P. 1
Unidade de Terapia Intensiva Manual de Normas,

Unidade de Terapia Intensiva Manual de Normas,

|Views: 3.155|Likes:
Publicado porMarliMonteiro

More info:

Published by: MarliMonteiro on Mar 12, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/12/2012

pdf

text

original

UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos

SUMÁRIO

ESTRUTURA DA UTI
Estrutura Organizacional Estrutura Física

PROTOCOLOS CLÍNICOS E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS
ESTRUTURA, MONTAGEM E GERENCIAMENTO • Roteiro completo: aspectos médicos, farmacêuticos e de gerenciamento • Termo de Consentimento Informado (c/modelo) • Fluxogramas • Ficha Farmacoterapêutica (c/modelo) • Guia de Orientação ao Paciente (c/modelo) • Ficha de Registro do Plano de Ação (c/modelo) • Carta Farmacêutico/Médico (c/modelo) • Carta Médico/Farmacêutico (c/modelo)

PROTOCOLOS DE CONDUTA MÉDICA – UTI
Patologias Passíveis de Internação em UTI CARDIOLOGIA • Acidente Vascular Cerebral Isquêmico • Bradiarritmias – Distúrbios da Condução Atrioventricular • Choque Cardiogênico • Dissecção Aórtica • Edema Agudo Pulmonar Cardiogênico • Fibrilação Atrial • Fibrilação Ventricular • Flutter Atrial • Infarto Agudo do Miocárdio • Infarto Agudo do Miocárdio com Supra-desnivelamento de Segmento ST • Infarto Agudo do Miocárdio sem Supra-desnivelamento de Segmento ST • Insuficiência Cardíaca Congestiva • Marca-Passo Transcutâneo Temporário • Marca-Passo Transvenoso • Monitorização Hemodinâmica Invasiva (Swan-Ganz) • Pressão Arterial Média • Pressão Venosa Central • Punção Venosa Profunda • Reposição Volêmica no Choque • Ressuscitação Cardiopulmonar • Taquiarritmias Cardíacas 1

• • •

Taquicardia Ventricular Sustentada Taquicardias com QRS Estreito Torsades de Pointes

DROGAS VASOATIVAS • Dobutamina • Dopamina • Drogas Vasoativas • Nitroglicerina • Nitroprussiato de Sódio • Norepinefrina, Bitatrarato de GASTROENTEROLOGIA • Pancreatite Aguda HEMATOLOGIA • Tratamento das Reações Transfusionais • Trombose Venosa Profunda/Tromboembolismo Pulmonar • Uso de Hemoderivados INTOXICAÇÕES EXÓGENAS • Intoxicação por Barbitúricos • Intoxicação por Benzodiazepínicos • Intoxicação por Monóxido de Carbono • Intoxicações por Inseticidas Carbamatos • Intoxicações por Inseticidas Organofosforados • Intoxicações por Raticidas Cumarínicos METABOLISMO • Coma Mixedematoso • Encefalopatia Hepática MOLÉSTIAS INFECCIOSAS • Botulismo • Candidiase Sistêmica • Dengue • Encefalite por Toxoplasma • Febre Amarela • Herpes Zoster • Infecções Relacionadas a Cateteres • Infecções do Trato Urinário • Isolamento em UTI – Normas • Leptospirose • Malária • Meningites • Meningite Criptococica • Meningites Virais e Bacterianas • Pacientes Neutropênicos • Sepse • Tétano NEUROLOGIA 2

• Avaliação Neurológica • Derivação Ventricular Externa • Derivação Ventricular Peritoneal • Hemorragia Subaracnóide • Hipertensão Intracraniana • Mal Formação Artério Venosa • Monitorização da PIC e do Hemometabolismo Cerebral • Monitorização de Pressão Intracraniana • Morte Encefálica - Diagnóstico • Trauma raquimedular • Traumatismo cranioencefálico PNEUMOLOGIA • Asma Severa • Derrame Pleural • Hemoptise Maciça • Insuficiência Respiratória Aguda na Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica • Monitorização Ventilatória • Obstrução das Vias Aéreas Superiores • Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e Lesão Pulmonar Aguda (LPA) • Síndromes Aspirativas • Suporte Ventilatório Não-Invasivo PÓS-OPERATÓRIOS • Cirurgia de Coluna • Cirurgia Ortopédica • Ressecção de tumores cerebrais • Ressecção de tumores de hipófise PROCEDIMENTOS • Acesso Arterial • Avaliar, prevenir e tratar de lesões da pele • Cricotireotomia • Traqueostomia • Traqueostomia Percutânea SEDAÇÃO, ANALGESIA E BNM • Analgesia em UTI • Bloqueio Neuromuscular em UTI • Sedação em UTI • Sedação e Analgesia SUPORTE NUTRICIONAL • Suporte Nutricional de Paciente Crítico • Terapia Nutricional na Insuficiência Hepática • Terapia Nutricional na Insuficiência Renal • Terapia Nutricional na Insuficiência Respiratória • Terapia Nutricional na Sepse I • Terapia Nutricional na Sepse II TRANSPLANTES • Cuidados com o Doador de Órgãos 3

FÓRMULAS / ESCALAS
Classificação das úlceras de pressão Clearence de creatinina Controle de temperatura com colchão térmico Correção de potássio (K) Correção de sódio (Na) Débito cardíaco Dose de vancominicina (pelo clearence de creatinina) Energia para cardioversão-desfibrilação Equivalência de corticóides Escala de Agitação-Sedação (SAS) Escala de Braden Escala de Fisher Escala de força motora Escala de Glasgow Escala de Hunt-Hess Escala de Ramsay Índice Cardíaco Índice de massa corpórea (IMC) Índice de volume sistólico LDL - colesterol Parâmetros obtidos com o uso do cateter de Swan-Ganz • Valores normais do uso de monitorização hemodinâmica invasiva Pressão arterial média (PAM) Pressão de perfusão cerebral Resistência vascular pulmonar (RVP) Resistência vascular sistêmica (RVS)

PADRONIZAÇÃO PARA DILUIÇÃO DOS MEDICAMENTOS
Medicamento, Administração, Diluição e Observações

PROCEDIMENTOS E CUIDADOS DE ENFERMAGEM
Atividades da Equipe de Enfermagem Lavagem das mãos Admissão de Paciente: • Critérios de admissão de paciente (adulto e neonatal) • De paciente clínico e pré-cirúrgico • De paciente de pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca • De paciente de pós-cateterismo (CAT) e/ou Angioplastia (ATAC) Alta e Óbito • Alta hospitalar • Alta a pedido • Óbito Coleta de Materiais para Exames • Amostra de Sangue Arterial • Amostra de Sangue Venoso • Escarro 4

• Glicosúria Fracionada • Urina 24hs • Urocultura/EAS em pacientes acamados Controles • Do carrinho de emergência • Do material permanente estéril e não estéril Encaminhamento do paciente • Para o Centro Cirúrgico (com preparo do paciente para cirurgia) • Para realização de exames internos • Para realização de exames externos Enfermagem • Evolução • Prescrição • Relatório • Roteiro de Treinamento para admissão de enfermagem na UTI Gasometria Infusões venosas Isolamento Tipo e duração das precauções de isolamento recomendadas de acordo com a infecção aguda ou agente etiológico Lavagem do introdutor após exame hemodinâmico Máscara de Venturi Material para abertura de tórax Montagem • Do Box da UTI • Do respirador volumétrico • Do respirador Mark 7 Nebulização contínua Organização do armário de roupa, material de uso de enfermagem e equipamentos Passagem de plantão Pedido de material semanal Pesagem • De paciente pré-escolar e escolar • De paciente recém-nato e lactentes Posicionamento do paciente acamado Preparo do kit para PAM (cachimbo mercúrio) Preparo do leito para admissão Retirada do sistema da PAE Rotina de farmácia Rotina de continuação de pós-operatório Rotina para desfibrilador Rotina para desprezar diurese da bolsa coletora de urina do sistema fechado Rotina para dispensação das cânulas endotraqueais para reposição nos carrinhos de emergência Sangue e Hemoderivados Solicitações de pareceres de outras especialidades Soro 5

• Abastecimento • Gotejamento Transferência de paciente: • Da UTI para o quarto/enfermaria • Da UTI para o Centro Cirúrgico Troca de fralda e higiene Troca de sondas e cateteres

PROTOCOLOS DE ENFERMAGEM
Abertura de tórax Acesso venoso central profundo Alimentação • Por copinho • Por sonda nasogástrica Aspiração • Traqueal • Da cânula endotraqueal • Das vias aéreas superiores • Sistema de aspiração contínua intermitente de tórax

Assistência de enfermagem • Ao paciente intubado • No implante de marca-passo • No cateterismo venoso central • A paciente com balão intra-aórtico • Na cardioversão elétrica Banho • De RN prematuro ou de baixo peso • De aspersão • De RN a termo Bomba de infusão Bomba de infusão de seringa Cardioversão Cateterismo cardíaco Coleta de gasometria por PAM Coleta de leite materno Coleta de sangue • Arterial • Capilar Controle hídrico Cuidados de enfermagem • Na dissecção venosa • Na pesagem • Na terapêutica transfusional • Com o RN na fototerapia • Com pacientes portadores de lesão neurológica 6

Estudo eletrofisiológico, angioplastia e valvuloplastia Extubação traqueal Fototerapia Gerador de marca-passo Inalação Intervenção Mínima no RN Irrigação Vesical Irrigação da Sonda Vesical – Método Aberto (lavagem) Método Canguru • Algumas considerações • Banho • Cuidados • Pesagem Monitorização cardíaca Monitorização por oximetria de pulso Ordenha Preparo para CAT e ATC Pressão arterial média (PAM) • Lavagem da pressão arterial média Pressão do átrio esquerdo (PAE) Punção lombar Punção percutânea plantar Reanimação cárdio pulmonar Sistema cardiovascular: • Monitorização de paciente (ECG) • Punção venosa com cateter de média duração (Abocath) • Verificação de PVC Sistema gastrointestinal: • Sondagem nasogástrica • Sondagem nasoenteral Sistema respiratório • Aspiração traqueal • Extubação traqueal • Gasometria arterial • Montagem dos circuitos dos ventiladores mecânicos • Nebulização contínua por tubo T • Oxigenioterapia por cateter nasal e sub nasal • Oxigenação por máscara de Venturi • Oxigenioterapia através de caixa de Hood • Oxigenioterapia por cateter subnasal • Retirada de pontos • Sonda nasoenteral (do nariz ao duodeno) • Sonda nasogástrica (do nariz ao estomago) • Sonda vesical de demora • Translactação • Troca de selo d’água do sistema de drenagem torácica • Verificação dos sinais vitais 7

CURATIVOS
Curativo de AVC Curativo Limpo Curativo Contaminado Curativo de Cateteres (PAM, PAE e Fio de marca-passo) Curativo de Cateter Umbilical Curativo de Cateter Venoso Central Oclusivo Curativo de inserção de marca-passo Curativo do coto umbilical Curativo de dreno torácico

PROTOCOLOS DE FISIOTERAPIA
Protocolo de Avaliação – Fisioterapia Acidente Vascular Encefálico Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Derivação Ventricular Externa (DVE) Hemorragia Subaracnóide / Pós-operatório Clipagem Aneurisma Infarto Agudo do Miocárdio Insuficiência Cardíaca Congestiva Mal Formação Artério Venosa / Tratamento Endovascular Meningite Monitorização Hemodinâmica Invasiva (Cateter de Swan Ganz) Obesidade Mórbida - Gastroplastia Pós-operatório de Cirurgia da Coluna Pós-operatório de Cirurgia Ortopédica Pós-operatório de Ressecção de Tumor de Hipófise Pós-operatório de Ressecção de Tumores Cerebrais Pressão Arterial Média Pressão Venosa Central Sepse Tetraplegia na Terapia Intensiva Transplante de Pulmão Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE) Traumatismo Raquimedular Trombose Venosa Profunda (TVP) e Tromboembolismo Pulmonar (TEP)

INFECÇÃO HOSPITALAR
Desinfecção concorrente da UTI Desinfecção terminal da UTI Rotinas de limpeza das áreas físicas da UTI Rotinas de limpeza e desinfecção dos equipamentos e materiais: • Balcão, pia do posto de enfermagem e mesas • Expurgo • Geladeiras • Câmara de conservação dos medicamentos e pomadas • Laringoscópio 8

• • •

Concorrente da incubadora Terminal da incubadora Terminal do box

INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E DESEMPENHO
Taxa de Ocupação da UTI Análise Ocupação x Receita Análise Internações por Fonte Pagadora Indicadores de Desempenho da UTI Mapa Entradas e Saídas – Mensal

ESTATÍSTICAS
Internações por Patologia Internações por Sexo dos Pacientes Internações por Faixa Etária dos Pacientes

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR
Nível 1 – Padrões de Verificação Nível 2 – Padrões de Verificação Nível 3 – Padrões de Verificação Avaliação da Unidade de Terapia Intensiva

AUDITORIA DA QUALIDADE DA UTI
Check-List da Auditoria: • Recursos Humanos • Recursos Físicos • Recursos Materiais • Organização e Funcionamento

DESCRIÇÃO DE CARGOS
Coordenador Médico da UTI Médico Plantonista da UTI Enfermeira Supervisora da UTI Enfermeira Assistencialista da UTI Técnicos de Enfermagem Secretário(a) da UTI

ANEXOS
Consulta Pública no. 21 de 27/04/2006 – ANVISA Regulamento Técnico para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e Unidades de Cuidados Intermediários Consulta Pública no 3 de 07/07/2005 – DOU de 08/07/2005 Política Nacional de Atenção a Pacientes Críticos – MS Portaria MS no3432 de 12/08/1998 Critérios de Classificação para as Unidades de Tratamento Intensivo 9

Portaria no 1071 de 04/07/2005 Resolução CREMERJ 109 de 07/08/1996 Estabelece normas mínimas para o funcionamento das Unidades de Tratamento Intensivo Portaria 11 de 05/01/2005 Requisitos comuns para habilitação das UTI Neonatal e Pediátrica Portaria MS 2918 de 09/06/1998

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

10

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->