE 2 EXTREME QX9770

Preço
€72 €160 €225 €480 €880 €1190

Web
www.intel.com www.intel.com www.amd.com www.intel.com www.intel.com www.intel.com

Velocidade do núcleo
2GHz 2.66GHz 2.3GHz 2.83GHz 3GHz 3.2GHz

Memória Cache
1MB L2 (shared) 4MB L2 (shared) 2MB L3 (shared), 4x 512k L2 2x 6MB L2 (shared per die) 2x 6MB L2 (shared per die) 2x 6MB L2 (shared per die)

Socket
LGA775 LGA775 AM2+ LGA775 LGA775 LGA775

Tecnologia
65nm 65nm 65nm 45nm 45nm 45nm

Codificação X.264
CPU
INTEL PENTIUM DUAL-CORE E2180 INTEL CORE 2 E6750 AMD PHENOM 9600 INTEL CORE 2 Q9550 INTEL CORE EXTREME QX9650 INTEL CORE 2 EXTREME QX9770

FRAME RATE: QUANTO MAIOR MELHOR
56fps 78fps 130fps 150fps 167fps 25 50 75 100 125 150 175 200 225

Cinebench multi-thread
CPU
INTEL PENTIUM DUAL-CORE E2180 INTEL CORE 2 E6750 AMD PHENOM 9600 INTEL CORE 2 Q9550 INTEL CORE EXTREME QX9650 INTEL CORE 2 EXTREME QX9770

CPU - REPRODUÇAO: QUANTO MAIOR MELHOR
250 171 119 85 75 71 50 75 100 125 150 175 200 225 250

Sisoft Sandra largura de banda de memória
CPU
INTEL PENTIUM DUAL-CORE E2180 INTEL CORE 2 E6750 AMD PHENOM 9600 INTEL CORE 2 Q9550 INTEL CORE EXTREME QX9650 INTEL CORE 2 EXTREME QX9770

TESTE À INTERFACE DA MEMÓRIA: QUANTO MAIOR MELHOR
3.79 7.17 9.51 7.28 7.41 8.11 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Crysis CPU benchmark (velocidade standard)
Placa gráfica
INTEL PENTIUM DUAL-CORE E2180 INTEL CORE 2 E6750 AMD PHENOM 9600 INTEL CORE 2 Q9550 INTEL CORE EXTREME QX9650 INTEL CORE 2 EXTREME QX9770

FRAME RATE: QUANTO MAIOR MELHOR
34fps 56fps 45fps 63fps 69fps 74fps 20 30 40 50 60 70 80 90 100

Crysis CPU benchmark (Overclocked)
CPU
INTEL PENTIUM DUAL-CORE E2180 INTEL CORE 2 E6750 AMD PHENOM 9600 INTEL CORE 2 Q9550 INTEL CORE EXTREME QX9650 INTEL CORE 2 EXTREME QX9770

FRAME RATE: QUANTO MAIOR MELHOR
53fps 68fps 53fps 74fps 76fps 84fps 20 30 40 50 60 70 80 90 100

48

MAIO 2008

INTERNET TOP 10 NACIONAL
PCG

A nova ciber-rádio
Os sites das rádios portuguesas são muito mais do que simples páginas estáticas com referência às frequências de emissão
JOÃO TRIGO

Internet impôs um esforço de adaptação às estações de rádio. O ciberespaço, encarado no início por alguns animadores de rádio como uma ameaça, revelou ser o parceiro perfeito para as rádios nacionais, que oferecem nos seus sites oficiais produtos complementares e mais conteúdo. A rádio deixou de ser apenas e só um veículo de comunicação falada para, através dos seus endereços Web, ser um provedor de serviços abrangentes. Podcasts, RSS e vídeos são apenas três dos exemplos.
RÁDIO COMERCIAL

A

M80

http://m80.clix.pt

últimas notícias e estão disponíveis dossiers especiais sobre temas actuais. Na nossa opinião, melhoraria se beneficiasse de algum dinamismo.
CIDADE FM

http://cidadefm.clix.pt

http://radiocomercial.clix.pt

a rádio apresenta diariamente nas suas emissões radiofónicas. Encare www.tsf.pt como um portal informativo. Repare na barra lateral esquerda. Além da grelha da rádio, pode encontrar as mais recentes informações segmentadas de acordo com a sua natureza (Portugal, Internacional, Economia e Desporto, entre outras áreas). O cibernauta pode recorrer a RSS para receber as notícias no seu computador e está disponível ainda a opção Podcast. Veja ainda os dossiers especiais e o arquivo de entrevistas da TSF, no fundo do site.
RÁDIO CLUBE PORTUGUÊS

http://radioclube.clix.pt
Ao longo dos últimos anos, o site da Rádio Comercial foi alvo de várias mudanças gráficas, que foram “apurando” o design e o layout do endereço oficial. A página principal dispõe do ranking TNT (Todos No Top), de links para as principais notícias do dia, para informações de trânsito actualizadas e para uma área de vídeos de várias bandas internacionais e nacionais. Através deste endereço pode ainda conhecer um pouco melhor os animadores da rádio. Se quiser colocar a emissão de rádio no seu blogue pessoal, dê uma vista de olhos no canto inferior direito. Tem opção de podcast.
TSF

É uma das rádios nacionais mais recentes, mas tem vindo a ganhar fãs. Emite música dos anos 70, 80 e 90, pelo que consegue recolher as preferências de muita gente (como acontece com toda a redacção da PCGuia). O site é simplista e não prima pela diversidade de conteúdo. Mesmo assim, além de informações directamente ligadas à rádio ou à emissão no ar, o visitante pode encontrar temas engraçados em secções como Perdidos no Tempo, que leva o cibernauta ao passado – neste caso, aborda a história da malinha do Sport Billy.
ANTENA 1

http://antena1.rtp.pt

Um site leve e jovem para um público maioritariamente adolescente é o que pode encontrar em http://cidadefm.clix. pt. O endereço oficial da Cidade FM apresenta uma home page com pouca informação, mas a tradicional barra de navegação, colocada do lado esquerdo da página, garante o acesso às principais áreas do endereço da rádio. Está disponível a opção de Podcast para ouvir alguns dos programas já emitidos no seu computador, e uma secção para telemóveis (Mobile), onde pode comprar toques com as músicas dos seus artistas preferidos.
RÁDIO RENASCENÇA

www.tsf.pt
Dispensa apresentações. O site da TSF vai muito para além do que 50
MAIO 2008

O site do Rádio Clube Português apresenta uma grande quantidade de informação na página principal, o que pode transmitir, à primeira vista, a ideia de confusão. No entanto, uma olhadela mais atenta revela uma página estruturada e com uma barra superior que ajuda a navegação nas várias secções da presença do RCP na maior das redes. Está disponível o RSS e o visitante tem à sua disposição a opção de assinatura da newsletter.

www.rr.pt

A Antena 1 faz parte do grupo Rádio e Televisão de Portugal (RDP) e é parte integrante da história da rádio portuguesa. O site está ligado directamente ao endereço da RTP. Partilha com ele um layout comum e uma imagem institucional. A informação está muito bem estruturada e a organização dos temas confere-lhe personalidade. A barra do lado direito apresenta as

A página principal oferece notícias actualizadas e apresenta os principais destaques da

programação da Rádio Renascença, como a Bola Branca (programa desportivo). Procure a área informativa para ler os títulos da actualidade. Dê um salto ainda às áreas de Música e Trânsito. A secção Exclusivo conta somente com wallpapers sobre a rádio. Gostaríamos de ver nesta área algo mais do que apenas este tipo de conteúdo. Estão disponíveis RSS e Podcast.
BEST ROCK

RÁDIO MOZART

http://tv1.rtp.pt/radiomozart

http://bestrock.clix.pt

O nome da rádio dá a entender a sua natureza. Colocamos o endereço nesta selecção por ser uma rádio especializada em música clássica. O site peca pela pouca variedade de conteúdo (retirado do Jornal de Letras), embora os textos estejam devidamente ilustrados com slideshow de imagens temáticas. O design é sóbrio, mas falta-lhe maior dinamismo.
RÁDIO OXIGÉNIO

Rock é a palavra de ordem nesta estação de rádio e o endereço http://bestrock.clix.pt espelha a orientação musical da emissora. A home page é simples, muito embora apresente um banner dinâmico sobre bandas deste estilo de música. Em cima desse banner pode ver-se uma barra horizontal de navegação para áreas informativas sobre concertos em Portugal, notícias das suas bandas preferidas, agenda musical e para os passatempos da estação de rádio. Se for até à área Live, pode ouvir a emissão em directo.

www.oxigenio.fm
É na opinião da maioria da nossa Redacção o site visualmente mais atraente da selecção que aqui publicamos. A ilustração que serve de home page tem áreas sensíveis ao ponteiro do rato. Se clicar em cima de uma delas, entra em secções específicas do site, como Programa e Rubricas, Emissão Online ou Equipa Oxigénio. A originalidade e criatividade são as principais características do endereço oficial desta rádio de música alternativa. Vale mesmo a pena visitar www. oxigenio.fm, mesmo que não seja ouvinte assíduo. ■

Pedro Ribeiro,
director da Rádio Comercial
Figura indissociável da rádio em Portugal, Pedro Ribeiro começou a utilizar a Internet quando esta apareceu. Na altura, os modems não permitiam navegações a velocidades muito elevadas, mas o director da Rádio Comercial já era utilizador assíduo da maior das redes. «Profissionalmente, permitiu-me trabalhar de outra forma», garante, referindo que, até então, «utilizava telex e máquina de escrever». Acima de tudo, Pedro Ribeiro conseguiu aceder a informações sobre o mundo da música muito mais rapidamente e com maior facilidade. Em 1994, «tinha um programa com o Carlos Marques e com o Nuno Markl e foi na altura que assistimos ao nascimento de nomes como o Terravista e o Sapo». O animador de rádio assume-se como um adepto das compras online e não tem receio de falhas de segurança. «Nunca tive qualquer problema», explica, sublinhando ainda que só faz compras em sites assinalados como protegidos. Além disso, recorre a uma conta específica para compras na Internet (sistema PayPal). As compras são de todas as natureza, desde produtos para a casa no Continente online (www. continente.pt) até filmes em DVD ou livros na loja Amazon do Reino Unido (www.amazon.co.uk). Todas as manhãs, Pedro Ribeiro consulta os sites dos três jornais desportivos nacionais (Record, A Bola e O Jogo), bem como o endereço do Mais Futebol (www. maisfutebol.iol.pt). Além destas visitas, viaja sempre por alguns jornais portugueses, como o Sol, o Expresso, o DN e o Correio da Manhã, mas o seu blogue pessoal (http://osdiasuteis.blogs.sapo.pt) é o ponto de partida para blogues de amigos e conhecidos, onde gosta de partilhar comentários e ideias. A Tertúlia Benfiquista (http://tertuliabenfiquista.blogs. sapo.pt) é um dos blogues que não dispensa uma visita assídua. O site da Rádio Comercial (http://radiocomercial.clix.pt) tem “o dedo” de Pedro Ribeiro, que procurou definir com a equipa de design «um endereço mais atraente, funcional e com conteúdos diferenciados da concorrência».

MAIO 2008

51

INTERNET GUIAS
PCG PCG

Combata as ameaças
provenientes da Internet
O browser é o elo mais fraco em relação à segurança de um computador. Neste artigo mostramos-lhe como navegar sem problemas
PCGUIA

número e o grau das ameaças que aparecem diariamente na Internet estão a mudar, mas não para melhor. É quase impossível para qualquer utilizador normal manter-se a par das mais recentes ameaças e técnicas usadas pelos hackers e pelas organizações criminosas que usam a Internet como base das suas operações.
52
MAIO 2008

O

Todos os dias são inventados e aplicados novos métodos que têm como objectivo comprometer a segurança dos computadores e respectivos utilizadores. Por muito que as associações e empresas tentem, há uma realidade à qual não conseguimos fugir: os hackers e os criminosos que exploram a Internet determinaram como principal objectivo de vida estarem sempre um passo à frente das companhias de segurança,

INTERNET GUIAS
PCG PCG

algo que têm conseguido fazer. Neste jogo do gato e do rato quem está há muito a ganhar são os maus da fita, e o facto de não se regerem por motivos éticos ou morais não facilita em nada a vida das potenciais vítimas. Conseguem definir como alvo o que querem e quem querem. Por regra, e porque é sempre mais fácil explorar as vulnerabilidades do elo mais fraco, o browser é sempre um dos acessos mais contemplados. A ideia de atacar um PC através do browser não é exactamente uma táctica recente, mas é, sem dúvida, a mais usada no meio. Virtualmente, todos os browsers têm vulnerabilidades. O código do próprio browser é, em alguns casos, o principal responsável pelas ameaças, mas não o único. Pode dar-se o caso de a responsabilidade ser das tecnologias suportadas por esse browser. Estamos a falar de Java, ActiveX, Javascript e mesmo Flash. À parte destas tecnologias, não podemos deixar de referir que muitos ataques aproveitam

os buracos deixados pelos inúmeros plug-ins e add-ons que a maior parte dos utilizadores instala e usa para conseguir personalizar ao máximo a sua navegação na Internet. Apesar de todos os avisos e de todas as promessas de aplicações que garantem a segurança da sua máquina, ninguém se pode esquecer que o browser continua a ser uma espécie de queijo suíço do PC. Existe uma regra que os utilizadores têm de ter sempre presente: nada é 100% seguro e, hoje em dia, não basta evitar navegar em sites considerados perigosos para evitar ser alvo de uma qualquer ameaça. Por vezes, basta consultar uma página perfeitamente inofensiva para se expor ao perigo. Um site pode ser alvo de um ataque que explora uma falha que existe no browser, o que quer dizer que em poucos segundos o seu computador pode passar a alojar spyware, adware ou keyloggers. Também há a possibilidade de o seu PC ser transformado num zombie, podendo, desta forma, ser controlado remotamente. Tudo isto parece uma cena digna de um filme de terror, mas a realidade é que basta entrar no sítio errado, à hora errada, com o browser errado para ter de lidar com um problema sério. Há já alguns anos, havia uma técnica bastante simples para os utilizadores evitarem

problemas de segurança. Bastava abdicarem do Internet Explorer em prol de um browser mais seguro, como o Firefox, por exemplo. Apesar de este último ainda ser considerado uma alternativa mais segura ao IE, especialmente se nos estivermos a referir a versões anteriores ao IE7, isto não significa que ele seja imune a ameaças na Internet. De acordo com dados facultados por uma empresa de Segurança, Secunia, em 2007, foram detectadas cerca de 15 falhas de segurança nas versões 2.x do Firefox, 15 associadas ao IE 6.x e oito ligadas ao Opera 9.x. Ou seja, ninguém pode julgar um browser pelo seu nome. Todos eles têm vulnerabilidades e podem comprometer a segurança da sua máquina a qualquer momento. Lembre-se que, mesmo que não tenham quaisquer falhas hoje, não significa que não as tenham amanhã. Não existe um elixir milagroso capaz de proteger de forma 100% eficaz o seu browser e o seu computador de todos os perigos. O combate às ameaças que assolam os browsers tem por base um processo com vários passos, que necessita de algum trabalho e de um nível de compromisso a longo prazo. Felizmente, temos alguns truques e dicas capazes de o ajudar neste processo. Que o combate comece.

Updates essenciais
Há inúmeras técnicas que tem de seguir para conseguir combater as ameaças ao seu browser, mas nenhuma delas é tão importante como a seguinte: manter sempre o software actualizado. Todas as versões de um browser têm vulnerabilidades, que podem ser facilmente exploradas pela ameaça certa. Conforme são descobertas, estas vulnerabilidades são rectificadas através de patches de segurança que vão sendo lançados, como acontece frequentemente com o IE, ou com o lançamento de versões totalmente novas, como acontece com o Firefox. As empresas responsáveis por estas soluções procuram corrigir, o mais rapidamente possível, as falhas de segurança existentes, mas para que um utilizador tenha acesso a estas correcções, sempre que elas saem, terá de ter uma preocupação presente: actualizar permanentemente o browser, sob pena de ser um alvo fácil.

> Browsers camuflados
Engane os servidores Web levando-os a pensar que está a utilizar um browser diferente
Sempre que visita um site, o seu browser envia informação ao servidor Web acerca das suas características. Este tipo de informação permite que o servidor consiga determinar que browser está a ser utilizado e que tecnologia suporta. Por exemplo, o servidor pode exigir o uso do Internet Explorer para que o utilizador possa visualizar um determinado site. Infelizmente, este tipo de informação que é fornecida aos servidores pode colocá-lo em perigo. O servidor consegue identificar que plataforma o browser utiliza e a respectiva versão, logo, os sites que escondem as ameaças também ficam a saber como devem actuar para infectarem o seu PC com sucesso, explorando as falhas que a versão do browser que está a usar tem. É exactamente por esta razão que é boa ideia implementar uma solução capaz de alterar a informação passada pelo seu browser. Se está a usar o Firefox, a ferramenta ideal para usar chama-se User Agent Switcher. Este programa permite-lhe definir um conjunto de valores que pode alterar livremente, ou seja, na prática isto quer dizer que pode usar à vontade várias “identidades” para o seu browser. Se estiver a utilizar o IE7, então dê um salto até ao www.ie/pro.com. Está disponível um add-on gratuito que lhe permite alterar o user agent string, entre outras coisas.

54

MAIO 2008

INTERNET GUIAS
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

CONFIGURE O MCAFEE SITE ADVISOR

01

Instale o McAfee Site Advisor a partir de www.siteadvisor.com. Esta ferramenta será instalada como um add-on do browser. Coloca um ícone rectangular no canto inferior direito do seu browser com a cor que identifica o grau de perigo que aquele site em particular oferece.

02

Clique no ícone do SiteAdvisor e escolha View site details. Esta operação irá chamar uma página a partir da qual conseguirá obter informações detalhadas sobre o site em questão.

03

Para o ajudar a manter-se seguro enquanto navega na Internet, o SiteAdvisor anexa aos resultados das suas pesquisas efectuadas no motor de busca informação sobre os sites. Se colocar o cursor sobre o ícone que aparece à frente do resultado da pesquisa o SiteAdvisor mostrar-lhe-á os detalhes sobre esse site. Mantenha-se sempre no verde.

No caso do IE, certifique-se que a sua máquina tem os updates automáticos do Windows activados. Se preferir manter este processo manual, então aconselhamos a visitar o site Windows updates de forma regular para procurar, fazer download e instalar os patches necessários. O Firefox lança geralmente um alerta ao utilizador, através do qual o avisa que existem novas versões e updates disponíveis. O download e instalação são feitos de forma automática, mas pelo que já pudemos verificar, este processo nem sempre resulta na perfeição. Para confirmar se está a utilizar a última versão lançada do Firefox, clique em Help, Check for updates. Por alguma razão que nos passa ao lado, grande parte dos utilizadores não tem qualquer preocupação em manter o seu browser actualizado. É claro que este comportamento apenas faz com que os atacantes tenham o caminho aberto para a baliza e consigam enviar ataques direccionados para todas as máquinas cujos browsers mantenham aberta uma determinada vulnerabilidade. Como é que os atacantes sabem
56
MAIO 2008

que PCs estão vulneráveis? Os browsers enviam informação sobre a sua versão aos

juntar-se fácil e brevemente à lista de vítimas de ataques online.

Todas as versões de um browser têm vulnerabilidades que podem ser facilmente exploradas pela ameaça certa
servidores sempre que requisitam uma determinada página, o que torna o trabalho dos hackers bastante mais fácil. Não facilite as coisas, nem confie na sorte. Se não mantiver o browser actualizado, pode

Outros pontos vulneráveis
O browser não é a única aplicação que tem de manter sempre actualizada. As regras dizem que todo o software, desde o Microsoft

Word, ao Windows, sofre de vulnerabilidades de segurança conhecidas. Se tivermos em conta que a maioria dos programas actuais está de alguma forma ligada à Internet, é vital que os mantenha igualmente actualizados face a todos os perigos. Comece pelo Windows, activando os Updates Automáticos, através do Centro

> Fique longe dos “pescadores”
Certifique-se de que o seu browser o protege das tentativas de phishing
Não seja mais uma vítima de um ataque de phishing é actualmente um processo muito fácil se estiver a trabalhar com o Internet Explorer 7 ou com a versão 2.x do Firefox. Ambos os browsers vêm equipados com funcionalidades anti-phishing, mas apenas a do Firefox vêm activada por defeito. O IE7 convida-o a activar esta funcionalidade da primeira vez que arranca com o programa. No entanto, se ignorar este convite ficará totalmente desprotegido. Para aqueles que ainda não sabem o que é o phishing, eis a explicação: trata-se de uma ameaça à segurança que surge a partir de um site que está desenhado como espelho de outro, e que visa roubar os nomes e palavras-passe de utilizadores. Quando pensa que está a colocar os seus dados pessoais no site correcto, pode estar a fazê-lo no site espelho. Como está a facultar informação pessoal, a sua segurança fica automaticamente comprometida. A primeira coisa que deve fazer é verificar se tem a função anti-phishing do IE7 activada. Para tal, siga até às Opções da Internet e clique no separador Avançadas. Certifique-se de que está seleccionada no Filtro de Phishing a opção Activar a verificação automática de websites. No final clique em OK. No caso do Firefox o caminho a seguir é o seguinte: Open Tools, Options, Security. Verifique se a opção Tell me if the site i’m visiting is a suspected forgery está seleccionada. Por defeito, o Firefox está desenhado para fazer o download automático, de uma forma regular, de uma lista de sites suspeitos. A experiência diz-nos que convém optar por manter a opção Check by asking Google about every Web site i visit seleccionada. Este é um serviço que consulta a base de dados do Google em busca de sites potencialmente perigosos.

>

PASSO A PASSO

IDENTIFIQUE PROGRAMAS PERIGOSOS

01

Instale a Secunia PSI. Quando o programa abrir pela primeira vez irá proceder a um scan de todo o software. O objectivo é determinar o estado de todos os seus programas. O processo demora alguns minutos.

02

Neste caso, esta ferramenta encontrou cinco programas inseguros. Para conseguir obter detalhes acerca de um programa, clique no respectivo nome. Este processo irá activar um ecrã que lhe irá dar toda a informação acerca de como deve proceder para resolver estes problemas.

03

Clique no link View all detected software. Desinstale todos os programas de que não necessita através da opção Adicionar ou Remover Programas. A Secunia PSI vai manter-se activa na Área de Notificação da sua máquina, monitorizando o seu software.

de Segurança que está dentro do Painel de Controlo. Este processo assegura que todas actualizações de segurança lançadas para o Windows chegarão de forma automática à sua máquina. É claro que existem outros programas da Microsoft com os quais tem de se preocupar para além do Windows. É exactamente por isto que deve fazer uma visita ao site Microsoft Update, pelo menos uma vez por mês. Desta forma, todos os programas da Microsoft instalados receberão a última versão disponibilizada pela companhia, reduzindo significativamente as hipóteses de ser infectado. Feito isto, dedique algum tempo a outros programas que possa ter instalados no seu PC. Esta não é, de todo, uma tarefa fácil, mas existe uma solução capaz de aligeirar um pouco o processo. Falaremos dela mais à frente. As versões mais antigas de programas e add-ons como o AdobeFlash, Adobe Reader, Java e outros semelhantes que tendem a ser mais susceptíveis a vulnerabilidades de segurança também devem ser actualizados para minimizar o risco de

comprometer o seu sistema. Apesar de alguns dos programas se manterem actualizados automaticamente, ou de o avisarem quando existem novas actualizações, alguns deles não o fazem. Felizmente há quem ajude. O Secunia Personal Software Inspector uma ferramenta gratuita que procura, de forma

standard. A grande maioria dos utilizadores do Windows continua a ligar-se ao Windows através da sua conta de administrador, que lhe concede controlo total sobre todo o sistema (a si e ao atacante que quiser comprometer a sua máquina). A UAC do Vista ajuda o utilizador a reduzir este risco, mas os utilizadores do XP têm

Ao entrar num site infectado, sem ser com a conta de administrador, a probabilidade de ocorrerem estragos graves no seu PC é bastante mais reduzida
automática, software que não esteja actualizado, que esteja em fim de vida ou que seja simplesmente inseguro. O Secunia PSI vai indicar-lhe quais os programas que necessita de remover ou os que necessitam de ser actualizados. sido amplamente avisados para se ligarem à Net através de uma conta de utilizador limitada, para que não corram riscos desnecessários. Para que isto possa acontecer terá de configurar, no mínimo, duas contas de utilizador diferentes (uma de administrador e outra para as tarefas mais comuns). Poderá considerar esta medida pouco conveniente, mas esta falta de comodidade é amplamente compensada com as vantagens que esta medida traz em termos de segurança. Se, por exemplo,

entrar num determinado site infectado, sem ser com a conta de administrador da máquina, a probabilidade de a ameaça fazer estragos graves no seu PC é bastante mais reduzida, simplesmente pelo facto de o acesso à Internet ter sido feito através de uma conta que não tem uma série de privilégios. Poderá passar da sua conta de administrador para uma outra conta facilmente através do Painel de Controlo. Aconselhamos a criar uma segunda conta específica para a navegação na Web.

Veja por onde anda
O que torna difícil para alguém determinar um conjunto de regras 100% seguras para a navegação na Net é que, na maior parte das vezes, não sabemos se aquele site é ou não seguro. Os motores de busca tentam filtrar os sites que identificam como perigosos, no entanto, há sempre algum que escapa. Em vez de tentar adivinhar ou rezar para que nada de mal aconteça, achamos por bem instalar um add-on como o McAfee Site Advisor (download gratuito a partir de www.
MAIO 2008

Riscos reduzidos
Uma das formas mais eficazes de combater ameaças ao browser é extremamente simples, mas quase sempre ignorada: navegar na Internet com uma conta de utilizador limitada ou

57

INTERNET GUIAS
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

PROTEJA O FIREFOX

01

Comece por instalar o add-on NoScript no Firefox. O NoScript irá bloquear automaticamente Web scripts, Java, Silverlight, Flash, e muitos outros. Quando estes elementos são bloqueados irá aparecer uma barra no ecrã, em baixo, como mostra a figura.

02

A forma mais fácil de dar permissão a sites que considera seguros para correrem scripts ou outros conteúdos semelhantes é adicioná-los à lista do NoScript. Clique no ícone deste add-on que se encontra no canto inferior direito e seleccione Allow [o nome do site]. Basta isto para adicioná-lo à sua lista verde.

03

O NoScript pode ser personalizado. Para alterar as definições do programa, clique no seu ícone e posteriormente em Options. A partir daqui poderá controlar que tipo de conteúdos é permitido e bloqueado, quais os sites que podem fazer parte da sua lista, entre outros pormenores.

siteadvisor.com). Esta ferramenta faculta informação acerca de cada site que visitar. Se lhes for atribuída “luz verde”, então isso quer dizer que já foram devidamente testados e que são espaços seguros, nos quais pode navegar sem quaisquer preocupações. A luz vermelha indica precisamente o contrário. O site foi analisado e foram identificados problemas. Estes podem ir desde objectos perigosos a indícios de spam. O SiteAdvisor consegue ainda ser uma grande ajuda num outro ponto: nos resultados das pesquisas efectuadas através de um motor de busca. Esta ferramenta coloca à frente de cada resultado um ícone que identifica o grau de perigo que cada uma das hiperligações tem. O código de cores é simples: se estiver verde, sinta-se à vontade para explorar; o que estiver a vermelho, não aceda. Se seguir este esquema, conseguirá manter-se à margem da grande maioria dos perigos que assolam diariamente a Internet.

Nenhum software de segurança é 100% perfeito
para proporcionar ao visitante uma experiência de navegação mais atractiva e interactiva. Podemos dar vários exemplos de tecnologias e técnicas que se incluem neste grupo: VBScript, JavaScript, Java, ActiveX, Flash e Silverlight. Todas elas tornam a Internet num local bastante mais apetecível e interessante. Mas essas tecnologias podem, pelo contrário, comprometer o seu PC via browser. O método esteve muito em voga há uns anos e conseguiu complicar a vida de muitos sistemas, em parte, devido à falta de segurança que existia no IE. Hoje em dia, esta questão está parcialmente resolvida. O IE bloqueia automaticamente a instalação de controlos ActiveX provenientes de fontes intrusivas. Se trabalhar com o Internet Explorer, a forma mais fácil de combater estas ameaças é dirigir-se a Ferramentas, Opções da Internet, e certificar-se de que os níveis de segurança estão definidos como Alto. É claro que este grau elevado de segurança tem um senão; pode tornar alguns dos sites disponíveis impossíveis de visitar. Para combater esta questão, adicione o endereço dos sites que pretende consultar na zona Sites fidedignos, e mantenha o grau de segurança no nível Médio. Criar uma lista de sites de confiança pode revelar-se uma tarefa chata e morosa. No entanto, traz bastantes vantagens ao nível da segurança. Se estiver a usar o Firefox, pode controlar o acesso a todos os conteúdos activos instalando um add-on bastante popular, de nome NoScript. Este add-on consegue bloquear automaticamente conteúdos que considera perigosos, incluindo scripts, Flash e Silverlight de sites. Deste grupo estão excluídos aqueles que adicionar à lista de sites que considera seguros. A grande vantagem do NoScript é permitir adicionar estes sites seguros de forma imediata, quando os está a consultar. Se há add-on que deve instalar no Firefox é este.

Conclusões
Antes de pensar que estamos a negligenciar as soluções de antivírus, declaramos que estamos a fazê-lo. É claro que para combater as ameaças que podem entrar no PC através do browser precisa de ter instalado um antivírus, terá de o manter actualizado e deverá também pensar em arranjar um software antispyware. Se à lista acrescentar uma boa firewall pessoal, ainda melhor. Se conseguir manter todas as soluções de segurança devidamente actualizadas, e a trabalharem em tempo-real, e se seguir as indicações que lhe demos neste artigo, então não deverá enfrentar problemas de navegação. No entanto, mantenha sempre presente que nenhum software de segurança é 100% seguro nem perfeito. Ou seja, mesmo bem protegido, convém ter alguma atenção por que sites anda a navegar e que tipo de software e de aplicações anda a instalar no seu PC. Mantenha-se sempre alerta e vigilante. Em relação à segurança online, toda a atenção é pouca. ■

Menos interactividade
Virtualmente, todos os sites têm por base tecnologias activas
60
MAIO 2008

INTERNET GUIAS
PCG PCG

As ameaças da publicidade

A

C

A B

Banners

O anúncio presente no topo de todas as páginas.
Anúncio no meio da página

Colocado estrategicamente para que o seu olhar não consiga fugir ao produto ou serviço anunciado.
Windows Live Messenger

C

Também o serviço de IM da Microsoft apresenta publicidade.

B

Bloqueie anúncios online
A publicidade animada que inunda os sites pode ser muito irritante. Quer livrar-se dela? Siga os nossos conselhos
PCGUIA

ão cada vez mais os sites que exibem anúncios publicitários rebuscados e irritantes, capazes de testarem ao máximo a tolerância de qualquer utilizador. Alguns dos anúncios de texto do Google Adds são relativamente fáceis de ignorar, mas aquelas páginas que têm múltiplos anúncios publicitários que gritam incessantemente pela nossa atenção são insuportáveis. Os designados overlays são um dos mais conhecidos do grande público. Trata-se de anúncios que aparecem em pop-up, exactamente em cima do que se está a tentar ler, por exemplo, uma notícia num jornal online. Decerto que também já se deparou com sites que o obrigam a esperar uma eternidade enquanto carregam não o conteúdo que pretende consultar, mas um ou dois anúncios. Perante esta realidade têm surgido algumas ferramentas que se
62
MAIO 2008

S

propõem bloquear estes objectos digitais indesejados. Neste artigo vamos indicar-lhe como usar três ferramentas diferentes para travar estes anúncios. Duas delas são gratuitas; outra custa pouco mais de 15 euros. Para os utilizadores do Firefox, a extensão Adblock Plus (http://adblockplus.org) consegue bloquear quase todos os anúncios, sem que tenha de ser feita qualquer configuração. Esta solução faz uso de uma lista com o nome de todas as fontes de anúncios existentes. Esta lista está em constante actualização, e sempre que existem alterações o Adblock Plus faz o download automático dos updates por si. Após a instalação, a única coisa que necessita de fazer é escolher a subscrição de filtro. O melhor é o EasyList USA. Se for à procura de extensões para o Adblocking, no site da Mozilla, encontrará certamente um filtro de nome Filterset G,

talvez o mais popular de todos. Ainda assim, o Adblock Plus recomenda que não o seleccione pelo facto de que este tornará todo o processo de navegação bastante mais lento. Uma outra funcionalidade simpática do Adblock é a possibilidade de permitir de forma fácil o bloqueio de imagens desinteressantes. Basta clicar com o botão direito sobre a imagem. A segunda ferramenta que lhe apresentamos é o Ad Muncher (www.admuncher.com). Não é gratuita, mas é, sem sombra de dúvidas, um excelente programa. O Ad Muncher bloqueia todos os anúncios que se aproximam do seu PC, independentemente da aplicação que eles procurem como chave de entrada. Trabalha sobre qualquer browser e sobre clientes de IM. Uma particularidade interessante acerca deste programa é que ele se mantém sempre presente na área de notificação, sob a forma

de uma cabeça de vaca que mastiga sempre que um anúncio tenta aparecer na sua máquina. Em vez da indicação de remoção de anúncio verá a palavra Munched. O Ad Muncher está disponível como versão demo gratuita durante 30 dias. Se não lhe agrada o facto de ter de pagar para usufruir do Ad Muncher, mas mantém o interesse em ter uma ferramenta capaz de travar os anúncios do Windows Live Messenger, pode optar por usar uma solução gratuita de nome A-Patch (http://apatch.ikhost.com/ downloads.php). É uma aplicação um pouco tendenciosa porque tenta convertê-lo ao islamismo após a instalação e sugere que altere o campo Contacts para Brothers. No entanto, à parte destas questões é extremamente funcional. A A-Patch permite-lhe alterar quase a totalidade da interface do Live Messenger. Recomendamos. ■

INTERNET GUIAS
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

ACABE COM A PUBLICIDADE

01

Para instalar o Adblock Plus no Firefox, siga até Tools, Addons, Get extensions, localize o ficheiro e clique em Install. O ícone relativo ao Adblock aparece. Clique sobre ele e escolha Preferences, Add filter subscription e seleccione EasyList.

Em Options irá encontrar um item no menu referente à opção Show tabs on Flash and Java. Existem inúmeros sites com áreas que se movimentam, mas que não são necessariamente anúncios. Com esta opção, o programa não bloqueará as caixas que não são anúncios. Clique apenas no separador respectivo ao bloqueio destas áreas.

02

Se precisa de uma ferramenta que bloqueie os anúncios, faça o download do Muncher em www.admuncher.com. Clique duas vezes sobre o ícone da vaca vermelha que aparece na Área de Notificação e inicie a versão de teste. Quando o ícone mudar de cor, para branco, é porque os anúncios foram bloqueados.

03

O Add Muncher tem a capacidade de o livrar de elementos verdadeiramente irritantes. Clique com o botão direito na vaca e escolha Configure. Pode agora optar por bloquear imagens de fundo, música ou outros sons, impedir sites de voltarem a carregar e escolher se quer, ou não, permitir a passagem de anúncios de texto.

04

Para remover um anúncio do Windows Live Messenger de forma gratuita, aconselhamos o download do A-Patch a partir de http://apatch.ikhost.com/downloads.php. Pode remover desde o anúncio principal aos pequenos anúncios de texto que aparecem nas janelas de diálogo.

05

Com o Adblock Plus e com o A-Patch activados, os anúncios online são removidos e o texto da página é realinhado para que consiga preencher os espaços onde outrora estavam os anúncios, agora vazios. Esta questão é controlada a partir do menu Collapse Blocked Elements, no ABP.

06

64

MAIO 2008

INTERNET GUIAS
PCG PCG

Vá mais além com o Google Mail
Aproveite ao máximo a funcionalidade IMAP deste cliente de e-mail
PCGUIA

sistema de e-mail do Google é fantástico; tem apenas um senão: é uma aplicação Web. Pode perfeitamente integrar o Google Mail com o seu cliente de e-mail POP, embora isso apresente uma forte desvantagem. Quando faz o download das suas mensagens, estas desaparecem da área Inbox no Google Mail. Felizmente, a Google depressa percebeu esta questão e apressouse a disponibilizar algo que aplaudimos de pé: a funcionalidade IMAP.

O

Um amigo flexível
O e-mail IMAP é bastante mais flexível do que o POP, pelo simples facto de que todas as

mensagens são armazenadas no servidor. Ou seja, o que chega à sua máquina são apenas cópias. Esta questão pode ser também resolvida com o POP, se escolher deixar as mensagens no servidor, mas, neste caso, o IMAP permite que qualquer utilizador crie pastas no servidor de e-mail que podem depois ser sincronizadas com os computadores. Isto significa que, se usar o IMAP, todas as suas mensagens são guardadas no servidor, estejam elas na pasta Inbox, na Sent ou na Delete Itens. O método é perfeito para o Google Mail; desta forma todas as mensagens ficam nas pastas correctas e não são simplesmente arquivadas.

Pode usar o serviço IMAP do Google com qualquer cliente de e-mail. Neste caso, optámos pelo Thunderbird, uma das melhores opções para trabalhar com todo o tipo de e-mails. Em primeiro lugar, ligue-se à sua conta no Google Mail, clique em Settings e no link Forwarding/POP/IMAP. Active a opção IMAP e clique no botão Save Changes. De seguida entre no Thunderbird e escolha Tools, Account Settings e seleccione Add Account. Clique em Email account, mas não escolha o Google Mail, porque desta forma estará a criar uma conta POP, algo que não queremos. Introduza os detalhes acerca da sua conta e seleccione IMAP como tipo de servidor. Introduza

como servidor imap.googlemail. com. Siga o assistente até ao fim. Assim que o processo estiver terminado, localize a nova conta e clique em Settings. Altere as configurações de segurança para SSL e assegure-se de que o número da porta muda para 993, sob pena de não conseguir estabelecer qualquer ligação. Se quiser usar o Google Mail para enviar e-mails, clique em Outgoing Server, à esquerda, e escolha Add. Escreva smtp. googlemail.com para indicar o endereço do servidor e mude a porta para 587. Active a opção Security and Autentication, introduza o seu nome de utilizador e altere a ligação para TLS. ■

>

PASSO A PASSO

CONFIGURE A SUA CONTA IMAP NO GOOGLE

> Agora já pode...
>Copiar música para o ambiente
de trabalho da máquina Ubuntu

>Sincronizar a colecção musical
com um leitor de música digital

>Carregar e descarregar

01

Assim que tiver adicionado a sua nova conta, clique em Server Settings e altere a segurança para SSL. O número da porta deve alterar-se automaticamente para 993. Se isto não acontecer, faça a modificação manualmente. Faça os devidos ajustes à restante configuração; por exemplo, indique que pretende procurar por novas mensagens assim que se liga ao programa.

02

Para que possa manter a sua pasta de Sent e-mail no servidor do Google Mail, adicione um novo servidor SMTP. Preencha os detalhes como mostra a imagem, altere o número da porta para 587 e a segurança para TLS. Clique no nome da sua conta e altere o servidor de saída para o Google SMTP.

03

ficheiros a partir de e para um telemóvel Bluetooth Se tudo correr como devido, já deverá conseguir ter acesso a todo o seu e-mail >Ver no defeito, os e-mails serão através do Thunderbird. Por PC as fotografias que estão na máquina fotográfica exibidos mediante a sua recepção. O modo de visualização digital pode ser facilmente alterado. Clique na Inbox Google Mail IMAP e carregue em View, Sort.

66

MAIO 2008

SOFTWARE SOLUÇÕES
PCG
Ilustração: Magic Torch

2i0s d ca

Utilize o PC de forma eficiente
Apresentamos 20 maneiras de optimizar o computador para uma melhor produtividade, organização e gestão de tarefas
PCGUIA

notável a facilidade com que conseguimos pôr um computador a executar uma determinada tarefa mais rapidamente. Um excelente exemplo é o lançamento de aplicações. Todos nós estamos habituados ao menu Iniciar, apesar de ser
68
MAIO 2008

É

incrivelmente incómodo. Instale um software de execução de aplicações que as execute quando escreve as primeiras letras do nome e vai ver de imediato a simplicidade e utilidade desta opção, mesmo que com isso ganhe apenas alguns segundos.

Abordamos esta e outras formas de optimizar o sistema operativo e o software para permitir uma utilização mais rápida. Explicamos as nossas maneiras favoritas de levar a cabo tarefas de organização, gerir contactos, trabalhar em colaboração e afinar a interface.

Mostramos como tornar mais eficiente o seu estilo de navegação na Internet usando um leitor de feeds e uma página pessoal, e até alguns scripts que o ajudam a fugir à tentação de clicar em ligações interessantes quando está de volta de uma determinada tarefa.

01Basecamp

Caso trabalhe em colaboração num projecto, o Basecamp é uma ferramenta online que permite a toda a gente gerir e manter-se a par de informações importantes, guardar um registo de tudo o que se passa – tais como reuniões, prazos e eventos – e partilhar imagens e ficheiros. A interface também organiza tudo de forma soberba. Experimente-o em www. basecamphq.com.

02 Gestão fácil dos contactos
Talvez não se tenha apercebido, mas a sua fiel conta do Google Mail possui um magnífico sistema integrado de gestão dos contactos. Até se preenche automaticamente em segundo plano! Clique em Contacts à esquerda do ecrã Mail para dar uma espreitadela. Há dois grupos, All Contacts e Most Contacted. Para um determinado contacto, clique em Edit, More information. Surgem os campos habituais para números de telefone e moradas, bem como uma caixa Notes para informações adicionais. Pode importar contactos de outro sistema por meio de um ficheiro CSV. Algumas pessoas ficam “penduradas” na sincronização de vários programas e dispositivos, mas os sistemas complicados podem demorar mais tempo a manter do que aquele que permitem poupar. Se estiver ao seu alcance, um simples sistema de contactos online é a melhor solução. Uma grande vantagem adicional de ser online reside no facto de não haver qualquer transtorno, caso surja algum problema com o computador ou troque de software – basta mudar para outro computador. Pode aceder aos contactos a partir de qualquer dispositivo ligado à Internet, onde quer que esteja.

03 Partilhar com contactos o Google
Se gosta de partilhar toda ou parte da sua lista de contactos, uma boa maneira de fazê-lo consiste em exportar os contactos como um ficheiro CSV. Em seguida converta esse ficheiro numa Google Spreadsheet e convide as pessoas com quem gostaria de partilhá-la. Para tal, clique em Export e escolha se pretende exportar para todos os contactos (All Contacts) ou para os contactos mais frequentes (Most Contacted). Para seleccionar quais os contactos específicos que vão acabar por ir parar ao ficheiro final, pode criar um novo grupo e adicioná-los a este (clique em Groups, New group) ou simplesmente exportar todos os contactos e depois eliminar da folha de cálculo os que não pretende. Obtém um ficheiro CSV para transferir, o qual pode abrir no seu programa de folha de cálculo. Para obter o ficheiro online, clique em Documents, Upload. Abra o ficheiro, clique em Share e convide as outras pessoas que gostaria que o vissem.

04 No Links Please!
A maioria das pessoas dá por si, de tempos a tempos, a navegar na Internet quando devia estar de volta das suas tarefas. O problema, de acordo com alguns indivíduos, são as ligações, que podem transformar uma pesquisa legítima na Internet relacionada com trabalho numa navegação frívola por tentarem atrair-nos para a Terra do Nunca. O script Greasemonkey No Links Please! remove todas as ligações de uma página para o ajudar a manter-se concentrado. Em primeiro lugar, tem de instalar a extensão Greasemonkey – vá até Ferramentas, Extras, Obter mais extensões e procure por Greasemonkey. Em seguida aceda a http://jamesclarke.info/ projects/no-links-please/, clique na página do script e escolha Tools, Greasemonkey, Install User Script. À semelhança do que acontece com todos os scripts Greasemonkey, é fácil activá-lo e desactivá-lo dependendo do que estiver a fazer. Vá até Ferramentas, Greasemonkey, Manage User Scripts, ponha em evidência o script e assinale ou desmarque a caixa Enabled.

05 Webolodeon

Com um estilo semelhante ao No Links Please!, este script Greasemonkey faz aparecer uma mensagem sempre que estiver a navegar há mais de cinco minutos e pede-lhe para descrever o que esteve a fazer até ao momento. É útil, pois fá-lo tomar consciência das suas acções e impede que os minutos passem a correr inesperadamente. Obtenha-o em www.oblomovka. com/code/webolodeon.php3.

fuja 06 NãoFacebook do
Sem dúvida que muitos dos seus amigos e colegas criaram uma conta no Facebook, o fenómeno de rede social de 2007. Toda a admiração e publicidade que rodeia o Facebook pode ter levado algumas pessoas a recuar e boicotá-lo. Se é uma dessas pessoas, lembre-se de que o Facebook pode ser uma poderosa ferramenta de organização, que não deve pôr de parte só porque alguns indivíduos o utilizam para fins menos próprios. Se está a organizar um evento com muitos convidados, o Facebook é o seu salvador.
MAIO 2008

69

SOFTWARE SOLUÇÕES
PCG

Clique em Events, Create an Event. Crie uma página do evento com a hora, data e localização, e adicione uma descrição e imagens. Criar a lista de convidados é muito rápido: todos os seus contactos aparecem numa lista, pelo que só tem de assinalar a caixa junto àqueles que pretende. Os convites são então enviados com um simples clique. A lista de convidados pode ser vista por todos os que dela fazem parte, e as pessoas respondem com um Yes, No ou Maybe. Todos os outros podem ver essas respostas, o que ajuda as pessoas a decidir se querem ou não marcar presença. Há também uma página de discussão, para que todas as perguntas e comentários estejam disponíveis num único sítio e todos possam ver tudo – sem que tenha de lidar com mensagens electrónicas a voar para cá e para lá. O Facebook acaba com a aflição de organizar algo que envolve um grande número de pessoas.

09 Remember the Milk
O Ta-da Lists é fantástico devido à sua simplicidade, mas se pretende uma certa funcionalidade extra para condizer com as suas listas de tarefas online, então o completíssimo gestor de tarefas Remember the Milk é o ideal para si. Pode atribuir prioridades e partilhar a sua lista de tarefas, receber lembretes na sua conta de correio electrónico ou em qualquer outro programa de mensagens instantâneas e adicionar tarefas através do envio de uma mensagem electrónica para o site – o que pode ser feito via telefone. O site integra o Google Maps e tudo está organizado numa interface baseada em separadores.

e arraste e largue o atalho na barra de lançamento rápido.

11 Menu Iniciar por ordem alfabética
Abra o menu Iniciar, clique com o botão direito do rato e escolha Ordenar pelo nome. Ufa! Agora está tudo disposto por ordem alfabética, com os grupos de programas em primeiro lugar e depois as aplicações individuais – muito mais fácil para navegar.

Clique com o botão direito do rato na barra de tarefas e escolha Propriedades, Personalizar (Propriedades, separador Área de Notificação, Personalizar, no Windows Vista). A predefinição para cada item é Ocultar quando inactivo, que pode mudar para Ocultar Sempre em relação aos programas cujos ícones não quer que apareçam. Assim, reduz a confusão ao permitir aceder mais facilmente aos controlos que pretende usar.

uma 12 Adicionebarra pasta à de tarefas
Para aceder rapidamente a uma pasta utilizada frequentemente, adicione-a como um menu à barra de tarefas.

14 Ajuda para procurar ficheiros
O Google Desktop é um utilitário que acrescenta o poder da procura do Google ao seu computador. Indexa tudo o que se encontra no seu disco rígido para que possa efectuar uma procura do Google nos seus dados. Em vez de abrir o Explorador e navegar até ao ficheiro que pretende, escreva simplesmente uma palavra-chave na caixa de procura do ambiente de trabalho. Inclui também uma barra lateral à qual pode adicionar mini-aplicações para os seus feeds de notícias, notas e afins. Retire-o de http://desktop. google.com.

07 Ta-da Lists

Quem gosta de elaborar listas de coisas para fazer vai adorar este site grátis, que ajuda a criar listas online, acessíveis a partir de qualquer sítio. Cada item tem uma caixa de verificação, que pode assinalar com satisfação quando esse item tiver sido concluído. É igualmente útil para guardar endereços URL ou outros snippets. As listas podem ser partilhadas com outras pessoas que não têm uma conta do Ta-da Lists. Vá a www.tadalist. com.

15 Inicie programas rapidamente 10 Barra de Rápida Iniciação
Para executar os programas utilizados frequentemente a partir da barra de tarefas, clique nesta com o botão direito do rato, escolha propriedades e assinale Mostrar a barra de Iniciação Rápida. Surge uma fila com ícones de programas. Clique com o botão direito do rato naqueles que não pretende e escolha Eliminar. Para adicionar atalhos, abra o menu Iniciar, procure o programa Clique com o botão direito do rato na barra de tarefas, vá até Barras de Ferramentas, Nova Barra de Ferramentas e escolha a pasta. De seguida, aparece na barra de tarefas um menu da pasta, para que possa abrir os ficheiros com apenas dois cliques. Para executar programas e abrir ficheiros ainda mais depressa, use o Google Desktop. Abra as definições e vá até Display, Quick Find. Assinale a opção Launch Programs/files by default. Escreva agora na barra de procura do ambiente de trabalho as primeiras letras do programa que pretende iniciar e prima Return para o executar. Em vez de clicar na caixa, pode premir (Ctrl) duas vezes para posicionar nela o cursor. Esta técnica permite abandonar por completo o pesado menu Iniciar, e só por causa disso vale a pena instalar o Google Desktop.

08

Associar ao Menu Iniciar

Quem desenhou o antigo e horrível menu Iniciar? Que desperdício de tempo só para encontrar um programa. Para garantir que as aplicações utilizadas mais frequentemente estão sempre presentes no primeiro ecrã do menu, clique nelas com o botão direito do rato e escolha Associar ao Menu Iniciar. 72
MAIO 2008

13 Controle a área de notificação
É possível decidir quais os ícones que podem aparecer na área de notificação.

SOFTWARE SOLUÇÕES
PCG

>

PASSO A PASSO

UTILIZE OS SCRIPTS GREASEMONKEY COM O FIREFOX

O Greasemonkey é uma extensão para o Firefox que permite utilizar scripts para alterar o aspecto das páginas Web e a forma como se comportam. Recomendamos o script Webolodeon – clique na ligação para aceder à página do script do utilizador.

01

Escolha Ferramentas, Greasemonkey, Manage User Scripts para configurar os scripts que instalou. À direita pode especificar as páginas às quais se aplica o script. Seleccione qualquer script para desactivá-lo ou desinstalá-lo.

02

03

Esta é uma página do Wikipedia com todas as ligações tentadoras desactivadas por meio do script Greasemonkey No Links Please! Se quiser desactivar o Greasemonkey, clique no macaco no canto inferior direito da janela do Firefox

18 Estenografia para as frases comuns
Existem programas úteis que funcionam em segundo plano e permitem inserir na escrita frases utilizadas habitualmente por meio de breves letras accionadoras. Por exemplo, pode escrever “pq” para ser substituído automaticamente por “porque”. Uma boa opção é o Texter – obtenha-o em http://tinyurl. com/yrsl9z. Para configurar uma frase, prima [+], adicione a frase e as letras accionadoras e especifique se pretende que a substituição ocorra instantaneamente ou depois de premir uma determinada tecla.

muitas vezes, experimente a extensão DownThemAll! para o Firefox. Permite descarregar sites inteiros, todas as imagens de uma página e organiza tudo meticulosamente. Também permite interromper os downloads, e promete inclusive acelerá-los até 400 por cento!

20 Netvibes

16 Leia notícias mais depressa
A maioria dos cibernautas tem sites favoritos que gostam de visitar diariamente. Em vez de visitar cada um individualmente, pode subscrever o feed de notícias do site usando um leitor de feeds. O leitor é muito parecido com um programa de correio electrónico, e cada item noticioso proveniente do site chega à caixa de correio na forma de uma mensagem electrónica, tendo o cabeçalho como assunto. Desta forma, consegue consultar muito rapidamente de uma assentada todos os seus sites importantes. Um bom leitor é o Google Reader: www.google.com/reader. 74
MAIO 2008

um 17 VejaFlickr ou utilizador no Blogger, MySpace
Pode servir-se do Google Reader para obter as actualizações referentes a um determinado utilizador num site social. A alternativa consiste em configurar um alerta via correio electrónico para cada actualização, o que depressa pode encher a sua caixa de entrada, mas não achará irritante receber actualizações no Google Reader porque todas elas ficam guardadas num único sítio, longe do resto. Clique em Discover e insira o nome de utilizador para configurá-lo.

19 Transferências inteligentes
Se é uma pessoa que faz downloads

O Netvibes é indiscutivelmente o melhor criador de páginas pessoais. Este site permite criar uma página pessoal que inclui tudo o que está online com importância para si, como os cabeçalhos dos seus sites noticiosos favoritos ou fotos do Flickr. E, habilmente, emprega um cookie para reconhecê-lo, para que não tenha de fazer login. Veja em www.netvibes. com. ■

GUIA COMPLETO
PCG PCG

Trace a melhor estratégia de backup
As cópias de segurança podem deixar de ser uma preocupação e um bicho-de-sete-cabeças, se desenhar um plano de acção capaz de organizar todos os processos
PCGUIA

A

obrigatoriedade de fazer cópias de segurança frequentes dos dados e de manter estas cópias regulares provoca dores de cabeça a muitos. Para a maioria das pessoas, os backups são sinónimo de mais umas quantas pilhas de CDs ou DVDs no escritório e mais tempo gasto em cópias, na organização de ficheiros e na identificação dos CDs. Esta é uma realidade que, felizmente, não se aplica a toda a gente, graças aos sempre bem-vindos sistemas de armazenamento, cada vez mais completos, potentes, baratos, e
76
MAIO 2008

equipados com software que torna todos os processos de backup simples e acessíveis aos utilizadores. Agora que tem “a papinha toda feita” apenas tem de se preocupar com uma coisa: desenhar um plano de acção funcional e manter-se fiel a ele. Por muito profissional que seja, há sempre formas de melhorar ou optimizar este processo, principalmente quanto à protecção do seu PC. A maior parte das pessoas só pensa nos backups quando perde dados realmente importantes, ou quando as suas máquinas estão demasiado lentas

para assegurarem uma simples tarefa e exigem ser formatadas. Não estamos a ser repetitivos, nem demasiado meticulosos quando falamos em proteger o computador pessoal. Se conseguir manter o computador a funcionar na perfeição, diminuirão as probabilidades de alguma vez ter de recorrer aos backups guardados.

Cópias de segurança essenciais
O seu plano de cópia de segurança deverá ter como base dois pontos essenciais: assegurar

um nível de protecção elevado para ficheiros importantes e ser fácil de implementar, para que não tenha de inventar desculpas. É exactamente por isto que deve fazer cópias de segurança das suas drives e duplicá-las para CD ou DVD, como forma de se certificar que nunca as perderá. Este tipo de tarefas pode ser calendarizado para que todos os dias desempenhe uma pequena tarefa, ou para que no final de cada mês dedique um pouco do seu tempo à gravação de um DVD ou CD. Apesar de todo o esquema

GUIA COMPLETO
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

AGENDE O BACKUP DOS SEUS DADOS

01

Se instalar um programa como o File Backup Watcher poderá criar múltiplos perfis dos seus ficheiros e criar procedimentos para que estes sejam copiados para uma determinada drive ou CD/DVD sempre que quiser. Clique em New, Profile, atribua-lhe um nome e adicione as pastas.

02

Terá agora acesso a uma agenda para estipular quando pretende fazer os backups. Precisará de alterar algumas configurações como permitir/apagar ficheiros e pastas temporárias ou configurações padrão.

03

Os backups mensais devem ser gravados em CD ou DVD, para garantir múltiplos backups disponíveis. O File Backup Watcher permite-lhe gravar qualquer ficheiro ou pasta de sistema para um disco, e de uma forma surpreendentemente rápida.

> Cinco dicas rápidas
>Pense no local onde está a guardar os
seus PCs e se estes aquecem demasiado quando estão a trabalhar. Uma das maiores causas para a falha de um disco é o sobreaquecimento.

>Verifique os seus backups pelo menos
um vez por mês para se certificar de que estão em pleno funcionamento.

>Para que todos os seus dados estejam
realmente protegidos, mantenha pelo menos três cópias em suportes diferentes.

>Encripte os seus backups com uma
palavra-passe para que só você consiga restaurar os seus dados.

>Se editar regularmente alguns
documentos, em máquinas diferentes, opte por andar com eles em pen drives para os poder manipular mais facilmente.

explicado facilitar a organização do processo de backup, o grande desafio é a configuração do seu computador, para que este proceda a cópias de segurança eficientes. Lembre-se de que quanto mais tempo investir neste tipo de personalização agora, mais tempo irá poupar no futuro, quando um grande problema lhe bater à porta. Quanto mais fácil for o processo de efectuar cópias de segurança dos seus ficheiros, mais provável é não se importar de o seguir religiosamente todos os dias. Existem muitas opções de backup disponíveis. A mais comum é a cópia integral de uma ou mais

drives com a ajuda de programas como o Acronis True Image ou o File Backup Watcher. Existe ainda a possibilidade de recorrer ao armazenamento online, à criação de imagens do seu disco, ao backup de drivers, entre outras coisas. Todas estas opções são viáveis e fazem sentido em nome da segurança. É claro que nunca deve negar o que o Windows lhe oferece de bandeja, por muito desconfiado que seja. Com isto queremos dizer que não deve renunciar à ferramenta System restore. Também deverá manter-se informado acerca dos vários tipos de backup. Não existe apenas um tipo, ou o tipo ideal de cópia. Deverá sempre configurar um perfil e indicar a pasta de destino para proceder à cópia integral de todo os seus ficheiros. Assim que este processo acabar, há que dar início a uma estratégia que tem de ter por base metas bastante mais específicas. Um backup incremental é bastante útil. Este processo não só exige pouco tempo, como também poucos recursos, uma vez que apenas copia os novos ficheiros criados ou alterados desde o último backup feito. Permite-lhe ainda manter em sua posse uma cópia de cada versão criada de um determinado documento, algo verdadeiramente útil em certas situações. Os backups diferenciais são aqueles que dizem respeito a cópias de ficheiros que tenham sido alterados desde o último backup total. Oferecem um processo de restauro mais eficiente, no entanto, este acaba por acumular dados que são inúteis, uma vez que armazena todos os dados anteriormente copiados, mais aqueles que foram adicionados ou alterados desde o último processo de cópia.

Frenesim multimédia
Além dos CD e DVD, é boa ideia acolher uma terceira opção: os discos externos. As plataformas ópticas são essenciais para manter operacional o seu plano de cópias integrais do sistema. São

uma forma exemplar de manter várias cópias dos seus dados para o caso de acontecer algum desastre. Nunca recorra a um CD regravável; se a cópia não correr bem, não conseguirá detectar o erro, a não ser no caso de ter de restaurar os ficheiros copiados. No que toca à cópia de segurança dos seus ficheiros, não arrisque. Mais vale ter dois suportes magnéticos com a mesma informação do que não ter nada para restaurar. A situação ideal seria ter um disco para cada dia da semana, no entanto, isto obrigaria qualquer utilizador a despender de bastante tempo não só para os gravar como depois para os organizar. Por isso, se acha que estamos a ser demasiado cautelosos, opte por fazer um backup mensal. Ainda assim, se estiver neste momento a pensar que continua a ser um exagero, lembre-se do seguinte. Se estipular fazer os backups no dia 30 de cada mês e se houver um problema com a sua máquina no dia 29 e perder tudo, como pretende recuperar a informação que perdeu neste período de tempo? Se não quiser investir em CD ou DVD, pode sempre optar por adquirir um NAS. Estes aparelhos permitem o acesso a todos os ficheiros a partir de qualquer ponto da sua casa, e podem alojar backups. Aliás, os NAS são frequentemente usados por empresas como repositórios de cópias de ficheiros. As drives NAS podem ter diferentes capacidades de armazenamento, no entanto, se se tratar de um dispositivo com uma boa qualidade, há-de ter entre 1 a 2 TB de espaço livre, o que dá margem para que, com a configuração certa, compense eventuais perdas mesmo que uma das drives se avarie. Existe outra grande vantagem: poderá aceder às drives a partir de qualquer outro computador, o que faz com que os seus ficheiros estejam sempre à mão. Mais ainda, com capacidade Ethernet poderá utilizar a sua drive NAS para fazer backups adicionais online.

78

MAIO 2008

GUIA COMPLETO
PCG PCG

Proteja informação pessoal
Eis algumas dicas para garantir a segurança dos seus dados
esmo as drives SSD podem ser destruídas ou registar falhas; este não é um problema isolado das drives tradicionais. Por isso, não basta confiar no hardware. Há pequenos procedimentos que pode adoptar para que os seus dados mais importantes nunca estejam em risco. Um truque simples para evitar a perda de dados passa pelo uso de duas partições, uma dedicada exclusivamente aos ficheiros e a outra ao sistema operativo. Por defeito, as pastas Programas e Meus Documentos acompanham o Windows, mas, na verdade, este é o pior local onde estas poderiam estar. Seja por obra de um vírus ou de uma simples falha do sistema, a maior parte dos problemas que afecta um PC acaba também por afectar o sistema operativo que o acompanha, e muitas vezes a única solução passa por uma formatação de toda a máquina e reinstalação de todo o sistema. Neste caso, até pode conseguir recuperar alguns dos dados a partir de um ficheiro de backup, mas tudo isto podia ter sido evitado. As falhas de hardware são muito imprevisíveis. Porém, no que à Internet e ao software diz respeito,

M

a culpa não é estritamente da tecnologia. Nestes dois últimos casos, a responsabilidade bate também à porta do utilizador, razão pela qual há que estar a par do que pode ser feito de forma segura. Nada disto exige muito tempo. É tudo bastante simples, tal como um backup.

ficheiros e acidentalmente apagar documentos é bastante fácil. Às vezes, basta um momento de distracção. Tente usar processos de segurança aconselhados pelos programas de software que utiliza, da mesma forma que usa habitualmente o Word. Uma das falhas mais comuns relatadas

sempre que salvar documentos que entretanto editou e que foram abertos a partir de um e-mail estes ficam guardados na pasta Temp.

Entrar em sincronismo
Software de sincronização e aplicações portáteis são duas formas fantásticas de evitar perdas de informação. O programa da Microsoft SyncToy (http://tinyurl.com/7dlru), por exemplo, assegura que terá sempre uma cópia da sua pasta Meus Documentos num segundo disco rígido. Da primeira que executar o SyncToy terá de configurar uma pasta esquerda e uma pasta direita. De seguida, basta indicar ao programa para comparar constantemente o conteúdo de ambas e copiar qualquer alteração que tenha sido feita numa delas, para a outra, para que ambas estejam sincronizadas. Este processo é automático, ou seja, não exige que o utilizador tenha de escrever num papel quais os novos ficheiros. O programa reconhece-os rapidamente. Ter uma segunda cópia da pasta Meus Documentos é uma das estratégias a seguir. Este simples passo evita

Cerca de um terço dos utilizadores de PC já perdeu todos os dados devido a situações externas ao seu controlo, segundo indica um estudo da Boston Computing Network
Deverá estar atento aos ficheiros que recebe em anexo e executar análises regulares ao seu sistema com a ferramenta correcta. Deverá também proceder de forma igualmente regular a restauros do sistema, tanto no XP como no Vista. Neste caso, para conseguir optimizar o desempenho de todo o processo, aconselhamos a desligar a opção de restauro do sistema até necessitar dela, pelo menos uma vez por mês. A maioria dos problemas causadores de perda de dados deve-se a erro humano. Copiar pelos utilizadores prende-se, por exemplo, com o simples facto de estes terem apagado parcelas de um documento depois de este ter sido guardado. Esses segmentos de texto estarão completamente perdidos, a menos que tenha activado algumas funcionalidades que guardam todas as alterações feitas. Se não quiser lidar com as configurações no Windows ou no Office, pressione F12 antes de começar a trabalhar para poder guardar o ficheiro sob um nome diferente. Lembre-se também que

>

Dicas para backups online
Podemos confiar na Internet para guardar informação pessoal?
À medida que a velocidade dos acessos de banda larga aumenta, a opção de usar um servidor online para guardar todo os dados torna-se cada vez mais viável. Hoje em dia, já podemos dizer que os backups online são relativamente comuns e seguros. Por regra, são disponibilizados com suites de segurança, como é o caso do BullGuard (www.bullguard.com), mas este tipo de opção obriga a custos acrescidos. Existem inúmeras alternativas de backup online. Eis algumas opções: Digital Vault (www.digitalvault. bt.com) CrashPlan (www.crashplan.com) Carbonite (http://carbonite.com) As vantagens dos backups online é que libertam imenso espaço nos discos e não implicam a ocupação de espaço físico, como acontece com os CD. Também acaba por ser a forma mais segura de guardar cópias de segurança; uma vez que não as tem consigo em casa, não podem ser roubadas, nem podem sofrer acidentes. Para além de tudo isto, são fáceis de aceder. Para se certificar de que não existe qualquer problema com o seu backup online, seleccione uma hora específica do dia da semana ou do mês, consulte sempre os relatórios para se certificar que tudo corre bem e nunca faça o upload de grandes quantidades de informação simultaneamente, sob pena de poder originar um engarrafamento.

O Digital Vault oferece 50 GB por mês

80

MAIO 2008

GUIA COMPLETO
PCG PCG

>

Imagem do disco
Pode fazer uma cópia de segurança da sua drive de backups sem qualquer dificuldade
A configuração em RAID (Redundant Arrays of Independent Disks) não é habitualmente contemplada pelos utilizadores domésticos. De facto, esta opção foi criada para dar resposta às necessidades dos grandes sistemas e servidores, no entanto, isto não significa que o princípio básico do RAID não possa ser importado para a utilização mais modesta. Na verdade, uma configuração RAID em casa seria a opção ideal para proteger os seus dados, sobretudo agora que o preço dos discos desceu significativamente. A configuração de um esquema RAID pode assumir várias formas, mas, no caso das cópias de segurança, o RAID 1, ou modo espelho, será o mais eficiente. Este é um sistema à prova de falha, porque se uma das drives espelho sofrer alguma falha mecânica ou deixar de responder, a segunda drive irá continuar a sua função. A configuração de um sistema em RAID1 tem de ser feita ou por controladores para RAID de hardware (através do BIOS), ou através de pacotes de software, que geralmente acompanham as drives externas criadas para funcionar como espelho. É normal se notar uma diminuição do desempenho quando configura os discos em RAID 1 porque os dados têm de ser escritos nos dois discos. Ainda assim, esta diminuição na performance quase não é visível nas máquinas actuais, já bastante bem apetrechadas em termos de componentes.

Para uma configuração em RAID necessitará de duas drives e um controlador DATA, isto se a sua board não tiver um

que fique sem um ficheiro se o apagar acidentalmente, ou se o tiver alterado de forma errada. Basta recorrer à segunda pasta que tem as cópias e copiá-lo novamente. É também uma forma muito mais simples de conseguir o resultado final que os sistemas em Raid oferecem. Existem já algumas pen drives ou discos portáteis que vêm equipados com aplicações que asseguram a sincronização de ficheiros. Na prática, além de poder levar consigo todos os ficheiros com que está a trabalhar, o software da drive portátil assegura a sincronização de todas as alterações feitas, para que as

pastas que tem no PC estejam sempre actualizadas. Este tipo de ferramenta acaba por estar até mais ligado à optimização da produtividade do que à segurança, no entanto, podemos dizer que acaba por juntar o útil ao agradável.

Guarde uma imagem
A criação de imagens deverá constar da sua estratégia de backup como o passo final a seguir. Uma imagem de um disco não é mais do que um ficheiro que contém todo o conteúdo do seu PC, independentemente do sistema operativo e das drives ou partições onde os dados estão alojados.

Para restaurar o seu PC a partir de uma imagem, terá de arrancar com um CD especial, criado na altura da instalação do programa de imagem. No final, basta indicar ao programa onde está a imagem. Cerca de meia hora depois terá o seu computador como novo e com tudo o que tinha antes de ter criada a imagem do mesmo. Isto significa que todos os seus ficheiros, as suas fotografias, o fundo de ecrã e as configurações do sistema estão lá, pelo que poderá continuar a trabalhar na sua máquina agora restaurada como se nada se tivesse passado. Para restaurar um ficheiro de

backup terá de instalar primeiro o Windows, depois instalar cada um dos programas e, finalmente, copiar todos os ficheiros novamente para o PC. A imagem é provavelmente a melhor forma de fazer um backup, no entanto, não poderá fazer backups de apenas alguns ficheiros e se o ficheiro da imagem ficar corrompido, perderá tudo. Para sempre. A opção pela imagem deverá fazer parte de uma estratégia de backup bem delineada, e nunca deverá ser considerada como uma solução única. Não se esqueça que quanto mais cópias de segurança tiver, mais seguros estarão os seus dados.

>

PASSO A PASSO

COPIE DRIVERS DO SISTEMA COM O DRIVERMAX

01

Instale o DriverMax e seleccione Driver Operations, Export Drivers. Esta operação permite exportar os drivers para uma pasta ou ficheiro comprimido. É o processo ideal para criar cópias de segurança deste tipo de conteúdo, no caso de ter de reinstalar o Windows.

02

À sua frente estará uma lista dos drivers que existem no seu PC (os drivers base aparecem a azul). É tentador escolher a opção Select All para exportá-los todos ao mesmo tempo, no entanto, se costuma deparar-se com alguns crashes do sistema, opte por deixar alguns de fora.

03

Poderá ter acesso aos detalhes de um driver, e verificar se é aquele que pretende copiar. Na maior parte das vezes, o nome do mesmo driver difere da lista exibida no Windows Device Manager. Se tiver dúvidas, dirija-se ao site do fabricante.

82

MAIO 2008

GUIA COMPLETO
PCG PCG

Estratégia de recuperação
O que fazer quando nada funciona?
e há algo que não é à prova de tudo é um PC, inclusive, não importa quantas centenas de euros dá por uma boa drive; ao fim de alguns anos, ela irá eventualmente morrer. É claro que já nem falamos da completa destruição de uma drive, talvez a pior situação de todas, já que deita por terra quase todas as hipóteses de recuperação de dados. Por que é que dizemos quase? Porque há várias companhias que podem recuperar os dados inseridos nos discos, mesmo quando estes estão fisicamente destruídos (atenção que dizemos destruídos e não completamente despedaçados). Mas antes de levar o seu disco seja onde for, há que fazer uma análise dos danos.

S

da drive, não estamos de todo a dizer que a deve abrir. Estas estão seladas por uma razão, e abri-la é a última coisa que deve fazer, sob pena de comprometer todo o processo. Por exemplo, tente ligar a drive que pensa estar com problemas a outro

correctas disponibilizadas pelo fabricante. A SeaTools da Seagate, e as WDDIAG e Data Lifeguard da Western Digital são alguns exemplos, uma vez que oferecem ferramentas de diagnóstico que o ajudam a determinar as

As contas de e-mail podem ser usadas como áreas de armazenamento online. Tente usar o Gmail drive Extention em www.viksoe.dk/code/gmail.htm
computador, para ver se esta dá sinais de vida. Se esta for reconhecida, deverá conseguir ver os ficheiros alojados, e, com alguma sorte, conseguirá logo aí recuperá-los manualmente. O próximo passo incide exactamente sobre a análise da drive com as ferramentas condições da sua drive. Para tal, executam vários testes que examinam este suporte em busca de sectores recuperáveis. Estas ferramentas também permitem escrever zeros na drive, se necessitar de ter a certeza que o disco em causa é apagado em segurança. ■

Opções para a recuperação de drives
Quando falamos em análise

>

PASSO A PASSO

RECUPERE UMA DRIVE COM O ACRONIS TRUE IMAGE

01

Uma imagem de um disco não é mais do que um ficheiro que contém o backup de todos os sistemas de ficheiros e pedaços de dados que existem na drive. No Acronis, por exemplo, terá de criar um backup total, a partir do qual poderá mais tarde restaurar o seu PC, em caso de desastre.

02

Seleccione os ficheiros e todas as pastas e drives que pretender incluir. Poderá optar por deixar para trás temporários e pastas mais antigas que não lhe façam falta, isto para que, quando fizer o restauro de todo o sistema, não leve as velharias atrás.

03

Para criar o disco de arranque, necessitará de criá-lo através do Acronis e escolher quais os componentes que pretende adicionar. Consulte o Acronis True Image Home e o Acronis DriveCleanser (que o ajuda a limpar os dados e as partições que não pretende restaurar). Arranque o PC e pressione F11 para iniciar o processo.

84

MAIO 2008

GUIA COMPLETO
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

SEIS PASSOS PARA MELHORAR BACKUPS

01

Para este tutorial usámos o BullGuard backup. Aparece na pasta O meu Computador como uma drive, algo que é comum à maioria das aplicações de backup. Estas também podem aparecer como ícones da área de trabalho, no sentido de facilitar o acesso.

02

Para carregar os ficheiros, navegue primeiro até à pasta onde estes estão guardados. Em alternativa, use o assistente do BullGuard para identificar os ficheiros que pretende inserir. Estes são pesquisáveis em todas as drives e partições.

Assim que os ficheiros tiverem sido seleccionados necessitará de calendarizar os seus backups online, à semelhança do que faria com um qualquer software. Poderá inclusive instruir o sistema para que as cópias de segurança sejam feitas quando o computador está em idle, para poupar recursos.

03

O backup dos dados online está dependente de alguns factores, mas, mesmo que possua uma ligação rápida à Internet, é um processo bastante mais lento do que se copiasse um ficheiro para uma drive. Assim que estiver completo, poderá aceder aos ficheiros através do software de backup.

04

Os destinos dos backups e os ficheiros que estes contêm são exibidos em caixas de diálogo, em tudo semelhantes às comuns pastas do Windows. Nem todos os programas permitem que sejam apagados ou adicionados itens nas pastas, por isso, use o esquema arrastar e largar.

05

O espaço disponível online também é, por regra, mais limitado do que o de um disco rígido externo, mas isso não faz dele uma pior escolha. Existem ferramentas que lhe permitem, entre outras coisas, comprar mais espaço online, por um valor residual. Assim que o seu pagamento for confirmado, o espaço extra irá imediatamente aparecer.

06

86

MAIO 2008

SOFTWARE GUIAS
PCG PCG

Personalize os botões do seu blogue
Saiba como se ver livre dos modelos de blogue predefinidos e aprenda a criar os seus próprios GIF animados
PCGUIA

U

m dia, enquanto consultava alguns sites na Internet tropeçou no WordPress. com ou no Blogger.com, explorouos durante algum tempo, e desde então tornou--se um amante inveterado dos blogues. Se costuma navegar muito, decerto que se apercebeu de que existem inúmeros blogues semelhantes. A razão pela qual isto acontece é porque todos eles são construídos sobre um modelo predefinido, também conhecido como template. Esta é uma realidade à qual é muito difícil fugir. Existem milhões de bloggers e muito poucos templates ou modelos diferentes. Há bloggers com conhecimentos em HTML/CSS, pelo que conseguem alterar a configuração dos seus blogues e com isso diferenciarse dos demais. Porém, nem toda a gente tem este tipo de conhecimentos; essas pessoas ficam limitadas às estruturas facultadas pelos serviços gratuitos.

Como é que alguém com poucos conhecimentos em código Web consegue transformar uma caixa de texto padronizada numa plataforma feita à medida dos seus pensamentos mais profundos? Na verdade, a maioria dos serviços que oferecem alojamento de blogues tem à disposição várias opções que permitem, entre outras coisas, alterar a cor de base de toda a estrutura envolvente do blogue, o tipo de letra e o posicionamento de alguns campos. No entanto, por muitas alterações que faça a este nível, no final terá sempre a mesma estrutura de suporte. O que lhe vamos mostrar neste artigo diz respeito à forma como pode dar um toque mais estético e diferenciador ao seu blogue. Isto consegue-se através do uso de software gratuito, como o Paint.Net (www.getpaint.net) e o Unfreez (www.whitsoftdev.com/ unfreez). Através destas ferramentas poderá

dar uma nova vida às suas imagens e um toque mais pessoal a todo o seu blogue. Mesmo que o resultado final seja simples, será o suficiente para que alguém que passe pelo seu blogue não o considere apenas mais um.

Arregace as mangas
Terá de dedicar algumas horas a este projecto e estar preparado para arregaçar as mangas, porque não existe nenhuma forma rápida de fazer animação de imagens. O processo que vamos utilizar implica trabalho intensivo, e apesar de poder arrastar os seus desenhos de um lado para o outro, se for adepto de obras finais mais artísticas, então vai ter de estar preparado para percorrer mais alguns quilómetros adicionais. Se usar o Paint.Net necessitará de criar um template ou modelo. A partir deste poderá organizar da melhor forma a estrutura que deseja. Assim não terá de

despender de tempo, mais tarde, para reposicionar elementos estáticos na composição. Animar uma ilustração implica apenas redesenhar cada frame e guardar cada ficheiro como um GIF independente. Não se esqueça de numerá-los. Assim que tiver a composição sequencial finalizada, use o Unfreez para colar os vários ficheiros. Quando já tiver o seu GIF animado concluído e funcional, só tem de o colocar no seu blogue ou na sua página pessoal. Numa primeira fase necessita de fazer o upload. Este processo é hoje em dia muito facilitado por programas como o Photobucket.com, que permitem a disponibilização quase imediata de uma foto online e ligação fácil da mesma com o site ou blogue. Se tiver tempo e paciência poderá criar uma imagem personalizada para cada um dos componentes da sua página ou blogue, diferenciando-o desta forma dos demais. ■

> Integre a sua obra de arte animada com um cheirinho de HTML e CSS
Se pretender inserir o seu GIF animado, mas não sabe como fazê-lo, eis algumas linhas de código que o poderão ajudar
Cada prestador tem o seu próprio método de gerir a adição de conteúdos e imagens. O que procurámos aqui reunir foi um pouco de CCS e HTML que pode ser modificado pela maior parte dos sistemas de blogues. Em primeiro lugar necessitará de adicionar o CSS à sua página ou conseguir um ficheiro CSS independente. Deverá conter algo como o que mostramos a seguir (se estiver a adicionar tudo isto a um documento HTML, coloque-o entre as tags <head> ): <style type=text/css”> <!— #my_custom_rollover a{ display:block; margin:0; padding:0; position:relative; /*enter the dimentions of your image here,you can delete this line*/ width:200px; height:80px; background:url(http:// www.yoururl.com image/my_button.gif); } #my_custum_rollover a: hover{ background: url(http:// www.yoururl.com/ image/my_button_ down.gif); } --> </style> Se estiver a usar um document CCS separado, então necessitará de mencionar as tags <style> e as tags de comentário <!-- -->. Para que esta pequena parcela de código dê frutos terá de inserir a sequência seguinte no corpo de texto da sua página: <div id=”my_custom_rollover”><a href=”mailto: your@emailaddress.com”></a></div>

88

MAIO 2008

SOFTWARE GUIAS
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

CRIE IMAGENS EM MOVIMENTO

01

Decida o que pretende fazer: um slideshow animado ou uma marca pessoal. Decidimos optar por criar algo simples e útil, por isso avançamos com uma imagem para um botão que diz “e-mail me”. Este botão será colocado no final de cada post, para que os visitantes possam enviar um e-mail ao autor do post.

02

Crie um ficheiro template no Paint.Net. Ao usarmos layers conseguimos separar o texto da imagem, algo importante porque, neste caso, apenas queremos animar o envelope que está por baixo do texto. Para adicionar layers, clique no botão Add new layer button na barra de ferramentas Layer.

Guarde o ficheiro no formato Paint.Net para que os vários layers sejam mantidos. Para animar tudo isto crie um novo layer e torne o antigo layer semitransparente. Use a ferramenta line/ curve para criar a movimentação das frames do envelope.

03

04

Sempre que finalizar uma frame, guarde-a como um ficheiro GIF. Numere o ficheiro para que no final, quando tiver de colar tudo, consiga seguir a sequência mais facilmente. Preencha a sua imagem com cores sólidas. Desta forma poderá colocar mais facilmente o fundo transparente.

Seleccione os ficheiros GIF e arraste-os até ao criador de GIF animados Unfreez. Certifique-se de que a lista mostra os ficheiros na correcta ordem, para que no final a animação não resulte em algo completamente descoordenado.

05

Defina o frame delay para 100 frames por segundo. Se estiver confiante relativamente ao resultado final, siga para o upload da imagem através de um serviço de alojamento e ligue o resultado final à sua página ou blogue.

06

90

MAIO 2008

LINUX GUIAS
PCG PCG

Arranque com Linux a partir de uma pen USB
Há uma forma de ter sempre consigo a sua versão preferida de Linux. A PCGuia mostra-lhe como
PCGUIA

e pensa que colocar Linux numa pen USB é uma tarefa apenas ao alcance de geeks altamente conhecedores dos meandros informáticos, que passam os fins-de-semana envolvidos neste tipo de projectos, está muito enganado. Não é nada complicado e além disso é muito útil. A partir do momento em que o fizer, passa a poder entrar em qualquer máquina com a sua versão preferida e devidamente personalizada de Linux. É claro que não descobrimos a pólvora. Aliás, pode até questionar se não é para isso que existem os Live CD? Sim, é verdade que pode

S

>

Agora já pode...
>Criar partições na sua pen USB. >Arrancar com Linux em qualquer
máquina.

>Levar todas as suas aplicações
sempre consigo.

arrancar com uma versão Linux numa qualquer máquina, que até pode estar equipada com outro sistema operativo, trabalhar sobre esse Live CD e simplesmente retirá-lo da drive quando terminar. No entanto, existe um problema com este tipo de suporte. É que os CD e DVD em causa são apenas de leitura; não permitem armazenar nenhuma da informação que tenha criado. Se usar uma pen USB com Linux não só consegue resolver este problema num ápice, como pode ganhar velocidade de leitura. Este último facto é especialmente importante se estiver a executar todo um sistema operativo a partir de um dispositivo temporário. Se clicar no Firefox enquanto estiver a correr um Live CD, por exemplo, terá de esperar uma eternidade até que a drive entre em acção, até que o laser chegue à posição correcta e os dados sejam finalmente lidos. As

drives USB são mais rápidas em termos de execução de tarefas e têm a grande vantagem de guardarem a informação criada.

Live USB
Usar a sua versão do Linux, num computador que não o seu, tem grandes vantagens. Em primeiro lugar, não deixará qualquer vestígio da sua presença na máquina que usar. É claro que com isto não queremos dizer que tem alguma coisa a esconder, simplesmente não existe a preocupação de deixar para trás informação, como dados pessoais, que possam comprometer a sua segurança. Imagine que pretende aceder à sua conta de e-mail, ou a serviços de banca online num espaço público com Internet, como um café. Não se sentiria melhor sabendo que tudo o que fizer num PC emprestado não ficará registado para terceiros verem?

Ao usar uma pen USB com Linux está em pleno controlo de todos os dados que manipula. Sempre que usar o sistema operativo desta forma não deixará para trás cookies, cache de Internet, palavras-passe ou quaisquer funções de preenchimento automático de campos. Além de tudo isto, manterá sempre consigo o desktop que usa habitualmente no seu computador, com a mesma aparência e as mesmas aplicações. Na prática, poderá transportar consigo os seus Favoritos, as definições de e-mail, a imagem de fundo da área de trabalho, os temas e mesmo o e-mail. Basta arrancar com a pen USB.

Na “mouche”
Colocar Linux numa pen USB nem sempre é tão fácil como deveria ser. Dizemos nem sempre, porque existem soluções que são relativamente simples, no entanto, meter o Ubuntu

92

MAIO 2008

LINUX GUIAS
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

NOS MEANDROS DA INSTALAÇÃO

01

Se tiver uma pen USB formatada em FAT16, execute o instalador universal a partir do menu e seleccione o dispositivo USB e a partição. Das duas opções de instalação apresentadas deverá escolher a primeira antes de clicar em OK.

02

Depois de passar mais um daqueles avisos que alertam para a perda de dados, irá ver outro ecrã que lhe indica que o instalador necessita de ficheiros extra. Seleccione o CD e pressione OK na janela seguinte. Depois de concluído este passo, escolha a primeira opção novamente para poder chegar ao próximo passo.

03

Finalmente, seleccione a opção predefinida para a instalação do MBR e carregue no Enter para o Windows dar início ao instalador. Feito isto, conseguirá ter o Linux numa pen USB e será capaz de a usar em quantos computadores quiser.

numa pen USB não é o processo mais fácil de todos. Uma opção passa por usar a pen USB como uma drive de instalação que será tratada pelo sistema como um disco rígido amovível. Este processo pode, porém, causar alguns problemas no menu de arranque, se o dispositivo USB não estiver ligado, ou se decidir usar uma porta USB diferente. Um outro aspecto tem que ver com o facto de estar sempre dependente do hardware que usou na instalação. A rotina de instalação do Linux irá configurar a instalação ideal para o seu hardware da mesma forma que o Windows faz actualmente.

Isto quer dizer que o esquema de bom funcionamento está desenhado para um conjunto específico de hardware, ou seja, não funcionará com uma configuração diferente. Terá

existe uma solução capaz de resolver todas estas questões: o Live CD. O facto de ser um dispositivo só de leitura faz com que se adapte a diferentes configurações de

É exactamente isto que precisamos quando criamos uma pen USB com Linux.

Um criado ao seu serviço
A parte irritante de todo este processo é que a conversão de Live CD para uma instalação USB é complexa e implica o uso de ferramentas de partição manual, formatação de dispositivos e manuseamento da linha de comandos. Até que um génio consiga criar uma solução simples para uma distribuição especializada, é mais fácil usar uma distribuição indicada para uma pen USB. A melhor de todas dá pelo nome de Puppy Linux. É mais simples e menos completa do que o Ubuntu, mas possui a maioria das aplicações principais. A grande vantagem é que necessita apenas de cerca de 100 MB de espaço disponível. Isto não só simplifica muito o download, como permite usar uma pen USB com pouca capacidade, logo, mais barata. Uma pen de 64 MB é suficiente, e ainda lhe restam alguns megas para armazenamento de outro tipo de ficheiros. É claro que nunca nos devemos contentar com o mínimo, por isso, recomendamos o uso de pelo menos 256 MB. ■

Uma opção passa por usar a pen USB como uma drive de instalação que será tratada pelo sistema como um disco rígido amovível
o mesmo problema que surge sempre que retira um disco rígido de um PC e tenta instalá-lo numa máquina diferente. Para os utilizadores de Linux, forma automática. Ajusta-se à configuração de diferentes máquinas e quando é retirado não deixa nada instalado ou configurado de forma diferente.

> Por que não reconheço nenhuma aplicação Puppy Linux?
Elas estão todas lá, não tenha receio. Têm apenas uma forma diferente do normal
O Puppy Linux trabalha sobre uma máxima: enfiar o máximo de funcionalidades possível no mínimo de espaço. É exactamente por esta razão que aplicações principais do Linux, como o Firefox ou o OpenOffice, foram colocadas em segundo plano, em prol de alternativas mais compactas e multifuncionais. É também pela razão acima mencionada que não foram incluídos nesta versão os populares Gnome ou KDE. Neste caso, quem sobe ao palco é o mais funcional JWM. Este não é mais do que um peso leve das aplicações desktop que exige o mínimo do CPU da memória e do espaço de armazenamento. O Web Browser, por exemplo, está também escondido numa aplicação de nome SeaMonkey. Trata-se de uma descendente directa do browser que constava na suite de aplicações do Mozilla, o gigante que antecedeu o Firefox. O Firefox começou a ganhar terreno e a tornar-se mais popular quando os utilizadores passaram a preferir uma ferramenta mais simples para a navegação na Internet. No entanto, não é este facto que tira o lugar ao SeaMonkey. Este ganha pontos, por exemplo, em relação ao espaço em disco. Há ainda uma última escolha interessante neste pacote de aplicações que vale a pena mencionar: o Abiword. Trata-se do oficial substituto do OpenOffice. A aplicação de processamento de texto é totalmente compatível com o Microsoft Word e exige menos recursos. O ponto negativo é que apenas está disponível este processador de texto. Se quiser trabalhar com uma folha de cálculo ou com uma aplicação de apresentações terá de instalar mesmo o OpenOffice a partir do instalador do Puppy Linux.

94

MAIO 2008

>

PASSO A PASSO

RECORRA AO BIOS

01

O PC que quiser usar para arrancar através de uma pen USB tem de ser relativamente novo. Se ainda assim nada disto funcionar, então o primeiro local onde deve procurar o erro é junto do BIOS da máquina. Poderá aceder à mesma se pressionar F2 ou Del quando o PC estiver a arrancar.

02

Se estiver a trabalhar num cibercafé e não tiver permissões para alterar a configuração do BIOS, poderá usar o menu de arranque. Quando o PC estiver a reiniciar tente pressionar ESC, F8 ou F12 para activar o menu. Se este aparecer, procure a opção que lhe permite arrancar a partir de um dispositivo USB.

03

Um outro problema comum prende-se com a compatibilidade, ao nível do hardware. Se conseguir chegar ao ecrã de selecção, mas este não lhe apresentar mais do que um ecrã branco, tente seleccionar XVesa. Se nem aí conseguir chegar, tente escrever “puppy acpi=off” no primeiro ecrã de arranque do Puppy Linux.

MAIO 2008

95

PCG PCG

TEMA DE CAPA

As melhores funcionalidades de cada sistema operativo

Windows Vista
Segurança Ferramenta de cópia de segurança Ferramenta de procura Ligação em rede Cópia de ficheiros Explorador do Windows Estilo visual Multimédia Desempenho Estabilidade e compatibilidade
A firewall melhorada do Vista e o Controlo de Conta do Utilizador – por muito irritantes que sejam – dão-lhe vantagem. Simples de configurar, suporta discos CD e DVD e é uma actualização que chega com um enorme atraso. A ferramenta de procura indexada do Vista ganha de olhos fechados ao pesadão Assistente de pesquisa do XP. Diagnóstico integrado e pastas protegidas por palavra-passe, mas tem uma interface desajeitada com problemas de comunicação. Supostamente rápido como um relâmpago, mas os gráficos despropositados e o desempenho lento resultam numa cópia deficiente. A lista de Favoritos integrada e a inteligente barra de endereços aceleram a navegação no sistema. Inegavelmente mais atraente à vista, mas será que isso importa? Tudo o que precisa para filmes, música e fotos encontra-se perfeitamente integrado. O grande choque. Supostamente o Vista iria eclipsar o XP, mas ainda não conseguiu igualar a sua velocidade geral. Os problemas de compatibilidade estão a ser resolvidos, mas a estabilidade permanece um verdadeiro papão. Sim, os “ecrãs azuis da morte” não desapareceram!

Windows XP
O Windows XP foi prejudicado por alguns pesadelos em termos de segurança até à chegada do SP2, mas mesmo agora o Vista vai mais longe. Que cópia de segurança? O XP carece do tipo de funcionalidades modernas que o Vista inclui. Sim, procura ficheiros e pastas, mas é incrivelmente lento e impreciso. Básica, mas funciona às mil maravilhas no SP2. É muito mais fácil pôr os computadores a conversar entre si do que no Vista. É simples, rápido e não perde tempo a calcular quanto irá demorar o processo. O IE6 deve ser uma memória distante para os utilizadores do XP – é indispensável transferir o IE7 para o XP. Parece antigo em comparação com o brilho do Vista, mas não é horrível como o Windows 2000! Está muito longe de ser tão útil como as ferramentas do Vista – é preciso arranjar software de terceiros. É rápido, responde bem e corre na perfeição em computadores de gama baixa. As falhas iniciais do XP há muito que se foram, e suporta um leque mais vasto de hardware e software.

96

MAIO 2008

> No seu DVD

Do XP para o Vista à borla
Use o Windows XP e aproveite de graça o que o Vista tem de melhor em termos de visual e funcionalidades
PCGUIA

D

ecorrido um ano sobre o seu lançamento, o Windows Vista ainda não conseguiu convencer o grosso dos utilizadores de computadores. De facto, muitas pessoas ainda estão casadas com o Windows XP; pode já ter sete anos, mas é sólido, robusto e familiar. Devido à procura do público, a Microsoft teve inclusive de alargar o prazo disponível para a aquisição do Windows XP. Não queremos com isto dizer que o Vista se trata de uma proposta sem atractivos, pois está recheado de excelentes funcionalidades, tem um visual elegante e é mais seguro do que o XP. Contudo, tirando o facto de ter sido atormentado por diversas falhas, as exigências do sistema do Vista ameaçam tornar obsoletos computadores perfeitamente funcionais, pelo que as pessoas estão compreensivelmente relutantes em fazer um investimento substancial num novo PC que pode não funcionar correctamente logo à partida. O Service Pack 1 virá corrigir grande parte dessas falhas (tal como sucedeu com o XP), mas muitas dessas pessoas não sentem qualquer necessidade

imediata de gastar centenas de euros no mais recente sistema operativo da Microsoft.

Funcionalidades do Vista no XP
A necessidade de gastar uma pipa de massa é ainda menor quando se descobre que muitas das funcionalidades do Vista podem ser replicadas no XP por pouco dinheiro ou mesmo de graça. Reunimos as melhores extensões que permitem transformar uma máquina com o Windows XP numa cópia razoável do Vista, tanto em termos de funcionalidade como de aspecto. Algumas dessas ferramentas têm vindo a ser distribuídas nos discos que acompanham a PCGuia mas, caso não tenha tido a oportunidade de adquirir essas edições em particular, voltamos a compilar tudo e a oferecer essas aplicações no DVD desta edição. E o que não estiver no disco, poderá transferir a partir da Internet. Vamos começar por mostrar como transformar a interface do XP numa réplica da do Vista, incluindo as caixas de diálogo transparentes, uma barra lateral no ambiente de trabalho e um menu Iniciar redesenhado.

Demonstramos também como adicionar melhoramentos do Vista ao XP, desde actualizações aprovadas pela Microsoft até às melhores modificações da autoria de terceiros. Seguidamente, revelamos como tornar o XP mais seguro com o Internet Explorer 7 e um vasto conjunto de ferramentas de segurança, bem como a forma de imitar a maioria das funcionalidades multimédia do Vista. Finalmente, analisamos diferentes possibilidades de adicionar mais funcionalidades ao XP, desde a procura indexada até modificações e ferramentas para o próprio Explorador do Windows. Para terminar, examinamos os lançamentos iminentes do Service Pack 1 para o Windows Vista e do SP3 para o Windows XP, assim como o que reservam para o futuro de ambos os sistemas operativos. Damos também uma espreitadela no futuro do Windows e desvendamos o que está planeado para o futuro do sucessor do Vista, com lançamento previsto para 2010. Mas antes de tudo isso, está pronto para dar ao XP um novo fôlego de vida? Então vire a página e comecemos.

>Vista Transformation Pack www.windowsxlive.net >Blaero Start Orb 2.0 http://blajano.deviantart.com >Thoosje’s Sidebar 2.3 www.thoosje.com/sidebar.html >Task bar Repair Tool Plus www.kellys-korner-xp.com/ taskbarplus!.htm >ZoneAlarm www.zonealarm.com >Comodo Personal Firewall www.personalfirewall.comodo.com >Spybot www.safer-networking.org >Ad-Aware www.lavasoftusa.com >SUPERAntiSpyware www.superantispyware.com >Compusec www.ce-infosys.com >CDBurnerXP www.cdburnerxp.se >Video DVD Maker Free www.protectedsoft.com >Google Picasa http://picasa.google.com >Media Portal www.team-mediaportal.com >VLC Media Player www.videolan.org/vlc >WindowBlinds 6 Public www.windowblinds.net >Vista Drive Icon http://drvicon.sourceforge.net/ >QTAddressBar http://qttabbar.wikidot.com >Visual Task Tips www.visualtasktips.com >MonoCalendar www.monocalendar.com >DBIncBackup Home www.dfincbackup.net >Google Desktop Search http://desktop.google.com >Copernic Desktop Search www.copernic.com

Conteúdos
98 Apresentação do Vista Transformation Pack Dê ao XP o visual do Vista com este software inovador. 100 Instalação fácil e segurança extra Instale e configure o VTP e aumente a segurança do XP. 102 Tire o máximo partido do multimédia Emule as capacidades multimédia do Vista e também as outras funcionalidades mais práticas. 105 Service Pack 1 do Vista sem o véu O que esperar da primeira actualização do Vista,bem como do SP 3 do XP. 106 Quem precisa do Vista?

MAIO 2008

97

TEMA DE CAPA
PCG PCG

Windows Vista Transformation Pack
Descubra como mudar o visual do Windows XP e actualizá-lo num abrir e fechar de olhos

OV IS

U

O WINDO LD W A

O Vista Transformation Pack (VTP) fornece ícones de substituição, fundos do ambiente de trabalho e ambas as versões, transparente e não transparente, da máscara do Windows Vista para as caixas de diálogo e janelas, dependendo da capacidade do seu computador. Para aumentar os ícones, clique em Effects no separador Appearance de Display Properties e assinale a caixa adequada.

M EN U

INICIAR

AT

MIN I

S
VIS

TA

U

S RA

DE PRÉ-VIS

UA

AÇ LIZ
ÃO

Inclui um menu Iniciar substituto na forma do ViStart, o qual parece quase idêntico ao seu equivalente do Vista. A caixa de procura só funciona com os conteúdos da pasta Programas, mas está indexada para garantir resultados assombrosamente rápidos. O menu Iniciar também é semitransparente para condizer com o novo visual.

98

MAIO 2008

Fornecidas com a cortesia do Visual ToolTip. Passe o rato sobre um separador presente na barra de tarefas para fazer aparecer uma miniatura de pré-visualização. Clique com o botão direito do rato no ícone do Visual ToolTip na barra de tarefas e escolha Options para configurar o tamanho e a transparência da miniatura, entre outras coisas. No entanto, apresenta algumas falhas. Mais à frente indicamos uma alternativa melhor.

BARRA LATER

AL

Uma das funcionalidades em destaque no Vista é a Barra Lateral do Windows, a respeito da qual existem muitas opções de terceiros para os utilizadores do XP. O VTP inclui a versão Lite da Thoosje Vista Sidebar, a qual parece boa mas é limitada em termos de gadgets. Instale a versão completa para dispor de mais opções.

EX P

OR D O W RA D IN LO

As caixas de diálogo podem parecer-se mais com as do Vista, mas são um triunfo da forma sobre a função: não há um atalho para as Hiperligações Favoritas e a caixa de procura limita-se a abrir o Assistente de procura quando se clica nela. Mais à frente neste artigo indicamos algumas extensões adicionais para melhorar a sua funcionalidade, por isso continue a ler.

WS DO

WINFLIP
Emule o sistema de troca de aplicações do Vista

Alternar entre janelas abertas pode ser complicado com a ferramenta do XP própria para o efeito. O WinFlip faz um trabalho brilhante em termos de emular a impressionante ferramenta de visualização 3D do Vista. Prima Win + Tab para aceder-lhe, em seguida prima Tab para percorrer as várias janelas e por fim Enter para seleccionar a janela pretendida.

MAIO 2008

99

TEMA DE CAPA
PCG PCG

Já viu como o Vista Transformation Pack está à altura do seu nome. Agora descubra como instalá-lo em segurança no PC
ara usar o Vista Transformation Pack, precisa de um computador com 512 MB de RAM a correr uma versão actualizada do Windows XP com SP2. Além disso, visite o Windows Update antes de instalá-lo para ter a certeza de que preenche os requisitos. Convém que instale também o Internet Explorer 7 (www.microsoft. com/ie) e o Windows Media Player 11 (www.microsoft.com/ windowsmedia). Uma vez isso feito, está quase pronto para instalar o pacote. Comece por criar um ponto de restauro do sistema – se as coisas derem para o torto, pode regressar a este ponto através do modo de segurança. Se o seu computador possui um controlador gráfico Intel, é possível que tenha de transferir uma correcção. Faça-o a partir de www.sendspace. com/file/sly492. Finalmente,

Transforme o Windows XP

P

recomendamos que use uma ferramenta como o Drive Backup da Paragon (www.paragonsoftware.com) para criar uma imagem do disco do Windows antes de instalar o VTP – só para o caso de algo correr mal. E não se esqueça nunca de que segue este tutorial inteiramente por sua conta e risco.

Instale o pacote
A forma mais simples de instalar o pacote consiste em reiniciar no modo de segurança – reinicie o computador e prima F8 depois de aparecerem as mensagens iniciais. Seleccione Modo de segurança no menu e prima Enter duas vezes. Aceda através da sua conta de utilizador e escolha Sim quando lhe for pedido. Se o ecrã parecer um pouco apertado, clique com o botão direito do rato no ambiente de trabalho, escolha Propriedades e mude para o separador Definições. Clique em Avançadas,

Placa e depois em Listar todos os modos. Seleccione uma resolução mais alta e clique em OK três vezes. Eis o momento da verdade: insira o disco da PCGuia e execute o processo de configuração do VTP. Surge uma interface familiar aos utilizadores do Vista e que é muito fácil de seguir. Avance ao longo do assistente e assinale a opção Install Vista Transformation Pack into the Windows OS quando lhe for perguntado. Se quiser ícones maiores, seleccione as opções apropriadas. Sugerimos que escolha Express mode para manter as coisas simples. As opções predefinidas servem perfeitamente a partir daqui – quando clica em Transform, a sua instalação do Windows sofre uma remodelação. Depois de reiniciar, dará por si de volta a um ambiente de trabalho ligeiramente renovado. Continue a ler para acabar o trabalho.

>

PASSO A PASSO

AFINAÇÕES PÓS-CONFIGURAÇÃO

01

Clique em Configure user account para começar. Caso pretenda tirar partido de todo o leque de funcionalidades e se sinta corajoso, desmarque Keep stability and performance as top priority; em vez disso, assinale Detect moderated resources consumption settings.

02

Se assinalou a opção Use TrueTransparency, tem de desmarcar Use Viorb, que está por baixo (pode causar problemas). Leia a caixa “Resolver problemas” para procurar uma alternativa em caso de desespero. Clique em Apply current configuration.

03

Abre-se a janela Display Properties do Control Panel (partindo do princípio de que seleccionou Visual Style na caixa de diálogo anterior). Seleccione Windows Aero em Windows and buttons e clique em Apply. Mude para o separador Desktop e seleccione uma das entradas img. Clique em OK. É-lhe pedido que reinicie o computador – clique novamente em OK.

100

MAIO 2008

Torne o XP tão seguro quanto o Vista
Configure o Windows XP para que ofereça maior segurança
Controlo de Conta do Utilizador do Vista limita o acesso do sistema à sua conta para que o malware não possa causar tantos estragos como habitualmente faz. Pode emular o controlo de Conta do Utilizador no Windows XP – comece por criar uma nova conta de administrador protegida por palavra-passe. Saia da sua própria conta de utilizador e aceda através desta nova conta. A partir daqui, altere para Limitado o nível de todas as outras contas de utilizadores no seu computador. Da próxima vez que aceder através da sua própria conta de utilizador, já estará protegido contra software malicioso que necessite de uma conta de administrador para se instalar. Continua a poder instalar programas ou aceder a ferramentas de nível de sistema: clique com o botão direito do rato no ficheiro em questão e escolha Executar como. Seleccione A do seguinte utilizador, escolha a sua conta de administrador e insira a respectiva palavra-passe antes de clicar em OK. Se um determinado programa apenas corre com o acesso de administrador, clique no respectivo atalho com o botão direito do rato e escolha Propriedades. Clique em Avançadas, assinale Executar com credenciais diferentes e clique em OK duas vezes. Para mais detalhes acerca do modo como isto funciona, visite www.supportpcs.co.uk/ lockdown, onde encontra também um ficheiro comprimido com atalhos do sistema que pode transferir a fim de aceder através da sua conta de utilizador limitado.

O

Mais segurança
Caso ainda não tenha instalado

software de segurança de terceiros, como o Norton Internet Security, deve instalar o ZoneAlarm ou o Comodo Personal Firewall a partir do DVD deste mês. Também pode transferir e instalar de graça o Windows Defender (www. microsoft.com/protect/computer/ spyware). Convém que já tenha software antivírus instalado, e deve ponderar aumentar a sua protecção anti-spyware com a ajuda do SUPERAntiSpyware, AdAware e Spybot S&D, os quais estão todos presentes no disco. Deve também mudar para o Internet Explorer 7 em www. microsoft.com/ie, mesmo que utilize um browser de Internet alternativo como o Firefox. O IE7 dispõe de protecção integrada anti-phishing, mas sugerimos que visite www. siteadvisor.com, o qual fornece um nível de defesa adicional contra sites maliciosos graças ao plug-in grátis Site Advisor da McAfee para o IE e Firefox. Os utilizadores do Windows Vista Ultimate podem encriptar todo o disco rígido com o BitLocker Drive Encryption. Os utilizadores do XP e do Vista Home Premium/ Business podem fazer o mesmo com o CompuSec, o qual consta do disco. Visite www.supportpcs. co.uk/compusec para obter um guia completo. O Vista inclui igualmente controlos parentais para proteger as crianças contra sites impróprios. Tem de pagar 31,95 euros para usufruir de uma protecção equivalente no XP na forma do Cyber Patrol (www.cyberpatrol. com); se o que pretende é apenas bloquear determinados sites, experimente em vez disso o K9 Web Protection (www. k9webprotection.com).

TEMA DE CAPA
PCG PCG

Abra o céu do multimédia ao XP
Acredita que o Vista detém a vantagem no que toca a música, filmes e imagens? Então pense melhor

>

PASSO A PASSO

IMPLEMENTE O MEDIA CENTER NO XP

01

Instale o Media Portal a partir do disco desta edição. As opções de instalação predefinidas servem muito bem – desmarque os codificadores de MPEG-2 unicamente se já consegue reproduzir discos DVD no seu computador. Quando termina, é lançado o ecrã de configuração.

Agora já pode controlar as suas imagens à maneira do Vista com a ferramenta Picasa do Google

A

ferramenta de gravação de CD embrionária do Windows XP foi expandida para suportar discos DVD e englobar funcionalidades genuínas de escrita de pacotes de dados. Os utilizadores do XP podem adicionar gratuitamente capacidades básicas de gravação de DVD com dois programas: CDBurnerXP e Video DVD Maker Free. No entanto, se pretende tirar partido de capacidades reais de escrita de pacotes de dados, terá de desembolsar cerca de 13 euros em troca do Dragon Disc da NTI (https://secure.ntius. com/dragon_disc.asp). Em relação à música, o Vista inclui o Windows Media Player 11, o qual também se encontra disponível para os utilizadores do XP em www.microsoft.com/ windowsmedia. Vale a pena mudar para esta versão, que dispõe de capacidades melhoradas em termos de gravação e sincronização, bem como
102
MAIO 2008

uma forma mais atraente de apresentar os ficheiros. O único inconveniente reside no facto de só os computadores dotados do Vista conseguirem aceder à biblioteca multimédia que partilha com outras máquinas na sua rede. A ferramenta Galeria de Fotografias do Vista e a procura indexada integrada deixam às escuras o painel Tarefas de imagens e a limitada vista Película de filme do XP. Instale a ferramenta grátis Picasa do Google (http://picasa.google. com) para desfrutar de um conjunto de funcionalidades semelhante. Finalmente, a edição Home Premium do Vista vem com a ferramenta Media Center integrada. Não precisa da Media Center Edition própria do XP para ter acesso aos seus vídeos, DVD, fotos, música e sintonizador de TV a partir do conforto da sua poltrona – tudo o que precisa está no DVD desta edição.

02

Execute o Media Portal a partir do respectivo atalho no ambiente de trabalho. Pode expandir a janela para preencher todo o ecrã (ideal para quando navega na TV). Use o comando à distância do sintonizador de TV ou o rato para seleccionar que tipo de multimédia pretende procurar.

03

Fure ao longo dos vários níveis (personalize o aspecto de cada nível à medida que avança – a vista Icon é mais pitoresca, por exemplo) até encontrar o filme, faixa de música ou pasta de fotos que pretende. Utilize o comando à distância para controlar a reprodução ou desloque o rato até ao cimo do ecrã.

Outros truques visuais do Vista
Se quiser aproximar ainda mais o XP do Vista, veja o que pode fazer
Vista Transformation Pack esmera-se no sentido de aproximar o XP do Vista, mas há um preço a pagar em termos de estabilidade. Pode notar que a interface fica pesada e não responde, a par de uma grande quantidade de quebras de menor importância, quando tenta aplicar fundos transparentes ou funcionalidades como o WinFlip. Caso o seu computador se revele pouco cooperante com o que é fornecido pelo VTP, pode desfazer-se de determinadas secções em troca de outras soluções de terceiros. Se o TrueTransparency estiver a causar problemas, instale a versão de avaliação do WindowBlinds a partir do disco deste número e escolha Aero Style (WindowBlinds skin) em Configure User Accounts no VTP Welcome Center. Escolha a máscara Diamond quando lhe for pedido, aplique as suas alterações e reinicie. Uma funcionalidade espectacular do Vista é a sua capacidade para apresentar o espaço livre disponível em cada disco quando abre Computador. Pode adicionar esta funcionalidade ao XP mediante a instalação do programa de código aberto Vista Drive Icon a partir do DVD. Uma vez instalado, abra O meu computador, opte pela vista por ícones e em seguida assinale Ver, Dispor ícones por, Mostrar por grupos e seleccione Ver, Dispor ícones por, Tipo para conseguir um aspecto semelhante. A barra de endereços do Vista permite navegar rapidamente entre pastas e discos. Para dispor desta funcionalidade no XP, instale o QTAddressBar a partir do disco. Depois de instalado, termine a sessão e volte a entrar, deve abrir O meu computador e seleccionar Ver, Barras de ferramentas, QT Breadcrumbs Address Bar para activar a barra de endereços.

O

Afinações extra

Vista é o seu impressionante leque aplicação Apple Mac iCal. de ferramentas de recuperação. A nova ferramenta Cópia de Se o seu sistema não se dá com o Fora da caixa, o XP não lhe chega Segurança e Restauro do Vista Visual ToolTips, experimente em aos calcanhares, mas visite www. significa que não tem desculpa seu lugar o Visual TaskTips (que, supportpcs.co.uk/regrecovery para perder os seus dados, mas uma vez mais, está incluído no para obter um tutorial sobre como obviamente não faz parte do XP. DVD deste número). Não tem um proteger o XP de um problema Se estiver interessado numa solução visual tão atraente como a versão capaz de paralisar a respectiva à borla, dê uma vista de olhos fornecida com o VTP, mas consome instalação através de um Registo no DBFIncBackup Home Edition, menos recursos e é mais estável. corrompido. O DVD do Vista inclui uma ferramenta com opções Já abordámos o facto de o VTP também um ensaiador de memória de agendamento integradas incluir uma versão reduzida do integrado – transfira a mesma e a capacidade para copiar Thoosje’s Sidebar com um conjunto ferramenta para o XP em http:// directamente para CD e DVD. limitado de gadgets, ou minioca.microsoft.com/en/windiag.asp. Um dos grandes pontos fortes do -aplicações. Pode instalar a versão completa a partir do disco que acompanha esta edição, a qual > Procuras ultra-rápidas no XP contém um conjunto mais vasto Uma vez que o Assistente de procura do Windows XP é de mini-aplicações. Se o fizer, pouco eficaz, acelere as coisas para os padrões do Vista desactive a versão incluída com o VTP através do ecrã Configure User Accounts. Quando terminar, precisa de arrastar manualmente o atalho do programa de Iniciar, Todos os programas, Thoosje Sidebar 2.3 para a pasta o de pré-visualiza ção unçã Arranque no menu Iniciar, af qu um ep m Todos os programas ue para que seja lançado com o Windows. O menu Iniciar fornecido com o VTP não demonstrou ser fiável na nossa destina-se aos utilizadores domésticos e máquina de teste. alia-se ao site do Google para levar a cabo A única alternativa procuras que cobrem a Internet e o seu disco é o Vista Start Menu rígido por predefinição. Além disso, instala Emulator, disponível em a sua própria barra lateral e está repleto de http://vseproject.extra. funcionalidades, embora isso acabe por se fazer sentir ao nível do consumo de recursos. hu/dl.html. É grátis mas lento, O Yahoo! Desktop Search (http://desktop. Se pretende aproximar as procuras do Vista se bem que a respectiva caixa yahoo.com) é fornecido pelo software X1 o mais perto possível do XP, transfira a de procura pesquisa todo o disco e faz parte de um período de avaliação de ferramenta Windows Desktop Search a partir rígido e não apenas a pasta 30 dias do X1 Professional Client. Esta de http://support.microsoft.com/kb/917013. Programas. ferramenta visa mais os utilizadores Trata-se da mesma tecnologia utilizada
m er inc

l

ite

alh o

u ao

bientes de em am trab

d tiliza

or encontrar p r ec i s

u e sq ep d

isa

am en te

Para lá das afinações visuais
O Vista não se limita a parecer bonito; também possui várias ferramentas sofisticadas. Se pretende um programa de calendário grátis, instale o MonoCalendar a partir do disco, o qual se assemelha ao calendário do próprio Vista, mas deve mais à

no Vista e está concebida para se integrar uniformemente na sua actual configuração. Pode ser um tanto ou quanto exigente em termos de recursos e não suportar tipos de ficheiros de terceiros, mas poderá visitar www.ifilter.org para obter uma lista de filtros transferíveis a fim de acrescentar outros tipos de ficheiros. Tanto o Google como o Yahoo possuem também as suas próprias ferramentas de procura no ambiente de trabalho. O Google Desktop Search (http://desktop.google.com)

oq uil aq

rocura ue p

Tod

os o sm oto re s

comerciais do que os domésticos. O concorrente final, apesar de frequentemente ignorado, constitui uma digna alternativa às ferramentas do ambiente de trabalho ávidas de recursos do Windows e do Google. O Copernic Desktop Search (www.copernic.com/en/products/desktopsearch) exerce muito menos pressão sobre os recursos do sistema, o que pode ser o argumento decisivo no caso de o seu sistema estar a acusar o peso de todos os outros melhoramentos introduzidos pelo Vista.

MAIO 2008

103

TEMA DE CAPA
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

INSTALE O SP1 PARA O WINDOWS VISTA

01

Quando o Service Pack ficar oficialmente disponível, será transferido e instalado automaticamente. Apenas serão transferidos os componentes ou actualizações que ainda não estejam instalados. Quando a actualização terminar, ser-lhe-á pedido que reinstale.

02

Em alternativa, poderá transferir o ficheiro de instalação completa – uns colossais 450 MB –, que permite instalar rapidamente o SP1 depois de reinstalar o Windows Vista (o que vai acabar por acontecer, mais cedo ou mais tarde). Basta clicar duas vezes no ficheiro transferido e seguir as instruções.

03

A actualização reiniciará o computador várias vezes durante a instalação. Depois de concluída, não notará nada visivelmente diferente, mas o sistema ficará mais estável e poderá criar um CD de arranque capaz de corrigir problemas afins.

Faça uma revisão ao Vista
O primeiro Service Pack deve acabar finalmente com os seus problemas de imaturidade. Descubra por que razão se trata de uma actualização essencial
lançamento do primeiros Service Pack da Windows XP. em Setembro de 2002, foi um momento decisivo. Até essa altura, o XP tinha sofrido de uma história semelhante em termos de compatibilidade, segurança e estabilidade. Agora que o Service Pack 1 para o Windows Vista está iminente – pode inclusive já ter sido lançado no momento em que lê estas linhas –, conseguirá ele alcançar o mesmo resultado para a mais recente encarnação do Windows, perseguida que é por erros, falhas e uma massa de utilizadores perfeitamente satisfeita com o seu antecessor? Quem espera novas funcionalidades importantes no Service Pack 1 ficará desapontado. Consiste principalmente numa colecção de correcções para erros existentes e de actualizações de segurança,
104
MAIO 2008

O

com alguns melhoramentos subtis à mistura. O objectivo é melhorar a compatibilidade e a fiabilidade, e o SP1 promete aumentar o desempenho em certas áreas, muito embora os primeiros testes não tenham revelado qualquer efeito perceptível na capacidade de resposta global do Windows.

Um SO bem comportado
Não obstante, alguns melhoramentos são dignos de consideração. O Vista deverá portar-se melhor com computadores actualizados a partir do XP, placas gráficas novas e portáteis que utilizam monitores externos. Será corrigida toda uma série de problemas que assolam o modo de suspensão, e à partida o sistema deixará de perder tempo com a sua infernal caixa de diálogo “A calcular o tempo restante...” quando copia ou extrai ficheiros. Deverá notar uma ligeira

melhoria no desempenho do Internet Explorer, e os utilizadores de portáteis beneficiarão de um aumento da autonomia da bateria graças a umas quantas afinações que reduzem a carga do sistema operativo sobre o processador. Quem comprou um computador novo sem quaisquer discos de instalação do Vista deverá poder criar um CD de arranque especial capaz de corrigir um grande número de problemas afins. Instalámos uma versão Release Candidate de Janeiro do SP1 em duas máquinas de teste. Demorou quase uma hora a instalar, e a opção Recovery Media Builder foi desactivada (presumivelmente para testes). Quem está a contar com alterações de monta terá uma decepção, mas, apesar da falta de pompa, esta será uma actualização indispensável para todos os utilizadores do Vista.

Na contagem final para o XP SP3
Será que o Service Pack 3 vem dar um abanão ao Windows XP, ou, pelo contrário, é o canto do cisne para este venerável veterano?

N

o momento em que lê este artigo, é possível que o Service Pack 3 já tenha sido lançado oficialmente. Com o lançamento programado para a primeira metade do corrente ano, o primeiro Release Candidate ficou à disposição dos utilizadores mais aventureiros em Janeiro passado. Inclui todas as actualizações e melhoramentos em termos de funcionalidades presentes nos dois Service Packs anteriores (para que não tenha de instalá-los primeiro), o que explica o seu tamanho: 330 MB, maior em mais de 70 MB do que o SP2 (refira-se que se o transferir através do Windows Update, o tamanho será significativamente inferior). Poderia perfeitamente pensar que os 70 MB incluem alguns melhoramentos apetitosos fora da caixa, como o Internet Explorer 7, Windows Media Player 11 e talvez até o Windows Desktop Search, mas infelizmente isso não acontece. Não é que a

Microsoft esteja apenas a ser má – a maioria dos Service Packs é pouco mais do que uma colecção de correcções de erros. O Service Pack 3 inclui, obviamente, todas as correcções e actualizações críticas pós-SP2, mas a culminar tudo isto apresenta várias outras actualizações importantes, como as mais recentes versões do Windows Installer e da Microsoft Management Console. O SP3 também adiciona suporte para redes encriptadas com WPA2, e introduz uma funcionalidade chamada Network Access Protection, a qual, basicamente, permite aos administradores de sistemas bloquear o acesso à rede a computadores que não tenham instalado as últimas actualizações de segurança e do Windows. Trata-se de uma funcionalidade que será mais do interesse de empresas e de utilizadores avançados do que propriamente da família típica.

Não espere grandes alterações em termos de funcionalidade e novas aplicações com o Service Pack 3

Não há nada para ver aqui...
A Microsoft tem-se mantido muito discreta no que diz respeito ao Service Pack 3. Afinal de contas, não quer distrair a atenção das pessoas para o Vista, o que talvez explique por que razão os relatórios de que o SP3 melhora o desempenho do Windows até 10 por cento não foram verificados oficialmente ou sequer comentados. Assim sendo, mesmo que não contenha quaisquer funcionalidades dignas de realce, por si só isto deve chegar para fazer do Service Pack uma actualização ainda mais essencial para todos os utilizadores do XP. Lamentavelmente, a versão de pré-lançamento do Service Pack não se integra nos ficheiros de configuração do Windows, como tal não pudemos ver como se portaria um disco de instalação optimizada do Windows XP SP3, o que nos permitiria confirmar a promessa feita pela Microsoft de que o SP3 possibilitará instalar o XP sem a chave do produto, para que possa “avaliá-lo” durante 30 dias. Trata-se quase certamente do

último Service Pack para esta versão do Windows, embora não seja de todo inconcebível que a Microsoft produza um pacote especial adicional de actualizações pós-SP3 antes de o programa entrar na fase de suporte alargado em Abril de 2009.

> O Windows após 2008
Veja o que o futuro reserva para o seu computador
Se 2009 marca o início do fim para o Windows XP, o futuro é muito mais brilhante para a próxima versão do Windows, que tem agora o nome de código Windows 7 e cujo lançamento está previsto para 2010. Até agora não vieram a público muitos detalhes acerca do Windows 7, mas sabemos que a Microsoft quer que o Windows seja ainda mais fácil de utilizar em termos de procura de informação e ligação a uma rede sem fios. Isto é reflectido pelo desejo de Bill Gates de tornar o Windows 7 mais «voltado para o utilizador», para que seja mais fácil transferir ficheiros, programas e definições entre diferentes computadores. Na forja está também uma nova versão do Explorador do Windows, a cargo dos mesmos indivíduos que desenharam a interface do friso presente no Office 2007. A Microsoft planeia igualmente rivalizar com o Apple iPhone através do desenvolvimento adicional das suas próprias tecnologias tácteis, algumas das quais já fazem parte do Vista. A de maior destaque é a Microsoft Surface, uma tecnologia de ecrã táctil que permite integrar um computador num tampo de mesa. Não só será possível controlar o ecrã com os dedos, como também interagir com dispositivos colocando-os simplesmente em cima do tampo. Se funcionar, poderá muito bem marcar uma das maiores revoluções dos últimos anos na área da tecnologia informática.

> Superdicas
>Se quer ter o controlo total sobre a instalação do VTP, transfira e leia o manual User Guide 8 – System Classic em www.jcxp.net/forums/index. php?showtopic=24478 antes de seleccionar Classic mode. >Desinstale o Vista Transformation Pack antes de transferir e instalar o Service Pack 3 – procure em www. windowsxlive.net/?page_id=15 uma actualização compatível com o SP3. >Caso o seu sistema se debata para conseguir lidar com o Vista Transformation Pack, comece por desactivar as opções de transparência. >O Vista está permanentemente atento à saúde do disco rígido – para fazer o mesmo no XP, transfira e instale o HDTune a partir de www. hdtune.com. >Quem precisa da ferramenta Área de Reunião do Vista quando o NetMeeting faz a mesma coisa? Clique em Iniciar, Executar, escreva conf e prima Enter para aceder no XP.

MAIO 2008

105

TEMA DE CAPA
PCG PCG

Quem precisa do Vista?
Porquê mudar para o Vista quando se pode ter de graça todas as funcionalidades e gráficos do novo sistema operativo?
Vista Transformation Pack

A

qui está o original – e ainda o melhor – Vista Transformation Pack. Antes de a Microsoft ter sequer lançado o Windows Vista, a equipa do Windows X já estava em cima do acontecimento. A primeira versão do Vista Transformation Pack tinha um aspecto muito simples em comparação com o actual visual da ferramenta. Mas desde então já evoluiu tremendamente. Quase idêntico ao último sistema operativo da Microsoft, o Transformation

Pack, como o nome sugere, é um compêndio das mais recentes e melhores máscaras, funcionalidades e emuladores baseados no Vista, todos eles integrados num programa de instalação rápido e fácil de usar. Numa questão de minutos, o seu sistema será a cara chapada de uma actualização do Vista, com uma importante excepção – continuará a poder correr todas as suas aplicações actuais sem receio de perder a compatibilidade com o Vista.

É fácil – e não custa nada – ter um ambiente de trabalho ao estilo do Vista enquanto corre o XP

suDown
terrível UAC (Controlo de Conta do Utilizador), que limita a utilização de software com privilégios de utilizador padrão, faz-se notar entre os utilizadores Vista. Porém, é possível conseguir a mesma coisa no Windows XP com o suDown. OsuDown é o que o UAC do Windows Vista deveria ter sido. O programa impede simplesmente o utilizador de instalar aplicações que alteram os ficheiros do sistema, a menos que o utilizador clique com o botão direito do rato

O

Evite danificar os seus ficheiros de sistema mas sem o incómodo do UAC

e seleccione o item de menu “z sudo”. Nesse momento, o suDown verifica (por intermédio de uma palavra-passe) se o utilizador tem a certeza de que pretende avançar com essa acção. Posto isso, o suDown deixa de interferir e pode continuar a trabalhar da forma habitual. O que torna o suDown diferente de criar uma conta de utilizador restrita é o facto de ser possível realizar acções com privilégios de administrador com os alertas UAC activos.

Copernic Desktop Search
rovavelmente uma das funcionalidades mais úteis do Windows Vista reside na capacidade de procura instantânea. No entanto, à semelhança do que sucede com a maioria das funcionalidades do Vista, há um preço a pagar. Para tirar partido da procura instantânea, tem de deixar o Windows Vista vasculhar constantemente o seu disco para indexar todas as pastas e dados. Isto reflecte-se numa quebra no desempenho, num computador
106
MAIO 2008

P

barulhento e num esforço desnecessário para o disco rígido. O Copernic Desktop Search oferece a procura instantânea com uma indexação inteligente do disco. De uma maneira hábil, o software mantém o índice completamente actualizado, mas de forma mais amistosa para a máquina. A melhor coisa acerca do Copernic Desktop Search, tal como todas as aplicações que integram o Vista Transformation Kit que fornecemos este mês, é o facto de ser grátis.

Desfrute de procuras instantâneas sem sobrecarregar o computador

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

A B

Irá precisar de...

O seu velho PC Qualquer sistema antigo que possa ter encostado a um canto na arrecadação serve para este projecto, mesmo que tenha o Windows 98 como sistema operativo. Disco rígido Se o espaço em disco for limitado, será uma boa ideia adicionar mais um disco sem gastar muito. Por cerca de 50 euros, poderá ter mais 160 GB disponíveis. Rede com fios Será precisa uma porta de rede Ethernet. Se a motherboard não tiver uma, poderá comprar uma placa PCI gigabit e um cabo de rede por menos de vinte euros. Rede sem fios Se preferir livrar-se dos cabos, um adaptador de redes sem fios na forma de uma pen drive USB compatível com 802.11g custa cerca de 15 euros. Impressora Ligue-a directamente ao servidor através da porta paralela ou de uma ligação USB para que possa ser partilhada sem custos adicionais. Software de segurança Instale uma firewall e um antivírus para proteger o servidor. Poderá recorrer a soluções freeware.

A

B

C D E F
F

E C D

Construa um servidor a partir do seu velho PC
Se não sabe o que fazer com o hardware antigo, converta-o num servidor de ficheiros sem gastar muito dinheiro
PCGUIA

D
> Vai precisar de...
>Um PC antigo >Uma ligação de rede >Monitor, teclado e rato para a
configuração inicial

eixe-nos adivinhar: trocou de PC há pouco tempo e continua sem saber o que fazer ao monte de hardware desactualizado que deixou encostado a um canto da arrecadação a ganhar pó. Em vez de lhe fazer o funeral, por que não devolver-lhe a dignidade de outros tempos e dar-lhe alguma utilidade transformando-o num

servidor em rede? Poderá usá-lo como um ponto central para partilha de ficheiros e de impressoras ou convertê-lo num dispositivo de backup para toda a família. Uma vez configurado e pronto a usar, será capaz de ser colocado debaixo de qualquer secretária e funcionar calmamente em plano de fundo, sem que seja precisa qualquer

intervenção de sua parte. A parte mais sedutora deste projecto tem que ver com o facto de ele poder ser executado tendo por base qualquer PC que possa ter arrumado sem utilidade aparente. Um servidor não requer grandes quantidades de memória ou de processamento; tudo o que precisa é de discos rígidos. E se a unidade que estiver montada

108

MAIO 2008

>

PASSO A PASSO

PREPARE O CAMINHO

01

Se estiver a utilizar o Windows 98 ou o Windows Me no seu PC servidor, arranque a partir do CD de instalação do Windows e inicie sem suporte para CD-ROM. Introduza Fdisk na prompt A:> para lançar a ferramenta original de particionamento do Windows. Prima Y quando solicitado. No menu principal, prima 3 seguido de 1 para eliminar a partição existente.

elementos de hardware que fazem parte do servidor e que se encontram dentro da caixa do seu velho PC. Esta é uma excelente oportunidade para ir buscar os controladores com as versões mais actualizadas. Outra coisa que deverá fazer é criar duas partições no disco rígido, ficando assim com uma pequena drive de arranque para o sistema operativo (que poderá ser de apenas 1 GB para o Windows 98 ou de 5 GB para o Windows

precisam de permitir a partilha de ficheiros e de impressora a partir do centro de controlo de rede, clicando no botão Partilha de ficheiros e de impressoras em redes Microsoft. Depois, crie a pasta partilhada e clique no botão direito do rato sobre ela, escolhendo Partilhar. Uma vez que a pasta esteja configurada, experimente entrar nela a partir de outra máquina ligada em rede. Após verificar a ligação com sucesso, instale o software de

02

Prima 1 duas vezes para criar uma partição primária DOS. Prima N quando solicitado e introduza 1024 (no Windows 98) ou 2048 (no Windows Me) para atribuir entre um e dois gigabytes de espaço para esta partição. Prima 1 > 2 parar criar uma partição estendida e atribua-lhe todo o espaço em disco restante. Feche o Fdisk, reinicie o sistema e comece com a instalação.

Além do Windows, irá apenas precisar de um software de segurança na forma de uma firewall, de um antivírus e de um anti-spyware
XP) e uma outra maior para armazenar os dados e criar pastas partilhadas de backup e partilha de ficheiros. Poderá obter mais detalhes sobre esta matéria na caixa Prepare o caminho. segurança. Os utilizadores que tenham o Windows 98 instalado e que precisem de uma firewall poderão recorrer à Jetico Personal Firewall, em www.jetico. com/jpfirewall.htm.

03

Se estiver a utilizar o Windows 2000 ou o XP, a drive deverá ser particionada durante a instalação do sistema operativo. Quando for solicitado para reparar a instalação do Windows, prima Enter e use os controlos para eliminar todas as partições existentes. Só depois deverá criar a partição de 5 GB para o Windows e deixar o resto sem alocação por enquanto.

Comece a partilhar Após a instalação
Na PCGuia já nos dedicámos vezes sem conta aos aspectos que têm que ver com a instalação do sistema operativo, pelo que não o vamos fazer neste artigo. Tudo o que precisa de saber é que se trata de um processo muito simples, pelo que tudo deverá correr normalmente. Uma vez que o Windows tenha sido reinstalado, deverá verificar a ligação à rede. Assegure-se de que colocou o servidor no mesmo grupo de trabalho onde se encontra a restante rede. A seguir, configure a partição de dados. No Windows 98, basta que clique no botão direito do rato sobre o Meu Computador e que escolha Formatar. Já nos Windows 2000 e XP, será necessário criar a partição e formatá-la – clique em Iniciar, no botão direito do rato em Meu Computador e escolha Gerir, Gestão de discos. Agora há que definir as pastas partilhadas na drive. Os utilizadores com o Windows 98 Assim que todos estes passos tenham sido dados, vire a página e siga o guia Passo a passo para terminar a configuração do seu novo servidor. Uma vez terminada, desligue o PC e remova o rato. Reinicie e máquina e, se surgir alguma prompt a indicar que não existe um rato durante o arranque, prima Tab e depois a barra de espaço para assinalar a opção que evita a exibição desta mensagem no futuro. Prima novamente Tab e depois Enter para fechar a caixa de diálogo. Quando o Windows acabar de carregar, prima Ctrl e Esc para chamar o menu Iniciar. Use os cursores para seleccionar Encerrar e prima Enter. Use novamente os cursores para escolher Encerrar e prima novamente Enter. Poderá agora desligar o teclado e o monitor e reiniciar mais uma vez a máquina. Aguarde alguns minutos; assim que estiver a funcionar, deverá ser capaz de aceder através da rede às pastas partilhadas. ■
MAIO 2008

no PC for curta em espaço de armazenamento, instale outra e mais uma, tantas quantas forem necessárias e até ao limite máximo suportado pelo sistema. Também não irá precisar de ter a última versão do Windows, podendo o seu servidor trabalhar perfeitamente com o Windows 98, por exemplo. O PC servidor irá obviamente precisar de ser ligado em rede. A melhor solução para o fazer é colocá-lo junto de um router ou de um switch, de modo ligá-lo por cabo, porque este método é mais simples e rápido.

Configurar o servidor
Recomendamos que reinstale o Windows a partir do zero no seu novo servidor. Não precisa de fazer o mesmo com o Office, nem tão pouco precisará de um editor de imagem ou de todas as habituais aplicações associadas a um PC. De facto, além do Windows irá apenas precisar de um software de segurança na forma de uma firewall, de um antivírus e de um anti-spyware. Assegure-se de que tem à mão o CD de instalação do Windows, bem como da respectiva chave de activação e dos drivers dos

109

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

>

PASSO A PASSO

CONFIGURE O SERVIDOR DE FICHEIROS

01

Assegure-se de que a firewall permite o tráfego de rede de e para o seu servidor. A maior parte das firewalls configura este aspecto automaticamente. É o caso da Comodo e da ZoneAlarm Free, nas quais o processo é executado durante a instalação.

02

Atribua um endereço IP estático ao servidor de modo a que ele possa ser encontrado por outros computadores. Consulte a documentação do router para obter informações mais detalhadas neste capítulo, nomeadamente o endereço IP do router (que normalmente é 192.168. x.1, sendo x um valor entre 1 e 255).

04

Seleccione Utilize o seguinte endereço IP e introduza 198.168.x.y, em que x é igual ao valor do router e y é um número entre 2 e 255 que não esteja a ser utilizado por outro dispositivo de rede.

Caso seja necessário, introduza 255.255.255.0 como máscara de sub-rede e digite o endereço IP do router quer em Gateway predefinido, quer em Servidor DNS preferido (no Windows 98, mude para o separador relativo à configuração DNS). Clique em OK e feche e caixa.

05

Enquanto que os PC mais recentes permitem o uso automático do botão de operação para encerrar, os computadores mais antigos podem precisar de algumas alterações. Procure na mesma secção por uma opção relacionada com o botão de energia e defina-a como Suspend ou Instant-Off.

07

Reinicie para o Windows e vá até às Opções de Energia. Entre no separador Avançadas para se assegurar de que o botão de energia está configurado para desligar o PC quando for premido.

08

110

MAIO 2008

HARDWARE GUIAS
PCG

Abra as ligações em rede ou o painel de ligações de rede. Nos Windows 2000 e XP clique no botão direito do rato sobre o adaptador de rede e escolha Propriedades. Seleccione TCP/IP (no Windows 98) ou Internet TCP/IP e clique em Propriedades.

03

Os computadores mais recentes podem ser configurados para se ligarem automaticamente a uma determinada hora. Entre no BIOS e procure em Power Management pela opção Wake from S5. Active-a e introduza a hora desejada.

06

Para desligar o PC numa determinada altura de cada dia, instale a aplicação gratuita AMP WinOff e escolha as horas a que pretende que o encerramento do sistema seja feito. Clique em OK no final.

09

MAIO 2008

111

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

Maximize o desempenho da 8800GT é capaz de ombrear com Inalterada, esta placa gráfica
os modelos topo de gama. E tem um preço fantástico
PCGUIA

desempenho de um PC para jogos gira em torno de três componentes essenciais: o processador, a placa gráfica e a RAM. De entre estes, pode-se dizer que é a placa gráfica que mais importância tem, na medida em que poucos jogos irão levar o CPU à carga máxima (desde que seja um processador de gama média, pelo menos), ao passo que
112
MAIO 2008

O

irão sempre castigar a gráfica sem qualquer tipo de remorsos. Comparámos o nosso PC de testes com o mais recente Valve Hardware Survey e concluímos que, enquanto o CPU e a RAM se equivalem ao que existe nas máquinas de outros jogadores, a placa gráfica não. Talvez porque ainda seja uma GeForce 7900GS, o que quer dizer que, enquanto os jogos «Half Life

2 Episode 2» e «Call of Duty 4» têm um aspecto fantástico, «Company of Heroes: Opposing Fronts» corre como um caracol e «Crysis» torna-se numa versão em câmara (muito) lenta de «Far Cry». Concluímos que estava na altura de actualizar este elemento para uma moderna 8800GT e aproveitámos esta desculpa para instalar o RivaTuner, um programa de overclocking que permite ir

buscar o mais ínfimo megahertz de desempenho escondido no GPU de qualquer placa gráfica baseada em tecnologia da Nvidia, sendo que funciona também numa grande parte das placas ATI. É grátis e pode ser descarregado a partir de http:// tinyurl.com/2hsox. Não espere milagres, mas deverá ser capaz de notar maior rapidez na sua placa gráfica.

Ao atribuir nomes aos perfis poderá depois saber o que é que cada um deles permite fazer

2

Primeira Parte Configuração dos perfis
Acelerar a placa gráfica implica que esta se torne mais quente em funcionamento. Por isso mesmo, é essencial que ela seja arrefecida de forma apropriada. Para isso, é necessário configurar alguns perfis para a ventoinha. Inicie o Riva Tuner e clique no ícone em forma de triângulo, junto da palavra Costumize para aceder ao menu (1). Depois, clique no ícone com a forma de uma placa gráfica (Low-Level System Settings) para entrar na página onde é possível aceder às definições do cooler do GPU. Assegure-se de que a opção para permitir o controlo em baixa rotação está activada (Enable low-level fan control), escolha a opção Fixed e fixe a marca nos 60 por cento. No fim, clique em Apply e clique de seguida sobre o ícone com forma de disquete debaixo de Fan Profile Settings. Atribua um nome ao perfil (2) e grave-o. Repita este processo para gravar dois outros perfis, um a 80% e outro a 100%. Volte à janela principal e vá até ao separador Laucher. Clique no sinal verde (+) e escolha Regular Item (3). Dê um nome ao item, seleccione a caixa Associated Fan Profile, escolha Low-level a partir da lista à direita e opte pelo perfil de 60% (4). Repita este processo para os outros perfis criados.

1

O RivaTuner exibe muita informação sobre a sua placa gráfica, incluindo a versão dos controladores

3

É necessário fazer a ligação do perfil da ventoinha ao item seleccionado no separador Laucher

4

O separador Laucher dá-lhe controlo directo sobre os perfis

MAIO 2008

113

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

5
Inicie o monitor de hardware para revelar a temperatura da placa

Segunda Parte Regulação automática
A regulação automática da ventoinha baseia-se na temperatura do GPU. No menu geral, clique no triângulo junto à descrição da sua placa gráfica (5) e depois sobre o ícone em forma de lupa por cima de um chip para iniciar o monitor de hardware (6). Aqui, poderá consultar a temperatura da sua placa. Clique no botão Setup em baixo à direita e depois sobre Core Temperature (7). Clique de novo em Setup. Defina o valor máximo para 100ºC e o mínimo para 20ºC e seleccione as opções para exibir o ícone da temperatura de modo a facilitar a verificação da mesma (8). Será preciso ainda definir os valores de aviso. Clique no botão verde (+), defina o valor da temperatura para 60 (o que significa 60ºC) e atribua-lhe um nome (9). Seleccione Launch, seleccione Item e escolha o perfil de velocidade da ventoinha a 100%. Mais abaixo, precisa de definir uma acção para quando a temperatura baixar. Escolha o perfil dos 80%. Grave e repita o processo, escolhendo desta vez 55ºC como valor de Treshold (10). O monitor de hardware irá agora mostrar três linhas que correspondem aos limites de temperatura e à temperatura actual (11).
Se não souber onde é que se encontra o ficheiro de log, descubra-o aqui

6

7

Se premir o botão vermelho de gravação, poderá gravar todos os gráficos para um ficheiro log

10

8 9

Neste caso, alterámos a cor de aviso de que algo está mal para cor-de-laranja

A cor padrão para a temperatura é vermelho, mas pode ser alterada para outra qualquer opção

11

Use as opções para exibir a temperatura do GPU na área de ferramentas

114

MAIO 2008

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

12
É nesta altura que a diversão começa. Toca a mexer nas definições da placa!

3DMark 06
Índice 3DMark
Relógio de série Oveclock 10500 10600 10700

De origem
10607 10948 10800 10900 11000

World in Conflict
Relógio de série Oveclock

Definições mais elevadas 14 19
10 12 14 16 18 20

13
Crysis
Relógio de série Oveclock

Definições mais elevadas
26,9 28,65 fps 25 26 27 28 29 30

Estamos com sorte: esta placa já vinha acelerada de fábrica

14

Terceira Parte Alteração de perfis
Finalmente, é possível criar perfis de overclocking – é precisamente essa a razão de ser deste artigo. A partir do menu geral, clique no triângulo perto das palavras Forceware detected (12) e clique no ícone em forma de placa gráfica (definições do sistema). Verá agora uma série de alavancas que permitem alterar diversos elementos da sua gráfica (13). Antes de mais, clique na opção Enable driver-level hardware overclocking e verá imediatamente uma nova caixa de diálogo (14) a perguntar-lhe se deseja reiniciar o sistema, detectar ou cancelar. Clique em Detect now para regressar ao ecrã anterior. A partir da lista disponibilizada no topo direito, escolha Performance 3D e retire a selecção sobre a opção para ligar os relógios de core e de shader (15). Agora é que a diversão vai começar. Ao mover as barras de selecção, poderá aumentar a velocidade do core, do shader e da memória. Para obter os melhores resultados, é melhor aumentar um destes itens de cada vez e depois executar um benchmark para verificar se a placa gráfica está estável após cada incremento. Caso esteja, poderá guardar um perfil de overclocking – clique sobre o ícone em forma de disquete e dê-lhe um nome (16). Esta é uma fase de tentativa e erro que poderá demorar algum tempo até que se consiga encontrar os valores ideais que permitam levar a placa gráfica ao extremo dentro dos limites aceitáveis. Poderá até acontecer a placa ter um desempenho menor apesar de o seu funcionamento estar estável. Quanto a nós, conseguimos obter os melhores resultados fixando o relógio do core nos 738 MHz, o relógio do shader nos 1797 MHz e o relógio da memória nos 1012 MHz. No entanto, isto foi conseguido numa placa XFX que já vinha acelerada de fábrica. Tentámos fazer o mesmo numa MSI sem modificações de raiz e pudemos constatar que foi mais difícil aplicar-lhe overclocking. Assegure-se de que o RivaTuner é executado quando o Windows inicia, bastando para tal ir ao separador Settings e escolher Run at Windows startup (17). Também deverá activar a opção que permite minimizar a aplicação para a área de notificação. Desta forma, é possível alterar os perfis de overclocking clicando apenas no botão direito do rato sobre o respectivo ícone do RivaTuner (18).
116
MAIO 2008

15 16

O paciente método da tentativa e erro levou-nos até este ponto, mas é possível fazer ainda melhor

17

É possível mudar entre perfis a partir do ícone residente na área de notificação do sistema

18

HARDWARE GUIAS
PCG

CrossFireX vs

3-Way SLI
O
118 s chips gráficos são pedaços de silício grandes e complicados. Existem quase tantos transístores numa Nvidia
MAIO 2008

A guerra das plataformas com várias placas gráficas está ao rubro. A PCGuia explica quais as opções
PCGUIA

8800GT de núcleo simples (754 milhões) quantos podemos encontrar num processador Intel Penryn com quatro núcleos (800 milhões). Cada geração de

GPU acrescenta novos níveis de complexidade, o que faz disparar os custos de fabrico. Será por isso que os lançamentos de placas simples superpotentes são hoje

muito mais espaçados do que no passado? Cada nova geração representa um risco financeiro maior e uma dor de cabeça técnica para

HARDWARE GUIAS
PCG

a Nvidia e AMD. Ambas as empresas estão interessadas em concentrar-se no desenvolvimento de melhores versões de tecnologias estabelecidas destinadas à gama de hardware mainstream, em vez de anunciarem mais uma placa que rebenta com todos os benchmarks para aqueles poucos utilizadores com um orçamento suficientemente generoso para poderem comprála. Tal como acontece com o fabrico de processadores, a resposta está em usar um número crescente de núcleos mais simples e mais eficientes em paralelo, em vez de desenvolver desenhos de núcleos cada vez mais caros e complexos. As duas companhias apostaram nesta estratégia e oferecem configurações multiGPU baseadas nos mais recentes chipsets de motherboard. Em relação à AMD, é possível inserir até quatro placas da série HD38xx numa motherboard 790 FX para conseguir a interface CrossFireX. A 3-Way SLI da Nvidia, entretanto, faz

precisamente aquilo que diz na caixa. Podem ser combinadas três 8800GTX ou Ultra numa motherboard alimentada pelo chipset 7801. Na nossa Redacção, sempre estivemos renitentes a configurações de duas placas gráficas. Não é possível que duas placas consigam facultar um desempenho que se assemelhe ao dobro do potencial de sistemas com apenas uma placa. Além disso, as probabilidades de

duas placas idênticas, ambas as plataformas continuam a debater-se com o lançamento de um novo jogo ou – como vimos no início do ano passado – de um novo sistema operativo. Nem mesmo o argumento de optar por uma actualização barata tem grande lógica. Por exemplo, se tivesse instalado uma X1900XT há dois anos, agora estaria novamente à procura de uma nova placa. Pondo de lado o problema de encontrar outra

Tal como acontece com o fabrico de processadores, a resposta está em usar um número crescente de núcleos mais simples e mais eficientes em paralelo
surgirem problemas ao nível dos controladores com três ou mais placas duplicam ou triplicam. Apesar disso, tanto a AMD como a Nvidia já oferecem há algum tempo a possibilidade de unir X1900XT nesta altura, continuaria mais bem servido se comprasse uma única GeForce 8800GT ou uma Radeon HD3870. Acrescente a isso o facto de a mudança para uma configuração

de duas placas ser dificultada pela falta de padronização ao nível das motherboards – as placas Nvidia apenas “falam” entre si numa motherboard Nvidia. Com efeito, até agora a história das configurações gráficas multiplacas mostra que estão presentes quase só em computadores de topo de gama, nos quais os assembladores conseguem negócios suficientemente bons por parte dos fabricantes de placas para que a venda de máquinas com vários GPU representem um valor relativamente atractivo. Além disso, têm a garantia de ajuda das equipas de controladores para optimizar os seus sistemas.

Dois em um
Neste preciso momento, o factor que torna possível a CrossFireX e a 3-Way SLI é o PCI Express 2.0. Pese embora ambas as configurações necessitarem de conectores adicionais entre todas as placas da configuração, a maioria dos dados que passam de placa em placa

As configurações de duas placas têm para já uma péssima relação preço/qualidade. Seria um disparate acrescentar uma terceira placa...

120

MAIO 2008

HARDWARE GUIAS
PCG

para a memória do sistema fá-lo através do bus PCI Express. Com a versão mais recente, a largura de banda por via duplica de 250 MB/s para 500 MB/s, o que confere o espaço necessário para mais de duas placas gráficas funcionarem na sua potência máxima. Uma vez que só mesmo as últimas motherboards suportam a 3-Way SLI ou CrossFireX, continua a não ser uma grande opção de actualização para um qualquer computador actual. No papel, a 3-Way SLI da Nvidia é a menos atraente das duas novas tecnologias. Para começar, exige um conector completamente novo e difícil de segurar para unir as placas. Pior, contudo, é o facto de só as melhores placas gráficas de topo de gama, a 8800GTX e a 8800Ultra, poderem ser dispostas numa configuração de três placas. Nenhuma outra placa gráfica da Nvidia possui o conector SLI extra no PCB necessário para fazer a 3-Way SLI funcionar. Uma enorme decepção. Duas Ultra – cujo preço actual é cerca de 1200 euros (as duas) – já são um exagero para a maioria dos jogos e apresentam uma relação preço/qualidade absolutamente medonha. Se acrescentasse uma terceira placa ao conjunto, teríamos de sugerir educadamente que o seu bom senso financeiro é tão refinado como uma

O desenho da motherboard é essencial para o bom funcionamento dos sistemas gráficos com várias placas

pedreira de ardósia do Neolítico... Três 8800GT – com um preço total de cerca de 660 euros –, por outro lado, teriam tido algum potencial para correr «Crysis» nas definições mais elevadas. Infelizmente, nunca saberemos.

A nova motherboard 780i parece ter sido lançada antes de tempo
Só a 8800 GTX e a Ultra da Nvidia suportam triplo SLI

Para piorar as coisas, a motherboard 780i parece ter sido lançada como uma espécie de hardware por acabar. O Northbridge e o Southbridge mudaram muito pouco desde a série 680: todas as novas funcionalidades, como o PCIExpress 2.0 e a ranhura da terceira via de 16x para a 3-Way SLI, estão alojadas num terceiro chip controlador, o nForce 200. Isso traduz-se num maior consumo de energia, em mais calor para dispersar e num salto adicional para os dados à medida que passam da memória do sistema para a GPU.

Fogo cruzado do CrossFireX
O CrossFireX pode não conseguir convencer-nos de forma categórica de que as configurações multiplacas são uma vantagem para quem procura bons gráficos, mas revela122
MAIO 2008

se muito mais promissora no que tocas às estatísticas do que o sistema 3--Way SLI da Nvidia. Para começar, historicamente as placas Radeon apresentam um comportamento superior quando funcionam em conjunto, e há muito potencial numa plataforma HD3850 de quatro vias a cerca de 150 euros por placa gráfica. Não conte com o quádruplo do desempenho de uma única HD3850, porém. Cada placa adicionada à configuração oferece um ganho cada vez menor, e a última placa pode nem sequer aumentar de forma palpável as frames por segundo. Apesar de a CrossFireX estar a ser vendida como parte da plataforma Spider da AMD (composta por quatro núcleos e quatro GPU), correm rumores, à semelhança das anteriores versões da CrossFire, de que também irá funcionar nos chipsets Intel – mais especificamente, no P45 Express. Isto seria certamente um ponto a favor da AMD, para variar, se bem que a sua relação com a Intel não deixaria de

HARDWARE GUIAS
PCG

constituir igualmente uma enorme surpresa. Neste momento, contudo, a CrossFireX apenas está disponível na motherboard de topo de gama da AMD, a 790FX. Cada placa gráfica recebe uma ligação PCI Express 2.0 de oito vias ao chipset. O único inconveniente é que algumas das placas que vimos até agora não aceitam quatro placas “duplo oito” devido às restrições em termos de espaço, o que exclui quatro HD3870 normais. Este mês, contudo, foi anunciada a HD3870 Atomic de ranhura simples, da Sapphire, a qual, à parte as questões dos controladores, pode facilmente transformar-se numa rival da configuração SLI tripla de topo de gama. Mas vai precisar de uma colossal fonte de alimentação de 1100 W.

Um futuro melhor?
As placas gráficas quádruplas não são exactamente uma história de sucesso – a anterior tentativa da

Nvidia de criar um sistema SLI com quatro placas, há algum tempo, foi um desastre. No entanto, isto deveu-se em parte às limitações do DirectX 9, que apenas consegue representar três frames antecipadamente. Uma vez que a forma mais comum de interacção numa configuração multiplaca é a representação alternada de frames – na qual cada placa representa à vez uma frame inteira –, não é preciso ser-se um génio da matemática para ver por que razão isto era um problema. Porém, estas questões foram resolvidas com o DirectX 10, por isso, em teoria, devemos começar a notar um melhor escalonamento do desempenho com quatro GPU que anteriormente. O maior problema, como foi também no passado, vai ser com os lançamentos de controladores para novos jogos. Até agora, vimos que demora cerca de um mês para conseguir suporte para a SLI inclusive num novo título AAA, enquanto o suporte para a CrossFire

A Sapphire HD3870 Atomic torna a promessa de desempenho do CrossfireX uma realidade

foi sempre uma dor de cabeça para os fãs das multi-GPU ATI – o que pode vir a ser um grande problema se subitamente ficar reduzido a uma única HD3850 durante as primeiras semanas do lançamento de um jogo importante. Sendo assim, quem leva o nosso voto? De momento, o suporte ao nível dos controladores para ambas as plataformas é uma dor de cabeça, e a avaliar pela experiência de um passado recente, é provável que seja um factor determinante no número de pessoas que decide aderir a uma ou outra das opções. No papel, pelo menos, a AMD tem a vantagem graças à decisão de incluir na equação as suas placas de gama média. Oferecem uma

interessante e tentadora alternativa de actualização que não obriga a adquiri-las aos pares. A entrada da Sapphire HD3870 Atomic para a “arena” do CrossFireX certamente ajuda neste aspecto e dá à AMD a possibilidade de se bater ao mesmo nível. A falta de suporte para a GT e GTS de segunda geração constitui um grande problema para a plataforma multi-GPU da Nvidia, em particular pelo facto de a 8800GT ser a placa do momento. Conseguir competir na gama média pode muito bem ser o campo de batalha crucial nas guerras multi-GPU, e a Nvidia apenas tem o SLI padrão para oferecer. Contudo, quando a poeira assentar neste campo de batalha, tudo se resumirá ao fabricante que melhor gerir o respectivo suporte de controladores. ■

>

Feito num oito
Houve várias tentativas corajosas no sentido de pôr duas GPU numa única placa, mas até agora não representam mais do que um nicho. Este mês, no entanto, vimos a AMD lançar a HD3870 X2 (a versão da PowerColor foi analisada na revista de Abril), a primeira tentativa séria desde que a 3dfx lançou a malfadada Voodoo 5, há quase uma década. A HD3870 X2 é recebida calorosamente e com receio em igual medida. Por um lado, juntar duas HD3870 num PCB criou uma placa potente capaz de levar a melhor sobre a GTX da Nvidia. Por outro, depende do suporte da CrossFire para funcionar na sua máxima potência, o que significa que pode perfeitamente encontrar problemas com o lançamento de cada jogo novo. Note que apenas pode ter dois destes monstros num sistema de cada vez. Esta restrição não é necessariamente má. Quatro placas numa 790FX seria a loucura total...

Talvez três 8800GTS tivessem conseguido lidar com as definições de alta resolução de «Crysis», mas nunca chegaremos a saber...

124

MAIO 2008

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

Melhore o desempenho Wi-fi com papel
1

É possível aumentar a força e o alcance do sinal usando uma simples folha e o poder da física
PCGUIA

À

primeira vista, isto poderá parecer-lhe um truque de magia. Mas com apenas um pedaço de papel é possível aumentar um traço na barra que mede a força do sinal Wi-fi produzido pelo router que tem em casa. No fundo, é pura física. As ondas de rádio a 2,4 GHz usadas pelo Wi-fi são muito fracas e facilmente bloqueadas ou reencaminhadas pelo mais fino dos objectos, incluindo o papel. O equilíbrio de alguns princípios da física levou-nos à construção de uma espécie de antena parabólica capaz de melhorar o sinal do router, fazendo com que as tais ondas de rádio espalhadas se organizem melhor. A ideia original pode ser consultada no site www.
Vai precisar de... >Uma impressora >Uma folha de papel grosso ou de
cartão

>

freeantennas.com. Acredite ou não, este simples processo levounos a ganhar força no sinal. De facto, passou de uns fracos 43 por cento para uns aceitáveis 63%. Ainda experimentámos colocar uma pen drive no chapéu de papel para ver se os resultados melhoravam, mas nessas condições apenas obtivemos um ganho para os 53%. Pode não ser a solução mais elegante – colocar umas orelhas em papel nas antenas do router não é bonito – mas aqui na PCGuia pouco ligamos a isso do estilo e da alta-costura. O que querermos é soluções práticas que melhorem o dia-a-dia dos nossos leitores. E esta sem dúvida que pode fazê-lo e sem que gaste praticamente nada com isso. ■

2

3

>Uma tesoura >Um x-acto >Fita-cola >Cola >Uma folha de alumínio

4 5

126

MAIO 2008

HARDWARE GUIAS
PCG PCG

7 6

8

9

Como melhorar o alcance com um "chapéu" de papel
(1) Antes de avançar, reúna todo o material que vai utilizar. (2) Imprima o modelo que está disponível em www.freeantennas. com ajustando a imagem ao tamanho A4 e fazendo com que a escala seja redefinida com a correcção do aspecto. Imprima e depois pegue na tesoura e corte o modelo. (3) A parte mais complicada diz respeito aos seis separadores usados para fixar a antena ao reflector; não se preocupe em demasia com esta secção – basta que estes separadores sejam suficientemente longos para serem dobrados para trás, e não terá problemas em fixar a parabólica de papel. (4) Deverá agora ter dois pedaços de papel que se parecem com isto. (5) Para ajudar a melhorar a natureza reflectiva do papel, deverá forrar a antena parabólica com folha de alumínio. Basta cortar um rectângulo um pouco maior do que a parabólica e colá-lo. (6) Use um x-acto para cortar os separadores de que falámos há pouco e para que a parabólica fique bem montada. (7) Enfie cada separador na respectiva slot, dobre a peça para trás e encaixe-a adequadamente. (8) Com todos os seis separadores encaixados deverá ter algo semelhante a isto. (9) Coloque uma parabólica em cada uma das antenas do router e aponte-as para o local onde se encontra o seu computador. (10) Como decoração alternativa experimentámos colocar um adaptador USB, que se revelou relativamente prático na obtenção de melhores resultados.

10

128

MAIO 2008

ESPECIAL
PCG

Adquira ou construa um PC amigo do ambiente
Siga os conselhos da PC Guia e poupe dezenas ou até mesmo centenas de euros por ano
PCGUIA

e ligar a televisão, folhear um jornal ou consultar uma revista, não demorará muito tempo a reparar nalgum tipo de abordagem ao tema do momento: o aquecimento global irá destruir a vida na Terra e todos temos a nossa quota-parte de responsabilidade nesta catástrofe. Fique descansado; este não é um desses artigos. A computação 130
MAIO 2008

S

verde, ou amiga do ambiente, não tem nada a ver com fazê-lo sentir-se culpado. Não envolve qualquer tipo de inconveniência e nem sequer tem de acreditar no aquecimento global para obter as contrapartidas deste conceito. Na sua génese, a computação verde está relacionada sobretudo com a escolha inteligente de equipamentos. Ou seja, com a

compra apenas daquilo que precisa e com a garantia de que o sistema adquirido satisfaz realmente as suas necessidades. A redução do consumo de energia também é importante. Neste ponto, as poupanças podem ser significativas. Um sistema topo de gama que esteja a funcionar constantemente pode acrescentar mais de 25

euros à sua conta mensal de electricidade, o que dará qualquer coisa como cerca de 900 euros durante um período de vida esperado de três anos para o equipamento. Em vez disso, poderá utilizar um PC verde e mantê-lo ligado apenas durante oito horas por dia, o que lhe poderá permitir uma redução de 95 por cento na sua conta de energia. Isto traduz-

ESPECIAL
PCG

> Fontes eficazes
Está a desperdiçar 25 por cento da energia do seu PC?
O seu PC precisa de 200 watts de energia. Mas que quantidade de energia utiliza? A resposta é bastante mais de 200 watts e o número exacto depende da sua fonte de alimentação. Quando liga o seu PC à ficha eléctrica, este componente pega na entrada AC e produz uma saída DC para ser utilizada pelo PC. Neste processo, é desperdiçada alguma energia, principalmente sob a forma de calor. Preste atenção ao que está escrito na maior parte das fontes e encontrará um valor de “eficiência” que lhe indicará a quantidade de energia perdida. Uma fonte com 75 por cento de eficiência terá uma perda de 25% da energia de entrada, pelo que precisa de consumir 240 watts para manter o seu PC em funcionamento. Normalmente, as fontes de alimentação apresentam uma eficiência entre 70% e 85%. No entanto, estes valores nem sempre significam a mesma coisa. A eficiência varia com a carga e as fontes tornam-se menos eficientes à medida que precisam de mais watts. Como tal, não existe um valor de referência. Mas não deixe que estas complicações o façam desistir já desta questão. Da próxima vez que precisar de adquirir um novo PC, dê uma vista de olhos às fontes utilizadas. Depois, consulte a informação sobre as mesmas online e compare as respectivas taxas de eficiência. Se existir apenas um ponto percentual entre elas, não ligue a essa diferença, mas se existirem vários pontos percentuais a separá-las, a escolha poderá traduzir-se em poupança de dinheiro sem qualquer esforço.

se numa poupança global de cerca de 855 euros no período de três anos do equipamento. Evidentemente, este é um exemplo que só se aplicará a alguns casos de maior consumo, mas que ilustra bem a quantidade de dinheiro que pode estar em jogo. Como tal, se não se pode dar ao luxo de desperdiçar dinheiro, talvez esteja na altura de olhar com maior atenção para a computação verde.

Escolhas com peso e medida
A forma de pensar verde começa na altura da escolha do seu 132
MAIO 2008

PC. Habitualmente, considerase o preço e a velocidade de processamento mas também convirá ter em conta o consumo de energia por parte de cada componente do computador. Consideremos, por exemplo, a unidade de processamento (CPU). Pense no desempenho e no valor, mas tenha igualmente em conta que os processadores Intel Core 2 Duo utilizam geralmente muito menos energia do que os seus equivalentes AMD Athlon 64 X2 (em alguns casos, a poupança de energia é superior a 25 por cento). Este aspecto é importante porque os CPU são dos componentes dos PC que mais energia consomem. Os processadores VIA disponibilizam resultados ainda melhores. O Via C7 a 2 GHz precisa apenas de 20 watts de energia, enquanto que os concorrentes standard para desktops precisam normalmente de 65 watts ou mais. A desvantagem é que apresenta fracos desempenhos e não será adequado para jogos de topo de gama ou para tarefas intensivas em termos de CPU. Contudo, serve perfeitamente para utilizações que se baseiem sobretudo na navegação na Internet, no envio e recepção de mensagens de correio electrónico, na utilização do MS Office, e outras tarefas deste tipo. As considerações energéticas são ainda mais importantes na altura de escolher uma placa gráfica. Se não se conseguir decidir entre uma GeForce 7800 GT e uma GTX 512, talvez deva dar uma vista de olhos ao consumo de energia de ambas. Isto será especialmente útil se considerarmos que a GTX 512 precisa de cercas de 95 watts, enquanto que a GT só precisa de 56 watts. Esta diferença poderá custar-lhe um pouco mais de um euro todos os meses na sua conta de electricidade. Se considerarmos os componentes de topo de gama, esta comparação torna-se ainda mais evidente. Por exemplo, se combinarmos um CPU Intel Core 2 Quad com uma Radeon HD 2900 XTX, estes dois

>

PASSO A PASSO

POUPE DINHEIRO COM O VISTA

01

Vá a Painel de Controlo, Sistema e Manutenção, Opções de Energia, Criar um esquema de energia. Escolha Poupança de Energia e atribua-lhe um nome. Clique em Seguinte, especifique os tempos de suspensão e clique em Criar, Alterar definições do esquema.

02

Clique em Alterar definições do energia, Gestão de energia do processador (seleccione SpeedStep/Cool&Quiet no BIOS se esta opção não estiver activada) e especifique o mínimo para 1% e o máximo para 8%.

03

Especifique outras opções que possam ser úteis. Este plano irá tornar o seu PC bastante mais lento, mas também consumirá o mínimo de energia. Seleccione-o sempre que o seu computador estiver a realizar tarefas básicas durante um período de tempo longo – por exemplo, quando estiver a realizar downloads durante a noite.

ESPECIAL
PCG

> Recicle o seu PC
Poupe dinheiro trabalhando com o seu velho PC durante mais tempo
A computação verde não tem a ver apenas com a poupança de electricidade. Também é importante que os PC tenham uma vida longa e produtiva, em vez de serem trocados após dois ou três anos. Se precisa de um PC básico não se limite a considerar a compra de um computador novo e barato. Os modelos mais velhos também poderão ter algo que os recomende. No eBay poderá encontrar verdadeiras pechinchas, embora com algum risco de esses sistemas não funcionarem como esperaria. As secções de classificados dos jornais também poderão ser uma fonte de boas oportunidades. Algumas empresas já começam a revender computadores usados a preços muito baixos. Desta forma, se precisa de um computador basicamente para navegar na Web, não precisa de gastar mais dinheiro por um PC melhor. A reciclagem é igualmente importante quando tiver de se livrar do seu velho computador. Não o deite para o caixote do lixo. As placas com circuitos contêm

Não coloque simplesmente o seu velho PC no lixo; alguns componentes, como a RAM, poderão ser úteis para alguém toxinas que não devem ser depositadas a céu aberto. Os sistemas que ainda funcionarem poderão ser vendidos ou doados a instituições de caridade. Quanto aos PC que já não funcionam, poderão servir para o aproveitamento de componentes ainda em bom estado. Depois deste aproveitamento, assegure-se de que dá um destino ecologicamente correcto ao resto. Se for caso disso, aconselhe-se junto das organizações ambientais sobre as melhores medidas a tomar.

componentes, por si só, precisarão de 400 watts, o que é mais energia do que aquela que muitos PC consomem no total. E para que serve este desperdício se a maior parte das aplicações não beneficiam grande coisa com a utilização de um CPU quad-core? Se precisar realmente desta capacidade extra, não colocamos qualquer objecção à escolha. Aquilo que queremos frisar é que tenha em conta as suas reais necessidades na altura de escolher. Considere as especificações técnicas, compare os consumos de energia e transforme

estes últimos em mais um factor de decisão nas suas escolhas. A longo prazo, este cuidado extra poderá poupar-lhe bastante dinheiro.

Fornecedores ecológicos
A escolha do CPU e da placa gráfica mais adequados já é um bom começo, No entanto, se quiser adquirir um PC que lhe ofereça realmente as maiores poupanças de energia, terá que considerar vários outros factores, nomeadamente a motherboard, a memória RAM e a unidade de disco rígido (um modelo

Western Digital Green Power poderá poupar 40 por cento de energia). A escolha individual destes componentes pode demorar algum tempo. De qualquer forma, se isto lhe parecer difícil, poderá considerar outras opções no futuro, quando voltar a fazer uma actualização do seu hardware. Uma boa escolha passa pela selecção de PC verdes, ou seja, computadores que são concebidos especialmente com esse conceito em mente. Na Europa, há já empresas que se dedicam à instalação de processadores eficientes em termos energéticos numa pequena motherboard e depois acrescentam componentes também de baixo consumo de modo a disponibilizarem computadores pessoais que consomem normalmente entre 30 e 50 watts (o equivalente à utilização de lâmpadas de baixo consumo). As capacidades gráficas disponibilizadas com estes computadores só permitirão jogar os títulos que não sejam muito exigentes e apenas se for diminuída a resolução. Mas são sistemas perfeitamente adequados para quem precisa de um computador para tarefas típicas de escritório, funções de Media Center, navegar na Web ou envio e recepção de correio electrónico. Um bom exemplo vem da fit-PC (www.fit-pc.com), uma empresa israelita que levou esta ideia ainda mais longe, tendo desenvolvido um sistema que tem as dimensões de um livro e que é praticamente

As novas unidades Green Power da WD podem ser componentes essenciais para PC amigos do ambiente

silencioso graças a uma concepção sem ventoinhas de arrefecimento. Além disso, consome apenas 3 a 5 watts. As especificações são básicas mas não constituem qualquer surpresa se considerarmos o seu custo (cerca de 285 dólares, o que dá aproximadamente 180 euros). Vale definitivamente uma vista de olhos, nem que seja para ver o que é possível fazer. Outra abordagem possível passa pela aquisição de um PC central com boas capacidades de processamento, acrescentando depois um pequeno terminal de acesso por cada utilizador adicional. Neste caso, os seus filhos poderão ter um destes terminais. Depois de lhe ligar um ecrã, um teclado e um rato, parecerá que dispõem de um verdadeiro PC. No entanto, estarão na realidade a partilhar o CPU e a memória do computador central. Obviamente que este esquema de partilha do PC implica que o sistema central verá o seu desempenho reduzido, mas esse decréscimo não é assim tão grande como poderá pensar. Um PC típico utiliza talvez 10 por cento da sua capacidade

Watts que nunca mais acabam
Processadores

Veja a quantidade de energia que o seu CPU e a sua placa gráfica consomem realmente

Core 2 Quad QX600 2.93 GHz 130W

Windsor Athlon 64 X2 6000+ 125W

Manchester Athlon 64 X2 4600+ 110W

Windsor Athlon 64 X2 5400+ 89W

Core 2 Duo X6800 2.93 GHz 75W

Windsor Athlon 64 3500+ 67W

Placas gráficas

Radeon HD 2900 XTX 270W

GeForce 8800 Ultra 163W

Radeon X1950 XTX 125W

GeForce 7950 GX2 110W

Radeon X1800 XT 103W

GeForce 7900 GTX 84W

134

MAIO 2008

ESPECIAL
PCG

>

PASSO A PASSO

MELHORE A UTILIZAÇÃO DE ENERGIA

01

A melhor forma de acompanhar a utilização de energia é recorrer a um medidor fiávele, como o apresentado na figura. Vá a uma loja de equipamentos eléctricos procurar um, ou procure na Internet para uma busca mais abrangente.

02

Se não tiver um monitor, os calculadores online poderão ajudar. Diz-lhe qual o CPU, placa gráfica e RAM que tem instalados no seu computador e eles estimam a quantidade de energia que o seu PC poderá consumir. Vá ao site www.extreme.outervision. com/psucalculator.jsp.

03

É bom conseguir um valor que ronde os 250 watts, mas quanto é que isso custa? Experimente utilizar o simulador da EDP, disponível em http://www.servicos.edp.pt/download/flash/simul_global. html para fazer as contas.

de CPU, o que significa que poderá ligar-lhe dois ou três terminais e aperceber-se apenas de uma pequena alteração na rapidez de processamento. A grande vantagem reside no facto de os terminais consumirem apenas cerca de 5 watts de energia. Outra vantagem tem a ver com o facto de ter um PC central com grande capacidade, que lhe poderá ser de grande utilidade no caso de querer editar vídeos, jogar ou utilizar um qualquer software que seja exigente em termos de CPU.

Uma ideia brilhante
A compra de hardware adequado para o seu computador pessoal fará realmente a diferença quando olhar para as suas contas de energia. No entanto, se já tem em casa um

“monstro” ineficiente e que consome muita energia, também poderá tomar algumas medidas úteis sem que isso implique desfazer-se imediatamente dele. Vejamos o caso do seu monitor LCD, cujo ecrã é apresentado como uma tecnologia de baixo consumo mas só quando comparado com a velha tecnologia CRT. O seu monitor estará a utilizar provavelmente 40 a 50 watts, o que representa uma fatia significativa da conta de electricidade. Felizmente, a alteração deste excesso de consumo pode ser tão simples como reduzir o brilho. No nosso caso, pegámos num modelo de 19 polegadas e alterámos o brilho da especificação máxima para a mínima. O resultado foi uma redução do consumo de energia de 48 para 24 watts. Além

disso, a imagem manteve-se legível (depois de os nossos olhos se terem habituado ao novo aspecto). Se não quiser ser tão radical, poderá reduzir o brilho dos 100 para os 50 por cento, continuando assim a obter poupanças significativas de energia. A utilização deste truque da redução do brilho permitiu grandes poupanças no consumo de energia com outros monitores que tomámos em consideração. No entanto, em alguns deles não registámos grande alteração do consumo energético, o que quer dizer que depende muito da tecnologia utilizada por cada ecrã. Como tal, esta ideia poderá não resultar da mesma forma para toda a gente. Mesmo assim, valerá a pena tentar. Se não conseguir poupar energia com a redução do brilho,

pelo menos conseguirá aumentar a vida do seu monitor, o que também permite obter algum pontos a favor da cruzada em prol da computação verde (maior duração do monitor, menor desperdício). Outro aspecto a ter em conta em matéria de monitores é desligá-los quando não estão a ser utilizados. O modo inactivo não é definitivamente uma forma eficaz de poupar energia. E isto não se aplica apenas ao monitor do seu PC.

Desligue depois de utilizar
Os computadores, as impressoras e outros periféricos de grande porte podem continuar a consumir energia mesmo quando parecem estar desligados. Quando estão em modo

Watts que nunca mais acabam
Processadores

Core 2 Duo E6600 2.40 GHz 65W

Windsor Athlon 64 X2 4200+ EE Orleans Athlon 64 3500+ EE 65W 35W

Core 2 Duo T7400 2.17 GHz 34W

VIA C7 2 GHz 20W

VIA C3 1 GHz 11,25W

Placas gráficas

Radeon X1900 GT 75W

GeForce 6800 GT 55W

Radeon X1800 GTO 48W

GeForce 6600 GT 48W

Radeon X1300 Pro 31W

GeForce 7600 GS 27W

136

MAIO 2008

inactivo, podem estar a consumir até 20 watts por equipamento. Se tiver dúvidas, a melhor coisa a fazer é desligá-los da ficha eléctrica. Esta regra também se aplica aos periféricos que recebem energia via porta USB. Desde que estejam ligados, poderão estar a consumir energia. Se não estiver a carregar esse tipo de equipamentos, nem a utilizá-los (mesmo que apenas durante algum tempo), desligue-os da porta USB a que estão ligados. Também deverá dar uma vista de olhos às especificações de energia do seu PC. Vá a Painel de Controlo, Opções de Energia ou através do utilitário gratuito LocalCooling (www.localcooling.com). Coloque as especificações de modo a que o seu sistema desligue a unidade de disco rígido ou entre em modo inactivo num menor espaço de tempo após ter ficado inactivo. Desta forma, estará a poupar energia e dinheiro. Se deixa o seu PC sempre ligado porque não entra em modo de hibernação, não continue a viver

com esse problema. Este tipo de questão tem a ver normalmente com o BIOS ou com drivers, pelo que deverá ir ao site do fabricante da sua motherboard e importar as actualizações disponíveis. Esta tarefa simples poderá ajudar em muito. Existem sempre formas alternativas de fazer as coisas. Por exemplo, se o seu PC demora muito tempo para iniciar, o mais provável é que opte por deixá-lo constantemente ligado a fim de o ter imediatamente disponível de manhã quando precisar dele para começar a trabalhar. Não se esqueça, contudo, de que muitos BIOS oferecem a opção de iniciar o sistema a uma determinada hora do dia. Poderá assim programar o computador para ser iniciado a uma determinada hora, dando-lhe o tempo necessário para iniciar e ficar disponível na altura em que prevê precisar dele. Desta forma, além de eliminar a inconveniência do tempo de espera para começar a trabalhar, também poupa na sua conta de energia.

Trabalhe menos
Se o seu PC trabalhar muito, maior será o desperdício energético. Quanto mais ocupados estiverem o CPU, a placa gráfica e a unidade de disco rígido, maior será a quantidade de energia consumida. E estes custos extra podem ser substanciais. Na realidade, a maior parte deste dinheiro é gasto em coisas que quer ou precisa de fazer, como jogar ou codificar vídeos. Mesmo assim, valerá a pena pensar naquelas tarefas que não são tão essenciais. Por exemplo, será que desfragmenta o seu PC todos dias? Ou efectua uma verificação dos vírus todas as noites? Estas tarefas podem parecer uma boa forma de preencher os tempos de inactividade quando o seu PC é deixado ligado por alguma razão. No entanto, são hábitos que lhe custam uma boa quantia de dinheiro ao longo do tempo. Se estas tarefas forem adequadas para o seu sistema – por exemplo,

no caso de um servidor em que é vital desfragmentá-lo diariamente – deverá continuar a realizá-las. Mas se tem um PC normal e puder desfragmentá-lo semanalmente ou mesmo uma vez por mês, experimente proceder desta forma. Uma outra ideia é tentar baixar a velocidade de relógio do seu processador ou da sua placa gráfica. No nosso caso, utilizámos o nTune (www.nvidia.com/object/ sysutility.html) para baixar a velocidade de processamento e de memória da nossa GeForce 8800. O resultado foi uma redução do consumo de energia em 30 watts. Poderá utilizar o PowerStrip (www.entechtaiwan.com/ps.htm) para fazer o mesmo no seu PC, o que lhe poderá permitir poupar dinheiro quando correr aplicações 2D normais. Sempre que quiser utilizar jogos 3D mais exigentes, poderá voltar a colocar rapidamente o sistema na sua velocidade mais elevada. ■

ASSISTÊNCIA TÉCNICA ESPECIALISTA
PCG

JOÃO TRIGO

Especialista
Foi necessário criar uma pasta apenas e só para as provocações desportivas de que sou alvo todos os meses. Afinal, o desejo de esclarecer dúvidas alia-se perfeitamente com a vontade de os meus leitores implicarem com um sportinguista em sofrimento. Ainda não perdi a esperança de receber uma dúvida técnica do Paulo Bento. A resposta fica dada: João Trigo, numero 9, médio-ala direito. Ali a “servir” o Liedson.

Pergunte ao

Sou leitor assíduo da vossa revista. Com ela tenho aprendido, desde que me foi dada a conhecer há uns anos, o pouco que sei de informática. Estou a enviar-lhe este e-mail para lhe pedir aconselhamento sobre a forma de fazer um upgrade aos poucos. Não sou jogador mas gosto que o computador não me bloqueie quando estou a trabalhar com programas de edição de imagem ou quando estou com mais do que um programa aberto, como acontece agora. Possuo um PC já com alguns anos, com um Pentium 4 a 2,80 GHZ, motherboard Asus P4S-X, dois módulos de 512 de RAM, gráfica Nvidia geForce FX5200, penso que AGP de 128 MB, disco de 80 GB IDE , fonte de 350 watts e gravador de DVD. Pretendia adquirir numa primeira fase uma motherboard e memória RAM, aproveitando o resto (a placa gráfica não deve ser possível) para, mais tarde, comprar um Core 2 Duo (45 ou 65 NM?), um disco SATA e uma placa gráfica. PS: Saudações leoninas. Este ano parece-me que se formos à UEFA já não é mau...
- Manuel Lopes Correia, por e-mail

P

CPU e da memória RAM. Isto porque estes elementos formam o “coração” da máquina e funcionam como um todo. O processador? Fica bem servido com um E6750 a 2,66 GHz. É um CPU de 65 nm, mas tem um desempenho convincente e espaço de manobra para overclocking, caso deseje “puxar” por ele. Compre 2 GB de memória RAM (mínimo) e uma motherboard com socket LGA775 – a Gigabyte GA-X48T DQ6 é uma boa aposta e acabou de ser lançada. Tem um bus até 1600 MHz e suporta até 8 GB de memória RAM. Com esta board, vai poder usar discos rígidos SATA (agora é a altura certa para os comprar; estão ao preço da chuva) e recorrer a placas gráficas PCIe. A aquisição da placa gráfica ficará para segundas núpcias. Tenha ainda em consideração a substituição da fonte de 350 W por hardware com um débito acima dos 400 W. Olá João. Estou com um pequeno problema e agradecia a sua ajuda. Eu sou um adepto de modding e gosto de gastar algum dinheiro a apetrechar o PC. Gostava de adquirir uns dissipadores para trocar pelo que vem na gráfica (ATI Radeon 1900XTX). A minha pergunta é a seguinte: será que se eu comprar os tais dissipadores poderei estragar a gráfica ou vir a ter problemas mais tarde? Prefiro perguntar antes de os montar; depois, lá se vai uma placa gráfica à vida. Obrigado

pela sua ajuda e que a vossa revista continue a ter vida por muitos anos.
- David Reis, por e-mail

Existem kits de refrigeração que pode colocar na placa gráfica. Eles melhoram a refrigeração e, salvo algum erro de montagem, não trarão qualquer problema. No entanto, não se esqueça que, ao remover o sistema de refrigeração de origem da placa gráfica, está a abdicar da garantia que o fabricante faculta... Venho pedir-lhe uma ajuda (vamos lá a ver se desta vez tenho mais sorte do que da primeira, que não recebi qualquer resposta). Há dias apareceu-me uma caixa de diálogo com o símbolo da Microsoft a propor fazer um scan ao registo para encontrar e eliminar o lixo. Como era do Microsoft aceitei, e fiz mal, porque era algo parecido com um lobo vestido de cordeiro. Em suma, tive que formatar o computador para me livrar daquilo. Agora, que tenho tudo reinstalado e a vida tinha voltado ao normal, tenho dois problemas, novinhos em folha, para os quais peço ajuda. Normalmente o som da máquina está muito baixo; então abro o ícone do som, acerto o som como quero e quando reinicio está tudo como dantes. Antes do “terramoto” não era assim; o som guardava sempre as minhas últimas definições. Estou a fazer algo de errado? Quando entro na Internet, o

R

browser começa a abrir sites que eu nunca visitei, tais como o “adserving...”, “cpxinteractive...”, “b.casalemedia...” e outros; neste momento estão abertas mais de 10 caixas destas. Como é que eu “mato” estes contratempos?
- José Caio, por e-mail

P

P

Olá, José, peço desculpa por não ter respondido ao primeiro e-mail; nem sempre tenho o tempo e a disponibilidade necessários para um feedback atempado de todas as dúvidas que me colocam. Não me diz que sistema está a utilizar, pelo que vou partir do princípio que é o Windows XP. No caso do som, o meu conselho é que actualize os drivers de som. Veja no site do fabricante da sua placa de som (ou da motherboard, caso seja som onboard) qual o chipset e faça download dos controladores mais recentes. No segundo caso, tem de instalar algum software de protecção contra adware. Experimente o Ad-aware Free (http://www. lavasoftusa.com/products/ad_ aware_free.php) e certifique-se de que tem as suas aplicações antivírus, antispyware e a firewall actualizadas.

R

Vamos lá ver. Depois do jogo contra o Rangers, pode ser que haja moralização da equipa. Na minha opinião, deveria mudar o sistema em várias fases. Numa primeira, deverá considerar a mudança da motherboard, do 138
MAIO 2008

R

CONTACTO
Envie as suas perguntas para:
especialista@pcguia.cofina.pt

ASSISTÊNCIA TÉCNICA FORMAÇÃO
PCG

DICT aposta na colocação de alunos
O departamento da Universidade Portucalense privilegia a formação com estágio curricular, dando primazia às áreas de informática e matemática
TEXTO JOÃO PEDRO FARIA IMAGEM DICT

C

riado em 2005, após a fusão dos departamentos de Informática e de Matemática, o Departamento de Inovação, Ciência e Tecnologia (DICT) da Universidade Portucalense Infante D. Henrique oferece actualmente licenciaturas em Informática e Matemática, promovendo ainda a investigação nestas duas áreas. De acordo com Maria Filomena Lopes, «existem no DICT dois cursos na área da Informática de primeiro ciclo (Informática de Gestão e Informática nos ramos Software e Educacional), com cerca de trezentos alunos, sendo que este número tem vindo a aumentar nos últimos anos – no presente ano lectivo, houve um acréscimo de cinquenta alunos em relação ao anterior». No final do 1º ciclo e conforme o curso, os alunos têm competências para desempenhar funções de analistas de sistemas, analista/programador, programador (incluindo Web), administrador de base de dados, administrador de sistema, gestor de rede ou até mesmo de professor profissionalizado em Informática. «As competências técnicas são devidamente aprofundadas através de uma formação por um lado teórica, com alto rigor científico, e por outro prática, com uma forte componente laboratorial que inclui projectos em grupo, alguns interdisciplinares, que lhes transmitem uma maior noção da realidade e para lhes desenvolver

>

Sabia que...
>O número médio de horas semanais
de formação é vinte. A formação em empresa, ou estágio curricular, é feita ao longo de um mínimo de três meses e máximo de seis, cumprindo o aluno o horário da organização prestadora do estágio.

não só competências técnicas mas também as tão reconhecidas soft skills», salienta a directora do DICT. De facto, o DICT não descura estas competências nos seus alunos, englobando nos seus planos de estudos diversos projectos ao longo do curso, motivando os alunos a trabalhar em equipa, a fazer o planeamento de todos os seus projectos e a apresentá-los (bem como defendê-los) perante plateias com público. Existe ainda lugar para seminários obrigatórios nos quais são abordadas temáticas como técnicas de comunicação, liderança, inovação, gestão de pessoas, entre outras. Segundo

Maria Filomena Lopes, «durante o primeiro ciclo os alunos convivem várias vezes com situações reais, pois sempre que possível e em várias unidades curriculares as aulas são dadas num contexto empresarial, havendo vários docentes que organizam visitas de estudos no âmbito da aprendizagem de alguns conteúdos». Os planos de estudos dos cursos do 1º ciclo do DICT terminam com um estágio em ambiente profissional. Para a directora do DICT, «o reconhecimento do valor do trabalho desenvolvido pelos alunos estagiários é comprovado não só pela grande procura de estagiários

por parte das empresas, que nem sempre se consegue satisfazer por falta de número suficiente de alunos em condições de iniciar o estágio, como também pelo elevado número de alunos que ficam empregados ao terminar o estágio». De realçar que 82 por cento dos alunos conseguem colocação, sendo que 38% ficam no local onde completaram o estágio. No que concerne ao 2º ciclo, o DICT lecciona um curso de Informática com duas especializações – Sistemas de Informação e Engenharia de Software – e ainda um outro em Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação. «Este último destina-se a docentes de qualquer área e nível de ensino que pretendam explorar a utilização das tecnologias de informação e comunicação na prática lectiva e na gestão das escolas», esclarece Maria Filomena Lopes. Com o 2º ciclo de Informática, o DICT visa completar a formação dos alunos através de desenvolvimento de outras competências que lhes permitam assegurar outro tipo de profissões, tais como gestor de projectos consultor de negócio, analista de processos, consultor SI/TI, director SI/TI ou engenheiro de software. «Neste ciclo, o DICT conta com a colaboração de professores doutorados de outras escolas, o que lhe permite diversificar e abrir o leque de formação dos seus alunos», salienta a directora. O DICT oferece também doutoramento na área de Informática, tendo alunos a trabalhar na área da gestão de conhecimento, base de dados e e-learning. Actualmente, encontra-se a trabalhar na reformulação deste ciclo de acordo com as directrizes de Bolonha. ■

140

MAIO 2008

ENTRETENIMENTO JOGOS
PCG

Decadência urbana, terroristas, lançarockets, Dreadlocks… tem de se gostar

DISTRIBUIDOR Ecofilmes PREÇO €49,99 CONTACTO 256 836 200 SITE www.bizarrecreations.com/ games/ the club REQUISITOS Processador 2 GHz, 512 MB de RAM, placa 3D de 128 MB

Originalidade Longevidade Gráficos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

6

142

MARÇO

2008

THE CLUB
Pode ser uma experiência de jogo muito apelativa, mas não acabará depressa demais?
PCGUIA

H

á poucos jogos que dividiram a equipa da PCGuia tanto como «The Club». Mas também não há muitos títulos que se joguem como este. Imagine um shooter sem qualquer estratégia, sem a história e os inimigos inteligentes que se escondem em cada canto. Um jogo onde há uma única rota predefinida, um botão de corrida que se

deve premir quando não se dispara e vagas de vilões que se atiram, como borregos para o matadouro, para a frente das rajadas da sua arma. «The Club» trata de matar, correr e matar outra vez. E se ficar parado, então perde pontos. O jogo é mais uma sessão de dois minutos ao estilo «Tony Hawk» que outra coisa

qualquer, pois os pontos acumulam-se somando mortes. Cada inimigo abatido adiciona-se ao multiplicador, e quanto mais alto for o multiplicador, mais rápido terá de matar o inimigo seguinte, antes que o tempo se comece a gastar. Ganham-se pontos extra pelas mortes com estilo e à distância. Os tiros na cabeça são os que valem mais. A diferença

FEVEREIRO 2008

143

ENTRETENIMENTO JOGOS
PCG

Aumente o número de cadáveres

entre uma pontuação massiva e medíocre depende de quantos destes tiros conseguir disparar com êxito. O resultado é uma corrida frenética pelo cenário, disparando furiosamente para tudo quanto mexa. A sensação de cumprimento dos objectivos não vem da intriga, ou do desbloquear das várias secções do jogo (que são, diga-se, muito semelhantes). O objectivo é conseguir ser mais rápido e mais preciso no processo de “limpeza” de uma sala cheia de inimigos. Embora seja um jogo superficial, a parte central de tiroteio tem alguma coisa que se lhe diga. Controlar os tiros de modo a que nunca se gaste a combinação, apanhar os pacotes de saúde só quando for necessário e

Above Rack up your Está outra vez na altura corpse count ser morto. de matar ou with gleeful abandon Aconselhamos a primeira

certificar-se que não é apanhado a recarregar a arma quando os inimigos esvaziam as miniguns na sua direcção, tudo isto é devidamente recompensado com pontos extra. Não podemos deixar de pensar que apenas manterá o interesse dos jogadores mais meticulosos e obsessivos, aqueles que gostam de repetir um jogo só para melhorar a pontuação. O «The Club» será com certeza acusado de ser um jogo repetitivo,

mas tem os seus méritos. O modo de jogo Time Attack, que é uma grande piscadela de olhos aos populares jogos de corridas de carros da Bizarre Creations, é muito aliciante. Neste modo, o leitor tem de completar voltas inteiras a um circuito num certo período de tempo. Os inimigos abatidos dão-lhe uma extensão de três segundos. No entanto, ainda são as simples fases de Sprint que dão a maior adrenalina, enquanto

se desloca de um lado para o outro matando tudo à sua volta.

Anatomia cinzenta
Visualmente, «The Club» é algo irregular. O desenho das personagens é bom e o jogo imaculado. Infelizmente, o conjunto dos níveis mais duros e a roupa dos inimigos parecem consistir em grande parte em cinzentos e castanhos, o que leva a momentos de frustração ao tentar identificar depressa o seu alvo. Os momentos ocasionais onde entra num pátio aberto e iluminado pelo sol acabam por ser um tónico refrescante para a normal série de corredores e salas escuras. Normalmente, são os únicos momentos memoráveis de uma rota. Não há dúvida que, apesar dos seus bons acabamentos, «The Club» dá a sensação de poder haver mais “carne” por cima dos seus “ossos” para um só jogador. Os reduzidos modos de multiplayer são completamente desinspirados, apenas o modo Hunter Hunted é apelativo. Em última análise, não passa

Desempenho Definções do jogo

DETALHE MÁXIMO: Os efeitos brilhantes, as texturas nítidas e a tremura de movimento ocultam a rudeza de alguns níveis.

DETALHE MÍNIMO: O jogo dá prioridade à escala das texturas, mas pode também desactivar os efeitos de pós-processamento, como a tremura de movimento, para acelerar a acção.

144

MAIO 2008

ENTRETENIMENTO JOGOS
PCG

ALERTA! INIMIGOS!
1 Muito de vez em quando encontra um desses malvados que tem o bom senso de se afastar das suas balas. Normalmente tem também uma arma mais possante, como um lança-rockets. Mas pára de rir quando o jogador decide pôr-lhe um fim à vida. 2 Use a pistola e faça pontaria. Preparado para um pouco de ironia? 3 Cabum! Assim aprende a não andar por aí com uma data de explosivos à cintura. 2

Um tiro certeiro é o que faz falta…

3

...para fazer uma grande “pizza” no passeio

Tecnologia: Ratos laser
1

Se gostou de «Max Payne New York Minute» ou, mais recentemente, os modos de arcada de «COD4», vai adorar este jogo

Como se trata de um jogo onde a execução dos seus inimigos é o mais importante; um rato laser com elevada resolução é o seu melhor amigo. Usámos o Microsoft Sidewinder para fazer a crítica do jogo, alterando a sensibilidade para nos ajudar a conseguir os tais tiros certeiros. Certifique-se de que desactiva a sensibilidade e altera a DPI do rato para obter um movimento mais suave.

para o jogo online, em que cada combatente está sujeito a ser baleado e mata com uma lentidão muito pouco característica. «The Club» pede um modo cooperativo, com as combinações a passarem de jogador para jogador enquanto ambos limpam a sala a 146
MAIO 2008

tiro. O que deixa as leader boards como a única motivação que resta para regressar ao jogo após ter acabado o modo normal. Mas com o Games For Windows Live a fazer o melhor que pode para controlar toda a experiência de jogo online para PC, verificamos

que praticamente ninguém lá entra. O resultado final é, tememos, um jogo que terá uma duração de vida curtíssima. No entanto, é uma jogada e peras. A Bizarre deverá ser aplaudida por, pelo menos, ter experimentado fazer alguma

coisa nova neste género. «The Club» é um dos shooters mais intensos que jogámos. A comparação das pontuações entre os membros da equipa da PCGuia foi extremamente satisfatória. Alguns dos membros da nossa Redacção queixaram-se de falta de objectivos que não sejam o de conseguir acertar na cabeça dos seus adversários. ■

ENTRETENIMENTO JOGOS
PCG

CONFLICT:
DENIED OPS
Junte-se a nós no combate ao terrorismo
PCGUIA

H
148

ouve algum mal-estar por o PC nunca ter tido direito a um «Call of Duty 3». Passou-se do 2 para o 4, sendo que o 3 esteve disponível somente para consolas. Para se
MAIO 2008

sentir melhor, pode fingir que este jogo é o «Call of Duty 3». Tem o aspecto de um jogo que deveria ter sido lançado há alguns anos, segue o mesmo caminho de um filme de acção e as iniciais são um

anagrama do diminutivo de «Call of Duty». De «CDO» passa para «CoD». As diferenças são de facto mínimas. Este jogo não é certamente um «Call of Duty 5». Porquê jogar este

shooter militar moderno e linear, quando em vez dele pode jogar o «CoD4», com a sua impressionante história? Provavelmente porque já acabou o «CoD4». Pode ser um jogo menor em quase todos

ENTRETENIMENTO JOGOS
PCG

BOA COOPERAÇÃO
1 O «CDO» tenta que os níveis sejam semi-independentes, como episódios da televisão. Uma cutscene revela a situação num local exótico, como este deserto inóspito, que o leitor terá de enfrentar. Infelizmente os diálogos e a caracterização são maus. 2 Cada nível terminado com êxito oferece um upgrade às armas – como o lança-granadas de Lang, que destrói helicópteros. 3 Vai habituar-se depressa a alternar entre a espingarda de franco-atirador de Graves e o armamento pesado de Lang.

1

3 2

os aspectos, mas tem argumentos próprios. Além disso, apresenta características únicas. Antes de tudo, o sistema de secção. Uma lei tácita tem ditado desde há décadas que todas as equipas de intervenção especial têm de ser constituídas por quatro

homens. O «Denied Ops» coloca esta ideia em causa reduzindo a equipa a dois. Embora isto torne o jogo mais perto do FPS do que a série tinha sido até agora, também nos livra do problema tradicional de estarmos sempre a ser seguidos por uma

horda de robôs de olhos mortiços – uma equipa de apoio com uma inteligência artificial deficiente. Neste título, existe apenas o jogador e um “escravo”, que é normalmente de fiar. E pode comandar qualquer um dos membros da equipa.

Desempenho Definções do jogo

DETALHE MÁXIMO: O cenário destrutível torna o jogo agradável de ver. Mas os modelos das personagens têm espaço para muitas melhorias.

DETALHE MÍNIMO: É preciso o Shader Model 3 para isto? Com tudo desligado, os modelos ficam basicamente na mesma, mas a maior parte da iluminação foi desactivada.

Estão também divididos em arquétipos essenciais dos FPS. Graves, que rosna e resmunga, é o franco-atirador, enquanto que o simpático e convencido Lang é o homem certo quando é preciso armamento pesado. Parece simplista demais, mas na prática é óptimo poder alternar entre os dois. Desbloqueiam-se novas capacidades com o desenrolar do jogo, especialmente o acrescento de caçadeira na espingarda de Graves e o lança-granadas de Lang – e por aí já tem todas as ferramentas de morte que necessita. Infelizmente, não é possível escolher armas de um conjunto infindável de armamento (ou recolher as armas dos inimigos abatidos). Mas, na verdade, é uma solução bastante elegante para um velho problema: como pode um homem transportar 12 armas diferentes?

150

MAIO 2008

Vender cara a vida
A IA de cooperação não é má. O seu parceiro nunca se mete no meio da linha de fogo do inimigo nem tem uma invulnerabilidade irritante. O caminho é um pouco sinuoso, sendo melhor controlar o par à vez sempre que tenta adoptar uma estratégia mais furtiva. Normalmente o seu companheiro é de fiar quando controlado pelo PC. Regra geral, a personagem sob controlo do jogador sofre um tiro fatal com mais frequência do que o controlado pela IA. Nesse caso, pode pedir ao outro homem que o venha tratar – ou trocar de corpo e fazê-lo directamente. A precisão e o timing da última opção tornaa preferencial, pois, se ambos os homens tombarem, o jogo acaba. Onde as coisas azedam um pouco é na tentativa idiota de conferir personalidade às personagens. Tenta criar a dinâmica tradicional de um filme de acção em que

DISTRIBUIDOR Ecofilmes PREÇO €49,99 CONTACTO 256 836 200 SITE www.eidosinteractive.co.uk/gss/ conflictops REQUISITOS CPU 2 GHz, 1 GB de RAM, placa 3D de 128 MB SM3

Originalidade Longevidade Gráficos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

6

Vai ter a companhia destes dois homens durante todo o jogo

os dois homens são os melhores amigos – estes dois soldados, o veterano e o noviço, não se dão bem, mas aprendem a tolerar-se com o passar do jogo, impressionados pelas capacidades mútuas. Uma amizade a sério. Na verdade, o esquema nunca é realmente bem sucedido. As piadas são ocas, não chegando ao nível de «Predador», e os gags não são incisivos quanto baste para o tornar parecido com «Arma Mortífera». O resultado é: cutscenes um pouco entediantes

e mal animadas. Há a sensação de que Graves e Lang deveriam ser personagens com faísca, memoráveis. Nem sequer nos lembrávamos dos nomes sem ir ver às características do jogo... Esta despersonalização chega ao design e aos níveis. O motor faz bem as explosões e os helicópteros, mas parece que foi buscar os soldados a um jogo da Playstation 2. Assim, o «CDO» parece mecânico

e antigo. Não é que seja um mau jogo, mas é meramente funcional. Parte da culpa está na altura em que o jogo aparece – «Portal», «Call of Duty 4» e «Bioshock» levaram os FPS a níveis totalmente novos no ano passado, e este jogo foi lançado muito em cima da data destes três títulos. De resto, tão em cima que não aprendeu nada com eles. De qualquer forma, este jogo é um shooter militar para quem gosta do género. ■

ENTRETENIMENTO JOGOS
PCG

Penumbra: Black Plague
Deixe-nos adivinhar: tem um cadáver na cozinha e não sabe o que fazer com ele...
PCGUIA

ste é o segundo título comercial produzido pela software house sueca Frictional Games. Apesar de «Penumbra: Overture» ter mostrado ser um jogo de aventura decente, tinha a sua dose de problemas. É, pois, natural que «Black Plague» mostre avanços em diversas frentes. «Overture» era um jogo muito ao estilo indie. Os gráficos exibiam detalhes pobres, o que fazia antever um código não muito sólido. «Black Plague» é uma versão polida, sendo por isso também um produto muito mais bem conseguido. Aliás, e porque temos a missão de fazer uma crítica sobretudo construtiva, é gratificante ver os desenvolvimentos produzidos pela Frictional nesta nova versão do seu jogo de aventuras na primeira pessoa. Claro que, visualmente falando, não se pode dizer que seja o melhor jogo, mas o motor 152
MAIO 2008

E

proprietário consegue fazer o jogador saltar da cadeira em diversas ocasiões, sobretudo se apagar as luzes e criar uma atmosfera mais soturna. A Frictional removeu por completo a desorganização que marcava os combates homem a homem, sendo o mote de «Black Plague» a sobrevivência. Uma vez que não existem quaisquer meios de ataque, este tipo de situação envolve uma negociação lógica muito cuidadosa com o cenário – caso contrário, há que aplicar a velha máxima de dar corda às pernas e fugir. Este princípio de tentar não lutar pode parecer absurdo num jogo como este, mas o facto de se ultrapassarem os obstáculos usando a cabeça em vez da arma é bem mais gratificante. O sistema de controlo é a verdadeira jóia da coroa deste jogo, tanto mais que agora está “aliviado” das necessidades

inerentes ao combate e que se pode dedicar mais à componente táctica. O jogador interage com o mundo de «Penumbra» de uma forma muito física e real – apanha objectos, abre portas de rompante e acciona alavancas. É tudo muito intuitivo e a expectativa de saber o que mais a Frictional Games conseguirá fazer com este género de roleplay deixa-nos com água na boca. Sim, porque ao contrário do que se possa pensar, não é preciso passar o tempo todo com uma arma à frente para se dizer que é um jogo na primeira pessoa. Na verdade, ao contrário dos shooters que nos brindam com munições ilimitadas e poder de fogo irreal, a beleza deste jogo consiste no ambiente tenso criado. Nem tudo tem a ver com corpos mutilados e com apêndices estranhos. Existe também um humor negro no jogo. A história é muito melhor face à de

«Overture», que apresentava uma narrativa seca e até doentia. Em suma, «Black Plague» não é um jogo perfeito mas é um título que nos deu gozo jogar. Apesar dos cenários sombrios, tédio é palavra que não entra no seu dicionário. Uma lufada de ar fresco no género de jogos pensados na primeira pessoa, sem dúvida alguma. ■

PRATA

PCGuia

DISTRIBUIDOR Fnac PREÇO €19,99 CONTACTO 707 313 435 SITE www.penumbra.blackplague.com REQUISITOS CPU a 1 GHz, 256 MB de RAM, placa gráfica com 64 MB de memória

Originalidade Longevidade Gráficos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

SHOPPING ENGENHOCAS
PCG
FABRICANTE Samsung PREÇO €529,90 CONTACTO 808 200 726 7864 SITE www.samsung.pt FICHA TÉCNICA Conectividade UMTS/ EDGE/GPRS/HSDPA, GSM Triband, Bluetooth 2.0 + EDR, USB 2.0, GPS e Wi-Fi 802.11b/g, ecrã táctil de 2,55” com resolução de 320x320 e 65k cores, teclado QWERTY, câmara principal de 2Mp com 2x zoom e frontal VGA para videochamadas, MS Push E-mail, memória interna de 150 MB, autonomia de até 7 horas em conversação e de até 400 horas em standby, 115,9 x 61,3 x 12,9mm. Peso: 120 gramas
Qualidade/Preço Características Desempenho

Samsung i780

PRATA

PCGuia

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

A Samsung parece ter acertado em cheio com este PDA phone que é uma espécie de smartphone com ecrã táctil – é leve, rápido, funcional, as opções de conectividade são excelentes e inclui alguns acessórios muito bem-vindos – duas baterias, um acumulador de energia que funciona como carregador móvel e ainda um cartão microSD com 1 GB de capacidade e com adaptador SD Card, além do tradicional auricular. Um aspecto curioso no i780 tem que ver com o ecrã quadrado, de dimensões pouco habituais neste tipo de equipamentos. As 2,55” (320x320) de dimensão não comprometem mas comprometem a compatibilidade de aplicações de terceiros que podem habitualmente ser instaladas na plataforma de software, o Windows Mobile 6 Professional. Outro ponto positivo é a existência de um joystick óptico que permite navegar pelos menus como se tratasse de um rato, evitando a utilização do estilete no ecrã táctil. J.P.F.

ZTC B2
A grande vantagem do B2 é suportar dois cartões SIM (dois operadores) em simultâneo. Quer isto dizer que pode colocar os dois cartões de diferentes operadores e usar dois números de telemóvel no mesmo equipamento, escolhendo qual dos números quer utilizar quando efectua chamadas ou envia mensagens. Além disso, a lista telefónica “recolhe” os contactos de ambos os cartões. Caso esteja a utilizar um dos SIM e receber uma chamada para o outro número, pode colocar a chamada em espera e atender a segunda chamada. É um telefone particularmente útil para quem usa mais do que um equipamento. O software não está livre de falhas, mas se tem dois números de telefone e não quer transportar dois equipamentos, é uma boa escolha. Esta versão não suporta 3G, mas a empresa portuguesa irá lançar um equipamento de terceira geração (slide up) no final do ano. J.T.

PRATA
FABRICANTE ZTC PREÇO €279 SITE www.ztc.pt FICHA TÉCNICA 95 gramas de peso, suporte para dois cartões SIM em simultâneo, câmara de 2 megapixels, ecrã de 256 k cores, leitor de MP3 e MP4, vídeo 3GP; Bluetooth 1.2, 109,8x49,5x15,3mm, WAP 2.0, oferta de cartão de 1 GB
Qualidade/Preço Características Desempenho

PCGuia

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8

Zen Stone Plus
A gama de leitores de MP3 Zen Stone da Creative Labs foi revista e actualizada. A grande novidade desta actualização é a inclusão de um pequeno speaker que permite ouvir música ou qualquer outro conteúdo sonoro sem a necessidade de usar auscultadores. A única diferença no aspecto fica-se pelo facto de serem um pouco mais “gordos” de forma a acomodar o speaker. De resto, as capacidades de armazenamento continuam as mesmas: 1 e 2 GB para os modelos Zen Stone e de 2 e 4 GB para os Zen Stone Plus. Este último modelo continua a ter um ecrã OLED a P/B, equalizador, rádio e relógio. Podemos dizer que esta adição não é de todo um coisa que estivesse no topo da nossa “wishlist” para estes produtos, no entanto é um factor que os diferencia da toda a concorrência. P.T.

PCGuia
BRONZE

FABRICANTE Creative PREÇO €69,99 (2 GB) SITE pt.europe.creative.com FICHA TÉCNICA Leitor de MP3 portátil com capacidades de 1 até 4 GB, compatível com ficheiros MP3, WMA e AAC desprotegidos. A versão Stone Plus inclui um ecrã P/B, rádio e relógio
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

154

MAIO 2008

Tsunami Traveller 770
O mais recente modelo UMPC (Ultra Mobile PC) da Tsunami é mais do que um upgrade face ao modelo anterior, o 780X. É também mais pequeno do que um vulgar tablet PC e maior do que um PDA e joga com a versatilidade e com o peso. O equipamento inclui software de referenciação geográfica da NDrive, tirando partido do sintonizador de GPS integrado. Isto significa que o aparelho pode ser usado como um GPS; não será o mais portátil de todos, mas, para quem viaja, pode traduzir-se numa importante ferramenta. Basta executar a aplicação NDrive para aparecer no ecrã um pequeno aparelho de navegação com todas as opções disponíveis nos dispositivos de navegação da marca, como se estivesse a operar com um deles. O facto de ocupar apenas parte do ecrã, permite manter activas outras janelas. O ecrã táctil é sempre bem-vindo neste tipo de sistemas, especialmente para quem necessita de trabalhos rápidos ou está mais ligado à área multimédia. A câmara não é excelente, mas cumpre a função, à semelhança do som (que podia ser bem melhor). O facto de este modelo integrar o Vista Home Premium faz com que o processador se arraste um bocado, tornando o sistema lento. Em termos de estrutura, este UMPC está bastante bem pensado. O teclado está dividido ao meio, o que pode dificultar um pouco a vida a quem não está habituado a esta estrutura, no entanto, facilita imenso o trabalho de escrita. No centro existem quatro teclas de atalho para executar as aplicações da câmara web, bluetooh, wireless, entre outras. O pequeno touchpad do lado direito facilita bastante todo o processo de navegação, ou seja, não obriga a recorrer à caneta. A própria disposição dos botões de comando ajuda o manuseamento deste aparelho: à direita o touchpad, à esquerda os botões do rato. Apesar de ser um equipamento bastante pequeno e leve, não tem um ar frágil. Pelo contrário, toda a estrutura é sólida, a começar pelo próprio teclado. As teclas não são macias, como as de um portátil, assemelhando-se mais às de um telemóvel. Em termos de ligações está bem apetrechado e o facto de vir acompanhado de uma docking station ajuda. Por exemplo, consegue ter mais entradas USB que alguns novos portáteis do mercado (duas no aparelho e três na doca). Pesa 809 gramas com bateria. S.E.

PRATA

PCGuia

FABRICANTE Tsunami PREÇO €899 CONTACTO 229 993 999 SITE www.tsunami.pt FICHA TÉCNICA Processador C7-M de 1.2 GHz da Via, 768 MB de RAM, 60 GB de disco, placa gráfica Unichrome Pro II IGP de 64 MB partilhada, chip Realtek High Definition áudio, ecrã táctil de 7 polegadas com resolução de 1024x600 wide, wireless, bluetooth, câmara de vídeo de 1.3 megapixels, microfone, adaptador de TV Digital, entrada de vídeo e saída de áudio através de auscultadores, Windows Vista Home Premium
Qualidade/Preço Características Desempenho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

8
MARÇO 2008

155

SHOPPING ENGENHOCAS
PCG

GPS Ndrive G800
Este é o primeiro GPS a disponibilizar fotografias aéreas de 900 cidades da Europa e de 400 cidades americanas – a grande vantagem face aos produtos semelhantes. Se já é difícil perder-se com um bom GPS, com o G800 não tem desculpas. Uma simples busca pela zona da PCGuia, a Avenida João Crisóstomo, em Lisboa, apresentou como resultados: o traçado do local, um conjunto de fotos aéreas, que podem ser visualizadas a partir de cinco ângulos diferentes, e uma foto real do edifício onde trabalhamos. O dispositivo possui fotografias aéreas de Aveiro, Braga, Coimbra, Faro, Guimarães, Leiria, Lisboa, Porto e Setúbal. A navegação pelo resto do território português é feita com recurso ao habitual mapa Portugal Expresso. Se tivermos em conta que o G800 funciona também como um dispositivo multimédia, que lê ficheiros de vídeo, áudio e de imagem, os 8 GB de memória interna seriam mais do que bem-vindos. A questão é que, neste caso, temos de fazer contas. Inserido neste cartão vêm 6 GB de informação, deixando para a componente de entretenimento apenas 2 GB. É suficiente para umas horas de música? Claro que sim. Aliás, para os mais críticos temos de lembrar que este é um dispositivo GPS e não um leitor de MP3, pelo que vamos focar-nos no que é importante: as informações relativas à navegação. Neste caso não nos podemos queixar. A informação que interessa está lá (tem mais de 20 mil imagens de monumentos e locais de interesse) e a interface é muito acessível a qualquer utilizador. O aparelho em si é bastante leve (ainda que resistente) e funcional. Traz um ecrã de 4,3” panorâmico, tecnologia bluetooth, que permite funcionar como kit mãos-livres, calculadora e transmissor FM. S.E.

FABRICANTE NDrive PREÇO €350 CONTACTO 228 320 440 SITE www.ndrive.pt FICHA TÉCNICA Ecrã de 4 3” resolução 65 e 4,3”, mil cores, suporta ficheiros áudio (WMA9, MP3, WAV), vídeo (WMV, AVI, ASF), imagem (JPG, GIF, BMP, PNG) e texto (TXT), slot para cartões SDHC com capacidade até 8 GB, USB 2.0, bluetooth, inclui o Windows CE.NET 5.0
Qualidade/Preço Características Desempenho

PCGuia OURO

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

9

Motorola RAZR V8 Luxury
FABRICANTE Motorola

PCGuia
BRONZE

Este é um terminal que vive dos detalhes. Aqui a palavra luxo foi pintada a dourado e banhada a ouro de 18 quilates. Todos os acessórios combinam com o terminal, desde a bolsa de transporte ao auricular bluetooth preto e dourado. A tecla de navegação tem pormenores gravados a laser e, na parte de trás, a revestir a tampa da bateria, está uma cobertura preta com uma textura de pele de cobra. No geral, o RAZR faz jus a todos os restantes modelos da linha, pelo que a qualidade do terminal não é sequer questionada. Este modelo da Motorola cumpre na perfeição a função primária de objecto ligado à moda, isto independentemente de se gostar ou não de dourado. Está bem conseguido em relação à estética, é leve, confortável e simples de usar,

PREÇO €630 (livre); €579,90 (TMN) sem penalizar CONTACTO 214 137 700 a componente SITE www.motorola.pt FICHA TÉCNICA Câmara 2 megapixels, tecnológica do ecrãs interior e exterior com 262 mil telefone. Lê cores, 2 GB de memória (não expansível), ficheiros áudio e Bluetooth, quadband, suporta ficheiros MP3 vídeo (MP3 a 128 e MPEG4 kbps, e MPEG4, Qualidade/Preço 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 15 fps). Características 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Desempenho 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 No exterior a marca manteve os VEREDICTO 7 botões de atalho que, ao toque, devolvem vibração. A bateria continua a merecer pontos positivos. O preço pode não agradar a todos, no entanto, para o público que pretende um objecto de luxo, esta questão não será prioritária. S.E.

FABRICANTE Nokia PREÇO €429 CONTACTO 214 465 600 SITE www.nokia.pt FICHA TÉCNICA GSM 850/900/1800/1900 (2G), WCDMA 2100 (3G), ecrã QVGA TFT com 2,4” e 16 milhões de cores, slot micro-SD com cartão de 2 GB, memória SDRAM de 96 MB, processador ARM 11 a 369 MHz, , WLAN 802.11b/g UPnP, Bluetooth 2.0, micro USB 2.0, Symbian OS 9.2 S60 rel. 3.1, câmara com CMOS de 2Mp e câmara secundária CIF para videochamadas, 140 gramas, autonomia de até 410 horas em standby e de até 4h em conversação
Qualidade/Preço Características Desempenho

Nokia N81
Mais do que um dispositivo de comunicações, o N81 é também uma máquina de jogos, ao incluir a plataforma N-Gage. O ecrã QVGA com matriz activa de 2,4” está à altura daquilo a que a Nokia nos habituou na série N, exibindo imagens nítidas e muito coloridas. Aliás, está bem acima em termos de qualidade face à lente disponibilizada, talvez porque o CMOS não vai além dos 2 Mp. O equipamento que testámos incluía ainda um cartão de memória MicroSD com 2 GB de capacidade,

PCGuia
BRONZE
mais do que suficiente para ra albergar músicas, imagens, s, vídeos e jogos. A navegação entre menus ou até mesmo pelas imagens é facilitada pela tecla de função Navi wheel. E porque se trata de um equipamento dedicado a funções multimédia, conta com teclas dedicadas para o controlo de volume de som (com 20 níveis diferentes) e com um útil equalizador de cinco bandas que permite achar a combinação mais recomendada para cada tipo de tonalidade. J.P.F.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

VEREDICTO

7

156

MAIO 2008

SHOPPING SUGESTÕES
PCG

> Ipod controlado ao minuto
Comandar o iPod através de um relógio de pulso está longe de ser uma cena retirada do 007. O novo Timex Ironman iControl permite exactamente isto. Trata-se de um relógio desportivo que se sincroniza com o iPod através de um receptor, permitindo ao seu utilizador controlar a música durante qualquer actividade. O modelo é flexível, leve e resistente à água. O relógio iControl encontra-se disponível numa paleta de cores que vai desde o cinza, ao preto, azul, laranja e verde. Custa 99 euros.

> Perfeição irlandesa
A colecção Jameson Reserve acaba de ganhar um novo membro com a introdução do Jameson Rarest Vintage Reserve, um whiskey que nasce do trabalho dos quatro mestres da destilaria Jameson. As fortificadas barricas de vinho utilizadas na sua maturação (pipas de vinho do Porto) conferem-lhe um carácter glorioso e rico que, aliado à combinação de whiskeys velhos e ao cuidadoso processo de envelhecimento, resultam numa sumptuosa experiência de paladar que proporciona profundidade, complexidade e um intrigante sabor a bagas de fruta. Jameson Rarest Vintage Reserve é um whiskey exclusivo, de edição limitada. Portugal irá receber apenas 64 exemplares.

Essência dos elementos
A relação de harmonia entre o homem e os elementos naturais é o conceito que está na base desta nova fragrância da Boss, baptizada de Boss Pure. Desenhado para o homem entre os 30 e os 45 anos, esta essência joga com a frescura, para proporcionar uma sensação revigorante e energética, e complementaa com um toque adocicado para criar um feito sensual.

Um Verão visto com outros óculos
A nova colecção de óculos de sol e de armações Primavera/Verão da Hugo Boss pauta-se pela elegância e pelo toque de estilo dados pelos detalhes. Os modelos para mulher destacam-se pelas suas formas quadradas e pelo estilo “vintage” que conseguem traduzir. As grandes formas em borboleta, personalizadas com o logótipo da marca, sobressaem pelo jogo de tons cromados. Os óculos de sol para homem revelam um equilíbrio perfeito entre o espírito dos anos 70 e os detalhes contemporâneos. Os pormenores dados pelas inserções de metal asseguram o destaque. As armações de aviador são extraleves e antialérgicas.

> Estilo a la carte
Estejam a acompanhar umas calças de ganga, num ambiente casual, ou um fato de corte italiano, num cenário black-tie, os novos modelos Gant Port Morris não deixam ninguém comprometido. Disponíveis com bracelete de pele preta ou bracelete de aço, na versão azul índigo, ambos os modelos conseguem conjugar a vertente prática com a clássica, o estilo mais desportivo com o mais formal.

158

MAIO 2008

PCGUIAPRO ÍNDICE
PCG

Hotspot
Assistência técnica é prioridade para os fabricantes

Índice
160 166 162 170 172 174 Notícias Entrevista Case Study Opinião Software de Gestão Hotspot

Entrevista
Kaspersky prepara novos desafios

Software de Gestão
Primavera aposta em software para gestão de pequenas empresas

Caso em Estudo
Hospital de São Francisco Xavier adopta tecnologia móvel 159
OUTUBRO 2006

GettyImages

PCGUIAPRO NOTÍCIAS
PCG

Portugueses investem na CeBIT
A presença nacional na feira de tecnologias de Hanôver ficou marcada pela apresentação de soluções para diferentes sectores e necessidades. A reacção dos participantes foi positiva
No que à CeBIT diz respeito, as opiniões dividem-se. Há quem a considere ainda a feira das oportunidades, mas existe já uma ala que garante que este evento anual vive mais da fama do que do proveito. Opiniões à parte, esta feira continua a reunir a preferência da maioria das grandes multinacionais e das empresas nacionais que trabalham o sector das tecnologias. A PCGuia esteve na CeBIT e falou com os portugueses presentes para saber que soluções levaram à Alemanha e que expectativas têm em relação a possíveis negócios. encontrar distribuidores para os produtos em novos mercados e divulgar as principais marcas com as quais trabalha, a IPBrick (IPBrick.IC, IPBrick.GT e IPBrick. KAV) e a iPortalDoc. A IPBrick e o seu conceito de Unified Communications Over IP (UcoIP) foi a estrela da companhia durante o evento. A empresa defende que as comunicações empresariais não se resumem à voz, e que todas as formas de comunicação (voz, fax, mensagens instantâneas, correio electrónico e Web) devem estar unificadas e integradas, usando os standards da Internet definidos pelo IETF de uma forma aberta. Raul Oliveira, director-geral da iPortalMais, garantiu que o conceito de Unfied Communications Over IP foi muito bem recebido e conseguiu inclusive atrair a atenção de grandes empresas, como a Siemens, a Nortel e a Asterisk. Este responsável confirmou que, este ano, a abordagem da empresa será feita com a nova versão 3.0 do software NDrive, «que vai ser posto a funcionar no mercado dentro de dois meses, e que já traz objectos a 3D, um frame rate mais elevado, novos algoritmos de routing, melhoramentos gráficos e de performance». O representante da companhia garantiu que o ponto de atracção foi a fotografia aérea aplicada à navegação. «Apesar de já não ser uma novidade em Portugal, este produto foi visto por muitos, em primeira-mão, aqui na Alemanha», disse. Quanto a vendas, Luís Matos diz não serem ainda mensuráveis. «Acima de tudo, foi espantosa a presença de empresas dos mercados de Leste, demonstrando

NDrive
Presente com um stand bastante chamativo, a NDrive levou à CeBIT não só a fotonavegação, mas também o G4000 – que em Portugal ainda não foi lançado, mas que internacionalmente está a ter uma aceitação interessante – e o G700. A presença da empresa na feira foi também uma preparação para a desejada entrada da marca no mercado alemão, a qual, segundo Luís Miguel Matos, marketing manager da NDrive, é «fundamental, mas também é um dos [dos mercados] mais difíceis de entrar da Europa».

iPortalMais
A iPortalMais já vai na terceira participação consecutiva na CeBIT, movida pelo mesmo objectivo:

160

MAIO 2008

PCGUIAPRO NOTÍCIAS
PCG

a dinâmica e o potencial que estes países têm; será sem dúvida uma das muitas e fortes apostas da NDrive no próximo ano», comentou.

Nonius Software
Tecnologias de acesso à Internet e de geolocalização foram as soluções que a Nonius Software decidiu apresentar na Alemanha. Uma das soluções já está em uso em Portugal e está direccionada, por exemplo, para o sector hoteleiro ou para empresas com necessidades de gestão de espaços públicos. Como explicou António Silva, CEO da Nonius Software, com este produto, um hotel passa a ser 100% autónomo na oferta de acesso à Internet aos clientes. «Já temos duas empresas a revender este produto em Espanha e procuramos parceiros integradores e potenciais EDP e na PT. O quarto produto distribuidores», disse. se traduzirá em real negócio, seguiu para a Alemanha ainda em A Nonius aproveitou ainda a feira razão pela qual admite repetir a protótipo, no entanto, a companhia internacional para dar a conhecer experiência para o ano e participar garante já existirem contactos duas novas ofertas que só estarão pela segunda vez na CeBIT. para a sua comercialização. disponíveis em Maio deste ano. «Atendendo ao volume, quer em Trata-se de uma máquina para Uma delas faz uso da tecnologia quantidade quer em qualidade, dos carregamento de telemóveis de localização, assenta sobre contactos obtidos, permite-nos pré-pagos. Enquanto geradora as redes Wi-fi e tem por base o desde já ter boas perspectivas de de novos contactos, a CeBIT 2008 uso de tags. Este sistema está negócio», concluiu. deu frutos, concretamente 120, em implementação no Hospital NewVision segundo Martinho Dias. «A nossa Joaquim Urbano, no Porto, que, A NewVision apostou na experiência dos anos anteriores por ter vários edifícios, necessita O novo ultraportátil para negócios recorre seus sistemas tecnológicasdos contactos se demonstração dos a soluções é que alguns de de localização de equipamentos. última geração e promete dar que falar ao público na área tornam nossos parceiros gerando de atendimento O terceiro produto é um de self service, especialmente nas negócios. A aposta de uma empresa equipamento que permite A tarifação e distribuição de máquinas«o X300 é um portátil na EMEA, de selos, num sistema tecnológica tem de ser pelo menos a Lenovo apresentou aos rígido que, apesar de ter apenas jornalistas dabarcos EMEA (e de filas de aos homens de negócios destinados espera, que está já a médio prazo (cinco anos)», na Internet em região de recreio, 64 GB de capacidade, é baseado em exclusivo feito em parceria implementado em Portugal na que precisam de uma máquina leve, comentou.Solid State Drive, o que um projecto para Portugal) tecnologia aquele Agência Espacial Europeia. Loja do Cidadão e funcional». De rápida, autónoma na Caixa Geral com a que será certamente o permite não só diminuir o consumo Inosat como também aumenta seu mais bemexecutivo acredita de Depósitos, e numa máquina de facto, e para além da filosofia de Este mesmo construído laptop energético A segurança face às soluções dois de sempre. Denominado X300, pagamento de facturas, também utilização, um dos aspectos que que futuramente uma boa a Inosat optou por apresentar produtos aparentemente simples, é comprovadamente o mais fino já existenteclaramente o X300 do demarcam no nosso país, na percentagem dos contactos feitos de armazenamento tradicionais. mas que para ganharbastante e portátil ThinkPad alguma vez Air diz respeito às funcionalidades Também chamaram autonomia, a ecrã retroiluminado utiliza a feito, medindo 19 milímetros de oferecidas, sendo os melhores o atenção: um que permite localização de crianças e outro a espessura no seu ponto mais fino, exemplos a conectividade (de tecnologia LED. «Também aqui a localização de ao ser O primeiro e pesa não mais do que 1,4 kg. salientar as três portas USB Lenovo inovou, cães. o primeiro consiste numa fita queformato «Este é o mais fino e leve portátil 2.0, a porta Ethernet gigabit e a fabricante a introduzir o se pode prender que permite associar a da sua classe», sublinhou Milko compatibilidade com redes sem fios de 13,3”, diariamente numa peça de roupa da criança. ecrã de 14” van Duijl, director-geral da Lenovo WLAN 802.11n via adaptador minidisponibilidade de um A bateria tem uma autonomia de 30 de uma Europe, fazendo claramente uma -PCI-E e WWAN) ou até a drive com as vantagens inerentes dias; que está integrada no sistema de comparação com o também novo óptica (um leitor DVD de 7 mm), ecrã de apenas 12”», acrescentou o localização para cães possui um MacBook Air, que contudo «não apesar de esta ser um elemento director executivo australiano. Por carregadorLenovoo que permite se encontra no mesmo patamar do opcional mas que pode ser tudo isto, a solar, garante que o estender o tempo de vida do uma X300». embutida no próprio chassis X300 é capaz de proporcionar equipamento.até dez horas houver Segundo David McQuarrie, director construído em carbono avançado e autonomia de Sempre que com a necessidade de de seis células. executivo para a gama de portáteis fibra de vidro. Destaque para o disco bateria opcional saber a localização

de uma criança, o utilizador terá de fazer uma chamada para o aparelho e em troca recebe um link para uma imagem indicadora da localização (morada, coordenadas, imagens). As soluções para as crianças e para os cães custam 299 e 399 euros, respectivamente.

Lenovo revela ThinkPad X300

BetterSoft
A BetterSoft levou à CeBIT a sua gama de produtos baseada em portais da Internet, soluções direccionadas para a área de distribuição logística, para o business intelligence e plataformas de colaboração e gestão de processos de negócio. O objectivo da presença na feira é «arranjar parceiros internacionais Fiabilidade, estabilidade e que possam proporcionar novos segurança foram as ideias negócios», admitiu Jorge Marques, sublinhadas por David McQuarrie director-geral da BetterSoft, que melhor descrevem o novo salientando que, em Portugal,aos ThinkPad. «O objectivo é chegar a companhia já trabalhasucesso, clientes profissionais de com um conjunto sólido de empresas. «O tendo estes duas opções para ano passado fizemos 52 clientes explorar o X300: numa configuração novos, o que é portabilidade e a que privilegia a bom para uma empresa tecnológica que possui autonomia ou noutra que dá primazia soluções parade ter um gravador de aos benefícios médias empresas e não produtos out-off-the-box», DVD no portátil», salientou o mesmo afirmou Jorge Marques. Até não responsável. Apesar de ainda à data de fecho desta edição não nos foi haver preços definidos, a PCGuia possível falar com a uma destas apurou que qualquer empresa a fim de saber qual a análise da sua configurações nunca ficará abaixo participação. dos 2000 euros.

162

MAIO 2008

PCGUIAPRO NOTÍCIAS
PCG

Epson complementa estratégia empresarial
A empresa japonesa apresentou dois equipamentos jacto de tinta com custos de impressão a cores iguais aos do laser monocromático
opcional), mas apresenta as mesmas capacidades de débito de páginas e mais metade do ciclo de impressão mensal (10 mil páginas), tinteiros com capacidade para 3000 (preto) e 3500 (cores) páginas e pode ser encontrada por 301,29 euros. Ambos os equipamentos jacto de tinta contam com um sistema automático de verificação de nozzles embutido na cabeça de impressão (tecnologia Micro Piezo) e utilizam tinta DuraBrite. Além dos dois produtos jacto de tinta, o fabricante revelou novas propostas no segmento laser. O destaque vai para a AcuLaser M4000, «o equipamento monocromático mais rápido da Epson». Este equipamento apresenta um débito de 43 ppm a uma resolução de 1200 dpi e está disponível em três versões diferentes. Além da impressora standard, o utilizador pode encontrar as versões DN (com duplex) e DTN (com duplex e um alimentador adicional). O GT1500 e o GT-20000 são os mais recentes membros da família de scanners da empresa. Os equipamentos não têm tempo de warm-up e suportam documentos A4 e A3, respectivamente. Vão estar disponíveis por 422,29 euros e 1506,45 euros.

Partilha de recursos esconde custos
Terry Bagnaschino, director de Business Printing, Scanners and Video Projectors Group da EMEA, referiu que «o mito do paperless Office caiu por terra» e garantiu que o crescente consumo de papel impõe novos desafios às empresas. Para este responsável, a partilha de recursos é o conceito que as companhias não devem ignorar, uma vez que, de acordo com um estudo da empresa japonesa, «os custos escondidos na partilha de recursos podem ascender a 1000 euros por empregado/ano». Como exemplo dos custos escondidos, Terry Bagnaschino indicou o tempo perdido pelos colaboradores quando vão à impressora partilhada buscar os seus documentos. Para combater este tipo de desperdícios, a Epson tem soluções como o Epson Net Authentication Print, um sistema embutido no driver de impressão das AcuLaser que permite a utilização de um cartão de autenticação do colaborador. Ao colocar um equipamento de leitura de cartões pessoais nas impressoras de rede (liga-se através da porta USB), a Epson garante que o utilizador pode imprimir os seus documentos em qualquer impressora da rede empresarial. Além disso, e uma vez que o trabalho fica “preso” no computador até que o cartão seja utilizado numa das impressoras, não existe congestionamento dos trabalhos de impressão. O mesmo responsável garantiu que os objectivos da empresa não se alteraram. O director de Business Printing da EMEA sublinhou que a estratégia da Epson «passa por lançar no mercado equipamentos de elevada qualidade e que sejam fiáveis». Como principal objectivo, «a empresa quer estabelecer com os seus clientes uma ligação duradoura».

No último evento de Business Printing, que teve lugar em Lisboa, a Epson apresentou duas novas propostas de jacto de tinta que, de acordo com os responsáveis da empresa, vêm complementar a oferta que a multinacional nipónica apresenta para o segmento empresarial. Muito embora a apresentação da B-500DN e da B-300 se tenha focado no conceito de complementaridade face ao laser, a verdade é que as comparações com equipamentos equipados com esta segunda tecnologia são inevitáveis. Aliás, Ghislain Gauthier, EMEA Business Manager, fez questão de salientar que os novos produtos «levam as vantagens da impressão com jacto de tinta ao mercado empresarial», sublinhando ainda que «são os equipamentos mais versáteis do mercado» e que garantem «impressão a cores ao mesmo preço que a preto e branco» (comparação feita com as impressoras monocromáticas laser mais vendidas na EMEA em 2007). Para Jordi Castillo, Product Marketing Manager da Epson, a B-500DN «é uma boa oportunidade para mercados verticais e faculta impressões a cores de elevada qualidade a preços muito económicos»,

permitindo assim que trabalhos de impressão tradicionalmente efectuados em regime de outsorcing possam agora ser realizados in-house. Este equipamento tem um débito de 37 páginas por minuto (ppm) em qualidade de rascunho e 33 ppm em qualidade semelhante a laser (não tem tempo de warm-up). Oferece duas bandejas de alimentação (650 folhas no total) e disponibiliza de raiz a possibilidade de impressão duplex. Está equipada com um tinteiro de preto com capacidade para 8000 folhas e outro de cores com capacidade para 7000 páginas e permite um volume de impressão de 20 mil páginas por mês. A B-500DN está disponível por um preço recomendado de 514,25 euros. A B-300 não tem suporte para dulpex de série (unidade

164

MAIO 2008

PUBLIREPORTAGEM
PCG

VISION 4000 – VIDEOVIGILÂNCIA INTELIGENTE
Revolucionário sistema aposta na prevenção e antecipação de Acidentes ou furtos

Barreiras Virtuais – configuração de linhas virtuais na área de vigilância da câmara. Detecção inteligente de movimentos/ intrusão – configuração da gravação para detecção de intrusos em área seleccionada. Detecção de roubo de objectos – envia notificação sempre que um objecto desaparece da área de vigilância da câmara. Detecção de objecto abandonado – notificação sempre que um objecto é abandonado numa área definida da imagem. Contagem de pessoas/objectos.

A

Netvigi, Lda é uma empresa dedicada à distribuição de sistemas de vídeo vigilância com gravação digital e funções inteligentes. Com uma vasta rede de agentes a nível Nacional, utiliza produtos da mais alta tecnologia, fornecendo aos seus clientes soluções específicas à medida das suas necessidades. Pretendendo proporcionar a segurança de pessoas e bens nas mais diversas situações, apresenta o VISION 4000, uma plataforma de vídeo vigilância com funções inteligentes de análise de vídeo, com capacidade para câmaras analógicas e IP (AXIS e HUNT). Para além das funções básicas de um gravador digital de vídeo, é acrescido das seguintes funções:

● ●

Visualização remota via PDA, Telemóvel, PC com ligação à Internet. Monitorização em rede.

● ●

Seguimento de pessoas/objectos por Câmaras Móveis. Ligação a Central de Videovigilância. Integração com Domótica/Alarme

● ●

Destas funções destacam-se as Barreiras Virtuais que, pela sua versatilidade, permitem

a configuração de linhas virtuais em locais onde não é possível colocar barreiras físicas, por exemplo em áreas industriais e em habitações, pode-se definir uma área limite de segurança, em que sempre que esta é violada vai despoletar um alarme/alerta. É possível, igualmente, definir o sentido/ direcção permitido, avisando sempre que alguém segue no sentido contrário ao estipulado. As Barreiras Virtuais possibilitam antecipar, e prevenir, numa situação de acidente ou furto. Neste sistema, criam-se perímetros de segurança, que permitem o aviso antes da situação ocorrer. Com a sua inovadora Performance e relação qualidade/preço, o VISION 4000 é a solução mais revolucionária do mercado. ■

MAIO 2008

165

PCGUIAPRO ENTREVISTA
PCG

Eugene Kaspersky, CEO da Kaspersky

Kaspersky preparada para enfrentar novos desafios
Depois da introdução de automatismos no combate global ao malware, a empresa quer disponibilizar soluções de encriptação em futuras versões
TEXTO CARLOS MARÇALO

ugene Kaspersky criou uma empresa que foi ganhando terreno e o respeito de outros concorrentes, chegando ao ponto de se transformar num dos principais players globais do mercado da segurança informática. A empresa possui uma quota de mercado mundial próxima dos cinco por cento e, para este ano, os responsáveis da companhia estimam alcançar um crescimento de 70 por cento, o que corresponde a um volume de negócios de 350 milhões de dólares (aproximadamente 224 milhões de euros). O CEO da empresa não descarta uma possível cotização em bolsa no prazo de 166
MAIO 2008

E

dois a três anos. O CEO de uma das mais bem sucedidas empresas de TI russas falou com a PCGuia para explicar por que deixou de gerir a empresa que criou e como passou a dedicar-se à análise dos crimes informáticos. PCGuia – A Web 2.0 mudou a forma como as pessoas e empresas se relacionam. Que mudanças existem para a segurança das pessoas? Eugene Kaspersky – Estamos perante uma nova fase na utilização dos computadores e da Internet, onde as pessoas e empresas partilham cada vez mais informação, mais

dados. E informação é o que os cibercriminosos pretendem obter, quer para vender os dados quer para proveito próprio. Muitas pessoas abrem endereços de email ou links que não conhecem para tentar aceder a informação. Veja-se o caso do YouTube ou da Wikipedia, onde o utilizador acede aos dados sem saber quem é o seu verdadeiro criador. À medida que as pessoas saem do seu perímetro de segurança, torna-se mais vulnerável às novas técnicas que os criadores de malware estão a disseminar pela Internet e que a Web 2.0 está a ajudar a propagar.

PCG – Perante esta realidade, que estratégia é seguida pelas companhias de segurança para combater o malware? E.K. – As empresas de segurança dependem da actividade do crime organizado online que possuem autênticas fábricas de produção de código malicioso que é colocado na Internet a cada hora que passa. As empresas que zelam pela segurança da Internet não possuem uma estratégia de antecipação dos problemas, uma vez que só podem ser reactivas às ameaças. As empresas de software de segurança estão a mudar para adaptar-se às novas formas de crime que estão a surgir.

PCG – As empresas de segurança conseguem acompanhar os ritmos de mudança que estamos a viver nas TI? E.K. – A indústria de TI, apesar do importante peso que desempenha na economia mundial, quando comparada com outras indústrias, como a de automóveis ou a construção civil, ainda é extremamente jovem, e ainda mais recente é a actividade das empresas de segurança tecnológica. Nesse sentido, a indústria de TI ainda não teve o tempo necessário para amadurecer e criar os mesmos mecanismos standard de segurança que existem, por exemplo, nos processos de construção de obras como edifícios, pontes ou estradas, que já se fazem há mais de mil anos, ou como a dos automóveis, que são fabricados há quase 100 anos. PCG – Mas o processo de desenvolvimento de software já cumpre regras bem definidas do ponto de vista da qualidade, ou não? E.K. – Sim, de facto, nos últimos anos verificou-se um aumento da importância atribuída à criação de software com qualidade, mas a indústria, no seu todo, ainda está a aprender e procurar fórmulas que possam ser replicadas por toda a indústria para criar software

mais seguro. Veja-se o caso da indústria de segurança tecnológica. Há menos de seis meses que as empresas de segurança chegaram a um entendimento para criar a Anti-Malware Testing Standards Organization (AMTSO), esta organização surge porque existia uma grande disparidade no modo de actuação das actuais tecnologias anti-malware assim como nas metodologias de teste utilizadas para as avaliar. PCG – Para além das mudanças que estão a ser operadas nas empresas de soluções de segurança, também se verifica uma grande alteração nos produtos que estão a criar... E.K. – As mudanças são mais do que muitas. A lógica associada aos produtos de segurança está relacionada com o fornecimento de todas as tecnologias de segurança num único produto. Não é estranho ver um produto composto por soluções tecnológicas como antimalware, engenhos heurísticos, ferramentas que bloqueiam acções com base em comportamentos anómalos dos utilizadores ou antirootkits, antikeylogers, complementadas com serviços prestados através dos laboratórios de investigação permitindo que as tecnologias de prevenção sejam mais dinâmicas.

Outro aspecto que começou a verificar-se foi a introdução do backup de dados online e, possivelmente, assistiremos à introdução de ferramentas e tecnologias de encriptação de dados brevemente. PCG – Com a taxa de crescimento que a voz sobre IP está a ter, pode começar a ser um chamariz para os criadores de código malicioso? E.K. – Este é um tema extremamente interessante, uma vez que acredito que a VoIP pode ser um meio privilegiado para o spam, isto é, fazer chamadas com spam. No entanto, há muito tempo que se fala da VoIP e das possíveis ameaças, mas na realidade ainda não apareceram, não consigo entender porquê. Não existem. PCG – É uma situação semelhante à dos equipamentos móveis. Há muito que se ouve falar da necessidade de reforçar a segurança nos telemóveis mas até à data, não se verificou a existência de nenhum problema. A que se deve este facto? E.K. – Os cibercriminosos são preguiçosos e como as receitas geradas com a fraude online são muito elevadas, não tiveram necessidade de recorrer às ameaças móveis para alcançar lucros. Até à data, e devido à quantidade de sistemas operativos

existentes para dispositivos móveis, o esforço necessário para criar malware destinado a equipamentos móveis do ponto de vista dos cibercriminosos não vale a pena, uma vez que se perde muito tempo para afectar um número reduzido de utilizadores. Mas essa situação está a mudar. Com o aumento da largura de banda utilizada nos smartphnes, com o aparecimento de sistemas operativos mais poderosos e complexos, entre outros elementos, está a verificar-se um aumento nos serviços baseados em transacções financeiras através de equipamentos móveis. A este facto pode acrescentar-se que nos países onde mais código malicioso é criado, China e Rússia, o mobile banking está a dar os primeiros passos, o que em certa medida, despertará a atenção dos criminosos para uma nova plataforma a atacar: o telemóvel. PCG – Os prestadores de serviços de Internet devem ser responsabilizados pelo spam que transportam até ao utilizador final? E.K. – Devem ser responsabilizados parcialmente. Há prestadores de serviços de Internet que utilizam serviços de antispam e antivírus como um serviço adicional prestado ao cliente. ■

MAIO 2008

167

PCGUIAPRO CASE STUDY
PCG

Alberto Leal, responsável pela monitorização do videoelectroencefalograma (EEG) do hospital S. Francisco Xavier, e Alexandre Coelho, da Fundação Vodafone

São Francisco Xavier adopta tecnologia móvel
O hospital elegeu uma solução wireless desenhada para optimizar o estudo e o trabalho feitos no campo da epilepsia pediátrica
TEXTO SUSANA ESTEVES FOTOS VITOR GORDO

O

São Francisco Xavier foi o primeiro hospital a acolher o Sistema de Monitorização Remota de Epilepsia Pediátrica, desenvolvido pelos neurologistas e pediatras do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO), e tornado possível pela Fundação Vodafone Portugal, ao abrigo de um acordo assinado por

AO DETALHE
>Projecto Sistema de Monitorização Remota de Epilepsia Pediátrica Cliente: Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO) >Prestador Fundação Vodafone >Custo 300 mil euros (Os custos de operação anuais são de 85 mil euros)

estas duas instituições. O objectivo passa não só por aproveitar o que as novas tecnologias podem fazer pela área da saúde em Portugal, mas potenciar o desenvolvimento de uma área que precisava de um empurrão: a das intervenções cirúrgicas em crianças com epilepsia. Em traços mais gerais, este novo sistema recorre às comunicações móveis, para agilizar todos os exames aos quais as crianças têm de ser submetidas, e libertar os pacientes de um modelo de análise antigo, que os abrigava a estarem permanentemente imobilizados na cama hospitalar. Além disso, permite aos médicos acederem aos resultados dos exames em qualquer lado,

através da sua recepção via PDA. A rapidez deste novo processo de análise dos traçados e das crises, pelo médico electroencefalografista, facilita uma tomada de decisão mais fundamentada e célere, optimizando as condições de diagnóstico e, por arrasto, a segurança da criança e o seu próprio conforto. Alberto Leal, responsável pela monitorização do videoelectroencefalograma (EEG) do hospital S. Francisco Xavier, e Alexandre Coelho, da Fundação Vodafone confirmaram que, até agora, os exames realizados eram transmitidos por um sistema de eléctrodos acoplados à cabeça dos doentes e ligados por um sistema fixo de cabos para transmissão do sinal EEG. Este esquema obrigava

as crianças monitorizadas a estarem permanentemente na cama, situação que se arrastava por vários dias, dependendo de cada caso. Quando um técnico registava uma crise, chamava o médico, que se deslocava às instalações a fim de dar as indicações necessárias à continuação dos tratamentos. Esta estrutura acabava por conduzir inevitavelmente ao atraso entre a disponibilização dos dados e a sua análise, o que na prática se traduzia em mais dois ou três dias de monitorização. O anterior sistema foi agora substituído por um dispositivo pequeno e móvel, que recebe os sinais provenientes dos eléctrodos que estão na cabeça da criança (ou adulto). Essa informação é depois

168

MAIO 2008

transmitida através da tecnologia bluetooth para uma unidade de aquisição que está num bastidor colocado na sala de monitorização, na qual se encontram 24 sobre 24 horas os técnicos destacados. Durante todo o período de estudo, a criança está permanentemente a ser filmada, ou seja, aos técnicos está a chegar simultaneamente o vídeo e o traçado do EEG. Todo o restante processo que liga as unidades do São Francisco Xavier e do Egas Moniz (onde estão os adultos) é suportado pela rede gigabit. Mas é na transmissão imediata dos dados para o médico, a qualquer hora, que reside a grande vantagem desta solução. Ao detectar uma crise o técnico pode isolar uma parte do vídeo/EEG e enviar tudo para um servidor. O médico é notificado pelo PDA via SMS, segue o link facultado e tem acesso a uma área de rede na qual está alojado o exame vídeo-EEG ou videoelectroencefalograma. Para o médico, este método significa tempos de resposta mais rápidos, não condicionados a uma análise presencial. «Só um médico pode avaliar se as crises podem comprometer a segurança do doente, se é necessário repor a medicação, ou não, entre outras coisas, até porque nem todas as crises são boas para o que pretendemos; temos de validar a informação que foi obtida e isto tem de ser feito em tempo real», disse Alberto Leal. O bastidor recebe o esquema dos impulsos registados, o EEG, e a imagem em vídeo. O facto de o sinal ser medido em microvolts, um valor mil vezes mais sensível do que o de um electrocardiograma, faz com que o sistema não esteja preparado para denunciar automaticamente qualquer alteração verificada no doente ou analisar qualquer traçado. Alberto Leal explicou que «não há espaço para interpretações automáticas, até porque às vezes chega a ser difícil distinguir ruído do EEG; a máquina regista apenas os impulsos e garante a sincronização ao milissegundo com o registo de vídeo que se está a fazer». Os dados guardados ficam alojados no datacenter do CHLO. A epilepsia afecta cinco em cada mil habitantes. A intervenção precoce permite minimizar os riscos, para o desenvolvimento psicomotor, de uma epilepsia não controlada ou do uso prolongado de medicações antiepilépticas. O processo de selecção para uma cirurgia da epilepsia envolve a

documentação através de vídeo e EEG relativa às crises dos doentes. «Como estes têm poucas crises, nós somos obrigados a interná-los e a induzir uma situação em que ele têm mais crises do que o habitual, ou seja, nós descompensamos a epilepsia para obter informações que depois vão ser usadas para a cirurgia», explicou o especialista Alberto Leal. Este é um processo de risco, como fez questão de frisar, razão pela qual a vigilância constante dos doentes é crucial. O projecto contempla a instalação de um mínimo de quatro câmaras no quarto dos pacientes, como forma de garantir um controlo de 360º do local. «Para uma cirurgia da epilepsia, a análise da sintomatologia é fundamental, pelo que é necessário um vídeo de muito boa qualidade, que dê acesso a pormenores». A correr sobre o sistema está também uma aplicação desenvolvida à medida, que irá sofrer ainda alguns ajustes para, entre outras coisas, «melhorar a capacidade para manipulação do sinal no servidor,», complementou Alberto Leal. A plataforma permite ao médico seleccionar as imagens do traçado EEG e da crise epiléptica e enviá-las por Internet ao neurofisiologista, que pode trabalhar o sinal recebido de modo a optimizar a observação.A Fundação Vodafone Portugal assegurou não só o desenvolvimento da plataforma informática, mas também o sistema de comunicações móveis, todos os custos financeiros envolvidos na aquisição dos equipamentos e o funcionamento do sistema durante um ano. A lista inclui o equipamento de aquisição de vídeo e electroencefalograma, dois equipamentos PDA de última geração, dois laptops com banda larga móvel, dois servidores para conter as aplicações e a base de dados, um router 3G, placas móveis 3G, as comunicações durante o período de suporte e o tempo dos técnicos quando estes estiverem em monitorização. Tudo isto dá um total de300 euros investidos. Para já, o plano de acção contempla apenas uma sala de monitorização no Egas Moniz e outra no São Francisco Xavier. «A nossa ideia é transformar-nos num centro de referência e arranjarmos pacientes suficientes, para, no final dos nove meses, termos pernas para andar e conseguirmos demonstrar à administração que vale a pena investir», avançou. Tudo aqui parece passar por uma questão de prova de confiança e de transformação deste hospital num centro de referência para este tipo de casos. «Isto não é um centro regional; é um centro nacional», indicou, salientando que o grosso do investimento já está feito, sendo apenas necessário assegurar o funcionamento de todo o equipamento e trabalho. Os custos de operação são de 85 mil euros por ano, onde se inclui o trabalho dos técnicos, consumíveis e manutenção do equipamento. ■

PCGUIAPRO OPINIÃO
PCG

A tecnologia é o principal inimigo da privacidade pessoal
JOÃO LUÍS TRAÇA, ADVOGADO/SÓCIO DA MIRANDA CORREIA AMENDOEIRA & ASSOCIADOS
nas lojas de fotocópias encontrase muitas vezes um aviso de que não se realizam cópias de documentos oficiais, o que se compreende, uma vez que os donos dessas máquinas não querem estar relacionados com a prática do crime de falsificação de documentos. Esta conduta era aceite de forma generalizada, uma vez que, devido ao seu elevado preço, era reduzido o número de empresas que as adquiria. Na verdade, estas para uso doméstico marcavam a sua impressão digital em todos os seus documentos. Concretamente, para além do número de série, a impressão digital incluía também a data e hora em que o documento tinha sido impresso. De acordo com relatos de várias organizações não governamentais, nomeadamente da Electronic Frontier Foundation, cada um dos fabricantes entregou aos Serviços Secretos Americanos a chave que permite ler o código da nomeadamente o direito à vida privada ou as normas de protecção de dados, deste modo violando os princípios estabelecidos na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia. Esta resposta em si mesma não deverá ser considerada uma grande surpresa ao não ser conclusiva, uma vez que não foram apresentadas provas confirmando a existência destas “impressões digitais”, suas características e utilização por serviços secretos das referidas chaves. O que nesta sede se revela como mais significativo é a forma como os princípios relacionados com a privacidade vão ganhando espaço na discussão de questões relacionadas com a tecnologia. Durante a década de noventa, matérias como esta eram consideradas bagatelas jurídicas, apesar de tocarem no centro dos nossos valores civilizacionais. Numa Europa sem polícias políticas e com liberdade de pensamento e expressão, a tecnologia assumiu o lugar de principal inimigo da privacidade e de outros direitos fundamentais. Com pezinhos de lã, invisível numa folha de papel, escondida numa página da Internet ou numa qualquer base de dados, não precisa de bater à porta a meio da noite. Já entrou. Tal como comida pré-cozinhada e pronto-a-comer, cada um de nós está pré-investigado e prontoa-prender.... mesmo pelos nossos actos mais rotineiros ou íntimos. Se não for a lei e o direito de cada um de nós à sua privacidade, quem conseguirá parar a tecnologia? ■

OPINIÃO

>

Quando temos conhecimento da existência destas técnicas de rastreabilidade, rapidamente nos apercebemos de como tudo pode ser registável em bits e bytes sem o nosso consentimento ou conhecimento
fotocopiadoras eram apenas adquiridas para utilização profissional interna ou para venda de fotocópias ao público. Quando temos conhecimento da existência destas técnicas de rastreabilidade, rapidamente nos apercebemos de como tudo pode ser registável em bits e bytes sem o nosso consentimento ou conhecimento. Em grande medida, em nome da nossa segurança e bem-estar, aceitamos e apoiamos esta solução de forma pacífica, uma vez que pretende prevenir o crime de falsificação de documentos, sem nunca nos questionarmos sobre o real alcance que pode ter o uso destas tecnologias. Em 2005, surgiram notícias de que também as impressoras a laser de pequena capacidade “impressão digital” deixada pelos seus equipamentos. Mais. Segundo alguns comentários, a questão não diz apenas respeito aos serviços secretos americanos, uma vez que, aparentemente, os serviços secretos de vários países europeus também beneficiam, directa ou indirectamente, destas chaves. Recentemente, o comissário europeu para a Justiça, Liberdade e Segurança, Franco Frattini, foi questionado por deputados do Parlamento Europeu sobre a eventual legalidade destas práticas, à luz das disposições europeias em matéria de protecção do consumidor, protecção de dados e privacidade. Em resposta, o comissário referiu que a utilização de tais chaves pode violar os direitos fundamentais,

ão será novidade para a maioria dos leitores se dissermos que muitas das impressoras a cores deixam a sua “impressão digital” invisível a olho nu em todos os documentos por si processados. Ou seja, através de uma análise microscópica dos documentos é possível identificar o número de série da impressora que efectuou determinada impressão. A utilização destas soluções, desde há vários anos, é justificada nas impressoras a cores “profissionais” (máquinas de fotocópias a cores) pela necessidade de prevenir a falsificação de documentos. Por exemplo, com a actual precisão e qualidade de reprodução das fotocopiadoras a cores é fácil falsificar documentos de identificação. Por este motivo, 170
MAIO 2008

N

PCGUIAPRO SOFTWARE DE GESTÃO
PCG

Primavera facilita gestão de pequenas empresas
A oferta da software house contempla as microempresas e os empresários em nome individual
SUSANA ESTEVES

Primavera Software está especialmente conotada com a área de gestão de empresas. A companhia aposta num portfolio não só ajustável aos vários ambientes e negócios, como às diferentes dimensões das companhias nacionais, razão pela qual consegue dar respostas tanto às pequenas como às microempresas. Dos produtos disponíveis a companhia destaca duas soluções de gestão para este segmento empresarial: o Express e o Professional Starter. «O Express é o primeiro software de gestão, de marca reconhecida, disponibilizado para download de forma totalmente gratuita», começou por apresentar a directora de Marketing e de Comunicação corporativa da Primavera, Idalina Sousa. Trata-se de uma solução de gestão comercial, que visa responder às necessidades das microempresas 172
MAIO 2008

A

e empresários em nome individual, e que disponibiliza funcionalidades básicas de gestão de vendas, stocks e contas correntes de clientes. Funciona exclusivamente em ambiente de posto ou utilizador único. O Professional Starter sobe um patamar em termos de opções e desempenho. Como destacou o mesmo responsável, este produto

é a versão light da opção Professional, ou seja, partilha da mesma tecnologia, mas está desenhado para responder à dimensão da área comercial das empresas com uma estrutura mais pequena. Disponibiliza as funções de gestão de vendas, stocks, contas correntes de clientes, logística e tesouraria.

Com o módulo de logística, por exemplo, as empresas conseguem gerir os stocks e os armazéns, e todo o tratamento de preços e de custos das ecotaxas, assim como o tratamento dos fluxos documentais e logísticos. O módulo tesouraria, por sua vez, disponibiliza ferramentas para controlo de pagamentos e recebimentos, potencia a constante actualização da informação financeira e evita a introdução duplicada de dados. «A versão Starter é uma configuração limitada a dois postos e assente numa plataforma sem possibilidade de extensibilidade», sublinhou Idalina Sousa. Ambos os produtos se pautam pela simplicidade no quer toca à implementação, garantiu o mesmo executivo. No caso específico do Express, a utilização não depende da emissão de qualquer tipo de licença ou senha por parte da Primavera ou de qualquer outra entidade. «Após a instalação, pode ser utilizado de imediato», garantiu. Juntamente com o download do produto, a empresa disponibiliza um manual de apoio à instalação e utilização e um serviço de helpdesk gratuito. Relativamente ao Professional Starter, o processo de implementação é efectuado por um parceiro Primavera. «Ambos os produtos oferecem a tecnologia de topo às empresas de menor dimensão, bem como a possibilidade de escalabilidade, isto é, as empresas têm a possibilidade de evoluir para as versões superiores mantendo a informação», defendeu. O produto Express é gratuito; o Professional Starter exige um investimento de 750 euros (para dois utilizadores). ■

PCG

Assistência técnica no topo das prioridades
Os modelos de negócio e as ofertas variam conforme o fabricante, mas o objectivo é comum: garantir o melhor serviço ao cliente
SUSANA ESTEVES

P

ara o comum dos utilizadores domésticos de equipamentos informáticos a assistência técnica é bastante importante, ainda que na maioria das vezes seja relegada para quarto ou quinto plano. No entanto, para as empresas, esta questão é essencial ao bom funcionamento do negócio. Se já é mau para alguém perder fotos ou documentos pessoais ou ficar sem computador em casa

durante uma semana, o que dizer de um profissional que pode perder informação crítica da sua empresa, documentos confidenciais ou simplesmente ficar sem negócio enquanto o seu pequeno servidor que suporta todo o esquema informático da companhia está no “estaleiro”? Um bom suporte de assistência técnica tem um nível de prioridade bastante mais alto no sector empresarial; a maioria das empresas reconhece as

vantagens de aderir a este tipo de serviço e está disposta a pagar por ele. As marcas, por outro lado, reconhecem aqui uma boa oportunidade de negócio e de fidelização de clientes, pelo que têm vindo a explorar cada vez mais esta vertente. O negócio dos serviços é extremamente competitivo, mas muito apetecível, razão pela qual todos os fabricantes procuram oferecer mais, por menos. A PCGuia foi falar com

algumas das principais marcas de equipamentos portáteis e desktops detentoras de um negócio consolidado no sector profissional, com o objectivo de dar a conhecer alguns dos programas de assistência oferecidos ao tecido empresarial nacional. As combinações são variadas, à semelhança do modelo de oferta e preço: assistência on site, sistemas de pick up, substituição automática de equipamentos, entre outras.

174

MAIO 2008

GETTYIMAGES

PCGUIAPRO HOTSPOT

TSUNAMI
A marca nacional Tsunami está a reforçar a sua oferta em termos de assistência técnica para conseguir acompanhar o crescimento que tem registado. Segundo Nelson Oliveira, responsável pela concepção e desenvolvimento de servidores e projectos da JP Sá Couto, vão existir vários níveis de assistência. No entanto, até lá, existe um esquema de oferta bem desenhado. Um dos exemplos dados é o mais básico de pick up and return, em que o produto é levantado na empresa do cliente e entregue após a reparação (transversal a toda a gama profissional). Existe também um serviço de assistência técnica no local, no dia seguinte, que exclui feriados municipais e nacionais, e que é activado após uma análise técnica via helpdesk. Para os casos mais urgentes, a Tsunami criou um serviço de assistência no local em quatro horas, disponível todos os dias úteis (exclui feriados municipais e nacionais), também ele viável após analise técnica através do helpdesk. Como quis destacar Nelson Oliveira, existem ainda serviços em fase final de concretização, como a assistência técnica no local em quatro horas, também nos feriados municipais e nacionais, ou a subscrição de pacotes de horas de assistência remota ao sistema operativo e hardware. A marca possui uma rede de agentes certificados Tsunami, responsável por todo o suporte aos produtos. «De momento não podemos especificar as empresas, por estarmos num processo de selecção e formação, que estará concluído no início de Setembro próximo», explicou Nelson Oliveira. Nesta fase, as assistências estão a ser asseguradas por recursos próprios da empresa – o centro de assistência técnica AT Informática, pertencente ao universo JP Sá Couto.

>

Parceiros
> AT Informática www.atinformatica.pt

O executivo da JP sublinhou ainda que a política seguida pela companhia dá um nível elevado de prioridade de atendimento a toda a gama profissional Tsunami, sendo que, no caso dos servidores, esta prioridade é máxima. «As reparações desta gama de produtos têm uma reparação média calculada de 24 horas. Quando se prevê que a reparação possa demorar mais do que as 24 horas mencionadas, é colocado à disposição do cliente um equipamento de substituição, que se

pode tornar definitivo», indicou. O mesmo responsável explicou que a empresa tem «um atendimento pós-venda muito personalizado, em que todos os casos são analisados individualmente», podendo assim ser flexível e ágil a solucionar os problemas». Apesar de todos estes programas e pacotes de oferta, os clientes empresariais que assim o desejem podem deslocar-se à AT Informática para deixar o material para reparação.

FUJITSU SIEMENS COMPUTERS
A Fujitsu Siemens Computers desenvolveu nos últimos anos um conceito de serviço integrado, permitindo assistir qualquer tipo de equipamento independentemente da marca e modelo (conceito multimarca). «Entendemos que os nossos clientes valorizam o facto de terem um prestador de serviços único que possa através das mesmas metodologias e processos assegurar todo o ciclo de vida dos diferentes equipamentos que têm, sejam impressoras, routers, scanners, servidores, PCs, nossos ou dos nossos concorrentes», justificou José Pinto, business operations manager. O modelo de serviços é actualmente considerado uma best pratice a nível europeu, e conta com cinco grandes pilares: Helpdesks Profissionais e Proactivos Estão já a ser instalados em Portugal, contrariando a anterior linha de decisão de helpdesks globais e indiferenciados. Field Assistance Disponibilização de uma estrutura de assistência no terreno, composta por técnicos certificados e conhecedores de diferentes equipamentos/software. «O país foi dividido em células de assistência em que a premissa foi a de que o técnico deverá estar no máximo a 30/35 minutos do local da intervenção. Nos casos de se tratarem de grandes edifícios (mais de 800 utilizadores), existem equipas residentes que em permanência efectuam os serviços», explicou José Pinto. IMAC – Change Management (Instalations, Moves, Adds and Changes) Esta oferta diz respeito a equipas especializadas no planeamento e execução de mudanças e alterações na infra-estrutura existente, sejam de pequena dimensão (instalar ou mudar um pequeno software) ou de grande (com um roll out/roll in nacional de 60 mil equipamentos em três meses passando pela construção e certificação de imagens e aplicações). Logística e Repair Centre Trata-se de uma rede de logística própria adjacente às equipas
ABRIL 2008

175

PCGUIAPRO HOTSPOT
PCG

>

Parceiros
>Algardata www.algardata.pt > ATM – Norte > ATM – Sul www.atminformatica.pt > Datacomp www.stacomp.pt > CPCis www.cpcis.pt > DTS www.dts.pt > Edni www.edni.pt

> Expandiserve - LISBOA > Expandiserve – PORTO www.expandiserve.pt

> Fujitsu Service > Fujitsu Telecomunicações www.fujitsu.pt

> Informantem www.informantem.pt

> Olicom www.olicom-online.com

> Parsisplan www.parsisplan.pt

> PC24(Porto) > PC24/escc (Coimbra) www.pc24.pt

> Prológica www.prologica.pt

> Ricmade www.ricmade.pt

> SAS www.sas.pt

> Tecnidata www.tecnidata.pt

técnicas no terreno. Isto permite num determinado momento ter a peça ou o equipamento, ter o técnico no local e se necessário, o suporte de segunda linha de forma a garantir a eficácia da assistência. Complementando a logística, a Fujitsu Siemens Computers dispõe de um centro de reparação próprio e acordos com uma rede de parceiros para reparar os

diferentes equipamentos com SLAs de reparação curtos. Plataformas de Gestão dos Serviços Os serviços disponibilizados são geridos através de diferentes plataformas (CA-Unicenter, SAP, diferentes portais Web, Mobile Service). Os fluxos de informação são assegurados através da ligação entre elas e da sua disponibilização

em tempo real a todas as equipas anteriormente apresentadas, bem como aos clientes cujos serviços contratados o prevêem. O serviço de assistência é assegurado pela própria Fujitsu Siemens Computers, através do modelo anteriormente descrito e toda a rede de parceiros que se encontra integrada no conceito. «Está em curso a implementação de novos serviços

de help desk, bem como um novo programa de certificação que irá aumentar a qualidade e eficácia dos serviços prestados por toda a rede de parcerias», avançou José Pinto. Para além dos serviços adjacentes, a marca prepara-se para criar novos help desk (por exemplo Fujitsu Siemens Computers HD Pro), e para reformular o programa de parcerias e respectivas certificações.

TOSHIBA
Todos os equipamentos Toshiba possuem uma garantia padrão de dois anos, ou três anos em alguns modelos da gama profissional. Aliás, Jorge Borges, director de marketing da Toshiba Information Systems Portugal, garantiu que os serviços de assistência têm sido uma das maiores preocupações da empresa desde o início da sua actividade, em Agosto de 2000. A marca dispõe de um centro de atendimento e suporte telefónico que permite não só a despistagem da maioria das supostas avarias técnicas, mas também o encaminhamento dos clientes para o centro de reparação mais próximo. Presta ainda serviços padrão de reparação de hardware, contemplando mão-de-obra e peças, através dos seus centros autorizados de reparação dispersos por todo o País. «Colocamos à disposição serviços complementares, que vão desde a recolha e entrega até às reparações na casa do cliente no dia útil seguinte. Destinam-se aos equipamentos da linha profissional e podem ser estendidos até quatro anos, dependendo das necessidades do cliente», exemplificou o mesmo responsável. Os serviços de assistência técnica da Toshiba são assegurados pelos centros autorizados de reparação, através de um conjunto de técnicos certificados e credenciados pelo fabricante. Estão geograficamente dispersos por todo o País, com predominância nos principais centros urbanos nomeadamente Lisboa, Porto, Algarve, Madeira e Açores. «A Toshiba assume um tempo médio de reparação de quatro dias, o

>

Parceiros
> Quinta Grande www.quintagrande.com > CPCIS www.cpcis.pt > Tecnidata www.tecnidata.pt > Prologica www.prologica.pt

176

MAIO 2008

qual não justifica a necessidade de substituição dos equipamentos avariados. Assim sendo, o plano padrão de assistência em garantia não contempla qualquer tipo de seguro ou de equipamento de substituição», explicou o mesmo responsável. Caso os clientes pretendam tempos de resolução inferiores poderão optar pela aquisição de um serviço de

reparação nas suas instalações no dia útil seguinte. «Embora a maior parte dos clientes opte por entregar o equipamento nos nossos centros de reparação, o serviço de recolha pode ser solicitado através do nosso centro de atendimento CAT», fez saber. Quanto a alterações a este modelo de suporte, o responsável de marketing comentou apenas que a companhia

está constantemente a efectuar acções de formação, bem como a simplificar e optimizar os seus processos de reparação, com o intuito de optimizar o serviço de atendimento, suporte e reparação à sua base instalada de clientes, actualmente estimada em cerca de 300 mil equipamentos activos, segundo dados fornecidos pela mesma fonte.

Ainda assim, e apesar do modelo de assistência técnica obedecer por regra aos moldes acima mencionados, «se por algum motivo os serviços padrão não se enquadrem nas necessidades do cliente, a Toshiba encontrará sempre, em conjunto com os seus parceiros locais, a solução que mais se adequa às necessidades dos seus clientes», quis destacar Jorge Borges.

HP
A HP optou por uma posição distinta relativamente à questão da assistência técnica. No segmento empresarial, implementou dois modelos: o directo e o indirecto. No primeiro caso, a assistência técnica é efectuada directamente pelo corpo técnico da HP; no segundo caso, esse suporte é efectuado pelos parceiros HP especialistas de serviços. No que a este último modelo diz respeito, Cláudio Pereira, HP Channel Services Sales Manager, quis salientar que a área de canal de serviços HP continua a ser uma aposta forte da empresa. «Para a HP o sucesso só , é possível com a oferta de serviços e a excelência de um apoio técnico personalizado, disponível a qualquer momento, com cobertura garantida a nível nacional», disse. A acreditação de parceiros HP foi exactamente desenvolvida para potenciar o negócio e a execução do serviço HP Care Pack, que contempla dois níveis: o Authorized Service Delivery Partner (ASDP), que trata da parte referente ao suporte de break and fix, e o Authorized Business Solution Partner (ABSP), que se restringe à implementação de projectos. «A estes parceiros especialistas de serviços, a HP atribui um estatuto de certificação e especialização que lhes permite efectuar os serviços com a qualidade e garantia assegurada pela marca HP», disse. O portfolio Care Pack inclui serviços que vão desde a instalação e manutenção de hardware, passando pelo suporte a software, formação, serviços proactivos, que incluem a alocação de recursos que ajudam o cliente a prevenir possíveis incidências que possam surgir. «Consoante o tipo de produto, o nível de serviço pode variar, como por exemplo o serviço de pick-up & return nos portáteis ou o CTR (resposta com tempo de reparação de seis horas) nos servidores Proliant e nos produtos de armazenamento», explicou Cláudio Pereira. Existe actualmente um leque de 15 parceiros responsável, entre outras coisas, pela assistência técnica aos produtos da marca. Estes estão subdivididos em três categorias: Gold, Silver e Bronze, consoante a performance ao longo de períodos preestabelecidos. Segundo o esquema desenhado pela HP, os clientes podem deslocar-se directamente a estes pontos de assistência. O responsável da empresa comentou que a estratégia de canal de serviços passa exactamente por proporcionar a capacidade aos parceiros de poderem dar um apoio end-to-end aos seus clientes, desde a fase de proposta até à fase pósvenda. O modelo vai manter-se com esta estrutura este ano, havendo contudo um upgrade que Cláudio Pereira quis realçar: «O alargamento aos parceiros especialistas de serviços HP da possibilidade de executarem os serviços por eles vendidos em produtos HP Integrity (HP-UX).»

>

Parceiros
> ATM Informática www.atminformatica.pt > Informática el Corte Inglés www.elcorteingles.pt > Tecnidata www.tecnidata.pt > CPC IS www.cpcis.pt > Normática www.normatica.pt

> Algardata www.algardata.pt

> Digibéria www.digiberia.pt

> Novabase www.novobase.pt

> Cagicomp www.cagicomp.pt

> Informantem www.informan.pt

> Prológica www.prologica.pt

> Hes www.hes.pt

> Infordelta www.infordelta.pt

> Ncit www.ncit.pt

> RIS 2048 www.ris2048.pt

MAIO 2008

177

BLOG DO GATO
PCG

Gato preto
A menina da Ikea
> > > > >
LOG IN FÓRUNS

Gato branco
>
LINKS

CONTACTOS

PROCURA

HOME

< >
178

PÁGINA ANTERIOR

PRÓXIMA PÁGINA

A conselho de uma grande amiga, dirigi-me ao site da Ikea (www.ikea.com/pt/ pt) para ver a assistente virtual chamada Anna que encaminha e ajuda os cibernautas que chegam à página. Uma das coisas que se notam logo é o facto de os programadores da inteligência artificial terem optado pela cara de uma mulher com ar levemente nórdico que usa uns auscultadores e um pólo amarelo iguais aos usados pelos empregados da Ikea, o que faz com que a comunicação se inicie de uma forma bastante mais fácil. Se o utilizador escrever qualquer coisa como “cozinha”, a Anna abre automaticamente a página do site relativa a cozinhas. Mas as coisas ficam mais interessantes se lhe perguntar as horas. Ela responde: «Embora não use relógio, posso dizer-lhe que são 11:17. Em Barcelona e em Estocolmo são 12:17.» Se lhe chamar um nome, responde que não tem sentimentos e que por isso não pode ser ofendida, mas que está pronta para responder a perguntas sobre a Ikea… o Ok. As inteligências artificiais não e, são propriamente uma novidade, mas é preciso confiar muito na ma tecnologia para colocar um sistema lico, deste tipo a interagir com o público, ar que muitas vezes nunca ouviu falar de inteligência artificial (tirando se calhar no filme de Spielberg ou em «Matrix»). Posso dizer que uma pessoa que não sabe ao nção que vai ou que tenha menos atenção é enganada completamente…

A Anna é uma IA muito rudimentar porque não possui capacidades de aprendizagem. Se lhe fizer a mesma pergunta vezes e vezes seguidas, ela responde sempre a mesma coisa da mesma forma... Se quiser e tiver paciência para explorar este tema, tem por exemplo o Jaberwacky (http://www. jabberwacky.com/), um sistema que lhe permite falar e exprimir sentimentos (só é pena funcionar apenas em Inglês). Mas dá para ter uma ideia da forma como funciona um sistema de inteligência artificial que tem capacidade de aprender e também do muito caminho que se tem que percorrer até chegar a um sistema que mantenha uma conversa sem parecer que estamos a dialogar com uma criatura esquisita. Continuo a gostar muito da menina do Ikea, principalmente quando ela morde o lábio quando não percebe o que queremos Vamos dizer com: «Va «Vamos dar uma volta?»

MAIO 2008

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->