Você está na página 1de 32

QUINZENÁRIO INDEPENDENTE AO SERVIÇO DAS COMUNIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA

2 a Quinzena de Junho de 2009


Ano XXIX - No. 1065 Modesto, California
$1.50 / $40.00 Anual

M a n u e l E d u a r d o Vi e i r a
premiado em Lisboa

DESPORTO Pág. 22 Manuel Eduardo Vieira recebendo das mãos do Presidente da Republica
Cavaco Silva, o Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portugue-
Ronaldo no Real Madrid sa instituído pela COTEC. Foto de Antonio Freitas Página 4
por 93 milhões de euros
Eleições Europeias fora de Portugal
97.8 % de abstenção - uma lição
Esta é a resposta Bem haja Cavaco Silva por ter vetado tal lei.
do povo Português Essas cabeças “brilhantes” desses deputados proponen-
residente fora de tes de tal lei, não valem meia duzia de milhas que pos-
Portugal, à lei in- samos conduzir para votar neles.
ventada por cabeças A lição foi dura. É uma vergonha para Portugal, mas é
“brilhantes” do par- uma grande vitória para nós, haver 97.8 % de abtenção.
tido socialista que Continuamos a dizer BASTA a todos aqueles que ten-
impuseram o voto tam pensar por nós.
presencial, fazendo Aqui na California os resultados foram desastrosos para
gato sapato de to- quem pensava que fazer leis em Portugal sem ouvir a
dos nós. Esta é uma voz do nosso povo ausente, por interesses partidários,
grande vitória da seria possível. Não foi, nem nunca será.
democracia em res- Houve 26 votos na California, num horizonte de 197 re-
posta a uma lei fas- censeados, ou seja 86,80 % de abtenção.
cizante, reacionária Passados 35 anos do 25 de Abril ainda há muita gente
e muito pouco inteligente. que não merece a nossa atenção, nem merece representar
José Sócrates o que deveria fazer agora, era limpar o o povo Português, quer na Europa, quer em Portugal.
seu partido dessa escumalha que só faz mal a Portugal O oportunismo, a falta de classe, a aldrabice política,
e põe-nos a pensar cada vez pior dos políticos do nosso um dia vai acabar.
País de origem. Quem semeia ventos, colhe tempestades...

portuguesetribune@sbcglobal.net • www.portuguesetribune.com • www.tribunaportuguesa.com


2 SEGUNDA PÁGINA 15 de Junho de 2009

Mensagem do Presidente da República dirigida às


Comunidades Portuguesas por ocasião do Dia de
EDITORIAL Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas
Reflectir o futuro
Portugueses e luso- directo com as comunida- rado de forma plena.
Há um fenómeno na nossa comunidade muito interessan- descendentes, des da diáspora. Não por acaso, ainda on-
te, mas preocupante. Não esqueçamos que, tem tive o gosto de distin-
O primeiro exemplo vem de há cerca de vinte anos, Neste Dia de Portugal, de É fundamental conhecer- como disse o escritor Mia guir com o “Prémio Em-
quando o Portuguese Athletic Club, abriu as suas portas Camões e das Comunida- mos a realidade concreta Couto, a identidade dos preendedorismo Inovador
a mais gente, provocando assim um choque social muito des Portuguesas, saúdo dos Portugueses que emi- emigrantes é uma «identi- na Diáspora Portuguesa”
significativo. Quando se elegia o Presidente A, mais os Portugueses que vivem graram. Só assim estare- dade fugidia». um jovem que, na Holan-
de metade dos sócios saíam, e o novo Presidente trazia ou trabalham fora do seu mos a par dos seus anseios, da, criou uma empresa de
consigo mais uma centena de pessoas. No ano seguinte, País, bem como os luso- das suas necessidades, do É imprescindível que a aplicações de «software»
entrava o Presidente B, e o fenómeno acontecia na mes- descendentes que, nas sete seu amor à Pátria, do seu identidade dos nossos para telemóveis que fac-
ma. Saíam muitos, entravam outros. Devemos ser sócios partidas do mundo, man- profundo e comovente de- emigrantes não seja fu- tura 2 milhões de euros
de uma sociedade pela amor que temos a ela e não por ser têm acesa a chama da por- sejo de preservar os laços gidia e que, com o passar por ano e tem 70 milhões
tugalidade. que os unem a Portugal. dos anos, não se percam os de utilizadores, e um por-
dirigida por este ou por aquele.
elementos essenciais que tuguês, residente na Cali-
As nossas organizações do Espirito Santo e afins tem
«Quanto mais longe vou, Mas estes laços têm de ser ligam as comunidades da fórnia, presidente de uma
uma característica diferente - os Presidentes mais conhe-
mais perto fico», foram materializados em acções diáspora à terra de onde empresa agro-alimentar, a
cidos atraem mais donativos e mais pessoas a participar. concretas. Não bastam vieram. Porque essa terra maior produtora mundial
palavras que Miguel Torga
Um Presidente menos conhecido não atrai tantos do- meras palavras de apreço tem um nome: Portugal. de batata-doce biológica,
nos legou, num inesquecí-
nativos e as pessoas não participam na festa no mesmo nem simples discursos de que factura 36 milhões de
vel poema. Torga conhe-
número que anteriormente. ceu e viveu a realidade ocasião. E, como Portugueses que euros por ano e emprega
Sendo o Portuguese Atlhetic Club um club privado não da diáspora, sabia do que todos somos, temos um 700 pessoas.
religioso, pode-se compreender esse movimento de pes- falava. Não é possível construir dever colectivo e patrióti-
soas, muito embora não faça sentido algum. uma relação autêntica com co: tornar real o que pode Orgulho-me de ter contri-
No respeitante às festas tradicionais, isso nunca deveria É essencial sabermos do as comunidades tendo por ser fugidio, construir uma buído para que a política
acontecer, porque a festa, sendo religiosa, nada tem a ver que falamos, quando fa- base apenas proclamações identidade própria, capaz da diáspora esteja mais
com os Presidentes escolhidos. Afinal onde está a fé no lamos da diáspora portu- retóricas sobre os afectos de superar as distâncias e atenta à necessidade im-
Espírito Santo? guesa. Por isso me tenho ou os sentimentos. as saudades. periosa de manter intoca-
O que é que quer dizer tudo isto que temos observado em esforçado para contactar dos os direitos cívicos dos
algumas das nossas festas do Vale de San Joaquin? de perto as comunidades Deve garantir-se que os No século XXI, em que as emigrantes.
Dá que pensar e é assim que se afugenta muita malta portuguesas dispersas pelo Portugueses da diáspora distâncias diminuem num
nova que gostaria de prosseguir todo o trabalho feito mundo. mantenham laços efectivos mundo global, as questões Orgulho-me de Portugal e
pelos pais e amigos. com o Portugal de onde relacionadas com a diás- de ser Português. E, neste
Merece uma certa reflexão. Sempre que me desloco partiram. Entre eles, avul- pora não podem continuar dia 10 de Junho, quero di-
em visitas oficiais ao es- ta, naturalmente, o víncu- a ser tratadas através do
zer muito vincadamente:
trangeiro – como sucedeu lo da cidadania. Por isso, tradicional discurso sau-
orgulho-me de todos os
este ano, na viagem que defendi, através de actos dosista e passadista, em
que querem continuar a
fiz à Alemanha –, procuro concretos, que o exercício que se enaltecem os afec-
dos direitos cívicos pelos tos mas se esquecem as ser Portugueses.
jose avila que o programa oficial in-
clua momentos de diálogo emigrantes fosse assegu- realizações concretas.

Year XXIX, Number 1065, June 15, 2009


PATROCINADORES 3
4 COLABORAÇÃO 15 de Junho de 2009

Da Música e dos Sons Quo Vadis Entre o Pacifíco e o Atlântico

Nelson Ponta-Garça Cinco Chagas Rufino Vargas


npgproductions@gmail.com
(III)

Joe Oliveira Quartet


P
ara além das activida- não tenha deixado de auxiliar esta non” (indispensável) abrir as por-
des do currículo escolar construção tão grandiosa. Foi so- tas aos nossos vizinhos de porta
da praxe, o passatempo lenemente dedicada no dia 13 de e outras etnias. Acima de tudo a

L
costumário dos fins de julho de 1919 e o que mais faz so- Igreja Católica Romana é univer-
ast month, by invitation of Joao de Brito, I witnessed a semana para a malta jóvem do bressair a majestade deste templo sal, abrangendo o mundo inteiro.
wonderful Jazz Quartet at Cafe Barrone Menlo Park web meu tempo, era inexorávelmen- é o seu feitio genuino que nos faz O Tribuna Portuguesa verdadeiro
site: http://www.cafeborrone.com te o futebol e o cinema. Um dos recordar com saudade,a grande- arauto Português no «Far-West»
grandes clássicos da sétima arte za e magnificiência das nossas Americano, na sua edição de 15
After a great cup of tea and and a great conversation with Joao de que Hollyood produzíu no início principais igrejas açorianas»...É de novembro de 2007, foi men-
Brito and the owner, the possibility of having a Fado night for “Non da década de 50 foi o filme “Quo um ex-libris e joia da coroa cionado por este escriba a preo-
Portuguese” audience at this great venue was something that will, Vadis”, baseado no encontro de para todos os portugueses na cupação do Padre Mancuso sobre
perhaps, happen in the near future. Jesus Cristo com o apóstulo Pe- diáspora,independentemente do a situação problemática da escola
dro, quando este fugia das perse- seu grau religioso ou localização das 5 Chagas, causada primá-
Leading the Qaurtet, I found, Joe Oliveira, the sun and manager of
guições desencadeadas pelo neu- geográfica. É de realçar o facto riamente pela escassez de ma-
the very well known artist “Nathan Oliveira”. rótico imperador romano Nero. que esta igreja, para além de ser o triculas e descalabro financeiro.
Growing up with art and music all around him, gave Joe Oliveira no- A Igreja Nacional Portuguesa de templo do Senhor, tem servido ao Após 49 anos de existencia será
choice but to follow his jazz path. His father, renowned American S.Jose da California encontra-se longo dos anos de sala de visitas e encerrada neste ano de 2009. Foi
painter, and Stanford Professor, Nathan Oliveira would play novamente numa encruzilhada salão nobre da comunidade, sem- fundada em 1960, pelo Rev. Má-
everything from Count Basie, to Duke Ellington, to Stan Getz, Cole- de caminhos,em que a comunida- pre que entidades representativas rio Cordeiro. Foi inevitável o seu
man Hawkins the works. His father gave him a trumpet at age 4, the de terá que escolher a rota mais do governo regional ou central encerramento, mas como diz o
same horn he had played as a boy. Joe made quick work of it, tearing certa a seguir. Tem novamente nos visitam. Sob a liderança do povo “Deus não fecha uma porta
the bell right off the trumpet after seeing Dizzy Gillespie on TV. um novo pastor-Padre Donald padre Mancuso e imprescindível que não abra outra”. Qual será o
“I was impressed with that horn of Diz’s… that bell pushed straight Morgan, que assumirá o seu mú- ajuda dos paroquianos e outras destino daquelas instalações? O
up like that…” “I already had my first great Jazz story, and I was nus sacerdotal oficialmente a 1 almas santas, foi instalado um ideal seria criar e implementar
just 4”! A week later he had been moved to clarinet, where he flou- de Julho de 2009.Vai substituir tecto novo. Já não chove na Casa um projecto em beneficio da pa-
rished. o P. Tony Mancuso, que durante do Senhor.Também foram efectu- róquia e comunidade. Não posso
Joe would later meet Dizzy, 1985, when Dizzy came through the 2 anos serviu esta paróquia,com adas várias obras de jardinagem, deixar de congratular,a direção
Stanford Jazz Workshop. “telling him that story was an incredible muito zêlo e dedicação. Era es- que muito embelezaram o passal do Tribuna Portuguesa pela co-
timado por todos, incluindo a e o recinto da igreja. É imperati- bertura assaz oportuna e impar-
moment, a life moment”. Moving over to the tenor sax just before camada jovem.Numa simples vo, não esquecer que não obstan- cial dos assuntos em epígrafe,
high school, Joe found his calling. By this time he was competing sinopse histórica...esta que eu te esta igreja ter sido fundada por incluindo a sondagem electrónica
and wining soloist awards at many California high school jazz festi- penso ser a unica igreja com a de- Portugueses e manter o privilé- sobre o futuro da escola. O meu
vals, to include the Monterey “High School” Jazz Festival. Knowing signação de nacional portuguesa, gio de nacional, está subordinada reconhecimento é extensivo ao
his passion, Joe went on to become a music performance major at pelo menos na costa ocidental à autoridade canónica da Diocese jornal «Ilha Maior» da pictoresca
California State University at Fresno, where he made it to lead tenor dos Estados Unidos,foi fundada de S. Jose. Actualmente a imi- Vila da Madalena no Pico, pela
in the renowned CSUF “A Band”, placing top 3 in the state at that a 13 de Novembro de 1914, du- gração proveniente de Portugal publicação deste e muitos outros
time. That band toured through Europe, summer 1985, playing in rante a I guerra mundial, pelo e mormente das ilhas é prática- artigos respeitantes à diáspora,
every major jazz festival, to include the prestigious Montreux Jazz faialense Monsenhor Henrique mente inexistente. A verdade nua em que alguém chamou “Décima
festival. After college, Joe held positions at Stanford University, as Ribeiro, natural da freguesia dos e crua é que os velhos da primeira Ilha” e um autarca de uma cidade
the coordinator for the committee for Jazz – and was assistant to the Cedros ilha do Faial. De acordo camada emigratória, estão paula- Micaelense, mui sábiamente de-
director, and assistant director for over a decade at the Stanford Jazz com o seu diário pessoal...« na ci- tinamente a juntar-se ao Reino clarou: Não há emigrantes, somos
workshop. dade de S. Jose e nas povoações celestial e se pretendemos asse- todos açorianos. Bem Hajam.
próximas,não creio que haja uma gurar a existencia da nossa igreja
At the same time, Joe was booking various forms of the Joe Oliveira
única familia portuguesa, que no futuro,é condição “sine qua
Group, always gigging around the bay area. In the mid 80’s, Joe had
the great fortune to study his craft with the late great saxophonist
Stan Getz. He had the honor of knowing, studying and being friends DISH NETWORK® APRESEN- DISH Network. “Esta nova oferta dá maiores opções
para os clientes e assegura os direitos de escolher a
with Stan from 1983 – 1991 up until his death. Stan’s influence is TA UMA OFERTA FLEXIVEL melhor forma de ter acesso a TV internacional.” A
evident as soon as you hear Joe play. “To be in a room by yourself oferta requer que novos clientes paguem pelo servi-
and hear Stan, even if it was a scale, it’s as if the heavens opened PARA NOVOS CLIENTES ço adiantado. Para maiores informações, ligue para
up… to get that sound” ! Stan included Joe in many of his local 1-800-333-DISH. DISH Network A DISH Network
performances, one of which came when Joe was in living in Lon- Ideal para clientes internacionais com residência (Nasdaq: DISH), terceira maior companhia de TV
don, playing in various jazz/r&b/blues groups from 1986 – 1988. temporária por assinatura do país é líder em televisão digital,
Stan was coming through London, and called him on the phone “Joe, ENGLEWOOD, Colo., – A DISH Network® (NAS- fornece seus serviços para aproximadamente 13.79
I want you to sit in with my quartet at the Royal Festival Hall..”, DAQ: DISH) anunciou uma oferta para novos clien- milhões de residências. A DISH Network ‘e líder
“I almost passed out then, I don’t know how I didn’t that night..” tes que oferece acesso a tecnologia de ponta DISH em sua indústria em satisfação do consumidor, do-
Network e aos melhores pacotes de programação minando por oito anos consecutivos, comparado
Joe continues to play locally, in various groups, to include being
através de um sistema fácil de pagamento de faturas. a provedoras via cabo. A DISH Network também
a member of the Way Back Machine, a Hammond Organ quartet. A oferta, que teve início em 13 de maio, e ideal para
“Jazz is more than a style of music, it’s America’s own indigenous fornece aos seus consumidores premiados serviços
clientes internacionais com residência temporária, de HD e tecnologia DVR, os quais receberam o pre-
art form that the world shares...” Joe’s musical style crosses through pois não requer cartão de credito, numero de Seguro
the idiom. His versatility on the saxophone has many voices, always mio Editor’s Choice (Escolha do Editor) da CNET
Social (Social Security), ou contrato. Os clientes que e PC Magazine. Alem disso, assinantes tem acesso
including a bluesy soulfulness, Joe enjoys performing everything assinarem aos serviços de televisão DISH Network a centenas de canais de vídeo e áudio, o maior nu-
from straight ahead, modal, Bossa, funk, to new age. através da nova oferta pagarão $149 pelo equipamen- mero de canais internacionais no pais, aplicações
Perhaps we will be able to see Portuguese Music, with Quality, at to, taxa de ativação e instalação. Os novos clientes interativas de liderança no mercado, programação
http://www.cafeborrone.com podem escolher entre uma grande variedade de pa- latina, e o melhor do esporte e filmes em alta defi-
cotes de programação à partir de $9.99/mês, incluin- nição. A DISH Network oferece uma variedade de
do os canais internacionais e americanos. Alem dis- pacotes e opções de preço, incluindo o menor preço
so, os clientes que aderirem a esta oferta, levam os em TV 100% digital nos Estados Unidos, alem do
canais americanos locais grátis por um ano e podem DishDVR Advantage Package, serviço de inter-
assinar a cinco canais de filmes premiums da Cine- net de alta velocidade, e um upgrade grátis para o
max por apenas 1 centavo por 12 meses. “A DISH melhor DVR em Alta Definição na industria (HD
Network e a líder de programação internacional, e
estamos contentes de oferecer esta nova maneira DVR). A DISH Network esta no índice Nasdaq-100
de assinar os serviços de televisão e acesso fácil às (NDX) e ‘e uma empresa Fortune 300. Para maio-
ofertas e promoções sem pedir por cartão de credito res informações, visite HYPERLINK “http://www.
ou numero de Seguro Social,” disse Chris Kuelling, dishnetwork.com/aboutus” www.dishnetwork.com/
Vice-Presidente de Programação Internacional da aboutus ou ligue 1-800-333-DISH (3474).
COLABORAÇÃO 5

Tribuna da Saudade Na companhia da Manjerona (2)


Ferreira Moreno

A
pós ter rabiscado, pre- com manjerona, como símbolo letas e molhos. narei o factodo uso da manjero- No fundo do mar pegasse,
viamente, uma ligeira de amor mútuo, honra e felicida- Hipócrates (460-377 AC), natural na em “fabricar rapé” e alegada- Nem cuidei que o meu amor
crónica àcerca da de. Era costume perfumar o in- da Grécia e considerado o mais mente com o mastigar de folhas Por outro alguém me deixasse.
manjerona, decidi dar terior das casas com manjerona, proeminente médico da antigui- da manjerona poder-se-á obter Aplantei a manjerona
continuidade à minha investiga- bem como aromatizar a cerveja dade, reconheceu a eficácia da lenitivo das dores de dentes, reu- À dianteira da cama;
ção, auscultando outras fontes de com manjerona. A manjerona manjerona, prescrevendo-a em matismo, indigestão e tosse. Se a manjerona crescer,
informação à procura de mais foi considerada benéfica na cura muitas das suas receitas. John E agora num àparte tardio, mas Há-de cobrir-me c’o’a rama.
curiosidades, entrelaçando refe- de sinusites e laringites. Um chá Gerard (1545-1612), autor do livro legítimo, seja-me permitido tra-
rências históricas com respigos de manjerona com mel tornava “General Histoire des Plants”, pu- zer à lembrança que, aqui há Apanhei murta, que é dor,
folclóricos. adocicada e maleável a voz dos blicado em 1597 e mundialmente tempos, numa crónica àcerca Da manjerona fiz molhos;
Embora mais conhecida e estima- cantadores e cantadeiras. E quem mais conhecido ao título “The da Salsa e da Salva, referi que a P’ra te ver torço caminhos,
da pelas suas qualidades aromáti- cuidava ungir-se com manjerona, Herbal”, recomendou a manjero- salsa identificava-se com o cul- Querido amor dos meus olhos.
cas e cosméticas, bem como pelo seria recompensado em sonhar na no tratamento de pessoas em to dos heróis e com a morte dos
seu uso diversificado na culinária com quem viria a casar. apuros com a chamada “doença mártires, estendendo-se à tradi- Ó pessegueiro, ouvi-me,
e na medicina, a manjerona regis- No livrinho “A Pocket Guide to dos soluços”. ção cristã sugerindo que “a salsa Ó damasqueiro, escutai-me,
tou igualmente determinada in- Herbs”, Jenny Linford aludiu ser Gerard, natural de Nanwich em só devia ser plantada em Sexta- Manjerona, dai-me alento,
fluência em várias superstições. a manjerona oriunda da Europa Cheshire (Inglaterra), foi um no- Feira Santa”. Ó cravo roxo, falai-me.
Assim, temos a notícia de que, Meridional, Norte d’África e Tur- tável ervanário cujo jardim em A verdade dos factos, porém,
antigamente, foi tradição plantar quia. Como produto medicinal, a Londres tornou-se famoso pela impõe a seguinte corrigenda: A Manjerona bate à porta,
manjerona junto às sepulturas, manjerona é usada em casos de raridade das suas plantas. O livro salsa pode ser plantada em qual- Alecrim: quem está aí?
com base na suposta crendice que bronquites, dores de cabeça e “The Herbal” destaca-se como quer dia do ano, excepto em Sex- É o cravo mais a rosa
isso concorria p’ra assegurar aos insónias. No entanto, devido ao sendo a primeira publicação dum ta-Feira Santa, por esse ser o dia Quem vem em cata de ti.
defuntos eterno descanso e tran- aroma delicado das suas folhas, catálogo de plantas e contém mais em que se comemora a morte de
quilidade às almas. a manjerona é utilizada particu- de mil espécies. Cristo na Cruz. Manjerona bate à porta
Na Idade Média, nas cerimónias larmente na culinária, incluindo Entre outras curiosidades relacio- Em despedida, deixo-vos com Alecrim vai ver quem é:
nupciais, coroavam-se os noivos salsichas, bolinhos,saladas, ome- nadas com a manjerona, adicio um aromático ramalhete de qua- É um açafate de rosas,
dras com o cheirinho da mimosa Com uma açucena ao pé.
manjerona...
Manjerona com seus galhos,
Manjerona c’o pé na água, Alecrim com seus enleios,
Bota raminhos de prata; Quando eu tomei amores,
Não é nada o ter amores, Logo foi com meus receios.
O apartar é que mata.
Meu amor, eu não declino,
A manjerona no adro Eu não posso declinar;
Deita cheiro na igreja; Manjerona à tua porta,
Nestas eras em que estamos, Sem ninguém a aprantar.
Ninguém logra o que deseja.

Não cuidei que a manjerona


6 COMUNIDADE 15 de Junho de 2009

Coisas & Loisas

Boas Notícias - este ano foi o Manuel Eduardo Vieira, para o


ano será outro. Uma grande geração de portugueses empreendedores
está espalhada por esse mundo fora. Portugal tardiamente vai recon-
hecendo os filhos que deixou partir. Uma grande vitoria da Califor-
nia, mas também de todo o mundo onde vivem portugueses.

Dia de Portugal, de Camões e das Comuni-


dades - vai ser um grande dia para milhares de pessoas, que
encherão mais uma vez o Kelley Park em San Jose, onde vão gozar
a nossa comida, a nossa música, e principalmente a amizade de toda
uma comunidade. A não perder.

Bolsas de Estudo - 38 jovens de descendência portuguesa


aplicaram para 7 Bolsas de Estudo oferecidas pela Portuguese His-
torical and Cultural Society, de Sacramento.
Os premiados foram: Roy Boone, de Corning; Marko Sohrakoff, de
Wheatland (cada um recebeu $1000 dólares); cinco bolsas de $500
dolares foram atribuídas a Tony Silva, de Redding; Amy Leach, de
Maxwell; Maya Biery, de Cloverdale; Cole Correia, de Pleasant
Grove e Amanda Woods, de Camino.
Os responsáveis pela selecção foram Mary Ann Marshall, Olivia
Lage, Lionel Holmes e Herb Perry.

Manuel Eduardo
CASAL OFERECE-SE PARA TRABALHAR
em limpesas, quer em casas particulares Vieira distinguido com
ou em escritórios.
Contactar 209-664-0352 o Prémio Empreendedorismo
DISH Network Lisboa, 08 Jun (Lusa) - Manuel Eduardo
Vieira, distinguido com o prémio Empre-
quenas através de embalagens em vácuo.”
O empresário, natural da Silveira, na Ilha
endedorismo Inovador na Diáspora Portu- do Pico, Açores, comercializa a sua produ-

Muito Mais por Menos guesa pela COTEC - Associação Empresa-


rial para a Inovação afirma que “é sempre
bom ver o trabalho e o esforço reconheci-
ção nos Estados Unidos da América, Cana-
dá e México, abastecendo 460 milhões de
consumidores.
dos.” “Não precisamos pensar (na expansão
RTP $4.00 + Turbo bronze ($9.99 ao mês, “Este prémio significa muito. É sempre a novos mercados) porque os mercados
bom quando vemos alguém a reconhecer norte-americano, canadiano e mexicano
válido por seis meses com contrato) = $13.99 o nosso trabalho e o nosso esforço, sobre- são suficientes para dar conta da produção.
tudo quando está presente o Presidente da Não temos necessidade de enviá-la para
ao mês República”, disse Manuel Eduardo Vieira, portos mais longínquos, onde o risco pode
presidente da A.V. Thomas Produce, uma ser grande”, disse à Lusa Manuel Eduardo
empresa dedicada à cultura de batata-doce Vieira.
Ligue agora mesmo. orgânica e convencional. Manuel Eduardo Vieira está também a
O empresário de 64 anos foi com 17 para o construir, em parceria com um amigo de
Rio de Janeiro, onde fez formação na área infância, um hipermercado nas Lajes do
Falamos Português 1-559-435-1276 comercial, e emigrou para os Estados Uni-
dos em 1972 para integrar a empresa do tio
Pico, nos Açores, que deverá abrir ao pú-
blico até ao final deste ano, prevendo-se a
Cell 1-559-347-8257 A.V. Thomas Produce que adquiriu cinco
anos depois.
criação de cerca de 70 postos de trabalho
directos.

Costa Electronics
“No ano passado, vendemos 50 milhões de O Prémio Empreendedorismo Inovador na
quilos não só dos 1.300 hectares que temos Diáspora Portuguesa, que tem o patrocínio

mas também das plantações de outros pro- do Presidente da República, destina-se a
dutores”, afirmou Manuel Eduardo Vieira, galardoar e divulgar publicamente cida-
sem revelar o montante respectivo dos lu- dãos portugueses que se tenham distingui-
Dealar autorizado do Dish network cros. do pelo seu papel empreendedor, inovador
Email - costatv@comcast.net A empresa de Manuel Eduardo Vieira, lí- e responsável, no contexto das sociedades
der na distribuição de batata-doce na Cali- de acolhimento, que reflectem a diversida-
fórnia, EUA, ocupa-se de todo o processo de e a riqueza da diáspora portuguesa no
de cultivo da batata-doce desde a selecção mundo actual.
de sementes até aos processos de colhei- Dos 67 candidatos ao Prémio Diáspora
ta, técnicas de conservação, embalagem e 2009, cuja faixa etária se situa entre os 36 e
transporte. 69 anos, houve representantes de todos os
O objectivo do empresário português, que continentes, sendo a Europa e o continente
recebeu hoje pelo Presidente da República, americano os de maior expressão em ter-
Aníbal Cavaco Silva, o prémio Empreende- mos de número de candidaturas.
dorismo Inovador na Diáspora Portuguesa, No que respeita à actividade desenvolvida
é “aperfeiçoar as últimas iniciativas” que a pelos candidatos, denota-se uma grande
A.V. Thomas Produce desenvolveu. diversidade em termos de sectores abran-
A empresa de Manuel Eduardo Vieira é gidos, destacando-se o empresarial e finan-
pioneira na criação de embalagens de bata- ceiro, a restauração e turismo e a investi-
ta-doce próprias para microondas em dose gação.
“individual e em tabuleiros de cinco bata-
tas-doces pequenas que ficavam na terra”, NYD/EL.
disse o empresário, garantindo que a A.V. Lusa/fim.
Thomas Produce foi “a primeira empresa a
comercializar estas batatas-doces mais pe-
COLABORAÇÃO 7

Rasgos d’Alma
Luciano Cardoso
Chapéus e Capas Negras
lucianoac@comcast.net

D
partilhar sem reservas o sucesso efusivo doado…melhor. integramos e alguns de nós acabamos por
esfilar em passo lento no calor dos seus filhos e filhas no meio académi- O que não quer dizer que – por mais “es- nos endinheiramos em fortunas invulga-
do mês de Junho em circuito co local. Já com apreciável abundância, tudo” que tenha e em português que a gen- res, tambem não deve haver ofensa maior
escolar com chapeu aos quatro temos por aí professores, engenheiros, te se entenda – um qualquer doutorzinho para um milionário bem sucedido do que
bicos e capa negra até aos pés, advogados, médicos e demais profissio- formado à pressa não passe dum burrico ouvir o descarado Ze Migrante rotulá-lo
como todos bem sabemos, não é pròpria- nais de alto gabarito com distintos cursos carregado de livros. de pobre de espirito.
mente desfile de moda chique mas é por superiores que muito nos orgulham como É triste quando uma pessoa supostamente São barretes incómodos que ninguem gos-
certo uma sensação única, um prémio sem etnia presunçosa cujos limitados numeros “muito educada”, ao fim e ao cabo, acaba ta de enfiar. Bem ao contrário dos vistosos
rival. minoritários não dizem tudo. por não ter mesmo educação nenhuma. chapeus de quatro bicos e das clássicas ca-
Nunca tive esse prazer. De forma alguma me atrevirei a implicar pas negras que, independentemente do que
Lá, na terra que me viu nascer, entre a que a de carpinteiro, eletricista, canaliza- No Portugal moderno dos nossos dias é o povo diga, ficam bem seja lá a quem for.
escola primária e o ensino secundário a dor ou duma qualquer agente imobiliária uma realidade indesmintivel essa dos dou- Parabens a todos esses fabulosos lusodes-
namorar ao longe um curso superior, dos – para não mencionar outras – sejam pro- torzinhos – os tais com um “d” minúsculo cendentes que orgulhosamente as enver-
seis até aos vinte, fui estudante com muito fissões de menor importância ou prestigio. – formados à pressa (com um bacherelato gam nestes festivos dias que Junho anual-
mérito, porem, sem nunca ter conseguido Nada disso! ou pouco mais) e às vezes sem fundamen- mente nos convida a celebrar!
subir ao pódio. Nada de peneiras nem de megalomanias to. Dá a impressão nitida de haver cada
Cá, nos States que nos acolhem e propor- despropositadas. Na America – felizmente vez mais essa ridicula mania dos titulos,
cionam as melhores oportunidades, é um e em português bem claro – a gente todos bem patente nos debates públicos da tele-
dos momentos de especial significado que faz a diferença. Um certificado, um diplo- visão que cá nos chega. As pessoas esque-
muito gosto de presenciar. ma, um “canudo” – seja lá de que tamanho cem-se que tem nome, antes de mais.
Felizmente, os meus filhos habituaram-me for – são valorizações simbólicas que não Fica feio a qualquer nivel social pretender-
a essa alegria de os ver receber com um se devem ignorar. se ser-se mais do que realmente se é.
sorriso nos lábios os diplomas que con- De facto, lá na
tinuam a merecer na suas vibrantes car- Para mim, uma das maiores belezas do nossa terra farta
reiras estudantis, a caminho dum futuro arrastado processo migratório que cá nos de presunções
risonho. trouxe, com sonhos e planos nem sempre e água benta,
É tambem parte do meu sonho. Vê-los concretizados à medida ambicionada, é não deve haver
desfilar…faz-me delirar. ver filhos de familias do nada…ao quase maior insulto
tudo. Gente boa e humilde, que na lá na para um doutor
É pena o delirio comunitário neste e em terra de origem estaria pràticamente con- leg it i ma men-
todos os outros Junhos não ser mais bem denada a rastejar sem remissão, chorando te laureado do
retratado nas páginas deste jornal. por aí de alegria nestes dias ao verem os que quando o
Nesta altura do ano, o orgulho imenso fes- filhos pisarem triunfantentemente o pódio atrevidinho Zé
tejado com amplo regozijo no seio de tantos das suas magnânimas ilusões. Povinho o ape-
lares imigrantes transborda sem medida. Claro está que um qualquer curso superior lida dum burro
As festarolas e os convivios a premiarem à não é necessàriamente sinónimo automáti- carregado de
grande os nossos filhos e netos pelas suas co de sucesso garantido nem muito menos livros.
honrosas “graduações” devem ser das fes- fórmula mágica de felicidade prolongada. Por cá, em pa-
tas mais bonitas que um agregado familiar Contudo, no curto percurso terreno de ralelo seme-
pode celebrar em comum. qualquer ser humano, o grau de educação lhante, na diás-
Acho que ninguem devia ter receio de formal quanto mais aperfeiçoado e galar- pora onde nos

ALUGA-SE
Casa de moradia toda mobilada com 4
quartos, cozinha, casa de banho, sala de
estar com quarto de jantar em comum,
máquinas de lavar e secar roupa, com
vista espectacular para toda a baia de
Angra e Monte Brasil, localizada na
cidade de Angra do Heroismo junto ao
Monumento da Memória, nos meses de
Junho, Julho e Agosto do corrente ano.

Para mais informações e outros deta-


lhes, chamar os numeros (408)-981-228
ou (408)-249-6369.
8 COLABORAÇÃO 15 de Junho de 2009

PROGRAMA PATTERSON
Quarta-feira, 17 de Junho
Festa do Divino Espirito Santo
1917 - 2009
até Sexta-feira, 19 de Junho
7:30 pm Reza do Terço na Igreja do Sagrado Coração.

Sábado, 20 de Junho
10:30 am Formação do Bodo de Leite. Depois, ser servido todos
os presentes.
2:00 pm Arrematações e bazar durante o dia.
7:30 pm Reza do Terço na Igreja do Sagrado Coração.
8:30 pm Baile com o Conjunto “Sem Duvida”
9:00 pm Cantoria
10:00 pm Apresentação das Rainhas

Domingo, 21 de Junho
9:30 am Formação do Cortejo para a Igreja do Sagrado Coração.
11:00 am Missa na Igreja do Sagrado Coração. Depois, será
servido sopas a todos os presentes.
2:00 pm Arremataçoes e bazar durante o dia.
7:00 pm Sopas será servido Presidente Guilhermina e Aldevino Azevedo
8:30 pm Baile com Conjunto “Sem
Duvida”
9:00 pm Tocadores de violas para os
tradicionais bailes de roda
e chamarritas.
10:00 pm Apresentação das Rainhas

Segunda-feira, 22 de Junho
8:00 pm Corrida de Toiros na Bella
Vista Park, Gustine. Cavaleiros: Al-
berto Conde, Paulo Ferreira e Sario
Cabral.

Traços do Quotidiano Lufada de Ar Fresco


Margarida da Silva
Do Real Paul Mello
santamarense67@yahoo.com para Virtual pjmello87@yahoo.com

O
PERGUNTA À AMY lhe que talvez a senhora já se tinha Verão está ao virar já sabia que se tratava do sinal devido à rapidez desta evolução.
esquecido de, quando era jovem e da esquina. Os dias para ir jogar à bola. Enfim, para Quando eu estava no sétimo
O Marin Independent Journal, pu- via pessoas de 50 ou 60 anos de estão a ficar mais lon- um miúdo naquele tempo(há ano de escola (há 9 anos atrás),
idade julgava que fossem já velhas gos, as temperaturas poucos anos), o dia perfeito se- apenas haviam 2 alunos que ti-
blica diariamente uma coluna inti-
o que, possivelmente, tinha acon- estão a aumentar progressiva- ria composto por “futeboladas” nham computadores na minha
tulada, “Ask Amy”, da responsabi-
tecido com a empregada de mesa. mente e para alguns, Verão é si- de dia e uma ida à festa à noite. turma de 25 alunos. Hoje, quase
lidade da Amy Dickinson, em que nónimo de férias. Para o jovem Naquela altura julgava que as todos alunos têm computadores
ela responde às cartas que lhe são Que chorar, ficar irada e deprimida
só por causa do desconto de “se- estudante, o Verão não é apenas “futeboladas” eram um sim- nas suas casas e alguns até têm
dirigidas pedindo o seu conselho uma simples estação. Trata-se ples acto de divertimento. Hoje, mais do que um.
sobre os mais variados assuntos. nior” não ajudava nada a resolver
o incidente. Embora compreen- da altura do ano em que a pausa sou capaz de interpretar as tais Lembro-me que os meus pais
Julgo, até, que se lhe pode chamar académica é preenchida com di- “futeboladas” como algo muito compraram o nosso primeiro
uma jornalista-psicóloga. Gosto desse a situação da senhora, o me-
versas formas de divertimento, mais importante do que sim- computador por duas razões:
sempre de ler as suas colunas que lhor que ela podia ter feito era ter as quais têm sido modificadas plesmente um grupo de jovens para facilitar comunicações a
acho interessantes por demonstra- comprado uma oferta para si com o com o passar dos anos em parte a dar uns pontapés numa bola. longas distâncias através de e-
rem, por vezes, quão frívolo é o desconto recebido. devido à evolução tecnológica. Enquanto jogávamos uns com mail e para facilitar alguns dos
ser humano. Isto fez-me lembrar o que escre- Convém mencionar que neste os outros e uns contra os outros, nossos trabalhos académicos.
Achei piada a uma carta que a vi já há anos sobre pessoas que artigo, a palavra “jovem” ser- estávamos a aprender a compe- Hoje, a compra de computa-
Amy recebeu recentemente e re- sofrem do complexo de envelhe- virá para definir todos aqueles tir, dialogar, discutir e argu- dores a torto e direito não tem
solvi descrevê-la, especialmente, cimento e tudo fazem para que a com menos de 18 anos de idade. mentar; estávamos a aprender apenas por base a “necessida-
para as caras leitoras que, como sua aparência física não denuncie o Quando eu era um miúdo, pas- com os nossos erros e com os de”, mas também a capacidade
eu, estão a caminho dos 60, ou decorrer dos anos. Uma das regras sava o ano inteiro aguardando erros dos adversários…Enfim, de entretinimento pois o jovem
seja da terceira idade. Confesso de etiqueta, é nunca se perguntar ansiosamente a chegada do tão com uns pontapés na bola, está- de hoje está cada vez mais de-
que detesto este termo, pois prefiro a idade a ninguém, especialmente desejado Verão. Num calendá- vamos a socializar; estávamos a pendente de tecnologia para se
usar cidadão sénior por não ser tão às senhoras que são mais sensíveis rio marcava os dias que falta- desenvolver atributos que no fu- entreter. As longas horas de
nesta matéria. Porém, também, há vam para a escola terminar e turo se poderiam tornar bastan- Verão que o jovem antes passa-
sinistro...
homens que não gostam de revelar noutro marcava os dias que fal- te úteis. Para além de nos tornar va a jogar à bola, a brincar com
Uma senhora, já na casa dos 50,
a sua idade. tavam para as Sanjoaninas co- seres mais capazes de socializar amigos, ou simplesmente a dar
ficou muito perturbada quando, meçar. As festas do Verão eram, e enfrentar o mundo lá fora, as uma volta de bicicleta são hoje
ao frequentar um restaurante, lhe Graças à ciência médica e ao “mi-
lagre” da cirurgia plástica, muitas sem dúvida, os momentos mais “futeboladas” também traziam substituídas por horas e mais
deram o desconto próprio para aguardados do Verão. Mas, para um enorme beneficio a nível horas passadas à frente de um
pessoas da terceira idade, o cha- pessoas conseguem esconder a sua
verdadeira idade mas não podem além das festas também haviam físico. Hoje, apesar de apenas ecrã de computador (ou televi-
mado “senior discount”. Julgando as maravilhosas “futeboladas”. terem passado alguns anos, as são). A interacção que o jovem
ter havido engano na conta, talvez dissimular o peso dos anos. Esta
O termo “futebolada” servia “futeboladas” já não são o que antes tinha com o mundo real
pertencia a outra pessoa mais ve- preocupação com o rejuvenesci- para designar um grupo de jo- eram. Eu apercebi-me deste é agora substituída pela inte-
lha, a senhora chamou a atenção da mento afecta todas as classes so- vens a jogar futebol o que acon- facto quando fui passar férias racção com um mundo virtual
jovem empregada de mesa que lhe ciais sendo, no entanto, mais pro- tecia com frequência durante o aos Açores no passado Verão. onde o jovem não tem vários
disse ser regra do restaurante ofe- eminente no meio artístico e nas ano mas predominava no Verão O campo de futebol atrás da amigos para brincar e jogar jo-
recer desconto às pessoas que apa- camadas mais ricas que, pelo peso quando os jovens estavam de escola estava, como diria o se- gos, mas tem um computador.
rentavam ter 60 ou mais anos de das suas carteiras, podem gastar o férias. nhor Luciano Cardoso “à mos- O jovem não só cresce afasta-
idade. Ora, a senhora ficou muito que for necessário para aparenta- Na maioria dos dias de Verão, ca”. Durante duas semanas não do da realidade como também
muito aborrecida, pois cuida bem rem mais jovens. Algumas pessoas após o almoço, os jovens da vi um grupo de jovens aparecer cresce sem se preparar para
de si e parece ser mais nova do que chegam, mesmo, legalmente, a al- freguesia começavam a concen- por lá para dar uns pontapés enfrentar a realidade no futuro
aparenta e achou aquilo um grande terar a sua idade. trar-se à volta da escola onde se numa bola…ao que parecia, es- como adulto. Para além de tor-
insulto. Foi para casa chorar e es- Enfim, esconder a verdadeira ida- encontrava o mini-campo de tes estavam muito ocupados a nar o jovem num ser anti-social,
teve deprimida por alguns dias. de é mais uma futilidade a adicio- futebol em que jogávamos. Por jogar jogos nos computadores e o crescimento da influência dos
nar a tantas outras que fazem parte volta das duas ou três da tarde a falar com amigos (ou pessoas computadores e da tecnologia
Ela queria saber a opinião da Amy
do nosso quotodiano. a campainha da minha casa que mal conheciam) pela Inter- em geral, também tem outro
sobre este intolerável episódio e o
costumava tocar e eu nem pre- net. Eu confesso que isto apa- enorme efeito colateral, a obe-
que deveria ter feito para não ter cisava de ver quem era pois eu nhou-me um pouco de surpresa sidade.
ficado tão magoada. A Amy disse-
COLABORAÇÃO 9

Perspectivas
“Cheating” e “Cheaters”
Fernando M. Soares Silva
Arriscando, por vezes irreme- totas” tendentes a colocarem os psicológicos e espirituais.
fmssilva@yahoo.com diavelmente, a sua própria saúde oponentes em desvantagem que, Realce-se que,--- referindo-se

A
ao ingerirem ou ao injectarem-se eventualmente, os leva à derrota a recentes abusos e escândalos
palavra inglesa “che- (“scanners”) capazes de detectar substâncias banidas que lhes pos- e à perda de apostas e, com fre- provocados pelo uso abusivo
ating” intitula este materiais e informação indevida- sam dar proibidas doses de extra quência, de avultadas somas de da Internet por muitos dos seus
estudo por ser muito mente colhida e usada pelo alu- vigor e redobrada energia que os dinheiro, ou de outros valores. viciados,--- vários sociólogos
mais abrangente do no. Durante os exames, o uso de propelem às cimeiras cobiçadas, Gambling, quer individual ou e psicólogos nacionais e inter-
que os termos portugueses plágio todos e quaisquer aparelhos elec- esses atletas não hesitam no jogo organizado, como em “casinos”, nacionais opinam que numero-
ou plagiato, vigarice, intrujice, trónicos é agora rigorosamente da decepção... As desculpas, en- tem sempre o mesmo objectivo: sos divórcios têm a sua origem
traição, e outros vocábulos com proibido. Muitos professores nem vergonhadas e lacrimosas só se lucro incompassivo e ilimitado. precisamente nesse desenfreado
similares significados específi- autorizam o uso de qualquer re- ouvem mais tarde quando eles, Os incautos e ingénuos caem ví- uso abusivo. Segundo a conhe-
cos, mas igualmente menos in- lógio. ou elas, são apanhados” nas teias timas da cruel fraude e da abomi- cida jornalista brasileira Daniela
clusivos. . Estudos e sondagens mais recen- da desilusão... nável decepção de matreiros cujo Pinheiro, “a Internet criou uma
Qualquer que seja a maneira usa- tes indicam que esta forma de Doping é um grave problema em prazer é a ilusão conducente à nova maneira de ser infiel: come-
da ou o nome que se lhe queira “cheating” continua desenfreada. muitos desportos contemporâne- desilusão de outros... Que o diga ça com mensagens, evolui para
dar, “cheating”, na realidade, é Numa reportagem da Associated os, sobretudo nos maiores e mais quem já foi tosquiado nas plas- confidências, logo entra no reino
mentira, fraude, decepção im- Press reproduzida pelo grande populares. Basta só recordar os tificados e dourados salões dos das fantasias sexuais. Quando
postura, burla, velhacaria ou in- diário San Francisco Chronicle escândalos no football, baseball casinos... menos se espera, o marido ou a
trujice, sendo em certos casos, em 1 de Dezembro de 2008, opi- e atletismo norte-americano, e os Todos os modos de “gambling” mulher já estão teclando sem pa-
como, por exemplo, em assuntos na-se serem os norte-americanos abusos no futebol e no ciclismo envolvem batoteiros e batotas... rar com um desconhecido. Mes-
de infidelidade conjugal ou amo- “excessivamente “apáticos” ou internacional, entre outros, onde Por exemplo, em póquer e em mo que nunca se transfira para a
rosa, inegável traição. indiferentes em relação às nor- o número de praticantes dopados outros jogos de cartas, estas são vida real, a traição machuca do
Caracteristicamente, a pessoa mas éticas. Mais de 64% dos alu- é elevado.. Como exemplos de manipuladas de tal maneira que mesmo jeito” ... “Qualquer envol-
que comete qualquer modo de nos sondados admitem frequente notórios escândalos ventilados permite ao “cheater” ou ao casi- vimento emocional mesmo sem
“cheating” ludibria e abusa da ví- ou repetido uso de plagiato, mas nos órgãos de comunicação so- no saber ou predizer a sequência contacto físico é definido como
tima ou vítimas dos seus truques afirmam que o cometem “porque cial nacionais e internacionais, de certas denominações. No jo- infidelidade”, conclui a escritora.
e das suas manobras enganadoras todos os outros assim fazem”, e mencionem-se aqui apenas o gos da “roullette” e de “craps” “Cheating” e corrupção nas esfe-
com o objectivo específico de ti- que eles próprios não vêem no bem conhecido caso de Ben Jo- o ludíbrio e a decepção ocorrem ras corporativas
rar imerecida, e por vezes cruel, uso ou hábito do plagiato ou da hnson, desqualificado por doping com o uso de “dice” ou dados A medonha crise económica e fi-
vantagem que lhe possa ser ime- furtiva utilização do trabalho de nos Jogos Olímpicos de 1980, previamente programados para nanceira, que agora abala e aflige
diatamente proveitosa ou benéfi- outros qualquer imoralidade ou bem como as confissões de uso darem a vantagem ao casino ou muitas nações espalhadas pelo
ca. coisa censurável. (!?) de esteróides de várias “estrelas” ao “cheater”. nosso globo terráqueo, pela sua
Seria quase impossível, e quiçá Tentando explicar o sobejamente tais como a corredora olímpica Nem o mundo do desporto escapa extensão e magnitude, bem como
irrelevante, comentar aqui todas conhecido problema do incontido Marion Jones, destituída das 3 às garras do “gambling”. Acres- pelos complicados e excruciantes
as formas de “cheating” verifica- e alastrante plagiato académico, medalhas de ouro conquistadas cente-se apenas a não-infrequen- problemas que apresenta e lega
das na vastidão do mundo actual. educadores e representantes da nos Jogos Olímpicos de Sidmey, te manobra de se dopar cavalos às gerações contemporâneas e
Este artigo abordará somente os National Association of Secon- Austrália, e ainda as tristes ad- de corrida, ou de um boxista ser vindouras, é sem precedentes na
modos mais comuns e notórios dary School Principals, --- rejei- missões dos astros de baseball forçado a aceitar a artimanha de longa e muitas vezes conturbada
nas sociedades em que vivemos. tando a implicação de desonesti- norte-americano José Canseco, “take a dive” ou, em outras pala- história da Humanidade.
Comecemos pelas esferas acadé- dade atribuída aos praticantes do Ken Caminti e Alex Rodriguez. vras, de se deixar cair ou bater no Uma das causas fundamentais
micas. plagiato,--- asseveram que, na re- No entanto, saliente-se que propo- encontro, permitindo assim aos desta caótica situação é, sem
alidade, os alunos se sentem im- sitada decepção ou “cheating” em impostores que “apostaram” no dúvida alguma, a enormidade
“Cheating” nos ensinos pelidos ao uso de plagiato devido desportos significa muito mais do desfecho da luta ganhar elevadas da complexa e abusiva corrup-
secundários e superiores às intensificadas pressões e à tre- que o uso de substâncias nocivas somas. ção que se alastrou pelo mundo,
menda competição que eles têm ilegais ou proibidas. Além de do- e sobretudo pelos denominados
Vários estudos abalizados, ilus- de enfrentar nas complexas esfe- ping, existem outros meios, subtis “Cheating” em Relaciona- países industrializados. Para ilus-
trados e corroborados com abun- ras académicas da actualidade e ou descarados, de “cheating” em mentos Pessoais trar este ponto, aqui se reproduz
dantes sondagens efectuadas em no exigente mundo contemporâ- muitas modalidades desportivas. o depoimento de Hans-Ludwig
escolas do ensino secundário e neo. Por outras palavras, segundo Ao nível profissional recorde-se, Com a possível excepção de algu- Zachert, director da Agência
em diversas universidades norte- esses educadores, o problema não por exemplo, a famosa manobra mas subculturas poliamorosas ou Federal Alemã de Investigação
americanas. usam o adjectivo provém de falta de honestidade e feita pelo habilidoso futebolista permissivas, e de culturas onde a Criminal, o qual assevera que a
“epidémico” para descrever e de moralidade... Talvez seja uma Diego Maradona no jogo Ingla- poligamia é ainda praticada, --- e corrupção no seu país não é rara,
acentuar a gravidade do plagiato questão “genética”, a favorita res- terra-Argentina para o campeo- a exclusividade amatória, sexual mas, pelo contrário, é já verifica-
no mundo estudantil dos EUA. posta de muitos “pseudo peritos” nato da Taça Mundial de Futebol ou afectiva, não é pré-requisito, da em todos os sectores da vida
Esses estudos têm sido reprodu- quando querem “esquecer” ou (World Cup) de 1986), quando, ---, em relacionamentos amoro- germânica. Nas suas próprias
zidos em inúmeros jornais por dissimular a realidade! num salto com um rápido e subtil sos, normalmente a tendência palavras: “Não obstante apolo-
todo o país. O plagiato é também facilitado toque de mão, esse jogador diri- monogâmica predomina, sendo gistas governamentais possam
Em Junho de 2005, Rutgers Uni- pela Internet; 36% dos alunos giu a bola para o fundo das redes as expectativas de exclusividade dizer o contrário, a ocorrência da
versity publicou um pormenori- sondados no ano lectivo de 2006 do guardião britânico, dando as- na demonstração de atenção, de- corrupção nos sectores públicos
zado estudo feito para o Center confessam haver plagiado mui- sim a vitória à sua equipa argen- dicação e amor consideradas de- não é infrequente, mas acontece
for Academic Integrity pelo Pro- tos dados e várias composições tina. O ardiloso jogador negou veres e obrigações mútuas, quer diariamente na Alemanha”. Esses
fessor Donald McCabe. Este es- colhidas “online”. Esta lamen- haver cometido qualquer falta e o no âmbito conjugal, quer no âm- casos de corrupção contam-se
tudo, que foi corroborado por vá- tável situação tem levado vários golo foi validado pela equipa de bito de serio namoro. aos milhares, frisa ele, acrescen-
rias sondagens Gallup, bem como superintendentes no ensino se- arbitragem que não conseguira Nestes contextos culturais, “che- tando ainda que quem mais lucra
por outras investigações, revelou cundário e muitos presidentes de detectar a sub-reptícia violação ating” ocorre quando o relaciona- com estas violações ilegais e cri-
que mais de 70% dos alunos das instituições de ensino superior a de Maradona. No entanto, várias mento amoroso é perturbado ou minosas são as organizações que,
escolas e universidades públicas não só realçarem a importância câmaras de televisão que rode- abalado, intencionalmente, por com a colaboração, explícita ou
participantes nas sondagens ad- da integridade académica, como avam o campo registaram para atitudes ou por actos de infideli- implícita, dos serviços públicos,
mitiram a comissão de plágio,--- também à implementação de se- sempre o seu repreensível acto de dade que, em situações conjugais, que partilham dos lucros, obtêm
acto de apropriação ou de copiar veros castigos contra a prática de decepção e “cheating”. pode culminar em adultério. Em- enorme influência nos meios ofi-
indevidamente, e sem permissão, todos os modos de plagiato. No baseball, verifica-se ocasio- bora os contextos de infidelidade ciais a todos os níveis ao ponto de
o trabalho de outra pessoa---, em Mas o plagiato académico não é nalmente, entre outros truques, variem segundo os declarados não haver nenhum sector ilibado
diversos testes, e 60% desses es- a única forma de “cheating” que a manobra deceptiva de certos ou implícitos entendimentos e as
de culpa e corrupção no sistema
tudantes confessaram haver pla- avassala a sociedade norte-ameri- “pitchers” que untam a bola com expectativas do respectivo par, a
grafite ou vaselina para a torna- realidade é que a infidelidade --- alemão, conclui Zachert.
giado as suas composições escri- cana ou qualquer outra dos países Não só na industrializada Alema-
tas e, em certos casos, até mesmo industrializados. Como veremos rem escorregadia para os jogado- física, emocional, verbal, abusiva
res adversários... ou por omissão --- muitas vezes nha e em outras nações europeias,
teses requeridas para a concessão em seguida, existem outros tipos. como a França, a Itália, a Bélgica,
de graus académicos. Só 50% dos Vejamos, por exemplo, algumas O mundo do popular desporto resulta na eventual destruição de
de basquetebol norte-americano relacionamentos amorosos, con- Portugal, a Espanha, a Holanda,
estudantes de escolas e universi- das múltiplas áreas do Desporto.
dades privadas admitiram o uso ficou atónito perante a revelação, jugais ou de caracter namorató- a Inglaterra e a Rússia, e nos po-
de plagiato. “Cheating” no Desporto feira em 2007 pela própria Na- rio. E é com grande frequência derosos sistemas económicos da
Essas sondagens e os estudos tional Basketball Association, de conducente ao divórcio. China e do Japão no vasto con-
efectuados há 4 anos, por muito Quem segue os noticiários quo- que vários árbitros costumavam Como o confirmam os inume- tinente asiático, a corrupção e a
lastimosos que tenham sido, não tidianos na Imprensa, na Tele- fazer ilícitas apostas em certos ráveis estudos feitos através dos praga do “cheating” económico,
surpreenderam ninguém. Já não visão, ou na Rádio, tem notado, jogos muitas vezes por elas oficia- tempos em muitos países, quase
financeiro e político campeiam
continham segredos, pois era talvez com espanto, a frequência dos. O escândalo foi tão grande todos os divórcios são causados
que dezenas de “referees” foram por uma ou mais formas de in- desenfreadas. Outras nações,
sobejamente conhecido que alu- sempre crescente de abusos e es- dentro e fora do orbe industriali-
nos, sobretudo em instituições cândalos cometidos por atletas para sempre expulsos da NBA. fidelidade, sendo o adultério a
E mais se poderia dizer de estes e mais comum. O analista Frank zado, também têm sido abaladas
dedicadas a estudos superiores, e jogadores, amadores ou, com por grandes e frequentes inciden-
usavam furtivamente aparelhos maior incidência, profissionais, de outros desportos. Pittman, baseado na sua longa
experiência de terapeuta, diz-nos tes de escandalosa corrupção.
electrónicos tais como MP3 e ansiosos de vitórias, aplausos e
fototelemóveis durante pontos fama, por mais balofos que se- “Cheating” em “Gam- que 65% dos casos de adultério
e testes para copiarem fórmulas jam. E eles, ou elas, fazem-no bling” ou jogos a dinheiro resultam em divórcio. As conse-
matemáticas ou científicas, e ou- violando normas e regulamentos quências do divorcio são sobeja- Conclui na pag. 11
tra vasta e diversificada informa- nacionais e internacionais, isto é, Os jogos “à sorte” ou “a dinheiro” mente conhecidas: não só arrui-
ção digitalizada. mediante propositada decepção pressupõem vantagens e ganhos nam e desmancham casamentos,
A “epidemia” de plagiato chegou ou “cheating” que lhes facilite ul- de uma forma ou outra. Inerente é como também devastam famílias
a tal ponto que muitas universi- trapassarem os seus competido- também o uso de “cheating”, isto e ocasionam grandes prejuízos
dades agora usam digitalizadores res nas arenas e nos estádios. é, de fraudulentos truques e “ba- sociais, económicos, emocionais,
10 COLABORAÇÃO 15 de Junho de 2009

Comunidades do Sul Torneio de Futebol de Artesia


Fernando Dutra

O
tradicional torneio de
futebol realizado anu-
almente pelo Artesia
D.E.S., este ano foi le-
vado a efeito nos dias 23 e 24 de
Maio. Durante a semana houve
eventos desportivos com campe-
onatos de ping-pong, sueca e do-
minó. As actividades desportivas
terminaram na segunda-feira,
Memorial Day, com um torneio
de volleyball.
Este torneio, conhecido pela fes-
ta da bola, teve início no Sábado,
com o sorteio pelas oito horas da
manhã, pelas nove horas houve o
desfile das dez equipas, árbitros,
rainhas e respectivas aias, direc-
tores, repressentantes da cidade,
filarmónica e público em geral.
Tomaram parte neste torneio as
seguintes equipas: Artesia D.E.S.,
Artesia D.E.S. reservas, F. C.
Portugal de San Diego, P.C.C. de
Half Moon Bay, Azoreanos de O P.C.C. de Half Moon Bay, vencedor do Torneio de Artesia
Turlock, Tulare Angrense, Santa
Maria Futebol Club, Club Sport
Maritimo de Santa Clara, Azo- Bay. Foi uma final muito bem 3- Santa Marlia F. Club, flores, entregues pelas rainhas e dúzia e ao abandonar o recinto,
riano de Escalon e F.C. Chino disputada, com clara evidencia de 4- Club S. Maritimo de Santa aias. Antonio Martins interpre- não obedeceu as ordens do di-
D.E.S.. muito cansaço, no entanto mais Clara, tou o Hino Nacional Americano, rector para abandonar os artigos
Após dois dias contínuos a jogar notado na equipa de San Diego. 5- Artesia D.E.S., David Costa, o Hino Portugues e retirados sem autorização, o que
futebol, sem graves problemas Já no intervalo era prevista a vi- 6- Azoreanos de Turlock, a Filarmónica, o Hino da Socie- deveria ser considerado roubo.
para jogadores e árbitros, apenas tória do clube do Norte, e com 7- Artesia D.E.S. reservas, dade. O Presidente da Sociedade Foi necessário chamar a Polícia e
imensa canseira, o torneio termi- o passar do tempo o Half Moon 8- Tulare Angrense, Ercílio Cardoso, dirigiu algumas esta depois do sujeito se identifi-
nou no Domingo, cerca das sete Bay foi tomando controle e co- 9- F.C. Chino D.E.S., palavras a todos os presentes e car, autorizou-o a levar os ferros.
horas, tempo que todos ansiavam mando do jogo e terminou com 10- Azoreanos de Escalon. desejou um agradável espectacu- No Domingo estiveram estacio-
para um bom banho e um exce- uma merecida vitória de 6-0. lo desportivo. nados em frente à sociedade, cin-
lente jantar. As equipas ficaram classificadas Ainda fazendo parte do início Todos os dias houve serões dan- co estações de televisão de Los
Depois de todas aquelas horas de da seguinte maneira: do torneio, com todas as equipas çantes muito animados, mas não Angeles e seis carros da Policia.
futebol, ficaram apurados para o formadas em frente a tribuna, os aconselhados para atletas, nome- A missão seria filmar entrevis-
jogo final o F.C. Portugal de San 1- P. C.C. de Half Moon Bay, capitães das equipas, arbitros e adamente de futebol. tas, mas não foram autorizadas,
Diego e o P.C.C. de Half Moon 2- F.C. Portugal de San Diego, directores, receberam ramos de No Sábado houve tourada com falou apenas o Vice-Presidente
toiros da ganadaria de Tony Martins e seu irmão João
Candido Costa e na Martins, vereador e ex-mayor da
segunda-feira houve va- Cidade, que deram explicações
cada. relacionadas com o supracitado.
Até esta data tudo tem Agora é aguardar qualquer des-
corrido bem com as pacho judicial com as respectivas
touradas, desta vez, consequências.
durante o intervalo um Estão de parabéns o P.C.C. de
desconhecido violou Half Moon Bay, campeões do
o sítio onde são guar- torneio e a Direcção do Artesia
dados as bandarilhas, D.E.S. pelo magnífico programa
agarrou cerca de uma elaborado e os êxitos obtidos.

F.C. Porugal de San Diego - honroso segundo lugar


Embaixo: desfile das equipas

David Costa cantando o Hino Nacional de Portugal


COLABORAÇÃO 11

Temas de Agropecuária Quais são as opções que restam?


Egídio Almeida
ploramos a possibilidade de uma não conseguiram controlar o lei- gresso não estivesse inclinado a
almeidairy@clearwire.net “California Federal Marketing te dentro das suas fronteiras de repetir a oferta.
Order”? Por largos anos a chefia Estado, e para solucionar o pro- Isto nao é um editorial, a nossa

D
teiras da California pela simples deste Estado, e os representantes blema estabeleceram o programa opinião pessoal não esta aqui
epois de várias meses e especifica razão de explorar as da industria tem sido contrários a das ordens Federais (FMMO). em jogo, mas é um outro lado
de turbulência finan- ordens Estaduais da California, esse movimento. As razões apre- A pergunta mais frequente é da agropecuaria que raras vezes
ceira na agropecuária que é legalmente incapaz de re- sentadas são muitas e diversas, como resolver o problema do sis- é oferecida como alternativa aos
e uma série de notícias gular o Comercio Entre-Estados mas a conclusão geral de todas tema de quota da California numa dificeis caminhos que a industria
de primeira página na comunica- “Interstate Commerce”. elas acaba por ser sentimental. possivel transição da corrente da California está percorrendo.
ção social local, parece-nos opor- O Departamento da Agricultura Há um indiscutível orgulho nos Ordem Estadual para as ordens Iniciativas radicais no passado
tuno trazer aos nossos leitores do da California (CDFA) reconhece dirigentes desta industria sobre Federais? A Lei da Agricultura têm provado ser contra-produ-
TRIBUNA opiniões de alguns esta vulnerabilidade e clarificou a independência da California, de 1996 incluiu previsões que tivas e não são aconselháveis,
considerados (peritos) nesta in- que não vai ficar sem acção, en- mesmo quando aparentemente tinham autorizado a California
lhes custou o preço da classe I. numa altura em que a crise finan-
dustria com ideias diferentes quanto o mercado da classe I está a ser parte das Ordens Federais e ceira que atravessamos ultrapas-
a ser roubado por produtores de Segundo alguns analistas agora manter o seu sistema de quota in-
não é tempo para emoções. No sa fronteiras industriais e inter-
Os produtores de leite da Califor- fora do Estado, e aparentemente tacto. A California ignorou essa e nacionais.
nia, tem por tempo indetermina- está usando a única decisão cons- ano passado a industria expe- outras ofertas que já expiraram,
do sido um cavalo de cor diferen- cienciosa ao seu alcance, que é rimentou uma enorme ruptura, mas não quer dizer que o Con-
te. Por muitas décadas tem sido baixar a classe I da California sem precedentes no mercado or-
deiro da California. Não só a pro-
orgulhosos em construirem um até que não seja economicamente
dução excedeu a capacidade de Cheating Com estes dois primários ob-
império na produção de leite nun- viável importar leite dos Estados (conclusão da página 9) jectivos, essas corporações,
ca igualado em qualquer parte da vizinhos. fabrico dos produtos do leite ao
ponto de não haver solução, e se abusando do seu poder, esten-
Nação ou do globo. Eles aperfei- Para os produtores da California Na realidade, a corrupção é dem os seus tentáculos pelos
çoaram o modelo da produção de isto quer dizer que os dinheiros ter perdido quantidades de leite,
ao mesmo tempo que uma nova agora universal, sem fronteiras sectores mais influentes, sufo-
leite em larga escala, enviando a normalmente recebidos pela clas- e sem limites! Por outras pala- cando pouco a pouco indese-
produção de cereais e forragens se I e distribuidos pelo” Pool” fabrica, construida em Nevada
para a possibilidade de captar a vras, usando o favorito termo jáveis competidores tais como
para os Estados vizinhos, para se para todos os produtores desa- das corporações multinacio- pequenos negócios, e absor-
poderem dedicar apenas na pro- pareceram, e isto são milhões de classe I na California, começava
a operar. nais, a corrupção e o corrupti- vendo, ou eliminando, os de
dução de leite e ordenhar mais dólares. E aconteceu numa altu- vo “cheating” parte do mundo a maior estatura que as queiram
vacas. Usando de “State Marke- ra em que os custos de produzir As acções destas fabricas no mer-
cado bem assim como o potencial corrupção e o omnímodo “che- confrontar. Os eventuais resul-
ting Order” para preços mais leite na California continuam ating” atingiram os níveis veri- tados não têm sido positivos,
baixos dos mercados nacionais aumentando e deixaram de ter de outras em Nevada, Arizona e
Oregon continuam a pôr uma ficados aqui nos Estados Unidos como já o corroboram os ver-
e trazer capacidade de processar vantagens sobre outros Estados, da América, que costumavam gonhosos escândalos de muitas
leite para a Costa Oeste dos Esta- práticamente impossível para tremenda pressão para baixa de
preços na California para os dis- apregoar-se os autênticos pa- instituições financeiras e ban-
dos Unidos, estando práticamente competir com Estados tais como, drões de integridade e honesti- cárias, bem como várias das
isolados do resto da Nação, mas Texas, New Mexico e Idaho. tribuidores de leite liquido, estes
também estão sentindo o intenso dade para o resto do mundo... maiores indústrias de diversos
como diz o ditado, nada na vida Quais são as opções que restam A tendência, e talvez a filosofia, países, agora mergulhados em
dura para sempre e os tempos es- a industria? Continuar a vender calor das baixas do mercado.
Este infelizmente não é um pro- de certas corporações, sobre- águas escaldantes....Certas
tão mudando. As paredes que uti- leite por preços muito áquem dos tudo de várias das maiores e corporações têm conseguido
lizaram para se proteger do resto custos de produção, enquanto que blema novo, em décadas passadas
havia uma quantidade de ordens multinacionais, tem sido a am- influenciar e manipular gover-
do País estão vagarosamente der- os retalhistas a pouco e pouco bição megalomaníaca de poder nos!..
rubando, grandes explorações e vão ficando milionários, porque Estaduais no Leste dos Estados
Unidos, iguais ou semelhantes à mediante programada, siste- E mais se poderia dizer de ou-
fábricas de transformação estão esses normalmente não baixam mática e desmedida ganância
da California, mas tal como esta, tros tipos de “cheating”....
sendo construídas fora das fron- significamente os precos, ou ex- de imensos lucros financeiros.
12 FESTAS 15 de Junho de 2009

COMISSÃO

111° Festa Anual do Presidente, Manuel Costa; Vice-President, Roger Brum; Secretario, Joe Menezes;
Tesoureiro, João Soares; Marshal, José Cardoso; e todos os Oficiais e Directores
do Conselho No. 14: Manual Tavares, Orlando Tavares, Jaime Dias, Ofélia Gar-

Divino Espírito Santo


cia, Tiberio Garcia, Antonio Bernardo, Alvarina Bernardo, Tony Furtado; Maria
T. Mauricio, Luis Alexandre.

Esq: Presidente Manuel Costa

Promovida pelo Conselho Hayward Dir: Santa Isabel, Jessica Menezes


N° 14 I.D.E.S. Senior Queen - Emily Garcia, aias
Simone Allenbach, Sierra Loura
1105 “C” Street, Hayward, CA. 94541
Little Queen - Melissa da Rosa, aias
Junho 20 e 21, 2009 Breanna da Rosa, Shayla da Rosa.

PROGRAMA DA FESTA
Recitação do Terço - Diáriamente dos dias 15 até 19 de Junho, na Capela da I.D.E.S.,
1105 “C” Street, Hayward, pelas 7:30 da noite.

Sábado, 20 de Junho

7:45 p.m. - Procissão da Capela até à Igreja de Todos os Santos, acompanhada pela
Filarmónica Artista Amadora de San Leandro. Na Igreja as Rainhas do ano passado
entregão as suas Coroas às Rainhas deste ano.
9:00 p.m. até a 1 a.m. - Dança com Gilberto Amaral
10:00 p.m. - Apresentaçáo das Rainhas, Pais, e Comissão do I.D.E.S.

Domingo, 21 de Junho

11:00 a.m. -Formação da Parada, incluindo as Rainhas antigas e Presidentes em co-


memoração da Fundação e Primeira Festa em Louvor as Divino Espirito Santo há
111 anos (1898).
A Parada de irmandades visitantes será acompanhada pela 2 Filarmónicas Portu-
guesas:
Sociedade Filarmonica Uniao Popular de San Jose, e Filarmonica Artista Amadora
de San Leandro.
12:30 p.m.—Missa na Igreja de Todos os Santos pelo Rev. Antonio dos Reis, com a
presença do
Coro Português da nossa área. Sopas e Carne, o nossa tradicional jantar, será servido
a todos, Leilão
das Ofertas durante a tarde.
5:00 p.m. às 9:00 p.m.-Dança com Gilberto Amaral

1600 Colorado Avenue


Turlock, CA 95382
Telefone 209-634-9069
FESTAS 13

I.E.S. of San José


95 Anos de Celebração ao
Divino Espírito Santo
26, 27 e 28 de Junho de 2009

Presidente Henrique e Elizabeth Oliveira

Irmandade do Espírito Santo de San José


1401 E Santa Clara Street
San Jose, CA 95116
408-294-6343

PROGRAMA

Sexta-feira, 26 de Junho
Senior Queen Ashley Meneses, aias Frankie Crabtree e
7:30 pm Rosário na Capela em frente ao IES Hall Kylee Gonzalez
9:00 pm Baile em frente ao Hall com O Progresso Junior Queen Jessica Oliveira, aias Joclynn Souto e Alyssa Torres
Small Queen April Marie de Rosa, aias Natalai Fulga e Kaeli Ulick

Sábado, 27 de Junho
5:00 pm Concerto pela Filarmónica União Popular de San José
5:00 pm Missa campal em frente à Capela do IES, com partici- 5:00 pm Dança com Chico Avila no Salão
pação do Grupo Coral “Saudades da Terra”. 5:00 pm Distribuição das Tradicionais Rosquilhas do IES
6:30 pm Grupo Folclórico Mar Alto, de Turlock de San José
7:00 pm Grupo Folclórico Tempos de Outrora, San José 5:45 pm Concerto pela Filarmónica Nova Aliança de San José
7:30 pm Espectáculo com Mauricio Morais, vindo de
Massachussetts Durante estes dias de festividade, haverá variedades
9:30 pm Cantoria no Salão principal, com António Azevedo, de de comidas, bebidas, quermesse e arrematações
Hilmar; Carlos Nunes, de Merced; Vital Marcelino,
de Delhi e José Ribeiro, de Modesto, acompanhados Diáriamente pelas 7:30 pm será rezado o Terço
por Jorge Reis e Manuel Mendes. que começou a 24 de Maio
9:30 pm Dança com o Conjunto Rapaziada
10:00 pm Apresentação das Rainhas 2008-2009 Desde já agradecemos a todos o seu auxílio,
10:10 pm Apresentação das Rainhas 2009-2010 donativos, como igualmente serviços prestados.
O nosso muito obrigado.
Domingo, 28 de Junho
Com cumprimentos,
10:00 am Formação da Parada em frente ao Salão do IES
11:00 am Tradicionais Sopas do Espírito Santo
12:00 pm Missa na Igreja Nacional Portuguesa das Cinco Chagas
Henrique Oliveira, Presidente e respectiva Direcção
com participação dos Coros da mesma Igreja
Vice-Presidente, Joe e Jennifer Goulart
1:30 pm Volta à Capela do IES, distribuição de Esmolas e
Secretaria, Marie e Lino Bettencourt
Tocada do Hino do Espírito Santo
Tesoureira, Anna e Leo Gonzalez
1:45 pm Benção das Tradicionais Rosquilhas do IES
Marechal, Joe e Maria Lopes
2:00 pm Concerto pela Banda Portuguesa de San José
Directores, Manuel e Fatima Avila
2:45 pm Concerto pela Filarmónica União Portuguesa de
Lino e Marie Bettencourt
Santa Clara
Jorge e Lidia Rosa
3:30 pm Arrematações
Joe e Mary Meneses
4:30 pm Grupo Movimento Cultural Anahuac
Luis e Josefina Rosa
14 FESTAS 15 de Junho de 2009

Modesto - do Bodo de Leite à Coroação


Os tempos vão mudando e hoje em dia já
vemos Presidentes das nossas festas que
mal falam Português, o que não tem nada
de mal. É o sinal dos tempos e o futuro vai
ser assim. O importante é que se consiga
manter as nossas tradições. A Língua vai-
se internacionalizar e não vem nenhuma
desgraça ao mundo quando isso aconte-
cer.
O importante é que as pessoas não desis-
tam da sua relação com o Espirito Santo
e com a festa, só porque este ou aquele já
não fala Português. Temos que dar a volta
a este sentimento que já está a invadir as
nossas festas a pouco e pouco.
Pensem no grande exemplo do Hawaii e o
resto virá por encomenda.
A Festa de Modesto é sempre bem prepra-
da para que todos se sintam à vontade e
se revejam na tradição que já era dos seus
pais e avós. Este ano, o Bodo de Leite não
foi tanto concorrido como em anos anterio-
res, mas a Coroação estava muito bonita e
participada. Passar pela baixa de qualquer
cidade desperta sempre a curiosadade das
pessoas, o que é bom sinal.
Continuamos a não compreender a razão
porque se pára em frente ao edificio da
Câmara de Modesto. Espirito Santo e po-
litica é como a água e o azeite. Nunca se
misturam.

Aspectos do Bodo de Leite com o carro alegorico de Santa Maria a dar nas vistas.
Os cantadores Jose Ribeiro, Vital, Adelino e Manuel Santos sempre prontos a servir
PATROCINADORES 15
16 FESTAS 15 de Junho de 2009

Modesto em dia de festa Fotos de Jorge


Avila “Yauca”

Linda e Joe Sousa, Past President; Raechel e Joseph Bairos, Presidente, Vice-Presidente Julio e Judy Teixeira

Monsenhor Ivo Rocha e Padres Ramon e Dutra

Aia Kylie Costa, Rainha Grande Lynzie Bairos, aia Stephanie Brasil

Aia Inês Bettencourt, Rainha Pequena Ana Bettencourt, aia Julia Hunt

Igreja de Santo Stanislaus de Modesto, onde se realizou a Missa


e a Coroação

Azorean Band of Escalon


FESTAS 17

Festa de Turlock em Louvor ao Divino


Turlock vestiu-se mais uma vez de
gala para louvar o Espirito Santo.
A festa começou na Sexta-feira
com uma noite muito agradável de
fados - Jesualda Ferreira, Chico
Avila e Piedade Fernandes, acom-
panhados por Chico Avila, Ma-
nuel Escobar e João Cardadeiro.
No Sábado e depois do Terço,
houve animada cantoria com José
Plácido, José Borges, Manuel dos
Santos, Adelino Toledo e José Ri-
beiro, acompanhados por Victor
Reis, Dimas Toledo, Manuel Avila
e George Reis.
No Domingo a bonita parada des-
filou pela baixa da Cidade até à
Igreja, onde foi rezada Missa pelo
Monsenhor Ivo Rocha.
As Sopas estiveram a condizer
com a beleza da festa.
Até para o ano.
Past President Arlindo e Selicia Aguiar; Maria e António Mendes, Presidente; Diana e Tony Diniz, Vice-Presidente

Presidente e Vice Presidente beijam a Pomba, simbolo do Espirito Santo antes de as entre- Aia Daly Cheek, Rainha Pequena Alyce Silva e aia Makena Sousa
gar às Rainhas

Aia Cristina Reis, Rainha Grande Lauren Borges, aia Stephanie Gomes
A capa da Rainha era muito bonita, como se pode ver na foto

Embaixo: aspectos das Rainhas a serem coroadas por Monsehor Ivo Rocha, na
bonita Igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Turlock
18 FESTAS 15 de Junho de 2009

Em Turlock também houve Fado

Em pé - Tony e Diana Diniz; Jesualda Azevedo, Piedade Fernandes, Maria e António Mendes. Sentados - Chico Avila, Manuel Escobar e João Cardadeiro
Embaixo - Rainha Santa Isabel, a menos fotografada em todas as festas

Por detrás de uma boa festa, uma grande equipa de cozinheiros - a familia Olsen
PATROCINADORES 19
20 COMUNIDADE 15 de Junho de 2009

Características do Folclore Português


Em busca de uma explicação mais erudita bretudo com o seu aspecto informativo ção (música, letra, cantares e danças) que 5. Música
da origem e conceito do “folclore” vim a da cultura bem popular que demarca as fazem parte dessa manifestação. A vivacidade ou lentidão… a alegria ou
encontrar este excerto que transmito por diferentes regiões. Além disso, também E a minha sugestão fica aqui gravada para nostalgia das músicas interpretadas são
considerar de importância para o meu tem um papel informativo e formativo das que durante o festival cada grupo explique também características da região.
tema de hoje. Por isso com a devida consi- novas gerações ligando-as à ‘cultura’ de brevemente estas características existentes
deração transcrevo: origem. em cada grupo. 6. Danças
“Folclore é um gênero de cultura de ori- Pimeiramente, fica desde já aqui presente Os movimentos das danças com as suas
gem popular, constituído pelos costumes, a minha sugestão 1. Os Trajes Regionais voltas ou cruzamentos, a sincronizacao de
lendas, tradições e festas populares trans- Além de continuar a difundir o folclore já Sem dúvida, os trajes regionais são o pri- pares são aspectos peculiares a cada re-
mitidos por imitação e via oral de geração existente das várias localidades dos Aço- meiro indicativo da região que se repre- gião mesmo se se tratar da mesma dança
em geração. Todos os povos possuem suas res, da Madeira e do Continente, poderá senta, com os seus variados e as suas cores e por isso exigência para ser devidamente
tradições, crendices e superstições, que se cada grupo sentir que tem o direito e a diversas informado.
transmitem através de lendas, contos, pro- autoridade de representar a vivência dos Seria pois ponto obrigatório que durante o
vérbios e canções. portugueses nas regiões onde actualmente festival cada grupo explique o traje do seu Explicar, esclarecer, informar e instruir
Para se determinar se um acontecimento vivem e consequentemente criar folclore grupo como representativo do típico traje todos os presentes acerca do típico de
é folclórico, ele deve apresentar as seguin- genuíno daqui na Califórnia? Quero com regional da ârea representada. cada grupo deveria ser oficialmente enco-
tes características: a) Tradicionalidade: isto perguntar se poderá ser perfeitamen- 2. Os Instrumentos Musicais rajado durante o Festival de Folclore, ou
vem se transmitindo geracionalmente; b) te aceitável se por exemplo o Grupo Cul- Estes são tão demarcantes de cada região pelo menos, deveria ser incluído na breve
Oralidade: é transmitido pela palavra fa- tural Português Recordando Portugal de como os trajes, sendo por exemplo a con- descrição de cada grupo no Programa do
lada; c) Anonimato: não tem autoria; d) Chino tencionar criar uma manifestação certina um símbolo minhoto, como as vio- Festival. Façamos pois cada festival uma
Funcionalidade: existe uma razão para o sócio-cultural que fale da vivência dos las um instrumento comum, e como tal de- manifestação viva e genuína em cada ano,
facto acontecer; e) Aceitação colectiva: há portugueses nesta ârea de Chino, na letra veriam ser mencionados também durante com o intuito informativo e formativo
uma identificação de todos com o facto; f) que interpretarem, na música que tocarem, a actuação de cada grupo. para todos os presentes - De louvar a co-
Vulgaridade: acontece nas classes popu- nos instrumentos musicais que usarem, no ragem e o saber do Grupo Cultural Por-
lares e não há apropriação pelas elites; g) movimento das danças que actuarem e nos 3. Artefactos e Utensilios tuguês Recordando Portugal de Chino ao
Espontaneidade: não pode ser oficial nem trajes que representarem? - Este será um Também imediatamente visíveis e caracte- apresentar no último festival realizado em
institucionalizado. tema interessante para futura dissertação rísticos de cada região são os artefactos e Artesia algo diferente, único, informativo
As manifestações folclóricas são: músi- Hoje quero principalmente apresentar as utensílios regionais usados no trabalho. e formativo para que as pessoas presentes
cas, danças, usos e costumes, artesanato, manifestações do Folclore Português, in- Quero realçar o Grupo Folclórico Tempos pudesem compreender e assim mais plena-
crendices, superstições, festas, jogos, len- terpretado e vivio pelos grupos luso-cali- de Outrora de San Jose que se apresentou mente admirar as características de cada
das, religiosidade, brincadeiras infantis, fornianos. a primor no último Festival de Folclore, re- dança apresentada – Parabéns!
provérbios, mitos, adivinhações e outras Todos nós sabemos que o folclore é uma alizado em Artesia – Parabéns!
actividades culturais que nasceram e se celebração e vivência de uma cultura popu-
desenvolveram com o povo.” lar regional e por isso específica e demons- 4. Letra, Cantares & Vozes Manuel A. De Faria
Neste minha assertação, quero abordar o trativa de usos e costumes, de tradições e Poder entender a letra de cada cantiga e
tema Características do Folclore Portu- do modo de viver de um povo unificado apreciar as vozes e cantares inerentes a
guês na Califórnia e a sua manifestação por essa necessidade e desejo de partilhar cada dança é algo que enche o coração de
mais geral que é a realização anual do Fes- e promover esta vivência. Informar e ex- saudade e a alma de regozijo.
tival, com a participação de vários grupos plicar estas demonstrações torna-se etapa Perfeitamente aceitável se cada grupo de-
Californianos. crítica na divulgação apropriada cidir mencionar o tema principal da letra
Os portugueses residentes nas diversas A difusão do Folclore tem sido conseguido
partes do mundo parecem vibrar mais in- com êxito durantes todos estes anos) pro-
tensamente com tudo o que é Português curando reflectir com fidelidade as tradi-
do que pròpriamente os portugueses resi- ções da regiões que se representa – e neste
dentes em Portugal, sejam nos Açores, na aspecto a recentemente formada Associa-
Madeira ou no Continente. ção (Portuguese Folklore Association of
A Califórnia ocupa um lugar privilegia- California) parece tentar garantir uma
do na diáspora lusa com toda uma série maior aproximação.
de manifestações portuguesas sejam em Evidentemente, estas celebrações mesmo
celebrações religiosas como também em que únicas e peculiares a uma determina-
manifestações sócio-e-culturais. da região não são exclusivas, pois existem
- O Festival das Filarmónicas Portuguesas muitos pontos em comum entre as várias
(um total de 14) na Califórnia, este ano ce- regiões.
lebrando o 5º. aniversário, é um exemplo Como é do conhecimento geral, existem
vivo de que a música na verdade une os vários elementos demarcantes nos diver-
portugueses. sos grupos foclóricos, mas eu gostaria de
- O Festival de Folclore Português, já no realçar vários aspectos integrantes e pre-
seu 26º. aniversário, tem sido uma tentati- sentes em quase todos eles, abraçados pela
va de trazer até nós um aroma e um sabor Língua Portuguesa como o elo de ligação
do nosso torrão natal. É sobre este assunto às nossas origens
que quero expandir: Há os elementos visuais (trajes regionais,
- O folclore necessita de ser visto não só instrumentos musicais, artefactos e utensí-
como um acontecimento de socialização lios) que imediatamente captam a atenção
entre os portugueses, mas também e so- e existem também outras facetas de exibi-
PATROCINADORES 21
22 DESPORTO 15 de Junho de 2009

Transferência Milionária - 93 milhões de euros

Ronaldo vai para o real madrid


O Manchester United aceitou a proposta recorde de quase 10 Transferências mais caras no Futebol
94 milhões de euros do Real Madrid para adquirir o fu-
tebolista português Cristiano Ronaldo, que se tornará o
jogador mais caro da história do futebol. 1. Cristiano Ronaldo (Por), do Manchester Unitedpara o
‘O Manchester United recebeu uma oferta recorde de 80 Real Madrid (2009): 93 milhões de euros.
milhões de libras (94 milhões de euros) do Real Madrid 2. Zinedine Zidane (Fra), da Juventus para o Real Madrid
pelo Cristiano Ronaldo. A pedido do Cristiano - que vol- (2001): 75 milhões de euros.
tou a expressar o desejo de sair - e depois de conver- 3. Kaka (Bra), do AC Milan para o Real Madrid (2009):
sações com os seus representantes, o United concordou 65 milhões de euros.
em permitir ao Real Madrid que negoceie com o jogador’, 4. Luís Figo (Por), do Barcelona para o Real Madrid
pode ler-se no comunicado no site do Man.United. (2000): 61 milhões de euros.
Na nota aos adeptos do United é feita referência que o 5. Hernan Crespo (Arg), do Parma para a Lázio Roma
negócio deverá estar concluído até dia 30 de Junho. (2000): 56 milhões de euros.
A confirmar-se esta será a maior transferência da história 6. Gaizka Mendieta (Esp), do Valência para a Lázio
do futebol, ultrapassando a de Ziinedine Zidane da Ju- (2001): milhões de euros.
ventus para o Real e que na altura custou 76 milhões de 7. Rio Ferdinand (Ing), do Leeds United para o Manches-
euros, em 2001. ter United (2002): 47 milhões de euros.
Caso se concretize o negócio, Cristiano Ronaldo pode ren- 8. Andrei Shevchenko (Ucr), do AC Milan para o Chelsea
der aos cofres do Sporting cerca de três milhões de euros (2006): 46 milhões de euros.
correspondente à percentagem pela formação do atleta. 9. Juan Sebastian Veron (Arg), da Lázio Roma para o
Manchester United (2001): 46 milhões de euros.
Reacções 10. Ronaldo (BRA), do Inter Milão para o Real Madrid
(2002): 45 milhões de euros.
“Estou feliz pelo Cristiano Ronaldo, que vai entrar na his-
tória como o jogador mais caro”, Deco jogador do Chel- In CM
sea
“Com estes grandes jogadores vamos precisar de ser hu-
mildes o suficiente para correr dentro do campo e sermos
uma equipa unida”, Pepe jogador do Real Madrid.

Derlei sai do Sporting Djalma no Benfica


Bento e José Eduardo Betten- O extremo angolano do Ma-
court desejavam a sua perma- rítimo Djalma está muito
nência no plantel, mas Derlei perto de tornar-se jogador
não foi sensível aos apelos. O do Benfica. O futebolista,
CM apurou que na proposta, de 22 anos, é muito apre-
apresentada ‘logo a seguir ao úl- ciado por Jorge Jesus, que
timo jogo’, os leões pretendiam tentou levá-lo para Braga
reduzir o salário de Derlei, na no início da época passada e
ordem dos 50 mil euros, mas o foi indicado pelo próprio ao
luso-brasileiro foi inflexível. clube encarnado, na espe-
As eleições, realizadas no dia rança de trabalharem juntos
5, atrasaram o processo, mas neste ano.
foram as divergências financei-
ras a provocar a ruptura. Ao Marítimo já chegou uma
Após ter ponderado o fim da proposta concreta a rondar gado quatro horas atrasado ao estágio que
carreira, Derlei mostra-se agora os dois milhões de euros (cláusula é de se realiza no Algarve.
A Sporting SAD enaltece as qualidades disposto a jogar mais um ano e quatro milhões) que prevê ainda a inclu- Djalma não é caso único que comprova
pessoais e profissionais reveladas por Der- tem convites de Brasil e Médio Oriente. A são de dois jogadores, cedidos a título de que Jesus já trabalha para os encarnados
lei ao longo dos dois anos em que vestiu sua saída abre portas aos possíveis regres- empréstimo pelo clube da Luz. tendo em vista a próxima época. Tixier,
a camisola do Sporting e deseja-lhe as sos de Carlos Saleiro e Rui Fonte, mas o
ex- jogador de Jesus na U. Leiria, admitiu
maiores felicidades.” Chegou assim ao fim Sporting deverá tentar contratar mais um Djalma é internacional A angolano e des- ontem à Antena 1 que o técnico já sondou
a ligação entre o avançado e os leões, tal avançado. tacou-se na última época ao serviço do o seu empresário . “Seria um sonho jogar
como o Correio da Manhã adiantou na úl- Marítimo (seis golos em 26 jogos). Tido no Benfica”, disse o lateral-esquerdo, de
tima semana. como sendo um jogador pouco disciplina- 28 anos.
O clube anunciou ontem, através do seu in CM do – foi, inclusive, afastado dos trabalhos in CM
site, a saída do jogador de 33 anos. Paulo da selecção por Manuel José, por ter che-

Cissokho no Lyon
O Lyon definiu Cissokho
como uma prioridade para a
nova temporada e deve subir
nos próximos dias a propos-
ta de dez milhões de euros já
apresentada ao FC Porto.
A imprensa francesa avança
que as boas relações entre o
tetracampeão nacional e o
Lyon deverão conduzir a um
acordo pelo lateral gaulês por
uma verba de cerca de 13 mi-
lhões de euros, negócio que
estará concluído até ao fim--
de-semana.
Lisandro é também uma for-
te possibilidade para o Lyon,
mas só a saída de Karim Ben-
zema para um colosso europeu
permitirá atacar o argentino.
PATROCINADORES 23

Aliança Velha
Aguardante $ 9.99

Casal Mendes - Rosé


e Branco $1.99
24 TAUROMAQUIA 15 de Junho de 2009

Afinal quem é que nos Quarto Tércio


José Ávila
protege das invasões? josebavila@gmail.com

Enfio o meu
chapéu até
aos pés, quando
vejo a Polícia pre-
sente na Praça de
Thornton a não re-
sponder devidamente
à invasão de proprie-
dade privada, dando
azo a casos que nunca
deveriam ter acontecido, caso eles tivessem parado em
devido tempo o activista da ACI. Este activista, o único
direito constitucional que tem é de pagar $20.00, sentar-
se na bancada e se não gostar do que vê, protestar de
viva voz, como nós fazemos quando vemos penalties
mal marcados no futebol. Ele não tem o direito de
invadir a trincheira, nem de entrar na arena, nem sequer
entrar no espaço reservado aos cavaleiros e aos toiros.
A Polícia deveria ter feito o seu papel e tudo o resto
(prisão de dois jovens) nunca teria acontecido.

Enfio o meu chapéu até ao umbigo


quando vejo que a organização da Corrida de Modesto
O que é que faz este activista a correr na Praça Leia Ernest Hemingway, página a página, pará- deixou entrar este mesmo activista no terreno reservado
de Thornton? Onde é que estava a Polícia que não grafo a parágrafo, palavra a palavra e sinta-se aos cavaleiros e toiros na Praça de Stevinson. Porquê?
o expulsou quando ele saltou das bancadas para apaixonado como ele se sentiu. Só porque ele vinha vestido com uma farda que me
recordou a Legião Portuguesa?
a trincheira? Invadir propriedade privada ainda Foi este grande escritor americano que colocou
Assim não pode ser. Uns a puxarem para um lado e
é crime neste País. Será que este activista vai aos a America no mapa, como um dos Países mais outros a puxarem para o outro .
rodeos, à caca dos javalis, à caca dos bisontes, apaixonados pela Festa Brava.
dos ursos, dos veados, etc. e faz a mesma coisa? Leia também Kenneth Tynan, John McCormi- Atiro o meu chapéu contra a parede,
Meu caro activista, não seja hipócrita. ck, Leslie Charteris, Barnaby Conrad, Eamonn irritado, chateado, quando, ao sair da Praça de Ste-
O’Neil, James F. Dwyer, Rex vinson, no fim da Corrida da Festa de Turlock, vi um
Smith, Vincente J-R Kahoe, caixote de papelão cheio de bilhetes para irem para o
Larry Collins, James Miche- lixo. Estamos todos tolos ou quê? Porque é que não de-
ner, Edward Lewine, para ram os bilhetes aos seus verdadeiros donos? Porquê esta
não falar nos milhares de ideia de deitar para o lixo, bilhetes que custaram a fazer,
quer a artistas, quer a patrocinadores? Em que País é
autores de língua espanhola
que vivemos? Quem é que pára com esta idiotice?
e portuguesa. Já agora agradeço ao Tony Meirinho ter tentado mudar
Se não encontar livros destes isso na Corrida de Modesto, mas o Presidente da Festa
autores americanos, eu posso não gostou da ideia. Triste, muito triste, mesmo. Ainda
emprestá-los. Tenho-os to- por cima na Festa da minha cidade.
dos.
Você sabe quantas Tertúlias
Taurinas tem na America? Tiro o meu chapéu pela maneira correcta como
Você nem sonha o número os oficiais do Animal Control visitaram o Rancho Los
delas e nem eu lhe digo. In- Acres em Stockton, onde se realizou um festival tau-
rino. Assim se trabalha bem.
vestigue e fale com eles.
Convido-o a ir à Internet e
ver as grandes obras artís- Tiro o meu chapéu a todos aqueles
ticas de escritores, pintores, que se tem interessado na defesa da
Você ja viu a beleza de uma faena? Já viu a be- escultores, filósofos, que dedicaram parte da sua nossa festa. Não é fácil, porque a incompreensão
leza de um toiro a ser lidado por um cavaleiro? vida a compreenderem esta Festa Brava, que é pode ser atrevida e quando se mistura com a televisão,
Você ja viu a beleza e a elegância de uma pega? bela, estonteante, apaixonante, inacreditável. o caldo pode derramar em pouco tempo. Já tivemos
Se não houvesse corridas de toiros, este lindo Comprendo e aceito que hajam pessoas que, de- exemplos deste tipo de acção. Devemos manter a
animal já estava extinto há muitos anos. Você já vido à sua educação, vivência, não conseguem cabeça fria e deixar a quem de direito tomar conta dos
apreciou como o toiro é tratado durante toda a compreender o mundo dos Toiros. É normal, e acontecimentos.
sua vida? Já apreciou o amor que os ganaderos até nos Países mais taurinos, há muita gente que
tem por eles? não compreende este fenómeno. A vida não é per- Fico com o meu chapéu no ar à espe-
Pense antes de agir. Você pode vir com todas as feita, nunca foi, nem nunca será. ra de o atirar para o céu, quando souber dos
fardas que quiser, pode ter todos os distintivos A vossa organização seria mais proveitosa se aju- triunfos das Sanjoaninas. A Terceira merece ter triunfos
que quiser, mas nunca poderá invadir proprieda- dasse a compreender melhor o mundo animal e o todos os dias em que hajam corridas de toiros.
de alheia. Alguns tem-lhe facilitado a vida, mas defendesse racionalmente.
isso já acabou. Por sorte e por amor, o toiro é o animal mais bem Tiro o meu chapéu aos dois Grupos
A beleza da Festa Brava está muito além da vossa tratado à face da Terra. de Forcados de Turlock por terem decidido
compreensão. Leia muito sobre a festa e poderá A vossa organizacao teria muito que aprender pegar juntos pela primeira vez. E muitas outras vezes
até ficar aficionado. Quem sabe? Não era o pri- com a Festa Brava, se a tentasse compreender. acontecerão. A camaradagem, a galhardia e as casacas
meiro. Infelizmente a Festa Brava não é para todos. da forcadagem merecem um copo de bom vinho de
saudação.

Esta gravata preta ficará aqui até que as nossas organizações taurinas aprendam a Fiquei com o meu chapéu meio fora
devolver os bilhetes dos toiros depois dos porteiros os cortarem. meio dentro, quando vi que a organização da
O que acontece na California desde há anos, é que os patrocinadores pagam para Festa de Modesto decidiu reduzir o copo da cerveja (o
que os seus serviços sejam publicitados nos bilhetes de toiros e depois mal se que melhora a sua frescura), mas mantendo o mesmo
compram entrega-se ao porteiro, este fica com ele e no fim da corrida vai tudo preço. Ideia brilhante, mas um tanto atrevida. Tirem-lhe
para o lixo. Alguém pode compreender isto? 50 cêntimos no preço e já falamos.
Por lei, todo o cidadão, em qualquer país do mundo, tem direito a ter o seu recibo,
mesmo que o bilhete seja oferecido.
Tenho muita esperança que neste fim de
semana da festa de Stevinson, talvez possamos ver toda
Nao faremos mais críticas de Corridas de Toiros até que a gente com o seu bilhete na mão, a que têm direito.
a nossa Comunidade Taurina acorde deste sonho mau Será desta vez? Se for, é uma grande alegria para muita
gente e pôr-nos-a em igualdade com todas as praças do
que tem tido. Já estou a ficar farto desta brincadeira. mundo.
PATROCINADORES 25

Junho

VISITAS OFFICIAIS & OUTRAS ACTIVIDADES


Junho de 2009

June 20: 6:00PM – Sacramento, Council #11


Tel: (916) 428-3883
June 21: Special Convention
Tel: (209) 835-4341
June 28: Family Day Picnic
Casa da Fruta
(510) 483-7676
26 ARTES & LETRAS 15 de Junho de 2009

Dia de Camões Apenas


Duas
Quanto mais longe vou, mais Palavras

perto fico... Miguel Torga Diniz Borges


d.borges@comcast.net
A Saudade do Imigrante ESTE POVO DA ILHA Os bojos dos seus tàlhões.
Se é a Praia da Vitória O nosso amigo Diniz Borges anda
Aos portugueses que imigraram Este o povo que nasceu no mar. Veio-lhe Não lhe reconheço a saia: ocupadíssimo com o fim da temporada
para a America do Norte, e não o sangue Enchem-lhe a areia de escória, escolar e aqui estou eu para nas vés-
puderam voltar à sua terra do sal. Suas veias boiaram outrora Ninguém diz que é a mesma Praia. peras do dia de Portugal, de Camões e
E um mal que não se entende entre cabeleiras de algas e fungos de Talvez seja Santa Cruz das Comunidades Portuguesas, parti-
nem preocupa ninguém, basalto. Da Graciosa, ou a sua Praia, lhar convosco esta poesia açoriana de
mas um farol que se acende Abriu-se-lhe a boca no remoto esqueci- Com o Carapacho e a Luz primeira água e para recordar as nossas
como luz que vai e vem. mento Cheirando a lenha de faia. Ilhas de Bruma.
Ilumina a longa estrada dos búzios. Memória são as conchas De S. Jorge a alva Calheta
da vida do imigrante desertas Ou a clara vila das Velas, Um Bom dia de Camões para todos.
que, na dura caminhada, o calhau rolado arenoso silêncio sobre E o alto, alvadio Topo
é como urn judeu errante. rocha. Com um monte de pedra preta
E, da luz, esse clarão Dando realce janelas. jose avila
que desperta a noite escura, Gerado talvez entre o grito enfermo das As Lajes ou o Cais do Pico,
entra no seu coração, baleias A escoteira Madalena
descobre a sua amargura. e o rasto dos navios. Pois este o povo Vilas são de vinho rico, No coração a ardência das caldeiras
Castelo de sonhos feito se (re)conhece entre areia e mar Qual delas a mais morena. O mar imenso me enche a alma
que o destino derrubou no preciso instante em que a pedra Santa Cruz das Flores seria E tenho verde, tanto verde a indicar-me
torcendo tudo a seu jeito, e o corpo se tocam e amam Essa vila açoriana a esperança.
só a saudade ficou. a água Ou as Lajes de cantaria
Como a chaga sem conforto, Do bom Pimentel soberana. José Ferreira
como a dor sem lenitivo, E por isso os peixes Finalmente, só o Rosário,
num vivo que está morto, nos atravessam os olhos Que do Corvo vila é,
num morto que ainda é vivo... a nado Pequena como um armário Morte que mataste Lira
Ou um chinelinho de pé.
Francisco do Canto e Castro Viajam entre nós e a certeza Mas não é nenhuma delas, Morte que mataste lira
(Poemas) do corpo. Nem Água de Pau, que o foi, Mata-me a mim que sou teu
S. Sebastião, ou Capelas, Mata-me com os mesmos ferros
Recebi esta carta hoje. João de Melo Da Terceira arca de boi Com que a lira morreu
(in Navegação da Terra) Como a nossa Vila Nova,
From Joe Simas Que nem chegou a ser vila, A lira por ser ingrata
San Francisco P. O. Box 87 ROCHA DO MAR Tão branca na sua cova, Tiranamente morreu
California 90405 Tão airosa, tão tranquila. A morte a mim não me mata
United States of America Ao Armando Santos, primo e poeta Ah, já sei! É delas, fundo, Firme e constante sou eu
Que o muro alvo se perfila
Fala-me de muitas coisas. Já uma vila dos Açores Contra os corsários do mundo Veio um pastor lá da serra
Manda-me um abraço grande como o seu Loze ligeira no horizonte. Que invejam a nossa vila, À minha porta bateu
coração. Será num alto das Flores, Nosso povo, na folia Veio me dar por notícia
E conta-me sobretudo coisas que não se No Pico ou logo de fronte, De uma rocha de mar bravo, Que a minha lira morreu
contam. Espraiadinha num cume Que o Guião da autonomia
Ou encolhida em Calheta? Só por morte torna escravo. Popular
Sua carta diz-me pura e rica como sua O ser nossa é que resume
voz Seus amores de pedra preta. 24 de Abril de 1976
de mechins para um tudo de chtôas e de Para vila da Lagoa Saudade
tães Falta-lhe a cidade ao pé, Vitorino Nemesio
do Chinatão à noite e de Frank Soisa nas A distância de Lisboa
Festas de Gestinas. Já não me lembro qual é. ILHA Eu tenho dentro de mim,
Que o vale de S. Francisco é um céu Para Vila Franca ser tenho dentro do peito,
incarnado. Falta-lhe o ilhéu à ilharga, Só isto: uma saudade, que enfim,
É airosa pra se ver, O céu fechado, uma ganhoa me esquece o que tens feito.
Conta-me de brigas notícias de Norioque Mais comprida do que larga. pairando. Mar. E um barco na distância:
que veio na talaveija e os papeles troive- Povoação não me parece, olhos de fome a adivinhar-se, à proa, Eu tenho dentro de mim,
ram Nos padieiros não condiz, Califórnias perdidas de abundância. tenho cá dentro em verdade,
de fitas faladas que viu em amaricano Aos camiões estremece, aquela saudade, enfim,
ákcidents no far-uei charefas leitarias Mas não aguenta juíz. Pedro da Silveira do que me deste em saudade.
e diz que na América o passadio é outro. Pra Ribeira Grande falta-lhe in A ilha e o Mundo, Lisboa, 1952
O José Tavares no quintal, Esta saudade, saudade,
E fala-me ainda de muitas porquidades Rija cantaria salta-lhe Ilhas de Bruma esta saudade sem fim
por aquela América Dos cunhais, branca de cal, como eu a tenho em verdade
sem pontos sem vírgulas e jamais acento Mas não é Ribeira Grande: Ainda sinto os pés no terreiro
bem dentro, dentro de mim,
em sua aventura Essa merecia foral! Onde os meus avós bailavam o pezinho
A bela Aurora e a Sapateia é talvez, só a verdade
No dia em que haja quem mande que deva sair de mim
Joe Simas San Francisco Valley. Vale de Será cidade mural. É que nas veias corre-me basalto negro
E na lembrança vulcões e terramotos em bem estranha saudade.
São Nordeste - só enganada
Francisco onde não há paredes Na vista da Ilha Terceira,
e o sonho ribomba pela campina fora. Longe de Ponta Delgada, Por isso é que eu sou das ilhas de bruma Gilberto de Vasconcelos
Sua sede verdadeira. Onde as gaivotas vão beijar a terra (Natural de São Miguel, Nascido
Sua carta conta-me coisas que só visto Nem Vila do Porto altiva, em 1924. Falecido em 1971.)
e com amizade termina em cruzinhas e A mais velha da fiada, Se no olhar trago a dolência das ondas
círculos. Em suas ruas cativa O olhar é a doçura das lagoas
Como princesa encantada. É que trago a ternura das hortênsias
Marcolino Candeias De cimento a remendaram, No coração a ardência das caldeiras.
In Diário Insular, Angra do Heroísmo, 31 Coroaram-na de aviões,
de Maio de 1973 Mas eternos lhe ficaram É que nas veias corre-me basalto negro
s e r v i n g t h e p o rt u g u e s e – a m e r i c a n c o mm u n i t i e s s i n c e 1 9 7 9 • ENG L I S H S E C T ION

Ideiafix
portuguese
Miguel Valle Ávila
miguelvalleavila@tribunaportuguesa.com

Aliança and SES Mission Chamber Orchestra, Deo Gloria


Last May 31, Aliança Jorgense celebrated its an-
nual Festa in honor of the Holy Spirit. One of the
few organizations that still keeps its celebrations
Choir marvel Dia de Portugal Concert
The 2009 Dia de Portugal in California
in the traditional Azorean way — no “queens” kicked off on May 31 with a classical
(pictured above and below). Mass was held at music concert by the Mission Cham-
Five Wounds Portuguese National Church in San ber Orchestra presenting Portuguese
Jose, just a few blocks from the organization’s composer João Domingos Bomtempo’s
hall. “Requiem to the Memory of Camões”
at Five Wounds Portuguese National
Church in San Jose. The 50-piece
orchestra was accompanied by the Deo
Gloria Choir directed by Sharon Xavier
de Sousa, soprano Sepideh Moafi,
mezzo soprano Amanda Villegas, tenor
Pedro Betancourt, and baritone Paul
Murray.
The program started with Alexandre
Delgado’s “Prelúdio” was compo-
sed when the author was just 16 and
premiered in Lisbon in 1982. It resem-
Soprano Sepideh Moafi performing with the Mission Chamber Orchestra and Deo
bles the sweet waves of the Atlantic
On June 7, the Sociedade do Espirito Santo of Gloria Choir at Five Wounds Portuguese National Church
washing ashore on a Portuguese beach
Santa Clara held its annual Holy Ghost Festa Camões was composed in Paris in 1819. ful ever sung at the 90-year-old church.
during a late summer sunset.
with a parade to and from the SES Hall on La- The “Missa de Requiem, Op. 23” dedi- The Kyrie sung by soprano Sepideh This Requiem filled the soul reaching
fayette Street and Mass at St. Clare’s Catholic cated to Portuguese poet Luis Vaz de Moafi was most likely the most beauti to the Heavens.
Church (pictured below)

LAEF Dia de Portugal Luncheon


The Luso-American Education Foun-
dation (LAEF) celebrated its 46th an-
niversary and hosted its traditional Dia
de Portugal luncheon on Sunday, June 7
at the Hilton Newark Hotel in Newark,
California.
The Luso-American Education Founda-
tion was organized by a group of citi-
zens of Portuguese origin in 1963. The
Foundation’s goals are to foster, sponsor
and perpetuate the Portuguese langua-
ge and culture in the United States. The
Foundation provides scholarships and
educational grants in various categories
to qualified residents of California. and
sponsors student exchange programs,
annual education conferences, summer
youth educational camps and Portugue- Goularte for his dedication to the Por- award.
se Day activities. tuguese-American community of Cali- The keynote speaker was outgoing Con-
At this year’s luncheon, the Dia de Por- fornia. Mr. Goularte was accompanied sul General of Portugal in San Francis-
tugal Award was presented to Lionel by his wife Bernadine in receiving the co, António Alves de Carvalho.

Portuguese Exhibit Open House


at SJSU’s K ing Librar y
Opened since May 21, the second The exhibit is open through Sep-
floor of the King Library serves tember 30, 2009 during normal
host to a special exhibit — “Por- library hours.
tugal: Age of Discoveries and the For more information about the
Story of a Volcano.” Portuguese exhibit, please con-
The Portuguese Discoveries tact Lionel Goularte at (510) 797-
panels exhibit provides a com- 7585. This exhibit is sponsored
prehensive and interesting story by the Portuguese Heritage So-
of the role that the Portuguese ciety of California.
mariners played in opening com-
munication and trade between About the Library
Europe and many other parts of The Dr. Martin Luther King, Jr.
the world. Library is the largest, all-new li-
The Capelinhos Volcano exhibit brary west of the Mississippi, an
describes aspects of the eruption innovative collaboration which
on the island of Faial, beginning has created an invaluable com-
on September 27, 1957 and las- munity resource open and free to
ting more than a year, destroying all. A feast for the mind, as well
villages in a section of the island as the eyes, the King Library bo-
and dislocating a large number of asts a collection of roughly 1.5 Exhibit organizers and visitors pose for The Portuguese Tribune
families. The exhibit tells how, million items as well as delightful
as a consequence of this disloca- public art installations awaiting
tion, a new group of Portuguese your discovery on every floor.
immigrants were brought to the Dr. Martin Luther King, Jr. Li-
United States. These new immi- brary
grants helped revitalize interest 150 E. San Fernando St.
in Portuguese heritage and cultu- San José, CA 95112
re throughout California. (408) 808-2000
As part of the Dia de Portugal May 26 - August 23, 2009
celebrations, an Open House Monday - Wednesday 8:00 AM -
took place on Saturday, June 6. 8:00 PM
Several hundreds of visitors en- Thursday - Saturday 9:00 AM -
joyed the exhibit along with hors 6:00 PM
d’oeuvres and Port wine. Sunday 1:00 PM - 5:00 PM
28 ENGLISH SECTION 15 de Junho de 2009

Pela Primeira Vez Nesta Praça Corrida de Cavaleiros em Laton


Jim Verner
jim-verner@earthlink.net
A good sized crowd braved a cool bull for the ferros. David Correia the cavaleiro was able to place se-
and windy evening in Laton on made a good pega, and Paul To- veral good ferros compridos. Joe
May 11 to watch Alberto Conde ledo took the tail as he spun the Machado and Raymond Oliveira
and Miguel Duarte, along with bull dangerously near the fence. from Turlock handled the pega
the forcado groups from Artesia, Conde’s second was a brave ani- and tail with good style.
Aposento de Turlock, and Mer- mal that charged from afar and Duarte’s second bull, the smal-
ced face three bulls from Can- allowed the cavaleiro to work the lest of the evening, was noble and
dido Costa and three from Joe bull with style, placing five ferros smooth charging, allowing the
Pacheco. compridos. The strong bull was cavaleiro to put on an excellent
The bulls made for an interesting a challenge for the forcados from show. Even though the bull was
evening. Two, one from each ga- Turlock. Fabio Vieira made the smaller than the other, it was still
nadaria, were outstanding. The grab on the second try, and Den- a challenge for the forcados due
others were brave, but complica- nis Espinola took the tail. to its bravery. On the second try,
ted, for the horsemen and a chal- Conde’s third bull would only Paul Toledo made a good grab,
lenge for the forcados. Mário charge the horse when the cava- and Manuel Coelho took the tail.
Teixeira and João Santos handled leiro was in the terrains of the The final bull of the evening
the brega well throughout the bull, making spectacular work charged readily but rather than
evening. The crowd enjoyed the impossible. But, when the for- stay focused on the horse it would
performances, and after every cados came out, the bull charged become distracted and wander
bull, the cavaleiro, the forcado, from afar and Jason Vieira made off. Duarte worked hard to keep
and the peones de brega took a a spectacular pega. the bull’s attention with limited
turn of the ring to applause. Miguel Duarte’s first bull was success. Yet, when the forcados
Alberto Conde’s first toiro had complicated, charging from a dis- entered the ring, the bull readily
an aggressive, but rough, charge. tance. The bull caught Duarte’s charged from a distance. Dan
It ended up taking a querença in horse several times, but as Duar- Nunes and Dennis Espinola from
the middle of the ring, making it te began to understand the bull Merced made a successful pega
difficult for Conde to position the and the bull began to settle down, and tail on the second try. Alberto Conde

Do meu Jardim FLAD no longer funds


Alicia Filomena Cota Citizenship
LISBOA (LUSA) - The Luso- national relations between the
cotaa@uci.edu American Development Founda- Portuguese civil society and the
tion (FLAD in Portuguese) will American civil society, helping

Eu Tenho Saudades
stop financing a project to foster in cultural and economic aspects
political and civic participation of and in the way that the United

O
the Portuguese community in the States sees Portugal,” added Ma-
ften times with my de is said to describe the longing, the present, a turning towards United States because of a lack of chete.
Middle Eastern sadness and loneliness felt du- the past or towards the future; funds, said Rui Machete, FLAD’s The project coordinator, James
friends, I ask them to ring this period by both the men not an active discontent or poig- president. McGlinchey, son of an Irish fa-
translate an Arabic at sea and women left behind. nant sadness but an indolent Machete said the foundation ther and an Azorean mother, said
word for me. Sometimes they Some call it a “Portuguese way dreaming wistfulness.” has at this time “a real difficul- that he has plans to change his
cannot find a word in English of life.” Leandrof (2007), author The most widely accepted ex- ty because of the crisis,” and life and leave his post.
that describes the word correc- of Aesthetics of Saudade finds planation of saudade is Bell’s that, “even because of a matter “Even if there wasn’t a ques-
tly. The same can go for many that the word saudade has evol- example above. In a sense, the of principal,” the project cannot tion about the money, it needs to
words in any language, including ved from its original meaning in only people who can determine continue to be 99 percent funded change because you can’t do the-
Portuguese. In a similar case, the thirteenth century. whether this explanation is rele- by FLAD. se things forever,” said McGlin-
the Portuguese word saudade vant are those experiencing sau- “Dramatizing things a bit, helps chey.
is a difficult word to translate Circa 1910, poets António Nobre dade. To me, it is one of those because if not people would not However, he considered that,
in English. In fact, upon resear- and Teixeira de Pascoais were feelings you can’t find the words pay attention, it’s good to explain “even if you can’t fundraise the
ching saudade, I found plenty of the first pioneers of Saudosismo. for but know the feeling the ins- that this could not be maintained necessary funds, there are parts
words that graced the meaning Saudosismo originated from the tant it sweeps you. Reviewing the way it was,” said FLAD’s of this project that will survive
but did not capture its depth. Portuguese Renaissance or Re- the literature available on sauda- President, offering that the Por- and the local coordinators will
For instance, in a Portuguese nascença Portuguesa. (Yes, we de, one would find one common tuguese-American community continue to do the work.”
blog at www.transparent.com, had one too!) The Portuguese theme. Saudade is a Portuguese should assume the costs of the 10 While analyzing the decade long
one writer listed the following Renaissance was a cultural mo- word that describes the soul and year old “Portuguese American project, he admitted that he fai-
words to translate saudade: lon- vement that sought to reinvent human nature of Portuguese Citizenship Project.” led in the current issue at hand:
ging, hope, fatality, nostalgia, Portuguese society after the people. This word is special in “If they give $10 or $15 it’s per- “I have never been good at fun-
yearning, missing, fondness, degeneration of the monarchy. that no other Romance Langua- fectly possible that the project draising.”
endearment, loneliness, feeling, Saudosismo developed as a the- ge says saudade. A word that is has the means to sustain itself,” According to McGlinchey, the
emotion. Even more, a BBC ar- ory to describe a human attitude uniquely Portuguese, saudade he said. project enabled the percentage of
ticle written in 2004 states that towards the world based on nos- must not be taken for granted. According to Machete, the 10 ye- voter in the Portuguese commu-
saudade is the seventh most di- talgia. Camões relates Saudosis- ars of the project cost the founda- nity to grow 10 to 15 percent.
fficult Portuguese word to trans- mo to a lyrical attitude found in About Alicia: tion, “between 7.5 and 8 million The president of the commission
late. Because saudade is an im- Portuguese literature of the pe- euros ($10.27 to $10.95 million that manages the project, Elmano
portant staple of the Portuguese riod that reflected a yearning for After graduating from the Uni- dollars), which is a considerable Costa, an Azorean from Tercei-
culture, I wanted to look closer “good things of the past.” Pro- versity of California, Irvine amount.” ra, who emigrated to the United
at its origin, significance and in- bably the most widely used refe- with a degree in Political Scien- Since its inception, the project States when he was 10 years, said
terpretation. rence to saudade is A.F.G. Bell’s ce, Alicia starts on her first in- tallied the participation of 49 with conviction that the “project
Originally, saudade came from book titled In Portugal and writ- ternship with aicep Portugal cultural, fraternal and religious will not die.”
the thirteenth century. Accor- ten in 1912. He wrote: Global on June 17 and in late organizations in 21 Portuguese “We already changed the idea in
ding to wiki, saudade derives “The famous saudade of the July she will begin a three-mon- communities in the United States, many communities that the Por-
from the Great Portuguese Dis- Portuguese is a vague and cons- th internship at the Portuguese including various in Massachu- tuguese don’t vote, but that they
coveries where men went off tant desire for something that Consulate. Congratulations to setts and Rhode Island. Twenty- participate in equal percentages
on journeys with women left does not and probably cannot our future diplomat. five catholic churches also parti- with Americans in elections,”
behind in agonizing fret. Sauda- exist, for something other than cipated in the project. said Costa.
To FLAD’s president, the success The consul of Portuguese com-

Tony Goulart to speak in San Mateo of the project, which encourages


immigrants of the benefits of be-
coming American citizens and
munities in California had doubts
about the possible contribution of
Luso-Americans to finance the
Tony Goulart, vice president of take place Saturday, June 20, at 1 of the Portuguese people in Nor- of voting, has shown itself in a project.
the Portuguese Heritage Publica- PM; admission is free with paid thern California..The San Mateo higher political participation and “To gather funds in California
tions of California and coordina- museum admission ($4 for adults County History Museum is lo- in advantages, special in highly saying that the money will also
tor of Capelinhos: A Volcano of and $2 for students and seniors). cated at 2200 Broadway in Re- dense Portuguese zones - Cali- be used in New Jersey, Massa-
Synergies, is a guest speaker at Tony Goulart will present on dwood City, California. fornia, Newark, N.J., Massachu- chusetts, Rhode Island, people
the Docket Series, a monthly se- “The Portuguese American setts and Rhode Island. will say ‘Why do I care about
For more info call the Museum
ries of lectures and performances Community in Northern Califor- “If they have the means of their what’s going on in Massachuset-
at 650-299-0104 or visit the web-
exploring different themes in lo- nia: Waves of Immigration from voice being heard in political ts? I’m Californian and I want
cal history held in the San Mateo the Azores.” The topic will cover site www.historysmc.org
context in those states, they could the benefits to go to California,”
County History Museum’s histo- the history, the occupations and be important agents in the inter-
ric Courtroom A. This event will the social and cultural activities said the consul.
PATROCINADORES 29
Para comprar o DVD das Heroínas, telefone para
562-860-0855 ou 562-547-0055 Vende- se Leitaria de Cabras
8.9 acres com irrigação própria
Casa com 3700 pés quadrados, 5 quartos de cama, 3 quar-
tos de banho, toda remodulada.
Perto da auto-estrada e Shopping Center
Fica situada a 1 milha do novo Hospital do Kaiser
Permanente, em Dale Road, Modesto, California
Perto do novo Liceu

Extraordinário investimento de $990K dólares


Os animais existentes não estão incluídos
Contactar AHMAD SHAMA (209) 505-5268

Custo: $150,000.00 dolares.


Aceitam-se ofertas
30 ENGLISH SECTION 15 de Junho de 2009

Joel Sousa Illegal Culture!?!


joelmsousa@gmail.com

N
ão me digas! This cause they are all permitted and fights happen to be a big part of care of. money, sweat and tears. The best
was my reaction to legal by California state law. that. So let us take a look at our bull- part about these people is that
the Stockton Record We too care about the well being Socially speaking, bullfights cre- fights through a communal lens. they do it with no expectations of
article about the al- of all animals and it is our sym- ate a time and place where all First of all, from what I know getting anything in return. This
tercation with an Animal Cruelty biotic relationship with them types of people from all places they are not very profitable and display of unconditional love is
investigator at a recent bullfight that helps us shape who we are can enjoy a culture which dis- the companies who produce the very visible in our Portuguese
in Thornton. Someone publicly as a people. Azoreans especially plays its bravery, dedication and spectacle merely make enough culture. These people exemplify
stated that our Portuguese bull- come from an agricultural back- traditions with an unsurpassed money to repeat the show. The our Portuguese values that get us
fights, our culture, our religious ground where tending to animals level of respect. So when ACI people who raise the bulls, train through an ever changing world.
traditions are criminal activities. was a way of survival and a way says that our “illegal activities” the horses, practice the pegas, This claim by the ACI in the Sto-
Well, if being Portuguese is ille- of life. My parents, even today, should be stopped, I realize that practice the marchas, take the ckton record has to be taken with
gal then lock me up and throw still won’t build a pool in our they have missed the picture and photos and so on and so forth. a grain of salt. The truth is that
away the key because I’m going backyard because we apparently they have ignored all the cultural All these people do it out of love our culture brings many positive
to be Portuguese for life. need eighty percent of it to grow positivity that the bullfights pro- and passion for our culture and attributes to the community, tho-
The main issue with the Animal feed for our free flying pigeons. mote. I think that what they do is community. They do it for the se should be highlighted rather
Cruelty Investigators is the tre- Not to mention the couves, favas very noble and I personally com- nostalgia it gives them, remem- than criminalized. If Portugue-
atment of our bulls during the and green cebolas we cultivate mend them. I believe all animals bering the land they left behind se bullfights, our culture and our
bullfights. For that I say there are just in case Safeway closes down. should be treated well. I also feel in search of a better quality of life religious traditions are criminal
no problems, there are only solu- The economy is bad you know. that if they had done their rese- here in the U.S. At the core of our activities than lock us all up be-
tions. Portuguese bullfights have My point is that our Portuguese arch they would know that these culture we can find these people cause we are all going to be doing
been around for many years be- culture is our identity and bull symbolic animals are well taken making great sacrifices of time, life for being Portuguese.

Tipton SPDES 60th Anniversary Photos by Maciel’s Photography


Studio, Tulare
The Holy Ghost Festivity was held on June 7, to celebrate the 60th Aniversary of
SPDES of Tipton.
The 2009 Officers are: President, Christopher J. Borba; Vice-President, Brian Roche;
Secretary, Anthony LX Bettencourt; Treasurer, Tony Sozinho.
Senior Queen Elyse Borba; sidemaids, Marisa Silva and Alexandria Alves.
Junior Queen Brandi Borba; sidemaids Allison Tristo and Katlin Limas
The SPDES was organized on June 14, 1949. The Portuguese Community of Tipton
have had a Holy Ghost celebration since 1917. From 1917 to 1948 the host committee
was the IDES Council 112 of Tipton.
Special thanks to Mario Maciel for the beatiful photos.
FESTAS 31

Festa do IDES de Alvarado St., San Leandro

Senior Queen Lindsaycom as suas aias Kristina e Angelica


Embaixo: Rainha Junior com aias

Baby Queen Isabellade Melo e aias Josefina e


Embaixo: um cozinha de peso. Caras cansadas, mas bem dispostas

A Festa Anual em Louvor ao Divino Espírito San- das, Sociedade Filarmónica Recreio do Emigrante
to do IDES em Alvarado Street, San Leandro, teve Português e Sociedade Filarmónica União Popular,
lugar desde o dia 10 de Maio a 17. de San José, para assistirem à missa.
Do dia 10 a 16 houve a habitual reza do terço. No Coroadas as rainhas houve o regresso da procissão
Sabado, dia 16, abertura oficial da festa comMissa, à Sociedade onde foram servidas Sopas e Carne.
danças folclorica, conctos de musica e jantar de Durante a tarde houve arrematações e concertos
caçoila, seguido de baile com Alcides Machado musicais.
e apresentação das Rainhas e dos Directores da
festa.
No Domingo, a Coroação saíu da Sociedade para a
Igreja de St. Leander, acompanhada pelas Ban-
32 ÚLTIMA PÁGINA 15 de Junho de 2009