1

COMPETIÇÃO TIRO CERTO CANHÃO MORTEIRO

Trabalho

apresentado

como

aproveitamento na disciplina de Fisíca ministrada pelo professor Sr.Junior do Curso de Engenharia da Universidade Paulista – UNIP, São José dos Campos.

Universidade Paulista São José dos Campos 2012

11 .10 Referencias ---------------------------------------------------------------------------------------.03 Justificativa ----------------------------------------------------------------------------------------.05  Detalhamento  Fotos do Canhão Morteiro  Características da mobilidade do canhão  Características do movimento  Descrição do funcionamento  Testes e resultados Conclusão -----------------------------------------------------------------------------------------.2 Sumário Introdução -----------------------------------------------------------------------------------------.04 Especificações técnicas: Projeto do Canhão ---------------------------------------------.09 História do Canhão -----------------------------------------------------------------------------.

Tempos mais tarde passaram a ser fabricados com barras de ferro fundido. para aumentar a potência de fogo. . soldadas e reforçadas com anéis do metal. Podiam assim ser disparados ao mesmo tempo ou separadamente. visando conhecer a fundo os conceitos da física na prática. pequenos e rústicos.3 Introdução O estudo refere-se ao desenvolvimento do projeto se baseando no passo a passo da montagem de um canhão. sobre um reparo-plataforma. apresentaremos ao longo do trabalho características citadas acima. Nesta época. os antigos canhões eram colocados lado a lado. sem sucessão rápida. O termo pode ser aplicado a uma moderna espingarda ou metralhadora com um calibre de 20 mm. Sendo assim. o que faz deles precursores das modernas metralhadoras. Um canhão trata-se de uma arma de fogo com um largo tubo desenhado para disparar pesados projécteis em tiro tenso a uma considerável distância. A sua capacidade de lançamento ainda era baixa. Inicialmente os canhões eram de ferro forjado. e empregavam-se por isso projétil de pedras leves para alcançar maiores distâncias. pelo menos em conceito.

onde o objetivo tratava-se acertar o alvo. O presente trabalho visa descrever passo a passo a confecção do canhão. para a elaboração do projeto. baseado em conceitos estudados sobre a física. no qual fez parte de um cenário de competição acadêmica.4 Justificativa Os autos do referido projeto tem como meta a criação e o desenvolvimento de um canhão. calculando a força com que o objeto é alcançado. mostrando sua capacidade de lançamento do objeto ao destino proposto. .

1. através da base de um „„macaco automotivo‟‟. 1.2 Tubo de elevação em „„PVC‟‟ Comprimento: 450 mm Diâmetro externo: 75 mm Diâmetro interno: 67 mm Rasgo no tubo. a fim de garantir uma maior aceleração. feita de borracha e pressurizada com pastinhas de nitrogênio”. Detalhamento: 1. como propulsor. por onde corre o objeto propulsor: 320 mm x 10mm. Comprimento do elástico: 100 mm Diâmetro do elástico.4 Elástico do tipo “borracha de soro”. com roldanas que trabalham em conjunto com o tubo auxiliando no processo de elevação. 8 mm Obs. Comprimento: 550 mm Largura: 375 mm Espessura: 27 mm Obs. bola do tipo “tênis‟‟.1 Bases em madeira. Diâmetro da bola: 63 mm .5 Munição.: Foram utilizados dois elásticos de 100 mm de cada lado do tubo.5 Especificações técnicas: Projeto do Canhão 1.: Base fixada ao solo por meio de “ventosas”. Roldanas: 35 mm Comprimento do „„macaco‟‟: Largura do „„macaco: Comprimento de o parafuso auxiliar de elevação: Espessura de o parafuso auxiliar de elevação: 1.3 Sistema de elevação. 1.

6 Fotos do Canhão Morteiro Canhão MORTEIRO Sistema Propulsor Gatilho acionado Sistema de Elevação .

7 Canhão engatilhado Lado interno do canhão Sistema de fixação no piso (ventosa) Borracha de soro .

Testes e resultados O projeto original descrevia como propulsoras molas de 10 mm ou menos.Ângulo formado. para que o alvo fosse alcançado com força suficiente para derrubar as latas. 93 m/s² -Tempo de recarregar e efetuar novo disparo: 6s.Altura máxima de elevação a partir da base: 430 mm . foi utilizada uma borracha pressa por uma abraçadeira ao final do tubo. sendo o disparo efetuado com um toque manual na trava. Descrição do funcionamento Pelo rasgo no tubo corre o objeto propulsor. mas foi constatada durante os testes que eram necessários uma força braçal muito grande para e engatinhar e efetuar o tiro. é a precisão também ficou comprometida.8s.aceleração: 10.Do centro da base para as laterais. após a troca da mola pela borracha. . A fim de garantir o amortecimento do propulsor após o tiro. para engatilhar é utilizado um sistema por acionamento de trava manual. então em cada lado do propulsor foram colocados dois elásticos. Foi necessário também a troca da munição “bola de tênis‟‟.8 Características da mobilidade do canhão .Tempo gasto no percurso: aproximadamente 0. . .Distância a ser percorrida até o alcance do alvo: 7m. . 150 mm. mas era necessário ainda mais pressão. na primeira utilizada o atrito com o tubo. o que garantiu força e precisão no tiro e ainda uma facilidade para engatilhar e atirar. Mobilidade vertical. devido a força imprimida na trava para disparo. aproximadamente 50º.75 m/s . quando engatilhado permite definir com precisão o alvo.Velocidade média: 8. na qual o mesmo deve ser pressionado no sentido oposto ao tiro. o aumento no rendimento foi notável. Características do movimento .

reajustando assim o canhão. que tivemos que mudar nos ultimo dias que antecederam a competição. o desenvolvimento por parte dos integrantes ao respectivo trabalho de APS desse 2° período vigente. e agregamos um sistema de elástico de soro. de como funcionaria o trabalho em equipe. que melhorou consideravelmente o sistema e foram feitos vários teste. a equipe morteiro na competição tiro ao alvo. O canhão foi feito por partes. de forma que todos pudessem fazer o que foi descrito a cada um componente da equipe morteiro. O trabalho serviu para despertar o lado científico aliado ao teórico no qual podemos na prática ver os resultados e objetivos alcançados. lado da criação baseado em regras e normas que foram fornecidos pelos respectivos responsáveis pela matéria de APS. depois foram reunidas e montadas e adicionado algumas peças. Foi divido o trabalho em partes para cada componente do grupo. Ficando assim em 2° lugar . . de certa forma tivemos uma dificuldade no desenvolvimento do canhão e no funcionamento do mesmo.9 Conclusão Concluímos que. O trabalho mostrou o desenvolto. essa foi a parte mais difícil junto com o sistema de gatilho. A competição serviu para mostrar os diversos meios de se fazer o equipamento com objetivos em comum. nos deu certa preocupação. para a competição. até que chega-se ao ponto em que o objeto testado efetua-se o disparo com eficácia. Fizemos alterações no sistema propulsor que antes havia sido testada com molas.

Alemanha. A peça de artilharia foi utilizada pela primeira vez em 1334.Ou seja: a invenção do canhão foi a primeira arma-de-fogo já construída da história.10 História do Canhão O canhão foi inventado no século XIV pelo monge e alquimista alemão Berthold Schwarz (1310-1384). quando o bispo Nicolau I de Constança mandou defender com ela a cidade de Meersburg. esta foi a primeira arma de projéteis para longo alcance já projetada. enxofre. Schwarz utilizou uma mistura de nitrato de sódio. mas também militarmente. Embora a pólvora já fosse conhecida pelos chineses. . pólvora e outros reagentes químicos para testar o poder de explosão de sua criação. na cidade de Friburgo. utilizada não apenas em fogos de artifício.

html .11 Referencia   http://www.mikrus.com.com.br/classe35/armas01.br/categorias/4808/1/canhao.htm http://guiadoscuriosos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful