Você está na página 1de 20

CAPÍTULO IV

1. Relatório do Trabalho Realizado


O edifício possui rede interna de esgotos e um pé direito superior a 3m (entre 4,10m e
4,60m). Os funcionários não trabalham em postos de trabalho fixos mas sim em zonas
de trabalho específicas. Estas zonas estão delimitadas por pilares. Efectuam 2 pausas
diárias de 15 min, uma às 10:15H e a outra às 16:15H, para além do período de almoço.

1.1 Comunicação do Risco


Nesta primeira etapa, o método de W. Fine preconiza que qualquer trabalhador que
identifique um perigo deverá comunicar de imediato à sua chefia, procedendo à
identificação da tarefa, perigo associado à sua realização e uma avaliação preliminar da
probabilidade, exposição e consequência, utilizando o formulário sugerido no Anexo I.
Não obstante, a aplicação desta etapa não dispunha de grande legitimidade, dadas as
circunstâncias, as quais explicam-se a seguir.

Numa primeira abordagem foi verificado que a secção escolhida para estudo
evidenciava algumas fragilidades em termos de segurança e higiene no trabalho, não por
inexistência dos serviços, já que a empresa contrata serviços externos (Lei n.º 102/2009,
de 10 de Setembro), mas talvez por falta de formas concretas para a implementação das
medidas correctivas. Por outro lado, também foi observado que os trabalhadores não
possuíam um verdadeiro espírito de observância pelas normas de segurança e higiene no
trabalho, não estavam, nem sensibilizados, nem convenientemente informados da real
importância que a existência de um técnico de segurança e higiene no trabalho
proporciona em termos de salvaguarda da sua própria segurança laboral e o bem-estar
que daí advém.

Verificadas estas condições, foi necessário adoptar medidas que permitissem contornar
estas situações e alterar um pouco as etapas do método. Assim sendo, em lugar do
preenchimento do formulário da “Comunicação de Risco”, foi elaborada uma
“Caracterização Estrutural da Secção de Bate-Chapa”, onde foi reunida a informação
pertinente sobre as condições de segurança e higiene de todo o espaço físico envolvente
considerando factores como: máquinas, ferramentas, infra-estruturas, iluminação,
ventilação, meios de combate a incêndios, legislação correspondente, etc. Neste
processo as não-conformidades foram complementadas mediante a apresentação de
imagens fotográficas.
Em resumo, este modelo também permitiu suplantar a “Lista de Verificação”,
Verificação” já que
implementa uma análise dos factores de risco relacionando-os
relacionando os com o próprio ambiente
de trabalho, para além de observar mais correcta e pormenorizadamente as não-
não
conformidades existentes e apresentar um conjunto de propostas
propostas correctivas bem
estruturadas e legalmente sustentadas, num formato que facilita uma compreensão mais
imediata, tanto para quem a elabora,
elabora como para quem a consulta posteriormente.

1.2 Caracterização Estrutural da Secção de Bate-Chapa


Bate

1.2.1. Paredes
Propostas de Medidas
Localização Não Conformidades
Correctivas/Preventivas
Laboratório ⇒ Eliminar humidade e impermeabilizar
⇒ Humidade na parede (fig. 1);
de Pintura correctamente;
⇒ Eliminar humidade e impermeabilizar
Bate-Chapa ⇒ Humidade na parede;
correctamente;
Mecânica ⇒ Paredes sujas (fig. 2); ⇒ Limpar as paredes;
⇒ Sujidade quase generalizada nas junções
Oficina ⇒ Limpar as paredes;
entre paredes e janelas (fig. 3);
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.2. Comunicações Verticais


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Saliências no corrimão passíveis de
provocar golpes à altura do braço ⇒ Suprimir saliência do corrimão
Escritório (fig. 1) colocando-oo á face do poste vertical;
⇒ Estrutura do corrimão em ângulo de ⇒ Arredondar os ângulos;
90º a altura do joelho (fig. 2);
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Página 2
Fig. 1 Fig. 2

1.2.3. Vias de Passagem, Comunicações e Saída


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Estrutura suporte de rolo de papel ⇒ Deslocar o suporte para uma zona que não
Mecânica
saliente (fig. 1); implique a passagem de pessoas;
Escritório ⇒ Saliência entre a parede e o tecto; ⇒ Sinalizar a saliência;
⇒ Suportes metálicos salientes de
Bate-chapa ⇒ Eliminar suportes;
pilar (fig. 2);
⇒ Mangueira de ar comprimido ⇒ Ligar à rede de ar comprimido do outro
atravessando via de passagem de lado da via de passagem;
Mecânica pessoas e viaturas (fig. 3); ⇒ Passar os cabos eléctricos de maneira a
⇒ Cabo eléctrico atravessando
atr via de não ocorrerem intersecções com as vias
passagem; de circulação e passagem;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

Página 3
1.2.4. Ocupação dos Pavimentos
Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Tubo do sistema de exaustão de
⇒ Implementar sistema de retenção e guia
fumos depositado no pavimento
do tubo à imagem dos já existentes;
(fig. 1);
Mecânica
⇒ Os pavimentos não devem ser ocupados
⇒ Materiais depositados
epositados no
por materiais de forma a constituir
pavimento (fig. 2);
2)
qualquer risco para os trabalhadores;
⇒ Os pavimentos não devem ser ocupados
⇒ Materiais e ferramentas depositados
Bate-chapa por materiais de forma a constituir
no pavimento;;
qualquer risco para os trabalhadores;
⇒ Arrumar tubos nos seus respectivos
Pintura ⇒ Tubos deixados no pavimento;
pavimento
locais;
⇒ Balde deixado ao lado de veículo ⇒ Arrumar o material de limpeza no seu
Mecânica
em reparação (fig. 3); respectivo local de arrumação;
⇒ Materiais depositados
deposit em redor de ⇒ O espaço em redor de cada máquina deve
Bate-chapa
máquinas; permanecer desocupado;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.5. Iluminação
Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Posicionar os monitores
⇒ Encandeamento dos monitores dos
Escritório perpendicularmente às entradas de luz
computadores (fig. 1);
natural;
⇒ Proporcionar uma colocação lateral das
⇒ Colocação deficiente das fontes de
Oficina fontes de luz artificial a fim de evitar
luz artificial (fig. 2);
formas prejudiciais da sua incidência;
⇒ Promover uma eficaz limpeza e
Oficina ⇒ Janelas sujas (fig. 3); manutenção de todas as entradas de luz
natural;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Página 4
Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.6. Qualidade dos Pavimentos


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
Bate-chapa ⇒ Sinalizar devidamente as saliências nos
⇒ Pavimento irregular (figs. 1 e 2);
Mecânica pavimentos;
⇒ Fluído lubrificante espalhado no ⇒ Limpar os resíduos de lubrificantes, com
Mecânica
pavimento; material inerte, logo após o derrame;
⇒ Proceder à limpeza imediata do
⇒ Resíduos sólidos espalhados no
pavimento logo após a conclusão da
pavimento;
Pintura tarefa;
⇒ Pavimento constantemente ⇒ Impermeabilizar o pavimento e colocar
molhado e em mau estado (fig. 3); um estrado de maiores dimensões;
⇒ Pavimento frequentemente sujo, ⇒ Limpar pavimento com especial atenção
Mecânica impregnado com resíduos de para a eficaz remoção dos resíduos de
lubrificantes; lubrificantes;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.7. Ventilação
Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
Bate-chapa ⇒ Implementar sistema de aspiração
⇒ Ausência de ventilação localizada;
(soldadura) localizada de gases e fumos;
Recepção ⇒ Ausência de ventilação (fig. 1); ⇒ Implementar sistema de ventilação;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Página 5
Fig. 1

1.2.8. Meios de Combate a Incêndios


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Os acessos aos meios de combate a
⇒ Impedimento de acesso
a fácil ao
Pintura incêndios devem estar permanentemente
extintor (fig. 1);
1
desobstruídos;
⇒ Carretel de incêndio não sinalizado
Mecânica
e prazo de manutenção expirado; ⇒ Promover manutenção do equipamento;
⇒ Carretel
etel de incêndio em mau estado ⇒ Sinalizar equipamento;
Bate-chapa
(fig. 2);
⇒ Os extintores devem ser colocados em
⇒ Extintor mal colocado e não suporte próprio de modo a que o seu
Escritório
sinalizado (fig. 3); manípulo fique a uma altura não superior
a 1,2 m do pavimento;
⇒ Os meios de combate a incêndios
inutilizados não devem permanecer nas
⇒ Extintores inutilizados
inutil depositados
Mecânica instalações, devem ser remetidos para
no pavimento;;
entidades competentes que procedam à
sua reutilização ou eliminação;
⇒ Os edifícios devem ser equipados com
instalações que permitam detectar o
⇒ Não existem dispositivos de
incêndio e, em caso de emergência,
Oficina detecção automática de incêndios,
difundir o alarme para os seus ocupantes,
nem alarme;
alertar os bombeiros e accionar sistemas
e equipamento de segurança;
⇒ Os espaços de edifícios e recintos, para
⇒ Ausência de iluminação de além
ém de possuírem iluminação normal,
Oficina
emergência; devem também ser dotados de sistema de
iluminação de emergência;
⇒ Ausência de Reg de Segurança,
⇒ Implementar os itens em falta
Procedimentos
edimentos de Intervenção,
Oficina obrigatórios consoante legislação
Equipas de Segurança
Seg e Formação
correspondente;
de Combate a Incêndios;
Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.
Base Legal Decreto-lei
lei n.º 220/2008,
220/200 de 12 de Nov., aprovado pela Portaria n.º 1532/2008, de 29 de
Dez.

Página 6
Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.9. Empilhamento de Material


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Pneus empilhados sem segurança ⇒ Adoptar recipientes metálicos para
Exterior
(fig. 1); depósito de pneus usados;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1

1.2.10. Máquinas e Ferramentas


Propostas de Medidas
Localização Não Conformidades
Correctivas/Preventivas
⇒ Tanto a esmeriladora como as ⇒ Substituir protecções de segurança e
Mecânica protecções de segurança encontram-
encontram proceder à verificação periódica da
se em mau estado (fig. 1); máquina;
⇒ Existência de ferramentas e
⇒ Solicitar os manuais de instruções aos
máquinas sem o respectivo manual
Oficina fornecedores e respectivas declarações
de instruções nem declaração CE de
de conformidade CE;
conformidade;
⇒ Máquinas com manual de instruções ⇒ Solicitar os manuais
manu traduzidos para
Oficina
sem tradução para português; português;
Decreto-lei
lei n.º 320/2001, de 12 de Dezembro.
Base Legal
Decreto-lei
lei n.º 50/2005, de 25 de Fevereiro.

Página 7
Fig. 1

1.2.11. Tubagens e Canalizações


Propostas de Medidas
Localização Não Conformidades
Correctivas/Preventivas
⇒ Inspeccionar e, se necessário, substituir
⇒ Tubo de exaustão evidencia pequena
Pintura as secções que apresentem fugas ou
fuga de material e oxidação (fig. 1);
corrosão;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1

1.2.12. Medidas de Higiene


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Manter a oficina em boas condições de
Bate-chapa ⇒ Lixo debaixo da escadaria;
higiene;
⇒ Bancada de trabalho suja e ⇒ Os postos de trabalho devem manter-se
manter
Bate-chapa
desarrumada (fig. 1); limpos e arrumados;
⇒ Todos os locais de trabalho, passagem ou
Mecânica
⇒ Lixo acumulado; serviço devem ser mantidos em boas
Bate-chapa
condições de higiene;
⇒ Os recipientes não devem permitir
Mecânica ⇒ Lixo fora dos recipientes;
extravasamentos;
⇒ Resíduos depositados em ⇒ Depositar os resíduos em recipientes
Mecânica
recipiente impróprio (fig. 2); próprios;
⇒ Recipientes com acesso obstruído ⇒ Desimpedir o acesso aos recipientes e
Mecânica
e sujos (fig. 3) mantê-los
los em boas condições de higiene;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Página 8
Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.13. Caixa de Primeiros Socorros


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Ausência de local próprio e de
⇒ As caixas de primeiros socorros devem estar
sinalização obrigatória para a
Escritório devidamente assinaladas e criteriosamente
caixa de primeiros socorros
colocadas;
(fig. 1);
⇒ Material em más condições de ⇒ As caixas de primeiros socorros devem conter
Escritório
conservação (figs. 2 e 3); material adequado e bem conservado;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.14. Riscos Eléctricos


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
Quadro ⇒ O quadro eléctrico não apresenta ⇒ Sinalizar o quadro eléctrico com sinal de
Eléctrico sinalização (fig. 1); “Perigo de Electrocussão” (fig. 2);
Quadro
⇒ Disjuntores não identificados; ⇒ Identificar disjuntores;
Eléctrico
Bate-chapa
⇒ Tomadas em mau estado (fig. 3) ⇒ Substituir tomadas danificadas;
Mecânica
Decreto-lei
lei n.º 740/74, de 26 de Dezembro.
Base Legal
Decreto-lei
lei n.º 220/2008,de 12 Nov., aprovado pela Portaria n.º 1532/2008, de 29 Dez.

Página 9
Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.15. Instalações Sanitárias


Propostas de Medidas
Localização Não Conformidades
Correctivas/Preventivas
⇒ Não existem instalações ⇒ As instalações sanitárias devem estar
separadas por sexo (fig. 1); separadas por sexo;
Instalações Sanitárias
⇒ Montagem de sistema de travamento
(Sociais) ⇒ Inexistência de sistema de
de porta e de sinalização de
travamento de porta;
“Ocupado”;
⇒ Ausência de ventilação; ⇒ Instalar sistema de ventilação;
⇒ Os produtos de limpeza devem
Instalações Sanitárias
⇒ Produtos de limpeza permanecer devidamente
(Sociais/Funcionários)
deixados nas instalações; armazenados quando não estão a ser
utilizados;
⇒ Instalações sanitárias ⇒ As instalações sanitárias não devem
comunicam directamente comunicar directamente com os locais
com os locais de trabalho; de trabalho,
⇒ Escoamento de águas ⇒ O escoamento de águas residuais deve
Instalações Sanitárias
residuais para plataforma de ser feito para esgotos apropriados
(Funcionários)
duche (fig. 2); equipados com sifões hidráulicos;
⇒ O equipamento das instalações
⇒ Equipamento sanitário em
sanitárias deve ser mantido funcional
mau estado (fig. 3);
e em bom estado de conservação;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fev., alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fev.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

Página 10
1.2.16. Armazenagem
Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Utilização de recipientes ⇒ Nunca utilizar recipientes com conteúdos
inadequados na colocação
col de diferentes daquilo a que se destinam, nem
lubrificantes; do que se anuncia nos rótulos;
⇒ Recipientes sem identificação e
⇒ Manter os rótulos dos recipientes legíveis
com conteúdos indeterminados
e reproduzir fielmente o seu conteúdo;
(fig. 1);
Mecânica ⇒ Bidões de lubrificantes em ⇒ Colocar os bidões sempre deitados,
deitados sobre
contacto directo com o solo e sem ripas de madeira para evitar a corrosão e
bacia de retenção de derrames (fig. implementar
mplementar tinas ou fossas de retenção,
retenção
2); sem ligação à rede de esgotos;
⇒ Os produtos químicos devem
de ser
⇒ Produtos químicos armazenados
armazenados em locais próprios tendo em
em locais impróprios (fig. 3);
conta a compatibilidade entre si;
Laboratório ⇒ Bidão de diluente sem bacia de ⇒ Implementar tinas ou fossas de retenção,
retenção
de Pintura retenção; sem ligação à rede de esgotos;
⇒ Fichas de segurança não ⇒ As fichas de segurança devem estar
Oficina
disponíveis no local; disponíveis para consulta;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.17. Arrumação e Ordem Geral


Localização Não Conformidades Propostas de Medidas Correctivas/Preventivas
⇒ Manter os espaços de trabalho/pavimentos
Bate-chapa ⇒ Materiais fora do seu respectivo
em boas condições de arrumação e
(zona de pneus) local de arrumação (fig. 1);
higiene;
⇒ Arrumar o material excedente noutro local
Bate-chapa ⇒ Armário superlotado (fig. 2); para permitir o fecho das portas e evitar o
empilhamento instável;
⇒ Bancada de trabalho ⇒ As bancadas devem ser adaptadas ao
Escritório
inapropriada à função (fig. 3); trabalho e a quem que nelas operam;
Base Legal Portaria n.º 53/71, de 3 Fevereiro, alterada pela Portaria n.º 702/80, de 22 de Fevereiro.

Página 11
Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3

1.2.18. Sinalização de Emergência


Propostas de Medidas
Localização Não Conformidades
Correctivas/Preventivas
⇒ Ausência de sinalização de segurança
para separação
eparação das vias de
d circulação
⇒ Implementar a respectiva sinalização
para trabalhadores e veículos; vias de
de segurança exigida por lei;
Oficina evacuação; obstáculos
bstáculos e/ou
irregularidades nos pavimentos;
⇒ Inexistência de iluminação de ⇒ Implementar a respectiva iluminação
emergência; de emergência exigida por lei;
Pintura ⇒ Ausência de sinalização de segurança
⇒ Implementar a respectiva sinalização
Bate-chapa para protecção
rotecção contra ruído;
ruído protecção da
de segurança exigida por lei;
Mecânica vista; protecção
rotecção das mãos;
Decreto-lei
lei n.º 141/95, de 14 Jun., regulamentado pela Portaria n.º 1456-A/95,
1456 de 11
Dezembro.
Base Legal
Decreto-lei
lei n.º 220/2008, de 12 Nov., aprovado pela Portaria n.º 1532/2008, de 29 de
Dezembro.

1.3 Identificação dos Perigos


Nesta etapa do Método de William Fine efectuamos o preenchimento dos formulários
da avaliação de riscos.

Inicialmente foi realizado a análise de uma tarefa dentro de cada especialidade mas, por
motivos
vos de imposição do limite de apresentação deste trabalho a 60 páginas, só será
possível apresentar uma única tarefa. A escolha recaiu na tarefa de soldadura com oxi-
oxi
acetileno (gases comprimidos).

Cabe também referir que foram efectuadas algumas, pequenas adaptações, ao


formulário sugerido pelo método de William fine, o campo reservado à “Identificação
de Perigos” foi dividido em 2, um para os factores de “Perigo” e outro para os factores
de “Riscos”, de modo a transmitir uma melhor diferenciação entre estes.
s.

Página 12
AVALIAÇÃO DE RISCOS
Empresa/Estabelecimento: Auto Atlântico, Lda. Data: 15 Setembro 2009
Departamento/Secção: Secção de bate-chapa/pintura e mecânica de pesados. Posto de trabalho: Bate-chapa
REF.ª 2 Operação: Soldaduras com gases comprimidos. Oxigénio/Acetileno. N.º de trabalhadores expostos: 02
Responsável pela comunicação de riscos O chefe de secção O responsável da empresa para a SHT
Nome: Nome: Nome:
Data e assinatura: Data e assinatura: Data e assinatura:

ACÇÕES CORRECTIVAS
REF.ª TAREFA PERIGO RISCOS DANO/EFEITO P E C GP FC GC IJ
PROPOSTAS
Projecção de partículas;  Solicitar tradução dos manuais para
língua portuguesa;
6 6 5 180 3 2 30  Arrumar as ferramentas nos locais
A1 próprios quando não em utilização;
 Promover uma manutenção e
Cortes; limpeza regular das ferramentas;
3 6 5 90 2 1 45  Fornecer formação/informação
A2 sobre as máquinas e ferramentas
Mecânicos

Manipulação utilizadas;
Soldadura em
2 de máquinas e Esmagamentos;  Fornecer formação/informação
oxi-acetileno;
ferramentas; sobre processos de trabalho mais
3 10 1 30 0,5 2 30 seguros;
A3  Utilizar equipamentos de protecção
individual adequados às tarefas e ao
Choques com objectos; ambiente de trabalho;
 Respeitar as distâncias obrigatórias
3 5 5 75 1 2 38 entre máquinas e as áreas
A4 correspondentes a cada posto de
trabalho;

Página 13
ACÇÕES CORRECTIVAS
REF.ª TAREFA PERIGO RISCOS DANO/EFEITO P E C GP FC GC IJ
PORPOSTAS
Lesões auditivas;  Realizar estudos de medição dos
B1 1 10 5 50 6 1 8 níveis de ruído para promover uma

Físicos
utilização dos auriculares de
Stress; protecção mais apropriados a cada
Manipulação B2 3 10 5 150 1 2 75 situação;
de máquinas  Utilizar auriculares de protecção;
e ferramentas Electrocussão;  A utilização de extensões é
(cont.); 1 5 25 125 10 1 13

Eléctricos
C1 desaconselhada;
 Substituir tomadas eléctricas em mau
Electrização; estado;
Soldadura em 3 10 1 30 0,5 2 30  Promover uma correcta limpeza e
2 oxi-acetileno C2 manutenção dos cabos eléctricos;
(cont.);
Radiações;
 Utilizar equipamentos de protecção
Físicos

Exposição a individual (roupa, calçado, luvas,


3 6 15 270 6 2 23
radiações; viseira, avental e máscara com filtros
D1 adequados);
Inalação de gases e  Implementar sistema de exaustão
Químicos

Exposição a vapores; para gases e vapores na zona


gases e 1 5 15 75 10 2 4 destinada a soldadura;
vapores;  Utilizar máscaras com filtros
E1
adequados;

Página 14
ACÇÕES CORRECTIVAS
REF.ª TAREFA PERIGO RISCOS DANO/EFEITO P E C GP FC GC IJ
PORPOSTAS
Queimaduras;  Aplicar válvulas anti-retorno da chama;
 Utilizar os equipamentos de protecção
3 6 15 270 3 2 45

Incêndio / Explosão
F1 individual adequados (óculos com viseira
Manipulação protectora, máscara com filtro
de dispositivos Lesões oculares; apropriado, luvas, calçado, avental,
de soldadura
1 6 5 30 2 1 15 vestuário);
oxiacetilénica; F2  Utilizar anteparos adequados (biombos,
Morte; cortinas) na zona de soldadura;
 Não manipular os dispositivos de
1 6 25 150 3 1 50
F3 soldadura com as luvas sujas com
resíduos de lubrificantes;
Lesões por esforços  Estipular momentos de pausa;
Ergonómicos

Soldadura em Trabalho repetitivos;  Alternar tarefas repetitivas com outras


2 oxi-acetileno repetitivo dos
1 5 5 25 0,5 1 50 menos repetitivas sempre que possível;
(cont.); membros
superiores;  Adoptar exercícios de alongamento
G1
muscular;
Stress;
Psicossociai

Trabalhos de H1 3 5 5 75 0,5 1 150  Estipular momentos de pausa;


elevada
 Alternar tarefas repetitivas com outras
s

exigência de Desgaste visual e


concentração; 1 5 1 5 0,5 1 10 menos repetitivas sempre que possível;
muscular; H2

Lesões  Estipular momentos de pausa;


Ergonómicos

músculo-esqueléticas  Usar calçado confortável;


Postura de
trabalho na 3 10 5 150 1 3 50  Posicionar as viaturas de maneira a
vertical; possibilitar uma postura de trabalho
J1 correcta e confortável;

Página 15
1.4 Estabelecimento dos Níveis de Acção
PLANO DE ACÇÕES DE CONTROLO
Empresa/Estabelecimento: Auto Atlântico, Lda. Data: 15 de Outubro de 2009
Secção bate-chapa/pintura e mecânica de
Departamento/Secção: Posto de trabalho: Bate-chapa
pesados
Avaliações de riscos efectuadas anteriormente: Análise no âmbito deste trabalho final Data: 15 de Setembro de 2009
Inspecções, auditorias, listas de verificação: N/A Data: N/A
SIGNIFICADO MEDIDA
GP REF.ª RESPONSÁVEL PRAZO INDICADOR CONTROLADO POR: DATA
DO GP PREVENTIVA

D1 Trabalhador 16.10.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT


270 ALTO
F1 Trabalhador 16.10.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT
180 A1 Trabalhador 16.10.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT
150 B2 / F3 / J1 Técnico de SHT/Chefe pós-venda 19.10.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT
125 NOTÁVEL C1 Chefe pós-venda 16.10.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT
90 2 A2 Trabalhador 16.10.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT/Chefe pós-venda
75 A4 / E1 / H1 Chefe bate-chapa/Chefe pós-venda 01.02.2010 Verificação por inspecção Chefia/Técnico de SHT
50 B1 Chefe pós-venda 19.10.2009 Verificação por inspecção Chefe de pós-venda
30 MODERADO A3 / C2 / F2 Trabalhador 02.11.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT
25 G1 Trabalhador 02.11.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT
5 ACEITÁVEL H2 Trabalhador 02.11.2009 Verificação por inspecção Técnico de SHT

Página 16
CAPÍTULO V
2. Conclusão
Através do Plano de Acções de Controlo podemos claramente observar que os riscos
derivados da exposição a gases e vapores e da manipulação dos dispositivos de
soldadura merecem atenção imediata. A implementação de um sistema de exaustão
localizada e a aplicação de válvulas anti-retorno de chamas são condições essenciais
para a execução em segurança da tarefa de soldadura com oxi-acetileno.

Em termos mais gerais e, aproveitando a análise estrutural realizada às instalações, é


impossível dispensar uma especial atenção às medidas de combate a incêndios.
Aconselha-se a elaboração e implementação de um plano de emergência, a
implementação de um sistema de detecção automática de incêndios e de iluminação de
emergência, o melhoramento e complemento do sistema de sinalização de emergência e,
numa situação ideal, a implementação de um sistema automático de extinção de
incêndios.

Destacamos também o visível mau estado de algumas ferramentas de utilização


frequente, caso de alguns berbequins que, essencialmente por não possuírem potência
suficiente para executar os trabalhos a que estão sujeitos, acabam por ter um desgaste
fora do comum.

O facto de existir uma única via de saída também necessita de reparo. A legislação em
vigor (Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro, art.º 10º, n.º 3) recomenda no mínimo duas
e, se adicionarmos o facto do laboratório de pintura, um dos pontos mais sensíveis a
nível de incêndio e explosão, estar situado num dos lados da saída e, os quadros
eléctricos na outra extremidade, deparamo-nos com uma situação potencialmente
perigosa, mesmo tendo em conta a grande abertura que o portão possui.

Podemos investir milhões em tecnologia e em formação mas, nada será efectivamente


eficaz se não for correctamente implementado e, neste caso específico, existe uma
grande carência em termos de mudança de mentalidade dos funcionários. É aqui que
devemos incidir o nosso trabalho já que, o factor mentalidade será sempre um dos
principais entraves a ultrapassar por qualquer técnico de segurança e higiene no
trabalho.

Página 17
Não são, nem a idade, nem o facto de se desempenhar uma mesma profissão há muito
tempo, que proporcionam sabedoria, mas sim, a capacidade de compreender e aplicar
essas experiências na prevenção de futuras situações de risco, pessoal e colectivo.

3. Anexos
Anexo I – Comunicação de Riscos
COMUNICAÇÃO DE RISCOS
Empresa/Estabelecimento: Data:
Departamento/Secção: Posto de trabalho:
REF.ª Operação: N.º de trabalhadores expostos:
Responsável pela comunicação de riscos O chefe de secção O responsável da empresa para a SHT
Nome: Nome: Nome:
Data e assinatura: Data e assinatura: Data e assinatura:
A Muito Provável Acidente como resultado mais provável e esperado, se a situação de risco ocorrer;
B Possível Acidente como perfeitamente possível (probabilidade de 50 %);
C Raro Acidente como coincidência rara (probabilidade de 10 %);
P - PROBABILIDADE
D Repetição Improvável Acidente como coincidência remotamente possível. Sabe-se que já ocorreu (probabilidade de 1 %);
E Nunca Aconteceu Acidente como coincidência extremamente remota;
F Praticamente ImpossívelAcidente como praticamente impossível. Nunca aconteceu em muitos anos de exposição;
A Contínua Muitas vezes por dia;
B Frequente Aproximadamente uma vez por dia;
C Ocasional > 1 vez por semana a < 1 vez por mês;
E - EXPOSIÇÃO
D Irregular ≥ 1 vez por mês a < 1 vez por ano;
E Raro Sabe-se que ocorre, mas com baixíssima frequência;
F Pouco Provável Não se sabe se ocorre, mas é provável que possa acontecer;
A Catástrofe Elevado número de mortes, grandes perdas;
B Várias Mortes Perdas ≥ 500.000 € e < 1.000.000 €;
C Morte Acidente mortal. Perdas ≥ 100.000 € e < 500.000 €;
C - CONSEQUÊNCIA
D Lesões Graves Incapacidade permanente. Perdas ≥ 1.000 € e < 100.000 €;
E Lesões com Baixa Incapacidade temporária. Perdas < 1.000 €
F Pequenas Feridas Lesões ligeiras. Contusões, golpes, etc;
DANO/EFEITO PROPOSTAS
REF.ª TAREFA DESCRIÇÃO DOS PERIGOS P E C
PROVÁVEL CORRECTIVAS

Anexo II – Lista de Verificação


LISTA DE VERIFICAÇÃO
Empresa/Estabelecimento: Data:
Departamento/Secção: Posto de trabalho:
Avaliações de riscos efectuadas anteriormente: Data:
Inspecções, auditorias, listas de verificação: Data:
Operação: Número de trabalhadores expostos:
CONDIÇÕES MATERIAIS CONDIÇÕES AMBIENTAIS
FACTORES DE RISCO Avaliação FACTORES DE RISCO Avaliação
Condições PA B A D MD NOTAS SIM NÃO Condições PA B A D MD NOTAS SIM NÃO
Espaços de Exp. a Cont.
trabalho Químicos
Ventilação /
Máquinas
Climatização
Ferramentas
Ruído
Manuais
Objectos /
Vibrações
Manipulação
Instalação Eléctrica Calor / Frio
Equipamento em Radiações
Pressão Ionizantes
Equip. de Elevação Radiações Não
e Transporte Ionizantes
Incêndios Iluminação
Organização do
Subs. Químicas
Trabalho
NOTAS: NOTAS:

LEGENDA: PA – Pendente de Avaliação B - Bom A – Aceitável D – Deficiente MD – Muito Deficiente

Página 18
Anexo III – Avaliação de Riscos
AVALIAÇÃO DE RISCOS
Empresa/Estabelecimento: Data:
Departamento/Secção: Posto de trabalho:
REF.ª Operação: N.º de trabalhadores expostos:
Responsável pela comunicação de riscos O chefe de secção O responsável da empresa para a SHT
Nome: Nome: Nome:
Data e assinatura: Data e assinatura: Data e assinatura:
REF.ª TAREFA ID. PERIGOS DANO / EFEITO P E C GP FC GC IJ PROPOSTAS CORRECTIVAS

Anexo IV – Avaliação de Riscos – Grelha de Avaliação


AVALIAÇÃO DE RISCOS – Grelha de Avaliação
P – Factor de Probabilidade E – Factor de Exposição
Acidente como resultado mais provável e
Muito Provável 10 Contínua 10 Muitas vezes por dia;
esperado, se a situação de risco ocorrer;
Acidente como perfeitamente possível.
Possível 6 Frequente 6 Aproximadamente uma vez por dia;
Probabilidade de 50%
Acidente como coincidência rara.
Raro 3 Ocasional 5 > 1 vez por semana a < 1 vez por mês;
Probabilidade de 10%
Acidente como coincidência remotamente
Repetição
1 possível. Sabe-se que já ocorreu. Irregular 4 ≥ 1 vez por mês a < 1 vez por ano;
Improvável
Probabilidade de 1%
Acidente como coincidência Sabe-se que ocorre, mas com baixíssima
Nunca Aconteceu 0,5 Raro 1
extremamente remota; frequência;
Acidente como praticamente impossível.
Praticamente Não se sabe se ocorre, mas é provável que
0,1 Nunca aconteceu em muitos anos de Pouco Provável 0,5
Impossível possa acontecer;
exposição;

C – Factor de Consequência GP – Grau de Perigosidade


Elevado número de mortes.
Catástrofe 100 Superior a 400
Perdas ≥ 1.000.000 €
Várias Mortes 50 Perdas ≥ 500.000 € e < 1.000.000 € ≥ 200 e < 400
Acidente mortal.
Morte 25 ≥ 70 e < 200
Perdas ≥ 100.000 € e < 500.000 €
Incapacidade permanente.
Lesões Graves 15 ≥ 20 e < 70
Perdas ≥ 1.000 € e < 100.000 €
Incapacidade temporária.
Lesões com Baixa 5 Inferior a 20
Perdas < 1.000 €
Pequenas Feridas 1 Lesões ligeiras. Contusões, golpes, etc;

FC – Factor de Custo GC – Grau de Correcção IJ – Índice de Justificação


Acima de 2.500 € 10 1 Risco completamente eliminado ≥ 20 Muito Justificado
> 1.250 € e ≤ 2.500 € 6 2 Risco reduzido a 75% ≥ 10 e < 20 Provável Justificação
Não Justificado.
> 675 € e ≤ 1.250 € 4 3 Risco reduzido entre 50% e ≤ 75% Inferior a 10
Reavaliar a medida proposta.
> 335 € e ≤ 675 € 3 4 Risco reduzido entre 25% e ≤ 50%
> 150 € e ≤ 335 € 2 6 Ligeiro efeito sobre o risco ≤ 25%
> 75 € e ≤ 150 € 1
Menos de 75 € 0,5

Anexo V – Plano de Acções e Controlo


PLANO DE ACÇÕES DE CONTROLO
Empresa/Estabelecimento: Data:
Departamento/Secção: Posto de trabalho:
Avaliações de riscos efectuadas anteriormente: Data:
Inspecções, auditorias, listas de verificação: Data:
SIGNIFICADO
GP REF.ª MEDIDA PREVENTIVA RESPONSÁVEL PRAZO INDICADOR CONTROLADO POR: DATA
do GP

Página 19
4. Bibliografia
 Alberto Sérgio S. R. Miguel, Manual de Higiene e Segurança do Trabalho,
Porto Editor, 1995.
 Vítor Rocha Ribeiro, Reparação Automóvel – Manual de Prevenção, IDICT,
1998.
 Dr. Rui Veiga, Metodologias de Avaliação dos Riscos Profissionais, Verlag
Dashöfer, 2006.

5. Referências Electrónicas
 http://osha.europa.eu
 http://www.dre.pt
 http://www.scribd.com
 http://www.wikipedia.org
 http://www.areaseg.com
 http://www.dgeep.mtss.gov.pt
 http://www.airliquide.pt
 http://wwww.galpenergia.com

Página 20

Interesses relacionados