ROTEIRO DE AULA CLASSIFICAÇÃO E INDICAÇÃO DOS MATERIAIS ODONTOLÓGICOS E PROPRIEDADES DOS MATERIAIS ODONTOLÓGICOS

INTRODUÇÃO O melhor material dentário é, e sempre será, o dente natural que consiste numa mistura de hidroxiapatita e colágeno. Seu ponto fraco é que pode ser destruídos pela ação do ácido láctico resultante do metabolismo de bactérias, presentes na boca. O principal objetivo da Odontologia é manter ou melhorar a qualidade de vida do paciente. Este objetivo pode ser alcançado pela prevenção de doenças, pelo alívio da dor, aperfeiçoamento da eficiência mastigatória, aprimoramento da fonética e pela melhora da aparência Os materiais restauradores são divididos em 4 grupos: - metais - cerâmicas - polímeros - compósitos Os materiais restauradores incluem: - metais nobres e básicos - ligas de amálgama - cimentos - compósitos (resina composta) - ionômero de vidro - cerâmicas (porcelanas) - gesso - revestimento para fundição - ceras odontológicas - compostos para moldagem - resina para base de prótese (resina acrílica) MATERIAIS DENTÁRIOS RESTAURADORES  Materiais restauradores diretos: Intra-oral (procedimentos na boca), para confeccionar restaurações ou próteses diretamente nos dentes ou nos tecidos.  Materiais restauradores indiretos: Extra-oral (procedimentos fora da boca), em que os materiais são utilizados indiretamente em fundições ou outras réplicas de dentes ou tecidos.  Materiais restauradores auxiliares: São substâncias utilizadas no processo de fabricação de próteses dentárias ou aparelhos que não fazem parte destes itens.  Materiais restauradores provisórios: É uma subcategoria de materiais restauradores e incluem produtos usados para restaurações e aparelhos dentários destinados à aplicação por um médio ou longo período.

estética.fator econômico. . . . .biocompatibilidade. .Todo material tem que ter autorização da A.propriedades relacionadas à aplicação envolvida .A (American Dental Association).D.Relacionar o conteúdo da disciplina de Materiais Dentários com as demais disciplinas do currículo.propriedades físico-químicas.não devem ter potencial carcinogênico.Resinoso . O selo de aceitação da ADA: Dentistas e consumidores de produtos odontológicos têm recomendado o selo de aceitação da ADA como um importante símbolo de segurança e efetividade para produtos odontológicos.Conhecer o desenvolvimento dos materiais restauradores para concluir a respeito da situação atual dos mesmos.Metálico . para indicar a sua aplicação nos processos de recuperação oral Estrutura e propriedades da Matéria Durante a seleção dos materiais dentários para o emprego clínico.Valorizar e identificar os materiais restauradores.Identificar os materiais restauradores com fundamento nas evoluções e suas necessidades em função da aplicação. como: . Objetivo: . tem a função de controlar as característica e propriedades físicas e química de um material de modo a assegurar um desempenho satisfatório do material quando este é adequadamente empregado. vários propriedades dos materiais devem ser levadas em consideração.Cerâmico . . . .não devem prejudicar à polpa nem aos tecidos moles. . com fundamento nas suas propriedades. .características físicas e químicas .devem ser livres de agentes sensibilizantes que possam causar reações alérgicas.não devem conter substâncias tóxicas (sistema circulatório).característica de manipulação.manipulação (para desenvolver as propriedades mais satisfatórias) Biocompatibilidade: .composição química . ESTRUTURA DA MATÉRIA Substrato . A cada material é estudado: .

Propriedades químicas. Por terem a mesma composição os elétrons estão em constante movimentação. Sólido . carrega uma carga positiva substancial. Propriedades químicas. como flúor. Nestas circunstâncias. LIGAÇÕES INTERATÔMICAS PRIMÁRIAS  Iônicas: São as ligações químicas mais simples. Os pares formados são compartilhados por ambos os átomos.  Covalentes: É a ligação em que os átomos se unem através das últimas camadas para a formação dos pares eletrônicos. Propriedades mecânicas.Gasoso . a quantidade de energia necessária para romper uma determinada ligação é exatamente a mesma quantidade que é liberada quando da sua formação. ENERGIA DE LIGAÇÃO (Adesão): Nas uniões químicas covalentes.ESTRUTURA DA MATÉRIA 1. resultado da atração de cargas positivas e negativas. resultam moléculas muito polares. LIGAÇÕES INTERATÔMICAS SECUNDÁRIAS  Pontes de hidrogênio: Uma atração dipolo-dipolo particularmente forte ocorre quando o hidrogênio está ligado a um elemento eletronegativo muito pequeno. ENERGIA TÉRMICA: É explicada pela energia cinética dos átomos ou moléculas a uma dada temperatura. exercidas entre as moléculas constitutivas da matéria. Propriedades físicas.  Metálicas: São ligações baseadas em estruturas metálicas cristalinas. 3. 1. oxigênio ou nitrogênio. LIGAÇÕES INTERATÔMICAS “As forças que mantêm os átomos unidos são chamadas de coesivas” LIGAÇÕES INTERATÔMICAS  Primárias: Natureza química  Secundárias: Natureza física A resistência destas uniões e a habilidade de refazer as ligações quando rompidas.Líquido . 2. determinam as propriedades físicas do material. que têm sua origem na distribuição de cargas positivas e negativas na molécula. nas quais o átomo de hidrogênio. extremamente pequeno. formando uma “nuvem de elétrons ionizados”. Exemplo: a molécula de água  Forças de Van Der Waals: São forças de atração de natureza eletrostática.

ADESÃO E UNIÃO  A adesão é a união química de moléculas diferentes. de tal forma que cada átomo está situado em uma posição semelhante em relação ao outro.  Tensão superficial é a resistência à separação.  A coesão é a união de moléculas do mesmo tipo.  Átomos sempre na mesma posição. adesão mecânica (embricamento) ou a combinação de ambos os tipos.  Tipos de adesão podem ser: adesão química. Em Odontologia refere-se ao embricamento mecânico dos materiais nas estruturas do dente.Não apresenta uma temperatura definida de fusão. . No estado sólido eles estão combinados de forma a apresentar uma energia interna mínima. vidro. líquidos. Possuem ponto fusão fixo. resinas sintéticas.  Energia de Superfície: . Exemplos: ceras. Exemplo: metais Existem 14 tipos possíveis de grades espaciais.Elevação da temperatura Aumento da amplitude da vibração atômica ou molecular Aumento do espaço interatômico Expansão térmica Mudança de estado físico Estruturas cristalinas e não cristalinos ESTRUTURA CRISTALINA  Os átomos são unidos por forças primárias ou secundárias. ESTRUTURA NÃO CRISTALINOS . em vez de atração molecular. A coesão do metal é maior que a coesão da resina composta. que possui uma película de líquido entre duas superfícies bem adaptadas.A distribuição das moléculas é feita ao acaso (materiais amorfos). ADESÃO E UNIÃO  Adesão Mecânica: Uma forte aderência de uma substância à outra pode ser obtida por intermédio de adesão ou retenção mecânica. ESTRUTURA CRISTALINA  GRADE ESPACIAL (CRISTAL): É o arranjo de átomos no espaço.

 pH: . .relaxamento estrutural e de tensões. . 2 . Como o álcool ou a acetona são solventes extremamente voláteis. Ácido Fosfórico)  Reação de Presa: .Ácido (Fosfato de Zinco.resistência à abrasão. Exceto os cimentos resinosos e as resinas compostas que são quase insolúveis.É a energia da superfície da estrutura que possibilita a adesão.viscosidade.Neutro (Óxido de Zinco Eugenol) .Propriedades físicas: . na sua composição para ficar extremamente fluido. Ela ocorre nos cimentos de policarboxilato e ionômero de vidro.creep e escoamento. (capacidade da material resistir ao desgaste) . melhor será a adesão. Adesão a Estrutura Dentária: . possibilitando o embricamento do adesivo na dentina. Propriedade relacionada a dureza do material: .cor e percepção de cor (está presente em grande parte das atividades do dentista).  Ângulo de Contato: Quanto menor for o ângulo de contato. água.União química entre o material restaurador e o dente. se fosse insolúvel. Ex. sua ação profilática não aconteceria. (medida da consistência e incapacidade de escoamento de um fluido) .condutibilidade térmica (é a quantidade de calor que atravessa um corpo). (É uma deformação plástica dependente do tempo de um material sob uma carga estática ou tensão constante) .Alcalino (Hidróxido de Cálcio) .  Molhamento: Os sistemas adesivos atuais são hidrofílicos (afinidade com a umidade da dentina). ABRASÃO  A dureza tem sido freqüentemente utilizada como um índice da capacidade do material de resistir ao desgaste e à abrasão. eles evaporam rapidamente. O Cimento de Ionômero de Vidro libera flúor porque é solúvel. O flúor aderido ao dente diminui a energia de superfície do esmalte dentário.Ácido + Base à Sal .Embricamento mecânico .Cristalização .Geleificação  Solubilidade e Desintegração: No geral os cimentos são solúveis. Possuem álcool (acetona).

RELAXAMENTO ESTRUTURAL  É o alívio da tensão induzida em um sólido durante uma deformação plástica. COR E PERCEPÇÃO DE COR  Matiz: é a cor propriamente dita  Croma: é a tonalidade da cor  Valor: opacidade ou brilho da cor PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS  Condutividade térmica  Difusibilidade térmica  Calor específico  Expansão térmica linear  Propriedades Térmicas e Elétricas: Os materiais podem conduzir calor e eletricidade  Coeficiente de Expansão Térmica: .Força de mordida. Características reológicas.  Existem materiais dentários não cristalinos que podem relaxar durante o armazenamento em temperatura ambiente. etc. . VISCOSIDADE  É a medida da consistência de um fluído e a sua incapacidade de escoamento.Variações de temperatura..). O creep do amálgama deve ser baixo. . após terem sido curvados ou moldados (ceras. resinas.  Alteração na forma ou contorno do sólido como resultado do rearranjo atômico ou molecular. . (Reológicas é a ciência que estuda o escoamento da matéria e seus comportamentos) MATERIAIS TIXOTRÓPICOS  São líquidos que se tornam mais fluidos sob pressão.  A viscosidade é inversamente proporcional ao escoamento. É adicionado um peso sobre o amálgama e mede-se sua deformação. ESCOAMENTO E CREEP  É uma deformação plástica dependente do tempo de um material sob uma carga estática ou tensão constante.Abrasividade da dieta.Composição dos líquidos. .Freqüência de mastigação. Creep: Determina o escoamento quando o amálgama já cristalizou.

.Propriedades mecânicas: . . TENSÃO E DEFORMAÇÃO  Deformação Elástica: Quando se remove a força o corpo volta ao seu estado inicial. quando este está sujeito à uma tensão. . TENSÃO E DEFORMAÇÃO  Tensão: É a força por unidade de área atuando sobre milhões de átomos ou moléculas em um dado plano do material. de cizalhamento e por flexão. CORROSÃO  É a perda de átomos da superfície externa do material por meio de agentes químicos (saliva. É importe conhecermos as temperaturas de fusão dos materiais que usamos. etc. .)  Alguns metais e ligas são resistentes à corrosão graças ao seu caráter inerente de nobreza ou por produzirem uma camada superficial protetora.tensões: de tração. GALVANISMO  Corrosão galvânica: corrosão eletroquímica que ocorre quando metais diferentes entram em contato físico. . pois caso contrário haverá fusão das duas.dureza.módulo de elasticidade.resistência.Alteração no comprimento de um corpo (em unidade de comprimento) quando a temperatura varia de 1ºC. alimentos.  Deformação Plástica ou Permanente: O material não volta ao estado inicial. TEMPERATURA DE FUSÃO  Temperatura para fundir o material.resiliência. O cimento de Ionômero de Vidro é o que mais se aproxima do coeficiente de expansão térmica das estruturas dentárias. .  Deformação: É a mudança no comprimento por unidade de comprimento do material. o material usado para solda deve possuir temperatura de fusão inferior à da liga metálica que vai ser soldada. de compressão. 3 .retenção.  Choque galvânico: sensação de dor causada pela corrente elétrica gerada quando dois metais diferentes estão em contato no meio oral. pois numa soldadura de alguma liga metálica.

) RESISTÊNCIA AO IMPACTO  É a energia necessária para fraturar um material sob uma força de impacto. FADIGA: .TENSÃO E DEFORMAÇÃO  Tensão: medida através de uma área determinada. etc. Tensão > Força de atração = Fratura TIPOS DE TENSÃO E DEFORMAÇÃO  Tensão de tração .  Deformação: mudança na dimensão. RESISTÊNCIA  É a tensão máxima necessária para fraturar uma estrutura.Resistência à compressão .Resistência ao cisalhamento RESISTÊNCIA À ABRASÃO  É a resistência do material ao desgaste mecânico ocorrido no contato com dentes e demais elementos do meio bucal e extra-bucal (alimentos sólidos.  Quanto maior é o módulo de elasticidade.Deformação por compressão Resultado = contração  Tensão de cisalhamento .Resistência à tração . .Deformação por cisalhamento Resultado = cizalhamento MÓDULO DE ELASTICIDADE (MÓDULO DE YOUNG)  O módulo de elasticidade representa a rigidez de um material dentro da variação elástica.Deformação por tração Resultado = alongamento  Tensão de compressão . FLEXIBILIDADE:  É a deformação que ocorre quando um material sofre tensões equivalentes ao seu limite de elasticidade (tensão acima da qual o material não recupera seu estado original quando a força é removida). líquidos. mais rígido é o material. Ex: aparelho ortodôntico RESILIÊNCIA:  É a quantidade de energia absorvida por uma estrutura quando as tensões não excedem o seu limite de proporcionalidade (capacidade de o material absorver energia sem se romper).

DUREZA:  É a resistência de um material à penetração (capacidade de o material resistir a riscos e perfurações).GESSO: Identificar os diversos tipos de gesso e conhecer a estrutura do material. Brinnel. com fundamento nas suas respectivas propriedades. Knoop 1 . 2 . de acordo com as diferentes finalidades do material. Existem vários tipos de testes de dureza superfícial.É a habilidade de um material para formar fios. Indicar e valorizar o uso dos diferentes tipos de gesso. Executar a manipulação dos gessos com base na relação A/P. . TENACIDADE:  Capacidade do material de absorver energia elástica e se deformar sem fratura (resiliência) DUCTIBILIDADE:  É a habilidade de um material para suportar deformações permanentes sob uma carga de tração sem fraturar. São fraturas que ocorrem nos materiais por forças mesmo abaixo do limite de proporcionalidade (é a fratura progressiva de um material sob repetido carregamento). MALEABILIDADE:  É a habilidade de um material para suportar deformações permanentes sob uma carga de compressão sem fraturar. Exemplos: Barcol. Vickers. . Rockwell. MATERIAIS DE MOLDAGEM: . A maioria é baseada na capacidade da superfície do material de resistir à penetração por uma ponta de diamante ou esfera de aço sob uma carga específica.MATERIAIS DE MOLDAGEM:  Moldagem: .É a reprodução positiva obtida a partir da moldagem. Shore.  Modelo: .É a habilidade de um material para formar chapas.É a técnica de reprodução negativa dos tecidos bucais.

A ativada por microondas Uso na Odontologia : • Próteses dentárias: Definitivas: próteses totais. para indicar o uso do material.goteiras.A. POLÍMEROS (resina acrílica): Conhecer a estrutura dos plásticos sintéticos de uso odontológico. formando grandes cadeias. identificar os tipos de resina conforme a composição e indicar as suas finalidades na prática profissional.R. sua composição. Conhecer os diversos tipos de resina de uso odontológico.CIMENTOS ODONTOLÓGICOS: São usados como materiais restauradores apresentam baixa resistência quando comparados ao amálgama e a resina composta. Conhecer a composição das godivas. coppings de moldagem.Conhecer a classificação dos materiais para impressões e estabelecer as relações existentes entre as propriedades apresentadas e as indicações específicas. das pastas de óxido de zinco e eugenol.R. a manipulação dos diversos tipos apresentados. Tipos de resina acrílica em uso na Odontologia . Além disso também são usados.A.Q (resina acrílica ativada quimicamente) . CIMENTOS ODONTOLÓGICOS: . dos hidrocolóides e dos elastômeros.A. como forramento e base de restaurações e principalmente como agente cimentante de restaurações indireta. 3 .F.R. as suas respectivas propriedades e efetuar a sua manipulação. sua manipulação e suas propriedades.moldeiras individuais. de prótese fixa e aparelhos ortodônticos. guias cirúrgicos 4 .A.T (resina acrílica ativada termicamente) . cujas características são de possuir moléculas muito grandes.R.A .POLÍMEROS (resina acrílica): DEFINIÇÃO: Resinas sintéticas ou plásticos representam um grupo de materiais. próteses parciais e unitárias Provisórias: próteses parciais (perereca) e coroas provisórias • Prótese buco-maxilo-facial • Aparelhos ortodônticos • Placas miorelaxantes • Material auxiliar para confecção de próteses: . padrão de fundição • Material auxiliar em cirurgia e implantodontia: .

estrutura e propriedades. 5 .COMPÓSITOS (resinas compostas): ADESIVOS DENTINÁRIOS Definição: Uma resina fluida com uma química específica que se liga a hidroxiapatita da dentina e do esmalte. quando polida. Resinas Compostas: noções sobre composição. policarboxilato. CIMENTOS ODONTOLÓGICOS: fosfato de zinco. boa refletora de luz”.LIGAS METÁLICAS: METAL: “É uma substância química opaca brilhante. selantes e cimentos resinosos. promovendo uma adesão química verdadeira. efetuar a sua manipulação e indicar seu uso na prática profissional. manipulação e propriedades. RESINA COMPOSTA Definição: Material composto ou compósitos – podem ser definido como um composto de dois ou mais materiais diferentes com propriedades superiores ou intermediárias àquelas dos constituintes individuais. boa condutora de calor e eletricidade e. ionômero de vidro. . estrutura e propriedades. LIGAS METÁLICAS: “É uma substância metálica que contém dois ou mais elementos. efetuar a sua manipulação e indicar o seu uso na prática profissional. através de ligações iônicas e covalentes e uma retenção micromecânica no colágeno dentinário. na qual pelo menos um desses elementos é solúvel na condição de fundido”. hidróxido de cálcio. agente de união e um sistema de ativador e inibidor COMPÓSITOS (resinas compostas): Conhecer e identificar os diversos tipos de materiais restauradores não metálicos com fundamento na sua composição. silicato. uma carga de partículas inorgânicas. óxido de zinco e eugenol. Sistemas adesivos.Conhecer e identificar os diversos tipos de cimentos com base na sua composição. resinoso. 6 . Ex: matriz de resina.

Conhecer a composição do amálgama de uso odontológico. CERAS: Conhecer a composição. REVESTIMENTO: Conhecer a composição. Conhecer as ligas metálicas e identificá-las com base nos diagramas de constituição. a sua fabricação e os tratamentos térmicos a que são submetidos. 8 . a estrutura e as propriedades das ceras. cobre e. AMÁLGAMA: Conhecer o amálgama de uso odontológico. efetuar a sua manipulação e indicar as suas finalidades na prática profissional. algumas vezes. 7 . as faces principais do seu emprego e identificar os aspectos clínicos da sua utilização.AMÁLGAMA: 1. 1989). empregada para restaurações dentárias (LEINFELDER. o zinco ou outros metais em baixa concentração. . O QUE É AMÁLGAMA? Por definição. Aplicar os princípios dos tratamentos mecânicos efetuados nos metais e nas ligas metálicas nos procedimentos profissionais de restauração. 9 . Conhecer a estrutura e as propriedades do amálgama de uso odontológico. passam para o estado líquido.CERAS: CERAS: São materiais orgânicos que se encontram de forma sólida à temperatura ambiente e quando aquecidas.REVESTIMENTO: REVESTIMENTO: O revestimento pode ser descrito como um material de cerâmica adequado para formar um molde no qual a liga metálica será fundida. as funções dos componentes. de uso odontológico para o e efetuar a sua manipulação. a estrutura e as propriedades dos revestimentos. Efetuar a manipulação do amálgama e indicar o seu uso com fundamento nas propriedades do material.LIGAS METÁLICAS: Conhecer as propriedades e estrutura dos metais e identificar as transformações que ocorrem durante a solidificação. o amálgama é uma liga metálica produto de uma reação do mercúrio com a prata. estanho. de uso odontológico para fundição e efetuar a sua manipulação.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful