Você está na página 1de 7
ATENÇÃO: HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA O tempo utilizado pelo cursista em acessos aos

ATENÇÃO:

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

O tempo utilizado pelo cursista em acessos aos links citados no item III – Leitu- ras Complementares – não será computado para efeito de registro da carga horária mínima do curso (18 horas).

IIIIIIIIIIII –––– SUGESTÃOSUGESTÃOSUGESTÃOSUGESTÃO DEDEDEDE LEITURASLEITURASLEITURASLEITURAS COMPLEMENTARESCOMPLEMENTARESCOMPLEMENTARESCOMPLEMENTARES::::

A – HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA:

I - Legislação:

a)

LEI, DE 7 DE NOVEMBRO DE 1831

 

“Declara livres todos os escravos vindos de fora do Império e impõe penas aos importadores dos mesmos escravos.” (Lei Diogo Feijó)

http://www2.camara.gov.br/internet/legislacao/publicacoes/doimperio/colecao5.html

 

b)

LEI Nº 4, DE JUNHO DE 1835.

“Determina as penas com que devem ser punidos os escravos, que matarem, ferirem ou commetterem outra qualquer offensa physica contra seus senhores, etc.; e estabelece regras para o processo. (sic)

 

http://www2.camara.gov.br/internet/legislacao/publicacoes/doimperio/colecao5.html

c)

LEI Nº 581, DE 4 DE SETEMBRO DE 1850

 

“Estabelece medidas para a repressão do tráfico de africanos neste Império.” (Lei Eusébio de Queirós) http://www.icmc.usp.br/ambiente/saocarlos/?historia/o-processo-de-abolicao-e-a-vinda-dos-imigrantes-/lei-eusebio-de-queiroz

 

d)

LEI Nº 2.040, DE 28 DE SETEMBRO DE 1871

 

“Declara de condição livre os filhos de mulher escrava que nascerem desde a data desta lei, libertos os escravos da Nação e

 

outros, e providencia sobre a criação e tratamento daquelles filhos menores e sobre a libertação anual de escravos.” (Lei do Ventre Livre)

 

http://www.icmc.usp.br/ambiente/saocarlos/?historia/o-processo-de-abolicao-e-a-vinda-dos-imigrantes-europeus/lei-do

ventre-livre

e)

LEI Nº 3.270, DE 28 DE SETEMBRO DE 1885

 

“Regula a extincção gradual do elemento servil.” (Lei dos Sexagenários) http://www.soleis.adv.br/leidosexagenario.htm

 

f)

LEI Nº 3.353, DE 13 DE MAIO DE 1888

 

“Declara extinta a escravidão no Brasil.” (Lei Áurea)

 
 

http://pt.wikisource.org/wiki/Lei_%C3%81urea

g)

LEI Nº 1.390, DE 3 DE JULHO DE 1951

“Inclui entre as contravenções penais a prática de atos resultantes de preconceitos de raça ou de cor.” (Lei Afonso Arinos) http://www.soleis.adv.br/

 

h)

LEI Nº 7.437, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1985

 

“Inclui, entre as contravenções penais, a prática de atos resultantes de preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil.” (Dá nova reda- ção à Lei nº 1.390, de 3 de julho de 1951 - Lei Afonso Arinos) http://www.soleis.adv.br/

I)

LEI Nº 7.716, DE 15 DE JANEIRO DE 1989

“Define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor.” (Alterada pelas Leis nº 8.081/90 e 9.459/97 já incluídas no texto) http://www.soleis.adv.br/

 

j)

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990

 

Estatuto da Criança e do Adolescente Artigos:2º ao 7º, 15, 16, 18, 19, 53, 54, 58, 86 e 87.

 

www.planalto.gov.br/ccivil/LEIS/L8069.htm

k)

LEI Nº 8.081, DE 21 DE SETEMBRO DE 1990

 

Estabelece os crimes e as penas aplicáveis aos atos discriminatórios ou de preconceito de raça, cor, religião, etnia ou procedência nacional, praticados pelos meios de comunicação ou por publicação de qualquer natureza.”

 

http://www.planalto.gov.br/ccivil/Leis/L8081.htm

l)

LEI Nº 8.882, DE 3 DE JUNHO DE 1994

“Acrescenta parágrafo ao art. 20 da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que ‘define os crimes resultantes de preconceitos de raça ou de cor". (Revogada pela LEI Nº 9.459, DE 13 DE MAIO DE 1997)

 

http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=225910

m)

LEI Nº 11.995, DE 16 DE JANEIRO DE 1996 /Município de S.Paulo.

“Veda qualquer forma de discriminação no acesso aos elevadores.” http://www.admverti.com.br/html/Elevadores.htm

n)

LEI Nº 9.315, DE 20 DE NOVEMBRO DE 1996

“Institui o nome de Zumbi dos Palmares no ‘Livro dos Heróis da Pátria”.

http://www.soleis.adv.br/ HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA o) LEI Nº 1.740, DE 28 DE DEZEMBRO

http://www.soleis.adv.br/

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

o)

LEI Nº 1.740, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1997 (Distrito Federal)

“Proíbe o uso da expressão “boa aparência ou similar em anúncios de recrutamento de pessoal.” (DODF de 29.10.97) http://www.mpdft.gov.br/legislacao/ldf/1997-2.htm - 71k -

p)

LEI Nº 9.455, DE 7 DE ABRIL DE 1997

“Define o crime de tortura, incluindo a discriminação racial.” ( Art. 1º, c ).

http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/1997/9455.htm

q)

LEI Nº 9.459, DE 13 DE MAIO DE 1997

“Altera os arts. 1º e 20 da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor, e acrescenta parágrafo no art. 140 do Decreto-lei e 2.848, de 7 de dezembro de 1940.”

http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/1997/9459.htm

r) LEI Nº 10.237, DE MARÇO DE 1999 (Estado de S.Paulo)

“Institui política para a superação da discriminação racial no Estado e dá outras providências.” http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/dh/volume%20i/sumario.htm - 61k -

s)

LEI FEDERAL Nº 10.639/03, DE 9 DE JANEIRO DE 2003

“Inclui no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira".

www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm

t)

LEI Nº 11.597, DE 29 NOVEMBRO DE 2007.

“Dispõe sobre a inscrição de nomes no Livro dos Heróis da Pátria.” http://www.soleis.adv.br/heroisdapatria.htm

u)

DECRETO 1.303, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1853.

“Decreto dos Africanos Livres.”

http://www2.camara.gov.br/internet/legislacao/publicacoes/doimperio/colecao5.html

v)

DECRETO Nº 1.310, DE 2 DE JANEIRO DE 1854.

“Declara que o Artigo quarto da Lei de 10 de Junho de 1835, que manda executar sem recurso as Sentenças condemnatorias contra escravos, comprehende todos os crimes commettidos pelos mesmos escravos em que caiba a pena de morte” (sic).

http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio

w)

DECRETO Nº 1.331 A, DE 17 DE FEVEREIRO DE 1854.

“Approva o Regulamento para a reforma do ensino primário e secundário do município da Corte” (sic).

http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio

x)

DECRETO 731, DE 5 DE JUNHO DE 1854

“Declara desde quando deve ter lugar a competencia dos Auditores de Marinha para processar e julgar os réos mencionados no Art. 3.º da Lei N.º 581, de 4 de Setembro de 1850, e os casos em que devem ser impostas pelos mesmos Auditores as penas de tentativa de importação de escravos.” (Lei Nabuco de Araújo)

http://www2.camara.gov.br/internet/legislacao/publicacoes/doimperio/colecao5.html

y)

DECRETO Nº 3.310, DE 24 DE SETEMBRO DE 1864.

“Concede emancipação a todos os Africanos livres existentes no Império.”

http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio

z)

DECRETO Nº 7.031 A, DE 6 DE SETEMBRO DE 1878.

“Crêa cursos nocturnos para adultos nas escolas publicas de instrucção primaria do 1.º grão do sexo masculino do município da Corte” (sic).

http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio

aa)

DECRETO Nº 1.904, DE 13 DE MAIO DE 1996

“Institui o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH).” http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/dh/volume%20i/sumario.htm - 61k

bb)

PROJETO DE LEI Nº 6.264/2005

“Institui o Estatuto da Igualdade Racial.” http://www.irohin.org.br/ref/docs/igualdaderacial_senadofederal.doc

cc) PARECER CNE/CEB Nº 03/04

ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das relações étnico-raciais.”

http://www.portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/003.pdf

II - Revista /Jornal:

Revista:

a) Secretaria de Participação e Parceria / Coordenadoria dos Assuntos da População Negra / PMSP. Revista e Etnia - GME, Ano 1, Número 1, 2007.

b) Instituto ETHOS / IBOPE. Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 Maiores Empresas do Brasil e Suas Ações Afirmativas. Pesquisa 2007. São Paulo, Dez. 2007.

Jornal:

a) Arnaldo Ribeiro dos SANTOS. Histórico das lutas sociais no Brasil – 1. Raízes. JORNAL APROFEM

/ O Sindicato – ontem e hoje. Jul/Ago. 2003, p. 6.

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA b) Histórico das lutas sociais no Brasil – 1.1-Primeira

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

b) Histórico das lutas sociais no Brasil – 1.1-Primeira Fase: Período mutualista (antes de 1888), IDEM, Set/Out. 2003, p. 4.

c) Contribuição das línguas indígenas ao Português do Brasil-1. IDEM. Cantinho do Português-I, IDEM, Jul/Ago. 2005.

d) Contribuições lingüísticas de povos imigrantes: o português do Brasil agradece!. Cantinho do Português-I, IDEM, Mai/Jun-2008, p. 6.

e) Eufrate, ALMEIDA. Projeto de Inclusão Cultural muda rotina na EMEF ”Teotônio Vilela”. IDEM. Jan/Fev. 2007, p. 4.

III - Livros 1 :

a) ADORNO, Sérgio. Discriminação Racial e Justiça Criminal em São Paulo. In: Novos Estudos CE- BRAP, São Paulo, novembro 1995.

b) ANDRADE, Tânia (org.). Quilombos em São Paulo: Tradições, direitos e lutas. São Paulo: EMESP,

1997.

c) ANDRADE, Rosa Maria T. e FONSECA, Eduardo F. (org.). Aprovados ! Cursinho pré-vestibular e população negra. Selo Negro, São Paulo, 2002.

d) ANDREWS, George Reid. Negros e Brancos em São Paulo (1888-1988). Bauru, SP: Edusc, 1998

e) ABONG e AÇÃO EDUCATIVA (Org.). Racismo no Brasil. Ed. Fund. Petropólis, 2003.

f) BASTIDE, Roger e FERNANDES, Florestan. Relações raciais entre negros e brancos em São Pau- lo. São Paulo: Ed. Anhembi, 1971.

g) BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil. São Paulo: EDUSP, 1972.

h) BENTO, Maria Aparecida Silva (Org.). Ação Afirmativa e diversidade no trabalho: desafios e possibi- lidades. Casa do Psicólogo Livraria e Editora Ltda, São Paulo, 2000.

i) BERND, Zilá. Introdução à Literatura Negra. São Paulo, Brasiliense, 1988.

j) BRITO, Maria da Conceição Evaristo de. Literatura Negra: Uma poética de nossa afro-brasilidade. Dissertação de Mestrado, PUC/RJ, 1996.

k) CARDOSO, Fernando Henrique. Construindo a Democracia. Brasília: Presidência da República, 1998 (Coleção Documentos da Presidência da República-32)Trata dos trabalhos desenvolvidos pelo Governo Brasileiro na busca da implantação da Democracia Racial.

l) Programa Nacional de Direitos Humanos. Brasília: Presidência da República, 1996.(Coleção Documentos da Presidência da República –16). O Decreto 1904, de 13 de maio de 1996, apresenta as medidas a serem tomadas visando a implementação dos Direitos Humanos, in- clusive em relação à população negra.

Os negros e a discriminação racial no mercado de trabalho. In: Fundação SEA-

DE. Mercado de Trabalho na Grande São Paulo: Pesquisa de emprego e desemprego. São Paulo:

m) CHAIA, Miguel W

SEADE.

n) CHALHOUB, Sidney. Visões da liberdade - uma história das últimas décadas da escravidão na Cor- te. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

o) CHAUI, Marilena. Cultura e Racismo. Princípios, n.29, 1993.

p) CAPINHA, Graça e FELDMAN-BIANCO, Bela (Org.). Identidades: Estudos de cultura e poder. Ed. Hucitec, São Paulo, 2000.

q) D`ADESKY, Jacques. Pluralismo étnico e Multiculturalismo, Racismo e Anti- racismo no Brasil. Tese de Doutorado, apresentada no Depart. De Antropologia/FFLCH/USP, São Paulo, 1996.

r) FERNANDES, Florestan. Significado do Protesto Negro. São Paulo: Cortez, Autores Associados,

1989.

s) FERREIRA, Ricardo Franklin. Afro Descendente: Identidade em Construção. São Paulo Educ; Rio

de Janeiro: Pallas, 2000.

1 - Esta relação de livros tem como base a que se acha disponibilizada na internet pela Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania/ Assessoria de Defesa da Cidadania, à qual outras obras foram acrescentadas.

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA t) FERRO , Marc. A manipulação da História no

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

t)

FERRO, Marc. A manipulação da História no ensino e nos Meios de Comunicação. Trad. ARAÚJO, Wladimir. 2.ed., São Paulo: Ed. Ibrasa, 1999.

u)

FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala. Formação da família brasileira sob o regime da econo- mia patriarcal. 2.ed. Rio de Janeiro: SCHIMIDT Editor, 1936: 27.ed: Record, 1990.

v)

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1972 (1a edi- ção: 1959).

w)

GOMES, Flávio dos Santos. Histórias de quilombolas - mocambos e comunidades de senzalas no Rio de Janeiro – século XIX. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995.

x)

GOMES, Joaquim B. Barbosa. Ação Afirmativa & Princípio Constitucional da Igualdade. O direito como instrumento de transformação social. A experiência dos EUA. Renovar, Rio de Janeiro, 2001.

y)

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo e HUNHEY, Lynn (Org.). Tirando a máscara. Ensaios sobre o racismo no Brasil., 2000.

z)

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 5. Ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1969.

aa)

IANNI, Octávio. Escravidão e Racismo. São Paulo: HUCITEC, 1978.

bb)

Literatura e Consciência. In Estudos Afro-Asiáticos. RJ, nº 15, 1988.

cc)

INSTITUTO ETHOS / IBOPE. Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 Maiores Empresas do Brasil e Suas Ações Afirmativas - Pesquisa 2007

dd)

ITESP/SJDC, Cadernos. Negros do Ribeira: Reconhecimento étnico e conquista do território n. 3. ITESP/SJDCSP, 2000.

ee)

JACCOUD, Luciana e BEGHIN, Nathalie. Desigualdades Raciais no Brasil: Um balanço da interven- ção governamental. Ipea, Brasília, 2002.

ff)

LARA, Silva H. Campos da violência, escravos e senhores na capitania do Rio de Janeiro, 1750/1808. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

gg)

LARKIN NASCIMENTO, Elisa. (Org). A África na Escola Brasileira. Relatório do I Fórum Estadual sobre o ensino de História das Civilizações Africanas na Escola Pública. SEAFRO / IPEAFRO / U- ERJ, 1991 (Publicado inicialmente pelo Gabinete do Senador Abdias Nascimento (1991) e depois pela SEAFRO, em 2ª. edição (1993).

hh)

LOPES, Nei. Incursões sobre a Pele. Rio, Artium, 1996.

ii)

MACHADO, Maria Helena P. T. Em torno da autonomia escrava: uma nova direção para a história

social da escravidão. Revista Brasileira de História. ANPUH/Marco Zero, SP, n. 16, março/agosto de

1988.

jj)

MOURA, Clóvis. O negro: de bom escravo a mau cidadão? Rio de Janeiro: Editora Conquista, 1977.

kk)

Os quilombos e a rebelião negra. São Paulo: Brasiliense, 1981.

ll)

Brasil: As raízes do protesto negro. São Paulo: Global, 1983.

mm)

Quilombos: Resistência ao Escravismo. São Paulo, Ática, 1987.

nn)

Sociologia do Negro brasileiro. São Paulo, Ática, 1988.

oo)

Rebeliões da Senzala. - quilombos, insurreições, guerrilhas. 4. Ed. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1988. (1a edição: 1959)

pp)

Dialética Racial do Brasil Negro. São Paulo: Editora Anita Ltda., 1994.

qq)

(Org.) Os quilombos na dinâmica social do Brasil. Ed. UFAL, 2001.

rr)

MUNANGA, Kabenguele. Negritude: Usos e sentidos. 2. Ed. São Paulo: Ática, 1988.

ss)

(Org.) Estratégias e Políticas de Combate à Discriminação Racial. São Paulo: E- DUSP/Estação Ciência, 1996.

tt)

(Org.) Superando o racismo na escola. Brasília: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO/Secretaria da Educação Fundamental, 1999.

uu)

Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Pe- tropólis: Ed. Vozes, 1999.

vv)

Para entender o negro no Brasil: história, realidades, problemas e caminhos / Kabenguele Munaga, Nilma Lino Gomes. São Paulo: Global: Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informa- ção, 2004. (Coleção Viver, Aprender).

ww)

NABUCO, Joaquim. O abolicionismo. Nova Fronteira; São Paulo: Publifolha, 2000 – (Grandes no- mes do pensamento brasileiro).

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA xx) NASCIMENTO , Abdias do. O Genocídio do Negro

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

xx)

NASCIMENTO, Abdias do. O Genocídio do Negro Brasileiro – Processo de um Racismo Mascarado. Col. Estudos Brasileiros, Paz e Terra, 1978.

yy)

NERES, Julio Maria, et alli. Negro e Negritude. São Paulo:Loyola, 1997 (Coleção História Temática Retrospectiva, v. III

zz)

OLIVEIRA, Eduardo de. Quem é quem na negritude brasileira. Vol. 1.Secretaria Nacional de Direitos Humanos do Ministério da Justiça, 1998.

aaa)

SANTOS, Celi. A Face Oculta dos Preconceitos de Raça e Cor; Comentários à Lei Nº. 7.716/89. Rio de Janeiro, RJ: Lumen Juris Ltda, 1998.

bbb)SANTOS, Ivair Augusto dos. O movimento negro e o Estado (1983-1987); o caso do Conse- lho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra no Governo de São Paulo. PMSP/Secretaria Especial para Participação e Parceria/Coordenadoria dos Assuntos da População Negra, 2006.

Tese de em Ciências Políticas, apresentada ao Departamento de Ciência Política do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Uni- versidade Estadual SANTOS, Ivair Augusto dos. O movimento negro e o Estado (1983-1987); o caso do Conselho de Participação e De- senvolvimento da Comunidade Negra no Governo de São Paulo. PMSP/Secretaria Especial para Participação e Parceria/Coordenadoria dos Assuntos da População Negra, 2006. Tese de em Ciências Políticas, apresentada ao Departamento de Ciência Política do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual.

ccc)

SÃO PAULO (SP). SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. DIRETORIA DE ORIENTAÇÃO

TÉCNICA. Orientações Curriculares: expectativas de aprendizagem para a educação étnico-racial na educação infantil, ensino fundamental e médio / Secretaria Municipal de Educação – São Paulo:

SME / DOT, 2008.

ddd)

SÃO PAULO (SP). SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. NÚCLEO ÉTNICO-CULTURAL /CEERT-CENTRO DE ESTUDOS DAS RELAÇÕES DO TRABALHO E DESIGUALDADES. OLI- VEIRA, Raquel de. BENTO, Maria Aparecida Silva. Trilhas negras e indígenas. São Paulo. 2008.

eee)

SÃO PAULO (SP). PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. SECRETARIA DO TRABA- LHO. Desigualdade de Gênero e Raça / Cor no Mercado de Trabalho de São Paulo. Comissão In- tersecretarial de Monitoramento e Gestão da Diversidade CIM- Diversidade- Elaboração SEADE.

2007.

fff)

SCHWARTZ, Lília K. Moritz. Retrato em Branco e Negro. São Paulo: Círculo do Livro, 1988.

ggg)

O Espetáculo das raças. Companhia das Letras. São Paulo, 1993.

hhh)

SCHWARTZ, Lília K. Moritz e QUEIROZ, Renato da Silva (Orgs.).Raça e Diversidade. São Paulo:

EDUSP/Estação Ciência, 1996.

iii)

SCHWARTZ, Stuart. Escravos: Roceiros e Rebeldes. Bauru, SP: Edusc, 2001.

jjj)

SJDC (Org.) O Preconceito. IMESP, 1997.

kkk)

SILVA, Hédio Jr. Direito de Igualdade Racial: Aspectos constitucionais, civis e penais. Doutrina e Ju- risprudência. Ed. Juarez de Oliveira, São Paulo, 2002.

lll)

SILVA, Dilma de Melo (Org.). Brasil: sua gente e sua cultura. São Paulo: Terceira Margem. 2007.

mmm) SODRÉ, Muniz. O terreiro e a cidade. A forma social do negro-brasileiro. Petropólis: Ed. Vozes,

1988.

nnn)

UNESCO. História Geral da África. São Paulo: Ática, Paris: Unesco, 1vol., 2 vol., 3.

ooo)

VALENTE, Ana Lúcia E.P. Ser Negro no Brasil Hoje. São Paulo: Moderna, 1987. (Projeto passo a

ppp)

frente. Coleção polêmica; v.11) VERGER, Pierre. Cartas de um Brasileiro estabelecido no século XIX na Costa dos Escravos. Anhembi, Ano II, vol. VI, n.º 17. (São Paulo), 1952, pp. 212-253.

qqq)

Fumo da Bahia e o tráfico dos escravos do golfo de Benin. Salvador, Universidade da Bahia. Centro de Estudos Áfro-Orientais, 1966, 24p. (Ver 33)

rrr)

Formação de uma sociedade brasileira no golfo do Benin no século XIX. Centre des Hau- tes Études Afro-Ibero-Américaines, vol. 10. Dakar, 1969, 65p. (Obs.: Edição em 3 línguas em 3 vo- lumes separados, existe também em francês (70p.) e Espanhol (90p.))

sss)

Lendas dos Orixás. Salvador, Edit. Corrupio, 1981. Ilustrações de Enéas Guerra Sampaio,

76p.

ttt)

Notícias da Bahia – 1850. Salvador, Edit. Corrupio, 1981, 238p.

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA Um estudo sobre as divindades iorubá, fon, banto com

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

Um estudo sobre as divindades iorubá, fon, banto com os lugares de culto no Brasil e, em paralelo, os nomes das divindades correspondentes em África e a sua localização. comunicação no colóquio e publicado In: As sobrevivências das tradições religiosas africanas nas Caraíbas e na A- mérica Latina. UNESCO, (vol. CC-86/WS/37). 1985, pp. 292-308. Fluxo e refluxo do tráfico de escravos entre o golfo do Benin e a Bahia de Todos os Santos; dos séculos XVII a XIX. São Paulo, Edit. Corrupio, 1987, 718p. (Ver 49 e 66).

www) Influências África – Brasil e Brasil - África. In: Os Herdeiros da Noite. Fragmentos do I- maginário Negro. (Catálogo de Exposição, São Paulo, Pinacoteca, curador: Emanoel Araújo). Belo Horizonte, Centro de Cultura, Ministério da Cultura, 1992, pp.68 - 73.

vvv)

uuu)

xxx) Os Libertos. Sete caminhos na liberdade de escravos da Bahia no séc. XIX. Salvador, Edit. Corrupio, 1992, 141p.

IV -

Diversos:

1 - Textos de apoio:

a) DECLARAÇÃO DE DURBAN E PLANO DE AÇÃO

http://www.comitepaz.org.br/Durban_9.htm

b) Elisa LARKIN NASCIMENTO. A questão de gênero na peça Sortilégio (Mistério Negro), de Abdias Nascimento.

http://www.uea-angola.org/artigo.cfm?ID=584

c) Marilena de Souza CHAUÍ. Violência, racismo e democracia.

http://conversa-afiada.ig.com.br

2- Endereço de alguns sites relacionados a assuntos da Comunidade Negra:

o

http://www.planalto.gov.br/seppir/informativos/044.htm (datas para conhecer e pesquisar)

o

www.senado.gov.br

o

www.combateaoracismoinstitucional.com

o

http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/participacao_parceria/ Coordenadoria Especial dos Assuntos da População Negra – CONE

o

ipeafripeafro@terra.com.bro@terra.com.br Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros

o

www.aae.ufpr.br/afroadite/calendario02.htm#cal

o

www.mundonegro.com.br

o

www.conselhos.sp.gov.br/comunidadenegra

o

www.quilombhoje.com.br

o

www.stevebiko.org.br

o

www.cnbb.org.br/setores/pafro/pafroComunidadeNegra.html

o

www.portalafro.com.br

o

www.mulheresnegras.org

o

www.afirma.inf.br

o

www.movimentonegropb.vilabol.uol.com.br/jornal.htm

o

www1.jus.com.br/doutrina/texto.asp

o

www.forumcivil.org.br/boletim/Ano_I_-_No_2_/Racismo/racismo.html

o

www.estacio.br/scripts/direito/cadernojuridico/artigos.asp

o

m.br/super/revista/superpol/0701/1661.html

o

www.afropress.com/

o

www.palmares.gov.br/

o

www.oabbauru.org.br/comissao.php/cm=negro

o

http://www.pierreverger.org/br/index.htm

o

http://www.estacaovirtual.com/arquivo/mat1999/press_pierre.html

o

criola@criola.org.br

o

ammapsi@uol.com.br

o

oriapere@uol.com.br

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA o gvtr@brfree.com.br o amnb@uol.com.br o

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

o

gvtr@brfree.com.br

o

amnb@uol.com.br

o

redeterreirosaude@hotmail.com

o

ceafro@ufba.br

o

observatorionegro@yahoogrupos.com.br

o

www.cjf.gov.br/revista/Artigo2.htm - 103k -

Leon Frejda SZKLAROWSKY. Crimes de racismo no Direito Brasileiro.

o

jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=169 - 62k

Leon Frejda SZKLAROWSKY. Crimes de racismo.Crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça,

cor,

etnia, religião ou procedência nacional. 1. Considerações históricas; 2. A Lei 9.459/97.