Você está na página 1de 49

Virologia

Hepatites

Elaborado por: Cátia Taibo


Hepatites Virais
• São causadas por seis virus, designados
de A a E, e um virus G recém descoberto.
• O homem e o único reservatório com
importância epidemiológica.
• Estes virús tem:
– tropismo pelo fígado;
– Com deferentes características
epidemiológicas, de evolução clínica,
iminológicas e laboratoriais.
Hepatites‫ ׃‬agente etiológico
virus A B C D E G
Família Picorna Hepad Flaviviri Deltavir Caliciviri Flavivir
viridae navirid dae idae dae idae
ae

Tamanho 27nm 42nm 30 a 35nm 27 a


60nm 34nm
Envelope não sim sim sim não Sim

Ac. RNA DNA RNA RNA RNA RNA


nucleíco
Hepatites‫ ׃‬modo de transmissão
• Os virús das Hepatites B, C, D e G são
transmitidos por via parenteral.
• O virus da Hepatite B podem ter
transmissão sexual e vertical.
• As hepatites A e E a transmissão e fecal
oral.
Hepatites/cronicidade
• Evolução para a cronicidade
– A hepatite A e E não evoluem para a
cronicidade;
– A hepatite B torna se crónica em menos de
10% dos casos, podem desenvolver doença
hepática grave como cirrose e Ca do fígado;
– A hepatite C torna se crónica em 80% dos
casos;
– A hepatite D raramente evolui para a
cronicidade.
Hepatites A
• Pertence à família dos Picornavirus;
• É um virus RNA de filamento único
sentido positivo;
• Não envelopado;
• Simetria ecosaédrica
• Encontra –se nas fezes das pessoas
infectadas;
• Período de incubação dura entre 15 e 50
dias.
Vírus da Hepatite A
Hepatites A
• Aparece na infância ou nos adultos
jovens;
• Cura-se ao fim de 3 a 4 semanas;
• Não evolui para doenca crónica;
• Não exige internamento hospitalar;
• Nao é fatal;
• Transmissão através de água e alimentos
contaminados com fezes.
Hepatites A
• No inicío é semelhante a uma gripe com
febre, mialgias e mal estar;
• Depois, aparece a icterícia, vómitos e
anorexia.
Hepatite A: diagnóstico
• Presença de ac HAV IgM
– É compativel com infecção recente;
– Confirma o diagnóstico de hepatite aguda A;
– Este marcador surge precocemente na fase
aguda, declina após a segunda
semana,desaparecendo após 3 meses.
• Dosagem das aminotransferases
– ALT e AST que indicam lesão do parênquima
hepático.
Hepatite A
• Tratamento:
– Não ha medicamento específico;
– Tratamento sintomático;
– Repouso moderado até normalização das
aminotransferases;
– Alimentação deve ser rica em proteínas e
baixa em gordura;
– Restrição de alcool.
Hepatite A
• Prevenção
– Lavar as mãos após a utilização da casa de
banho, antes de cozinhar ou comer, depois
de mudar uma fralda;
– Evitar o consumo de mariscos ou peixe crú;
– Lavar bem os vegetais e frutas;
– Ferver e água para consumo.
• Vacina existe desde 1991, vacina de vírus
morto.
Hepatite B
• Pertence a família dos Hepadnavirús;
• É um virús DNA circular, envelopado;
• O virião é chamado de partícula de Dane;
• As particulas podem ser esféricas ou
filamentosas
• Periodo de incubação longo de 45 a 160
dias;
• Encontra-se no homem doente e no
portador.
Vírus da hepatite B
Vírus da hepatite B
proteína do core
HBcAg

DNA

DNA polimerase
proteínas do envelope
HBsAg
Hepatite B
• É a mais perigosa das hepatites, é uma
das doenças mais graves do mundo;
• Pode levar a doença hepática grave como
cirrose ou carcinoma do fígado;
• Nos paises subdesenvolvidos as crianças
são as mais afectadas,e nos
industrializados o virus é transmitido
sobretudo aos jovens adultos por contacto
sexual e partilha de seringas.
Hepatite B
• Transmissão
– Contacto com sangue contaminado
• Transfusões de sangue e seus derivados;
• Tatuagens e piercings:
• Acunpunctura:
• Drogas intravenosas;
– Contacto sexual;
– Transmissão materno fetal.
Hepatite B: sintomas
• Pode ser fatal;
• Em 90% dos casos esta hepatite cursa
sem sintomas;
• 10% leva à cronicidade;
• Os primeiros sintomas são febre, mal
estar, desconforto , dores abdominais;
• Mais tarde surge icterícia, urina escura e
fezes claras.
Hepatite B : diagnóstico
• HbsAg
– É o primeiro marcador a surgir após a infeção
pole HBV,em torno de 30 a 45 dias e pode
permanecer detectável até 120 dias;
– Está presente nas infeções agudas e
crónicas.
• Anti HBc
– Indica contacto prévio como virus;
– Permanece detectável por toda a vida.
Curso Sorológico da hepatite B aguda
Curso Sorológico Típico
Sintomas

HBeAg anti-HBe

anti-HBcTotal
Título

HBsAg IgManti-HBc anti-HBs

0 4 8 12 16 20 24 28 32 36 52 100

Semanas após a exposição


Curso Sorológico da Infecção Crônica pelo HBV
Curso Sorológico Típico
Aguda Crônica
(6 meses) (anos)
HBeAg anti-HBe
HBsAg
anti-HBcTotal
Título

IgManti-HBc

0 4 8 12 16 20 24 28 32 36 52 anos
Semanas após a Exposição
Interpretação dos Marcadores
Sorológicos da Hepatite B

Anti-HBc
Interpretação HBsAg Anti-HBc Anti-HBS
IgM

Fase de incubação + - - -

Fase aguda + + + -

Fase crônica + + - -

Infecção passada - + - -
- + - +

Resposta vacinal - - - +
Significado dos
marcadores
virais:

• HBsAg + anti-HBc IgM: infecção aguda


• anti-HBc + anti-HBs: infecção pregressa
• anti-HBs: imunidade pós-vacina
Significado dos

marcadores
virais:
• HBsAg + anti-HBc: infecção crônica
 HBeAg: replicante ( > 6 meses)
 anti-HBe: não-replicante
Hepatite B : tratamento
• A hepatite aguda é tratada com repouso;
• Na hepatite crónica usa-se interferon ou
interferon perguilado durante seis a doze
meses;
• O tratamento com análogos nucleosídicos
como lamivodina tambem são utilizados;
• O tratamento temuma eficácia de 15 a
45%.
Hepatite B
• Prevenção:
– Evitar contacto com sangue infectado;
– Não partilhar objectos cortantes e
perfurantes;
– Uso do preservativo;
– Vacinação!!!!.
• Vacina existe desde 1981, tem uma
eficácia de 95% (HBsAg recombinante)
Hepatite C
• É um virús RNA da família dos Flavivirús;
• Tem envelope;
• Periodo de incubação de 14 a 180 dias;
• Este virus tem seis genotipos diferentes e
uma grande capacidade de produzir
mutacões, o que dificulta a produção de
uma vacina;
Hepatite C
• 80% dos casos evolui para a cronicidade;
• Os principais atingidos são pessoas
transfundidas, hemodialisados, e
consumidores de drogas injectáveis;
• Pode evoluir para uma doenca hepatica
grave, e em alguns paises e a principal
causa de CA hepatico
• Pode ser fatal.
Hepatite C
• Transmissão:
– Através de sangue ou produtos sanguineos
contaminados;
– Por via sexual é rara mas existe;
– Risco de 6% na transmissão vertical;
– Através do uso de drogas endovenosas;
– Tatuagens e piercings;
– Acunpunctura ???
Hepatite C: sintomas
• 75% dos casos infectados nao
apresentam sintomas;
• Pode ocorrer letargia, mal estar geral e
intestinal, febre, anorexia, intolerância ao
alcool, dores no hipocondrio direito e
MUITO RARAMENTE ICTERICIA;
• Na infecção cronica o dt pode não
apresentar qualquer sintoma mas estar a
desenvolver uma cirrose ou Ca do figado.
Hepatite C : diagnóstico
• Anti - HCV
– E o marcador de triagem para a hepatite C
– Indica contacto previo com o virus, mas nao define se
a infecção e aguda, cronica ou curada
– O diagnostico so pode ser feito se o dt era Anti - HCV
negativo e torna-se positivo.
• HCV - RNA
– Quando associado ao Anti - HCV positico indica
infecção
– E utilizado para confirmar a infecção em casos
cronicos, monitorizar o tratamento e confirmar
resultados indeterminados como pacientes
imunodeprimidos.
MARCADORES VIRAIS UTILIZADOS PARA
DIAGNOSTICO DA HEPATITE C

Marcador Hepatite Viral C

- Define o contato prévio com o


Anti-HCV vírus C;

- Só torna positivo após 8 a 12


semanas da infecção;

- Se positivo afirma a presença do


HCV-RNA
vírus C
Hepatite C : tratamento
• Faz - se com peginterferao para impedir a
multiplicação do virus e estimular a
destruição das celulas afectadas;
• Usa - se tambem ribavirina associada ao
interferon pergilado, permite melhores
respostas ao tratamento;
• Na doenca hepatica avancada e
necessario fazer transplante de figado,
( risco de recidiva e de 90 a 100%).
Hepatite C
• Prevenção:
– Não usar escova de dentes, lâminas,
tesouras k possam ter estado em contacto
com sangue contaminado;
– Não partilhar seringas;
– Tratar das feridas e cobri-las com penso ou
ligaduras;
– Usar preservativo.
• Vacina: ainda não existe.
Hepatite D
• Também chamado de virus Delta;
• É da família dos Deltavirus;
• É um RNA virus;
• Contem envelope;
• Só se multiplica em presenca de vírus da
hepatice B;
• Periodo de incubação de 15 a 64 dias;
• Transmissão através de sangue e fluídos
sexuais
Hepatite D
• Pode ocorrer co-infecção ou superinfecção com
hepatite B;
• Na co-infecção a hepatite pode ser grave e
mesmo fulminante mas raramente evoluí para a
forma crónica;
• Na superinfecção, o VHD provoca uma hepatite
aguda grave e evoluí para hepatite crónica em
80% dos casos, podendo evoluir para cirrose;
• A evolução para cirrose demora entre 5 a 10
anos, mas pode surgir 24 meses após a
infecção.
Hepatite D: sintomas
• Na co-infecção
– Fadiga, letargia, nauseas durante 3 a 7 dias após o
periodo de incubação;
– Depois surge ictericia, urina escura e fezes claras.
• Na superinfecção
– Na fase aguda são idênticos;
– Na fase crónica são semelhantes mas menos
intensos.
• A hepatite D fulminante é rara
– Caracteriza -se por encefalopatia hepática, mudancas
de personalidade, desturbios no sono, confusão
mental e posteriormente em coma.
Hepatite D: diagnóstico e
tratamento
• Anti - HDV
– o marcador serologico mais usado
• Ate agora não existe um tratamento 100%
eficaz
• O interferão tem permitido obter alguns
resultados positivos
• A doenca geralmente recidiva quando se
interrompe o tratamento
Hepatite D
• Prevenção
– Evitar uso de objectos contaminados com
sangue;
– Vacina contra hepatite B (tem uma eficácia de
95%);

• Vacina não existe.


Hepatite E
• É um vírus RNA da família dos Calicivírus;
• Não envelopado;
• Simetria
• Tem um periodo do incubação de 15 a 50
dias;
• É mais comum nos climas quentes, com
condicões de hegiene e saneamento
precárias.
Hepatite E
• A transmissão se faz través de agua e
alimentos contaminados por matérias
fecais;
• A doenca em geral não é grave;
• Pode ocorrer hepatite fulminante nas
mulheres gravidas se o virus for contraído
durante o terceiro trimestre da gravidez;
• Esta hepatite não se torna crónica.
Hepatite E: sintomas
• Os jovens e adultos entre os 15 e os 45
qnos apresentam:
– Nauseas, vomitos anorexia
– Febre, dor abdominal
– Mal estar geral, hepatomegalia
– Icterícia.
• As criancas em geral não apresentam
sintomas.
Hepatite E : diagnóstico e
tratamento
• Diagnostico
– Anti VHE IgM
• Tratamento
– as infeccões geralmente são limitadas;
– A recuperação acontece em pouco tempo;
– Não é necessaria hospitalização excepto em
caso de hepatite fulminante.
Hepatite G
• É um vírus RNA da família dos Flavivirus;
• Envelopados;
• Tal como o virus da hepatite C também
apresenta diferentes genotipos;
• A infecção pode ocorrer em simultâneo
com a infecção pelo VHC.
Hepatite G
• A infecção geralmente é suave e temporária;
• 90 a 100% dos infectados tornam-se portadores
crónicos, mas podem nunca vir a desenvolver
uma doenca hepática;
• Foi descoberta recentemente em 1995
• Não provoca lesões hepáticas????
Hepatite G
• Sintomas
– As pessoas infectadas com o virus G não
apresentam sintomas.
• Diagnóstico
– RNA viral ( PCR )
• Tratamento
– Não existe tratamento específico.
Bibliografia
• Microbiologia Medica, Patrick R. Murray e
outros, 4ª Edição, Guanabara Koogan;
• Microbiologia Medica, Jawetz e outros,
20ª Edição, Um livro medico Lange;
• Essentials of Medical Microbiology, Volk e
outros, 4ª Edição, Lippincott;
• Medical Microbiology, David Greenwood e
outros, 14ª Edição, Churchill Livingstone
Cont. Bibliografia
• Medical Microbiology, Cedric Mins e
outros, 3ª Edição, Wakelin Zuckerman;
• Immunology, Roitt e outros, 5ª Edição,
Wakelin Zuckerman;
• Virulogy, James F. Bale e outros, a Scope
Publication, Upjohn;