Você está na página 1de 13

Princípios Eticos na Permacultura.

Ética são princípios morais e são usados para guiar ações para resultados bons e corretos e
para longe de resultados ruins e errados. Ética funciona como uma restrição dos instintos de
sobrevivência e outros atos de construção social e pessoal em interesse próprio que
naturalmente dirigem o comportamento humano e de qualquer sociedade. Eles evoluíram
culturalmente para uma defesa do interesse próprio de uma maneira mais elevada, uma visão
mais inclusiva de quem, e o que constitui "nos"e uma compreensão de longo prazo dos
resultados bons e ruins. Quanto maior o poder da civilização humana através da
disponibilidade de energia, e quanto maior a concentração e escala do poder dentro da
sociedade, então mais critica a ética se torna para assegurar a sobrevivência a longo prazo
tanto cultural quanto mesmo biológica. Essa visão funcional e ecológica da ética tem um
papel central no desenvolvimento de uma cultura sustentável pós industrial.
Como os princípios de desenho, os princípios éticos não foram explicitamente listados
inicialmente na literatura da permacultura. E desde o desenvolvimento dos cursos de
permacultura, a ética foi geralmente coberta em três princípios gerais:

Cuidado com a Terra;


Cuidados com as pessoas ; e
Distribuição do excedente e estabelecer limites para consumo e
reprodução.

Esses princípios foram destilados de pesquisa de ética de comunidades como foram


adotados por grupos cooperativos e religiosos mais antigos. O terceiro e mesmo o segundo
principio ético, podem ser vistos como derivados do primeiro.
Nesses princípios, nós ensinamos e usamos como fundações éticas relativamente simples e
inquestionáveis dentro do movimento e de uma ampla "nação global" de pessoas de mente
semelhante. Mais amplamente, esses princípios éticos podem ser vistos como comuns a
todos os povos tribais indígenas, apesar de que seu conceito de nação pode ser mais limitado
que as noções modernas que emergiram no milênio recente ( veja artigo "Além do Conflito
Tribal"). Esse foco em permacultura em que podemos aprender da cultura tribal indígena é
baseado na evidencia de que essas culturas existiram em equilíbrio relativo com seu
ambiente e sobreviveram por mais tempo que qualquer de nossos experimentos mais
recentes em civilização.
Isso não significa que devamos ignorar os ensinamentos das tradições espirituais e filosóficas
das civilizações letradas ou os grandes pensadores que apareceram desde o iluminismo
europeu numa tentativa de viver uma vida ética. Simplesmente quer dizer que precisamos
considerar, tentar entender um quadro mais amplo de valores e conceitos como guia na
transição para uma cultura sustentável e aquela que nos foi entregue na recente historia
cultural
Observe e Interaja
A beleza esta no olho de quem olha.

O símbolo desse principio é uma pessoa como uma árvore, enfatizando nós mesmos na
natureza e transformados por ela. Pode ser visto como um buraco de fechadura na natureza,
través do qual alguém vê uma solução.
O desenho em permacultura depende da observação e da interação cuidados dentro de uma
relação livre e harmoniosa com a natureza para desenhar nosso caminho através de um
futuro sustentável de baixo uso de energia e de recursos. Para manter produtividade e
estabilidade, sistemas desenhados por permacultura têm por objetivo fazer mais uso da
observação einteração consciente e menos uso de mão-de-obra repetitiva ou uso de energia
não renovável e de alta tecnologia.
Para os caçadores colhedores e as sociedades agrícolas de baixa densidade, o ambiente
natural provia t odas as necessidades com esforço humano apenas na colheita. Nas
sociedades pré industriais com grande densidade populacional, a produtividade agrícola
depende do aporte grande e contínuo de mão-de-obra humana.
A sociedade industrial depende do aporte de quantidades grandes e continuas de energia de
combustíveis fósseis para prover alimento e bens e serviços. A energia total envolvida é
muito maior que no sistema pré industrial, fazendo o sistema industrial menos eficiente em
termos energéticos, apesar d o aumento prodigioso na produtividade por unidade de
trabalho. A utilização muito mais eficiente da energia e um uso criativo do trabalho humano
são essenciais na transição do crescimento em energia e população para um futuro de
menor energia, com menos pessoas e menor uso de energia. Esse cenário aparentemente
improvável depende mais de adaptações criativas dos desenhos da natureza de que de
conquistas novas e desafiadoras dos exércitos da ciência e tecnologia dos novos campos de
conhecimento especializado.
Criatividade e desenho podem apenas nascer da observação cuidadosa dos mundos natural
e humano num contexto de contínua interação.
Pegue e Armazene Energia
"Faça feno enquanto o sol brilha"
Nós vivemos em um mundo de riqueza sem precedentes, da colheita de enormes
quantidades de energia não renováveis e recursos criados pela Terra em bilhões de anos.
Nós usamos alguma dessa riqueza para aumentar nossa colheita de recursos renováveis
da Terra e numa quantidade ameaçadora para a vida. Numa linguagem financeira, nós
vivemos consumindo capital global de uma maneira irresponsável que poderia mandar os
negócios para a bancarrota. Nós precisamos aprender como economizar e investir a maior
parte da riqueza que estamos presentemente consumindo ou gastando, de tal forma que
nossas crianças e descendentes possam ter uma vida razoável. A fundação ética para esse
principio dificilmente poderia ser mais clara, mas infelizmente, a noção convencional de
valor, investimento e riqueza não é útil para esta tarefa. Conceitos inadequados de riqueza
nos levaram a ignorar oportunidades para captura fluxos de energia locais renováveis e não
renováveis. Identificando e agindo em cima dessas oportunidades pode prover energia que
pode reconstruir o capital assim como fornecer renda para nós sustentarmos nossas
necessidades imediatas. Este principio se relaciona com a captura de energia e a mais
longo prazo, armazenamento, isto é reservas e investimentos para construir capital natural
e humano enquanto a geração de renda para necessidades imediatas é trabalhada dentro
do principio - Obtenha uma produção
Obtenha uma Produção
"Você não pode trabalhar com estômago vazio"
(equivalente em português, "Saco vazio não pára em pé")
O ícone de um vegetal com uma mordida é um bom símbolo para o princípio da produção
de algo que nos dá um produto imediato, mas poderia ser também um lembrete de que
outras criaturas também estão tentando obter uma produção por seus esforços. O
principio anterior "pegue e armazene energia" direcionou nossa atenção para o uso da
riqueza existente para fazer um investimento a longo prazo no capital natural. Mas não há
nenhum motivo em plantarmos uma floresta para nossos netos, se nós não temos o
suficiente para comer hoje. Este principio nos lembra de que devemos desenhar qualquer
sistema para provermos auto-manutenção em todos os níveis, inclusive de nós mesmos.
Através da captura e armazenamento de energia eficientemente, para mantermos o
sistema e capturarmos mais energia. Flexibilidade, criatividade e novas maneiras de
mantermos a produção serão críticos na transição do crescimento para a redução (do uso
de energia), mas a visão de permacultura original promovida por Bill Mollison, da
produção de alimentos nos jardins, com plantas úteis, ao invés de plantas ornamentais
sem uso, continua um exemplo de como podemos aplicar esse princípio.
Sem produções imediatas e verdadeiramente úteis, qualquer coisa que produzirmos
tenderá a murchar e morrer, enquanto que aquelas coisas que produzirmos para uso
imediato irão proliferar. Quer nós atribuamos isso à natureza, força de mercado ou desejo
humano, os sistemas que mais consistentemente obtenham a produção e a usam, devem
eficientemente atender às necessidades de sobrevivência e tendem a prevalecer sobre
outras escolhas alternativas. Uma produção, lucro ou renda como recompensa que
encoraja, mantém e/ou replica o sistema e gera a produção. Dessa maneira sistemas
bem sucedidos se espalham. Na linguagem de sistemas, essas recompensas são
chamadas de feedback positivo, que amplificam o processo ou sinal original.
Se nós somos sérios sobre o desenho de produções sustentáveis, devemos procurar
obter essas recompensas que encorajam sucesso , crescimento e replicação dessas
soluções.
Aplique Auto Regulação e Aceite
feedback.”
Tome responsabilidade pessoal"

A hipótese Gaia da Terra como um sistema auto-regulador análogo a um organismo vivo


faz da Terra toda uma imagem adequada para representar este princípio.
Auto manutenção e sistemas de regulação podem ser considerados como o "Santo Graal"
da permacultura: o ideal que nós almejamos, mas nunca podemos alcançar totalmente.
Evidencias cientificas da homeostasia admirável da terra de centenas de milhares de
anos, acentuam o papel da Terra como um sistema completo de auto-regulação
arquetípico, que tanto nutre a continuidade e estimula a evolução de suas formas de vida
e sub-sistemas constituintes.
Este princípio lida com aspectos auto reguladores e de desenho auto-sustentáveis que
limitam ou desencorajam desenhos ou comportamentos inadequados ao invés de confiar
em controles externos em larga escala. Enquanto o feedback positivo pode ser
considerado um acelerador para empurrar o sistema na direção da energia totalmente livre
disponível, o feedback negativo é o freio que evita o sistema de cair nos buracos da
escassez e instabilidade de sobre-uso ou uso errado da energia.
Nas sociedades tradicionais, reconhecemos que o feedback negativo externo é
geralmente lento para emergir e as pessoas precisavam de explicações e avisos como
estes "Os pecados dos pais serão visitados até a sétima geração"ou "a lei do karma que
opera no mundo das almas reencarnadas.
Nas sociedades modernas nós tomamos por garantido um grande grau de dependência
em larga escala, geralmente sistemas remotos para garantir o atendimento de nossas
necessidades, enquanto um grande grau de liberdade no que nós fazemos sem controle
externo. Em um certo sentido, nossa sociedade é como um adolescente, que quer "ter"
sem conseqüências. Muitos dos aspectos ecológicamente disfuncionais de nossos
sistemas, resultam da negação da necessidade de auto-regulação e sistemas de feedback
que controlam sistemas inadequados através de simplesmente trazer as conseqüências
daquele comportamento de volta para nós. A música de John Lennon, "Instant Karma"
sugere que nós vamos colher o que semeamos muito mais rapidamente do que nós
pensamos.
A velocidade da mudança e o aumento da conectividade na globalização podem ser a
realização desta visão.
Uso e Valor de Recursos Renováveis
"A natureza sabe melhor"

Recursos renováveis provendo produções diretas são aqueles renovados e substituídos


por processos naturais por períodos razoáveis de tempo sem maior necessidade de
colocação de insumos não renováveis. Serviços renováveis ou funções passivas são
aquelas que recebemos de plantas, animais, solo vivo e água, sem que eles sejam
consumidos.
Por exemplo, quando nós falamos de árvores para madeira, estamos usando uma fonte
renovável, mas quando usamos a árvore para sombra e abrigo, nós ganhamos benefícios
da árvore viva sem consumir ou exigir colheita de energia. Esse simples entendimento é
tanto simples como poderoso no redesenhar de sistemas humanos onde muitas funções
simples ficaram dependentes de recursos não renováveis e não sustentáveis. Nós
dificilmente podemos ser um exemplo mais importante da história de como pessoas
prosperaram com o uso sem consumo de serviços da natureza pela domesticação e uso
do cavalo para transporte, cultivo do solo e como uma fábrica de energia geral para uma
miríade de usos.
A relação íntima com os animais domésticos como o cavalo também provém um contexto
enfático para extensão das preocupações éticas humanas para incluir a natureza.
Desenho em permacultura deve ter por objetivo fazer melhor uso dos recursos naturais
renováveis para manejo e manutenção da produção mesmo se o uso de algum recurso
não renovável é necessário para o estabelecimento do sistema. Ainda mais, deve fazer o
melhor uso de sistemas naturais não consumidores para minimizar nossas demandas de
consumo de recursos naturais e ênfase nas possibilidades de interação entre seres
humanos e a natureza. Na linguagem de negócios, recursos naturais devem ser vistos
como uma fonte de renda enquanto recursos não renováveis podem ser vistos como
bens de capital. Gastando bens de capital dia após dia é impraticável na linguagem de
todo mundo.
Restauração do balanço entre recursos renováveis e não-renováveis vai exigir que
aqueles conceitos abstratos fiquem embebidos em nosso entendimento se queremos
uma visão mais holística que nos confrontam no uso de recursos naturais. O que é
geralmente esquecido é que essas velhas maneiras foram a norma não muito tempo
atrás. A brincadeira que se faz a respeito da pessoa consciente do ambiente que utiliza o
secador de roupas solar (o varal), é engraçada porque funciona sobre a natureza recente
de muito daquilo que foram funções substituídas pela tecnologia e combustíveis fósseis.
Produza, Não Desperdice
"Não desperdice - não queira"

A minhoca é um ícone sustentável desse princípio porque ela vive do consumo dos
resíduos da planta, que são convertidos em húmus que melhora o ambiente do solo
para ela, para os microorganismos do solo e para as plantas. Este principio traz
consigo valores tradicionais de frugalidade e cuidado dos bens materiais. As
preocupações importantes sobre poluição e as perspectivas mais radicais que vêem
resíduos com recursos e oportunidades.
Bil Mollison define como poluente "o produto de qualquer componente do sistema
que não está sendo usado produtivamente por qualquer outro componente do
sistema". A definição nos encoraja a minimizar a poluição e resíduos por meio do
desenho de sistemas que usam todos os produtos. Em resposta a questão sobre
pragas de caramujos no jardins dominados por plantas perenes, Mollison tinha por
hábito responder que não havia um excesso de caramujos, mas uma deficiência de
patos.
Desenho de Padrões a Detalhes
"Não reinvente a roda"
"Veja a floresta antes das árvores"

Os primeiros seis princípios tendem a considerar sistemas da perspectiva de baixo


para cima dos elementos, organismos e indivíduos. Os segundos seis princípios
tendem a enfatizar a perspectiva de cima para baixo dos padrões e relações que
tendem a emergir da auto-organização e eco-evolução de sistemas. Os princípios
podem nos ajudar a desenhar melhor comunidades de plantas, animais e pessoas para
a auto-suficiência e eficiência de energia. A aranha em sua teia, que é concêntrica e
radial em desenho, é um ícone adequado para esse principio porque evoca as zonas
em permacultura e planejamento de setores, o mais conhecido e talvez mais
amplamente aplicado aspecto do desenho em permacultura. O padrão de desenho da
teia é claro, mas os desenhos sempre variam.
A modernidade tendeu a embaralhar qualquer bom senso ou intuição sistêmica que
podem ordenar a bagunça e opções de desenhos que nos confrontam de todos os
campos. O provérbio sobre não se ser capaz de ver a floresta como um todo, fixando a
visão nas árvores, lembra-nos que detalhes tendem a nos distrair de nossa atenção na
natureza do sistema. O problema em foco na complexidade do detalhe nos leva a
desenhar sistemas que são elefantes brancos e impressionantes, mas não funcionam,
ou "juggernautas"que consomem toda nossa energia e recursos, enquanto sempre
ameaçando fugir de controle. Sistemas complexos que funcionam, tendem a evoluir de
sistemas simples que funcionam, assim definindo padrões apropriados para o qual o
desenho é mais importante que o entendimento de todos os detalhes do elemento no
sistema. Reconhecimento de padrão é discutido em "Observe e interaja" e é um
precursor necessário para o processo de desenho.
Integrar ao invés de segregar.
"Juntos alcançamos mais."

Em todos os aspectos da natureza, de trabalhos internos do organismo a ecossistemas como


um todo, nós e as relações entre as coisas são tão importantes como as coisas por si só.
Então o propósito de um desenho de auto-regulação e funcional é de alocar elementos de tal
maneira que cada um sirva as necessidades e aceite aos produtos de outros elementos”
O ícone deste principio pode ser visto como uma visão de cima de um círculo de
pessoas/elementos formando um sistema integrado. O espaço aparentemente vazio
representa o sistema abstrato completo que tanto aparece da organização dos elementos
mas também dá a eles forma e caráter.
Na literatura de permacultura e ensino, duas declarações são centrais no desenvolvimento de
uma atenção da importância das relações no desenho de sistemas auto-sustentáveis.
!Cada elemento tem muitas funções;
!Cada função importante é suportada por muitos elementos.
A ligação e relação entre elementos de um sistema integrado podem variar bastante. Alguns
podem ser predatórios e competitivos, enquanto outros são cooperativos e mesmo
simbióticos. Todos esses tipos de relações podem ser benéficos na construção de sistemas
ou comunidades fortes e integradas, mas em permacultura a ênfase recai sobre a construção
de relações mutuamente benéficas e simbióticas baseados nas crenças de que:
!Nossa disposição cultural de ver e acreditar em predação e competição e descontar
relações cooperativas e simbióticas na natureza e cultura; e
!Relações cooperativas e simbióticas serão mais adaptativas em um futuro onde se
vislumbra declínio na energia.
Permacultura pode ser vista como parte de uma longa tradição de conceitos no mundo
moderno que enfatiza relações mutualísticas e simbióticas em lugar de relações competitivas
e predatórias. O declínio da disponibilidade de energia vai mudar a percepção geral desses
conceitos como idealismo romântico para necessidade prática.
Use Soluções Pequenas e Lentas
"Pequeno é bonito, lento é são"
"Devagar e sempre ganha a corrida"

O desenho em espiral da casa da lesma é suficiente pequena para ser carregada nas
suas costas mas é capaz de crescimento. Com seu pé lubrificado a lesma facilmente e
deliberadamente transpõe qualquer terreno. Apesar de ser detestado por jardineiros, a
lesma é um ícone apropriado para o principio de pequena escala e velocidade baixa.
Sistemas deveriam ser desenhados pra desempenhar funções na menor escala que é
prática e eficiente em energia para aquela função. Velocidade de movimento de
materiais, pessoas ( e outros seres vivos) entre sistemas devem ser minimizados. Pela
redução da velocidade, movimento total é reduzido aumentando a energia disponível
para auto-suficiência e autonomia do sistema.
Escala e capacidade humana devem ser a medida para uma sociedade humana,
democrática e sustentável. Sempre que fazemos qualquer coisa de natureza auto-
suficiente, de produzir alimento a consertar um equipamento quebrado a manter nossa
saúde, nós estamos fazendo uso eficiente e poderoso deste princípio. Sempre que
compramos de negócios pequenos e locais ou contribuímos para os assuntos de nossa
comunidade e ambiente, estamos também aplicando estes princípios.
Use e Valorize a Diversidade
"Não coloque todos os seus ovos numa cesta só"
"A chave para o remendo inteligente é guardar toda as peças"
Aldo Leopold

O bico longo e a capacidade de permanecer em um mesmo lugar do beija-flor são


perfeitos para sugar o néctar de flores estreitas e compridas. Esta admirável adaptação
co-evolucionária simboliza a especialização da forma e função na natureza.
É a grande diversidade de formas, funções e interações na natureza e humanidade que
são a fonte da complexidade sitemica evoluída. O papel e valor da diversidade na
natureza, cultura e permacultura é em si mesma complexa, dinâmica e ás vezes
aparentemente contraditória. Diversidade necessita ser vista como resultado do balanço
e tensão na natureza direcionados para variedade e possibilidade de um lado e
produtividade e poder do outro lado.
Há atualmente grande reconhecimento de que monocultura (o crescimento de culturas
agrícolas e florestais em grandes estandes de uma única variedade de uma só espécie)
é a principal causa da vulnerabilidade à pestes e doenças e, portanto o largo uso de
químicos tóxicos e energia para controlá-los. Policulturas (produção de várias plantas
e/ou espécies animais dentro de um sistema integrado) em contraste com a
monocultura é uma das mais importantes e amplamente reconhecidas aplicações do
uso da diversidade, mas de forma alguma é a única.
Diversidade entre sistemas cultivados para refletir a natureza única do local, situação e
contexto cultural e diversidade de estruturas, tanto vivas e construídas são aspectos
importantes deste princípio como é a diversidade dentro de espécies e populações
incluíndo comunidades humanas.
Utilize Margens e Valorize o Marginal.
"A ação está nas margens"

O ícone do sol vindo sobre o horizonte da paisagem, com o rio no plano de fundo nos
mostra o mundo formado de fronteiras.
Nas tradições espirituais orientais e nas artes marciais a visão periférica tem um sentido
crítico que nos conecta com o mundo de maneiras bastante diferentes da visão focada.
Este princípio nos lembra de manter a tenção e fazer uso das margens e fronteiras em
todas as escalas em todos os sistemas. Qualquer que seja o objeto de nossa atenção,
nós precisamos lembrar que é na margens de qualquer coisa , sistema ou meio que os
mais interessantes eventos tem lugar e que desenhos que vêm margens como uma
oportunidade, ao invés de problema têm mais possibilidade de serem bem sucedidos e
adaptáveis. No processo nós descartamos as conotações negativas associadas com a
palavra marginal para ver o valor nos elementos que contribuem apenas perifericamente
para a função ou sistema.
Utilize e Responda à Mudança Criativamente.

"Tudo evolui, é sucedido, mas nunca volta (de novo)"

A borboleta que é a transformação da lagarta é um ícone apropriado para a idéia de


mudança adaptativa que causa enlevo e não ameaça.
A aceleração da sucessão ecológica dentro de sistemas cultivados é a expressão mais
comum deste princípio na literatura e prática de permacultura. Estes conceitos foram
também aplicados ao entendimento de como as mudanças organizacional e social podem
ser encorajadas criativamente. Assim como utilizando um mais amplo contexto de
modelos ecológicos para como nós podemos fazer uso da sucessão eu agora vejo isto
num contexto mais amplo sobre nossa utilização e resposta à mudança.
Este princípio é sobre como nós desenhamos para fazer uso da mudança de uma forma
deliberada e cooperativa, e respondemos criativamente ou adaptamos às mudanças do
sistema em maior escala, que estão além de nosso controle ou influência. Em
"Permaculture One" nós ponderamos que apesar da estabilidade ser um aspecto
importante da permacultura, mudança evolucionária seria fundamental. . Permacultura diz
respeito a permanência e durabilidade de sistemas vivos naturais e a cultura humana,
mas esta durabilidade depende paradoxalmente em grande parte de flexibilidade e
mudança.