P. 1
Trabalho Eventual

Trabalho Eventual

|Views: 12.252|Likes:
Publicado porLaurejane Sousa

More info:

Published by: Laurejane Sousa on Apr 09, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/07/2013

pdf

text

original

Trabalho Eventual

Para definição de Trabalho Eventual, é necessário observar a não habitualidade na prestação de serviços. Dispõe a CLT que a relação de emprego, além de ser marcada pelos requisitos da "onerosidade", "pessoalidade" e "subordinação jurídica", deve-se mostrar de forma habitual, contínua, não eventual. Assim a atividade será exercida conforme as finalidades cotidianas da empresa. No caso do trabalhador eventual, observa-se que este realiza apenas serviços esporádicos, diversos dos fins comuns da empresa, não se caracterizando qualquer espécie de habitualidade. São várias as teorias que procuram explicar as diferenças entre empregado e trabalhador eventual. A teoria do eventual caracteriza o trabalhador admitindo na empresa para um determinado evento, o trabalhador cumpre a sua obrigação e será desligado, ou seja, sem nenhum vínculo empregatício. Para a teoria dos fins, empregado é o trabalhador cuja atividade coincide com os fins normais da própria empresa. O eventual seria o que presta serviços que não estão em sintonia com os objetivos do empregador. Então o “trabalhador ocasional, esporádico, que trabalha de vez em quando, ao contrário do empregado que é um trabalhador permanente”. É o caso, por exemplo, do pintor que faz reparos em um muro. Trata-se de mera prestação de serviços, de competência do juízo cível para processamento e julgamento. A alínea g do inciso V do art.12 da Lei nº 8.212/91 indica o que vem a ser o trabalhador eventual: “aquele que presta serviço de natureza urbana ou rural em caráter eventual, a uma ou mais empresas, sem relação de emprego”. Ao se falar em eventualidade, ou em ausência de continuidade na prestação de serviços já se verifica que inexiste relação de emprego, pois o traço marcante do contrato de trabalho é a continuidade.

Em relação ao trabalhador avulso. 8. Distinção entre o avulso do trabalhador eventual O avulso tem todos os direitos previstos na legislação trabalhistas. não está de acordo com a estipulação presente no art. foi publicada a Lei n. Curiosidades A diferença básica entre eventual e autônomo é que o eventual. diferente dos autônomos.No entanto. quanto for o caso. no dia 25 de fevereiro de 1993. enquanto o eventual só tem direito ao preço avençado no contrato e á multa pelo inadimplemento do pacto. mantendo a disponibilidade de serviços para vários empregadores. Portanto. pois este é que vai direcionar a melhor forma de realizar o trabalho. . embora trabalhando ocasionalmente é subordinado a alguém. O avulso presta serviços numa atividade permanente. que traz no seu bojo um conjunto normativo de extrema regulamentação e interferência nas relações de trabalho ocorridas no sistema portuário. necessitamos registrar nesta passagem que. e é subordinado de curta duração. O Eventual é aquele contratado sem a característica de continuidade. o trabalhador eventual é a pessoa física contratada apenas para trabalhar em certa ocasião específica. enquanto que o eventual presta serviços numa atividade esporádica ou ocasional no âmbito de uma empresa.630.3º da Consolidação das Leis do Trabalho.

php? abre=noticias=ler&id_editoria=35&id=132 Data de acesso: 05/02/12 .Referência BARAÚNA.denadaiadvogados. 117. – Belo Horizonte: Del Rey.com.2000.centraljuridica.html Data de acesso: 05/02/12 Disponível em: http://www. Pág: 116. Disponível em: http://www. Manual de Direito do trabalho/ Augusto Cezar Ferreira de Baraúna .br/interna.com/doutrina/24/direito_do_trabalho/empregado. Augusto Cezar Ferreira de.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->