Você está na página 1de 240

EDGARD DUARTE FILHO

Engenheiro Civil Sanitarista e de Segurança do Trabalho


Rua Jornalista Jair Silva, 252 - Ap. 201
30310-290 - Belo Horizonte - MG
edgard.duarte@pib.com.br
Tel: 31.2230381 / 31.99495839

1
2
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

O que é ?

É um programa destinado a criar, desenvolver e relevantes, associados à Segurança , Saúde


manter atitudes prevencionistas na Empresa, Ocupacional e Meio Ambiente em cada área da
através da conscientização de todos os Empresa.
empregados. Diariamente, antes do início de cada jornada de
Tem como foco principal a realização de trabalho, a Chefia reúne sua equipe, durante 5
conversações de segurança nas áreas minutos, para discutir um tema relacionado à
operacionais e administrativas, possibilitando Segurança , Saúde Ocupacional e Meio
melhor integração e o estabelecimento de um Ambiente.
canal de comunicação ágil, transparente e Sugere-se à Chefia o registro de presenças,
honesto entre supervisores e subordinados. mantendo o formulário (anexo I) devidamente
É também um espaço aberto para a divulgação preenchido e remetendo-o, ao final de cada mês,
de mensagens prevencionistas e para a para o Técnico de Segurança, para fins
discussão de riscos, incidentes ou fatos estatísticos.

3
4
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Sumário
O que é ? ............................................................ 03 Formas mais comuns de acidentes no lar VI ...... 55
O que os olhos não vêem... o pulmão aspira ..... 56
Assuntos Gerais O que é acidente de trabalho .............................. 57
Aspecto humano do acidente do trabalho .......... 58
Quase acidentes são sinais de alerta ................... 10
Aspecto econômico do acidente de trabalho ...... 59
Ninguém deseja culpar ninguém ......................... 11
Comunicação de acidente de trabalho ................ 60
Acidentes podem acontecer em qualquer lugar .. 13
Os pés ................................................................ 62
“Stress” emocional ............................................. 15
Iluminação .......................................................... 63
Maneiras de vestir a camisa ............................... 16
As mãos ............................................................. 64
Reflexão de segurança ........................................ 17
Ruído ................................................................. 65
Reflexão ............................................................. 19
Sobre o acidente ................................................. 66
Reflexão de Segurança II ................................... 20
Inspeção de segurança ........................................ 67
Os 10 Mandamentos das Relações Humanas .... 21
A importância de investigar os acidentes ........... 68
Reflexão II .......................................................... 22
Outras situações consideradas como acidente de
Credo da segurança ............................................ 23
trabalho ...................................................... 69
Valor de um sorriso ............................................ 24
Critérios para uso e quando usar o EPI ............. 70
Segurança ........................................................... 71
Segurança Lubrificação e reparos ........................................ 72
Segurança no escritório ...................................... 26 Outros efeitos provocados pelo ruído ............... 73
Fique atento a vidro quebrado ........................... 27 Principais efeitos do ruído ................................. 74
Prevenção de acidentes na infância (1 a 2 anos) . 29 Faça o seguinte teste para cada acidente ............ 75
Preparação de áreas seguras de trabalho ............ 30 Evite atribuir a “falta de cuidado” como causa de
Equipamentos de proteção ................................ 32 acidentes .................................................... 76
Teste de segurança para os equipamentos de Os acidentes são evitáveis ................................. 77
proteção individual .................................... 34
Proteja suas mãos .............................................. 35 Saúde
Proteção das mãos ............................................. 36
E a respeito de pequenos ferimentos? ............... 80
O problema com os anéis e alianças ................... 37
Primeiros socorros para os olhos ....................... 81
Proteção para os olhos ....................................... 38
Esteja preparado para salvar uma vida com
Fatos sobre ferimentos nos olhos ...................... 39
primeiros socorros em casos de estado de
Equipamentos de segurança ............................... 40
choque ........................................................ 82
Competição para cabeças duras ......................... 41
Exposição a substâncias potencialmente
O valor do capacete de segurança já foi provado ...
prejudiciais à saúde ou perigosas ....................... 83
........................................................................... 42
Acidente de trabalho e o alcoolismo .................. 84
Vestuário apropriado aumenta o desempenho no
AIDS .................................................................. 85
trabalho! ..................................................... 43
Proteções ........................................................... 86
Roupas de proteção contra fogo ........................ 44
Emergências em climas quentes ......................... 87
Lesões nas costas ............................................... 45
Higiene corporal ................................................. 87
Manuseie materiais com segurança .................... 46
Doenças profissionais ........................................ 89
Um alerta para perigo das radiações solares ...... 47
Arrumação, limpeza e ordenação são bons
Acidente de trajeto ............................................. 48
hábitos ...................................................... 90
Formas mais comuns de acidentes no lar I ......... 49
Areje os gases de exaustão ................................. 92
Formas mais comuns de acidentes no lar II ....... 50
Saneamento básico ............................................. 93
Formas mais comuns de acidentes no lar III ...... 52
Ordem e limpeza ................................................ 94
Formas mais comuns de acidentes no lar IV ...... 53
Formas mais comuns de acidentes no lar V ....... 54

5
Proteção contra incêndios Içamentos mecânicos e outros equipamentos
motorizados ............................................. 144
Ignição espontânea ............................................. 96
Dispositivos de içamento especiais tipo garras.146
Recipiente: líquidos inflamáveis ........................ 98
Verificação da capacidade de carga de pisos ..... 147
Como manusear solventes inflamáveis .............. 99
Olhe para cima e para baixo ............................. 148
Como podemos prevenir incêndios ................. 100
Empilhe da maneira correta .............................. 150
Procedimentos corretos para o reabastecimento102
Segurança com cabos de aço ............................. 151
Dez maneiras para conviver com a gasolina ..... 103
Cabos tensionados ........................................... 152
Limpeza de tambores ....................................... 104
Veículos motorizados ....................................... 153
Poeira explosiva ............................................... 105
Operação da empilhadeira ............................... 154
Recipientes de segurança ................................. 106
Dicas de segurança para operações com
Fuja de incêndios... onde quer que você esteja . 107
guindastes móveis ................................... 156
Precauções com cilindros de oxigênio e
Esteja alerta aos riscos com baterias ................ 157
acetileno .................................................. 109
Práticas de segurança na utilização de escadas . 159
Como agir em caso de incêndio ........................ 110
Pense em segurança quando usar andaimes ...... 160
Conheça o seu equipamento de incêndio ......... 111
Serviços em vagões-tanque .............................. 113
Limite de explosividade ................................... 114 Segurança em oficinas
Serviço externo em vagão tanque ..................... 115 Segurança com máquinas operatrizes em
oficinas ..................................................... 162
Produtos químicos Esmeril ............................................................. 163
Segurança com prensas de punção ................... 165
Alvejante à base de cloro: branqueador ou
Segurança com prensa/furadeira para metal ..... 166
assassino? ................................................ 118
Dicas sobre ferramentas ................................... 167
Solventes comuns ............................................ 119
Por que inspecionar ferramentas e
Ácidos .............................................................. 120
equipamentos? ......................................... 168
Gases liqüefeitos de petróleo ........................... 122
Chave de fenda - a ferramenta mais sujeita
Gases utilizados na indústria ........................... 123
a abusos ................................................... 170
Cuidado com a bomba que está no seu bolso ... 126
Use os martelos com segurança ....................... 172
Utilização de formão ........................................ 174
Energia elétrica Prevenção de acidentes com chaves de boca .... 175
Aterramentos por precaução ........................... 128 Segurança com facas ......................................... 176
Cabos de extensão ............................................ 129 Machados ........................................................ 177
Choque elétrico ................................................ 130 Dicas de segurança para moto-serras ............... 178
Como reduzir o consumo de energia elétrica .... 131 Regras de segurança para ferramentas elétricas 179
Furadeiras elétricas portáteis ........................... 180
Deslocamento de cargas Ar comprimido ................................................ 182
Levantamento de cargas com segurança ........... 134 O gigante adormecido ataca novamente ........... 183
Carrinhos de mão ............................................. 136 Riscos dos recipientes ou sistemas
Empilhadeiras - as mulas de carga do trabalho . 138 pressurizados ........................................... 184
Instruções de segurança para operações de Segurança com gás comprimido ....................... 185
escavadeiras ............................................. 139 Oxigênio ........................................................... 186
Estrados e paletes vazios ................................. 140 Ferramentas manuais ....................................... 190
Evite quedas ..................................................... 142 A utilização inadequada de equipamentos
Quedas ............................................................. 143 de ar comprimido ..................................... 191

6
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Direção defensiva Meio ambiente


Você e seu veículo ............................................ 194 Riscos e danos ambientais ............................... 218
Caminhões - regras de segurança ...................... 196 Meio ambiente ................................................. 220
Cintos de segurança: a má informação Mercadorias perigosas ..................................... 221
pode ser perigosa! .................................... 198
Estacione defensivamente ................................ 199 Normas técnicas
Ré com segurança ............................................. 200
Informações sobre a ABNT ............................. 224
Visibilidade é fundamental para dirigir com
Informações sobre a ISO .................................. 226
segurança .................................................. 201
Estrutura da ISO .............................................. 228
Pedestres são vulneráveis ................................ 202
Trabalho técnico da ISO .................................. 229
Cuidados a serem observados na utilização
Participação na ISO ......................................... 231
de bicicletas .............................................. 203
ISO ................................................................... 232
Trânsito ........................................................... 205
As fases de elaboração de uma normalização
Como dirigir nas estradas ................................. 206
internacional ............................................. 233

Segurança na via permanente Anexos


Conselhos sobre segurança no trabalho
Anexo I ............................................................ 236
para via permanente ................................. 208
Anexo II ........................................................... 239
Vamos falar dos dormentes .............................. 207

Segurança no transporte
Acidentes ferroviários ...................................... 212
Cuidados quando você estiver na linha ............ 213
Como é mesmo manobrar no engate de
dois ou mais veículos ................................ 214

7
8
Assuntos Gerais
9
Quase acidentes são sinais de alerta
Muitos incidentes quase viram acidentes... São acidente real da próxima vez em que você não
aqueles que não provocam ferimentos apenas estiver tão alerta ou quando seus reflexos não
por que ninguém se encontrava numa posição estiverem atuando tão bem.
de se machucar. Tome, por exemplo, uma mancha de óleo no
Provavelmente, se nós tivéssemos conhecimen- chão. Uma pessoa passa, vê e dá a volta; nada
to dos fatos, descobriríamos que existem muito acontece. A próxima pessoa a passar não per-
mais incidentes que não causam ferimentos do cebe o óleo, escorrega e quase cai. Depois de
que os que os provocam. Você deixa algo pesa- dizer algumas coisas, ela também continua seu
do cair e não acerta o próprio pé. Isto é um caminho. Infelizmente, a terceira pessoa que
incidente, mas sem ferimento. passa escorrega, perde o equilíbrio e cai – bate
Você sabe o que geralmente faz com que um com a cabeça ou esfola as costas.
quase acidente não seja um acidente com Tome um outro exemplo: uma pilha de material
ferimentos? Geralmente é uma fração de segun- não travada. Ela cai, quase pegando alguém que
do ou uma fração de espaço. Pense bem. Me- esteja passando por perto. Pelo fato de não ter
nos de um segundo ou um centímetro separa atingido esta pessoa, ela apenas se refaz do
você ou um amigo de ser atropelado por um susto e diz: - “Puxa, esta passou por perto !”
carro. Esta diferença é apenas uma questão de Mas se a pilha cai em cima de alguém que não
sorte? Nem sempre. conseguiu ser rápido o bastante para sair do
Suponha que você esteja voltando para casa à caminho e se machuca, faz-se um barulho enor-
noite e por pouco não tenha atropelado uma me e investiga-se o acidente. A conclusão é
criança correndo atrás de uma bola na rua. Foi mais do que óbvia. Nós devemos estar em aler-
apenas sorte você ter conseguido frear no últi- ta para os quase acidentes. Assim evitamos ser
mo segundo? Não. Um outro motorista talvez pegos por um acidente de verdade.
tivesse atropelado a criança. Neste caso, seus Lembre-se de que os quase acidentes são si-
reflexos podem ter sido mais rápidos, ou talvez nais claros de que algo está errado. Por exem-
você estivesse mais alerta ou mais cuidadoso. plo: nosso empilhamento de material pode estar
Seu carro pode ter freios melhores, melhores mal feito; a arrumação do nosso local de traba-
faróis ou melhores pneus. De qualquer manei- lho, do nosso material e de nossas ferramentas
ra, não se trata de sorte apenas o que faz com podem estar mal feitas ou em más condições e
que um quase acidente não se torne um aciden- as proteções no local podem não estar funcio-
te real. nando bem.
Quando acontece algo como no caso da crian- Assim, vamos ficar de olhos abertos para as
ça quase atropelada, certamente você reduzirá pequenas coisas que possam estar erradas. Fa-
a velocidade sempre que passar novamente pelo çamos alguma coisa para corrigi-las. Relate e
mesmo local. Você sabe que existem crianças corrija estas situações. Vamos tratar os quase
brincando nas calçadas e que, de repente, elas acidentes como se fossem um acidente grave –
podem correr para a rua. vamos descobrir suas causas fundamentais en-
No trabalho, um quase acidente deve servir como quanto temos chance. Não podemos deixar de
aviso da mesma maneira. A condição que quase lado o aviso dos quase acidentes.
causa um acidente pode facilmente provocar um

10
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Ninguém deseja culpar ninguém


Tentamos fazer um bom trabalho de verificação mas foi usada de maneira inadequada? Ela foi
das inspeções de risco e seguimos as recomen- colocada num corredor, onde um passante po-
dações que saem destas inspeções. Tentamos deria esbarrar? Se foi, por que não tinha uma
fazer um trabalho completo de investigação das pessoa ao pé da escada para manter as outras
causas de todos os acidentes. pessoas afastadas? Ela deveria ter sido presa
Não fazemos isto para colocar alguém na no topo? Ela tinha o tamanho correto para o
berlinda ou para culpar alguém. Fazemos isto local? Ela foi posicionada com o ângulo certo
apenas por um motivo: evitar acidentes. em relação à parede, ou foi o próprio homem
Talvez alguns de vocês estejam pensando: “Ne- que fez algo inseguro? Ele estava subindo com
nhuma investigação impediu o acidente que está alguma coisa pesada que poderia ter sido içada
sendo investigado.” Se é isto que estão pen- por uma corda? Se estava, foi dito a ele para
sando, vocês estão completamente certos. usar uma corda? Ele tentou descer a escada vi-
rado de costas para ela? Ele tentou pegar algo
Porém, boas investigações podem, e muito, aju-
que foi jogado para ele e perdeu o equilíbrio?
dar na prevenção do próximo acidente. Todos
Ele soltou as duas mãos da escada simultanea-
os acidentes são provocados – eles não acon-
mente para fazer algum trabalho?
tecem por acaso. Se descobrirmos a causa do
acidente, podemos fazer alguma coisa para Estas são, acreditem ou não, apenas algumas
eliminá-la e impedir que outro acidente como perguntas que podem ser feitas sobre um aci-
aquele aconteça. Mas se apenas dermos de dente muito simples. Se tudo que soubermos
ombros, se apenas dissermos: “Foi uma coisa foi que o homem caiu, realmente não sabemos
desagradável, o que podemos fazer? Estas coi- nada. Mas, se investigarmos fundo em busca
sas acontecem...”, então podemos estar certos da causa ou causas fundamentais, então será
de que outros acidentes como aquele aconte- provável que descobriremos algo para evitar
cerão. outros acidentes. Se se ficar satisfeito com um
relatório de acidente que diz apenas: “O traba-
A maioria dos acidentes apresenta mais de uma
lhador foi descuidado”, o problema foi resolvi-
causa. Por exemplo: um homem perde o equilí-
do rápido. Mas a segurança quer saber “Sem
brio e cai de uma escada. Se escrevermos no
cuidado de que maneira?” e “Esta foi a primeira
relatório: “O operário não teve cuidado”, ou “A
vez em que houve falta de cuidado deste tipo?”.
proteção da máquina não estava no lugar”,
Caso contrário, “O que foi feito para corrigir
estamos parando uma investigação sem termos
esta situação?” Acima de tudo, a segurança quer
esgotado todas as possibilidades.
saber se foi totalmente uma questão de falta de
Peguemos o caso mais simples: o homem que cuidado, ou se existiam outras condições que
perdeu o equilíbrio e caiu da escada. Antes de ajudaram a provocar o acidente.
tudo, queremos saber o que fez com que ele
A investigação de acidente real, sólida, consis-
perdesse o equilíbrio. A escada estava com de-
tente e profunda e que atinja todas as circuns-
feito? E se estava, por que ela estava sendo
tâncias que envolvem o acidente, é um dos
usada? O homem sabia que a escada não era
melhores instrumentos que precisamos domi-
boa e relatou isto? Se não sabia, ele foi instruí-
nar para trabalhar com segurança. Todo mundo
do corretamente como e o que inspecionar numa
sai lucrando com as investigações feitas em
escada, ou a escada estava em boas condições
outras áreas da empresa. A mesma coisa acon-
11
tece com as inspeções e acompanhamentos. As alguém se machuque.
inspeções e os acompanhamentos das recomen- Lembre-se, não estamos atrás da cabeça de nin-
dações de inspeção são preparadas para iden- guém. Não estamos querendo colocar alguém
tificar e eliminar condições muito perigosas, na berlinda. Apenas queremos impedir aciden-
todos os maus hábitos de trabalho, todas as tes antes que algum de nós se machuque.
peças defeituosas do equipamento, antes que

12
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Acidentes podem acontecer em qualquer lugar


Acidentes podem acontecer em qualquer lugar... nela no escritório. Ele estava empurrando
em casa...no trabalho...numa área de contra o vidro, quando a janela quebrou e
lazer...mesmo numa igreja! sua mão passou pelo vidro quebrado. Sofreu
Você trabalha num escritório. É um lugar segu- um corte no punho.
ro, não é? 9. Uma recepcionista escorregou num salão de
Não necessariamente. Acidentes podem acon- refeições que havia sido encerado recente-
tecer a qualquer pessoa que aja de maneira ina- mente e caiu, causando escoriações nas suas
dequada ou que seja exposta a uma condição costas.
insegura. 10. Um empregado de escritório estava corren-
Abaixo estão relacionados acidentes reais que pro- do pelo estacionamento da empresa, trope-
vocaram ferimentos e tomaram tempo de emprega- çou numa pedra e caiu. Sofreu uma contusão
dos de escritório; pessoas como você ou eu: na região lombar.
1. Um empregado de escritório estava voltando 11. Empregados de uma transportadora trouxe-
do almoço, escorregou e caiu numa escada. ram uma mesa nova para uma empregada. Ela
Os degraus estavam molhados. não ficou satisfeita com a posição da mesma.
2. Uma bibliotecária queimou seu braço esquer- Tentou mudar sua posição, empurrando-a, e
do e o lado do corpo, quando estava desli- teve lesão de um disco na coluna.
gando uma cafeteira. A cafeteira inclinou e 12. Uma recepcionista deu um grito no traba-
derramou café sobre ela. lho. Sua mandíbula saiu de posição.
3. Um arquivista apanhou um jeito nas costas 13. Uma secretária saiu de sua mesa para ir até a
quando um companheiro caiu sobre ele ten- sala de arquivos, tropeçou numa caixa de te-
tando pegar alguns cartões numa gaveta de lefones instalada no piso e teve uma torção
arquivo. lombar.
4. Uma empregada de escritório tropeçou num 14. Um empregado deixou um copo de café em
fio elétrico exposto e caiu, atingindo o solo sua mesa. Quando se virou para pegá-lo, não
com as mãos. Ela quebrou o braço e torceu o viu que havia uma abelha dentro dele. A abe-
punho. lha ferroou a parte interna de seu lábio supe-
5. Uma secretária puxou a cadeira de uma mesa rior.
de almoço. Ela prendeu seu dedo mínimo num 15. Um empregado de escritório correu para pe-
arame ao fundo da cadeira, quebrando o dedo. gar um elevador. Assim que pisou dentro do
6. Um empregado de escritório estava passan- elevador, caiu e fraturou seu tornozelo direi-
do por uma porta giratória quando alguém to. O elevador tinha parado abaixo do nível
empurrou a porta mais rápido. A porta o atin- do piso de fora.
giu no calcanhar e nas pernas, provocando 16. Uma recepcionista se sentou num sofá que
um sangramento em uma delas. precisava de reparos. Ela caiu através do
7. Um empregado deslocou seu braço quando estofamento até o chão, machucando suas
o moveu subitamente, enquanto jogava car- costas.
tas num intervalo de almoço. 17. Uma secretária se levantou para ir de uma
8. Um empregado estava tentando abrir uma ja- mesa a outra. Tropeçou numa gaveta que ti-

13
nha sido deixada aberta e contundiu sua re- insegura, fale com a pessoa sobre isto. Se você
gião lombar. vir uma condição insegura, relate a situação.
Lembre-se de que qualquer destes acidentes Segurança é responsabilidade de todos.
poderia ter acontecido com você ou comigo. ACABE COM OS ACIDENTES!
Assim, se você vir alguém agindo de maneira

14
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

“Stress” emocional
Todos nós, hoje em dia, ouvimos falar sobre o ser colocadas em prática para combater os aci-
“stress” emocional. dentes que podem resultar do “stress” ou da
Ninguém tem a garantia de que terá tranqüilida- tensão emocional.
de e contentamento para o resto da vida. De Alguns talvez precisam se esforçar mais para
fato, muitos de nós passamos por muitos pro- encontrar estas qualidades, mas lhes assegura-
blemas. Como já foi provado que o “stress” mos: vocês as possuem! Eis aqui algumas di-
emocional é a principal causa de muitos proble- cas que podem ajudar vocês a ajudarem outras
mas, gostaria de falar sobre isto. pessoas:
Alguns dos sintomas físicos de stress são: sen- ü Demonstre gentileza para com seus colegas
sação de cansaço, insônia, impaciência, dores de trabalho durante todo o tempo. Mostre
no corpo, irritabilidade, falta de ar, etc. Como interesse pelas pessoas, por suas famílias e
sintomas psicológicos do “stress”, podemos por seus trabalhos. Não machuca ninguém
citar: indecisão, aumento do consumo de bebi- dizer sempre um “Bom Dia!” Vai fazer você se
da alcoólica, confusão mental, raiva, melanco- sentir melhor também.
lia, perda de memória, etc.
ü Lembre-se de que as recomendações de se-
Nos momentos de “stress”, uma pessoa fre- gurança são sempre bem vindas para um tra-
qüentemente negligencia sem querer, os cuida- balhador que está bem consigo mesmo. Mas,
dos com a segurança e toma decisões descui- quando o trabalhador não está bem, as reco-
dadas. Isto pode causar acidentes. mendações entram por um ouvido e saem
Nos momentos de “stress”, uma pessoa preci- pelo outro.
sa de simpatia, compaixão, solidariedade e com-
preensão de um amigo, ou mesmo uma palavra
ü Você pode aliviar o “stress” emocional de al-
gentil de um estranho. guém com um simples aperto de mão, um ta-
pinha nas costas ou qualquer pequena de-
A maioria de nós é capaz de sentir compaixão, monstração de interesse sincero ou de genti-
de mostrar simpatia, gentileza e compreensão. leza. Outros precisam ouvir algumas palavras
As pessoas devotam anos e anos a seus traba- gentis.
lhos, sem desenvolver uma abordagem huma-
nitária para lidar com a tensão e o “stress” do Se você demostrar interesse e preocupação para
dia a dia. com seus colegas, você poderá ajudar a evitar
acidentes causados pelo “stress” emocional.
Todos nós temos estas qualidades. Elas devem

15
Maneiras de vestir a camisa
1- CRIATIVIDADE 6- SOLIDARIEDADE
A criatividade gera boas idéias, que transfor- A demonstração de solidariedade é o ato mais
mam problemas grandes em pequenos obstá- digno que encontramos entre amigos e cole-
culos. Use-a na execução de suas tarefas e no gas. Solidariedade e interesse no trabalho cole-
dia a dia. tivo é privilégio de poucas empresas.
Torne as coisas mais simples. 7- COMUNICAÇÃO
2- INICIATIVA A comunicação é essencial no convívio e no
A iniciativa independe de estímulos. Basta fa- relacionamento das pessoas. Sua falta gera a
zer espontaneamente algo para se ter iniciativa. especulação, alimenta o boato e cria inseguran-
É disto que a empresa está precisando. De pes- ça. Comunique-se mais com seus colegas e com
soas com iniciativa para produzir e economizar seu cliente. A comunicação gera diálogo. O di-
mais. álogo alimenta a harmonia. A harmonia traz se-
gurança.
3- DISCIPLINA
Uma pessoa disciplinada produz muito, com me- 8- CONSCIENTIZAÇÃO
nos esforço. Utiliza melhor o seu tempo. Traba- Ser cônscio de suas obrigações é, no mínimo,
lha com objetividade. Com disciplina podemos ser responsável. Ser responsável por tudo que
atingir mais rapidamente nosso grau de compe- lhe diz respeito, direta ou indiretamente.
tência e produtividade. 9- VESTIR A CAMISA
4- ASSIDUIDADE “Vestir a camisa” é a expressão que se usa quan-
Um ideal só é atingido pela persistência. Um do alguém se dedica inteiramente a uma causa,
grande trabalho só se realiza com total dedica- evita o acidente e o desperdício de material,
ção. aproveita ao máximo o expediente para fazer seu
trabalho, preocupa-se com seu futuro profissi-
5- PONTUALIDADE
onal.
Os quatro primeiros itens são requisitos bási-
cos para um verdadeiro trabalho de equipe. O 10- PARTICIPAÇÃO
trabalho deverá ser reconhecido como um tra- Participe desta campanha que foi provocada e
balho de equipe. Por isso, a pontualidade é fun- criada por seus colegas. Participe e vista a sua
damental. Seja pontual. Acompanhe sua equi- camisa. E não se esqueça de jogar neste time
pe. Respeite seu horário de trabalho. que quer da nossa empresa um lugar melhor.

16
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Reflexão de segurança
“... Lá fora uma chuva fina que cai, aqui dentro acordo com tudo o que ele falava. Havia uns
um friozinho que não consigo perceber se é a caras também, que eu achava o maior absurdo,
ação do tempo, ou das lembranças que me vêm só porque faziam parte de uma tal de CIPA, se
a cabeça. Antigamente tudo era perfeito... achavam no direito de vir me encher a paciência
o relógio despertava sempre naquela mesma para usar o tal de EPI. Eu, muito esperto, acha-
horinha de sempre, eu levantava pensando co- va um jeito de me livrar daquela ladainha, quase
migo, como seria o dia. Passava uma água no todo dia vinha alguém me dar conselhos. Um
rosto, uma escova nos dentes, enquanto isso a dia me convidaram para participar de uma reu-
chaleira chiando avisava que estava na hora do nião da CIPA. Eu fui porque sabia que era obri-
café. Quando eu pensava em tomar um gole de gado a ir, mas cheguei lá e me livrei brincando,
café, já estava na hora de sair correndo para pois só disse que iria trabalhar equipado e me
não perder a hora. deixaram em paz.
Chegava no trabalho, trocava de roupa e ia tra- Agora, notei que a chuva lá fora aumentou e
balhar. Eu achava engraçado como aqueles ca- também o frio aqui dentro, mas as lembranças
ras conseguiam trabalhar amarrados com aque- tornaram-se mais amargas... Eu lembro que na-
les couros, óculos, capacetes, enfim aquelas quele dia tudo corria bem. Eu, esperto como
coisas que eles chamavam de EPI. Eu pensava sempre, trabalhava sem perder tempo com bes-
comigo ‘que bando de puxa-sacos, ficam traba- teiras, desempenhava meu trabalho com a mai-
lhando com essas coisas só pra se mostrarem’. or rapidez, olhava de um lado e lá estava um
Eu pensava que eu que estava certo, trabalha- babaca perdendo tempo com o tal de EPI, olha-
va sem usar aquelas coisas de nome engraça- va do outro e lá estava outro querendo se mos-
do, EPI, que coisa mais ridícula. Eu conseguia trar também, enquanto que os outros não ti-
fazer tudo o que eles faziam, e se fosse olhar nham começado ainda. Foi em um desses mo-
bem, eu fazia melhor ainda, porque eu não per- mentos em que eu estava reparando nos outros
dia tempo com aquelas besteiras. que aconteceu... Ouvi aquele barulho, e já em
Um dia, um cara metido a besta veio falar comi- seguida senti uma dor aguda, foi quando eu
go e perguntou porque eu não usava os tais perdi os sentidos. Acordei, estava num leito de
EPI’s. Eu, dono da situação como sempre, res- hospital, e olhando ao redor reparei que estava
pondi a ele que não havia necessidade de tanta acompanhado dos familiares, olhando o sem-
frescura pois o trabalho que estava executando blante de um por um, percebi que estavam tris-
era moleza. Foi aí que ele me disse que era Téc- tes. Fiquei curioso e preocupado ao mesmo tem-
nico de Segurança. Pensei comigo, grande coi- po, por que todos estavam tão tristes? Foi quan-
sa, só que fiquei na minha, pois sabia que ele do me disseram que eu estava inválido e que
podia até me prejudicar. Fiz de conta que ouvi e não poderia mais trabalhar. Confesso que tive a
concordei com ele. Depois fiquei pensando co- impressão que o mundo havia desabado sobre
migo, ‘poxa, essa empresa contrata cada um’. mim, uma névoa sobre meus olhos pairou e de
repente comecei a perceber nitidamente o quan-
Um dia após o outro foi passando e eu traba-
to estava errado. Se eu tivesse ouvido aqueles
lhando da mesma maneira. De vez em quando,
que me alertaram, se eu tivesse perdido um pou-
vinha aquele tal técnico conversar comigo e eu
co de tempo com os EPI, eu não estaria aqui
esperto que era, fazia de conta que estava de
neste momento sem poder produzir nada... eu
17
não vou contar como foi o meu acidente em ... Lá fora a chuva parou, mas eu vou ficar aqui
detalhes porque hoje eu sei que todo tipo de sofrendo este frio de arrependimento, pois eu
Equipamento de Proteção Individual é impor- não posso me levantar para aproveitar a melho-
tante, e a falta de qualquer um deles pode deixar ra do tempo...”
uma pessoa inválida.

18
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Reflexão
DESARME OS ESPÍRITOS ü Não ultrapasse a velocidade máxima permitida.
ü Cultive bons hábitos de cortesia, seja paci- ü Dê uma chance aos pedestres.
ente...
ü Mantenha um bom relacionamento em casa, EVITE AS FUNESTAS CONSE-
no trabalho, na rua. QÜÊNCIAS DO ÁLCOOL E DAS
ü Seja exemplo de bom senso e equilíbrio. DROGAS
ü Fale de amor e bondade, pratique o perdão, ü Combata os vícios, diga não às drogas.
espalhe a paz... ü Participe de campanhas educativas.

FUJA DA VIOLÊNCIA TELEVISIVA TENHA UMA VIDA ALEGRE E


ü Escolha programas e filmes que projetem SAUDÁVEL
exemplos e mensagens que dignifiquem.
ü Cerque-se de pessoas alegres, prestativas e
ü Atente a quais programas as crianças assis- otimistas.
tem; exclua filmes de traições, assaltos, mor-
ü Pratique algum lazer, cuide da sua saúde.
tes, etc.
ü Trabalhe com entusiasmo.
DIRIJA COM SEGURANÇA ü Estabeleça objetivos e busque alcançá-los.
ü Use cinto de segurança.
ü Obedeça as leis de trânsito.

19
Reflexão de Segurança II
Qualquer trabalho, mesmo de natureza perigo- Tanto para os funcionários novos como para
sa, pode ser perfeitamente executado e levado os antigos, a obediência às normas só trarão
ao bom termo, desde que cuidados necessários benefícios pessoais e para todo o ambiente de
sejam observados por todos os que deles parti- trabalho.
cipam. A observação, o conhecimento, a iden- É interessante lembrar que, mesmo alguém que
tificação das causas dos acidentes: os atos e passa muitos anos livre de qualquer acidente,
condições inseguras. basta um segundo para que venha ser afastado
A experiência tem mostrado que a principal fonte do serviço em virtude de uma leve, média ou
de acidente é ainda a insegurança pessoal que grave lesão.
em ultima análise pode ser expressa como: DES- Muitas vezes, o fator tempo é a fração entre a
CUIDO, DESATENÇÃO, IMPRUDÊNCIA, vida e a morte. A maioria dos acidentes é o re-
DESRESPEITO ÀS NORMAS DE SEGU- sultado de não usar a fração do tempo necessá-
RANÇA. ria para evitar. É preciso tempo para colocar um
As normas de segurança ou regras de seguran- EPI, para fechar interruptor ou uma válvula, para
ça não foram estabelecidas para policiar e mui- limpar máquinas, óleo derramado, para procu-
to menos para tirar a liberdade do trabalhador. rar ferramenta adequada, para arrumar devida-
Pelo contrário, o que se deseja é ajudá-los a mente uma carga, para que haja ordem e limpe-
reconhecer os riscos que porventura existam za, limpar extintores, para TREINAR, ORIEN-
em nosso trabalho e capacitarmos a realizar TAR, INSTRUIR E CONSCIENTIZAR os traba-
nossas tarefas com menor possibilidade de aci- lhadores.
dentes para si e para seus companheiros. EVITAR ACIDENTES FAZ PARTE DE QUAL-
QUER TRABALHO.

20
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Os 10 Mandamentos das Relações Humanas


1. Fale com as pessoas. Nada há tão agradável sabe o que os outros sabem. Seja sincera-
e animado quanto uma palavra de saudação, mente interessado pelos outros.
particularmente hoje em dia quando precisa- 7. Seja generoso em elogios e cauteloso em crí-
mos mais de “sorrisos amáveis.” ticas. Os líderes elogiam, sabem encorajar,
2. Sorria para as pessoas. Lembre-se que acio- dar confiança e elevar os outros.
namos 72 músculos para franzir a testa e so- 8. Saiba considerar os sentimentos dos outros.
mente 14 para sorrir. Existem 3 lados numa controvérsia: o seu
3. Chame as pessoas pelo nome. A música mais lado, o lado daquele que está próximo a você
suave para muitos ainda é seu próprio nome. e o lado que está certo.
4. Seja amigo e prestativo. Se você quiser ter 9. Preocupe-se com a opinião dos outros. Três
amigos, seja amigo. comportamentos de um verdadeiro líder: ou-
5. Seja cordial. Fale e aja com toda sinceridade: vir, aprender e saber elogiar.
tudo o que você fizer, faça-o com prazer. 10. Procure apresentar um excelente serviço. O
6. Interesse-se sinceramente pelos outros. Lem- que realmente vale em nossa vida é aquilo
bre-se que você sabe o que sabe, porém não que fazemos para os outros.

21
Reflexão II
O TRABALHO O MEIO AMBIENTE DE TRABA-
LHO
Trabalho é sinônimo de nobreza.
Não desdenhe do trabalho que lhe coube reali- Aprenda a sorrir de coração para todos, de tal
zar na vida. forma que baste a sua presença para que a ale-
O trabalho enobrece aquele que o faz com entu- gria penetre no coração das pessoas que lhe
siasmo e amor. chegam perto e verifique a felicidade que isto
lhe causará.
Não existem trabalhos humildes, só se distin-
guem por serem bem ou mal realizados. Controle o tom de sua voz.
Dê valor ao seu trabalho, fazendo-o com todo Já verificou como é desagradável quando al-
amor e carinho, e estará desta maneira dando guém se dirige a você em tom áspero ?
valor a si mesmo. Pois faça aos outros o que gosta que os outros
Por isso, cada dia é mais uma nova etapa de façam a você.
trabalho; faça diariamente, ao despertar, afirma- Mesmo quando repreender, chamar a atenção,
ções positivas de alegria, procurando construir faça-o com voz calma e educada, como gostaria
em torno de si um ambiente de serenidade e de que o repreendessem quando você erra.
harmonia, preparando-se para executar as suas Procure colaborar com todos, sem fazer críticas
tarefas do dia de que está encarregado, com e sobretudo, procure corrigir os outros através
alegria e boa vontade. do seu próprio exemplo.
Não deixe de agradecer, o trabalho que lhe pro- Lembre-se que, em geral, podemos ser odiados
porciona o pão de cada dia, e procure executá- e amados de acordo com o tom de voz que em-
lo da melhor forma que for capaz. pregamos e teremos assim o ambiente que você
O trabalho bem executado traz-nos a alegria do mesmo criou; o trabalho será agradável ou não
dever cumprido. conforme a atitude quer você tomar.

22
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Credo da segurança
Cremos que todo homem tem dentro de si a res- ações impensadas e cessarão somente quando
ponsabilidade incontestável de afastar-se dos a prática segura for suficientemente forte para
caminhos inseguros. Este é seu dever para con- proeceder a ação, quando a prática correta criar
sigo mesmo, sua família, seus colegas e seu tra- o hábito que controla o ato.
balho. Cremos que a prevenção de acidentes é um
Cremos que nenhum homem vive ou trabalha objetivo que se encontra em todo e qualquer
completamente só. Ele se envolve com todos, é nível hierárquico, organização e procedimento.
influenciado pelas realizações e marcado pelos Cremos que se livrar dos riscos não é um privi-
fracassos com o próximo/seus companheiros. légio, mas a meta a ser atingida e perpetuada,
Cada homem que fracassa com o próximo, falha por todos, dia a dia.
consigo mesmo e partilhará o peso do fracasso. Cremos que a eliminação do sofrimento ocasio-
O verdadeiro horror de um acidente é constatar nado por acidentes é um dever moral, cuja me-
que o homem fracassou. E, mais, que seus com- dida adequada depende diretamente do nosso
panheiros também fracassaram. desempenho.
Cremos que os acidentes são gerados por prá-
ticas inseguras, nascem nos momentos de

23
Valor de um sorriso
Não custa nada e rende muito; enriquece quem É alento para os desanimados, repouso para os
o recebe, sem empobrecer quem o dá. cansados, raio de sol para os tristes, ressurrei-
Dura somente um instante, mas seus efeitos ção para os desesperados.
perduram para sempre. Não se compra nem se empresta.
Ninguém é tão rico que dele não precise. Nenhuma moeda pode pagar o seu valor.
Nem tão pobre que não possa dar a todos. Não há ninguém que precise mais de um sorriso
Leva a felicidade a todos e a toda parte. do que aquele que não sabe sorrir.
É símbolo da amizade, da boa vontade.

24
Segurança
25
Segurança no escritório
Muitos trabalhadores pensam que, num escri- Use apenas uma gaveta de cada vez. Abra-a
tório, não estarão expostos a riscos. Isto os leva somente a quantidade necessária, fechando-a
a um falso sentimento de segurança. Com isto, assim que a tarefa for concluída. Não bata as
eles tendem a negligenciar quando estão no gavetas para fechá-las. Muitos dedos já foram
escritório. Porém, uma verificação mais apura- esmagados por isto.
da dos hábitos no escritório mostram que con- Nunca corra pelo chão enquanto estiver senta-
dições de risco existem. do em cadeiras com rodinhas, nunca se incline
As quedas representam os acidentes mais co- na cadeira para pegar objetos no chão, ou incli-
muns nos escritórios e causam a maioria dos ne para trás para colocar os pés na mesa. Natu-
ferimentos incapacitantes. Na realidade, os tra- ralmente, o hábito mais perigoso é subir numa
balhadores de escritórios estão duas vezes mais cadeira – especialmente as equipadas com
sujeitos a sofrer quedas do que os outros. As rodinhas – para alcançar um objeto mais alto.
pessoas caem enquanto estão andando, subin- Eis aqui algumas práticas que lhe ajudarão a
do escadas e mesmo quando sentadas em suas manter sua segurança no escritório:
cadeiras. Elas tropeçam em fios elétricos e de
ü Observe o caminho.
telefone, gavetas de arquivos e de mesas aber-
tas e em equipamentos e pacotes deixados por ü Não leia e caminhe ao mesmo tempo.
onde andam. ü Não permaneça em frente a portas que abram
Uma boa arrumação é essencial para evitar as na sua direção.
quedas. Não suje o piso e enxugue qualquer
ü Não jogue fósforos ou cigarros em cestas de
líquido derramado imediatamente. Recolha pe-
lixo.
daços de papel, clipes, borrachas, lápis e ou-
tros objetos, assim que encontrá-los. ü Saiba onde estão os extintores de incêndio e
Os arquivos representam outra fonte de muitos como usá-los.
acidentes em escritórios. Tome cuidado quan- Um acidente em escritório é tão doloroso e caro
do abrir mais de uma gaveta ao mesmo tempo e quanto um na fábrica ou no campo. Todos nós
não armazene muito material na gaveta superi- gastamos uma parte do dia no escritório. Assim
or. Estas duas situações sobrecarregam o topo sendo, devemos desenvolver e seguir práticas
do arquivo, inclinando-o e fazendo com que caia. seguras de trabalho nele também.

26
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Fique atento a vidro quebrado


Recentemente, uma mulher trabalhando num Os trabalhadores que forem regularmente ex-
balcão de supermercado teve sua rotina subita- postos a vidro quebrado devem usar equipa-
mente interrompida, quando uma garrafa de soda mento de proteção individual apropriado. Este
caiu e estourou perto dela. Ela foi atingida pelos equipamento inclui óculos de segurança, luvas
cacos de vidro, mas sofreu apenas pequenos ou máscara, dependendo do tipo do trabalho.
cortes. As luvas e protetores de braços, assim como
Um vendedor, numa loja de “shopping”, estava botas de segurança, também são necessárias.
demonstrando uma luminária. O cliente caiu Ocasionalmente, nós mesmos quebramos um
acidentalmente sobre ele, a lâmpada caiu e que- copo de vidro ou um objeto similar. Neste caso,
brou, atingindo uma artéria do pulso dele. o vidro quebrado pode ser coletado, usando-
Um trabalhador de manutenção foi atingido no se um pedaço de papelão ou papel grosso. As
olho por um caco de vidro, quando uma janela partículas menores podem ser recolhidas com
caiu de sua armação. folhas de papel umedecidas, que devem ser en-
A lista de feridos poderia continuar, passando roladas e marcadas como tendo vidro quebra-
pelo caso de uma pessoa que tromba com uma do. Nunca use toalhas ou guardanapos de teci-
porta de vidro até a queda de um copo de vidro do para coletar partículas de vidro quebrado.
no banheiro. Porém, a história da segurança não Da mesma forma, devem ser evitados retalhos
termina com os ferimentos. Alguém tem que comuns de tecidos para limpar partículas de
limpar o vidro quebrado e esta tarefa exige o vidro quebrado. O material de limpeza de vidro
maior cuidado. quebrado deve ser separado para limpeza
Os ferimentos causados ao recolher os cacos exclusiva de vidro. O uso de uma pazinha de
de vidro (ou por não recolhê-los) não costu- lixo e de um rodo de borracha também é um
mam virar “manchete de jornal”, mas fazem seus método seguro para lidar com esta situação.
estragos com bastante freqüência através de As pessoas que estiverem trabalhando com
arranhaduras, cortes, ferimentos que atingem maquinário e transportadores, onde a quebra
artérias e causam infecções posteriores. de vidro é um problema comum, devem usar
Tome cuidado quando lidar com cacos de vidro ferramentas especiais que geralmente são
quebrado. Se você se cortar, antes de qualquer fornecidas para remoção de vidro nestas situa-
coisa, busque os primeiros socorros imediata- ções.
mente. As pessoas que trabalham com vidro devem
Use apenas recipientes especiais para se des- ser alertadas constantemente quanto à quebra,
fazer de vidro quebrado e leve-os para o local mal empilhamento e caixas defeituosas. Um
adequado. Coloque um rótulo em cada recipi- ferimento sério pode acontecer se você cair ou
ente, identificando seu conteúdo como vidro esbarrar numa caixa ou prateleira onde vidro
quebrado. quebrado possa ter sido deixado.
Garrafas quebradas nunca devem ser deposita- Algum dia você poderá lidar ou tentar abrir
das em lixeiras de papel ou recipientes comuns recipientes de vidro que podem quebrar. Neste
de lixo. Se você estiver trabalhando com caso, proteja suas mãos com toalhas grossas.
maquinário, pare-o antes de remover o vidro Se você suspeitar da existência de vidro que-
quebrado. brado sob espuma de sabão ou submerso de

27
alguma forma, drene a água antes de tentar re- descartado imediatamente e de uma maneira que
mover os cacos de vidro. seja segura para você e para os outros. Se não
Seria virtualmente impossível cobrir todos os forem disponíveis instalações especiais para a
casos em que você pode se defrontar com o remoção, um recipiente e luvas grossas podem
problema de vidro quebrado. Lembre-se, porém, ser usados.
se que o vidro quebrado deve ser coletado e

28
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Prevenção de acidentes na infância (1 a 2 anos)


As crianças nessa faixa etária são muitas vezes ENVENENAMENTOS
ativas e tem uma forte necessidade de investi- Esta é a idade de maior risco. As crianças po-
gar. Eles escalam, abrem portas e gavetas, des- dem levar qualquer coisa à boca. Mantenha
montam coisas e adoram brincar com água. Elas qualquer produto perigoso fora da visão e al-
estão interessadas no que estão fazendo, sem cance da criança. Tome cuidado extra quando
ter consciência dos perigos que possam estar alguém da família estiver tomando remédios.
presentes. Observe sua criança. Nunca diga que remédio é doce. Nunca deixe
QUEIMADURAS E CORTES bebidas alcoólicas ao alcance delas. Mantenha
As portas de acesso à escadas e ruas, à armári- todo e qualquer produto em seus recipientes
os com produtos perigosos, armários de medi- originais. Não tome remédios na presença de
camentos devem ser trancados com segurança. crianças pequenas.
Use pratos e copos de plástico. Verifique os SUFOCANTES
móveis quanto ao aspecto de segurança. Re- Brinquedos devem ser inquebráveis e suas par-
mova móveis com bordas salientes. Use tape- tes/componentes não devem ser pequenas. Não
tes não derrapantes na banheira. Instale grades dê a criança nesta idade: nozes, pipocas, piruli-
em todas as janelas acima do 1.º andar. tos e goma de mascar.
QUEIMADURAS E CHOQUES AFOGAMENTO
ELÉTRICOS Nunca deixe seu filho sozinho na banheira ou
A cozinha é perigosa para as crianças. Nunca piscina. Mesmo a água bem rasa é perigosa.
as deixe sozinhas lá. Comece a educar seu filho
SEGURANÇA NO TRÂNSITO
ao significado de “quente”. Não deixe os cabos
das panelas ao alcance das mãos. Remova os Não permita que as crianças brinquem no meio
botões do fogão quando não estiver usando. da rua ou em portas de garagens. Mantenha as
Conserve fósforos guardados. Cubra tomadas portas do carro trancadas, de preferência com
com protetores. Fios elétricos devem ser trancas que crianças desta idade não consigam
mantidos fora do alcance da criança. Coloque destravar. Use sempre assento apropriado para
protetores em aquecedores e lareiras. o transporte de crianças preso no banco trasei-
ro do automóvel. Ensine seu filho a sempre
segurar na mão de um adulto para atravessar a
rua.

29
Preparação de áreas seguras de trabalho
É impossível eliminar todos os riscos à nossa relativa. Suas condições de risco foram
volta. O melhor que podemos fazer é eliminar minimizadas e o treinamento apropriado das cri-
alguns e minimizar outros. anças deve eliminar os atos inseguros.
Uma pessoa que tenha que dirigir em estradas Vejamos como estes princípios se aplicam ao
escorregadias em dias chuvosos, não pode eli- nosso trabalho. Suponha que temos um proje-
minar os riscos devidos à tração deficiente ou to que exija de nós reparos em instalações sub-
má visibilidade, mas pode minimizá-los. Em pri- terrâneas num cruzamento movimentado. A
meiro lugar, não usará pneus lisos ou colocará quebra do asfalto e a abertura de um buraco
correntes. Ela verificará os limpadores de pára- certamente apresentam muitos riscos que não
brisa e outros acessórios quanto à boa condi- podem ser eliminados.
ção de operação. Mesmo que seja um trabalho de emergência,
Quando chegar à estrada, ela manterá uma ve- ele deve ser planejado e avaliado antes de ser
locidade mais baixa, ou quase parando, se ne- iniciado. Todos os membros da equipe de tra-
cessário. Ela abaixará as janelas com freqüência balho são responsáveis pela identificação e
para diminuir o embaçamento dos vidros. Ela análise dos riscos da tarefa. O público e as pro-
ficará a uma distância maior de outros veículos. priedades públicas, assim como os membros da
No geral, o que ela faz é intensificar suas táticas equipe e equipamentos, devem ser protegidos
de direção defensiva, esperando pelo pior, mas ao máximo possível.
dando o melhor de si para evitar um acidente. Como nosso trabalho irá interferir no tráfego de
O que tudo isto tem a ver com a preparação de veículos e pedestres, temos de iniciar definin-
áreas seguras de trabalho? Tem tudo a ver. É do a área de trabalho. Os motoristas devem ser
exatamente isto o que é a proteção de áreas de alertados ao máximo e antecipadamente de que
trabalho – eliminação ou minimização dos ris- há um trabalho sendo executado à frente. Como
cos. Na verdade, o programa inteiro de preven- não podemos eliminar os riscos do tráfego, o
ção de acidentes é apenas isto. melhor que podemos fazer é torná-lo mais len-
Eis aqui um outro exemplo comum. Uma escada to. Reduzir a velocidade do movimento contí-
numa loja de dois andares é essencial, por ra- nuo dos veículos não apenas permite a conti-
zões óbvias. Porém, ela é também altamente nuidade do trabalho e melhora a segurança,
perigosa. Muitas pessoas são feridas todos os como também contribui para boas relações pú-
anos em quedas de escadas. blicas.
Naturalmente, a escada não pode ser eliminada, Sinais de alerta, lanternas, bandeiras mostra-
mas seus riscos podem ser minimizados. Pode- das em vários níveis (mas sem obstruir a visibi-
mos instalar carpetes e revestimentos para evi- lidade dos motoristas) e cones ajudam a
tar escorregões em pisos encerados ou poli- minimizar os riscos de tráfego. Um ou mais si-
dos, colocar corrimão e iluminação apropriada. naleiros gentis usando sinais facilmente com-
Além disto, devemos treinar as crianças para preensíveis podem conduzir o tráfego com se-
usar escadas com segurança, subir e descer um gurança, em volta e através da área de trabalho.
degrau de cada vez, usar o corrimão e não cor- O movimento seguro do tráfego não é nosso
rer. único problema neste cruzamento movimenta-
Agora a escada pode ser usada com segurança do. Os pedestres também devem ser considera-

30
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

dos. Proteções devem ser colocadas ao longo faciais, respiradores e máscaras, praticamente
da área de trabalho. Devem ser colocadas pas- eliminarão o perigo de poeira, gás, vapores,
sarelas temporárias em trincheiras abertas, para pedras arremessadas e concreto. A utilização
permitir o movimento de pedestres através da de proteção para os dedos dos pés, sapatos e
área, de forma segura. botas de segurança, capacetes, reduzirão mais
Após estabelecermos um padrão para um fluxo ainda a possibilidade de ferimentos.
seguro de tráfego, termos dado proteção aos Porém, todo o aparato de proteção do mundo
pedestres e colocado barricadas adequadas em não impedirá atos inseguros. Cada um de nós é
nossa área de trabalho, ainda assim teremos de responsável por seu próprio desempenho em
lidar com os riscos envolvidos na quebra do segurança do trabalho. Um bom desempenho
pavimento, escavação do buraco e na execu- em segurança inclui o seguinte: a manutenção
ção dos reparos. de uma barreira a uma distância segura da borda
Muitos riscos com os quais nos defrontamos da trincheira, verificação se ferramentas ou
podem ser eliminados; outros podem ser rochas podem rolar para dentro do buraco, e
minimizados. A utilização de equipamento de termos cuidado para não trabalhar muito perto
proteção, como luvas, óculos, protetores uns dos outros e nunca fumar em áreas de risco.

31
Equipamentos de proteção
A empresa se utiliza de vários recursos para esta experiência para você, antes de colocá-lo
proteger suas propriedades. Existem dispositi- para trabalhar.
vos de combate a incêndio e vigilantes. O uso de alguns tipos de equipamento é exigi-
Porém, existem outros recursos projetados para do por normas internas. Outros tipos são ape-
proteger você. Pegue por exemplo um par de nas recomendados, mas não exigidos. Espera-
óculos ou uma proteção facial. Esses dispositi- mos que você faça uso do bom senso e use
vos não impedem que um ladrão roube proprie- também aqueles considerados recomendados.
dade da empresa nem podem ser usados para Mas, vamos deixar uma coisa bem clara. Não
combater ou impedir um incêndio; muito menos podemos usar o equipamento por você. Não
impedir danos em equipamentos. estaremos o tempo todo ao lado de cada um de
É isto mesmo! A proteção para a face e para os vocês, dizendo: - “Use este equipamento ago-
olhos serve apenas para uma coisa: impedir que ra!”. Isto é com você e assim que deve ser, por-
algum material arremessado atinja sua vista. Ela que o equipamento de proteção individual foi
foi projetada para proteger você. projetado para sua própria segurança e saúde.
Entretanto, ela protegerá você apenas se você Algumas vezes parece ser muito complicado
quiser. Não há nenhum dispositivo automático gastar alguns segundos para colocar e tirar o
para proteção dos olhos. Os óculos e outras equipamento de proteção para realizar uma ta-
proteções têm valor apenas quando você os refa que levará apenas alguns segundos – como
utiliza da forma como foram projetados para um trabalho rápido no esmeril. Porém, pare um
serem usados. minuto para pensar sobre o assunto. Quanto
Com o capacete de segurança é a mesma coisa tempo leva um “besouro” de uma peça de aço
– proteção para sua cabeça. Ele só vai protegê- ou pedaço de esmeril para atingir seus olhos?
lo se você usá-lo. As botas de segurança pro- Levar apenas uma fração mínima de segundo,
tegerão seus pés, não o meu pé ou o pé do podendo acontecer tanto em um trabalho que
presidente da empresa... apenas os seus. vai levar 10 segundos como num trabalho que
Assim sendo, quando lhe dizemos para usar o dure o dia inteiro.
equipamento de proteção individual, não esta- Não usar os óculos de segurança, guardando-
mos pedindo um favor para a empresa. Não es- os o tempo todo no bolso, é uma estupidez tão
tamos estabelecendo uma porção de regras só grande quanto uma caixa de supermercado di-
para o nosso benefício. Não estamos querendo zer: - “Estou saindo para almoçar só por meia
amolar você com restrições sem sentido. hora. Acho que posso deixar a registradora aber-
Nós estamos apenas tentando fazer o que é ta enquanto isto. Não tem a menor chance de
certo e o que é bom para você; somente tentando alguém passar por aqui e apanhar o dinheiro”.
ajudá-lo a se ver livre de acidentes que podem Na realidade, não usar os óculos de segurança
feri-lo, cegá-lo e até matá-lo. Estamos contentes é uma estupidez maior. O pior que poderia acon-
em ajudar de diferentes maneiras. Nós tecer com o caixa é que algum dinheiro fosse
aprendemos, a partir de experiências próprias, roubado e ele fosse demitido por isto. Entretan-
quais são os tipos de equipamento de proteção to, ele ainda teria seu olhos. Por outro lado, se
necessários em diferentes tarefas e passamos você não usar seus óculos de segurança, você

32
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

estará correndo o risco de perder a sua visão. você estiver trabalhando. Mantenha trancadas
Assim, pegue o equipamento de segurança exi- as portas dos acidentes que poderiam acon-
gido para o seu trabalho e use-o sempre que tecer com você.

33
Teste de segurança para os equipamentos de
proteção individual
Uma parte do nosso trabalho envolve lidar com QUANDO FOREM ENCONTRA-
circuitos energizados. A segurança do traba- DAS LUVAS COM DEFEITOS, O
lho em equipamentos e circuitos energizados QUE DEVE SER FEITOS COM
depende de como estamos protegidos. Como ELAS?
qualquer outro equipamento, o EPI se desgasta
e, o que é pior, quebra-se. Para afastar as falhas 1. Desfazer-se delas.
de EPI, devemos tomar alguns cuidados. 2. Entregá-las para o supervisor ou encarrega-
do.
3. Nunca colocar luvas defeituosas de volta ao
COMO VERIFICAR NOSSAS LU-
lugar onde são guardadas, porque alguém
VAS? poderia voltar a usá-las.
1. Alta tensão pode entrar através de pequenos
furos e o choque pode matar você.
SE UM EMPREGADO ESTIVER
2. Os vazamentos em pequenos furos podem
deixar que o suor passe para fora (especial-
USANDO SUAS PRÓPRIAS LU-
mente em dias quentes) colocando você em VAS, SEU PRÓPRIO CINTO DE
perigo. SEGURANÇA, ETC., AINDA AS-
SIM ELE ESTARÁ SUJEITO A SER
INSPECIONADO PELO
COM QUE FREQÜÊNCIA AS LU-
SUPERVISOR? POR QUÊ?
VAS DEVEM SER TESTADAS POR
UMA INSTALAÇÃO DE TESTES? Sim. O supervisor é o responsável pela segu-
rança de todos, não apenas dos empregados
Pelo menos a cada sessenta dias. que estiverem usando equipamento fornecido
pela empresa.

34
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Proteja suas mãos


A maioria dos ferimentos ocorridos no trabalho ü Certifique-se de que as proteções para mãos
envolvem os dedos e as mãos. Suas mãos são e dedos e outros dispositivos de segurança
essenciais para o seu trabalho e seu bem estar. nas ferramentas, equipamentos e maquinári-
Como qualquer outra coisa de grande valor, elas os estão no lugar e se são operantes.
devem ser adequadamente protegidas.
ü Não faça “bypass” em chaves e controles de
Eis aqui alguns procedimentos sensatos para segurança – por exemplo: a chave de “ho-
ajudar a evitar ferimentos em suas mãos: mem morto” em ferramentas e equipamentos.
ü Lembre-se de que o uso de luvas corretas O acionamento de prensas por duas botoei-
pode ajudar você a prevenir muitos ras simultâneas. Muitos destes dispositivos
ferimentos nas mãos e nos dedos. de segurança são especialmente projetados
ü Mantenha suas mãos e luvas livres de graxa para manter suas mãos afastadas de peças
e de óleo. móveis.

ü Não fique com as mãos ou dedos em lugares ü Tenha cuidado ao manusear metais líquidos
onde possam ser esmagados ou apertados. quentes. Você não será capaz de determinar a
temperatura de uma peça, apenas olhando
ü Antes de manusear qualquer material, verifi- para ela.
que a existência de bordas cortantes e man-
tenha suas mãos afastadas das extremidades
ü Não pegue em metais com temperatura abai-
destes materiais. xo do ponto de congelamento; isto poderá
ferir a área da pele em contato com o metal.

35
Proteção das mãos
Dois dos instrumentos de projeto mais compli- novo. Elas têm sido consideradas importantes
cados com os quais trabalhamos são nossas há anos. Na idade média, os espadachins usa-
mãos. Provavelmente não poderíamos usar vam luvas de proteção especialmente confecci-
qualquer outro dispositivo capaz de substituir onadas.
nossas mãos e ainda mantermos a precisão e a Apesar dos cuidados que tomamos, nossas
capacidade de manobra delas. mãos receberão pequenos ferimentos de tem-
Como a maioria das coisas com as quais esta- pos em tempos. Faça o tratamento desses cor-
mos acostumados, costumamos não nos lem- tes e aranhões, pois podem se transformar em
brar de nossas próprias mãos – exceto quando coisas mais sérias.
uma porta prende um de nossos dedos. Aí sim, Para não arrancar a pele de suas mãos, dê uma
lembramos que nossas mãos são sensíveis. In- olhada antes por onde elas devem passar. Por
felizmente, logo nos esquecemos desta experi- exemplo: se estiver movimentando um objeto,
ência e deixamos nossas mãos de lado. ou transportando-o, certifique-se de que as por-
Você ficaria surpreso ao saber que os ferimentos tas e corredores sejam largos o suficiente para
nas mãos representam um terço dos dois passar com segurança, antes de iniciar o traba-
milhões de acidentes incapacitantes que lho. Certifique-se de que haja espaço suficiente
ocorrem no trabalho a cada ano. A maioria des- para suas mãos e seja igualmente cuidadoso ao
ses ferimentos é causada por pontos de depositar sua carga em algum ponto.
pinçamento – 80% deles, na verdade. Mantenha suas mãos livres de graxa e óleo.
Os pontos de pinçamento têm o mau hábito de Mãos escorregadias podem trazer problemas
nos pegar quando não estamos prestando aten- para você. Assim, se estiver com graxa nas mãos,
ção. Podemos evitá-los, ficando atentos em rela- limpe-as rapidamente.
ção a sua existência e, então, tomar os cuidados Aqueles que são casados, provavelmente algu-
adequados. ma vez já brincaram, dizendo que todos os seus
Um bom cuidado é usar luvas adequadas, quan- problemas começaram, quando colocaram uma
do estivermos manuseando materiais ásperos, aliança no dedo. Isto realmente pode ser verda-
ou quando estivermos levantando ou movimen- de – pelo menos no que diz respeito ao trabalho.
tando objetos. Outras medidas de segurança Por razões de segurança, não use alianças ou
incluem tirar um tempo para remover ou dobrar anéis quando estiver trabalhando. Esses objetos
pontas protuberantes, bordas cortantes, etc. podem se prender facilmente no maquinário e em
Naturalmente, as proteções das máquinas e as outros objetos, provocando um corte grave no
ferramentas especiais dadas a você para execu- dedo, ou o pior, uma amputação.
tar uma determinada tarefa devem ser usadas. Polias e correias formam pontos de pinçamento e
Quando você não toma cuidado com o devem ser cobertas com proteções. Se você pre-
maquinário com o qual terá que trabalhar, ou cisar recolher vidro quebrado, pregos ou outros
quando você remove uma proteção e não colo- objetos cortantes ou pontiagudos, use luvas para
ca no lugar novamente, você estará aumentan- a tarefa, ou varra o material. Nunca tente manuse-
do as chances de ser ferido. Apostar em você ar estas coisas com as mãos nuas. Uma boa coisa
nestas situações é perder na certa. a ser lembrada é o fato de que suas mãos não
As proteções para as mãos não são nada de sentem medo. Elas vão aonde você mandar e se
comportarão conforme seus donos mandarem.
36
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

O problema com os anéis e alianças


Um anel não é apenas um círculo de metal usa- jóia fica na posição de doze horas).
do no dedo de alguém – em muitas situações, 2. Também a partir da parte interna, faça ranhu-
representa também a causa de ferimentos séri- ras com dois terços de espessura em profun-
os para quem o usa. didade, nas posições de nove e duas horas.
Muitos desses ferimentos ocorrem no dia-a-dia Em caso de agarramento severo, o anel será
das pessoas. As vítimas mais comuns são re- aberto na posição de seis horas, com as duas
presentadas por alguém que pula fora da trasei- partes inferiores dobrando nas posições de
ra de uma camioneta e prende sua mão numa nove e duas horas. O dedo será solto sem
projeção, ou por uma mulher que se estica para ferimento. Contudo, é importante lembrar que
alcançar alguma coisa numa prateleira alta e fica os cortes parciais do anel são necessários,
presa num prego que não está à vista. assim como o corte completo. O anel poderá
Um cirurgião plástico tratou cerca de vinte e um não se abrir apropriadamente sem algum dos
casos de avulsão anelar (avulsão é o ato de três cortes.
rasgar uma parte do corpo). Este cirurgião Algumas pessoas são relutantes, provavelmen-
enfatiza a seriedade de tal ferimento, explican- te por razões afetivas em relação ao anel, em
do que a destruição de tecido mole pode ser tão fazer as alterações necessárias para evitar
extensiva que os pequenos vasos sangüíneos ferimentos. Porém, um anel pode ser reparado a
que alimentam os tendões, osso e unha não um custo razoável, enquanto a restauração de
podem ser restaurados. um dedo pode ficar muito cara. Naturalmente,
Um outro cirurgião explica que os procedimen- você também não poderá usar um anel ou aliança
tos cirúrgicos necessários para restaurar um num dedo que esteja faltando.
dedo severamente danificado incluem o enxer- De acordo com um cirurgião plástico, que tratou
to de osso e enxerto de pele. O resultado pode muitas avulsões anelares, uma alternativa
ser um dedo esticado e duro, muitas vezes possível aos cortes no anel é usar anéis dobrá-
pouco atraentes para o paciente. veis que podem ser obtidos em joalheiros. Em-
Uma boa forma de evitar os ferimentos provo- bora projetados, a princípio, para pessoas com
cados por anéis é usar daqueles tipos que se as juntas alargadas, eles podem salvar um dedo,
abrem sob esforço e que saem do dedo. Qual- se forem submetidos a um grande esforço.
quer joalheiro, ou alguém com habilidade ne- Naturalmente, a melhor forma de evitar um
cessária e uma serra de joalheiro, pode fazer ferimento por anel é não usá-lo. Porém, se você
uma abertura. Eis aqui como: usa um, altere-o conforme descrito anteriormen-
1. A partir da parte interna, faça um pequeno te ou use um de projeto alternativo (como para
corte na posição de seis horas (a pedra ou a o caso de pessoas com artrites).

37
Proteção para os olhos
Com tanta conversa a respeito de programas de de um capacete para impedir que raios os
segurança, algumas vezes nos esquecemos do ób- infravermelho e ultravioleta atinjam seus olhos.
vio. A segurança é uma questão pessoal. A máqui- Os soldadores também devem usar óculos que
na com que trabalhamos pode ter suas proteções, protejam contra o arremesso de partículas.
mas se não a usarmos, eles não nos protegerão. Os óculos de segurança devem ser usados sem-
O que conta a longo prazo é a crença firme de pre que materiais ou partículas possam ser arre-
termos de fazer tudo para podermos trabalhar com messados ou cair de maneira forçada nos olhos,
segurança. Nós temos de usar o equipamento de ou próximo deles.
proteção individual se quisermos ter um bom de- Você sabe que precisa apenas de uma partícula de
sempenho com segurança. Ninguém poderá fazer esmeril para acabar com sua visão? Você sabe que
a segurança por nós. Suponha que você seja um o respingo de um produto químico corrosivo é o
daqueles que acreditam na importância de proteger suficiente para cegar você?
sua visão em qualquer circunstância e que aja de Porém, algumas vezes você arranja uma desculpa
acordo com esta idéia o tempo todo. Bem, quando para não usar seus óculos de segurança. Uma das
alguém na turma gozar você por estar sendo desculpas mais freqüentes é: “Eles atrapalham a
“maricas” ou excessivamente cuidadoso, o que minha visão”; “eles são desconfortáveis”; “eles
você faz? Você decide não se envolver numa me fazem parecer ridículo”.
discussão e se afasta. Você dá uma má resposta à
Sempre que a proteção para seus olhos o aborre-
pessoa brincalhona, ou pode tomar a coisa de
cer, lembre-se apenas do seguinte: - você não
outra forma e dizer para a pessoa a razão que o faz
poderá enxergar através de um olho de vidro.
proteger seus olhos, mesmo que o risco seja
Talvez a pior desculpa de todas seja que o traba-
pequeno.
lho levará apenas um minuto – a acidente talvez
Talvez, com isso, você leve a pessoa a refletir. leve muito menos. Ninguém quer perder sua vi-
Talvez ela chegue à mesma conclusão que você – são ou tê-la danificada. Ninguém pensa que isso
de que a segurança vale mais do que apenas se possa acontecer consigo mesmo. Porém, produ-
esforçar. Talvez, se você fizer seu trabalho bem tos químicos podem espirrar, o esmeril pode que-
feito, ela venderá a alguém a mesma idéia. brar, partículas metálicas voam... um acidente pode
Os dispositivos para proteção dos olhos têm sido ocorrer a qualquer instante. Os danos já terão
empregados nas indústrias desde 1910. Talvez, acontecido.
alguns de vocês conheçam alguém que tenha re- Uma das frases mais usadas é: “Eu me esqueci...”.
cebido um ferimento no olho ou que tenha ficado Freqüentemente ela é usada como desculpa para
cego por não estar usando óculos de segurança não proteger seus olhos. Não estamos dizendo que
na hora certa. Algumas vezes, uma partícula arre- podemos nos esquecer uma vez ou outra. Porém,
messada pode atingir você com o mesmo impacto basta que você esqueça uma única vez de colocar
de uma bala de revólver. Vários tipos de os óculos para que este esquecimento, esse lapso
dispositivos são disponíveis para proteger seus de memória, seja o mais caro em toda a sua vida.
olhos contra tais partículas, assim como de vapo- Portanto, faça do uso dos óculos de segurança
res e líquidos corrosivos. Dependendo do traba- uma questão de hábito.Pense no seguinte: não existe
lho, você pode usar óculos, protetores faciais, blin- uma boa razão para que alguém não proteja os pró-
dagens e outros dispositivos de proteção. prios olhos. Os olhos não têm preço. Assim sendo,
A soldagem requer proteção dos olhos na forma proteja-os. Use proteção para seus olhos.
38
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Fatos sobre ferimentos nos olhos


Você sabia que a cada 30 segundos algum tra- ü 7% Respingo de líquidos;
balhador sofre ferimento nos olhos?
ü 2,5% Explosões;
Você sabia que 36.680 trabalhadores são afas-
tados do trabalho, diariamente, por causa de ü 2% Quedas;
ferimentos nos olhos e os brasileiros estão fi- ü 0,5% Infecção.
cando cegos ao ritmo de 60 por dia? Não há uma resposta única, com relação a equi-
Você sabia que 80% de suas ações são orienta- pamento de proteção, existente na indústria, para
das por sua visão e que 85% do seu conheci- todos os riscos relativos à visão. Diferentes ris-
mento vem através dela? cos requerem tipos distintos de equipamento.
Embora os ferimentos nos olhos custem à in- Tenha o tipo certo de equipamento de proteção
dústria mais de 200 milhões de reais por ano, para seu trabalho e use-o.
fazendo os trabalhadores perderem cerca de 3 Você não pode comprar um bom olho com todo
milhões de dias de trabalho anualmente, o mai- o dinheiro do mundo. Se seu trabalho for do
or custo ainda é a perda de visão da vítima. tipo que pode provocar sérios ferimentos em
O Conselho Nacional de Segurança do Traba- seus olhos, então você deve tomar todos os
lho, nos Estados Unidos, classifica as causas cuidados necessários para sua visão, usando
de acidentes com a visão da seguinte maneira: equipamento de proteção.
ü 80% Partículas arremessadas; Lembre-se de que um cego não deseja outra
coisa no mundo a não ser sua visão.
ü 8% Ferramentas de maquinário;

39
Equipamentos de segurança
PROTETOR AURICULAR (Abafa- dos em todas as atividades onde houver conta-
dor de Ruído) to com produtos químicos. A falta do creme
Tem como finalidade diminuir o nível de ruído pode causar doenças na pele, alergias,
recebido pelo trabalhador. Deve ser usado nas dermatites.
áreas próximas aos equipamentos ruidosos e MÁSCARA CONTRA POEIRA E
locais barulhentos. O não uso deste equipa- GASES
mento pode causar: stress, insônia, dificuldade Protege as vias respiratórias, deve ser usada
de comunicação, surdez profissional. em atividades onde haja concentração de
CREMES poeiras ou gases. A falta de máscara pode causar
Têm como finalidade proteger a pele contra doenças do sistema respiratório.
produtos químicos agressivos. Devem ser usa-

40
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Competição para cabeças duras


De acordo com a Segurança do Trabalho, vári- absorção total for menor do que 0,5%, a pessoa
as companhias já adotaram um novo certifica- passa no teste e poderá fazer o seguinte.
do de dureza de cabeças para os trabalhadores TESTE DE RESISTÊNCIA QUÍMI-
que acham ter cabeças duras o suficiente. Vári- CA E TÉRMICA:
os testes foram aplicados para determinar se
A cabeça é testada quanto a suas propriedades
um trabalhador pode obter esse certificado.
de resistência ao fogo e quanto a sua capacida-
Alguns de nossos empregados já expressaram de de suportar vários produtos químicos, in-
seu interesse em ganhar certificados. Assim cluindo ácidos e solventes.
sendo, estamos oferecendo agora a oportuni-
dade para eles. Aqueles que concluírem satis- TESTE ELÉTRICO:
fatoriamente os testes abaixo receberão um Este teste simples envolve submeter a cabeça
boné, um certificado, e a permissão de que usem de um sujeito a uma corrente de 60 Hertz CA de
os bonés no lugar dos capacetes de segurança até 30.000 volts. Um vazamento de 9 miliampéres
no trabalho. é permitido a 20.000 volts, não sendo permitido
TESTE DE PENETRAÇÃO: o rompimento do isolamento.
Um prumo de chumbo pesando meio quilo é
deixado cair repetidamente de uma altura de 3 Qualquer empregado que passar por todos es-
metros na cabeça do trabalhador. Se a ponta tes testes, que normalmente são aplicados aos
penetrar menos de 1 cm, o trabalhador terá pas- capacetes de segurança, será agraciado com um
sado nessa fase do teste. boné e um certificado de dureza de cabeça sufi-
ciente para permitir que ele use apenas o boné
TESTE DE ABSORÇÃO:
enquanto estiver trabalhando em locais onde
A cabeça do trabalhador é submersa na água lhe for exigido usar o capacete de segurança.
durante 24 horas (Não é fornecido ar). Se a

41
O valor do capacete de segurança já foi
provado
Ao longo dos anos, as pessoas têm dado várias queda com velocidade zero e acelera a 9 m/s2.
desculpas para não usar o capacete de seguran- Isto é, já está a 9 m/s de velocidade após um
ça: segundo de iniciada a queda. Durante este pri-
ü Ele é muito pesado! meiro segundo, ele terá caído 9 metros.
Ao final de 10 segundos ele terá velocidade de
ü Ele me dá dor de cabeça! 90m/s e terá caído 90 metros.
ü Ele machuca meu pescoço! Suponha que alguém acima de você deixe cair
ü Ele é muito frio para ser usado! uma chave de boca. Levará meio segundo até
que esta pessoa perceba que deixou cair a cha-
ü Ele é muito quente para ser usado!
ve e gritar: “Cuidado com a cabeça!”. Levará
ü Eu não consigo enxergar quando estou usan- mais um segundo para você ouvir o grito e rea-
do-o! gir a ele (se é que você vai ouvir). Mesmo que
ü Não consigo ouvir direito usando-o! você ouça o grito, você só vai saber para que
lado deve mover sua cabeça depois de olhar
Hoje em dia, até que não há muita resistência em
para cima. Isto pode levar mais meio segundo.
usar os capacetes de segurança. Como qualquer
item de proteção individual, sua aceitação ocor- Se a tal chave tiver caído de uma altura de 24
re depois de um certo tempo, durante o qual seu metros acima do solo, ela está a um metro da
valor é provado. Não é tão aceito universalmen- sua cabeça, a uma velocidade de 60 km/h, antes
te quanto uma experiência provada. que você possa vê-la. Você nunca saberá que
tipo de surpresa pode aguardar você acima da
“Dor de cabeça!” é o sinal de alerta para dizer
sua cabeça – portanto, use seu capacete de
que alguma coisa caiu. Este alerta geralmente
segurança.
vem muito tarde. Um objeto que caia começa a

42
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Vestuário apropriado aumenta o desempenho


no trabalho!
Vestuário feito de fibras naturais, como o algo- Uma camisa de manga comprida presa no pul-
dão, é muito mais seguro do que as roupas fei- so, dá maior segurança quando você está:
tas de materiais sintéticos. O material sintético ü usando luvas de borracha;
pode derreter ou queimar rapidamente quando
exposto a grande calor ou a chama. ü subindo em postes, torres ou estruturas;
Pontos a serem lembrados: ü manuseando material tratado quimicamente;
ü Roupas soltas ou folgadas usadas próximas ü exposto a ácidos, produtos químicos ou
de maquinário móvel, de motores elétricos, solventes;
de motores de veículos ou de equipamento ü trabalhando com tambores de cabos, esmeril,
energizado podem representar riscos à sua etc.;
saúde!
ü perfurando ou arrebentando concreto;
ü Pulseiras metálicas, pulseiras de relógio, cor-
rentes ou itens similares usados próximo de ü trabalhando com asbestos ou outros materi-
máquina móvel ou equipamento energizado ais fibrosos;
podem causar sérios ferimentos. ü lidando com ar ou gases pressurizados;
ü Para trabalho de campo, os sapatos devem ü trabalhando próximo de instalações com ve-
ter solas duras para evitar ferimentos nos pés. neno ou onde podem ser encontrados inse-
ü Anéis NÃO devem ser usados quando você tos ou cobras venenosas.
estiver trabalhando perto de equipamentos
energizados ou de máquina móvel, ou en- Roupas limpas e em bom estado não apenas
quanto você estiver subindo escadas. O anel provocam uma boa aparência como também
pode agarrar e machucar sua mão e até pro- podem oferecer uma proteção extra em caso de
vocar a perda de um dedo! acidente!
Assim, PROTEJA-SE!

43
Roupas de proteção contra fogo
As roupas de verão, feitas de material sintético, Eis aqui alguns pontos importantes que devem
são preferidas pelas pessoas que precisam tra- ser lembrados na escolha de roupas apropria-
balhar perto de fontes de calor ou sob o sol. das para o trabalho perto de calor ou chama:
Porém, o conforto não compensa o maior risco ü Tecidos pesados de lã prensada pegam fogo
a que estão sujeitas. mais lentamente do que tecidos leves feitos
Às pessoas envolvidas em combate a incêndio de lã não prensada.
aconselha-se não usar roupas que não podem
ser passadas a ferro porque podem derreter sob
ü Tecidos que têm superfície lisa e maior den-
sidade são menos prováveis de queimar do
extremo calor. Esses materiais, sob calor inten-
que outros tecidos.
so, podem fundir numa massa incandescente,
grudando na pele e provocando sérias queima- ü O vestuário justo no corpo é mais seguro
duras. Mesmo os materiais sintéticos tratados perto de calor ou chama do que roupas frou-
com retardantes de chamas serão fundidos e xas.
derretidos se expostos a calor intenso ou a cha- Dentre as fibras básicas, a lã prensada é com-
ma. parativamente mais resistente a chamas. Ela
Os sintéticos para o inverno também são sus- pega fogo, mas queima-se lentamente e o fogo
peitos e os testes de materiais de isolamento geralmente se apaga quando a fonte de calor
térmico usados em jaquetas e camisetas mos- for removida. Se a lã for combinada com outro
traram que tendem a derreter sob calor extremo. tecido, contudo, ela deixa de ser resistente ao
Os pesquisadores descobriram que a espuma fogo.
de borracha e almofadas feitas de fibras de O algodão e o nailon se queimam facilmente,
polipropileno pegam fogo e se queimam após mas podem ser tratados com produtos quími-
aquecimento artificial num secador de roupas. cos para torná-los mais resistentes ao fogo. Os
Todos os tecidos podem queimar, naturalmen- tecidos de fibra de vidro e algumas outras fi-
te, se houver as condições adequadas. O grau bras artificiais são resistentes ao fogo, mas al-
de inflamabilidade depende do peso das fibras gumas vezes são misturados ou tratados com
e do tipo de tecido, sua superfície e desenho ou acabamentos que os tornam menos resistentes
estilo da roupa. ao fogo.

44
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Lesões nas costas


Lesões repetidas nas costas podem se tomar correta quando estamos levantando um peso.
crônicas se afetarem um empregado no traba- Se ficarmos alerta e observarmos as orientações
lho e em casa. Uma lesão nas costas pode cau- dadas aqui, podemos evitar muitas das lesões
sar anos de sofrimento, encurtar os anos pro- causadas por métodos incorretos de se levan-
dutivos do trabalhador e provavelmente aca- tar peso.
bar com a alegria da aposentadoria durante Tenha ajuda ao levantar objetos que, por causa
muitos anos. de suas posições, são difíceis de agarrar. Con-
Podemos evitar estas lesões nas costas? siga ajuda para todos os objetos difíceis de se-
SIM... se reconhecermos algumas de suas cau- gurar.
sas. Uma revisão das experiências do passado Peça ajuda para objetos pesados. Todos nós
indica que a maioria resulta das seguintes cau- temos nossas limitações. Conheça as suas. Sua
sas: condição física, constituição e estatura têm
ü Levantamento de cargas com o corpo em muito a ver com sua capacidade de levantar
posição errada. objetos pesados. Não faça mais do que dá con-
ta.
ü Levantamento de objetos abaixo do nível do Tenha cuidado especial quando levantar ou
solo. transportar objetos em terrenos irregulares ou
ü Tentativa de levantar pesos acima da capaci- onde houver perigo de perder o apoio dos pés
dade da pessoa. sobre pedras, tábuas ou outros objetos. Man-
ü Escorregões quando transportando objetos tenha sua área de trabalho e passarelas limpas
ou operando ferramentas pesadas. e desobstruídas.
Nunca torça seu corpo quando levantar ou
ü Giro do corpo nos calcanhares quando se
transportar um peso. Se tiver que mudar de
levanta ou carrega objetos.
posição, mude a posição dos pés sem torcer o
A maioria de nós sabe como levantar um peso corpo, para obter o efeito desejado.
corretamente. Sabemos como ficar na posição

45
Manuseie materiais com segurança
Mesmo com auxílio mecânico para içamento, capaz de erguê-la próxima a seu corpo. Desta
encontramos certas coisas que precisam ser le- maneira, é mais fácil manter seu equilíbrio. Assim
vantadas manualmente. Para evitar distensões você distribui o peso uniformemente sobre todo
de mau jeito nas costas, temos que levantar o seu corpo.
peso corretamente. Isto já foi dito várias vezes Dobrar os joelhos para levantar o peso com os
no passado, mas ainda ocorrem muitas lesão músculos das pernas é o requisito básico do
por levantamento de peso. levantamento de carga com segurança. Abaixe
Consideremos algumas coisas que temos que com seus joelho dobrados. A carga deve ficar
levantar manualmente. O que pesa mais? O que entre seus joelhos de forma que fique perto do
é mais difícil de manusear? Pense nisto enquanto seu corpo quando erguê-la.
falamos nos principais pontos sobre levanta- As costas devem ser mantidas retas enquanto
mento de peso com segurança. levanta a carga. Se seus joelhos estiverem do-
A proteção das mãos é de máxima importância. brados e suas costas estiverem retas, a carga
Quando levantar materiais com bordas cortan- pode ser levantada. Nesta posição, toda a car-
tes ou superfície áspera, use luvas para prote- ga é lançada sobre os pés.
ger suas mãos. Devemos evitar o pinçamento Levantar lentamente é outra recomendação
de dedos e corte nas mãos. básica para segurança. Coloque lentamente sua
Mesmo que você esteja usando luvas, deve cer- força no levantamento. Levante lentamente
tificar-se de que suas mãos não correm riscos. esticando suas pernas, mantendo suas costas
Muitas cargas caem quando as mãos são atin- rentes e a caixa próxima a seu corpo. Você sabe-
gidas por alguma projeção no momento em que rá se a carga é pesada para você. Se for muito
a carga está sendo levantada. Nestes casos, pesada, dobre os joelhos para colocá-la de volta
são os pés que normalmente são atingidos. ao chão.
A firmeza nos pés é essencial para se tentar Peça ajuda quando precisar. Este é outro ponto
levantar um objeto de qualquer peso essencial. Se qualquer carga for muito pesada
substancial. Muitas distensões resultam da para você, não hesite em pedir ajuda.
perda de equilíbrio. Com isto, o peso da carga é As botas de segurança previnem ferimentos nos
lançado sobre os músculos das costas. pés no caso de quedas de carga.
A posição dos pés determina se você está ou O levantamento de pesos representa muitos pro-
não bem equilibrado. Eles devem ficar separa- blemas no trabalho. Certamente é um problema
dos um do outro. nacional. Cerca de um afastamento por hora
Pegar corretamente a carga é necessário para ocorre devido ao manuseio manual de cargas.
firmá-la bem. Segure-a primeiro com as mãos, Podemos eliminar os problemas de levantamen-
antes de começar a levantá-la. Se estiver levan- to em nosso departamento apenas observando
tando uma caixa, pegue-a pelos cantos os cuidados de segurança para levantamento
diagonalmente opostos. de carga. Assim sendo, lembre-se de levantar
Manter a carga perto do corpo é importante para com as pernas e não com as costas. Peça ajuda
evitar esforço excessivo. Antes de levantá-la, para cargas muito pesadas!
avalie seu tamanho para certificar-se de que é

46
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Um alerta para perigo das radiações solares


Nos últimos anos foi comprovada uma diminui- e consiste em observar a sombra.
ção da camada de ozônio sobre toda a terra. A Quando a sombra é igual ou menor que a altura
redução da camada de ozônio é diretamente da pessoa, indica claramente que o sol está alto
proporcional ao aumento de radiação em relação ao horizonte e, por conseguinte, o
ultravioleta solar. As proteções físicas para ate- risco é muito grande.
nuar a radiação ultravioleta são acessíveis a Em situação em que a sombra é igual ou maior
todas as pessoas, como uso de chapéus gran- que a altura da pessoa, o risco é baixo.
des e fechados, de maneira que não deixem
Em resumo: sombra menor = risco alto, sombra
penetrar as radiações, roupas compactas, ócu-
maior = risco baixo. Isso evita o problema de
los com proteção ultravioleta.
mudança de horário. O número de horas de maior
Devemos evitar a exposição ao sol nas horas de horas risco também se altera conforme os
próximas ao meio-dia. Para saber quais as horas meses do ano.
de maior risco, o procedimento é muito simples

47
Acidente de trajeto
Lendo jornal, ouvindo rádio ou assistindo tele- ciência de iluminação; limpador de pára-brisas
visão, encontram-se notícias de atropelamen- sem funcionamento ou com borracha gastas;
tos, acidentes de trânsito, apresentando feridos sem buzina, ou uso inadequado (susto); volan-
e mortes. Grande parte, são os chamados aci- te com folga; simetria irregular das rodas.
dentes de trajeto. Aliás, vocês lembram o que é CONDIÇÕES NEGATIVAS DA ES-
acidente de trajeto ? É a ocorrência no percur- TRADA:
so da residência para o trabalho ou deste para
Curvas, morros; largura da pista; tipo de calça-
aquela.
mento; elevações; desníveis; buracos; manchas
Vamos apontar as causas mais comuns de aci- de óleo; poças d’água.
dente de trânsito, analisando as condições ne-
gativas que influenciam o comportamento de CONDIÇÕES NEGATIVAS AT-
um motorista: MOSFÉRICAS:
CONDIÇÕES DO VEÍCULO - CONDI- Chuvas; (dificulta a visibilidade e permite a
ÇÕES DA VIA PÚBLICA - CONDI- hidroplanagem); vento (resistência); granizo;
neblina; fumaça; geada; cerração.
ÇÕES DO TRANSITO - CONDIÇÕES
DO MOTORISTA - CONDIÇÕES DE CONDIÇÕES NEGATIVAS DO
ILUMINAÇÃO - CONDIÇÕES TRÂNSITO:
ATMOSFÉRICAS. Horário (rush); Dia da semana; reinicio de au-
las; trechos de vias pública; tipos de veículos;
velocidades.
Para o motorista ao dirigir, estas 6 condições
poderão ser positivas ou negativas. Vale res- CONDIÇÕES NEGATIVAS DE ILU-
saltar que o aparecimento delas não ocorre iso- MINAÇÃO:
ladamente, a não ser em alguns casos. Na gran- Luz natural (sol ofuscamento); luz artificial (luz
de maioria dos acidentes, encontraremos três, alta de veículos).
quatro ou mais condições, influenciando o CONDIÇÕES NEGATIVAS DO
motorista. MOTORISTA:
Vamos fazer uma análise das condições: Fadiga; falta de experiência; sonolência; distra-
ção; mal-estar; falta de habilidade; alcoolismo;
CONDIÇÕES NEGATIVAS DO estado emocional (alegria ou tristeza) ; falta de
VEÍCULO: conhecimento da estrada.
Freio desregulado ( puxando para um lado, ou
não segurando o necessário; pneus lisos; defi- Tente fazer uma montagem, imaginado estes
pontos citados, uma ocorrência com os pontos
negativos de cada condição e veja qual será
realmente o final desta estória.

48
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Formas mais comuns de acidentes no lar I


NA COZINHA água e sabão, para verificar se há algum vaza-
Só coloque cortinas na cozinha se elas ficarem mento; se houver, acione logo a distribuidora.
longe do fogão. Quando em desuso (noite/viagens), fechar o
registro.
Nunca encha demais a panela de pressão. Um
dos maiores perigos é o entupimento da válvu- A troca do botijão é um processo simples, po-
la de segurança. rém, é importante observar que nenhuma ferra-
menta poderá ser usada.
Panela sobre o fogão, com os cabos virados
para fora ou com cabos frouxos oferece perigo Vazamento de gás, além de matar pela toxicidade,
imediato. pode gerar um incêndio quando for aceso um
fogo, ou pela faisca gerada pelo liga/desliga de
Panela de pressão sem devidos cuidados, sem
interruptores elétricos.
a válvula de segurança, certamente explodirá.
Se acionarmos o gás do forno antes de termos
Verificar a borracha vedadora da panela de pres-
o fogo, o acúmulo de gás na câmara do forno
são, pois havendo escapamento de pressão; o
poderá gerar uma explosão quando em contato
vapor causará queimaduras. Observar se há
com o fósforo.
água suficiente, caso contrário a pressão cau-
sada pelos gases do alimento queimado causa- Forno quente, recipientes aquecidos ou a gre-
rá uma explosão da mesma. lha são uma arma contra as crianças.
Cozinha não é local de reunião familiar. Observar se o ruído do motor da geladeira está
excessivo ou gerando muito calor. Isto poderá
O uso adequado do liqüidificador requer ob-
levá-la a travar, gerando um curto-circuito e até
servar as condições do motor, tomadas e fios.
um incêndio.
Se colocarmos algo muito resistente para
liquidificar, poderá travar e, se tentarmos Evitar geladeiras muito próximas ao fogão,
destravá-lo com as mãos, os ferimentos pode- podendo ocasionar algum acidente.
rão ser graves. Quando viajarmos ou nos ausentarmos por
Observar se o botijão de gás está em lugar se- muito tempo de casa, devemos desligar nossa
guro, de preferência na parte externa da casa. geladeira.
Testar a válvula do botijão com a utilização de

49
Formas mais comuns de acidentes no lar II
COM CRIANÇA de; desde cedo, porém, procure educar a crian-
Armas representam atração irresistível para um ça, chamando-lhe a atenção para os perigos que
“ bang-bang “ infantil. Devem ser guardadas essas brincadeiras representam.
descarregadas. Todo ferimento, por pequeno que seja, deve
Botões, alfinetes, brincos e outros objetos pe- ser imediatamente desinfetado. Habituar a cri-
quenos poderão ser perigosos, quando próxi- ança a procurar os pais para tratá-lo, pois pode
mos de crianças. haver perigo de tétano. Em casos de quedas,
pontapés, pauladas, desconfiar sempre da exis-
Toalhas pendentes da mesa representam séria
tência de fraturas. Traumatismos do crânio de-
tentação para a criança que está começando a
vem ser objetos da máxima atenção.
andar.
Tenha certeza de que nenhum objeto pesado
Facas pontiagudas, latas abertas, objetos cor-
ou algum móvel ou a escada de mão cairá sobre
tantes deverão ficar longe do alcance das cri-
a criança, caso ela tente puxá-los ou subir neles.
anças.
Cuidado com os tanques de lavar roupa pré-
Janelas e áreas de prédios de apartamentos de-
fabricados: se não estão bem cimentados, po-
vem ser protegidas por grades de segurança.
dem cair sobre a criança, se esta tentar subir
Portas e portões fechados diminuirão a proba- neles.
bilidade de a criança “escapar” intempestiva-
Não permita brincadeiras junto a pilhas de tá-
mente para a rua.
buas, barrotes, sacos e caixas. Os acidentes por
Soda cáustica, água sanitária, cal e outras subs- desmoronamento de pilhas quase sempre são
tâncias corrosivas devem ser colocadas nas pra- fatais.
teleiras mais altas do armário.
Não permita soltar papagaio perto de fios elétri-
Saco plástico não é brinquedo - inadvertida- cos. A corrente pode vir através da linha do
mente colocado na cabeça, pode levar à morte papagaio ou o fio elétrico pode se partir e cair,
por asfixia. eletrocutando a criança. Tirar papagaio ou ba-
Procurar o médico ou assistência sempre que lão enroscado no fio elétrico é ainda mais peri-
houver perigo de asfixia por ingestão de obje- goso.
tos, ou espinha de peixe entalados na garganta. Pegar balão que caiu no telhado deve ser proi-
Os recursos caseiros quase sempre são inefica- bido, a menos que haja perigo de incêndio. É
zes para retirada de corpos estranhos, princi- preferível apagá-lo com jatos d’água. Se o te-
palmente dos olhos, da garganta e do aparelho lhado for de chapas de amianto, o perigo de
respiratório. queda por quebra da telha é iminente; até o peso
Plantas ornamentais enfeitam e dão graça ao lar de um menino pode quebrá-la.
- é bom verificar se entre elas não existem as As crianças devem ficar longe das ribanceiras e
que são venenosas e intoxicantes. barrancos, pois, ou estarão sujeitas a quedas,
Atirar pedras e brincar com paus é instintivo ou ao deslizamento deles, ficando soterradas.
até certa idade. É difícil controlar essa ativida-

50
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

QUEDAS Cantos escuros mal iluminados favorecem que-


As janelas em andar superior, sem grades de das.
proteção, oferecem o terrível perigo de uma Nos casos de troca de lâmpadas, ou alcançar
queda e conseqüências graves. objetos nas alturas, será sempre necessário o
A colocação de móveis permitindo a escalada uso de escada, mas antes é bom verificar suas
até uma janela tem sido o caminho para o hospi- condições.
tal. Brinquedos e utensílios espalhados têm sido a
A falta de corrimão e a falta de apoio, logo, as causa de quedas, por isto é bom ensinarmos às
quedas acontecerão. crianças que conservem as passagens livres.
Em um apartamento ou casa de andares, as gra- Em chão liso e molhado, termos a preocupação
des deverão ser para proteger de quedas. É im- de pisar firme e com cautela.
portante a avaliação do tipo de grade, pois se ENVENENAMENTOS / INTOXI-
elas forem fixas e de difícil desmontagem, esta- CAÇÕES
remos presos, pois aquela janela que poderia Medicamentos diversos (pílulas, tranqüilizan-
ser utilizada como saída de emergência está tes, xaropes, etc.), ingeridos em doses excessi-
obstruída. É bom lembrar que um incêndio po- vas, produzem envenenamentos sérios.
deria exigir esta saída.
Rotule identificando os medicamentos, drogas
Tapetes leves colocados em chão escorrega- e outros produtos que possam ser confundi-
dio, escadas improvisadas, pisos em desnível, dos e trocados.
brinquedos soltos são responsáveis por gran-
de número de quedas.

51
Formas mais comuns de acidentes no lar III
INCÊNDIOS CHOQUE ELÉTRICO
Informe que a grande causa de incêndio no lar é Informe que a eletricidade fornecida às resis-
causada por negligência. tências é de baixa tensão (l10 a 220 volts).
Fumar na cama pode transformar o imprudente Este tipo de tensão pode matar por parada res-
em chama humana. piratória ou cárdio-respiratória.
Cera ou parafina misturadas à gasolina infla- Aparelhos elétricos devem estar fora da toma-
mam-se facilmente. da quando consertados. Desligar a chave geral
Uma leve distração e o ferro ligado pode levar a é o que primeiro deve ser feito.
um incêndio. Tomadas baixas desprotegidas, fios soltos e
O fogo é um atrativo para as crianças e, por descascados podem causar danos graves.
falta de experiência ou noção do perigo que ele Evite sobrecarregar a capacidade do seu reló-
representa, têm sido comuns as notícias dos gio de força.
incêndios provocados por elas. Evite deixar fios descobertos, se eles estiverem
Um palito ainda em chamas, se atirado sobre descascados.
qualquer material inflamável ou combustível, CORTES
completa a receita de incêndio.
Louças e vidros quebrados, lâminas de barbear
Um cigarro mal apagado, ou atirado a esmo, é usadas devem ser imediatamente jogados ao
capaz de provocar um incêndio. lixo, devidamente embrulhados.
Tome o devido cuidado com as velas, pois se Garrafas velhas, tocos de madeira com pregos
não estiverem corretamente presas a uma base aparentes, latas abertas empilhadas no fundo
não combustível, um vento ou o próprio dese- do quintal conduzem a ferimentos cortantes, que
quilíbrio vai queimar a sua casa. Dormir com podem levar ao tétano.
velas e lamparinas acesas, nem pensar.
É sempre bom ter em casa um dispositivo para o
combate ao fogo, tal como extintor e mangueira
ligada à rede de água.

52
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Formas mais comuns de acidentes no lar IV


AFOGAMENTOS caso de cãibra, maré forte, etc., não seremos for-
Não permita natação nas lagoas que se formam tes para nadar até a beira d’água e nos salvar.
com a chuva ou com as enchentes. Em São Criança sozinha na beira d’água é um perigo,
Paulo, a célebre lagoa do Sacomã, panelão aber- pois a mesma não tem noção do risco, e geral-
to num barreiro para fazer tijolos e telhas, afo- mente é arrojada para se lançar à água, sem
gou tantos meninos que precisou ser esvaziada prever o perigo que corre.
pelo Corpo de Bombeiros, a fim de evitar maior No caso de entrarmos durante a digestão na
número de mortos. água fria, deve ser conhecido por todos o pro-
Praias mansas - nem sempre são seguras; pode blema que poderá sobrevir, a congestão, à qual,
haver correntezas traiçoeiras. Em praias onde talvez, não se consiga sobreviver.
houver serviço de salvamento, só permitir o MÓVEIS
banho dentro das balizas. Se os móveis estiverem colocados de forma a
Natação em rios e riachos é outra fonte de mor- obstruir a locomoção, corremos o risco de so-
tes de meninos em idade escolar, e muita gente frer lesões diante de uma passagem apressada
adulta tem desaparecido nos redemoinhos que ou por má iluminação.
se formam nas correntezas dos rios. Os móveis existem para acondicionar roupas e
Um palmo d’água é suficiente para afogar um objetos. Se sobre eles colocarmos objetos, uma
bebê. Cuidado com as bacias, tanques, banhei- criança ou mesmo adulto, na tentativa de pegar
ras e lagos ornamentais dos jardins. esses objetos, poderá fazê-los cair sobre o corpo
Poço deve ser coberto permanentemente e a e pés, com possíveis ferimentos.
cobertura deve ser resistente para não quebrar. Uma tampa de móvel lascada é a receita para
Cair no poço é acidente freqüentíssimo em São cortes e ferimentos.
Paulo, de que são vítimas até animais de grande
BANHEIRO
porte.
Observar se existem vazamentos de água.
Represas - São perigosas pois, de repente, falta
o pé, devido a uma pirambeira que está coberta Um chão molhado sempre foi a receita para
pelas águas. quedas e fraturas.
Devemos respeitar a água, por desconhecimen- Banheiras: se o acesso não permitir a utilização
to de sua força. de corrimão, as quedas poderão ser fatais.
Sem preparação física para a prática de natação, Durante o banho, nada mais desagradável e
estamos pondo em risco a nossa vida, pois, no perigoso que um choque elétrico. O fio-terra
elimina esse risco.

53
Formas mais comuns de acidentes no lar V
HIGIENE As conservas (enlatados), deverão ser obser-
Se você não cuidar dos seus dentes, as bactéri- vadas tanto no aspecto da lata, quanto ao dos
as vão cuidar para você. Você vai ter cáries e alimentos antes de usá-los.
sentir dor quando tomar algo gelado. Se não Se estiver em tratamento médico, ou tomando
tomar diariamente os cuidados necessários, algum remédio, questione se existe impedimen-
seus dentes certamente vão ficar estragados. to de misturar com algum tipo de comida ou
Se não escovar os dentes pelo menos três ve- bebida.
zes por dia, ficará com mau hálito. Não permita que crianças e animais de estima-
Como escovar: ção tenham contato com o lixo.
ü Escove bem a linha onde a gengiva se en- Cacos de vidro ou latas cortadas devem ser
contra com o dente. Escove também a parte embrulhados antes de colocar no lixo, para evi-
da frente de todos os dentes, fazendo o mo- tar ferimentos próprios e nos lixeiros.
vimento circular. Quando deparar com um ferimento, este deverá
ser bem lavado, com água e sabão, e desinfeta-
ü Agora escove o lado de trás dos dentes
do. Se verificar que se trata de um ferimento
(aquele que você encosta a língua), varren-
profundo ou extenso, não hesite em levar o fe-
do tudo.
rido ao posto médico mais próximo.
ü Em cima dos dentes (a parte onde você mor- ANIMAIS DOMÉSTICOS
de) passe a escova para frente e para trás,
Um animal mal cuidado higienicamente poderá
para a direita e para a esquerda. Por último,
ser o causador de doenças.
escove a língua, varrendo todas as bactéri-
as. Mas não se esqueça: há lugares que a Um animal é bastante atrativo para as crianças,
escova não atinge. Por isso, sempre que você porém, se as brincadeiras que fizerem com ele
escovar os dentes, use o fio dental. forem incômodas a ponto de irritá-lo, o animal
Quando escovar: poderá agredir.
Assim como cuidar do animal em termos de hi-
ü Assim que levantar da cama. giene, faz parte dos cuidados a vacinação.
ü Depois do almoço. Um pequeno animal poderá transformar-se em
ü Depois do lanche ou de comer doces. um obstáculo dentro de casa, causando que-
das e ferimentos.
ü Antes de dormir.
Um animal bem cuidado denota a estimação que
Não deixe de lavar bem os alimentos antes de lhe temos, porém, se ele for prejudicial à nossa
usá-los. saúde e à nossa segurança, não precisamos dele.
Verifique a data de validade dos alimentos pe-
recíveis.

54
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Formas mais comuns de acidentes no lar VI


PRODUTOS QUÍMICOS / REMÉ- FERRO ELÉTRICO
DIOS Verificar se o ferro elétrico está em funciona-
Os produtos químicos, geralmente utilizados mento normal, pois se sua tomada estiver com
para limpeza, e os remédios devem ser deixados fio solto ou mal ligado, estamos sujeitos a so-
em lugar seguro e trancados fora do alcance de frer um forte choque elétrico.
crianças. Se substituirmos o descanso do ferro elétrico
Os rótulos dos produtos químicos apresentam por um material combustível, o mesmo, ao es-
as providências a serem tomadas no caso de quentar, poderá provocar um incêndio.
ingestão ou contato com a pele. Se o inespera- É comum colocarmos o ferro ainda quente, para
do acontecer, devemos cuidar, conforme ins- esfriar no chão. É bom evitar este procedimen-
truído, para que o acidente não seja mais grave to, pois é perigoso para adultos e crianças que
ainda. não sabem que ele está quente, podendo sofrer
É normal a existência de aviso para que não queimaduras. Também há perigo, se o piso for
utilizemos os recipientes de um produto para de madeira, de que o aquecimento do ferro cau-
guardarmos outro. se fogo na casa.
Um remédio com a validade vencida, além de Lembrar sempre que, ao desligar o ferro, deve-
não resultar no efeito esperado, poderá se trans- mos fazê-lo de forma correta, ou seja: primeiro
formar em veneno. no próprio ferro e depois na tomada, puxando a
tomada com cuidado para que não se solte
nenhum fio.
É importante que, em qualquer situação, nunca
deixemos o ferro elétrico ligado, pois é perigo-
so causar um incêndio.

55
O que os olhos não vêem... o pulmão aspira
Nas muitas atividades de trabalho, existem inú- COMO IDENTIFICAR UM BOM RESPIRA-
meros a microscópios contaminantes que ficam DOR:
suspensos no ar. Muitas vezes , eles são tóxi- - CONFORTO - Considerando que o trabalha-
cos, e, consequentemente, prejudiciais à saúde. dor poderá utilizar o respirador até 8 horas por
QUAIS OS CONTAMINANTES PRESENTES dia, é de fundamental importância que seja leve,
NAS INDÚSTRIAIS? sem machucar o rosto do usuário;
O ar que respiramos é composto de 21% de oxi- - SELAGEM - Deve ajustar bem a face do usuá-
gênio, 78 % de nitrogênio e 1% de outros ga- rio, protegendo contra as partículas a gases tóxi-
ses. Certo? Já não foi falado a esse respeito? cos que podem estar presentes no ambiente;
Nesta combinação, estes gases mantêm a vida. - FÁCIL UTILIZAÇÃO - Respiradores de ma-
Porém, quando outras substâncias estiverem nuseio complicado desestimulam e dificultam a
presentes, o trabalhador estará sujeito a irritação, utilização freqüente;
intoxicação, asfixia, narcose, podendo levá-lo à - DIFICULDADE NA MANUTENÇÃO - Respi-
morte. radores compostos de muitos elementos e pe-
QUAIS SÃO OS AGENTES QUE PODEM RE- ças reposicionáveis necessitam de cuidados
PRESENTAR ESTAS CONDIÇÕES DE RISCOS freqüentes e prejudicam a qualidade e eficiên-
PARA O NOSSO APARELHO RESPIRATÓ- cia do EPI, se a manutenção não for bem feita;
RIO? - FÁCIL COMUNICAÇÃO - Um bom respira-
POEIRAS - São formadas quando um material dor permite, durante sua utilização uma clara e
sólido é quebrado, moído ou triturado. fácil comunicação, sem que seja necessário
FUMOS - ocorrem em operações de fusão em retirá-lo do rosto.
altas temperaturas, com materiais plásticos ou - EFICIÊNCIA - A qualidade do elemento filtrante
metálicos, como soldagem e fundição. é muito importante para que ocorra a proteção
NEBLINAS ou NÉVOAS - são encontradas em respiratória, bem como o uso do respirador apro-
operações de pintura quando os líquidos são priado para cada situação e contaminante.
pulverizados. CUIDADOS:
GASES E VAPORES - São contaminantes pre- - Não suje, nem danifique a parte interna, a qual
sentes no ar, que por serem minúsculas partícu- ficará diretamente em contato com a boca e o
las, passam pelos pulmões, depositam-se na nariz;
corrente sangüínea e podem chegar ao cérebro, - Não deixe sobre equipamentos e lugares su-
rins e outros órgãos. jeitos a poeiras ou sujeiras;
Os vapores ocorrem através da evaporação de - No intervalo ou ao final do trabalho, guarde o
líquidos ou sólidos, tais como: Gasolina, que- respirador em saco plástico e coloque-o em lu-
rosene, solvente de tintas, etc. gar apropriado (gaveta, armário, etc);
COMO SE PROTEGER DESTES CONTAMI- - Quando sentir dificuldades na respiração, chei-
NANTES - Através de EPI, respiradores, más- ro ou gosto do produto com que estiver traba-
caras com filtros adequados que atraem e retém lhando, isto indica que é hora de trocar o respi-
os contaminantes suspensos no ambiente de rador;
trabalho.
- Para qualquer dúvida ou informação adicio-
nal, procure o técnico de segurança.
56
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

O que é acidente de trabalho


Para entendermos o que é acidente do trabalho, nente ou temporária, da capacidade para o tra-
necessário se faz compreender primeiramente o balho?
que é, simplesmente, acidente. No caso, lesão corporal ou perturbação funcio-
O QUE VEM A SER ACIDENTE? nal refere-se aos efeitos de qualquer tipo de
Numa conceituação mais ampla, ACIDENTE é acidente que prejudique a integridade física ou
toda ocorrência não desejada que modifica ou mental do trabalhador e que possa causar a per-
põe fim ao andamento normal de qualquer tipo da, ou redução permanente, ou temporária, de
de atividade. Pode-se qualificar como acidente sua capacidade para o trabalho, que exercia
uma interrupção no fornecimento de energia normalmente antes do acidente.
elétrica. O QUE É REDUÇÃO PERMANEN-
O QUE VOCÊ CONCLUI? TE DA CAPACIDADE DE TRABA-
Portanto, o acidente pode ocorrer em qualquer LHO?
lugar: em casa, na rua, na prática de esportes, Ocorre quando o trabalhador , devido a uma
numa viagem e, principalmente, no trabalho ou lesão grave, tem reduzida, para sempre, sua ca-
em função deste. pacidade de trabalho no desempenho de sua
Para que possa ficar bem entendido, em termos antiga função ou quando, ainda, devido ao tipo
de acidente dentro da empresa, existe um ampa- da lesão, ele se torna incapacitado para qual-
ro legal, que é definido na lei n.º 8.213, “ACI- quer outro tipo de trabalho: Ex. Perda das duas
DENTE TRABALHO É AQUELE QUE OCOR- vistas, de um braço, mão etc.
RER PELO EXERCÍCIO DO TRABALHO A E A REDUÇÃO TEMPORÁRIA DA
SERVIÇO DA EMPRESA, PROVOCANDO LE- CAPACIDADE DE TRABALHO?
SÃO CORPORAL OU PERTURBAÇÃO FUN- Consiste na perda da capacidade para o traba-
CIONAL QUE CAUSE A MORTE OU PERDA lho por um tempo determinado (menos de um
OU REDUÇÃO, PERMANENTE OU TEMPO- ano), permanecendo afastado de sua função,
RÁRIA DA CAPACIDADE PARA O TRABA- segundo orientação médica. Ex.: Queimou o bra-
LHO”. ço e afastou-se por 2O dias.
COMO INTERPRETAR?
O acidente do trabalho é considerado como tal RESUMINDO - para ser considerado ACIDEN-
quando ocorrer nas seguintes circunstâncias: TE DE TRABALHO, O TRABALHADOR
pelo exercício do trabalho a serviço da empre- DEVE: Estar exercendo um trabalho, a serviço
sa. da empresa, e ocorrer uma lesão que o afaste
Lesão corporal ou perturbação funcional que por algum tempo ou para sempre de sua antiga
cause a morte, ou perda, ou redução, perma- função.

57
Aspecto humano do acidente do trabalho
O acidente prejudica a integridade física do tra- E NO ASPECTO SOCIAL COMO
balhador. SE ENQUADRA O ACIDENTE DO
As conseqüências dos acidentes, quando en- TRABALHO?
volvem o trabalhador, são muito mais desastro- No que diz respeito ao aspecto social, o aciden-
sas e evidentes, pois, dependendo de seu grau te do trabalho se constitui causa ou uma das
de intensidade, por mínimos que eles sejam, causas agravantes dos problemas sociais já exis-
sempre requerem cuidados especiais no tocan- tentes, uma vez que suas conseqüências au-
te a readaptação do homem ao trabalho e, num mentam o índice de pessoas marginalizadas na
sentido mais amplo, dependendo do tipo da le- sociedade. Por exemplo, vários acidentados por-
são física, a sua reintegração na própria socie- tadores de lesões que os tornaram permanente-
dade. mente incapacitados para qualquer tipo de tra-
ASPECTO SOCIAL balho e agravaram um problema social. Esse fato
Em referência a este aspecto, deve-se cogitar dá origem a outro problema, a redução dos ven-
das conseqüências que, advindas dos aciden- cimentos, o que obriga a baixar o padrão de
tes do trabalho, se constituem num agravante vida mantido até então. Esse acontecimento
dos problemas sociais já existentes. Como o poderá originar tipos de comportamento
objeto desta análise é o acidente de trabalho e desajustado das pessoas da família do aciden-
suas conseqüências sociais, deve-se estudar o tado, na ação dirigida para manter o padrão de
mesmo visando dois aspectos: vida a que estavam acostumados ou, mesmo,
- o acidente do trabalho como efeito; na luta pela sobrevivência. Tais comportamen-
tos, dependendo de sua proporção, passam a
- o acidente do trabalho como causa.
ser consideradas com um problema social. A
QUANDO CONSIDERAR O ACI- extensão e proporção das conseqüências não
DENTE DE TRABALHO COMO tem dimensões. Mas, o importante para todos
EFEITO? nós aqui reunidos é que devemos inteirar des-
Quando ele resulta de uma ação imprudente ou sa realidade, interessando-se pela aplicação
de condições inadequadas, isto é, quando resul- correta das medidas de prevenção do acidente,
ta da inobservância das normas de Segurança. para não tornarmos vítimas desta realidade.
QUANDO CONSIDERAR O ACI-
DENTE DE TRABALHO COMO
CAUSA?
Quando se tem em vista as conseqüências dele
advindas.

58
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Aspecto econômico do acidente de trabalho


Um dos fatores altamente negativos, resultan- cendo com a danificação de máquinas, equipa-
tes dos acidentes do trabalho, é o prejuízo eco- mentos, perda de materiais etc. Outro tipo de
nômico, cujas conseqüências atingem o traba- prejuízo econômico refere-se ao acidente que
lhador, a empresa, a sociedade e, numa concep- atinge o trabalhador variando as proporções
ção mais ampla a própria nação. quanto ao tempo de afastamento do mesmo,
POR QUÊ? devido a gravidade da lesão.
Apesar de toda a assistência e das indeniza- As conseqüências podem ser, dentre outras: a
ções recebidas por ele ou seus familiares atra- paralisação do trabalho por tempo
vés da Previdência Social, no caso de acidentar- indeterminado, devido a impossibilidade de
se, os prejuízos econômicos fazem-se sentir na substituição do acidentado por um trabalhador
medida em que a indenização não lhe garante treinado para aquele tipo de trabalho e, ainda, a
necessariamente o mesmo padrão de vida man- influência psicológica negativa que atinge os
tido até então. E, dependendo do tipo de lesão demais trabalhadores e que interfere no ritmo
sofrida, tais benefícios, por melhores que se- normal do trabalho , levando sempre a uma gran-
jam, não repararão uma invalidez ou a perda de de queda da produção.
uma vida. FINALIZANDO
E PARA EMPRESA? Imagine o custo para o País e pensar que pode-
Os prejuízos econômicos derivados dos aciden- ria ser utilizado para habitação, saúde, educa-
te variam em função da importância que ela de- ção e segurança. Queiramos ou não, somos di-
dica à prevenção de acidentes. A perda ainda retamente responsáveis por esse ônus, quan-
que de alguns minutos de atividade no traba- do somos envolvidos em algum tipo de aciden-
lho traz prejuízo econômico, o mesmo aconte- te e indiretamente quando poderíamos ter feito
algo pela prevenção de acidente e não o fize-
mos.

59
Comunicação de acidente de trabalho
Quando um empregado é acidentado, é respon- mento é obrigatório por Lei, até o primeiro dia
sabilidade da Empresa providenciar para que útil após o acidente. Se ocorrer a morte do fun-
ele receba imediatamente socorro de urgência. cionário, a comunicação deve ser feita também
A empresa comunica o acidente ao INSS por a autoridade policial. A frente do CAT deve ser
meio de um impresso “Comunicação de Aci- preenchida corretamente, pela Empresa.
dente do Trabalho “ C.A.T. O seu preenchi-

60
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

61
Os pés
Os pés são um ponto bastante vulnerável e bas- romper-se e sem deformar-se, de maneira a por
tante propício aos acidentes do trabalho. em risco a segurança do usuário.
O chão sobre o qual eles se deslocam freqüente- É importante, ainda que o calçado de seguran-
mente é irregular. Sua superfície pode ser áspera ou ça seja confortável. A grande maioria dos em-
lisa e escorregadia. Pode estar seca ou molhada. E pregados trabalha em pé e uma forma anatômica,
quase sempre existem objetos pérfuro-cortantes que permita a liberdade de movimentos, sem
(pregos, rebarbas metálicas, etc.). pontos de tensão e compressão é fundamental
Com relação às superfícies de trabalho, deve- para permitir um desempenho satisfatório do
se escolher um calçado que tenha um solado trabalhador durante a jornada de trabalho.
adequado, isto é, projetado de maneira a impe- Observe as condições do seu calçado, pois es-
dir que algum dano possa afetar o usuário, como tando em mau estado, logicamente maltratam
por ex., um solado de PVC com um desenho seus pés. Dê uma olhada em seu calçado, veri-
antiderrapante para tarefas em locais escorre- fique se está com a sola gasta (perigo de escor-
gadios. regar), a sola furada ou as laterais tortas. Se
O ponto crítico da proteção dos pés, no entan- estiver, requisite um novo para a proteção dos
to é a biqueira do calçado de segurança, a gran- seus pés. Lembre-se que os sapatos são testa-
de maioria dos acidentes com os pés ocorre por dos para durar no mínimo 6 meses. Mas caso de
choque contra obstáculos, na parte dianteira não durarem, procure o técnico de segurança.
dos calçados que podem ocorrer devido: Ele autorizará a retirada de um novo.
a) Surgimento de um obstáculo imprevisto à Calçados limpos dão uma melhor aparência.
frente do trabalhor-degrau, canto vivo, etc.; Tenha-os bem engraxados para proteger o cou-
b) Queda de um corpo sobre o pé – martelo, ro. Caso venha a molhar, enxugue-os longe do
uma carga, etc.; calor.
c) Pressão estática sobre o pé, como a passa- Procure cuidar dos seus pés. Qualquer anorma-
gem de uma roda de vagão, locomotiva, ca- lidade, procure um médico porque os seus pés
minhão ou empilhadeira, etc.. trabalham com você.
Portanto, a biqueira deve ser resistente. Sendo Lembre-se, existem muitas maneiras de destruir-
de aço, este material deverá ser temperado de mos nossos pés e artelhos. Mas, só existe uma
forma que ofereça uma rigidez que suporte ele- maneira excelente de protegê-los, USANDO
vadas cargas, mas, ao mesmo tempo, flexibili- CALÇADOS DE SEGURANÇA.
dade para resistir a um choque dinâmico sem

62
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Iluminação
FATORES QUE DEVEM SER CONSIDERADOS do ocasionar acidentes;
PARA UMA BOA ILUMINAÇÃO ü Cores adequadas – as cores escolhidas para
ü Qualidade das lâmpadas; um ambiente não podem ofuscar a vista do
ü Tipos das lâmpadas; trabalhador, devido a refletência. Deve-se ob-
servar cuidadosamente as cores dos tetos,
ü Quantidade das lâmpadas; paredes, pisos, máquinas, etc..
ü Não alterar as luminárias conforme posicio- Caso não sejam observados, pode ocorrer:
namento do projeto; Má conduta dos trabalhadores
ü Limpeza nas lâmpadas, evitando acúmulos - falta de atenção;
de poeiras depositadas, além de reduzir a - perda do interesse, resultando em: falta de
vida útil, vai fatalmente diminuir a intensida- cuidado, problemas de disciplinas;
de do fluxo luminoso; - redução da capacidade de trabalho: falta de
ü Somente substituir as lâmpadas por igual in- precisão, má qualidade, inutilização de mate-
tensidade. Ex.: substituir uma lâmpada por rial, quebra de equipamentos e máquinas.
igual – 60W; Perigo à saúde e diminuição da segurança:
ü Substituir imediatamente as lâmpadas quei- - enfraquecimento da visão;
madas, evitando descontinuidade no fluxo - nervosismo;
luminoso; - dor de cabeça;
ü Tomar cuidado com a colocação de globos, - tontura,
apesar de embelezar os ambientes, pode di- - acidentes – ferimentos, quedas devido a tro-
minuir a intensidade do fluxo luminoso; peções em obstáculos não vistos.
ü Distribuição e localização – as luminárias A iluminação pode ser:
devem ser dispostas no ambiente de forma a) Natural – através dos raios solares, através
adequada. E localidades de forma a não criar de vidraças, portas e janela;
sombras ou contrastes nos locais onde se
b) Artificial – através de lâmpadas elétricas, sub-
objetiva trabalhar;
dividindo-se em:
ü Variação brusca do nível de iluminamento - a GERAL – quando ilumina todo ambiente de tra-
diferença acentuada entre os níveis de balho, estando afastado do trabalho;
iluminamento de dois locais de trabalho, ou
SUPLEMENTAR – quando além da iluminação
em dois ambientes pode ocasionar proble-
geral, existe a iluminação objetivando certas
mas. Ex.: em um corredor cujo nível de
operações que necessita precisão.
iluminamento é de 100 lux, passa para outro
ambiente com 2.000 lux, por alguns instantes Sempre que possível, deve-se dar prioridade
a visão fica sensivelmente reduzida poden- para iluminação natural.

63
As mãos
A mão, composta de um grande número de Como abriríamos uma porta?
ossículos (27), de tendões, de nervos, compre- Como poderíamos amarrar os cordões dos nos-
ende uma rica rede sangüínea necessária ao seu sos calçados, abotoar a camisa, tocar um ins-
alto nível de atividade. Todos esses elementos trumento musical, digitar um computador, ou
formam um conjunto bem definido que contri- aplaudir uma acontecimento que mereça?
bui para harmonia de seu movimento, de sua Difícil, não?
sensibilidade e de sua destreza.
É claro que nem todas as lesões na mão impli-
O contato permanente com o mundo exterior e cam em uma amputação total, mas mesmo a imo-
o grande número de agentes agressivos a que é bilização temporária de um dos dedos já traz
submetida e sua diversidade de ação, torna-a certa dificuldade.
frágil e vulnerável, advindo daí um grande nú-
Alguns procedimentos que merecem a nossa
mero de acidentes.
atenção:
Qualquer que seja a causa de um acidente, sua
gravidade não é somente função... mas também, ü Não opere nenhuma máquina e equipamento
infelizmente, da profissão do indivíduo, pois a sem conhecê-la bem;
perda de uma certa sensibilidade ou de uma certa ü Verifique se a máquina possui proteções ne-
destreza pode causar uma simples dificuldade cessárias para proteção de nossa integrida-
ou trazer sérias conseqüências a exemplo de de física;
amputações.
ü Engrenagens, polias, correias e o próprio
Apesar de toda a técnica desenvolvida para ponto de operação representam perigo;
substituir o homem pela máquina e de mecani-
zar ao máximo as operações manuais, o homem ü Às vezes, a proteção foi retirada e esquece-
e suas mãos continuarão todavia sendo indis- ram de recolocar no lugar. Providencie sua
pensáveis, expondo-se, portanto, a inúmeros reposição;
riscos, como podemos destacar: golpes, cor- ü Antes de lubrificar, engraxar, limpar, ou ajus-
tes, abrasões, substâncias químicas, queima- tar, certifique-se de que esteja desligada e
duras, choque elétrico. travada;
Por isso é importante protegê-las. ü Os anéis, relógios e pulseiras são um perigo
Após um grave acidente não há segunda junto à máquina, quando estiver manipulan-
chance. do materiais;
As mãos são os olhos dos cegos e a voz dos ü Nunca limpe as limalhas com as mãos, use
mudos. uma escova;
Elas servem para trabalhar, para julgar e expres-
ü Mantenha os seus dedos, fora de perigo ao
sar emoções, sem as mãos as atividades huma-
deixar objetos pesados;
nas estariam limitadas em grande parte, mais do
que poderíamos imaginar. ü PENSE NA IMPORTÂNCIA DE SUAS
Como poderíamos escovar os dentes? MÃOS E PROTEJA-AS.

64
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Ruído
Em nossa vida diária, seja em casa, no trabalho, Efeitos ao organismo – estreitamento dos va-
seja viajando ou nos divertindo, existem inú- sos sangüíneos; aumento da pressão arterial;
meras situações nas quais estamos expostos ansiedade; tensão; insônia; problemas digesti-
ao barulho. O trabalho, na maioria das vezes se vos (úlceras, gastrite); problemas cardíacos.
apresenta como situação mais perigosa em fun-
ção das muitas máquinas e equipamentos rui- Efeitos à audição:
dosos e do tempo considerável que passamos
Trauma acústico – é a perda auditiva repentina
sob estas condições.
causada por barulhos de impacto como explo-
O barulho é um som prejudicial à saúde humana sões;
porque causa sensação desagradável e irritan-
Perda auditiva temporária – ocorre após expo-
te, que depende de alguns fatores:
sição a barulho intenso, mesmo por curto perí-
1. Depende da freqüência e intensidade – a fre- odo de tempo. A audição volta ao normal após
qüência em Hertz e a intensidade em decibéis; algum tempo;
2. Tempo de exposição – quanto maior o tempo Perda auditiva permanente – ocorre pela expo-
exposto, maior perigo; sição repetida, durante longos períodos, à ba-
3. Tipo de barulho – contínuo (sem parar); in- rulhos de alta intensidade. É irreversível, por-
termitente (ocorre de vez em quando) ou de que destrói as células auditivas.
impacto (ocorre de repente);
4. Distância da fonte – quanto mais próximo, SINAIS DE PERDA AUDITIVA
maior risco;
- zumbidos ou sons estranhos no ouvido. São
5. Sensibilidade Individual – varia em função notados, geralmente depois do período de
da idade e das resistência do organismo de trabalho, em ambientes silenciosos ou ao
cada pessoa; dormir.
6. Lesões no ouvido – problemas anteriores no - Incapacidade de ouvir sons baixos ou de alta
ouvido (infecções e inflamações). freqüência.
- Dificuldade em ouvir e entender uma conver-
Efeito do barulho à saúde: sa ou falar ao telefone.
Efeitos no trabalho – problemas de comunica- - Os sons são ouvidos de forma abafada.
ção; baixa concentração; desconforto; cansa-
ço; nervosismo; irritação; baixo rendimento;
COMO PREVENIR
perdas de reflexo.
De imediato, fazer uso contínuo de EPI – Prote-
tor auricular. Demais procedimentos devem ha-
ver considerações técnicas.

65
Sobre o acidente
ACIDENTE – é um acontecimento não progra- ACIDENTE COM AFASTAMENTO – É aquele
mado que interfere no andamento normal do no qual o empregado sofre lesão que o impos-
trabalho ou em qualquer atividade. sibilita de retornar às suas atividades no dia
seguinte. Ficam afastados do trabalho por um
ACIDENTE NO TRABALHO – é o que ocorre tempo determinado. O dia do acidente é consi-
pelo exercício do trabalho a serviço da empre- derado como dia trabalhado.
sa, provocando lesão corporal ou perturbação
funcional que cause a morte, perda, redução O acidente com afastamento divide-se em redu-
permanente ou temporária da capacidade para ção temporária e redução permanente, da capa-
o trabalho. cidade de trabalho.

Pois bem, o acidente de trabalho pode ser: REDUÇÃO TEMPORÁRIA – O acidentado fica
um tempo afastado e retorna às suas atividades
ACIDENTE PESSOAL – Causa ferimento ou normais;
lesão no empregado e/ou seu afastamento do
trabalho. REDUÇÃO PERMANENTE – O acidentado tem
reduzida para sempre sua capacidade para o tra-
O QUE ISTO QUER DIZER? Que pode ocorrer balho, podendo ser redução permanente parci-
acidente sem afastamento e com afastamento al (perda de uma vista) ou redução permanente
do trabalho. total (perda das duas vistas).

ACIDENTE SEM AFASTAMENTO – É aquele CONTAGEM DOS DIAS PERDIDOS – Quando


no qual o empregado sofre uma lesão, que a o empregado, devido a sua lesão, obriga-se a
critério médico, não o impede de retornar ao ficar em casa ou no hospital, os dias corridos
trabalho no mesmo dia ou no dia seguinte. Não são contados no dia posterior ao acidente até a
há perdas de dias de trabalho. sua volta, através da alta do médico. Contando
com isto os feriados, sábados e domingos.

66
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Inspeção de segurança
MAS POR QUE FAZER INSPEÇÃO? Indepen- Lembrar do ato e da condição insegura. Es-
dente de área, há milhares de coisas que em tes são os elementos fundamentais, que de-
algum momento desgastam (mangueiras, cabos, vemos eliminar.
ferramentas, escadas, etc.). O uso e desgaste 2.º passo – através de um impresso próprio ou
normais podem ocasionar uma deterioração gra- “check-list”, identificar registrar todas as ir-
dual que pode ser descoberta antes que se pro- regularidades constatadas.
duza um dano pessoal, um dano à propriedade 3.º passo – encaminhar para a supervisão da
ou uma interrupção do trabalho. Além disso as área inspecionada os dados registrados para
áreas são informadas dos problemas que po- que as não conformidades possam ser solu-
dem afetar de modo negativo as operações da cionadas.
empresa. Portanto, a inspeção é um instrumen-
4.º passo – acompanhar as providências.
to fundamental para se obter um retrato qualita-
tivo e fiel do ambiente de trabalho e, a partir
disto, propor medidas de controle e correção TIPOS DE INSPEÇÃO
cabíveis. Rotina – Faz-se uma vistoria de forma rotineira
para checar as operações, equipamentos, pro-
QUAIS OS OBJETIVOS PRINCIPAIS? curando possibilitar a continuidade operativa
dos processos.
Periódica – Realizada de tempos em tempos,
Remover as interferências na execução das ati-
dirigida às máquinas, equipamentos e instala-
vidades;
ções e procura averiguar alterações nos mes-
Buscar falhas nos processos ou métodos de mos que podem ocorrer após um período de
trabalho que possam alterar a condução normal uso.
da tarefa;
Identificar os riscos no trabalho e no meio am-
Especiais – São aquelas feitas em processos,
biente, de uma forma planejada e orientada, pois
máquinas ou instalações novas de modo a des-
muitos riscos não são óbvios para a maioria
cobrir e eliminar riscos antes do funcionamen-
das pessoas.
to, bem como aquelas onde há suspeita de pre-
sença de substâncias tóxicas e perigosas para
QUEM DEVE REALIZAR? a saúde.
Devidamente orientados pela área de seguran- Muitas vezes o risco está na nossa frente, mas
ça, todos podem realizar uma inspeção: o não observamos. A troca de informações, o di-
supervisor, líder, empregado, membro da Cipa. álogo, empregados de outras áreas inspeciona-
do, com essas medidas, fatalmente estes riscos
COMO REALIZAR? serão vistos e eliminados. Assim caminha a pre-
1.º passo – é identificar o que procuramos. venção de acidentes.

67
A importância de investigar os acidentes
A importância de investigar um acidente ocorri- indiretamente para a ocorrência do acidente?
do é procurar as causas que o determinaram. ü Quando ocorreu? (data e hora)
Quando um acidente ocorre, quer seja grave ou
não, devemos analisá-lo profundamente com o ü Onde ocorreu? (especificando o setor ou se-
objetivo de agir eficazmente no sentido de evi- ção)
tar a sua repetição. ü Quanto tempo de experiência na função ti-
É necessário lembrar que a finalidade de inves- nha o acidentado?
tigar não é a de procurar um culpado ou um ü Pegar depoimento das testemunhas.
responsável, mas encontrar as causas que con-
tribuíram direta ou indiretamente para a ocor- ü Na medida do possível, o acidentado deve
rência do acidente. ser envolvido na investigação do acidente.
O local da ocorrência deve permanecer sem al-
teração, para que as condições do momento IMPORTANTE – O momento melhor e mais
sejam perfeitamente identificadas pela área de oportuno para a investigação é logo após o
segurança e membros da CIPA, acompanhado evento. Quanto menor o tempo entre o aciden-
pelo responsável da área. te e a investigação, mais precisa será a informa-
Até a segurança chegar, o responsável deve ção obtida.
iniciar a coleta de dados que servirão como Geralmente, os depoimentos das testemunhas
ponto de partida para um exame pormenoriza- são mais precisos quando elas não têm tempo
do. de serem influenciadas pela opinião dos outros
Como roteiro básico na investigação, podemos e quando a memória ainda se apresenta clara e
nos valer das seguintes perguntas: detalhada. Quando há demora, as condições
mudam mais rapidamente que as opiniões. A
ü O que fazia o acidentado no momento imedi- única condição que pode atrasar a investiga-
atamente anterior à ocorrência ? ção de um acidente é a necessidade de se pres-
ü Como aconteceu? tar assistência a uma pessoa lesionada ou de
ü Quais foram as conseqüências? evitar um dano maior ao patrimônio.

ü Quais as causas que contribuíram direta ou

68
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Outras situações consideradas como acidente


de trabalho
Equipara-se ao acidente do trabalho o acidente o meio de locomoção utilizado, inclusive ve-
sofrido pelo empregado no local e no horário ículo de propriedade do empregado.
de trabalho, em conseqüência de:
A.Ato de sabotagem ou de terrorismo pratica- ACIDENTE DE TRAJETO:
do por terceiro, inclusive companheiro de tra- No percurso da residência para o trabalho ou
balho; deste para aquela.
B.Ofensa física intencional, inclusive de tercei- No percurso da residência para empresa e vice-
ro, por motivos de disputa relacionada com o versa, durante o intervalo da refeição.
trabalho;
C.Ato de imprudência, de negligência o de im-
Prestem atenção, não se aplica ao acidente so-
perícia de terceiro, inclusive companheiro de
frido pelo segurado que por interesse pessoal
trabalho;
tiver interrompido ou alterado o percurso.
D.Ato de pessoa privada do uso da razão;
Entende-se como percurso o trajeto usual da
E.Desabamento, inundação ou incêndio. residência ou local de refeição para o trabalho,
Em período destinado a refeição, ou por oca- ou destes para aquele.
sião de satisfação fisiológica, no local ou du-
rante este, o empregado é considerado a servi-
AINDA EQUIPARA-SE COMO ACIDENTE DE
ço da empresa.
TRABALHO:
O acidente que ligado ao trabalho embora não
Fora do local e horário de trabalho: tenha sido a causa única, contribui diretamente
A.Na execução de ordem ou na realização de para a morte, a perda ou a redução da capacida-
serviço sob a autoridade da empresa; de para o trabalho.
B.Na prestação espontânea de qualquer servi- A doença proveniente da contaminação aciden-
ço à empresa para lhe evitar prejuízo ou pro- tal de pessoal da área médica, no exercício de
porcionar proveito. Ex.: esqueceu de desli- sua atividade.
gar e energia e retornou a noite, sofreu que- A doença profissional, assim entendida aquela
da causando um ferimento. do trabalho, constante de relação organizada
C.Em viagem a serviço da empresa, seja qual for pela Previdência Social.

69
Critérios para uso e quando usar o EPI
O uso do EPI requer certos critérios nos se- ras e outros EPIs de operação de solda, ma-
guintes aspectos: nipulações de produtos químicos.
IDENTIFICAÇÃO DO RISCO – Constatar a exis- 2. Quando o trabalhador se expõe a riscos ape-
tência ou não de elementos da operação, de nas parcialmente controlado por outros re-
condições de trabalho, ambiente, etc., que se- cursos técnicos: uso de óculos de seguran-
jam ou que possam vir a ser nocivos aos traba- ça em operações de esmerilhamento, mesmo
lhadores. que a máquina disponha dos demais meios
AVALIAÇÃO DO RISCO CONSTATADO – convencionais de segurança; uso de másca-
Determinar a intensidade e/ou extensão do ris- ras respiratórias em cabine de pintura, mes-
co, quanto às possíveis conseqüências para o mo provida de ventilação.
trabalhador e com que freqüência ele se expõe à 3. Em casos de emergência, ou seja, quando a
riscos e quantos estão sujeitos aos mesmos rotina do trabalho é quebrada por qualquer
perigos. anormalidade envolvida: uso de máscaras
INDICAÇÃO DO EPI APROPRIADO – Indicar respiratórias para entrada em compartimen-
o EPI com base nos resultados previamente tos confinados, reparos de vazamentos de
obtidos, ou baseados nos mesmos resultados, contaminantes; uso de luvas para manuseio
efetuar testes e escolher, entre vários o EPI mais de peças agressivas.
aconselhável para solução do problema que se 4. A título precário, em período de instalação,
tem pela frente. reparos ou substituição dos meios que impe-
dem o contato do trabalhador com o produto
Os EPIs são empregados rotineiramente ou ex- ou fator de risco: uso do protetor facial e
cepcionalmente em quatro principais circuns- outros EPIs adequados enquanto não se isola
tâncias, a saber: uma determinada fonte de calor radiante; uso
de luvas para proteção das mãos na manipu-
1. Quando o trabalhador se expõe diretamente a
lação de peças quentes enquanto não se dis-
riscos não controláveis por outros meios téc-
põe de equipamentos para esse manuseio.
nicos: uso de óculos de segurança, másca-

70
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Segurança
SEGURANÇA – É a ausência do perigo no cur- DANO – Perda funcional, material ou econômi-
so do trabalho; co decorrente de acidente.

PREVENÇÃO FALHA – Mau desempenho que pode resultar


ATIVA – Prevê o acidente antes que o mesmo em risco em acidente;
ocorra impedindo-o. Ex.: você observa que o
seu colega opera o esmeril sem óculos, alerta-o, CUSTOS DIRETOS – São os custos que se
e ele começa a fazer uso do EPI; vêem e podem ser contabilizados: indenização,
PASSIVA – Toma medidas para que não se repi- prêmios de seguros, gastos com assistência
ta um acidente já ocorrido. médica e socorro, salário do empregado, etc.;

PERIGO – É a exposição relativa a um risco que CUSTOS INDIRETOS – São as conseqüências


favorece a sua materialização; que resultam para a organização e produção da
empresa: tempo perdido, pelo acidentado, por
RISCO – É a possibilidade de ocorrer um even- seus companheiros, administração; produção
to indesejável, causador de danos; perdida, pelo acidente em si, pelas reparações
materiais, instrução do substituto, perda da
moral, insegurança, danos materiais, comentá-
INCIDENTE – Uma ocorrência que não tenha rios, etc..
causado vítimas, ou danos materiais. Mas que
pela sua gravidade, poderia ter graves conse-
qüências.

71
Lubrificação e reparos
Não existe máquina que não precise ser sui, tenha em mente os seguintes pontos:
lubrificada de vez em quando. Muitas máqui- ü Tome as medidas especiais para manter a
nas precisam de uma limpeza regularmente e máquina desligada quando você estiver tra-
todas as máquinas, de vez em quando, preci- balhando nela. Coloque uma etiqueta de ad-
sam de reparos ou ajustes. Algumas vezes, acha- vertência na chave ou comando. Coloque um
mos que podemos lubrificar, limpar ou ajustar empregado perto da chave ou controle, a fim
uma máquina em movimento. Porém, maquinário de manter outras pessoas afastadas. Remo-
em movimento pode esmagar, cortar, ferir ou va um fusível que desligue completamente o
matar. circuito ou alerte aqueles que estejam próxi-
Por isso, é importante desligar a máquina com- mos ou que possam se aproximar do que você
pletamente e esperar que esteja totalmente pa- está para fazer.
rada antes de iniciar qualquer trabalho próximo
a peças móveis. Os segundos a mais de produ-
ü Nunca deixe chaves ou outras ferramentas
sobre a máquina onde uma partida súbita
ção que você poderia obter mantendo a máqui-
possa arremessá-las.
na funcionando não valem o risco que você
assume, por se colocar perto de dentes ou ro- ü Se seu trabalho exige que você permaneça
los não protegidos da máquina. Um corte que dentro ou perto de um corredor ou passagem
exija tratamento no setor de saúde consumirá onde caminhões entram, coloque uma placa
mais tempo que o economizado por manter a de advertência ou barricada, ou coloque al-
máquina em funcionamento. Um ferimento que guém para alertar os motoristas sobre a sua
leve você ao hospital custará muito mais para presença na passagem.
você mesmo e, para a empresa, muitas vezes ü Nunca ligue qualquer parte do maquinário
mais do que você poderia ganhar numa vida ou circuito elétrico, a menos que você esteja
inteira de pequenas paradas. absolutamente certo de que nenhum outro
Porém, não é suficiente você apenas desligar a empregado está trabalhando nela. Nunca
máquina antes de começar o trabalho. Se você opere qualquer máquina a menos que você
precisar fazer qualquer trabalho que coloque seja autorizado para operá-la.
qualquer parte do seu corpo perto de peças
móveis ou de corrente elétrica, sua segurança
ü Nunca lubrifique, ajuste ou repare uma má-
quina, a menos que você esteja autorizado a
exige que você tome alguns cuidados especiais
fazer este trabalho em particular. Muitos des-
para assegurar o não religamento acidental da
tes trabalhos devem ser feitos apenas por
energia.
pessoal de manutenção especialmente trei-
Algumas máquinas e circuitos possuem dispo- nado para a tarefa.
sitivos especiais. Se sua máquina não os pos-

72
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Outros efeitos provocados pelo ruído


Durante a execução de suas funções, o empre- ção da reação e estímulos visuais, zumbido no
gado exposto ao ruído pode sofrer outros efei- ouvido.
tos negativos e portanto, prejudicar o bom fun-
cionamento e desempenho das atividades pro- PRODUTIVIDADE E PERFORMANCE
fissionais.
O ruído interfere negativamente na realização
de tarefas físicas e mentais. Com relação ao tra-
ü Irritação, fadiga e mal-estar; balho intelectual, o ruído afeta a memorização
ü Úlcera e outros distúrbios digestivos; e, em tarefas complexas que exigem concentra-
ção e leitura, o ruído provoca erros e diminui-
ü Reação muscular; ção da velocidade do trabalho.
ü Aumento da produção de adrenalina e
corticotrofina; RUÍDO X SONO
ü Aumento do ritmo de batimento cardíaco; O ruído produzido durante o sono pode acordá-
lo, principalmente se estiver na fase do sono
RUÍDO X CÉREBRO leve (onde há sonhos). O ruído pode provocar
insônia, diminui a fase do sono profundo oca-
Um ruído pode não acusar surdez em quem é
sionando cansaço (já que o sono profundo é o
constantemente submetido a ele, mas pode pro-
que descansa).
vocar alterações outras, como aumento da pres-
são arterial, úlcera no estômago, etc..
RUÍDO X ACIDENTE
RUÍDO X EQUILÍBRIO Pelas alterações psíquicas que pode produzir,
pela dificuldade de comunicação que produz: o
O órgão que dá equilíbrio, ou seja, permite a
ruído é um fator que contribui para o aumento
pessoa ficar nas mais diversas situações, sem
do acidente.
ter tonturas é o vestíbulo. Este órgão está situ-
ado no ouvido em estreito relacionamento com
a parte propriamente auditiva, o caracol, e que é RUÍDO X COMUNICAÇÃO ORAL
também atingido pelo ruído. O ruído prejudica a comunicação com outras
pessoas que estejam por perto, pois além de ter
RUÍDO X SISTEMA NERVOSO que se falar alto, a pessoa tem dificuldades de
se fazer entender e de compreender o que lhe
O ruído pode provocar alterações tais como:
falam.
aparecimento de tremores nas mãos, diminui-

73
Principais efeitos do ruído
Ao sair de um ambiente excessivamente ruido- ou exposição curta a níveis muito elevados (120
so, depois de nele permanecer durante algum a 150 dB).
tempo, a pessoa pode experimentar uma dificul- Ruptura do Tímpano – Lesões do ouvido mé-
dade de ouvir, chamada surdez temporária. Po- dio e hipoacusia, geralmente passageira, pro-
rém, a audição volta ao normal após algumas duzida por exposição repentina a ruídos estron-
horas. dosos (explosão) ou por grandes pressões (mer-
Quando se permanece exposto a altos níveis de gulho em água profundas).
ruído, diariamente por vários anos, pode ocor-
rer uma diminuição da audição. A surdez pode também ser causada por outros
fatores, tais como:
CLASSIFICAÇÃO DOS EFEITOS - Idade avançada;
Podemos então classificar os efeitos de uma - Infecções;
forma precisa e elucidativa, da seguinte forma: - Drogas e remédios.
Hipoacusia transitória – Diminuição passagei-
ra da acuidade auditiva (horas, dias, meses) pro-
O médico, através de exames especializados, tem
duzida por: exposição curta (minutos, horas,
condição de identificar o tipo e a origem da per-
dias) a níveis elevados (90 a 120 dB).
da auditiva. O fato é que, a severidade, grau ou
Surdez Profissional – Perda progressiva da au- porcentagem de redução depende primordial-
dição inicialmente para freqüências de 4000 mente da intensidade da exposição ao ruído e
Hertz e , aos poucos, para freqüências vizinhas. que a pessoa exposta ao ruído intenso, sem uma
É praticamente irreversível. Produzida por ex- devida proteção, pode sofrer uma perda da au-
posição prolongada (meses, anos) de indivídu- dição.
os susceptíveis, a nível elevado (95 a 120 dB)

74
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Faça o seguinte teste para cada acidente


Nas pesquisas sobre acidentes, passamos do muitas condições gerais do ambiente que re-
efeito para a causa. Geralmente as causas de aci- querem correção.
dente são combinações de condições inadequa-
das e ou atos inadequados. É muito raro que OS TRABALHADORES QUE CONHECEM A
apenas uma condição inadequada ou um ato ina- OCUPAÇÃO TÊM DE TER CONHECIMENTO
dequado seja o responsável por um acidente. DOS RESPECTIVOS RISCOS.
De modo geral, só acidentes que causam le-
sões pessoais são levados à atenção para fins
Para poder realizar suas tarefas com segurança
de investigação. Assim, ao efetuar a investiga-
e eficiência, todo trabalhador deve ter não só
ção, partimos da lesão, depois remontamos ao
uma boa compreensão, como deve conhecer os
tipo do acidente, como “quedas”, “contato
riscos que poderá encontrar em seu trabalho.
com”, “batida contra”, “colhido por”, “atingi-
do entre”, etc.. Depois, passamos a investigar A segurança faz parte do serviço que está sen-
os atos ou condições que precederam imedia- do realizado tanto quanto a qualidade e a quan-
tamente o acidente. tidade da produção. Segue-se daí que se deve
ensinar o trabalhador a maneira de realizar seu
Anotamos cuidadosamente “o que realmente
trabalho com segurança.
aconteceu”. Fazemos, então, o seguinte teste:
Deve-se então dizer-lhe, como mostrar-lhe a
maneira de realizar as tarefas com segurança,
1. Qual foi a condição inadequada que figurou rapidez e eficiência. Deve-se mostrar-lhe as ra-
o acidente? zões de cada fase da tarefa, tornando claros os
2. Qual foi o ato inadequado que também figu- riscos envolvidos e explicando meios de evitá-
rou o acidente? los. Depois ele deve realizar as tarefas sob ime-
3. Por que era inadequada a condição? diata supervisão e deve ser inspecionado peri-
4. Por que era inadequado o ato? odicamente, para se ter certeza de que compre-
5. Fazemos, então, recomendações para corrigir endeu bem e está agindo corretamente.
a condição e ou ato inadequado que levaram ao Deve aprender não só a rotina de seu trabalho re-
acidente. gular, mas o que fazer (e o que não fazer) em qual-
quer situação de execução ou de emergência.
É importante determinar não só a causa do aci-
dente, como a razão da causa. Isso pode revelar

75
Evite atribuir a “falta de cuidado” como causa
de acidentes
Muitas vezes, após uma lesão causada por aci- a) Falta de uso de EPI;
dente, ouvimos dizer que foi “falta de cuida- b) Uso do equipamento de modo arriscado;
do”. A falta de cuidado não é mais uma causa c) Trabalho a uma velocidade insegura;
direta de acidente; é uma atitude ou uma defici-
d) Uso do equipamento inseguro;
ência mental.
e) Postura insegura;
Precisamos procurar as causas reais, ou mais dire-
tas, que podem resultar em um ato arriscado. f) Conserto ou lubrificação de maquinário em
movimento;
Em geral, iniciamos nossa investigação pelas
conseqüências de lesão, tais como cortes, quei- g) Dispositivos de segurança tornados
maduras, escoriações, fraturas ósseas, concus- inoperantes.
são, choque, etc.
Estes são os resultados de acidentes, não são Este fatores são as causas reais de acidentes.
as causas. Quando as causas de acidentes são atos inse-
A seguir, passamos para o tipo do acidente. guros, estes podem ser resultado de:
Então, procuramos quaisquer condições inse- a) Falta de conhecimento;
guras que possam ter sido inteira ou parcialmen- b) Atitude imprópria;
te responsáveis pelo acidente. Estas poderiam c) Deficiência física ou mental dos trabalhado-
ser: impropriedades dos anteparos das máqui- res.
nas ou transmissões, equipamento defeituoso,
arranjo perigoso do equipamento, iluminação de-
E as medidas corretivas são:
ficiente, ventilação deficiente, manutenção falha,
maquinários desprotegidos, etc.. a) Instrução, para corrigir a falta de conheci-
mento;
Também procuramos quaisquer atos inseguros
que possam ter precedido o acidente, tais como: b) Disciplina, para corrigir a atitude imprópria;
c) Colocação adequada, para os que têm defici-
ências físicas ou mentais.

76
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Os acidentes são evitáveis


A administração pode proporcionar uma fábri- lesões desde o início do movimento organiza-
ca, oficina, etc., moderna e bem planejada, mé- do pró-segurança, em 1913, nos Estados Uni-
todos e condições eficientes e seguros, gerên- dos. Algumas delas são: redução de 96% numa
cia eficiente, cooperação do sindicato e, no en- enorme usina de aço; redução de 98% numa
tretanto, não conseguir o máximo de resultados grande e complexa indústria química; e redução
sob prevenção de acidentes. Não basta forne- de 90% em duas grandes fábricas de equipa-
cer muitas proteções para as máquinas, é ne- mento elétrico, etc.
cessária a cooperação de todas as pessoas Isso se consegue mediante:
implicadas para assegurar que as proteções es- CONHECIMENTO DE MÉTODOS SEGUROS
tejam no lugar e sejam adequadamente usadas. – este conhecimento, baseado em anos de ex-
O treinamento adequado dos trabalhadores e periência, resulta de muitos estudos dos pro-
chefias é muito importante. A segurança do tra- cessos de produção, que foram seguidos de
balho deve figurar em todos os cursos de trei- aperfeiçoamento incorporando a segurança à
namento, pois ela é tão importante quanto a produção.
qualidade e a quantidade da produção. OFERECIMENTO DE CONDIÇÕES SEGURAS
A administração tem o dever de empregar – uma das pedras angulares de um bem sucedi-
supervisores treinados, humanos, com “men- do programa de segurança é que a administra-
talidade de segurança” que compreendam que ção proporcione condições seguras na fábrica.
a operação eficiente requer que se dê conside- LIDERANÇA DA ALTA ADMINISTRAÇÃO
ração à segurança. – é essencial que a segurança comece de cima.
A atitude dos trabalhadores é muito importante Para assegurar êxito, deve dar apoio ativo e de
em todas as fases da produção, qualidade, quan- todo coração ao programa de segurança e dei-
tidade e segurança. Pode-se conseguir um mo- xar bem clara a sua posição.
ral elevado mediante cooperação e a participa- APOIO DOS TRABALHADORES – a partici-
ção ativa dos trabalhadores no programa de pação ativa dos trabalhadores é indispensável
segurança que constitui um fator de máxima para seu êxito. Eles podem ajudar, tomando par-
importância para evitar acidentes. te nas comissões de segurança (CIPA), inspe-
ções de segurança, pesquisa dos acidentes, etc.

“OS ACIDENTES SÃO EVITÁVEIS”

Muitas empresas grandes reduziram conside-


ravelmente a incidência de perda de tempo por

77
78
Saúde
79
E a respeito de pequenos ferimentos?
Quando dizemos que o João se machucou on- outras partes do corpo. Um jogador de futebol
tem, queremos dizer que algo de sério aconte- recebeu uma forte pancada no corpo no meio
ceu com ele. Normalmente não consideramos do campo. Ele foi tirado do jogo, mas sentia-se
arranhão, uma pancada na coxa ou na cabeça muito bem depois de algum tempo e foi para
como machucado ou ferimento. casa. Ele morreu antes que amanhecesse o dia
Ao pensarmos assim, estamos parcialmente seguinte devido a uma ruptura de baço.
certos, mas parcialmente errados também. Os Por mais estranho que possa parecer, algumas
pequenos ferimentos não nos preocupam por- vezes uma pessoa pode até sofrer uma fratura
que não nos afastam do trabalho nem nos re- sem que se perceba disto. Com isto negligência
metem para o hospital. Isto é verdade, desde o tratamento, dando grande trabalho aos médi-
que tomemos medidas simples para evitar que cos quando resolve procurá-los.
pequenos ferimentos se tornem coisa grave. Estes são apenas alguns dos motivos que nos
Há muitos anos atrás, quando Calvin Coolidge levam a querer que você relate todos os
foi presidente dos Estados Unidos, seu filho ferimentos imediatamente e que receba o trata-
teve uma bolha no pé. Doía um pouco, mas ele mento de primeiros socorros.
pensou que não fosse coisa séria. Ele estava Isto significa todos os ferimentos – qualquer
parcialmente certo em não achar que uma bolha corte, qualquer coisa que caia nos olhos, qual-
no pé fosse motivo para desespero. Mas esta- quer pancada, particularmente na cabeça que
va parcialmente errado porque esqueceu-se de tenha tonteado você, mesmo que seja apenas
que, mesmo um pequeno ferimento pode se tor- durante um segundo. Significa também peque-
nar sério, se não for tratado de forma correta. nos cortes, arranhões e escoriações de menor
Ele não recebeu o tratamento correto a princí- extensão.
pio. A bolha infeccionou e, com o tempo, ele Nada disto é muito sério em si mesmo. Mas
teve que procurar um médico. A infecção foi qualquer deles pode iniciar algo que se torne
combatida muito tarde e o rapaz morreu. sério devido a uma infecção ou negligência.
Existem milhares de casos como este... e, para Provavelmente a unidade de saúde, com alguns
cada morte, existem centenas de outros casos cuidados de primeiros socorros, deixará você
em que ferimentos mal tratados se tornaram pro- novo em um minuto ou dois. Porém, não jogue
blemas sérios. com sua vida ou sua saúde se automedicando
Não são apenas cortes e infecções que são pe- ou achando que não precisa de tratamento por-
rigosos. Algumas vezes uma pessoa toma uma que não está se sentindo muito mal.
pancada na cabeça que a nocauteia, deixando- Um outro ponto: a menos que você esteja trei-
a zonza. Em alguns instantes ela se levanta, sen- nado em primeiros socorros e que esteja autori-
tindo-se bem e acha que não precisa de um zado a lidar com estes casos, não brinque de
médico. Porém, em alguns casos podem ter ha- médico amador tratando outras pessoas que
vidos danos no cérebro. Se a pessoa não rece- tenham se machucado ou que não estejam se
ber tratamento certo, seu ferimento aparente- sentindo bem. Você poderá provocar muito mais
mente pequeno pode matá-la. mal do que bem.
A mesma coisa acontece com os ferimentos em

80
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Primeiros socorros para os olhos


QUEIMADURAS QUÍMICAS: ü Se a partícula não sair, mantenha o olho fe-
Danos nos olhos por queimaduras químicas chado, coloque uma bandagem leve e bus-
podem ser extremamente sérios. que ajuda médica imediatamente.
Em todos os casos de contato de produtos quí- ü Não esfregue os olhos sob hipótese alguma.
micos com os olhos:
ü LAVE os olhos com água imediatamente, de EM CASO DE SOPRO DE AR COMPRIMIDO
forma contínua e gentil durante pelo menos NOS OLHOS:
15 minutos. Fique com a cabeça debaixo de
uma torneira ou coloque água nos olhos
ü Aplique compressas frias imediatamente e
usando um recipiente limpo. Mantenha os deixe durante 15 minutos; aplique novamen-
olhos abertos o máximo possível durante a te de hora em hora, conforme necessário para
lavagem. reduzir a dor e o lacrimejamento.

ü NÃO COLOQUE tampa-olho. ü Em caso de descoloração ou olho preto, que


poderia significar danos internos, consulte
ü NÃO USE bandagens nos olhos. um médico imediatamente.
Os recipientes de “sprays” representam fontes
cada vez mais comuns de acidente químico com CORTES E FUROS NOS OLHOS OU PÁLPE-
os olhos. Os danos são ampliados pela força de BRAS:
contato. Se esses recipientes contiverem pro-
dutos cáusticos ou irritantes, devem ser usa- ü Faça uma bandagem leve e consulte um mé-
dos com cuidado e ser mantidos afastados do dico imediatamente.
alcance de crianças. ü Não lave o olho com água.
ü Não tente remover qualquer objeto que este-
PARTÍCULA NOS OLHOS: ja cravado no olho.
ü Levante a pálpebra superior para fora e para
baixo sobre a pálpebra inferior.

81
Esteja preparado para salvar uma vida com
primeiros socorros em casos de estado de
choque
O choque é provocado por um estado de de- ü Pulso acelerado
pressão de várias das funções vitais... uma de-
pressão que poderia ameaçar a vida, mesmo que
ü Taxa de respiração aumentada (respiração
os ferimentos da vítima não sejam por si mesmo rápida)
fatais. ü Falta de ar
O grau do choque é aumentado por alterações ü Vômito
anormais na temperatura do corpo e por uma Uma vítima de choque deve ser mantida deita-
baixa resistência da vítima ao “stress”. da para melhorar a circulação do sangue. Sua
O primeiro socorro é dado a uma vítima em esta- cabeça deve ficar nivelada com o resto do cor-
do de choque para (1) melhorar a circulação do po.
sangue, (2) assegurar um suprimento adequa- Uma vítima com ferimentos faciais severos, ou
do de oxigênio e (3) manter a temperatura nor- que esteja inconsciente, deve ser deitada de
mal do corpo. lado para permitir que os fluídos internos pos-
Uma coisa que não deve ser feita é manter uma sam drenar, mantendo as vias aéreas
vítima de choque aquecida para não sentir frio. desobstruídas.
Isto elevará a temperatura da superfície do cor- Não deve ser dado líquidos a vítima em estado
po, o que é prejudicial. de choque que:
Durante os últimos estágios de choque, a pele
ü Esteja inconsciente
da vítima pode parecer molhada. Isto é provo-
cado por vasos sangüíneos congestionados na ü Tenha vômitos
pele e indica que a pressão da vítima caiu a um ü Tenha convulsões
nível muito baixo.
ü Possa precisar de cirurgia ou anestesia geral
Os sintomas mais notáveis dos primeiros está-
gios do choque são: ü Tenha ferimentos abdominais ou cerebrais
ü Pele pálida e fria Os líquidos devem ser dados somente se a aju-
da médica for atrasada em mais de uma hora e
ü Pele úmida e fria não haja complicações dos ferimentos.
ü Fraqueza

82
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Exposição a substâncias potencialmente


prejudiciais à saúde ou perigosas
As substâncias prejudiciais geralmente são ig- dos, conservantes, solventes e soluções de
noradas porque seus efeitos não são observa- limpeza.
dos imediatamente. Se a exposição for súbita e ü Gasosa – muitos líquidos também formam
acidental ou constante, o resultado será sem- vapores que podem ser prejudiciais, quando
pre o mesmo – dor, sofrimento, custos, perda inalados.
do trabalho, etc. Examinemos alguns dos fun-
damentos deste problema.
O QUE PODEMOS FAZER PARA EVITAR EX-
POSIÇÃO A SUBSTÂNCIAS PREJUDICIAIS?
COMO AS SUBSTÂNCIAS PREJUDICIAIS
PENETRAM EM NOSSO CORPO? ü Lave as áreas empoeiradas, incluindo as en-
tradas de serviço, áreas de demolição e de
ü Comendo ou bebendo delas – não de propó- trabalho com areia e cascalho.
sito, é claro. Geralmente isto ocorre quando
comemos uma comida que tenha sido ü Certifique-se de que haja boa ventilação ou
manuseada com as mãos sujas. ventiladores de exaustão no lugar onde está
sendo feito trabalho de soldagem ou quando
ü Por absorção através da pele. Certos produ- motores a gasolina estiverem ligados.
tos químicos podem entrar na corrente
sangüínea através da pele. ü Evite contato da pele com concreto úmido.
Use boas botas de borracha e luvas quando
ü Pela respiração. Gases, fumaça, vapores, po- lançar concreto ou fizer acabamento.
eira podem causar problemas respiratórios.
ü Proteja-se ao máximo possível contra fumaça
tóxica e poeira. Se você não puder cobrir a
QUAIS SÃO AS TRÊS FORMAS BÁSICAS face completamente, use um creme protetor
DAS SUBSTÂNCIAS PREJUDICIAIS? na área exposta.
ü Sólida – como o cal, cimento, fibras de vidro, ü Use um respirador quando necessário. Use
asbesto e chumbo. um que seja adequado para suas necessida-
ü Líquida – incluindo a gasolina, álcool, áci- des.

83
Acidente de trabalho e o alcoolismo
FATORES DIRETOS DO ALCOOLISMO PARA ü Personalidade - desleixo, machismo,
SOFRER UM ACIDENTE exibicionismo, desatenção, brincalhão, agres-
ü Falta de reflexo; sivo, impulsivo
ü Falta de raciocínio; ü Estado de fadiga - Não se alimenta adequa-
damente; dorme pouco.
ü Perda da coordenação motora;
ü Falta de firmeza na mão; ALCOOLISMO E O TRABALHO
ü Perda do senso de responsabilidade;
ü Falta de equilíbrio; As dificuldades encontradas por um alcoólico
ü Perda do senso de perigo. em seu ambiente de trabalho são diversas, qual-
quer que seja a função.
Geralmente diminui o tempo dedicado ao traba-
FATORES INDIRETOS
lho, seja por doença seja por faltas, deixa o
ü Falta de recursos financeiros; serviço para outros, tem um grande número de
ü Irritação; faltas.
O alcoólico representa um perigo real para si e
ü Nervosismo;
para os outros pela maneira inadequada de li-
ü Problema de relacionamento - chefia, cole- dar com máquinas e equipamentos, causando
gas, família; graves acidentes de trabalho.
ü Higiene - falta de asseio corporal, falta de O alcoolismo pode impedir a promoção.
conservação do seu material de segurança.

84
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

AIDS
Se o HIV (vírus da AIDS) está presente no san- uma publicação francesa, notificou-se dois ca-
gue de um portador ou aidético, fica lógico di- sos de contaminação via navalha de barbear,
zer que para que a doença seja transmitida a alicate de cutícula e etc., mas existe o risco teó-
outra pessoa é necessário o contato sangue a rico de contaminação.
sangue. Não existe nenhum risco de contami-
nação nos afazeres cotidianos. Todos os estu- TRANSFUSÃO DE SANGUE – A utilização de
dos feitos na África e nas famílias de hemofílicos sangue que seja infundido sem nenhum estudo
aidéticos confirmam: não há transmissão de sorológico é uma das grandes fontes de
vírus em vasos sanitários, xícaras, copos, contaminação.
apertos de mão, etc.
Desta maneira, as principais formas de trans-
GRAVIDEZ - A contaminação pode se efetuar
missão da doença são:
das mães para o bebê na hora do parto e duran-
te a gravidez (em 50% dos casos). Em relação
ATO SEXUAL (através do esperma, secreção ao leite materno, há possibilidade de transmis-
vaginal e microferimentos). A sodomia hétero são.
como homossexual é que leva a maior possibili-
dade de transmissão, embora também ocorra a
A doença é uma realidade, não há cura, portan-
transmissão nas relações heterossexuais clás-
to devemos prevenir para que não sejamos
sicas. Em 1988, houve anúncio público de cin-
vítimas do vírus.
co casos de transmissão do vírus por sexo oral.

Assim como no acidente de trabalho, a AIDS


AGULHAS E INSTRUMENTOS CONTAMI-
também é questão de prevenção.
NADOS - Seringas, agulhas usadas e contami-
nadas tem levado o vírus a muitas pessoas. Em

85
Proteções
Muitos acidentes sérios ocorrem todos os anos numa área de risco de uma máquina.
na indústria. Porém, os médicos do trabalho têm As ações e movimentos mecânicos considera-
observado que os tipos de ferimentos que exi- dos mais perigosos são:
gem tratamento estão mudando. • Movimentos transversais, rotativos e
Cortes, rasgos, escoriações e esmagamentos, recíprocos:
ou extremidades do corpo atingidas estão dimi- Exemplos: incluem as polias giratórias, eixos
nuindo, quando comparados com outros tipos rotativos, lâminas giratórias em serras circula-
de ferimentos. O principal motivo para isto é o res, correias transportadoras móveis, serras
aumento nos números, nos tipos e na eficácia manuais e pistões móveis.
das proteções nas máquinas. Embora os
• Pontos de Pinçamento:
ferimentos associados com equipamentos me-
cânicos estejam reduzindo, 200.000 trabalhado- Esses pontos ocorrem basicamente quando pe-
res no país inteiro são feridos seriamente todos ças de máquinas, como engrenagens, giram uma
os anos porque escolheram desviar-se de pro- contra a outra, ou quando uma peça de uma
teções de máquinas. máquina rola em direção a um objeto estacioná-
rio.
Todo movimento ou ação mecânica é perigoso,
mas em graus variados. Os membros rotativos, • Ação cortante:
braços de movimento recíproco, correias mó- Este tipo inclui a maioria dos tipos de serras. O
veis, engrenagens, dentes cortantes ou peças perigo aqui está geralmente onde o material que
de impacto ou cisalhamento são exemplos de está sendo cortado faz contato com uma lâmina
tipos de ação ou movimento contra os quais o ou superfície de corte.
trabalhador deve ser protegido. • Funcionamento e Empenamento:
Consequentemente qualquer peça móvel de Exemplos deste tipo incluem as prensas de for-
uma máquina representa um risco. A proteção ja e de punção. Imagine o perigo que correria
adequada da máquina elimina ou controla o ris- um dedo, mão ou braço que fizesse contato com
co por evitar que qualquer parte do corpo entre estas superfícies de trabalho.

86
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Emergências em climas quentes


Felizmente para nós, nossos corpos possuem maneira que você puder; use compressas de
“termostatos” internos que nos protegem dos gelo, panos molhados e frios; esfregue álco-
efeitos prejudiciais de extremos de temperatu- ol, use ventiladores e ar condicionado.
ra... na maioria das vezes. Existem ocasiões,
entretanto, quando exigimos muito de nós, que COMO RECONHECERMOS E TRATARMOS
nossos sistemas internos de proteção falham. EXAUSTÃO POR CALOR?
Quando isto acontece, podemos entrar em es-
1. A exaustão por calor não é tão séria quanto a
tado de choque. É importante reconhecer os
insolação ou choque térmico, mas requer
sintomas de “stress” devido a calor e também
atendimento de emergência.
qual ação emergencial devemos tomar.
2. Ao contrário do choque térmico ou da insola-
ção, a pele fica fria e pálida. Outros sintomas
QUAL É A CONDIÇÃO MAIS SÉRIA são fraqueza, náusea, dor de cabeça e suor
PROVOCADA POR SUPER-AQUECIMENTO E excessivo.
O QUE DEVEMOS FAZER QUANDO ISTO
3. Leve a vítima para um local fresco. Dê a ela
ACONTECE?
goles de água e coloque tecidos molhados e
1. É o chamado choque térmico ou insolação. O frios sobre sua pele.
mecanismo de transpiração da pele pára de
trabalhar; isto permite uma elevação perigo-
sa da temperatura da pele. A temperatura deve O QUE PODEMOS FAZER PARA EVITAR
ser abaixada, porque o choque térmico pode PASSAR MAL DEVIDO AO CALOR?
facilmente se tornar fatal, se não for tratado 1. Use roupas de cores claras que reflitam o
imediatamente. calor, em vez de roupas escuras que absor-
2. A pele da vítima fica ressecada e quente. Sua vem o calor.
temperatura será muito alta. 2. Evite comer muito e alimentos gordurosos.
3. Peça ajuda médica assim que notar os sinto- 3. Beba líquidos para repor a água perdida pelo
mas. suor. Evite bebidas alcoólicas e bebidas muito
4. Abaixe a temperatura da vítima de qualquer geladas quando você estiver quente.

87
Higiene corporal
A higiene do corpo é indispensável à conser- vendo estar completa por volta dos dois anos.
vação da saúde, pois a poeira e impurezas acu- A 2ª dentição, ou dentição permanente, surge a
muladas em nossa pele favorecem o desenvol- partir do 6.º ano de vida.
vimento de micróbios prejudiciais ao nosso or- A falta de higiene na boca acarreta as cáries,
ganismo. gengivite (inflamação na gengiva), perda dos
Por isso: dentes e insuportáveis dores.
a) Devemos conservar o corpo asseado, toman- O cuidado com os dentes se constitui na:
do banho diariamente com sabonete e água - Limpeza dos mesmos, escovando-os ao levan-
limpa; o banho diário propicia bem estar; tar, após as refeições e antes de deitar;
b) Lave bem a cabeça e faça a barba, evitando - Usar o fio dental diariamente após as refeições;
assim, a procriação de piolhos e outros para- - Visitas periódicas ao dentista (a cada 3 meses).
sitas;
HIGIENE DA ROUPA
c) Use sempre toalhas limpas e individuais;
POR QUÊ? A higiene da roupa ajuda a proteger
d) Limpe os ouvidos com cotonete. Apare as a saúde.
unhas;
ROUPA LIMPA é aquela isenta de sujeiras, bem
e) Lave os pés todos os dias. Ande sempre cal- passada e em condições de uso.
çado, pois são os pés que sustentam o cor-
ROUPA BEM LAVADA – é aquela que se lava
po, estando expostos a traumatismos;
com água boa, sabão ou detergente, leva-se ao
f) Troque sua roupa pelo uniforme da empresa. sol para quarar, enxagua-se em duas ou três
Retire jóias e ornamentos que atrapalham o águas, até ser retirada todo o sabão e seca-se
desempenho do serviço, além de evitar preo- ao ar livre.
cupações com possíveis danificações de aci-
ROUPA BEM PASSADA – é aquela que se pas-
dentes;
sa, não só para deixá-la mais apresentável, como,
g) Lave suas mãos e braços antes de começar o também para eliminar os germes, com ferro elétri-
trabalho, para retirar todos os germes aí ins- co ou de brasa, em temperatura elevada.
talados, como também, antes de qualquer re-
ROUPA BEM GUARDADA – deve-se manter
feição ou descanso;
em gavetas, em guarda-roupa, arejada e prote-
h) Complete sua higiene corporal, usando rou- gida para evitar a penetração de ratos, aranhas,
pas limpas e adequadas ao clima. baratas, traças, etc.
HIGIENE ORAL ROUPA ADEQUADA é aquela que satisfaz exi-
A boca, porção inicial do aparelho digestivo, gências:
por desempenhar importante função na diges- - fácil limpeza;
tão dos alimentos, através da mastigação. Deve
- permeabilidade e cor segundo a temperatura
ser mantida limpa, exigindo especial atenção aos
ambiente;
dentes.
- tamanho e qualidade apropriados.
A 1.ª dentição (dentes de leite) ou dentição tem-
porária, ocorre a partir do 6.º mês de vida, de-

88
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Doenças profissionais
O QUE SÃO? ü Bissinose – algodão;
São doenças causadas por, diretamente relaci- ü Siderose – óxido de ferro;
onadas com o trabalho, sendo a eles inerentes
(ligadas). ü Bagaçose – cana-de-açúcar;
ü Asbestose – asbestos (amianto);
QUAIS OS FATORES QUE DEVEM SER OB- ü Baritose – bário;
SERVADOS PARA QUE REALMENTE UM
AGENTE AGRESSIVO CAUSE DANO A NOS-
ü Estaniose – estanho;
SA SAÚDE? ü Beriliose – berílio;
Grau de Concentração – quanto maior a con- ü Hidrargirismo – mercúrio;
centração do agente no ar, maior será a proba-
ü “Asma do Padeiro” – farinha;
bilidade de contaminação;
Tempo de Exposição – é o tempo em que o tra- ü “Mal do Caixão” – pressão anormal;
balhador fica em contato com o agente ü Surdez Profissional – ruído;
contaminante;
ü Catarata Térmica – luz infravermelha;
Via de Penetração – via digestiva (boca), via
respiratória (nariz) e via cutânea (pele); ü Fadiga Visual – iluminação;
Sensibilidade Individual – cada indivíduo é di- ü Leucemia – benzeno.
ferente do outro, sendo mais sensível ou não
ao agente agressivo; MEDIDAS PREVENTIVAS:
O Quanto a Substância é Tóxica – é o outro
ü Exames médicos periódicos;
fator a ser considerado, dependerá do grau de
toxidade do agente presente no ar. ü Uso dos equipamentos de proteção indivi-
dual;
RELACIONAMOS ALGUMAS DOENÇAS ü Limitação do tempo de exposição;
COM O AGENTE AGRESSIVO: ü Controle ambiental através de aparelhagem,
ü Saturnismo – chumbo; métodos técnicos;
ü Silicose – sílica; ü Treinamento.

89
Arrumação, limpeza e ordenação são bons
hábitos
Todos os empregados têm suas tarefas para fa- e disciplina” não é obtida por mutirões de lim-
zer. Os 5S (arrumação, limpeza, ordenação, as- peza. Ela é o resultado de um esforço diário. Se
seio e disciplina) fazem parte de suas obriga- cada empregado arrumasse pelo menos uma
ções. Mas o que é isto afinal? coisa todos os dias, os resultados seriam sur-
“Arrumação, limpeza, ordenação, asseio e dis- preendentes.
ciplina” significa manter as coisas arrumadas e A hora de fazer limpeza é toda hora.
ordenadas, o chão limpo, sem papel, óleo e as- UMA OFICINA LIMPA É UMA OFICINA SE-
sim por diante. É o empilhamento correto de GURA
materiais e a eliminação de “armadilhas” peri- Todos nós já ouvimos algum dia que uma ofici-
gosas. É a condição das áreas escondidas, a na limpa é uma oficina segura. Mas como pode-
posição e a condição de “pallets”, estrados e mos manter nossa oficina limpa e segura? É só
recipientes. uma questão de um pouco de atenção com a
A boa arrumação significa ter livre acesso a pri- arrumação, com cada um de nós fazendo a sua
meiros socorros e a equipamentos de combate parte.
a incêndio. Significa também máquinas, ferra- Uma faxina geral é uma boa idéia. Toda oficina
mentas e equipamentos limpos. Significa mui- ou casa precisa de uma faxina geral ocasional-
tas coisas, mas a definição mais curta é: “Um mente. Entretanto, “arrumação, ordenação, lim-
lugar apropriado para cada coisa e cada coisa peza, asseio e disciplina” é mais do que isto.
em seu devido lugar.”
5S significa limpeza e ordem: um lugar para cada
Todos os empregados podem ajudar no esfor- coisa e cada coisa em seu lugar. Significa tam-
ço de arrumação, fazendo o seguinte: bém recolher e limpar tudo depois de cada tare-
ü Manter pisos, corredores e áreas de trabalho fa. Se uma tarefa provocar muita bagunça, tente
razoavelmente livre de itens desnecessários, manter a mesma a nível mínimo, tomando um
incluindo óleo excessivo e outros líquidos. pouco de cuidado.
Manter tudo dentro das linhas marcadas nos Todos nós temos muito a ganhar mantendo uma
corredores. oficina limpa. Uma oficina suja é um convite ao
ü Confinar resíduos em geral em áreas e em re- incêndio. Se mantivermos nossa área de traba-
cipientes designados. lho limpa, o risco de incêndio será mínimo.
ü Colocar toalhas, luvas, trapos e semelhantes Lixo e óleo incendeiam facilmente. Podem até
em recipientes fornecidos, em vez de deixá- ser fonte de ignição espontânea e ajudam a au-
los nas máquinas. mentar o fogo de outras áreas. Um incêndio
sério pode acabar com o nosso negócio.
O que mais indica uma área desorganizada, de-
Sujeira é apenas material fora do lugar. O óleo
sarrumada e suja, são os copos de papel, restos
que derramou tinha um papel a cumprir na má-
de lanches espalhados em bordas, em cima de
quina. No chão é apenas mais uma fonte de
material empilhado, dentro de recipientes de
risco. Limpe-o ou cubra a mancha com absor-
peças, em bancadas de trabalho, em passarelas
vente de óleo, de forma que não se espalhe pela
e assim por diante. Os recipientes para lixo es-
área toda. Use os coletores de óleo sempre que
tão espalhados por todos os lugares. Use-os!
posível. Com isto, você pode estar evitando que
A boa “arrumação, ordenação, limpeza, asseio
90
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

alguém tenha um tombo feio – esse alguém pode Mantenha estes lugares livres de refugos e
ser você mesmo. entulhos.
Recolha as coisas espalhadas e mantenha os A estocagem de material deve ser bem ordena-
corredores limpos. Use latas de lixo, caixas para da! Sem pilhas inseguras ou projeção de bor-
resíduos metálicos e recipientes para resíduos das. Mantenha portas, corredores e equipamen-
oleosos de diferentes tipos. Observe onde você tos contra fogo livres de obstruções.
deixa ferramentas ou materiais. Nunca os colo- O verdadeiro segredo de uma oficina limpa e
que num chassi de máquina ou numa peça mó- segura é nunca deixar para depois o trabalho de
vel da máquina. Mantenha-os longe de esca- limpeza e arrumação, fazendo-o imediatamente
das e bordas. enquanto dá pouco trabalho. Vá fazendo a lim-
Não empilhe coisas em cima de armários. peza a e coleta de coisas espalhadas enquanto
Observe os espaços sob as bancadas e escadas, for saindo do local de trabalho, quando con-
em armários, vestiários e lanchonetes. cluir uma tarefa ou quando seu turno estiver
terminado.

91
Areje os gases de exaustão
Os policiais no tráfego, nas horas de maior mo- empilhadeira, que queima 3 litros de combustí-
vimento de carros, algumas vezes se queixam vel por hora, deve operar somente onde há ar
de cansaço e de dores de cabeça, após algumas puro o bastante para diluir a sua exaustão.
horas em ambientes poluídos por gases de Ar puro o bastante significa operar as
exaustão. empilhadeiras somente em áreas amplas ou au-
Para envenenar o ar interno, não é necessário mentar a ventilação se a sala for pequena. Mui-
que milhares de motores estejam funcionando ta ventilação é uma boa idéia – mesmo numa
e expelindo gases; basta apenas um para fazê- sala ampla – porque é preciso muito ar puro
lo. para diluir os gases de exaustão de uma
Arejando os gases de exaustão, as condições empilhadeira trabalhando um turno inteiro.
podem ser mais seguras para o trabalhador que Durante as estações quentes, quando as por-
está numa área fechada onde operam peque- tas e janelas ficam abertas, a ventilação natural
nos caminhões. geralmente é mais do que suficiente para diluir
Eis por que é tão importante ter um bom supri- a fumaça de exaustão. Porém, em espaços con-
mento de ar fresco onde gases de exaustão são finados, uma concentração perigosa de fumaça
um problema: um único motor a gasolina, ou a pode se acumular rapidamente.
gás GLP, quando funcionando a plena carga, Controle o acúmulo com maior ventilação. Du-
libera cerca de 3,5 a 4% de monóxido de carbo- rante o inverno, quando a ventilação natural
no e 11 a 13% de dióxido de carbono. O restante fica restrita, verifique até mesmo as grandes áreas
é em grande parte nitrogênio e pequenas quan- internas, para ver se há ar em quantidade sufici-
tidades de outras impurezas. Assim sendo, é ente.
fácil compreender por que uma pequena É a ventilação apropriada que areja o ar.

92
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Saneamento básico
Quando a água que você usa for proveniente Capacidade do Quantidade de
de rede pública, tome cuidado com os reserva- Reservatório Água sanitária
tórios que você usa para guardar esta água,
250 L 1/2 L
conservando-os sempre limpos e fechados.
500 L 1L
1000 L 2L
COMO LIMPAR SUA CAIXA D’ÁGUA:
1. Feche o registro de entrada de sua caixa
d’água. 6. A seguir, abra todas as torneiras e deixe esco-
ar um pouco de água. Logo que você sentir o
2. Esvazie a caixa, abrindo todas as torneiras e
cheiro do desinfetante, feche-as imediata-
dando descarga no banheiro.
mente. Procedendo deste modo, a tubulação
3. Enquanto a caixa esvazia, esfregue e raspe também será desinfetada. Espere duas horas.
seu interior para tirar toda sujeira. Use um
7. Feche novamente o registro de entrada e tor-
pouco de água sanitária quando esfregar e
ne a esvaziar a caixa por todas as torneiras.
uma bucha limpa.
Esta água não deve ser usada.
4. Depois de limpar bem e escoar toda a sujeira,
8. Caso o cheiro do desinfetante ainda esteja
abra o registro e volte a encher a caixa. Caso
forte, encha e torne a esvaziar a caixa. Feche
sua caixa não possua tubulação de limpeza,
com a tampa e verifique se ficou bem vedada.
retire o resíduo mais grosso e deixe apenas
escoar pelas torneiras a sujeira fina. Isto evi- 9. Logo em seguida, passe a usar novamente
tará entupimento. sua caixa d’água. Para garantir a qualidade
da água consumida em sua casa, este proce-
5. Assim que a caixa estiver cheia, misture água
dimento deve ser repetido no mínimo de 6 em
sanitária na seguinte proporção:
6 meses.

93
Ordem e limpeza
Quanto ao armazenamento de materiais, além nitárias. É medida de higiene que preserva a
de ter de apresentar as condições seguras ne- saúde de possíveis doenças transmissíveis.
cessárias de empilhamento, deve-se observar Além disso, os sanitários devem ser rigorosa-
se as passagens estão desobstruídas e, princi- mente limpos e desinfetados com produtos de
palmente, se estão instalados extintores de in- limpeza apropriados.
cêndio e os locais de saída. Note-se que este
cuidado deve merecer especial atenção em to- E OS EPIs? Em relação aos Equipamentos de Pro-
das as dependências da Empresa pois, no caso teção Individual, ordem e limpeza também de-
de ocorrer um incêndio, tanto as saídas para o vem ser observadas. Certos EPIs necessitam
escoamento dos empregados como os extinto- cuidados especiais de limpeza, visando o aspec-
res devem estar livres de quaisquer obstáculos to de higiene e devem ser desinfetados após o
e com a sinalização bem demarcada. Neste as- seu uso, como no caso de protetores auriculares
pecto, a sinalização é de fundamental importân- tipo plug, protetores das vias respiratórias, etc.
cia, devendo ser conservada e, quando neces- A ordem e a limpeza também contribuem para a
sário, renovada. Em todos os outros lugares, a sua conservação e este é um estado que contri-
sinalização merece igual cuidado pois desem- bui para a segurança do usuário.
penha importante papel no campo da preven-
ção de acidentes, servindo de alerta para os
riscos existentes em determinados lugares e para COMO ATINGIR? Oportuno observar que para
os cuidados necessários na realização de cer- atingir esse objetivo é necessária a cooperação
tas tarefas. de todos aqueles que trabalham no mesmo local.
É o desdobramento de esforços de cada empre-
gado que trabalha, mesmo no desempenho das
E A ORDEM E A LIMPEZA NOS REFEITÓRI- mais simples tarefas, que baseia a realização de
OS? Também é indispensável, pois a alimenta- grandes empreendimentos. Para que haja coo-
ção deve realizar-se em ambiente tranqüilo e lim- peração, é necessário que todos saibam o por-
po, e que proporcione uma sensação de bem- quê dessa cooperação e cabe a conscientização
estar, promovendo um relacionamento agradá- de todos para a importância da ordem e da limpe-
vel entre os trabalhadores. za no ambiente de trabalho para que os benefíci-
os possam ser usufruídos por todos os empre-
Os vestiários também exigem atenção quanto à gados.
ordem e limpeza, assim como as instalações sa-

94
Proteção contra
incêndios
95
Ignição espontânea
Você já viu um pintor recolher trapos ensopa- res de incêndio já provaram que muitos incên-
dos com óleo de linhaça, tinta e terembentina dios industriais ( e alguns incêndios domésti-
ao término do trabalho? Se já viu, você viu na cos sérios ) foram causados quando trapos ole-
verdade uma demonstração de prevenção de osos empilhados juntos geraram calor suficien-
incêndio no trabalho. Isto também vale para o te para pegar fogo.
mecânico que coloca pedaços de pano com óleo Estes mesmos especialistas em incêndios nos
num recipiente de metal equipado com tampa ensinam duas formas de evitarmos a auto-igni-
automática. Latas para trapos com óleo devem ção de trapos com óleo: manter o ar circulando
ser colocadas em todos os lugares onde eles através deles ou colocando-os num local onde
precisam ser usados. Estas medidas de precau- não teriam ar suficiente para pegar fogo.
ção são geralmente tomadas no trabalho, mas A designação de uma pessoa especialmente
não em casa. para ficar revirando uma pilha de trapos para
Por que esses pedaços de pano ou trapos re- evitar que queimem seria ridículo. Assim sen-
presentam risco de incêndio? Representam ris- do, a segunda idéia parece ser melhor...coloque-
co porque um fósforo ou cigarro aceso poderia os onde não possam ter ar suficiente para pe-
ser jogado sobre eles, causando incêndio? Bem, gar fogo. O lugar para isto é uma lata de metal
esta é realmente uma das razões. Um outro fator com tampa automática, isto é, que feche por si
muito importante é a auto- ignição. Sob certas mesma.
condições, estes materiais podem pegar fogo A exclusão do oxigênio da lata pode evitar a
sem a presença de chama. ignição dos materiais. Naturalmente, se encher-
A ignição espontânea é um fenômeno químico, mos o recipiente até a boca, a ponto da tampa
no qual há uma lenta geração de calor, a partir não fechar totalmente, a finalidade do recipien-
da oxidação de materiais combustíveis. Como te estará comprometida. O oxigênio penetrará
“oxidação” significa a combinação com oxigê- na lata e fornecerá o item que falta para causar o
nio, devemos nos lembrar de que o oxigênio é incêndio.
um dos três fatores necessários para fazer fogo: Alguns óleos são piores do que outros, no que
combustível, calor e oxigênio. diz respeito à capacidade de iniciar incêndios.
Quando a oxidação é acelerada o suficiente sob O óleo de linhaça e outros óleos secantes usa-
condições adequadas, o calor gerado atinge a dos para pintura são especialmente perigosos.
temperatura de ignição do material. Assim, ha- A temperaturas ambientes normais, algumas
verá fogo sem a ajuda de uma chama externa. substâncias combustíveis oxidam lentamente
Alguns materiais entram em ignição mais rapi- até atingirem o ponto de ignição. Exemplos in-
damente que outros. Por exemplo: sob a mesma cluem óleos e gorduras vegetais e animais, car-
aplicação de calor, papel incendeia mais rápido vão mineral, carvão vegetal e alguns metais em
que madeira; madeira mais rápido que carvão; pó muito finos. Em pilhas de carvão, temperatu-
carvão mais rápido que aço e assim por diante. ras acima de 60 graus centígrados são conside-
Naturalmente, quanto mais finas forem as partí- radas perigosas. Quando as temperaturas se
culas de um combustível, mais rapidamente ele aproximam rapidamente deste valor, ou o exce-
queimará. dem, é aconselhável remover a pilha ou arrumá-
Voltemos aos trapos com óleo. Os investigado- la, de forma a ter uma melhor circulação de ar

96
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

para arrefecimento. porão úmido, mas bem ventilado. Ele pegou


Os fazendeiros conhecem muito bem os riscos fogo em pouco tempo. Eis aqui uma boa adver-
de serragem, feno, cereais, juta e sisal... especi- tência para os amantes do churrasco: armazene
almente quando estão sujeitos a calor ou a apenas pequenas quantidades de carvão em
alternação de umedecimento e secagem. A cir- lugares secos e bem ventilados.
culação de ar, a remoção de fontes externas de Tenha em mente os perigos da combustão es-
calor e o armazenamento em quantidades me- pontânea e pratique a segurança jogando tra-
nores são os cuidados desejáveis. pos com óleo e lixo em recipientes adequados,
O carvão vegetal pode entrar em combustão tanto no trabalho quanto em casa. Faça da se-
espontânea sob as condições certas e a umida- gurança o seu mais importante projeto pessoal,
de ajuda. Em um teste, um saco de 10 kg de aquele do tipo “faça você mesmo”.
briquetes de carvão vegetal foi colocado num

97
Recipiente: líquidos inflamáveis
Muitas instalações industriais e estabelecimen- te legível, para evitar confusão de conteúdo com
tos comerciais compram líquidos inflamáveis em outro inflamável, combustível ou líquidos não
tambores de 200 litros. Para uso rotineiro, eles inflamáveis e também para facilitar o descarte
transferem estes líquidos para recipientes me- seguro.
nores. Talvez os equipamentos mais comuns para ar-
Os tambores devem satisfazer os rígidos pa- mazenar pequenas quantidades de líquido in-
drões para que possam estar qualificados como flamável sejam os recipientes portáteis varian-
recipientes para transporte de líquidos inflamá- do de meio a 15 litros. Os recipientes seguros
veis. Porém, estes padrões não servem para são feitos de várias formas. Recipientes especi-
qualificar os tambores como recipientes de ais podem ser usados para líquidos viscosos,
armazenamento de longo prazo. como os óleos pesados. Os recipientes para uso
Muitos usuários assumem que é seguro arma- final também são fabricados de muitas formas,
zenar tambores fechados exatamente como fo- para diferentes aplicações.
ram recebidos. Um tambor para ser seguro para Somente os recipientes de segurança reconhe-
o armazenamento, deve ser protegido contra a cidos devem ser considerados aceitáveis para
exposição a riscos de incêndio ou explosão. O o manuseio de líquidos inflamáveis, seja para
armazenamento externo deve ser preferido em armazenamento, transporte ou utilização final.
relação ao interno. Porém, os tambores devem Os recipientes geralmente devem ser pintados
ser protegidos contra luz solar direta e contra de vermelho e ter rótulos claramente visíveis e
outras fontes de calor. O tampão deve ser subs- legíveis, que identifiquem os conteúdos e indi-
tituído por um respiro de alívio vácuo-pressão, quem os riscos existentes. O aço inoxidável ou
tão logo um tambor fechado seja aberto. recipientes não pintados podem ser usados para
Este tipo de respiro deve ser instalado num tam- líquidos corrosivos ou de dissolução de tinta.
bor de líquido inflamável vedado se houver Os líquidos inflamáveis geralmente são com-
qualquer possibilidade de que ele seja exposto prados em pequenos recipientes com tampas
a luz solar direta ou se for exposto a variações de roscas. Emboras eles satisfaçam rígidos pa-
consideráveis de temperatura. Se um tambor drões para se qualificarem como recipientes para
vazar ou for danificado de qualquer maneira, transporte, não oferecem necessariamente pro-
seu conteúdo deve ser imediatamente transfe- teção contra fogo, o que é exigido de recipien-
rido para um recipiente em bom estado que es- tes para armazenamento e transporte de líqui-
teja limpo ou que tenha sido usado para guar- dos combustíveis e inflamáveis.
dar o mesmo tipo de líquido anteriormente. O Conseqüentemente, recomenda-se que, em cada
recipiente substituto deve ser do tipo que sa- caso onde um grau maior de segurança deva
tisfaça as exigências necessárias de segurança. ser obtido, todos os líquidos inflamáveis sejam
Todo tambor deve ser verificado quanto à pre- transferidos para recipientes “reconhecidos”,
sença de rótulo identificando seu conteúdo. É tão logo os recipientes de transporte vedados
importante que este rótulo permaneça claramen- sejam abertos.

98
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Como manusear solventes inflamáveis


Siga estes cuidados sempre que você precisar ü Coloque, no local, extintores de incêndio para
usar solventes inflamáveis: fogo em líquido inflamável. Posicione-os em
ü Proteja os tanques de limpeza de acordo com locais apropriados.
o padrão recomendado. Isto significa insta- ü Evite fumar próximo a fontes de ignição.
lar “esguichos (sprinklers)” automáticos, sis-
temas de proteção fixos, drenos de nível su-
ü Ventile para evitar a formação de misturas
explosivas.
perior, ventilação especial e isolamento de
fogo. ü Se possível use solventes com pontos de ig-
ü Use recipientes de segurança para pequenas nição acima de 450C e não os aqueça acima
operações manuais de limpeza. de 30C abaixo do ponto de ignição.

ü Use esguicho ventilado para operações de ü Mantenha a quantidade de solvente em uso


limpeza onde o solvente deve ser esguicha- no mínimo necessário para o trabalho.
do no trabalho. Ventile o tanque de solvente ü Arranje recipientes metálicos tampados para
para o lado externo e, se necessário, equipe o trapos de limpeza usados e remova-os do lo-
respiro de ventilação com abafador de fogo. cal de trabalho ao final do dia.
ü Não use solvente inflamável em equipamen- ü Use ferramentas que não soltem fagulhas (fei-
to desengraxante a vapor. tas de alumínio, latão ou bronze).

99
Como podemos prevenir incêndios
Você já parou para pensar no quanto todos nós controlado por arrefecimento. Por exemplo: uso
perderíamos no caso de um incêndio grave? de água para esfriar o material.
Se nossas instalações fossem danificadas, al- Os incêndios de classe B envolvem fluídos infla-
guns de nós poderíamos perder o emprego... e máveis, como gasolina, óleo, graxa ou tinta.
até nossas vidas. Nossos clientes perderiam Geralmente eles são “sufocados” através do con-
porque dependem de nossos produtos. Eles te- trole de oxigênio que os alimenta, usando espu-
riam que aumentar seus preços e, em alguns ma, dióxido de carbono ou pó químico seco.
casos, talvez precisassem demitir alguns de Os incêndios de classe C envolvem equipamen-
seus empregados. Isto criaria um círculo tos elétricos e geralmente são contidos através
vicioso. do controle do oxigênio. Os extintores de dióxido
Assim, o que pode ser feito em relação a incên- de carbono ou de pó químico – não condutores
dios? Primeiro, temos que compreender que o de eletricidade – são usados.
controle de incêndio depende de nosso conhe- Os incêndios de classe D ocorrem em metais
cimento acerca de princípios fundamentais. Os combustíveis, como magnésio, lítio ou sódio e
três ingredientes fundamentais essenciais a requerem extintores e técnicas especiais.
todos os incêndios comuns são: Eis aqui algumas formas que podem ajudar a
1. Combustível: papel, madeira, óleo, solventes, evitar incêndios:
gás, etc. 1. Manter uma área de trabalho limpa, evitando
2. Calor: o grau necessário para vaporizar o o acúmulo de entulhos.
combustível, de acordo com sua natureza. 2. Colocar trapos sujos de óleo e tinta em recipi-
3. Oxigênio: normalmente, deve haver pelo entes metálicos tampados.
menos 15% de ar para sustentar um incên- 3. Observar os avisos de “NÃO FUMAR”.
dio. Quanto maior for a concentração, mais
4. Manter todos os materiais combustíveis afas-
brilhante será a brasa, e mais rápida será a
tados de fornalhas ou outras fontes de ignição.
combustão.
5. Relatar qualquer risco de incêndio que esteja
Para extinguir um incêndio, é necessário remo-
além do nosso controle – especialmente os
ver apenas um dos itens essenciais para sua
riscos elétricos.
manutenção. Isto pode ser feito por:
Finalmente, eis alguns pontos a serem lembra-
1. Arrefecimento (controle da temperatura e do
dos:
calor)
1. Evite os incêndios através da arrumação, lim-
2. Sufocação (controle do oxigênio)
peza e ordenação e através do manuseio cor-
3. Isolamento (controle do combustível) reto de inflamáveis.
4. Interrupção da reação química em cadeia, em 2. Saiba onde estão os extintores de incêndio e
certos tipos de incêndio. o tipo de cada um, onde podem ser aplicados
Os incêndios são classificados de acordo com e como operá-los.
o que estão queimando. 3. No caso de incêndio, dê o alarme imediata-
Os incêndios de classe A envolvem combustí- mente e certifique-se de que a brigada de in-
veis em geral, como a madeira, tecidos, papel cêndio seja informada corretamente do local
ou entulhos. Geralmente este tipo de incêndio é do incêndio. Se necessário, acione o Corpo
100
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

de Bombeiros. que chegue ajuda.


4. Mantenha portas contra fogo, saídas, esca- Se necessário, saia do prédio onde está. Não
das, saídas de incêndio e equipamentos de pare para pegar qualquer coisa – apenas saia!
combate a incêndio livres e desimpedidos. Podemos prevenir incêndios?
5. Use o equipamento de combate a incêndio Certamente podemos... se tentarmos. Assim
portátil disponível para controlar o fogo até podemos preservar nosso bem-estar e nosso
trabalho.

101
Procedimentos corretos para o
reabastecimento
Parece que o abastecimento e o reabastecimen- ü Drene a mangueira quando terminar e limpe
to de veículos é uma coisa quase que contínua. algum derramamento que tenha ocorrido.
É necessário e faz parte da rotina do nosso tra-
balho. Tanto é que algumas vezes esquecemos
NORMALMENTE, ABASTECEMOS PEQUE-
o quanto é perigoso. O perigo está no fato de
NOS MOTORES USANDO PEQUENOS GA-
que o álcool e a gasolina evaporam rapidamen-
LÕES. QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS
te e seus vapores invisíveis podem se espalhar
QUE TORNAM UM RECIPIENTE SEGURO
para áreas, onde nós, não esperamos que se
PARA COLOCAR GASOLINA?
acumulem. No reabastecimento, nós temos não
apenas vapores, mas também outros riscos.
Assim sendo, precisamos tomar um pouco mais ü Ele deve ter uma capacidade entre 3 e 15 li-
de cuidado durante esta operação. tros.
ü Deve ter um abafador de chama dentro do
QUANDO ESTIVERMOS REABASTECENDO recipiente para impedir que uma centelha ou
UM CAMINHÃO A PARTIR DE UM TANQUE calor faça os vapores entrarem em ignição.
ACIMA DO SOLO, QUAIS SÃO AS REGRAS
ü Deve possuir um sistema de alívio de pres-
DE SEGURANÇA DE QUE DEVEMOS NOS
são de dentro para fora, mas que mantenha a
LEMBRAR?
abertura fechada.
ü A peça para segurar o recipiente deve ser
ü Mantenha o bico da bomba com contato com construída de forma a proteger a alavanca de
a boca e o tubo de combustível enquanto abertura.
abastece. Isto impedirá o acúmulo de eletrici-
dade estática e uma possível explosão.
O QUE DEVEMOS REALMENTE EVITAR
ü Se houver qualquer possibilidade de movi- QUANDO ESTAMOS REABASTECENDO?
mento do caminhão, calce as rodas.
ü Desligue o motor e a chave de ignição antes
ü Derramar gasolina no piso ou chão. Se derra-
de começar o abastecimento.
mar, devemos limpar para evitar que o vapor
ü Não fume em áreas de abastecimento. se espalhe.
ü Mantenha o extintor de incêndio entre 7 a 20 ü Molharmo-nos com a gasolina.
metros do tanque.
ü Colocar gasolina onde haja fonte de calor,
ü Nunca encha o tanque totalmente. Deixe al- centelha ou chama a menos de 16 metros de
gum espaço para expansão e inclinação sem onde estamos.
derramamento.

102
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Dez maneiras para conviver com a gasolina


Quando a gasolina é bombeada para um recipi- cigarro. O vapor explodiu, queimando quase
ente portátil para uso em casa, criamos um po- 90% de seu corpo.
tencial de incêndio e explosões. As pessoas ü Não acione interruptores de eletricidade. Se
não estão a par de sua inflamabilidade extrema você sentir o cheiro de gasolina, ventile o
e geralmente violam as regras sobre como lugar mas não crie uma fonte de ignição. O
manuseá-la. vapor de gasolina precisa apenas de uma
Você sabe com que facilidade a gasolina pode centelha para ignizar-se. O arco de uma cha-
entrar em combustão? Eis aqui dez maneiras ve elétrica é o bastante.
para evitar ser queimado por gasolina:
ü Não confunda gasolina com outra coisa. Um
ü Não a coloque num recipiente errado. Um re- menino de onze anos foi terrivelmente quei-
cipiente aprovado tem uma base larga que o mado, quando jogou o que pensou ser água
torna quase impossível de ser inclinado e uma no fogo. Era gasolina.
tampa forçada por mola que impede o alívio
de vapor inflamável.
ü A gasolina deve ser sempre armazenada num
recipiente marcado e fora do alcance de cri-
ü Não use gasolina para limpar pincéis de tin- anças que não saibam ler ou seguir instru-
ta. Na maioria dos incêndios que começam ções em rótulos.
em pincéis, os vapores são ignizados por lâm-
padas piloto de fornos ou até mesmo por uma
ü Não use gasolina para limpar vestuário. Uma
vela. Qualquer casa de tintas vende também mulher queimou sua face e mãos quando a
solventes para limpeza de pincéis que lim- roupa molhada com gasolina foi colocada
pam muito melhor do que a gasolina, com numa máquina de lavar, provocando vapo-
menor risco de incêndio. res que se incendiaram por uma centelha do
motor elétrico.
ü Não fume enquanto estiver manuseando a
gasolina. Um cigarro ou fósforo podem facil-
ü Algumas pessoas mal informadas também
mente ocasionar fogo ou causar uma explo- usam gasolina para limpar roupas a seco, com
são em gasolina. Nunca fume em postos de resultados desastrosos.
abastecimento. ü Não use gasolina para acender uma lareira.
ü Não use gasolina próximo de uma fonte de Um fazendeiro fez isto. Quando as chamas
finalmente começaram, somente a lareira fi-
ignição. O bom senso deve prevalecer. Os
cou no lugar com a explosão dos vapores.
pilotos de aquecedores de água representam
as fontes de ignição mais comuns dos incên- ü Nunca deixe recipientes com gasolina des-
dios por gasolina. Não existe nenhuma razão tampados. Num incêndio um menino de dois
legítima para guardar gasolina dentro de re- anos morreu e outros membros de sua família
sidências. foram queimados, quando os vapores de uma
ü Não use gasolina para limpar chão. Uma lata destampada com gasolina deixada sob a
pessoa usando um pano molhado com escada pegou fogo por causa de uma gela-
gasolina para limpar o chão, acendeu um deira a gás.

103
Limpeza de tambores
Um ponto a ser lembrado quando limpar um ü Retire os tampões com uma chave de boca
tambor é que, embora você ache que tirou dele longa e deixe o líquido drenar totalmente. (Em
todo o líquido, dificilmente conseguirá esvaziá- alguns tambores, este material pode requerer
lo completamente – isto se ele contiver líquidos manuseio especial. Você deve ser instruído
inflamáveis. nestes casos.)
O tambor nunca é esvaziado porque o vapor ü Use uma lâmpada à prova de explosão para
permanece, depois que o líquido é retirado. Este inspecionar o interior do tambor quanto à
vapor se mistura com o ar dentro do tambor e presença de trapos, ou outros materiais que
enche o espaço vazio. possam impedir a drenagem total.
Esta mistura de vapor e ar algumas vezes pro-
duz explosões. Esta combinação explode no
ü Drene o tambor por mais cinco minutos. Isto
motor do seu carro quando você dá a partida. É deve ser feito colocando o tambor numa pra-
também o que explode quando você acende um teleira de vapor ou de cabeça para baixo apoi-
fósforo para ver se um tanque de combustível ado em algum suporte. Deixe-o drenar, certi-
está vazio. ficando-se de que o tampão fica na parte mais
baixa. Aplique o vapor durante pelo menos
Você tem apenas de se lembrar que qualquer dez minutos. Alguns materiais podem exigir
tambor usado para estocar líquido inflamável – mais tempo de aplicação de vapor. Você será
gasolina, óleo, solventes e assim por diante – é informado sobre isto.
uma bomba armada, apenas esperando que você
cometa um erro, se manuseá-la incorretamente. ü Coloque uma solução cáustica e gire o tam-
Assim sendo, antes de usar um tambor velho, bor durante pelo menos cinco minutos. Mar-
limpe-o completamente antes de qualquer tele o tambor um pouco com um malho de
trabalho de reparo de soldagem necessário. madeira, para soltar as escamações.
Eis aqui o procedimento correto para a limpeza ü Lave o tambor com água quente, deixando
de um tambor: toda a água drenar pelo tampão.
ü Remova todas as fontes de incêndio, cente- ü Lave o lado externo do tambor com vapor
lhas ou calor da área em que você vai abrir d’água.
tambores velhos. Isto inclui interruptores e ü Seque o tambor com ar quente.
lâmpadas elétricas desprotegidas. Se as fon-
tes de ignição não puderem ser removidas, ü Após secá-lo, inspecione-o cuidadosamen-
faça o trabalho numa área onde não estejam te para certificar-se de que esteja limpo, usan-
presentes. Use somente lâmpadas de exten- do uma lâmpada à prova de explosão. Se não
são à prova de explosão. estiver, lave-o novamente a vapor. Faça sem-
pre um novo teste antes de começar qual-
ü Use vestuário de segurança requerido. Isto quer soldagem no tambor, mesmo se ele foi
inclui botas de borracha e avental, luvas de limpo e testado anteriormente.
borracha ou asbetos.

104
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Poeira explosiva
Todos vocês já leram ou ouviram relatos sobre rerá em algum ponto da nuvem formada – du-
explosões de poeira e sabem que muitas poei- rante um segundo ou dois, pelo menos. Nestes
ras podem explodir se houver corretas condi- casos, você terá o necessário para provocar um
ções para tal. Como qualquer um de nós pode incêndio ou explosão.
passar por uma situação como esta, hoje falare- Se houver muita poeira à sua volta, você terá
mos um pouco sobre isto. duas explosões e um incêndio. A primeira ex-
A poeira de qualquer substância que possa ser plosão geralmente é pequena, mas lança mais
mantida queimando quando você coloca fogo poeira no ar. Aí acontece a explosão maior e
explodirá sob as condições certas. Duas coisas mais perigosa.
são necessárias para esta explosão: a poeira A poeira em áreas abertas criará apenas uma
deve ser fina o suficiente e deve ser misturada grande labareda. Em espaços fechados, contu-
com a quantidade certa de ar. do, como numa mina de carvão, a poeira pode-
A poeira não explodirá quando estiver no chão ria produzir pressões que edifícios e tanques
ou em camada sobre as coisas. Mas se você não suportariam. Os edifícios novos, que alo-
chutá-la um pouco, formando uma nuvem no ar, jam processos que apresentam estes riscos, (as-
você terá uma condição explosiva. Adicione uma sim como moinhos, elevadores de cereais e
chama ou centelha a esta condição e ela poderá oficinas de usinagem de metais) são projetados
explodir. Para explodir, a poeira tem que ser fina com seções de paredes ou teto que se abrem e
o suficiente para pegar fogo facilmente. A poeira deixam a pressão sair, antes que atinjam um nível
de madeira, por exemplo, não precisa ser tão muito alto.
fina quanto a poeira de carvão. As partículas de As explosões de poeira podem ser evitadas se
poeira têm que estar próximas o bastante, de os três princípios abaixo forem aplicados:
forma que a chama se espalhe, mas separadas o
bastante para que se obtenha a quantidade certa
ü Mantenha a poeira separada do ar o máximo
possível.
de oxigênio para queimar.
Os pós de metais podem ser explosivos se fo- ü Não deixe a poeira de acumular, limpando-a
rem finos o bastante para passar através de uma sempre.
tela de 500 mesh. Estas poeiras são explosivas ü Mantenha as fontes de ignição afastadas.
da mesma forma que a madeira e o carvão. Pós Para limpar poeiras explosivas, use uma vas-
de magnésio, alumínio e bronze são muito ex- soura de fibra macia ou um aspirador de pó –
plosivos. nunca use vassoura ou espanador do tipo do-
Sempre que uma poeira explosiva é lançada no méstico. Se o projeto do edifício permitir, use
ar, a mistura certa com o ar provavelmente ocor- água para lavar a poeira.

105
Recipientes de segurança
Um homem foi morto quando uma lata de gaso- sobre a superfície defletora (tela) a uma
lina explodiu em suas mãos. Ele estava jogando temperatura abaixo do ponto de ignição dos
gasolina numa fogueira de lixo em seu quintal vapores internos. A chama não pode passar atra-
quando, subitamente, tornou-se uma tocha vés da tela.
humana. Num recipiente que não seja de segurança, não
Esta é uma velha história, mas acidentes como há nada que impeça a chama de entrar no recipi-
este continuam a fazer manchetes, a cada sema- ente. Se a proporção da mistura de ar-vapor
na. estiver na faixa explosiva do líquido inflamável
Nunca coloque, espalhe ou arremesse líquidos contido, o recipiente pode explodir se os
inflamáveis num incêndio. Nunca use líquidos vapores foram incendiados.
inflamáveis em qualquer material combustível, Um outro aspecto do recipiente de segurança é
mesmo antes de acender o fogo. A maioria de uma tampa de alívio de pressão não removível e
nós nem imagina a força explosiva em potenci- articulada, que impede o recipiente de romper
al de até mesmo pequenas quantidades destes devido à exposição ao fogo ou calor extremo.
líquidos voláteis. A tampa com tela num recipiente que não seja
A condição insegura nos casos de recipientes de segurança não é capaz de aliviar a pressão
vazando é sempre encontrada nos relatórios de dentro dele e pode derramar, se o operador se
acidentes. “O líquido inflamável não estava num esquecer de recolocá-la.
recipiente de segurança aprovado”. Toda a vítima de fogo sobre a qual você tenha
O que é um recipiente de segurança aprovado? lido poderia ter sido salva – mesmo aquelas que
E por que não explodiria como outro qualquer? tenham cometido algum ato inseguro – se o lí-
Um recipiente de segurança para líquidos infla- quido estivesse armazenado num recipiente de
máveis possui defletores de chama em suas segurança.
aberturas de enchimento e saída. Se o recipien- Verifique a estocagem de líquidos inflamáveis
te tiver apenas uma abertura, deve ser protegi- em suas casas. Se os recipientes estiverem mar-
da por tela. cados com a palavra “Inflamável”, lembre-se de
Na realidade, a tela impede que chamas fora do algumas coisas que você aprendeu hoje.
recipiente penetrem dentro dele, incendiando
os vapores internos. Ela dissipa o calor do fogo

106
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Fuja de incêndios... onde quer que você esteja


Temos aqui um guia para você escapar de casa, ü Soe o alarme se você vir fumaça ou sentir
do trabalho, edifícios altos e de locais públi- cheiro de algo queimando.
cos... onde quer que você esteja e comece um
incêndio.
ü Feche as portas atrás de você.
SEU PIOR INIMIGO É A FUMAÇA! A fumaça, ü Use as escadas de saída, nunca elevadores.
o calor e os gases podem colocar você em esta- ü Tenha um plano de saída de emergência pre-
do de choque e matá-lo depois de poucas res- parado, mostrando suas rotas de saída. (Per-
piradas. Se você for pego pela fumaça, deite no gunte a seu empregador ou ao síndico do
chão e rasteje. edifício sobre isto).
UM OUTRO INIMIGO É O ELEVADOR. Ele
pode aprisionar você. Se os sinais do elevador SAÍDA DE CASA.:
forem ativados por calor, o elevador pode ser
forçado a ir para o local onde o fogo está. Você ü Instale um detetor de fumaça fora da área dos
não gostaria de estar nele nesse momento. Faça quartos de dormir. Ele deve ter um rótulo da
um lembrete mental das escadas para saída de organização de testes de equipamentos de
incêndio, onde quer que você esteja. Use-as segurança.
para descer para os níveis abaixo de onde se ü Cada um dos membros da família deve plane-
encontra o incêndio. jar duas rotas de saída de seu quarto de dor-
SAIA DOS LUGARES PÚBLICOS. Faça um lem- mir. Se uma janela representa uma saída, cer-
brete mental das várias saídas de incêndio sem- tifique-se de que ela esteja funcionando. (Tal-
pre que você entrar num restaurante, loja, tea- vez você precise comprar uma escada espe-
tro ou outro edifício público. Fumaça ou o chei- cial de incêndio, se a janela ficar muito alta
ro de coisa queimada podem significar o início para pular).
de um incêndio. Lembre-se nesta hora das saí- ü Durma com as portas dos quartos fechadas.
das de incêndio e evite as saídas principais, As portas mantém a fumaça fora do quarto e
que estarão tumultuadas e cheias de pessoas. aumentam o tempo para escapar. Teste as
portas. Se estiverem quentes, use uma rota
COMO SAIR DO EDIFÍCIO ONDE VOCÊ TRA- de saída alternativa. Se estiverem frias, en-
BALHA, DO SEU APARTAMENTO OU DE coste seu ombro contra elas e abra cuidado-
LUGARES ALTOS: samente. Esteja pronto para fechar as portas
ü Se você mora num edifício, instale um detetor se a fumaça ou calor começarem a entrar pela
primeira fresta. Se o “hall” estiver livre, sua
de fumaça ao lado de fora da área dos quar-
saída usual talvez seja a mais segura.
tos de dormir.
ü Saiba o local das saídas de incêndio e das ü Estabeleça um lugar para reunir todo mundo
a fim de saber se todos estão seguros. Escre-
caixas de alarme mais próximas de você.
va seu plano de saída em caso de incêndio e
ü Saiba de cor o número do Corpo de Bombei- ensaie-o periodicamente.
ros.

107
SE VOCÊ FICAR PRESO... ü Desligue ventiladores e condicionadores de
ü Pense. ar.
ü Rasteje se houver fumaça. Prenda sua respi- ü Faça sinais pela janela. Se houver um telefo-
ração e feche os olhos sempre que puder. ne, chame o Corpo de Bombeiros e informe-
os sobre onde você está, mesmo que eles já
ü Coloque portas fechadas entre você e a fu-
estejam no local.
maça. Vede as frestas em volta das portas e
respiros, usando trapos e tecido. Molhe-os ü Fique calmo. O resgate pode vir a qualquer
se houver água por perto. momento.

108
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Precauções com cilindros de oxigênio e


acetileno
PRECAUÇÕES COM CILINDROS DE OXIGÊ- ü Não transporte cilindros de gases (cheios ou
NIO vazios) sem a respectiva tampa;
ü Evite armazenar cilindros nas imediações de ü Abra a válvula do cilindro lentamente para
materiais combustíveis ou onde possam so- não danificar o regulador de pressão.
frer pancadas;
ü Nunca deixe que os cilindros entrem em con- PRECAUÇÕES COM CILINDROS DE
tato com fios eletrificados, ou com equipa- ACETILENO
mentos de solda elétrica em funcionamento
ü Chame o acetileno pelo seu próprio nome,
ou com objetos que estejam sendo soldados
não o chame de gás. Mistura com ar são ex-
à eletricidade;
plosivas quando incendiadas;
ü Não derrube os cilindros e nem os role pelo
chão, empregando-os como roletes ou su-
ü Coloque o cilindro sempre de pé;
portes; ü Use-o de maneira normal, através do regula-
ü Sempre feche as válvulas depois de usá-los; dor. Nunca transfira o acetileno de um cilin-
dro para outro;
ü Oxigênio não é ar;
ü Nunca se utilize de um cilindro que esteja
ü Cuidado com óleos, graxas, gorduras e mate- vazando acetileno;
riais combustíveis, principalmente com as
mãos sujas de graxa;
ü Em caso de vazamento, leve o cilindro para
local ventilado, livre de chamas e avise a
ü Evite a todo custo a contaminação dos cilin- empresa fornecedora;
dros com óleos ou graxas;
ü Nunca deixe o acetileno escapar em recinto
ü Nunca use oxigênio como ar comprimido para fechado;
pistolas de pintura, partidas de motores a
diesel, limpeza de recipientes, para tirar pó de
ü Não abra uma válvula de cilindro de acetileno
mais do que ¼ da volta;
roupas, etc.;
ü Nunca use martelo ou chaves para abrir vál- ü Mantenha o cilindro longe do calor (sol, for-
nos, estufas, etc.);
vulas de cilindros;
ü Sempre que abrir a válvula, tenha um regula- ü Os cilindros não devem ser derrubados ou
rolados, mas podem ser movimentados em
dor de pressão instalado na saída;
pé, rolando-os sobre a sua base de apoio;
ü Não altere a cor do cilindro, pois este indica
o tipo de gás nele contido. Esteja a par das
ü As canalizações devem ser de ferro ou aço;
normas de pintura dos tubos; ü Nunca emende mangueiras para acetileno
ü Não tente consertar a válvula do cilindro car- com pedaços de cano de cobre (podem for-
mar compostos explosivos).
regado ou vazio. Deixe para o pessoal habili-
tado;

109
Como agir em caso de incêndio
Manter a calma. no chão, abafando contra o piso. Não corra,
Pegar ao alcance um extintor caso tenha conhe- porque a chama irá aumentar.
cimento e recebeu treinamento. Em casos extremos, vá para a janela e procure
Caso esteja em locais públicos, sempre verifi- chamar atenção. Colocando anteparos como
que localização de extintores, saídas de emer- mesa, um móvel entre você e a janela. Pode tam-
gência, procure descer para a saída local. Não bém esperar socorro no banheiro, fechando-se,
utilize o elevador, pois a eletricidade poderá ser vedando-se frestas com panos molhados, abra
desligada ou haver corte devido a ação do fogo. todas as torneiras para vazar a água.
Procure orientar as outras pessoas para o me- Na empresa em que você trabalha – procure
lhor procedimento. informar-se dos procedimentos a serem segui-
Caso esteja num coletivo, alerte os demais pas- dos, esteja sempre em contato com os membros
sageiros e procure orientar a saída, de maneira da brigada, solicite treinamento de combate a
calma. incêndio, saiba os tipos de comunicação que
No lar, desligue, inicialmente, o sistema elétri- são adotados em caso de emergência. NÃO SE
co. Retire as pessoas do interior da casa, chame OMITA. O QUE VOCÊ APRENDE NA EMPRE-
o corpo de bombeiros e trate de combater o SA, SERÁ AUXÍLIO EM QUALQUER EVEN-
princípio de incêndio. Não havendo extintores, TUALIDADE, EM QUALQUER LUGAR.
use água mas atenção: só se for desligada a
energia. Caso chamar o Corpo de Bombeiros, dê as se-
Estratégia de fuga – trate de ir para o 1º andar, guintes informações:
de onde será mais fácil sair do local. Antes de ü Diga o nome completo, o local do sinistro e
abrir a porta, verifique se há aumento de tempe- um referencial (ex.: igreja, loja, etc.);
ratura e ao abrir, fique posicionado atrás da
porta. Se há muita fumaça, procure rastejar e
ü Dê o número do telefone que você está usan-
do;
respirando bem junto ao piso; se possível, res-
pire através de um pano molhado e também dei- ü Responda com calma às perguntas que se-
xe suas roupas molhadas. Caso observe alguém rão formuladas pelo Corpo de bombeiros.
em chamas, procure derrubá-lo, fazendo com ü Desligue e aguarde junto ao aparelho a cha-
que se role no chão, ou tente agarrar com um mada para confirmação.
cobertor, pano, etc. Caso você esteja em cha-
mas, não esqueça, para apagar a chama, role se

110
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Conheça o seu equipamento de incêndio


VAMOS APRESENTAR O EXTINTOR DE CO2:
ü Possui na extremidade da mangueira um dis- Verificar se o lacre não está violado. Caso este-
positivo denominado difusor; ja, o que devemos fazer:
ü Não possui manômetro. ü Verificar a condição da mangueira;
ü Não utilizar em equipamento elétrico sensí-
E os seus cuidados: vel, pois o pó penetra na parte interna, po-
dendo danificar, motivar mal contato;
ü Não direcione o jato na direção de outras
pessoas; ü Recarga anual;
ü Após utilizar em recinto fechado, não perma- ü Reteste a cada 5 anos.
necer no local;
ü Não posicionar o extintor próximo ou em local
de forte calor (gelo seco perde pressão); VAMOS RELEMBRAR O EXTINTOR DE
ü Não segurar ou encostar a mão no difusor ÁGUA PRESSURIZADA
(congela com a saída do agente);
ü Verificar se o lacre não está violado: Caso Cuidados:
apresente esta irregularidade, comunicar ao ü Verificar o manômetro (o que acontece quan-
técnico de segurança; do está na faixa vermelha?);
ü Recarga anual, observando o mês de venci- ü Verificar a condição da mangueira;
mento; ü Não utilizar em incêndio envolvendo equipa-
ü Reteste (teste no cilindro a cada 5 anos). mentos elétricos energizados (água conduz
eletricidade);
ü Não utilizar em incêndio envolvendo líqui-
QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DO EXTIN- dos inflamáveis, pois a água não se mistura,
TOR DE PÓ QUÍMICO SECO? esparramando mais ainda o fogo (somente
utilize água se o jato for neblina);
ü Possui manômetro, válvula e gatilho;
ü Verificar a condição do lacre;
ü Pela cor da mangueira (não é azul);
ü Recarga anual;
ü Tem em diversos tamanhos, podendo haver
confusão entre o PQS 12 kg com o extintor de ü Reteste a cada 5 anos.
água portátil.
Observação – Como você observou, os extin-
E os seus cuidados: tores de pó químico seco e água possuem
manômetros. Neste manômetro tem a indicação
ü Observar o manômetro, caso esteja indican- de três cores: faixa vermelha, verde, branca ou
do na faixa vermelha deve ser pressurizado amarela. O que indicam as cores?
novamente (caiu a pressão);
Vermelha – você já sabe? Perda de pressão, deve

111
ser pressurizado; LEMBRE-SE: O extintor de incêndio também é
Verde – o extintor está na faixa de operação; um equipamento sob pressão, e como tal não
Branca ou Amarela – há excesso de pressão. deve sob hipótese nenhuma bater ou cair no
Nesta condição, deve-se ter o máximo de cuida- chão.
do para não bater ou derrubar o extintor.

112
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Serviços em vagões-tanque
UM VAGÃO-TANQUE DESCARREGADO ca, solda elétrica, esmerilhamento, etc.), vai
APRESENTA RISCO? ocasionar uma explosão..
POR QUÊ? EXPLOSÃO E INCÊNDIO – Os gases e vapo-
QUAIS SÃO ESTES RISCOS? res combustíveis, quando se misturam com o ar
em certa proporção, tornam-se inflamáveis e
qualquer fonte de ignição externa poderá
Neste diálogo, vamos esclarecer usualmente
ocasionar um incêndio ou explosão. A explosão
nos deparamos com um vagão-tanque, um
só ocorre quando um vapor ou gás que está
vasilhame, um recipiente, um tambor que arma-
dentro da faixa ideal de mistura é atingido por
zenou líquidos inflamáveis e é importante ter
uma fonte de ignição e a mistura está confinada
conhecimento que há risco para a nossa inte-
em tanques ou vasos sob pressão, outros
gridade física, para o patrimônio e ao meio
vasilhames, ou áreas sem ventilação. Ela é
ambiente.
resultante da combustão da mistura em veloci-
Um recipiente que transportou gasolina, óleo dade ultra rápida, gerando como conseqüência
diesel, álcool, por exemplo, após ser descarre- uma temperatura e pressão além da capacidade
gado, deixa no seu interior gases/vapores ine- de contenção do recipiente. Esta mudança
rentes ao próprio produto que em contato com brusca da temperatura e pressão ocorre em mi-
uma fonte de ignição (atrito, chama, cigarro, lésimos de segundo.
palito de fósforo, maçarico, solda oxiacetilêni-

113
Limite de explosividade
O QUE VEM A SER LIMITE INFERIOR E SU- mesma forma, aquele fenômeno também não
PERIOR DE INFLAMABILIDADE? A propor- ocorrerá se a mistura for “pobre”, isto é, a pro-
ção de vapores ou gás combustível e ar (oxigê- porção de vapores ou gases estiver aquém do
nio) deve estar dentro de determinados limites, limite de inflamabilidade da mistura.
expressos em percentuais volumétricos, para Você entendeu? Repetindo, para que haja ex-
que possa ocorrer a ignição da mistura. Não plosão, a mistura do gás/vapor com o ar deverá
ocorrerá ignição nas misturas de vapores ou estar dentro da faixa dos limites inferior e supe-
gases e ar que sejam “ricos”, isto é, a propor- rior de inflamabilidade.
ção de vapores ou gases que ultrapassa o limi-
te superior de inflamabilidade da mistura. Da

Substâncias Ponto de fulgor Temperatura de Limite de


ignição inflamabilidade (% vol.)
°C °C Inferior Superior
Acetona -17 465 2,6 12,8
Acetileno gas 305 2,5 100
Amônia gas 651 16 25
Benzeno 11 560 1,3 7,1
Butano gas 405 1,9 8,5
Gasolina
56-60 octanos -48 280 1,4 7,6
Gasolina
100 octanos -38 456 1,4 7,4
Hidrogênio gas 400 4 75
Metano gas 528 5 15
Metanol 11 385 6,7 36
Querosene 38 226 0,7 5
Tolueno 04 490 1,2 7,1
Xileno 27 530 1,1 7

RISCO – DEFICIÊNCIA DE OXIGÊNIO – O ar deficiência de oxigênio. A entrada de pessoas


contém aproximadamente 21% de oxigênio por no vagão tanque somente quando é permitida:
volume, e a proporção mínima para execução de houve desgaseificação e medição do percentual
trabalho em recinto confinado é de 19,5%. de oxigênio no seu interior ou empregado pro-
Sempre que o ar atmosférico é deslocado por vido de proteção respiratória adequada.
outros gases e vapores, resulta numa

114
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Serviço externo em vagão tanque


POSSO REALIZAR UM SERVIÇO EXTERNO DEFINIÇÕES
(PARTE DE FORA) UTILIZANDO
MAÇARICO, SOLDA, ETC. ESTANDO O VA- SERVIÇO A QUENTE – Todo aquele que envol-
GÃO FECHADO E SEM DESGA-SEIFICAR ? ver a utilização ou geração de qualquer tipo de
Pode, tomando a seguinte precaução – Encher chama, centelhas, superaquecimento ou que
o tanque de água até o ponto máximo do domo implique em contato com equipamento
e mantê-lo fechado. energizado.
SERVIÇO A FRIO – Todo aquele que utiliza fer-
E SERVIÇO QUE NÃO ENVOLVA FONTE DE ramentas ou equipamentos não energizados ou
IGNIÇÃO? que, para sua operação, não necessitem de cha-
Na parte externa, sim, desde que as válvulas de ma ou fonte de calor.
domo permaneçam fechadas. EXPLOSÍMETRO – Aparelho destinado a me-
Na parte interna, somente com máscaras respi- dir concentração de vapores inflamáveis no in-
ratórias adequadas, ou seja, que forneça oxigê- terior de recinto confinado.
nio para o trabalhador.
QUANDO EU PODEREI ENTRAR EM UM RE-
O QUE VEM A SER DESGASEIFICAÇÃO? CINTO CONFINADO, COM GARANTIA?
Remoção completa de vapores ou gases conti- Após o tanque desgaseificado, medido com
dos em recintos confinados através de ventila- explosímetro acusando 0% e com percentual de
ção, exaustão ou vaporização. no mínimo 19,5% de oxigênio.

115
116
Produtos químicos
117
Alvejante à base de cloro: branqueador ou
assassino?
A ignorância sobre os efeitos letais de misturar misture este produto com outro que contenha
alvejante comum à base de cloro com outros um ácido (vinagre comum, algum outro produ-
produtos de limpeza incapacita milhares de tra- to de limpeza para banheiros e alguns abrasivos
balhadores todos os anos. e limpadores) ou com um produto que conte-
O perigo é bem conhecido. Ainda assim, há sem- nha uma substância alcalina (amônia, e alguns
pre alguém que erroneamente acredita que a abrasivos ou limpadores).
mistura de dois alvejantes poderosos faz o tra- Se os recipientes com substâncias de limpeza
balho de maneira melhor. não forem rotulados, não os use até saber o
Não é bem assim. A verdade é que estas mistu- que contém.
ras podem provocar um grande prejuízo. Quando um trabalhador é envolvido por gases
A mistura de alvejantes à base de cloro com como cloro ou cloramina, administre oxigênio,
produtos de limpeza que contenham amônia se possível, ou remova o acidentado para um
produz cloramina, um gás irritante que é quase local com ar puro e busque ajuda médica. Res-
tão mortal quanto o gás de cloro. pirar estes gases pode causar problemas respi-
As equipes de vigilantes, de manutenção e de ratórios superiores severos e interferir na respi-
limpeza, ou qualquer um que trabalhe com pro- ração, irritar os olhos e nariz, causar inconsci-
dutos químicos de limpeza, devem usá-los com ência, podendo até mesmo levar até a morte se
muito cuidado. a vítima não for tratada imediatamente.
Primeiro, verifique os rótulos quanto a alertas Lembre-se de que a mistura de produtos de lim-
de “PERIGO”, “ADVERTÊNCIA” e “CUIDA- peza raramente resulta em um produto que rea-
DO” que devem se indicados quando o materi- lize melhor o trabalho. A maioria das combina-
al é potencialmente perigoso. Se o alvejante à ções neutralizam ou diluem um ao outro. O mais
base de cloro (hipoclorito de sódio) for um dos importante é lembrar que a combinação de
ingredientes do produto de limpeza, então não alvejante de cloro com um ácido ou álcali pode
até mesmo matar.

118
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Solventes comuns
Os solventes são líquidos que podem dissolver aberta. Você terá apenas um pequeno fluxo de
substâncias sem alterar a sua natureza. Por evaporação. Se você pudesse retirar a parte
exemplo: a água dissolve o sal. Se você ferver a superior inteira da lata, haveria mais evapora-
água até secar, você terá o sal de volta, normal ção. Se você colocar o solvente num recipiente
como antes. A água é o mais comum dos largo, grande e descoberto, a evaporação será
solventes, mas não funciona bem com graxas, maior ainda.
óleos ou gorduras que fazem a poeira grudar Os solventes evaporam mais rapidamente com
nas coisas. Assim, precisamos de solventes que o ar em circulação do que com o ar parado.
sejam bons na dissolução destas substâncias, Quanto mais quente um solvente estiver, mais
para lavar a sujeira acumulada. rapidamente evaporará. É difícil encontrar uma
Todo solvente – álcool, nafta e assim por dian- boa razão para que um solvente seja aquecido.
te – têm suas vantagens e desvantagens. É esta Entretanto, já houve casos deste, causando pro-
a razão pela qual temos misturas. Todo solvente blemas e perigo.
é perigoso, dependendo de como é usado. Antes de manusear qualquer solvente, primei-
Muitos solventes orgânicos queimam. Eles po- ro conheça seus riscos. Observe a situação à
dem causar incêndios e explosões se mal utili- sua volta e planeje a tarefa cuidadosamente,
zados. Muitos deles são tóxicos. Alguns são usando a cabeça. Lembre-se de como os vapo-
inflamáveis, explosivos e tóxicos. Todos são res de solventes atuam e certifique-se de que
úteis e todos podem ser usados se cuidados de os solventes não possam evaporar a ponto de
segurança forem tomados. Não é difícil fazer se tornarem perigosos. Não se esqueça de que
isto – se você souber os riscos e a forma de eles se espalham muito rapidamente pelo ar e
controlá-los. movem-se conforme suas correntes, da mesma
Alguns solventes evaporam muito rapidamen- forma que acontece com a fumaça de cigarro.
te, outros mais lentamente. Quanto maior for a Conheça seu solvente. Saiba se ele é inflamável
área de contato entre o solvente e o ar, maior e/ou tóxico. Nunca use gasolina como solvente,
evaporação será produzida. por ser extremamente volátil e altamente
Suponha que você deixe uma lata de solvente inflamável.

119
Ácidos
Houve uma época em que apenas os trabalhado- tamente. É aí que a maioria das pessoas tem
res da indústria química trabalhavam com áci- problemas com os ácidos. As pessoas têm con-
dos. Porém, essa época já passou. Em qualquer tato com um ácido fraco, como a solução de
instalação industrial de hoje em dia, podemos baterias por exemplo. A pele arde um pouco,
deparar com eles. A maioria deles é mais ou me- mas não muito. Elas vão e lavam o local. A pele
nos prejudicial quando manuseados, ou podem fica um pouco vermelha e inflamada, mas nada
causar danos só de se chegar perto deles. demais acontece. Com isto, elas pensam que
Todos eles podem ser manuseados com segu- não foi nada.
rança, mas você deve saber como. Você tem que Assim vão ficando mais descuidadas. Mais
respeitar essa substância. cedo ou mais tarde, o ácido acaba atingindo os
Os dicionários dizem que os ácidos têm um gos- olhos delas. A menos que os lave imediata e
to azedo e que atacam os metais. A parte relati- completamente, acabarão com, no mínimo, uma
va ao gosto azedo não é tão importante para redução e visão. Dependendo do ácido, prova-
nós, mas a parte que fala da capacidade de ata- velmente causará uma cegueira permanente.
car os metais é, porque esta é a característica A maioria dos ácidos corrói os metais rapidamente,
que os torna perigosos. O dicionário menciona liberando hidrogênio durante a reação. O hidrogê-
que eles também atacam a pele e os tecidos or- nio é altamente inflamável. Uma centelha ou uma
gânicos, além de outras coisas. Alguns deles chama pode iniciar um incêndio. Misturado com o
podem iniciar incêndios e alguns produzem ga- ar, torna-se altamente explosivo. Um outro exemplo
ses venenosos ou inflamáveis. Sendo assim, é é o da bateria comum dos automóveis. Dentro dela,
uma boa idéia saber algumas coisas a respeito o ácido sulfúrico combina com um composto de
dos ácidos que você precisa manusear. chumbo, liberando hidrogênio. Com isto, se usar
Qualquer um que trabalhe com um ácido (ou um fósforo para ver se uma bateria precisa de água
ácidos) deve ter o conhecimento mais comple- (ou mesmo se chegar um cigarro próximo da bate-
to e possível e o mais atualizado sobre esta subs- ria), você estará pedindo que uma labareda seja
tância. Entretanto, se você, em linhas gerais, lançada, jogando ácido em seu rosto. Muitas pes-
conhece os riscos envolvendo ácidos e as prá- soas já passaram por este tipo de acidente.
ticas de segurança que você deve seguir, esta- A maioria dos ácidos vem como líquidos. Com ex-
rá em segurança. Isto é, você estará em segu- ceção de um deles (ácido hidrofluórico), eles não
rança se usar a cabeça sempre que precisar ma- atacam os vidros e a borracha. Assim sendo, de-
nusear ácidos. vem ser mantidos em garrafas e vidro ou em tan-
Lembre-se sempre se que qualquer ácido ataca, ques e tambores revestidos por borracha. O ácido
isto é, queima a pele e os tecidos abaixo dela. sulfúrico forte (muito concentrado) ataca o aço tão
Os ácidos são mortais para os olhos. A rapidez lentamente, a ponto de tambores de aço serem usa-
e a profundidade com que atacam depende do dos. Mas lembre-se, esse ácido pode gerar um pouco
tipo de ácido e do quanto seja forte, seu nível de hidrogênio. Assim, seja seguro e sempre trate
de concentração. De qualquer maneira, o pri- os tambores de ácido sulfúrico como se o espaço
meiro princípio de segurança no manuseio de vazio estivesse cheio de hidrogênio.
qualquer ácido é mantê-lo afastado de você. Se Manuseie os recipientes contendo ácido com
ele entrar em contato com você, lave-o imedia- muito cuidado. A queda de um deles represen-

120
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

ta uma péssima maneira de alcançar uma vida ü Não dê chance a eles


longa e saudável.
ü Proteja seus olhos totalmente
Um outro jeito certo de arranjar encrenca é aque-
cer um ácido ou deixá-lo esquentar. Alguns áci- ü Use vestuário resistente ao ataque ácido, in-
dos são piores do que outros, mas todos eles cluindo luvas
desprendem gases e vapores terríveis. Os áci- ü Manuseie o ácido de forma a evitar derramar
dos sulfúrico e clorídrico liberam gases capa- ou quebrar o recipiente que o contém
zes de queimar a pele e os olhos, assim como de
ü Mantenha-os afastado do calor e fora do al-
atacar seus pulmões. O ácido nítrico libera ga-
cance de substâncias com as quais possam
ses de cor amarelo-amarronzado muito veneno-
reagir.
so. Eles podem danificar bastante seus pulmões
antes que você perceba isto. Se você for expos- Tudo isto significa que, se for trabalhar com
to a uma concentração pesada sem o equipa- ácidos, você deve conhecer os riscos e as prá-
mento de proteção adequado, você morre em ticas seguras para usá-los. Os ácidos podem
um dia ou dois. ser manuseados com segurança.
Assim, eis aqui o ABC da segurança para o
manuseio de ácidos:

121
Gases liqüefeitos de petróleo
Quais os principais gases liqüefeitos do petró- ü As áreas devem ter boa ventilação;
leo?
ü Os botijões devem estar distantes dos cilin-
Propano e Butano. dros de oxigênio;
ü Devem ficar na posição vertical.
Estes gases, como vimos anteriormente, são
usados em soldas, corte, isqueiros e no lar. Qual
o principal risco no manuseio com os mesmos? Por que deve-se evitar o contato destes gases
com a pele?
Sendo mais pesado do que o ar, quando houver Estes gases tem a propriedade de se evaporar
vazamentos, ficarão acumulados no nível do muito rapidamente e na evaporação, absorvem
chão. calor que pode provocar queimadura na pele
pelo frio.

Poderá haver explosões caso alguém utilize


qualquer chama ou provoque faísca.
Recomendações
Conseqüência – o aumento da temperatura au- Um isqueiro à gás butano, caso venha a explo-
menta os possíveis vazamentos, incêndios e dir, equivale a 3 bananas de dinamite. Por isso
explosões. todo o cuidado, evitando utilizar para acender
o forno, fogão, maçarico, perto de chama, ao
portá-lo no bolso da camisa ou da calça.
Quais os critérios para estocagem destes
botijões.

122
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Gases utilizados na indústria


Podemos identificar a presença de gases atra- ACETILENO
vés dos seguintes exemplos:
Quando enchemos o pneu de um carro – há É obtido misturando carbureto de cálcio com
uma compressão de ar; água, o gás não tem cheiro, nem cor, quando
Quando estouramos um balão – há uma expan- puro. A mistura deste gás com o oxigênio vai
são de ar. nos dar a chama “mais quente da Terra”.

Qual seria a composição do ar, quando está no Medida de precaução do fabricante do gás:
estado gasoso? Quando o fabricante distribui acetileno para as
Observe o seguinte exemplo: se pegarmos 100 indústrias, são acrescentados produtos que dão
litros de ar, teremos a seguinte divisão: 78% de ao mesmo um cheiro característico (cheiro de
nitrogênio, 21% de oxigênio e 1% de gás alho). Essa medida faz com que possamos sen-
carbônico e outros gases. tir a presença do gás, identificando-o em caso
de vazamento.
Quais ao gases que são utilizados na indústria?
OXIGÊNIO, NITROGÊNIO, HIDROGÊNIO, O cilindro de acetileno é um tubo com aproxi-
ACETILENO, GLP, GÁS CARBÔNICO, madamente 0,5 cm de espessura. Dentro deste
ARGÔNIO cilindro, coloca-se uma massa de carvão vege-
tal, amianto e cimento formando uma massa
porosa.
Quais os mais usados e que oferecem maiores
riscos?
OXIGÊNIO E ACETILENO – fornecidos em ci- Como o acetileno é um gás que explode facil-
lindros; mente, o fabricante torna a superfície interna
do cilindro parecida com uma esponja, ou seja,
GLP – fornecido em botijões.
uma massa porosa, cheia de pequenos bura-
cos. Com isto, diminui o perigo de explosão,
Onde são mais usados? pois a mesma não se propaga pelos pequenos
OXIGÊNIO E ACETILENO – na solda e corte buracos existentes. Dentro do cilindro, é colo-
oxiacetilênica; cada também acetona, que absorve o acetileno,
GLP (GASES LIQÜEFEITOS DE PETRÓLEO) – tornando-o menos perigoso.
soldas e uso doméstico.
COMO PROCEDER NO MANUSEIO DO CILIN-
Vamos dar alguns pontos importantes e DRO DE ACETILENO
esclarecedores sobre os tipos de gases mais - Devemos sempre deixar o cilindro na posição
usados nas empresas. vertical, nunca deitado.
Qual a conseqüência?
A acetona tenderá a sair da massa porosa junto
com o acetileno.

123
Qual o risco? NA FICA MENOR QUE A PRESSÃO EXTER-
Haverá um aumento de pressão e um desgaste NA.
rápido do conteúdo. Qual a conseqüência?
Você terá exatamente 10 segundos para sair do
- Devemos ter cuidado com o cilindro evitando local pois haverá a explosão do cilindro.
pancadas e choques usando sempre a tampa Qual o risco?
de proteção da válvula. A chama na ponta do maçarico de solda vem
Qual a conseqüência? para dentro do cilindro.
Haverá um deslocamento da massa porosa da
parede do cilindro ou rompimento da válvula. RECAPITULAR
Qual o risco? Os gases mais usados são – ACETILENO,
Existirá um maior perigo de explosão, e com o OXIGÊNIO E GLP.
rompimento da válvula, o cilindro tornará um - OXIGÊNIO + ACETILENO – Utilizado na sol-
“foguete”. da e corte oxiacetilênica.
- O cilindro tem uma massa porosa que contém
- Quando formos verificar algum vazamento uti- acetileno e acetona.
lizar sempre água e sabão. - Transportar com cuidado o cilindro evitando
Risco existente pancadas ou choques.
Qualquer outro processo tal como, utilizar óleo - Jamais esgotar todo o gás do cilindro.
e fogo, haverá um perigo de explosão. - O local de armazenamento deve ser protegido
do calor e com boa ventilação.
- Quando armazenamos, procurar sempre evitar - Usar sempre água e sabão para verificar vaza-
misturar cilindros de outros gases, bem como o mentos.
local deve ser protegido do calor e ter boa ven-
tilação. OXIGÊNIO
Qual a conseqüência?
O calor elevará a pressão interna. Não havendo Como é obtido o oxigênio?
ventilação, haverá concentração de gases (no
O oxigênio é um gás sem cor, sem cheiro e sem
caso de vazamento).
sabor. Na maioria das vezes é obtido no ar, fa-
Qual o risco? zendo com que o ar se transforme em líquido,
Perigo de explosão, principalmente quando há recuperando o oxigênio puro por um processo
uma mistura de vários gases. que se chama destilação fracionada.

- Quando o acetileno contido no cilindro esti- O oxigênio oferece algum risco?


ver acabando, devemos observar que jamais O oxigênio quando puro não queima, nem ex-
poderemos esgotar totalmente o gás, pois po- plode, mas faz outras substâncias queimarem
derá acontecer o seguinte: A PRESSÃO INTER- muito depressa.

124
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Para se ter uma idéia da alta pressão que está


Qual o risco? contida dentro de um cilindro de oxigênio, bas-
Misturando oxigênio com outros gases, como ta sabermos que:
graxa, óleo ou qualquer derivado do petróleo, - A pressão é aproximadamente 10 vezes maior
teremos violentas explosões. que o cilindro de acetileno.
- Um canhão ao ser disparado tem uma pressão
Precauções muito menor que a pressão dentro do cilindro
de oxigênio.
Toda tubulação, mangueiras, cilindros que con-
tenham oxigênio não podem estar sujos de óleo,
etc. O oxigênio nunca deve ser usado para so- Então, quais são os principais inimigos dos ci-
prar máquinas ou roupas pois poderá haver in- lindros de oxigênio?
cêndio. CHAMA – perigo de explosão e aumento da
pressão interna.
Existe muita pressão dentro do cilindro de oxi- ÓLEO E GRAXA – perigo de incêndio.
gênio? PANCADAS – deformação do metal.
CHAVES – danos nas válvulas.

125
Cuidado com a bomba que está no seu bolso
Há cerca de alguns anos, em uma estrada de que faleceu dias depois.
ferro nos EUA, ocorreram dois acidentes por Deve-se ressaltar que o volume de gás existen-
isqueiros a gás (butano). te nesses isqueiros tem a potência de força ex-
Um ocorreu quando um soldador estava sol- plosiva equivalente a três bananas de dinamite,
dando uma peça. Ele estava com seu isqueiro dependendo da situação em que explodir.
no bolso quando uma partícula incandescente, Recomenda-se aos empregados que trabalham
proveniente da solda atingiu o isqueiro derre- com solda ou perto do calor (fornalhas, forja,
tendo o invólucro plástico do gás e liberando maçarico, etc.) que troquem seus isqueiros por
butano, que explodiu violentamente, causando fósforos de segurança.
a morte do empregado. Às donas de casa, recomendamos a substituição
O outro acidente ocorreu de maneira semelhan- do isqueiro a gás por fósforos, pela mesma razão.
te e a explosão amputou o braço do operário,

126
Energia elétrica
127
Aterramentos por precaução
A eletricidade pode matar você. A maioria das o piso estiver molhado, a corrente pode passar
pessoas sabe muito pouco sobre eletricidade, mais facilmente através do corpo e aumentar a
apesar de a usarmos amplamente no trabalho e severidade do choque.
em nossas próprias residências. Quando estiver trabalhando com ferramentas
Nós acionamos um interruptor e a luz acende ou aplicações elétricas, lembre-se das seguin-
ou uma máquina é ligada. Trocamos uma lâm- tes regras de preservação da vida:
pada quando ela se queima. Consideramos a ü Certifique-se de que a conexão do pino terra
eletricidade e suas muitas aplicações como se- esteja intacta antes de ligá-lo a qualquer re-
guras, pelo fato de nos prestarem muitos servi- ceptáculo.
ços de maneira simples e fácil.
As estatísticas indicam que muitos trabalhado-
ü Tenha extremo cuidado quando trabalhar com
res foram mortos em circuitos de 115 volts. Um ferramentas elétricas portáteis em lugares
choque resultante de um contato com apenas úmidos ou molhados, ou próximos a estes
15 miliampéres de corrente pode ser fatal. A 115 locais. Isto inclui tanques e caldeiras ou tu-
volts, uma lâmpada de 6 velas puxa 50 bulações e outros objetos aterrados que você
miliampéres de corrente. Consequentemente, a possa eventualmente tocar, permitindo a pas-
quantidade de corrente usada por uma lâmpada sagem da eletricidade através do seu corpo
desta puxa corrente o bastante para matar três até o terra.
seres humanos. ü Relate cabos desfiados ou quebrados.
Para se proteger contra os riscos de eletricida- ü Se você tomar um choque de algum equipa-
de quando manusear furadeiras, serras elétri- mento que estiver usando, relate isso a seu
cas, lixadeiras ou cabos de extensão, tome co- supervisor para que mande fazer os reparos
nhecimento dos fatos básicos relacionados com necessários. Deixe os reparos elétricos para
as causas do choque e da eletrocussão. os especialistas.
Por exemplo: a condição do corpo do indivíduo ü Certifique-se de estar usando apenas equi-
tem muito a ver com as chances de ser morto pamento aterrado ou isolamento duplo apro-
por choque elétrico. Se as mãos estiverem sua- vado.
das, os sapatos e meias estiverem úmidos ou se

128
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Cabos de extensão
Não há nada a respeito dos cabos de extensão prio cabo.
que possa sugerir algum perigo. Não há peças Se um cabo de extensão mostrar sinais de des-
móveis, não há chamas e nem barulho. Eles são gaste, ou se você souber que ele já foi danifica-
inofensivos... mas podem ser perigosos, se mal do, troque-o por outro novo. Não conserte ca-
usados. bos por sua conta.
Somente bons cabos devem ser usados. De pre- Em situações especiais, são necessários tipos
ferência aqueles que são testados e aprovados especiais de cabos. Alguns são resistentes à
por laboratórios de testes de equipamentos elé- água, outros não. Alguns são isolados para re-
tricos. Os cabos que apresentarem desgaste sistência ao calor, outros são projetados para
devem ser reparados ou jogados fora. suportar a ação de solventes e outros produtos
Você pode controlar alguns dos riscos associa- químicos.
dos ao uso de cabos de extensão. Antes de Não use cabos de extensão próximos à umida-
mais nada, nenhum cabo de extensão pode de, calor (incluindo equipamentos de aqueci-
suportar uma utilização abusiva. Se você dobrá- mento elétricos) ou produtos químicos, que
lo, der um nó, cortá-lo, amassá-lo ou mesmo possam danificar o isolamento, a menos que
curvá-lo, você poderá estar danificando seu re- você tenha certeza de que o cabo em questão
vestimento isolante. Isto poderá causar um seja do tipo apropriado para esta situação em
curto-circuito ou um incêndio, ou mesmo um particular.
choque elétrico. A utilização adequada de cabos de extensão
A maioria dos cabos elétricos transporta eletri- não é difícil nem complicada. O uso correto não
cidade comum de 110 volts. Sem dúvida, você toma muito tempo e pode livrá-lo de um choque
já recebeu, alguma vez, um choque de uma rede terrível.
de 110 volts sem grandes problemas, a não ser Estas regras devem ser aplicadas na utilização
uma sensação de tomar um puxão. Sob certas segura de cabos de extensão:
condições, uma rede de 110 volts pode matar.
Tais condições podem ser representadas por
ü Manuseie o cabo gentilmente, evitando
tensioná-lo, dobrá-lo, amassá-lo ou cortá-lo.
um toque, num cabo sem revestimento com as
mão molhadas ou suadas, ou pisar em superfície ü Pendure-o num local onde não perturbe a
molhada, em contato com um tubo de água ou passagem ou possa representar riscos.
de vapor, ou outra conexão elétrica. ü Se mostrar sinais de desgaste, troque-o por
Assim sendo, proteja o cabo de extensão que outro novo.
estiver usando. Enrole-o em grandes laçadas.
ü Se estiver na presença de calor, de umidade
Não o dobre desnecessariamente. Não o sub-
ou de produtos químicos, certifique-se de que
meta a tensão. Um cabo nunca deve ser deixa-
seu cabo seja do tipo correto para resistir às
do pendurado numa passagem ou sobre a su-
condições existentes.
perfície, onde as pessoas possam pisar. Os
motivos são simples: evitar armadilhas que
podem causar acidentes e evitar danos ao pró-

129
Choque elétrico
O fluxo de corrente é que causa danos ao orga- proteção oferecida pela resistência da pele esta
nismo em caso de choque elétrico. Quando uma diminui rapidamente com um aumento da
pessoa se torna parte de um circuito elétrico, a voltagem.
severidade do choque é determinada por três A morte ou ferimentos causados por choque
fatores básicos: elétrico podem resultar do seguinte:
1) a taxa de fluxo através do corpo; 1. Contração dos músculos peitorais, podendo
2) o percurso da corrente através do corpo; interferir na respiração a tal ponto que resul-
3) o tempo com que o corpo foi parte do circuito. tará em morte por asfixia.
A eletricidade pode se deslocar somente quan- 2. Paralisia temporária do sistema nervoso cen-
do há um circuito completo. O choque pode tral, podendo causar parada respiratória, uma
ocorrer quando o corpo faz contato com ambos condição que freqüentemente permanece,
os fios de um circuito (o fio preto positivo e o mesmo depois de a vítima ter sido
fio branco neutro), um fio de um circuito desconectada do circuito.
energizado e terra, ou uma parte metálica de um 3. Interferência no ritmo normal do coração,
dispositivo elétrico que tenha sido energizado. causando fibrilação cardíaca, uma condição
As mulheres possuem menor tolerância ao cho- na qual as fibras do músculo cardíaco, em
que elétrico do que os homens. Fatores tais vez de contraírem de maneira coordenada,
como o tamanho, a condição física e a condição contraem separadamente e em diferentes mo-
de umidade da pele podem determinar a mentos. A circulação do sangue pára e ocor-
quantidade de eletricidade que um corpo hu- re a morte.
mano pode tolerar. 4. Parada cardíaca por contração muscular (em
Infelizmente, o corpo humano não possui qual- contato com alta corrente). Neste caso, o
quer proteção interna contra o fluxo de corren- coração pode reassumir seu ritmo normal,
te elétrica. A superfície da pele fornece a maior quando a vítima é libertada do circuito.
parte da resistência razoavelmente alta, mas a 5. Hemorragias e destruição de tecidos, nervos
pele úmida é muito menos resistente. Quando a e músculos do coração devido ao calor pro-
resistência da pele é interrompida, a corrente vocado pela alta corrente.
flui facilmente através da corrente sangüínea e
dos tecidos do corpo. Qualquer que seja a

130
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Como reduzir o consumo de energia elétrica


ü Substitua, se possível, os difusores transpa- sibilidade de instalar interruptores individu-
rentes, amarelados ou opacos por difusores ais comuns ou do tipo pêra, eles permitirão o
de acrílico claro, com boas propriedades con- desligamento parcial de determinadas lâmpa-
tra o amarelecimento, pois estas permitirão das, evitando-se a iluminação plena todo o
melhor distribuição da luz; tempo;
ü Substitua luminárias antiquadas ou quebra- ü Ao desativem uma ou mais lâmpadas fluo-
das por luminárias mais eficientes, de fácil rescentes, não esqueça de desligar também
limpeza e, de preferência, com lâmpadas o reator, caso contrário, ele continuará con-
expostas, que desse modo poderão ser de sumindo energia elétrica, reduzindo-se a sua
menor potência; vida útil;
ü Quando o fator estética não tiver importân- ü Onde for possível, use uma única lâmpada
cia, retire o acrílico e o globo, que absorvem de maior potência no lugar de várias lâmpa-
grande parte do fluxo luminoso; das de menor potência;
ü Não use lâmpadas incandescentes de bulbo ü Utilize sempre que possível a iluminação
fosco dentro de globos. É preferível utilizar natural, abrindo janelas, cortinas, etc.;
lâmpadas com bulbo transparente. As lâm- ü Instrua as pessoas a desligarem as lâmpadas
padas de bulbo fosco foram criadas para de ambiente não ocupados, salvo aquelas
minimizar o efeito ofuscante e apresentam que contribuem para a segurança;
uma luz confortável, suave e difusa, mas tam-
bém absorvem uma parte da luz emitida pelo
ü Limpe regularmente paredes, janelas, pisos e
forros, luminárias e lâmpadas. Uma superfí-
filamento;
cie, luminárias e lâmpadas limpas refletem
ü Como o globo elimina o ofuscamento, o uso melhor a luz o que permite manter em nível
da lâmpada de bulbo fosco acarretará menor menos intenso a iluminação artificial, como
iluminação e poderá exigir lâmpadas de maior também a sujeira acumulada reduz a ilumina-
potência; ção;
ü Refaça, se possível, a instalação de interrup- ü Ao fazer uma reforma na pintura, evite pintar
tores, para permitir o desligamento parcial de com cores escuras as paredes e corredores,
lâmpadas em desuso ou desnecessárias; pois desta maneira, exigirão lâmpadas mais
ü Em locais onde houver muitas lâmpadas ace- fortes, com maior consumo de energia;
sas, verifique a possibilidade do desligamento ü Utilize somente lâmpadas de voltagem com-
alternado; patível com a voltagem da rede da concessi-
ü Se há luminárias com lâmpadas fluorescen- onária.
tes comandadas em grupo, estuda-se a pos-

131
132
Deslocamento de
cargas
133
Levantamento de cargas com segurança
As pessoas não treinadas geralmente fazem o Se um dos trabalhadores levantar a carga antes
trabalho da forma mais difícil. Como resultado, dos outros, deslocá-la ou abaixá-la incorreta-
cansam-se mais rápido, o ritmo de trabalho é mente, ele ou seu parceiro podem ser sobrecar-
mais lento ou acabam acidentando-se. regados e sofrerem uma distensão. Uma pessoa
O levantamento de cargas está entre os traba- deve ser designada para dar as ordens
lhos que, com mais freqüência, são executados necessárias para obter a coordenação do gru-
de maneira errada. Através da utilização de po.
métodos corretos de levantamento de cargos,
os empregados podem não apenas fazer o tra- FORMA CORRETA DE FAZER UM LEVANTA-
balho de forma mais fácil, mas também sem MENTO
acidentes.
ü Dimensione a carga primeiro - não tente
levantá-la sozinho, se houver qualquer dúvi-
DISPOSITIVOS MECÂNICOS da sobre sua capacidade de executar a tarefa.
Apesar dos dispositivos mecânicos não serem ü Certifique-se de que está com os pés firmes
adequados para todo o tipo de levantamento no chão. Esteja bem equilibrado, mantenha
de cargas, podem ajudar a evitar ferimentos seus pés separados ( de 20 a 30 centímetros
causados pelo manuseio de cargas. Guinchos, um do outro).
guindastes, elevadores, transportadores,
empilhadeiras e dispositivos similares são fei- ü Coloque seus pés perto da base do objeto a
tos para esta finalidade. ser levantado. Isto é importante porque evita
colocar toda a carga sobre os músculos das
costas.
LIMITES DE PESO PARA LEVANTAMENTO
SEGURO ü Dobre seus joelhos, mantendo suas costas
A condição física, constituição e estatura de rentes e na posição mais vertical possível.
um indivíduo têm muito a ver com sua
capacidade de levantar objetos pesados ou de Se necessário, abra os joelhos ou abaixe um
executar tarefas com levantamento repetitivo de deles para chegar mais perto do objeto.
objetos. ü Comece agora a esticar as pernas, desdobran-
do os joelhos. Com isto estará usando seus
O TRABALHO EM EQUIPE EXIGE PRÁTICA músculos mais fortes. Mantenha a carga per-
Quando uma carga é muito pesada para uma to do seu corpo na medida em que você se
pessoa levantar sozinha e o equipamento mecâ- levanta.
nico não pode ser usado para o trabalho, devem ü Levante o objeto até a altura de transporte.
ser designados quantos trabalhadores forem ne- Se você precisar mudar de direção depois que
cessários para fazer o levantamento. Isto acarre- estiver de pé, tenha cuidado para não torcer
ta um outro problema: trabalho em equipe. Tra- o corpo. Gire o objeto mudando a posição de
balhadores mais ou menos do mesmo tamanho seus pés.
devem ser escolhidos e devem ser treinados para
fazer levantamento de peso em equipe.
ü Se você colocar a carga numa bancada ou
mesa, coloque-a na borda da mesa para aju-
134
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

dar a suportar o peso e então empurre-a para dos para levantamento seguro de cargas:
frente usando os braços ou, se necessário, ü Carregue a carga sempre perto do corpo;
com parte de seu corpo virado para frente.
ü Mantenha as costas na posição mais reta
possível;
ü Para colocar a carga no chão, dobre os joe-
lhos e, com a costas rentes e a carga perto de
ü Use os músculos mais fortes: das pernas e
seu corpo, abaixe-a com os músculos dos dos braços;
braços e das pernas. ü Tenha uma visão ampla de toda a carga;
ü Se a carga não lhe permitir andar normalmen-
POSIÇÃO CORRETA PARA LEVANTAR te, peça ajuda;
OBJETOS PESADOS ü Nunca tenha receio de pedir ajuda para ma-
Ficar na posição correta e usar os músculos nusear uma carga;
mais capazes de fazer o trabalho são os pontos
ü Quando julgar que o uso de um auxílio mecâ-
mais importantes na aplicação de métodos
nico pode ajudar, faça esta sugestão;
corretos de levantamento seguro de cargas.
Existem dicas em todo trabalho. Por exemplo: ü Remova os obstáculos no caminho das car-
os carregadores de cereais sabem o jeito de gas e outros itens que podem se transformar
agarrar e balançar os sacos para jogá-los nos em armadilhas.
ombros. Pessoas inexperientes mal conseguem
mover estes sacos.
Eis aqui um resumo dos pontos a serem lembra-

135
Carrinhos de mão
Quem já viu um carrinho de mão de duas rodas, Coloque a carga de modo que não se desloque.
provavelmente já viu todos. Eles se parecem Não obstrua sua visão com a carga. Se um car-
muito uns com os outros. Porém, pode haver rinho for carregado na horizontal, use suas per-
uma grande diferença no jeito que cada um exige nas para levantá-lo, mantendo as costas rotas.
para executar um trabalho com segurança. Faça o mesmo para abaixar a carga.
As pessoas que usam esses carrinhos de mão O carrinho é que deve transportar a carga - você
os conhecem bem e sabem quais os trabalhos só empurra e equilibra. Nunca caminhe para trás
que podem executar. Isto é fundamental para com um carrinho de mão. Quando descer algu-
uma utilização segura. ma rampa, mantenha o carrinho virado para fren-
Já vimos carrinhos carregados com caixas te; quando subir, inverta a posição. Os carri-
empilhadas tão altos que a caixa do topo fica na nhos de mão não devem ser usados em rampas
altura do peito. O tempo perdido tentando equi- de mais de 5%.
librar esta carga prova que uma carga menor é Desloque o carrinho numa velocidade segura e
mais segura e melhor para se executar a tarefa. mantenha-o sob controle.
Os ferimentos mais comuns entre os usuários Estes mesmos procedimentos se aplicam aos
deste tipo de carrinho de mão envolvem as mãos carrinhos de mão de quatro rodas. Porém, mais
e os pés. Assim sendo, use luvas para proteger cuidado é necessário para carregar esses carri-
as mãos. Se algum de vocês já teve o dedão do nhos para evitar que tombem.
pé atropelado por um destes carrinhos, sabe bem Os carrinhos de quatro rodas devem ser empur-
a importância de usar calçados de segurança. rados e não puxados. A única exceção se aplica
Não tente impedir o movimento do carrinho aos carrinhos que possuem uma quinta roda e
usando os pés. Isto, mais cedo ou mais tarde, um cabo para puxar.
acabará em lesão. Os carrinhos de mão bem Os cabos dos carrinhos devem ser colocados
equipados possuem freios de mão. de forma a evitar acidentes e para que não fi-
Os carrinhos de mão devem ser mantidos em quem obstruindo a passagem de pessoas que
boas condições e ser inspecionados diariamente passam ou trabalham por perto.
antes de serem usados. Mantenha registros de Os carrinhos com a quinta roda devem ser cal-
manutenção para cada problema do equipamen- çados, para evitar movimento quando forem
to, registrando datas de lubrificação e outros estacionados.
trabalhos de reparos. As pessoas que estudam as estatísticas de aci-
Existem certos procedimentos que você deve dentes já determinaram os principais riscos a que
seguir na operação com carrinhos de mão de duas estão sujeitos os usuários de carrinhos de mão.
rodas. Primeiro, mantenha o centro de gravidade Normalmente os acidentes acontecem quando
da carga o mais baixo possível. Coloque os obje- estão passando em passarelas ou plataformas,
tos pesados embaixo dos mais leves. colidindo com outros ou com obstruções, e em
Quando estiver carregando, mantenha os pés situações em que as mãos são presas entre o
afastados das rodas. Coloque a carga bem para carrinho e uma perto ou outros objetos. Tome
frente, de forma que o peso seja transportado cuidado especial nos cantos cegos e passagens
pelo eixo, não pelas mãos. de portas. Quando os carrinhos não estiverem
sendo usados, coloque-os nos lugares desig-
136
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

nados, onde não obstruam a passagem ou pro- confiar neles. Enfim, é muito fácil ficar descui-
voquem acidentes. Os carrinhos de duas rodas dado com equipamento que não faz qualquer
devem ser guardados na vertical com os cabos barulho.
virados para a parede ou para o carrinho se- Porém, os perigos potenciais envolvidos na
guinte. As rodas dos carrinhos que não estão operação com os carrinhos de mão devem ser
sendo usados devem ser travadas. reconhecidos e tratados - da mesma forma que
Esses carrinhos tomam o trabalho muito mais com outros equipamentos. Assim, mantenha o
fácil. Por esse motivo, estamos inclinados a controle, esteja alerta e observe à sua volta.

137
Empilhadeiras - as mulas de carga do trabalho
As empilhadeiras, verdadeiras mulas de carga, es- balhadores de cima de empilhadeiras em movi-
tão se tomando rapidamente bestas perigosas. Anu- mento.
almente, milhares de ferimentos com perda de tem- A maior parte destes acidentes poderia ter sido
po podem ser relacionados com empilhadeiras. evitada se as regras de segurança, abaixo, fossem
Desde 1951, os acidentes de trabalho envolvendo seguidas:
empilhadeiras aumentaram mais de 400 %.
ü Não levante a carga com a empilhadeira em mo-
O aumento alarmante de operação insegura de vimento;
empilhadeiras foi relatado num estudo recente. Eis
aqui algumas das conclusões desse estudo: ü Não transporte a carga com o garfo totalmente
levantado;
ü Mais da metade ( 52%) dos ferimentos no perío-
do estudado envolveu empilhadeiras móveis; ü Dirija cuidadosa e lentamente nas esquinas e
19 % envolveram empilhadeiras sendo opera- sinalize com a buzina nos cruzamentos cegos;
das em veículos estacionários e em 29 % dos ü Verifique se as plataformas usadas para acesso
casos, a empilhadeira estava parada. a caminhões ou vagões têm a largura e a resis-
ü Aproximadamente a metade (45%) dos ferimentos tência necessárias para suportar a empilhadeira;
foram sofridos por empregados trabalhando ou ü Evite paradas súbitas;
caminhando em áreas onde as empilhadeiras
ü Não transporte passageiros;
estavam sendo operadas.
ü Cerca de 15 % dos ferimentos foram causados ü Observe os espaços acima e o giro da extremida-
de traseira;
em trabalhadores regularmente designados para
tarefas próximas das empilhadeiras e cerca de 20 ü Para melhor visão, dê ré ao transportar cargas
% aconteceram com aqueles que estavam traba- grandes, mas fique virado para a direção do des-
lhando ou caminhando nas áreas onde as locamento;
empilhadeiras estavam trabalhando. ü Transporte cargas somente quanto em confor-
ü Os ferimentos mais típicos (22 % do total) envol- midade com a capacidade nominal da
viam escoriações e contusões nas pernas, pés, empilhadeira;
dedos do pé, especialmente quando a ü Levante as cargas com o mastro vertical ou ligei-
empilhadeira estava em movimento. ramente inclinado para trás;
ü Esmagamentos foram os ferimentos mais comuns ü Não transporte cargas ou pilhas instáveis; certi-
associados com elevação ou abaixamento dos fique-se de que as cargas estejam posicionadas
garfos das empilhadeiras. uniformemente nos garfos, com o equilíbrio ade-
ü Ferimentos nas extremidades - pernas, pés, bra- quado;
ços, mãos e cabeça - chegaram a 70 % daqueles ü Abaixe as cargas lentamente e abaixe o suporte
associados com as empilhadeiras. de carga totalmente quando a empilhadeira for
ü Os acidentes fatais envolvendo empilhadeiras estacionada;
foram provocados principalmente por queda de A operação segura das empilhadeiras pode torná-
cargas, tombamentos, trabalhadores atropelados las mulas de carga confiáveis, em vez de bestas
pela empilhadeira em movimento, queda de tra- perigosas no local de trabalho.

138
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Instruções de segurança para operações de


escavadeiras
1- No caso de escavadeiras, nunca tente fazer vimento;
reparos em suas partes. Chame um mecânico f) conserve a máquina limpa e em boas condi-
ou eletricista. ções operacionais;
2- Não abandone o posto de comando antes g) após lubrificação e reparos, reponha os pro-
de: tetores e painéis;
ü abaixar a caçamba até o chão; h) inspecione semanalmente todos os cabos;
ü cortar o suprimento de energia ou combustí- i) nunca guie um cabo de aço com a mão no
vel; tambor;
ü certificar-se de que a máquina esteja estacio- j) locomova a máquina com segurança. Colo-
nada em lugar seguro. que o ajudante do lado de fora, para orientá-
lo nas manobras;
3- Observe as seguintes regras durante a ope-
ração da escavadeira: k) obedeça aos sinais convencionais;
l) se a máquina tocar em linha de alta tensão,
a) certifique-se de que a lança, a caçamba e a
permaneça na cabine até que a linha seja
traseira do equipamento não irão se chocar
desenergizada. Não deixe ninguém encostar
contra algum obstáculo;
na máquina;
b) não movimente a caçamba em posições que
possam representar perigo para alguém; m) qualquer irregularidade no funcionamento
da máquina deve ser comunicada ao Líder ou
c) durante a operação ou locomoção, nenhuma Supervisor;
pessoa deve ficar no teto ou passarela da
máquina; n) para locomoção do equipamento em declive,
utilize equipamentos auxiliares como
d) antes de dar a ré, verifique se há alguém atrás; carregadeiras, tratores, etc.;
e) não suba nem desça da escavadeira em mo- o) nunca passe a caçamba da máquina sobre
pessoas, equipamentos ou cabos elétricos.

139
Estrados e paletes vazios
O manuseio de estrados e de paletes vazios pode paletes. Empilhe-os com cuidado, de forma que
parecer, para a maioria de vocês, apenas mais as pilhas sejam estáveis. As pilhas devem ter
um trabalho de rotina, pelo menos no que diz uma altura limitada de aproximadamente 1,20m
respeito à segurança. e as unidades devem ficar planas e nunca
Não se deixe enganar. Esse tipo de trabalho empilhadas pelas extremidades. As pilhas e
pode causar acidentes facilmente, se os cuida- unidades individuais devem ser mantidas afas-
dos de segurança não forem tomados. O manu- tadas de corredores, passagens e portas e não
seio de materiais causa mais acidentes do que devem obstruir caixas ou painéis elétricos, ex-
qualquer outro tipo de trabalho. tintores de incêndio e outros equipamentos de
O içamento representa a principal situação em segurança.
que ocorrem acidentes. Naturalmente, o içamen- Evite caminhar ou pisar sobre os estrados e
to é uma manobra básica no manuseio de estra- paletes, pois isso pode facilmente causar um
dos e paletes. acidente.
Vamos tomar algum tempo para repassar alguns Quando empilhar unidades, considere a capa-
dos passos que podemos tomar para manter a cidade de peso do piso. Certifique-se também
freqüência de acidentes no mínimo. Primeiro, de avaliar a resistência das unidades com as
inspecione os estrados e paletes com os quais quais você está trabalhando, para que não seja
você vai trabalhar, quanto a pregos soltos e excedida. Se você estiver trabalhando com pa-
outros defeitos. Se você encontrar uma unida- pelão, considere sua menor resistência, que o
de insegura, deixe-a de lado e marque-a para tomaria mais difícil de danificar do que se fosse
jogar fora ou reparar. de madeira. Além disto, ele absorverá mais umi-
Levante materiais com cuidado. O empilhamento dade, o que pode enfraquecê-lo.
ou o descarte de estrados geralmente requer Os estrados e paletes podem parecer resisten-
duas pessoas. Estas devem executar esta tarefa tes, mas quando você os deixa cair, eles podem
de maneira coordenada, como se fossem uma enfraquecer. A queda de estrados e de paletes
só pessoa. Use o mesmo procedimento para le- também provoca muito barulho.
vantar paletes que sejam pesados ou robustos. Algumas vezes, são usadas plataformas e es-
Levante-os dobrando seus joelhos e esticando trados de arrasto separados. Neste caso, as pla-
as pernas. Mantenha suas costas retas e use taformas devem ser empilhadas retas numa pra-
os músculos das pernas, não os músculos das teleira com altura inferior ao equivalente a 32
costas. unidades. Novamente, tome cuidado quando
Como medida de segurança adicional enquan- remover as plataformas da prateleira.
to manuseia objetos, use o equipamento de pro- Coloque um trabalhador em cada lado. Pode ser
teção correto. Luvas de couro protegerão suas necessário jogar fora certas unidades. Neste
mãos e, naturalmente, calçados de segurança caso, use caminhões ou pick-ups, especialmen-
protegerão seus pés. te se a carga precisar ser movimentada, qual-
Provavelmente, você já percebeu o quanto é quer que seja a distância.
importante uma área de trabalho limpa para a As cargas das unidades a serem descartadas
sua segurança e para a segurança dos outros. devem ser empilhadas cuidadosamente. Esteja
O mesmo se aplica ao caso dos estrados e alerta quanto a pregos e lascas. Se você for se

140
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

desfazer das unidades queimando-as, observe que devem ser tomados em muitos trabalhos.
todo o fogo e a regras de segurança. Porém, esta é a maneira que deve ser quando se
Cobrirmos aqui alguns dos pontos principais trata de segurança. Desenvolva práticas e ati-
de segurança no manuseio de estrados e paletes tudes seguras no trabalho, que os resultados
vazios. Eles são todos essenciais - os cuidados serão obtidos em tudo que você fizer.

141
Evite quedas
As quedas são a segunda causa de morte nos 1. Pontos escorregadios, provocados por der-
Estados Unidos. Somente os acidentes de au- ramamentos na superfície de trabalho ou de
tomóveis superam esta causa. Nas empresas, passagem;
20 % de todos os ferimentos e fatalidades séri- 2. “Armadilhas”- restos de materiais espalha-
as são causados por quedas. dos na área de trabalho ou de passagem, vá-
Estas estatísticas sozinhas dão uma boa razão para rios tipos de fios (elétricos e de telefone),
tentarmos descobrir por que as pessoas caem e o gavetas de arquivos abertas, objetos em cor-
que pode ser feito para evitar isso. As quedas redores e passagens;
podem acontecer a qualquer momento, em qual- 3. Buracos, pontos altos ou quaisquer outros
quer lugar. A maioria delas poderia ser evitada. defeitos na superfície da área de trabalho/
As pessoas caem porque o corpo fica inespera- passagens;
damente descontrolado e numa postura instá- 4. Degraus de escada mal construídos ou
vel. Quando algo não esperado acontece, inter- desgastados;
rompendo o padrão normal de manutenção do 5. Corrimãos faltando ou inadequados em esca-
equilíbrio, o centro de gravidade é deslocado e das e aberturas em paredes e pisos.
o corpo cai. Tais situações normalmente são
Numa área ou situação em que o risco não pode
provocadas por “armadilhas”, escorregões ou
ser eliminado, a necessidade de cuidado deve
por empurrões ou esbarrões.
ser indicada por cartazes e/ou código de cor. O
Provavelmente, a medida preventiva mais im- MTb especifica o amarelo como a cor básica para
portante para evitar as quedas seja ensinar as designar cuidado e para marcar riscos físicos.
pessoas a reconhecerem, corrigirem e/ou evitar
Inspeções periódicas de equipamentos e de
“armadilhas”, piso escorregadio e outros ris-
veículos podem identificar muitos riscos de
cos de quedas. Olhar onde se pisa. Este é um
quedas. Por exemplo: degraus ou plataformas
bom conselho. As quedas são causadas mais
em caminhões e equipamentos podem se des-
por desatenção do que qualquer outra coisa.
gastar e se tomar escorregadios. Algum tipo de
Quantas vezes você já ouviu alguém dizer: “Eu
revestimento abrasivo pode ser aplicado para
não tinha visto!”?
evitar que fiquem escorregadios.
Áreas escuras ou mal iluminadas são um convi-
Em alguns equipamentos, as alças de pega e
te a quedas. Escadas e áreas congestionadas
para subir podem ser um importante dispositi-
devem ser especialmente verificadas quanto à
vo de segurança. Elas devem ser verificadas
iluminação apropriada.
quanto a desgaste, superfície muito lisa ou se
O transporte de artigos que são muito grandes estão frouxas.
ou empilhados muito alto para nós, impedindo-
O vestuário e o calçado podem representar um
nos de ver por cima ou à volta, é uma boa forma
fator de queda. Alguns estilos atuais de sapa-
de provocar quedas no chão.
tos são conhecidos por terem contribuído para
A arrumação da área é vital para a prevenção de quedas que provocaram sérios ferimentos. O
quedas. Abaixo apresentamos algumas áreas a calçado e o vestuário corretos para o trabalho
serem verificadas para impedir quedas de óleo, que está sendo executado devem ser conside-
graxas, etc.: rados exigências de segurança.

142
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Quedas
Ano após ano, as quedas ficam atrás apenas Os dispositivos de segurança para subir e para
dos acidentes com automóveis como causa do trabalho em locais altos são projetados especi-
maior número de mortos em acidentes! Nós ten- ficamente para sua segurança pessoal. Quando
demos a associar uma queda fatal somente com em boas condições, eles podem evitar uma que-
quedas de locais muito altos, mas isto não é da séria. Arranje tempo e inspecione regulamen-
necessariamente verdadeiro: as quedas fatais te esse equipamento.
ocorrem às vezes de alturas muito baixas, até Se seu trabalho exigir uma escada, certifique-se
inferiores a um metro. De fato, algumas ocorrem de que esta esteja em boas condições e pegue a
ao nível do solo. A fatalidade dependerá de como escada certa para o trabalho. Não improvise com
você tocará o chão em que sua cabeça vai bater qualquer outra coisa. Isto poderia provocar sua
e de muitos outros fatores contributivos. queda.
Algumas quedas são o resultado de uma falta Quando você estiver executando um trabalho
de cuidado ou ato inseguro, enquanto outras que envolva muitas pessoas e muitas ativida-
são provocadas por condições inseguras ou des diferentes, olhe à sua volta antes de se mo-
equipamentos defeituosos. vimentar. Tenha cuidado com ferramentas e
Subir e trabalhar em posições elevadas faz par- equipamentos no chão e evite buracos, trinchei-
te do trabalho de muitos empregados. ras e coisas similares.
Equipamentos especiais foram projetados de Uma boa arrumação da área de trabalho é uma
forma que possamos fazer este trabalho com forma excelente de eliminar causas potenciais de
segurança e eficiência. Porém, devemos inspe- quedas.
cionar estes dispositivos de segurança para ter Lembre-se: quedas matam um número enorme
certeza de que estejam em boas condições. de pessoas todos os anos. Não acredite ter al-
Os cintos de segurança devem ser verificados cançado o máximo de segurança possível. Cer-
quanto a defeitos em locais onde eles possam tifique-se de que alcançou a segurança
desfiar ou mostrar desgaste excessivo. requerida.

143
Içamentos mecânicos e outros equipamentos
motorizados
Os guinchos, talhas e lanças são alguns dos julgamento da pessoa que está sinalizando, ele
equipamentos de içamento que normalmente mesmo deve verificar estas distâncias antes de
utilizamos. O desenvolvimento destes equipa- continuar. Ele deve dar atenção particular aos
mentos envolve muita experiência de campo e espaçamentos em relação a fios aéreos que po-
testes de engenharia. Quando finalmente são deriam energizar o veículo.
liberados para utilização geral, estes dispositi- Se qualquer coisa sair errada, o operador deve
vos serão tão seguros quanto a moderna tec- parar o equipamento e não reiniciar até que o
nologia pode nos oferecer; entretanto, todos problema tenha sido esclarecido e um novo pla-
eles requerem operação com inteligência e ma- no tenha sido desenvolvido.
nutenção adequada para permanecer na Quando estamos trabalhando com este equipa-
condição de operação segura. mento ou deslocando-o, temos que ter a certe-
Devemos verificar esses equipamentos sempre za a respeito de todos os cuidados para não
antes de usá-los. Devemos verificar quanto ao danificá-lo. Eis aqui algumas ações em que
abastecimento de combustível, vazamentos de podem ocorrer danos facilmente:
óleo e de fluido hidráulico, mecanismos de Quando uma escada em lança é mantida ereta
embreagens emperrados ou danificados, des- com o veículo movimentando-se de um local
gaste anormal, trincas por fadiga e outras con- para outro. Ela pode ser danificada pelo conta-
dições inseguras. Sempre que você observar to com pontes, galhos de árvores e fios.
uma condição insegura, relate isto e certifique-
Muitos outros exemplos poderiam ser citados,
se de que seja reparado prontamente.
mas todos mostrariam que poucos riscos, se é
A utilização de guinchos e de outros equipa- que existe algum, estão incorporados no proje-
mentos motorizados em nossos trabalhos é uma to destes equipamentos. Os riscos normalmen-
operação meticulosa. Mesmo a maioria desses te são decorrentes de abusos e negligência.
equipamentos sendo simples o bastante para
Existem várias proteções que devem ser usa-
que uma criança possa operá-los, somente uma
das, dependendo do tipo do equipamento. Em
pessoa habilitada, qualificada e autorizada pode
alguns casos, estas proteções são parte inte-
fazê-lo de forma correta e com segurança.
grante do equipamento. Por exemplo: certas pro-
O operador qualificado nunca abusa de seu teções, que fazem parte dos sistemas hidráuli-
equipamento. Ele evita paradas e partidas rápi- cos, permitem que uma plataforma desça sua-
das, que provocam desgaste excessivo. Ele sem- vemente, em vez de cair abruptamente quando
pre faz um teste de levantamento para verificar há um vazamento hidráulico.
se o gancho ou a amarração está correta e no
Os procedimentos de operação segura devem
local certo.
ser sempre utilizados. Por exemplo: quando há
O operador escolhe uma pessoa para os sinais uma possibilidade de contato com fio
manuais necessários e aceita os sinais somente energizado, use luvas de borracha. Este cuida-
dessa pessoa indicada e apenas os claramente do se aplica não apenas às pessoas que estejam
indicados. diretamente envolvidas com o trabalho em ele-
Entretanto, a manutenção das distâncias de tricidade, mas também a todas aquelas que es-
afastamento é de responsabilidade do operador. tejam trabalhando próximas de redes elétricas e
Se ele achar que há motivo para questionar o
144
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

de equipamentos que possam fazer contato com dos a cada dia. Entretanto, eles somente serão
fios energizados. seguros dependendo do operador. Um bom
Dentre outros procedimentos de operação se- operador testa continuamente o equipamento
gura que sempre devem ser seguidos, indica- com o qual trabalha. Ele descobre suas limita-
mos os seguintes: fique afastado de cabos ou ções e nunca o força ou o danifica, exigindo
redes elétricas; não fique em baixo de cargas dele mais do que pode fazer. O bom operador - o
suspensas; use cabos de controle para guiar a operador seguro - sabe que equipamentos
carga. Provavelmente, você mesmo poderá se motorizados são, na realidade, extensões de
lembrar de muitas outras. seus braços.
Novos equipamentos estão sendo desenvolvi-

145
Dispositivos de içamento especiais tipo garras
Existem numerosos dispositivos desses dispo- ças móveis e pontos de pinçamento.
níveis para o manuseio de materiais. O próprio dispositivo deve ficar afastado da
Eles variam dependendo de modificações carga antes do guincho ser operado. Caso con-
conceituais, da complexidade do projeto, do trário, alguma parte do dispositivo pode agar-
desenvolvimento de novos equipamentos e de rar-se na carga e tombá-la.
novas técnicas. Não use dispositivos de içamento se a carga
Esses dispositivos devem ser usados em con- estiver coberta com tinta úmida.
formidade com as especificações do fabricante Quando o projeto do dispositivo incorporar uma
e devem ser selecionados de acordo com o tra- alavanca de trava de segurança para evitar o
balho a ser executado. desengate, use-a toda vez que a carga for içada.
Se um projeto de dispositivo de içamento preci- Isto eliminará a possibilidade do desengate aci-
sar ser modificado, um engenheiro deve ser dental do dispositivo se a carga girar ou se for
consultado. Porém, na maioria das vezes, esses solta momentaneamente.
dispositivos não devem ser modificados. Todos os tipos de dispositivo de içamento de-
Quando você utilizar qualquer tipo de disposi- vem ser inspecionados periodicamente. Os que
tivo de içamento, pegue a carga em local nivela- estiverem desgastados ou estiverem em más
do para evitar qualquer inclinação apreciável condições de trabalho devem ser substituídos.
que poderia deixá-la deslizar ou girar. Não Os dispositivos de içamento devem ser usados
manuseie a carga de maneira abrutalhada nem isoladamente ou em pares, conforme recomen-
lhe dê um tratamento duro. dado pelo fabricante.
Na maioria dos casos, os dispositivos especiais Mantenha em mente a regra que exige que o
de içamento são projetados com vários elos empregado jamais fique sob a carga - não há
móveis, que aumentam a probabilidade de nenhuma exceção à esta regra. É importante
ferimento nos dedos e nas mão, quando os tra- também que as cargas que estão sendo
balhadores estão colocando ou removendo a manuseadas sejam controladas apropriadamen-
carga. Mantenha seus dedos longe destas pe- te com um cabo de controle.

146
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Verificação da capacidade de carga de pisos


Uma mulher recebeu tratamento hospitalar após carga uniforme de mesmo peso. Esta é a razão
um acidente no trabalho, mas não era uma víti- pela qual a maioria das cargas altamente con-
ma do acidente. Ela ficou em estado de choque centradas, como de maquinários, são coloca-
quando um teto caiu e esmagou um homem das diretamente acima de vigas.
perto dela. Assim, as capacidades de carga concentrada,
O acidente aconteceu quando uma máquina de assim como os limites de carga uniforme, de-
18 toneladas estava sendo instalada e o piso vem ser determinados antecipadamente por uma
cedeu. A máquina, que era um caminhão-guin- pessoa qualificada. Avisos contendo a capaci-
cho, e um empregado vieram abaixo caindo numa dade de carga do piso devem ser afixados nas
área de estacionamento. O piso era feito de paredes em lugares visíveis.
madeira com um leito de concreto de 8 centíme- Existem cuidados de segurança que podem ser
tros, mas não havia sido projetado para suportar tomados antes que se empilhem materiais numa
este tipo de carga. superfície. Se o mesmo tipo de material tem que
Era para ser uma ocasião muito feliz, de acordo ser mantido regularmente no piso, uma linha deve
com os proprietários da empresa. ser pintada na parede para indicar a altura máxima
Eles haviam esperado um bom tempo antes de com que o material pode ser empilhado sem
poderem comprar o maquinário novo. exceder a capacidade de carga do piso.
A tragédia, contudo, acabou com o evento. Obviamente, os pisos de edifícios não são ape-
A lição que podemos tirar deste acidente é que nas fontes de sobrecarga. Como no caso do
dados precisos sobre capacidade de piso são acidente fatal mencionado, os pontos de carga
de extrema importância. Se esta informação já e áreas similares devem ser verificados quanto
não estiver disponível nas plantas dos edifíci- às capacidades de carga. As plataformas de
os, uma análise da estrutura, feita por um enge- madeira devem ser verificadas regularmente
nheiro qualificado, toma-se necessária. Estima- quanto a pranchões soltos e enfraquecimento
tivas por alto são perigosas. dos membros estruturais. As superfícies das
plataformas de concreto podem se desgastar e
A sobrecarga de pisos geralmente ocorre quan-
fazer com que os caminhões se desloquem
do um novo equipamento ou maquinário é com-
perigosamente para bordas ou sobre outras pes-
prado ou quando cargas pesadas de distribui-
soas. Os danos em plataformas devem ser rela-
ção de peso desigual estão sendo guardadas.
tados de forma que possam ser reparados.
Tráfego de veículos pesados é uma outra causa
comum de risco de sobrecarga de pisos. Certifique-se de relatar qualquer defeito encon-
trado em pisos ou plataformas. Siga as instru-
O que muitas pessoas não levam em considera-
ções relativas a empilhamento e a carregamen-
ção é o fato de que edifícios freqüentemente
to de materiais e não exceda os limites de carga
são projetados para suportar cargas uniformes
projetados para os pisos e outras superfícies.
e que as cargas concentradas acabam por criar
Se tiver qualquer dúvida, verifique com seu
um problema de segurança.
supervisor.
Uma carga concentrada impõe duas vezes mais
esforços nos membros estruturais do que uma

147
Olhe para cima e para baixo
Objetos que caem e acertam pessoas embaixo dos e guardados adequadamente;
representam uma das causas mais sérias de aci- ü Se a natureza do trabalho em locais elevados
dentes industriais e são responsáveis por mui- envolver o perigo de queda de objetos, pro-
tas fatalidades todos os anos. teja a área embaixo e coloque placas de ad-
Vejamos a questão sobre como evitar objetos vertência no local. Isole a área com uma cor-
que caem. Primeiramente, o trabalho está sendo da.
realizado em locais elevados? Como os aciden- É muito importante que as pessoas embaixo
tes podem ser evitados? Eis aqui alguns cuida- estejam atentas para o trabalho que está sendo
dos básicos a serem seguidos: feito acima de suas cabeças e que obedeçam às
ü Alerte os que estão abaixo de que você vai placas de advertência e às barricadas.
começar um trabalho acima de suas cabeças, Um outro problema do mau empilhamento em
sinalizando, fazendo barricadas e adotando armazéns, pátios, caminhões ou no local de tra-
bons meios de comunicação; balho. Os materiais devem ser empilhados so-
ü Não carregue ferramentas ou materiais ao mente a uma altura razoável e com a base plana.
subir escadas. Use um cabo ou corda, recipi- O melhor é fazer travamentos cruzados e cobrir
entes ou balde para içar o material; os materiais para proteção adicional e maior
segurança.
ü Antes de içar as ferramentas ou materiais com
uma corda ou um cabo guincho, esteja abso- Nem todos os objetos em queda vêm de gran-
lutamente ciente de que estejam bem presos des alturas. Provavelmente, os objetos que caem
e que não possam deslizar; de pequenas alturas sejam os que mais atingem
pessoas.
ü Quando empilhar materiais em andaimes, cer- O trabalhador não prevê o peso do objeto e o
tifique-se de que o andaime e as plataformas deixa cair - geralmente sobre suas pernas ou
estejam equipados com chapas de piso late- sobre os pés.
rais (10cm) para impedir a queda de objetos;
Uma outra situação comum de queda de obje-
ü Nunca arremesse materiais ou ferramentas; tos causando ferimentos ocorre quando dois
ü Certifique-se de que a carga que está sendo trabalhadores estão transportando um pedaço
içada por corda ou andaime esteja equilibra- de tubulação ou algum outro objeto pesado. A
da e que não há qualquer pessoa sob a carga sinalização é inadequada e um dos trabalhado-
que está sendo içada; res deixa cair seu lado da carga. Você adivinhou:
são pés que serão castigados pela falha.
ü Mantenha as ferramentas e materiais afasta-
dos das bordas das plataformas e escadas e Um outro exemplo: alguém apoia um pedaço de
de aberturas; aço ou de tubo contra uma parede e vai embora.
Quando outra pessoa se aproxima, o objeto es-
ü Não coloque ferramentas nos bolsos, por- correga e cai. Nesta situação o objeto poderá
que, quando se curvar, elas podem cair; atingir qualquer parte do corpo.
ü Pratique a boa arrumação e ordenação em Tais ferimentos são evitáveis se usarmos nos-
locais elevados e mantenha as ferramentas e sos capacetes e botas de segurança e se apli-
materiais que não estão sendo usados reuni- carmos procedimentos corretos de içamento e

148
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

de manuseio de carga, além de usarmos os sinais ou sob ele, você pode eliminar a queda de obje-
corretos e trabalharmos em equipe. Além disto tos como fonte de perigo.
tudo, esses acidentes poderão ser evitados se Tudo que sobe tem que descer... mais cedo ou
guardarmos as ferramentas e materiais que não mais tarde. Devemos nos assegurar de que des-
estão sendo usados no local apropriado. cerão em segurança.
Se você estiver trabalhando em local elevado,

149
Empilhe da maneira correta
Gastamos uma boa parte de nosso trabalho Porém, há alguns pontos que se aplicam a dife-
empilhando coisas e depois desfazendo estas rentes casos de empilhamento. Primeiro, faça
pilhas, quando precisamos novamente do mate- travamentos cruzados sempre que possível. Isto
rial empilhado. Isso é uma coisa tão natural de se aplica a caixas, barris e muitas outras coisas
fazer que algumas vezes nos esquecemos de que de formas regulares. Em segundo lugar, certifi-
estamos empilhando muito alto, tornando a pi- que-se de que esteja empilhando sobre uma fun-
lha um perigo para nós e para outras pessoas. dação sólida. Em terceiro lugar, empilhe o que for
Suponha que esteja empilhando material do jeito mais pesado embaixo. Nunca empilhe objetos
antigo. Você joga as coisas grandes sobre as pesados sobre os mais leves. Se você se
pequenas; você deixa partes enfiadas ou pendu- encrencar e a pilha começar a se desfazer, ou a se
radas. Algumas vezes as coisas caem enquanto inclinar, ou se os objetos não se encaixarem ou
você está empilhando, mas se você não se im- ficarem difíceis de tirar sem derrubar a pilha, refa-
portar de levantar algumas coisas duas ou três ça a pilha da maneira correta, não importa quanto
vezes, em vez de uma vez só, você consegue tempo vai levar.
fazer o serviço do jeito mais desleixado. Não deixe uma pilha mal feita. Não vá embora
Mas o que pode acontecer depois disto? Prova- pensando que voltará depois para consertá-la.
velmente, quando você estiver passando por Conserte-a na hora. Cada minuto em que a pilha
esse “amontoado de coisas”, elas simplesmente ficar mal arrumada, será como uma bomba pronta
venham abaixo sobre você, ou sobre alguma ou- para explodir e ferir ou matar alguém.
tra pessoa que não tem nada a ver com a arruma- Nosso principal interesse está em boas práticas
ção de uma pilha tão mal feita - verdadeiro traba- de empilhamento. Elas podem evitar acidentes.
lho de lambão. Ou, o que mais provavelmente Porém, existe um outro argumento a nosso favor.
pode acontecer é, alguém precisar de algo que O bom empilhamento ajuda a obter eficiência.
está naquela pilha. Começa então a tirar e a pilha Ele torna mais fácil conseguirmos o que quere-
inteira cai no chão. É uma situação muito engra- mos quando precisarmos, com o menor esforço.
çada com coisas leves, mas coisas pesadas cer- Assim sendo, para tornarmos nosso trabalho
tamente provocarão pés esmagados e alguns os- mais seguro e mais fácil, devemos seguir as re-
sos quebrados. Existe uma outra forma de gras abaixo:
empilhar errado: deixar o material amontoado em ü Empilhe material no lugar certo e não o deixe
corredores e em locais de trabalho. Em seguida, amontoado em corredores e em locais de tra-
alguém vem passando e tropeça ou bate com a balho;
cabeça naquela coisa toda.
Agora podemos listar a forma certa de empilhar
ü Siga as regras corretas de empilhamento para
material. Diferentes materiais tem que ser o tipo de material que você está arrumando;
empilhados de diferentes maneiras. Existem dife- ü Não abandone uma pilha instável ou mal arru-
rentes formas de empilhar caixas de papelão, bar- mada, sem antes corrigi-la;
ris, tubos e outros materiais. Assim, vamos apren- ü Faça a pilha de forma que os itens no topo
der a melhor forma de empilhar o que temos para possam ser removidos sem ter que puxar os
empilhar. Vamos definir o local de empilhar e en- itens que estão embaixo.
tão fazer o empilhamento da forma que sabemos
ser a correta.
150
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Segurança com cabos de aço


Os cabos de aço são amplamente usados em vez sui muitas pegas móveis. Toda vez que um cabo é
das cordas de fibras, porque possuem maior resis- dobrado e esticado, os arames nas pernas do cabo
tência para o mesmo diâmetro e peso. Sua resistên- devem deslizar uns contra os outros.
cia é constante, molhado ou seco. Sua resistência Conseqüentemente, deve haver uma camada de lu-
permanece a mesma sob condições climáticas variá- brificante em cada peça móvel.
veis e possuem maior durabilidade. Um segundo motivo importante para lubrificação do
Inspecione os cabos de aço diariamente quanto a cabo de aço é evitar a corrosão dos arames e a dete-
desgaste, arames partidos e dobras. Uma inspeção rioração do núcleo ou alma. Um cabo enferrujado é
completa deve cobrir os seguintes pontos: um perigo, porque nenhuma inspeção visual é capaz
ü Há evidências de corrosão, desgaste ou de determinar a resistência remanescente de um cabo
dobraduras? Um cabo que foi dobrado não pode corroído. Nestas condições ele é muito perigoso,
ser reparado. pois a ferrugem reduz a área de corte transversal do
aço bom restante. Com isto, ele pode partir sem avi-
ü Existem arames quebrados? Se houver, substitua so prévio.
o cabo de aço, se o mesmo não satisfizer os pa-
drões de segurança estabelecidos. O lubrificante pode ser aplicado com uma lata de
óleo, escova ou qualquer outro método convenien-
ü O cabo foi lubrificado corretamente? O cabo deve te. O objetivo é aplicar uma camada uniforme na ex-
ser mantido adequadamente lubrificado para evi- tensão total do cabo.
tar a corrosão. Para instalar os clipes nas laçadas de extremidades
ü Qual é a condição das emendas e conexões? Qual- dos cabos de aço, utilize o seguinte método:
quer observação de danos exige a substituição ü Aplique o primeiro clipe a uma distância da extre-
imediata. midade morta do cabo, com o parafuso “U” sobre
ü Existem proteções para os olhais, onde necessá- a extremidade morta e com a extremidade viva se
rio? apoiando na sela do clipe. Aperte as porcas uni-
ü O fator de segurança correto é sempre observa- formemente com o torque recomendado.
do? ü Aplique o segundo clipe o mais próximo possível
ü Há evidência de que o cabo de aço tenha sido da laçada, com o parafuso “U” sobre a extremida-
esmagado, achatado ou aberto formando gaiolas de morta. Gire as porcas até que fiquem firmes no
ou apresenta qualquer outro dano causando sua lugar; não aperte.
torção? Se houver, o cabo deve ser removido do ü Espace todos os outros clipes igualmente entre
serviço. os dois primeiros - eles não devem ficar separa-
Quando não estiverem sendo usados, guarde-os dos numa distância superior à largura da base do
corretamente para protegê-los contra sujeira, para clipe. Gire as porcas, tire a folga do cabo e aperte
permitir o pronto acesso a eles e de maneira a permitir as porcas uniformemente com o torque recomen-
uma inspeção visual completa e precisa. Manuseie dado.
os cabos de aço de maneira a evitar dobraduras ou Todas as sapatas dos clipes devem assentar na ex-
torções. tremidade do cabo e ter o tamanho adequado para o
A importância da lubrificação periódica deve ser diâmetro do cabo. A distância entre os clipes num
enfatizada. Um cabo de aço é uma máquina que pos- cabo de aço deve ser igual a seis diâmetros do cabo.

151
Cabos tensionados
Vamos rever alguns dos perigos com cabos em A melhor forma de evitar ferir-se é ficar a uma
situações que qualquer um de nós pode encontrar. distância segura da área de perigo. Nunca se
Sabemos do efeito chicote se um cabo aproxime de um cabo tensionado nem o cruze.
tensionado for solto subitamente. Ele chicoteia Uma liberação súbita pode ocorrer em um cabo
com grande velocidade e força. Qualquer um tensionado, devido à deterioração ou sobrecar-
que estiver na sua trajetória pode ser ferido gra- ga.
vemente. Fique atento ao cabos tensionados. Geralmente, os cabos fixos são instalados en-
Uma ruptura do cabo ou de qualquer de suas quanto dura o trabalho e se destinam a supor-
conexões significa perigo para todos à volta. tar uma carga. Entretanto, verifique-os para
Suspeite de todos os cabos tensionados. Fique certificar-se de que suas resistências sejam
fora da área em que poderia ocorrer o mantidas. É uma boa idéia verificar escoras,
chicoteamento, caso ele se parta subitamente. cabos de ancoramento e todos os outros cabos
Observe também quanto à presença de laçadas fixos, sempre que precisar aproximar-se deles.
ao longo do cabo. Elas geralmente ocorrem em Os ferimentos causados por cabos geralmente
cabos no chão devido a alguma obstrução, acontecem, porque a vítima se expõe a riscos.
como uma pedra ou tronco de árvore. Quando Portanto, não seja a vítima de sua própria negli-
um cabo pula livre, ocorre uma violenta chico- gência e advirta qualquer um que estiver
tada lateral. aproximando-se de um cabo de trabalho.

152
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Veículos motorizados
Nós usamos muitos veículos motorizados. Eles frente dele, para conversar ou simplesmente para
deslocam cargas rapidamente, mas não precisam passar o tempo. Assim sendo, certifique-se de
ser mais perigosos do que carrinhos de mão. que a estrada esteja livre para partir - mesmo se
Se os utilizarmos de forma inadequada, eles se isto significar uma caminhada em volta de sua
tomam mortais. Assim, lembre-se das três regras a carga para ver o que está atrás dela.
seguir: A direção defensiva é uma questão de simples
ü Não dirija mais rápido do que as condições lo- bom senso. Em nosso local de trabalho, existem
cais permitem muitas pessoas e veículos. Algumas pessoas que
caminham ou dirigem por aqui são espertas e es-
ü Antes de dar partida, verifique sua frente e sua tão sempre alerta, mas algumas delas não. Nem
traseira. sempre você consegue saber quem, à sua volta,
ü Dirija defensivamente - esteja sempre pronto está ou não prestando atenção.
para proteger-se do erro de uma outra pessoa. Você tem que compreender que mais cedo ou mais
A questão da velocidade representa o mesmo tarde, se você permanecer neste trabalho, outras
ponto que os especialistas em segurança conti- pessoas farão coisas realmente insensatas e
nuam martelando nos motoristas de auto-estra- inimagináveis, quando você estiver perto delas.
das. Não existe nada como uma velocidade segu- Elas passarão na sua frente sem olhar. Vão empilhar
ra. A velocidade segura numa dada situação de- materiais nos corredores. Vão dirigir seus veícu-
pende das condições locais. los diretamente sobre você e cruzarão seu cami-
Essas “condições” incluem a condição do veícu- nho.
lo - o estado de seus freios, o peso da carga que Não há “pode ser que” nestas questões - elas
está transportado, a altura da carga. As condi- acontecerão mais cedo ou mais tarde. A única
ções também incluem a condição da superfície de coisa que impedirá que estes atos insensatos se
rolagem - quanto esta é irregular, se existe umida- convertam em acidentes é você se manter alerta
de ou óleo que poderiam torná-la derrapante, se para defender você e outras pessoas, adotando o
há curvas fechadas, quais os tipos de obstruções princípio de que o outro pode cometer um erro a
existentes atrapalhando a visibilidade. As condi- qualquer momento. Isso é direção defensiva.
ções incluem a situação de tráfego - outros veícu- Se você esperar que estas coisas aconteçam, você
los e pedestres. Finalmente, as condições incluem não será surpreendido e estará pronto para parar
a condição do motorista - se seus olhos estão ou desviar-se para evitar problema. Acima de tudo,
bons, se ele está cansado, se está alerta ou se está é importante que você mantenha uma velocidade
pensando em outra coisa. em que seja possível parar ou desviar-se quando
Qualquer má condição - no veículo, na superfície o problema aparecer.
de rolagem, o tráfego ou em você - representa um Assim sendo, dirija conforme as três regras dadas
alerta para diminuir a velocidade. antes: uma velocidade segura para todas as con-
O segundo ponto - a verificação da frente e da ré dições, uma verificação da frente e da traseira do
do veículo antes da partida - é muito importante. veículo antes da partida e um plano consistente
Uma vez que o veículo esteja parado, as pessoas de direção defensiva que seja baseado na imagi-
tendem a esquecer que ele pode se movimentar nação do que as outras pessoas são capazes de
novamente. Elas podem permanecer atrás ou na fazer.

153
Operação da empilhadeira
NA OPINIÃO DE VOCÊS QUEM PODE OPE- - Que as pessoas passem ou fiquem embaixo de
RAR A EMPILHADEIRA? carga ou do mecanismo de elevação;
Somente empregados habilitados que tenha sido - Que a carga seja superior à capacidade da
treinados e foram autorizados para tal. empilhadeira;
- Que as cargas estejam instáveis ou desequili-
NA OFICINA, QUEM SÃO OS OPERADORES bradas.
DE EMPILHADEIRA?
ESTÃO TREINADOS? FORAM AUTORIZA- ALGUMAS RECOMENDAÇÕES PARA DIRI-
DOS? GIR A EMPILHADEIRA COM SEGURANÇA:
- Desviar dos buracos, manchas de óleo e mate-
O QUE VOCÊS ACHAM: DEVEMOS EVITAR riais soltos. POR QUÊ? Podem fazer com que
TRANSPORTAR OU LEVANTAR QUALQUER a empilhadeira derrape e tombe.
CARGA QUE POSSA CAIR SOBRE O OPERA- - Fazer as curvas lentamente e dirigir com cui-
DOR OU OUTRA PESSOA? dado nas esquinas, utilizando, se for o caso,
Sim, pois o protetor de carga protege o opera- buzina.
dor contra quedas de objetos mas não protege - Descer a rampa com a empilhadeira carregada
o operador contra acidentes. somente de ré. POR QUÊ? A carga pode es-
corregar dos garfos ou tombar o equipamen-
COMO DEVE SER O PROCEDIMENTTO PARA to. Logo, manter sempre a carga voltada para
ELEVAR PESSOAS? o alto da rampa.
Usar uma plataforma de segurança, com prote- - Evitar dar partidas ou paradas bruscas. POR
tores laterais, fixado no garfo e caso permane- QUÊ? As freadas podem ocasionar queda de
cer na plataforma para realização da tarefa, fazer carga.
uso de cinto de segurança. - Observar cuidadosamente o espaço a ser uti-
lizado com os garfos, torre de elevação e con-
tra peso. POR QUÊ? As colisões serão total-
PODE-SE TRANSPORTAR PESSOAS NA
mente evitáveis.
EMPILHADEIRA?
O transporte não é permitido.
ALGUMAS RECOMENDAÇÕES COM RELA-
Quando o operador deixar a empilhadeira, de-
ÇÃO À “CARGA”
verá desligar o motor, engatar marcha, abaixar
os garfos e puxar o freio de mão. - Centralizar bem a carga sobre os garfos, de
forma que não fique peso somente para um
lado, principalmente cargas largas.
PONTOS QUE DEVEM SER EVITADOS QUAN-
- A carga deve ser apoiada nos 2 garfos.
DO DO USO DA EMPILHADEIRA
- Manter a carga encostada no caso de eleva-
- Que as pessoas se aproximem do mecanismo
ção.
de elevação;
- Atentar para as cargas cilíndricas e compri-

154
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

das. POR QUÊ? Pois as mesmas podem girar mente em rampas com mais de 3% de inclina-
sobre os garfos e caírem. ção. POR QUÊ? A visibilidade e a segurança
- A carga nunca deve ser transportada “eleva- aumentam.
da”. POR QUÊ? Quando as cargas são trans- - Elevar ou abaixar a carga sempre com a torre
portadas em posição “elevada” a estabilida- na vertical ou um pouco inclinada para trás.
de da máquina fica reduzida. Inclinar para a frente a carga elevada somen-
- As cargas grandes devem ser transportadas te quando ela estiver sobre o local de
em marcha ré, inclinada para trás, principal- empilhamento.

155
Dicas de segurança para operações com
guindastes móveis
Trinta e quatro por cento dos ferimentos devi- co que impede o estropo de sair do gancho.
dos a acidentes com guindastes são provoca- A operação de um guindaste em terreno macio
dos por trabalhadores embaixo de cargas ou inclinado é perigosa. O guindaste deve es-
suspensas ou por cargas que caem devido a tar sempre nivelado antes de ser colocado em
amarração, ganchos e estropos inseguros. operação. As sapatas de apoio dão uma estabi-
Os cabos e prendedores devem ser examinados lidade confiável somente quando usadas em
diariamente e inspecionados completamente pelo terreno firme.
menos uma vez por semana - mais freqüente- A sobrecarga, particularmente, é uma causa fre-
mente ao se aproximar do final de sua vida útil. O qüente de acidentes sérios, como tombamento,
número de arames quebrados, a quantidade de colapso da lança e falha de cabos. Todos os
desgaste dos arames externos e a evidência de fabricantes estabelecem os limites de carga de
corrosão são indicações desta condição. segurança para diferentes ângulos de inclina-
Se um cabo de 6 por 19 ou de 6 por 25 tiver seis ção da lança. Os limites especificados nas tabe-
arames partidos numa perna, esta seção do cabo las de carga nunca devem ser excedidos. Além
estará seriamente enfraquecida. do mais, outras instruções relativas à operação
Os ganchos deterioram devido à fadiga e à má devem ser rigorosamente seguidas.
prática de içar a carga em um ponto, o que faz Antes de sair do guindaste, por qualquer razão,
com que o gancho se abra. Se você encontrar aplique os freios, calce as rodas, trave a lança e
um gancho nestas condições, substitua-o. Um coloque as alavancas e controles em neutro.
gancho giratório minimiza o esforço e o des- Tenha o máximo de cuidado quando operar o
gaste provocado pelo giro da carga durante um guindaste nas vizinhanças de fios aéreos, qual-
içamento. Um gancho de segurança tem um trin- quer que seja a voltagem aplicada.

156
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Esteja alerta aos riscos com baterias


As baterias comuns de automóveis parecem Nunca instale uma bateria veicular até que esta
bastante inofensivas. Porém, isto pode repre- tenha sido totalmente inspecionada quanto à
sentar seu maior perigo, porque muitas pesso- pólos enfraquecidos, laterais partidas ou célu-
as que trabalham com elas ou próximas delas las vazando. A estrutura de suporte da bateria
parecem desatentas em relação a seus riscos no veículo não deve ser excessivamente rígida.
em potencial. O resultado é um crescente nú- Caso contrário, as paredes da bateria podem
mero de ferimentos no trabalho, relacionados ser enfraquecidas, permitindo o vazamento do
com o mal uso ou abuso das baterias. ácido.
Muitos destes acidentes podem ser evitados Nunca trabalhe em torno de uma bateria que pos-
se respeitarmos os principais riscos da bateria. sua um acúmulo de ácido na forma de pó ou
ü O elemento eletrolítico nas células das bate- massa seca até que o acúmulo tenha sido remo-
rias é ácido sulfúrico diluído que pode quei- vido. O pó é tão potencialmente prejudicial quan-
mar a pele e os olhos. Mesmo a borra corrosi- to o eletrólito e pode se deslocar e ser soprado
va que se forma devido a ácido derramado é contra seus olhos e face ou cair sobre qualquer
muito prejudicial para a pele e os olhos. um que estiver trabalhando sob o veículo.
Óculos de segurança ou outros tipos de prote-
ü Quando uma bateria está carregada, o hidro- tores para os olhos podem proteger contra esta
gênio pode se acumular no espaço vazio pró- poeira ácida ou eletrólito quando você precisar
ximo da tampa de cada célula e, a menos que o ficar perto destas substâncias perigosas.
gás possa escapar, uma centelha pode infla-
mar o gás aprisionado e explodir a bateria. Um curto entre placas pode eventualmente cau-
sar vazamentos de ácido e vazamentos de hi-
O controle desses riscos é bastante simples. drogênio que encurtam sua vida e que possam
Quando você estiver trabalhando sob o capô ser perigosos para qualquer um que esteja tra-
do compartimento do motor do veículo ou de- balhando perto de uma bateria defeituosa.
baixo do motor, use ferramentas metálicas com
muito cuidado. Isto é especialmente importante O recarregamento da bateria provoca o acúmulo
se você estiver perto da bateria, porque uma de hidrogênio que é altamente inflamável. Assim
centelha provocada pelo impacto de metal com faça o recarregamento ao ar livre ou numa área
metal, ou devido a um aterramento elétrico aci- bem ventilada, com as tampas da bateria removi-
dental de uma ferramenta, pode inflamar o hi- das. Primeiro, ligue os conectores tipo jacaré do
drogênio da bateria. Pelo mesmo motivo, nunca carregador nos terminais da bateria e ligue depois
acenda um fósforo ou fume perto de uma bate- o carregador na tomada de alimentação.
ria. Qualquer fonte de centelhas durante ou imedi-
Ao abastecer a bateria com ácido, não encha atamente após o recarga pode causar uma ex-
em excesso ou derrame o eletrólito. Se derramar plosão. Fique atento, especialmente em relação
um pouco, limpe-o imediatamente, tomando ao centelhamento quando se tentar jumpear
cuidado para proteger os olhos e a pele expos- uma bateria descarregada. Estas pontes
ta, assim como para jogar fora o pano ou papel (jumpers) podem provocar um arco voltaico e
usado para que outras pessoas não fiquem ex- centelhas que podem inflamar o hidrogênio.
postas ao ácido. Sempre que tentar dar partida num veículo usan-
do fios pontes, siga os seguintes passos:

157
SE O CARRO COM PROBLEMA TIVER UM cos serão queimados se for feita uma tentativa
TERRA NEGATIVO: de dar partida no veículo.
ü Ligue uma extremidade do cabo ponte ao pólo Nunca ligue os terminais da bateria com cabos
positivo da bateria descarregada; pontes enquanto o motor estiver funcionando.
A colocação dos terminais em curto pode criar
ü Ligue a outra extremidade deste mesmo cabo centelhas que podem inflamar o hidrogênio cri-
ao pólo positivo da bateria boa;
ado pelo carregamento.
ü Ligue uma extremidade do outro cabo ao pólo Finalmente, nunca verifique uma bateria colo-
negativo da bateria boa; cando-a em curto com uma chave de fendas ou
ü Ligue a outra extremidade do mesmo cabo ao qualquer metal. As centelhas podem inflamar o
chassi com problema. hidrogênio na bateria.

NUNCA LIGUE CABOS PONTES DOS TER-


MINAIS POSITIVOS AOS TERMINAIS NEGA-
TIVOS. Ao fazer isto, os componentes elétri-

158
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Práticas de segurança na utilização de escadas


Nosso trabalho exige que utilizemos vários ti- 7. Mantenha todos os cabos que forem usados
pos de escadas. Se elas não forem usadas cor- com escadas em boas condições.
retamente, tornam-se perigosas e podem cau- 8. Providencie apoio suficiente para manter as
sar acidentes sérios e até fatais. escadas presas quando transportadas em ve-
Por serem instrumentos de trabalho comuns, ículos. Prenda-as numa posição que minimize
os riscos associados a elas normalmente não os efeitos dos choques nas estradas.
são levados muito em conta. Para eliminar estes 9. Mantenha as escadas livres de graxa.
riscos e reduzir os acidentes, recomendamos as 10. Posicione-as corretamente. Mantenha um
seguintes práticas: quarto do comprimento da escada afastado
1. Use sempre a escada certa para o trabalho. do pé da parede.
Não improvise usando uma escada muito lon- 11. Quando em uso, amarre a parte superior da
ga ou muito curta. escada ou mantenha-a no lugar, com a ajuda
2. Inspecione todas as escadas periodicamente de alguém segurando na base.
quanto à ferrugem, trincas, partes quebradas 12. Nunca use escadas de metal para trabalhos
e corrimão enfraquecido. em circuitos elétricos. Essas escadas podem
3. Mantenha todas as escadas com a ferragem ser energizadas.
bem firme e verifique quanto a empenamento 13. Coloque sinais de alerta ou barricadas, nas
ou peças quebradas. bases das escadas quando estiverem sendo
4. Quando possível, providencie um local de usadas em áreas de trabalho intenso, locais
armazenamento adequado para as escadas. públicos ou onde possam atrapalhar as pes-
Considere os fatores: calor, umidade e possí- soas, movendo máquinas e equipamentos.
veis danos por ferramentas e máquinas. 14. Remova do serviço todas as escadas defei-
5. Remova as lascas que aparecerem. Lixe estas tuosas, até que tenham sido reparadas ou
áreas e pinte novamente. substituídas.
6. Rotule as escadas identificando o compri-
mento e o local onde elas devem ser guarda-
das ou usadas.

159
Pense em segurança quando usar andaimes
Quando for usar andaimes, siga as seguintes 2. Certifique-se de que as tábuas estejam no lugar
dicas: para evitar que o material possa ser chutado.
ü Antes de usar, inspecione o andaime no qual 3. Não deixe ferramentas ou material solto na
você vai trabalhar. plataforma do andaime. Limpe a plataforma
ao final de cada turno de trabalho.
ü Se você precisar subir escadas para alcançar
o andaime, preste atenção nos degraus. Ob- 4. Se alguém estiver trabalhando acima de você,
serve todas as regras de segurança relativas certifique-se de que haja proteção acima da
a andaimes. sua cabeça - use capacete de segurança.
5. Nunca arremesse uma ferramenta ou outro
ü Segure nos corrimãos da escada quando su- objeto para uma outra pessoa.
bir e descer da plataforma de trabalho do an-
daime e não transporte material ao subir ou 6. Sempre passe o material que deve ser entregue
descer a escada. de pessoa a pessoa; se os materiais ou as ferra-
mentas forem levantados ou abaixados, use uma
ü Mantenha o andaime livre de material não corda com um cesto ou sacola de lona.
usado ou desnecessário que possa causar 7. Certifique-se de que uma pessoa ao nível do
um tropeção ou um acidente por queda. solo, que está içando uma carga com a corda
ü Certifique-se de que os corrimãos e as cha- manual, ou que esteja abaixando uma carga
pas de piso estejam presas. de uma plataforma do andaime, permaneça
ü Verifique se os pranchões do andaime não se afastada para o caso de a corda romper e dei-
projetam mais de 15 cm além das barras trans- xar a carga cair.
versais. Se forem muito largos, eles podem 8. Se estiver sendo feito algum trabalho de de-
inclinar. molição ou de alvenaria, coloque uma tela de
arame no espaço entre a plataforma e o corri-
ü Nunca pule de um andaime ao chão. mão superior.
ü Nunca fique num andaime enquanto ele esti- 9. Certifique-se de usar as plataformas presas.
ver sendo movimentado. 10. Mantenha à disposição uma boa escada.
ü Certifique-se de aplicar os freios e calçar os 11. Certifique-se de que a plataforma possua
roletes nos andaimes móveis antes subir ne- proteção lateral e chapas de piso.
les para trabalhar. 12. Desça sempre que movimentar o andaime.
Para eliminar os riscos de queda de objetos, 13. Certifique-se de que nada possa cair.
siga as seguintes regras:
Se mantivermos estes pontos em mente, estare-
1. Observe as boas regras de arrumação e orde- mos razoavelmente certos de que não haverá
nação nas plataformas do andaime. acidentes envolvendo a utilização do andaime.

160
Segurança em
oficinas
161
Segurança com máquinas operatrizes em
oficinas
ü Não opere máquinas operatrizes a menos que ü Não limpe ou lubrifique máquinas enquanto
você seja qualificado e autorizado para operá- em movimento.
las. ü Não pare as máquinas colocando as mãos
ü Não remova proteções nem as torne inúteis. em correias ou outras peças móveis.
ü Use proteção para os olhos, para a cabeça e ü Inspecione todas as ferramentas regularmente
outros dispositivos de proteção (onde hou- para ver se estão em boas condições.
ver uma probabilidade razoável de que sejam ü Limpe moldes metálicos e outras partículas
evitados ferimentos por eles) quando traba- metálicas das máquinas diariamente (ou con-
lhando com ou perto de máquinas ou ferra- forme necessário, se a máquina não for usada
mentas elétricas. muito freqüentemente).
ü Use vestuário na sua medida exata. ü Aplique meios para manter o piso da oficina seco.
ü Não use anéis, jóias frouxas, luvas largas, ü Antes de montar uma pedra de esmeril numa
vestuário folgado, gravatas e cabelos exces- lixadeira, teste sua circularidade.
sivamente longos quando estiver trabalhan-
do com máquinas operatrizes. ü Mantenha o apoio da ferramenta a 3 mm da
pedra de esmeril em bancadas e em pedestais
ü Use a ferramenta correta e adequadamente e a proteção a 6 mm.
presa para trabalhar em furações, modela-
gem, etc.

162
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Esmeril
Os homens de antigamente afiavam suas ferra- Porém, o mais importante: eles devem ser usa-
mentas e armas, roçando-as contra uma pedra. dos. Eles não poderão salvar seus olhos se es-
O homem moderno usa o mesmo princípio para tiverem no armário ou no bolso.
afiar ferramentas na indústria. A maioria dos esmeris são projetados para fica-
O esmeril é uma das ferramentas mais comuns e rem presos entre flanges. Não opere um esmeril
úteis que temos. Sem o esmeril, nossos altos que não esteja montado em flanges apropriados
níveis de eficiência industrial e de produção e adequados. Coloque faces de material
nunca seriam possíveis. compressivo entre o esmeril e seu flange.
Como todos os melhoramentos modernos dos Não use esmeril defeituoso. O esmeril que foi
antigos processos, o esmeril elétrico de hoje desativado nunca deve ser usado novamente
não é só uma bênção. Caso práticas seguras para esmerilhar qualquer coisa.
não sejam seguidas, e salvaguardas apropria- Antes de montar o esmeril, inspecione-o cuida-
das não sejam adotadas, podem ocorrer muitos dosamente quanto a trincas ou marcas que in-
ferimentos graves. diquem danos. Além disto, faça o teste de
Trabalhadores qualificados, como os fabrican- circularidade. Teste a pedra tocando-a gentil-
tes de ferramentas e operadores de esmeril so- mente com um martelo de madeira ou cabo de
frem o maior número de ferimentos causados uma chave de fenda. Se a roda não estiver com
por esmeril. Estes ferimentos são os mais seve- defeito, um círculo perfeito será traçado.
ros dentre a maioria. Salvaguardas apropriadas fazem parte das ope-
É claro que os cuidados sensatos não estão rações seguras de esmerilhamento. As práticas
sendo seguidos, porque a maioria destes seguras representam a outra parte. Se umas
ferimentos não precisaria acontecer. poucas práticas seguras forem totalmente ob-
Um estudo sobre ferimentos provocados por servadas, os ferimentos por esmeril serão pou-
esmeril revelou dois fatos altamente significati- cos e muito menos severos.
vos: oito em dez ferimentos ocorrem no ponto Antes de iniciar, verifique a pedra quanto a
de operação ou próximo dele e cinco em dez flanges trincados ou quebrados. Certifique-se
ferimentos atingem os olhos. também de que a pedra não está trincada ou
O fato de a metade de todos os ferimentos com quebrada.
esmeril ser nos olhos enfatiza o quão importan- Verifique se a pedra é do tamanho correto, as-
te é usar proteções adequadas para os olhos. A sim como suas especificações para o trabalho a
falha em usar óculos de segurança pode ser ser feito.
desastrosa. Uma partícula arremessada pode Pedras excêntricas ou desbalanceadas são al-
cegar um olho desprotegido. tamente perigosas. Um grande esforço é impos-
Óculos mal usados e a utilização de óculos er- to se uma lateral da pedra estiver mais
rados representam outros fatores importantes desgastada do que a outra ou se a pedra estiver
nos ferimentos provocados por esmeril. Assim montada fora de centro. Nestas condições, a
sendo, os óculos de segurança devem encaixar pedra pode explodir em pedaços.
bem e devem ser do tipo certo para o trabalho Apoio de trabalho (ou ferramentas) mal ajusta-
em questão. das causam muitos acidentes e ferimentos. Os

163
apoios de trabalho devem ser mantidos firme- velocidade para a pedra em questão.
mente ancorados no lugar, não a mais do que Executando o trabalho de uma maneira segura,
3 mm da pedra. você pode proteger seus dedos e suas mãos
Quando a pedra estiver perigosamente contra a pedra. Segure a peça de trabalho firme-
desgastada, os apoios de trabalho devem ser mente, não muito perto da pedra. Use o apoio
reparados ou substituídos. de trabalho sempre que possível. Não trabalhe
Pedras com velocidade excessivamente altas com a peça muito perto da borda da pedra. Não
representam outra das principais causas de force a peça de trabalho contra uma pedra ain-
ferimentos. Uma pedra de esmeril não deve ser da fria; aplique o trabalho gradualmente para
operada acima da velocidade recomendada pelo aquecer a pedra. Não saia e deixe o esmeril sozi-
fabricante. Conheça o limite seguro de veloci- nho enquanto a pedra estiver em movimento.
dade da pedra que você utiliza. Acima de tudo, Lembre-se de seguir estas recomendações. Com
não monte uma pedra que você usa em outra isto você evitará um ferimento.
máquina que possa exceder o limite seguro de

164
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Segurança com prensas de punção


Você já parou para pensar quantas maneiras di- cisar ser feito com segurança. Assim sendo, dê
ferentes existem para alguém se machucar no plena atenção a seu trabalho e não se distraia
trabalho? enquanto estiver trabalhando.
As estatísticas de ferimentos indicam que exis- A evidência da necessidade de manter uma co-
tem pelo menos 20 maneiras diferentes para ser municação estreita com seu supervisor é vista
ferido enquanto se trabalha com prensas. Pelo nas seguintes medidas de segurança: não use
menos, este é o número de categorias luvas enquanto estiver operando uma prensa,
registradas para 651 acidentes com prensas a menos que seja absolutamente necessário e
durante um ano em apenas um estado. apenas após obter a permissão de seu
Os principais tipos de ferimentos são as ampu- supervisor. Diga a seu supervisor se os contro-
tações, lacerações e esmagamentos. As princi- les estão agarrando ou se estão frouxos, ou se
pais categorias são “prensamento de partes do atuam quando movimentam uma quantidade
corpo” e “falta de proteção”. menor do que a especificada pelo fabricante.
Mas, em vez de considerarmos as muitas for- A organização segura do local de trabalho é um
mas diferentes de nos ferirmos, discutiremos as outro principio básico importante para todas as
muitas formas que temos para não nos ferir. Em tarefas. Mantenha as ferramentas e outros ma-
outras palavras, vejamos os cuidados de segu- teriais afastados de sua prensa e mantenha a
rança com os quais todos devem estar familiari- área de trabalho limpa e livre de objetos que
zados. possam provocar uma queda. Além disto avise
Existem várias regras básicas de segurança que ao seu supervisor se sua área de trabalho ou
se aplicam a todo trabalho. O trabalho de ope- ponto de operação estiver mal iluminado.
rador de prensa de puncionamento não é exce- Alguns outros pontos que devem ser lembra-
ção à regra. dos: veja se sua prensa está lubrificada e se
Só para começar, nunca opere uma prensa que suas peças estão em boas condições de traba-
não esteja equipada com as proteções adequa- lho. Se você usar uma ferramenta, verifique-a
das, ou com dispositivos de segurança. Não ajus- regularmente para certificar-se de que esteja fir-
te ou remova as proteções e os dispositivos de me no lugar e que não vai inclinar inesperada-
segurança, ou faça reparos em sua prensa sem a mente.
autorização de seu supervisor. Relate todo baru- Resumindo tudo, fique alerta no trabalho e não
lho incomum ou peças soltas em sua prensa. tente ajustar ou reparar uma prensa sem a per-
Estas regras são valiosas, não apenas porque missão de seu supervisor. Muitos ferimentos
enfatizam a segurança mas também porque re- sérios são provocados por disfunções mecâni-
forçam a importância de manter seu supervisor cas. Assim sendo, é importante ter uma pessoa
informado sobre tudo que está relacionado com competente fazendo a manutenção da prensa.
seu trabalho. Esta é uma grande lista de cuidados, mas não
A prontidão mental é importante em qualquer significa muito em si mesma. Porém, junte a ela a
trabalho, particularmente se este trabalho pre- sabedoria e o bom senso de um bom operador de
prensa. Com isto você obterá segurança.

165
Segurança com prensa/furadeira para metal
ü Use apenas ferramentas adequadamente afi- mento apropriado. Não use ar comprimido ou
adas. Verifique se soquetes e encaixes estão as mãos para fazer este tipo de trabalho.
em boas condições. ü Não opere furadeiras com velocidades maio-
ü Prenda a peça de trabalho no apoio e fixe-o res do que as especificações do fabricante
na mesa da prensa. para os materiais que estiverem sendo fura-
dos.
ü Nenhum trabalho deve ser feito segurando a
peça manualmente enquanto perfura. ü Mantenha a mesa livre de ferramentas e de
outros itens soltos. Mantenha o piso em vol-
ü Não aperte a morsa ou braçadeira enquanto ta da prensa livre de objetos que possam cau-
a máquina estiver em movimento ou quando sar tropeções.
a máquina estiver sendo lubrificada ou ajus-
tada. ü Antes de começar a trabalhar com a máqui-
na, certifique-se de que a peça de trabalho
ü Use um capacete justo para manter o cabelo esteja firmemente presa; de que as brocas,
afastado das peças móveis. soquetes e encaixes estejam em boas condi-
ü Não use roupas folgadas ou jóias - elas po- ções e se estão firmes no lugar. Verifique se a
dem ser presas por peças rotativas. Não use máquina foi lubrificada apropriadamente e se
luvas, gravatas, camisas ou blusões abertos. todas as condições estão corretas para utili-
ü Use óculos de segurança que impedirão las- zação segura e se as chaves de trava foram
cas ou outras partículas voadoras de atingir removidas.
seus olhos. Use também calçados de segu- ü Antes de deixar a máquina, desligue-a e cer-
rança. tifique-se de que ela tenha parado.
ü Remova as partículas metálicas da mesa e da ü Relate qualquer condição insegura imediata-
área de trabalho com uma escova ou instru- mente.

166
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Dicas sobre ferramentas


Reserve um tempo para verificar suas ferramen- móveis. Não teste a fiação da ferramenta com
tas manuais e elétricas antes de utilizá-las. Se os dedos.
suas ferramentas estiverem gastas ou precisa- Use a roupa apropriada para o trabalho que es-
rem de reparos, elas poderão ferí-lo. tiver fazendo. Se estiver serrando, lixando ou
Certifique-se de que estejam limpas e de que as martelando, use óculos de segurança para pro-
ferramentas de corte estejam afiadas. teger os olhos. Se estiver usando uma serra elé-
Um corte cego pode fazer a ferramenta escapar trica, Use uma máscara contra pó para evitar a
de posição. inalação de poeira.
Use a ferramenta certa para o trabalho. Saiba a Se você estiver trabalhando num espaço pe-
finalidade de cada ferramenta e use-a da manei- queno com uma ferramenta elétrica barulhenta,
ra correta. Não use chave de fenda como ala- use proteção para os ouvidos. Se você estiver
vanca ou ferramenta de bater. usando equipamento pesado, use sapatos apro-
A utilização incorreta de uma ferramenta pode priados. Não use braceletes, gravatas ou ves-
quebrá-la ou causar um ferimento. tuário folgado, quando estiver usando ferramen-
tas elétricas, pneumáticas ou hidráulicas.
Use a ferramenta como ela foi projetada para
ser usada. Corte no sentido contrário a você, Quando estiver com o trabalho concluído, lim-
não em sua direção. Se uma ferramenta possuir pe as ferramentas. Transporte-as com as bor-
dois cabos, use ambos. Quando usar uma cha- das cortantes apontadas para baixo. Providen-
ve ajustável, puxe o cabo em vez de empurrá-lo. cie um lugar para guardar cada ferramenta. Não
Se você não estiver certo sobre como usar a deixe uma ferramenta fora do lugar porque você
ferramenta, não adivinhe - verifique o manual está planejando usá-la novamente no dia se-
de utilização. guinte. Tomando cuidado com suas ferramen-
tas manuais ou motorizadas e sabendo como
Não trabalhe com impaciência. Prenda os mate-
usá-las, você pode eliminar os riscos e se pro-
riais numa bancada ou num torno e mantenha
teger contra ferimentos.
as mão, cabelos e vestuário afastados de peças

167
Por que inspecionar ferramentas e
equipamentos?
Os pequenos e grandes acidentes geralmente o encaixe de uma trava numa porta ou talvez
acontecem da mesma maneira. Os eventos que uma gota de óleo num mancal pudesse ter
acabam em acidentes são os mesmos, porém os evitado uma perda de produção dispendiosa
resultados são bastante diferentes. quando o maquinário teve que ser parado. Tal-
Suponhamos, por exemplo, que um martelo vez os produtos não tivessem sido danificados
esteja frouxo no cabo. Um dia um trabalhador e o guindaste não tivesse apresentado falha -
tenta usá-lo, batendo em um objeto em cima da se tivessem sido inspecionados e reparados an-
bancada. A cabeça do martelo salta longe, tes.
batendo em uma parede de concreto, caindo ao Naturalmente, todos esses exemplos estão re-
chão, não ferindo ninguém e não causando lacionados com coisas materiais. Eles aumen-
qualquer dano à propriedade. tam a falta de eficiência, diminuem os padrões
Porém, em outra ocasião, quando a cabeça do de produção e aumentam o custo.
martelo sai do cabo, ela vai de encontro a uma Um novo mancal, mais umas poucas outras
outra pessoa que estava passando par perto, peças de reposição colocarão o maquinário de
ferindo-a seriamente. As circunstâncias foram volta ao trabalho. Os produtos danificados po-
inicialmente as mesmas em ambos os casos, mas dem ser jogados fora e novos devem ser produ-
os resultados foram diferentes. zidos.
O que é desagradável nesta história é que nun- Mas quando falamos sobre uma pessoa que foi
ca sabemos quando a cabeça frouxa vai sair do ferida por causa de uma destas falhas, o quadro
cabo e ferir alguém. Assim, a importância da muda rapidamente. Nada é mais importante em
inspeção regular de ferramentas e equipamen- nossa operação do que evitar que alguém saia
tos se toma evidente. ferido. A perda de um olho, de um braço, de uma
Uma inspeção regular significa que você verifi- perna ou de uma vida é exatamente isto - uma
cou uma ferramenta ou um equipamento antes perda. Não há peça de reposição que devolva a
de usá-lo. condição normal.
A inspeção de ferramentas é uma parte progra- Um homem forte e saudável passou anos de
mada de cada tarefa. É tão indispensável para o sua vida explicando como perdeu um olho de-
trabalho a ser feito quanto a sua habilidade e vido a sua falta de cuidado. Não foi apenas
qualificação para executá-lo. A verificação se porque não estava usando óculos de segurança
as ferramentas e equipamentos estão em ordem - seu formão estava sem corte também.
é o primeiro passo não apenas para uma opera- Seu acidente foi como a maioria dos acidentes -
ção segura, mas também para uma operação poderia ter sido evitado, se ele tivesse apenas
eficiente. inspecionado a ferramenta antes de usá-la e se
Quantas vezes você ouviu alguém dizer que um tivesse pensado em usar os óculos ou proteção
melhor trabalho poderia ter sido feito se ferra- facial antes de iniciar o trabalho.
mentas e equipamentos melhores fossem dis- A eliminação dos “se” é chave para a preven-
poníveis? Ou se as ferramentas e equipamen- ção de acidentes. A responsabilidade por isto
tos estivessem em melhores condições? cabe a cada indivíduo. A manutenção de ferra-
Talvez um formão mais afiado tivesse facilitado mentas e do equipamento pode até não ser de

168
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

sua responsabilidade pessoal, mas a responsa- equipamento ou ferramenta defeituosa.


bilidade por inspecioná-la é sua. A verificação de uma ferramenta antes de usá-
A inspeção é apenas o primeiro passo para evi- la deve ser tão rotineira quanto se vestir para o
tar os acidentes e ferimentos causados por trabalho logo que acorda. É um hábito - um
hábito SEGURO!

169
Chaves de fenda - a ferramenta mais sujeita a
abusos
Depois do martelo, a chave de fenda é prova- extra de torção, uma chave de boca mas nunca um
velmente a ferramenta que mais sofre abusos. alicate, pode ser usada para ajudar. As chaves de
As chaves de fenda são encontradas numa am- fenda para trabalho pesado, com ponta quadrada,
pla variedade de formas, tamanhos e materiais. são disponíveis para este fim. Via de regra, quanto
Porém, todas se destinam a um único uso: aper- maior for uma chave de fenda, maior será o diâme-
tar e soltar parafusos. Infelizmente, a chave de tro do cabo; quanto maior for o diâmetro do cabo,
fenda é usada como alavanca, como formão, maior será a força de torção.
raspador e até para misturar tinta! Para apertar um parafuso com segurança, pri-
Porém, o abuso mais comum é a utilização da meiro faça um furo piloto na superfície do mate-
chave de fenda de tamanho errado para o para- rial que você for prender. Esta recomendação é
fuso. Você não usaria um par de sapatos que especialmente importante quando se aplica pa-
fosse muito pequeno ou muito grande para seus rafuso em madeira dura ou quando o parafuso
pés. Caso contrário, você estaria abusando dos está próximo da borda da tábua. Os furos pilo-
seus pés. Pela mesma razão, você não deve usar tos podem ser feitos em madeiras macias e em
uma chave de fenda que seja muito pequena ou algumas madeiras duras. Entretanto, se você
muito grande para o parafuso com o qual está estiver colocando um parafuso n.º 6, ou maior, é
trabalhando. Use a chave de fenda certa. O abu- melhor fazer um furo completo ou usar um inici-
so da chave de fenda e do parafuso ocorre mais ador.
freqüentemente porque a pessoa não tem a cha- Faça sempre furos pilotos se os parafusos forem
ve correta em mãos para executar um trabalho aplicados em madeiras duras e densas. Para pa-
em particular. rafusos de cabeça plana, o furo piloto deve ter
Tenha estes pontos em mente quando usar uma um rebaixo, de forma que a cabeça do parafuso
chave de fenda: sempre combine o tamanho da não se projete acima da superfície da madeira.
chave com o trabalho a ser feito e sempre com- Depois que o parafuso estiver quase totalmen-
bine o tipo de chave com o tipo de cabeça do te inserido, é seguro usar as duas mãos com
parafuso. uma força de torção extra para assentar o para-
Selecione uma chave com uma lâmina grossa o fuso. Isto permitirá uma pressão adicional para
suficiente para se encaixar corretamente no ras- baixo, conseqüentemente assegurando que a
go do parafuso. Isto reduz a força necessária ponta da chave fique firmemente assentada no
para manter a chave de fenda no lugar e a possi- rasgo do parafuso. Se o parafuso for de cabeça
bilidade de danificar a ponta da lâmina ou o ras- chata, certifique-se de que o furo piloto tenha
go. A maioria das pontas de lâmina são um recesso no topo e de que a ponta da chave
chanfradas, o que permite usar a chave para mais de fenda seja estreita o bastante para evitar to-
de um tipo de parafuso. Porém, a chave de lâmina car a madeira.
com as faces em paralelo se fixará mais firmemen- Um dos aspectos de segurança mais importan-
te do que a chave com lâmina chanfrada. As lâ- tes de qualquer trabalho que envolva a utiliza-
minas chanfradas têm a tendência de sair do ras- ção de ferramentas manuais é a utilização de
go sempre que uma quantidade significativa de equipamento de proteção individual apropria-
força de torção é aplicada. do. Para trabalhos que requeiram chaves de fen-
Quando for absolutamente necessária uma força da, o EPI apropriado deve sempre incluir prote-
170
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

ção para os olhos, assim como luvas para evitar ü Não use uma chave de fenda (ou qualquer
ferimentos nas mão. outra ferramenta) próximo dos condutores
Algumas regras básicas de segurança que você energizados, a menos que a ferramenta seja
conhecer devem incluir sempre o seguinte: projetada e aprovada para esta finalidade.
ü Certifique-se de que a ponta da chave de fen- ü Não exponha uma chave de fenda a calor ex-
da se encaixa no rasgo do parafuso, nem frou- cessivo.
xa e nem muito apertada. ü Use uma lima para acertar a ponta de uma
ü Não use uma chave de fenda como punção chave desgastada.
ou formão. (Quando você estiver verifican- ü Jogue fora uma chave excessivamente
do se um poste de rede elétrica está podre, desgastada ou quebrada.
uma chave de fenda pode ser usada para son-
dar a área abaixo do solo).

171
Use os martelos com segurança
O martelo, provavelmente, é a primeira ferramen- estiver usando o martelo para bater em um
ta que todos nós aprendemos a usar. formão ou em qualquer outro objeto metálico,
Porém, infelizmente, isto não foi o suficiente para ou sempre que houver uma chance de voarem
nos tornar especialistas na utilização de martelos lascas.
com segurança. Segure sempre o martelo firmemente, perto da
Existem muitas piadas a respeito de marteladas extremidade do cabo. Quando você segura um
no polegar. Polegares atingidos ainda represen- martelo perto da cabeça, fica difícil segurar a
tam os ferimentos mais comuns provocados cabeça na vertical.
pela utilização de martelos e, provavelmente seja Certifique-se de que a face do martelo esteja em
o único que preocupa algumas pessoas. Na paralelo com a superfície a ser martelada. Isto
realidade, existem muitas outras formas de se evitará danos nas bordas da cabeça do martelo e
ferir com um martelo. também diminuirá a chance de o martelo escapar
Um sujeito que esteja trabalhando numa gara- ou danificar a superfície de trabalho.
gem batendo na lataria de um automóvel com O trabalho de martelar requer prática e bom
martelo pode ter seu olho atingido par uma las- senso. Porém, em geral para martelar em materi-
ca de metal enferrujado, deixando-o de molho al de fácil penetração, mova seu braço para trás
em casa durante três semanas. apenas o suficiente para alcançar a força correta.
Há um episódio em que um trabalhador de cons- Naturalmente, para uma pancada forte, mova
trução civil sofreu uma fratura, quando martelou seu braço bem para trás. Em seguida, mova o
sua mão, que estava sobre um objeto perto do braço para frente com um movimento rápido e
prego que eles estava pregando. firme.
Um empregado de uma indústria atingiu aciden- Estas recomendações parecem elementares. São
talmente a manete de uma máquina próxima. Um realmente. São elementares, mas não é fácil
pedaço de metal se soltou, atingindo-o no olho. alcançar a maestria neste movimento.
Estes dois acidentes poderiam ter sido evita- Entretanto, a utilização correta de um martelo
dos se os feridos estivessem usando alguma não é o único elemento de segurança envolvi-
proteção para os olhos. Em todos os três casos do. Cuidado e manutenção são igualmente im-
citados, um pouco de consciência em relação à portantes.
segurança teria tido um grande papel na pre- Mantenha a face do martelo limpa. Acerte as
venção dos ferimentos. bordas da cabeça do martelo regularmente para
Realmente, você pode tomar vários cuidados remover bordas salientes. Não esmerilhe a face,
de segurança. Você pode verificar o martelo a menos que seja absolutamente necessário. O
antes de usá-lo. Verifique o cabo quanto a trin- esmerilhamento pode afetar as características
cas ou defeitos e certifique-se de que esteja de dureza do metal da cabeça.
firmemente preso à cabeça metálica. Use sempre A cabeça do metal deve estar sempre bem presa
o tipo de martelo certo para o trabalho que está ao cabo. Se as cunhas se aprestarem frouxas,
fazendo. O uso de martelos errados danificará posicione-as novamente no lugar. Se forem
os materiais e pode causar ferimento. perdidas, substitua-as imediatamente. Não use
O uso de proteção para os olhos representa parafusos ou pregos nas cunhas, porque elas
uma outra prática de segurança. Use-a quando podem sair ou partir o cabo.
172
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Mantenha as garras de martelos afiadas o bas- forma, um martelo deixado numa borda ou
tante para agarrar as cabeças de pregos firme- bancada pode cair e ferir alguém ou ser
mente. Não use as garras como formão e nem danificado.
como alavancas. Talvez você nunca tenha percebido a existên-
Como todas as ferramentas manuais, os marte- cia de tanta coisa envolvendo a segurança com
los devem ser bem protegidos quando não esti- martelos. Mas, gostaria de acrescentar mais
verem sendo usados. Mantenha-os em caixas uma coisa. Quando você estiver usando um mar-
de ferramentas ou em prateleiras. telo, lembre-se de se preocupar não apenas com
Um martelo deixado no chão pode ser danifica- sua própria segurança, mas também com a se-
do e pode fazer alguém tropeçar e cair. Da mesma gurança daqueles que estiverem à sua volta.

173
Utilização de formão
Provavelmente, todos vocês sabem ou podem forma correta de segurar um formão. Entretan-
imaginar como trabalhar com segurança com um to, qualquer que seja sua forma de segurá-lo, o
formão, mas posso apostar que poucos de importante é conseguir mantê- lo firme e está-
vocês têm parado para pensar realmente sobre vel.
isto. Assim, espero que se lembrem do que va- A batida do martelo deve ser de maneira que a
mos discutir hoje e que apliquem as recomen- força do impacto siga sempre a linha de centro
dações quando precisarem usar um formão da- do formão.
qui por diante, aqui na empresa ou mesmo em Um martelo corretamente equilibrado com um
casa. cabo do tamanho certo fará o trabalho da ma-
Lascas que se desprendem de cabeças amassa- neira correta, mas requer prática para usá-lo.
das dão muita dor de cabeça para os médicos. Agora você está pronto para sacar aquele para-
Dedos são esmagados, peles são dilaceradas e fuso enferrujado. Não se esqueça de tomar cui-
até fraturas acontecem quando o formão não é dado com os pés. Você precisa de bom equilí-
segurado corretamente ou quando o martelo es- brio. Você não conseguirá ficar equilibrado se
capa. Se o formão for muito curto, o risco é do- seus pés não estiverem posicionados firme e
brado. Ele deve ser longo o suficiente para per- confortavelmente.
mitir ser agarrado com a mão toda e ainda deixar Você vai precisar de espaço para o movimento
um espaço de pelo menos 5 centímetros entre do martelo e espaço para sua mão segurar o
sua mão e a cabeça do formão e um espaço equi- formão de maneira estável. Você precisa ser ca-
valente da peça que está sendo trabalhada. paz de enxergar o trabalho que está fazendo e
Não subestime o perigo dos formões. Não o não se esqueça da proteção para os olhos.
utilize se a cabeça estiver amassada ou se a Se você puder escolher cortar a cabeça ou a
borda cortante estiver “endurecida”. Verifique ponta da porca do parafuso, escolha aquele que
se o cabo do martelo não está lascado ou parti- for mais fácil de alcançar e que tornará mais
do e se a cabeça está bem presa. Verifique a fácil sacar o parafuso depois de ser cortado.
condição da face do martelo e experimente-o Isto significa, em geral, cortar a extremidade da
para ver se está equilibrado. porca, porque muitos parafusos são um pouco
O número de olhos perdidos e feridos já pro- bojudos na extremidade.
vou muitas vezes que se deve usar proteção O pino sacador deve ser um pouco menor do
para os olhos quando trabalhar com formões. que o parafuso. Se for muito menor e o parafu-
Provavelmente a maioria dos especialistas em so estiver excessivamente travado, ele pode
segurança prefira óculos a proteções faciais. agravar a situação. Se estiver muito duro, o
Porém, muitos trabalhadores que rejeitam os melhor é fazer um novo furo, se tiver uma
óculos preferem usar as proteções faciais. Exis- furadeira elétrica.
te uma coisa, com certeza. Uma proteção facial
Um último ponto: antes de iniciar um trabalho
que é usada conscientemente é muito mais se-
em parafusos travados, tente avaliar de que
gura do que óculos que ora estão sendo usa-
maneiras podem voar partículas metálicas, cer-
dos, ora não.
tificando-se de que não poderão atingir alguém.
Existem algumas diferenças de opinião sobre a

174
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Prevenção de acidentes com chaves de boca


Quando precisamos de uma chave de boca, não 4. Uso de cunha (como a ponta de uma chave
há absolutamente outra ferramenta que possa de fenda) para completar o encaixe da chave
substituí-la. As chaves de boca são indispen- na porca ou cabeça do parafuso.
sáveis em quase todas as indústrias, assim Porém, mesmo quando escolhemos o tipo e o
como em casa. Porém, os ferimentos associados tamanho corretos, existem outros erros que fre-
com chaves de boca vão de lesões superficiais qüentemente cometemos:
até fatalidades. 1. Empurrar a chave, em vez de puxar. Se você
A maioria dos ferimentos resulta da utilização precisar empurrar, use a palma da sua mão de
de chaves de tamanhos e de tipos incorretos. forma que as juntas de seus dedos não seja
Quanto mais soubermos a respeito de chaves expostas.
de boca e sobre como usá-las, mais aptos esta- 2. O não assento da chave completamente na
remos para evitar acidentes. porca. Ela poderá escapar sob pressão.
A chave de boca mais comum é a do tipo aberta. 3. Aplicação de pressão antes de se sentir total-
Usamos esse tipo de chave inadequadamente mente equilibrado. Você poderia cair se a
de várias maneiras: porca subitamente afrouxar ou a chave esca-
1. Usando uma que seja muito grande. Neste par.
caso, muito provavelmente, ela vai escapar. 4. Bater na chave com um martelo. Isto danifica
Ela também vai arredondar os cantos da por- a chave e o martelo pode escapar para os
ca. lados.
2. Através da utilização de uma chave de boca 5. Usar a chave com as mãos molhadas ou sujas
de extremidade aberta com as garras trincadas de óleo.
ou danificadas.
6. Girar uma chave ajustável de maneira incorre-
3. Colocando um pedaço de cano no cabo para ta. A pressão deve ser sempre na garra fixa,
aumentar a força por alavanca. A chave não que é a mais forte das duas.
foi projetada para suportar esse esforço adi-
cional.

175
Segurança com facas
As estatísticas mostram que as facas causam expostas e mantenha as facas em locais apropri-
mais ferimentos incapacitantes do que qualquer ados - não as deixe sobre bancos ou no chão.
outra ferramenta manual. As pessoas em todas O primeiro socorro é muito importante se você
as ocupações são feridas por facas - o emprega- se cortar com uma faca. Mesmo o menor corte
do de um supermercado, o rapaz de um deve ser tratado para evitar infecções. Os re-
almoxarifado que tenta abrir uma caixa. Realmen- gistros de ferimentos estão cheios de casos,
te, todos nós somos expostos freqüentemente a aos quais alguém não deu importância a um pe-
ferimentos com facas pela razão única de que queno ferimento e este se infeccionou, causan-
uma faca é uma ferramenta muito usada. do várias semanas de afastamento do trabalho.
Quando estivermos velhos o bastante para apo- Há casos de septicemia, que é uma infecção
sentar, a maioria de nós terá aprendido os peri- que atinge todo o corpo, provocando internação
gos associados às facas. Porém, somos incapa- e morte.
zes de aprender os cuidados de segurança tão Geralmente se diz que não há nada mais doloro-
rapidamente. so do que um corte com uma faca cega. Talvez
O principal risco no uso de facas na indústria é isso seja um pouco de exagero, mas nos chama
que a mão do usuário pode escorregar sobre a a atenção para um ponto importante - mante-
lâmina, causando um sério e doloroso ferimento. nha as facas afiadas e em boas condições. Uma
Uma proteção no cabo evitará esse risco. Uma faca cega exige que você faça mais força para
outra causa de ferimento é o contato da faca cortar e a lâmina pode escapar e ferir você ou
com a mão livre ou com o corpo. alguém que esteja por perto.
Quando for preciso usar uma faca, corte sem- Nunca use uma faca defeituosa, por exemplo,
pre afastando a faca do corpo, se possível. Caso que tenha o cabo ou a lâmina quebrada. Natu-
contrário, use uma proteção adequada para o ralmente, uma boa maneira de danificar uma faca
corpo e tome medidas para manter o material e até quebrá-la é usá-la como chave de fenda
cortado no lugar. Existem luvas especiais para ou arremessá-la. Use sua faca somente para
este tipo de trabalho em alguns tipos de indús- aquilo a que ela se destina.
tria, como frigoríficos, onde o material deve ser Se você estiver usando a faca certa para o tra-
segurado muito próximo da faca. balho, ela deve cortar sem dificuldade. Nos ca-
Se for necessário carregar a faca de um lado sos em que é preciso usar uma força maior, ou
para outro no trabalho, coloque numa bainha rasgar com a faca, o problema já está presente,
própria. Os especialistas em segurança reco- podendo causar um ferimento, ou danificar a
mendam que a bainha seja usada sobre a cintu- faca ou o próprio material que você esteja ten-
ra do lado direito ou esquerdo, com a ponta tando cortar.
virada para trás. A faca transportada na parte Um famoso estadista disse: “ Nossa paciência
da frente ou sobre a perna pode causar um sé- é capaz de trazer mais resultados do que o uso
rio acidente em caso de queda. da nossa força”. Essa afirmação é boa para ser
A maneira de guardar as facas também é um fator lembrada quando precisarmos usar uma faca.
importante para a segurança. Cubra as bordas

176
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Machados
Para usar um machado com segurança, você deve sendo cortada e pode atingir quem o estiver usan-
levantá-lo apropriadamente, fazer o giro correta- do, nas pernas ou nos pés.
mente e acertar o ponto de corte com precisão. Antes de iniciar o corte com um machado, certi-
Para pegar corretamente um machado, uma pes- fique-se de que haja um círculo desimpedido à
soa destra deverá usar a mão esquerda acerca sua volta, de maneira a fazer o giro com seguran-
de 7,5 cm da extremidade do cabo e a direita acer- ça. Remova todos os galhos, arbustos e outras
ca de três quartos do cabo, de baixo para cima no obstruções nesta área, especialmente os galhos
cabo. Uma pessoa canhota deve apenas inverter acima da sua cabeça, que podem prender o ma-
a posição das mãos. chado, desviando-o de seu curso normal.
Um machado estreito, com uma lâmina fina, deve As lâminas dos machados devem ser protegi-
ser usado para madeira dura e o de lâmina larga, das com bainhas ou proteções metálicas, sem-
com uma lâmina grossa, para madeira macia. Um pre que possível. Se a lâmina não puder ser pro-
machado bem afiado permite uma ação de corte tegida, é mais seguro carregar o machado de
mais rápida e é muito mais seguro de se usar lado. A lâmina num machado de borda cortante
porque é capaz de cortar a madeira. Um machado deve ficar apontada para baixo.
cego freqüentemente resvala na madeira que está

177
Dicas de segurança para moto-serras
Qualquer ferramenta de corte deve ser tratada forma, caso você tropece e caia, pode soltar a
com respeito, mas uma moto-serra de alta velo- serra e deixar seu movimento para frente afastar
cidade requer cuidados especiais. Eis aqui cin- você da serra.
co sugestões gerais de segurança para ajudar a 4. Prepare a Área de Corte:
evitar problemas sérios. Certifique-se de que não haja presença de pes-
1. Use Equipamento de Proteção: soas e de animais de estimação na área de tra-
Proteja seus olhos com óculos de segurança. balho. Verifique quanto à presença de galhos
Use luvas em trabalho pesado para evitar las- mortos ou soltos acima de sua cabeça, que po-
cas e o contato direto com bordas cortantes. derão cair quando você começar o trabalho. Lim-
Sapatos de segurança anti-derrapantes, ajudam pe o caminho para a queda da árvore e limpe a
você a manter o equilíbrio e protegem os dedos área de trabalho, de maneira que não haja pe-
dos pés contra ferimentos causados pela que- dras soltas que poderiam fazer você perder o
da da árvore. Um capacete de segurança é bom equilíbrio, e para que não haja galhos que po-
para proteger sua cabeça contra a queda de deriam prender-se em suas roupas.
galhos que podem soltar-se enquanto você es- 5. Serre com Segurança:
tiver trabalhando. Protetores de ouvido prote- Nunca opere uma moto-serra quando você es-
gem sua audição. tiver cansado. Mantenha sua moto-serra em
Roupas justas são menos prováveis de agarrar bom estado de manutenção; faça os reparos
em galhos ou na corrente de moto-serras. Use necessários antes de continuar o trabalho. Man-
uma camisa de manga comprida abotoada nos tenha suas mãos limpas e secas, segurando a
pulsos. Mantenha a camisa dentro das calças e serra firmemente com as duas mãos. Segure a
use calças compridas em vez de bermudas ou serra de lado, de forma que o corpo não fique
calções. diretamente atrás dela. Trabalhe lentamente e
2. Manuseie o Combustível com Cuidado: planeje seus movimentos antecipadamente.
Armazene o combustível num recipiente apro-
priado e mantenha-o numa prateleira alta, fora Você pode evitar o coice da moto-serra – sua
do alcance de crianças. Sempre que misturar o tendência de pular para trás – seguindo as se-
combustível ou reabastecer a moto-serra, faça guintes sugestões: nunca deixe a ponta da bar-
isto em ambientes abertos. Desligue o motor da ra guia fazer contato com o tronco, galho ou
moto-serra e deixe-o esfriar antes do reabaste- outro objeto. Não inicie um corte com a ponta
cimento. Evite o abastecimento excessivo e o da barra guia. Aumente a velocidade da corren-
derramamento de combustível. Limpe a corren- te antes de começar o corte. Mantenha a cor-
te de corte após o reabastecimento e afaste-se rente afiada e corretamente tensionada.
da área do abastecimento antes de dar nova
partida ao motor.
Leia o manual do operador de sua moto-serra
3. Carregue a Moto-serra de Forma Correta: para saber os procedimentos de manutenção,
Certifique-se de desligar o motor antes de car- operação e abastecimento, assim como outras
regar ou transportar a serra para um novo local. coisas que você precisa saber sobre como
Segure e carregue a moto-serra abaixo de sua operá-la corretamente.
cintura, com a barra guia virada para trás. Desta
178
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Regras de segurança para ferramentas


elétricas
ü Aterre todas as ferramentas que não possu- ferramentas. Use também uma máscara con-
am duplo isolamento. Se a ferramenta for equi- tra pó ou de proteção facial, se a operação
pada com um plugue de trás com pinos, en- produzir poeira.
caixe-o numa tomada de trás com entradas. ü Não abuse do cabo. Nunca carregue uma fer-
Se estiver usando um adaptador para toma- ramenta segurando pelo cabo elétrico, ou
da de duas entradas, fixe o fio adaptador num desligue da tomada puxando por ele. Mante-
terra conhecido. Nunca remova o terceiro nha o cabo afastado de fontes de calor, óleo
pino. ou bordas cortantes.
ü Mantenha todas as proteções no lugar e em ü Prenda seu trabalho. Use garras ou um torno
boas condições. de mesa (morsa). É mais seguro do que usar
ü Mantenha a área de trabalho limpa. Áreas e as mãos, ficando com ambas livres para se-
bancadas cheias de entulhos são um convite gurar a ferramenta.
aos acidentes. ü Não se estique para alcançar o ponto de tra-
ü Evite ambientes perigosos. Não use ferramen- balho. Mantenha-se bem equilibrado duran-
tas elétricas em locais úmidos ou molhados. te todo o tempo.
Mantenha as áreas bem iluminadas. ü Desligue a ferramenta quando não estiver
ü Mantenha crianças afastadas. Todos os vi- usando-a, antes da manutenção, e quando
sitantes devem ser mantidos a uma distância trocar acessórios como lâminas, brocas ou
segura da área de trabalho. cortadores.
ü Não force a ferramenta! Ela fará melhor o tra- ü Remova as chaves e chavetas de ajuste. For-
balho e de maneira mais segura se for usada me o hábito de verificar se as chavetas e cha-
sob as condições para as quais foi projetada. ves de ajustes foram removidas da ferramen-
ta antes de ligá-la.
ü Não separe as pernas do cabo elétrico. Se,
acidentalmente, cortar o cabo ou danificar o ü Evite partidas acidentais. Não carregue fer-
isolamento de qualquer maneira, não tente ramentas conectadas na tomada com o dedo
repará-lo por sua conta e risco. Entregue-a no gatilho.
para substituição e/ou reparos imediatos. Não ü Não repare ou desmonte a ferramenta. Leve-
substitua cabos de extensão por sua conta. a a uma oficina autorizada ou substitua-a.
ü Quando sair da área de trabalho temporaria- ü Conheça sua ferramenta elétrica. Aprenda
mente, guarde as ferramentas longe do al- suas aplicações e limitações, assim como os
cance de crianças. riscos em potencial associados à sua opera-
ü Use o vestuário apropriado - sem jóias ou ção.
roupas folgadas. Elas podem agarrar-se em
peças móveis. Calçados e luvas de borracha
são recomendados quando se trabalha em
áreas abertas.
ü Use óculos de segurança com a maioria das
179
Furadeiras elétricas portáteis
Se não forem usadas corretamente, as furadeiras to. Certifique-se de que a velocidade da furadeira
podem ser perigosas. seja correta para o trabalho a ser feito.
Os registros de acidentes descrevem muitos ca- • O CABO - Observe quanto à quebra que expo-
sos, nos quais os usuários de furadeira acabam nha fios e se fica frouxo na tomada. Certifique-se
fazendo furos em si mesmos - geralmente nas de que a furadeira tenha duplo isolamento. Se
pernas. não tiver, ela deve ser aterrada com um adaptador
Isto geralmente acontece quando alguém vira a de duas posições, com uma orelha rígida fixa ao
furadeira momentaneamente para baixo e é atin- parafuso central na saída. Além disto, certifique-
gido, pressionando o gatilho inadvertidamente. se de que o terceiro pino não tenha sido removi-
Mesmo se a ponta da broca estiver cega, ela do.
pode furar sua carne rapidamente. • CABOS DE EXTENSÃO - Posicione-os de for-
As furadeiras elétricas causam ferimentos de ma a não representarem risco de tropeços. Se
outras formas. Lascas do material que está sen- alguém ficar com o pé preso no cabo, vocês dois
do furado podem ser arremessadas nos olhos do podem ser feridos. Não é nada engraçado sofrer
operador. Ou, se a furadeira não for segura da um solavanco do cabo em suas mãos. Verifique
maneira correta, a broca pode quebrar, jogando os cabos de extensão quanto à quebras que ex-
o pedaço de metal no objeto mais próximo - ge- ponham fios. Se sua furadeira precisar ser aterra-
ralmente o operador da furadeira. da, certifique-se de usar um cabo de extensão
Quando elas são tratadas sem cuidado, são dei- para aterramento.
xadas cair ou quando batem contra alguma coi- • BROCA - Certifique-se de que fique reta quan-
sa, ou são molhadas, o isolamento pode enfra- do encaixada. Segure a furadeira para cima e gire-
quecer. Se você usar uma furadeira com o isola- a por um momento. A broca deve girar correta-
mento quebrado, você terá uma furadeira “viva” mente. Se ela não ficar reta, a broca está empena-
nas mãos. Se você se posicionar num local mo- da ou não está bem presa no encaixe. Tire a cha-
lhado, estiver sentado numa viga de aço ou numa ve de aperto antes de dar partida.
chapa de piso, ou mesmo se estiver muito sua- • O TRABALHO - Para iniciar um furo em ângulo
do, a furadeira pode lhe dar um choque fatal. reto e mantê-lo reto, seja cuidadoso e mantenha
Mesmo sendo um choque pequeno, enquanto seu equilíbrio. Uma broca afiada fará o trabalho
estiver furando, pode causar problemas. Você sem a necessidade de muita pressão. Assim, eco-
pode deixar a furadeira cair, ou cair para trás, se- nomize sua força muscular para outras tarefas.
gurando-a. Luvas, naturalmente, nunca são usadas em vol-
Antes de começar um trabalho de furação, ob- ta de furadeiras.
serve-o cuidadosamente. Descubra todos os ris- • OS MATERIAIS - Metais muito macios como o
cos presentes e faça um plano de ação seguro. cobre ou alumínio cortam como queijo - com pou-
Eis aqui alguns pontos a serem verificados: ca pressão. Aços precisam de um tipo diferente
• A FURADEIRA - Ela está limpa? Se estiver suja de broca e mais pressão deve ser aplicada. É ne-
ou enferrujada, devolva-a para a manutenção. cessário cuidado, porque ao aplicar muita pres-
Puxe o gatilho para ver se está trabalhando cor- são, haverá superaquecimento da broca, poden-
retamente ou se está muito duro e se a energia é do empenar. Use um punção de metal para iniciar
cortada imediatamente quando o gatilho for sol- sua furação.

180
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Quando terminar a furação, encontre um lugar mova a broca. Isto elimina a chance de ferir você
seguro para guardar a furadeira. A melhor práti- mesmo ou um colega de trabalho.
ca é instalar um gancho, de forma que fique As furadeiras elétricas estão entre as ferramen-
guardada fora do caminho, mas ainda assim tas mais úteis que temos. Tomando cuidado,
podendo ser alcançada facilmente. Não deixe podem estar entre as mais seguras.
qualquer ferramenta elétrica encaixada na to- Para informações adicionais, consulte os técni-
mada quando ela não for usada. cos de segurança.
Antes de devolver a furadeira para a fermenta-
ria ou transportá-la para o local de trabalho, re-

181
Ar comprimido
Nunca use ar comprimido para limpeza mesmo Verifique a trajetória da mangueira para ver se
como último recurso. Use uma escova, um pano ela está protegida de possíveis danos e se não
umedecido ou vapor de água. Se estes métodos representa riscos de tropeções. Certifique-se de
não funcionarem, pergunte a seu supervisor o que a extremidade da ferramenta pneumática
que fazer, mas não use ar para soprar poeira ou esteja presa, de forma a não se movimentar
outras partículas. quando o ar comprimido entrar na mangueira.
O ar comprimido pode prejudicar mais do que Sempre que você precisar trocar a ferramenta
ajudar. Você pode soprar uma pequena área para na extremidade da mangueira, certifique-se de
limpar, mas vai espalhar a poeira e as partículas que a válvula esteja fechada no lado de supri-
para todo lado e, no final, terá uma bagunça mento do acoplamento. Aquela válvula pode
muito maior para arrumar. ficar localizada na mangueira, pouco antes de
Nunca use o ar comprimido para limpar poeira entrar no acoplamento, ou pode ficar na outra
ou secar suas roupas. Você pode conseguir ou extremidade da mangueira. Indiferentemente de
não tirar a poeira, mas há a chance de parte dela onde ela esteja montada, feche-a. Nunca dobre
ser injetada em sua pele. uma mangueira.
Sempre que você usar ar comprimido, use pro- Após fechar a válvula, puxe o gatilho ou abra a
teção para os olhos e as roupas apropriadas válvula de operação para aliviar a pressão na
exigidas pelo trabalho em questão. Se você já linha. Em seguida substitua a ferramenta.
teve que soprar areia de um corte, não pergun- Nunca use ar comprimido para fazer brincadei-
tará o porque. ras com colegas.
Antes de você abrir uma válvula para uma Uma pequena quantidade de ar comprimido
mangueira de ar, verifique cuidadosamente se a pode cegar alguém, estourar seu tímpano ou
mangueira está em boas condições, livre de causar ferimentos dolorosos.
cortes e abrasões. Verifique se o gatilho ou
válvula de operação na outra extremidade es-
tão fechados.

182
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

O gigante adormecido ataca novamente


O ancoramento de cilindros de gás comprimido meiro cilindro, em seguida, fez um giro de 90
é uma prática de segurança aceitável. O graus para a direita e se deslocou por uma dis-
ancoramento impede que caiam, o que poderia tância de 6 metros, indo bater contra um andai-
quebrar suas válvulas. Porém, o que acontece me ocupado. O pintor no andaime caiu de uma
quando a válvula de um cilindro é partida? altura de 2,5 metros até o chão, sofrendo fratu-
Seis cilindros de 220 pés cúbicos, parte de um ras múltiplas numa das pernas.
sistema de extinção de incêndio, foram removi- Depois de ficar rodopiando várias vezes, o ci-
dos de seus suportes nas paredes para que pin- lindro se deslocou novamente até perto de seu
tores pudessem pintar a área. Quando estavam ponto de partida e bateu contra a parede. Ele
sendo colocados de volta em suas posições, girou 90 graus para a esquerda e se deslocou
um pintor observou que um cilindro estava va- pela extensão total da sala, atingindo um eletri-
zando. Ele colocou o cilindro contra seu ombro cista. O eletricista foi arremessado pela porta
e tentou empurrá-lo pelo chão. Subitamente, a próxima, mas o cilindro continuou se deslocan-
válvula se separou do cilindro e foi projetada do em linha reta mais 20 metros antes de colidir
para trás, colidindo com a lateral de uma cabine com um caminhão do lado de fora. O resto de
de aço inoxidável. pressão no cilindro ainda permitiu que ele fi-
O pintor logo se viu com uma peça de 215 libras casse rodopiando perto do caminhão.
impulsionada a jato em seus braços. Ele se atra- Esta é uma história interessante. Mas precisa-
cou com o cilindro no chão mas não conseguiu mos evitar que algo semelhante aconteça
segurá-lo. O cilindro bateu contra o chão, coli- conosco. Mantenha esses cilindros ancorados
diu com outro cilindro no seu caminho, derru- e com suas tampas no lugar.
bou-o, quebrando sua válvula também. O pri-

183
Riscos dos recipientes ou sistemas
pressurizados
O óleo hidráulico, graxas, tintas, óleo combustí- vazamentos do tamanho de um furo de agulha.
vel, gases e assim por diante, que são Esses vazamentos são os mais perigosos, quan-
pressurizados, são muito úteis em nosso traba- do parte do nosso corpo ficam expostas muito
lho, mas quando são manuseados sem o devido perto de seus esguichos.
respeito quanto a seus riscos potenciais, esses Nunca use suas mãos para localizar uma sus-
ajudantes se tornam verdadeiros matadores. peita de vazamento nem as coloque sobre um
Os cilindros com gás comprimido geralmente vazamento. Não procure o vazamento aproxi-
são reconhecidos como recipientes de mando seu ouvido para ouvir de onde vem o
armazenamento para materiais sob alta pressão chiado. A pressão do vazamento do líquido pode
e todos nós já lemos a respeito de danos facilmente perfurar seu tímpano.
devastadores causados por cilindros vazando Outros riscos de pressão menos reconhecíveis
ou com rupturas. Alguns cuidados para quan- à nossa volta vêm de graxeiras pressurizadas,
do trabalhar com eles, são dados a seguir: óleo combustível atomizado, latas de aerossol
ü Trate todos os cilindros como se estivessem e latas de tinta pressurizadas. As graxeiras, de
cheios. aparência inocente, podem ser perigosas como
uma arma de fogo, porque podem atirar a graxa
ü Mantenha-os presos. diretamente para dentro do corpo de alguém,
ü Não os utilize como bancadas de trabalho. com uma força tremenda.
ü Mantenha todas as tampas e proteções de O óleo combustível atomizado, combustível
válvulas no lugar quando manuseá-las ou esguichado num “spray” muito fino mas sob
transportá-las. grande pressão, pode matar. Qualquer lata de
aerossol é perigosa se armazenada num local
ü Aceite somente aqueles cilindros que forem quente, perfurada, se jogada no fogo ou se jo-
hidrostaticamente testados dentro da perio-
gada fora de maneira inadequada.
dicidade pré-estabelecida e que não estejam
fisicamente danificados ou deteriorados. Certas tintas lançadas em spray sobre o corpo,
em quantidades suficientes ou sob pressão su-
O óleo hidráulico que movimenta peças móveis
ficiente, podem causar a morte.
de maquinário é a “mula de carga” para a
moderna tecnologia, mas é também um inimigo Os sistemas ou recipientes pressurizados têm
mortal se não for controlado. tomado nosso trabalho mais fácil, mas deve-
mos reconhecer o potencial que têm para ferir,
Todos nós somos capazes de perceber um gran-
tomando os cuidados adequados.
de vazamento numa rede hidráulica, mas a
maioria de nós é incapaz de perceber pequenos

184
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Segurança com gás comprimido


Um gás está em geral comprimido num recipien- pode causar asfixia. Estes perigos geralmen-
te quando apresenta uma pressão absoluta de te não são observados, porque raramente po-
40 psi a 20 graus centígrados. Os gases compri- dem ser vistos ou cheirados.
midos são armazenados em cilindros de pare- Sempre que um cilindro de gás for recebido, ins-
des metálicas muito grossas, especialmente pecione-o cuidadosamente para assegurar-se de
construídos e testados para este fim. que esteja em boas condições e de que seu con-
Os gases comprimidos apresentam riscos es- teúdo esteja indicado corretamente no rótulo.
peciais. Todo cilindro de gás comprimido con- Antes de usá-lo algumas vezes, um rótulo é co-
tém uma grande quantidade de energia. Quan- locado na superfície do cilindro, ou é fixada à
do esta energia é aliviada inadequadamente ins- tampa uma etiqueta. A válvula do cilindro deve
tantaneamente, ela pode causar ferimentos sé- ficar sempre tampada ou protegida.
rios. Os gases, por si mesmos, já são perigosos Além disto, inspecione os cilindros para deter-
porque podem causar incêndios, serem tóxicos minar se existem ranhuras, arqueamentos ou
e corrosivos. queimaduras por maçarico, crateras isoladas ou
Esta é a razão pela qual devemos tratar com áreas corroídas (particularmente em volta do
respeito todos os gases comprimidos. pescoço do cilindro ou da válvula), ou conjun-
Nesta condição, eles possuem propriedades tos de válvulas estragadas ou quebradas.
únicas que não são comuns aos sólidos e líqui- Se for observado qualquer defeito, isole o cilin-
dos. Estas propriedades são: dro dos outros que estiverem bons e entre em
1. Baixo ponto de ebulição que permite uma rá- contato com o fornecedor solicitando correção
pida difusão do gás e rápida elevação de pres- dos problemas encontrados.
são dentro do cilindro. Este baixo ponto de Armazene os cilindros em áreas secas e bem
ebulição pode causar queimaduras de frio, ventiladas. Não guarde substâncias inflamáveis
quando alguns gases comprimidos entram em e fontes de ignição na mesma área. Armazene-
contato com tecidos do corpo. os na posição vertical, com suas tampas no lu-
2. Baixo ponto de fulgor - sempre abaixo da tem- gar e afastados da luz solar direta, onde pos-
peratura ambiente. Isto proporciona uma rápi- sam estar sujeitos à ação do clima. Guarde-os
da mistura explosiva de vapor do gás e ar. afastados de tráfego e passagens de pedestres
3. Pressão. O risco mais comum associado à e acorrente-os a uma estrutura firme para evitar
pressão envolve o vazamento dos gases. que caiam. Os gases inflamáveis devem ser ar-
Além disto, quando há uma grande elevação mazenados separados por pelo menos 6,5
de pressão, provocando uma descompressão metros. O método preferencial é armazenar dife-
explosiva na cabeça do cilindro, o cilindro rentes tipos de gases inflamáveis em diferentes
passa a atuar como um míssil desgovernado, locais.
que pode causar danos graves e ferimentos O manuseio incorreto de gases comprimidos
sérios as pessoas. pode facilmente causar danos extensivos à pro-
4. Difusividade. A difusão do gás através de priedade, sérios ferimentos e mesmo a morte de
uma junta de vedação vazando pode conta- pessoas. Algumas regras comuns, baseadas no
minar a atmosfera. Esta contaminação pode bom senso, são apresentadas a seguir:
criar uma atmosfera tóxica ou explosiva, ou
185
1. Use sempre um carrinho de mão para trans- nho mais comum dos cilindros de oxigênio con-
portar gases comprimidos. Acorrente o cilin- tém 244 pés cúbicos de gás a 2200 psi, que é
dro ao carrinho. uma pressão consideravelmente maior do que a
2. Não transporte os cilindros em veículos fe- desenvolvida por um tambor de revólver quan-
chados. do disparado (1600 psi).
3. Mantenha os cilindros acorrentados no lu- ACETILENO
gar durante todo o tempo. Quando combinado com o oxigênio, o acetileno
4. Não os deixe cair e nem permita que batam produz a chama de gás mais quente atualmente
uns contra os outros. conhecida. Ele é altamente inflamável e altamen-
5. Mantenha a tampa do cilindro firme no lugar, te explosivo. A pressão de trabalho normal do
até que você esteja pronto para usar o gás acetileno é de 240 a 250 psi.
comprimido. HIDROGÊNIO
6. Aterre os cilindros que contêm gases infla- O hidrogênio é um gás altamente inflamável.
máveis. Seu limite de inflamabilidade é de 4% a 74% de
7. Use os cilindros somente na posição vertical. vapor na mistura de ar. O tamanho mais comum
8. Feche todas as válvulas do cilindro quando dos cilindros de hidrogênio contém aproxima-
não estiverem em uso. damente 200 pés cúbicos de gás sob uma pres-
são de 1800 a 2200 psi.
9. Use o regulador apropriado para o tipo de
gás que está usando. NITROGÊNIO
10. Abra as válvulas cuidadosamente. O nitrogênio é um gás não inflamável que cons-
titui 78% de nossa atmosfera. Seu risco princi-
11. Quando a pressão no cilindro se aproximar
pal é o fato de deslocar o oxigênio em áreas
de 30 psi, remova-o do serviço e marque-o
fechadas e provocar uma atmosfera deficiente
com clareza, dizendo que está vazio.
em oxigênio. O nitrogênio é armazenado em ci-
12. Assuma sempre que um cilindro de gás com- lindros que contêm 225 pés cúbicos de gás sob
primido está cheio e manuseie-o como tal. uma pressão de 2200 psi.
Alguns dos tipos mais comuns de gases com-
ARGÔNIO
primidos que estão sendo usados na empresa
incluem o oxigênio, o acetileno, o hidrogênio, o O argônio é um gás inerte, não inflamável,
nitrogênio, o argônio e o cloro. comumente usado em soldagem ou laboratóri-
os. Seu risco principal está no fato de que tam-
Cada tipo de gás apresenta vários riscos. Pelo
bém desloca o oxigênio em áreas fechadas ou
fato de poderem ser encontrados em grandes
confinadas, causando uma atmosfera deficien-
quantidades em várias áreas de trabalho, é im-
te em oxigênio.
portante que todos saibam do potencial que
representam. CLORO
OXIGÊNIO O cloro não é inflamável, mas ajuda no proces-
so de combustão. Ele forma um composto ex-
Seu risco principal é o fato de ser altamente
plosivo quando é combinado com muitos dos
reativo com gases inflamáveis e pelo fato de ser
líquidos inflamáveis ou com vários produtos
essencial no processo de combustão. O tama-

186
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

químicos (como o acetileno, a terembentina, o amarelo-esverdeada, com um odor forte que lem-
gás de amônia, o hidrogênio e com metais de bra a amônia. O cloro pode ser facilmente de-
granulometria muito baixa). O cloro é extrema- tectado pelo cheiro quando atinge 3,5 p.p.m. na
mente tóxico. Irrita a mucosa e as membranas atmosfera.
do sistema respiratório. Este gás tem uma cor

187
Oxigênio
Existe mais oxigênio no mundo do que qual- aço (ou ferro) até ficar vermelha e então colocá-la
quer outro elemento, sendo também o elemento em oxigênio, ele se queimará. Os maçaricos de
mais importante, pelo fato de ser necessário à corte se baseiam neste princípio.
vida. Quanto mais rápido se queima um combustível
O ar é constituído de 21% de oxigênio e de 78% mais quente é o fogo. Ao ar livre, 1100°C é a
de nitrogênio. Esta parece ser a proporção exa- temperatura que você pode alcançar com a ma-
ta para nós. Mais do que isto poderia ser preju- deira. Se usar oxigênio puro, você consegue
dicial, mas também nem menos do que isto. Nós dobrar esta temperatura. Com acetileno ou um
suportaríamos mais oxigênio no ar, mas isto nos outro gás combustível de alta potência em vez
desgastaria muito mais rapidamente. Se a por- de madeira dobrará a temperatura.
centagem de oxigênio cair próximo de 16 por Isto é conveniente para nós, pois torna possí-
cento (como acontece num fosso ou num tan- vel soldagens a gás. Porém, é também perigoso
que), uma pessoa sentiria falta de ar. Próximo de porque temos de manter estes dois gases sepa-
10 a 12 por cento, a pessoa desmaia e morre. rados até desejarmos juntá-los na proporção
O fogo também precisa de oxigênio. Uma cha- correta. Devemos manter a queima sob total
ma de vela comum se apagará se o oxigênio que controle durante todo o tempo. Por este motivo
a alimenta cair a cerca de 15 a 16 por cento. Se apenas, não tente operar um maçarico de
houver muito mais oxigênio no ar, ele pode au- soldagem, a menos que você tenha sido treina-
mentar o risco de incêndio de duas formas. Fa- do para fazer isto.
ria com que as coisas pegassem fogo mais facil- O oxigênio é armazenado em cilindros sob alta
mente e também se queimassem mais rápido. pressão (2.400 psi), a fim de caber a maior quan-
A temperatura em que uma substância combus- tidade possível em um cilindro. Estes cilindros
tível pega fogo, se aquecida ao ar livre, é cha- são seguros, se manuseados de forma correta.
mada de ponto de ignição ou temperatura de O manuseio correto de cilindros significa não
ignição. O papel tem um ponto de ignição vari- deixá-los cair. Manter 2400 psi de pressão num
ando entre 204 a 232 °C, dependendo do seu cilindro já é uma carga suficiente para o recipi-
tipo, bem como a maioria das madeiras. ente de aço, porém se cair, o esforço do impacto
O aumento do oxigênio no ar abaixará o ponto pode chegar a toneladas.
de ignição dos combustíveis. De fato, num am- Nunca deixe um cilindro cair da carroceria de
biente de puro oxigênio, o ponto de ignição dos um caminhão. Só o fato de deixá-lo inclinar já é
óleos e graxas é tão baixo que ocorrerá uma perigoso.
explosão. Assim sendo, mantenha todos os óle- Os cilindros não devem ser deixados em luga-
os e graxas afastados do oxigênio e mantenha o res quentes ou sob o sol. Num dia quente de
oxigênio longe destas substâncias. verão, a temperatura do aço pode facilmente
Algumas substâncias que não se queimam no ar, atingir 60 °C (130 a 140°F) o que aumenta a pres-
tornar-se-iam inflamáveis se a porcentagem de são dentro do cilindro.
oxigênio fosse dobrada. O ferro, por exemplo. Ele Mantenha o fogo afastado também. Você pode
não se queima a qualquer temperatura no ar. Mas transformar estes cilindros numa bomba pela
se você aquecer a extremidade de uma haste de aplicação de calor.

188
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

O ponto mais fraco num cilindro é o conjunto Mesmo que isto não aconteça, a chama quente
de válvula. Ela pode ser quebrada com relativa do oxigênio e o metal incandescente são lança-
facilidade. Este é o motivo pelo qual o tampão dos a uma longa distância, podendo iniciar fa-
ou proteção da válvula deve ser sempre mantida cilmente outros incêndios nas imediações.
no lugar, exceto quando o cilindro estiver sen- Um último ponto: nunca use o oxigênio como
do usado. Os cilindros também devem ser fixa- substituto para ar comprimido. Ele fornecerá a
dos com segurança quando estiverem sendo pressão, tudo bem ... mas também pode causar
transportados. um incêndio ou uma explosão.
Se o conjunto de válvula quebrar, o oxigênio O oxigênio dá a vida, mas pode provocar a mor-
sai rapidamente, aquecendo o metal em volta te se não for usado corretamente.
da abertura, fazendo-a se alargar mais rapida-
mente. Isto transforma o cilindro num foguete,
com força suficiente para decolar.

189
Ferramentas manuais
As ferramentas manuais são os equipamentos é elevado em virtude do mau emprego das fer-
mais simples e servem como extensão da mão ramentas e outras causas que devemos obser-
do homem, para lhe facilitar as tarefas, diminu- var:
indo a força empregada por ele, aumentando o ü Ferramentas defeituosas;
rendimento dos serviços e protegendo-o dos
riscos de acidentes. ü Ferramentas inadequadas para o serviço;
Sendo uma extensão da mão e usados para facili- ü Método incorreto;
tar os trabalhos, atualmente o seu uso é quase ü Má conservação das ferramentas;
imprescindível. Encontramos ferramentas manu-
ais sendo usadas em todos os lugares, desde as ü Improvisação de ferramentas;
oficinas, fábricas, até o lar, para pequenos conser- ü Conduzir ferramentas no bolso;
tos e algumas tarefas simples. Essa amplificação
ü Jogar ferramentas para outro colega.
do seu uso, fez com que elas fossem responsá-
veis por muitos acidentes de todas as espécies e
alguns até com graves conseqüências, dependen- MEDIDAS PREVENTIVAS
do, é lógico, do tipo de ferramentas. ü Verifique freqüentemente as condições das
De um modo geral, as ferramentas manuais não ferramentas solicitando a reparação ou con-
causam muitos acidentes graves, o índice de denação;
gravidade das lesões é muito baixo. Por essa
ü Para trabalhos em altura, use cinto porta-fer-
razão, muitas gerências tendem a não tomar
ramentas, ficando com as mãos livres, tanto
conhecimento do cuidado, controle e uso des-
na escada, como para realização do serviço;
sas ferramentas. Exceto quando:
a) OLHOS – toda lesão ocular deve ser consi- ü Faça uma rápida análise do seu posiciona-
derada como potencialmente muito grave e re- mento para que em caso de escapar a ferra-
quer imediata e competente ação; menta, você não venha sofrer queda;
b) INFECÇÕES – em virtude de numerosos pe- ü Não deixe ferramentas em posição perigosa,
quenos cortes, bolhas, abrasões, machucadu- ou no caminho onde possa provocar pulos,
ras e perturbações, as infecções são muito co- escorregões, quedas, etc. Evite deixar em ban-
muns, decorrentes do descaso em tratar essas cadas, mesas, máquinas, onde possa provo-
pequenas lesões. car acidentes.
Mas, a freqüência desses acidentes é grande.
O índice de freqüência de lesões incapacitantes

190
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

A utilização inadequada de equipamentos de


ar comprimido
Os equipamentos de ar comprimido, foram de- partículas que estejam em sua roupa venham a
senvolvidos para injetar ar em algum recipiente se alojar em sua vista ou ainda, tais partículas
ou em algum outro equipamento. Mas, com o serão lançadas em suspensão, facilitando a ina-
uso corriqueiro, passou-se a usar o equipamen- lação por parte do trabalhador, ou ainda, a ação
to de ar comprimido para a limpeza de roupas do ar comprimido contra a pele poderá abrir uma
ou a limpeza de máquinas, bancadas ou ainda a fenda, a qual além de ser uma via de penetração
secagem de peças. do agente tóxico existente no local, é também
A princípio, o ar comprimido parece bastante uma via de infecção. O agente tóxico poderá
inofensivo e suficiente para não darmos muita também introduzir-se na corrente sangüínea e
atenção às normas para utilização. provocar a morte.
O ar comprimido pode ocasionar um corte na As brincadeiras deverão ser evitadas a todo
mão do empregado (se não estiver usando lu- custo. Devemos lembrar que um simples jato de
vas). Outras vezes, um empregado poderá estar ar nos olhos de um companheiro desprevenido
usando o ar comprimido para limpar uma máqui- pode ser o suficiente para cegá-lo de forma irre-
na que possua uma série de partículas como: mediável. Uma mangueira de ar próxima ao ou-
lascas de madeira, poeiras, etc. Dessa forma, es- vido de um companheiro de trabalho, não só
tas partículas poderão ser projetadas na vista do lhe dará um grande susto, capaz de fazê-lo se
empregado ou ainda de um companheiro que se machucar com a máquina, equipamento, ferra-
encontra próximo (caso não estiverem utilizando menta em que está trabalhando, como também
óculos, poderá causar um acidente). poderá romper-lhe os tímpanos.
Outras vezes, a máquina que está sendo limpa, Tudo isso pode acontecer com você que está
possui uma mistura combustível, seja ela gaso- usando ar comprimido, portanto além dos cui-
sa ou líquida. A atuação do ar comprimido, a dados, não o utilize de forma inadequada. É ne-
sua fricção contra as paredes dessa máquina e cessário utilizar as luvas para proteção das mãos,
o conseqüente espalhamento do combustível, os óculos de segurança, evitando que a visão
podem gerar aquecimento ou eletricidade está- possa ser perturbada e o protetor auricular para
tica, o que poderá resultar em fogo e explosão. que a audição não seja exposta ao alto nível de
Em outras ocasiões, temos o indivíduo que cos- ruído dos mesmos.
tuma limpar a roupa com ar comprimido. Este
procedimento poderá fazer com que algumas

191
192
Direção defensiva
193
Você e seu veículo
MANTENHA SEU VEÍCULO EM BOM ESTA- melhores condições. Esteja preparado para as
DO condições das estradas. Considere o seguinte:
Um veículo só é bom dependendo de seu moto- ü Curvas
rista. Um veículo não consegue parar sozinho,
fazer uma curva ou sinalizar mudanças de
ü Lombadas
direção. Você é que deve, periodicamente: ü Acostamentos instáveis, que podem
ü Verificar níveis de óleo e de água do motor. desbarrancar

ü Verificar condições e pressão de pneus. ü Saídas fechadas das estradas.


O ângulo da curva limita a visibilidade. Você
ü Verificar a condição dos limpadores de pára- nunca sabe o que vem à sua frente pouco além
brisas. de seu campo de visão. Velocidade reduzida é a
ü Verificar freios e todas as lâmpadas. chave para este problema. Nas curvas, também,
o excesso de velocidade pode arremessá-lo para
O CINTO DE SEGURANÇA É A SUA MELHOR fora da estrada, ou fazer você sair de sua pista.
APOSTA Novamente, reduzir a velocidade é ação correta.
Reduza a velocidade sempre antes de entrar
Ele está lá, esperando para ser usado. É um
numa curva.
verdadeiro equipamento de segurança.
Sempre que não estiver familiarizado com a
A utilização dos cintos, reduz drasticamente as
estrada ou com as condições à frente, diminua
mortes em caso de acidentes. É obrigatório seu
a velocidade e guarde maior distância de ou-
uso por lei
tros veículos.

OS CINTOS EVITAM QUE VOCÊ CHOQUE


NEBLINA, CHUVA E LAMA SÃO PERIGOSAS.
COM OUTRAS COISAS. Cerca de um terço de
As condições climáticas afetam sua capacida-
todos os acidentes fatais em colisões no tráfe-
de de enxergar e de ser visto. Podem tornar a
go ocorrem quando os ocupantes colidem com
estrada derrapante e reduzir sua capacidade de
o volante ou painel.
dar partida, parar e fazer curvas. A neblina e a
Cerca de duas em cada cinco mortes ocorrem chuva limitam sua visibilidade em graus
quando os ocupantes são arremessados contra variados.
o pára-brisas, estrutura do pára-brisas ou pai-
nel de instrumentos. Um em cada cinco
ferimentos ocorre quando as pessoas são arre- TRÊS COISAS A SEREM FEITAS QUANDO
messadas umas contra as outras. PERDER A VISIBILIDADE. Evite a tentação de
se vingar de um motorista que se esquece de
A escolha é sua: numa colisão você pode coli-
baixar os faróis quando estiver cruzando com
dir com o volante, o pára-brisas, o painel de
você. Tudo bem, seria bom fazer esses
instrumentos ou... seu cinto de segurança!
motoristas experimentarem um pouco do próprio
remédio, mas a maneira defensiva de fazer isto é
CONDIÇÕES QUEAFETAMADIREÇÃO (1) baixar os faróis, (2) reduzir a velocidade e (3)
Você nem sempre estará dirigindo em estradas nas olhar para a borda do lado direito do asfalto

194
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

para se guiar até que o perigo tenha passado. escuros após o pôr-do-sol! Se o sol estiver atrás
de você e baixo no horizonte, ligue seus faróis.
QUANDO DERRAPAR EM ÁGUA. Quando a Isto não lhe ajudará a enxergar melhor a estrada,
água na superfície da estrada está num nível mas ajudará os outros motoristas em sentido
mais alto do que a banda de rodagem do seu contrário a enxergarem melhor o seu carro.
carro, poderá ocorrer o fenômeno da
hidroplanagem (derrapar sobre uma lâmina de COMO AJUSTAR SEU PÁRA-SOL. As condi-
água). Você pode verificar se há condições para ções de luz mudam constantemente. Ajustar-se
ocorrer hidroplanagem, observando se o carro a estas condições requer um pouco de sabedo-
que vai à sua frente está deixando rastros. Se ria da parte do motorista. Quando o sol refletir
não estiver, cuidado. Reduza sua velocidade em seus olhos, incline o pára-sol para frente
imediatamente para evitar a hidroplanagem do totalmente e em seguida volte-o pouco a pouco
seu carro. até fazer sombra sobre os seus olhos. Mantenha
sempre a aba do pára-sol virada para frente
REDUÇÃO DO OFUSCAMENTO. Os óculos quando em uso. Esta é a maneira que os
de sol fazem um bom trabalho para reduzir o motoristas defensivos fazem.
ofuscamento. Os que têm lentes marrom ou cinza
parecem ser os mais efetivos. Nunca use óculos

195
Caminhões - regras de segurança
Não permita o transporte de pneus nas plata- ve geral, desativa-se também, o sistema hidráu-
formas ou em qualquer local fora do local espe- lico de direção.
cífico.
Mantenha os faróis acesos quando a visibili- PNEUS
dade for deficiente.
Ao cruzar com outro veículo, faça-o com luz Não ande com pneus carecas. O pneu sobres-
baixa. salente deve estar em condições de uso. Velo-
Evite operar o caminhão sem a buzina de ré. cidades excessivas durante o transporte podem
Quando não existir, solicite ajuda a um produzir pressões excessivas nos pneus, devi-
manobrador auxiliar. do ao calor. Jamais fique em cima, ou diretamen-
Não fique debaixo da báscula quando esta esti- te ao lado de um pneu e do aro, durante a mon-
ver erguida. tagem. A troca de pneus pode ser perigosa. Sob
Caso haja necessidade de se colocar abaixo dela, pressão, o conjunto do aro e do pneu é um pe-
a mesma deverá ser travada com o cabo de se- rigo em potencial. Exigem-se ferramentas e pro-
gurança ou calço. cessos especiais.
Obedeça aos sinais de trânsito. Ao encher de ar um pneu com arinho, utilize
Evite estacionar o caminhão dentro da pista. gaiolas ou correntes de proteção.
Cuidado com os cruzamentos.
Não permita que alguém desça do caminhão ou MOTOCICLISTA.
suba nele em movimento.
Ao se aproximar ou se afastar a pé do cami- Com o crescimento do número de motos que
nhão, coloque-se em uma posição que seja vi- circulam em nossas vias, torna-se indispensá-
sível ao motorista. Caminhões tem ângulo mor- vel a sua participação responsável na seguran-
to de visão do motorista de muitos metros. ça global do trânsito.
Mantenha as portas da cabine fechadas. Conduzir motocicleta exige especial habilidade,
Use os EPI’s, botinas, luvas e especialmente o muita atenção e prudência.
“ABAFADOR DE RUÍDOS”, quando indicado. Observe as leis de trânsito, pois, atendendo bem
No abastecimento do caminhão, não fume nem aos seus deveres, merecerá maior respeito aos
permita que se fume. O diesel é altamente infla- seus direitos.
mável. Os condutores de motocicletas e similares devem:
Inspecione regularmente os extintores de incên- Conduzir sua moto mantendo-a no meio da pis-
dio localizados no caminhão. ta direita do rolamento, sempre que não houver
Se por acaso tiverem sido usados, comunique-se faixa especial a eles destinada.
com a Segurança para pronto reabastecimento. Não entregar a direção do veículo a pessoas
Não deixe acumular terra debaixo dos pedais do não habilitadas.
freio e acelerador. Transitar com o capacete, inclusive o passageiro.
Nunca desligue a chave geral com o caminhão Usar roupas e calçados adequados, inclusive o
em movimento. Isto porque, ao desligar a cha- passageiro.

196
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Obedecer a toda sinalização existente. Dar passagem quando solicitado.


Andar em velocidade compatível com a segu- Respeitar o pedestre, dando-lhe preferência
rança pessoal e coletiva. quando necessário.
Ultrapassar sempre pela esquerda.

197
Cintos de segurança: a má informação pode
ser perigosa!
O Brasil é responsável por 10% de todos as sar pelo pára-brisas ou sair pela porta. Uma vez
mortes ocorridas no mundo inteiro por aciden- do lado de fora, perigos adicionais como o de
tes automobilísticos. sair se arrastando pelo chão, o de ser esmagado
Os acidentes no Brasil custam, sem considerar pelo próprio veículo, o de ser lançado contra
o aspecto humano, as quantias fabulosas de objetos na lateral da estrada aumentam espanto-
US$ 2 bilhões em perdas materiais e outros 2 samente seu risco de vida. O lugar mais seguro
bilhões em perdas sociais. numa colisão é dentro do próprio veículo, prote-
Muitas pessoas acham que um cinto de segu- gido pelo cinto de segurança.
rança preso poderia retardar uma tentativa de Têm sido descritos traumas devido ao uso de
escapar de um veículo em chamas ou submerso. cinto de segurança. Nestas raras situações, con-
Nada melhor do que a verdade. Em primeiro lu- tudo, o cinto estava sendo usado inadequada-
gar, menos de meio por cento das colisões com mente ou o choque foi tão violento que o ocu-
vítimas envolvem incêndio ou submersão! Em pante seria fatalmente lesado se estivesse sem
tais acidentes, sua primeira preocupação deve o cinto.
ser ficar consciente para escapar. Um cinto de Ocupantes sem cinto foram mortos em velocida-
segurança preso minimizará bastante ou elimi- des menores que 20 Km/h – velocidade de quem
nará a possibilidade de ferimentos, de forma que está estacionando, mostrando que cintos são ne-
você poderá escapar. cessários não apenas em velocidades altas.
Muitas pessoas acham que é mais seguro ser Em veículos da Empresa, o uso de cinto de segu-
arremessado num acidente. Vejamos! rança é obrigatório durante todo o tempo - sem
Se você for arremessado de um veículo, suas exceções. Em seu veículo pessoal, os cintos de
chances de morrer são 25 vezes maiores do que segurança são obrigatórios durante todo o tempo
se você permanecer dentro do veículo. A força para todos os passageiros - sem exceções.
da colisão pode arremessar você a uma distân- Não dê informações erradas sobre o cinto de
cia de aproximadamente 15 vezes o comprimen- segurança - dê uma informação clara e verda-
to do carro. Portanto, achar que ser arremessa- deira. Passe à frente a mensagem de que “cinto
do é mais seguro do que ficar no carro é idioti- de segurança salva vidas”.
ce; o arremesso para fora do carro envolve pas-

198
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Estacione defensivamente
Muita coisa já foi dita e escrita sobre o que é a ículo impedindo a passagem normal de ou-
direção defensiva, mas não foi dada atenção tros.
suficiente para o estacionamento defensivo. ü Aplique os freios de mão. Deixe a transmis-
Apresentamos aqui algumas medidas defensi- são engrenada e calce as rodas se necessá-
vas que devem ser consideradas ao estacionar rio, quando estacionar em local inclinado,
o veículo. virando as rodas frontais para dentro ou para
ü Estacione do lado direito da rua, a menos que fora, dependendo do sentido da inclinação.
seja uma rua de mão única ou de estaciona- ü Evite estacionar perto de cruzamentos. Se
mento especial. houver uma colisão no cruzamento, seu veí-
ü Estacione em locais indicados, fora da rua, culo poderá ser facilmente danificado. Seu
sempre que possível. Se for necessário esta- veículo poderá ficar bloqueado à visão dos
cionar na rua, evite estacionar em diagonal, a outros motoristas. Pode bloquear a passa-
menos que assim esteja indicado. Se o esta- gem de pedestres, forçando-os a se arriscar
cionamento for em paralelo, siga esta regra. por terem de atravessar a rua fora da faixa de
Não ESTACIONE deixando parte do seu ve- segurança.

199
Ré com segurança
Outro dia, vi uma senhora num carro importado veículo quando estiver saindo pelo lado es-
dar ré em cima de um Fusca estacionado atrás querdo.
dela. Quando o proprietário do Fusca ouviu a 5. Se for necessário dar uma ré, qualquer que seja
batida, saiu para investigar o ocorrido. A senhora a distância, pare na metade do percurso, saia
estava totalmente indignada. do carro e verifique a situação quanto à segu-
“Também pudera, esses carrinhos minúsculos.” rança para continuar. Isto faz parte da manobra
Exclamou esta. “Não sei por que não proíbem de de ré segura.
fabricar carros tão pequenos, que a gente não 6. Quando estiver dando ré, peça ajuda a alguém
consegue ver?” para orientá-lo. Certifique-se de que o guia fi-
“Minha Senhora”, replicou o dono do Fusca, com que do lado do carro, bem à sua vista. Use ape-
fogo saindo pelos olhos, “quando foi a última vez nas os sinais visuais - talvez não seja possível
que a senhora deu ré em cima de uma criança de ouvi-lo, nem se gritasse. Nunca deixe que seu
cinco anos?” guia fique atrás do veículo. Você poderia sim-
Sua argumentação foi bem colocada. Dar ré em plesmente esmagá-lo contra um objeto fixo
cima de um objeto fixo não tem desculpas. É um atrás de vocês.
acidente indesculpável! Não é o bastante apenas 7. Sempre ESTACIONE de forma que não tenha
“adivinhar”, “supor”, ou acreditar que não tem de dar ré para sair do local do estacionamento.
nada atrás de você antes de começar a dar ré. Para 8. Nunca dê ré fazendo uma curva numa esquina
esta operação, você tem que ter certeza absoluta. para encurtar caminho. Dê a volta no quartei-
Isto é fácil de fazer. Siga as práticas seguras para rão.
dar ré, enquanto estiver dirigindo veículos da 9. Evite usar passagens usadas também por pe-
Empresa, especialmente caminhões: destres, especialmente dentro de áreas da Em-
1. Evite a necessidade de dar ré, planejando seu presa. Assim não precisará dar ré em área peri-
trajeto. gosa e invadir a passagem de trânsito dos pe-
2. Se na rua, estiver procurando por um determi- destres.
nado número e perceber que ele já passou, não 10. Quando precisar dar ré sobre uma calçada
dê ré. Provavelmente você estará dirigindo passeio e para dentro da rua – como por exem-
devagar. Com isso, provavelmente algum ou- plo ao estacionar ao longo do meio-fio, certifi-
tro veículo deve estar logo atrás de você. Se que-se de que não haja crianças pequenas ou
você tiver que realmente dar uma ré, saia do outras pessoas atrás de seu veículo. Pare e ve-
carro e olhe, ou melhor ainda, dê a volta no rifique o tráfego na rua.
quarteirão e retome ao ponto desejado em se- 11. Nunca dependa de espelhos retrovisores. Na
gurança. melhor das hipóteses, esses espelhos dão a
3. Sempre que precisar dar ré, saia e dê uma volta você apenas uma visão parcial da traseira. Se
por todo o veículo para certificar-se de que não tiver a menor dúvida sobre o que está atrás de
há nada e ninguém atrás. Em seguida, faça a você, saia do veículo e verifique as áreas à sua
manobra de ré rapidamente, antes que a situa- volta.
ção possa mudar. Faça desses simples cuidados parte do seu traba-
4. Use ambos os espelhos retrovisores para ré. lho.
Você não consegue ver o lado direito de seu
200
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Visibilidade é fundamental para dirigir com


segurança
Nenhum outro fator é tão importante na direção (sensibilidade dos olhos) em relação a tudo à
de veículos do que a visibilidade da estrada. sua volta.
Você tem que ser capaz de enxergar claramente, ü Outras boas idéias incluem a diminuição da
mesmo à noite e sob chuva. Eis aqui várias boas luminosidade do painel de instrumentos, para
idéias que lhe possibilitarão ver melhor: reduzir o contraste com a escuridão, e não
ü Mantenha os pára-brisas limpos. Arranhões olhar diretamente os faróis de carros no sen-
e sujeira limitam a visibilidade e aumentam o tido contrário. Se acontecer de o motorista
ofuscamento. Limpe as janelas por dentro e no sentido contrário não abaixar os faróis,
por fora com um tecido macio e úmido. tente olhar para o acostamento do lado direi-
ü Verifique os faróis para ver se estão correta- to da estrada.
mente ajustados. Cerca da metade de todos As más condições climáticas criam um outro
os veículos nas estradas estão com os faróis conjunto de problemas, especialmente à noite.
desajustados. Se não estiverem apontados Para enxergar melhor sob más condições climá-
para onde você precisa enxergar, a estrada ticas, tente as dicas abaixo:
não ficará bem iluminada. ü Use faróis baixos quando houver neblina.
ü Limpe a sujeira dos faróis frontais e dos faro- Faróis altos refletem na neblina e causam
letes traseiros quando parar para reabaste- ofuscamento.
cer. Lentes limpas podem aumentar a ilumi- ü Ligue os limpadores de pára-brisas quando
nação em cerca de 50 a 125 por cento. sob neblina. As gotículas de umidade se acu-
ü Dê tempo a seus olhos para se acostumarem mulam sem serem percebidas e diminuem a
com a escuridão. Depois que sair de um edi- visibilidade.
fício muito iluminado, espere no escuro du- ü Ligue o desembaçador sob neblina, mesmo
rante alguns minutos para depois sair diri- que não esteja frio.
gindo.
ü Reduza a velocidade. Ajuste-a em conformi-
ü Não beba ao dirigir. Além dos motivos óbvi- dade com a situação.
os, a embriaguez reduz o tempo de recupera-
ção do ofuscamento e acuidade visual

201
Pedestres são vulneráveis
O problema de pedestres sempre foi sério. En- 5. Pessoas idosas ou deficientes físicos.
tretanto, hoje em dia, com muitos carros a mais 6. Equipes de reparos.
nas ruas e mais pedestres de todas as idades, a 7. Curiosos na cena de um acidente.
coisa é muita mais séria. Todos os anos, mais
Outros riscos que contribuem para o problema
de 10.000 pedestres morrem durante colisões,
dos pedestres são as zonas de segurança, cru-
excedendo em muito as perdas sofridas em afo-
zamentos, conversões à direita com sinal ver-
gamentos, incêndios e em acidentes ferroviári-
melho, “shopping centers” e passagens.
os e aéreos.
A importância de manter o máximo de cuidado
A maioria das mortes de pedestres envolve pes-
com pedestres deve ser super-enfatizada. Os mo-
soas abaixo de 14 anos e acima de 55, assim
toristas profissionais sabem da importância de ver,
como pessoas alcoolizadas.
assim como de ser vistos enquanto dirigem.
Quais são alguns dos perigos envolvendo pe-
As zonas escolares apresentam um problema
destres? Vejamos alguns:
especial envolvendo pedestres, pois as insta-
1. Crianças brincado entre veículos estaciona- lações escolares geralmente são usadas fora do
dos. horário regular de funcionamento.
2. Pedestres desatentos. Funcionários e professores costumam ficar até
3. Caroneiros. mais tarde nas escolas. Portanto, próximo a es-
4. Pedestres bêbados. colas temos que ter sempre atenção redobrada.

202
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Cuidados a serem observados na utilização de


bicicletas
A bicicleta, além de ser usada no lazer, é larga- ü Ao atingir a via pública, deve-se montar a
mente utilizada como meio de transporte. Daí a bicicleta com atenção redobrada. A grande
necessidade de um bom conhecimento de nor- maioria dos acidentes ocorre nas áreas próxi-
mas de segurança para os empregados que se mas das fábricas, oficinas, depósitos, locais
utilizam desse meio de transporte para se de trabalho, etc., ocasionadas pela fase de
locomover da residência para o serviço e vice- “aquecimento” em que o ciclista sai do esta-
versa, visando com isso, evitar danos pessoais do de “inércia”;
ou materiais.
ü Procure não andar em grupos. Além de ser total-
mente inseguro, prejudica o fluxo do tráfego;
MEDIDAS PREVENTIVAS COM RELAÇÃO
AO CICLISTA:
ü Andar sempre com as pernas voltadas para o
quadro da bicicleta e nunca com o joelho para
ü É necessário conhecer as regras para dirigir fora;
nas ruas e avenidas. E, como veículo mais
frágil, o ciclista deve ser um exemplo de dis-
ü Mantenha a mão sempre sobre o guidão, em
ciplina; condições de acionar os freios. Recomenda-
se acionar os freios traseiros em primeiro lu-
ü É preciso lembrar que a bicicleta não é um gar e após os freios dianteiros;
brinquedo, mas sim, um veículo e, portanto,
subordinado às regras de trânsito;
ü Lembre-se que os condutores de outros veí-
culos se preocupam com outros veículos
ü A bicicleta é um veículo projetado para o grandes. Muitas vezes eles, não vêem a bici-
transporte individual. Cada vez que o ciclista cleta. Portanto fique de olho, em você e nos
levar mais pessoas estará prejudicando seu outros;
equilíbrio.
ü Procure ficar atento aos carros estacionados,
ü O equilíbrio e o reflexo são fundamentais na porque sempre existem motoristas distraídos
prevenção de acidentes, por isso, é preciso que poderão sair do estacionamento sem dar
que o ciclista pedale confortavelmente e bem sinal, sem observar a sua chegada/aproxima-
protegido, para que possa reagir rápida e li- ção, bem como abrir a porta;
vremente no momento que surgir uma opor-
tunidade de acidente. Recomendamos ao
ü Jamais pegar carona com outros veículos. Isto
transportar pequenas cargas no bagageiro, constitui num grande risco;
por menores que sejam, mantê-las amarradas ü Tomar cuidado com os animais de pequeno e
corretamente; grande porte nas ruas;
ü Devem ser colocados dispositivos refletivos ü Andar sempre no mesmo sentido do tráfego,
nas laterais da bicicleta, pedais e rodas nas jamais contra ele. Assim os condutores de
partes traseira e dianteira, para que possa ser outros veículos poderão vê-los a uma dis-
visto por outros veículos durante a noite. tância suficiente que lhes permita desviar;
ü Ao sair de um local de trabalho, onde haja ü Respeitar os sinais de trânsito, vias prefe-
um grande número de bicicletas, conduzir a renciais, esquinas, etc., e quando intencionar
bicicleta a pé, até alcançar a rua; dobrar para esquerda ou direita, deve-se es-
203
ticar o braço, movimentando para cima e para so como carreiros muito estreitos, beira de
baixo; linha férrea onde existe muitas pedras soltas,
ü Estacionar e guardar a bicicleta em local se- etc.;
guro para não atrapalhar a circulação, evi- ü Quando atravessar as linhas férreas e passa-
tando também furto do seu veículo; gens de nível, deve-se tomar toda cautela
ü Não dirigir com sintomas de embriaguez, nem possível. Jamais atravessar dirigindo;
mesmo quando estiver se sentindo mal; ü Lembre-se que, quanto maior a velocidade
ü Procurar descer da bicicleta e levá-la empur- da bicicleta, maior será a gravidade em caso
rando, quando estiver em local de difícil aces- de acidente.

204
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Trânsito
MOTORISTA, MOTOQUEIRO, CICLISTA E ü Sofrer graves ferimentos, e não poder mais
PEDESTRE, A SEGURANÇA NO TRÂNSITO trabalhar e me divertir.
DEPENDE DE TODOS NÓS.
ü Causar ferimentos à minha família.
O OBJETIVO É EVITAR QUE VENHAMOS A
SOFRER DORES OU TRANSTORNOS. ü Não poder participar da vida dos meus fi-
CONVIDAMOS TODOS OS EMPREGADOS A lhos.
COLABORAR CONSIGO MESMO E COM O ü Deixar as pessoas que acidentaram em situa-
PRÓXIMO EVITANDO, DESTA FORMA, CON- ções difíceis, devido à minha culpa.
SEQÜÊNCIAS INDESEJADAS. ü Ser culpado de provocar a morte de outras
pessoas por motivo de minha desatenção no
Eu, motorista, posso: trânsito.
ü Sofrer desde pequenas escoriações, invalidez ü Sofrer dores insuportáveis.
e até a morte. ü Andar de cadeira de rodas ou permanecer no
ü Ter danos materiais, envolvendo o meu e leito para sempre.
outros veículos. ü Correr o risco de não ser socorrido pronta-
ü Responder a processos judiciais em caso de mente.
danos físicos e materiais. ü Morrer.
ü Incorrer no pagamento de taxas, multas e re-
tenção da carteira de habilitação, além de pro- TODOS OS PROBLEMAS ACIMA PODEM,
videnciar o laudo policial da ocorrência. NA MAIORIA DOS CASOS, SER EVITADOS.
ü Até desfazer-me, do veículo devido à des- BASTA CUMPRIR A SUA PARTE NA SEGU-
pesas. RANÇA DO TRÂNSITO. COLABORE E VIVA
FELIZ!
Eu, motociclista, ciclista ou pedestre, posso:

205
Como dirigir nas estradas
Ao fazer uma viagem por uma estrada, você en- correr mais do que o alcance da luz dos faróis.
frenta uma situação bem diferente da encontrada Lembre-se de que os faróis altos iluminam em
todos os dias no trânsito da cidade, conseqüen- torno de 100 metros, porém a 120 Km/h, você
temente deverá preparar-se e adequar o seu com- precisará de aproximadamente 100 metros para
portamento a esta nova situação. parar o veículo. Portanto, não dirija às cegas;
Seguem algumas sugestões para dirigir com se- 10. Em dias de chuva, as estradas são muito mais
gurança em estradas: perigosas que nas vias urbanas por causa da
1. Encha o tanque de combustível, verifique os velocidades mais altas. Dirija com redobrada
pneus, o óleo, o limpador de pára-brisas, as atenção;
lanternas, faróis e setas, estepe, extintor de in- 11. Quando ultrapassar, use as setas, olhe pelos
cêndio e, principalmente os freios; espelhos retrovisores diretamente e coloque-
2. Observe ou estude o trajeto que será percorri- se, com antecedência, na posição para ultra-
do, localizando oficinas, postos de gasolina, passar. Após a ultrapassagem, espere até ver
restaurantes, hotéis, etc.. Estude bem a estrada no seu espelho retrovisor o veículo que ultra-
antes de partir e esteja certo de que você sabe passou, para só depois voltar à pista da direita;
o ponto em que vai sair dela;
3. Ao entrar na estrada, ganhe velocidade na pista IMPORTANTE – Para manter uma distância se-
de aceleração, de modo que consiga sincroni- gura entre o seu veículo e o que está à sua frente,
zar a sua velocidade com a do trânsito. Quando sem a utilização de fórmulas e cálculos, você deve
estiver em velocidade igual, incorpore-se ao trân- observar o veículo à sua frente e marcar um ponto
sito. fixo de referência na estrada (uma árvore, placa de
4. Nunca diminua a velocidade bruscamente. sinalização, poste, etc.). Quando o veículo da fren-
Mantenha-se no ritmo da maioria; te passar pelo ponto de referência, comece a con-
5. Não pare sobre a pista de rolamento e nunca dê tar pausadamente “cinqüenta e um, cinqüenta e
marcha ré. Se perder uma saída, siga em frente dois”. Essas seis palavras representam 2 segun-
até a próxima; dos. Se o seu veículo passar pelo ponto de refe-
rência após ter terminado de pronunciar as 6 pala-
6. Mantenha-se bem distante do veículo da fren-
vras, significa que você está mantendo uma dis-
te, como precaução contra colisões em forma
tância segura, caso contrário se você ainda não
de reação em cadeia (engavetamento);
terminou de falar o número “cinqüenta e dois” e já
7. Obedeça e observe os sinais: são poucos, mas alcançou o ponto de referência, significa que a
de grande importância. Você não terá tempo de distância entre o seu veículo e o que está a sua
pensar duas vezes; frente é pequena e portanto não haverá tempo
8. Fique atento aos sinais de fadiga nas estradas. para fazer manobras que possam livrá-lo de um
Quebre a monotonia com descansos, pelo me- acidente, caso o veículo da frente seja forçado a
nos de duas em duas horas. Mantenha os olhos parar de repente.
em movimento e abra os vidros freqüentemen- ATENÇÃO – Esta contagem é para veículos de
te. Verifique, sistematicamente os instrumen- até 6 metros de comprimento. Se o seu veículo
tos do painel, cante, use goma de mascar; tem mais de 6 metros, a cada 3 metros excedentes
9. Dirigindo em estradas, à noite, é uma tentação conte mais um número.

206
Segurança na via
permanente
207
Conselhos sobre segurança no trabalho para
via permanente
Siga estes conselhos e você terá a oportunida- ü Quando o guincho suspender o vagão ou
de de ir e voltar inteiro para casa: locomotiva, não entre debaixo, o cabo pode-
ü Quando manejar um trilho ou outra peça pe- rá romper-se e as conseqüências poderão ser
sada, deve ser designado um empregado para fatais.
comandar os movimentos. Informando aos ü No serviço não deixar garfos e outras ferra-
demais tudo o que vai ser feito e quais as mentas com a ponta para cima.
palavras a usar no comando.
ü Nunca usar a mão para remover cavacos ou
ü Nenhum trabalhador levantará peso superi- restos de madeira, pedra sobre o trilho, quan-
or às suas forças. Para movimentar, levantar do este estiver alçapremado: pode-se perder
e transportar um dormente de madeira são a mão.
necessários quatro trabalhadores.
ü Em caso de acidente quando colocar o maca-
ü Quando em serviço na linha, não deixe ferra- co debaixo do vagão, locomotiva, máquina,
mentas em posições tais que haja perigo de etc., para levantá-los, deve-se pôr sempre um
caírem ou de outros trabalhadores tropeça- pedaço de madeira entre a cabeça do macaco
rem nelas. e a peça metálica; Quando se colocam 2 ma-
ü Muito cuidado deve ser tomado com as fer- cacos sob um veículo tombado, o comando
ramentas e equipamentos, por ocasião de do movimento deve obedecer a uma voz so-
passagens de trens ou outros veículos em mente.
movimento. Devem ficar longe da linha. ü Acidente envolvendo inflamável, não fumar
ü Quando se alçar um dormente com a alavan- nem riscar fósforos e nem permitir pessoas es-
ca, não se deve sentar nela. Deve-se colocá- tranhas ao serviço se aproximarem do local.
la firme sob o dormente e apoiá-la sobre um ü Caminhe sempre fora dos trilhos.
pedaço de cepo, nunca sobre o ferro, pois
poderá escorregar e causar acidentes.

208
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Vamos falar dos dormentes


O QUE VEM A SER UM DORMENTE ? ser utilizados por criminosas e causarem aciden-
tes de trens. Não deixem empilhados no meio do
- O dormente é uma peça de madeira, ou de con- mato. Poderão ser destruídos pelo fogo. O mes-
creto, com perfil e dimensões apropriadas em que mo procedimento deve ser usado para outros
se fixam os trilhos. Eles mantêm a bitola da via materiais tais como: talas, pregos, tirefões, para-
férrea e transmite ao lastro os esforços recebi- fuso etc, também não devem ser abandonados
dos. ao longo da linha.

A DURABILIDADE DO DORMENTE DEPEN- COMO SE DEVE CARREGAR O DORMENTE


DE DO QUE ? NO OMBRO ?

- 1º Qualidade da madeira, do tratamento; - Deve-se estar protegido, quanto a escoriações,


farpas, queimaduras, irritação devido ao produ-
- 2º Boa drenagem
to químico;
- 3º Manuseio.
- Deve-se dobrar os joelhos, mantendo as cos-
tas retas, levantar fazendo esforço com os joe-
Os dormentes devem ser tratados com cuidado lhos. IMPORTANTE - como estão em dois ou
quando se vai utilizá-los na linha. É errado colo- mais empregados, faça-se uma ordem de coman-
ca-lo debaixo dos trilhos, puxando com a soca, do, onde deverão levantar ao mesmo tempo.
no dorso e/ou no lado (pois os furos praticados - Deve-se carregar o dormente no ombro de tal
neles, servirá para o depósito de água o que faci- modo que posicione-se de um lado da cabeça,
lita o apodrecimento ) ou batê-lo com a marreta, ou seja, ambos os empregados carreguem ou no
soca no topo. Assim amassam-se as fibras e fa- ombro direito ou esquerdo. Tal transporte facili-
cilita-se a infiltração de água. ta e evita acidentes. Deve-se observar a altura
os empregados.
ENTÃO, QUE TIPO DE FERRAMENTA DEVE - Para colocar no chão, realiza-se o mesmo pro-
SER USADA PARA NÃO AVARIAR O DOR- cedimento quando se levantou o dormente.
MENTE?
OS DORMENTES RETIRADOS DAS VIAS E
- A ferramenta deve ser a alavanca ou tenaz. DOS APARELHOS DE MUDANÇA DE VIA,
PODEM TER ALGUMA UTILIDADE ?
O QUE SE FAZ COM OS DORMENTES RETI-
RADOS DA LINHA ? - SIM. Podem ser classificados em três grupos:
pertencerão ao 1º grupo os que estiverem me-
- Devem ser classificados quanto o aproveita- lhores condições e possam ser empregados em
mento e empilhamento. Jamais deixados jogados desvios ativos ou mortos; ao segundo grupo,
ao longo da linha. Isto demonstra desleixo da os que poderão ser aproveitados para cercas; ao
turma e causa péssima impressão. Porque dor- 3º grupo, os que não se incluem nos dos grupos
mentes abandonados ao longo da linha podem acima.

209
210
Segurança no
transporte
211
Acidentes ferroviários
Os acidentes ferroviários classificam-se em: EXPLOSÃO - é o acidente ocasionada por ex-
plosão em locomotivas ou em veículos que com-
DESCARRILAMENTO - é o acidente em que portam carga explosiva ou cuja causa foi infla-
as rodas do veículo saltam do boleto do trilho. mável.
Podem ser: Tombamento - é o acidente caracte-
rizado pela queda total do veículo; INCÊNDIO - é o acidente cuja causa foi por
Semitombamento - é o acidente caracterizado fogo nos materiais de tração ou rodante, ou na
pela queda parcial do veículo. carga por estes conduzidos.

COLISÃO - é o acidente em que o veículo ferro- ATROPELAMENTO - Acidente que ocorre,


viário bate, indevidamente, em qualquer obstá- quando um trem, ou veículo ferroviário colide
culo que impeça a sua circulação. Divide-se em: com pessoas, provocando morte ou lesões.
Encontro - é uma colisão de trens e/ou mais
veículos circulando em sentidos opostos na ACIDENTE RODOFERROVIÁRIO – Acidente
mesma via; Choque - é uma colisão de trens e/ ocorrido entre um veículo ferroviário e outro
ou veículos circulando no MESMO SENTIDO; não ferroviário em uma passagem de nível.
Esbarro - é uma colisão de trens ou veículos,
circulando em LINHAS DISTINTAS ou em
MANOBRAS NUM PÁTIO;

212
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Cuidados quando você estiver na linha


ü Não ande entre os trilhos, a não ser por força ü Quando andar ou correr, cuide para não es-
maior, quando não há outras condições; corregar, tropeçar. Se for preciso olhar para
ü Evite atravessar a linha logo na frente ou atrás trás, pare antes;
de locomotivas, carros ou vagões em movimen- ü Evite encostar em vagões parados. Um mo-
to; por precaução passe a 02 metros deles; vimento inesperado pode fazê-lo cair e sofrer
ü Se houver locais pré-determinados para a tra- lesões;
vessia das linhas não use outros; ü Para dar, receber ou retransmitir sinais, verifi-
ü Conserve-se a uma distância razoável dos car ou anotar números de vagões, etc., fique
trens ou vagões que passam e evite objetos sempre posicionado fora da linha;
que possam cair ou que, por serem salientes, ü Em dias de chuva, caso esteja de guarda-chu-
possam alcançar e feri-lo; va aberto, observe a distância da linha, caso
ü Remova todo o material que possa fazê-lo venha a passar um trem;
escorregar, tropeçar ou cair (pinos, sapatas, ü Jamais se abrigue debaixo de vagões ou lo-
tábuas, dormentes, mangueiras, sucata, etc.; comotivas;
ü Não sente nos trilhos ou nos dormentes para ü Ao cruzar uma linha, olhe para as duas dire-
descansar; ções.

213
Como é mesmo manobrar no engate de dois ou
mais veículos ferroviários
ü Verificar se a mandíbula do engate do veícu- boquilhas das mangueiras e se todas as tor-
lo a ser engatado (veículo estacionado) está neiras dos veículos que serão tracionados
na posição ABERTA; estão abertas e a última fechada;
ü Verificada a posição acima (MANDÍBULA ü A seguir, o manobrador fará uma verificação
ABERTA) orientará o maquinista, através superficial do estado dos veículos:
preferencialmente, por rádio, para movimen- - veículos sem calços;
tação da locomotiva, a fim de atender ao - freio manual solto;
acoplamento do veículo; - posição correta da torneira;
ü Caso por motivo de força maior, o contato - dispositivo VAZIO/CARREGADO também na
seja por sinais, o manobrador, deverá posici- posição certa.
onar-se ao lado do veículo para visão do
ü Caso a válvula do cilindro de ar apresente
maquinista;
vazamento, o manobrador providenciará,
ü Certifique-se do engate do veículo; dentro dos seus recursos, a normalização da
ü Uma vez engatado, o manobrador através do mesma;
rádio deverá informar ao maquinista que pas- ü Após o término destas operações, o
sará à operação de ligar as mangueiras, o que manobrador solicitará ao maquinista o des-
é feito entre os mesmos; locamento da composição para uma linha de-
terminada;
ATENÇÃO - Nessa operação o manobrador ü Quando a manobra for deixada, verificar:
deverá ter o máximo cuidado. Ao abrir as tor- - veículos isolados ou não;
neiras, fazê-lo lentamente, a fim de evitar uma
- se existem peças fora de gabarito:
emergência no sistema de frenagem e um possí-
vel desarme de válvula. - se existem portas de vagões abertas, pois com
o deslocamento do mesmo, poderá ficar fora
NOTA - É necessário salientar que o maquinis-
de gabarito;
ta deverá estar ciente do posicionamento do
manobrador entre os veículos; - frear manualmente os veículos;
- calçar os que ficarão estacionados por tempo
prolongado ou indeterminado.
ü Feita a ligação das mangueiras, o manobrador
observará se não existe vazamento de ar nas

214
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Ocorrência ferroviária
É qualquer fato relacionado com a segurança OCORRÊNCIAS QUANTO À GRAVIDADE
do tráfego que afete o bom andamento da ope- classificam-se A,B,C,D conforme suas conse-
ração ferroviária. qüências:
Classificam-se em: GRAVIDADE A
- ocorrência quanto à natureza - Morte de passageiros, empregados ou tercei-
- ocorrência quanto à gravidade ros devido à ocorrência;
- Interrupção total da circulação;
As ocorrências quanto à natureza dividem-se - Ocorrência de impacto social com repercus-
em: são externa;
ACIDENTE - Outras conseqüências que possam causar da-
Ocorrência que, com a participação direta do nos a comunidade.
trem ou do veículo ferroviário, provoca danos a GRAVIDADE B
pessoas, veículos ou às instalações. - Ferimento em passageiro, empregado ou ter-
AVARIA ceiros devido à ocorrência;
Ocorrência em que o defeito de componente(s) - Interrupção total de circulação;
de veículo ferroviário e/ou instalações fixas, GRAVIDADE C
provoca atraso, redução de lotação ou supres- - Interrupção parcial ou total da circulação.
são do trem.
IRREGULARIDADE
GRAVIDADE D
Ocorrência verificada pela transgressão nas
- Todas as ocorrências em conseqüências infe-
normas e regulamentos da operação ferroviá-
riores a C.
ria.
ANORMALIDADE
Ocorrência que não constitui acidente ferroviá-
rio, avaria ou irregularidade, acarretando ou não
danos pessoais e/ou materiais.

215
216
Meio ambiente
217
Riscos e danos ambientais
Toda mercadoria perigosa tem suas caracterís- GASES LIQÜEFEITOS - Tornam-se líquidos sob
ticas físico-químicas, o que a faz: EXPLOSIVA, pressão à temperatura ambiente.
INFLAMÁVEL, TÓXICA, OXIDANTE e GASES DISSOLVIDOS - Se dissolvem em um
RADIOATIVA. líquido sob pressão gases altamente refrigera-
O perigo está relacionado ao estado do produto, dos.
às medidas de controle de risco e às
quantidades transportadas. Quanto maiores CLASSE 3 - LÍQUIDOS INFLAMÁVEIS
forem as condições de segurança e maior o
conhecimento dos empregados a respeito do
produto, bem como das medidas a serem GRUPO DE RISCO I - Líquidos inflamáveis com
adotadas em caso de emergência, menor será o ponto de fulgor abaixo de 230C em vaso fecha-
potencial de perigo. do e ponto de ebulição inicial abaixo ou igual a
350C.
Os riscos que polarizam basicamente a atenção
das pessoas são decorrentes da GRUPO DE RISCO II - Líquidos inflamáveis com
INFLAMABILIDADE dos produtos perigosos. ponto de fulgor abaixo de 230C em vaso fecha-
Entretanto, a classificação e a definição das clas- do, porém com ponto de ebulição superior a
ses de produtos perigosos devem ser conside- 350C.
radas, como também as quantidades, concen- GRUPO DE RISCO III - Líquidos inflamáveis
trações gasosas, grau de explosividade: com ponto de fulgor igual ou superior a 230C
até 60,50C em vaso fechado com o ponto de
ebulição inicial superior a 350C.
CLASSE 1 - EXPLOSIVOS

CONCLUSÃO - Quanto mais baixo o ponto de


SUBCLASSE 1.1 - Risco de explosão em massa.
fulgor, maior o risco pela emissão de vapores
SUBCLASSE 1.2 - Risco de projeção sem risco inflamáveis.
de explosão em massa.
SUBCLASSE 1.3 - Risco de fogo e pequeno
CLASSE 4 - SÓLIDOS INFLAMÁVEIS; SUBS-
risco de explosão.
TÂNCIAS SUJEITAS À COMBUSTÃO ES-
SUBCLASSE 1.4 -Pequeno risco na eventuali- PONTÂNEA; SUBSTÂNCIAS QUE EM
dade de ignição. CONTATO COM ÁGUA EMITEM GASES IN-
SUBCLASSE 1.5 - Substâncias muito insensí- FLAMÁVEIS
veis, com um risco de explosão em massa.
SUBCLASSE 4.1 - Sólidos inflamáveis.
CLASSE 2 - GASES COMPRIMIDOS, SUBCLASSE 4.2 - Substâncias sujeitas à com-
LIQÜEFEITOS, DISSOLVIDOS SOB PRESSÃO bustão espontânea.
OU ALTAMENTE REFRIGERADOS
SUBCLASSE 4.3 - Substâncias que em contato
com a água, emitem gases inflamáveis.
GASES COMPRIMIDOS - Não se liqüefazem
sob pressão à temperatura ambiente.

218
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

CLASSE 5 - SUBSTÂNCIAS OXIDANTES; CLASSE 8 - CORROSIVOS


PERÓXIDOS ORGÂNICOS
GRUPO I - Até 3 minutos: necrose na pele (MUI-
SUBCLASSE 5.1 - Substâncias oxidantes. TO PERIGOSA).
SUBCLASSE 5.2 - Peróxidos orgânicos. GRUPO II - Provocam visível necrose da pele
após período de contato superior a 3 minutos
CLASSE 6 - SUBSTÂNCIAS INFECTANTES mas não maior que 60 minutos (RISCO MÉDIO).
GRUPO III - Período de contato inferior a 4 ho-
ras (SUBSTÂNCIAS DE RISCO MENOR).
SUBCLASSE 6.1 - Substâncias tóxicas: provo-
cam morte, danos à saúde em caso de ingestão,
inalação ou contato com a pele. CLASSE 9 - SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS DI-
SUBCLASSE 6.2 - Substância infecciosa. VERSAS

CLASSE 7 - SUBSTÂNCIAS RADIOATIVAS

219
Meio ambiente
CONCEITOS ü Proteção da qualidade e do suprimento de
Considerando que o estudo das questões am- água para consumo;
bientais não podem deixar de estabelecer um ü Proteção dos oceanos, mares e zonas costei-
entendimento comum no que diz respeito ao ras, uso racional do desenvolvimento dos
conceito básico de ecologia e meio ambiente, recursos naturais;
passamos a examinar esta condição:
ECOLOGIA – parte da biologia que estuda as
ü Conservação da diversidade biológica;
relações entre os seres vivos e o ambiente em ü Controle ambiental sadio da biotecnologia;
que vivem, bem como as suas influências recí- ü Controle de dejetos, principalmente químicos
procas. e tóxicos;
MEIO AMBIENTE – conjunto de condições que
regem a vida em todas as suas formas.
ü Erradicação da pobreza e melhoria das con-
dições de vida e de trabalho no campo e na
cidade;
PROBLEMAS AMBIENTAIS EM FUTURO
PRÓXIMO
ü Proteção das condições de saúde.
Considerando os dados apresentados pela im-
prensa, cientistas, etc., os problemas ambien- ASSUNTOS DESTACADOS NO ENCONTRO
tais a serem enfrentados em sua maioria nas DAS NAÇÕES NO RIO’92
primeiras décadas do próximo século, caso per- - a poluição do ar;
sistirem as atuais condições de desenvolvimen- - o efeito “estufa”;
to, com os elevados índices de degradação do - as chuvas ácidas;
equilíbrio ambiental são: ÁGUA PARA CON-
- a destruição da camada de ozônio;
SUMO, ENERGIA PARAATENDER A DEMAN-
DA, PRESERVAÇÃO DO EQUILÍBRIO - o lixo.
AMBIENTAL e PRESERVAÇÃO DA ESPÉCIE
HUMANA. PROBLEMAS AMBIENTAIS NACIONAIS
- poluição do ar;
PROBLEMAS AMBIENTAIS UNIVERSAIS - contaminação do solo;
Os problemas ambientais universais, identifi- - poluição das águas;
cados pela Assembléia Geral das Nações Uni- - desmatamento;
das são:
- desertificação do solo.
ü Proteção da atmosfera por meio do combate
à alteração do clima, à destruição da camada
de ozônio;

220
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Mercadorias perigosas
O QUE SÃO? – São mercadorias que, por sua respiratórias superiores, tosse violenta, irritação
composição, podem acarretar reações químicas pulmonar, edema e morte por asfixia.
que em contato com a atmosfera ou outras subs- EXPOSIÇÃO – produz irritação, cegueira tem-
tâncias químicas, podem provocar danos mate- porária e severos danos aos olhos.
riais, danos à saúde e ao meio ambiente. INGESTÃO – provoca ação corrosiva da
mucosa da boca, faringe, esôfago e estômago.
Devido a natureza de composição para o trans- A ingestão de uma colher de chá de amônia
porte e acondicionamento, algumas recomen- concentrada pode causar a morte.
dações são estritamente necessárias. Vamos BAIXAS CONCENTRAÇÕES:
recordar: Causa irritação nos olhos e incomoda a respira-
ü Boa conservação dos veículos; ção.
ü O veículo deve possuir os equipamentos de
segurança, velocímetro/tacógrafo, equipa- • AMÔNIA – ESTADO LÍQUIDO
mentos de comunicação, EPIs, documenta- CONTATO DA SOLUÇÃO AMONIACAL
ção e ficha de emergência do produto. COM A PELE – produz avermelhamento na
ü A viagem será a mais direta possível e se- região afetada.
guindo horário prefixado; CONTATO COM A AMÔNIA ANIDRA – cau-
ü Cuidado na manobra; sa graves queimaduras pela sua ação cáustica
e pelo congelamento do local.
ü Treinamento para os empregados envolvidos;
ü Empregado de rótulos de risco e painéis de RISCOS AO FOGO
segurança adequados aos produtos a trans-
portar. ü Com ar a uma certa concentração – forma
mistura explosiva;
Nota importante – todo veículo que transpor-
tou mercadoria perigosa, mesmo vazio ou des- ü Mistura com água – produz calor;
carregado, não limpo ou que contenham resí- ü Com água e outros gases – incêndio e explo-
duos daquele produto, deve receber os mes- são.
mos cuidados aplicados aos veículos carrega-
dos.
LÍQUIDOS INFLAMÁVEIS
PRODUTOS MAIS CONHECIDOS
E SEUS CUIDADOS • ÁLCOOL
INALAÇÃO E PELE:
• AMÔNIA – ESTADO GASOSO Depressão do sistema nervoso central, edema
cerebral, edema pulmonar, congestão renal,
ALTAS CONCENTRAÇÕES :
neurite óptica e atrofia, necrose focal do fíga-
INALAÇÃO – produz efeitos irritantes nas vias do.

221
• GASOLINA BTX – BENZENO, TOLUENO, XILENO
INALAÇÃO PERIGO DE COMBUSTÃO E EXPLOSÃO –
Irritante para a pele, olhos e membranas pode pegar fogo e explodir como a gasolina.
mucosas das vias respiratórias; inalando em PERIGO AO CONTATO – encostado na pele,
doses maciças pode causar: edema pulmonar, pode ocasionar irritação e intoxicação.
coma e óbito por insuficiência respiratória. PERIGO DE INALAÇÃO – cheirar o BTX em
EXPOSIÇÃO EXCESSIVAAOS VAPORES doses concentradas causa intoxicação grave.
Pode provocar sintomas semelhantes aos ob- PERIGO DE INGESTÃO – ingerir o BTX causa
servados na intoxicação alcoólica, incluindo intoxicação e morte.
euforia, hiperexcitabilidade, distúrbios visuais,
náuseas, vômitos, cefaléia. E AO MEIO AMBIENTE ?
Todos os produtos aqui indicados causam da-
OBSERVAÇÃO – Os demais derivados de pe- nos ao meio ambiente, principalmente se atingi-
tróleo apresentam sintomas iguais aos provo- rem. Procure listar como poluem os rios e
cados pela gasolina. córregos, fazendo barreiras de retenção.

RISCOS AO FOGO
GASOLINA – ÁLCOOL – DERIVADOS DE PE-
TRÓLEO
Riscos de incêndio e explosão.

222
Normas técnicas
223
Informações sobre a ABNT
O QUE É A ABNT? A CERTIFICAÇÃO PELA ABNT
AASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS A ABNT vem atuando em certificação desde
E TÉCNICAS – ABNT, órgão responsável pela 1950, desenvolvendo Programas de Certificação
normalização técnica do país, fundada em 1940, nas diversas áreas de interesse da sociedade,
é uma entidade privada, sem fins lucrativos, conforme os modelos internacionalmente
reconhecida como FORO NACIONAL DE aceitos e estabelecidos no âmbito do Comitê
NORMALIZAÇÃO, e tem como objetivos: para a Avaliação da Conformidade – CASCO,
ü Elaborar normas brasileiras e fomentar o seu da ISO.
uso nos campos científico, técnico, industri- Neste sentido, a ABNT é Organismo de
al, comercial, agrícola, de serviços e outros Certificação Credenciado pelo INMETRO para
correlacionados, além de mantê-las atuação em Certificação de Sistemas de Quali-
atualizadas; dade e de Produtos no País e mantém relaciona-
mento internacional abrangente com Organis-
ü Incentivar e promover a participação das mos congêneres europeus, tais como: AENOR
comunidades técnicas na pesquisa, no de- (Espanha), IPQ (Portugal), e AFNOR (França),
senvolvimento e na difusão da normalização além de interagir em nosso continente,
do País; notadamente junto ao MERCOSUL.
ü Representar o Brasil nas entidades internaci-
onais de normalização; A ABNT atualmente está atuando nas seguin-
ü Colaborar com organismos similares estran- tes áreas:
geiros, intercambiando normas e informações
técnicas; CB-01 – Mineração e metalurgia
ü Colaborar com o Estado no estudo e solução CB-02 – Construção civil
dos problemas que se relacionam com a nor- CB-03 – Eletricidade
malização técnica em geral;
CB-04 – Máquinas e equipamentos mecânicos
ü Conceder, diretamente ou através de tercei- CB-05 – Automóveis, caminhões, tratores, veí-
ros, marcas de conformidade e certificados culos similares e autopeças
de qualidade referentes a produtos e siste-
CB-06 – Metrô, ferroviário
mas;
CB-07 – Navios, embarcações e tecnologia
ü Prestar serviços no campo na normalização e marítima
atividades afins;
CB-08 – Aeronáutica e transporte aéreo
ü Intermediar, junto aos poderes públicos, os CB-09 – Combustíveis
interesses da sociedade civil no tocante aos
CB-10 – Química, petroquímica e farmácia
assuntos de normalização técnica.
CB-11 – Couro e calçados
CB-12 – Agricultura e pecuária
A ABNT é representante no Brasil das entida-
des de normalização ISO e IEC. CB-13 – Bebidas
CB-14 – Finanças, bancos, seguros, comércio,

224
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

administração e documentação CB-22 – Isolação térmica


CB-15 – Mobiliário CB-23 – Embalagem/Acondicionamento
CB-16 – Transporte e tráfego CB-24 – Segurança contra incêndio
CB-17 – Têxteis CB-25 – Qualidade
CB-18 – Cimento, concreto, agregados CB-26 – Odonto, médico, hospitalar
CB-19 – Refratários CB-27 – Siderurgia
CB-20 – Energia nuclear CB-28 – Celulose e papel
CB-21 – Computadores/Processamento de dados

225
Informações sobre a ISO
ORIGEM DA ISO que significa IGUALDADE (ISO).
A normalização internacional começou no cam- Consequentemente, a organização é sempre
po eletrotécnico há 90 anos atrás. Nos anos 30, chamada de ISO.
algumas tentativas para o desenvolvimento de O QUE É A ISO?
normas internacionais foram feitas em outros A ISO é uma confederação mundial dos orga-
campos. Porém, somente com a criação da ISO nismos de normalização nacionais (um por país),
– International Organization for Standartization fundada em 1947, de cunho não governamental
(Organização Internacional para a Normalização) (ONG), com sede em Genebra na Suíça, hoje
é que uma organização, voltada para o trabalho com 118 membros.
de normalização como um todo, passou a existir. O objetivo da ISO é “promover o desenvolvi-
Depois de uma reunião em Londres, em 1947, mento da normalização e de atividades relacio-
delegados de 25 países decidiram criar uma nova nadas, com vistas a facilitar a troca internacio-
organização internacional, cujo objetivo era nal de mercadorias a serviços, e de desenvol-
facilitar a coordenação e a unificação das ver a cooperação nas esferas intelectual, cientí-
normas industriais nacionais. A nova fica, tecnológica e econômica”. Os resultados
organização, ISO, começou a funcionar em 23 de seu trabalho são publicados na forma de
de fevereiro de 1947. A sigla ISO não é um Normas Internacionais voluntárias, somando
acrônimo de “International Organization for hoje aproximadamente 10.500, ou na forma de
Standartization”. Como o nome da organização ISO/GUIDES, hoje aproximadamente 100.
teria abreviações diferentes em línguas diferen-
tes (IOS, OIN), decidiu-se usar a palavra grega
Representação gráfica dos membros da ISO

226
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Seu escopo abrange praticamente todos os cam- sáveis por 85% das normas internacionais
pos da tecnologia, exceto os da engenharia elé- voluntárias.
trica e eletrônica, que são de responsabilidade O Brasil é representado na ISO pela ABNT –
da IEC – INTERNATIONAL ELECTRICAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS
COMISSION. A ISO e a IEC juntas são respon- TÉCNICAS.

227
Estrutura da ISO

MEMBROS Member) – Alguns países em desenvolvimento, que


A ISO admite apenas um membro por país que pode ainda não dispõe de uma organização nacional de
ser de três categorias, com direitos e obrigações dis- normalização, podem ser admitidos como Membros
tintas: Correspondentes. Esta categoria de membro não atua
ativamente no trabalho técnico, mas são totalmente
informados nos assuntos de seu interesse. Eles po-
ORGANIZAÇÃO MEMBRO (Member Body) – É a
dem assistir às Assembléias Gerais como observado-
organização mais representativa da normalização no
res. Quase todos os membros correspondentes, atu-
país.As organizações membro têm o direito de partici-
almente, são instituições governamentais. Em janeiro
par em todos os Comitês Técnicos da ISO e de proferir
de 1996, o número de membros participantes da ISO
votos nos vários estágios do processo normativo.
era de 9.
São elegíveis para o Conselho e têm assento nas As-
sembléias Gerais. É esta categoria de membro que con-
duz o trabalho técnico normativo. Em janeiro de 1996, MEMBRO ASSINANTE (Subscriber Member) –
o número de organizações membro da ISO era de 85, Recentemente, a ISO criou uma terceira categoria de
sendo 70% delas organizações governamentais ou membros para que países com economia muito pe-
incorporadas por lei pública. quena pudessem manter contato com a normalização
internacional. Os membros desta categoria pagam
anuidades muito reduzidas. Em janeiro de 1996, o
MEMBRO CORRESPONDENTE (Correspondent
número de membros assinantes da ISO era de 9.
228
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Trabalho técnico da ISO


O trabalho técnico da ISO é executado através (Technical Management Board), que aprova
de seus comitês técnicos (TC – Technical também seu escopo. Dentro deste espaço, o
Comittee). A decisão de estabelecer um comitê Comitê Técnico define seu próprio programa
técnico é tomada pela Diretoria Técnica de trabalho.

Estrutura para o trabalho técnico da ISO

Cada comitê técnico pode estabelecer ligado. Para cada WG é indicado um líder, pelo
subcomitês (SC – subcomittee) e grupos de tra- comitê (TC ou SC) a que ele estiver ligado.
balho (WG – working group), para cobrir as- A ISO realiza seu trabalho de forma aberta e
pectos diferentes de seu trabalho. Cada TC e democrática, congregando aproximadamente
SC tem sua secretaria, que é mantida por uma 30.000 especialistas em todo mundo. No início
organização membro da ISO. No caso de um de 1996, a ISO contava com 185 TCs ativos, 611
TC, a secretaria é designada pela diretoria téc- SCs, 2.022 WGs e 38 grupos de estudo
nica e no caso de um SC, pelo TC a que estiver provisórios (ad hoc groups).
229
A proposta para estabelecer um novo campo tê já existente, se apropriado, ou um novo TC
de trabalho na ISO vem, normalmente, da pró- será estabelecido. Para garantir a coordenação
pria ISO, mas pode também ser originária de do trabalho em todas as matérias de interesses
alguma outra organização internacional. Já que comum, são estabelecidas ligações (liaisons)
os recursos para conduzir o trabalho são limita- entre comitês a elas relacionados.
dos, a incorporação de novos trabalhos deve As regras detalhadas e os procedimentos para
atender a critérios de prioridade. Entretanto, o trabalhador técnico da ISO estão estabelecidas
todas as novas propostas são submetidas à con- no ISO/IEC Directives.
sideração das organizações membro da ISO. Se
aceito, o novo trabalho será alocado a um comi-

230
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Participação na ISO
Cada organização membro que tiver interesse Comitês de formulação de políticas específicas).
em um determinado comitê tem o direito de A participação das organizações membro no
participar de seus trabalhos. nível onde são formuladas as políticas da ISO e
As organizações membro que decidirem parti- IEC deve estar em consonância com os
cipar ativamente em um determinado TC ou SC interesses das autoridades e da sociedade do
são designadas MEMBROS-P (participating país que ela representa (por exemplo, políticas
members) naquele TC ou SC. Elas têm obriga- para o credenciamento e certificação, políticas
ção de votar e, sempre que possível, de partici- voltadas para assistência ao consumidor, etc.).
par das reuniões de trabalho do comitê em que No que diz respeito ao nível técnico, cabe a
ela é membro-P. cada setor da economia avaliar o programa de
As organizações membro que desejarem ape- trabalho e, de acordo com suas prioridades (co-
nas se manter informadas sobre o trabalho de mercial, tecnológica e científica), organizar-se
um TC ou SC são registradas como MEMBROS- internamente, sob a égide da organização mem-
O (observers members). bro, para interpretar e comentar os textos (mi-
nutas) em elaboração e proferir votos que ema-
A participação na ISO é voluntária. A ISO não
nam dos vários estágios do processo normativo
detém meios para obrigar a participação de seus
(ver figura e cláusulas a seguir). Cabe a eles
membros no processo normativo (nível técni-
principalmente, preparar especialistas e enviar
co), nem em seu nível político/estratégico (As-
delegações a reuniões de trabalho, e sediar es-
sembléia Geral, reuniões do Conselho e de
tas reuniões, quando conveniente e desejado.

231
ISO
COMO AS NORMAS INTERNACIONAIS SÃO estratégica para o seu campo de atividade es-
DESENVOLVIDAS pecífico, levando em consideração o meio (am-
Uma Norma Internacional (NI) é o resultado de biente de negócio) em que seu programa de tra-
um acordo entre as organizações membro da balho é desenvolvido; indicando as necessida-
ISO. Uma Norma Internacional pode ser usada des de expansão, complementação ou exclusão,
tal qual ela é ou pode ser implementada através avaliando as necessidades de revisão do
de sua incorporação como norma nacional pelos trabalho, e provendo uma visão prospectiva
diversos países. Este foi o caso da série Normas sobre as necessidades emergentes.
Internacionais ISO 9000, que já foi publicada É dentro desta política estratégica que o pro-
(traduzida ou não), sem alteração de seu grama de trabalho do TC é executado. As Nor-
conteúdo, mas Internacionais são desenvolvidas, desta
em mais de 80 países. A série ISO 9000 é uma forma, com base em uma abordagem do projeto,
exceção e o mesmo não acontece obrigatoria- o que significa que cada item do programa de
mente com as demais 10.200 Nis, embora a trabalho do Comitê é tratado como um projeto
tendência atual seja caminhar neste sentido. que tem que passar por diversas fases até a sua
Cada TC prepara uma declaração de política publicação como NI.

232
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

As fases de elaboração de uma normalização


internacional
ESTÁGIO PRELIMINAR ESTÁGIO DE COMITÊ
Este estágio visa a estudar itens de trabalho Prazo para a evolução de NP à CD – 2 anos.
que não estão maduros para o desenvolvimen-
to como NI, por demandarem avaliações de base, É o estágio em que a minuta de comitê – CD é
a nível internacional, por exemplo trabalhos considerada e comentada pelos membros-P do
interlaboratoriais. Comitê, já que no estágio anterior as minutas
foram evoluídas a partir, basicamente, dos
ESTÁGIO DE PROPOSIÇÃO enfoques dos especialistas que as estavam pre-
Um novo item de trabalho – NP pode ser uma parando. Os membro-P recebem as CDs apenas
proposta para: uma nova NI, uma nova parte de para informação.
uma NI já existente, a revisão de uma NI ou
parte dela, uma emenda a uma NI ou parte dela, O prazo para comentários varia entre 3 a 6 me-
ou um relatório técnico. ses, conforme estabelecido pela Secretaria do
A NP pode ser proposta por uma organização Comitê. O estágio de comitê se encerra quando
membro, a secretaria do TC ou SC que elabora- todos os pontos técnicos estiverem resolvidos
rá a norma; outro TC ou SC; uma organização e o texto aprovado da CD for enviado para a
em ligação; a Diretoria Técnica; e pelo executi- Secretaria Central da ISO para circulação como
vo da ISO. minuta de Norma Internacional.
O propositor normalmente apresenta uma mi-
nuta da futura norma para iniciar os trabalhos e ESTÁGIO DE ENQUETE
indica um líder de projeto (líder do WG). Prazo para evolução de NP à DIS – 3 anos.
Neste estágio, a minuta de norma internacional
ESTÁGIO DE PREPARAÇÃO – DIS é circulada para todas as organizações
Prazo para a evolução de NP à WD – 6 meses. membro da ISO. O prazo para envio de votos é
Este estágio destina-se à elaboração de uma de 5 meses. Os votos submetidos pelos mem-
minuta de trabalho – WD. bros devem ser explícitos : positivo, negativo
Cada membro que tiver se comprometido a par- ou abstenção.
ticipar no estágio de proposição, deve indicar Embora os membros sejam obrigados a votar,
um especialista para compor o Grupo de Traba- neste estágio é pouco provável conseguir uma
lho (WG) que trabalhará a WD. O líder do proje- alteração substancial no texto da futura NI.
to é responsável por seu desenvolvimento e
atua como líder do WG. ESTÁGIO DE APROVAÇÃO
Várias minutas são preparadas e comentadas A minuta final da Norma Internacional – FDIS é
pelos especialistas, até que o WG decide que circulada para todos os membros. Os votos
ela está pronta para evoluir para o próximo es- submetidos pelos membros devem ser explíci-
tágio. tos: positivo, negativo ou abstenção.
O voto positivo não pode ser acompanhado de
comentários. Os votos negativos têm de ser

233
acompanhados por suas razões técnicas. cada 5 anos, quando todos os membros têm a
A FDIS é aprovada se dois terços dos votos dos oportunidade de votar pela sua confirmação,
membros-P forem positivos e não mais do que revisão ou eliminação. A decisão é baseada no
um quarto de todos os votos forem negativos. critério de maioria simples de votos.
Além disso, a avaliação de uma NI pode ser
ESTÁGIO DE PUBLICAÇÃO iniciada a qualquer momento, a pedido de um
membro ou do Executivo da ISO.
A publicação de NI fica a cargo da Secretaria da
ISO. Todas as Nis são reavaliadas no mínimo, a

234
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente
Anexos
235
236
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente
Anexo I - Frente
237
238

Anexo I - Verso
PROGRAMA C I N C O MINUTOS DIÁRIOS de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente

Anexo II

Item: Índice de Participação em 5 Minutos de Segurança


Dimensão da Qualidade: Segurança
Forma de Medição: (Número total de participantes em 5 minutos / efetivo)

Responsável: Edgard Duarte Filho

COMENTÁRIOS
Desafio significa quantas vezes, em média, um empregado deverá participar de 5’ de
segurança no período.
Considerado como referência 70% de 21 dias mês, máximo provável. Isto quer dizer cerca
de 14 sessões/mês, com participação total do efetivo.

239
240