Você está na página 1de 16

Geografia do

Brasil
Professor: Jakes Paulo

Projeções Cartográficas

Professor Jakes Paulo – jakespaulo@gmail.com


Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

Uma Projeção Cartográfica é o resultado de


um processo de conversão ou transformação
de coordenadas de um ponto na superfície
de uma esfera (latitude/longitude) para
coordenadas em um plano.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

Qualquer projeção tem uma distorção embutida.


Os tipos de propriedades geométricas que caracterizam as
projeções cartográficas, em suas relações entre a esfera
(Terra) e um plano, que é o mapa, são:

CONFORMES CILÍNDRICAS
EQUIVALENTES CÔNICAS
EQUIDISTANTES
AZIMUTAL
AFILÁTICAS
Geografia – PROJEÇÕES

a) Conformes – os ângulos são mantidos


idênticos (na esfera e no plano) e as áreas são
deformadas.

b) Equivalentes – quando as áreas apresentam-se


idênticas e os ângulos deformados.

c) Afiláticas – quando as áreas e os ângulos


apresentam-se deformados.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO CONFORME MERCATOR


A projeção de Mercator foi apresentada em 1569 pelo
geógrafo e cartógrafo flamengo Gerardus Mercator.
Tal como em todas as projeções cilíndricas, os
meridianos e paralelos são representados por
segmentos de reta perpendiculares entre si, e os
meridianos são eqüidistantes.

Tratando-se de uma projeção conforme, a escala não


varia com a direção e os ângulos são conservados em
torno de todos os pontos.
Geografia – PROJEÇÕES

Como toda projeção cartográfica, a de Mercator possui


uma distorção, só que nos pólos. Devido à forma como
são representados, os continentes afastados da linha
do Equador (Europa, Canadá, Groenlândia, etc.) ficam
maiores do que são na realidade. Um exemplo comum
utilizado, é a Groenlândia que, na Projeção de Mercator
aparece maior que a América do Sul, quando, na
verdade, a América do Sul é bem maior.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO CILINDRICA - MERCATOR


Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO DE
MERCATOR

CILÍNDRICA

CONFORME

Mantém a forma
e distorce as
áreas dos
continentes.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO EQUIVALENTE PETERS

É uma projeção cilíndrica tangente aos


pólos, parecida com a de Mercator, mas
com a diferença fundamental de
representar, o mais próximo possível da
realidade, a proporção de tamanho entre
os continentes sem se preocupar com a
equivalência das distâncias.
Geografia – PROJEÇÕES

Projeção Equivalente
de Peters
Apresentam uma
deformação
(alongamento) no
sentido norte-sul

África é que ocupa


o centro da
projeção.

“TERCEIRO-MUNDISTA”.

MANTÉM A ÁREA DOS CONTINENTES E DISTORCE A


FORMA.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO CÔNICA
Nesta projeção os meridianos convergem para os pólos e os
paralelos são arcos concêntricos situados a igual distância
uns dos outros. São utilizados para mapas de países de
latitudes médias.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO CÔNICA
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO DE MOLLWEIDE
Nesta projeção os paralelos são linhas retas e os meridianos,
linhas curvas. Sua área é proporcional à da esfera terrestre,
tendo a forma elíptica. As zonas centrais apresentam grande
exatidão, tanto em área como em configuração, mas as
extremidades apresentam grandes distorções.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO DE GOODE, QUE MODIFICA A DE MOOLWEIDE


É uma projeção descontínua, pois tenta eliminar várias áreas
oceânicas. Goode coloca os meridianos centrais da projeção
correspondendo aos meridianos quase centrais dos
continentes para lograr maior exatidão.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO AZIMUTAL Projeção eqüidistante que


tem os pólos em sua porção
EQÜIDISTANTE POLAR central. As maiores
deformações estão em suas
áreas periféricas.
Geografia – PROJEÇÕES

PROJEÇÃO AZIMUTAL Nesta projeção, centrada em


São Paulo, os ângulos
Eqüidistante Oblíqua azimutais são mantidos a
Centrada na Cidade de partir da parte central da
São Paulo projeção