Você está na página 1de 22

1

O Canto e Suas Técnicas


por Marivone Lobo

Relaxamento

Antes de cantar, muitas pessoas se lembram de checar a postura, respiração,


fazem o aquecimento da voz, mas se esquecem do elemento mais importante para
se cantar bem: o RELAXAMENTO.
Em nossa rotina diária, em muitos momentos nos vemos incapazes de
expressarmos nossas emoções e isso se transforma em energia acumulada, ou
seja, nós ficamos tensos. Essas tensões vão se acumulando no nosso corpo, em
muitas pessoas nos ombros e pescoço. Temos, então, duas opções: liberar essas
tensões através de exercícios de relaxamento ou deixá-las se acumularem nos
músculos.
É importante lembrar que não cantamos apenas com a voz; cantamos também
com nosso corpo. A melhor maneira para relaxar a voz, é relaxar o corpo.
Para isso, estarei sugerindo alguns exercícios:

PESCOÇO:

1. Movimente sua cabeça em círculos. Gire lentamente para um lado e depois


para o outro. Faça três vezes para cada lado;
2. Agora, deite a cabeça no ombro esquerdo e com a mão esquerda, segure a
cabeça nessa posição durante quinze segundos. Faça o mesmo para o lado
direito;
3. Abaixe a cabeça, encostando o queixo no peito; cruze as mãos e coloque na
parte de trás da cabeça. Fique assim por quinze segundos;
Desta forma, você estará alongando os músculos do pescoço e da nuca.

OMBROS:

1. Deixe os braços relaxados e comece a girar os ombros lentamente para


trás(cinco vezes) e depois para frente(cinco vezes).
2. Tente encostar os ombros nas pontas das orelhas; fique assim por quinze
segundos e depois relaxe. Repita três vezes esse exercício.

OBSERVAÇÕES:

• Use o bom senso! Mova-se com cuidado e devagar em cada exercício, vá no


seu próprio ritmo;
• Não force nem se machuque tentando relaxar. Se você tem algum problema
nas costas ou qualquer outro problema de saúde, consulte o médico antes de
praticar qualquer tipo de exercício físico.

Depois de muitos anos de estudos e pesquisas sobre a origem desta nossa mini-
orquestra que é o violão, decidi então em 1985 ir para a Espanha, pois queria viver
2
com detalhes e pessoalmente todo o caminho percorrido pela mesma até chegar ao
Violão e a Guitarra moderna.

Aquecimento

Nessa aula, iremos falar sobre aquecimento. Depois de estarmos relaxados, vamos
sempre aquecer a voz antes de um ensaio ou apresentação. Assim como um atleta
se prepara aquecendo o corpo antes de uma corrida, quem canta deve se preparar
aquecendo sua voz antes de cantar.
Para isso, faremos alguns exercícios vocais. Vamos trabalhar com algumas escalas
e com as vogais. Daí o termo "vocalize". As consoantes também são necessárias
pois quando são bem pronunciadas vão nos ajudar a trabalhar nossa dicção.
Preste muita atenção em como pronunciar as sílabas, palavras e frases. É muito
importante que as pessoas que nos ouvirem cantar, entendam exatamente o que a
letra da música diz, pois é através da letra que vamos passar a mensagem que a
música traz. Principalmente no nosso caso, que não cantamos uma música
qualquer; cantamos músicas que tem uma mensagem que pode mudar a vida das
pessoas; muitas vezes Deus usa a música para preparar os corações daqueles que
nos ouvem para dar o "recado" que Ele tem para elas naquele dia. Portanto, de
agora em diante, preste muita atenção naquilo que você canta e como está
cantando. Todos estão te entendendo?
Voltando aos exercícios, é preciso que você tenha um teclado ou violão para lhe
auxiliar na hora de fazer as escalas. O ideal é alguém tocar as escalas para que
você fique preocupado apenas em cantar. Você também pode gravar algumas
escalas numa fita cassete e fazer os exercícios quantas vezes achar necessário.
Lembre-se que você está apenas aquecendo sua voz portanto, não é preciso
colocar muito volume nos exercícios.
Aqui estão algumas sugestões de vocalizes que você pode usar no seu
aquecimento:

Exercício 1:

NOTAS dó mi sol mi dó dó# mi#(fá) sol# mi#(fá) dó# ré fá# lá fá# ré


VOGAIS i i ó ó i i i ó ó i i i ó ó i

Exercício 2:

NOTAS do ré mi fá sol fá mi ré dó do# ré# mi#(fá) fá# sol# fá# mi#(fá) ré# dó#
VOGAIS i i i i ó ó ó ó i i i i i ó ó ó ó i

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

• A vogal "o" deve ser cantada "ó";


• Comece os exercícios no "dó" central do teclado e vá até o próximo "dó";
assim você estará cantando uma oitava. No aquecimento não é necessário
cantar mais que uma oitava.

3
• Lembre-se: você está preparando a sua voz para cantar; portanto NÃO
EXAGERE!
Dessa aula em diante, você vai perceber que é muito importante o
acompanhamento de um profissional que possa lhe auxiliar. Por isso, invista em
você! Procure um professor de canto para se aperfeiçoar.

Dicas para cuidar da voz

Existem alguns cuidados que devemos ter para preservar o nosso instrumento.
Vamos listar abaixo algumas maneiras para cuidar da nossa voz:
• Não gritar, falar muito ou cochichar. Muitas pessoas acham que se
cochicharem ao invés de falar alto, estarão preservando a voz. Isso é um
grande engano, pois quando cochichamos, submetemos nossas cordas
vocais a um grande esforço, provocando muitas vezes um desgaste maior do
que se conversarmos normalmente.
• Evitar ambientes muito secos. O uso constante de ar condicionado provoca o
ressecamento das cordas vocais. Com isso, a voz é produzida com muito
mais esforço e tensão.
• Não tome remédios sem indicação médica. Muitas vezes, ao primeiro sinal de
rouquidão, dor ou inflamação na garganta, tomamos o primeiro remédio que
algum amigo indica. Pastilhas, balas e sprays apenas "mascaram" a dor,
podendo esconder um problema mais sério. Ao primeiro sinal de dor na
garganta ou rouquidão por mais de uma semana, procure um
otorrinolaringologista de sua confiança.
• Beba bastante água. As cordas vocais devem estar sempre hidratadas. Beba
pelo menos, dois litros de água por dia. Quanto à temperatura, prefira sempre
água natural, pois se estiver muito gelada, poderá causar irritação, além de
diminuir a elasticidade das cordas vocais.
• Nunca cante doente! Lembre-se que não cantamos só com a garganta,
cantamos com todo o corpo. Quando cantamos, há um esforço natural e com
isso, gastamos energia. Espere estar totalmente recuperado para voltar a
cantar.
• Alergia. No caso de ser alérgico, procure evitar pó, mofo e cheiros muito
fortes. Procure um otorrinolaringologista e faça um tratamento para alergia.
Siga corretamente as orientações médicas para que assim você consiga
evitar crises alérgicas, ou pelo menos, diminuir a freqüência com que elas
ocorrem. Se tiver que cantar em crise, você poderá sentir dificuldade nas
notas mais agudas e terá uma menor agilidade vocal.
• Coma maçã! A maçã possui propriedades adstringentes que auxiliam na
limpeza da boca e da faringe, o que favorece uma voz com melhor
ressonância.
• Use roupas confortáveis. Quando for cantar, evite usar roupas apertadas,
principalmente na região do pescoço e cintura, pois isso irá dificultar sua
respiração.

Respiração

4
A respiração está extremamente ligada ao ato de cantar, pois a voz é produzida
quando o ar passa pelas cordas vocais, fazendo-as vibrar e produzir som. Não basta
encher os pulmões de ar para cantar. Temos que saber controlar a saída do ar,
aprender a respirar corretamente. Saber respirar é um grande passo para cantar
bem.
Algumas vezes, encontramos uma certa dificuldade para respirar enquanto
cantamos (uma música muito rápida por exemplo) pois temos pouco tempo para
respirar. Portanto, temos que desenvolver a capacidade de respirar em um curto
espaço de tempo. Apesar de a inspiração nasal ser melhor, pois o ar é filtrado,
aquecido e umedecido antes de chegar aos pulmões, a respiração deve ser naso-
bucal (pelo nariz e pela boca combinados). Então, não se preocupe em respirar só
pelo nariz ou só pela boca. Use os dois. O importante é deixar o maior espaço
possível para que a passagem de ar seja feita em menos tempo.
A voz e a respiração estão extremamente ligadas. Quando falamos em respiração,
não podemos nos esquecer do diafragma. Esse "famoso" músculo que separa a
cavidade torácica da abdominal, muito nos auxilia na inspiração (entrada de ar nos
pulmões) e na expiração (saída de ar dos pulmões).
Durante a inspiração, o diafragma se contrai para baixo, dando mais espaço para a
entrada de ar nos pulmões. Na expiração ele volta para sua posição normal.
Quando cantamos, nosso objetivo deve ser o de manter o diafragma em baixo, pois
isso nos auxiliará no controle da saída de ar. É importante que saibamos usar
corretamente o diafragma durante a respiração para não sobrecarregarmos as
cordas vocais.
Antes de apresentarmos alguns exercícios, lembre-se de fazer os exercícios de
relaxamento que vimos na aula 1.

Exercícios:
• Em pé, coloque as mãos no ventre, abaixo do umbigo, e inspire lentamente.
Se você estiver trabalhando com o diafragma, você notará uma pequena
saliência no abdômen (a barriga "enche" de ar). Expire lentamente
controlando a saída do ar.
• Inspire novamente e expire em forma de S... (o som deve ser o mesmo de um
pneu vazando ar). Procure manter o som reto. Para isso, lembre-se de usar o
apoio do diafragma e não deixe que o ar saia de uma vez. Calcule o tempo
que você permanece soltando o ar sem inspirar. Comece com 5 segundos e
vá aumentando gradativamente.
• Faça o mesmo exercício nas formas: F... e CH...

Cantar em Público

Já falamos sobre relaxamento, aquecimento, respiração... Agora chegou a


hora de aplicarmos tudo isso! Muitas pessoas ficam esperando a hora certa para
começar a cantar em público. Acredito que deve-se conciliar o que se aprende nas
aulas com a prática. Não existe nenhuma barreira entre "estudar" e "cantar em
público". Essas duas atividades se complementam. Cantar só se aprende
cantando...

5
Quando você canta em público, você vive uma situação completamente
diferente das aulas. Durante as aulas, é o momento de tirar dúvidas, repetir
exercícios, experimentar novos arranjos, etc. Na hora da apresentação, uma nova
situação se estabelece: você tem um público à sua frente, tem o equipamento de
som, técnicos, músicos. Portanto, esse é o momento de aplicar o que foi visto nas
aulas e obter experiência.
Cante aquilo que você realmente acredita. Mais do que a técnica, o público
estará recebendo uma mensagem através de você. Tenha consciência das palavras
que estão saindo da sua boca. Tenha calma e aceite os seus limites. Lembre-se que
você poderá se aperfeiçoar cada dia mais e com o tempo, não precisará mais ficar
preocupado com a respiração e a técnica. Sua única preocupação será com a
mensagem que a música trará através de você. Daí a importância de levar o estudo
a sério, se dedicar as aulas, fazer sempre os exercícios, cuidar da voz.
Por isso, invista nos seus estudos de técnica vocal. Lembre-se que, acima de
tudo, nós não cantamos apenas para um público; nós cantamos para um Deus que
é digno do nosso melhor.

Algumas dicas:
• Se tiver ensaio antes da apresentação, não exagere cantando ou falando
demais;
• Faça um bom relaxamento ;
• Aqueça sua voz suavemente com vocalizes e exercícios respiratórios;
• Esteja integrado com a equipe de músicos, técnicos, etc;
• Não se esqueça de beber água após a apresentação para se reidratar.

Fisiologia da voz
]
Todos nós usamos a voz o tempo todo, mas a maioria das pessoas não tem
idéia de como a voz é produzida. Não é minha intenção fazer um estudo profundo
sobre a fisiologia da voz, mas sim dar uma noção básica de como a voz é produzida.

Aparelho Fonador

A voz é produzida quando o ar que sai dos pulmões, passa pelas cordas
vocais fazendo-as vibrar. Apesar de usarmos esse termo “cordas vocais” elas não
são cordas como de um violão, mas são duas pregas de mucosa com musculatura,
localizadas na laringe.

Aparelho Ressonador

Se um guitarrista tocar uma guitarra sem que ela esteja ligada a um


amplificador (caixa de som), certamente nem ele mesmo conseguirá ouvir o que
está tocando. O mesmo acontece com a nossa voz. O som que é produzido pela
passagem de ar pelas cordas vocais, é um som muito insignificante. Por isso, é
necessário que se encontre áreas de ressonância para se amplificar esse som.
Os ressonadores são muitos, mas os principais são: cavidade torácica,
cavidades na base do crânio, faringe, cavidades bucais e cavidades da face.

6
A região de ressonância facial também é conhecida como “máscara”. O termo
“voz de máscara” quer dizer cantar utilizando os ressonadores da face.
Portanto, é muito importante aprender a usar o aparelho ressonador para não
forçar as cordas vocais. Agora você já sabe que o som não vem da garganta, mas
sim dos ressonadores.

Articuladores

A função dos articuladores é a de receber o som das cordas vocais e levá-lo ao


aparelho ressonador. São eles: língua, lábios, palato duro (céu da boca), palato
mole, dentes e mandíbula inferior.

Exercício para perceber o movimento do palato mole


• Vá para frente de um espelho;
• Inspire;
• Emita a vogal “A” passando em seguida para “Am”;
Faça esse exercício várias vezes dentro de uma respiração para perceber que o
movimento do palato mole no “A” é para trás e a saída de ar é pela boca; o
movimento do palato mole no “Am” é para frente e a saída de ar é pelo nariz.

Postura

"Cerca de dois terços da comunicação humana é não-verbal, transmitida por


meio de gestos de mão, expressões faciais ou outras formas de linguagem. A
boa imagem corporal começa com a postura - o modo como você se
posiciona."
(Extraído do livro: Sucesso profissional- Como fazer apresentações - pág. 40 -
Publifolha)

Geralmente, quando falamos em postura, logo nos vem à mente aquela


imagem de um soldado totalmente rígido.
Ter uma boa postura na hora de cantar é essencial para se ter uma boa
produção vocal. Mas isso não tem nada a ver com rigidez. Na verdade, a boa
postura vai nos auxiliar na hora da respiração. Como já vimos, para cantar
trabalhamos com vários músculos abdominais, diafragma, etc. Portanto, devemos
fazer com que a postura não seja uma barreira na hora da respiração.
Devemos procurar manter o equilíbrio do corpo. Para isso:
• os pés devem estar ligeiramente afastados, dividindo assim o peso do seu
corpo;
• os braços relaxados e soltos;
• as costas eretas;
• os ombros relaxados, eretos e para trás (sem exagero);
• o pescoço deve estar relaxado. Cuidado para não colocá-lo para frente nem
para trás, pois isso irá interferir diretamente na emissão da voz;
• a cabeça também deve estar ereta. Uma boa dica é fazer com que seu olhar
esteja paralelo ao chão (não olhar para cima nem para baixo); imagine um
ponto na parede na altura de seus olhos; essa é a postura correta.
Todas essas orientações foram dadas partindo do princípio de que você estará
cantando em pé, que é a melhor forma. Mas cantores altamente treinados
7
conseguem cantar praticamente em qualquer posição. Basta observar os musicais,
onde cantores precisam representar enquanto cantam (dançando, caminhando etc).
Para treinar sua postura e evitar os vícios mais comuns, faça uma experiência
gravando seus ensaios e treinando em frente a um espelho.

Vocalizes

Os vocalizes têm várias funções; uma delas é de aquecimento vocal (como


vimos na aula 2), mas também são usados para trabalharmos com afinação, dicção,
dinâmica, etc.
Nessa aula, apresentarei três exercícios de vocalizes que foram baseados no
livro"Secrets of singing" de Jeffrey Allen, e você poderá fazê-los com a ajuda de um
teclado ou violão.
Não se esqueça de fazer a respiração correta durante os exercícios.

Observações:
• Faça um relaxamento antes de começar os exercícios;
• Cada exercício deverá ser realizado subindo de meio em meio tom até a
oitava seguinte;
• Se no início você sentir que está fazendo muito esforço para chegar até a
oitava, faça apenas os primeiros tons;
• O exercício 2 é ótimo para trabalhar com o diafragma. Inspire apenas no
início do exercício e vá soltando o ar aos poucos. Inspire novamente só na
hora de subir o tom. Outro detalhe importante é o ponto embaixo da cabeça
de cada nota: chama-se staccato e significa que deve-se interpretar cada
nota "destacando" o som (o tempo fica pela metade).
8
• Outro aspecto importante é o uso do "Metrônomo", aparelho utilizado para
marcar o andamento do exercício ou de uma música. Está representado pelo
símbolo:

Nessa aula, vamos dar continuidade aos exercícios de vocalizes que vimos na aula
8. As instruções e as observações são as mesmas da aula anterior.

Exercício 04

Exercício 05

Exercício 06

* Nesse exercício, vamos utilizar uma técnica chamada "boca chiusa". Você deverá
realizar esse exercício com a boca fechada, mas os dentes não podem estar
cerrados.

Exercícios de Respiração

Essa aula é uma continuação da aula 4, onde falei sobre respiração. Antes de
começar os exercícios, lembre-se:
• Inspire sem levantar os ombros; imagine que apenas a base do pulmão está
sendo inflada.
• Durante os exercícios, não vamos trabalhar apenas com o diafragma, mas
também com os músculos abdominais e intercostais. Quando trabalhamos
com esses músculos, temos condições de armazenar uma maior quantidade
de ar pois, as costelas se afastam, o diafragma desce, aumentando a
cavidade torácica para os lados e para baixo.
• Mantenha a postura adequada (aula 7).
• Faça no mínimo 3 vezes cada exercício.
9
Exercício 1
1. Inspire;
2. Pausa (retenha o ar por 2 ou 3 segundos);
3. Expire suavemente, os lábios em posição de assobio, fazendo com que a
saída de ar seja o mais constante possível.

Exercício 2
1. Inspire;
2. Pausa;
3. Expire com um sopro longo e forte (como se fosse apagar uma vela). Não
deixe o ar sair todo de uma só vez, controle a saída do ar.

Exercício 3
1. Inspire;
2. Pausa;
3. Expire soltando o ar em sopros curtos. Cuidado para não inspirar entre um
sopro e outro, use apenas o ar que você inspirou inicialmente.

Vamos dar continuidade aos exercícios que vimos na aula passada (aula 10).
As observações continuam as mesmas, ok?

Exercício 4:
1. Inspire;
2. Pausa;
3. Expire em "S". A saída do ar deve ser constante, sem oscilações. Não deixe o
ar sair todo de uma vez(imagine o som de um pneu esvaziando). Faça
também em : "F" e "CH"

Exercício 5:
1. Inspire;
2. Pausa;
3. Expire em sopros curtos, mas com o som de "ts", como se fosse uma
bombinha de encher pneu de bicicleta. (ts, ts, ts, ts,...) Controle o movimento
do diafragma.

Exercício 6:
1. Inspire;
2. Pausa;
3. Comece expirando com um sopro e transforme em "s". Tente fazer com que a
metade do ar que você inspirou, saia através do sopro e a outra metade saia
em "s".

Questões e Respostas sobre o estudo do canto


10
Quem pode estudar, ter talento etc.

Vários e-mails têm chegado para que eu responda sobre questões como:
• Minha voz é desafinada, como faço para corrigir esse mal?
• Quais são os pré-requisitos para que eu me torne um bom cantor (a)?
• Tenho vergonha de me apresentar para o público... isso é sinal que não tenho
o talento de cantar?

O estudo do canto é um trabalho que requer muita disciplina por parte do aluno,
porque o professor é simplesmente um orientador; não é o professor que fará o
aluno ter esse ou aquele talento ou ser um bom músico. Essa capacidade está na
força de vontade de cada um, utilizando da audição de cd's e vídeos e treinamentos
diários com a voz (vocalizes, exercícios de respiração e treino de repertório).
Devemos ter em mente que o caminho é longo, e que os resultados, principalmente
no início, são pouco visíveis (e audíveis); só com muito esforço e treino
conseguiremos quebrar barreiras como as descritas acima por alguns internautas.
Devemos ganhar conhecimento da correção do som (rítmo, afinação e
entonação) juntamente com a postura (ombros, costas etc.). Estando correta a
postura, fluirá com facilidade a voz, indo vibrar as caixas de ressonância nos seus
devidos lugares, adquirindo o brilho necessário.
Para aqueles que querem realmente cantar bem, um dos fatores importantes é o
estudo com um profissional da área (professor), e quando digo área, estou me
referindo ao estilo de música que se pretende trabalhar. Acredito que o
conhecimento de diversos estilos musicais (rock, reggae, samba, funk, blues, jazz,
música antiga entre outros) é de suma importância para que haja versatilidade em
gravações e acompanhamentos de grupos e cantores (as), e o profissional escolhido
deve ser um "expert" no assunto. Indicações e pesquisa junto a escolas de música,
faculdades e amigos que estão no ramo farão com que o estudante não faça a
escolha deste futuro professor errada (Provérbios 15:22: "Onde não há conselho,
frustram-se os projetos; mas com a multidão de conselheiros se estabelecem").
Não acredito na pessoa "desafinada" por falta de talento; acredito sim na falta de
uma educação apropriada desde a infância, na falta de qualidade musical de grande
parte da mídia (tv's e rádios, inclusive evangélicas) que bombardeiam nossos
ouvidos e mentes com uma pobreza cultural indescritível, acredito na falta de
vontade do futuro cantor em estudar e investir financeiramente nos estudos, seja
qual for sua renda financeira (Provérbios 2:6):
"Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca procedem o conhecimento e o
entendimento", acredito na falta de organização e despreparo das lideranças de
diversas denominações à respeito do trabalho musical em suas comunidades, onde
"qualquer um" pode cantar e tocar, seja ele preparado (musicalmente e
espiritualmente) ou não, enfim são diversos fatores que nos impedem e nos
bloqueiam para que façamos nosso trabalho da melhor maneira possível (Salmo 33:
3: "Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo").
Me coloco à disposição para que na medida do conhecimento que o Senhor está
me dando, possa auxiliar da melhor maneira possível.

11
Como estudar em casa

Nessa aula, estudaremos qual a melhor forma de desenvolver um estudo


diário em casa. Mais uma vez, é preciso lembrar que o ideal é que se tenha a
orientação de um bom profissional "ao vivo" : o professor de técnica vocal. Somente
ele poderá esclarecer as dúvidas que certamente surgirão no decorrer do seu
estudo. Principalmente para aquele aluno iniciante, é muito difícil distinguir o que é
realmente um erro, e como corrigi-lo. Antes de começar seu estudo, procure um
lugar tranqüilo, onde ninguém possa te atrapalhar e onde você também não
atrapalhe ninguém.
Minha sugestão de um roteiro para o estudo diário é o seguinte:

1. RELAXAMENTO
2. POSTURA
3. RESPIRAÇÃO
4. VOCALIZES
5. REPERTÓRIO

O relaxamento e a postura estão extremamente ligados. Lembre-se que


cantamos com nosso corpo todo, não apenas com a voz !
Saber como trabalhar a respiração na técnica vocal, como já vimos em aulas
anteriores, é muito importante para desenvolver a capacidade de cantar bem. Para
isso, é necessário praticar os exercícios que foram dados com muita dedicação e
aos poucos, ir aumentando a intensidade deles.
Os vocalizes tem muitas finalidades. Uma delas é o aquecimento vocal, que deve
ser feito sempre antes da aula ou apresentação. Também devemos praticar os
vocalizes com a intenção de se melhorar a afinação, ritmo, etc.
E por fim, o repertório; procure selecionar músicas onde você poderá aplicar
aquilo que tem feito nos exercícios. Lembre-se que o melhor é estudar através de
músicas, por isso, escolha um repertório com ritmos e estilos variados.
Na próxima aula darei exemplos práticos de como seguir o roteiro de estudos.

Vamos fazer um esquema para o seu estudo em casa. Tudo irá depender de
quanto tempo você dispõe para fazer suas aulas periódicas. Vou partir do princípio
de 1 hora /aula. Não se esqueça que nessa hora você deve estar em um ambiente
tranqüilo para poder estar concentrado(a).
1. Os dez minutos iniciais são para o relaxamento. Faça todos os exercícios que
estão na aula e outros que você souber que sirvam para relaxar os ombros,
pescoço e costas. Aproveite também para verificar a postura.
2. Nos dez minutos seguintes, faça exercícios de respiração. Vá aumentando
gradativamente a repetição de cada exercício até fazer cinco vezes cada um.
3. Nos próximos dez minutos, invista nos exercícios de vocalizes, que servem
para afinação, aquecimento, ritmo, etc.) No início do estudo, é preferível
trabalhar apenas em uma escala, isto é, faça apenas dentro de uma oitava.
(Ex: começando no dó central do piano/teclado siga as notas indo para a
direita(agudo), fazendo os exercícios até o próximo dó).

12
4. O tempo restante poderá ser aplicado no repertório. Essa é a hora de aplicar
tudo que você tem feito nos exercícios. Procure escolher músicas com ritmos
variados.

Importante:
Nem pense em imitar seu cantor(a) preferido. Cante com a sua própria voz
usando a criatividade em novos arranjos. Exemplo: Comece com aquela música
simples, que você já sabe de cor e tente fazer uma mudança simples como
sustentar um pouco mais uma nota ou trabalhar a dinâmica(volume) da música. USE
SUA CRIATIVIDADE afinal, todos nós podemos ser criativos)!!!

Vocalizes

Observações:
Lembre-se que todos os exercícios devem ser feitos dentro de uma oitava, subindo
de meio e meio tom Associe aos vocalizes tudo o que foi visto sobre respiração.

Dinâmica

É muito desagradável quando paramos para ouvir uma música e percebemos que
ela começa e termina sem dinâmica alguma; ou seja, não se percebe nenhuma
variação de volume durante toda a música.
Para trabalhar com dinâmica, primeiramente é preciso que o cantor(a) esteja
integrado com os músicos que executarão o instrumental. Não adianta o cantor se
esforçar em demonstrar uma certa "emoção" enquanto canta e os músicos não
acompanharem a mesma idéia. Para quem canta com play-back, deve-se ouvir com
muita atenção seu instrumental antes de cantar.

13
Para entendermos como funciona a dinâmica numa música, vamos observar duas
coisas importantes:

1. O que diz a letra?


Esse é o ponto de partida. A partir do momento que decidimos passar uma
mensagem, devemos nos lembrar de usar todos os recursos disponíveis para que
isso aconteça(cada um a seu tempo). Portanto, leia a poesia antes e reflita naquilo
que você irá cantar interpretando-a durante a execução.

2. Volume
O volume da voz é o recurso que pode ser usado para se trabalhar com a dinâmica
da música.
Na próxima aula, darei exemplos práticos de como utilizar esse recurso.

14
Dinâmica - Exercício I
Nessa aula vamos analisar a dinâmica de uma música que acredito ser conhecida
de muitos. Lembre-se que esse é apenas um exemplo. Cada cantor pode ter uma
forma diferente de usar a dinâmica numa música.

Grande é o Senhor
Steve McEwan
Versão: Adhemar G. de Campos

Nas próximas aulas estaremos analisando outros cânticos. Você já pode ir fazendo
essa análise com as músicas que você já conhece e está acostumado a cantar.
Você vai perceber que uma boa dinâmica faz muita diferença!

15
Dinâmica - Exercício II
Agora, vamos tomar como segundo exemplo uma música com ritmo diferente do
exemplo que vimos na aula passada.
A dinâmica pode ser usada em qualquer estilo de música, independente do ritmo;
para isso, basta lembrar das dicas que vimos na aula 15.

Exaltai
Billy Funk

Acentuação - Exercício I
Nesse exercício, vamos analisar uma música com um ritmo bem brasileiro, o xote.
Preste muita atenção nos ritmos das músicas e use-os como um recurso a mais
para trabalhar sua interpretação, observando principalmente a "acentuação".
Acentuação é o tempo forte que aparece tanto na melodia (letra) como na harmonia
(instrumentos ou jogo de vozes). É fundamental que exista um bom entrosamento
16
entre os músicos e o cantor(a) para que haja um bom resultado de acentuação e
interpretação. Por isso, ensaie bastante! Observe as sílabas que estão sublinhadas:
elas são a acentuação, ou seja, você deve cantar mais forte.

Observação: Essa letra conta a experiência do encontro que o autor teve com o
Rei, Jesus Cristo, portanto a mensagem é dirigida às pessoas que estão ouvindo.
Partindo desse princípio, cante como se estivesse conversando; lembre-se de usar
as entonações e o entusiasmo que você usaria para contar essa experiência.

17
Acentuação - Exercício II
Não deixe de meditar sobre a letra dessa e de todas as outras músicas que você
estará cantando. Se houverem palavras que você não sabe o significado, procure-as
em um dicionário ou peça ajuda de alguém. Cante aquilo que você entende! Não se
esqueça de trabalhar a acentuação também, sem forçá-la muito pois ela deve
parecer natural. Cante e toque como o salmista diz: com arte e com júbilo (Sl. 33:3).

18
Exercício 10

O objetivo desse exercício é trabalhar a colocação de voz.


Segure por quatro tempos a mesma nota e dê um intervalo também de quatro
tempos. Comece pela nota mais aguda e vá até o mais grave (lembre-se que
estamos trabalhando apenas dentro de uma oitava).

Exercício 11
Nesse exercício você vai perceber que estaremos cantando algumas notas
que normalmente não usamos em outros exercícios, que serão utilizados para
aprimorar a percepção musical. Esta é uma escala cromática, isto é, uma escala
formada por semitons. Primeiro, cante "I A", e depois "OH".

Vocalizes V / VI
Continuando com os exercícios, nessa aula você vai perceber que os
vocalizes estão maiores do que anteriores. Portanto, durante a prática desses
exercícios tudo deve funcionar em conjunto: respiração, postura, ritmo e tudo o que
já vimos anteriormente. No vocalize 12, você deverá cantar a primeira linha das
vogais (uma em cada nota) e em seguida, repita o mesmo exercício cantando a
segunda linha das vogais. No vocalize 13, você deverá cantar primeiro "dá..." em
todas as notas de exercício. Só depois é que você deve passar para a próxima
sílaba.

Afinação
Algumas pessoas, quando estão interessadas em fazer aulas de canto,
geralmente perguntam se é possível que alguém que seja desafinado aprenda a
cantar. Eu acredito que existam pessoas que são agraciadas com o presente da
música logo ao nascer, já nascem com talento musical. Mas, se essas pessoas
passarem a vida toda sem nenhum estímulo musical, elas nunca saberão que
possuem esse talento musical.
Por isso, eu creio que a principal arma para aprender cantar afinado é
aprender a ouvir. Isso mesmo, ouvir. A maior parte daquelas pessoas que se dizem

19
desafinadas, tem dificuldade em ouvir a si mesmas e ouvir os outros. Mas, afinal, o
que é cantar afinado?
Podemos dizer que um cantor é afinado quando ele reproduz as notas
propostas da maneira certa. Nossas cordas vocais produzem a voz, que por sua vez
produzem as ondas sonoras. O som é formado por vibrações e possui uma certa
freqüência (quantidade de vibrações por segundo).
Existe um padrão de afinação ocidental pelo qual afina-se o lá em 440 Hz
(Hz =vibrações por segundo).
Podemos definir então que cantar afinado é reproduzir a mesma freqüência
que foi proposta numa melodia, seja ela cantada ou tocada. Daí a grande
importância de aprender a ouvir. Mas como posso saber se não tenho nenhum
problema de audição? Existem alguns "sintomas" que podem ser observados:
- Sempre pedir para que o outro repita : " O que você disse? ";
- Assistir TV ou ouvir o rádio num volume muito alto;
- Não conseguir identificar uma fonte sonora, isto é, não conseguir descobrir de
qual direção está vindo o som;
- Falar sempre num volume muito alto ou então muito baixo
Por isso é recomendável àquelas pessoas que percebam alguma dificuldade
fazer uma audiometria que é um exame de audição para se certificar de que está
tudo certo.

Continuando o nosso assunto da última aula, vamos analisar alguns fatores


que podem interferir na hora de cantar afinado. Já falamos sobre a importância de
ouvir. Vamos partir do princípio de que fisicamente não existe nenhum problema
com a audição mas mesmo assim, você não consegue afinar sua voz.
O primeiro passo é aprender a ouvir internamente, deixar com que o som entre
não apenas no seu ouvido, mas na sua cabeça. É muito importante ter consciência
do que se está ouvindo, aprender a identificar o som que está ouvindo; por exemplo:
este determinado som é agudo ou grave? É um som de longa ou curta duração? É
preciso aprender a pensar no som que se está ouvindo e tentar identificá-lo.
O próximo passo é a prática. Comece a ouvir aquelas músicas que você já
conhece e gosta,da maneira como foi orientada no parágrafo anterior. Ouça também
músicas novas, novos estilos, ritmos, instrumentos diferentes, etc.

Eis aqui algumas sugestões pessoais:


- João Gilberto
- Jorge Camargo
- Ella Fitzgerald
- Milton Nascimento
- Expresso Luz
- Take 6
- Marisa Monte
- Quarteto Vida

Com certeza, existe uma lista enorme de outros nomes que eu poderia sugerir
aqui, mas isso também será parte de seu estudo: pesquisar. Quando for numa loja
de cd's, não vá direto naquilo que você já conhece; procure aquelas seções que
você nunca entrou por achar que "não é o seu estilo". Se você ouviu algo diferente e
20
não gostou, ouça mais uma vez para ter certeza de que não gostou mesmo; sempre
há algo para se aprender. Isso também vale para a música evangélica. Existe muita
coisa boa e escondida por aí no meio evangélico. Sei que não vai ser muito fácil, por
que dificilmente você vai encontrar algum trabalho diferente e bom, mas mesmo
assim faça um esforço...
E por último, como vocês já devem saber, o auxílio de um professor de canto é
muito importante e facilitará seu estudo para desenvolver cada vez mais sua
percepção auditiva.

Registro Vocal
O cantor possui o instrumento mais original que existe. Sabe por quê? Não
existem duas vozes iguais no mundo. Podem ser parecidas, mas não idênticas.
Tanto que a voz já é usada como uma opção para o reconhecimento de pessoas em
sistemas de segurança de grandes empresas.
Muitas pessoas me questionam sobre o motivo pelo qual não conseguem
cantar como aquele(a) cantor(a) que eles tanto gostam. Sob o meu ponto de vista,
isso não deve ser motivo de frustração, pois é preciso lembrar que cada pessoa
possui uma voz própria e isso deve motiva-lo a procurar desenvolver ainda mais a
própria voz.
Acredito que através de boas aulas de canto e treinamento, aquele aluno que
inconscientemente tenta imitar seu cantor(a) preferido(a), acaba descobrindo qual é
o seu próprio estilo, registro vocal, enfim, descobre qual é verdadeiramente sua voz.
O fato de não conseguir cantar uma música igualzinho ao cd não quer dizer
que você estará impedido de cantá-la para sempre, nem que a pessoa que gravou o
cd é melhor do que você. É muito comum isso acontecer com grupos que tocam na
igreja. O que pode e deve ser feito, é identificar qual é a tonalidade adequada a sua
voz para que os músicos possam alterar o tom original da música (subir ou descer o
tom).
Para facilitar essa alteração, o ideal é que o próprio cantor(a) saiba tocar um
instrumento harmônico (violão ou piano). Não é necessário que se torne um exímio
instrumentista, mas que aprenda a tocar para desenvolver harmonia e percepção
musical, podendo assim ampliar sua capacidade para improvisar....
Na próxima aula, continuaremos a falar sobre registro vocal.

Existem alguns termos técnicos que você já deve ter ouvido por aí mas que não
sabe realmente qual o significado.
No livro: "Canto, uma expressão" - Carthago Editorial, p. 33) as autoras Mônica
Marsola e Tutti Baê apresentam uma explicação simples para termos que são
usados nesse assunto.

· Extensão vocal: refere-se ao limite de sons emitidos por uma voz, do grave ao
agudo, mesmo além dos limites naturais de sua tessitura.
· Tessitura: é o conjunto de notas, geralmente de uma oitava mais uma quinta, na
qual o cantor emite a voz com total homogeneidade.
· Registro médio: é a parte central da tessitura de uma voz.
Para que o cantor consiga fazer o uso correto da sua voz sem submetê-la a um
esforço desnecessário, é indicado ao iniciar o estudo de técnica vocal, utilizar
apenas seu registro médio para evitar problemas futuros às pregas vocais. Assim,

21
com a prática de exercícios adequados e dedicação, após algum tempo ele já pode
utilizar a tessitura vocal em sua totalidade.
Por isso, aconselho a todos que estudam sozinhos ou com professores que façam
do seu momento de estudo algo prazeroso. Os exercícios existem para aperfeiçoar
e lapidar a nossa matéria-prima que é a voz. Não tenham pressa; respeite seu
registro vocal, pratique exercícios específicos para sua voz e estude para
aperfeiçoa-la cada vez mais.

http://www.uol.com.br/bibliaworld/musica/workshop/voz.htm

22