P. 1
As emoções

As emoções

4.74

|Views: 39.836|Likes:
Publicado porPedro Moreno
Apresentação elaborado por Pedro Vitória para a disciplina de Psicologia B do 12º ano, sobre os processos emocionais
Apresentação elaborado por Pedro Vitória para a disciplina de Psicologia B do 12º ano, sobre os processos emocionais

More info:

Published by: Pedro Moreno on Apr 21, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial Share Alike

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF or read online from Scribd
See more
See less

07/28/2013

pdf

original

As emoções

Os processos emocionais: Emoções, afectos e sentimentos Pedro Vitória

Pedro Vitória

As emoções
• As emoções são um elemento muito importante no comportamento humano; • Tente ver quais são as expressões emocionais em cada uma das imagens que se seguem; • É uma forma de avaliarmos a nossa capacidade de avaliação das emoções dos outros.

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 1. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 2. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 3. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 4. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 5. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 6. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Avaliar as emoções dos outros
Soluções

• Figura 7. • Que emoção é exprimida neste rosto?

Pedro Vitória

Adaptado da revista Visão

Avaliar as emoções dos outros
• Figura 1.
– Alegria; Soluções

• Figura 2.
– Surpresa

• Figura 5.
– Medo;

• Figura 3.
– Aversão, nojo;

• Figura 6.
– Tristeza;

• Figura 4.
– Raiva, ódio;

• Figura 7.
– Desprezo;

Pedro Vitória

As emoções

• O que podemos entender por os afectos, as emoções e os sentimentos?

Pedro Vitória

Definição de afectos
Afectos

• O afecto é aquilo que nos põe em movimento, é um espaço de acolhimento daquilo que nos afecta. • Os afectos exprimem-se através de emoções e são organizados pelas experiências emocionais repetidas.

Pedro Vitória

Definição de afectos

Afectos

• Os afectos são uma predisposição inata que emerge nas emoções e são organizados por elas; • Os afectos são resultado das primeiras experiências significativas, mais frequentemente com pessoas, mas também com ambientes e ideias. • Ao afeiçoarmo-nos, afectamo-nos. O amor liga as pessoas, mas o ódio é também uma forma de ligação intensa.
Pedro Vitória

Definição de afectos

Afectos

• Na presença de alguém, cada um de nós perturba o outro e é por ele perturbado, afectado, de uma forma agradável ou desagradável; • Esta perturbação está intimamente ligada à relação com as figuras do passado; • O afecto está ligado ao passado, à memória de acontecimentos que ocorreram na relação com pessoas importantes para nós.
Pedro Vitória

Definição de emoções

Emoções

• As emoções são reacções a acontecimentos, surgem subitamente e têm uma duração breve. Não estávamos emocionados e, de repente, estamos. • Despertam em situações novas, insólitas, inesperadas. • As emoções manifestam-se acompanhadas de reacções fisiológicas.
Pedro Vitória

Definição de emoções

Emoções

• As emoções têm funções comunicativas, ou seja, estão ao serviço das relações humanas, enquanto que os afectos são o resultado dessas relações. • As emoções relacionam-nos com o mundo todo. Alargam a nossa percepção do mundo. • A emoção está ligada a situações presentes ou futuras, com uma forte componente comunicacional e fisiológica.
Pedro Vitória

Definição de sentimentos

Sentimentos

• O sentimento é algo com que se anda. Andamos tristes ou andamos alegres. • Os sentimentos distinguem-se das emoções porque se prolongam no tempo. • São um estado interior de carácter privado, enquanto as emoções são públicas e dirigidas para o exterior.
Pedro Vitória

Definição de sentimentos

Sentimentos

• Os sentimentos são acessíveis à consciência, ao contrário dos afectos que, na sua maioria, são inconscientes. • Não é possível observar um sentimento nos outros a não ser pelos sinais que indicam os sentimentos de alguém. Ao contrário, a maior parte das emoções são claramente identificáveis.
Pedro Vitória

Os sentimentos

Sentimentos

• Os sentimentos são o resultado da modelagem dos afectos e das experiências emocionais. • Não necessitam de um objecto que os acorde, como no caso dos afectos, acompanham-nos ao longo do tempo e são de intensidade média.

Pedro Vitória

Componentes da emoção
• Sejam quais forem as respostas de natureza emocional, elas implicam os seguintes elementos essenciais:
• • Reacções fisiológicas e comportamentais; Reacções expressivas.

Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções fisiológicas

Reacções fisiológicas
Toda a gente se apercebe das alterações orgânicas que as pessoas manifestam. Qualquer que seja a emoção, faz-se sempre acompanhar de uma série de reacções corporais ou fisiológicas.

Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções fisiológicas
Lista de reacções fisiológicas
1. Respiração ofegante. O ritmo respiratório intensifica-se 2. Tremuras musculares. 3. Modificação da cor do rosto, como rubor ou palidez. 4. Dilatação das pupilas. 5. Aceleração do ritmo cardíaco. 6. Aumento da pressão arterial 7. Decréscimo da secreção salivar, provocando secura na boca e na garganta 8. Libertação de açúcar, o que incrementa a energia 9. Reacções pilomotoras (pele de galinha) 10. Alterações na resistência eléctrica da pele. 11. Alterações na composição química do sangue. 12. Alterações ou mesmo paragem da digestão. 13. Estimulação das glândulas endócrinas, designadamente das supra-renais, que segregam adrenalina e noradrenalina, hormonas excitantes (secção simpática)

Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções fisiológicas
• Polígrafo,
processo usado para avaliar a excitação nervosa através de alterações respiratórias, pressão arterial e sudação, está na base do detector de mentiras. •

- Algumas alterações são óbvias e são observadas externamente. - Outras, mais subtis, podem ser detectadas por um polígrafo (detector de mentiras)

O operador do polígrafo faz uma série de perguntas ao sujeito, sendo algumas relevantes para o caso e outras não. O pressuposto é de que o aumento da excitação nervosa revela que o sujeito está a mentir, infelizmente, muitas pessoas inocentes também se enervam. Pedro Vitória

Reacções fisiológicas
• O que desencadeia a reacção visceral é a actividade do sistema nervoso autónomo. (com o hipotálamo e a amígdala) O sistema nervoso autónomo é responsável pela reacção de luta ou de fuga altamente emocional provocada, em grande parte, pelas glândulas supra-renais que libertam hormonas no sangue.
Pedro Vitória

• •

Reacções fisiológicas
• O que controla as reacções autónomas que acompanham as emoções são as estruturas do cérebro. O hipotálamo, a amígdala e as estruturas do sistema límbico e suas adjacentes - tálamo, hipocampo (memória emocional), giro cingulado, córtex orbitofrontal, são considerados, há muito tempo, o centro das emoções no cérebro.
Pedro Vitória

Reacções fisiológicas

A destruição experimental das amígdalas faz com que o animal se torne dócil, sexualmente indiferente, afectivamente descaracterizado e indiferente às situações de risco. Pelo contrário, a estimulação eléctrica das amígdalas cerebrais provoca crises de violenta agressividade.
Pedro Vitória

Reacções fisiológicas

As avaliações cognitivas dos acontecimentos, fundamentais nas emoções, dependem de processos mentais superiores que se dão no córtex cerebral, nomeadamente na área préfrontal. Quando se praticava a lobotomia pré-frontal para tratamento de certos estados psiquiátricos, os doentes entravam num estado de "bloqueio afectivo", nunca mais evidenciando qualquer sinal de alegria, tristeza, ou qualquer outra manifestação de afectividade.
Pedro Vitória

Reacções fisiológicas

Pedro Vitória

Reacções fisiológicas

Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções expressivas

As emoções traduzem-se por uma atitude corporal que se exterioriza por gestos, pelo olhar, pela voz e por determinados sinais do rosto que permitem às pessoas reconhecer a emoção por que dado sujeito está a passar.
a) felicidade; b) raiva; c) tristeza; d) surpresa; e) repúdio; f) medo (Feldman). Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções expressivas

• •

As pessoas de todo o mundo comunicam emoções básicas com base nas expressões faciais. Os seres humanos, animais sociais por excelência, exibem uma gama muito extensa de expressões faciais. Os nossos músculos faciais respondem muito facilmente às emoções. Vitória Pedro

Componentes da emoção Reacções expressivas

• • •

O Schlosberg fez um estudo em que pedia às pessoas que dissessem a emoção presente em cada fotografia. Verificou que as expressões faciais podem ser identificadas com bastante rigor. as emoções correspondentes podem-se agrupar em função de três directrizes:
• • • Emoções que remetem para o par agradável-desagradável (AD). Emoções que se reportam ao par rejeição-aproxirnação (RA). Emoções que se agrupam em função da intensidade, do nível de activação.
Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções expressivas

Podemos, então, organizar esta componente expressiva em função de três dimensões: Agradável / desagradável - a alegria é agradável, enquanto que o medo e a raiva não o são; Atenção / rejeição - as pessoas prestam atenção àquilo que lhes interessa ou surpreende, enquanto que rejeitam aquilo que lhes desagrada ou inquieta; Intenso / neutro - a maioria das emoções pode ser forte ou branda; por exemplo, podemos sentir alegria (que é intensa) ou contentamento, forma mais branda dessa emoção.
Pedro Vitória

• •

Esquema para uma organização gráfica de uma classificação das emoções

- No eixo vertical, os rostos revelam diferentes graus de agradável-desagradável(A-D). - No eixo horizontal, os rostos mostram diferentes graus de aproximação-rejeição(A-R). - Nos limites dos eixos aparecem as expressões mais intensas e, no centro, agrupam-se as mais neutras.

Pedro Vitória

Componentes da emoção Reacções expressivas

Pedro Vitória

Características para reconhecer uma emoção elementar

• • • • • •

Para ser uma "emoção elementar", deve ter os seguintes critérios: Começar subitamente. Durar pouco. Distinguir-se de outras emoções. Haver uma expressão facial universal em todos os humanos. Ser desencadeada por situações universais. Ser observável nos nossos primos primatas.
Pedro Vitória

As funções da emoção

Salvaguardar o património genético da espécie - têm um valor adaptativo, permitem garantir a sobrevivência da espécie e comunicar estados necessários ao equilíbrio e bem-estar individual e social (Darwin); Ajudar-nos a aprender - podem ter um papel importante na aprendizagem, é expressando emoções que ensinamos as crianças a interiorizar valores e regras sociais, ajudando-as no processamento de informações e de relações;
Pedro Vitória

As funções da emoção

Preparar-nos para a acção - relacionam os estímulos do meio externo com as respostas comportamentais. Assim, se um cão enraivecido se dirige a nós, a resposta emocional activa o sistema nervoso simpático que nos prepara para essa situação de emergência e que nos faz fugir; Moldar o nosso comportamento futuro - levam-nos a aprender informação que orienta as respostas apropriadas futuras. Por exemplo, a reacção emocional que ocorre quando uma pessoa experimenta algo desagradável - como o cão ameaçador - ensina a evitar situações semelhantes no futuro;
Pedro Vitória

As funções da emoção

Ajudar-nos a regular a interacção social - permitem uma compreensão melhor do nosso comportamento e do dos outros. A expressão das emoções é uma forma de comunicação intensa, promovendo uma interacção social mais eficaz e apropriada. Por exemplo, ao percebermos que um comentário feriu a sensibilidade de uma pessoa, evitamos repeti-lo no futuro. Ajudar-nos a tomar decisões - António Damásio chamou a atenção para a importância das emoções na tomada de decisões. A análise lógica, meramente racional, só permite analisar as alternativas, pensar nas consequências, imaginar esquemas de acção, mas não escolher. São as emoções que definem e seleccionam as escolhas a realizar.
Pedro Vitória

Universalidade das emoções

O conceito de universalidade das emoções foi corroborado pelos inquéritos que Paul Ekman organizou a nível internacional; Implicando pessoas de culturas diferentes, apresentou fotografias com expressões faciais diferentes a sujeitos pertencentes a várias culturas, pedindo-lhes que identificassem a emoção vivida por cada pessoa fotografada. Desde brasileiros a japoneses, as pessoas inquiridas tendiam a reconhecer as emoções nas fotografias, identificando-as de modo semelhante. Pedro Vitória

Universalidade das emoções
• Carroll Izard analisou expressões faciais de bebés é fácil descobrir de que emoção se trata ainda não se faz notar a influência do meio sociocultural .

Pedro Vitória

Diversidade das emoções


Os significados dos gestos variam com as culturas.
Ainda que as culturas compartilhem uma linguagem facial universal, diferem no modo e na intensidade com que a usam. – Nas culturas que encorajam a individualidade, como é o caso da Europa Ocidental, as expressões emocionais costumam ser intensas e prolongadas. As pessoas concentram a atenção nos seus próprios objectivos e atitudes e expressam-se de acordo com isso.
Pedro Vitória

Diversidade das emoções

Os significados dos gestos variam com as culturas.
– Na Ásia e noutras culturas em que a ênfase se coloca nas relações de interdependência social, a exteriorização de emoções como a simpatia, o respeito e a vergonha são mais usuais que no Ocidente. Mais ainda, os asiáticos quase nunca exprimem os sentimentos que acentuem a importância do eu ou que sejam negativos e possam, portanto, prejudicar o sentimento comunitário dos grupos fortemente unidos.
Pedro Vitória

As emoções

FIM
Baseado e adaptado de: Maria Antónia Abrunhosa, Miguel Leitão, Psicologia B, Ed. Asa, 2007 Catarina Pires, Lucinda Azevedo, Sara Brandão, Psicologia B, Areal Editores, 2007 Maria do Rosário Reis lima, Maria João Leite de Castro, A Psicologia e a Vida, Porto Editora, 2007

Pedro Vitória

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->