Você está na página 1de 33

ARQUITETURA MODERNA

(Europa e EUA na 2ª metade do século XIX)

• Nasce na necessidade de construções funcionais (edifícios públicos, bancos, bibliotecas e


prefeituras), em contrapartida às construções neoclássicas.
• Baixo custo do material: vidro, ferro, alumínio e cimento.
• Construções firmes e seguras.
• Novas formas arquitetônicas.
• Otimização dos espaços restritos.
• Construção sem ornamentos.
• Crystal Palace (1851) e Torre Eiffel (1889).
• ART NOUVEAU – Bélgica e França

• JUNGENDSTIL – Alemanha

• MODERNISMO – Espanha

• LIBERTY – Grã-Bretanha

• ESTILO FLORAL – Itália


Crystal Palace (1851), Londres

• Ferro e vidro.
• Abrigar uma exposição
das realizações inglesas
durante o governo da
rainha Vitória.
• Emprega elementos
pré-fabricados.
Crystal Palace -1851- Joseph Paxton - Londres
Torre Eiffel (1889),
Paris

• Construída para a exposição de


Paris de 1889.

• Estrutura metálica totalmente


exposta.

• Não simbolizava uma crença


religiosa, não comemora feitos
gloriosos da história francesa
nem um poder político, mas um
símbolo da modernidade, das
novas possibilidades
construtivas – a máquina e a
industrialização.
ART NOUVEAU
• NA ARQUITETURA

- Tendência decorativa – ferro e o vidro


(possível criar novas formas).
- Art Nouveau – deu origem também a
pesquisas em direções diversas na arte de
construir.
- Bélgica: Henri van de Velde(18631957)
Victor Horta (1861-1947)
(arquitetos empenhados em dar à arquitetura uma
feição moderna).
• Henri Van de Velde

- Projetou edifícios simples (sem imitação dos preexistentes).


Casa Tassel- Bruxelas
Victor Horta

Casa Horta

Victor Horta:
Deu nova vitalidade para a arquitetura.
Usando o ferro, vidro.
O ferro em linhas sinuosas e vitrais em
edifícios.
- A casa Milá - Situada no número 92 do Passeig de Gràcia no bairro Eixample de Barcelona,
Catalunha, Espanha, é o maior edifício concebido por Gaudí.
- As formas curvas e onduladas contínuas da fachada eliminam a idéia de esquina, tornando
um edifício sinuoso ao longo da avenida.

detalhe
Casa Milá
(detalhe da fachada)
Quarto (estilo Art Decó) / Iluminação interior natural
ESPANHA:
Barcelona: surpreende pelas formas e pela decoração.
Antonio Gaudí – A Igreja Sagrada Família.
Casa Batló e Parque Güel, Barcelona
FRANÇA

O ferro e o vidro: floralismo decorativo:


Hector Guimard – entradas dos metrôs -
Paris.
O Art Nouveau não é um estilo de caráter popular, mas totalmente
burguês e elitizado.
• O movimento Art Nouveau, que no final do século XIX rompeu
com as formas tradicionais de construção, foi superado por uma
nova tendência arquitetônica chamada RACIONALISMO /
FUNCIONALISMO.

• Novos rumos da arquitetura moderna:

- Planta livre (Le Corbusier)


- Bauhaus (Gropius)
- Arquitetura orgânica (Frank Lloyd Wright)
ARQUITETURA RACIONALISTA

• Europa - Obra de Adolf Loos – representante


dessa tendência – negar toda a
ornamentação e tornar evidente a praticidade
e a destinação social do edifício (para que
fim).
• América - Estados Unidos- nos modernos
arranha-céus-(1932)- estrutura passou a ser
de ferro, as paredes perderam a função de
sustentar o teto.
O FUNCIONALISMO
• O Funcionalismo, em arquitetura, é o
princípio pelo qual o arquiteto que projeta
um edifício deveria fazê-lo baseado na
finalidade que terá esse edifício.
• Os arquitetos funcionalistas acreditam que
os ornamentos não têm nenhuma função.
A TRÍADE DE VITRÚVIO
• As origens do funcionalismo em edifícios podem-se
remontar à tríade de Vitrúvio, onde a “utilitas”
(traduzida também como “comodidade”, “conforto”,
ou “utilidade”) vem junto com a “venustas” (beleza)
e a “firmitas” (solidez) como uma das três metas
clássicas da arquitetura.

CONFORTO + BELEZA + SOLIDEZ


Louis Sullivan
• Nos primeiros anos do século XX, o arquiteto de
Chicago, Louis Sullivan popularizou a frase “a
forma segue a função” para resumir sua crença de
que o tamanho de um edifício, o volume, a
distribuição do espaço e outras características
devem ser norteadas somente pela função do
edifício. Isto implica que se satisfeitos os aspectos
funcionais, a beleza arquitetônica surgirá de forma
natural.
Estados Unidos:
Louis Sullivan-
considerado o “pai da
arquitetura moderna
americana”- prédios de
escritórios e conjuntos
comerciais.

PRÉDIOS DE
ESCRITÓRIOS –Louis
Sullivan
•A Casa da Michaelerplatz – Viena- Austria- Adolf Loos
Le Corbusier e van der Rohe
• As raízes da
arquitetura moderna
baseiam-se no trabalho
do arquiteto franco-
suíço Le Corbusier e
no do alemão Mies
van der Rohe
(Farnsworth House
USA).
“uma casa é uma máquina onde vive-se nela”
(Le Corbusier)

• Villa Savoye em Poissy, França - protótipo de funcionalismo. Projetada em 1928


Le Corbusier e a Planta livre:
Cinco pontos da nova arquitetura

- Planta livre da estrutura


- Construção sobre pilotis
- Terraço-jardim
- Fachada livre
- Janela em fita
Planta livre da estrutura
Sala de estar, terraço, suíte master, cozinha.
Pilotis, terraço jardim, fachada livre e janela em fita
PONTOS IMPORTANTES
• Planta livre da estrutura. A divisão dos cômodos internos é feita
indepentemente da configuração estrutural, de forma que as paredes
divisórias não possuem função portante na sustentação do edifício.
• Construção sobre pilotis. O pilotis é um sistema, proposto por Corbusier, no
qual o térreo das construções fica livre, de forma a transformá-lo em uma
extensão do espaço externo e elevando a residência do solo.
• Terraço-jardim. Evitando a cobertura tradicional em telhados, Le Corbusier
propõe a ocupação das últimas lajes das edificações com jardins, liberando
do solo usos particulares.
• Fachada livre. A disposição das aberturas na fachada é independente da
configuração estrutural do edifício, visto que os pilares e vigas são
projetados internamente ao edifício, e não mais junto à fachada.
• Janela em fita. Le Corbusier evita a solução tradicional de propor aberturas
limitadas, ou muito verticais, buscando iluminação constante e homogênea,
da mesma forma que o resultado estético na fachada evita a ornamentação
excessiva da arquitetura anterior.
Hoje, uma “casa-museu”
• A residência foi relativamente pouco usada
por seus proprietários originais, pois foi
abandonada quando da ocupação alemã na
França, durante a II Guerra Mundial. Ao
fim da guerra, a casa permaneceu em um
estado de quase ruínas, até que em 1963 foi
considerada patrimônio arquitetônico por
parte do governo francês. Atualmente, é
mantida como uma "casa-museu".
FUNCIONALISMO X ESTÉTICA
• No meio da década de 1930, o funcionalismo
começou a ser discutido como uma aproximação
estética, mais que como uma questão de
integridade de projeto. A ideia do funcionalismo
foi combinada com a carência de ornamentação,
que é uma questão bem diferente. Converteu-se
em um termo pejorativo associado às formas mais
pobres e mais brutais de cobrir um espaço, como
formas baratas e comerciais de fazer edifícios.